Page 1


CONTEÚDO CAPA

42 EMPRESÁRIO ANALISA MERCADO EM FACE DA CONJUNTURA ECONÔMICA

PERSONAGEM

20

EMPREENDEDORA DE UM SONHO ESPECIAL

NEGÓCIOS

24

LAQUILA INGRESSA NO SEGMENTO DE BIKES

30

MERCADO SUL NA OPINIÃO DE SEUS COMPONENTES

AVALIAÇÃO

46

COMPETIÇÃO

36 SPECIALIZED APRESENTA

O CENÁRIO ECONÔMICO ANALISADO POR PROFISSIONAIS

NOVA EQUIPE DE CICLISTAS

SEÇÕES

Editorial Correio Notas

04 06 12

Lançamentos Esportes

26 38


Luanda

Diretoria Osmar Silva José Haroldo G. Santos

Edição 201 - Janeiro / Fevereiro 2015

Editor Osmar Silva osmar@luanda.com.br

Diretor José Haroldo G. Santos haroldo@luanda.com.br

Redação Hylario Guerrero (MTB 13468) hg.noticia@luanda.com.br Joelma Farias redacao@luanda.com.br Angela Davis V. Silva angela@luanda.com.br Arte e Diagramação Bruno R. Mello dos Santos Caio Matheus V. Paiva Diego Igor de Oliveira midia@luanda.com.br arte@luanda.com.br Publicidade: Luanda Brasil Serviços de publicidade Ana Paula Lima José Ricardo Gomes vendas@luanda.com.br Administração Fernanda Oliveira Jhonnatan da Silva André Juici Monteiro luanda@luanda.com.br

EDITORIAL A crise está anunciada a todo vapor, em todos os canais de comunicação e por todos os líderes empresariais. O governo, definitivamente não se entende. Enquanto o ministro Levy analisa as medidas tomadas no período anterior da administração federal, chamando de brincadeira a desoneração da folha de pagamento das empresas, por exemplo, a Presidente lhe dá um ‘puxão de orelhas’ via mídia, afirmando que ele cometeu um erro em sua análise. Quer dizer, é a ‘casa de Maria Joana’. E, nós simples mortais o que fazemos? Não podemos recolher as velas mesmo com os fracos ventos do crescimento econômico. Na verdade, só nos sobra a atitude habitual do empresariado brasileiro: continuar a acreditar na capacidade de sobrevivência do mercado. Criar novas ferramentas de marketing, desenvolver atividades de forma a superar o mau agouro tão difundindo. Para o segmento da bicicleta, o aumento do custo dos combustíveis pode ser um fator para que novos usuários passem a adotá-la como meio de transporte mais habitual, principalmente para aqueles que percorrem pequenas distâncias entre a casa e o trabalho. Os administradores das grandes metrópoles, como São Paulo e Rio de Janeiro têm construído ciclovias e ciclofaixas com este objetivo, alterando a sua característica de utilização apenas para o lazer aos finais de semana. Isso deverá incrementar os negócios nos pontos de venda. Mais ciclistas deverão preocupar-se com a manutenção periódica de suas bikes, causando um efeito em cadeia nas vendas e produção de acessórios, pneus e peças. Os serviços especializados, também deverão ser beneficiados. Vendedores, mecânicos e representantes de vendas, no entanto, terão de modernizar sua atuação para atender à estes novos consumidores. Pois, trata-se de pessoas mais antenadas com as novidades disponíveis no mercado internacional, acostumados a utilizarem os serviços à disposição na internet, onde encontram produtos de qualidade quase sempre a custos inferiores, com agilidade, dentro de prazos preestabelecidos. São consumidores mais exigentes, que prezam o atendimento de qualidade e atenção às suas necessidades, com soluções rápidas, mesmo que isso custe um pouco mais. A informática revolucionou as relações no mercado, também em bikes e bicipeças. Os profissionais e as ferramentas de marketing serão de grande importância neste momento para as empresas alcançarem melhores resultados, na conquista de mais espaço, na preferência dos consumidores. Identificar e solucionar as demandas, agir no tempo certo e não perder oportunidades. As marcas que estiverem mais próximas dos consumidores serão as escolhidas. Este é o principal efeito de uma boa ação e administração nos canais de comunicação. Todos nós!

Jurídico Dra. Adriana Carla Gomes P. Silva Assessoria gráfica Pavaprint Impressão Nywgraf R. Joaquim de Almeida Moraes, 273 Jd. Magali - CEP 02844-000 - São Paulo/SP Tel.: + 55 (11) 3461 8400 / 3461 8401 Fax: + 55 (11) 3923 5374

A cyclomagazine aceita matérias técnicas como colaboração. Os artigos deverão vir acompanhados de fotos ilustrativas com as respectivas legendas e curriculum do autor. A revista não se reponsabiliza por opiniões e artigos assinados que podem ou não expressar a mesma opinião do editor. As opiniões emitidas em artigos assinados são de responsabilidade do autor. A revista não se responsabiliza pelo conteúdo dos anúncios veiculados, nem por aquisições em função destes. Todos os direitos reservados, sendo proibida a reprodução total ou parcial, por qualquer meio, sob pena de procedimentos legais. A revista cyclomagazine é uma publicação mensal da Luanda Editores Associados LTDA., e tem sua marca registrada no INPI sob o número 820.332.593

Foto capa: Divulgação: Royal Ciclo | Paulo Cesar


. a z e r tu a n a u s a d te r a p z fa A bike que

. S O N E M R O P E K I B S I A M O T I U M . ” 9 2 4 . 7 L NOVA BIG WHEAEMTB com melhor custo-benefício do mercado. Performance Alloy Big Wheel 7.4 - 29”

Alta tecnologia ao seu alcance

Suspensão Rock Shox XC 32 eixo 15mm

Componentes ITM

Nova Traseira Tough Curve

Freio Post Mount

Pneus Kenda Small Block Kevlar

Grupo de peças Shimano SLX

Pedal Shimano PD-M520 Câmbio Traseiro Shimano XT M786

Conheça os outros produtos em nosso site e ofereça o melhor ao seu cliente.

www.oggibikes.com.br

VENDAS: 0800 702 8699 SAC: 0800 702 0801

#voudeoGgi

Pedalando e acelerando com você


CORREIO

INTERAJA COM A REDAÇÃO

Email: redacao@luanda.com.br Site: www.luanda.com.br

Endereço: R. Joaquim de Almeida Morais, 273 - CEP: 02844-000, São Paulo - SP

Oportunidade

Resp.: Parabéns a SCOTT Brasil pela continuidade da iniciativa. Além de agregar à marca, proporciona as crianças do Lar Nossa Senhora importante contribuição.

Necessito de um representante que atue nas vendas de bicicletas prontas, para São Paulo ou Brasil todo. Começarei as importações em meados de Maio e gostaria de obter as informações sobre os produtos antes de meu embarque para a China.

Entidade beneficente

Estamos muito felizes em poder celebrar os resultados de um ano de muito trabalho e que foi de muitos obstáculos. É um prazer compartilhar este momento de alegria com vocês, que estiveram conosco na nossa luta diária, sem se esquecer de que as crianças precisam de nós para protegê-las. Não mediremos esforços para que 2015 seja ainda melhor, beneficiando mais crianças e colaborando fortemente para que este país seja um lugar melhor para se viver, mais digno e justo com todos, principalmente com as crianças que mais precisam. Contamos com vocês em 2015! Um excelente ano!

Angélica Reis São Paulo-SP Resp.: Esperamos que as nossas indicações tenham sido válidas para os seus objetivos.

Renovação de apoio

A SCOTT Brasil confirma apoio à instituição LAR NOSSA SENHORA na temporada 2015. A parceria possibilita a sequência do trabalho da equipe da entidade que, no último ano, confirmou-se como uma das principais no cenário brasileiro de mountain bike. Os quatro atletas da equipe principal da entidade, Luiz Henrique Cocuzzi, da categoria Sub-23, Jaqueline Borba, Juliano Coccuzi e Edmilson Macedo, os três da Júnior, irão competir com quadros Scott. Mas o relacionamento entre marca e instituição vai além: outros jovens também receberão apoio e a equipe irá utilizar sapatilhas e capacetes da marca suíça. Seppia Geração de Conteúdo Carlos Ghiraldelli/ Murilo Rezende São Paulo-SP

06 | cyclomagazine

Camila Silva Assessoria de Marketing Fundação ABRINQ

Resp.: Parabéns aos integrantes da ABRINQ, que mais uma vez conseguiram atingir as suas metas.

Curta Cyclomagazine no face

Agradecimentos

Recebemos mensagens de amigos, clientes, fornecedores e leitores com os cumprimentos Natalinos e Ano

Novo. Agradecemos e retribuímos desejando que o próximo ano seja superior em todos os aspectos para cada um. Leonor Fernandes Costa (Pneus Technic), Claudio Estevam Próspero, Pluricom Informa, Vimax srl, deputado Mendes Thame, Nissam Brasil, Tony Almeida, Salão Bike Show, Cecy Passos, Lionel Falcon., rmg Recursos Humanos, Wayne de Oliveira Carvalho, Grêmio Porto Alegrense, Estilo Press, Audro Leite, Holding Comunicações, Verdelho Associados, Mundo Press Jornalismo Estrategico, Vereador Claudinho de Souza, deputada federal Renata Abreu, RV Mondel Comunicações, José Ricardo Barcellos Machado, Karina Oliveira (Nurnberg-Messe Brazil), Marcelo Menezes, Catho Profissões, Renata Cabral (Fundação Abrinq), Marcelo Miramon, Breno Tonon (Original Representações), Max Press, Pro Tork, Link Assessoria de Imprensa, Informamidia, Premier Pet, Centro de Turismo Alemão, Felipe Gonçalves (3MGC), Paulo Frota, José Roberto Di Cicco, Milena Souza, Renata Pereira, Diafrag, Mariana Del Rio, Anfamoto, Vera Moreira, Augusto


Guidões

Guidão Master

Trolhões

Trolhinho

• Guidão Downhill 665 /com travessa trolha vermelha

Trolha

Trolhão frizado

Trolhão pop

• Guidão Mega 31,8

Suporte para guidão

• Guidão Downhill 590 /com travessa

Trolhão polido

Manete

• V. Brake

• Falcon • Guidão CB • Life 25,4 22,2

• Guidão CG

Lançamento

Descanso

• IH. Set Mtb Longa

• Frontal Modelo Novo

o

• Fix

• Mega • Tradicional

Sky • Tipo

l

uláve

• Reg

• Fixo

r

Bicolo

• Junior (Preto brilhante)

www.unicicli.com.br

• Tradicional Verde neon

sac@unicicli.com.br Fone: (11) 4678-1360 Fax: (11) 4675-2334


CORREIO

Representações, Humberto Alves Mendes, Pegrucci Representações, Eqmax System,Céu Comunicação, Sandra Schuster (DrogaVet) WDL ,Cycle Parts, General Wings.Mister Bike,Cetec, Paulista Busines,Eco Start, Emtecorp,Harlerey Santos, Nortgraph,Zé do Pedal,Bruno Fantoni (Infra Expert Tecnologia), Gilberto Godoy, Rubinho pesca&aventura, Gráfica Mundo, Luigi Sciannelli, Mega Cycle, Man LatinAmerica,Silver Bike,Carrera Ciclopeças,Adelimar Representações,Wesling Moura Lima, Mauricio Pateo,Marcelo Sá, Original Trade Corp., WJ Montagens, Reed Alcantara, Bicimotos Representações, Vulcanbor, A Perilo Representações, Ana Amorim ( Pellegrino ) Nivaldo ( Panteiro ) - Fabiana Camera ( Provision) - Monica Morais ( Cinborg ) - Alexandre Soares ( Águia Motos RS) - M. Maia Representações, Thais - Central de Fontes Comunicação, Printer Press Comunicação Corporativa, Trevisan Escola de Negócios e da RV&A, Petshine, Escritório do Dep. Walter Feldman, Esporte Clube Pinheiros, FutPress Comunicação, Dimas Nogueira, Camaras Premium, Moto Traxx da Amazônia Ltda., Carlos

