Page 1


MAIS 2014 NOVIDADES !

QUADROS WNY - Aluminium

Imagens meramente ilustrativas

Novas Geometrias e Visuais Renovados!

Modelo GOLD LINE / TWISTER

Modelo SILVER TRACK

Centro: 34,7mm Direção: Mega Over 44 Canote: 26.8mm Freio: A Disco - V-Brake Ponteira/Gancheira: Forjada Material: Alumínio 6061-T6

Centro: 34,7mm Direção: Over 34 Canote: 26.8mm Freio: A Disco - V-Brake Material: Alumínio 6061-T6


NOVOS ADESIVOS!

QUADROS WENDY - Aรงo

Visuais renovados com personagens!

Novo Quadro! Giovanna Vampesi

sowagencia.com.br

www.facebook.com/giovannavampesi.fcgv

COM S! N E G A N PERSO

d Visite nosso Stan a in qu Rua 01 ( es com rua H ) 62A

www.wendybike.com.br

Fera em qualidade


Conteúdo FEIRA

36

Salão 2 Rodas Bicicletas: só na Ilha motocyclomagazine ou importadas

ASSOCIAÇÃO Ciclo ativista Arturo Alcorta, assume a presidência da UCB (União dos Ciclistas Brasileiros)

20 MERCHANDISING

24

GENTE

31

De olho no futuro. Distribuidor fluminense mira mercado nacional

Atleta de BMX dispensa técnico

SEÇÕES

Editorial 10 Nacionais 28

Correio 12 Internacionais 44

Notas 16 Artigo 48


Editorial

Diretoria Osmar Silva José Haroldo G. Santos

Luanda

Edição 190 - Outubro 2013

Editor Osmar Silva osmar@luanda.com.br

Diretor José Haroldo G. Santos haroldo@luanda.com.br

Redação Hylario Guerrero (MTB 13468) hg.noticia@luanda.com.br Joelma Farias (Estágiaria) redacao@luanda.com.br Arte e Diagramação Bruno R. Mello dos Santos Diego Igor de Oliveira midia@luanda.com.br arte@luanda.com.br Publicidade: Luanda Brasil Serviços de publicidade Ana Paula Lima José Ricardo Gomes Raphael Garcia vendas@luanda.com.br Administração Juici Monteiro Fernanda Oliveira Jhonnatan André luanda@luanda.com.br

Jurídico Dra. Adriana Carla Gomes P. Silva Assessoria gráfica Pavagraph Impressão Northgraph

O

mercado brasileiro de bikes foi sacudido com uma imprevisível situação de falta de pedivelas, o que alterou para menor o número de bicicletas montadas e colocadas à venda neste segundo semestre. A maioria das pequenas montadoras regionais ficou impossibilitada de novamente, como de costume em todos os anos, colocar os seus produtos para abastecer os seus clientes. Papelarias, Lojas de brinquedos, Lojas de móveis, Lojas de materiais de construção e outras tantas atividades que aproveitam as datas promocionais de final de ano para oferecer bicicletas, muito provavelmente, não receberam e não irão ter a quantidade necessária para atender a demanda. Perderam todos. Raras são as exceções que conseguiram superar este entrave que sem dúvida irá fazer a diferença no resultado final do faturamento no período. As bikes ainda são sonho e desejo de muita gente, crianças e adultos. Sofrem os fabricantes, montadores, lojistas e os consumidores. Como consequência previsível, o produto deverá estar onerado em relação aos seus custos habituais. Quem tinha alguma coisa em estoque lucrou. Mas cremos foram poucos. Os importadores ainda tentaram minimizar as consequências importando de última hora quantidades possíveis dentre as ofertas de produtores asiáticos, mas os preços foram à estratosfera. O tempo também foi um componente a mais nas dificuldades. O prazo otimista entre a solicitação do produto, produção, envio, recebimento em nossos sempre lotados portos, não é dos melhores para atender as necessidades. Deve-se, no entanto, elogiar a pronta atitude dos empresários importadores que tiveram a sensibilidade ao analisar a situação e de pronto procurar alternativas para solução. Chegaram inclusive de através de sua entidade representativa a procurar as autoridades responsáveis na intenção de quebrar o dumping ao qual está submetido o item, para assim conseguir preços de venda mais acessíveis ao mercado. Fica o exemplo para futuras análises quanto à produção e comercialização de outros itens da bike, pois ainda existem outros itens cuja fabricação oferece poucas opções. Caso ocorra algum imprevisto em um deles, o quadro poderá repetir-se. Defender, preservar a indústria nacional é uma necessidade. Existem fatores que tornam quase impossível a concorrência com os similares importados, mas manter protegidos raros fabricantes também é temerário. Talvez, o ideal seria desonerar tributariamente os itens da bike e incentivar a criação de novos e competentes fabricantes para concorrer livremente no mercado, juntos nacionais e importados, como já acontecem com vários produtos destinados às bicicletas. O consumidor teria mais opções e não correríamos o risco da falta deste ou outros produtos no futuro. Todos nós

R. Joaquim de Almeida Moraes, 273 Jd. Magali - CEP 02844-000 - São Paulo/SP Tel.: + 55 (11) 3461 8400 / 3461 8401 Fax: + 55 (11) 3923 5374

A cyclomagazine aceita matérias técnicas como colaboração. Os artigos deverão vir acompanhados de fotos ilustrativas com as respectivas legendas e curriculum do autor. A revista não se reponsabiliza por opiniões e artigos assinados que podem ou não expressar a mesma opinião do editor. As opiniões emitidas em artigos assinados são de responsabilidade do autor. A revista não se responsabiliza pelo conteúdo dos anúncios veiculados, nem por aquisições em função destes. Todos os direitos reservados, sendo proibida a reprodução total ou parcial, por qualquer meio, sob pena de procedimentos legais. A revista cyclomagazine é uma publicação mensal da Luanda Editores Associados LTDA., e tem sua marca registrada no INPI sob o número 820.332.593

Foto capa: Arquivo Luanda


Correio

Siga cyclomagazine

Interaja com a redação

Aplicativo "Luanda Editores" Email: redacao@luanda.com.br Site: www.luanda.com.br

Endereço: R. Joaquim de Almeida Morais, 273 - CEP: 02844-040, São Paulo - SP

Especial // Nordeste

Texto: Osmar Silva, Hylário Guerrero e Joelma Farias Fotos: Equipe Luanda

As lojas da região Nordeste vivem momento contraditório no desempenho de vendas. A seca atingiu fortemente as cidades e principalmente as zonas rurais, causando perda de colheita e morte de animais e, consequentemente, a renda dos produtores que ficaram desprovidos de recursos para aplicar na compra não só das bikesainda o veiculo de transporte mais intensamente utilizado por aquelas paragens, mesmo sofrendo a concorrência forte da motocicleta de baixa cilindrada- mas de todo e qualquer bem de consumo e dos alimentos necessários à sua sobrevivência. Assim, o comercio de maneira geral, sentiu o declínio no consumo por conta desta situação climática. Ainda assim, lutador como poucos, o nordestino deu sequencia as suas atividades em busca de superação das dificuldades que o atinge com frequência. Sem reclamações, como se estivessem habituados nesta constante inclemência, como se fossem criando antídotos para o mal da natureza que os atinge. Há muitos

casos de sucesso neste quadro que a principio se mostra devastador. Nós pudemos constatar esta realidade, visitando os estados da Bahia, Sergipe,Alagoas,Pernambuco, Paraíba, Rio Grande do Norte e Ceará. Dialogando com os empreendedores que se mostraram otimistas, contando as mudanças de hábitos de consumo de bikes, suas peças e acessórios. São histórias de famílias que se dedicam ao segmento, sendo que muitas, passando por gerações. A maioria, iniciou as atividades como pequenas bicicletarias e foram evoluindo, modernizando seus estabelecimentos e organizando filiais. Prosperaram, conquistaram espaço e credibilidade. Estiveram no tempo das ‘Barras Forte e Circular’, que ainda vendem, têm os seus admiradores contumazes. As ‘encarnadas’ carinhosamente apelidadas. Hoje, estão acontecendo migrações para os produtos mais modernos, com maior tecnologia embarcada. São as bicicletas produzidas fora do País ou com peças e acessórios importados e montadas em mescla com outros itens nacionais, mas com incontestável

qualidade. Antes, passaram pela época dos modelos ‘mountain bikes’ quase que totalmente produzidas por industrias e montadoras nacionais. O quesito de maior exigência neste período eram os preços. Quase sempre inexplicavelmente baixos. Nestes casos, de qualidade idem. Não poderia ser diferente. Como exigir qualidade superior a custos ínfimos. Felizmente, este tempo passou. É outra a realidade de consumo. O nordestino teve acesso a mais renda com a estabilidade econômica e os planos sociais implementados pelos governos. Isto possibilitou que passasse a exigir mais dos produtos que lhes são ofertados.É o momento das Specializeds, Bianchis, Shimanos e, outras marcas internacionais de maior ou igual peso. As nacionais, acompanham. O mercado nordestino, mesmo com a seca, está pulsando, intenso, forte. Está vivo. Na sequencia, declarações de lojistas e distribuidores com os quais estivemos nesta viagem de reconhecimento.

ESPECIAL NORDESTE

Sobre a matéria da revista, vocês cometeram um grave equívoco sobre quantos anos estamos no mercado. A empresa CICLO PEÇAS RR atua há 21 anos e RR IMPORTAÇÃO há 1 ano e 6 meses, sendo que na revista foi anunciado 01 ano e seis meses para as duas empresas. Rogério Feitosa Aracaju-SE

Resp.: Desculpe a nossa falha na informação.

