Issuu on Google+


Disponibilização: Juuh Alves Tradução e Revisão: Renata, Elisabete, Claudia Revisão Final: Lau, Ana Rosa Leitura Final: Ana Rosa Verificação: Débora

Formatação: Dadá


01

02


ELES NÃO JOGAM NO MESMO TIME. OU JOGAM? Jamie Canning nunca foi capaz de descobrir como perdeu seu amigo mais próximo. Quatro anos atrás, seu tatuado, perspicaz e quebra regra - companheiro de quarto cortou-o sem uma explicação. E aí, se as coisas ficaram um pouco estranhas na última noite de hóquei do campo de verão a dezoito anos? Foi apenas um pouco de loucura bêbada. Ninguém morreu. O maior arrependimento de Ryan Wesley foi persuadir seu amigo em uma aposta que empurrou os limites de seu relacionamento. Agora, com suas equipes de universitários definidas para enfrentar o campeonato nacional, ele vai finalmente ter a chance de pedir desculpas. Mas tudo o que precisa é um olhar para reviver sua paixão de longa data, e a dor é mais forte do que nunca. Jamie esperou muito tempo por respostas, mas vai embora com apenas mais perguntas. Pode uma noite de sexo arruinar uma amizade? Se não, que tal mais seis semanas dele? Quando Wesley vier para treinar ao lado de Jamie para mais um verão quente no acampamento, Jamie terá algumas coisas para descobrir sobre seu amigo de longa data e... Um grande problema para aprender sobre si mesmo.


HIM

é á ! ê. , &


01 ABRIL

A fila do café está um pouco longa, mas eu sei que vou percorrê-la no tempo. No fim de semana, meu time de hóquei conquistou as duas primeiras rodadas eliminatórias da NCAA, e agora iremos para a Frozen Four. De alguma forma eu tenho um B menos em história por algo que escrevi em meio a um esgotamento de coma induzido. E minha intuição me diz que o cara na minha frente não vai pedir uma bebida complicada. Eu posso dizer a partir de suas roupas que ele é um cara simples. As coisas vão do meu jeito agora. Eu estou na equipe. Meus patins são nítidos, e o gelo é suave. A fila avança e o cara legal encomenda. "Um café puro. Por favor." Veja isso? Um minuto depois é a minha vez, mas quando eu abro a boca para pedir, a jovem barista solta um grito de fã. “Oh meu Deus, Ryan Wesley! Parabéns!" Eu não a conheço. Mas o casaco que eu visto me faz uma estrela do rock, pelo menos por esta semana.


"Obrigado, boneca. Eu poderia, por favor, obter um expresso duplo?” "Agora mesmo!" Ela grita meu pedido de bebida a seu colega, acrescentando: "Faça mal-humorado! Temos um campeonato para ganhar aqui!” E você não imagina? Ela recusa minha nota de cinco dólares. Eu enfio-a no frasco da ponta, em seguida, lanço minha bunda para fora e vou para a pista. Eu estou em uma porra de um modo estupendo como passear na sala de projeção da equipe nas instalações de alto nível no campus da Missa do Norte. Eu amo o hóquei. Porra, eu adoro. Eu vou “para os profissionais em poucos meses e não posso pirar” espero. "Senhores" cumprimento meus companheiros de equipe enquanto sento no meu lugar de costume. As linhas estão formadas em um semicírculo de frente para a enorme tela no centro da sala. As cadeiras são de couro. A divisão de luxo no seu melhor. Eu mudo o meu olhar para Landon, um dos nossos homens Junior. "Você está um bocado verde, homem." Eu sorrio. "Será que sua bunda ainda está machucada?" Landon me mostra o dedo, mas é um gesto meio de coração. Ele parece doente como o inferno, e não estou surpreso. A última vez que o vi, ele estava entornando uma garrafa de uísque como se fosse fazê-la gozar. "Cara, você deveria tê-lo visto quando nós caminhávamos para casa", um júnior chamado Donovan mandou para cima. "Ele empurrou para baixo as suas cuecas apertadas e tentou montar a estátua na frente da biblioteca sul."


Todo mundo que nos rodeava caiu em risos, incluindo eu, porque, ou eu estou enganado, ou a estátua em questão vem a ser um cavalo de bronze. Eu o chamo de bolacha do mar, mas eu acho que é apenas um memorial para algum exaluno podre de rico que participou da equipe de hípica nos Jogos Olímpicos de cem anos atrás. "Você tentou montar a bolacha do mar?" Eu sorrio para o calouro. Manchas vermelhas aparecem em suas bochechas. "Não", ele diz emburrado. "Sim", Donovan corrige. O cacarejar continua, mas agora estou distraído pelo sorriso que está apontado na minha direção, cortesia de Shawn Cassel. Eu acho que você poderia chamar Cassel de meu melhor amigo. De todos os meus companheiros de equipe, estou mais próximo dele, e sim, nós relaxamos fora do hóquei, mas "melhor amigo" não é exatamente um termo que eu use muitas vezes. Eu tenho amigos. Eu tenho uma merda de uma tonelada de amigos, na verdade. Posso dizer honestamente. Algum deles realmente me conhece? Provavelmente não. Mas Cassel está bem perto. Eu rolo meus olhos para ele. "O que foi?" Ele dá de ombros. "Landon não é o único que teve um bom momento na noite passada." Ele baixa a voz, mas realmente não se assusta. Nossos colegas estão muito ocupados tripudiando Landon sobre as travessuras do cavalo da noite passada. "O que você quer dizer?"


Sua boca contrai. "Quero dizer que vi você desaparecer com vários caras. Vocês ainda estavam desaparecidos quando finalmente me arrastei para casa as duas". Eu levanto uma sobrancelha. "Eu não vejo problema." "Não é um problema. Só não sabia que você estava corrompendo as regras agora". Cassel foi o único cara na equipe com quem que eu já discuti a minha vida sexual. Como o único jogador de hóquei gay eu sei andar numa linha fina. Quero dizer, se alguém traz isso à tona, eu não vou correr para dentro do armário, mas eu não vou dar a informação voluntariamente a qualquer um. Honestamente, minha orientação sexual é, provavelmente, o segredo mais mau guardado nesta equipe. Os caras sabem. Os treinadores sabem. Eles só não se importam. Cassel se importa, mas de uma maneira diferente. Ele não dá uma merda que eu goste de foder meninos. Não, o que ele se preocupa é comigo. Ele me disse em mais de uma ocasião que pensa que estou perdendo minha vida passando de um encontro anônimo a outro. "Quem diz que ele estava em linha reta?" Eu digo zombeteiro. Meu amigo olha intrigado. " Sério?" Eu arqueio uma sobrancelha novamente, o que faz com que ele ria. A verdade é que eu duvido que o irmão da fraternidade com quem me liguei á noite passada seja gay. Muito curioso, mais como ele, e não vou mentir que foi o apelo. É mais fácil de lidar com os que fingem que nada aconteceu na manhã seguinte. Uma noite de diversão sem


amarras, um beijo, uma foda, independentemente do que sua coragem líquida lhes permitiu tentar, e depois eles desaparecem, agindo como se eles não gastassem as horas que antecederam isso de olho em minhas tatuagens e imaginando minha boca em torno de seus paus. Como se não tivessem passado as suas mãos gananciosas em todo o meu corpo e me implorado para tocar neles. Conexões com os gays são potencialmente mais complicadas. Eles podem querer mais. Como compromisso. Eu sou incapaz de fazer promessas. "Espere," Eu exijo quando registro o que ele tinha dito antes. "O que quer dizer com ‘arrastado para casa’?" A mandíbula de Cassel aperta. "Exatamente o que parece. Ela apareceu na casa da fraternidade e me arrastou para fora." Suas feições relaxam, mas só um pouco. "Ela estava apenas preocupada comigo, no entanto. Meu celular morreu, então eu não estava respondendo nenhum de seus textos". Não digo nada. Eu desisti de tentar fazer Cassel enxergar a luz sobre essa garota. "Eu teria ficado destruído se ela não tivesse aparecido. Então... uh, sim, eu acho que foi legal ela chegar a mim antes que eu tivesse perdido demais". Eu mordo minha língua. Não, não se envolva na relação do homem. Só porque Emily passou a ser a garota mais grudenta da torcida que já conheci, não me dá o direito de interferir. "Além disso, eu sei como ela se sente sobre mim nas festas. Eu não deveria ter ido lá em primeiro lugar..." "Você não está casado," eu deixo escapar. Merda. Tanta coisa para manter minha boca fechada.


A expressão de Cassel foi atingida. Eu rapidamente recuo. "Desculpa. Ah... eu esqueci e disse isso." Suas bochechas ocas, mandíbula trabalhando como se ele estivesse transformando os molares em pó. "Não. Eu quero dizer, merda. Você está certo. Nós não somos casados." Ele murmura algo que não posso entender. "O que?" "Eu disse... ainda não, de qualquer maneira." "Ainda não?" Eu ecoo em horror. "Para foda de amor, cara, por favor, por favor, me diga que não está comprometido com aquela garota." "Não", diz ele rapidamente. Em seguida, ele abaixa a voz novamente. "Mas ela continua dizendo como quer que eu proponha isso. ” Propor casamento? O pensamento faz minha pele tremer. Porra, eu vou ser o melhor homem em seu casamento, eu sei disso. É possível fazer o brinde do casamento sem conhecer a noiva? Por sorte, o treinador O'Connor marcha para o quarto antes desta conversa insana com Cassel fazer minha mente girar mais duro. A sala fica em silêncio com sua entrada. O treinador está... comandando. Nãão. Sendo aterrorizante. Sessenta e cinco anos, e um rosto que é uma carranca perpétua, ele não faz a barba porque é careca, mas também porque gosta de parecer como um filho da puta assustador. Ele começa a reunião recordando-nos um por um, o que cada um de nós fez de errado nos treinos de ontem. O que é completamente desnecessário, porque a crítica de ontem ainda arde nas minhas entranhas. Eu estraguei uma


das brocas, caí em passes que eu não tinha que cair, me perdi em frente à baliza quando tive um tiro fácil. Foi apenas um daqueles treinos de baixa qualidade em que nada dá certo, e eu já prometi juntar minhas coisas quando nós batermos no gelo amanhã. A temporada termina em apenas dois fatídicos jogos, o que significa que eu preciso ficar afiado. Eu preciso estar focado. Northern Mass não ganhou um campeonato Frozen Four em quinze anos, e como artilheiro, estou determinado a selar essa vitória antes de me formar. "Tudo bem, vamos chegar a isso," o treinador anuncia depois que terminou de contar-nos como chupar isso direito. "Começamos com o jogo Rainier-Seattle da semana passada." Uma imagem congelada da arena preenche a tela enorme, um dos nossos alas da esquerda franze a testa. "Por que estamos começando com Rainier? Estamos jogando em Dakota do Norte a primeira rodada." "Vamos focar em Dakota do Norte na próxima vez. Rainier é o que me preocupa." O Treinador toca o laptop sobre a mesa e a imagem na grande tela descongela, o som da multidão ecoando na visualização. "Se encontrarmos essas caras na final, nós teremos um mundo de dor," o treinador diz sombriamente. "Eu quero que vocês observem este goleiro. O garoto é afiado como um falcão. Precisamos encontrar sua fraqueza e explorá-la." Meu olhar se concentra no jogo em andamento, descansando no uniforme preto e laranja do goleiro tripulando o vinco acentuado. Tudo certo. Olhos firmes que avaliam o domínio do jogo, sua luva estalando fechada