Ghiraldelli - Aliança Bike, Metzeler, Scott Lukaitis, Studios Disney, Detona Ralph, Printec Comunicação, Multiservice, Brasil Cycle Fair,Rinaldi, Wendel Santana, Isapa, Adilson J. Ribas - R&R Repres., Vedamotors, Jeferson Friche - M.FRIK, Adriana Carla Gomes Pereira Silva e Cia., D. Franco Audio Visual Eventos, Sidnei - SD MKT, Luiz Kuhlmann, Dog Clean, Durvalino Representações, Priscilla Bonifacio F. de Souza, Instituto Bioethicus, Veterinária Pet Brasil, Editora Abril, Cummins Brasil Ltda., Moto e Motos, NEK, Condessa Imóveis, Boxnet / Maxpress / Todos Ouvidos, Manesco Sociedade de Advogados, Representações Paiva Ltda., Paraíso das Bicicletas, Mundo em Duas Rodas, Qualimatic, Cilirio - Fotografo, Interfil, Assomotos, Correios, CJS Artes Gráficas, Protork, Tatiana Jacobina Ediouro Publicações, Tim Representações, Laquila Peças, Center Bike - César, K.I. Representações Ltda., Privalia e Claire&Bruce, Bosch Imprensa, Shimano, GVS Sport, Bikeland

Curta Cyclomagazine no face


NEGÓCIOS

MUDANÇAS EM DIREÇÃO DE EMPRESA O ano começa trazendo surpresas e mudanças em empresa estável em sua administração e formatação societária. O anúncio da saída da empresa que detém as marcas Unicicli e GTU de sócios que permaneceram durante por mais de duas décadas na sociedade é anunciada pelos diretores que permanecem Texto: Osmar Silva

10 | cyclomagazine

O

s últimos dias foram de surpresa com o anúncio de mudanças na direção da Unicicli, empresa produtora de acessórios em alumínio para vários modelos de bikes. Tradicional nas atividades do mercado, reconhecida por sua competência na criação e industrialização de vasta linha que abastece há 24 anos as prateleiras de lojas em todo o país, tinha uma composição societária que vinha atuando neste período de forma estabilizada. Os sócios Arlindo Pereira de Morais e Ivone de Oliveira Morais permanecem e anunciam a continuidade das atividades da empresa com normalidade, atendendo a demanda do mercado por seus produtos. Não sofrem alterações imediatas a questões de preços e condições que vinham sendo praticadas, bem como a rede de representantes de vendas, segundo o diretor Arlindo Pereira de Morais. Também os projetos de novos lançamentos, não sofrerão solução de continuidade e a empresa pretende impulsionar as suas relações com o mercado nacional e implementar atividades visando obter parcerias de caráter internacional. Os diretores remanescentes, não comentaram as razões que motivaram as

mudanças no quadro diretivo, deixando transparecer tratar-se apenas de uma correção nos destinos e objetivos profissionais de quem deixa a empresa. Nada que traga qualquer desestabilização em qualquer um de seus departamentos, sejam de administração, produção ou vendas. Demonstrando total segurança em suas metas o diretor Arlindo Pereira de Morais confirmou e garantiu a participação da Unicicli no Encontro Cyclomagazine que irá acontecer em Florianópolis – SC no período de 05 a 08 de março, no Hotel Cambirela, onde terá a oportunidade de fornecer aos participantes do evento e parceiros da marca, maiores detalhes que dizem respeito às possíveis alterações que poderão ocorrer proximamente em lançamentos de produtos e ampliação número de itens fabricados. Pode-se, no entanto, prever maior intensidade nas atividades futuras da empresa, já que sangue novo está sendo injetado, com a nova participação dos filhos de Morais. Novas ideias, comportamento e compromissos naturais da juventude que chega para participar deste novo momento em suas vidas profissional e da relação pessoal e dar a sua contribuição para o desenvolvimento dos negócios. Na sequencia, leiam comunicado distribuído pela empresa.


I Reprodução UNICICL


NOTAS ITENS ESSENCIAIS PARA PEDALAR COM CRIANÇAS Para garantir que o ciclista não fique parado e trazer mais pais e mães para hábito do pedal, a Topeak dispõe de produtos que trazem conforto e segurança ao ciclista com criança. São acessórios como: cadeirinha, cesta de guidão, luz traseira, bomba de ar e miniferramentas, que possibilitam atividades com mais qualidade.

ACESSÓRIO INTEGRA BICICLETA AO SMARTPHONE O Cobi é um aparelho desenvolvido pela empresa SDK que, integrado à bicicleta, é capaz de ajustar o volume, mudar músicas, controlar a iluminação, atender chamadas e visualizar mapas. Quando instalado no smartphone, adiciona ainda mais de 100 aplicações para qualquer bicicleta. A bateria do celular é carregada durante as pedaladas e o dispositivo fica munido de segurança, destravando a bicicleta apenas para

12 | cyclomagazine

quem tem permissão. O aces- Miguel e Getúlio Vargas. O novo sório ainda não está disponível espaço será voltado, principalno mercado. mente, para as pessoas que usam as bicicletas para ir trabalhar. A obra, que tem 2,5 metros de largura, conforme determina o Código de Trânsito Brasileiro, integra o plano de ampliação e interligação da malha cicloviária da capital.

NOVO TRECHO DE CICLOVIA EM VITÓRIA (ES) Inaugurado no Centro de Vitória, capital do Espírito Santo, aproximadamente 800 metros de ciclovia que vai percorrer toda a extensão da calçada alta do Porto, entre as avenidas Elias

DESENVOLVIMENTO DE HANDBIKE PARA COMPETIÇÕES A Vemex está desenvolvendo a primeira handbike de competição brasileira. A empresa, que recebeu R$ 1,5 milhão da Financiadora de Estudos e Projetos, criou outros produtos inovadores: as cadeiras de rodas Strix e Falco foram elaboradas para trazer conforto e liberdade às pessoas portadoras

de deficiência. O modelo Falco, inclusive, já está disponível no mercado. A previsão de lançamento da handbike é em abril.

FALTA DE SEGURANÇA ASSUSTA CICLISTAS As ciclofaixas no Recife (PE) têm sido alvo de assaltantes. Os 30km de extensão que interligam as Zonas Sul, Norte e Oeste de Recife têm as ruas movimentadas, mas em alguns pontos, deixam os ciclistas com medo. Assaltos têm sido constantes e alguns usuários deixaram de pedalar. A ciclofaixa passa por 31 bairros e costuma receber cerca de 17 mil pessoas. Ainda não existe policiamento exclusivo para ciclofaixas e ciclovias do local.


perere


NOTAS

LEI DA BICICLETA É SANCIONADA EM CURITIBA (PR)

Curitiba(PR) é a primeira cidade brasileira a ter uma norma que destina 5% das vias urbanas para a construção de ciclofaixas e ciclovias. A “Lei da Bicicleta” foi

sancionada pelo prefeito Gustavo Fruet e institui a bicicleta como modal de transporte regular de interesse social. Com a nova regra, a construção das ciclovias

agora segue um padrão, que inclui, entre outros itens: mão única em cada faixa, no mesmo sentido dos carros; demarcação dos símbolos de bicicleta no pavimento no mesmo sentido da faixa; largura de pelo menos 1,5 m para o ciclista pedalar com conforto; pavimento demarcado por contraste de cor. Por orientação do Denatran, é necessária a instalação de tachões bidirecionais na cor amarela para separar a ciclofaixa das ruas e avenidas.

de manutenção das bicicletas e organizadas para o benefício de de investimentos em viaturas todos os cidadãos, tendo como motorizadas. mote a defesa da bicicleta como liderança na formação de uma cidade justa e sustentável para todos.

PATRULHAMENTO É FEITO COM BICICLETA O 4º Batalhão da Polícia Militar do Distrito Federal, localizado no Guará, região do Distrito Federal, lançou projeto em que policiais farão o patrulhamento de bicicleta. Os militares circulam na área para apresentar os novos equipamentos à comunidade onde ouviram elogios em relação à iniciativa. De acordo com a PM, a prática foi utilizada em meados da década de 1990 e também em 2004 em todo o DF, mas acabou extinta por falta

14 | cyclomagazine

BRITÂNICOS CRIAM GUARDACHUVA PARA BIKE IV FÓRUM MUNDIAL DA BICICLETA

PREFEITO ANDA DE BICICLETA Depois de três anos realizado no DURANTE Brasil, o IV Fórum Mundial da INAUGURAÇÃO Bicicleta aconteceu em Medellín (Colômbia). O evento apresentou o tema “Cidades para Todos”, em relação às ideias voltadas para o ser humano e espaços de convivência. O Fórum discutiu como as cidades podem ser

O prefeito de Fortaleza (CE), Roberto Cláudio, inaugurou as ciclofaixas dos bairros Bom Jardim (8km de extensão) e Granja Portugal (6km de extensão). Na ocasião, o prefeito foi acompanhado de outros ciclistas.

A TDM Innovation criou sistema que pode solucionar um dos problemas do ciclista: a chuva. O Leafxpro é uma espécie de guarda-chuva que protege os ciclistas das pequenas gotas ou das tempestades. Na descrição do projeto, que está em busca de financiamento coletivo para ser produzido em larga escala, os criadores explicam que o equipamento pretende dar mais liberdade a quem anda de bike.


NOTAS

PEDALANDO COM O PÁTIO

“Uma Noite no Museu 3 – O Segredo da Tumba”, que estreou Em uma ação inédita para ce- nos cinemas, o Shopping Pátio lebrar o lançamento do filme Paulista e a Fox Film do Brasil

realizaram passeio noturno de bike pelo centro histórico de São Paulo. Com cerca de 2 horas de duração, o percurso com

aproximadamente 13km passou pelo Masp, Theatro Municipal, Mosteiro São Bento e na Praça da Sé, em frente à Catedral. em caso de colisão iminente. O ciclista será advertido por um sinal luminoso no capacete.

CAPACETE HI-TECH PARA PROTEGER CICLISTAS

SUPORTE DE BIKE EM ÔNIBUS

BATE-PAPO SOBRE Está em Brasília o projeto de lei O PARIS-DAKAR que prevê a instalação de racks para transportar bicicletas nos ônibus da capital federal. A estrutura deverá ser colocada na parte dianteira ou traseira externa dos ônibus e ter capacidade para abrigar pelo menos três bicicletas. Ainda sem a sanção do governador Rodrigo Rollemberg, se aprovado, as viações deverão se adequar e arcar com os custos.

16 | cyclomagazine

O jornalista Julio Cruz Neto, autor do livro “O caranguejo do Saara”, e o piloto Klever Kolberg, pioneiro do Brasil na competição, participaram em São Paulo de bate-papo sobre a experiência que ambos tiveram de participar do Paris-Dakar. A obra é baseada nas edições de 1999 e 2000, que Klever disputou como piloto de carro e Julio cobriu para o Grupo Estado.

Uma parceria entre a Volvo, a POC e a Ericsson resultou em protótipo de capacete capaz de gerar alertas de proximidade tanto de carros Volvo para os ciclistas como das bicicletas para os motoristas. A solução abriu caminho para o novo conceito integrado ao capacete. Mediante aplicativos populares, é possível conhecer sua posição em relação ao carro e vice-versa usando a rede de informações on-line da Volvo. Os dois serão alertados

CONSCIENTIZANDO MOTORISTAS Os adesivos da campanha #estacioneinaciclofaixa foram distribuídos pela prefeitura de Salvador para grupos de cicloativistas da cidade. Com a frase "Estacionei em uma ciclofaixa", os cinco mil adesivos têm como objetivo conscientizar motoristas sobre a importância de não estacionar nas ciclofaixas e ciclovias da cidade. Segundo a prefeitura, a campanha foi inspirada em ciclistas canadenses que resolveram colar adesivos com os dizeres "I parked in a bikelane" (Eu estacionei na ciclovia) nos veículos das pessoas que insistiam nessa prática.


arosul


NOTAS

SEMANA DE INCENTIVO AO USO DE BICICLETA

O deputado estadual professor Rinaldo apresentou projeto de lei que institui política de incentivo ao uso de bicicleta como modo

ESTRADA PARA BICICLETA

PASSEIO BENEFICENTE ARRECADA MATERIAIS ESCOLARES

O prefeito de Londres, Boris Johnson, aprovou a construção de uma estrada que fará a ligação entre as regiões leste e oeste da capital inglesa, propiciando economia de tempo aos ciclistas. Segundo o projeto, a pista exclusiva será separada da via dos carros. A construção está orçada em 41 milhões de libras. O projeto ainda precisa de aprovação do conselho. Caso aprovada, a estrada deve ser entregue em 2016.

