Page 1

ACADÊMICA ESPECIAL

Professora de Semiótica conta sobre experiência com tablets para realizar suas aulas

Alunos dizem como conteúdo digital na palma da mão beneficia na hora de estudar para provas

Internet e Gadgets na Sala de Aula Celulares, tablets, notebooks. As universidades mais modernas incentivam jovens a adotar o conteudo online para estudos.

R$ 2,50 // Ed. 1 // Setembro 2013


PÁGINA 2 // MATÉRIA

O USO DA TECNOLOGIA NA VIDA DOS UNIVERSITÁRIOS A tecnologia, precisamente a internet, é bastante recente. Foi na década de 90 que a popularização e globalização deste fenômeno tomou lugar. O poder de comunicação instantânea entre duas ou mais pessoas por todo o planeta até hoje impressiona a todos. A internet não é usada apenas no trabalho, mas também em residências e praticamente qualquer tipo de estabelecimento. Mas o destaque hoje se dá na vida escolar, em como é feito o uso desse recurso na sala de aula, para o aprendizado. Há aguns anos que muitas escolas por todo o mundo, inclusive no Brasil, utilizam aparelhos eletrônicos para ajudar professores e alunos a transmitir conteúdo de uma forma eficaz. Mas não é uma tarefa fácil. A cada ano o incentivo até mesmo do governo é maior, e por isso temos visto tantas faculdades oferecendo tablets a alunos, escolas públicas com notebooks de baixo custo e mudança nas regras de colégios sobre o uso de celulares. É bastante comum notar o uso de celulares, tablets e notebooks no ambiente acadêmico. Os alunos utilizam esses aparelhos para complementar o

contéudo das aulas, acessar redes sociais (algo essencial para o pessoal que cursa comunicação social) e acompanhar seja lá o que esteja em foco no mundo. Mesmo com pouco incentivo, é comum encontrar uma cena dessas nas universidades brasileiras. Muitos professores trocam a lousa pelo projetor. A apresentação de conteúdo por slides já popular na década passada, nessa nova tomou mais populariedade graças aos tablets. A praticidade de transmitir conteúdo aos alunos pelo projetor ou por email ganha destaque com os docentes mais ligados em tecnologia. As aulas mais interativas instigam os alunos a participarem mais, a ter um interesse maior. E conversando com muitos professores você consegue notar o entusiasmo que eles descrevem sobre os alunos. Com redes sociais (Twitter, Facebook, Google+ etc), o contato entre professores e alunos deixou de ser feito apenas por email, uma forma mais tradicional e lenta. Os professores já divulgam seus perfis nas redes para facilitar o encontro com os alunos fora da sala de aula. A discussão de variados assuntos também tem lugar nessas redes e sempre gera pontos interessantes


Foto: Eduardo Tello

para ambas as partes. Após a aula, os estudantes combinam os encontros pelo celular. E mesmo na sala de aula as mensagens não param. Esta é uma das principais preocupações de professores e pais: a falta de atenção ao conteúdo devido à tecnologia nas salas de aula. Enquanto muitos vão para a sala de aula estudar, alguns marcam apenas presença e se distraem com os aparelhos, seja com redes sociais, mensagens com amigos, jogos, vídeos e muito mais. Outro ponto importante na maioria das universidades hoje em relação à tecnologia e internet é o uso de uma ou mais disciplinas online. Essas cadeiras virtuais são bastante teóricas e envolvem matérias como História da Mídia e Análise Textual. Apesar dos alunos não serem fãs de carteirinha das aulas online, é um requerimento que todos os cursos disponibilizem ao menos uma cadeira deste tipo. Por outro lado, quem mora longe da universidade também ganha a oportunidade de estudar, mesmo que em casa. Pelo bem ou pelo mal, a tecnologia na vida acadêmica está para ficar.

O uso dos aparelhos celulares na sala de aula e fora é bastante comum com pessoas de todas as idades. A maior parte dos aparelhos usados por estudantes são smartphones, aparelhos capazes de facilitar a vida estudantil com conteúdo digital. Foto: Paulo Rodrigo


PÁGINA 4 // ENQUETE

AULAS ONLINE Será que as cadeiras à distância agradam todos os alunos ou ao menos uma boa parte? O uso da internet para transmissão de aulas tem sido um experimento com centenas de universidades brasileiras. Entrevistamos alguns alunos que utilizam este novo método de ensino.