VOLTA AO MUNDO DE BIKE

Tenho 37 anos e estou neste momento no meio do Camboja, empenhado numa viagem de volta ao mundo de bike, que iniciei há cinco meses. Estou rumando para a China e para o topo do mundo, no Tibete. Sou ciclista desde que me conheço por gente e praticante esportes de aventura ha uns 20 anos, principalmente escalada, montanhismo, mountain bike e mergulho. Sou formado em ecologia e tenho mantido um blog e um site com noticias da viagem e que gostaria de poder divulgar no site da Cyclomagazine. Acredito que não tenham muitos brasileiros numa viagem destas neste momento, pois foram poucos os que se aventuraram. Nicholas Allain Saraiva

DE VOLTA PARA CASA

Dos países que conheci na volta ao mundo, a Índia foi um dos mais marcantes. Finalmente,

12 cyclomagazine

após dezenove anos, consegui voltar. Muita coisa mudou, mas o fascínio que tenho por este região tão especial permanece. Depois de três meses pedalando, voltamos ao Brasil e até agora ainda tentamos “digerir” esta viagem. É como ter vivido por um tempo em outro mundo, regido por regras diferentes das nossas. Tudo é bagunçado, mas tudo funciona com uma lógica peculiar, quase não dá para acreditar. O país mais populoso do mundo é uma democracia e em nossas pedaladas por Ladakh acampamos em perfeita liberdade mesmo estando na fronteira com inimigos históricos como China e Paquistão. A Rafa postou um mapa do circuito com algumas fotos. Se acompanharem a página, verão que cada foto irá se transformar em um capítulo de uma série, com as melhores imagens de cada região assinalada no mapa. Espero que gostem: www.olinto.com.br. Estaremos em São Paulo de 07 a 10 de novembro participando da “Brasil Cycle Fair”. Antonio Olinto Ferreira e Rafa

Resp.: Consideramos vocês como verdadeiros heróis. Ter a coragem e competência para realizar estes feitos. Nossas páginas, impressas ou virtuais, estarão sempre à disposição para divulga-los.

ENCONTRO CYCLOMAGAZINE 2014

Gostaria de saber informações sobre o evento de Rio das Ostras, no Rio de Janeiro, em fevereiro de 2014. Rodrigo Celestino Ligiéro Central Cicle Bike&Moto Espírito Santo

Resp.: No site www.luanda.com.br estão elencadas todas as informações sobre o evento. Inclusive, o espaço para inscrição como visitante.

AINDA SOBRE A METALURGICA DUQUE

Isso é um absurdo. A indústria nacional já vem de mal a pior nos últimos 20 anos. Cada vez com números mais ridículos, ano após ano. Agora, para tampar o caixão com uma lápide muito pesada, a Duque que durante décadas foi sinônimo de força e pujança da indústria nacional de bicipeças, vem com essa situação inexplicável. Não vejo como uma empresa única e com um produto com anti-dunping pode chegar a esse ponto. Estou totalmente perplexo e muito chateado com toda essa situação. Temos sido muito prejudicados pela falta de pedivelas no mercado. O pouco que se consegue vender, ainda é minorado por esta situação. Sinceramente, não dá mais para se assustar com mais nada. Vamos em frente. Deusdedit Cleto Filho Diretor Comercial JKS Guarulhos-SP

Resp.: Esperamos que este importante produtor de bicipeças possa voltar às suas atividades normais. O contrário seria desastroso para o mercado. Gostaria de saber se a Duque irá voltar ao normal ou não? Franklin Moreira Bicicletas Cyclone

Resp.: Nós ainda não tivemos nenhuma informação oficial sobre os rumos futuros da Duque. Existem na verdade, muitos burburinhos que não podemos levar em consideração.


Correio Interaja com a redação

Siga cyclomagazine

CONVITE INTERNACIONAL

Montante Cicli tem o prazer de convidá-lo a visitar-nos no estande 4E150 em ExpoBici Padova, de 21 a 23 de setembro de 2013. Será mostrado o novo Montante Block-on: o sistema sela prova de roubo. Montante Cicli team

Resp.: Lamentamos não ter sido possível estarmos presentes ao evento nesta oportunidade. No entanto, colocamos as nossas páginas à disposição para a divulgação do lançamento.

Aplicativo Luanda Editores

Gostaria de apresentar a Cyclelab Brasil, uma nova empresa para o mercado da bicicleta. Nascemos de uma parceria com a Cyclelab, uma franqueadora Francesa de lojas de bicicletas há mais de 15 anos no mercado, a qual podemos considerar a principal varejista especializada em bicicletas no mundo. Uma apresentação inicial. Estaremos presentes na Brasil Cycle Fair. Fernando Araújo Cyclelab Brasil Rio de Janeiro-RJ

Resp.: Sejam bem vindos e sorte, muita sorte nos negócios.

ILHA CYCLO E MOTOMAGAZINE

Nota 10 pela iniciativa. Parabéns! Jeferson Friche São Paulo-SP

Visitei as empresas que estavam expondo no espaço da ilha. Achei uma ideia excelente. Parabéns para vocês, foi um sucesso. Vocês estão cada vez melhores! José Soares Amorim Amorim Representações Teresina-PI

Resp.: Faremos o possível para visitá-los e conhecer os produtos frutos desta nova parceria.

08 cyclomagazine

Resp.: Agradecemos os elogios. Vamos continuar oferecendo oportunidades como esta aos nossos parceiros.


Notas Anúncio de recall A Nathor anunciou o recall dos modelos fabricados em 2011 Flower Aro 12" e Top Girls Aro 16" por freios desregulados e deformação acima do previsto dos estabilizadores. No total, 13.637 peças apresentaram defeito; 10.090 do Flower e 3.547 do Top Girls. De acordo com a companhia, a deformação dos estabilizadores pode prejudicar o equilíbrio, e a falta de regulagem dos freios dificulta o processo de frenagem. As falhas no modelo Flower aro 12 foram constatadas nos números de série que vão de 652.544 a 683.277. Já os modelos Top Girls aro 16, entre 609.817 e 616.457. Site oficial www.nathor.com.br

Praticidade para guardar bicicletas A 11 metros de profundidade, uma estrutura construída em apenas dois meses guarda as mais de 200 vagas. A etiqueta eletrônica perto da roda comprova o pagamento do mês, que acontece no quiosque, o equivalente a R$ 40. É só encostar na entrada que um leitor eletrônico reconhece a bicicleta. Em oito segundos,

16 cyclomagazine

um mergulho guiado pelo bra- do projeto foi realizada na Assoço mecânico que encontra uma ciação Comercial de Ubatuba. vaga e volta rapidamente para o alto. Da parte de baixo é possível ver como o sistema funciona, em uma mistura de velocidade e delicadeza de pegar a bicicleta e levá-la de volta a superfície. Na hora de ir embora, é só encostar o cartão magnético na máquina. O sistema recebe qualquer bicicleta, até as elétricas.

Projeto GP Ubatuba de Ciclismo A cidade de Ubatuba, cidade a 250 km da capital São Paulo, promoveu o Projeto GP Ubatuba de Ciclismo 2014. Com o objetivo de estimular o turismo esportivo como melhor alternativa para fomentar a taxa de ocupação na baixa temporada. A apresentação

Exposição de bikes recicladas O Paço Alfândega, bairro do Recife, PE, promoveu a exposição de bicicletas customizadas. A iniciativa faz parte do projeto Reciclo Bikes, realizado por uma empresa especializada na criação de acessórios personalizados e na transformação, reforma e reciclagem de bicicletas. Os vi-

sitantes conheceram a Biketeca, uma biblioteca itinerante que expõe, empresta e recebe doações de livros infantis. O evento proporcionou aos visitantes a oportunidade de observar várias magrelas renovadas, além de conhecer diferentes personalizações de bikes.

Seguro para bikes de competição A Argo Brasil e corretora de seguros Better, estão lançando o Bike Security, seguro total para bikes esportivas e de competição. O produto é uma inovação no mercado, possibilitando que atletas e bikers invistam na segurança de suas magrelas. O Bike Security cobre roubo e furto qualificado; acidentes, e danos materiais, morais e corporais contra terceiros.


Nova marca no mercado nacional

Projeto visa praticidade para guardar bicicletas Os alunos do Instituto Mauá de Tecnologia, Enrico da Silva, Renata Stanquini e Rodrigo Araújo, orientados pela professora Ana Paula Scabello Mello, apresentaram, dentro do Projeto Eureka 2013, a Biciclift. Trata-se de su-

Chega ao mercado brasileiro a Groove Bikes, marca 100% nacional que nasceu da paixão pelas bicicletas dos empresários Caio Salerno e Sérgio Gallo, fundadores da marca Soul Cycles, e Tito Caloi e Remy Silva, através da Cairu, localizada no estado de São Paulo.

Para dar corpo à nova marca, os empresários se beneficiaram da estrutura operacional desenvolvida para a Tito Bikes. Como estratégia e visão de longo prazo, a marca oferece produtos de qualidade para o mercado especializado e consumidores exigentes. A

porte coletivo para armazenar bicicletas e que pode ser utilizado em centros de grandes cidades, locais próximos a terminais de transporte coletivo, condomínios residenciais, instituições públicas e privadas. Mesmo sendo uma boa solução para a mobilidade urbana, a Biciclift ainda não está disponível no mercado.

fabricadas em outubro de 2011 com número de chassi final "SJ". Os proprietários devem entrar em contato com a empresa para que possam ter as rodas de apoio substituídas. A empresa recomenda a suspensão de uso até que isso ocorra. Site www.caloi.com.br

Recall de quase 4.000 bicicletas infantis

Projeto de lei institui a Campanha “Ciclista Legal” em Sorocaba

Uma falha nas rodas de apoio da bicicleta infantil Cecizinha Aro 12 levou a Caloi a convocar recall das unidades fabricadas no mês de outubro de 2011. Segundo a fabricante, as rodas apresentaram problemas de resistência que pode afetar o equilíbrio das crianças que usarem a bicicleta. O chamado envolve 3.941 unidades

A cidade de Sorocaba, a 83km de São Paulo, poderá contar com uma campanha permanente de educação no trânsito intitulada “Ciclista Legal”. É o que prevê projeto de lei do vereador Marinho Marte, protocolado na Câmara Municipal, que tem como objetivo reduzir o número de acidentes envolvendo ciclistas na cidade. A

empresa já nasce alinhada com o mercado internacional, tendo como fornecedores Shimano, Rock Shox e SR, e afirma estar pronta para atender as novas normas do setor de bicicletas e Inmetro. As vendas estão previstas para o começo de 2014.