Em comemoração ao aniversário de 461 anos da cidade de São Paulo, a Bike Tour 2015, tradicional passeio organizado pelo Clube Sampa Bikers, teve como ponto de partida o Memorial da América Latina. A largada aconteceu às 19h, teve percurso total de 20 km pelas principais ruas e avenidas do centro da cidade, passando por pontos turísticos do centro, em que mostrou os benefícios do

18 | cyclomagazine

de mobilidade urbana. O objetivo é reduzir o índice de poluição dos centros urbanos, além de evitar o uso de automóveis, estimu-

lando e oferecendo condições à utilização de bicicletas. Para a execução da proposta está prevista a implantação de ciclovias e ciclofaixas, interligadas entre si. O projeto também prevê a criação da ‘Semana de Incentivo ao Uso de Bicicleta’ a ser comemorada em 22 de setembro de cada ano, que é considerado o dia ‘Mundial Sem Carro’.

uso da bike. O valor da inscrição foi a doação de um Kit Material para alunos do Fundamental I, doados para o Bazar da AACD.

e Trânsito estudam áreas além de onde estão localizadas as 15 primeiras estações, entregues em dezembro do ano passado.

BICICLETÁRIO SERÁ INSTALADO EM MARÇO O sistema de bicicletas compartilhadas de Fortaleza (CE) vai demorar para chegar em outros bairros da Capital. Prometidas para fevereiro, as outras 25 estações seguem sem locais definidos para implantação. De acordo com a Prefeitura de Fortaleza, técnicos do Plano de Ações Imediatas em Transporte

DOAÇÃO DE BICICLETAS PARA ESTUDANTES DE UNA A Bayer em parceria com a ONG Voluntários do Sertão doaram bicicletas para alunos da Escola Municipal Humberto Rusciolelli, em Una, no sul da Bahia. Cerca de 39 estudantes foram beneficiados pela ação.


A SUA DISTRIBUIDORA DE PEÇAS PARA BICICLETAS

Televendas: (21) 2603-8632 (21) 3708-5570 (21) 3022-4098 CHEQUE


PERSONAGEM

20 | cyclomagazine


PATRÍCIA SADALLA

EMPREENDEDORA DE UM SONHO Patrícia Sadalla Collese se prepara para ir ao trabalho cedo. Ela é corretora de seguros. Pode parecer um pouco estranho contar a história de uma empreendedora no ramo da corretagem em uma revista de bike, considerando que ela se locomove de bicicleta até o seu trabalho poderia ser uma pequena nota para essa revista, mas a história vai muito além do que uma pedalada matinal Texto: Carolina Suffi Imagens: Hylario Guerrero

Ela é filha de Felício Sadalla, que tem uma história curiosa com São Paulo e as bicicletas Felício Sadalla, brasileiro, visionário, poliglota, domina oito idiomas, engenheiro industrial, se diz um curioso de biblioteca. Em seus tempos de estágio procurava saber de todas as novidades tecnológicas, e em meio a essas pesquisas se apaixonou por uma em especial, a ideia de que o Brasil precisava iniciar a fabricação de bicicletas elétricas, assim como os carros elétricos. O fato é que isso aconteceu há 35 anos, e ele construiu protótipos que o levou a ser um fanático por energia alternativa. “Precisava me locomover, diariamente, de casa ao trabalho. Fundei uma fábrica na cidade de São Paulo. Percorria o trajeto de 26 km entre ida e volta. A bicicleta que montei foi criada a partir da necessidade de minha locomoção. Todo o material utilizado na construção desta e-bike, se encontrava em ferros velhos espalhados pela capital. A bateria era a mesma que os aviões daquela época utilizavam. A partir da utilização pessoal da e-bike, quis chamar a atenção das autoridades locais com a tese de que num futuro São Paulo iria parar”, fala o visionário. “Como na época o fluxo de veículos automotores era muito pequeno, ninguém o levou a sério, fui taxado de louco e meu apelido era Professor Pardal. Lembro que um jornal de renome na Capital chegou a publicar uma matéria de capa falando sobre as minhas previsões ‘insanas’. Minha filha Patrícia, juntamente com minha família que sempre acompanhou o meu trabalho sabiam que eu estava com a razão, falando a

verdade e me encorajavam a continuar com o projeto”, desabafa. Porém, em 1980, Felício Sadalla desistiu de sua luta. Já estava exausto de levar tantos não’s. Levou esse projeto a Brasília, para as autoridades competentes da Capital Paulista e aos grandes fabricantes da época. Embora todos se interessassem pelo projeto, ninguém queria investir porque não acreditavam que São Paulo pararia 35 anos depois. Foi quando começou a se dedicar a carros elétricos e passou a fazer parte do Conselho Internacional de Carros Elétricos representando o Brasil. O tempo passou e Patrícia, filha de Felício Sadalla tornou-se corretora de seguros. Após longa experiência no ramo abriu a sua própria Corretora. A profissão de corretora começou a mostrar para ela a tese que seu pai defendia quando projetou a bicicleta elétrica. As grandes companhias de seguro encontravam dificuldades para o socorro de um segurado, uma vez que São Paulo estava ‘parado’ com o fluxo de carros pelas ruas e trânsito caótico, muitas vezes uma simples pane elétrica demandava horas de espera até que o resgate chegasse. Patrícia conta que em 2008, ao ver seu pai frustrado, com princípio de ‘mal de Parkinson’, mal conseguindo se levantar do sofá, perguntou qual seria seu grande sonho, e ele respondeu que gostaria de trabalhar somente em laboratório de pesquisa, para poder desenvolver seus projetos, sem se preocupar com quanto ganharia ou quanto gastaria. “Uma seguradora estava começando um

cyclomagazine | 21 47


PERSONAGEM

projeto com bicicletas comuns, para usa-las em pequenas distâncias e lugares com muito trânsito, a intenção era enviar o vistoriador de bicicleta comum até o segurado. Esse projeto foi apresentado no dia 9 de março de 2008 e, por coincidência eu estava nesse evento, e não conseguia ter outro pensamento que não fosse o meu pai contribuindo com tudo aquilo. No dia seguinte enviei um e-mail ao dono da Cia, explicando sobre o projeto que para mim era ideal de alguns anos atrás. Apresentei o meu pai como autor do tal projeto e expliquei o quanto isso poderia contribuir com o projeto da companhia. Consideraram o fato de colocar o meu pai para trabalhar como voluntário no desenvolvimento, passando toda a sua experiência acadêmica e enciclopédica sobre ‘bicicleta elétrica’, pois o importante era mantê-lo ativo para que nenhuma doença ou estado psicológico o abatesse”, expõe Patrícia que fala com avidez. “Logo na apresentação, a proposta foi muito além do que a Cia havia se programado. Fizeram um escopo de como a bike elétrica poderia contribuir em pequenos socorros mecânicos e elétricos na grande cidade. Argumentei o fato da melhoria da saúde dos seus colaboradores, da rapidez e agilidade no atendimento. Citei o quanto a Cia ficaria bem vista com a satisfação dos clientes, e o mais importante, o Marketing: seria a primeira Cia de seguro a utilizar bicicleta elétrica, tornando-se pioneira

22 | cyclomagazine

Meu orgulho foi ver que em determinado estágio, meu pai, o inventor estava completamente satisfeito com a proporção e rumo que as coisas tomaram, e com a sua contribuição. Ele, finalmente, recebia o reconhecimento do seu nome e a sua história no manual de instruções da e-bike”

e formadora de opinião para as demais”, explica Patrícia. Após enviar o e-mail a surpresa foi quase que instantânea. No dia seguinte lá estava a resposta para que fosse agendada uma reunião para se conhecer melhor o projeto. Em 2008 começou o projeto piloto que durou três meses e foi sucesso absoluto, e, tinha como objetivo principal levar a conscientização à população e às autoridades competentes sobre ciclovias e qualidade de vida na capital Paulista. “Para a surpresa de todos, houve um feedback de que as pessoas que eram socorridas queriam comprar a bicicleta. Como não haviam pensado nessa possibilidade foi colocado um lote mínimo de 250 bicicletas para venda e nasceu a FELISA, que é a junção do nome de meu pai Felício com a primeira sílaba do sobrenome SADALLA. Nesse estágio, meu pai, o inventor estava completamente satisfeito com a proporção e rumo que as coisas tomaram, e com a sua contribuição. Ele, finalmente, recebia o reconhecimento do seu nome e a sua história no manual de instruções da bicicleta”, conta Patrícia orgulhosa. “No primeiro instante, em 2009, eu imaginava que iria ganhar muito dinheiro vendendo as bikes (apesar de não ser este o objetivo inicial de minha ideia junto à seguradora). Com o passar dos anos entendi que este projeto não era de curto prazo e que ao invés de faturar com a venda das bikes, eu conquistava

novos clientes (tanto pessoas físicas quanto empresários) devido ao marketing que minha corretora passou a ter no mercado profissional”, desabafa a empresária que descreve o número de reportagens nas mídias e principalmente o contato direto com as pessoas nas ruas. “Isso tudo fez com que firmasse muito a imagem da corretora de seguros, dando credibilidade e fechando muitos novos negócios em termos de seguros. Usufrui sem interesses e sem querer, de uma história para a minha empresa de forma positiva, além do objetivo principal que não podemos esquecer ver o meu pai ativo, feliz e realizado”, conta Patrícia. Hoje, Patricia Sadalla Collese, a Empreendedora de um Sonho investe muito em dar consultorias em seu bairro, no intuito de cada vez mais continuar pedalando e unindo o útil ao agradável. Leva uma vida totalmente consciente em uma grande cidade chamada São Paulo. Utiliza a e-bike para ir e vir do seu escritório todos os dias, assim como o seu pai fazia há 35 anos. Conseguiu continuar com o legado de um sonho que estava esquecido por muitos. Mas ela não se cansa de dia após dia repetir para as pessoas a mesma história, simplesmente porque tem a convicção da sua procedência e dos resultados positivos que isso pode impactar na vida dos paulistanos em particular e de todos os brasileiros de uma forma geral.


NEGÓCIOS

LAQUILA INGRESSA NO SEGMENTO DE BIKES Distribuidora e fabricante de peças para motos e acessórios para motociclista, a Laquila passa a atuar também no segmento de Bike. A empresa incorporou a paulista Motobici, que comercializava os produtos Luma Cadeados e que possui 30 anos de experiência no mercado nacional. O início da comercialização está prevista para março de 2015 Reportagem: Hylario Guerrero Imagens: Divulgação

24 | cyclomagazine

P

ermanece a sede da Motobici, em São Paulo, e todos os profissionais da empresa incorporada. Com mais de 300 m2, a estrutura agora da Laquila pretende em pouco tempo comercializar mais itens do segmento. “A conscientização do uso das bicicletas como meio de transporte impulsiona o setor, que se encontra em constante expansão, por isso pretendemos aproveitar este momento". "Com a compra da Motobici, nos aliamos a profissionais fortes e com conhecimento especializado, o que agilizará nossa penetração neste mercado”, explica Charlles do Reis, gerente comercial.

CYCLOMAGAZINE A partir de quando surgiu a ideia da Laquila Motopeças incorporar a empresa Motobici? Charles dos Reis - A ideia da Laquila incorporar os produtos da Luma surgiu no decorrer de 2014. O que a Motobici fabrica ou importa? A Motobici, que está sendo encerrada, era uma filial da Luma Espanha e importava para o Brasil os produtos Luma. Há quantos anos a Motobici atuava no mercado? A Motobici atuou no mercado durante 16 anos.


