Issuu on Google+

LUCAS LIMA VIEIRA PORTFÓLIO

lucas.limavieira@gmail.com +55 11 9 9140 9898


LUCAS LIMA VIEIRA CV Brasileiro, nascido em 26 de maio de 1989, solteiro. Av. Santa Mônica 593 bl 14 ap 28, São Paulo, SP. lucas.limavieira@gmail.com 11 9 9140 9898 / 11 3901 3088

ATIVIDADES EXTRACURRICULARES Monitor da disciplina projeto II (FAUUSP) - AUP154 Orientações e esclarecimento de dúvidas aos alunos do primeiro ano no desenvolvimento de seus projetos.

FORMAÇÃO ACADÊMICA Universidade de São Paulo - USP Faculdade de Arquitetura e Urbanismo - FAU Arquitetura e Urbanismo Concluído em dezembro de 2014.

IDIOMAS Inglês fluente.

Delft University of Technology (Delft, Holanda) Faculty of Architecture 1 º semetre do curso de mestrado (Msc1) em “Architecture and Public Buildings”. De agosto de 2012 até fevereiro de 2013 (intercâmbio). ETEC Prof. Basilides de Godoy Técnico em informática Concluído. Duração de 3 semestres. EXPERIÊNCIAS PROFISSIONAIS MMBB Arquitetos Arquiteto júnior De janeiro de 2015 até a presente data. Destaca-se colaboração de março a maio de 2015 com o arquiteto Pritzker Prize Paulo Mendes da Rocha em projeto desenvolvido para concurso internacional. miltonbraga@mmbb.com.br / martamoreira@mmbb.com.br / +55 11 3237 2311 (Arq. Milton Braga / Arq. Marta Moreira) MMBB Arquitetos Estágio em arquitetura e urbanismo De fevereiro de 2013 até dezembro de 2014. miltonbraga@mmbb.com.br / martamoreira@mmbb.com.br / +55 11 3237 2311 (Arq. Milton Braga / Arq. Marta Moreira) Escritório Técnico de Planejamento, Arquitetura e Urbanismo - PLARENG Estágio em arquitetura e urbanismo De fevereiro de 2012 a agosto de 2012. plareng@plareng.com.br / +55 11 5049 3554 (Arq. Heitor) Comissão de graduação da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo Estágio em design gráfico / web De maio de 2010 a maio de 2012. cgfau@usp.br / +55 11 3091-4186 (Sr. Leo Chahad) SOFTWARES Word, Excel, Access, AutoCAD, SketchUP, V-ray, Ilustrator, Photoshop, InDesign, Dreamweaver, Fireworks e Flash. LUCAS LIMA VIEIRA PORTFÓLIO

PUBLICAÇÕES Pedagogy: FAUUSP, São Paulo, Brazil. The Architecture Review, Londres, ed. 1381, v.CCXXXI, março de 2012. Projeto publicado: praça de equipamentos desenvolvido no 3º semestre da graduação. PRÊMIOS 1º Lugar em concurso nacional para estudantes de arquitetura, organizado pela Confederação Brasileira da Construção em Aço - CBCA, com o projeto para um Biblioteca Midiateca Pública. Rio de Janeiro, 2013. 2º Lugar em concurso internacional para estudantes de arquitetura, organizado pela Associção Latinoamericana do Aço - ALACERO, com o projeto para um Biblioteca Midiateca Pública. Lima, Peru, 2013.