quando ele para o primeiro gol e dá um tapa em sua direção. Ele é rápido. Alerta. "Assista a maneira como ele controla este rebote", ordena o treinador quando a equipe adversária dá mais um tiro no gol. "Fluido. Controlado." Quanto mais tempo eu assisto, mais inquieto consigo ficar. Eu não posso explicar isso. Eu não tenho ideia do por que os cabelos na parte de trás do meu pescoço estão formigando. Mas algo sobre o goleiro faz meus instintos murmurarem. "Ele angula seu corpo perfeitamente." O treinador parece pensativo, quase impressionado. Estou impressionado também. Eu não segui qualquer equipe da costa oeste nesta temporada. Eu estava muito ocupado concentrado em nossa conferência, estudando as fitas de jogos, procurando uma maneira de vencê-los. Mas agora que a pós-temporada está em andamento, é hora de avaliar as equipes que podemos enfrentar no campeonato se nós formos para a rodada final. Eu continuo assistindo. Continuo a estuda-lo. Droga, eu gosto do jeito que ele joga. Não, eu conheço o jeito que ele joga. O reconhecimento surge ao mesmo tempo em que o treinador diz: "O nome do rapaz é Jamie Canning." Jamie Canning. Ele é um goleiro titular. Puta merda. Merda Santa. Meu corpo já não cantarola, mas treme. Já sabemos a algum tempo que Canning foi para Rainier, mas quando eu pesquisei sobre ele na temporada passada descobri que ele tinha sido relegado a goleiro reserva, substituído por algum estudante de segundo ano, figurão com rumores de ser imparável. Mas quando Canning conseguiu ser o titular? Eu não vou mentir. Eu usei meus meios para me manter informado


sobre o cara. Mas parei quando começou a parecer que ultrapassava o limite, parecendo perseguição. Quero dizer, de maneira nenhuma ele manteve o controle sobre mim, não depois que eu estraguei a nossa amizade como um idiota. As memórias das minhas ações egoístas foram como um soco no intestino. Porra. Eu tinha sido um amigo terrível para ele. Uma pessoa terrível. Foi muito mais fácil lidar com a vergonha quando Canning estava a milhares de milhas de distância, mas agora... Pavor rasteja até minha garganta. Vou vê-lo em Boston durante o torneio. Eu vou jogar contra ele. Faz quase quatro anos desde que eu vi ou falei com o cara. O que diabos eu vou dizer a ele? Como você se desculpa com alguém por cortá-lo fora de sua vida sem nenhuma explicação? "Seu jogo é impecável," o treinador está dizendo. Não, não é impecável. Ele recua muito rapidamente, o que sempre foi um problema para ele, voltando para a rede quando um atirador se aproxima da linha azul, dando-lhe um melhor ângulo para atirar. E ele sempre foi muito dependente do bloco, criando fácil rebote e oportunidades para o ataque. Eu tenho que morder o lábio para não oferecer a informação. Sinto que seria... Errado, eu acho. Dizer a meus companheiros sobre as fraquezas de Canning. Eu deveria, no entanto. Eu realmente deveria, porque esta é a porra do Frozen Four em jogo aqui. Então, novamente, tem sido anos desde que eu estive no gelo com Canning. Ele poderia ter reforçado o seu jogo desde então. Ele pode nem sequer ter essas fraquezas particulares ainda. Eu, por outro lado, tenho. Eu tenho a mesma fraqueza maldita que sempre tive.


Ainda está lá quando eu olho para a tela grande. Quando eu assisto Jamie Canning fazer outra defesa vertiginosa. Enquanto eu admiro a graça e precisão mortal com que ele se move. Minha fraqueza é ele.


02 "Você está muito quieto esta manhã, mesmo para você." Os dedos de Holly derivam pelas minhas costas, terminando sua jornada na minha bunda nua. "Tendo pensamentos profundos sobre o Frozen Four?" "Sim." E isso não é exatamente uma mentira. Posso garantir que a viagem de sexta-feira para Boston está na mente de duas dezenas de outros jogadores esta manhã. “Cerca de um milhão de fãs.“ Eu tenho mais do que ganhar na minha mente. Agora que nós, na verdade vamos para o campeonato, é a hora de lidarmos com a ideia de que poderíamos enfrentar Northern Mass. O jogador estrela de sua equipe? Nada mais do que Ryan Wesley, meu ex - melhor amigo. "O que está havendo, querido?" Holly apoiou a si mesma em um cotovelo para me estudar. Ela não costuma ficar aqui, mas a maratona de sexo ontem à noite durou até quatro horas, e me senti como um burro apressando-a em um táxi tão tarde. Eu não sei como me sinto sobre tê-la enrolada na cama ao meu lado, no entanto. Tirando o espetacular sexo da


manhã, sua presença me deixa inquieto. Eu nunca menti para Holly sobre o que isso é e o que isso não é. Mas eu tive experiência suficiente para saber que quando elas concordam em um arranjo amigos-com-benefícios, uma parte delas espera que um desses benefícios, de alguma forma, não seja a coisa de namoro fora do negócio. "Jamie?" Ela pede. Eu deixo de lado um conjunto de pensamentos perturbadores e substituo-os com outro. "Você nunca jogou contra um amigo?" Eu me ouvi perguntar. "O que? Como...alguém que você trabalhou?" Ela tem grandes olhos azuis, que sempre me levam a sério. Eu balanço minha cabeça. "Não. O artilheiro do Northern Mass era meu melhor amigo na escola. Um calouro, também. Você conhece o campo de hóquei, onde eu trabalhei no verão?" "Elites?" Ela balança a cabeça. "Sim, boa memória. Antes eu treinava lá, eu estava em um acampamento. Então Wes também foi. Ele era louco. ” Eu ri para mim mesmo apenas imaginando seu rosto desalinhado. "O cara faria qualquer coisa. Há uma rampa tobogã no centro da cidade. No inverno, você pode treinar no lago congelado. Mas no verão está fechada, com cerca de doze pés em torno dela. Ele era assim: 'Cara, depois de apagar as luzes escalamos aquela coisa’." Holly massageava meu peito com uma de suas mãos macias. "Você fez isso?" "Naturalmente. Eu tinha certeza de que seríamos presos e jogados para fora do acampamento. Mas ninguém


nos pegou. Wes foi o único inteligente o suficiente para trazer uma toalha para deslizar sobre ela. Então, eu tive queimaduras nas costas de minhas coxas por deslizar para baixo, aquele filho da puta. " Holly sorri. "E eu ainda me pergunto como muitos turistas tiveram que apagar as fotos que tiraram de Mirror Lake. Sempre que Wes via um turista alinhando um disparo, ele sempre baixava as calças.” Seu sorriso se transforma em uma risadinha. "Ele parece divertido.” "Ele era. E então ele deixou de ser.” "O que aconteceu?" Eu dobro minhas mãos atrás da minha cabeça, tentando parecer casual, apesar da onda de desconforto deslizando pela minha espinha. "Eu não sei. Estávamos sempre competindo. No último verão ele me desafiou para um concurso..." Eu paro, porque eu nunca disse a Holly sobre coisas realmente pessoais. "Eu não sei o que aconteceu, exatamente. Ele só cortou o contato comigo depois do verão. Ele parou de responder aos meus textos. Ele só... Dispensou-me.” Ela beija meu pescoço. "Parece que você ainda está bravo.” "Eu estou" me surpreendo dizendo. Se você tivesse perguntado ontem se não havia nada no meu passado que me incomodasse, eu teria dito não. Mas agora que Ryan Wesley estacionou sua bunda de volta na minha consciência, eu estou todo remexido novamente. Raios o partam. Eu realmente não preciso que isso vá para os dois jogos mais difíceis da minha vida.


"E agora você tem que jogar contra ele," Holly murmura. "É muita pressão." Ela esfrega meu quadril. Eu tenho certeza de que ela tem algum plano para nós, nos envolvendo em um diferente tipo de "pressão". Ela visa à segunda rodada, mas eu não tenho tempo. Travando sua mão na minha, dou-lhe um beijo rápido. "Tenho que me levantar. Desculpe-me, querida. Vamos assistir à fita em vinte minutos.” Eu balanço minhas pernas para o lado da cama e dou uma olhada nas curvas de Holly. Minha amiga com benefícios é sexy como o inferno, e meu pau dá uma contração de gratidão pela diversão que já teve. "Droga", diz Holly, rolando convidativamente. "Eu não tenho aula até à tarde.” Ela corre as mãos até seu estômago chato e em seus peitos. Com os olhos trancados em mim, ela dá a seus mamilos uma olhada em seguida, lambe os lábios. Faz meu pau não deixar de notar. "Você é mal e eu te odeio." Eu pego minhas boxers do chão e olho para longe. Ela ri. "Eu não gosto de você em tudo." "Uhm-huhm. Mantenha-se dizendo isso." Mas então eu aperto meus lábios juntos. Há seis semanas antes da formatura não é aconselhável começar até mesmo uma conversa brincalhona sobre o quanto Holly e eu gostamos um do outro. Somos estritamente casuais, mas ultimamente ela está fazendo barulhos sobre o quanto ela vai sentir me perder no próximo ano. De acordo com Holly são apenas quarenta e três milhas de Detroit, onde estarei no próximo ano, a Ann Arbor, onde ela vai estar na escola média. E se ela começar a perguntar em voz alta se há algum apartamento para alugar a meio caminho entre essas cidades, eu não sei o que vou dizer. Sim. Não estou ansioso para esta conversa.


Sessenta segundos depois, eu estou vestido e indo para a porta. "Você está indo embora. Fugindo?" "Sim, está tudo bem." Sua risada me para antes que eu possa girar o botão. "Não tão rápido, garanhão." Holly se levanta para me dizer adeus, e eu me faço ficar parado por um segundo. "Mais tarde" sussurro. É o meu adeus padrão. Hoje, porém, pergunto-me se há outras palavras que ela está esperando ouvir. Mas quando a porta se fecha, minha cabeça já está em outro lugar. Eu jogo minha mochila sobre um ombro e escorrego para fora em uma enevoada manhã de abril. Cinco dias a partir de agora eu vou estar, na costa leste, tentando ajudar a minha equipe a conquistar o campeonato nacional. Cara, o Frozen Four é uma corrida em que eu estive uma vez antes. Foi há dois anos, e eu era o reserva em vez do motor de arranque. Eu não joguei, e nós não ganhamos. Eu gosto de pensar que as duas coisas estão relacionadas. Desta vez será diferente. Estarei esperando entre as traves, a última linha de defesa entre o ataque do outro time e o troféu. Isso é pressão suficiente para surtar até mesmo o melhor goleiro da faculdade. Mas o fato de que a estrela do outro time é meu ex-melhor amigo que de repente parou de falar comigo? Isso é louco. Eu me encontro com vários companheiros meus de equipe na calçada, nós todos nos aproximamos da pista. Eles estão rindo sobre as palhaçadas de alguém no ônibus ontem


à noite, brincando e empurrando uns aos outros através das portas de vidro e indo para o corredor reluzente. Rainier fez uma renovação maciça no ringue alguns anos atrás. É como um templo para o hóquei, com bandeirolas de conferências e fotografias da equipe que revestem as paredes. E isso é só a área pública. Fazemos uma pausa em frente a uma porta trancada para que Terry, um atacante reserva, possa passar o ID do olho no laser. A luz verde pisca e nós empurramos até a opulenta área de treinamento. Na cozinha da equipe, eu encho uma xícara de café e mastigo um bolinho de mirtilo de uma bandeja. Esse lugar me faz sentir como um pirralho mimado, mas é útil quando durmo demais. Dez minutos depois, nós estamos assistindo uma fita na sala de vídeo da equipe, ouvindo a análise do treinador Wallace. Ele está no pódio usando um pequeno microfone que amplifica sua voz por todo o caminho até a fileira de trás. Mas eu não posso ouvi-lo de qualquer maneira. Estou muito ocupado assistindo Ryan Wesley atirando através do gelo. Vejo clip após clip de Wes que passa pela linha de defesa como fogo, criando oportunidades de gol com nada além de aparas de gelo e raciocínio rápido. "O número dois, é um marcador ofensivo, o garoto tem bolas de aço", o nosso treinador admite a contragosto. "E bastante velocidade nos pés para fazer seus oponentes parecerem com minha avó de noventa e sete anos." Tiro após tiro improvável voa para dentro da rede. Metade do tempo à tela em Wes, que nem sequer têm as boas maneiras de parecer surpreso. Ele apenas desliza para frente com a graça e a facilidade de alguém que praticamente nasceu com lâminas de aço sob seus pés.


