Issuu on Google+

16 ECONOMIA

IAP dá licença ambiental para instalação da Techint Luciana Pombo e Agência Estadual de Notícias

O Governo do Paraná entregou a licença ambiental de instalação à multinacional italiana Techint para a ampliação e modernização da sua unidade em Pontal do Paraná. No local, serão produzidas duas plataformas fixas de petróleo com investimentos de cerca de R$ 1 bilhão e a geração de mais de 4 mil empregos diretos. É o primeiro empreendimento ligado ao pré-sal a se instalar no Paraná. Outras empresas virão como a Odebrecht (montagem de navios), a Galvão Óleo e Gás (construção de plataformas) e a Subsea 7 (produção de cabos de transporte) - que já possui área em Pontal. O diretor-geral da Techint, Ricardo Ourique, explicou que a maior parte da mão de obra do empreendimento será local e aposta em treinamento e cursos de qualificação para suprir a demanda. A empresa possui a unidade no Paraná desde o início da década de 80, mas a última utilização do local foi entre 2004 e 2006, quando produziu peças para uma plataforma da Petrobrás. Na época estavam empregadas cerca de 1,5 mil pessoas.

LICENCIAMENTO – Para emissão da licença de instalação, o Instituto Ambiental do Paraná (IAP) exigiu a implantação de medidas que reduzam os impactos gerados na utilização das rodovias PR-407 e PR-412 e seus acessos, por conta dacirculação de veículos necessários à operação do empreendimento. Durante a etapa de instalação o empreendedor também deverá controlar as emissões atmosféricas e os ruídos – conforme os padrões estabelecidos pela legislação estadual e federal. PONTAL DO PRÉ-SAL – O Pontal do Pré-sal é uma ação de articulação do Governo do Estado com os setores público e privado para colocar o Paraná como um dos principais fornecedores Diariamente 18h às de suporte à de materiais das e serviços 00h exploração do pré-sal. O objetivo é aliar o interesse do governo em atrair empreendimentos à demanda de fornecedores nacionais de bens e serviços da Petrobras para os próximos anos.

EDIÇÃO: 04

ANO: 01

DISTRIBUIÇÃO GRATUITA

Beto Richa garante que irá gerar empregos no litoral Governador do Paraná promete a inclusão de Pontal na produção de peças, equipamentos e serviços para o pré-sal. Com isto, serão gerados milhares de empregos. Págs.4 e 5

Tráfico de drogas é o maior problema de criminalidade de Pontal Diferente de outros municípios, as cidades litorâneas apresentam baixos índices de homicídios. No entanto, os furtos e roubos contra o patrimônio público, típicos de grupos que usam entorpecentes, aumentam a cada dia. Pág. 7

Leia Mais Diariamente das 18h às 00h

Unidade de Saúde com equipamentos estragados, sem médicos e até sem enfermeiras. Veja na pág. 15.

Justiça determina imediato funcionamento de posto de saúde 24 Horas em Shangri-lá. Pág. 15


02 OPINIÃO

15 SAÚDE

EDITORIAL

Não temos como fechar os olhos para o caos em que está a saúde pública de Pontal do Paraná. Não existe equipamento de dentistas em postos de saúde. No dia 27 de maio, os equipamentos da Unidade de Saúde de Ipanema estragaram. Isso já havia ocorrido antes em Praia de Leste, que até recebeu novo equipamento, mas teve problemas uma semana depois de estar em uso. A burocracia emperra tudo. Até mesmo a ambulância do Samu, que já foi recebida e nunca foi usada, carece de um “enpurrão” para entrar em operação!... Outro problema é a fila para conseguir uma consulta. Os pacientes precisam acordar às 4h para garantir uma consulta – que é semanal e tem limite de atendimentos. Na pediatria, por exemplo, as consultas só podem ser marcadas na manhã de quarta-feira. E as mães precisam ser eficientes. Se não chegarem cedo, perdem a vaga. Pediatria somente uma vez por semana e com dez atendimentos diários. Nada mais!... Isso sem falar na falta de vacina ou de aplicador de vacinas nas unidades de saúde... Por que o Município não investe em mecanismos simples e baratos como uma Central de Marcação de Consultas? Por mais que o atendimento demore, ele acontecerá e tem data e horário agendado para o cidadão pontalense – que merece carinho, merece cuidado... Como se não bastassem todos os problemas habituais, o Posto 24 Horas de Shangri-lá ainda adormece. De 24 Horas, apenas o nome e a determinação judicial – que não foi cumprida, apesar de liminar expedida pela juíza da Comarca de Matinhos. E a saúde? Vai mal, obrigada... A direção.

TELEFONES ÚTEIS:

Polícia Militar - 190 Polícia Rodoviária Federal - 191 SAMU - 192 Corpo de Bombeiros - 193 Polícia Rodoviária estadual - 198 Defesa Civil - 199 Narcodenúncia - 181 Procon - 151

Posto de Saúde sem médicos

Cartas

Usuários são obrigados a esperar passar a hora do almoço

“Olá! Parabéns pelo trabalho ímpar de informação. Espero que continuem com a imparcialidade, que Deus os abençoe nesta missão. Gostaria, se me permitem, sugerir para que façam um trabalho de campanha junto aos órgãos, empresariado local, etc, no intuito de sensibilizá-los quanto à ministração de cursos profissionalizantes. O que se oferece atualmente em nossa cidade, não abrange os anseios da juventude local ou muitos não tem acesso devido aos preços praticados pelos poucos estabelecimentos que oferecem tais cursos sem oferecer a qualidade necessária. Ciente de que a educação e a capacitação profissional são caminhos que levam nossos jovens para a prática do bem e ao distanciamento da criminalidade e dos vícios, conto com a compreensão e a colaboração deste conceituado meio de comunicação. Muito obrigado pelo espaço. Abraço e que Deus continue iluminando e abençoando toda a equipe.” (Alcione Jorge Rodrigues) “É sempre bom mais um veículo de informação comprometido com a verdade. Esse, de cara, já cortou o medo, para não ficar parecido com slogan do jornal pioneiro Folha Pontal do Paraná – A Verdade Sem Medo. O bom é saber que o profissionalismo da equipe estará acima de qualquer suspeita. Que ganhará com isso é toda a sociedade que poderá se inteirar dos fatos inerentes ao nosso dia a dia. Só podemos desejar sucesso ao novo empreendimento que vai, com certeza, ajudar a abrir os olhos das nossas autoridades.” (José Augusto) “Estamos curiosos em conhecer este novo jornal. Vai ser distribuído regularmente ou vai ser apropriado como aquele do Zé Augusto. Avante Luciana Pombo. Faça deste jornal um marco divisório em Pontal do Paraná. Competência você já provou que tem. Petraglia que o diga.” (Ernesto Cancela) “Sra Jornalista, esses R$ 300,00 que o prefeito paga para esses jornaleiros é muito dinheiro, pois não tem uma utilidade para nossa população. Vai aqui minha sugestão: que a Prefeitura use esse dinheiro destinado ao marketing para comprar material odontológico que estão em falta no Posto de Saúde.” (Luiz Souza)

Expediente: Redatores e Editores: Luciana Pombo (lucianapombo@hotmail.com) e Toni Casagrande (tonicasagrande@hotmail.com) Criação e Diagramação: Margareth Souza (Ventura Comunicação & Marketing – CNPJ: 09.719.718/0001-43). Email: lucianapombo@ hotmail.com

Jornalista Responsável: Luciana Pombo (DRT: 2989/11/114) Revisão: Luciana Pombo Fotografias: Luciana Pombo Contato comercial: Robson do Walle (41) 3457.1341 Charges: Roque Sponholz Impressão: Editora Folha de Londrina Ltda

Publicação: Mensal Distribuição: Gratuita Exemplares: 2 mil Anuncie neste jornal e tenha a garantia da qualidade de um jornal independente e com ética. Acesse a tabela de descontos no email lucianapombo@hotmail.com ou pelo telefone (41) 3457.1341.

