Page 1


A URBE COMO LAR OS CÔMODOS E OS PONTOS

“O homem habita a cidade, e não a casa.”

Paulo Mendes da Rocha

A habitação está ligada à condição humana de procura de um lugar central identitário, que passe a ser a continuidade do sujeito, biológica e simbolicamente. Sendo a casa o espaço diretamente ligado a habitação, esta se apresenta como um lugar de modificação e apropriação, no qual o homem a transforma no lugar a que pertence. A casa surge, então, da fusão do conceito de lar , abstrato e individual, com o locus da residência. Do lado inverso, está a cidade, com espaços coletivos que abraçam a casa, “a vida entre edifícios”, como diz Jan Gehl. Mesmo sendo o lar e a cidade conceitos indissociáveis, a visão do meio urbano como lugar de pertencimento muitas vezes não é refletida, seja pela falta de elementos que estabelecam alguma conexão com os cidadãos, ou pelo próprio modo de vida contemporâneo. Com o intuito de reativar tal ligação, expande-se o lugar de individualidade da residência para o meio urbano, como forma de transmitir o sentimento de “lar” para o espaço não-habitado, criando um universo de possibilidades que possam traduzir o comportamento e desejo dos usuários.

LAR

Para espacializar as sensações do lar no contexto urbano, optou-se por desmembrar os espaços residenciais e identificar quais as características são capazes de criar identidade conforme cada ponto de intervenção, assim como atender as respectivas necessidades de cada localidade. corredor: circulação, união, ligação

sala de estar: entretenimento, descanso e interação

serviço: trabalho

/substantivo masculino

1. local, na cozinha, onde se acende o fogo, lareira 2. a pátria, terra natal,

jardim: natureza, observação

Os espaços e lugares da cidade contemporânea tendem à hibridização, ou seja, envolvem duas dimensões, a concreta e a virtual. O meio virtual permite a simulação do espaço, e pode ser refletido, assim, no meio físico. Parte-se, então da proposta de usar a tecnologia como um dos meios de personalização e modificação da experiência espacial. O homem, ao “edificar” e modificar o espaço e a paisagem da cidade, cria a conexão com o espaço urbano. Propõe-se que essa modificação ocorra através de alterações dinâmicas na iluminação, com a mutação física nos mobiliários, da interação com os usuários e projeções em fachadas, por exemplo, ou da criação de espaços que permitam o encontro físico de interações virtuais espotâneas. Além disso, procura-se criar conexões virtuais entre os pontos nodais, por meio do compartilhamento de imagens ou pelo próprio fluxo de informações,.

/substantivo feminino

1. permanência obrigatória no lugar onde se exerce uma função 2. morada habitual em determinado lugar

a cidade como expansão da casa

DUDEQUE, Irã Taborda. Espirais de madeira: uma história da arquitetura de Curitiba

quarto: íntimo, descanso

ESPAÇOS HÍBRIDOS

RESÍDÊNCIA

Referências:

cozinha/jantar: cultura, produção, coletivo e informalidade


1

R. COMENDADOR ARAÚJO X R. CORONEL DULCÍDIO

R. MOYSES MARCONDES X AV. JOÃO GUALBERTO

O grande uso noturno caracteriza o ponto principalmente como sala de estar. Seus estabelecimentos culturais e coletivos remetem a uma cozinha / jantar

R. TRAJANO REIS X R. PAULO GOMES

AV. DANDIDO DE ABREU X R. EUCLIDES BANDEIRA O cruzamento identifica-se com o corredor, por ser uma via rápida de sete faixas. O uso comercial e do centro cívico o caracteriza como serviço

6

2

Curitiba CRISTO REI

BIGORRILHO

BATEL

3

5

3

1

O grande uso noturno caracteriza o ponto principalmente como sala de estar. Seus estabelecimentos culturais e coletivos remetem a uma cozinha / jantar

4

JUVEVÊ MERCÊS

2

O ponto é bem caracterizado como corredor por ser uma via estrutural e possuir faixa exclusiva de ônibus, sendo também a uma área de serviços