"Como nós, o Northern Mass teria chegado à final no ano passado, mas eles foram prejudicados por lesões na póstemporada”, diz o treinador. "Eles são o time a ser batido..." A filmagem é hipnotizante. A primeira vez que vi Wes patinando foi no verão depois da sétima série. Aos treze anos todos pensávamos que éramos merdas quentes só por atender as Elites, a classe do mundo no campo de treino de hóquei em Lake Placid, Nova Iorque. Ouçam o nosso rugido — nós éramos os melhores jogadores da gentalha na volta para casa, para as nossas equipes de clube. Nós éramos as crianças a bater durante os jogos de hóquei da lagoa. E na maior parte eram ridículos. Mas até mesmo o meu cu de calouro rebelde podia ver que Wes era diferente. Eu tive um pouco de medo dele desde o primeiro dia do meu primeiro verão em Elites. Bem, pelo menos até que eu descobri o bastardo arrogante que ele era. Depois disso, eu o odiava um pouco, mas sermos atribuídos como companheiros de quarto tornou difícil manter o meu ódio. Seis verões consecutivos, o melhor hóquei. Eu joguei contra o olho afiado, pulso de aço, Ryan Wesley. Passei meus dias tentando conter seus reflexos rápidos e seus tiros, uma bofetada no disco voador. Quando o treino acabava, ele procurava ainda mais um desafio. ‘Quer correr para o topo da parede de escalada?’ Wes perguntava. Precisa de um parceiro no crime para ajudá-lo a entrar no acampamento congelado depois da hora? Wes é o seu homem. A cidade de Lake Placid provavelmente soltou um suspiro de alívio em cada agosto, quando o acampamento


fechava. Todo mundo poderia finalmente voltar para viver suas vidas normais que não incluíam ver a bunda nua de Wes no lago todas as manhãs para seu mergulho nu diário. “Senhoras e senhores: Ryan Wesley.” O treinador zumbia na parte dianteira da sala enquanto Wes e seus companheiros de equipe faziam a sua magia na tela. O ringue mais divertido em que eu já estive foi com ele. Não que ele nunca me irritasse no gelo. Ele fazia isso a cada hora. Mas eu posso honestamente olhar para trás em seus desafios e provocações e ver que ele me fez um jogador melhor. Exceto pelo último desafio que ele emitiu. Eu nunca deveria ter aceitado. "Último dia", ele zombou de mim, patinando para trás mais rapidamente do que a maioria de nós poderia patinar para frente. "Você ainda está com medo de me enfrentar em outro tiroteio, né? Ainda choramingando sobre o último." "Mentira." Eu não estava com medo de perder para Wes. As pessoas costumam ter medo. Mas era difícil de fechar um tiroteio, e eu já devia a Wes um fardo de cerveja. O problema era que a minha conta bancária foi drenada. Como o último de seis filhos, enviar-me a este acampamento de fantasia era tudo o que os meus pais poderiam fazer por mim. Meu dinheiro cortando grama já tinha sido gasto em sorvete e contrabando. Se eu perdesse uma aposta, eu não poderia pagar. Wes patinou para trás em um círculo em volta de mim tão rápido que me fez lembrar do diabo da Tasmânia. "Não é pela cerveja", ele disse, lendo os meus pensamentos. "Meu balão está cheio de Jack, graças à surra


que dei em Cooper ontem. Então o prêmio pode ser algo diferente." Ele soltou um riso mau. "Como o quê?" Conhecendo Wes, implicaria em algum tipo de exibição pública ridícula. O perdedor cantando o hino nacional enquanto fica pendurado de cabaça para baixo na doca da cidade. Ou algo assim. Criei uma fileira de discos e preparei para matá-los. Bati, fui o primeiro, quase acertando Wes quando ele passou em um borrão. Criei meu próximo tiro. "O perdedor dá ao vencedor um boquete." Ele disse exatamente quando eu balançava a lâmina. Eu perdi a porra do disco. Na realidade perdi tudo. Wes gargalhou, derrapando para uma parada. Jesus Cristo, o cara era bom em foder com a minha cabeça. "Você está histérico." Ele ficou ali respirando com dificuldade da patinação tão rápida. "Pense que você pode não ganhar? Não importa qual o prêmio se você estiver confiante." Senti minhas costas suadas, de repente. Ele me tinha em uma posição impossível, e sabia. Se eu recusasse o desafio, ele ganharia. No entanto, se eu aceitasse, ele teria me abalado antes, o primeiro disco até voou em minha direção. Eu estava lá como um idiota, sem saber o que fazer. "Você e seus jogos de mente", eu murmurei. "Oh, Canning." Wes riu. "O hóquei é noventa por cento de jogos mentais. Eu tenho tentado ensinar-lhe isso durante seis anos." "Tudo bem", eu disse com os dentes cerrados.


"Você está dentro." Ele piou através de sua máscara. "Você já parece aterrorizado. Isto vai ser rico." Ele só está fodendo com você, eu disse a mim mesmo. Eu poderia ganhar um tiroteio. Então se eu virar o jogo, eu recusarei o prêmio, é claro. Mas então eu poderia manter o fato de que ele me devia um boquete sobre sua cabeça. Por anos. Era como se uma lâmpada dos desenhos animados fosse acesa sobre a minha cabeça. Dois poderiam fazer jogos mentais. Por que eu nunca percebi isso antes? Eu alinhei mais um disco e atirei com grande força para a direita após Wes sorrir arrogante. "Este vai ser um pedaço de bolo", eu disse. "Que tal nós termos este tiroteio, em que eu chuto o seu traseiro, logo depois do almoço? Antes da confusão da final do campeonato?" Por um breve momento sua confiança escorregou. Eu tenho certeza que vi o súbito clarão de ‘puta merda’. "Perfeito", disse ele finalmente. "Ok." Peguei o último disco fora do gelo e sacudi em minha luva. Então eu patinei me afastando, assobiando, como se não tivesse uma preocupação no mundo. Foi o último dia de nossa amizade. E eu nem vi isso acontecer. Na parte dianteira da sala, uma nova fita está rodando, essa destacando a estratégia ofensiva do Dakota do Norte. O treinador deixou de pensar sobre Ryan Wesley. Mas eu estou pensando.


03 O horizonte de Boston entra em vista na minha janela do ônibus bem antes que eu esteja pronto. São meros noventa minutos do Northern Miss para TD Garden. O Frozen Four é sempre jogado em um rinque neutro, mas se alguém tem uma vantagem em casa no gelo este ano, sou eu. "Este evento é como a sede mundial de disco?" Eu sou de Boston, assim sendo, jogar na arena Bruins é a minha fantasia de infância tornando-se real. Aparentemente, é a fantasia do meu pai também. Não só ele está louco para convidar todos os seus colegas imbecis para o meu jogo, como pode parecer um herói sem esforço. Ele só tem que saltar para uma limusine, não num voo fretado. "Você sabe o que eu mais gosto sobre este planejamento?" Cassel pergunta do assento ao meu lado enquanto folheia o itinerário que nosso gerente de equipe elaborou. "Que esse evento é como o disco da sede mundial?” Ele bufa. "OK, claro. Mas eu só ia dizer que eles estão colocando-nos em um bom hotel, não algum dormitório ao lado da Interestadual.”


"Verdade". Embora o hotel, seja ele qual for, não será tão grande quanto à mansão Beacon Hill de minha família a algumas milhas de distância. Eu nunca diria, apesar de tudo. Eu não sou um esnobe, porque eu sei que opulência não acaba com a ignorância e infelicidade. Basta perguntar a minha família. Passamos a meia hora seguinte no tráfego, porque é assim que é em Boston. Então, são quase cinco horas no momento em que finalmente, desembarcamos do ônibus. "O equipamento permanece aqui!" Nosso estudantil grita. "Levem somente as suas bagagens!"

gerente

"Não precisamos carregar nossas coisas? ” Cassel perguntou. "Baby, eu cheguei. Acostume-se a esse tratamento, Wes." Ele me dá uma cotovelada. "No próximo ano em Toronto, você provavelmente vai ter um personal para levar a sua vara em torno de você". É uma sensação supersticiosa falar sobre meu contrato com a NHL antes do Frozen Four. Então eu mudo o assunto. "Isso é incrível, cara. Eu adoro quando outro cara segura meu pau. " "Você fodidamente quer um para você, não é?" Ele pergunta quando nós agarramos nossas mochilas fora da calçada onde o motorista com o rosto vermelho as jogou. "Claro." Eu deixei Cassel entrar na porta rotativa antes apenas para que eu pudesse agarrar a porta e prendê-lo dentro. Agora preso, Cassel se torce por dar-me o dedo. Quando eu não o deixo ir, ele vira...distância e atinge sua fivela, preparando para me dar uma visão de sua bunda e


para qualquer fatia de Boston que acontecer de estar passando pelo hotel em uma sexta-feira de vento em abril. Eu paro na porta e dou-lhe um empurrão, batendo na bunda ainda não nua dele. Ah, jogadores de hóquei. Você realmente não pode nos levar em qualquer lugar. Então estamos no saguão brilhante. "O bar?" Perguntome. "Aberto" Cassel responde. "Isso é realmente tudo o que importa." "Verdade". Encontramos um lugar fora das portas para ficar enquanto aguardávamos o gerente da equipe classificar os quartos de hotel. Mas vai ser um por enquanto. O lobby está ocupado e cada vez mais agitado. Mas do outro lado da sala outra cor chama minha atenção. É laranja. Especificamente, o laranja e preto dos casacos do outro time. Eles estão arquivando as mesmas portas em que acabamos de entrar, empurrando uns aos outros e geralmente agindo como cães de caça cheios de testosterona. É tudo muito familiar. E então minha cabeça se inclina um pouco quando meu olhar se fixa em uma cabeça loira arenosa. Eu só preciso de uma vista oblíqua para reconhecer a forma de seu sorriso. Foda-me. Jamie Canning está se hospedando neste hotel. Meu corpo inteiro fica tenso enquanto espero que ele vire a cabeça. Para olhar diretamente para mim. Mas ele não faz isso. Ele está muito absorto na conversa com um de seus companheiros de equipe, rindo de algo que o cara acabou de dizer.