campanha deverá conscientizar os ciclistas sobre a necessidade do uso de equipamentos de segurança, devidamente aprovados pelo Inmetro, para a prática de ciclismo. De acordo com o projeto, a campanha poderá ser desenvolvida mediante a distribuição de material gráfico e a colocação de placas nas ciclovias, entre outras formas de comunicação.

cyclomagazine 17


Notas

Cinema ao ar livre e passeio ciclístico

A Marítima Seguros promoveu uma série de eventos gratuitos que aconteceram na capital paulista, c omo parte do Bom Te Ver Bem, conceito adotado pela seguradora para estimular atitudes positivas que propiciem

da programação na cidade que abriga belos circuitos dedicados ao ciclismo. Com duração de sete dias, o encontro foi marcado por pedaladas diárias e passeio de Riccione até San Marino – cerca de 65km de distância, feito por uma antiga ferrovia desativada - e que atualmente é o ponto de partida de ciclistas do mundo inteiro. Foram realizadas palestras sobre a modalidade e passeios turísticos. O encontro marcou a 1º Encontro ação da ENIT - Agência Nacional Italiana de Turismo, que aposta Ítalo-Brasileiro A cidade de Riccione, região de no turismo temático como forma Emilia Romagna na Itália, sediou de impulsionar a ida de brasileiros o “1º Encontro Ítalo-brasileiro para a Itália. de Cicloturismo”. O evento foi organizado pelo Clube de Cicloturismo do Brasil e a Italy Bike Tour, com apoio da ENIT e APT Emilia Romagna. Ao todo, 100 ciclistas brasileiros participaram

18 cyclomagazine

qualidade de vida. Organizados pela ONG Os Bicicreteiros, fizeram parte da programação o Ciclocine (sessões de cinema ao ar livre com energia elétrica gerada por bicicletas) e do Bom Te Ver Bem de Bike – Um novo

olhar sobre a cidade (oficinas sobre escolha, manutenção e uso da bicicleta como meio de transporte urbano), além de passeio ciclístico acompanhado por guia pelo centro histórico de São Paulo. O foco da iniciativa é levar as pessoas a repensar o uso da bicicleta como meio de transporte e contribuir com o aumento da mobilidade urbana, segurança, respeito e consciência no trânsito.

Encerramento da campanha Outubro Rosa

Venda de bicicletas em alta em quase todos os países da Europa

Uma “pedalada” noturna em Ponta Negra, zona oeste de Manaus, AM, percorreu oito quilômetros e encerrou a campanha Outubro Rosa 2013, que incentiva a prevenção do câncer de mama. O evento foi realizado pela Fundação Centro de Controle de Oncologia do Estado do Amazonas (FCecon), órgão vinculado à Secretaria de Estado da Saúde (Susam), em parceria com o grupo Pedala Manaus. A campanha também contou com o incentivo da primeira-dama do Estado e presidente do Fundo de Promoção Social, Nejmi Aziz. A campanha também foi realizada em 32 municípios do interior do Estado.

Uma pesquisa realizada em diferentes locais da Europa comparou o número de vendas de bicicletas em comparação com o número de vendas de carros novos, em 2012. O estudo, divulgado pela organização NPR, mostrou que na maioria dos países — menos em Luxemburgo e Bélgica —, as bikes estão na frente dos automóveis. Na Itália, por exemplo, as vendas de bicicletas superaram as de carros novos pela primeira vez desde a II Guerra Mundial. Em parte, a queda no número de automóveis comercializados pode ser explicada pela recessão que atinge vários países da Europa desde 2008 e diminuiu o poder de compra da população.


Bicicleta Imposto Zero A jornalista Mona Dorf, também biker, comanda debate sobre a Bicicleta Imposto Zero: Como conciliar a política pública de mobilidade com a política econômica? durante a Brasil Cycle Fair, no Expo Center Norte. Promovido pela Abradibi, o encontro é motivado

Projeto visa praticidade para guardar bicicletas Os alunos do Instituto Mauá de Tecnologia, Enrico da Silva, Renata Stanquini e Rodrigo Araújo, orientados pela professora Ana Paula Scabello Mello, apresentaram, dentro do Projeto Eureka 2013, a Biciclift. Trata-se de su-

pela incongruência, detectada pelas entidades que representam o setor, entre a política pública de incentivo à mobilidade e os benefícios tributários à compra da bike. Hoje, a bicicleta brasileira é uma das mais caras do mundo. De acordo com especialistas, entre as

medidas que devem ser tomadas para estimular a maior presença da bike nas grandes cidades estão o investimento na educação dos motoristas, na expansão das ciclovias e na sua integração com os terminais de outros meios de transporte. No debate, que con-

porte coletivo para armazenar bicicletas e que pode ser utilizado em centros de grandes cidades, locais próximos a terminais de transporte coletivo, condomínios residenciais, instituições públicas e privadas. Mesmo sendo uma boa solução para a mobilidade urbana, a Biciclift ainda não está disponível no mercado.

fabricadas em outubro de 2011 com número de chassi final "SJ". Os proprietários devem entrar em contato com a empresa para que possam ter as rodas de apoio substituídas. A empresa recomenda a suspensão de uso até que isso ocorra. Site www.caloi.com.br

Recall de quase 4.000 bicicletas infantis

Projeto de lei institui a Campanha “Ciclista Legal” em Sorocaba

Uma falha nas rodas de apoio da bicicleta infantil Cecizinha Aro 12 levou a Caloi a convocar recall das unidades fabricadas no mês de outubro de 2011. Segundo a fabricante, as rodas apresentaram problemas de resistência que pode afetar o equilíbrio das crianças que usarem a bicicleta. O chamado envolve 3.941 unidades

A cidade de Sorocaba, a 83km de São Paulo, poderá contar com uma campanha permanente de educação no trânsito intitulada “Ciclista Legal”. É o que prevê projeto de lei do vereador Marinho Marte, protocolado na Câmara Municipal, que tem como objetivo reduzir o número de acidentes envolvendo ciclistas na cidade. A

tará com representantes do setor público e privado, também serão discutidos a incentiva projetos de empréstimo de bicicletas em São Paulo e a abertura de ciclovias na cidade, entre outros projetos.

campanha deverá conscientizar os ciclistas sobre a necessidade do uso de equipamentos de segurança, devidamente aprovados pelo Inmetro, para a prática de ciclismo. De acordo com o projeto, a campanha poderá ser desenvolvida mediante a distribuição de material gráfico e a colocação de placas nas ciclovias, entre outras formas de comunicação.

cyclomagazine 19


Associação // UCB

O trabalho de bastidores da União de Ciclistas Brasileiros

Foto: Alberto Gauss

Texto Caroline Paiva Imagens Arquivo Luanda

20 cyclomagazine

Arturo Alcorta recentemente assumiu a presidência da entidade com projetos interessantes para a identificação pelo segmento do trabalho que vem sendo realizado. Saiba como e quem está por trás dos progressos no setor

A melhor central de inteligência do pensamento sobre a bicicleta, do seu uso e do ciclista brasileiro”, assim é a UCB (União de Ciclistas Brasileiros) definida pelo cicloativista e diretor-presidente da instituição, Arturo Alcorta. Criada em 2007, a organização sem fins lucrativos trabalha como uma forma de unir ciclistas e entidades representativas dos ciclistas até mesmo nas regiões mais remotas do País, levando informação e estimulando debates e ações que esclareçam e melhorem as questões relacionadas à bicicleta e a vida do ciclista. “Trata-se de um setor com uma grande necessidade de amadurecimento, principalmente por causa da carga do passado. Organizar qualquer área do segmento de bicicleta, juntar as


Associação // UCB

Arturo Alcorta quando bike-repórter da Rádio Eldorado - SP

pessoas, fazê-las discutir e entender sobre o assunto para chegar a bons resultados não é muito fácil, mas a UCB tem conseguido. O brasileiro, no geral, não tem esse hábito. E essa é a missão da UCB, colocar as pessoas pra pensar. Unir e fazer realizar com qualidade,” explica Arturo enfatizando que muita coisa boa que está acontecendo tem uma pitada das listas de discussões da UCB. Atualmente, prestes a completar 6 anos, a organização sofre com a falta de reconhecimento, a que muitas vezes o trabalho de bastidores, mesmo que bem realizado, está fadado. De acordo com ele, os grupos de discussão na internet, que são o forte da UCB, ajudaram em vários aspectos. Desde o desenvolvimento de sistemas cicloviários viáveis, melhorias em paraciclos e bicicletários, construção de projetos de lei federal, e até mesmo rebatendo besteiras publicadas pela grande imprensa. “Nossa comunicação sobre quem somos e o que fazemos é que é precária”, explica ele. Com tantos assuntos urgentes em pauta, Arturo reconhece que falta tempo para mais divulgação, o que contribui para o ciclo vicioso.

22 cyclomagazine

“...muita coisa boa que está acontecendo tem uma pitada das listas de discussões da UCB.” Arturo Alcorta

“As pessoas não conhecem por isso não se associam e não se associam porque não conhecem. Nós da UCB sabemos de todas as nossas conquistas, mas quem está de fora dificilmente fica sabendo”, lamenta. O trabalho voluntário é outra questão levantada por ele. Pois mesmo com o empenho de pessoas realmente comprometidas com a causa, dificulta a correta comunicação da UCB. “Todos temos um emprego remunerado e fazemos a UCB paralelamente. O ideal, para o qual estamos caminhando, é ter um corpo de funcionários pagos trabalhando integralmente para a UCB”, planeja. “Por isso a adesão de novos membros e outras instituições representativas da classe é muito importante, principalmente para quem se associa”. Mas para a mudança do cenário, muito além da adesão à entidade, a UCB defende que todo o conhecimento sobre bicicletas precisa ser difundido e que as entidades representativas precisam se unir e crescer juntas. “Mais do que a força, a união faz a inteligência. E nada mais forte que a boa inteligência para conquistarmos o que queremos”, finalizou Arturo Alcorta. 


