Page 1

CENTRO EDUCACIONAL 30 DE JUNHO PROGRAMA ENSINO MÉDIO INOVADOR OFICINA: PRODUZINDO E EMITINDO COMUNICAÇÃO 1ª Edição Setembro 2013

Nesta edição:

30 de Junho: Ontem e Hoje

Editorial

2

Entrevista Professor Zé Filho

2

Fala Professor

3

Acontece

4

JERP - Etapa Escolar e Festa Junina

5

Reportagem

6

Entretenimento

7

A 1ª Edição do CNTJ, Centro de Notícias Trinta de Junho, traz como Tema Principal a nossa querida Escola. Nesta Edição vamos juntos, conhecer um pouco da história desta Unidade Escolar. Então, Vem com a gente!

Evento no Pátio da Escola de 1º grau Solange Maria Nogueira Mota da Silva

REPORTAGEM Como se defender de um tubarão

Evento no pátio do Centro Educacional 30 de Junho, em 2011. Página 6

Na Próxima Edição: O que será do 30 de Junho em 2014? Fatos e Boatos Apresente suas sugestões a Equipe Produtora

Desporto

Festival de Talentos

Acontece

JERP- 1ª Etapa

AVE, TAL, FACE, PROVE e EPA

Oficinas - ProEMI e PME


2

Centro

Entrevista Editorial O Centro Educacional 30 de Junho apresenta a 1ª Edição do Jornal CNTJ, nome escolhido após enquete na escola. Elaborado pelos alunos do ProEMI, participantes da Oficina: Produzindo e Emitindo Comunicação, orientado pelas professoras Ilzete Lima e Sandra Souza e pela coordenadora Luciana Lara, o Jornal conta com o apoio da equipe gestora desta Unidade de Ensino. O CNTJ objetiva envolver as comunidades escolar e local, veiculando as informações e acontecimentos mais importantes ocorridos nas mesmas; oportunizar aos alunos o desenvolvimento em produções e elaborações de diversos gêneros textuais, cooperando para o desenvolvimento da leitura e da escrita; promover interação e socialização e contribuindo para nossa progressão nos estudos e trabalhos posteriores. Esperamos atender as expectativas dos leitores, bem como contar com sugestões para fazermos do CNTJ um ótimo veículo de comunicação entre nós.

Ficha Técnica Equipe Coordenadora Ilzete Lima, Sandra Souza e Luciana Lara. Equipe Produtora: Amanda Oliveira, Ana Gabrielle, Ana Caroline, Andréa Almeida, Bruna dos Santos, Daniely Cordeiro, Débora Brito, Diogo Araújo, Gabriel Nascimento, João Hugo, John Wolter, Kalila Oliveira, Karine Araújo, Laiane Dias, Miguel Camay, Millena Tirço e Valdirene Almeida.

de

Noticias

Trinta de

Junho

Entrevista Professor José Mota da Silva Filho A 1ª Edição do CNTJ traz como destaque a nossa escola, por isso nossa primeira entrevista é com um professor que conhece bem a sua origem. José Mota da Silva Filho, carinhosamente conhecido por todos como Zé Filho, professor aposentado, trabalhou nesta Unidade de Ensino nos primeiros anos de sua existência, e conta para nós, através desta entrevista a trajetória deste colégio. CNTJ - Como Nasceu o Centro Educacional 30 de Junho? Zé Filho - Primeiro foi fundada uma creche, pelo então governador Dr. João Durval Carneiro. Sua esposa Drª Ieda Barradas Carneiro sugeriu o nome Solange Maria Nogueira Mota da Silva à Creche, para homenagear essa competente aluna. CNTJ - Quem foi Solange? Zé Filho - Professora, formada pela Universidade Católica de Salvador, Solange nasceu em Serrinha, aos 3 de maio de 1958, filha de José Mota da Silva e Margarida Nogueira Mota da Silva. Fez o curso infantil no Grupo Escolar Graciliano de Freitas e a 1ª série na Escola Dom Bosco. Da 2ª a 4ª séries estudou no Graciliano de Freitas. Passou também pelo Colégio Comercial de Serrinha e Rubem Nogueira, sempre se destacando como uma excelente aluna. O 2º grau Solange cursou em Salvador, no Colégio Sophia Costa Pinto, onde foi convidada a lecionar, tendo seu primeiro emprego. Infelizmente, no dia 30 de janeiro de 1982, aos 23 anos, foi vítima de um mal súbito que lhe atacou o coração, vindo a falecer de forma inesperada.