LUCAS LIMA VIEIRA PORTFÓLIO


PRINCIPAIS COLABORAÇÕES TRABALHOS PROFISSIONAIS SOUZ-STATION VOLTAIRE

CASA PAULISTA 2º FASE

(CONCURSO INTERNACIONAL) Colaboração em todas as etapas elaboração do projeto; PAULO MENDES DA ROCHA + MMBB Arquitetos Paris, 2015

Levantamentos a campo; elaboração de mapas; estudos volumétricos e urbanísticos; elaboração de material gráfico (diagramas e esquemas). MMBB Arquitetos São Paulo, 2013

REFORMA DE APARTAMENTO EM HIGIENÓPOLIS ED. LAUSANNE

CONJUNTO HABITACIONAL JARDIM EDITE

Colaboração em todas as etapas de projeto, do estudo preliminar ao projeto executivo; acompanhamento da obra. MMBB Arquitetos São Paulo, 2015

Participação na elaboração do projeto legal; Elaboração de desenhos e demais materiais gráficos para publicações e eventos. MMBB Arquitetos e H+F Arquitetos São Paulo, concluído em 2013

BIBLIOTECA DO INSTITUTO TÉCNOLÓGICO DE AERONÁUTICA - ITA

PROJETO URBANO CÓRREGO DO ANTÔNICO

Participação no desenvolvimento do projeto executivo. MMBB Arquitetos São José dos Campos, 2014

Participação em revisões do projeto executivo; Elaboração de material gráfico para eventos e divulgação. MMBB Arquitetos São Paulo, 2013

REFORMA E AMPLIAÇÃO CENTRO CULTURAL ELIS REGINA SÃO BERNARDO DO CAMPO, SP Levantamentos a campo; estudos volumétricos; Participação em todas as etapas de projeto, desde o estudo preliminar aos projetos legal e executivo; material gráfico (diagramas e esquemas) e desenhos para divulgação. MMBB Arquitetos São Bernardo do Campo, 2013 / 2014 REFORMA E AMPLIAÇÃO DA BIBLIOTECA MONTEIRO LOBATO Levantamentos a campo; estudos volumétricos; Participação em todas as etapas de projeto, desde o estudo preliminar aos projetos legal e executivo; material gráfico (diagramas e esquemas) e desenhos para divulgação. MMBB Arquitetos São Bernardo do Campo, 2013 / 2014 ARCO TIETÊ Levantamentos a campo; elaboração de mapas; estudos volumétricos e urbanísticos; material gráfico (diagramas e esquemas) MMBB Arquitetos São Paulo, 2013 / 2014

LUCAS LIMA VIEIRA PORTFÓLIO

TRABALHOS PROFISSIONAIS 1/2


CENTRO CULTURAL ELIS REGINA SÃO BERNARDO DO CAMPO

PROJETO URBANO CÓRREGO DO ANTONICO PARAISÓPOLIS, SÃO PAULO.