Merchandising // publieditorial

De olho no futuro Distribuidor com vinte anos de atuação no Rio de Janeiro adota ferramentas modernas de comunicação e marketing, visando ampliar seus negócios para além fronteiras do Estado. Além disso, cria diferenciais para manter as parcerias com os seus clientes tradicionais.

Texto e imagens divulgação

24 cyclomagazine

Com quase duas décadas de existência no mercado de bicipeças, a intenção de expandir seus negócios para outros estados brasileiros e o projeto de importação de mercadorias, a Mundo em Duas Rodas é hoje reconhecida como uma das principais distribuidoras do Estado do Rio de Janeiro e, em processo de contínua melhoria. Uma das formas encontradas pela empresa para manter-se no competitivo mercado das bikes foi a busca de parcerias para tornar seu nome cada vez mais presente. A M2R, por exemplo, marca patenteada pela Mundo em Duas Rodas, está chegando ao mercado cheia de gás, e como a propaganda é a alma do negócio, essa logomarca está sendo amplamente divulgada, inclusive em jalecos e outros brindes promocionais distribuídos aos seus clientes. Além disso, existe o plano, que logo será colocado em prática, de montagem de um estande próprio nas próximas feiras para que sua marca se torne cada vez mais reconhecida.

“A economia está caminhando a nosso favor, ajudando a aquecer o mercado de bicicletas. Por outro lado, ainda sentimos os efeitos negativos da Substituição Tributária em nosso ramo. Em tempos de manifestações por todo o país por melhorias na educação, na saúde e na segurança, além do pedido por tarifas de transporte público mais acessíveis, será que não é o momento de também levantarmos a nossa bandeira, nos unirmos e reivindicarmos a diminuição desse imposto que vem sendo o nosso fantasma ao longo dos últimos meses?”, defende Henrique Praia. “Enquanto nenhuma medida é tomada para minimizar esse obstáculo, trabalhar arduamente na busca de soluções ainda é a melhor saída.” Pensando assim, depois da implementação do catálogo e preços digitais, a Mundo em Duas Rodas registrou um considerável aumento no número de vendas. Com o uso dessa ferramenta, inclusive, os pedidos de trocas diminuíram significativamente, já que é possível visualizar


serção do seu nome nas redes sociais. A partir de agora, você acessa o facebook e encontra notícias e variedades sobre o mundo das bikes. Com essa iniciativa, a empresa espera ampliar o contato com seus clientes, além, é claro, de promover o desenvolvimento do mercado de bicicletas. “Estamos investindo maciçamente no aprimoramento do nosso trabalho. Sabemos que temos falhas e um longo caminho ainda a percorrer, mas buscamos sempre a excelência dos nossos serviços”, ressalta Henrique Praia.

melhor os produtos que se deseja adquirir, além da disponibilidade de informações mais detalhadas sobre cada um deles. O site da empresa (www.mundoemduasrodas. com.br) também passa por reformulações para se adaptar às novas exigências do mercado. Com essas mudanças, ficará mais fácil acessar a sua página também através de tablets e mobiles. “O mercado ficou mais exigente e, para nos adaptarmos a essa nova realidade, tomamos algumas medidas emergenciais, como a instalação de uma montadora que adota tecnologia pneumática, mais precisa e eficiente, no lugar da antiga montadora manual que dependia fundamentalmente do trabalho braçal dos nossos técnicos. Investimentos também foram realizados para a garantia de entregas mais rápidas e eficazes: modernizamos a nossa frota que atualmente conta com novos caminhões e carros compatíveis

com o volume dos pedidos, além de melhorarmos o nosso padrão de embalagem que hoje é mais reforçada garantindo, assim, o perfeito acondicionamento dos produtos em percursos mais distantes. Também selecionamos novos vendedores para atuar em algumas áreas do estado do Rio que se encontravam carentes de distribuidores”, afirma o diretor da empresa. Na incessante busca por novas estratégias, a equipe anuncia o projeto de visita às principais fábricas nacionais, tendo assim a possibilidade de acompanhar mais de perto como elas se estruturam e aproveitar as ideias que estão rendendo bons frutos. Mundo em Duas Rodas no Facebook Como não poderia ser diferente, a empresa anuncia mais uma novidade: a in-

Parceria com os clientes Acreditando que essas melhorias visam promover também benfeitorias à sua carta de clientes, a empresa continua patrocinando algumas ações, dentre elas: a confecção de banners para a fachada das lojas, a doação de uniformes de uso diário para lojistas e seus funcionários, a instalação e manutenção de computadores com programa de compra e venda para facilitar o cotidiano de quem participa dessas transações, além de outras. Em sua mensagem final, o diretor da Mundo em Duas Rodas garante: “Este é mais um ano que termino com a certeza de que, para obter o máximo de êxito em nossas atividades, algumas parcerias são fundamentais. Alguns clientes (e por que não dizer amigos?) acompanharam de perto a nossa trajetória até aqui, caminhando conosco e sempre demonstrando confiança e respeito por aquilo que fazemos. Deixo a todos eles o meu agradecimento. E para provar que eles são a peça-chave dessa engrenagem que, espero, funcione cada vez melhor, anuncio a nossa próxima confraternização para breve. Aqueles que dispensaram à nossa equipe profissionalismo, ética e fidelidade, serão convidados a comemorar conosco mais uma ano de vitórias. Até lá! 

cyclomagazine 25


Rápidas Nacionais

Danilo Pimentel e Flávia Fernandes vencem o Triathlon Circuito

Calendário UCI 2014 A UCI anunciou os calendários continentais para o próximo ano. As principais alterações no Brasil estão nas datas do Tour do Brasil Volta Ciclística de São Paulo e da Copa América de Ciclismo. O Tour do Brasil (antiga Volta Ciclística Internacional de São Paulo), sai do mês de outubro e acontecerá entre os dias 09 e 16 de fevereiro. Já a Copa América de Ciclismo, que este ano ocorreu em janeiro, no Rio, está marcada para o dia 07 de setembro. Completam as provas brasileiras do calendário americano o Giro do Interior de São Paulo (15 a 19 de março), a Volta Ciclística Internacional do Rio Grande do Sul (09 a 13 de abril), a Volta Ciclística Internacional do Paraná (28 de maio a 01 de junho) e o Tour do Rio (27 a 31 de agosto).

Realizada a penúltima etapa do Sesc Triathlon Circuito Nacional, na orla marítima da Avenida Presidente Castelo Branco, em Fortaleza, CE, o evento faz parte da campanha Move Brasil. Comparecerem cerca de 360 atletas. Debaixo de muito calor, o paraense Danilo Pimentel, da Seleção Brasileira de Triathlon, venceu na categoria elite masculino. Antônio Marcos terminou a prova em segundo lugar e Sclebin em terceiro. Flávia Fernandes, também da Seleção Brasileira de Triathlon, conquistou a medalha de ouro, a prata ficou com Carolina Galvão. Verônica Menezes chegou na terceira posição, completando o pódio feminino. Vanessa Bley e José Edson de Souza foram os melhores triatletas amadores.

Atletas enfrentam terra e água na Nano Corrida de Aventura

Sesc Triathlon Circuito Nacional atrai 450 atletas para Salvador Promovida pelo Serviço Social do Comércio – Sesc, a prova reuniu 450 triatletas em cinco categorias para amadores e profissionais em Salvador, BA. Os participantes percorreram a Cidade Baixa, passando por dois dos principais pontos turísticos, o Elevador Lacerda e o Mercado Modelo, às margens da Baía de Todos os Santos. Uma particularidade do Circuito é o incentivo ao acesso da modalidade, por meio do projeto Triathlon +. Dos seis Estados recebem provas da modalidade, três (Pará, Brasília e Paraná) possuem núcleo de iniciação esportiva que tem como objetivo complementar os efeitos do esporte nessas comunidades. O programa ensina valores como cidadania, companheirismo, superação e liderança para crianças de 8 a 14 anos. Na Bahia, o projeto será desenvolvido a partir de 2014

28 cyclomagazine

A Nano Corrida de Aventura, evento inédito realizado em Foz do Iguaçu, no Refúgio Biológico Bela Vista, PR, proporcionou aos participantes pedalar em trilhas de terra e lama. O desafio que, com outras modalidades integram o triathlon, contou com 17km de bicicleta por trilhas de terra. Foram inscritas treze equipes, todas mistas e formadas por quatro integrantes. Dez equipes foram de empregados da Itaipu. Também participaram equipes da Argentina, de profissionais do Sesi e do Grupo Montanhistas de Cristo, de Foz do Iguaçu. Elas foram separadas em duas categorias: menores de 160 anos (a soma da idade dos integrantes) e maiores de 160 anos.


Álvaro Perazzoli

Equipe Scott-Fittipaldi se destaca entre revelações da CIMTB 2013

Campeonato Brasileiro de Moutain Bike Marathon 2013 A CBC e a FMC, anunciam o Campeonato Brasileiro de Mountain Bike Marathon 2013, que acontecerá na cidade de Juiz de Fora, estado de Minas Gerais, nos dias 23 e 24 de novembro, no Graal, bairro Salvaterra. O evento conta pontos para o ranking nacional e internacional UCI.

A quinta e última etapa da Copa Internacional de MTB 2013, que aconteceu na Costa do Sauípe, BA, protagonizou uma disputa emocionante pelas primeiras posições em todas as categorias. Destaque para os jovens da Scott-Fittipaldi, William Alexi e Renato Navarro, vice-campeões na Sub-23 e Sub-17, respectivamente. Para garantir o resultado, William e Renato trabalharam forte e contaram com acompanhamento fora das pistas. Aliado à qualidade da bike e dos componentes utilizados pela equipe Scott-Fittipaldi, o team manager Odair Pereira foi um dos principais responsáveis pelo desempenho dos jovens nessa temporada.