Ele costumava rir comigo dessa maneira. Eu não esqueci o som do riso de Jamie. Profundo e rouco, em um despreocupado tipo de caminho melódico. Nada jamais manteve Jamie Canning para baixo. Ele era o epítome do movimento fluído, provavelmente por causa de sua educação californiana descontraída. Eu não percebi o quanto senti falta dele até esse momento. Vá falar com ele. A voz na minha cabeça é persistente, mas eu a silencio por cortar o meu olhar para Canning. Com a quantidade colossal de culpa apresentada em meu peito, que agora tornou ainda mais evidente que preciso me desculpar com meu velho amigo. Mas neste exato momento eu não estou pronto. Não aqui, com todas essas pessoas ao redor. "É muito murmura.

Grand

Central

Station

aqui

",

Cassel

"Cara. Há uma coisa que preciso fazer. Vem comigo?" Eu formei essa ideia na hora. "Certo?" "Porta dos fundos", eu digo, empurrando-o em direção a uma saída vizinha. Lá fora, eu percebo o quão perto estamos de Faneuil Hall e de todas as porcarias turísticas que eles vendem lá. Perfeito. "Vamos lá." Eu dou um puxão em Cassel para a primeira fila de lojas. "Esqueceu sua escova de dente?" "Nãão. Eu tenho que comprar um presente ". "Para quem?" Cassel ergue sua mochila em seu ombro.


Eu hesitei. Eu sempre mantive minhas memórias para mim mesmo. Porque elas são minhas. Durante seis semanas em todos os verões, ele era meu. "Um amigo," eu finalmente admiti. "Um dos jogadores do Rainier”. "Um amigo." A risada de Cassel é baixa e suja. "Tentando descobrir como ficar com alguém após o jogo de amanhã? Para que tipo de loja você está me levando?" Cassel é um fodido. Eu deveria tê-lo deixado no lobby lotado. "Cara. Não é desse jeito." Mesmo que eu gostaria que fosse. "Esse cara, Canning, o goleiro do outro time, nós costumávamos ser unidos." Eu relutantemente adiciono: "Até eu destruí-lo por ser um imbecil." "Você? Quem poderia adivinhar." "Eu sei bem?" Eu faço uma varredura na fileira de lojas. Elas estão cheias de bosta turística que geralmente é invisível para mim: lagosta de brinquedo, bandeiras do Bruins, camisetas para trilhas Freedom Trail. Algo aqui definitivamente caberá para o que eu tenho em mente. "Vamos lá." Eu aceno para Cassel e começo a vasculhar as prateleiras. Tudo é berrante como o inferno. Eu pego um boneco de Paul Revere e depois o coloco para baixo. "Estes são engraçados", Cassel diz. Ele está segurando uma caixa de preservativos Red Sox. Eu ri antes de pensar em uma ideia melhor. "Verdade, mas isso não é o que estou procurando." O que quer que eu escolha, não poderá ter qualquer coisa a ver com sexo. Nós costumávamos enviar um ao outro todos os tipos de presentes, quanto mais sujos melhor, mas não desta vez.


"Posso ajudá-lo?" Uma menina de vendas vestida em traje colonial, com o peito saltando de babados. "Claro que pode boneca." Eu me inclino contra o balcão da maneira mais arrogante possível, e seus olhos se abrem um pouco mais. "Você tem alguma coisa com gatinhos?” "Gatinhos?" Cassel sufoca o riso. "Que diabos?" "Sua equipe é os tigres." Claro que não. "Claro!" Senhorita Betsy Ross pergunta, provavelmente porque este trabalho é chato pra caralho. "Um segundo." "Qual é o problema?" Cassel joga os preservativos para baixo sobre uma mesa. "Você nunca me comprou um presente.” "Canning e eu éramos amigos do acampamento de verão. Unidos, mas só nos víamos seis semanas por ano". Seis semanas muito intensas. "Você tem amigos desse jeito?" Cassel balança a cabeça. "Eu também não. Não antes, e não depois. Mas nós não nos falávamos durante o ano. Nós mandávamos uma mensagem, e enviávamos a caixa." "A Caixa?" "Sim..." Eu arranho meu queixo. "Penso que isso começou em seu aniversário. Ele devia ter uns quatorze anos?" Cristo. Nunca fomos tão jovens? "Enviei-lhe uma desagradável cinta escocesa roxa. Coloquei-a em uma caixa de charutos cubanos do meu pai”. Eu ainda conseguia me lembrar de ter envolvido a caixa em papel pardo e gravando tudo para o inferno por que isso iria chegar lá em uma peça. Eu esperava que ele abrisse na frente de seus amigos e ficasse envergonhado.


"Aqui vamos nós!" Betsy Ross retorna espalhando várias coisas sobre o balcão na minha frente. Ela encontrou uma caixa de lápis da Hello Kitty, um grande gato de pelúcia vestindo uma camiseta Bruins, e boxers brancas cobertas com gatinhos. "Essas." Eu empurro as boxers para ela. Cueca não era o meu objetivo, mas os gatinhos são até mesmo no tom certo de laranja. "Agora, para bônus, eu preciso de uma caixa. Em forma de charuto, se possível." Ela hesita. "Caixas de presente tem custo extra." "Eu estou bem com isso." Eu pisco para ela e ela enrubesce um pouco. Ela está verificando minhas tatuagens espreitando a partir do meu pescoço através do V da minha camiseta. Não posso culpá-la. A maioria das mulheres faz isso. Melhor ainda, os homens gostam, também. "Deixe-me ver o que posso encontrar." Ela corre desligada. Viro-me para Cassel, que está mascando seu chiclete, olhando-me como se eu não fizesse sentido. "Eu ainda não entendi." Certo. "Então, um par de meses mais tarde recebo uma caixa do correio. Sem nota. É a mesma caixa que lhe enviei, mas está cheia até o topo com Skittles1 púrpura". "Bruto." "Que nada cara. Porra, eu amo Skittles púrpura. Levei um mês para comê-las, entretanto. Isso é um monte de Skittles. E, eventualmente, eu mandei a caixa de volta." "Com o que?" "Não faço nenhuma ideia. Não me lembro." 1

Como o nosso M&M.


"O quê?" Disse Cassel. tinha um ponto alto."

"Eu pensei que esta história

"Nem tanto." Não tem. Eu não sabia até neste segundo, isso não foi importante. Foi o ato de enviá-lo. Eu era como cada adolescente, indo através da rotina da escola e fazendo a lição de casa, comunicando-se somente por e-mail, mensagens de texto e grunhidos. Quando aquela caixa aparecia sem avisar era como o Natal, mas, melhor. Meu amigo tinha pensado em mim e se deu ao trabalho disso por mim. Ao ficarmos mais velhos, as piadas ficaram ainda mais ridículas. Coco falso. Almofadas Whoopie. Um sinal que proibia peidar. Bolas de strass em forma de mamas. O presente não era tão importante quanto o fato de que algo fora dado. Agora Betsy Ross está de volta com uma caixa de presente que é aproximadamente do tamanho certo, mesmo que ela não abra como a caixa de charuto que estávamos acostumados. "Isso vai servir", eu digo, mesmo que eu esteja desapontado. "Então..." Cassel olha ao redor da loja, entediado agora. "Você está enviando-lhe um presente?" "Sim. Nossa caixa antiga provavelmente está em algum lugar da minha casa". Se eu não fosse um idiota, eu saberia onde. "Eu quebrei a cadeia a alguns anos atrás. Então, isso vai ter que servir. " "Eu vou verificar o gerente e ver se ele já tem as chaves do hotel para nós", Cassel diz. "Você faz isso." Eu vejo Betsy Ross embrulhar as boxers em algum papel de seda, em seguida, guarda-las na caixa.


"Precisa de um cartão?" Ela pergunta, me piscando um sorriso e uma visão melhor do seu decote. Eles não funcionam em mim, querida. "Por favor." Ela me passa um cartão de cartolina resistente e uma caneta. Eu escrevo exatamente uma palavra e o solto na caixa. Lá. Mandarei este presente para o quarto de Jamie no hotel o mais rapidamente que voltarmos. Então, quando puder puxá-lo de lado em algum lugar tranquilo, eu vou pedir desculpas. Não há nenhuma maneira de desfazer os destroços forjados há quatro anos. Eu não posso ter de volta aquela aposta ridícula que eu tinha forçado sobre ele ou o resultado muito estranho. E se eu pudesse voltar no tempo e contiver meus estúpidos dezoito anos de idade, cheios de puxar merda, iria fazê-lo num piscar de olhos. Mas eu não posso. Posso apenas balançar a mão do homem e dizer-lhe que é bom vê-lo de novo. Eu posso olhar para aqueles olhos castanhos que sempre me mataram e pedir desculpas por ser tão imbecil, idiota. E então eu posso comprar-lhe uma bebida e tentar voltar ao esporte e falar sobre tópicos seguros. O fato de que ele tinha sido o primeiro cara que sempre amei e aquele que me fez enfrentar algumas coisas terríveis sobre mim... bem, isso tudo não vou dizer. E então meu time vai matar o seu no final. Mas isso é apenas a maneira que é.


04 Nós vamos para uma noite tranquila no hotel, na verdade eu tenho certeza que metade dos meus companheiros de equipe estão extremamente infelizes. Particularmente os calouros e jogadores do segundo ano, que estão no Frozen Four pela primeira vez e esperavam festejar como loucos neste fim de semana. O Treinador embora.

esmagou

essa

noção

muito

rápido,

Ele estabeleceu a lei antes que alguém pudesse até mesmo pegar seus menus na sala de jantar. Toque de recolher às dez horas, sem álcool, sem drogas, sem travessuras. Os veteranos sabem o que fazer, por isso, nenhum de nós estamos especialmente chateados quando pegamos o elevador até o nosso bloco de quartos no terceiro andar. Amanhã é dia do jogo. Isso significa que essa noite é sobre tomar algo mais leve e dormir um pouco. Terry e eu fomos atribuídos para o quarto 343 perto da escada, então nós somos os últimos no corredor quando dirigimos a nossa porta.