“ Solange Maria tinha pela educação, uma grande paixão, e dizia sempre que “a educação é o caminho para se vencer na vida”.”

Solange Maria tinha pela educação, uma grande paixão, e dizia sempre que “a educação é o caminho para se vencer na vida”. CNTJ - Como funcionava a Creche? Quem foram os primeiros responsáveis? Zé Filho - A Creche atendia de forma gratuita um número grande de crianças carentes, era ligada às Voluntárias Sociais, que tinha como presidente a Drª Ieda Carneiro que juntamente com Drª Heloisa Cavalcante Andrade, deram todo apoio para o funcionamento da mesma, assim como os médicos Dr. José Mota, Dr. Luís Carlos Mota e Dr. Augusto Braúna, a mãe da professora Solange, Srª Margarida e seus irmãos. CNTJ - Quem foram os primeiros professores? Zé Filho - Professora Florinda Castro de Almeida, Salvelina Bacelar, Celestina Santos, Carmelita Silva e outras não menos importantes, mas, que no momento me fogem à lembrança. CNTJ - Como acabou a creche e começou a escola? Zé Filho - D. Margarida, mãe de Solange, comunicou e explicou ao governador João Durval e Drª Ieda o fim do funcionamento da creche. Ouviu da Drª Ieda as seguintes palavras: “Já que existem essas dificuldades, a creche acaba, mas não abrimos mão de manter a nossa homenagem à professora Solange. Sendo assim, na Bahia acaba de nascer mais uma escola de 1º e 2º Graus: Escola Profª Solange Maria Nogueira Mota da Silva.” E, em meio a muita emoção, foi criada a escola. A creche, que funcionara numa casa oferecida

Casa oferecida por Lucas Di Nuzzo para funcionamento da Creche

Professor José Filho

gratuitamente pelo na época padre Lucas, tornou-se a Escola. CNTJ - Quando isso ocorreu? Zé Filho - Em abril de 1986 seu funcionamento se oficializou como Unidade de Ensino, tendo como primeira diretora Profª Florinda Castro. CNTJ - Quando a escola deixou de se chamar Solange? Zé Filho - O ex-conselheiro Plinio Carneiro da Silva, comprou, de padre Lucas a sede onde funcionava a escola e mudou o nome para 30 de Junho. CNTJ - Como você vê a escola 30 de Junho hoje? Zé Filho - Todos os diretores, coordenadores, secretárias, supervisores, professores, agentes administrativos, pessoal de apoio, que passaram pela Escola Solange Maria, sempre deram o melhor de si, fazendo uma educação de primeira qualidade, elevando cada vez mais o nome da instituição de ensino que na opinião pública colocou-se entre as três melhores escolas de Serrinha. À nova direção que também vem dando continuidade a esse brilhante trabalho, meus agradecimentos pela oportunidade de falar um pouco da história do Colégio Solange Maria - 30 de Junho.