CONJUNTO HABITACIONAL JARDIM EDITE SÃO PAULO

BIBLIOTECA ITA SÃO JOSÉ DOS CAMPOS

BIBLIOTECA MONTEIRO LOBATO SÃO BERNARDO DO CAMPO

LUCAS LIMA VIEIRA PORTFÓLIO

TRABALHOS PROFISSIONAIS 2/2


CENTRO CÍVICO DE SINOP DA ANÁLISE REGIONAL E URBANA AO PROJETO DO EDIFÍCIO, SINOP, MT, BRASIL MEMORIAL DESCRITIVO Este Trabalho Final de Graduação objetiva o projeto da prefeitura (paço municipal) de Sinop – MT e a proposição de diretrizes relativas à sua inserção no tecido urbano, conformando o centro cívico1 da cidade. A escolha por desenvolver o projeto em uma cidade do centro-oeste brasileiro, pouco comum aos Trabalhos Finais de Graduação produzidos na FAUUSP, dá a possibilidade de atuar, enquanto arquiteto e planejador, em um cenário bastante distinto daquele presente nos grandes centros urbanos do sul e sudeste. Esta decisão não foi tomada somente em prol de um ineditismo e possibilidade de trazer à faculdade a discussão de uma realidade distinta. Foi construída em um primeiro momento, devido a relação afetiva que tenho com Sinop, uma vez que é o lugar onde meu pai reside há cinco anos e que tenho visitado semestralmente. Desde então, sua posição face ao contexto socioeconômico brasileiro, marcado pela forte presença do agronegócio, suscitou provocações e reflexões relativas ao modo de como ocupamos o território que motivaram este trabalho. O agronegócio, em especial sua parcela relativa à produção da soja, atividade econômica predominante na região, dá um caráter específico à apropriação territorial, trazendo perversas implicações nos âmbitos social e ambiental à área, esta contida nos domínios da Amazônia Legal. Trata-se de um contexto no qual o rural cada vez menos é tido como espaço residual e estabelece com o urbano uma relação de mútua dependência. Diante dessa particularidade, configurouse um desafio ao projeto, bem como ao modo como este se relaciona com a cidade, uma vez que inexoravelmente devem ser sensíveis a essa realidade. Para o desenvolvimento dessa questão, foi imprescindível entender, ainda que de modo sucinto, os aspectos que conformam a espacialização da cadeia produtiva da soja e suas consequências para com o meio ambiente e às comunidades tradicionais que historicamente ocupam a região; conhecer os reflexos da organização espacial na macroescala sobre a escala urbana, sua dinâmica e os agentes que participam efetivamente da construção da cidade, em um quadro no qual a esfera pública está enfraquecida no que tange os processos de ocupação do território; compreender que tais processos ocorrem quase que exclusivamente orientados por interesses econômicos de grupos e/ou indivíduos seletos, resultando em ocupações que não priorizam a qualidade espacial e aspectos sociais e ambientais, em prejuízo do interesse coletivo. TRABALHO INDIVIDUAL Trabalho final de graduação defendido em janeiro/2015.

1 região político-administrativa; concentração de edifícios de entidades político-administrativas e culturais.

LUCAS LIMA VIEIRA PORTFOLIO PORTFÓLIO

CENTRO CÍVICO DE SINOP 1/2


PLANTA SUBSOLO

PLANTA IMPLANTAÇÃO

CORTES TRANSVERSAIS

CORTES LONGITUDINAIS

LUCAS LIMA VIEIRA PORTFÓLIO

CENTRO CÍVICO DE SINOP 2/2


MIDIATECA PÚBLICA CARAPICUÍBA, SP, BRASIL MEMORIAL DESCRITIVO Em uma região de intenso fluxo de pedestres e automóveis, uma vez que está localizada ao lado do principal terminal de ônibus e a estação de trem que liga Carapicuíba as demais cidades da região metropolitana, o projeto visa agir como um núcleo de interação social e de estruturação urbana. O edifício faz, a partir de sua passarela, a conexão entre o principal núcleo comercial de cidade, equipamentos de transporte, educação e lazer, integrando-se ao percurso de grande parte dos cidadãos da cidade e também como transposição a grandes obstáculos urbanos para os pedestres, como a Avenida dos Autonomistas e a linha do trem. A diminuição do impacto ao meio ambiente foi estudada visando o aproveitamento máximo dos recursos naturais, a iluminação e ventilação natural para o desenvolvimento das atividades, a captação e reuso de água, a geração de energia a partir de células fotovoltaicas na cobertura e um sistema de fachada dupla. O projeto é estruturado a partir da conexão e da fluidez dos ambientes, a permeabilidade visual facilita ao usuário se localizar no espaço independentemente do piso em que ele esteja, e as escadas rolantes facilitam a circulação. Os programas, apesar de conectados conseguem funcionar independentemente, os caixilhos no saguão central podem evitar o acesso a biblioteca midiateca sem impedir a circulação nas passarelas, assim como a abertura do auditório para praça faz com que ele possa também funcionar sem interferir no andamento normal do edifício. PRÊMIOS 1ºlugar em concurso nacional para estudantes de arquitetura para o projeto de uma midiateca pública. Concurso organizado pela Confederação Brasileira da Construção em Aço - CBCA. Rio de Janeiro, Brasil, 2013. 2ºlugar em concurso internacional para estudantes de arquitetura para o projeto de uma midiateca pública. Concurso organizado pela Associação Latinoamerica do Aço - ALACERO. Lima, Peru, 2013. EQUIPE Lucas Lima Vieira Ana Carolina F. Mamede Kim de Paula Rafael Elias A. Monteiro 2013, 10º Semestre da graduação

