Page 1

O SantaBranquense 28 ANOS

Nº 804

Santa Branca, 11 a 23 junho de 2012

Mais de 200 alunos da Escola Rosa Gomes participaram de passeio Cultural na Capital

R$ 1,00

00 s 6.0 plare m exe

Artesanato na Cidade Presépio

Prosseguindo com a série de entrevistas visando divulgar o artesanato em Santa Branca, focamos nesta edição a artesã “Célia de Fátima Oliveira”, que trabalha com a arte de Pintura em Porcelana e em Tela, ilustradas pelas fotos de Lú Cândido. Página.4

CONVITE Nos dias 15 e 16 de maio, cerca de 200 alunos da E.M.E.F.Profa. Francisca Rosa Gomes foram a São Paulo para um passeio cultural para ver, de perto, duas exposições marcantes e que estão dando o que falar: "Guerra e Paz", no Memorial da América Latina, e "Let's Rock", na Oca, no Parque Ibirapuera. Página 5

Vôlei Adaptado masculino e feminino consegue duas vitórias em Bertioga

Sábado dia 22 de junho de 2012, as equipes masculina e feminina de voleibol adaptado foi a Bertioga, realizar jogos amistosos com equipes locais, que receberam calorosamente nossos times masculino e feminino em empolgantes jogos. Página 5

Prezados leitores e leitoras do jornal “O Santabranquense”. O escritor e poeta Wilson Chaves convida você para comparecer a Noite de autógrafos do livro “OS FANTÁSTICOS GOLEIROS DA MINHA TERRA”. Uma obra maravilhosa que narra capítulos maravilhosos da evolução do futebol santabranquense. Com muitos casos interessantes, poesias e homenagens aos atletas e pessoas que colaboraram para a evolução do mais popular dos esportes na Cidade Presépio. Uma obra imperdível para completar a sua coleção. Sábado dia 30 de junho a partir das 20 horas na sede do Santa Branca Esporte Clube, encontro marcado, Wilson Chaves e muitos amigos presentes. Compareça!