Inauguração da Creche Solange Maria


A ‘Escola do Padre’

Lucas Di Nuzzo

Nossa escola Ontem

Festas e Palestras

Projetos e Apresentações

O Centro Educacional 30 de Junho, localizado em um bairro de classe média baixa, à Avenida Getúlio Vargas, surgiu como uma creche, idealizada por Padre Lucas Di Nuzzo, com o objetivo de atender as crianças mais carentes do nosso município. Pe. Lucas ofereceu o espaço para funcionamento da creche, mas só foi diretor a partir do ano de 1987, permanecendo na gestão até o ano de 2004, provavelmente por tudo isto a escola é conhecida até hoje em toda a cidade como “A escola do padre”. O ex-padre e Advogado italiano Lucas Di Nuzzo foi um grande diretor, um homem de pulso firme, ativo, mas principalmente amável e querido por todos. Durante sua gestão, sempre destacou a importância de um ensino de qualidade. Tentou mudar o nome da escola para Escola Menino Jesus de Praga, nome que foi utilizado por um período, porém a mudança não foi autorizada pelo governo do Estado.

Fala Professor

Em 2006, precisou mudar de cidade e vendeu o prédio onde funciona a Escola, para Dr. Plínio Carneiro da Silva, que como atual proprietário do prédio resolveu alterar o nome da Instituição de Solange Maria para Centro Educacional 30 de Junho, com o objetivo de homenagear a cidade, já que esta é a data que Serrinha deixou de ser Vila e passou a ser Cidade. Recentemente, nos dias 26 e 27 de agosto, Lucas Di Nuzzo fez uma rápida visita à escola, alegrando muitos professores e funcionários, saudosos de sua presença. E antes de sair falou com sinceridade: “Todos os dias eu penso nesta escola.” Atualmente a ‘Escola do Padre’ apresenta um corpo docente composto por 54 professores; atendendo cerca de 1040 alunos de Ensino Fundamental municipalizado, Ensino Médio Estadual e EJA, distribuídos em três turnos, sob a gestão participativa de Ednalva Miranda, Edjane Munford, Mabel Cerqueira e Carlos Carneiro.

3

Nossa escola Hoje

Feira do Livro

Comemorações - Dia do Estudante

Atividades de Campo - Parque do Saber

Fala professor! Performance - Estátuas Vivas

Professor Carlos Carneiro Almeida

Conhecimento: indelével encanto. Concebido como processo e, logo, como inacabado, pode -se dizer que o conhecimento sempre foi uma busca constante do homem em sua permanente interação com todo e qualquer fenômeno, fato, ente real ou imaginário. Nesta busca incessante, o ser humano usou a intuição, a imaginação, a experiência, a intelecção, a sinergia; procurou compreender partes, posições, vertentes, rupturas, fusões. Sentiu receios, provocações, certezas, incertezas. Foi, assim, mítico, religioso, sensitivo, filosófico, científico. Tornou-se, nesta tarefa inconclusa, refém de suas limitações mas, sobretudo, amigo do saber. Relacionando-se com a natureza (físis), com os deuses (teós) e, principalmente, com o outro, tentou compreendê-los, explicá-los. Contudo, eles permaneceram misteriosos!

O conhecimento, indelével encanto, inexplicável desafio, assumiu contornos diversos, provocou polêmicas acirradas, produziu relações surpreendentes. Historicamente, foi movido e nutrido por teses que geraram antíteses que, por sua vez, geraram sínteses. Estas, traziam o germe da incerteza e, assim, produziam novas asserções, numa dialética arrebatadora. Alguns tentaram estigmatizar o conhecimento, enquadrando-o numa concepção ou outra da realidade. Assim surgiram os racionalistas, empiristas, dogmáticos, realistas, idealistas... Todos, por certo, estiveram imbuídos de propósitos enobrecedores, deram contribuições significativas. Contudo, nenhuma destas contribuições conseguiu expressar a pujança inerente ao conhecimento. Se desejaram fazê-lo, en-

tregaram-se ao não ser, não poder, não conhecer. Feitas tais considerações, é possível afirmar que o conhecimento e a Filosofia se entrecruzam, um permeia o outro; ambos procuram entender o estático e concomitantemente fluido fenômeno que está aí, dado, apresentado, mas sempre misterioso. Conhecer é, pois, desvelar, tirar o véu do mistério que continua sempre velado, encoberto. Indelével encanto! Conhecimento é, afinal, em suas múltiplas e variadas faces, o encontro com o enigmático, o inefável. É uma mescla de intuição, razão, paixão, sentimentos pois, se é o homem quem conhece, ele o faz com seu indissociável conjunto psicossomático. Conhecer é encontrar-se, encontrar o outro, o algo, o nada... Doce mistério!