LUCAS LIMA VIEIRA PORTFOLIO PORTFÓLIO

MIDIATECA PÚBLICA 1/2


CORTE TRANSVERSAL

PLANTAS SUBSOLO, TÉRREO, 1º, 2º, 3º E 6º PAVIMENTOS

LUCAS LIMA VIEIRA PORTFÓLIO

0

10

30

MIDIATECA PÚBLICA 2/2


ANEXO DA CASA DO BANDEIRANTE BUTANTÃ, SÃO PAULO, SP, BRASIL MEMORIAL DESCRITIVO O programa para o projeto em questão propunha um edifício anexo configurando um museu do bandeirantismo paulista e que também serviria de apoio às excursões à Casa do Bandeirante, construção tombada pelo patrimônio histórico. Para tal intervenção, pensou-se na clara distinção do que é antigo em relação ao novo edifício novo. Além disso, o novo edifício se constitui enterrado aproveitandose do declive no terreno, criando um grande platô frente à construção antiga e não competindo com o volume da casa. Elemento peculiar no projeto, a torre atua no sentido de criar uma maior relação da Casa do Bandeirante com a cidade, atuando com um marco, pontuando aquele espaço na malha urbana. Além de marcar a localização da construção histórica, sendo vista a grandes distâncias, pode-se dela observar São Paulo, cidade cujo desenvolvimento está atrelado ao bandeirantismo. TRABALHO INDIVIDUAL 2009, 2º semestre da graduação

LUCAS LIMA VIEIRA PORTFÓLIO

ANEXO DA CASA DO BANDEIRANTE 1/2


PLANTA IMPLANTAÇÃO 1:1000

CORTE LONGITUDINAL 1:1000 LUCAS LIMA VIEIRA PORTFÓLIO

CORTE TRANSVERSAL 1:500 ANEXO DA CASA DO BANDEIRANTE 2/2


PRAÇA DO MÊTRO TERMINAL DE ÔNIBUS E BICICLETÁRIO, BUTANTÃ, SÃO PAULO, SP, BRASIL MEMORIAL DESCRITIVO O partido inicial do projeto visou promover um eixo bem definido de circulação para pedestres entre praça em questão, a qual abrigará o edifício do metrô, o bicicletário, o terminal de ônibus e os módulos comerciais, e a praça de equipamentos, localizada na quadra vizinha, promovendo uma forte relação de interação entre estes dois espaços. Pensou-se a promoção de um ambiente aberto, contrastando com a verticalização que muito provavelmente virá a acontecer devido à implantação do metrô, de modo a destacar a horizontalidade da praça. Para isso, criou-se um grande plano inclinado. Para integrar todo o programa de necessidades, foi criado um subsolo que abriga os módulos comerciais, o bicicletário, os vestiários, atuando como um elo entre o bicicletário, o metrô, o terminal urbano, a ciclovia e a praça de equipamentos, situada no quarteirão vizinho. Quanto ao terminal de ônibus, foi decidido mantê-lo próximo à rua MMDC, onde há pouco uxo de carros. Optou-se ainda por colocá-lo em uma posição discreta para quem vivencia a praça por meio do plano inclinado, que o protege, ocultando-o à vista da Avenida Vital Brasil. PUBLICAÇÕES Projeto publicado na Architectural Review, edição de março de 2012, por indicação do Prof. Dr. Milton Braga. EQUIPE Lucas Lima Vieira Bruno Eduardo Satin Denis Giannelli Lucas Roca dos Santos Rafael E. Abifadel Monteiro 2010, 3º semestre