Luciana Pombo Unidade de Saúde sem médico. Ou pior, sem vacina ou sem enfermeiras! Estas são algumas reclamações de usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) de Pontal do Paraná. A cobradora Márcia Fatima Luciano teve que enfrentar momentos difíceis no dia 11 de abril, na Unidade de Saúde 24 Horas de Praia de Leste. Ela levou o filho, de 15 anos, que havia se cortado com uma faca. Ao chegar lá, uma surpresa: não havia qualquer atendente na recepção. “Eu não tive dúvidas. Era horário de almoço, mas meu filho precisava de atendimento. E a unidade era 24 Horas. Então eu invadi a unidade em busca de alguém que pudesse me atender”, contou ela.

Ipanema – No dia 13 de abril, o pintor de automóveis Maurício Satiro Vieira, de 39 anos, conhecido como “Camarão”, teve um acidente de trabalho com o disco flexível de uma lixadeira. Ele foi até a unidade de saúde e foi informado que não havia médico. “Eu tenho testemunhas. Disseram que não podiam fazer nada porque não tinham médico e pediram para eu ir para Praia de Leste. Não tinham uma ambulância, nada. Estava varado de sangue. O atendimento foi precário, péssimo”, contou ele. Depois de fazerem um curativo em Praia de Leste, ele teve que voltar para Ipanema para tomar a vacina antitetânica, mas não tinha quem aplicasse. Teve que esperar alguém chegar.

Uma mulher sem caracterização foi prestar o primeiro atendimento ao adolescente. Depois, chamou uma enfermeira que avisou que o garoto teria que levar pontos. “Ela me disse que teriam que ser dados alguns pontos, mas o médico não estava. Talvez chegasse algum para atendimento em duas horas. Mas eu tinha que trabalhar e não podia ficar ali esperando, sob pena de levar uma advertência na empresa que trabalho. Avisei que chamaria a reportagem e eles me disseram que eu podia fazer o que eu quisesse, não havia médico”, protestou a cobradora.

Depois de tomar a vacina, o ferimento voltou a sangrar e ele foi até o posto de saúde para conseguir um esparadrapo e gaze. Mas não conseguiu. “Lá eles me disseram que não tinham esse tipo de produto e que se eu quisesse eu teria que comprar. Por que então não fecham o posto de saúde e abrem um cemitério? “, questionou Camarão. O corte, segundo o pintor, é pequeno. No entanto, é profundo. “Eu fiquei indignado. Fui tratado pior do que um animal. E não só eu. O pessoal sofre aqui e fica calado. Eu não vou mais ficar quieto. Temos que denunciar o caos para ver se temos melhoras. Eu nunca vi um atendimento tão ruim, de má qualidade, como o do posto”, ponderou ele.

Por conta e risco, a cobradora decidiu medicar o filho dela. “Quando eu precisei, ninguém me deu apoio. Agora estou medicando meu menino por minha conta e risco”, explicou. Além de Márcia, outras duas pessoas aguardavam atendimento naquele horário.

Abandono – Em Shangri-lá, o posto de saúde está praticamente desativado. Há três meses não tem clínico geral. “Estamos abandonados. Já fizemos manifestação aqui e não adiantou nada. A administração municipal não faz nada por nós”, disse o comerciante Josué Luiz dos Santos.

Prefeito prefere manter posto 24 horas fechado Luciana Pombo A Justiça de Matinhos determinou o imediato funcionamento de um posto de saúde 24 Horas em Shangri-lá sob pena de multa no valor de R$ 5 mil em caso de descumprimento no dia 19 de maio. No entanto, a determinação não foi cumprida e a Prefeitura decidiu cassar a liminar, alegando falta de funcionários. Além disto, o governo municipal busca a inconstitucionalidade do projeto de lei de iniciativa popular aprovado pela Câmara de Vereadores, vetado pelo prefeito Rudsiney Gimenes (PMDB) e promulgado pelos parlamentares. “A lei tratada constitui eco do anseio popular capaz de mobilizar a sociedade através de captação de assinaturas ao ponto de transformá-lo em projeto de lei, sendo certo que a promulgada e vigente, se noticia reconhecimento de sua forma e conteúdo, é prova inequívoca exigida para o cumprimento”, diz a juíza Danielle Guimarães da Costa, no despacho cível. A juíza alegava na liminar que não cabe desculpas municipais no sentido de que a abertura do posto de saúde iria onerar os cofres públicos porque somente está sendo exigida a abertura do posto 24 Horas de Shangri-lá – mais centralizado do que Praia de Leste. “Se a Prefeitura não tiver recursos para manter dois postos de saúde, que seja transferida a unidade de Praia de Leste para Shangri-lá”, ressaltava ela.

Procurada por email e por torpedos, a procuradora do Município não se manifestou sobre o posto de saúde.

Entre em contato conosco: (41) 9143.7999 ou no email lucianapombo@hotmail.com


14 HUMOR

03 POLÍTICA Classificados

Hora de Sorrir Aviao Sem Rumo

Um piloto conduzindo seu avião por sobre a floresta amazônica percebe uma pane no painel de navegação da aeronave e quando da por si, está demasiadamente afastado de sua rota, iniciando um diálogo com a torre de comando: - Mayday, mayday, aqui é o piloto da aeronave 259, estou com 180 passageiros, perdi o computador de navegação, estou a 300 km do aeroporto mais próximo, e meu combustível só dá para cobrir uns 150 km, solicito orientações. Torre de comando responde: - Atenção a toda tripulação, analisando sua situação, todos deverão repetir comigo: “Pai Nosso que estais no céu...”