Carlos Carneiro é professor de História e Filosofia e vice-diretor do turno noturno. Referências: ALVES, Rubem. Filosofia da Ciência. BOFF, Leonardo. A águia e a galinha: uma metáfora da condição humana. BUZZI, Arcângelo R. Introdução ao Pensar. CHAUI, Marilena. Convite à Filosofia. ARANHA, Maria L de Arruda e MARTINS, Maria H Pires. Filosofando. ... Temas de Filosofia. 2. ed. São Paulo: Moderna, 1998.


4

Centro

Acontece

de

Noticias

Trinta de

Junho

Acontecimentos Marcantes O 30 de Junho iniciou o ano letivo 2013 com a implantação do Programa Ensino Médio Inovador - ProEMI sob a coordenação da professora Luciana Lara, com o objetivo de apoiar e fortalecer o desenvolvimento de propostas curriculares inovadoras, ampliando o tempo dos estudantes na escola, atendendo expectativas dos alunos do Ensino Médio com as oficinas: Produzindo e Emitindo Comunicação, Experimentando e Praticando Ciências, Calculando e Multiplicando o Aprendizado e Cantando e Expressando Arte. Foi Implantado também o Programa Mais Educação PME, sob a coordenação da professora Eliana Carvalho, que visa a melhoria no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB); fomentar atividades para melhorar o ambiente escolar por meio de oficinas de Reforço em Matemática e Letramento, Esporte e lazer, Comunicação e Uso de mídias e Promoção de saúde, para alunos do Ensino Fundamental. A escola desenvolve todos os anos vários Projetos, o que tornou-se sua marca desde a época da gestão de Dr. Lucas Di Nuzzo.

Projeto Chapada Diamantina Projeto Temático de Leitura e Escrita com o objetivo de aprimorar a leitura, escrita e produção de textos. Projetos na área ambiental, social e de Intervenção, com trabalhos de campo à Chapada Diamantina, Canudos e Feira de Santana; ao Parque do Saber, Observatório Antares e Museus, com objetivo principal de despertar nos estudantes a consciência ambiental e social, o senso crítico e investigador, envolvendo diversas áreas do saber como: Biologia, Química, Geografia, História, Língua Portuguesa e Inglesa e Artes. Os recursos financeiros para auxílio nas despesas com transporte dos alunos são incluídos no PDE (Plano de Desenvolvimento Escolar).

Dos Projetos encaminhados pela SEC/Direc, adotados pela nossa escola, fomos premiados no AVE - Artes Visuais Estudantis, sob a orientação da professora Eliana; em 2010: Arte Francesa em fotografia “Africanidade Baiana”, tendo como modelo fotográfico a aluna Manuela Dias da Cunha, num trabalho realizado pelos alunos: Laís Santiago, Tamillys Santos, Murilo Lima, Isadora Ribeiro e Igor Moraes. Em 2011, foi vencedora a obra “Velhice Saudável”, desenho realista da aluna Laís Santiago, que em 2012 foi novamente vencedora, por unanimidade, com a obra: “Monalisa do Sertão”. Na premiação referente ao TAL - Tempos de Arte Literária, a aluna Fernanda Freitas foi vencedora da etapa regional no ano de 2012.

Projeto Canudos

Laís, com sua obra Monalisa do Sertão, vencedora do AVE de 2012.

“ A escola desenvolve todos os anos vários Projetos, o que tornou-se sua marca ”

Fernanda, vencedora do TAL em 2012, na companhia da diretora Ednalva e da professora Eliana.