Victor Hannover

Aluno de Comunicação Social (Jornalismo) do 2º semestre O que você acha das aulas online? Não gosto, pois as aulas deveriam ser presenciais. Também por falta de tempo para acessar por conta do trabalho. Quais os pontos positivos? Pode ser um benefício para estudo á distância. Quem não tem condições de se locomover para a faculdade diariamente, morando no interior do país. Quais os pontos negativos? Na hora das dúvidas não tem algum auxílio do professor no momento, é preciso mandar uma mensagem para posteriormente obter uma resposta. O que poderia melhorar? Já que na grade curricular é exigido cadeiras virtuais, a faculdade em si poderia incentivar os alunos, instigar o acesso ao conteúdo e matérias na rede. Isso que está faltando hoje.

Priscila Barbosa

Aluna de Fisioterapia do 3º semestre O que acha das aulas online? São boas, consigo auxílio da internet para aprofundar os conhecimentos adquiridos nas aulas presenciais. É um suporte a mais. Quais os pontos positivos? Disponibilidade. Em qualquer lugar e hora você tem acesso às aulas, e também não tem aquela carga horária extra de trabalhos para complementar a nota.

Quais os pontos negativos? Relacionamento entre alunos e professores é mais distante, quando há dúvidas na hora da aula é necessário esperar a resposta do professor utilizando o sistema de mensagens integrado. O que poderia melhorar? Aulas mais dinâmicas, algum incentivo diferenciado aos alunos matriculados nas cadeiras online.


Jessica Ferreira de Sá

Aluna de Comunicação Social (Jornalismo) do 2º semestre

Foto: Eduardo Tello

PÁGINA 5 // ENQUETE

Quais os benefícios das aulas virtuais pra você? Nenhum. Não é bom pro aluno, já que muitas vezes mesmo com o professor na sala de aula, ao vivo, você não entende, imagina por vídeo. Como são obrigatórias, as aulas online não podem ser abolidas da grade curricular. Qual seria a solução para as universidades após ouvir o que os seus alunos têm a dizer? Diminuir o número de cadeiras disponíveis apenas online, oferecendo opções presenciais -- conforme já acontece com a disciplina de Análise Textual.

Foto: Eduardo Tello

RESULTADO Aulas Online, Aprovadas? Sim 14,1% Não 60,9% Razoável, poderia ser melhor 25%


PÁGINA 6 // REPORTAGEM

SE LIGA, GALERA

Foto: Eduardo Tello

Assistir televisão, utilizar o computador e jogar videogame -- isso sem desgrudar do celular nem por um instante. Cada vez mais recursos tecnológicos estão à disposição no mercado, e incorporálos à rotina e às atividades cotidianas facilita tarefas. Por motivos de trabalho ou lazer, muitas pessoas passam horas usando aparelhos eletrônicos. Mas o uso excessivo pode acarretar problemas à saúde. A funcionária pública Fernanda Mitsuzaki dos Santos, de 29 anos, convive com dor no dedo polegar da mão esquerda. A intensidade chegou a ser tão grande que ela não conseguia mexer e segurar objetos. “Meu dedo fica retraído e não consigo dobrá-lo com facilidade. Além disso, ele apresenta uma coloração um pouco escura nas juntas.”

Fernanda procurou acompanhamento médico de ortopedistas e passou a tomar remédios específicos. Mas assim que ela para de ingerir os medicamentos, a dor volta. “As hipóteses que me apresentaram eram a de estresse e também de uso excessivo do aparelho celular. Agora, evito pegar objetos com a mão esquerda e troquei para um modelo que tinha um teclado maior, por ser mais prático e menos doloroso.”

para as costas. O mesmo podemos dizer sobre o uso de celulares. Ficar muito tempo segurando o aparelho pode acarretar em desconforto aos membros superiores. São questões básicas, mas que passam batidas no nosso dia-a-dia.”

Ele destaca que mudanças de hábitos e pequenas alterações no modo como usufruímos dos equipamentos eletrônicos trazem benefícios no combate às lesões.

Porém, é p r e c i s o p r o c u r a r orientação médica ao surgir algum desconforto. Muitas vezes, a dor pode não ser culpa do uso inadequado de equipamentos eletrônicos.

Atenção também à posição ao usar videogames, que podem “prender” a atenção do jogador por muitas horas, acarretando consequências s é r i a s . Segundo o fisioterapeuta “Existem casos Ivan Barreira Cheida graves de Faria, as atividades diárias deformação do e os aparelhos eletrônicos tronco e dores devem ser adaptados ao na coluna, corpo do usuário. Ficar principalmente horas em uma mesma de crianças. A posição ou realizando recomendação um movimento repetitivo pode causar estresse, é fazer pausas tensão muscular e uma de 10 minutos sobrecarga mecânica a cada 50 traumática à área afetada. praticados.”