PALAVRAS CRUZADAS Rumilson Evangelista Castro

1- Personagem de Shavon Kirksey, no filme “Dragonball Evolution”. 2- “Cotidiano de um (?) feliz”, composição musical de Jay Vaquer. 3- Código de país da internet domínio de topo (ccTLD) para a Georgia. 4- Instituto Português de Arqueologia (Sigla). 5- Teddy (?), popular cantor etíope, responsável pelo lançamento do álbum “Abugida”. 6- Escritor de ficção da língua alemã do século XX, autor do livro “A Metamorfose”. 7- Aroldo de Azevedo, autor do 1º mapa geográfico do Brasil. 8- (?) de Queiroz, autor do livro “O Primo Basílio”. 9- Apelido de Gilmar, goleiro do Brasil nas copas de 1958/62/66. 0- Mohamed Anuar, presidente do Egito de 1970 a 1981.11- Centro de Estudos de Pessoal (Sigla), instituição de ensino e de pesquisa do exército brasileiro. - Profissão, outrora exercida por Piero da Vinci, pai do famoso pintor “Leonardo da Vinci”. 12- Código FIFA da França. - Pico da (?), elevação portuguesa localizada na freguesia açoriana de Santo Amaro. 13- “(?) É Pelé”, documentário dirigido por Eduardo Escorel e Luiz Carlos Barreto. 14- Antiga fortaleza, situada nos arredores do Monte do Templo em Jerusalém. - Clemente Ritz, saudoso membro da Academia Paranaense de Letras. 15- Minami-(?), mangá criado por Koharu Sakuraba. 16- Sigla olímpica de Angola. 17- “(?) The Moose”, livro de Phil Stong. - (?) More, pensador humanista, autor do livro “A Utopia”. 18- (?) Santos Dumont, inventor do avião e do ultraleve. 19- Tom (?), compositar natural de Irará-BA. - “(?) Sarò”, música de Mafalda Minnozzi. 0- (?) Salvador, pequeno país da América Central, limitado a leste pelo Golfo de Fonseca. - (?) Cunha, autor do livro “O Barqueiro de Paraty”. 21- Luciano (?), apresentador de programa de TV. - Nº do gol histórico marcado por Rogério Ceni, contra o Corinthians na Arena Barueri. 22- Praça da (?), marco zero da Paulicéia. 23- Companhia aérea brasileira, criada em 15 de Janeiro de 2001. 24- Reproduções de documento original. 25- “O (?)”, filme dirigido por Ron Howard. - “(?) Hora de Los Sensatos”, livro de Leopoldo Abadia. 26- Crença. - “No (?) Rarefeito”, livro de Jon Krakauer. 27- (?) de Itamaracá, cantora cujo 1º disco intitulado “A Rainha da Ciranda” foi lançado em 1977. 28- Cidade situada no Punjab, província do Paquistão. 29- Raymond (?), filósofo, sociólogo e comentarista político francês. 30- Prenome da 1ª dama, a usufruir do Palácio da Alvorada. Solução das palavras cruzadas maio 2011 1- Elis Regina; 2- Cassu; 3- Os; 4- AA; 5- Fred; 6- Ivan; 7- Ca; 8- Andarilhos; 9- Eco; 10- África, Cardoso; 11- Lascar; 12- Van,Violino; 13- IS; 14- Técnico; 15- Eva; 16- Hugo; 17- Estradinha; 18Rueda; 19- Ur; 20- Gi, Dona; 21- NSC, Red; 22- Idol, Alô; 23- Írio; 24- Ano, AF; 25- Su; 26- NEC; 27- Alonso; 28- Adolfo; 29- AUS.

- CÃES – Vendo filhotes de Cairn Terrier com pedigree, vacinados e desverminados. Informações no telefone 9143.7999. - CÃES - Doação permanente de gatinhos e cães sem raça definida. Interessados ligar para (41) 3457.1341. Exige-se posse responsável. - CARRO - Vendo Celta três portas, preto, gasolina, quitado. Ano 2003. R$ 13 mil. Informações nos telefones 9181.1497 e 3457.1341. - CHÁCARA - Vendo chácara em Araucária, Região Metropolitana de Curitiba. Um alqueire, com casa social, galinheiro, estrutura para vários canis, depósito e casa de caseiro que precisa de reforma. R$ 160 mil. Tratar no telefone 9181.1497, com Toni. Aceita-se imóvel em Pontal como parte do pagamento. - TERRENO – Vendo três terrenos em Ipanema. IPTU em dia. Metragem: 15x25. R$ 15 mil. Fone: 9124.5805. Para anunciar aqui, mande um email para lucianapombo@hotmail.com

Por Luciana Pombo (www.lucianapombo.com.br)

Pontal vive na porta da frente da insegurança pública. Aqui, os índices de criminalidade não parecem absurdos, mas impera a Lei do Silêncio. Por onde quer que se ande, podemos enxergar famílias entristecidas pela dor da perda, pelo medo da perda... Em Pontal do Sul, por exemplo, fui testemunha de uma triste cena. Uma senhora, com medo de se identificar por conta das represálias, mostrou as marcas de projéteis na parte de sua casa e de seu comércio. Os tiros foram uma espécie de cala boca. Sozinha, ela presenciou um crime praticado pelos traficantes locais. Tentou fazer algo para impedir que o crime proliferasse, mas teve que se calar por medo de perder a família, de perder a vida... A insegurança é tamanha que o próprio delegado de polícia teve que se ausentar daqui. O que parece sinônimo de covardia nas grandes cidades, é encarado como normal, aceitável, no litoral paranaense. Não se pode falar muito, nem investigar muito. Vidas padecem de segurança. Vidas padecem de alicerces sociais. E a administração estadual parece que nada sabe. Como era de praxe em governos anteriores, ninguém vê... É hora de por na cadeia os políticos corruptos, os que roubam a paz dos pontalenses, os que traficam e fazem dos nossos jovens vítimas sociais... Tutelar – E não é só a segurança que anda de mal a pior em Pontal do Paraná. O Conselho Tutelar não pega pesado com os pais por aqui e não é raro ver crianças fora da escola em horário escolar. Dia destes um menino conversando comigo confidenciou que tem faltado três vezes por semana porque a mãe tem pena de acordá-lo cedo. De pronto me lembrei de meu irmão, que morava na Inglaterra e um dia deixou de levar os filhos para a escola. Na mesma tarde, ele recebeu a visita da polícia inglesa. Por quê? Queriam explicações. Lá deixar de levar os filhos para a escola é um dos principais crimes cometidos por familiares... Em andamento – Isso sem falar de processo que está em segredo de Justiça e que investiga envolvimento de integrantes do Conselho Tutelar, já destituídos, em tráfico de crianças e adolescentes. O sigilo judicial é importante por terem crianças envolvidas, mas aguardamos prisões expressivas e punição de todos que abusaram de anjos. O pior abuso é sempre cometido contra aqueles que não podem se defender... Mulher – Por falar em mãe, o Centro de Saúde da Criança e da Mulher de Ipanema está de portas fechadas. O governo do Estado investiu lá R$ 281,5 mil, mas faltam funcionários e vontade política para colocar a unidade de saúde para funcionar. E olha que o espaço é maravilhoso: conta com 208 metros quadrados.

Jornalecos – Não tem nada pior do que falsos médicos, falsos advogados, falsos moralistas, falsos jornalistas. O contato comercial do jornal A Verdade circulou pelas ruas de Pontal do Paraná para vender anúncios e foi informado que outros vendedores, de jornais picaretas, vendem anúncios e não publicam o conteúdo vendido. Que tal começarmos a denunciar? Estelionato ainda é crime!... Boato abortado – O Hipermercado Condor não vem para Matinhos ou Pontal do Paraná. Pelo menos, por enquanto. A área em Praia de Leste que teria sido comprada ainda está em negociação. O hipermercado tem três projetos para o Paraná em 2011: Colombo, Castro e São José dos Pinhais. E pretende fazer duas reestruturações de loja: Araucária e Apucarana. O valor de investimento é de R$ 80 milhões. Desvio de roupas – Um brexó que estava fechando as portas doou cerca de 10 mil peças de roupas para as vítimas dos alagamentos de Morretes. Uma Igreja Evangélica foi buscar. O problema é que as roupas nunca chegaram no destino. A desculpa do pastor é que os produtos foram extraviados. Não faz sentido... Superdotada – Uma menina de dez anos chamou a atenção de todos na Semana do Meio Ambiente em Pontal. O colégio dela recebeu a visita do prefeito e ela foi questionar a falta de saneamento básico, os alagamentos em frente a escola dela, a ausência de bocas de lobo. Pegou o prefeito de surpresa, que justificou que ele não era São Pedro. Ela tascou: São Pedro não é o prefeito de Pontal. A não ser que o senhor queira trocar de lugar com ele! Por essa, ninguém esperava... Pedofilia – Por escrever nesta coluna sobre a rede de pedofilia existente em Ipanema, fui ameaçada de morte. Quer saber? É mais uma das ameaças que me acompanham na vida por fazer o que tenho que fazer, por denunciar o errado como tenho que denunciar. Se caráter custa caro, pago o preço! E vamos que vamos... Poluição – O meio ambiente precisa ser mais eficaz para aplicar multas aos que ferem os rios de Pontal do Paraná. Um lavacar não está adequadamente ligado ao esgoto e tem j ogado todos os restos e dejetos no rio que passa atrás do estabelecimento. Não é raro ver óleo na água que é usada como bebida para garças que ainda estão na região. Ninguém faz nada? Dia dos Namorados – Não importa se o amor acabou, se a paixão passa ao largo de sua casa. O importante é fazer valer o que de mais raro temos em nossas vidas: a virtude de sonhar! Feliz Dia dos Namorados!... Você pode colaborar com esta coluna, mandando informes para o lucianapombo@hotmail.com. Shalom.