2

O SANTABRANQUENSE

Santa Branca, 11 a 23 de junho de 2012

WILSON CHAVES - email.wchaves@interadio.com.br

NO TEMPO DAS BENZEDEIRAS A Rua Coronel Barros Leite no passado da nossa história já foi muito conhecida como “Rua da Cadeia”. Tempos idos, segundo os poetas e historiadores! O povo pacato da cidade e os hábitos do tempo. Fim de tarde as chaminés dos fogões a lenha começavam soltar a fumaça branca formando as espirais no céu anil nos tempos do inverno, era sinal de que as donas de casa estavam iniciando a preparação do jantar pra família. Duas vezes por semana durante estes finais de tarde era comum a gente avistar uma senhorinha que subia vagarosamente a Rua da Cadeia tateando o chão com um pequenino porrete, porque a vista já lhe faltava devido ao peso da idade, muitos populares garantiam que ela já passava dos cem anos. “Joaninha do Pai Velho”, vagarosamente subia a rua, era uma figura solitária, conversava muito pouco, nós os meninos e meninas ficávamos apavorados quando ela aparecia na nossa rua. Os mais velhos diziam que ele costumava pegar crianças e com elas fazer cerimoniais de feitiço, só de pensar a gente tremia todo. Somente muito tempo depois eu fui saber a verdadeira historia da Joaninha do Pai Velho, ela subia pela Rua da Cadeia e seguia pela Rua do Pito, onde existiam duas padarias, ali chegando ele pedia como esmola um punhado de pães amanhecidos e retornava pro seu canto onde dividia com o marido “Pai Velho”. Era uma senhorinha muito humilde e bondosa, tanto assim que numa das minhas crônicas eu deixo muito explícito o meu pedido de perdão em nome daquelas pessoas que inventaram tantas historias maldosas contra esta amiga maravilhosa. Mas, voltando a rotina da Rua da Cadeia, uma rua calma e bucólica, quase em frente a cadeia existia uma casa onde morava a família proprietária de uma das padarias locais. Num fim de tarde a dona da casa ouviu batidas na porta e saiu pra atender, ao abrir a porta a dona da casa deparou com a pequeninha senhora andarilha! – Boa tarde, a senhora já ouviu falar de mim eu acho, pois bem, eu estou portando um pouco pra agradecer ao seu marido a generosidade dos pães que me presenteia cada vez que eu passo na padaria. Mas hoje estou aqui porque minha guia maior pediu pra rezar por vocês. Sei que a senhora está sofrendo muito com uma doença misteriosa que judia muito do seu filho caçula disse a velha Joaninha. - Sim, é verdade, mas como a senhora sabe disso se eu não comentei com ninguém? - Olha isso não interessa agora, eu peço que a senhora me permita entrar e orar pelo menino. Consentimento dado a velha senhora entra até o quarto onde um menino com semblante muito sofrido gemia em dores. A oração é feita silenciosamente, concluída com bênçãos daquelas mãos calejadas pelos caminhos da vida. Em seguida as duas saem do quarto, Joaninha alerta que naquela noite quando o relógio bater as 23 badaladas, uma cena muito forte será notada num canto da sala. Explica ainda que surgirá um amontoado de matérias e que tudo deverá ser juntado e atirado em água corrente, e que a partir de então todo o mal será afastado do menino. Naquela mesma noite quando o filho mais velho do casal se preparava para iniciar os trabalhos na padaria onde ajudava o pai, reparou que o relógio iniciava a badalada das onze horas da noite. Neste mesmo instante um grande estrondo ocorreu na sala expelindo muita fumaça e um cheiro horrível. O moço apavorado caiu pra traz e mudo não conseguia mais falar, a mãe que já esperava o acontecimento levantou trêmula conseguindo observar a cena naquele canto da sala. Alguns pequenos ossos entrelaçados com fios de cabelo e uma fita negra estavam naquele canto como resultado do estrondo. A senhor mal teve tempo de juntar tudo enrolar em folhas de jornal e pediu pro filho atirar nas águas do ribeirão. No outro dia o sol surgia forte e brilhante nessas manhãs lindas de inverno. A senhora acordou correu pro quarto do filho e pela primeira vez durante meses de sofrimento aquele menino sorria e pedia pra mãe um pouco de café que ele estava com fome. Feliz e agradecida a mãe dobra os joelhos no chão e agradece a Deus e a Joaninha do Pai Velho pela cura do filho. Dias mais tarde a família buscou o endereço da velha Joaninha do Pai Velho, mas todos que eram indagados não sabiam do endereço, muitos moradores comentavam que aquela era a última missão da Joaninha antes de partir de volta pra Deus! Eram tempos das poderosas orações recitadas com amor e fé. Tempos das Benzedeiras, das Parteiras que tantos filhos ajudaram a vir ao mundo. Estes valores foram caindo no esquecimento sendo vencidos pela ciência e a evolução dos medicamentos pra quase tudo, os autênticos e os genéricos! Nestes dias atuais o SUS capenga e peca pela falta com os brasileiros mais humildes, e a gente que não conta mais com a Joaninha do Pai Velho e outros benzedores famosos, vamos ficando órfãos pelo menos no aspecto cultural do nosso povo. É uma pena!

O SantaBranquense

28 anos

O SantaBranquense é um jornal de propriedade da Editora Cidade Presépio Ltda, registrado no Cartório de Títulos e Documentos de Santa Branca, sob o nº 03-livro 1- folha 04. Sede e redação: Rua Prudente de Moraes, 270, Centro - Santa Branca- SP. CEP 12.380-000 Tel: (12) 3972-1047 Editoração e Impressão: Jornal Diário da Região Ltda. - SJC - Tel: (012) 3966-1212 Editor: Dailor Varela - (149 RN) Representante: Revesp Representação Ltda -Al. dos Juripis, 455 - 4º andar cj- 46, Moema - (11) 5051-4611 FAX: 573-7723 - São Paulo Cep: 04088-000 Circulação semanal: Santa Branca, Salesópolis, Jacareí, Guararema e Paraíbuna. (6.000 exemplares)

