Page 13

brião que pode ou não dar certo. Esse é o

zavam que estava nascendo algo de muito

desafio diário de quem cria imagens, sejam

bom para a sociedade.

elam voltadas para um morador da China

Hoje, o projeto é um sucesso, oferecen-

ou da próxima esquina. Nessa área não há

do cursos livres de artes para crianças e

garantias de acerto. Nem a experiência dá

adolescentes e tendo alguns desdobramen-

esse alicerce. Julgo isso como algo muito

tos, como o Arte Gerando Renda, que minis-

bom e positivo, pois não permite que você

tra cursos de formação prática em artes e

se acomode. É preciso enfrentar cada desa-

artesanato para adultos.

fio como se fosse a primeira vez.

A imagem que cedi tem sido utilizada

Você já fez trabalhos também para ou-

em toda a identidade visual do Favela Mun-

tros países. Fazendo uma pequena compa-

do. Sempre acreditei que é meu dever retri-

ração: em sua opinião, quais clientes são

buir ao mundo um pouco daquilo que ele

mais exigentes e quais são mais maleáveis,

me proporcionou, principalmente por meio

os daqui ou os do exterior?

do meu trabalho e das minhas imagens.

Via de regra, há clientes mais maleáveis

Por último, você também gosta de

ou mais exigentes em qualquer parte. Não

expor seus hobbies, como reaprovei-

acho que isso seja uma característica ligada

tar coisas. Há mais algum hobbie que

à nacionalidade.

você tenha?

Ao longo do tempo, meu trabalho foi

As transformações que faço nada mais

ganhando um viés cada vez mais autoral. In-

são do que minha forma de ver as coisas e

voluntariamente, criei uma espécie de iden-

a nossa relação com o meio-ambiente. Em

tidade profissional, onde os trabalhos têm

tempos de produtos descartáveis e obsoles-

uma característica própria bastante acen-

cência programada, acho fundamental que

tuada. Se por um lado isso limita um pouco

passemos a olhar as coisas de uma maneira

o campo de atuação, por outro ele permite

diferente, dando uma nova chance aos obje-

que os clientes, sejam daqui ou de outros

tos que seriam descartados.

países, tenham uma noção prévia daquilo

Sou um apaixonado por tecnologia e por

que receberão como resposta às suas soli-

novidades de qualquer espécie, mas acredi-

citações. Isso facilita bastante a relação e o

to fortemente na busca de um equilíbrio en-

desenvolvimento de cada trabalho.

tre inovação e consumo.

Graças às novas tecnologias, as distân-

Dessa forma, passei a adotar uma pos-

cias têm ficado cada vez menores e traba-

tura de reutilização e reaproveitamento aqui

lhar para clientes de outras partes do mun-

no estúdio. Muitos dos móveis daqui têm

do ficará cada vez mais fácil e corriqueiro.

muita história para contar, mas se integram

Fale um pouco sobre o projeto Fave-

perfeitamente com outras coisas mais mo-

la Mundo, o que ele representou para

dernas. Não vejo sentido em descartar um

você e como foi trabalhar num projeto de

gaveteiro antigo de madeira maciça com

cunho social?

mais de meio século de existência se ele

Quando o idealizador do Favela Mundo - um ator do Rio de Janeiro - me procurou,

pode ser restaurado e existir por mais 100 anos como se fosse novo.

o projeto ainda estava no papel. O entu-

Além de reduzir o descarte e o consumo

siasmo dele e o teor das propostas sinali-

desnecessário, isso acaba sendo um exercíDMBr #14 - Março/Abril 2016 | 13 |

Profile for [DMB] Lucas Fernandes

DMBr - Edição #14  

Download: http://bit.ly/DMBr_14

DMBr - Edição #14  

Download: http://bit.ly/DMBr_14

Advertisement

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded