Issuu on Google+

Ano IX- º.26

Suplemento do Jornal “O Baluarte de Santa Maria” Edição on-line: www.obaluarte.net

Março de 2010

Escola Básica e Secundária de Santa Maria Directora: Ana Sanona

Redacção: Ana Almeida, Joana ogueira e Pedro Teixeira Colaboradores Permanentes: Ambar Van Slooten, Derek Moura, Filipa Costa, Filipa Figueiredo, Joana Baptista, ânci Tavares e Sara Borges * Logotipo: Derrick Sousa Blogue: http://cjebisma.wordpress.com - E-mail: cjebisma@gmail.com

Editorial

Quando se fala em “discriminação” temos sempre tendência a pensar em racismo. No entanto, a discriminação tem muitas formas e por vezes nem sequer nos Ana Sanona apercebermos delas, pelo que é muito mais abrangente do que atitudes racistas e a prova disso mesmo é que, apesar de negarmos, todos nós já discriminámos alguém, alguma vez, nalgum lugar, por algum motivo (ou sem nenhum), e isso não significa que sejamos racistas. Não é verdade? Alguém dirá que não, mas pensemos um pouco. Quem nunca deixou de brincar com um colega por este, num infeliz momento, ter o nariz sujo? Ou por não ter tantos brinquedos? Ou por usar a roupa dos irmãos mais velhos? Ou por ser gordo? Ou por ser mais tímido? Ou por não correr tão depressa? E a lista bem podia continuar... Isto é discriminação, talvez inocente, mas é. No seio escolar, estamos constantemente a discriminar e a ser alvo de discriminação. Até na nossa EBISMA, apesar de situada num meio pequeno, isso é bastante visível pelos diferentes grupos que pouco se relacionam: há os “fifis”, os “labregos”, os “fumadores”, os “cromos”, etc. É óbvio, e normal, que formemos amizades com pessoas que partilhem os mesmos gostos e hábitos que nós, mas isso não deve pôr em causa o nosso relacionamento com pessoas um pouco diferentes. Temos que manter a mente aberta e não devemos excluir uma pessoa partindo do simples facto de que é fumador, ou não usa roupa de marca. Não devemos ser preconceituosos! Na minha opinião, aceitar o diferente/estranho parte de uma boa educação. Por exemplo, uma criança com cinco anos que aponte o dedo para um indivíduo portador de deficiência motora é perfeitamente normal, pois é algo diferente daquilo que a criança está habituada. No entanto, é fundamental que os pais ajam com maturidade e eduquem a criança de maneira a que esta, posteriormente, não estranhe perante uma situação semelhante. Evita-se, assim, a criação de hábitos discriminatórios e, consequentemente, atitudes de aversão ao diferente em idades menos próprias. Isto seria perfeito, se fosse tão fácil como dizê-lo. O que acontece muitas vezes é que não há um adulto responsável por perto para conceder essa educação e a criança faz juízos de valor errados, tornando-se frequentemente cruel para com o diferente. E quem não sabe o quanto dói ser deixado de parte ou gozado por ser um pouco diferente? É muito fácil discriminar e esquecer, ser discriminado nem tanto.

Desfile de Carnaval

(Reportagem e mais fotos na última página)


II

“Rock in Rio Escola Solar” “O Mensageiro”

Março de 2010

projecto “Santa Maria-Ilha do Sol”? “Foi uma ideia proposta pelos nossos professores. ós preocupamonos muito com o Recolhimento Santa Maria Madalena, achamos que eles devem ter melhores condições, e também nos preocupamos muito com o ambiente. Por isso, quisemos ajudar.”

A Escola Básica e Secundária de Santa Maria esteve entre os premiados do concurso Rock in Rio Escola Solar, graças ao projecto elaborado pela turma do 8ºD, intitulado “Santa Maria - Ilha do Sol”. Falámos tanto com os responsáveis do projecto como com os seus participantes, e aqui deixamos algumas impressões destes acerca do trabalho desenvolvido.