Começa a ser notado o aumento no trânsito de caminhões e carretas circulando pelas ruas centrais da cidade. Com o inicio de atividades de algumas empresas que estão sendo instaladas no Distrito Industrial no Bairro do Taboão, as rotinas dos veículos de carga que chegam transportando matéria prima e outros que saem carregados com os produtos produzidos é normal e obviamente no momento em que outras empresas iniciarem as atividades com certeza o fluxo de caminhões será aumentado. A Logística haveria de estar priorizada quando na elaboração do projeto de lei que estabeleceu a cessão de áreas para fins industriais, no entanto foi deixado de lado e agora surge o problema que pede solução. Geograficamente o local exige a travessia da cidade seguindo em direção ao município de Paraibuna até a altura do quilômetro três, a partir deste ponto praticamente já se encontra o Distrito Industrial. O crucial da questão é encontrar área para a circulação dos caminhões e carretas de modo a não atrapalhar e colocar em risco de acidentes o trânsito da cidade. Recentemente a administração municipal determinou o circuito Avenida Saudades, Avenida Argemiro Ramos de Siqueira, Rua Andre Ianiccelli, Avenida Dep. Benedito Matarazzo e Avenida Santa Luzia. No entanto, a esquina da Avenida Argemiro e a Rua Andre Ianiccelli é bastante aclive e por esta razão já provocou dois tombamentos de carreta carregada naquele mesmo local próximo ao Colégio Objetivo Santa Tereza, só não houve vítimas devido o horário, antes do inicio da chegada dos alunos ao estabelecimento. Estudos, possibilidades e ação! A população e os empresários aguardam uma decisão para o problema possibilitando o franco desenvolvimento industrial que está gerando novos empregos e reforçando a economia local, em contrapartida a via de acesso é extremamente importante para o desenvolvimento local.

Dimas Florêncio, brasileiro, santabranquense, antes de tudo um gozador nato. Residente na Avenida Saudades, com a família, Lucia e Neto filho único do casal. Dimas exibe o famoso “Leão de Pedra” atado a uma forte corrente, segundo ele para não escapar pelo portão afora. O Leão que na verdade é uma réplica feita com moldagem em concreto foi um presente do seu saudoso primo “Quim Sena” para decorar a casa sede da chácara no bairro do Funil onde Dimas passa os finais de semana com a família. Enquanto não transportava a peça para o destino, Dimas resolveu deixar o leão ali na área da sua casa. Com o passar dos dias, as crianças que passavam pelo local parava para contemplar maravilhada a escultura do Leão do Dimas. Foi assim que o leão ganhou fama entre as crianças e o amigo Dimas também gostou da idéia e resolveu deixar o Leão morando ali na Avenida Saudades ode faz a festa com as crianças que pedem para os pais tirarem uma foto de lembrança. Coisas da Cidade Presépio.


Santa Branca, 11 a 23 de junho de 2012

E o dia das eleições municipais está chegando rapidamente, tão rápido que tem gente que já está até fazendo planos de como gastar o dinheiro que "vai ganhar" com os subsídio de vereador durante os próximos quatro anos. Acontece que, segundo informações do vereador Celso Simão, o subsídio dos vereadores não será 4.000,00 por mes e sim 2.500,00, o que deixou uma turminha um pouco triste, mas deixou tambem muita gente contente, pois é melhor 2.500,00 no bolso do que nada.

Mas falando em candidaturas já definidas mesmo, sabemos que o ex vice-prefeito de Filinho, Renato Cabeção, será candidato a prefeito por uma coligação encabeçada pelo partido PR, do deputado Valdemar da Costa Neto, co m o Jonas da Farmácia de vice-prefeito.

candidato a prefeito deverá mesmo ser o ex vereador Adriano Pereira, que terá o importante apôio do exprefeito Joaquim Vitor e possivelmente a companhia de Zé Elcio como vice. O atual prefeito Luis Cebola, que não sabe ainda se continua no cargo, pois a qualquer momento pode ser supreendido com a perda de seu mandato por uma decisão judicial, por ter mudado de partido, quando saiu do PV para o PTB. Se isso vier a acontecer, a exemplo do vereador Ovídeo, que perdeu o mandato esta semana por decisão judicial, exatamente por ter trocado o PMDB pelo PT, nosso município passaria a ter um terceiro prefeito em 03 anos, com a posse do vereador Helcinho, atual Presidente da Câmara. Pelos lados do PMDB a situação está um pouco indefinida, pois Toninho Mineiro ainda não decidiu se será candidato a prefeito, a vice, se coliga com o PTB do Cebola, ou com alguém de outro partido, ou mesmo se lança apenas chapa de vereadores.

