Issuu on Google+

JORNAL-LABORATÓRIO DO CURSO DE JORNALISMO ● ANO 10 - EDIÇÃO ESPECIAL FOTOGRÁFICA ● MARÇO DE 2014

Laís Coletta

TRANSVERSAL DO TEMPO

Entre todas as questões da vida, das políticas à economia, culturas e esportes, a convergência. A beleza da pequenez, de um despertar de olhos pela manhã com sabor de gotas de sereno. O que somos, senão ciclos? ∞ POR ISADORA CANELA ∞


EDIÇÃO FOTOGRÁFICA

OUTROLHAR MARÇO DE 2014

V

EDITORIAL

icioso, viciante e tão absolutamente natural. Ainda sonolenta, a cidade assiste ao nascer do sol e os sinos ecoam arrastados encontrando o cantarolar dos pássaros levantando vôo. A manhã respira o cheiro de dama da noite, paradoxos linguísticos. E nesse suave matinal, percorre-se com os olhos ainda semicerrados o “ser e estar” da cidade.

Ana Luisa Moreira

Dedicado à produção fotográfica dos nossos acadêmicos , esta edição do OutrOlhar tem como objetivo aproveitar o excedente de fotográfico de nossos produtos regulares, bem como os registros pessoais dos estudantes , desde que eles se adequem às técnicas fotográficas ministradas pelo curso. Tomamos como base a revista Fatos & Fotos da extinta editora Bloch Editores , também criada para publicar o excedente da Revista Manchete. O auge da Fatos & Fotos se deu entre os anos 70 e 80. Transversal do Tempo é o tema central desta edição, cuja coordenação do projeto é do acadêmico Lucas Kato, com a redação de Isadora Canela, e fotos dos demais estudantes do curso. Esperamos que você aproveite as excelentes fotos e o texto poético da edição. - Joaquim Sucena Lannes Caroline Mauri

Jornal-laboratório do Curso de Jornalismo da Universidade Federal de Viçosa (UFV). Edição Fotográfica Especial.

EDITOR

Prof.° Joaquim Sucena Lannes MONITOR

Lauzemir Carvalho DIAGRAMAÇÃO

Lucas Kato EDITOR FOTOGRÁFICO

Lucas Kato REDAÇÃO

Isadora Canela APOIO

Centro de Ciências Humanas Letras e Artes - CCH REITORA

Prof.ª Nilda de Fátima Ferreira DIRETOR DO CCH

Prof.° Walmer Faroni CHEFE DO DCM

Prof.° Joaquim Sucena Lannes COORDENADORA DO CURSO DE JORNALISMO

Lauzemir Carvalho

Prof.° Mariana Lopes Bretas ENDEREÇO

Vila Gianetti, casa 34, Campus Universitário 36570-000 Viçosa - MG Tel.: 3899-2879 www.com.ufv.br

2


TRANSVERSAL DO TEMPO

OUTROLHAR MARÇO DE 2014

Ana Luisa Moreira Ana Luisa Moreira

A

Ana Luisa Moreira

s artes tomam as ruas, as ruas querem ser tomadas. O carinho leve de dama da noite da manhã vai se apressando, se transformando e se movendo. Os estudos, trabalhos, idas e vindas, compromissos inadiáveis, momentos ápices. E vamos, dias aos poucos, outros nem tanto, nos entregando ao cronômetro. Corremos.

Camila de Nadai

Lucas Alves

3


EDIÇÃO FOTOGRÁFICA

OUTROLHAR MARÇO DE 2014

A

Lucas Kato

s ruas tomadas, em harmonia com o sino que se faz presente, forte e astuto. Meio dia. Neste momento, sussurra baixinho na mente uma curiosidade pelos outros, tantos outros da rua. Vendemos, compramos, andamos, brincamos, pensamos, olhamos. À tarde é tempo de verbos plurais no presente simples. Cada um com sua mania e seu movimento.

Patrícia Meireles

Laís Coletta

Gabriela Dalton

4


TRANSVERSAL DO TEMPO

OUTROLHAR MARÇO DE 2014

O

Os animais participam da dança, os felinos de olhos brilhantes, grandes e sempre pensativos. Um quadro da tarde: cães carentes e gatos de salto alto. As cores vivas, nenhum cheiro ou som característico. A tarde é inconstante. Lucas Kato

Lucas Kato

Lucas Kato Lucas Moura

Gabriela Dalton

Gabriela Dalton

5


Isadora Canela

Joaquim Sucena Lannes

Joaquim Sucena Lannes

Isadora Canela

EDIÇÃO FOTOGRÁFICA

6 OUTROLHAR MARÇO DE 2014


TRANSVERSAL DO TEMPO

OUTROLHAR MARÇO DE 2014

S

Monique Bertto

inos e sinos. O fim de tarde é o ápice, o vértice da circunferência. O vivo dá lugar aos pastéis. O pôr-do-sol tem sempre cheiro de outono. As ruas da cidade nos expulsam, as mentes pedem silêncio. O entardecer sem relógios. Com café e liberdade.

Monique Bertto

Graziele Oliveira Graziele Oliveira

5


EDIÇÃO FOTOGRÁFICA

OUTROLHAR MARÇO DE 2014

Lucas Kato

Lucas Kato

À

Lucas Kato

Lucas Kato

noite, ambiguidade. Inspiradora, macabra ou carente, a noite é sempre uma criança e crianças são sempre uma incógnita. A noite é a hora do corpo, a mente se deixa, o corpo se leva. Hora do sexo, da dança, do sono. E o ciclo, vicioso, viciante. E os sinos e os sonhos. Os sons e os cheiros. E a rotina nunca vira notícia. E um ohar, novo, outro.

8


Outroolhar 10 anos