Resultados do 1º Desafio das Américas de Ciclismo Patrocínio ao ciclismo A Caixa Econômica Federal assinou em Londrina, PR, contrato de patrocínio com a Confederação Brasileira de Ciclismo. Até 2016, o banco investirá R$ 17 milhões nas modalidades BMX, Mountain Bike, Estrada e Pista. No mesmo período, o banco também vai dar suporte a eventos do calendário nacional do ciclismo.

A cidade paulista de São Carlos recebeu o Desafio das Américas de Ciclismo 2013. A competição internacional reuniu atletas de diversos países nas categorias Elite e Sub 23 masculinos. O atleta Pedro Nicácio, da equipe de São José dos Campos, conquistou o título da 1ª edição do Desafio das Américas de Ciclismo, competição organizada pela Federação Paulista da modalidade. O atleta de São José dos Campos terminou a etapa final na décima colocação e garantiu o título geral da competição ficando 17 segundos à frente do segundo colocado, João Pereira Gaspar, da Ironage. A terceira colocação ficou com William Chiarelo, de Ribeirão Preto. Na briga por equipes, São José dos Campos ficou com o primeiro lugar, a segunda colocação ficou com a San Luis Somos Todos/ARG, enquanto o Clube Dataro de Ciclismo, de Cascavel, ficou em terceiro.

cyclomagazine 29


Rápidas Nacionais

Sede administrativa dentro da Floresta Estadual em Rio Claro

Brasil Ride 2013 homenageia os Guarinis Durante o início da quarta edição do Brasil Ride 2013, as atividades em Mucugê, BA, forma abertas com homenagem aos Guarinis, que foram gratificados com café da manhã na Fazenda Café Mucugê. “Guarini” significa guerreiro, lutador, em tupi-guarani, e é a forma de designar os atletas que participaram e terminaram por pelo menos 3 vezes o Brasil Ride. Mais de 70 atletas de todo o mundo, campeões mundiais, olímpicos e nacionais experimentaram o café da região e confraternizaram com os amadores, todos verdadeiros guerreiros, que enfrentaram ao longo dos três anos mais de 1.800 metros de trilhas e 48.000 metros de elevação acumulada na Chapada Diamantina. Todos foram presenteados com uma camiseta exclusiva identificando-os como Guarini e uma Self-ID, constando seus dados pessoais, item essencial para assegurar a segurança do atleta.

Foi inaugurada a sede administrativa da FPMTB – Federação Paulista de Mountain Bike dentro da FEENA – Floresta Estadual Edmundo Navarro de Andrade em Rio Claro, SP. Fundada em 2009 como uma nova opção aos ciclistas de todo o Estado, a entidade deu início a uma série de atividades inéditas no país buscando melhorias imediatas para o esporte. Desde sua fundação a entidade vem estudando a cidade de Rio Claro para implantar sua sede administrativa. A FEENA é enquadrada como uma Unidade de Uso Sustentável dos Recursos, possibilitando o desenvolvimento e a exploração ordenada de atividades esportivas, turísticas e educacionais como, no caso, as atividades ciclísticas propostas pela FPMTB, que beneficiarão parques, reservas e florestas do país.

Christian Fittipaldi participa da Brasil Ride 2013

Final do Brasil Ride 2013 A quarta edição da Brasil Ride 2013, chegou ao fim. Disputada em Mucugê, na Chapada Diamantina, BA, após a troca de líderes por três vezes, a Ultramaratona de MTB foi definida somente no último dia. A prova, recebeu cerca de 400 ciclistas que iniciaram a prova, e demais competidores que permaneceram, percorreram, praticamente, cerca de 600KM e mais de 12.000 metros de subidas acumuladas. Pela primeira vez na história do evento, uma equipe brasileira ficou em primeira colocação na Categoria Open, assim Henrique Avancini e Sherman de Paiva sagram-se vencedores do Brasil Ride 2013. A segunda colocação ficou com os espanhóis Ismael Ventura e Ramon Sagues, a terceira posição com Christoph Sauser e Kohei Yamamoto. O título na Categoria Feminina ficou com a equipe invicta em todas as etapas, composta pelas americanas Rebecca Rusch e Selene Yeager, o segundo lugar ficou a equipe de Sabrina Gobbo e Daniela Genovesi, e na terceira posição Andreia Marcellini e Melanie.

30 cyclomagazine

A equipe Scott-Fittipaldi superou uma das provas mais duras do MTB nacional: a Brasil Ride 2013, que aconteceu na Chapada Diamantina, BA. Nessa edição, o time de ciclistas contou com a participação especial do piloto Christian Fittipaldi que participa da competição pelo segundo ano consecutivo. Ao todo, a marca foi representada por seis atletas. Marcado por variações de terreno e calor intenso, o trajeto exigiu muito das partes técnica, física e psicológica dos competidores. Foram mais de 600 km de percurso, com 12.240 metros de subidas acumuladas e passagem por 14 municípios. Além de Christian Fittipaldi e Odair Pereira, a equipe contou com as parcerias formadas por João Paulo Firmino/ Reginaldo Mariano, que terminou em 11º no geral da categoria Open, e Daniel Giatti/ Marcio Torres, que ficou em 35º.


Gente // Priscilla Carnaval

Atleta número 1 do ranking brasileiro de BMX dispensa técnico Além da importância dos treinos de um profissional consagrado, o técnico acompanhava a ciclista nos torneios internacionais Texto e imagem: Fernando Giovanetti

P

riscilla Carnaval, atleta de 19 anos que defende a seleção brasileira de BMX está sem técnico. O motivo? Falta de patrocínio. A atleta que participou recentemente da Copa do Mundo de BMX e é nº 1 na classificação nacional, não poderá contar com o apoio de seu treinador e ídolo, o francês Thomas Allier, para a próxima temporada. O ex-atleta e bi campeão mundial na

categoria elite, está à frente dos treinos de Priscilla desde 2011. Neste período a atleta conquistou 1º lugar no Campeonato Europeu de 2011 – 8º Round, 3º Lugar no Campeonato Europeu em Praga, 3º Lugar no Campeonato Latino Americano 2011 em Córdoba, Vice campeã da Copa América de BMX em 2012. Foi finalista da Copa do Mundo de Supercross em Manchester e semifinalista em Papendal na Holanda, Campeã da Copa America’s Globo de 2013, e alcançou o lugar mais alto entre as atletas brasileiras no ranking mundial. Além da importância dos treinos de um profissional consagrado, o técnico acompanhava a ciclista nos torneios internacionais, para ela, uma força a mais

durante a competição: “A confiança que o Thomas me passa é muito importante, também foi com ele que consegui me aprimorar muito como atleta de alto nível e conquistar resultados expressivos. Ele é um excelente treinador, e sempre foi um ídolo para mim, muito antes de trabalharmos juntos. E agora por falta de patrocínio, terei de treinar sozinha” – conclui. A falta de patrocinador é um grande adversário para os atletas. Priscilla que defende a equipe Penks de Barueri, é nome forte do Brasil para as Olimpíadas Rio2016, mas tem de custear sozinha praticamente todas as despesas para praticar o esporte que ama, caso contrário o sonho olímpico pode não se realizar. 

cyclomagazine 31


Empresa // Emtecorp

Itens

importados da China

testados e de qualidade

comprovada Texto Osmar Silva Reportagem Hylario Guerrero Imagens: Arquivo Luanda

Tradicional no mercado de bicipeças, a Emtecorp – Esferas e Componentes - traz novos produtos para o mercado brasileiro e já os disponibiliza para compra. Trata-se de três modelos de Movimento Central: o de 122 mm, selado e com rolamentos; Eixo do Movimento Central, ponta quadrada 3U, com porcas e, o Conjunto do Movimento Central 34.7mm, com colares, sem eixo. Aqui o gerente geral da empresa Ricardo Carvalho explica tudo sobre os produtos, como definiram os seus fornecedores e aproveita para analisar o mercado, os tributos e os seus efeitos no negócios

32 cyclomagazine

R

icardo Carvalho, gerente geral da empresa, que faz o anúncio da novidade, esclarece que estes produtos já são conhecidos no mercado brasileiro, porém, estes especificamente, têm algumas vantagens. “O que estamos trazendo, é uma excelente opção, com ótima relação custo-benefício para os nossos clientes. Esses produtos tem excelente qualidade e são produzidos em uma fábrica de confiança na China que possuem equipamentos de última geração, incluindo um excelente controle de qualidade”. Ele relata o longo caminho percorrido na escolha do fornecedor asiático, o processo de seleção que realizaram e como constataram a qualidade do produto. “A importação destes itens foi um longo processo. Em primeiro lugar, pesquisamos diversas fábricas com capacidade para produzir estes itens, com qualidade assegurada. Após encontrarmos essas fábricas negociamos preços e após acordados os preços, testamos as amostras. Os testes foram feitos em campo. Entregamos amostras a lojistas e, outras, as colocamos em nossas próprias bicicletas. Todas foram aprovadas e com isso demos prosseguimento ao processo de importação”. Os pedidos para compra dos produtos começaram a ser aceitos a partir de outubro e a efetiva comercialização, a partir de novembro. “Os novos produtos chegaram à cor preta. Cor básica que combina bem com qualquer bicicleta” explica Ricardo. Ponto importante na negociação entre a importadora e os pro-


Televendas: (21) 2603-8632 | (21) 3708-5570 (21) 3022-4098


Empresa // Emtecorp

dutores chineses foi o acordo de garantia de exclusividade no fornecimento destes itens. Além disto, a empresa tem a plena certeza de estar oferecendo aos potenciais clientes produtos com preços competitivos. “Esses produtos vão seguir a nossa política comercial e a nossa missão da empresa que é: oferecer aos clientes produtos de excelente qualidade a ótimos preços e melhor atendimento" enfatiza o gerente. A Emtecorp atende pedidos de todo o Brasil e a clientes espalhados por todos os Estados, por isso já mantém acordos com transportadoras de modo a oferecer custos competitivos de frete. “A nossa logística interna e de escoamento nos permite que os pedidos recebidos até às 15 horas sejam despachados no mesmo dia” ressalta Ricardo confirmando a agilidade e presteza da empresa. “A Emtecorp atende todo o território Brasileiro desde sua fundação. Sendo que segmento de duas rodas, tanto o mercado do Sudeste como o do Nordeste são muito fortes e, é exatamente onde temos maior atuação” complementa. Assim, os produtos que comercializam são mais focados para bicicletas de médio e baixo valor agregado e, de acordo com a avaliação de Ricardo estas bicicletas ainda são as de maior consumo e utilização no Brasil. Em rápida análise do mercado atual de bikes, Ricardo estima que encontra–se um pouco atípico este ano. “Temos percebido que muitos clientes estão receosos de comprar e ficar com estoque parado em suas lojas, mesmo tendo chegado o último trimestre, que costuma ser o período de maior demanda. Outra situação que estamos vendo é que os clientes de bicicleta estão ficando mais exigentes tanto com relação a preços quanto com