Já o PTN, partido do Peixinho, deverá lançalo candidato a prefeito, com Trica do Barracão como vice. Como Peixinho teve suas contas de 2009 da Prefeitura Municipal rejeitadas pela Câmara Municipal, dificilmente conseguirá homologar o registro de sua candidatura na Justiça Eleitoral.

No PPS, deverá mesmo ser sacramentada a dupla Celso Simão para prefeito e Maurício da CESB para vice, numa coligação com vários partidos políticos, como o PPS dos deputados Dr. Gondim e David Zaia, PDT do deputado Major Olímpio, PP de Paulo Maluf e mais alguns partidos a serem definidos.

No PT, partido do Lula, que despachou a Erundina, pra ficar com o apoio do depuitado Paulo Maluf, o

Certamente pouca coisa mudará até o próximo sábado, dia 30, ultimo dia para que aconteçam as convenções municipais.

O SANTABRANQUENSE

3

Vôlei Adaptado masculino e feminino consegue duas vitórias em Bertioga Sábado dia 22 de junho de 2012, a equipe masculina e feminina de voleibol adaptado foi a Bertioga, realizar um amistoso com a equipe local, que recebeu calorosamente nossas equipes locais (masculina e feminina). A equipe masculina de Santa Branca venceu os anfitriões por 4 sets a 0, e a equipe feminina também venceu o jogo pelo escore de 3 sets a 1. A Recepção aos nossos atletas foi maravilhosa, sendo que a Comissão de Bertioga ofereceu um rico e saboroso café matinal e após o jogo ofereceu um almoço maravilhoso num restaurante

local. Os atletas que compõe as equipes de Santa Branca do voleibol adap-

tado aproveitam para enviar os sinceros agradecimentos a comissão organizadora de Bertioga

que recebeu os times de Santa Branca com muita cortesia e hospitalidade exemplar.

PREFEITURA MUNICIPAL DE SANTA BRANCA DECRETO Nº 37, DE 30 DE MAIO DE 2012. Declara de Utilidade Pública, para fins de desapropriação por interesse social, o imóvel que este especifica. LUIS FERNANDO DE SOUSA LEMES, PREFEITO MUNICIPAL DE SANTA BRANCA, no uso das atribuições que lhe são conferidas por Lei, na forma do artigo 60, inciso V, combinado com o artigo 82, inciso I, letra “d”, da Lei Orgânica do Município de Santa Branca, e, com os artigos 2º e 6º do Decreto Lei Federal nº 3.365, de 21 de junho de 1941, com as alterações da Lei nº 2.786, de 21 de maio de 1956, D E C R E T A: Art. 1º Fica declarado de Utilidade Pública, a fim de ser desapropriado pela municipalidade, por via amigável ou judicial, o imóvel situado nesta cidade, sito à Praça Ribeiro Leite, s/n, centro, matriculado no Cartório de Registro, Transcrição sob nº 4.265, nº 03-L, fls 100, situado na Circunscrição, Distrito, Município e Comarca de Santa Branca, abaixo caracterizada destinada a Velório Municipal. 01 - Imóvel Urbano: Circunscrição Distrito, Município e Comarca de Santa Branca; 02 - Proprietários: Companhia de Eletricidade São Paulo e Rio; 03 - Localização: Praça Ribeiro Leite, s/n, centro, na cidade de Santa Branca, Estado de São Paulo; 04 - Característica do terreno: Um imóvel situado nesta cidade, sito à Praça Ribeiro Leite, s/n, centro; 05 -: Um terreno na Praça Ribeiro Leite, esquina da Rua Manoel de Andrade, na cidade de Santa Branca, dividindo com essa praça e rua, com Francisco Noras Bastidas ou sucessores e pelo fundo com a Rua Direita, terreno esse que após levantamento planimétrico atualizado, apresentou as seguintes divisas e confrontações: “Um terreno, com benfeitorias, situado nesta cidade, à Praça Ribeiro Leite, medindo pela frente 7,00m, confrontando com a rua de situação, do lado direito no sentido de quem olha da rua o imóvel mede 27,10m, confrontando com a propriedade Ana Cristina e João Antonio dos Santos, do lado esquerdo mede 26,30m, confrontando com a Rua Dom Manuel de Andrade, e nos fundos mede 6,00m no sentido de quem a rua olha o imóvel, confrontando com a Rua Independência, encerrando este perímetro uma área de 173,00m². Na área descrita está edificada uma construção aproximada de 18,18m².” Art. 2º A desapropriação de que trata o artigo 1º deste Decreto, é declarado de natureza urgente, para os efeitos ao artigo 15 do Decreto Lei Federal nº 3.365 de 21 de junho de 1941, com as alterações da Lei nº 2.786, de 21 de maio de 1956. Art. 3º As despesas para execução do presente Decreto, correrão por conta de verba própria do orçamento em vigor. Art. 4º Este Decreto entrará em vigor na data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário. Prefeitura Municipal de Santa Branca, em 30 de maio de 2012. LUIS FERNANDO DE SOUSA LEMES-Prefeito Municipal Lavrado e registrado na Diretoria Administrativa da Prefeitura Municipal de Santa Branca em 30 de maio de 2012, e, publicado por afixação na Portaria Municipal na mesma data supra. BENEDITA DE FÁTIMA M. RIBEIRO-Diretora Chefe da Administração.