“No romantismo de minhas noites, Molho a alma com o vinho Da paixão que me atordoa...”

Plano Diretor preocupa autoridades de Pontal do Paraná Projeto aprovado ainda não foi implementado Luciana Pombo Dos 399 municípios paranaenses, 204 já concluíram e aprovaram seus planos diretores nas câmaras municipais, 113 concluíram o processo e não aprovaram o documento, 74 estão em fase de elaboração e oito ainda nem iniciaram o projeto – que será fundamental para o crescimento das cidades, para definir o que pode e o que não pode ser feito e para garantir recursos federais e estaduais para projetos de infraestrutura e logística. Quem não tiver plano diretor finalizado até este ano, terá os recursos bloqueados. Pontal do Paraná é uma das cidades mais atrasadas no processo de elaboração e finalização do Plano Diretor. Um plano até chegou a ser aprovado no município, mas sofreu modificações e até agora não foi devidamente concluído, nem passou por novas audiências públicas para definir o processo. “Ainda estamos em fase de discussão. Todos ainda debaterão o Plano Diretor antes de ir para aprovação do Conselho Estadual do Litoral”, disse o vereador Valdevino Simões Périco (PR), presidente da Câmara de Vereadores. No Conselho do Litoral, a informação é a de que o Plano Diretor recebeu alguns pedidos de ajuste da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Urbano (Sedu) e não tem data para entrar na pauta. Em abril, foi aprovado o plano diretor de Paranaguá. Além do Plano Diretor, terão que ser aprovadas outras seis leis para regulamentação: Lei dos Perímetros Urbanos, Lei do Parcelamento do Solo, Lei do Sistema Viário, Código de Obras, Código de Postura e Lei de Uso e Ocupação do Solo. Os projetos estão previstos na Lei Federal 88 e na Constituição de 89, além do Estatuto das Cidades (Lei Federal 10.257/2001). Os recursos são financiados pelo governo do Estado para elaboração dos projetos – nos locais mais pobres, o financiamento é a fundo perdido. Para fazer um projeto como o Diretor, o município precisa investir apenas entre R$ 5 mil a R$ 20 mil. A reportagem entrou em contato com a Secretaria de Urbanismo de Pontal do Paraná, mas ninguém deu retorno.


04 POLÍTICA

13 Turismo

Luciana Pombo

Matinhos também guarda particularidades e muita história

Beto Richa promete atenção ao litoral do Paraná

A política de Pontal do Paraná, o abandono do governo do Estado nos últimos 16 anos e a ação equivocada da Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar) que pretende investir na extensão da rede de esgoto nos próximos anos foram algumas das questões levantadas pelo Jornal A Verdade em entrevista exclusiva com o governador do Paraná, Beto Richa (PSDB). Sempre ocupado, Richa reservou um espaço sagrado de seu tempo para dar respostas ao povo de Pontal: sem muita esperanças nas áreas de saúde, geração de emprego e renda. Luciana Pombo - O litoral do Paraná sofre com o abandono dos últimos governos. Como a administração Beto Richa vê o litoral do Paraná e quais as principais propostas para a região? Beto Richa – Nossa proposta para o litoral parte do princípio de que não basta investir só em melhorias para os turistas no período de alta temporada: se houver avanço na qualidade de vida dos habitantes, será mais fácil atrair visitantes, que movimentam a economia local. A modernização dos portos de Paranaguá e Antonina, o aproveitamento do potencial estratégico de Pontal do Paraná como fornecedor de equipamentos e insumos para os campos do pré-sal e a criação de novas alternativas consistentes de atração turística (como turismo ecológico, turismo religioso, turismo da melhor idade e turismo de aventura), além de apoio

efetivo às atividades de subsistência, como artesanato, pesca e agricultura familiar, são alguns dos pontos da plataforma de desenvolvimento econômico para a região. O litoral precisa de atenção o ano inteiro, não só no verão, como tem sido nos últimos anos. Luciana Pombo Um dos problemas sérios do litoral é na época de chuva, com o refluxo dos canais fluviais que causa enchentes e alagamentos constantes. A Sanepar chegou a admitir, há três anos, que foram feitos investimentos equivocados e que são necessárias limpezas das galerias e microdrenagens. A Prefeitura diz que não faz porque o governo não deixa. E no empurraempurra administrativo, a população perde roupas e móveis. Como enfrentar o problema? Beto Richa – Pelas informações de que dispomos, a Sanepar disse que era equivocado acreditar que somente o investimento em esgotamento sanitário resolveria o problema da balneabilidade e das enchentes. E que seria necessária a atuação dos órgãos responsáveis pela gestão dos recursos hídricos do litoral (como o IAP, Águas do Paraná e as prefeituras) para melhorar a condição de escoamento dos canais. Os canais exigem uma constante limpeza e manutenção das condições técnicas de funcionamento. A Sanepar vai ser parceira destes órgãos, até porque utiliza alguns destes canais para disposição do efluente final de suas estações de tratamento de esgoto. Luciana Pombo - Ainda sobre a Sanepar, apenas 22% dos moradores de Pontal do Paraná, por exemplo, tem esgoto. E apenas nas regiões nobres. Existem programas e projetos a serem implementados para melhorar esse índice? Beto Richa - A Sanepar investiu em esgotamento

sanitário em Pontal do Paraná, pelo projeto ParanaSan, cerca de R$ 61 milhões, que foram utilizados para a construção de uma Estação de Tratamento de Esgoto e implantação de redes e coletores principais onde havia maior densidade de edificações e condições técnicas mais favoráveis para a coleta, atingindo hoje 26 % de cobertura de atendimento. Por minha determinação, a Sanepar já está elaborando projetos para a expansão da rede coletora. Luciana Pombo - Ainda sobre Pontal do Paraná, estatísticas oficiais do Ipardes demonstram que quase 20% da população vive abaixo da linha da pobreza. Isso por conta da pequena empregabilidade no município e péssima qualificação profissional. Como mudar a situação do município? Existem programas para atração de empresas não poluentes para o município? Beto Richa – Conversei longamente com o presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli, semanas atrás, sobre a inclusão do Paraná na produção de peças, equipamentos e serviços para o pré-sal. A idéia é investir forte na capacitação profissional, na atração de empresas e na qualificação das empresas paranaenses para o fornecimento e prestação de serviços para a Petrobras. O campo para explorar o segmento é imenso e Pontal do Paraná reúne condições para se projetar como plataforma continental avançada do pré-sal. Precisamos trabalhar em parceria com as prefeituras da região – especialmente Pontal, é claro -, as empresas, o governo federal e a Petrobras. Envolver a comunidade e as entidades representativas. As perspectivas para mudar a situação, em Pontal, são muito interessantes, desde que respeitadas as questões socioambientais. (CONTINUA)

Luciana Pombo

A colonização de Matinhos começou em meados do século XIX, quando os índios carijós habitavam o litoral paranaense. Os colonizadores de Matinhos foram os portugueses e os italianos, que fundaram diversas colônias agrícolas. Em 1927, foi inaugurada a Estrada do Mar, ligando Paranaguá a Praia de Leste, que trouxe diversas famílias em sua maioria alemãs. Os principais pontos turísticos de Matinhos são: Igreja Matriz de São Pedro (construída para atender o número crescente de fiéis, tem devoção por São Pedro – considerado como o padroeiro dos pescadores), Igrejinha de São Pedro (a mais antiga, fundada entre os anos de 1938 e 1944, foi tombada pela Câmara Municipal como patrimônio histórico da cidade em 1986), Morro do Escalvado (tem 262 metros de altura e abundante vegetação

nativa e de trilhas, com vista panorâmica para as praias da região), Morro do Boi (160 metros de altura e conserva uma trilha ecológica que leva da Praia Bela a dos Amores), Ilha das Tartarugas (conhecida como Ilha do Farol, ela chega a Praia dos Amores através de um conjunto de pedras que pode ser visitada durante as marés baixas) e o Parque Florestal Rio da Onça (criado em 4 de junho de 1981, possui 1660 hectares, portal, trilhas interpretativas, pontes suspensas, centro de visitantes e mirante).