LAQUILA

A Motobici detém a marca Luma ou apenas comercializa produtos da marca? A Motobici como filial da Luma comercializava com exclusividade os produtos da marca Luma (moto e bicicleta). Com esta incorporação a marca Luma deverá mudar de nome, ou os Cadeados Luma continuam com a mesma nomeclatura? Com esta incorporação, a marca Luma permanecerá e terá a mesma nomenclatura de produtos.

Qual o interesse da Laquila, enquanto motopeças ir para o segmento de bike? Em busca do que podemos chamar de crescimento e expansão, a Laquila enquanto motopeças expande seu leque de produtos para o mercado de bicipeças como nova opção de negócios e oportunidades, no setor.

ocupando as instalações da Motobici e absorvendo toda a sua estrutura comercial. O endereço comercial da Motobici continua o mesmo, ou será uma filial da Laquila? A filial Laquila em São Paulo será no endereço atual da Motobici. Rua Barão do Bananal 475, Vila Pompéia, São Paulo.

A Laquila incorporou a Motobici que comercializava produtos Luma, ambas empresas continuam no mercado? A Motobici encerra a partir de então as suas atividades e a Laquila abre sua filial em São Paulo,

cyclomagazine | 25


LANÇAMENTOS 01

02

03

04

01 HOUSTON MERCURY HT

Linha aventura. Possui quadro em alumínio hard tail, disponível nos tamanhos de 17” e 19”. Novas cores: vermelho e preto, e adesivagem. Suspensão over com ombro em alumínio. Curso de 80mm, e Aro Aero 26”. Parede dupla com 32 furos, e roda livre de sete velocidades Index Shimano.

www.houston.com.br

02 SANTA CRUZ NEW V-10

Com redução de peso, a bike ganhou mais força. Toda em carbono. A V10 tem 2 set-ups de geometria que se ajusta com chave allen de 6mm. O set-up "high" a caixa de direção fica com 64 graus e no set-up "low" ela é mais "chopper" por 1/2 grau e desce o movimento central 1/4 de polegada para ganhar mais estabilidade em velocidades altas.

www.santacruzbicycles.com

03 LINHA MAGMA

Compõe a linha full suspension Soul Cycles 2015. A bicicleta foi pensada para o ciclista que quer pedalar em trechos longos e com relevo variado. É equipada com quadro Soul full suspension TPR in board com 100mm de curso moldado em fibra de carbono UD com eixo traseiro 142x12, suspensão Rock Shox Reba de 100mm com eixo de 15mm, grupo de peças Shimano que mescla componentes XT e SLX e rodas Shimano MT66 29 com pneus Rubena.

www.soulcycles.com.br

26 | cyclomagazine

04 LINHA TREK SUPERFLY 2015

Os novos modelos foram criados para pisos mais irregulares em competições de longas distâncias, sem perder o controle e o desempenho. A linha traz o conceito Smart Wheel Size, que garante o tamanho certo de roda em cada tamanho de quadro: rodas 27,5 pol. em quadros 15,5 pol., 29er em 17,5 pol. em diante.

www.trekbikes.com.br


05 06

07 08

05 EPIX DA GARMIM

É construído em aço inoxidável, a prova d’água (50 metros), que armazena em seu interior uma antena omnidireccional EXO capaz de receber sinais dos sistemas de navegação por satélite GPS e GLONASS. O relógio tem tela colorida touchscreen de 1,4 polegadas e resolução de 205 x 148 pixels, que dá acesso a uma série de aplicativos para uso esportivo. O ConnectIQ, uma nova plataforma lançada pela Garmin, funciona de maneira similar ao Google Play. Estará disponível para o Forerunner 920XT, Vívoactive, Fenix 3 e Epix. Armazena até 8GB de mapas e imagens off-line.

06 THULE CROSS OVER

Crossover é a linha clássica de mochilas e malas. Funcionais, com SafeZone e compartimento acolchoado integrado para laptop. Correias de compressão que personalizam o tamanho da bagagem, divisórias e bolso lateral para colocar garrafa de água. Os modelos para viagem possuem correias armazenáveis que permite levar a mala com sistema de carrinho nas costas.

07 THULE CHASM

A mochila é confeccionada com o tecido tarpauli. Possui resistência e durabilidade com alças que permitem rápida conversão para se “transformar” em mochila, mala ou bolsa no formato “duffel”. Bolsos internos e abertura ampla no compartimento principal. Ideal para transportar equipamentos em qualquer competição esportiva, treino ou viagem.

08 POLAR M400

A Polar apresenta o M400, relógio esportivo equipado com medidor de frequência cardíaca e GPS. Ele combina a precisão do localizador com registro de atividades que utiliza a tecnologia Bluetooth Smart para conectar-se com dispositivos compatíveis.

www.polar.com

www.thule.com/pt-br/br

www.thule.com/pt-br/br

www.garmin.com/br

cyclomagazine | 27


LANÇAMENTOS

09

10

11

12 12

09 SAPATILHA 2FO COM CLIP

A Specialized lança a sapatilha 2FO que proporciona controle, conforto e proteção para o ciclista. Seu clipe não acrescenta peso no ajuste. O produto foi desenvolvido e testado por atletas de downhill e all mountain do mundo inteiro.

www.specialized.com/br

10 LINHA DE LEDS PARA BICICLETAS

A OSRAM apresenta agora ao Brasil seus primeiros LEDs para uso em bicicletas. A marca a chega ao mercado com a linha LEDsBIKE, o primeiro portfólio voltado para ciclistas, com quatro opções de lanternas para variados tipos de bicicletas: LEDsBIKE FX10, LEDsBIKE FX35, LEDsBIKE FX70 e LEDsBIKE RX2

www.osram.com.br

28 | cyclomagazine

11 CAPACETE S-WORKS EVADE

Capacete aerodinâmico para competição. O S-Works Evade, combina desenho superior desenvolvido em túnel de vento, construção super leve e ótima ventilação para o melhor desempenho na Estrada ou Contra Relógio/Tri. Reforço interno Inner Matrix em Kevlar, patenteado, para reduzir peso sem comprometer o gerenciamento da energia do impacto.

www.specialized.com/br

12 ROCK SHOX LANÇA RS-1

A empresa lançou a edição limitada (somente 500 unidades) da sua suspensão invertida RS-1. O modelo não tem nenhuma mudança no funcionamento, apenas novo grafismo em rosa. Disponível para o mercado europeu.

www.sram.com


13

15 13 ÓCULOS SPIUK

A linha Ventix, da Spiuk, é versátil e moderna. Sua geometria super-extended e surround torna o modelo adequado para uso em montanha ou estrada. Lentes de policarbonato inquebrável com tratamento "antifog". Ampla gama de lentes e cores.

www.spiuk.com

14 LINHA

BONTRAGER

A Trek lança a sapatilha Race Lite Road Visibility, da linha Bontrager. Em Molde inForm Pro, sola em carbono Silver Series, índice de rigidez 10, fivela Micro-fit II e cabedal em tecido sintético com painéis em Lightning Mesh. Palmilha ergonômica inForm BioDynamic, que proporciona conforto para longos períodos de uso.

www.trekbikes.com/br

14

16 15 JAQUETA INTELIGENTE VISIJAX

O modelo usa 23 luzes de LED de alta intensidade para fazer o ciclista ser avistado à distância. Tem sistema que imita setas de direção de automóveis e usa material à prova d'água, deixando o corpo respirar. Ao levantar um dos braços para indicar o lado em que a curva será feita, a jaqueta acende luzes laranjas na mesma direção. Elas ficam acesas por mais alguns segundos mesmo com o braço abaixado, para acompanhar a execução da curva.

16 CARAMANHOLA TÉRMICA BIKE CAMELBAK

A garrafa Camelbak Podium Chill é 100% livre de BPA e BPS, leve e fácil de usar e sua hidratação é de alto desempenho. Possui bico de silicone maleável, seguro, removível e com sistema de fluxo em jato.

www.camelbak.com

www.visijax.com

cyclomagazine | 29


ESPECIAL

MERCAD NA OPINIÃO DE SEU A Ilha de Florianópolis (SC) possui inumeráveis encanto. Mas há outro prisma que a cidade oferece: vertiginoso comércio em diversos setores, e, no caso das bikes não é diferente. Floripa desponta como uma capital onde lojistas estão por toda parte, e histórias de promissores atacadistas. A cidade foi escolhida para sediar o 12ºEncontro de Negócios da Cyclomagazine, que reunirá toda gama de empresas e empresários que atuam no setor Reportagem Hylario Guerrero Imagem Arquivo Luanda

30 | cyclomagazine

Todo o Sul do país possui relevantes fábricas, montadoras, atacados e lojas do Paraná, Rio Grande do Sul, bem como nas inúmeras cidades de Santa Catarina. CICLES JAIME Localizada em Curitiba possui uma filial no Passeio Público, no centro da cidade. No mercado há 59 anos, seu fundador Jaime Nunes da Silveira foi o primeiro paranaense campeão de ciclismo de estrada nessa mesma época. “E por gostar tanto do ciclismo, comecei a consertar bicicletas e posteriormente a vender peças. Hoje contamos com 40 funcionários, somando o quadro efetivo da matriz e de nossa filial”, conta Marcos Alexandre Kramar. “Vemos o mercado um pouco retraído em nossa região e com dificuldades na área de

distribuição e de atacado, devido à própria economia do país, que ficou lenta em relação ao consumo neste início de ano. A alta carga tributária ainda incidente nas bicicletas e a inadimplência nas contas a receber também são fatores prejudiciais no ramo. Por outro lado podemos perceber uma maior utilização da bicicleta como meio de transporte alternativo pela cidade e a conscientização das pessoas para a mobilidade urbana e meio ambiente”, afirma Marcos. “Em relação as perspectivas para 2015, a bicicleta tem um mercado promissor e será o transporte do futuro, devido ao trânsito caótico nas grandes cidades. Para este ano, acho que já teremos muitas novidades positivas em relação ao consumo de bikes e acessórios. Andando pela cidade já se pode verificar o aumento de ciclistas e


REGIÃO SUL

DO SUL US COMPONENTES ativistas procurando espaço no trânsito. Verificamos também a procura dos ciclistas por bicicletas e equipamentos de melhor qualidade. Isso demonstra que o ciclista está mais exigente e consumindo produtos com maior valor agregado, o que melhora o faturamento final”, finaliza. Mario Alexandre Kramar é formado em Administração e Marketing Empresarial, e atua como Gerente Comercial de Distribuição e Atacado na empresa. FOEGER BICICLETAS Atuando há mais de 20 anos no estado do Espírito Santo, a FOEGER BICICLETAS inaugurou na segunda quinzena de fevereiro/2015, em Balneário Camboriú, SC, novo Centro de Distribuição, visando oferecer aos lojistas mais uma opção de compras na região sul do país.