LUCAS LIMA VIEIRA PORTFÓLIO

PRAÇA DO METRÔ 1/2


PLANTA PLANO INCLINADO 1:2000

PLANTA PLANO TÉRREO 1:2000

PLANTA SUBSOLO 1:2000

CORTE TRANSVERSAL 1:2000

CORTE LONGITUDINAL 1:2000 LUCAS LIMA VIEIRA PORTFÓLIO

PRAÇA DO METRÔ 2/2


MUSEU HISTÓRICO NACIONAL JAVA EILAND, AMSTERDÃ, HOLANDA MEMORIAL DESCRITIVO Este projeto para o Museu Histórico Nacional da Holanda consiste em um edifício temporário cuja permanência na Java Eiland fora estipulada entre 5 a 10 anos. Destacando-se por proporcionar uma vista geral da cidade de Amsterdã, a área de projeto, em uma das extremidades da ilha, é notadamente conhecida por receber eventos temporários, como feiras, circos, shows e manifestações políticas. Ao se estabelecer como uma continuação da topografia do sítio, a cobertura do edifício garante que os mais diversos usos temporários continuem a acontecer nessa parte da ilha. A temporalidade ganha papel importantíssimo na concepção do museu, existindo uma escala gradativa para tal. A base da ilha (para sempre) como elemento permanente, o piso térreo para receber as exposições semipermanentes, presentes durante a existência do mesmo (5 a 10 anos), o 1º andar para as exposições efêmeras (de 1 a 3 meses) e a cobertura para os eventos temporários de 1 a 7 dias, eventos os quais a ilha está acostumada a receber. Os métodos construtivos e os materiais utilizados estão alinhados com o caráter temporário do museu. Toda estrutura é constituída em elementos pré-fabricados em aço. Para a vedação e isolamento , foram especificados placas de policarbonato e paredes em gabião. Na cobertura, as placas de steelcom (concreto pré-fabricado_ são associadas a uma camada de cascalho, permitindo seu aproveitamento com o fim do museu. TRABALHO INDIVIDUAL Trabalho desenvolvido no 8º semestre da graduação durante período de intercâmbio junto à Delft University of Technology em Delft, Holanda. 2012, 8º semestre da graduação

LUCAS LIMA VIEIRA PORTFÓLIO

MUSEU HISTÓRICO NACIONAL 1/2


PLANTA TÉRREO 1:1000

PLANTA 1º ANDAR 1:1000

CORTE TRANSVERSAL 1:500 LUCAS LIMA VIEIRA PORTFÓLIO

DETALHE GABIÃO E COBERTURA 1:50 MUSEU HISTÓRICO NACIONAL 2/2


SESC + ETEC CENTRO EDUCACIONAL, ESPORTIVO E CULTURAL, SUZANO, SP, BRASIL MEMORIAL DESCRITIVO O projeto do SESC + ETEC, um centro educacional, esportivo e cultural, foi pensando para ser implantado em uma nova área decorrente do Anel Hidroviário Mitropolitano, sendo seu principal objetivo, a qualificação da mesma. O edifício foi concebido como um grande pavilhão. As atividades esportivas foram concentradas no piso térreo, o programa cultural no primeiro andar (mezanino) e a escola técnica, elemento educacional do programa, no volume vertical. A característica mais marcante deste projeto é sua estrutura. O grande pavilhão é sustentado apenas por 8 pilares. Sobre estes, duas grandes treliças longitudinais são apoiadas, que por sua vez recebem a carga das treliças menores transversais. O primeiro andar, cultural foi suspenso por tirantes ligados às treliças menores. O volume educacional, por sua vez, apresenta estrutura independente do pavilhão. EQUIPE Lucas Lima Vieira Lucas Roca Luiza Rigollizzo 2012, 7º semestre da graduação