Outro atrativo para o turista é o Pico de Matinhos, construído com uma estrutura de madeira e mirantes e que liga a Praia Central até a Praia Brava. É o ponto ideal para relaxamento e apreciação da paisagem. O local é muito freqüentado por surfistas devido às boas formações das ondas. O calçadão da praia de Matinhos é apropriado para passeios, práticas esportivas como caminhada, corrida, passeios de bicicleta pela ciclovia e contemplação da natureza. Vários balneários compõem o Município de Matinhos, entre eles encontram-se: Corais, Jussara, Gaivotas, Iracema, Guacyara, Currais, Ipacaraí, Betaras, Solimar, Marajó, Saint Etiene, Florida, Riviera I e II, Flamingo, além da praia de Matinhos. O balneário de Caiobá é o maior e o mais requintado de todos, divide-se em Praia Brava e Praia Mansa. Como Chegar BR 277, em seguida pela PR 508 (Rodovia Alexandra/Matinhos) PR 407 (estrada velha). Distante 111 km de Curitiba.


12 SERVIÇO

Idoso reclama de atendimento deficiente em empresa de ônibus Luciana Pombo

Sem dinheiro no bolso e precisando ir ao Banco do Brasil, o ambulante Nelson Kenji Kawai, de 64 anos, entrou dentro de um ônibus da empresa Oceânica Sul às 12h45 do dia 13 de maio (veículo número 12). Ele estava acompanhado da esposa – que tem 61 anos. Os dois não possuem documento de isenção da tarifa, mas resolveram mostrar a carteira de identidade para provar a idade que tinham. “Eu apresentei o protocolo do CRAS que me dará direito a isenção e a cobradora me disse que o protocolo não valia nada e que como eu não tinha dinheiro teria que descer no próximo ponto”, informou Kawai, conhecido em Ipanema como Japonês. Ele embarcou em Ipanema e teve que descer em Guarapari. “Eu fiquei indignado com a forma que trataram a gente, principalmente por causa da minha mulher. Não havia

necessidade de pagar mico porque tínhamos idade suficiente”, disse ele. Caminhando até o CRAS de Canoas, Kawai foi informado que a cobradora deveria ter deixado ele e a mulher dele seguirem até Praia de Leste, onde estavam indo. “A senhora Fátima disse que era um absurdo o que havia ocorrido com a gente porque uma lei do município garante que os idosos com mais de 60 anos não paguem passagem. Se não tínhamos ainda a carteirinha de isenção da empresa, deveriam ter levado em conta a identidade. A cobradora nos tratou muito mal. Não entendi o motivo. Ela me falou que era funcionária da empresa há nove anos, mas ela não tem capacidade de trabalhar com a população. Eu me senti desrespeitado, humilhado. Pior, na frente de todo mundo que estava dentro do ônibus”, considerou.

Conferência Municipal de Assistência Social será em julho Luciana Pombo

Pontal do Paraná será sede dia 7 de julho da VII Conferência Municipal de Assistência Social. O evento ocorrerá no Colégio Anita Miró Vernalha, em Ipanema, a partir das 13h e terá como tema: “Consolidar o SUAS (Sistema Único de Assistência Social) e Valorizar os seus trabalhadores”. Os detalhes da conferência e da organização foram definidos durante reunião ocorrida no dia 9 de maio na Biblioteca Pública. A comissão organizadora da conferência é formada pelas funcionárias públicas Edilene Sperandio (presidente), Rosenilda Garcia (secretária) e Jemira Aliano (relatora). Os conselheiros municipais de Assistência Social debateram ainda o Plano Municipal de Assistência Social de 2011. De acordo com os dados oficiais encaminhados pela Prefeitura de

Pontal para o Ministério de Desenvolvimento Social (MDS), a arrecadação municipal é de R$ 39,2 milhões, além dos R$ 9,3 milhões recebidos do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) – que são oriundos do governo federal. O quadro retratado pelos conselheiros foi triste. Além de um analfabetismo que beira os 15%, morrem por ano cerca de 150 pessoas em Pontal e foram registradas 5,5 mil ocupações irregulares no município. Entre 1,8 mil e 2 mil moradores vivem em situação de desemprego e 14 pessoas moram literalmente nas ruas de Pontal do Paraná. Os locais onde estão concentrados os maiores bolsões de miséria são: Canoas, Vila Progresso, Mangue Seco, Ipanema e Pontal do Sul. “São pessoas que vivem em risco social e procuram o CRAS”, afirmou Rosenilda Garcia.

ANUNCIE AQUI. Entre em contato com o telefone (41) 9143.7999 ou com o email lucianapombo@hotmail.com

Os organismos de Ação Social de Pontal tem cadastrados 206 pontalenses com necessidades especiais. Ajustando as contas - Até agora, o município diz ter investido R$ 1,1 milhão em Ação Social. Deste total, R$ 971 mil foram de recursos próprios e R$ 243 mil do orçamento do governo federal.

05 POLÍTICA Governo do PR quer investir em segurança Luciana Pombo

As polícias civil e militar tem menos agentes e soldados do que tinha há 20 anos. O que é uma vergonha se lembrarmos que o exgovernador Roberto Requião (PMDB) assumiu prometendo que a segurança seria prioridade um de seu governo e que ele mesmo assumiria o cargo emergencialmente porque queria pulso forte nesta área – que é prioritária em qualquer Estado. Beto Richa, em entrevista ao Jornal A Verdade, prometeu investimentos em segurança em Pontal do Paraná e prometeu a execução de um plano de ações para reduzir problemas sérios de criminalidade no litoral. Luciana Pombo - Outro fator é a falta de segurança. O tráfico de drogas e a pedofilia são comuns no município. A reportagem do jornal A Verdade flagrou várias situações de tráfico sem qualquer tipo de fiscalização. O próprio delegado da cidade se diz ameaçado e chegou a ficar fora da cidade para evitar problemas contra sua integridade física. O que se pretende fazer para acabar com a situação - que parece tomar conta do município (inclusive dentro do seio da própria política local)? Beto Richa – Infelizmente, hoje a PM e a Polícia Civil têm menos soldados e agentes do que 20 anos atrás. A escalada da criminalidade atingiu todas as regiões do Estado. Estamos trabalhando vigorosamente para reverter esse quadro e já reduzimos os índices de crimes violentos no primeiro trimestre deste ano, na comparação com 2010. Iniciamos um trabalho conjunto com o governo federal na região da tríplice fronteira, agregando as forças das polícias estaduais com a Polícia Federal, que passaram a atuar através de um gabinete de segurança integrada. O secretário de Segurança (Reinaldo de Almeida César) está finalizando um plano de ação com medidas específicas para cada uma das regiões do Estado. Em breve vamos anunciar ações para o litoral, que