Festival de Talentos 2013 ETAPA LOCAL No dia 15 de agosto de 2013, realizou-se no pátio da escola o Festival de Talentos de 2013: O Corpo Humano no Espaço Social: Identidade e Representações, quando foram escolhidas as produções que irão concorrer na Etapa Regional dos Projetos Estruturantes. Foram vencedores da Etapa Escolar no C.E. 30 de Junho: EPA: Andressa, Daiane, Débora, Murilo Lima e Paloma. TAL: Laís Souza e Sara Moreira. AVE: Laís Santiago. PROVE: Flávio, Gleise, John Wolter, Laiane Dias, Laila e Lucas Reis. FACE: Alef Souza.

Vencedores do EPA

Vencedora do AVE

Vencedor do FACE

Vencedoras do TAL

Vencedores do PROVE

O CNTJ parabeniza os vencedores e todos os demais talentosos alunos que participaram deste belíssimo festival!


Desporto

5

JERP - Etapa Escolar Por Professora Vera Lúcia Vera é professora de Educação Física e Organizadora do JERP na Escola.

O 30 de Junho participa do JERP, Jogos Estudantis da Rede Pública, há muitos anos. Os alunos escolhem a modalidade esportiva que desejam participar, montam suas equipes e fazem a inscrição; porém apenas participam da 1ª Etapa, o Inter Classe, os alunos que atendem a alguns critérios pré-estabelecidos: frequência regular em todas as disciplinas, assiduidade nas atividades propostas em todos os componentes curriculares, conservação do patrimônio e respeito à comunidade escolar. Após as inscrições os alunos são informados do regulamento e datas dos Jogos. O Inter Classe, que sempre contou com o apoio incondicional dos professores Giancarlo, Luciana Lara, Lucicleide, Gevaldo, Ivaneide, Auxiliadora, Dilma, Ana, Aline e Cíntia, neste ano contou também com a participação ativa da professora de Educação Física Naiara, além de outros que dão suporte aos jogos. Os jogos ocorreram nos meses de Julho e Agosto, com participação das seguintes modalidades: Xadrez, realizado na Biblioteca

Lucas Di Nuzzo, Futebol masculino, jogado no Campinho da Estação, com as categorias sub-14 e sub17 e Futsal sub-14 e sub-17, feminino e masculino, ocorridos na quadra da escola e no Ginásio de Esportes da cidade. Foram Campeões de cada modalidade e Categorias: Xadrez: Jhonatan Futebol sub-14 Masculino: Os Leleks. Futebol sub-17 Masculino: Bond’ do Lacinho. Futsal sub-14 Masculino: Barça Junior. Futsal sub-14 Feminino: Garotas do 30. Futsal sub-17 Masculino: Juventus. Futsal sub-17 Feminino: As Companheiras. Ao final dos jogos, foram entregue as medalhas às equipes vencedoras do 1º e 2º lugar, aos alunos que participaram do Atletismo e também ocorreu a entrega de Medalhas de Honra aos professores que sempre apoiam os Jogos Internos.

Festa Junina Por Professora Dilma Mota Dilma é Coordenadora da área de Ciências Humanas e professora de História do 30 de Junho.

Os festejos juninos têm, no imaginário dos brasileiros, e particularmente, dos nordestinos, um significado extraordinário. Por esta razão, o espaço escolar deve aproveitar este ensejo para discutir alguns dos seus significados. Escolha da Rainha do Milho

Recadinho do Coração Eletrônico

Os festejos juninos possuíam, historicamente, estreita relação com as colheitas realizadas pelos agricultores. Colher frutos da Terra era sinal de benevolência divina. Por esta razão, os homens agradeciam aos deuses, dançando, orando, fazendo sacrifícios e oferendas. No contexto ocidental, cristão, estes festejos foram assimilados pelo catolicismo e adaptados às suas crenças.