No momento em que chegamos a ela, nós congelamos. Há uma caixa no tapete. Azul clara. Não acondicionada, exceto por um cartão de nota branco furado ao topo escrito Jamie Canning em uma letra cursiva florida. Que merda? Meu primeiro pensamento é que a minha mãe enviou algo da Califórnia, mas se tivesse, haveria um endereço, porte postal, sua caligrafia. "Uhhm..." Terry embaralha antes de plantar as suas mãos nos quadris. "Você acha que é uma bomba?" Rindo. "Eu não sei. Coloque o seu ouvido sobre isso e me diga se ouve um relógio." Ele rindo de volta. "Uh-huh. Vejo como isso é. Como um grande amigo, Canning, pondo-me na linha de fogo. Bem, esqueça. Esse é o seu nome nessa porra." Nós dois olhamos para o pacote novamente. Não é maior que uma caixa de sapatos. Ao meu lado, Terry comprime seu rosto em terror simulado e se lamenta. "O que está na caixa?" "Cara, agradável Sete genuinamente impressionado.

de

referência",

digo,

Ele sorri. "Você não sabe quanto tempo esperei por uma oportunidade para fazer isso. Anos." Nós olhamos um para o outro por um momento, e agacho e pego a caixa, porque tão divertido quanto isto seja, nós dois sabemos que a caixa é inofensiva. Eu a ponho sob meu braço e espero Terry passar o cartão-chave para abrir a porta, e, em seguida, nós dois avançamos para o quarto. Ele liga rapidamente a luz e se dirige para sua cama, enquanto eu balanço para baixo na borda da minha e levanto a tampa da caixa. Franzindo a testa, eu desembrulho o papel e puxo o


pacote de tecido branco suave no interior. “Pacote de tecido no interior”. Do outro lado da sala, Terry buzina. "Cara, que porra é essa?" Eu não faço ideia. Eu estou olhando para um par de boxers brancas com gatinhos laranja-brilhante sobre elas, incluindo um direito malhado mal colocado na virilha. Quando as seguro pelo cós, outro cartão tremula fora. Este tem uma palavra sobre ele. MIAU. E puta merda, eu reconheço a caligrafia desta vez. Ryan Wesley. Eu não posso evitar. Eu rosno tão alto que envio as sobrancelhas de Terry voando na sua testa. Eu ignoro a reação do meu amigo, muito divertido e perplexo com o significado deste som. A Caixa. Wes ressuscitou nossa velha caixa de piada. Exceto para a minha vida, eu não tenho ideia do por que. Eu tinha sido o último a enviá-la. E eu me lembro de me sentir muito presunçoso sobre a minha escolha de presentear com um pacote de Sopro Pops. Porque, bem, como eu poderia resistir? Wes não tinha enviado nada de volta. Ele também não tinha ligado, mandado uma mensagem, enviado e-mail, ou pombo-correio. Nem uma única palavra dele por três anos e meio. Até agora. "De quem é?" Terry está sorrindo para mim, visivelmente entretido pelo presente ridículo em minhas mãos.


"Holly." O nome dela deixa a minha boca tão suavemente que me surpreende. Eu não sei por que menti. Seria fácil o suficiente dizer que as boxers são de um velho amigo, um rival, seja o que for. Mas, por alguma razão, eu não posso dizer a Terry à verdade. "Trata-se de uma piada interna ou algo assim? Por que ela iria enviar-lhe boxers com gatinhos? " "Uh, você sabe, porque ela me chama de gatinho às vezes.” "Oh, pelo amor de Deus. ” Terry se lança sobre isso em um piscar de olhos. "Gatinho? Sua namorada te chama de gatinho?" "Ela não é minha namorada." Mas o ponto é discutível, porque ele está dobrado de tanto rir, e eu quero me chutar por lhe dar munição embaraçosa que ele vai usar, sem dúvida, contra mim até o fim dos tempos. Eu deveria ter apenas lhe dito que era de Wes. Por que diabos não fiz isso? "Uh, desculpe-me", diz ele, ainda rindo e andando até a porta. Eu estreito meus olhos. "Onde você está indo?" "Não se preocupe com isso, gatinho." Um suspiro fica preso na minha garganta. "Você vai bater em todas as portas e dizer para os caras, não é? " "Sim." Ele se foi antes que eu pudesse protestar, mas sinceramente eu não me importo muito. Então os caras vão me zoar sobre a coisa do gatinho por poucos dias.


Eventualmente, um dos meus companheiros de equipe vai fazer algo ridículo e vai ser sua vez de virar para levar o calor. Depois que a porta se fecha atrás de Terry, fico olhando para as cuecas boxer de novo, um sorriso involuntário alcança meus lábios. Merda de Wes. Eu não sei o que isso significa, mas ele deve saber que eu estou na cidade para o campeonato. Talvez esta seja sua maneira de pedir desculpas? Estendendo um ramo de oliveira? De qualquer forma, estou muito curioso para ignorar o gesto. Pego o telefone e disco para a recepção, e depois espero na linha ouvindo a fantástica Katy Perry "roar". Que só me faz rir, porque, você sabe, rugido. Miau. Quando o funcionário da recepção responde, pergunto se há um número de quarto para Ryan Wesley. Eu tenho certeza que o mar de coletes verdes-e-branco no lobby significa que ele está no hotel. "Eu não posso fornecer o número de outro quarto, senhor." Isso acaba em um segundo, porque claramente Wes foi capaz de descobrir meu número do quarto. Mas é de Wes que estamos falando. Ele provavelmente ofereceu a alguma mulher na frente do balcão uma olhada no seu abdômen. "Senhor? Eu poderia tentar conectá-lo por telefone." "Obrigado." Ele toca, mas ninguém responde. Merda. Mas há mais uma coisa a tentar. Eu percorro meu telefone para ver se o seu número ainda está, nos meus contatos. E está. Acho que nunca fiquei muito puto o suficiente para apagá-lo. Eu


mando um texto, espertalhão.

apenas

três

palavras:

Ainda

um

Quando meu telefone toca um segundo mais tarde, Eu espero ver uma mensagem saltar dizendo: ‘Esse Wes mudou seu número há muito tempo, foda-se muito’. Algumas coisas não mudam. Diz em seu lugar. Não posso deixar de lhe responder na minha cabeça. Mas algumas pessoas sim. Ouço-me recebendo todo malintencionado. Qual é o ponto disso? Então eu bato para fora outra coisa: Então, isso é um presente de olá, ou um presente de foda-se, vamos chutar o seu traseiro? Sua resposta: Ambos? Sentado ali na cama do hotel, eu estou sorrindo para o meu telefone. Sério, meu rosto está para quebrar em dois. É realmente apenas a nostalgia de um tempo mais simples na minha vida, quando as maiores decisões eram coberturas de pizza e qual presente ridículo eu enviaria em uma caixa para o meu camarada. Mas eu gosto de qualquer maneira, e é, provavelmente, por isso que o meu próximo texto diz: Eu provavelmente estou me dirigindo até o bar para um pouco de bebida. Sua resposta: Eu já estou nele. Claro que ele está. Eu embolso meu telefone e abro minha mochila. Dirijo-me para o chuveiro, tomo alguns minutos para lavar o longo dia de folga. Preciso disso para me reagrupar. E eu poderia realmente usar um barbeador. Ou talvez esteja parando. Eu não sei o que esperar de Wes.


Com ele, você nunca sabe o que esperar, essa foi uma das razões pela qual eu sempre gostei muito dele. Ser seu amigo foi uma maldita aventura. Ele me arrastava para uma situação louca após a outra, e eu estava feliz de ir junto para o passeio. Eu fiz isso tão lealmente. Direto através da parte louca no final. No chuveiro do hotel, eu respiro fundo o vapor de ar. Holly estava certa. Eu ainda sou louco. Porque se Wes e eu tivéssemos tido uma briga ou algo assim, e então ele ter virado as costas para mim, pelo menos, teria feito sentido. Mas não lutamos. Ele só me desafiou para um tiroteio. E nesse dia, na última tarde de acampamento, alinhamos os discos com perfeita justiça. Ele atirou cinco vezes para mim, e eu disparei cinco vezes contra ele. Pênaltis nunca são fáceis. Mas quando você está defendendo a rede contra Ryan Wesley, o patinador mais rápido com quem eu já joguei? É intenso. Ainda assim, nós tínhamos feito isso muitas vezes o suficiente para que eu fosse capaz de antecipar seus movimentos rápidos. Lembro-me depois, que eu cacarejando, parei os seus três primeiros tiros. Mas então, ele teve sorte, e em seguida, ganhou num salto improvável fora das traves. Talvez outro cara entrasse um pouco em pânico quando percebesse que tinha ficado em dois. Mas eu era um cara legal. Em última análise, foi Wes que foi sufocado. Ele não estava acostumado com o equipamento de goleiro, mas ele nem foi usado para disparar à baliza. Eu afundei meus dois primeiros tiros. Em seguida, ele defendeu os dois seguintes.


Foi tudo para baixo para um tiro, e vi medo em seus olhos. Em meu intestino, sabia que podia fazer isto. Eu tinha ganhado justo e quadrado. O terceiro tiro passou por seu cotovelo e caiu com um assobio na parte de trás da rede. Nas próximas três horas eu o deixei torcido durante todo o jantar e as cerimônias bestas de premiação que acontecem no final do acampamento. Estava estranhamente mudo por tudo isso. Eu esperei até que voltamos ao nosso quarto para deixá-lo fora do gancho. "Acho que vou cobrar meu prêmio no próximo ano". Eu disse com tanta indiferença como um cara de dezoito anos de idade pode reunir. "Junho, talvez. Ou julho. Eu vou deixar você saber, ok?" Eu queria ouvir algum tipo de suspiro aliviado. Fazer Wes suar por uma vez tinha sido divertido. Mas seu rosto não revelava nada. Ele puxou um frasco de aço inoxidável e lentamente desenroscou a tampa. "A última noite de acampamento, cara" ele tinha dito. "É melhor a gente comemorar." Ele deu um bom gole e depois passou para mim. Quando eu levei o frasco, seus olhos brilharam com algo que não conseguia ler. O uísque deslizou áspero para baixo. Engoli o primeiro gole de qualquer maneira. Até agora, nós não tínhamos bebido mais do que uma ou duas cervejas, gasto com nossos baús. Sermos apanhados com álcool ou drogas teria significado problemas reais. Então, eu não tinha qualquer tipo de tolerância na época. Senti o deslizar do calor do licor através do meu peito justo quando Wes disse: "Vamos assistir um pouco de pornografia".


Quase quatro anos depois, eu estou aqui parado, tremendo no banheiro de um hotel. Eu fecho a água e pego uma toalha para fora da pilha. Eu acho que é hora de ir lá embaixo e ver se a nossa amizade é corrigível. O que aconteceu naquela noite foi um pouco louco, mas não exatamente digno dos livros de recordes. Eu tinha reduzido com bastante facilidade. Mas Wes não tinha. Não há realmente nenhuma outra explicação do por que ele me cortou para longe. Deus, eu espero que ele não peneire isso. Às vezes é melhor deixar uma merda quieta. No meu modo de vista, uma noite de estupidez bêbada não deve ser o momento de definição em seis anos de amizade. Mesmo assim, eu estou estranhamente nervoso cinco minutos mais tarde, quando eu desço do elevador no térreo, odeio a sensação de coceira na minha espinha, porque não fico nervoso muitas vezes. Eu sou provavelmente a pessoa mais fria que você já conheceu, o que eu sou, certamente tem a ver com o fato de que a minha família é a definição curta de distração californiana. O bar está lotado quando eu entro. Nenhuma surpresa. É sexta-feira à noite e o hotel está reservado por causa do torneio. Cada mesa e cabine estão ocupadas. Eu tenho que virar o meu corpo de lado para me mover através do lugar, e não posso ver Wes em qualquer lugar. Talvez esta tenha sido uma ideia estúpida. "Desculpe-me", eu digo. Há um monte de empresários bloqueando a passagem entre o bar e as mesas. Mas eles riem de alguma piada, ignorando a forma como eles estão fazendo a sala inteira intransitável.