merece prioridade. Luciana Pombo - E projetos que beneficiem as áreas de preservação permanente, o que tem sido feito ou planejado pela administração Beto Richa? Beto Richa – Nossa intenção é compatibilizar o desenvolvimento econômico com inclusão social e preservação do ambiente, introduzindo a sustentabilidade como fio condutor das políticas públicas. O Programa Estadual de águas e Saneamento, por exemplo, vai estimular o produtor rural a fazer gestão ambiental no uso do solo e conservação dos mananciais. Agricultores de municípios com baixo IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) serão recompensados por seu esforço de preservação. As áreas de preservação permanente, como no caso da Mata Atlântica, têm prioridade em nossa gestão. Mas sem punir o pequeno produtor, permitindo que ele possa produzir de forma sustentável. Luciana Pombo - Existem dificuldades locais por conta dos prefeitos de vários municípios terem feito campanha para Osmar Dias (como Rudisney Gimenes, PMDB, em Pontal - José Baka Filho, PDT, em Paranaguá - Dalmora, PDT, em Matinhos)? Beto Richa – A eleição passou. Nosso relacionamento com os municípios é técnico e administrativo. Não pode ser pautado por questões políticas ou eleitorais. Já estive com prefeitos do litoral e vou trabalhar junto com eles no interesse da população e de toda a região. Luciana Pombo - E quais os projetos para a Copa do Mundo, sabendo que o litoral pode ser explorado turisticamente nos eventos esportivos? Beto Richa – Vamos detalhar os projetos em

conjunto com as prefeituras. É preciso aproveitar a Copa como vitrine para o litoral, Foz do Iguaçu e outras regiões. Fazer com que os visitantes retornem e divulguem as belezas naturais do litoral. Mas nossa atenção, neste início de governo, é priorizar questões mais urgentes, como a saúde, a habitação, o saneamento e o desenvolvimento econômico dos municípios litorâneos em bases sustentáveis. Luciana Pombo - Quais os motivos da criação da secretaria do Litoral, ainda desconhecida, e os novos projetos que deverão ser implementados? E a PR-412, pode ser ampliada ou duplicada? Beto Richa – Não há proposta de criação de uma secretaria do Litoral. O que existe é nossa intenção de regionalizar e descentralizar a administração, levando a gestão para mais perto das pessoas. Interiorizar, de verdade, as iniciativas e as políticas de governo. Isso se aplica ao litoral e às demais regiões. Mudanças na PR 412 não constam de nosso plano de governo. Mas vamos examinar o assunto, pois a melhoria da rodovia está associada à melhoria da infraestrutura de transporte da região e ao seu desenvolvimento econômico, desde que harmonizados com as variantes ecológicas de licenciamento ambiental de obras etc.


06 POLÍTICA

11 ESPORTE

Oposição jura que irá se articular em Pontal do Paraná Luciana Pombo

Pela primeira vez líderes de oposição ao governo municipal de Rudsiney Gimenes (PMDB) se encontraram em Praia de Leste para discutir uma composição com vistas às eleições de 2012. Na bancada, os pré-candidatos Marcelo Roque (PV), Luzia (sem partido), Fernando 277 (PSC), Zezzo (PSOL), Nelson Mademar (PSD) e Osni Ceará (PSD) prometeram que abririam mão de um projeto pessoal para apoiar um candidato de consenso do grupo – que querem mudar a administração atual, tida por todos

como retrógrada. Entre os candidatos estava o deputado estadual Mauro Moraes (PSDB), que garantiu o apoio do governador Beto Richa (PSDB) para o grupo que estivesse unido, coeso. “Eu só vou apoiar alguém se tivermos um candidato único de oposição, de consenso. Este candidato terá o palanque do governador Beto Richa”, garantiu Mauro Moraes. Uma das formas ventiladas para conquistar a vaga de candidato das oposições seria a pesquisa eleitoral: quem estivesse em primeiro, desde que não tivesse muita rejeição, seria o candidato do grupo. “Eu não vou colocar meu nome em risco. Quero que tudo caminhe para um acordo final porque tenho interesse pessoal em Pontal do Paraná, tenho casa aqui e quero que o município cresça”, ponderou o parlamentar. O presidente do PSD de Pontal, Murilo Camargo, disse que acredita que o grupo esteja unido. “Não haverá problema. Vai haver um consenso, tenho certeza”, argumentou. O grupo do PSD inicialmente trabalha pela vitória de Fernando 277. “Acho que foi feito aqui um pacto sério entre os pré-candidatos. Vamos lutar pela união

Vereadores derrubam veto do prefeito Luciana Pombo

Pela primeira vez, os vereadores de Pontal do Paraná fizeram o que tinham que fazer e derrubaram um veto do prefeito a um dos artigos de legislação municipal que daria direito aos funcionários públicos de fazerem cursos de reciclagem e aprimoramento profissional durante o período em que estivessem empregados. A votação foi no dia 31 de maio. O voto foi feito de forma reservada, ou seja, não havia como saber no que cada vereador – de situação ou oposição – estava votando e o resultado foi arrasador: por sete votos contra dois, os parlamentares garantiram a lei original, rejeitando o veto imposto pela Prefeitura de Pontal do Paraná. “Acho que os parlamentares votaram com a consciência, em vez de se alinharem com todo tipo de projeto ou de iniciativa do prefeito”, disse Valdevino Simões Périco (PR), presidente da Câmara Municipal.

Dos nove vereadores de Pontal, três se dizem de oposição ao prefeito Rudisney Gimenes (PMDB).

do grupo. Não existe qualquer possibilidade que eu mude de lado. Minha posição está definida e é de oposição”, afirmou ele. Marcelo Roque ainda não sabe se permanecerá no PV e afirmou que fará o que o grupo decidir. “Não tenho vaidades. Não sou candidato. Sou um soldado do grupo que vai contra a atual administração de Gimenes. Componho com qualquer um que está aqui”, declarou Roque. Zezzo, cotado para ser vice de qualquer dos candidatos escolhidos, disse que quer ficar unido, independente de cargos. “Não quero ser vice, nem ter um cargo de secretário. Quero trabalhar com o grupo”, confirmou publicamente. Já Luzia disse que enfrentou sozinha eleições anteriores, mas deixa de disputar em apoio ao grupo e pela confiança que deposita em Mauro Moraes. Outra via – Não participaram do grupo os précandidatos Danilo Garbelotti e Zé do Pontal (exprefeito). Deste grupo, Carlesso compareceu. No entanto, deixou claro que estava trabalhando em outro grupo para tirar um candidato de oposição para as eleições de 2012.