Com inovações tecnológicas em controle de estoque, gestão em vendas, e site interativo, a empresa oferece serviço de vendas online, com foco no atacado, dispensando a visita de vendedores aos clientes, disponibilizando aos lojistas e profissionais do setor, uma ferramenta de fácil uso, transparente e intuitiva. Com isso acaba aquela velha burocracia de cadastros, de tabelas, de descontos, limites de créditos, digitação de pedidos, demora na separação, a espera da visita do vendedor, etc. Tudo online e automático. O cliente faz tudo sozinho, de acordo com sua disponibilidade de tempo, e as vezes até no conforto de seu lar. Oferecendo mais de quatro mil itens, dos mais variados, desde nacionais a importados a www.foegerbicicletas.

com.br, está antenada com as tendências de mercado, e busca constantemente melhoramentos tecnológicos. Pedidos realizados até às 11h são despachados no mesmo dia, inclusive para novos clientes. BIKE SHOP Localizados em São José dos Pinhais, com 10 anos no mercado, não possuem filiais. Eugênio Monaco Junior é ciclista e em sua loja conta com cinco funcionários. Segundo Eugênio o mercado de bike da região cresceu em 30% . E a esperança para 2015 é de crescimento, estimado novamente em 30%. Os proprietários da BIKE SHOP são Eugênio, e Carina Vieira Monaco. FACCIN BICICLETAS “Atendemos apenas no varejo, e não

cyclomagazine | 31


ESPECIAL - REGIÃO SUL

no atacado, pelo menos por enquanto. Estamos localizados em Santa Cruz do Sul, RS. Temos uma filial, mas com outra razão social. Estamos há 32 anos no mercado”, conta o proprietário Luiz Maganini Faccin. “Resolvemos entrar neste segmento por sentirmos as necessidades dos ciclistas do bairro. A loja iniciou apenas como uma oficina mecânica. Hoje temos sete funcionários que atuam em nosso quadro efetivo”, explica. “Vemos o mercado crescente com as bicicletas de lazer e esporte, e com redução de gastos, e como uso exclusivo para meio de transporte. Porém, as perspectivas para 2015, são de crescimento muito pequeno, mas com uma consolidação no mercado. Agora que estamos em novo endereço, pensamos em fixar nosso nome como uma loja de mais qualidade”, diz Faccin. O s propr iet á r io s d a FAC C I N BICICLETAS são Luiz Faccin, bacharel em Administração e Maristela Soares de Rezende, professora, enfermeira e Mestre em Desenvolvimento Regional. FERNANDO BIKES Fernando Martins Rosa é o proprietário do atacado FERNANDO BIKES em São Leopoldo, RS. E, possui outra loja, de varejo na mesma cidade. Estão no mercado há 15 anos, com sete funcionários que atuam no quadro efetivo do Atacado. Fernando conta que resolveu entrar no segmento de bike, através da proposta de parceria com um amigo. Para ele, o mercado em sua região está um pouco turbulento e as perspectivas para 2015 é de melhora no segmento devido os aumentos dos combustíveis. Fernando Vilmar Martins Rosa, e sua sócia

32 | cyclomagazine

Tatiane Domingues Rodrigues possuem nível superior incompleto. CICLISTA DIONE Localizada em Sapiranga, RS, o CICLISTA DIONE está no mercado há 34 anos com seis funcionários efetivos. “Resolvemos entrar neste segmento para atender às necessidades do mercado. Em nossa região, o setor está em ótimo crescimento, com muitas pessoas aderindo a bike, seja por necessidade ou por lazer. Quanto as perspectivas para 2015, o negócio é superar a questão da economia brasileira e torcer para que o governo baixe os impostos, principalmente do mercado das bicicletas”, responde animado o gerente Ivan Eduardo Bischoff. O proprietário do CICLISTA DIONE é Claudio Balduino Diefenbach. DALANNIO BIKE A Soney Comércio de Bicicletas ou DALANNIO BIKE é de Biguaçu, SC, e está no mercado há 24 anos. “Resolvemos entrar no segmento de bike por ser um mercado muito promissor e dinâmico e, tendo visto a carência de empresas do ramo na região na época da fundação da empresa, que hoje conta com vinte funcionários no quadro efetivo”, diz Irinésio Dal Annio, diretor. “Comercializamos a nossa própria marca e para a linha de montagem importamos alguns componentes”, explica. “O mercado de bike está em grande crescimento, tornando-se inclusive um considerável polo de distribuição em nossa região. Apesar de todas as especulações envolvendo o aumento do

dólar e a situação econômica do país, acreditamos em aumento das vendas em torno de 20% neste exercício”, finaliza Irinésio. Os proprietários são: Alexsandro Dal Annio, Administrador; Ogney Dal Annio, Engenheiro de Produção e Diretor Geral: Irinésio Dal Annio. TERTAU BIKES Sediada em Blumenau, SC, a Tertau Bikes não possui filiais, ainda, diz Gerson Gert, proprietário, mas que pensa seriamente nisso. Conta com nove funcionários. Está há 12 anos no mercado e resolveu entrar neste segmento através do convite do amigo Laurentino Wehrmeister, diretor da Wester. Além do que, Gerson sempre gostou de pedalar. “E porque não unir o útil ao agradável? começamos com pintura eletrostática a pó. Depois, integramos no primeiro ano o mercado atacadista de peças e acessórios. A partir do terceiro ano incorporamos a montadora de bicicletas”, conta Gerson. Comercializam diversas marcas nacionais e importadas, inclusive a marca própria Tertau. Segundo Gerson, o mercado de bike em sua região as expectativas de crescimento são lentas, devido à instabilidade governamental. “Isto tem causado prejuízos em todos os setores. Porém, as perspectivas para 2015 são as melhores possíveis. A qualidade dos produtos fabricados e o atendimento da equipe Tertau tem sido um ponto fundamental para a manutenção e a formação de novos clientes”. Gerson Gert Mantau é bacharel em ciências econômicas.


ESPECIAL - REGIÃO SUL

M.BIKE/ SOUTH BIKE “ Somos um Grupo composto por 2 empresas: atacado e varejo 4 lojas mais ecommerce: M.Bike e a fábrica de quadros e de bicicletas da marca South Bike. O Atacado está localizado na cidade de Novo Hamburgo, RS. E as quatro lojas estão localizadas em Porto Alegre, capital gaúcha. Estamos no mercado desde 1998 , quando inauguramos nossa primeira loja”, conta Eduardo Krafchinski. “Decidimos entrar no segmento porque na época acreditava-se ser um mercado promissor, o que foi se confirmando ano a ano. Então a empresa foi se fortalecendo ao longo destes 17 anos no mesmo ritmo que o setor se desenvolvia no Brasil. Sempre soubemos que nos EUA e na Europa a bicicleta estava muito à frente, porém não adiantava colocar o nosso mercado no ritmo americano ou europeu, devíamos sim esperar o Brasil amadurecer para este setor, e foi isto que nossa empresa fez. A M.Bike e a South Bike sempre souberam se colocar no seu lugar e hoje somos uma das marcas que mais cresce no Sul do país”. Atualmente as duas empresas contam com quadro de mais de 70 colaboradores entre fábrica, atacado e lojas. “Vemos o mercado de bike em nossa região de forma promissora. Percebemos que cada dia mais cai por terra a antiga sazonalidade deste setor. É claro que nossa demanda maior ainda continua sendo as datas especiais, como o Dia das Crianças e Natal, porém ano a ano observamos o mercado ir quebrando este paradigma e ao contrário de antigamente estabelecendo um equilíbrio cada vez maior nos outros meses do ano”. “Falando em perspectivas para o ano de

34 | cyclomagazine

2015, nossa empresa se preparou para ampliação de novos canais de venda no mercado e, dentro deste planejamento nos projetamos para um crescimento de no mínimo 30%”. Os proprietários da M.BIKE e SOUTH BIKE são Eduardo Krafchinski e André Marcelo Morais. CAMPTRAIL Eloi Ademar dos Santos, atua ao lado de seu filho Tiago Lumertz dos Santos que é comprador e gerente interno da empresa, localizada em Taquara-RS. “Estamos no mercado de bicicleta há 32 anos. Entramos neste segmento porque na época existia uma carência de oficinas especializadas e logo depois começamos no ramo atacadista onde estamos até os dias de hoje”, fala Tiago. Hoje contam com 56 colaboradores diretos. “Cremos que o mercado de bike poderia estar melhor, pois nos últimos anos foram criados muitos impostos e leis que acabaram prejudicando o setor, e hoje em dia estes impostos e leis são compridos por poucos, fazendo uma concorrência desleal com aqueles que trabalham dentro da lei”, enfatiza Tiago. Segundo ele, as perspectivas para 2015, não são das melhores. “Não querendo ser pessimista, mas com a crise que o Brasil está passando, aumentos em cima de aumentos, a carência por funcionários, enfim entre tantos outros motivos. Mas, não podemos baixar a cabeça, vamos continuar na luta e sempre com a visão de crescimento”, finaliza. JOBRASIL Iniciaram suas atividades no ano de

1946 como importadora de máquinas agrícolas, tratores e utensílios em geral. Depois com as mudanças de mercado foram se adaptando e migrando conforme as necessidades da região. Hoje atuam no varejo em três segmentos: autopeças, motopeças e bicipeças, além de bicicletas montadas, sendo o comércio de peças para motos e bikes o seu carro chefe. “Somos uma empresa consolidada no mercado com 69 anos de atuação junto ao mercado joinvillense e regional. A JOBRASIL é ganhadora de mais de dez prêmios Joinville de marcas”, conta o proprietário Darlan Fermiano Candido. Possuem duas unidades, ambas na cidade de Joinville, somando 19 colaboradores. “Além das vendas, também contamos com oficinas especializadas para a realização dos mais diversos serviços. No setor de bicicletas e peças trabalhamos com as maiores fábricas nacionais”, explica Darlan, casado e pai de dois filhos que há quase 20 anos estão no setor. Segundo Darlan, o ano de 2015 será um exercício de desafios para o setor, mas também com boas perspectivas para quem procura se especializar, motivado pela conscientização e popularização do uso da bicicleta, além de usá-la como meio de transporte, lazer e bem estar. CASA DAS BICICLETAS CASCAVEL Localizados na cidade de Cascavel, PR, estão no mercado há 23 anos. “Resolvemos entrar neste segmento porque, na época, o meio de locomoção mais comum em nossa cidade era a bicicleta. Surgiu então a ideia de montarmos uma oficina. Os anos foram


passando e sentimos a necessidade de ampliarmos o nosso estabelecimento sendo que, cada vez mais pessoas buscam um estilo de vida mais saudável, com isso abrimos as portas para o atacado e varejo, atendendo assim às necessidades de todos os clientes de Cascavel e região”, conta Adeni Hilario, proprietário. “Temos hoje 11 funcionários ativos. Aqui em nossa cidade e região, as bicicletas está tendo uma crescente aceitação e constante uso. Desde as bikes mais comuns até as mais sofisticadas. Mas, precisamos de mais apoio de nossos governantes, pois os altos impostos que recaem sobre as bicicletas dificultam que as pessoas tomem gosto e comecem a pedalar”, explica Hilario. Porém, as expectativas para 2015, segundo Hilario, são ótimas. “O mercado está em constante investimento e estamos ansiosos para crescermos, e mostrarmos às pessoas a melhoria que a bike pode proporcionar em nossas vidas”, finaliza. PINICOLAS BIKE Localizada na cidade de Cachoeirinha, no mercado há 25 anos, desde 1990, quando iniciaram como comércio varejista, e há 10 anos atuam também como atacadistas. Analdo Constante de Oliveira, diretor, resolveu entrar no segmento de bike em 1986, quando começou a trabalhar em uma oficina no bairro onde morava, juntamente com seu irmão Ailton Oliveira. Ambos como funcionários. “Depois de termos adquirido experiência, resolvemos abrir nossa própria oficina de bicicletas (em 1990). Com muito esforço e dedicação o negócio cresceu. Conseguimos comprar um terreno

onde construímos nossa loja. Eu e meu irmão constituímos família, superamos as dificuldades financeiras, e então veio a necessidade de expandir o negócio. Meu irmão, Ailton se dedicava mais a loja e a oficina. Quanto a mim, que tinha como meta expandir e vender para outras lojas e oficinas do ramo, percebi que ser atacadista era uma ótima oportunidade de crescimento”, conta Analdo, que no entre os anos de 2004 e 2005, por comum acordo, ele e Ailton resolveram desfazer a sociedade. Ailton ficou com a loja de varejo e serviços, e Analdo constituiu o Atacado, que conta com oito funcionários. Analdo vê o mercado com otimismo. “Mesmo com a crise política e econômica do país, acreditamos que haverá crescimento do nosso ramo, pois a bicicleta é uma ótima alternativa em tempos de dificuldades. Além disso, no nosso ramo temos duas opções para explorar: quando a situação está favorável, podemos investir em peças e em bicicletas de melhor qualidade, de maior valor agregado. Por outro lado, em tempos de crise, podemos focalizar na bike do dia a dia mesmo, suprindo aqueles que necessitam dela para seu transporte diário”, informa. Segundo Analdo, em 2014, não houve as vendas esperadas. Nos meses de ‘alta’: outubro e dezembro. “Isso em comparação aos anos anteriores, porém fechamos o ano com aumento no faturamento. Houve um equilíbrio nas vendas o ano inteiro. Para 2015 nossa meta é continuar o crescimento nas vendas, aumentando o número de clientes, explorando novas áreas de atuação. Sempre visando melhorar a qualidade do nosso trabalho,

através de uma boa parceria com nossos fornecedores”, otimiza Analdo Constante que conclui: “O negócio é ver oportunidade até mesmo na dificuldade. O que não podemos é nos desmotivar!”. DEPEDAL BIKES Situada em Coronel Freitas, Oeste do Estado de Santa Catarina, não possui filiais. Estão no mercado há seis anos, por acreditarem que a tendência dessa atividade é de crescimento ano a ano. Contam com seis funcionários. Comercializam a própria marca: Depedal. "Apesar de nossos governos estarem atrapalhando o desenvolvimento do país, a política em nossa empresa está focada em atendimento e qualidade. Pensando assim nossas expectativas são boas”, afirma Miro, funcionário da empresa. O diretores são Amélia Briancini, aposentada e Luan Cassaro, engenheiro de construção civil. AROSUL BIKE E MOTO Sediada em Marialva, PR, a AroSul está há 15 anos no mercado, com 35 colaboradores. Segundo, o cenário na região é promissor. “A mobilidade urbana e a busca por qualidade de vida indicam bom sinal. Para o ano de 2015 acreditamos na intensificação do cenário da mobilidade urbana com as bikes. Então, não há motivo para desânimo. Acreditamos que todo desafio é também uma nova oportunidade. Portanto, é arregaçar as mangas, aproveitar este momento especial das bikes e continuar focado no trabalho”, otimiza Julio Cézar Volpato, diretor da AroSul, bacharel em Ciências Contábeis.