O SANTABRANQUENSE

4

Santa Branca, 11 a 23 de junho de 2012

ARTESANATO NA CIDADE PRESEPIO Prosseguindo com a série de entrevistas visando divulgar o artesanato em Santa Branca, focamos nesta edição a artesã, “Célia de Fátima Oliveira” que trabalha com a arte de Pintura em Porcelana e Pintura em Tela. O Santabranquense - Nome completo Célia – Célia de Fátima Oliveira O Santabranquense – Célia fale um pouco sobre a sua chegada em Santa Branca e como teve início a sua atividade artística? Célia – Bem, meu marido foi transferido de Goiânia para Santa Branca, na época ele era funcionário do Banco do Brasil. Nós chegamos aqui em Santa Branca no ano de 1.988, exatamente no mês de julho, Lembro que estava muito frio, um contraste com o clima de Goiás que sempre apresenta temperaturas mais elevadas. Nesta época eu fui apresentada a esposa do gerente da agência do Banco e ela me incentivou a assistir aulas de pintura em tecidos na cidade de Jacareí como forma de utilizar o tempo. Foi daí que eu me interessei pela arte e outras atividades com pintura em cerâmica e em tela, atividade que me dedico até os dias atuais. O Santabranquense – Qual o procedimento da arte de pintura nas peças de porcelana? Célia – Nós usamos o processo de pintura a mão livre ou o processo canetado, isto é, as peças recebem os traçados para a posterior pintura das gravuras e imagens. Após a pintura as peças passam por um processo de entrada num forno próprio que atinge a temperatura de aproximadamente 720 graus centígra-

dos para a fixação definitiva das pinturas nas peças. O tempo exato destas peças perdura por uma hora no interior do forno. O Santabranquense – Se um cliente pedir a confecção de uma determinada peça em série isto é possível? Célia – Não, cada peça é única já que os detalhes de uma pintura não são possíveis de copiar. Podemos elaborar novas pinturas com o mesmo tema, mas, sempre ficam alguns itens diferenciados, daí a impossibilidade de trabalhos em série apresentando as mesmas imagens. O Santabranquense – Os pratos e outras peças de porcelana você busca aqui mesmo na região? E as tintas são especiais? Célia – Bem as peças exigem uma perfeição quanto a fabricação, senão corre o risco de partir após durante o período que estiverem no forno. Nós temos que examinar com muita atenção as peças ou corremos o risco de perdê-las e sofrer prejuízo. Quanto às tintas elas são especiais sim. Vem adicionadas em embalagens com o produto em pó que para a aplicação são diluídas com óleo mole, produto químico específico para este fim. O Santabranquense