Quase perfeito

Depois do rebaixamento, Coritiba renasce das cinzas com trabalho, gestão profissional, planejamento e títulos

Toni Casagrande

Dos quatro títulos que disputou no último um ano e meio, o Coritiba venceu três e foi vice no outro. No futebol brasileiro ninguém chegou a tanto. Mais ainda, o Coritiba quebrou o recorde de vitórias seguidas do futebol brasileiro e encantou o mundo com um toque de bola refinado, uma defesa sólida e um ataque fulminante. O campeonato paranaense pareceu uma brincadeira para e equipe de Marcelo Oliveira, que foi melhor em tudo: defesa menos vazada, melhor ataque, artilheiro, melhor jogador. Num campeonato em que teoricamente todos os participantes teriam chances de disputar o título, o time Coxa Branca não encontrou nenhum adversário pela frente. Como um rolo compressor, massacrou quem se atreveu a cruzar o caminho. Poderia ter entrado para a história também como o primeiro campeão paranaense da Copa do Brasil, mas o título escapou tolamente. Mesmo sendo a melhor equipe nacional em todo o primeiro semestre, o Coritiba não conseguiu manter o ritmo na hora decisiva e falhou quando tentou dosar o ímpeto que ditou a alegria do time por seis meses. A equipe foi cair de rendimento justo no momento mais importante da temporada. Se vencesse a Copa do Brasil, o clube asseguraria a primeira das vagas brasileiras para a Taça Libertadores do ano que vem e os jogadores inscreveriam seu nome na história como uma das melhores formações do Coxa em todos os tempos. Mas na partida final, tudo deu errado. Os dois principais líderes do elenco falharam: o

técnico Marcelo Oliveira errou na escalação da equipe que entrou em campo; e o goleiro Edson Bastos tomou um dos maiores frangos de toda a carreira. Ainda assim, o Coritiba foi superior e venceu, mas os gols sofridos em casa foram fatais e equipe amargou a perda do título dentro do Couto Pereira. Poderia ser um desastre, mas não há o mínimo motivo para lamentar. Há pouco mais de seis meses, o Coritiba ainda lutava ara fugir do pesadelo da segunda divisão. Com planejamento, investimentos acertados e muito trabalho, o

clube conseguiu a virada entro e fora de campo. Na esteira das boas campanhas, o número de sócios ultrapassou os 30 mil. A menos que haja inadimplentes, agora, para ser sócio, o torcedor coxa-branca terá que entrar em fila de espera. Nada para quem viveu um dos piores pesadelos da história recente do futebol brasileiro. Não

é preciso rememorar os episódios trágicos da tarde em que a equipe foi rebaixada e pelo qual o clube recebeu a mais dura pena já imposta pelos tribunais desportivos do país. Depois deste período quase perfeito, um novo desafio se impõe ao elenco do Alto da Glória. A maior parte destes atletas não conseguiu provar seu valor pelas equipes em que atuou antes de chegar ao Paraná e, depois da perda do título para o Vasco – uma equipe que melhorou muito nas últimas partidas, mas que é no máximo mediana – ficou a questão: juntos, eles são mesmo tão bons ou tudo o que fizeram até aqui não passou de muita sorte e uma absurda desqualificação dos adversários enfrentados? Se há algo positivo na vitória do Vasco é que o clube deve ter eleições inda este ano e mesmo que Roberto Dinamite não seja o mais perfeito dos dirigentes, ele representa uma tentativa de mudança, e o sucesso dele pode sepultar as investidas de um dos maiores coronéis que o futebol já conheceu: Eurico Miranda. Ele até pode ter sido um grande presidente para os vascaínos, mas seus métodos obscuros são o que de pior já existiu no esporte brasileiro. E ele foi muito imitado Brasil afora, inclusive aqui no Paraná. O fim da carreira dele pode ser um grande passo para o fim dos coronéis que nele se inspiram por aqui. Parabéns ao Coritiba que se antecipou e, com uma gestão participativa, afugentou – ao menos por hora - os urubus que também rondam o Couto Pereira. Os resultados são incontestáveis: bi-campeão paranaense, campeão da série B do Brasileirão e vice da Copa do Brasil.

Curitiba traz para o litoral paranaense cães de raças variadas, selecionados e com garantia de saúde e de alimentação adequada. Trabalhamos com as seguintes raças: Cairn Terrier, Lhasa Apso,Yorkshire Terrier, Shih Tzu, Maltês, Schnauzzer Miniatura, Cocker Spaniel Inglês, Retriever de Labrador, Chow Chow, entre outros.

Informações: 3457.1341 / 9181.1497 / 9143.7999

Há 13 anos fazendo famílias felizes.


10 COLUNA SOCIAl

Na boca do povo, por Norma Carcará

Essa coluna foi longe e conseguiu uma foto da jornalista Luciana Pombo, há 26 anos, no coral da Terceira Igreja Presbiteriana Independente de Curitiba.

No Shopping Barão as novidades estão em curso. Foram abertas janelas mostrando as lojas da frente e uma praça enche os olhos de quem passa por lá.

Não há fiscalização e carros carregados com produtos piratas são deixados em ruas com pouco movimento nos balneários mais movimentados de Pontal.

A cidade é toda charme. Inclusive nos dias de chuva, onde os raios enfeitam as noites...

Em Pontal do Paraná é possível ver dezenas de obras! Obras próprias do prefeito...

O que poderia ser atração turística, vira ponto de mau cheiro e de lixo. Não fora a presença dos patos, não haveria vida por aqui...

Mas justiça seja feita. Na Praça central de Ipanema há uma obra em pleno andamento. As calçadas foram retiradas...

Para mandar fotos para este espaço, escreva para o normacarcara@hotmail.com.

Jornalista quer tirar PDT do ostracismo Robson do Walle Lideranças do PDT de Pontal do Paraná iniciaram há três meses uma disputa pela presidência do partido. De um lado, a jornalista Luciana Pombo, que pretende tirar o PDT do ostracismo que vem enfrentando há mais de dez anos. Ostracismo ocasionado por conta das lideranças do partido, não da militância. De outro lado, os mesmos políticos de sempre, que ainda querem que Pontal viva a reboque de lideranças de outros municípios. Luciana Pombo ofereceu o nome dela para o partido e de uma equipe de pontalenses sérios, que querem reconstruir a sigla no município. Alguns deles, pedetistas históricos como ela, que tem 21 anos de caminhada dentro do PDT. “A idéia é reconstruir o partido, abrir canais de diálogo com os movimentos calados de mulheres, de jovens, de negros, da melhor idade. É hora de colocarmos nosso partido, tão forte e estruturado, na luta por dias melhores. E essa luta é possível com trabalho... só com trabalho”, argumenta a jornalista. Para ela, nada adianta ter o PDT em Pontal para ser uma sigla de aluguel. “De que adianta termos partidos para vendermos? De que adianta nos vendermos e não vermos progresso? Nestes últimos tempos fomos governados por pessoas que não queriam o bem maior do partido, pessoas que não buscavam o crescimento do grupo. O resultado foi um partido laranja, de aluguel, pronto para se vender para quem pudesse oferecer mais. Não aceito mais ver meu partido sendo vendido para quem quer que seja. E a crítica não é pessoal. A crítica não é para Gimenes ou para seus apoiadores. A crítica é para reconstrução – com os pedetistas históricos, com os velhos e novos do PDT de Pontal”, complementou. Luciana Pombo chama os leitores do Jornal A Verdade para entrarem com ela nesta luta. “É hora de sacudirmos verdadeiramente Pontal do Paraná! Se você, leitor, é sério e quer ver mudança, convido a entrar na luta conosco. Seja um fiel escudeiro do PDT e entre em contato comigo. Juntos, faremos uma Pontal com paz, com progresso, com crescimento, com justiça social”, conclamou ela. “É importante que todos saibam que não existe racha no PDT. Nem irá existir. O que existe é duas linhas de pensamentos diferentes e de avaliações do que é melhor para o futuro do PDT. Sinceramente não entendo os motivos que levam o PDT a ser forte em Matinhos e em Paranaguá e estar dormindo em Pontal do Paraná. Não somos comarca de Paranaguá. É hora de sacudirmos o partido em Pontal! Tem coisas que o dinheiro compra. Nossa consciência, esta não tem preço!”, concluiu.