cyclomagazine | 35


COMPETIÇÃO

SPECIALIZED APRESENTA NOVA EQUIPE DE CICLISTAS Em busca de conquistar títulos e pódios em 2015, a marca de bicicletas Specialized forma novo grupo de ciclistas com alguns talentos já conhecidos e outros novatos. A nova equipe com 21 atletas atuará em diversas modalidades do esporte, o que poderá garantir trunfos à marca Texto e imagens: Hylario Guerrero

F

lavio Magtaz, manager da AOO Specialized fez sigilo até o último momento, e antes da apresentação da nova equipe à mídia, submeteu os ciclistas à intensa maratona de atividades que foram desde sessão de fotos em estúdio, reunião com o estafe Specialized, curso de media training, além de Body Geometry Fit e treinamento de campo. “Desta forma, criamos novo conceito de equipe no Brasil, com estrutura padrão

36 | cyclomagazine

internacional, valorização da comissão técnica e gerenciamento da carreira dos atletas, além de contarmos com forte trabalho nas áreas de marketing e comunicação. Nossa expectativa é de consolidarmos um modelo de negócio sustentável que ajude no desenvolvimento do MTB no País e sirva de exemplo para outros patrocinadores”, destaca Magtaz. Começando pela nova equipe de Mountain Bike XCO (Cross Country Olímpico) serão sete ciclistas que brigarão por títulos nas principais provas do País e nas competições internacionais. Na Categoria Elite: Rubinho Valeriano e Raiza Goulão; na sub-23: José Gabriel Marques e Sofia Isabel Subtil; na Júnior: Érick Bruske e Ellen Andruczewicz; e na Juvenil: Lucas Sírio. “Sabemos que a responsabilidade de liderar a equipe será dos dois ciclistas mais experientes do grupo: Rubinho, que tem em seu currículo duas Olimpíadas, a de Pequim 2008 e a de Londres 2012, além da medalha de prata no Pan do Rio 2007. E Raiza, primeira do país nos rankings mundial e olímpico. Em seu primeiro ano como atleta de Elite, Raiza, goiana

de Pirenópolis encerrou 2014 com os títulos: bicampeonato pan-americano e o tri brasileiro, todos obtidos na categoria sub-23”, comenta o manager. Entre os sete atletas, três levarão em seus uniformes as cores verde e amarela em destaque, por serem os atuais campeões brasileiros em suas categorias: Sofia, Érick e Lucas Sírio. A marca está empenhada em colocar os atletas no pódio, no campeonato brasileiro. Vencer a Copa Internacional de MTB em todas as categorias que disputarem e conquistarem duas vagas olímpicas, com Rubinho e Raiza, além da expectativa de conquistar resultados relevantes em competições internacionais como, Campeonato Pan-americano, Copa do Mundo, Mundial e Jogos Pan-americanos. Os atletas da AOO Specialized contarão com o que de mais moderno no mundo das bicicletas, componentes e equipamentos, como os produtos Specialized: bikes S-Works Epic World Cup, S-Works Stumpjumper HT World Cup, S-Works Era e S-Works Fate. Capacetes S-Works Prevail; luvas Body Geometry XC Lite e as sapatilhas S-Works XC.


ESPORTES

RALLY PIOCERÁ 2015 Lindomar Ferreira, piauiense de Altos e Joana Eleodora Nóbrega, de Fortaleza (CE), venceram a quarta e última etapa da prova de bikes da 28ª edição do RALLY PIOCERÁ e asseguraram o título da competição. Eleodora cruzou a linha em primeiro lugar todos os quatro dias. Lindomar ganhou três e obteve uma segunda posição.

PROJETO QUER TORNAR ALGARVE EM “CENTRO DE ESTÁGIOS" A Federação Portuguesa de Ciclismo apresentou na cidade de Faro, o programa CYCLIN' PORTUGAL ALGARVE, que pretende tornar a região "no centro de estágios de ciclismo" da Europa. De acordo com o projeto, a região se transformará em polo agregador nas pré-temporadas e de início de temporada das equipes profissionais e seleções de ciclismo, o que estimularia a prática do ciclismo de lazer local. A agenda de 2015 integra a 41.ª VOLTA AO ALGARVE, a Clássica Internacional LOULÉ Cidade Europeia do Desporto, o 25.º Troféu ALPENDRE - Internacional do Guadiana e o 7.º GP LIBERTY SEGUROS - Troféu do Sudoeste e Costa Vicentina.

DESAFIO TOUR DO RIO 2015 Na competição que aconteceu em Rio das Flores (RJ), quem subiu ao pódio na Categoria Elite Masculino foram os atletas Alex Arseno, Armando Reis e Raphael Mendes. Já na Categoria Feminina o primeiro lugar ficou com Ana Paula Polegatch seguida por Roberta Stopa. Ana Paula Casetta estreou na Categoria elite, conquistou a terceira posição.

EQUIPE FEMININA SHIMANO

CALOI ELITE TEAM APRESENTA ATLETAS PARA TEMPORADA 2015

A Itaú Shimano Ladies Power é a primeira equipe de ciclismo feminino com projeção continental, formada por algumas das melhores atletas da América do Sul. Do Brasil, pedalam na prova os times do São José dos Campos e a seleção brasileira de ciclismo.

A equipe brasileira chancelada pela UCI (União Ciclística Internacional), conta com o campeão brasileiro Fred Mariano, além de Sherman Trezza e a revelação Bruno Martins Lemes que substitui Henrique Avancini. O time que irá defender as cores da Caloi Elite Team em 2015 está definido e foi apresentado em evento realizado na cidade de Campinas, interior de São Paulo. A estreia da equipe Caloi com a nova bicicleta Caloi Elite Team Carbon 2015 acontece na Copa Internacional de MTB (CIMTB), em Araxá (MG) de 6 a 9 de março.

38 | cyclomagazine


JADY MALAVAZZI TEM CONTRATO RENOVADO

IRONMAN Em 2014, Igor Amorelli se tornou o primeiro brasileiro a vencer o Ironman, em Florianópolis. Para esta temporada, o triatleta intensifica os treinos e espera manter o alto desempenho. Igor também somou mais três pódios, em Brasília, de Steel Head e de Timberman, os últimos dois disputados nos Estados Unidos. O atleta participa da abertura oficial da temporada, em Dubai.

A tetracampeã brasileira de paraciclismo, Jady Malavazzi, começa a temporada com uma boa notícia. A paranaense teve seu contrato com a equipe Vemex/ Shimano/UNIVAP renovado até o fim de 2016. Importante passo para garantir o ciclo olímpico e perseguir as vagas para o Parapan-Americano de Toronto, de 7 a 15 de agosto deste ano, e para as Paralimpíadas do Rio de Janeiro, em 2016.

TOUR DE SAN LUIS Realizado na Argentina, a competição contou com o tradicional serviço de Suporte Neutro, que é oferecido pela Shimano nas principais provas do mundo. O apoio disponibilizou três carros que estiveram acessíveis para os competidores, com o mesmo nível de excelência oferecido nas principais voltas ciclísticas internacionais. Os três motoristas espanhóis têm licença da União Ciclística Internacional, o que os habilita a transportar os mecânicos que prestam serviços aos atletas.

TORNEIO DE VERÃO DE CICLISMO

EQUIPE CANNONDALE-GARMIN PRO CYCLING 2015 A equipe foi apresentada no prédio IAC em New York. O evento, que contou com a presença da imprensa, celebridades e importantes nomes do mercado de bicicletas, foi transmitido pela primeira vez para o mundo todo ao vivo por meio de streaming. Os ciclistas Andrew Talansky, Ben King, Dan Martin, Davide Formolo, Joe Dombrowski e Ted King serão o time de 2015, sob o comando de Jonathan Vaughters.

Na Categoria Elite Masculina, o ciclista Michel Fernandes, conhecido como Cubano, e na Feminina, a atleta Daniela Lionço, são os campeões do 29º Torneio de Verão de Ciclismo, tradicional competição organizada pela Liga Santista de Ciclismo com apoio da Federação Paulista de Ciclismo. A competição foi realizada em Ilha Comprida e Peruíbe, ambas no litoral paulista. Com estes resultados, Michel totalizou 44 pontos, enquanto Daniela somou 38 pontos.

cyclomagazine | 39


ESPORTES

SELEÇÃO BRASILEIRA DE CICLISMO BRILHA NA ARGENTINA A ciclista Janildes Fernandes garantiu a vitória geral da competição realizada na Argentina. A seleção brasileira também garantiu a terceira colocação geral com Ana Paula Polegatch e a primeira colocação entre as equipes. A atleta Camila Coelho ainda conquistou a segunda colocação geral na classificação de montanha. O ciclista Daniel Díaz, da equipe brasileira, sagrou-se campeão da competição. Os colombianos Rodolfo Torres e Nairo Quintana terminaram em segundo e terceiro lugar, respectivamente.

xx

G-SHOCK FECHA PARCERIA COM DOGUETE Douglas Leite de Oliveira é o novo parceiro da Casio G-Shock, marca de relógios esportivos. O atleta já quebrou recordes de altura com sua bike na megarampa durante o X-Games, em 2013. “Doguete”, como é conhecido no BMX e na internet, além de fazer bonito no cenário esportivo é fera em fazer graça em vídeos que viralizam na web. O atleta de 23 anos tem treinado duro para seu próximo desafio, o X-Games 2015, que será disputado em Junho, em Austin (EUA).

TRIATLETA BRASILEIRO MIRA OLIMPÍADA 2016 Depois de uma cirurgia no tendão de Aquiles, realizada no final de 2014, o triatleta Reinaldo Colucci começa a temporada 2015 em processo de recuperação com objetivo de conquistar pela terceira vez consecutiva uma vaga nos Jogos Olímpicos, que em 2016 serão realizados no Rio de Janeiro. O principal objetivo de Colucci é estar em condições de representar o Brasil nos Jogos Pan-Americanos, que acontecerão em Toronto, no Canadá, no mês de julho.