34 cyclomagazine

relação à qualidade. Ainda existem muitos concorrentes que fornecem produtos de baixa confiabilidade, mas esses produtos apresentam problemas e o cliente percebe que a qualidade é importante. Temos hoje grande utilização de bike como meio de lazer e este mercado está puxando as vendas de bicicletas de maior valor agregado. Este é um segmento que está em alta e a tendência é continuar em crescimento. Apesar deste crescimento acentuado, o mercado de baixo valor agregado continua com a maior participação no todo.” Passando para uma análise da influên-

Esses produtos vão seguir a nossa política comercial e a nossa missão da empresa que é: oferecer aos clientes produtos de excelente qualidade a ótimos preços e melhor atendimento.

Ricardo Carvalho

cia da política tributária implementada pelo Governo aos produtos de origem importada , Ricardo tem opinião abrangente. “Infelizmente, no Brasil, a carga tributária é muito alta, tanto para os importadores quanto para os fabricantes”. “Além disto, temos uma logística precária (portos superlotados, falta de ferrovias e rodovias mal conservadas ou caras); e uma burocracia que emperra o avanço do nosso País e não transmite segurança aos empresários. Com a glo-

balização, os países ficaram cada vez mais interdependentes, ou seja, cada vez mais necessitamos de produtos de outros países e cada vez mais outros países precisam dos nossos produtos. A produção no Brasil é baixa e a importação é necessária, vimos aí o que aconteceu com o caso dos pedivelas em que o Governo, com a salvaguarda concedida, quase que impediu a importação deste produto e hoje o fabricante nacional não dá conta de atender a demanda”. “A bicicleta é um meio de transporte saudável, sem impacto ambiental, de baixo custo e que deveria ter amplo incentivo do Governo. Existem alguns projetos de lei em andamento, buscando amenizar a carga tributária cobrada sobre os produtos destinados à bicicleta. Estamos na torcida para que a população consiga esse benefício”, diz Carvalho. Em relação à Substituição Tributária, mais um componente das muitas aplicações de impostos às operações comerciais, Ricardo traça um quadro sobre a sua adoção pelo governo, como foi recebida pelo segmento e como efetivamente tem sido operada. “A Substituição Tributária, mais conhecida como ST, foi uma forma encontrada pelo Governo de reduzir a sonegação fiscal e de antecipar arrecadação. Logo que lançada pelo Governo, a medida foi bastante polêmica e muitos clientes não entendiam a legislação. Hoje, o mercado se acostumou com a ST, mas todos acham que o valor é um absurdo, ainda mais porque é recolhida antecipadamente”. “O que acontece é que a maioria dos importadores e fabricantes recolhem a ST para os seus clientes e incluem o seu valor nas duplicatas da venda ou seja, financiam os seus clientes!”. 


Feira // Salão Duas Rodas

Salão Duas Rodas: bikes só na Ilha Motocyclomagazine ou importadas O 12º Salão Duas Rodas apresentou poucos estandes de bicicletas, mas surpreendeu na inovação e beleza das ebikes e bicicletas montadas, principalmente na ala chinesa Texto: Hylario Guerrero e Joelma Farias Fotos: Equipe Luanda

26 cyclomagazine 36

R

ealizado no Pavilhão de Exposições do Anhembi, em São Paulo, segundo os organizadores, o Salão bateu recorde de número de visitantes. Mais de 450 empresas expositoras (a maioria foi de motos montadas e motopeças) alocadas num espaço de mais de 100 mil m². Porém o pouco que veio de bicicletas encantou os aficcionados pelas magrelas. Os chineses trouxeram grandes inovações, o estande da Bramont também apresentou alguns lançamentos e, na Ilha Motocyclogazine mais algumas empresas de bicipeças.

A Ilha Motocyclomagazine A Ilha alcançou o seu objetivo: sucesso de público e de bons negócios. Dentro de um mesmo espaço abrigou 14 empresas, entre elas a SMX (fabricante de quadros de alumínio) juntamente com a montadora Canon; a Volt Bikers; e Silbike, que deixou os visitantes a vontade para conhecerem as novidades, ou simplesmente conversarem diretamente com os fabricantes/ expositores. Serviu como espaço reservado. Bem localizado, ao lado da praça de alimentação, e de marcas de expressão, perto também do concorrido Pavilhão Asiático, onde mais de 150 estandes com-


Feira // Salão Duas Rodas

puseram a ala de produtos oriundos da China, Índia, Taiwan, Paquistão e outros.

tes como porcas e rolamentos para eixos. Guidões em aço cromado e pintado.

Estandes que fizeram parte da Ilha Motocyclomagazine SILBIKE Sapatas V-Break (para diversos tipos de bicicletas, das mais tradicionais às mais modernas), e Orbitais. Fabricando produtos de qualidade, a empresa aproveitou o Salão para fazer um trabalho institucional.

SMX/ CANON A SMX montou linha especial de quadros de alumínio para a marca Canon, com novas especificações. Além das linhas: Savage nos tamanhos 13.5”; 15”; 17”; 19” e 21”. MTB Savage: Yong e Teen. Linha Sturdy Disk. MTB Sturdy Midle Disk e MTB Sturdy Down Disk. Linha Java; Java Lady Feminino; Java Midle; Linha Confort: Beach; Beach Lady Fem. e Linha Long. Linha de Garfos Rigid Fork Speed, tamanhos. Linha de Guidão DownHill 25.4”.

VOLT BIKERS Linha de eixos maciços e furados para cubos de rodas. Guidões em alumínio anodizado brilhante e pintados. Componen-

38 cyclomagazine

Outros expositores: WOIE/ JK BIKE Linha Golden, freio à disco hidráulico; suspensão 100mm alumínio com regulagem; rodas de competição DH Top com raio 2.5mm, Paralamas Master; Selim em gel (mais de 10 opções de cores). Linha Silver, freio V-brake orbital em alumínio; Suspensão 80mm alumínio com regulagem; Rodas de competição DH Leve com raio 2.5mm, Paralamas Master; Bagageiro Tubão regulável (mais de 10 opções de cores). Linha Bronze, linha de entrada com garfo rígido de alumínio (mais de 10 opções de cores).


Feira // Salão Duas Rodas

CICLO CAIRU Nova linha GT MAX, com novo quadro carbono e quadro em alumínio. Grande variedade em peças para bicicleta, além de expor todo o seu mix de componentes Shimano disponível em estoque. DAFRA A nova E-bike DBT com potência de 250W, autonomia média de até 70km e velocidade máxima de 25km/h, e as E-bikes de linha: DBO com potência de 250W, autonomia média de até 35km e velocidade máxima de 25km/h, dobrável, câmbio Sunrace de 3 marchas; DBL com

40 cyclomagazine

potência de 250W, autonomia média de até 35km, velocidade máxima de 25km/h, DBX com potência de 250W, autonomia média de até 35km e velocidade máxima de 25km/h. BRAMONT Bicicletas elétricas da centenária marca italiana Benelli. Modelo Clássica, em quatro modos de potência selecionados por comando no lado esquerdo do guidão, motor de 250 watts, velocidade máxima sendo de 25 km/h e autonomia de 70 a 100 km. O câmbio é de oito marchas, com rodas de 26 e 28 polegadas. A bateria leva


Feira // Salão Duas Rodas

de 4h a 6h para ser recarregada em uma tomada residencial. A Benelli faz parte do grupo Qjian Jiang, também dono da Keeway. LEVORIN Linha URBAN mais conforto, estilo e durabilidade, com novos desenhos e proteção antifuro. Linha SPEED, garante maior performance e velocidade. O novo pneu Liege foi projetado para oferecer máxima aderência em curvas e baixa resistência ao rolamento. Novos materiais de reforço, talão em Kevlar e compostos diferenciados. Linha MOUNTAIN BIKE:

42 cyclomagazine

tração, agarre e desempenho, com novas medidas, design e materiais para os principais tipos de terreno, proteção antifurto e talão em Kevlar. Tecton: Desenho Big Block, desenvolvido para terrenos macios e lamacentos. Eruption: Desenho Small Block, para terrenos duros e secos. Karst e Colina: máximo desempenho para MTB e cross country. Magma e Excess EX: também disponível na medida 29”. DDL Linha de Raios: zincado brilhante; cromado; galvanizado e inox. E,Niples. •


GOES


Rápidas Internacionais Sucesso virtual A Orbea comemora os 100.000 seguidores no Facebook da empresa e oferece um vídeo de agradecimento aos seus seguidores na rede social, que deixam suas opiniões e comentários sobre seus produtos. O vídeo está disponível no You Tube.

Brasileiro vence segunda etapa do Latino Americano de MTB Após 12 anos sem receber competições nacionais ou internacionais, o circuito de mountain bike downhill da cidade de La Falda, em Córdoba, Argentina, voltou a receber a segunda etapa do Open Shimano Latino América, que consagrou o brasileiro Anderson Luís Robl, como campeão da categoria Master PRO. O catarinense realizou a descida apenas 88 décimos de segundo a frente do argentino Javier Santiago, vice-campeão. Gonzalo Rodriguez foi o terceiro. Na categoria Elite, o argentino Santiago De Santiago ficou com a medalha de ouro deixando para trás o campeão da etapa de estreia em Balneário Camboriú, SC, o chileno Maurício Acuña, que ficou em segundo e o argentino Pablo Noriega, completou o pódio.