– Você comercializa suas peças aqui na região ou vende para outros locais? Célia - Na verdade eu envio a maior parte dos meus trabalhos para a região de Goiânia onde eu possuo meus familiares e muitos conhecidos que adquirem minhas peças. O Santabranquense - Dá pra viver da arte? Célia - Infelizmente não dá não. A gente se dedica a atividade por amor a arte. O Santabranquense – Você exerce outras atividades artísticas? Célia – Eu venho me dedicando exclusivamente ao artesanato. Freqüento aulas em Jacareí como fórmula de estar sempre atualizada com a arte e os tópicos que surgem como novas técnicas e material de aplicação. Também dou aulas sobre a modalidade na minha residência, todas as segundas feiras das 14 as 17 horas. O Santabranquense – Como você sente a questão de apoio dos Poder Público para os artesãos na cidade? Célia – É muito triste a gente falar da situação, mas a classe dos artesãos não recebe nenhum apoio para a divulgação e o incentivo para expansão e o comercio como um todo, uma forma de tu-

rismo que além de divulgar o Município, trazer o fator renda para os profissionais e ao comercio como um todo. Nós estamos instalados num dos Box do Mercado Municipal (Associação dos Artesãos de Santa Branca), a bem da verdade possuímos uma pequena loja onde cada artista expõe uma parcela do trabalho elaborado destinado a venda. Quero deixar uma sugestão quanto ao Mercado Municipal que se encontra bastante cadente em termos de comercio. Praticamente está resumido a uma Lanchonete da Dona Maria Pereira, mais alguns Box e o pombal no interior do imóvel que sobrevive livremente sem nenhuma ação para limpeza do local. Uma idéia ao Poder Público quem sabe criar o Centro de Artesanato da cidade, mantendo a Lanchonete possibilitando o desenvolvimento do turismo local com a adesão de muitos artistas que estariam expondo os trabalhos atraindo os visitantes como uma nova opção turística! O Santabranquense - Obrigado pela entrevista. Célia – Eu agradeço a oportunidade e a colaboração para com os artesãos santabranquenses.


Santa Branca, 11 a 23 de junho de 2012

O SANTABRANQUENSE

5

Mais de 200 alunos da Escola Rosa Gomes participaram de passeio Cultural na Capital

Nos dias 15 e 16 de maio, cerca de 200 alunos da E.M.E.F.Profa. Francisca Rosa Gomes foram a São Paulo para um passeio cultural para ver, de perto, duas exposições marcantes e que estão dando o que falar: "Guerra e Paz", no Memorial da América Latina, e "Let's Rock", na Oca, no Parque Ibirapuera. Trata-se do projeto "Escola vai ao Museu", idealizado pela professora Samia Wuo Monteiro, com apoio da equipe gestora, professores e Prefeitura de Santa Branca. A idéia de levar os alunos da escola para a visi-

ta é despertar o interesse pela História da Arte e pela Música, saber relacionar diferentes momentos históricos e estilos e construindo uma visão crítica . "É um processo que tem ótimos resultados quando iniciado no período escolar, pois amplia o repertório iconográfico e musical dos alunos, exercitando a observação e enriquecendo os temas vistos em sala de aula sendo algo significativo, uma forma de interpretação do mundo e de expressão de valores, um espelho que reflete sistemas e redes culturais e que, ao mesmo tempo,

funciona como uma janela para novas possibilidades de atuação na vida. ", explica a professora Samia. E vale, para isso, ir de Portinari a Rock'n Roll. Na exposição "Let's Rock", as mais de seis décadas de história do estilo musical que influenciou gerações são passadas a limpo. É um mergulho que proporciona uma viagem inesquecível, relembrando bandas, artistas e movimentos que marcaram o mundo. Com a colaboração de músicos, bandas, empresários, colecionadores, publicações e fotógrafos, um material jamais exibido com roupas, fotos, instrumentos e todo tipo de

memorabilia de muitos dos principais nomes do rock mundial foi disponibilizado na Oca para a maior mostra do gênero já vista na América Latina. Já em "Guerra e Paz Projeto Portinari", os alunos puderam acompanhar o processo de trabalho dos restauradores que atuam nos painéis de Candido Portinari, contextualizando a vida e a obra do artista, a história e o processo de criação dos painéis Guerra e Paz e sua instalação na sede da ONU. Um ateliê cenográfico de Portinari, ambientado com mobiliário e objetos pessoais do pintor, apresenta o pro-

cesso real de criação dos painéis. A visitação foi incrementada com a instalação de um laboratório de análise científica, que ajuda o visitante a compreender melhor os métodos e técnicas do processo de restauro. Também são levantadas as questões do exercício da

cidadania e da preservação do patrimônio em nosso país. Prova de que a arte seja em forma de música como o rock ou na figura do grande pintor que foi Portinari - pode trazer a reflexão necessária para as questões dos dias de hoje.