07 POLÍTICA Tráfico de drogas é maior problema do litoral

Apreensões são diárias Luciana Pombo

O tráfico de drogas é o maior problema de criminalidade do litoral paranaense. Diferente de outros municípios, as cidades litorâneas apresentam baixos índices de homicídios. No entanto, os furtos e roubos contra o patrimônio público, típicos de grupos que usam entorpecentes, aumentam a cada dia. “Estamos fazendo levantamentos e identificando pontos de venda. O trabalho é conjunto entre as polícias Civil e Militar. A idéia é fazer um trabalho investigativo, não apenas prender o laranja, o adolescente que repassa a droga. Queremos pegar os que fornecem a matéria-prima”, garantiu o delegado Miguel Stadler, que há dois meses atua como chefe da Primeira Subdivisão Policial, em Paranaguá, que coordena o trabalho de todas as delegacias do litoral. Todos os dias são feitas apreensões,

principalmente de maconha e de crack. A cadeia de Paranaguá, onde deveriam estar 80 presos, estão encarceradas 212 pessoas. A maior parte tem passagem por tráfico de drogas. Apesar de ter pouco material humano, este

CHARGE DO MÊS

ano o litoral ganhou sete novos investigadores de polícia. “Houve uma melhora significativa e podemos atuar mais fortemente em trabalhos de investigação. Dá para suprir a carência. Pode não ser o suficiente, mas a delegacia antes estava parada e não havia investigação”, comentou Stadler. Além das duas polícias, as grandes operações contam ainda com as delegacias especializadas de Curitiba.


08 ANIMAIS DE ESTIMAÇÃO Social Pet O Pet Pombos Ipanema tem lindos filhotes para venda. Este lhasa é um dos belos exemplares ofertados.

Este coelhinho também conseguiu um lar. Parabéns a todos os amantes dos animais!

Esses lindos cãezinhos ganharam uma família. Eles também querem fazer parte das crônicas aqui contadas.

E os gatinhos também conseguiram um lar. Seus miados vão fazer sorrir os responsáveis por adotá-los.

.

Mande sua foto para ser publicada aqui: pomboscuritiba@pomboscuritiba.com.br.

Você que quer adotar um cão ou um gato sem raça definida, entre em contato com o Movimento Ecológico do Litoral (MEL). Marque e seja atendido: 9229.1359.

* Este espaço é patrocinado pelo Pet Pombos Ipanema. Ipanema

Telefone: (41) 3457.1341

09 MEIO AMBIENTE

Crônicas & Crônicas

No dia em que Astor entrou na vida de Dona Niva, tudo mudou. Ela, moradora de Curitiba e veranista em Ipanema, não tinha cães, mas se maravilhou ao ver o pequenino pedindo carinho, ainda filhote, na frente de sua casa. Ele estava com muita sarna. A pele totalmente coberta da doença. Piedosamente, ela pegou o cãozinho e o levou para o sótão, onde seria tratado todas as noites sem que o marido pudesse perceber. No aviário, ela comprou o remédio e com amor e as brincadeiras de seu netinho, ela foi cuidando de Astor. Com oito dias de tratamento intenso, a sarna ia sendo vencida e Dona Niva respirou fundo: seria o dia em que o marido iria descobrir o novo companheiro de casa. A tentativa dele em se ver livre de Astor foi imediata. Queria o cão na rua. Ele iria latir, fazer sujeira pela casa e ninguém iria agüentar tanto trabalho. Mas Dona Niva tirou de letra: - Ele está aqui há oito dias e você nem notou. Não fez sujeira, não sentiu cheiro ruim, ele nem latiu apesar da pouca idade. Ele vai ficar. E ficou. Foi crescendo, crescendo e crescendo. Ficou lindo, com pelo brilhante e tamanho de Labrador. Quem viu antes não tinha como não lembrar da história do Patinho Feio. Para Dona Niva, ele era um grande companheiro. Obedecia todos os seus sons, seus ordenamentos, suas vontades. Ele dormia em seus pés e passava o dia do lado de fora da casa, por causa do tamanho. Ficaram juntos e amigos por muitos anos, até que Dona Niva não planejou, mas ficou muito mal e teve que ser internada. Ficou muitos dias entre a vida e a morte. Não se sabe como, mas no dia em que ela foi internada o Astor simplesmente desapareceu. Todos da casa tinham medo de contar o que tinha ocorrido e falavam apenas quando eram perguntados: o Astor está bem. Ela achava estranho o cão estar bem, afinal ela não estava. Chorava todos os dias e sentia falta do companheiro. Foram muitos dias de agonia até que teve alta e foi para casa. Primeira pergunta que fez aos amigos e parentes foi: cadê o Astor? Desconversaram para não falar-lhe nada. Meia hora depois de estar em casa, a empregada entrou no quarto contente dizendo que o Astor havia aparecido. Ele estava embaixo da casa, bem perto de onde ficava a cama de Dona Niva. Ela não entendeu e quis ouvir a história em detalhes. Depois de saber o que havia ocorrido, pediu um cabo de vassoura e bateu três vezes no chão, chamando: Astor, Astor, a mãe chegou! De repente se ouviu um barulhão e o cão entrou correndo para dentro do quarto. A alegria dos dois foi imensa ao sentirem que estavam novamente juntos. Até hoje, Dona Niva conta a história emocionada. Ele se foi com a idade e ela não quis mais ter outro cãozinho. Sente falta de Astor, que ainda vive feliz na lembrança de Dona Niva... * Crônica escrita por Luciana Pombo, ao ouvir o relato de vida de Dona Niva, ainda no Shopping Emídio Barão, em Ipanema.

Lixão é coisa do passado

Mais de 50% dos municípios paranaenses contam com aterros sanitários

Luciana Pombo

Dos 399 municípios paranaenses, 51% tem aterros sanitários e 42% ainda convivem com os lixões. São os casos dos municípios de Antonina, Morretes e Paranaguá – todos no litoral paranaense. Pontal do Paraná, Matinhos, Guaraqueçaba e Guaratuba já estão com aterros sanitários montados e em funcionamento. Em Pontal, o aterro sanitário recebe o lixo orgânico de Matinhos e um pouco de Paranaguá. O local é afastado. Não existem comunidades vivendo perto do local onde é expelido o chorume, que passa por um tratamento monitorado pela Secretaria Municipal do Meio Ambiente. “Fizemos um lugar de primeiro mundo. Controlamos tudo o que entra e tentamos fazer uma pré-seleção

antes do lixo para evitarmos que o aterro chegue ao limite antes do prazo”, conta o secretário Isair Marcelino da Veiga, conhecido como “Lico”. O Aterro de Pontal tem dez anos de uso e está na segunda célula. No entanto, tem terreno suficiente para crescer e se transformar em novos aterros. “Aqui pensamos em termos no futuro uma usina de reciclagem. Temos o projeto que nos custará entre R$ 200 mil e R$ 300 mil, mas ainda precisamos de mais estudos e liberações ambientais para transformar este sonho em realidade”, ponderou Lico. Enquanto a reportagem esteve no local, pode constatar a chegada de caminhões, que são devidamente pesados antes de serem encaminhados para o Aterro propriamente dito. Cada caminhão pode ter

peso máximo de 30 toneladas de lixo. Outros municípios - Os municípios terão que se adequar até o mês de agosto de 2014 para cumprir a Lei 12.305 de 2010, que instituiu a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS). O secretário do Meio Ambiente e Recursos Hídricos, Jonel Iurk, disse que estados e municípios deverão elaborar seus respectivos planos para resíduos sólidos, sempre orientados pelo Ministério da Agricultura. Na maioria dos municípios, o governo do Estado tem apoiado a idéia de formação de consórcios intermunicipais para construção de aterros sanitários. “Para os municípios de pequeno porte, a construção e operação dos aterros torna-se um investimento caro, fazendo com que, muitas vezes, estas áreas acabem se transformando em lixões novamente. Por isso, a melhor opção para municípios próximos e com similaridade de população e renda é o aterro consorciado”, afirmou Iurk.


Jornal A Verdade - Quarta Edição