Apresentação de Dança

O São João no 30 de Junho ou “Arraiá do 30”, como costumamos chamar, acontece na nossa escola desde que ela surgiu e cada ano apresenta um tema diferente. Este ano o tema do Arraiá do Trinta foi “As diferentes linguagens do corpo”, mesmo tema que está sendo desenvolvido no Projeto de Leitura. Os festejos ocorreram no dia 20 de Junho, com apresentações de grupo de danças, desfile de roupas com materiais recicláveis, barracas de comidas típicas, recadinho do coração eletrônico e escolha da rainha do milho. Contamos também com apresentações de duas quadrilhas convidadas para abrilhantar ainda mais a festa.

Desfile de Roupas Recicláveis

Apresentação de Dança

Apresentação de Quadrilha convidada


6

Centro

Reportagem

Bruna Giobbi, vítima de ataque de tubarão em Julho deste ano. (Foto: Bruna Gobbi / Arquivo pessoal)

“ Se não der para fugir, tente permanecer abaixo dele... Tente acertar com força os olhos, nariz e fendas branquiais”

de

Noticias

Trinta de

Junho

Ataque de Tubarão

REPORTAGEM No dia 22 de julho deste ano, na Praia de Boa Viagem, em Recife, a jovem paulista Bruna Silva Giobbi, de 18 anos, foi vítima de um ataque de tubarão e morreu horas depois. De acordo com o Comitê Estadual de Monitoramento de Incidentes com Tubarões (Cemit), foi o ataque de tubarão de número 59 e a 24ª morte no Estado desde que esse tipo de ocorrência passou a ser contabilizado, em 1992. Do total, 23 ocorreram na praia de Boa Viagem. Apesar destes dados, a espécie humana não é uma presa natural dos tubarões; eles preferem tartarugasmarinhas, focas e peixes. Mas, diante de mais uma tragédia de ataque de tubarão no nordeste brasileiro, o CNTJ resolve trazer esta reportagem com dicas e lições para que nossos leitores saibam como evitar um confronto com um tubarão e como reagir se um dia estiverem cara a cara com uma espécie destes predadores.

DICAS PARA EVITAR O CONFRONTO COM UM TUBARÃO 1. Evite banhos em locais onde há presença do animal. 2. Permaneça em grupo, os tubarões preferem atacar presas sozinhas. 3. Não se afaste muito da praia; se ocorrer ataque, a distância tornará o socorro difícil . 4. Não entre no mar se estiver sangrando ou menstruada. O tubarão tem olfato muito desenvolvido, percebe a presença de sangue a centenas de metros de distância. 5. Evite jóias ou bijuterias muito brilhantes. Elas atraem o animal.

6. Evite trechos usados por barcos de pesca, porque restos de peixe jogados fora chamam tubarões. 7. Ao avistar um tubarão, você já foi percebido por ele. Avalie se dá para fugir, mas saiba que muitos tubarões nadam rápido, a cerca de 70 km/h. Se for tentar a fuga, evite dar as costas para o animal. 8. Se não der para fugir, tente permanecer abaixo dele, pois os tubarões costumam atacar de baixo para cima ou no mesmo nível. Raramente eles se curvam para baixo para dar um bote.

Fendas Olho

nariz

COMO SE DEFENDER DE UM TUBARÃO O que fazer se você estiver na iminência de um ataque de tubarão? Observe as fendas branquiais, olhos e nariz do tubarão.

Se você estiver próximo - bem próximo mesmo - a um barco, bote ou algo para fugir, faça-o! Caso contrário, você precisará lutar contra ele. 1. Por mais difícil que seja, é importante manter a calma e a concentração para poder avaliar o risco e agir da melhor forma para chegar a um local seguro. 2. Não perca ele de vista. Ele pode recuar e voltar sorrateiramente. É importante saber onde ele está para poder se defender.

Fotógrafo Mergulhador se defendendo de ataque de tubarão com sua câmara fotográfica. (www.meionorte.com/noticias/ internacional )

3. Fique em posição de defesa. Se não puder sair da água de imediato, reduza os ângulos de ataque do tubarão; fique de costas para um recife ou qualquer obstrução sólida (se forem duas pessoas, fiquem uma de costas para outra), sempre mantendo ele à vista para se defender.