40 | cyclomagazine

ALBERTO CONTADOR PODE SE APOSENTAR EM 2016 O bicampeão da Volta da França, Alberto Contador, revela seu plano de aposentadoria em 2016. O espanhol é um dos poucos ciclistas que já venceu as três principais provas da modalidade. Em seu currículo possui dois títulos da Volta da França (2007 e 2009), além de duas conquistas em casa na Volta da Espanha (2008 e 2012) e uma taça do Giro da Itália. Foi pego no doping e perdeu os títulos da Volta da França de 2010 e do Giro da Itália de 2011.


xxx

xxxxxx


CAPA

EMPRESÁRIO ANALISA MERCADO EM FACE DA CONJUNTURA ECONÔMICA Por Osmar Silva Reportagem: Hylario Guerrero Imagens: arquivos pessoal e Luanda Editores

42 | cyclomagazine

Q

uem não conhece o empresário Milton Hobus no segmento bikes e bicipeças? Impossível encontrar alguém que não tenha em algum momento falado, trocado ideias ou negociado com este dirigente do setor. A menos que seja alguém completamente neófito na atividade. Com capacidade e competência reconhecida, ele por longos anos administrou e desenvolveu a empresa catarinense Royal Ciclo, antigamente também conhecida como Metalciclo, que veio a assumir,

em acordo muito bem costurado com a multinacional Selle Royal, a Sellebrás, subsidiária do grupo italiano e que era sediada no Paraná, dando origem a atual designação da empresa. A par destas suas atividades empresariais, Milton desenvolveu intensa atividade política em sua região e veio a consagrar-se como um dos melhores administradores municipais do País, exercendo o cargo de prefeito de Rio do Sul. Atualmente, mercê de sua competência, está no cargo de Secretário de Governo do Estado de


MILTON HOBUS

Santa Catarina. Acreditamos, seja ele a melhor referência para analisar o mercado regional do sul do País quando realizamos mais uma edição do Encontro Cyclomagazine na cidade de Florianópolis, pois sem dúvida alguma ele tem condições desta análise específica e também de ampliá-la para o mercado nacional. Vejamos então, na sequência as suas respostas às nossas indagações. Várias empresas estão se instalando em Santa Catarina. Cre-

ditamos isto à modernização do Porto de Itajaí, entre outros possíveis benefícios. Além disso, quais são os outros incentivos que o Governo do Estado oferece para que novas empresas se instalem na região? Resp.: Realmente Santa Catarina está se tornando um grande centro logístico para o comércio internacional. Isto não se dá apenas por incentivos fiscais, uma vez que o governo federal limitou o ICMS em 4% para importação. O Estado tem cobrado

apenas 2%, mas a grande diferença é a agilidade dos portos catarinenses e o grande fluxo de navios que chegam em função de Santa Catarina ser um grande exportador brasileiro. O custo do frete marítimo é o menor de todos e permite um ganho no desembaraço de pelo menos 15 dias, comparado a qualquer outro Estado. Como avalia as demandas atuais, a favor do incremento do setor no País. Há vertentes que defendem a proteção a importação

cyclomagazine | 43


das bikes e bicipeças (dumping), a redução de IPI para os produtores nacionais e a proliferação de ciclovias e ciclofaixas, entre outras que já estão implementadas ou poderiam vir a ser. Para que o mercado brasileiro se desenvolva, devemos ter políticas públicas claras. A infraestrutura para motivar e dar segurança aos usuários é muito importante, porém só isto não basta. Devemos estar sintonizados com o mundo, observar os movimentos dos usuários e entender que o grande usuário de bicicleta no futuro próximo não será o trabalhador, principalmente nos grandes centros. Além de incentivar o uso de bicicletas na infância e adolescência, o uso para esporte, lazer e saúde é o que tem movimentado o setor em todo o mundo. Não são apenas medidas

44 | cyclomagazine

protetoras que irão garantir a sobrevivência da indústria nacional, temos que estar sintonizados com a demanda e atualizados tecnologicamente, apesar do alto custo Brasil. Segundo dados da ABRACICLO, em 2015 somente as importações deverão crescer, no caso, especificamente de bikes montadas. A fabricação e vendas de bikes nacionais deverão permanecer estagnadas, houve queda de 10% nas vendas (sexto ano seguido em queda no setor). Como analisa estes dados? Segundo especialistas em Marketing na Europa, estamos vivendo a década da bicicleta no mundo, com cada vez mais agregação

Santa Catarina está se tornando um grande centro logístico para o comércio internacional. Isto não se dá apenas por incentivos fiscais. A grande diferença é a agilidade dos portos catarinenses e o grande fluxo de navios que chegam em função do Estado ser um grande exportador brasileiro. O custo do frete marítimo é o menor de todos e permite um ganho no desembaraço de pelo menos 15 dias, comparado a qualquer outro Estado"


CAPA - MILTON HOBUS

de valor. A bicicleta passou a ser fashion, ecologicamente correta, prazerosa e muito boa para saúde, apesar disso, no Brasil, estamos vivendo a grande mudança do usuário de bike, e por isso a diminuição dos volumes no primeiro momento. Logo o mercado encontrará o novo ponto de equilíbrio e seguramente voltará a crescer, temos que estar preparados para isto. Fabricantes de bicipeças têm reclamado bastante da taxação do IPI e outros componentes da carga tributária a qual estão submetidos. Enquanto empresário e agora também Secretário do Estado, como vê este quadro? O Brasil tem uma das maiores cargas tributárias do mundo. A exclusão do IPI ou do PIS/COFINS, com certeza seria benéfica para o setor. Nos grandes centros urbanos têm havido o crescimento de ciclovias e ciclofaixas, muitas em lugares indevidos, em Avenidas onde o trânsito é bastante complicado com o número de carros e ônibus que já transitam pelas mesmas vias. Ciclofaixas sobre calçadas, impossibilitando a sua tranquila utilização pelos pedestres, outras que são pintadas não levando em consideração os obstáculos e empecilhos

existentes no caminho. Como analisa este boom de ciclovias e ciclofaixas? Quanto mais ciclofaixas ou ciclovias existirem, melhor para o setor. Até na Europa vemos ciclofaixas estreitas compartilhadas com pedestres, basta educação para cada usuário respeitar o outro. O fato de empresas do segmento com plantas produtoras instaladas na Zona Franca de Manaus serem credoras de incentivos, concorrerem no mercado com as outras que não têm as mesmas vantagens, é um componente importante na disputa pela conquista de espaço nos negócios? Manaus é uma Zona Franca Brasileira, e isto é igual para todos os segmentos. Para sobreviver lá, pela grande distância dos grandes centros consumidores, alguma vantagem é necessária, mas com certeza desequilibra a competitividade nacional. Faça uma análise do segmento de bike em 2014, e de como foi este exercício para a sua empresa, em particular. Em 2014 o mercado diminuiu em unidades, neste claro movimento de mudança dos usuários. No entanto o setor de alto valor agregado, no nosso caso da Royal Pro Division cresceu 48% e neste ano tem expectativa de crescer mais 30%.

Quais as perspectivas para a Royal em 2015? Vejo o futuro da bicicleta no Brasil e no mundo com muito otimismo, por isso estamos fazendo grandes investimentos em automação, novos produtos, nova fábrica. Acredito que somos hoje a indústria mais atualizada para este novo momento do mercado de bicicletas. Com a grande volatilidade cambial e os problemas econômicos do nosso país, deveremos crescer nossa produção este ano, pois se importará menos pedais e selins. Qual é o cargo que ocupa hoje no Governo catarinense? Sou Deputado Estadual Licenciado e Secretário de Estado da Defesa Civil, liderando a implantação do maior programa de prevenção de desastres em curso hoje no Brasil. Como tem solucionado a questão da continuidade na administração da empresa, em vista de suas atividades políticas? Continua a frente da Royal Ciclo, como diretor? Continuo com missões na empresa, acompanhando todas as ações e aconselhando o grupo executivo que formamos com a liderança operacional dos meus filhos e equipe que preparamos. Em mais alguns anos, poderei ser apenas conselheiro. Além de tudo, ainda sou membro do conselho de administração da empresa Pamplona Alimentos.

cyclomagazine | 45


MERCADO

O CENÁRIO E ANALISADO POR Profissionais do setor de marketing, diretores comerciais e proprietários de empresas de bike analisam os fatores econômicos de 2014. Comentam o que foi este cenário para suas empresas, e profetizam sobre o comportamento do mercado em 2015 Texto: Hylario Guerrero

Segundo Mariana del Rio, gerente de marketing da KALF, o ano de 2014, diante do cenário que se apresentava na economia em geral do país, para a Kalf, foi relativamente bom. “Tivemos uma grande desaceleração durante a Copa do Mundo, onde o país praticamente parou. Após a Copa sofremos com as incertezas da política que fez o dólar sofrer muitas variações prejudicando os investimentos”. Mariana afirma que diante do atual "desgoverno", a crise hídrica e provavelmente a crise elétrica, não podem apostar

46 | cyclomagazine

muito para este ano. “O Brasil está beirando uma recessão que poderá prejudicar as vendas no comércio e na indústria. Com o rombo aplicado aos cofres da Petrobrás, toda a economia sof rerá a s consequência s . Mesmo com a queda de 50% no preço do barril de petróleo, estamos sofrendo aumento nos combustíveis, e isso vai refletir no comércio já nos próximos meses. Esse é o preço da corrupção e incompetência. Enfim, acredito que a perspectiva para este ano é tentar encerrar até dezembro sem prejuízos”, expôs Mariana. Para André Ribeiro, gerente de marketing da DREAM BIKE, 2014 foi um ano muito ruim para a economia brasileira. “Como todos sabemos, tanto a Copa do Mundo, quanto as eleições deixaram as empresas e o povo com medo de investir e, isso parou o comércio. Mesmo assim, embora o comércio não tenha sido dos melhores, o ano para o ramo de bicicletas foi satisfatório, pois na procura por meios de transportes limpos, saudáveis e sustentáveis a bicicleta tem muita vantagem, e isso fez com

que nossas vendas não tenham sido muito afetadas. Tivemos o crescimento esperado”, declara André. “Quanto as perspectivas para 2015, cremos que com o aumento das ciclovias e ciclofaixas na cidade de São Paulo, com certeza a bicicleta tem entrado em pauta na mídia e pode ser ampliada a mesma ideia em outras cidades do Brasil. Isso irá gerar aumento de vendas e busca de marketing aliado à cultura do pedal. Acreditamos que será um ano melhor e estamos investindo para atendermos da melhor forma possível”, otimiza André. Na visão de Alexandre Santos, diretor comercial da STYLL, o ano de 2014 foi muito conturbado. “Considerando que sediamos uma Copa do Mundo e tivemos eleições presidenciais, afirmo que mais uma vez a indústria nacional teve que se superar e se reinventar para passar sem muitos tropeços por estas turbulências. Se por um lado o setor não enxergou grandes crescimentos, por outro vimos que o consumidor ainda se manteve firme e ‘comprador’ até o período natalino. O ano de


SETOR DE BIKE

ECONÔMICO R PROFISSIONAIS 2014 serviu de presságio ou aviso daquilo que estar por vir em 2015”, afirma Alexandre. Para a Styll, Alexandre diz so bre significou o ano econômico de 2014: “Depois de um primeiro semestre em câmera lenta, nossa empresa cumpriu com os seus objetivos e metas, sendo que o processo de crescente recuperação se deu basicamente no segundo semestre do ano. Surpreendidos por alguns mercados que reagiram bem em meio a recessão, junto à acertada estratégia de lançamentos de novos produtos e conquistas de novos clientes, fechamos o ano de 2014 de forma equilibrada”. Com uma economia em processo de recessão, Alexandre diz saber que 2015 trará desafios ainda maiores para a indústria e o comércio nacional. “Depois de uma década de crescimento pífio, “pibinho” e juros altíssimos, começamos a enxergar o quão difícil o cenário de 2015 aparenta ser. As grandes dúvidas estão no campo do abastecimento de energia elétrica, que deverá fazer com que a indústria sofra ainda mais, seja com a falta de energia, seja com o aumento dos custos da

mesma. O grande desafio desta vez será estabelecer objetivos que não estejam contaminados com as más notícias esperando que o pacote de ajustes prometido pelo governo não cause ainda mais dano ao bolso do consumidor e nem desanime o empresário”, credita Alexandre. O gerente de marketing da SHIMANO Latin Amer ica, Rogério Tancredi diz que houve um consenso de que o ano seria complicado, de forma mais geral, principalmente por dois fatores: Copa do Mundo e eleições. “A Copa da Fifa no Brasil teve impacto ligeiramente negativo nas vendas em bike shops. Muitos lojistas comentaram sobre o baixo movimento durante o período porque as atenções estavam voltadas para o desenrolar do evento no país. Sob ponto de vista econômico, vimos o Brasil mais um ano sem crescer e a inflação em constante aumento. Finalmente, tivemos as eleições e mais uma vez um misto de descrença e inibição quanto aos investimentos no País”. Para a Shimano, segundo Tancredi, a empresa ficou dentro do que foi planejado para o ano, o

