Issuu on Google+

As Lendas dos Túneis Curitibanos Em tempos de discussão sobre a instalação da linha de metrô em Curitiba, nada mais interessante do que relembrarmos outras lendas do subterrâneo da cidade. Saiba mais sobre este mistério: legenda: túneis confirmados

túneis quase confirmados

túneis improváveis

Clube Concórdia personagens

Colégio Estadual do Paraná Sempre foi lenda entre os estudantes, a existência de um túnel secreto no Colégio. Especula-se que este teria sido esconderijo de comunistas na 2ª Guerra Mundial, com ligações ao Passeio Público ou até para Morretes. Mas a verdade é que esse não passa de um porão anti-aéreo, construído pois a planta do CEP foi copiada da Academia Militar Agulhas Negras. Quando estudantes ficavam presos no elevador, o inspetor os resgatava por esse espaço subterrâneo, criando-se esse mistério.

Ponta Grossa

Catedral

Um dos únicos túneis confirmados e explorados. Teve a sua busca interrompida, pois a fundação de prédios novos obstruíram a passagem. A hipótese mais aceitada diz que era esconderijo de imigrantes alemães e italianos, já que estes foram perseguidos na II Guerra, e os clubes são das Comunidades. Eles se ligariam.

Suspeita-se que haveriam na Catedral túneis construídos por jesuítas, em decorrência da lei cubaíta. Assim, eles conseguiriam se esconder e caminhar pela cidade. O arqueólogo Igor Chmyz, que trabalhou com escavações na região da Praça Tiradentes, diz nunca ter visto um túnel próximo à Catedral. Já o Arcebispo local diz não possuir conhecimento para afirmar que este exista ou não.

Bosque Gutierrez Ruínas de São Francisco Clube Garibaldi Já foi afirmado por um dos garçons do Garibaldi, clube da comunidade italiana, que há acesso a uma passagem através da Adega do Restaurante. Todavia, o clube Garibaldi não autorizou explorações para a descoberta do Túnel.

A ideia de haver um túnel nas Ruínas é uma das mais remotas e, praticamente sem comprovações. Conta-se que ladrões criaram uma rota para que se pudesse roubar as pedras da construção, um dos requicíos seria a obra, claramente abandonada. Ele teria ligação com os clubes, Catedral e com o Bosque Gutierrez.

Outras lendas urbanas já encheram de história o nosso subsolo. Desde a época de Vila em Curitiba moradores cogitavam a existência de uma criatura que vivia vagando pela terra. A outra história é sobre um caso de amor de um padre e uma freira. Eles usavam o túnel para terem encontros. Até que um dia morreram em uma explosão e passaram a fazer aparições pela cidade.

Através de depoimentos de diversos moradores mais antigos, e do professor da UFPR Key Ido Maguire, que possui fotos que comprovariam a existência do tunel, conclui-se que abaixo do bosque Gutierrez encontra-se um emaranhado de tuneis, com bifurcações e diversos caminhos. Eles teriam sido construídos por pacientes do hospital de lepra existente no bairro até a década de 20, que se escondiam da perseguição e do preconceito. Conta-se ainda a lenda que o pirata Zulmiro teria comprado tais terras, descoberto esses tuneis e lá guardado um tesouro. A entrada do tunel teria existido até meados da década de 60 e foi soterrado por intervenções urbanas.

No livro Secret Cities of Old South America, escrito em 1952 por Harold T. Wilkins (1891-1960), mencionava-se túneis subterrâneos ligando Curitiba a Ponta Grossa e chegando à construções do império inca.


As Lendas dos Túneis Curitibanos