Equipe Movistar com nova contratação para 2014 No próximo ano a equipe Movistar vai contar com o irmão mais novo da revelação de 2013, o colombiano Nairo Quintana, segundo colocado geral no Tour de France que ainda acumulou as camisas de melhor escalador e de jovem ciclista. Dayer Quintana, de 21 anos, competia na equipe amadora Lizarte e agora terá a chance de mostrar o seu talento em uma grande equipe do World Tour.

Alessandro Pimentel é medalha de bronze nos EUA

Euskaltel-Euskadi encerra atividades após Volta da Espanha 2013 Após 17 temporadas de alto nível no ciclismo internacional, a equipe espanhola Euskaltel-Euskadi encerra suas atividades devido a inexistência de patrocínio. De acordo com o comunicado oficial, a equipe optou pela extinção, uma vez que não conseguia cobrir as despesas de competir no World Tour. A equipe, fundada em 1994, concluiu a temporada normalmente durante a 68ª Volta a Espanha. A Euskaltel-Euskadi deixa 14 competidores sem contrato para o próximo ano. Entre eles, está o espanhol Samuel Sanchez, medalha de ouro na prova de estrada nos Jogos Olímpicos de Pequim/2008, que está em busca de uma nova equipe para competir no próximo ano.

44 cyclomagazine

O triatleta de Taubaté, SP, Alessandro Pimentel, conquistou medalha de bronze no Campeonato Nacional de Triathlon do mundo, o “Great Floridan Festival”, válido pelo ranking norte-americano de triathlon, realizado anualmente em Clermont na Flórida. Pimentel percorreu 62km na prova de ciclismo. Esta foi a etapa “rainha” do Campeonato Americano de Triathlon, que acontece no centro olímpico da Flórida - "Water Front Park Mineola Lake" – considerado o principal Festival do Triathlon internacional por reunir provas de todas as distâncias, com competições para todas as idades. O atleta conseguiu a validação para competir nos EUA após ser submeter-se a comprovação da prática do esporte limpo.


Fernando Alonso tem sua equipe de ciclismo registrada na UCI FACT - Fernando Alonso Cycling Team. Este foi o nome registado na UCI da empresa responsável pela equipe profissional de ciclismo que será criada pelo piloto de Fórmula 1, Fernando Alonso. Não será o nome definitivo, uma vez que deverá incluir ainda os parceiros comerciais que patrocinarão esta nova aventura do espanhol. Luis Garcia Abad, empresário de Alonso, viajou para Dubai para ter várias reuniões com possíveis patrocinadores. Dubai mostra grande interesse no Ciclismo. A FACT será apresentada durante o próximo ano e será depois inscrita no World Tour para concorrer nas provas principais já em 2015. Os nomes de Alberto Contador e Peter Sagan, ainda circulam fortemente como possíveis contratados para a equipe. Em setembro, Alonso anunciou que estava negociando a compra da falida Euskatel-Euskadi, mas não obteve êxito.

Copa do Mundo MTB 2013 A 7ª etapa da Copa do Mundo de MTB 2013, foi vencida pelo tcheco Jaroslav Kulhavy, em disputa realizada no bike park Hafjell, na Noruega. Kulhavy duelou na chegada com Nino Schurter que acabou em 2º e Manuel Fumic em 3º. Com Julien Absalon fora da última etapa, por causa de costelas quebradas no Mundial, Schurter já havia conquistado o título por antecipação e encerra a temporada em alta após faturar o bicampeonato mundial e a copa do mundo. Na classificação geral o 1º lugar ficou com Nino Schurter (Sui), 2º Daniel McConnell (Aus) e Julien Absalon (Fra), em 3º.

Guilherme Muller comemora maior conquista na carreira

Equipe Pro Luna Team campeã da Copa do Mundo de MTB A Equipe Luna Pro Team conquistou o título por equipes na Copa do Mundo de MTB Cross Country 2013, graças ao desempenho de suas atletas ao longo do torneio. A competição aconteceu em Hafjell, Noruega. No geral, o segundo lugar foi para Eva Lechner, que também terminou a prova na 2ª colocação. Julie Bresset ficou em terceiro lugar. Atletas enfrentaram uma viagem difícil, com altos e baixos e constantes trechos rochosos.

O atleta patrocinado pela ProShock foi campeão da categoria Sub-23 na última etapa da Copa Internacional de MTB, disputada na Costa do Sauípe-BA. Foi a primeira vez que ele, considerado uma das grandes promessas da modalidade, conquistou uma etapa na principal competição do mountain bike nacional. Por isso, não conseguiu esconder a alegria pelo bom momento vivido na carreira. Foi sua primeira vitória na CIMTB. Estava focado para fechar sua participação com chave de ouro. Além da boa preparação, Guilherme acredita que o diferencial para a vitória na etapa de Sauípe foi a estratégia. Com formato inovador, o resultado final foi decidido pela soma dos desempenhos em três provas: o Contra Relógio, o Short Track e a Maratona. O atleta ProShock conquistou o título na categoria Sub-23.

cyclomagazine 45


Rápidas Internacionais Willian Chiarello é campeão da Volta Ciclística de Maule no Chile

Belkin Pro Cycling Team e SHIMANO ampliam parceria A Belkin Pro Cycling Team e a SHIMANO anunciaram uma nova parceria por mais dois anos. A SHIMANO apoiou a equipe durante toda a temporada onde e a parceria rendeu a vitória em mais de 30 corridas. Richard Plugge, diretor Belkin Pro Cycling Team, afirmou a importância dessa união. "Nossa parceria com SHIMANO, é relevante. Eles têm sido parceiros valiosos por mais de 15 anos. Mesmo quando estávamos em busca de patrocinador principal, nos deram todo o apoio, flexibilidade e o tempo que precisávamos. A empresa é um dos principais pilares na construção do nosso sucesso em 2013”. Hennie Stamsnijder, gerente de marketing para esportes da SHIMANO Europa, destacou o prestígio da equipe. "Não tivemos absolutamente nenhuma hesitação para estender a parceria com a Belkin Pro Cycling Team. Sua abordagem corresponde a nossa visão, objetivos e métodos. Eles são inovadores, dão feedback valiosos e nos auxiliam no processo de melhoria dos nossos produtos". A equipe está empenhada em realizar competições do mais alto nível

Com uma equipe formada por atletas jovens, com média de idade entre 18 e 23 anos, o Brasil surpreendeu todos os adversários e dominou a Volta Ciclística Internacional de Maule, no Chile, realizada com a participação de vários países. O brasileiro William Chiarello, 22 anos, foi o grande campeão geral da prova, após pedalar por oito etapas em regiões montanhosas. William não conteve a emoção ao comemorar a sua primeira vitória em uma volta ciclística e fez questão de destacar a importância do trabalho em equipe e de todo apoio da comissão técnica da Seleção Brasileira para a conquista do título. No final, além da vitória de Chiarello, Caio Godoy conquistou a segunda colocação geral e a seleção ainda ficou com a primeira colocação entre as equipes. O campeão geral, William Chiarello, também conquistou a segunda colocação na classificação de montanha e primeira na classificação Sub23, que teve pódio completamente brasileiro, com Caio Godoy em segundo lugar e Murilo Affonso em terceiro.

O Calendário do Pro Tour sem alterações Renato Rezende é quarto colocado no Sul-Americano de BMX Repetindo a boa atuação do Latino-Americano os brasileiros voltaram a se destacar durante a disputa do Campeonato Sul-Americano de BMX, em Lima, Peru. Renato Rezende foi o melhor brasileiro na Elite e conquistou a quarta colocação. Leandro Miranda, que também foi finalista no Latino, foi o sexto colocado. A vitória ficou com o colombiano Carlos Oquendo, medalha de bronze nas Olimpíadas de Londres 2012. Além dos bons resultados no masculino, as atletas do feminino também conquistaram pontos preciosos no ranking internacional. Na elite, Bianca Quinalha mais uma vez chegou as finais e conquistou a sexta colocação. A vitória novamente ficou com a atual campeã olímpica Mariana Pajon. Entre as atletas da nova geração, Thaynara Morosini foi a quarta colocada na categoria Júnior.

46 cyclomagazine

O calendário 2014 do Pro Tour será o mesmo deste ano. Ao todo são 28 provas espalhadas pela Europa, Austrália e China. A primeira prova do ano será o Tour Down Under (Austrália) entre os dias 21 e 26 de janeiro. O Giro d'Italia começará no dia 10 de maio e seguirá até o dia 01 de junho. Em julho será a vez do Tour de France entre os dias 05 e 27. Já a Vuelta a España será entre 23 de agosto e 14 de setembro. O próximo Campeonato Mundial de Estrada será em Ponferrada (Espanha) entre os dias 13 e 21 de setembro.