2 – Qual é a relação entre o projecto “Santa Maria – Ilha do Sol” e o concurso “Rock in Rio – Escola Solar”? “ós escolhemos o nome de “Santa Maria – Ilha do Sol” porque a nossa ilha é conhecida por esse nome, e participámos no concurso, acabando por ficar entre os premiados. Fomos os vencedores dos Açores, e assim recebemos painéis solares para a escola, bilhetes para o Rock in Rio e TShirts. Só os primeiro e segundo

Questões colocadas aos professores encarregados do projecto:

1 – o que consistiu o projecto “Santa Maria – Ilha do Sol”? “Santa Maria - Ilha do Sol consistiu num projecto desenvolvido pela turma do 8ºD, no âmbito da disciplina de I.A.M, que visa apoiar o Recolhimento

Professores Juan Nolasco e Marta Ferreira

Entrevista aos alunos do 8ºD

Santa Maria Madalena, e englobou três fases. A primeira é a redução de CO2, através da instalação de um sistema de Microgeração Fotovoltáico de 3,68 Kw, e da troca a custo zero das lâmpadas do recolhimento. Depois temos a fase da sensibilização ambiental, em que trabalhamos com o apoio da Ecoteca. Os alunos, juntamente com a Ecoteca, irão fazer algumas palestras e construirão o site da própria instituição, e por último há o apoio social à mesma, além da produção de um vídeo sobre a história do recolhimento.”

2 – Quais as vossas opiniões sobre o trabalho desenvolvido? “Os alunos mostraram-se interessados, houve participação entusiástica de todos e também grande receptividade por parte do Recolhimento de Santa Maria Madalena e da Ecoteca. Ainda se encontram a trabalhar actualmente, como já foi dito, na construção do site do Recolhimento.”

3 – O que vos motivou a incentivar os alunos a participar no concurso? “A nossa maior motivação foi só mesmo o acto de participar e levar os alunos a envolver-se numa actividade diferente. Os alunos fizeram uma visita ao Recolhimento, gostaram da ideia de participar e a partir daí foi desenvolvido o projecto.”

Entrevista aos alunos do 8ºD

lugares receberam o prémio de quinze mil euros. ós ficámos entre os vinte melhores e conseguimos o principal, que é arranjar os bilhetes para o Rock in Rio, as T-Shirts…e os painéis solares para a escola.”

3 – O que sentiram quando souberam que tinham ganho? “Ficámos muito felizes, demos pulos de alegria…(risos). enhum de nós estava à espera, fizemos o que fizemos só pelo gosto de participar.”

Alunos do 8ºD na sala de aula onde conceberam o projecto

4 – Que tal foram as relações entre os participantes do projecto? “Correu tudo bem, colaboraram muito entre si e não existiram problemas.”

5 – Qual o destino que darão ao prémio recebido? “Bem, existiram vários prémios, uns para os alunos e outros a serem usados especificamente pela escola. Os alunos receberam bilhetes para o Rock in Rio, T-Shirts e certificados. A escola receberá painéis solares térmicos e também um sistema solar fotovoltaico que irá produzir energia. Parte das receitas dessa energia irá para a escola e outra parte para a organização do concurso. O sistema

solar fotovoltaico não é realmente propriedade da escola e terá de ser devolvido passados quinze anos.”

6 – Sabem se a escola planeia participar em mais iniciativas do género? “Sim, pensamos que a escola, a nível de projectos para ajudar o ambiente, é bastante dinâmica. Temos até a disciplina de I.A.M. (Investigação e Apoio Multidisciplinar) para nos concentrarmos em questões como essa, e veremos como correrão as coisas daqui para a frente com este projecto.

Questões colocadas aos alunos participantes no projecto:

1 – O que vos levou a realizar o

4 – Como foram as relações da turma no decorrer do projecto? “Demo-nos todos bem e, como sabíamos que estávamos a ajudar o ambiente e o Recolhimento, dávamos opiniões sobre como deviam ser as coisas.” 5 – Ficaram satisfeitos com o prémio? “Sim, claro que ficámos, embora nos faltem apoios para irmos mesmo ao Rock in Rio com os bilhetes que nos deram, já que a viagem não é paga pela organização do concurso.”

O Clube de Jornalismo agradece a disponibilidade e a colaboração dos alunos e professores entrevistados. Entrevista feita por: Ambar van Slooten, Joana Baptista e Filipa Costa


Março de 2010

“O Mensageiro”

Espaço da Psicologia

Preconceituoso? Quem? Eu?