LUCAS LIMA VIEIRA PORTFÓLIO

SESC + ETEC 1/2


CORTE LONGITUDINAL 1:1000

CORTE TRANSVERSAL 1:1000

PLANTA SUBSOLO 1:2000

PLANTA MEZANINO 1:2000

PLANTA TÉRREO 1:2000

PLANTA ETEC 1:2000

LUCAS LIMA VIEIRA PORTFÓLIO

SESC + ETEC 2/2


HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL PARAISÓPOLIS, SÃO PAULO, BRASIL MEMORIAL DESCRITIVO Visando atender o programa de unidades habitacionais e um equipamento público para a comunidade local, todo o edifício foi pensado para ter uma construção limpa, concebida industrialmente, de forma que todos elementos estruturais utilizados são pré-fabricados. Quando montada, sua estrutura configura um exoesqueleto permitindo a existência de uma laje livre de pilares e com vigas apenas em suas extremidades. Dessa forma, a disposição interna ganha uma valiosa versatilidade. As vigas correm no sentido longitudinal, com exceção das vigas apoiadas nas extremidades superiores dos pilares, que para garantir o travamento da estrutura, são dispostas transversalmente. Esse Sistema estrutural confere ao edifício uma atmosfera de leveza, fundamentada na sensação de suspensão do mesmo. Sob o aspecto de sua implantação, procurou-se garantir a sala e aos dormitórios a vista para o córrego revitalizado e para a rua principal. Procedendo assim, foi proporcionado para tais cômodos uma incidência solar privilegiada (face norte). Sua volumetria laminar se imporia como opressora em relação às construções vizinhas, constituindo uma barreira física e visual. Pensando nisso, os núcleos de circulação vertical foram elaborados para servir como um respiro, uma quebra na continuidade da lâmina. Reforçando esse intuito, como complemento o programa do equipamento público, foi criado um terraço possibilitando uma grande abertura no volume do edifício. Com esse pensamento, surge uma situação de maior Permeabilidade para com o entorno em questão. TRABALHO INDIVIDUAL 2011, 6º semestre da graduação.

LUCAS LIMA VIEIRA PORTFÓLIO

HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL PARAISÓPOLIS 1/2


ELEVAÇÃO VISTA FRONTAL 1:400

PLANTA IMPLANTAÇÃO 1:2000

PLANTA TÉRREO 1:400

PLANTA 1º E 2º ANDAR 1:400

PLANTA 3º E 4º ANDAR 1:400 CORTE TRANSVERSAL A 1:400 LUCAS LIMA VIEIRA PORTFÓLIO

CORTE TRANSVERSAL B 1:400 HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL PARAISÓPOLIS 2/2


HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL REPRESA BILLINGS, SÃO PAULO, BRASIL MEMORIAL DESCRITIVO As unidades habitacionais estão agrupadas em 3 blocos, cada um deles composto por 2 torres. Há 3 tipos de planta padrão: 1 dormitórios, adequado para orientação norte, com 42m²; 2 dormitórios, adequado para orientação norte, com 51m²; 3 dormitórios, adequado para orientação oeste, com 60m²; A torre de circulação vertical (escadas e elevadores) é compartilhada entre as 2 torres de cada bloco. A circulação e o acesso às unidades são externos com a finalidade de conferir transparência e vigilância às mesmas. No piso térreo, as torres são elevadas por pilares para conferir maior mobilidade e. No subsolo, há estabelecimentos de comércio semienterrados, que se revelam à medida que se percorre o desnível do terreno. EQUIPE Lucas Lima Vieira Rafael E. Abifadel Monteiro Ronaldo Gonçalves 2011, 5º semestre da graduação

LUCAS LIMA VIEIRA PORTFÓLIO

HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL BILLINGS 1/2


CORTE LONGITUDINAL 1:500

CORTE LONGITUDINAL 1:500

LUCAS LIMA VIEIRA PORTFÓLIO

PLANTA PAVIMENTO TIPO 1:400

HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL BILLINGS 2/2


Portfolio