O SANTABRANQUENSE

6

Santa Branca, 11 a 23 de junho de 2012

Fibria terá Programa Estrada para a Saúde da CCR NovaDutra para caminhoneiros nesta quinta-feira A Fibria em parceria com a CCR NovaDutra vai promover nesta quinta-feira, 21/06, o Programa Estrada para a Saúde – Empresas. A ação será realizada no Pátio de Madeira da Fibria, em Jacareí (SP) e dirigida aos motoristas do transporte de madeira das empresas parceiras da Fibria. Durante o evento serão oferecidos exames clínicos gratuitos, como avaliação de risco cardíaco, exame de colesterol, teste de diabetes, teste de visão, aferição de pressão arterial e avaliação de estresse. O atendimento será realizado por uma equipe médica do SOS Usuário

da CCR NovaDutra, em parceria com a Escola de Enfermagem Dr. Benedito Meirelles, de Guaratinguetá (SP). Também haverá um cabeleireiro no local para mudar o visual dos profissionais que quiserem cortar o cabelo. Para Denilson Guerino, coordenador de Logística Florestal da Fibria, a realização de um programa como esse nas instalações da empresa, incentiva ainda mais as boas práticas de segurança entre os profissionais que transitam com produtos da Fibria. Segundo Carla Fornasaro, responsável pela área de Relações Institucionais da CCR Nova-

Dutra, a ação vai ao encontro da necessidade dos motoristas, muitos dos quais não têm tempo para cuidar de sua saúde. “Sentimos a necessidade de alcançar um maior número de caminhoneiros que não conseguem participar das ações nos postos de serviço, por terem horários a cumprir. A proposta é repetir a experiência em outras empresas localizadas nas proximidades da Via Dutra”, diz Fornasaro. De acordo com os números contabilizados pelo SOS Usuário nos atendimentos realizados nas 12 campanhas de 2011, fatores de risco como hábitos alimenta-

VENDO UMA CHACARA EM SANTA BRANCA ESTRADA BRAZ CAXIAS Nº 36 COM 2000 METROS COM UMA COZINHA 2 COMANDO WC LUIZ AGUA VÀRIOS PÉ DE ARVORES FRUTIFERA PRODUZINDO. VALOR R$ 35.000,00 Á VISTA TRATAR COM BENEDITO CEL: (12)-3961-3819 / (12)-8154-1180

ALUGO GALPÃO INDUSTRIAL 450m² Rua São Sebastião (atraz da GERIZIN)

12 3972.0395 ou 12 8167.0607

res, vida sedentária, stress, fumo e consumo de bebidas alcoólicas representam alto risco à saúde dos motoristas profissionais. Dos 3.216 caminhoneiros atendidos em 2011, 47% não praticam nenhuma atividade física, 66% são hipertensos e 77% estão acima do peso. Serviço Evento: Programa Estrada para Saúde – Empresas Local: Fibria (Unidade Jacareí), Rod. Gal Euryale Jesus Zerbini, Km 84, SP 66 - São Silvestre, Jacareí/SP Data: Quinta-feira (21/06) Horário: 09h00 às 16h00

ERRATA Na edição antertior nº 803 a data que saiu no jornal foi 02 de junho de 2012, sendo que a data correta é 25 de Maio a 2 de Junho de 2012.

LOTES A VENDA Lotes de 1000 a 3000m2, com luz e muita água, lotes frente a Represa da Ligth, loteamento aprovado em 1979... VALOR: de R$25,000 a $35,000.... aceitamos proposta. Telefones para contato: (12)9708-4695 / (12)8840-1265 ou (12)8148-2757 DIRETO COM O PROPRIETÁRIO


Santa Branca, 11 a 23 de junho de 2012

O SANTABRANQUENSE

7

Buscando nos anais da historia encontramos na edição do jornal “O Santabranquense”, edição de 09 de fevereiro de 1.998. Uma coluna inédita, escrita e editada pelo saudoso Rubens Gomes de Sousa, o popular Queco.


8

O SANTABRANQUENSE

Santa Branca, 11 a 23 de junho de 2012

O Santabranquense - Ed. 804  

O Santabranquense.

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you