De acordo com a Human Rights Commission, discriminação significa tratar alguém injustamente ou desfavoravelmente devido a características pessoais, tais como o seu sexo, a sua raça ou a sua idade. Ainda de acordo com a mesma Comissão, a discriminação pode acontecer em relação à idade, à maternidade, ao trabalho, à deficiência, à identidade de género, à pertença a sindicatos ou associações, à orientação sexual, ao estado civil, à aparência física, à actividade ou ideologia politica, à gravidez, à raça, à actividade ou crença religiosa, ao sexo e contra pes-

Ambar Van Slooten

Um livro que defende os valores da amizade, amor, compreensão e beleza interior, em detrimento da aparência física. Penelope Wilhelm é uma menina que, graças a uma asneira cometida por um dos seus antepassados, nasceu amaldiçoada com um focinho de porco no lugar do nariz.

soas associadas com quem tenha as características atrás descritas. Nós, na escola, todos os dias ouvimos e sentimos discriminações. Por exemplo: não gosto dele ou dela porque é repetente, não gosto dele ou dela porque é marrão ou marrona, não gosto dele ou dela porque é gordo ou gorda ou porque é magro ou magra, não gosto dele porque só gosta de homens, não gosto dela porque só gosta de mulheres, não gosto dele ou dela porque gosta de ambos, não gosto dele porque é homem, não gosto dela porque é mulher, não gosto dele ou dela

porque não é discreto, não gosto dele ou dela porque tem isto ou tem aquilo, não gosto dele ou dela porque não tem isto ou não tem aquilo, não gosto dele ou dela porque não se dá com este ou esta ou com aquele ou aquela, não gosto dele ou dela porque é tímido ou tímida, não gosto dele ou dela porque é extrovertido ou extrovertida, não gosto dele ou dela porque não sabe ler, ou escrever, ou contar, não gosto dele ou dela porque tem boas notas ou tem más notas, não gosto dele ou dela porque não está na moda, não gosto dele ou dela porque é pobre ou porque é rico,

Em resultado, cresceu enclausurada pela família, que teme o desprezo de que a filha seria alvo caso mostrasse a cara na rua. A única forma de Penelope quebrar a maldição é conseguindo que alguém de sangue nobre a ame apesar do seu defeito, e toda a sua vida decorre em torno disso. Dia após dia, suporta os esforços dos pais em arranjar-lhe o par perfeito…e dia após dia sofre uma desilusão. Depois de mais um falhanço, Penelope decide que não deseja mais sentir-se presa pelo aspecto. Foge de casa,

e ocultando o nariz com um cachecol, parte à conquista do mundo que existe além daquele que até então conhecia. Faz amigos que não a abandonam nem quando revela o seu verdadeiro rosto, experimenta um pouco da vida que sempre lhe estivera vedada, e até descobre o amor com alguém que por acaso não é nobre. Por fim, a heroína chega a uma conclusão: não importa a aparência exterior, e sim quem se é. Conclusão que deveria servir de lição a toda a gente.

Sugestão de Leitura

Penelope – Marilyn Kaye

Sugestão de Filme

A Onda - Die Welle

* Género: Drama

* Duração: 101m Nânci Tavares

* Título Original: Die Welle

* Classificação: M16 * País: Alemanha

* Ano: 2008

* Realização: Dennis Gansel

* Interpretação: Juergen Vogel, Jennifer Ulrich, Frederick Lau, Max Riemelt * Argumento: Dennis Gansel

Sinopse: Um professor do ensino secundário propõe aos seus alunos uma experiência que tem como ob-

jectivo perceberem como funciona um regime totalitário (fascista). Os alunos iniciam então o projecto que terá consequências trágicas. Ao fim de alguns dias, noções inicialmente inofensivas tornam-se um verdadeiro movimento: a Onda. E ao terceiro dia, os alunos começam a excluir e perseguir aqueles que não se unem à causa. Quando o conflito explode e a violência vem ao de cima, o professor resolve terminar o projecto. Mas é demasiado tarde, pois a Onda já é incontrolável.

Sugestão de Música

Michael Bublé

Canadá Sara Borges Membros: Michael Steven Bublé

Origem: Columbia Britânica, Canadá

País:

Género:

Big Band Jazz Pop Rhythm and Blues

Período de actividade: 1996 – Actualmente Álbuns: 2003 Michael Bublé

2005 It’s Time 2007 Call Me Irresponsible 2009 Crazy Love

Ao vivo: 2005 Caught in the Act (CD e DVD) 2004 Come Fly with Me (CD e DVD) 2009 Meets Madison Square Garden (CD e DVD) Site oficial:www.michaelbuble.com

III

não gosto dele ou dela porque tem apoio na esLuís Carlos Henriques não cola, gosto dele ou dela porque pertence àquele grupo. Estas são só uma pequena amostra de discriminações. Como sugestão fica a proposta de nos colocarmos no lugar de quem é discriminado para tentarmos auscultar como nos sentimos nessas alturas.