AHÚ BOM RETIRO

4

7

REBOUÇAS

R. JAIME BALÃO X R. AGUSTO STRESSER

5

JARDIM BOTÂNICO A praça, como local de descanso identificam o ponto como jardim. Sua área predominantemente residencial, por ser mais íntima o designa como quarto

PRADO VELHO

AV. IGUAÇÚ X AV. MAL. FLORIANO PEIXOTO

7

O cruzamento identifica-se com um corredor, por ser uma via rápida, e possuir uma faixa exclusiva de ônibus. A presença de restaurantes e bares o caracteriza como cozinha

R. ITUPAVA X R. FLÁVIO DALLEGRAVE

6

A praça, local de descanso, identifica-se como jardim. Os espaços de permanência e as atividades sociais caracterizam como sala de estar e a sua praça remete a um jardim


3

RUA COMENDADOR ARAÚJO X RUA CORONEL DULCÍDIO

UNIÃO DOS ESPAÇOS COM A MESMA PAGINAÇÃO DE PISO

PEARMEABILIDADE E INTEGRAÇÃO NO SHOPPING

Tratamento das empenas cegas por hologramas: A proposta consiste em tratar as empenas cegas por projeções interativas com a intervenção do meio virtual sobre o espaço privado, onde os usuários da via poderão interagir com a projeção durante operíodo da noite.

NDADOR

R. COME

R. CORONEL DULC

ÍDIO

Requalificação de vazios urbanos e de lotes subutilizados:

ARAÚJO

A diretriz é implantar espaços de uso coletivo no lote subutilizado e em vazio urbano, como por exemplo, no estacionamento do shoppig hauer, que durante o período da noite é fechado somente para o usode estacionamento dos funcionários, sendo utilizado menos da metade do espaço, podendo sercriados espaços de intervenção cultural que integre com os bares durante o período da noite . Requalificação topográfica dos espaços privados Aproveitando a topografia do Shopping Hauer foi pensada a criação de um deck de maderia em platôs, possibilitando uma diversidade visual e sensorial através do mobiliário, onde os usuários poderão interagir com o meio modificando as cores dos mobiliários, sendo relacionado com o conceito de jardim.

MOBILIÁRIO DINÂMICO E INTERATIVO

UTILIZAÇÃO DE FACHADAS COMO ESPAÇO DE PROJEÇÃO E DINAMISMO


4 REPAVIMENTAÇÃO DA VIA CONFORMIDADE COM OUTROS PONTOS NODAIS

EM OS

PROJEÇÕES DINÂMICAS, POSSIBILITANDO A INTEGRAÇÃO DOS PASSANTES E REFORÇANDO O ESPAÇO VIRTUAL

PERSPECTIVA DIURNA

FAIXA DE VEÍCULOS COMPARTILHADA COM USO EXCLUSIVO PEDONAL À NOITE

O MOBILIÁRIO PROPOSTO CRIA UMA SENSAÇÃO DE PROTEÇÃO E INTEGRA A PAISAGEM

PERSPECTIVA NOTURNA


5

RUA PAULA GOMES X RUA TRAJANO REIS

TRANSFORMAÇÃO DA RUA EM VIA COMPARTILHADA UTILIZAÇÃO DE EDIFICAÇÕES ABANDONADAS COMO CENTROS CULTURAIS E TÉCNOLÓGICOS

Manutenção e restauração das fachadas: O projeto prevê que os proprietários que manterem suas fachadas em boa conservação ou restaurarem o imóvel, ou aumentarem a permeabilidade visual de sua fachada, receberão incentivos fiscais, como a redução do IPTU . Além de melhorar a estética de seu estabelicimento, melhorará os olhos da rua, proporcionando maior interação com o meio e segurança.