Eu estou provavelmente a segundos de voltar ao andar de cima quando eu o ouço. "Otário". É apenas uma palavra, mas reconheço a voz de Wes instantaneamente. Profunda, meio rouca. De repente, sou transportado de volta à escola, a todos os verões. Ouço sua voz gozando-me, desafiando-me, rasgando em mim. Um bufo comum do riso segue seu comentário, e eu viro minha cabeça para avistá-lo no grupo de jogadores de hóquei contra a parede oposta. Ele vira a cabeça ao mesmo tempo, quase como se sentisse minha presença. E merda, viajo de volta no tempo novamente. Seu olhar é o mesmo. E diferente. Ele parece tão diferente e a mesma coisa. Ele ainda tem o cabelo escuro desarrumado e a barba crescendo desalinhada, mas ele está maior agora. Músculos sólidos e ombros largos, mais magro de volume, mas definitivamente mais volumoso do que os seus dezoito anos de idade. Ainda tem a tatuagem tribal em seu bíceps direito, mas agora há mais um monte de tinta em sua pele dourada e tonificada. Outra peça em seu braço esquerdo. Algo preto e Celta espreitando do colarinho de sua camisa. Ele ainda está falando com seus amigos, enquanto me observa chegando. Claro que ele está cercado por pessoas. Eu tinha esquecido o quão magnético ele é. Como se ele queimasse o maior combustível de teste do que o resto de nós. A peça brilhante através de sua sobrancelha perfurada captura a luz quando ele vira a cabeça, uma piscadela de prata apenas um tom mais claro do que seus olhos ardósia


cinza. Seus olhos se estreitam quando eu finalmente nado através do mar de pessoas para chegar ao seu lado. "Merda, cara, você fez luzes em seu cabelo?" Mais de três anos desde que estivemos juntos na mesma sala, e essa é a primeira coisa que ele diz para mim? "Não." Eu reviro meus olhos quando eu deslizo para o banco ao seu lado. "É por causa do sol." "Você ainda surfa todo fim de semana?" Wes pergunta. "Quando eu tenho tempo." Eu ergo uma sobrancelha. "Ainda puxando para baixo suas calças e piscando sua bunda por nenhuma razão concebível? " Seus companheiros de equipe entram em erupção em torno de nós, o seu riso trovejando no meu peito. "Merda, ele sempre foi assim?" Alguém diz. Um sorriso puxa o canto da boca de Wes. "Eu nunca privaria o mundo dessa beleza masculina que Deus me deu." Ele se estende para colocar uma grande mão no meu ombro. Ele lhe dá um aperto. Foi uma fração de segundo, mas novamente, ainda posso sentir o ponto quente no meu ombro. "Gente, este é Jamie Canning, meu amigo de longa data e goleiro para esses merdas em Rainier. " "Ei," eu digo estupidamente. Então eu olho ao redor, à procura de uma garçonete. Preciso de uma bebida na minha mão, mesmo que seja apenas um refrigerante. Mas o lugar está lotado, e não há um único garçom a vista nas proximidades. Eu olho para o copo na mão de Wes. Ele está bebendo algo efervescente e Coca, ao que parece. Não, cerveja de raiz. Ele sempre tinha preferido cerveja de raiz. E, obviamente, o seu treinador deu-lhe o mesma lenga-lenga sobre não beber.


Wes levanta a mão no ar, e a garçonete vira abruptamente em nossa direção. Ele aponta para o copo e ela balança a cabeça como se ordenada por Deus para fazer o seu lance. Wes pisca-lhe um sorriso, sua moeda favorita para favores. E notei outro flash de metal. Sua língua está perfurada. Isso é novo. E agora eu estou pensando sobre a sua língua. Jesus, foda. E os últimos quatro anos de silêncio entre nós, de repente, faz um pouco mais de sentido. Talvez existam palhaçadas bêbadas capazes de destruir uma amizade. Ou talvez isso seja uma merda, e se tivéssemos ficado amigos nós poderíamos não ter resistido uma hora a alguma estupidez há muito tempo. Enquanto isso, está realmente muito quente neste Bar. Se essa garçonete me trouxer uma cerveja de raiz, vou ser tentado a derramá-la toda de uma vez. E o silêncio entre o meu ex-amigo e eu cresce mais por segundo. "Lotado," eu consigo dizer. Apenas mal. "Sim. Precisa de um gole?" Ele oferece-me o seu copo. Tomo um gole ganancioso e nossos olhos se encontram sobre a borda. Sua confiança caiu um milímetro ou dois. Seu olhar faz uma pergunta. Será que vamos fazê-la através da meia hora seguinte? Engolindo em seco, eu tomo uma decisão. "Vergonha os Bruins serem punidos pelos Patos no último mês." Eu vejo o flash do retorno da arrogância na velocidade da luz. "Isso foi um golpe de sorte. E uma péssima escolha. Seu ala tropeçou nos seus próprios pés de pato." "Com uma pequena ajuda de seu D-homem". "Oh, foda-se. Vinte dólares que os Patos não ficam após a primeira rodada deste ano."


"Vinte é tudo que você está disposto a apostar?" Eu suspiro. "Parece que está com medo. Vinte e um vídeo do YouTube proclamando minha grandeza. " "Feito, mas quando você perder, fará o vídeos em um camiseta dos Bruins". "Claro." Eu dou de ombros. E assim, a noite fica mais fácil. A garçonete aparece com dois copos de cerveja de raiz e um sorriso com fome de Wes. Ele desliza-lhe uma nota de vinte. "Obrigado, boneca." "Avise-me se precisar de alguma coisa," ela diz, como uma sombra. Cristo. Jogadores de hóquei não tem muita dificuldade de transar, mas meu velho amigo obviamente gosta de um ponto fraco da ninhada. Ela é boa, também. Bunda grande e um sorriso doce. Ele nem sequer desperdiçou um olhar para a bunda perfeita que ela pavoneou a distância. Depois que ela desapareceu, Wes abre os braços e sorri para o grupo de jogadores de hóquei em volta dele. "Merda, nós somos apenas um bando de maricas, não somos? Cerveja de raiz de gengibre em uma noite de sexta-feira. Alguém chame os policiais. Precisamos de um jogo de dardos ou algo assim." "Hóquei de mesa!" Alguém grita. "Vi na sala de jogo". "Cassel!" Wes coloca o cara próximo a ele de pé. "Quem ganhou o último jogo, de qualquer maneira?" "Você fez, seu idiota. Porque me traiu durante o tiroteio". "Quem, eu?" Todo mundo ri. Mas minha mente só houve "tiroteio". Claro que sim.


05 O time seguiu para uma suíte executiva no TD Garden, uma caixa privada de rabo chique com um piso reluzente e janelas até o teto, com vista para a arena abaixo. A comemoração era com garrafas de Dom que tinham sido entregues, no entanto, foi cortesia de meu pai cabeça de merda. O sacana está montando a elevação da nossa vitória, como se tivesse sido ele no gelo esta tarde, até o ouvi gabarse a um dos seus amigos que ele foi o único que me ensinou o movimento triplo no decke com o qual eu costumava marcar o gol da vitória no terceiro período. Besteira. O velho não tinha me ensinado nada. Desde que eu fui capaz de segurar um bastão de hóquei, ele jogou o dinheiro nos treinadores e professores e qualquer outra pessoa que poderia preparar seu único filho para ser um superstar. O único crédito que estou disposto a dar-lhe é que ele é realmente bom em assinar seu nome em um cheque. A equipe de Canning está no gelo, enfrentando a mesma pressão que tivemos anteriormente. O Treinador permitiu-nos a cada um, uma taça de champanhe. Vamos


jogar as finais amanhã à noite, e ele nos quer afiados. Ele não precisa preocupar-se comigo, no entanto. Eu estou bebendo uma cerveja. Não apenas como um foda-se para o meu pai, mas porque meu estômago está embrulhado enquanto eu assisto ao jogo, e o álcool vai só piorar. Quero que os Rainiers ganhem. Eu quero Canning nas finais, cara. Eu quero fingir que ainda não tenho sentimentos pelo cara. Acho que vou ter que contentar-me com meus sentimentos. Porque não posso fingir que não os tenho. Vê-lo novamente ontem à noite tornou isso impossível. Porra, ele parecia bom. Muito bom. Toda gostosura de rapaz dourado da Califórnia, grandes cabelos loiros e sexy pra caralho. Com aqueles profundos olhos castanhos surpreendentes. É uma sensualidade discreta, embora. Jamie Canning nunca exibisse sua aparência em todo o tempo que eu o conheço. Às vezes acho que ele não está mesmo ciente de como ele é atraente, droga. "Oooooh merda," soa dentre os corvos de idosos quando um jogador Rainier oferece o que poderia ser o sucesso da semana. É um cheque limpo, mas faz o jogador oposto ricochetear as placas como uma bola de borracha e expande o cara no gelo. Os Rainiers estão nisso para ganhar. Eles estão jogando agressivamente, todas as ofensas, o tempo todo. Eu não acho que Yale tomou mais de uma dúzia de tiros a gol, e já está no terceiro tempo. Canning parou todos, mas o que deixou entrar foi uma coincidência total de um tiro, bateu fora da tubulação para


fornecer Yale um rebote do centro e deu um tapa em volta. Eu podia praticamente ouvir o silvo do disco quando ele passou zunindo pela a luva de Canning, apenas um nano segundo rápido para que engolisse isso também. O resultado está empatado agora. 1-1, com cinco minutos para acabar. Encontro-me segurando minha respiração, a frente dos Rainiers para que algo aconteça. "Seu homem, Canning, é uma rocha firme," Cassel me diz, tomando um gole delicado de seu champanhe como se fosse à porra da rainha da Inglaterra. "Legal sob pressão," eu concordo, meu olhar colado ao ringue. A ala esquerda de Yale só jogou um pulso preguiçoso que Canning facilmente para, sua linguagem corporal quase entediada enquanto ele mantém a posse do disco antes de passá-lo para um de seus alas. Os jogadores dos Rainiers rasgam além da linha azul, indo ao ataque. Mas minha de gol, a maneira Ainda não posso exata, voando em

mente está ainda sobre a última tentativa como Canning enfrentou o jogador de Yale. contar quantas vezes estive nessa posição direção a meu amigo, indo para ele.

Exceto a última vez que o enfrentei, eu estava na rede. A última barreira que separava Jamie Canning e um boquete. Eu gosto de pensar que eu não deixei ele ganhar de propósito. Eu sou competitivo, sempre fui. Não importava o quanto eu queria o pau do Canning na minha boca. Não importava se eu ganhasse, eu sabia que eu teria que deixá-lo para fora da aposta. Eu já havia defendido a rede com tudo que eu tinha. Talvez? Porque quando aquele disco passou por mim, não posso negar que uma parte de mim tivesse ficado feliz.


"Com isso dito, eu não iria gritar e meus olhos se perdem," Cassel diz. Ele mostra sorriso para mim. "Eu sei que ele é seu melhor amigo e tudo, mas eu me sentiria melhor indo contra o goleiro do Yale de pepino fresco lá em baixo." Cassel é direto. Canning é a maior ameaça. As fraquezas que ele teve no passado? Foram-se. Ele é uma estrela do hóquei agora. Não me admira que ele seja o titular. Mesmo assim, não quero que ele perca. Eu quero vê-lo nas finais. Eu quero vê-lo, ponto final. E eu experimentei a esmagadora derrota antes que sua equipe se engasgue, eu sei que não vamos sair juntos, reconectarmos... Chupar um ao outro? Eu bani esse pensamento. Não consigo aprender? A última vez que ‘chupar’ entrou na equação, perdi meu melhor amigo. É engraçado, tenho certeza que todo mundo tem algo que se arrepende de ter dito. Um insulto que tenham arremessado em alguém. Uma confissão que desejaram que pudessem voltar atrás. Talvez, não sei, uma piada insensível que desejam que não tenha contado. A única frase da qual me arrependo? "Vamos ver um filme pornô." Não havia nenhuma via de volta, uma vez que proferi essas palavras, e não posso culpar o álcool, porque alguns goles de um frasco não faz um idiota bêbado. Eu sabia o que estava fazendo. Que eu estava persuadindo Canning. Eu estava coletando o prêmio da maldita aposta, o que então, é muito engraçado, porque ele tinha ganhado. O prêmio era dele, só que não era. Era meu. Porque eu queria tocá-lo mais do que eu queria minha própria respiração.