IV

“O Mensageiro”

Desfile de Carnaval

No passado dia 12 de Fevereiro decorreu, como já é habitual, o desfile de Carnaval das escolas. Neste desfile participam os alunos, desde do Pré-Escolar até ao Secundário, e este ano não foi excepção. Os alunos, com o auxílio dos professores, esforçam-se por criar um tema e preparam as fantasias com bastante antecedência, tudo com vista a proporcionar momentos de entretenimento a quem assiste ao desfile, mas também para próprio divertimento, que o Carnaval serve para isso mesmo.

Este ano a novidade foi um concurso de fantasias em que concorriam todos os participantes do desfile. Os vencedores foram: 1º ciclo – EB1/JI de Vila do Porto 2º ciclo – 5ºD 3º ciclo – 7ºD Ensino secundário – 12ºB

O balanço foi positivo e muitas pessoas consideraram que este ano o desfile foi um dos melhores, em termos de animação e imaginação. Um sucesso! Ana Sanona

Março de 2010

O Fim do Mundo? Talvez!

Uma inesperada e pequena camada de partículas solares dentro do campo magnético do nosso planeta Terra Derek Moura sugere que existem grandes quebras nas defesas solares do nosso planeta. Essas quebras indicam que durante o próximo período de grande actividade solar, que começa em 2012, a Terra irá sentir a pior tempestade solar de sempre. Para clarificar dúvidas em relação ao que são “Ventos solares” eis uma pequena definição: os ventos solares são massivas descargas de partículas do sol que ajudam a criar auroras boreais, cores que às vezes aparecem acima dos pólos da Terra, respectivamente o pólo Norte e o pólo Sul. Mas esses ventos também podem despertar tempestades que podem interferir com os satélites, fontes de energia entre outros tipos de tecnologia fundamental à nossa existência. Numa perspectiva científica, os satélites espaciais mostraram que uma densa camada de partículas solares com milhares de quilómetros entrou na magnetosfera e está crescendo rapidamente. Normalmente a magnetosfera bloqueia a maioria dos ventos solares. As linhas do campo magnético da Terra alinham-se em diferentes direcções sob várias regiões do planeta. Os ventos solares também têm linhas de campos magnéticos em direcção à Terra, e essas linhas de campo solar apontam para diferentes direcções durante o ciclo de actividade do sol. Actualmente, a Terra está a desfrutar de um período com baixa actividade de ventos solares. Mas as partículas têm-se acumulado no interior da magnetosfera. Durante o próximo ciclo solar, que ocorrerá em 2012, espera-se que os ventos carreguem linhas de campo viradas para sul, que irão conectar com a magnetosfera de uma forma que irá sobrecarregar, de uma forma catastrófica, toda vida tecnológica da Terra. Em linguagem comum podemos fazer uma analogia, comparando este fenómeno com um fogão a gás: se ligarmos o gás e de seguida acendermos o fogão nada irá acontecer, o fogão simplesmente acender-se-á e haverá uma chama. Mas se o acendermos e deixarmos o gás ligado durante um bocado e depois atirarmos um fósforo, o que acontecerá? Ele responderá “Booommmm”. Conseguirá a humanidade sobreviver a um “apagão” definitivo dos inúmeros recursos nos fornece a tecnologia? Será que os Maias estariam correctos em relação à data do fim do Mundo, mas ao fim de um mundo tecnológico e materialista? Ou estarão as previsões dos cientistas erradas de que o Homem poderá não sobreviver à derradeira tempestade solar? Apenas nos resta esperar para obter respostas. Caso os cientistas e os Maias estejam certos, é melhor começarmos a procurar uma nova “casa”. O que acham de Marte?! (A informação cientifica do artigo foi baseada num documentário da National Geographic)

Pensamentos

Flagrantes

Autoria e recolha de Derek Moura

“Vai uma corridinha...”

Ambar Van Slooten


O Mensageiro