RU AT

RA

JAN

OR

EIS

Requalificação de vazios urbanos e de lotes subutilizados: A diretriz é implantar espaços de uso coletivo de lotes subutilizados e em vazios urbanos , como por exemplo na esquina do nó onde há um lote subutilizado, que será proposto a criação de uma praça urbana em meio das ruínas do edifício, gerando a interação da população com o meio, o tornando um espaço de permanência durante o dia, trazendo mais segurança e interação com o meio. Arborização:

LA PAU A U R

S

ME

GO

Com a utilização de vegetação de médio porte em ambas vias, éuma estratégia para melhorar a qualidade urbana beneficiando no conforto térmico, no sombreamento,reduzindo os ruídos e a poluição, além de melhorar a escala urbana, que no caso desse nó, o gabarito é agradável e não opressor. Mobiliário Urbano: Instalação de mobiliários de permanência por todo o nó como atrativo de usos no entorno, estimulado a interação social. Podendo servir para permanência de quem trabalha no entorno e para os usuários do comércio local.

Totem Interativo: Instalação de um totem em frente a praça urbana, que promoverá a conexão e interação virtual de todos os nós.

REFORÇO DA UTILIZAÇÃO DAS VIAS EM TODOS OS PERÍODOS DO DIA


6

Totem interativo criando uma conexão entre os pontos e moldando o espaço virtual.

Arborização e espaço privado

PERSPECTIVA DIURNA

Via compartilhada reforçando as diretrizes de redução de volcidade

A edificação abandonada tem caráter dinâmico, se adaptando ao publico que a usa

PERSPECTIVA NOTURNA

intervenção

no


AV. CÂNDIDO DE ABREU X R. EUCLIDES BANDEIRA

7

Integração da via com o rio: A proposta consiste em integrar a Av. Cândido de Abreu com o Rio Belém através da tecnologia, com o objetivo de intervir no espaço público pelo meio digital, criando uma ilusão de ótica através de uma projeção dos carros transitando pelo Rio nas fachadas dos prédios, com interação sonora que remete o som do Rio. Promovendo uma interação de todo o entorno, aumentando os olhos da rua ao longo do dia, intervindo nas fachadas com baixa permeabilidade dos grandes edifícios, tornando o intenso fluxo a via menos cansativo, até mesmo divertido. Cooperação da paisagem natural / Potencialidades Construtivas: Conversão da compensação em jardins verticais, em coberturas verdes e em painéis artísticos, e abertura do térreo dos edifícos corporativos, criando espaços de permanência e com maior interação através de incentivos fiscais, também com a estimulação das empresas com pontos estabelecimentos na via, sobre seus empregados como meio de locomoção até o trabalho, a bicicleta. Através do incentivo fiscal da oportunidade das empresas se beneficiarem não apenas economicamente, mas também melhorar seu rendimento com a melhora da qualidade de vida de seus funcionários. Arborização: A utilização da vegetação de médio porte na via é uma estratégia para reduzir a percepção da escala urbana nesse trecho, influênciando na qualidade da paisagem do centro beneficiando no conforto térmico, sombreamento, reduzindo a poluição e os ruídos do intenso fluxo de veículos. Também integrando com a continuação da ciclovia e com o Rio.

PRiORiDADE CARROS

PRiORiDADE pedestres


8

PERSPECTIVA NOTURNA

PERSPECTIVA DIURNA


AV. JOÃO GUALBERTO X RUA MOYSES MARCONDES

Diretriz construtiva de galerias na avenida

Cooperação da paisagem natural/ Potencialidades Construtivas: Conversão da compensação em jardins verticais, em coberturas verdes e em painéis artísticos, e abertura do térreo dos edifícos corporativos e residênciais, criando espaços de permanência e com maior interação através de incentivos fiscais. Manutenção e recuperação da fachada/ aumento da permeabilidade: O projeto prevê que os proprietários que manterem suas fachadas em boa conservação ou restaurarem o imóvel, ou aumentarem a permeabilidade visual de sua fachada, receberão incentivos fiscais, como a redução do IPTU . Além de melhorar a estética de seu estabelicimento, melhorará os olhos da rua, proporcionando maior interação com o meio e segurança. Arborização: A utilização da vegetação de médio porte na via é uma estratégia para reduzir a percepção da ecala urbana nesse trecho, influênciando na qualidade da paisagem do corredor beneficiando no conforto térmico, sombreamento, reduzindo a poluição e os ruídos, tornando a passagem por ali mais agradável.