Ainda me lembro do choque no rosto dele quando carreguei o site pornô no meu laptop. Eu escolhi uma cena mansa, mansa para mim, de qualquer forma. Coloquei o laptop no colchão, em seguida, deitei sobre a cama de baixo, como se eu não tivesse nenhuma preocupação no mundo. Por um longo instante Canning não se mexeu. Eu esperei tenso, enquanto ele decidia ou não se ia sentar-se na minha cama, ou subir até a cama de cima. Sem olhar para ele, eu passei para ele a garrafa de bolso. Eu o ouvi engolir. Ele engoliu em um suspiro, em seguida, estacionou sua bunda ao meu lado. Não arrisquei uma olhada nele durante vários minutos. Nós nos deitamos em nossas costas, passando a garrafa um para o outro enquanto olhávamos para duas loiras peitudas na tela com os dois caras. "Como você compararia sua técnica à dela?" Canning rachou-se acima com este gracejo, seu estômago tremendo enquanto ele olhava para o laptop. Para ele, era apenas o resultado mais recente e divertido de nossas peripécias de competidores. Ele ia mandar-me, como sempre fizemos um com o outro. Mas para mim, não era brincadeira. Eu passei o último ano só tentando aceitar a minha cada vez mais óbvia, atração por homens. A trapalhada da perda da minha virgindade com uma garota durante o primeiro ano tinha sido uma grande bandeira vermelha. Não estava atraído por ela, mas precisava, eu tinha que experimentá-lo. Para ter certeza. Eu mal tinha sido capaz de levantar o meu pau, e mesmo assim, eu tinha conseguido apenas porque eu estava pensando em... Canning. Eu pensei sobre Jamie Canning.


Isso tinha esmagado minha amiga por um longo tempo. Mas não pude falar isso. Meu único motivo aqui foi para jogar junto. "Bem, eu sempre fui bom em ser belo." "Só você poderia ser arrogante sobre isso." Jamie diz. "Sempre digo, Canning. Sem medo. Aconteça o que acontecer." Deus, eu era um idiota. Porque o medo não era parte da equação. Tudo que eu tinha era um desejo puro, dolorido enquanto fiquei ali deitado ao lado de Jamie. Ano passado eu tinha me beneficiado de uns amassos bêbados e uma foda de mão com um cara da escola. Mas mesmo assim, eu não tinha tido cem por cento de certeza. Deitado na cama ao lado de Canning? Eu queimei com a certeza. Na tela, a loira estava gemendo como uma louca. Eu estava assando no espeto e amando. Canning ficou quieto por um tempo. Fiquei ali deitado, tentando manter minha respiração. Mas eu não pude resistir a uma espiada em sua virilha às escondidas um minuto mais tarde. E então minha respiração ficou engatada, porque, puta que pariu, ele estava duro, uma distensão de ereção longa e grossa por baixo do seu short atlético. Eu estava ostentando a mesma ereção visível, e eu sei que ele viu. Ele provavelmente pensou que era o pornô. Inferno, isso era a única razão pela qual ele foi ativado. Eu não, apesar disso. Meu pau palpitava por ele. Ao meu lado, ele engoliu mais ou menos. "Escolha interessante, Wesley. Considerando os riscos. Eu não vou forçá-lo a me chupar." Ele sorriu. "Eu prefiro gozar a glória de saber que você finalmente passou um cheque que você


não tem dinheiro para cobrir." Então ele virou os olhos lindos para mim, e só fez minha pele queimar mais quente. "O que?" Eu disse, esperando que ele não pudesse ouvir minha voz grossa de luxúria. "Você acha que eu sou muito covarde para te chupar?" Ele virou seu queixo para me olhar... "Porra!" O grito do nosso capitão de equipe empurrou-me fora da minha viagem para baixo da minha memória. A arena toda está em alvoroço, fãs gritando enquanto as luzes do painel de avaliação acima e as telas todas mostram num flash da palavra gol! Em grandes letras amarelas. Meu estômago cai como um saco de tijolos, quando percebo quem marcou. Yale. Puta que pariu. Yale marcou, e eu tinha sido demasiado distraído para vê-lo. Agora está 2-1 , com um minuto e meio para acabar. "Distraí-me, cara," digo a Cassel. "O que aconteceu?" "Um dos homens Rainier levou a punição mais estúpida que já vi." Ele abana a cabeça em admiração. "Idiota, só entregou a vitória a Yale." Não, eles ainda não ganharam. Ainda há tempo para Rainier reagrupar. Ainda á tempo, droga. "Seu garoto acrescenta Cassel.

não

teve

chance

naquele

pênalti",

Meu intestino torce com mais força. Diga o que quiser sobre Yale, mas eles levam a NCAA em capitalizar sobre os pênaltis. Cada vez que jogamos com eles nesta temporada, o treinador proferiu uma frase sinistra antes de sair do


vestiário. "Você acaba no lixo do pecado contra Yale, você perde". Espero que essas palavras não sejam proféticas, que Rainier possa se recuperar, mas minhas preces passam incólumes. O apito final soa através de TD Banknorth Garden. E o Rainier perde.


06 Nós perdemos. Estamos muito perdidos. Ainda estou atordoado enquanto me arrasto para baixo nos vestiários. O ambiente ao meu redor é sombrio. Sufocante. Ninguém está jogando o jogo da culpa, porém. Não há nenhuma raiva dirigida a Barkov, que tropeçou para frente do Yale sem razão compreensível, já que o cara nem tinha o disco. Não há nenhuma recriminação para nossa defesa, que inexplicavelmente se desfez depois daquele pênalti. E não há nenhuma acusação destinada a mim, por não ser capaz de parar essa última oportunidade de acender a lâmpada. Mas, por dentro... Eu me culpo. Eu deveria ter evitado. Eu deveria ter mergulhado mais rapidamente, estendido o braço mais distante. Eu deveria ter arremessado meu corpo sobre aquele maldito disco e não o deixado chegar perto do gol.


Dormência me define. Eu estava triste por minha família não fazer a viagem da Califórnia até aqui para me ver jogar. Agora, agradeço que eles não tenham me visto perder. Exceto na televisão. Juntamente com alguns milhões de outras pessoas... Droga. No nosso quarto de hotel, acho Terry sentado na cama, controle remoto na mão. Mas a TV está desligada, e ele está vendo uma tela preta. "Hum, Terry? Você está bem?" Ele parece rápido. "Sim. Só..." A frase morre uma morte precoce em sua voz. Os próximos dias vão ser iguais a esse. Vejo-o agora. Queríamos tanto ser aqueles que trouxeram para casa este título para Rainier. Provaria para nossas famílias e a faculdade que todos esses anos de sacrifício valeram a pena. Eu não provei nada. "Ainda é a temporada mais vencedora em trinta anos," Terry diz lentamente. Eu pulo na minha cama. "É assim, uma palavra de consolo?" "Não, mas nós somos". Ambos rimos. Mas a risada dele termina em um suspiro. "Isso foi meu último jogo, Canning. Eu não sou um recruta da NHL como você. Daqui a três meses eu estarei vestindo um terno e sentado em uma mesa." Merda. Isso é realmente nojento. "Há quinze anos eu sou um jogador de hóquei. A partir de uma meia hora atrás, eu sou um associado júnior na divisão de investimento bancário de Pine Trust Capital". Jesus. E agora estou esperando que nossas janelas do quarto de hotel não sejam do tipo que se abrem, porque


estou meio com medo de que ele vá sair para o parapeito e pular dela. Ou então eu vou pular. "Cara, você precisa de álcool e uma menina. Como ontem." Sua risada é escura. "Meus primos estão vindo até aqui para me buscar. Haverá bares bebida e tetas." "Graças a Deus." Eu dou mole para estudar o teto do hotel. “Você sabe, há uma grande chance de que eu nunca jogue um único jogo de NHL. Você conhece a sina de terceiro goleiro? Detroit poderia muito bem fazer um banco com as medidas exatas do meu rabo. Se eu tiver sorte, eles me deixarão jogar de seu goleiro na equipe da fazenda. ” "Você ainda tem a camisa e os discos de coelhinhos". Seu telefone toca e ele pega para responder. "Pronto”, ele diz ao interlocutor "Eu vou descer." Então olha para mim. "Você vem?" Eu vou? Eu definitivamente preciso de uma bebida. Mas no momento, minhas costas estão prontas para a colcha. "Não estou pronto", admito. "Eu mando um texto para você em uma hora, para ver onde você está." "Faça isso", diz ele. "Mais tarde", eu digo enquanto a porta se fecha. Só um pouco ensopado na minha própria miséria. Meus pais me ligaram, mas eu não atendi. Eles vão ser incríveis, como sempre, mas não quero ouvir palavras boas, me incentivando agora. Eu preciso me sentir mal. Embebedar-me. Cair fora, talvez. Há uma batida firme na porta e eu lanço a minha bunda gorda até ela. Provavelmente um companheiro de equipe, pronto para me ajudar com me embebedar, para esquecer as atividades de hoje à noite.


Abro a porta para encontrar Holly ali de pé, seu rosto borrado com laranja e tinta preta, uma garrafa de tequila em uma mão e limões na outra. "Surpresa", ela diz. "Jesus, Holls." Eu ri. "Você disse que não viria". "Eu menti". Ela dá-me um grande sorriso. Abri a porta mais larga. "Você nunca teve melhor momento em sua vida." "Sério?", ela desafia, passando por mim. "Nem mesmo no dia do banheiro do trem antes de nossa parada?" "Ok, talvez esse então." Estar tão feliz em vê-la não é engraçado. Distração é o que eu preciso, e isso é o que Holly e eu sempre temos sido um para o outro. Ela fica para o negócio, limão cortado sobre a mesa do hotel com uma faca, que ela puxa da bolsa dela. Sei como escolher os meus amigos, ou o que? "Copos", Holly pede por cima do ombro. Eu acho que poderia ir direto para a garrafa, esta noite, mas por causa dela eu olho em volta, encontro um par no console da TV. Eu arranco para baixo e ela está despejando antes que eu saiba. "Aqui". Ela oferece-me um copo e gira outro no ar. "Para arrasar e superar nossas decepções." Seus olhos azuis me estudam, procurando por algo. "Isso é um bom brinde, amiga," eu murmuro. "Obrigada". Quando eu toco meu copo no dela, ela sorri como se tivesse ganhado alguma coisa hoje à noite. Isso fez um de nós feliz. "Mãos para cima, pedaço. Então eu vou me despir e ficar nua."