“Ao utilizar o computador, por exemplo, temos que ajustar a altura do monitor, conseguir um apoio para braços e pernas, além de um suporte adequado


Miopia - Muitas pessoas acreditam que a necessidade de usar óculos de grau ou lentes são consequências dos maus hábitos ao assistir televisão ou passar muito tempo na frente de um monitor.

O maior perigo aos olhos que pode ocorrer com o uso excessivo de eletrônicos é oolho seco, que causa visão borrada, ardência, cansaço, região ocular vermelha, dentre outros sintomas.

De acordo com a oftalmologista Danielle Carolina Stabelini de Magalhães, os aparelhos eletrônicos não são os responsáveis por estes problemas de saúde. “Quando alguém tem dificuldade de visão por questão de grau, isso não é originado ou agravado com o uso excessivo de televisão ou computador, por exemplo. É um fator genético, que não se altera com agentes externos.”

“Ficamos entretidos com o que estamos fazendo e esquecemos de piscar regularmente. O ideal é uma média de 10 vezes por minuto. Essa prática resulta no olho seco e, se não for diagnosticada, a doença pode evoluir para uma lesão ou até mesmo à perda da visão. A recomendação é fazer pequenas pausas e utilizar colírios lubrificantes.” Foto: Eduardo Tello

Foto: Eduardo Tello

PÁGINA 7 // REPORTAGEM


PÁGINA 8 // ENTREVISTA

FALA AÍ, PROFESSORA As professoras Ana Patricia, de Semiótica e Daniele Acioly, professora e coordenadora do curso de Administração, também falaram sobre o uso da tecnologia no cotidiano acadêmico.

Daniele Acioly Professora e Coordenadora do curso de Administração Como surgiu essa ideia de substituir os livros pelo tablet? É um projeto nacional, da nossa mantenedora, da UNESA. Alguns cursos como Administração, Direito e Arquitetura, que tiveram a oportunidade das principais editoras e formataram o material com a cara da disciplina e hoje é um sucesso absoluto. Que associa a tecnologia ao modelo da Estácio. E qualquer um pode adquirir um tablet, mas o que está dentro dele é que faz a diferença. Como funciona o processo de entrega dos tablets? Da mesma forma que o material didático vem, o aluno entra no portal do aluno, escolhe o material que ele quer, e a partir daí a entrega é feita a partir do cronograma previsto. Quais os benefícios que o uso dos tablets pode trazer para os alunos? Primeiro é por causa da quantidade de livros, ele traz a possibilidade ao aluno de estar com os principais livros em um lugar só, a flexibilidade de estar com

vários livros dentro do carro, do ônibus, enfim, onde quer que o aluno vá.


PÁGINA 9 // ENTREVISTA

Ana Patrícia Professora de Comunicação e Semiótica

Então você concorda que, tanto professores como alunos deveriam utilizar os tablets em sala de aula?

Como o uso do tablet ajudou no seu trabalho? E você acha que esse uso pode chegar a Pode ajudar bastante. Mas,você tem que se atrapalhar? adequar a isso primeiro. Porque se o aluno não tem o hábito de fazer Eu já tenho usado a tecnologia há um bom anotações, ele vai ficar meio perdido. Não basta tempo. Antes mesmo dos tablets, eu já utilizava só prestar atenção. Pra o conteúdo ficar gravado o notebook na sala de aula. Daí eu reproduzia ele precisa anotar e, muitas vezes, ele não os slides que, diga-se de passagem, agilizam entende essa dinâmica e acaba não fixando a bastante aprendizagem. a aula. Hoje, a gente tem aula utilizando a losa, E o professor também precisa se adequar, pois, mas, escrever na losa, demanda muito tempo e criar slides também dá bastante trabalho. Tem cansa muito. Porém, algumas vezes, a utilização que ter todo um da losa é realmente necessária. Mas assim, eu planejamento, enfim. Para um professor do mudei pro ensino superior, esse conteúdo pode tablet, porque é muito incômodo você sair por aí servir por vários semestres, passando apenas com um computador e o tablet é uma tecnologia por algumas adaptações. Para um professor do muito leve. ensino médio ou fundamental Por outro lado, ele é muito limitado para certos isso seria um grande problema, pois, todo ano trabalhos. Pra fazer algumas edições, por ele tem que fazer tudo de novo, Enfim. Existem exemplo, várias questões a serem ele não te oferece materiais suficientes. pensadas antes de aderir a essa tecnologia.

Acadêmica Especial  

Revista produzida por alunos do Curso de Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo.

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you