Corte da Av. Jõao Gualberto

9


10

Arborização extensiva para melhorar a escala e o conforto da rua

Intervenção nas fachadas privadas, aumentando a arborização e diminuindo a poluição visual.

PERSPECTIVA DIURNA

Transformação dos leitos adjacente s da avenida em vias compartilhadas afirmando a identidade de corredor mas aumentando a interação da via

Uso intensivo de mobiliários que condizem com o restante dos pontos nodais

PERSPECTIVA NOTURNA


11

RUA AUGUSTO STRESSER X RUA JAIME BALÃO RUA JAIME BALÃO

JARDIM E CORREDOR

corredor: circulação, união, ligação

TO

US

UG AA U R

R

SE

ES

R ST

jardim: natureza, observação

O ponto nodal encontra-se em um setor comercial, onde a relação com o contexto se da pela função, e por seu entorno não possuir mobiliário urbano e nem locais de permanência, transformam a via em um corredor com o inteso fluxo de veículos e passagem de pessoas em apenas em horário comercial. A proposta é trazer o aconchego do nosso quarto para os espaços subutilizados e vazios urbanos, com a colocação de mobiliários urbanos de permanência pelo nó e de barreiras vegetais para a absorção dos ruídos, cooperando com a paisagem natural. INTERAÇÃO CONTEXTO FUNÇÃO INTERVENÇÕES Requalificação de vazios urbanos e de lotes subutilizados: A diretriz é implantar espaços de uso coletivo no lote subutilizado da Av. Augusto Stresser e no vazio urbano da Rua Jaime Balão, onde esses espaços serão cuidados pela vizinhança e serão monitorados e promovidos eventos e encontros por meio de redes sociais, gerando a interação da população com o meio, tornando-o um espaço de permanência e trazendo mais segurança. Podendo haver a integração da Revistaria Bom Jesus para tornar um ponto de troca de figurinhas. Revitalização da Praça Berel Brink: O projeto propoem a revitalização da Praça com a instalação de mobiliários de permanência para atrair o uso e promover a interação social. Tembém será feita uma barreira visual e acústica entre a Praça e a Avenida que possui constante transição de veículos.

Arborização: Com a utilização de vegetação de médio porte em ambas vias, éuma estratégia para melhorar a qualidade urbana beneficiando no conforto térmico, no sombreamento,reduzindo os ruídos e a poluição, além de melhorar a escala urbana, que no caso desse nó, o gabarito é agradável e não opressor.

Manutenção e recuperação da fachada:

Mobiliário Urbano:

O projeto prevê que os proprietários que manterem suas fachadas em boa conservação ou restaurarem o imóvel, ou aumentarem a permeabilidade visual de sua fachada, receberão incentivos fiscais, como a redução do IPTU . Além de melhorar a estética de seu estabelicimento, melhorará os olhos da rua, proporcionando maior interação com o meio e segurança.

Instalação de mobiliários de permanência por todo o nó para o auxílio dos atrativos oferecidos pelos diferentes usos no entorno, estimulado a interação social. Podendo servir para permanência de quem trabalha no entorno e para os usuários do comércio local.


12 A arquibancada da praça funciona como um suporte para o mirante.

PERSPECTIVA DIURNA

O mirante aprioveita da topografia da praça e ultiliza-se como apoio o ponto de ônibus e x i s t e n t e .

A arquibancada possui iluminação em seus p a t a m a r e s .

PERSPECTIVA NOTURNA


13

RUA ITUPAVA X RUA FLÁVIO DALLEGRAVE

REFORÇO DA UTILIZAÇÃO DAS VIAS EM TODOS OS PERÍODOS DO DIA

Cruzamento em nível: A proposta consiste em nivelar o a rua do nó com a calçada com o objetivo de integrar todas as atividades existentes no entorno da praça em frente aos bares e restaurantes.