Administração Gildemar de Almeida *

A Fraude e sua Prev Veículos: Durante um “pós-venda investigativo” em uma carteira de veículos, encontramos fraude ideológica a partir da quarta parcela não paga em um contrato, isolamos a origem e detectamos outros contratos com fraudes similares. Identificado o “modus operandi”, estendemos as buscas e não foi surpresa encontrar o mesmo padrão em regiões próximas e outras praças. Investigações internas e diligências externas resultaram na certificação de mais de 4,5 milhões de reais em fraudes, realizadas em um período de 06 meses, em apenas 05 lojas credenciadas. A ação resultou no bloqueio de 298 garantias, com 89 restituídas até o momento e 22 indiciados. Um serviço de excelência prestado pela Prevent, que mostra a importância em se fazer um pós-venda investigativo de qualidade em carteiras de crédito duvidoso, contribui com informações para tomada de decisão, estabelece novos parâmetros de segurança, melhorando a imagem e os resultados da instituição na região. Consignados: É comum inibirmos fraude em consignados onde um terceiro tenta se passar por um beneficiário. Este caso, em especifico, me chamou a atenção por dois aspectos: o primeiro, porque até então acreditávamos que podíamos confiar na informação de domicílio bancário fornecida pelo DATAPREV, o segundo e mais pitoresco, é que a verdadeira cliente não passou na entrevista de detecção a fraude, enquanto, na entrevista feita com a suposta cliente (fraudadora), notou-se que a mesma possuía, com segurança, informações a respeito do falecido aposentado que a própria viúva não tinha. A proposta era de empréstimo consignado para uma pensionista do INSS e constava no cadastro que a cliente residia no estado de Santa Catarina. Em consulta ao detalhamento de crédito, procedemos a informação de que a cliente recebia seu benefício naquele estado, domicílio compatível ao comprovante de residência utilizado. Fizemos o confronto das informações do cadastro com as informações obtidas em nossas buscas avançadas e apuramos que havia dois endereços vinculados

48 cyclomagazine

à cliente: um no estado de São Paulo e outro em Santa Catarina. Começamos entrevistando a cliente localizada em São Paulo; ela se identificou como a cliente, obtivemos confirmações positivas e a contestação da operação. Como tínhamos uma situação de suspeita de fraude, os fatos nos permitiam estabelecer tratar-se da verdadeira cliente, apesar de não haver total segurança nas informações prestadas. Ao ligarmos para o telefone da proposta, para evidenciarmos e registrar a fraude, a suposta cliente (fraudadora), durante a entrevista respondeu a todos os questionamentos com tamanha segurança e desenvoltura e com uma riqueza de detalhes, que a própria viúva (localizada em SP) não havia conseguido fornecer. Procedemos analise documental e apuramos que a suposta cliente de SC, utilizando-se de comprovante de residência e Carteira Nacional de Habilitação (CNH) fraudada, compareceu ao INSS daquele estado, com ciência que o empréstimo consignado só pode ser contratado no mesmo estado que o aposentado/pensionista recebe seu benefício, transferiu o recebimento dos Benefícios, efetuou abertura de conta corrente e solicitou empréstimo consignado. Toda a transação foi feita em 15 dias, mas a verdadeira pensionista só saberia do ocorrido quando fosse receber seu benefício e verificasse que o mesmo havia sido transferido. Neste momento, a fraude já estaria consumada. Este caso mostra a astúcia do fraudador e a expertise da nossa equipe, que não se atem às informações cadastrais e confirmações dos órgãos pagadores, uma vez que a fraude pode estar na própria base. Cartões: Recentemente, durante o monitoramento de fraude para emissão de cartões, realizado junto a uma rede varejista, detectamos a utilização de uma Carteira Nacional de Habilitação (CNH) fraudada e a proposta foi negada. Como a operadora da loja havia digitalizado cópia do documento, preparamos um alerta com a foto do fraudador e disponibilizamos na rede. Para nossa surpresa, dois dias depois, recebemos a sinalização de uma operadora em uma das lojas


venção - Parte Final da rede, informando que o fraudador (identificado pela foto), se encontrava preenchendo um novo cadastro com outra CNH. O interessante neste caso, é que o fraudador melhorou a qualidade na adulteração do documento, que através da análise de cadastro desta vez não apresentava irregularidade. Não parecia fraude, os dados de registro e o número de segurança do DENATRAN procediam, poderia se tratar de uma mera semelhança física ou a cópia estava muito bem feita e somente a fotografia havia sido substituída. Em consultas ativas realizadas a telefones relacionados ao CPF, não foi possível estabelecer contato com o cliente. Ligamos para o telefone do cadastro, o suposto cliente (fraudador) atendeu, durante a entrevista detectou-se informações divergentes às pesquisas realizadas nos sites de busca. Os dados contraditórios certificavam a frade; tínhamos o fraudador. A proposta poderia simplesmente ser recusada, porém, a organização achou oportuno passar um recado e nos consultou sobre a viabilidade de executar uma ação repressiva. De imediato, solicitamos à operadora que agisse com naturalidade e continuasse com o processo; solicitamos informá-lo que o sistema estava fora do ar, e que o mesmo deveria retornar mais tarde para retirar o cartão. Tudo ocorreu como planejado. Contatamos a equipe de repreensão (agentes habilitados para executarem este tipo ação) e com apoio da PM local, discretamente à distância, iniciamos a operação; ficamos em campana dentro da loja por 5 horas aproximadamente, e o fraudador não retornava. Faltava 1 hora para a loja fechar e estávamos desistindo, entendendo que ele havia desconfiado do procedimento diferente adotado. Mesmo assim, solicitei à operadora que ligasse no telefone da proposta e o fraudador atendeu. Quinze minutos depois, o mesmo estava entrando na loja. Retirou o cartão, que foi estrategicamente desbloqueado, em seguida à compra, efetuamos o flagrante. O interessante neste caso é que o primeiro documento fraudado utilizado não foi aprovado no sistema de detecção. O fraudador estava tão a vontade que melhorou a fraude e retornou tranquilamente para finalizar a operação.

CONCLUSÃO É utopia pensar que a fraude está sob controle, porque ainda não compromete os resultados na sua instituição, melhor verificar os critérios adotados para estabelecer os índices, calibrados diariamente para mensurar o risco nas operações negativas. O que aconteceu durante a expansão do crédito se repete na fraude e, como não houve tempo hábil para assimilar a complexidade do tema, ainda utilizam a ferramenta “X” para resolver o problema “Y”. Não há sistema automatizado com uma abordagem híbrida, o que, inclusive, é motivo de pesquisas e estudos internacionais, porém, até o momento, não se consegue sinalizar com segurança operações fraudulentas. Os modelos operacionais estão preparados para receber e armazenar, mas não para tratar adequadamente, a demanda crescente de contratos, com algum grau de irregularidade, que entram diariamente na base. Contratos com cláusulas reversas, que deveriam assegurar o desconto do prejuízo com fraude junto aos parceiros comerciais, passaram a fazer parte do grande volume de “ações contrárias” de contratos irregulares, que estão causando inúmeros problemas de interpretação junto ao poder judiciário, sendo deferidos, em sua maioria, a favor dos “terceiros de boa fé”; servidores, aposentados, pensionistas e “parceiros comerciais”, que patrocinam essas ações. Evitar fraude é um exercício diário e constante na Difusão Prevent, que analisa dados do perfil, origem e praça, aponta situações anômalas relacionadas ao CPF, busca indícios junto ao local de trabalho e analisa adulterações em documentos, aferindo, com segurança, se o tomador do financiamento é, de fato, o cliente. Uma estrutura que reúne tecnologia de ponta, com avançados sistemas automatizados de busca e detecção, à expertise de uma equipe de profissionais especialmente treinados, para atuar em tempo real durante a concessão do crédito, evitando inconsistência cadastral e reduzindo prejuízos causados por processos inadequados e fraudulentos.  “Quando me considero a salvo, eu mesmo me firo”. JEAN DE SPONDE

* Gildemar de Almeida é graduado em comunicação social e marketing pela Universidade Braz Cubas e MBA em administração financeira e gestão bancária pela Fundação Getúlio Vargas (FGV); especialista em fraudes (ideológica e documental): executivo, com mais de 18 anos no mercado financeiro, com forte atuação nas áreas de pesquisa, desenvolvimento de produtos, expansão de redes. Atualmente trabalha exclusivamente com a prevenção à fraude na concessão de crédito e recuperação de ativos. Voltado a bancos, financeiras, redes de varejo e concessionárias de serviços, em todas as etapas do processo antifraude. .

cyclomagazine 49


Entidade

Nova norma enfoca segurança de componentes ABRADIBI orienta sobre Portaria 656/12 do INMETRO Aro, Câmara de Ar, Conjunto de Freio, Cordoalha, Garfo, Garfo de Suspensão, Guidão, Niple, Pedal, Pedivela, Quadro, Raio e Suporte do Guidão. Esta é a lista de componentes de bicicletas de uso adulto que passarão a necessitar de certificação a partir de 2014, conforme a portaria 656/12, do INMETRO. A medida não é válida para bicicletas infantis. O objetivo é garantir a segurança desses componentes. A certificação será exigida tanto para peças vendidas isoladamente quanto em subconjuntos ou integradas ao produto final bicicleta. Uma das maiores preocupações dos fornecedores de bicipeças é com os prazos definidos pela Portaria. “Estamos alertando as empresas para que cumpram o cronograma de implantação, pois não haverá prorrogação das datas estabelecidas”, afirma Roberto Antunes, assessor técnico da ABRADIBI . A norma entra em vigor 18 meses após a sua publicação. Produtos importados

50 cyclomagazine

com a data de embarque a partir de 17 de junho de 2014 já estarão obrigados a serem certificados. Para comercialização entre o mercado consumidor (lojas de peças), a data final de adequação é até 16 de dezembro de 2015. A fim de que o mercado possa fazer os ajustes necessários à certificação, a ABRADIBI iniciou um programa de suporte para a avaliação da conformidade entre seus associados. Um workshop em São Paulo reuniu representantes de cerca de 20 empresas e deu início ao programa. “Todo o setor de bicipeças realizará um grande esforço para atender às exigências do INMETRO e assim contribuir para uma maior segurança do produto final”, explicou o assessor da ABRADIBI. O selo da certificação deverá ser aposto no produto ou embalagem do produto, de forma nítida e visível. A fiscalização ficará aos cuidados do Ipem (Instituto de Pesos e Medidas).


BRASIL edição 2013

07 a 10 de novembro Expo Center Norte São Paulo / SP

FAIR

A ISAPA tem tudo o que você precisa quando o assunto é bicicleta. As maiores marcas de peças e acessórios de bike do mercado. Sempre com a qualidade e a credibilidade que fazem parte da história da ISAPA há mais de 50 anos.

JUNTOS, FAZENDO A RODA GIRAR VISITE NOSSO ESTANDE www.brasilcyclefair.com.br

www.isapa.com.br VENDAS 0800 702 8699

SAC 0800 702 0801

Pedalando e acelerando com você

facebook.com/isapa.bicicleta youtube.com/user/ISAPABICICLETA


Revista cyclomagazine 190