A Copa da Fifa no Brasil teve impacto ligeiramente negativo nas vendas em bike shops” Rogério Tancredi -SHIMANO

que não significou que foi um bom ano em geral para o mercado de bicicleta. “Após os citados eventos, as vendas em lojas de bicicleta tiveram ligeiro aumento. Mesmo assim, o empresariado do setor vê com desconfiança 2015. Mais uma vez seguimos investindo na formação educacional e melhoria dos profissionais do nosso setor”, afirma. Quanto às perspectivas da Shimano para 2015, a empresa ainda aposta no relacionamento como ferramenta indispensável. “ Nosso crescimento nesse ambiente complexo ser virá de base e preparação para os próximos dois anos. Mais uma vez nossas prioridades são: o melhor atendimento aos parceiros lojistas com incentivo à sua formação e atualização profissional. E, melhoria do nosso poder de distribuição e capilarização”, reitera. “O ano de 2014 foi um ano de expectativas e de projeções de crescimento no segmento”, afirma o gerente comercial Marcio Hideo, da JULIO ANDÓ. Segundo ele, algumas destas projeções se realizaram e outras

cyclomagazine | 47


MERCADO

se mostraram nulas. Ano de Copa do Mundo, Eleições, Substituição Tributária e INMETRO, e apesar de todos estes percalços o mercado em 2014 se mostrou forte e receptivo às novidades. Marcio afirma que as perspectivas para 2015 são mais modestas e cautelosas devido a posição atual do dólar e da economia brasileira, falta de água e crise energética. “A alta dos combustíveis e impostos (IPVA, PIS/COFINS) e reajustes nas taxas de energia deixa claro que devemos buscar a sustentabilidade e equilíbrio em todos os setores, e pode estimular o uso da bicicleta como meio de transporte no Brasil. Precisamos agora é de estrutura para que isso se torne realidade”, e acrescenta: “Para 2015 vamos explorar oportunidades para crescimento e desenvolvimento de novos clientes, será um ano de muito trabalho e que favorecerá quem está preparado e com os pés no chão”. O diretor da EMTECORP, Ricardo Carvalho, analisa que a economia brasileira em 2014 foi bastante conturbada, marcada por protestos e eventos. “Tivemos no mesmo ano, Copa do Mundo e Eleições, um desses eventos, por si só, já é capaz de atrair muita atenção e modificar a economia. Os dados do setor mostraram retração destes mercados . Segundo a ABRACICLO, os setor apresentou queda de 10%. A mesma Associação prevê que 2015 será um ano estável, com pouco crescimento, caso houver”. “O ano de 2014 foi um ano muito importante para a Emtecorp.

48 | cyclomagazine

O ano de 2014 foi um ano de expectativas e de projeções de crescimento no segmento” Marcio Hideo -JULIO ANDÓ

Conseguimos superar todos os maus momentos dos mercados em que atuamos com crescimento considerável. Foi um tempo de muita superação e trabalho duro. Investimos forte na ampliação da nossa linha de produtos, em marketing e, no relacionamento com clientes, fornecedores e representantes. Durante os últimos três anos, temos passado por processo de reformulação interna com assessoria de uma coaching. Essa reformulação está melhorando os processos internos e fazendo com que a empresa consiga extrair o melhor de cada colaborador. Ao mesmo tempo, ampliamos bastante a nossa linha de produtos para bicicletas”, explica Ricardo. “Para 2015, acompanhando as estatísticas gerais da economia, temos que será um ano estável para o Brasil (PIB) e para os nossos mercados. A Emtecorp continua positiva quanto às suas vendas e pretendemos ter mais um ano de crescimento, sabendo que para isso teremos que trabalhar de maneira ainda mais eficiente. O novo ministro da economia está tomando medidas acertadas para controlar a crise e acredito que isso vai dar resultado”, analisa Ricardo, que acrescenta : “Esperamos, assim como o resto do mercado, que o Governo possa dar mais incentivos ao uso de bicicletas e que acabe de vez com a Substituição Tributária que só dá dor de cabeça para fabricantes, importadores, revendedores e lojistas. No nosso entender, o correto seria unificar as alíquotas de ICMS, acabando assim com a guerra fiscal”.

Ricardo conclui: “Se os Estados, Municípios e Governo Federal resolverem investir em mobilidade u r b a n a , ve r e mo s ó t i mo s resultados nos mercados em que atuamos assim como um trânsito menos estressante e caótico, e mais saudável. Acreditamos que a mídia está ajudando neste sentido e colocando a importância da mobilidade urbana em muitas reportagens, mostrando exemplos de países desenvolvidos como Holanda, França, Inglaterra, etc. Esperamos que os políticos do Brasil possam seguir esses exemplos”. Na opinião de Daniel Douek, diretor de marketing da ISAPA, a economia brasileira não vem muito bem há algum tempo. “2014 foi um ano complicado, muito por conta das eleições e da Copa do Mundo, que fez com que todos (ou quase todos) os mercados sofressem uma retração significativa durante esse período. Mesmo assim, o mercado de bike conseguiu passar por esses obstáculos, com mais facilidade do que outros mercados”. “ Mesmo com os pontos colocados acima, a Isapa conseguiu ter um crescimento em relação ao ano anterior (2013). Nossa equipe cresceu e as vendas aumentaram. A bike está cada vez mais em alta, e conseguimos aproveitar bem esse fato”, afirma Daniel. “As pessoas estão com bastante receio da economia brasileira em 2015. Reflexo da falta de confiança do brasileiro no próprio país. Empresas como a Petrobrás perdendo muito valor, devido principalmente a escândalos de


Vamos correr?

Dia 10 de maio acontece a 15ª Corrida e Caminhada GRAACC. Venha correr pela cura de crianças com câncer. Participe!

Beatriz, paciente do GRAACC, em 2014

Beatr iz h

Caminhada

Este evento é segurado pela Berkley International Brasil

IMedIações dO IbIRaPueRa

R$ 85,00 R$ 100,00

CoRRa

3K

Valor especial para mantenedores gRaaCC ou associado Corpore Não associado

Para a prova ficar ainda mais emocionante, ao fazer uma doação a partir de R$30 no momento da inscrição, você corre com a foto de um de nossos pacientes estampada no seu número de peito. Para saber mais, ligue: (11) 5908-9100.

Com

eles também! Patrocínio Master

Fotos: Gustavo Scatena

Corrida 10K

10 de maio InscrIçõEs www.gRaaCC.ORg.bR

oje

Contribuição

Organização

Realização


MERCADO

corrupção, fazem com que não haja investimentos no país. Mesmo assim, continuo confiando no mercado de bike. Não acho que vai haver um crescimento no setor, porém torço para que não haja retração também. E acreditamos nisso”, comenta Daniel. GustavoBelotto,daMONACO, reitera que o período para o ramo de bicicleta, foi um ano bastante ruim para os produtores nacionais, acentuado por muitos feriados e pela Copa do Mundo. “O consumo da população se direcionou para artigos relacionados à Copa e pouco sobrou para artigos de segunda necessidade, como é o caso da bicicleta. Além do problema crônico que temos com o alto índice de importação de bicipeças, acirrando muito a concorrência do mercado nacional”. Segundo Gustavo, para a Monaco, 2014 foi um ano de r e e s t r ut u r a ç ã o . “ F o c a mo s muito no investimento do pátio industrial e na recolocação da marca perante o mercado. Apesar do ano difícil, a Monaco conseguiu ter leve aumento nas suas vendas”. E , Gustavo conclui: “A s perspectivas para o ano de 2015 são bem conturbadas. Em relação ao mercado de bicicletas, é um mercado em expansão, graças à conscientização do uso da bicicleta pela população. Além, da certificação do INMETRO, que inibe a produção de acessórios, componentes e artigos da bicicleta sem especificação técnica.

50 | cyclomagazine

Mais uma vez a indústria nacional teve que se superar e se reinventar” Alexandre Santos -STYLL

Porém, o Brasil como um todo está passando por um momento instável, com juros crescente e diminuição do poder de consumo da população, então qualquer análise positiva fica ameaçada por esse cenário”. Para Deusdedit Cleto Filho, diretor comercial da JKS, a indústria nacional de componentes para bicicletas vem sofrendo pesadas adversidades desde os últimos cinco anos na realidade. “Notamos um ‘retrocesso’ no que poderia ser ‘progresso’ a partir de 2013..., desde aquele ano notamos uma diminuição acentuada do espaço destinado aos produtos brasileiros no mix de produtos comprados pelos consumidores em todo o país. De uma forma geral nas regiões mais desenvolvidas como o Sudeste e nas capitais dos principais estados do Nordeste, Norte e Centro Oeste os consumidores impulsionados pelos baixos preços do material asiático começaram a exigir produtos mais sofisticados ..., que apesar disto, estão à disposição do público a preços muito baratos gerando esse ‘upgrade’ generalizado das bicicletas com componentes antes oferecidos pela indústria nacional”, afirma. “Por conta disto, o problema que se iniciou de uns anos para cá teve seu ápice de coisas desfavoráveis em 2014 que foi um ano em que o evento Copa do Mundo paralisou o mercado, e depois quando se pensava numa melhora, tudo voltou à estaca zero

pela disputa das eleições que neste ano acabou gerando um impacto muito negativo no comércio e nos consumidores pelo grau de coisas ruins preconizada pelos debates e pela nefasta polarização a que esta disputa foi levada”, analisa Cleto. “Em resumo. Não me lembro de um período tão ruim em termos de resultados como encontramos o biênio 2013/4. Fazendo com que tenhamos de repensar muito as nossas ações para o futuro”, afirma. “O ano de 2014 foi um ano muito ruim, principalmente na área que chamamos de ‘reposição’ onde os comerciantes praticamente pararam de comprar por completo devido à baixa procura dos clientes. A única área de atividade em nosso ramo que ainda se manteve per to de números médios dos últimos anos foi a área das grandes montadoras. Mesmo considerando a Caloi em sua fase de transição de suas atividades para a sua unidade de Manaus, mas com o crescimento de vários outros grandes montadores, compensou o número final deste nicho de mercado”, analisa Cleto. “ Como expectativas para 2015, a nossa crença é de sempre melhorar, mesmo que os números não provem isso, e, estamos iniciando o ano com essa premissa. Mas, depois do carnaval como ocorre em todos os anos, esperamos que o público consumidor volte a se dedicar às suas bikes e volte a rodar a roda do mercado”, conclui Cleto.


3 BOAS RAZÕES PARA VOCÊ RODAR DE SHIMANO

29” • Rodas de MTB com padrão de qualidade comprovada Shimano • Montadas à mão e com número de série para cada roda • Duráveis e de baixa manutenção com a tecnologia Cup & Cone • CENTER LOCK: sistema de montagem de rotor rápida, simples, leve e eficaz • Disponível em opção de eixo dianteiro E-THRU de 15 mm • Equipadas com tecnologias originais Shimano saiba mais em bike.shimano.com.br

27.5”

NOVOS MODELOS MT15

CONDIÇÕES ESPECIAIS DE VENDA COM ATÉ 50% DE DESCONTO!*

* CONSULTE O SEU REPRESENTANTE bike.shimano.com.br

t w i t t e r. co m / s h i m a n o b ra s i l

f a c e b o o k . c o m / s h i m a n o b ra s i l

i n s t a g ra m . co m / s h i m a n o b ra s i l

26”

Cyclomagazine 201  
Cyclomagazine 201  

Revista Cyclomagazine 201

Advertisement