RU A

PA VA

Abertura dos bares e restaurantes no período diurno: Estimular a abertura dos bares e restaurentess durante o dia, através de incentivos ficais, aumentando a compra e o faturamento do comércio, mantendo a cidade e suas ruas mais ativas durante o dia todo, gerando mais olhos para rua e maior vigilância na vizinhança. Ciclovia interativa:

ITU

E LEGRAV

VIO DAL RUA FLA

A diretriz de implantar uma ciclovia com luzes de LED que são mantidas a luz solar, integra a sustentabilidade, a arte, a moblidade e a tecnologia, transformando a pedalada um experiência sensorial intensa e estimulando a interaçaõ com seu uso em períodos diferenciados. Mobiliário urbano: Instalação de mobiliários de permanência por todo o nó e principalmente com a revitalização da praça, para o auxílio dos atrativos oferecidos pelos diferentes usos no entorno, estimulado a interação social, dando relevância não apenas aos bares, mas também aos diferentes usos que existem ali, como a Banca da Itupava onde daria auxílio para leitores ou até mesmo para troca de figurinhas.

CRIAÇÃO DE CRUZAMENTO ELEVADO, MANTENDO O VEÍCULO NO MESMO NÍVEL DO PEDESTRE.


14

Mobiliários em concreto marcando o perímetro da praça, são utilizadas luzes durante a noite para marcar e dar identidade ao local.

Adição de mobiliários em áreas vazias durante o dia, devido ao funcionamento do comércio local.

PERSPECTIVA NOTURNA

Reforço de luzes nas fachadas de bares e restaurantes noturnos, atraindo mais público e trazendo conforto visual.

PERSPECTIVA DIURNA


AV IGUAÇU X AV MAR PEIXOTO FLORIANO

Alteração do horário comercial: Proposta de reformulação do horário comercial da região, abrindo o comércio das 9h às 22h, não só para o fortalecimento do comércio, mas também para o auxílio da vigilância da rua. Horários mais amplos possibilitando o aumento de interação e faturamento do comércio, mantendo a cidade e as ruas mais ativas durante dia e noite, e geram uma maior vigilância sobre as ruas. Manutenção e recuperação da fachada: O projeto prevê que os proprietários que manterem suas fachadas em boa conservação ou restaurarem o imóvel, ou aumentarem a permeabilidade visual de sua fachada, receberão incentivos fiscais, como a redução do IPTU . Além de melhorar a estética de seu estabelicimento, melhorará os olhos da rua, proporcionando maior interação com o meio e segurança. Arborização: Com a utilização de vegetação de médio porte na via, principalmente na Av. Mar. Floriano Peixoto, é uma estratégia para melhorar a qualidade urbana beneficiando no conforto térmico, no sombreamento, reduzindo os ruídos e a poluição, além de melhorar a escala urbana, que no caso desse nó, o gabarito é agradável e não opressor. Mobiliário Urbano: Instalação de mobiliários de permanência por todo o nó para o auxílio dos atrativos oferecidos pelos diferentes usos no entorno, estimulado a interação social. Podendo servir de apoio para os bares e lanchonetes, para permanência de quem trabalha no entorno, ou até mesmo apreciar as edificações históricas da região, e em apoio a reestruturação da via em horários não comerciais.

Reestruturação da caixa da via: Reestruturar o canteiro central da Av. Iguaçu para o aumento das calçadas, onde serão colocados novos mobiliários urbanos e arborizado, criando um corredor agradável aos pedestres que passarem e permanecerem pelo nó.

Reestruturação da via em horário não comercial: Proposta do fechamento da Av. Iguaçu para pedestre em horários não comerciais, depois da 20h, nos finais de semana e feriados das 6h às 22h, promovendo diferentes apropriações e interações no espaço público através do meio virtual, como por exemplo a organização de Flash Mobs.

15


16

Ampliação da calçada existente e arborização do ponto.

PERSPECTIVA DIURNA

Inserção de mobiliário para promover mais uso noturno do local.

PERSPECTIVA NOTURNA


Ana Bertolin Giulia Viana Julio Cesar Lucas Ferrari Luiza Rodrigo Petrus VĂ­tor Morandin

Paisagem Urbana - Pontos Nodais Curitiba  
Paisagem Urbana - Pontos Nodais Curitiba  
Advertisement