4. Lute! Tente bater com força na cabeça do animal. Use o que tiver em mãos: câmera fotográfica, arpão, cilindro de oxigênio, seus próprios dedos, pés, joelho. Tente acertar nos olhos, no nariz ou nas fendas branquiais (guelras), perto da barbatana lateral. Essas são as três partes mais vulneráveis do animal. Os três pontos devem ser acertados com golpes rápidos e repetidos. Como predadores, os tubarões tendem a desistir do ataque se percebem que sua vantagem sobre a vítima é relativa. Ao bater no agressor, você estará enviando a mensagem de que não é tão indefeso quanto ele esperava. 5. Saia da água. Nade rapidamente, mas com suavidade. Debater-se e nadar com movimentos erráticos darão impressão de que você está ferido, tornando-se uma ótima presa.

FONTE: Revista Mundo Estranho. Edição 4, junho 2002. / G1.globo.com. / pt.wikihow.com / meionorte.com


7

Entretenimento

Caça-Respostas

Desafio Consegue responder rapidamente? Conte, quantas letras ‘F’ tem no texto abaixo, mas faça isto sem colocar os dedos no papel:

Prove que você leu o Jornal e conhece a Escola Procure as respostas para cada pergunta no diagrama * O N de CNTJ * O P de ProEMI e PME * O F de FACE * Significado de TAL. * Significado de AVE. * Mês que a escola se tornou oficialmente uma Unidade de Ensino. * Nome do idealizador da Creche e diretor da escola até o ano de 2004. * Nome da primeira diretora da Escola * Nome da atual diretora da escola * A escola foi chamada durante anos de ‘Escola do.... * Professora que deu seu nome à Creche e a Escola, durante muitos anos. * Avenida onde se encontra a nossa escola. * Nome das duas professoras que coordenam a oficina produtora do CNTJ * Professora de Educação Física organizadora do JERP na escola. * Professora de História coordenadora da Área de Ciências Humanas. * Nome do aluno vencedor do FACE, Etapa escolar em 2013. * Aluna vencedora da Etapa Regional do TAL em 2012. * Aluna vencedora da Etapa Regional do AVE em 2012 e vencedora da Etapa Escolar em 2013. * Obra vencedora do AVE, Etapa Regional em 2012. * Projeto de campo desenvolvido pela escola com participação de alunos do 3º ano.

A

I

N

C

E

A

D

N

A

N

R

E

F

N

F

N

O

T

I

C

I

A

S

D

S

A

E

L

I

A

E

D

N

A

L

V

A

A

V

T

O

O

E

M

Z

B

R

I

E

T

M

A

E

R

D

A

P

A

L

T

O

R

V

O

N

V

I

V

E

O

L

D

E

N

I

E

N

I

L

N

L

U

S

E

Y

S

E

M

R

A

T

O

D

U

B

D

F

N

V

L

A

A

L

N

A

C

F

E

S

T

I

V

A

L

E

F

A

L

A

O

K

S

A

I

A

V

S

U

R

U

O

U

F

E

R

D

C

T

Z

X

A

A

A

I

I

E

A

D

B

I

N

A

L

E

R

Z

U

N

I

I

L

Z

E

L

A

Z

A

I

B

FINISHED FILES ARE THE RESULT OF YEARS OF SCIENTIFIC STUDY COMBINED WITH THE EXPERIENCE OF YEARS Contou? Veja a resposta no final da página.

Charada Qual a palavra que tem oito letras e tirando quatro fica oito?

Sudoku Preencha os espaços com algarismo de 1 a 9, de modo que cada número apareça apenas uma vez na linha e na coluna. Nenhum número pode ser repetido. Nos quadrados menores (3x3), a regra é a mesma: aparecem números de 1 a 9, mas nenhum se repete.

6

3

5

2

7

9

1

8

4

N

8

7

1

6

5

4

9

3

2

I

A

9

4

2

3

8

1

5

7

6

U

S

M

R

C

A

A

3

9

7

4

6

8

2

5

1

N

A

I

D

I

5

1

4

9

3

2

7

6

8

I

L

M

A

O

D

2

8

6

7

1

5

3

4

9

Z

S

O

E

E

S

A

7

5

8

1

2

6

4

9

3

D

N

E

W

G

A

E

D

1

6

9

5

4

3

8

2

7

T

E

E

S

A

N

D

R

A

M

E

S

J

T

S

A

S

T

P

4

2

3

8

9

7

6

1

5

O

O

R

Z

K

U

X

L

I

Ã

A

S

E

T

A

U

F

D

E

O

A

O

H

P

R

O

G

R

A

M

A

F

S

E

R

C

G

O

D

N

I

A

L

N

R

E

D

A

P

L

A

R

A

A

E

W

T

P

R

H

S

D

S

A

G

R

A

V

O

I

L

U

T

E

G

M

G

E

T

L

A

I

S

E

R

V

Z

T

SOLUÇÕES

Charada:

Desafio da letra F:

biscoito

São seis (6). Se você respondeu 3 ou 4, não se preocupe, é normal! O cérebro não consegue processar a palavra OF

Veja as respostas no Diagrama ao lado

Caça-Respostas


8

Centro

de

Noticias

Trinta de

Junho

Equipe 30 de Junho Equipe Gestora A equipe gestora do Centro Educacional 30 de Junho é composta pela diretora Maria Ednalva da Silva Miranda e pelos vice-diretores: Edjane Munford, Mabel Cerqueira e Carlos Carneiro, eleitos pela comunidade escolar.

Equipe Gestora

Equipe de Funcionários

Direção, no Arraiá da Escola

A equipe de Servidores é composta por pessoal efetivo e terceirizado, totalizando 24 funcionários, que atendem à secretaria, merenda, biblioteca, limpeza, apoio e serviços gerais, além de 4 seguranças.

Equipe Docente Composta, atualmente, por cerca de 34 professores estaduais e 20 municipais, o quadro de docentes apresenta profissionais com nível superior, especialização e mestrado.

Alguns Servidores Funcionárias em Festa Junina da Escola

Equipe discente Hoje, a escola atende a mais de mil alunos, distribuídos nas 6ª, 7ª e 8ª séries do Ensino Fundamental; 1º, 2º e 3º ano do Ensino Médio e em turmas de Educação de Jovens e Adultos (EJA), nos turnos diurno e noturno.

Alguns dos Professores da rede municipal

Parte da Equipe de Professores estaduais

Equipe CNTJ A Equipe produtora do Jornal impresso Centro de Notícias Trinta de Junho, sob a orientação das professoras Ilzete Lima e Sandra Souza, é composta por alunos participantes da Oficina do Programa Ensino Médio Inovador Produzindo e Emitindo Comunicação: Amanda Oliveira, Ana Gabrielle, Ana Caroline, Andréa Almeida, Bruna dos Santos, Daniely Cordeiro, Débora Brito, Diogo Araújo, Gabriel Nascimento, João Hugo, John Wolter, Kalila Oliveira, Karine Araújo, Laiane Dias, Miguel Camay, Millena Tirço e Valdirene Almeida.

Professoras da Oficina do ProEMI, Produzindo e Emitindo Comunicação.

Alunos participantes da Oficina Produzindo e Emitindo Comunicação, produtora do CNTJ

Ilzete e Sandra

Gabriel, Daniely, Millena e Ana Gabrielle.

Uma turma da escola

Diogo, Valdirene, Laiane, Andréa e John. Miguel, Bruna, Amanda e Debora.

CNTJ - Centro de Notícias Trinta de Junho  

1ª Edição do Jornal do 30 Centro Educacional 30 de Junho Programa Ensino Médio Inovador Oficina Produzindo e Emitindo Comunicação. Coordenad...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you