Eu gosto do som disso. A tequila desliza para baixo, e então levo uma fatia de limão na boca. Estamos ambos rindo e chupando o sabor cítrico azedo. Então dou um empurrão para a cama. Eu gostaria de libertar todas as minhas tensões nessa garota sorridente, mas eu tomo uma respiração profunda. Holly é tipo de um amendoim, e a metade do tempo estou preocupado com ela. Meus joelhos estão na cama agora, e ela está fugindo para trás, tiro fora a camisa dela. Minha própria camisa cai no chão antes de me abaixar sobre seu próprio corpo, tendo o cuidado de segurar a maioria do meu peso em cima dela. Com exceção de meus quadris. Eles afundam dela, e meu pau acorda e diz, olha o que temos aqui. Holly, agarra minha cabeça e me puxa para baixo para um beijo. Eu sinto o gosto de limão e tequila e de garota disposta e feliz. "Mmm", ela geme. "Esperei todo o dia por isso." Eu também, só que eu não sabia disso. Bato com meus olhos fechados e afundo em sua boca e neste belo lugar do esquecimento. Não há nenhum jogo e nenhum campainha. Não há nenhuma decepção.

gol

antes

da

Há apenas uma garota sexy por baixo de mim e mais algumas bebidas para beber. E uma batida na porta. "Foda", Holly e eu gememos em uníssono. Há uma chamada de "Canning!" Vem uma voz do corredor. É a voz do Wes. O som dele me puxa para fora do momento. "Precisa?" Holly pergunta.


"Tenho que fazer isso", eu sussurro. "Mas só por um minuto. Eu juro." "Bem," ela sopra, empurrando meu peito. "Mas eu estou derramando mais tequila." "Você é incrível", insisto, descendo para o chão para pegar a camisa dela. Ignoro meu interesse por um tempo. No segundo que ela está coberta, eu atravesso a sala e abro a porta. "Ei", saúdo Wes. Eu esperava que ele fosse lançar em um discurso de "azar". Wes é competitivo como o caralho... mas ele nunca chutava quando eu estava para baixo. Estranhamente, porém, ele fica em silêncio, piscando para mim desde o corredor. "Ei," ele ecoa após uma longa pausa. "Eu só..." Sem mais palavras próximas. Ele me vê meio vestido, e olha para minha amiga de foda derramando mais tequila. "Esta é Holly", eu disse calmamente. "Holly, um velho amigo, Ryan Wesley". "Wesley?" Ela oferece do outro lado da sala. Ela está vermelha e seu cabelo está bagunçado. Eu estou provavelmente no mesmo estado. Mas Holly não parece envergonhada, então eu não me preocuparia. "Wes, você vai entrar?" "Não", ele diz, rapidamente, e a palavra parece uma pedra caindo sobre uma superfície dura. "Só queria dizer que sinto muito que não estaremos nos enfrentando amanhã." Ele enfia as mãos em seus bolsos, em uma rara demonstração de humildade. "Não será o mesmo agora." Ele ergue os cantos de sua boca, mas o sorriso não chega aos seus olhos.


"Eu sei". Minha voz está cheia de toda a decepção da qual eu tinha esperança de escapar essa noite. "Não é como no acampamento." "Eu amava aquele lugar," Wes disse, alcançando e esfregando a parte de trás de seu pescoço. "Eu ainda treino lá, você sabia." Queria terminar esta conversa já, então eu não tenho ideia por que acrescentar. "Não é o mesmo sem você". É verdade, mas este já é o dia mais emocionalmente carregado da minha vida, e não preciso de mais nada para pensar. "Vou embora", Wes diz, repuxando um polegar para os elevadores. "Você, ah, cuide-se, mesmo que não veja você amanhã." Ele dá um passo para trás. Esse é o momento quando não sei o que fazer. Minha equipe vai voltar à costa oeste de manhã. Não vamos ficar para a final. Não tenho certeza se Wes e eu temos algo mais para dizer um ao outro agora. Mas isso é realmente assim? Sinto um forte desejo de acrescentar algo para atrasar a sua partida. Só estou exausto e confuso e então, porra, passou. E ele já está ficando longe de mim. "Mais tarde", eu disse rispidamente. Ele olha por cima do ombro para criar um aceno com a mão. Fico ali como um idiota por mais um instante, e ele vira a esquina em direção ao elevador. "Jamie", Holly disse suavemente. "Aqui está sua bebida."


Relutantemente, eu fecho a porta. Eu atravesso a sala, pego o copo dela e tomo. Ela pega estĂĄvamos?"

o

copo

Como se eu soubesse.

vazio

da

minha

mĂŁo.

"Onde


07 "Sabe que ganhamos o título nacional, certo?" Cassel diz pela centésima vez na última hora. Ele parece o pateta, ele tem sido o rei do sorriso no mundo, ostentando isso toda a noite. Antes mesmo das quatro doses de vodca, que ele jogou para dentro. "Sim, eu sei." Meu tom é ausente quando eu varro meu olhar sobre o bar lotado, superaquecido, que tínhamos escolhido como sede da celebração. As bebidas no bar do hotel são ridiculamente caras, então decidimos nos aventurar em outro lugar esta noite. E de acordo com a pesquisa de Donovan, sim, este bar pequeno de mergulho tem bebidas pela metade do preço nas noites de domingo e aparentemente, elas não tem gosto de mijo. Não dou a mínima quanto ao gosto que o álcool tem, embora. Só estou interessado nos efeitos dele. Eu quero ficar bêbado. Quero encher a cara e a cabeça, então não tenho que pensar no completo idiota que eu sou. A voz de Cassel arrasta-me dos meus pensamentos sombrios. "Então, pare de ficar de mau humor como uma puta", ele ordena. "Somos campeões nacionais. Esmagamos os Yales hoje à noite. Nós os ignorarmos."


Nós fizemos. O resultado final tinha sido 2-0 para nós. Nós limpamos o gelo com nossos adversários, e eu deveria estar feliz com isso. Não, eu devia estar em êxtase, droga. É para isso que treinamos o ano inteiro, no entanto, em vez de saborear a vitória, estou muito ocupado, dispensando isso para fora e remoendo sobre o fato de que Canning tem uma namorada. Sim, gente, Jamie Canning namora. Estou chocado. Achei que eu teria aprendido a lição agora. Passei seis anos na esperança de que talvez a atração não fosse unilateral. Talvez um dia, um interruptor de repente fosse disparado e ele perceberia, hmmm, estou caidinho por Wes. Ou talvez, ele poderia ter descoberto que gira pros dois lados e decidisse fazer uma caminhada para o lado do cara. Nenhum desses "talvez" tinha garimpado para fora, embora. E ele nunca o faria. Todos ao meu redor, toda essa gente ri e faz piada recapitulando os seus momentos favoritos do jogo dessa noite e ninguém percebe que eu não estou dizendo nada. Minha mente continua vagando para Jamie e sua namorada, e como ficaram juntos depois que eu tinha interrompido ontem à noite. "Precisamos de mais uma rodada," Cassel anuncia, procurando na sala principal por nossa garçonete. Quando ela aparece atrás do balcão, abruptamente raspo de volta minha cadeira. "Eu vou pedir". Digo a eles, e então, eu ando para longe da mesa antes que qualquer um possa perguntar por que eu me tornei de repente tão caridoso. No bar, peço outra rodada de shots para o grupo, em seguida, descanso os antebraços no balcão de madeira lascado e estudo as garrafas nas prateleiras. Tenho bebido


cerveja toda a noite, mas isso não esta fazendo o trabalho. Preciso estar bêbado. Preciso de algo mais forte. Meu instinto aperta quando meu olhar pousa sobre uma reluzente garrafa de Bourbon. Bebida preferida de meu pai. Mas o Bourbon que ele compra é mil vezes mais caro do que a garrafa na prateleira. Eu desvio meu olhar para a linha de garrafas de tequila. Canning tinha bebido tequila ontem à noite. Meu olhar se move novamente. Jack Daniels. Ah, droga. É como se cada garrafa neste maldito bar estivesse cheia de memórias. Antes que eu possa parar, minha mente pisca de volta para o último dia no acampamento, na garrafa de bolso de prata que eu tinha passado para Canning e a pergunta zombeteira que eu tinha arremessado em seu caminho. "Você acha que eu sou muito covarde para te chupar?" Ele parecia considerar-me por um minuto. "Acho que é uma má ideia dizer que Ryan Wesley é covarde demais para nunca fazer alguma coisa." "Verdade." Ele riu, mas os olhos dele voltaram para a tela. Novamente, ele me deixa fora do gancho. Mas eu não queria estar solto. Eu queria sair. Quanto mais nós nos sentamos lá discutindo o sexo, mais certeza eu tinha. Tocar o meu melhor amigo era tudo que eu conseguia pensar. Não foi um desafio para mim, também. Era puro desejo. Na tela, a loira estava de joelhos, chupando um dos caras enquanto o outro estava batendo punheta. Jamie tomou mais um gole do recipiente antes de passá-la para mim. Ao meu lado, ele mudou seus quadris, e eu tive que suprimir um estremecimento. O desejo do meu coração estava sentado ao meu lado.


E agora ele estava com tesão. A mão dele mudou-se, descansando apenas acima da faixa de seus shorts. Ele deu ao lugar sob seu abdômen a menor das carícias, como se ele tivesse uma coceira, mas era óbvio que ele tinha esperança de fazer alguma reorganização estratégica. Eu engoli um gole de uísque. Buscando pela coragem. Então eu coloquei a mão entre minhas pernas, só descansando lá. "Isso está me matando", eu disse. Foi à declaração mais verdadeira que eu tinha feito o dia todo. Eu tirei um curso lento no meu pau duro e depois de volta, novamente. Eu podia sentir seus olhos em mim, na minha mão. E isso me deixou ainda mais louco. Esqueça a tela. Eu prefiro estar em meu próprio agir sozinho aqui, com meu par favorito de olhos castanhos como a única plateia. Meu coração começou a bater, porque eu sabia o que estava prestes a fazer. Há um penhasco no lago que nós gostamos uma gota de vinte pés dentro do lago, e naquela noite, era como se eu estivesse de pé lá, diante do proprietário. Como se eu estivesse rastejando em direção à borda e puxando-o comigo. Eu me lembro de um ano, quando Canning estava demorando tanto para pular que eu tinha perdido a paciência e o empurrei, cacarejando enquanto eu assistia ele cair até a água abaixar no moinho de vento. Mas eu não podia fazer isso desta vez. Eu não o empurraria. Ele tem que pular. Eu lambi meus lábios secos. "Preciso mesmo gozar. Você se importa?" Seu momento de hesitação, quase me matou. "Vá em frente. Nós já tomamos banho no mesmo lugar, certo? Inferno." Ele riu. “Nós já fizemos merda na mesma sala. Embora não haja paredes agora".


Não havia nenhuma aqui. Eu enfiei minha mão em minha cintura e agarrei meu eixo dolorido. Eu não o coloquei para fora, embora. Só dei um puxão lento por baixo do meu short. Os olhos dele se encheram de surpresa, então brilhou com algo que sugou a respiração dos meus pulmões. Não era raiva. Não era aborrecimento. Excitação. Caramba, ele estava ficando excitado ao ver-me duro. E nenhum de nós estava olhando para o laptop agora. O olhar de Canning ficou colado ao movimento lento de minha mão por baixo do meu short. "Você pode fazer isso, também." Eu odiava o som da minha voz rouca, então, porque eu sabia que tinha uma indicação. "Vá em frente. Vai ser menos estranho para mim." Inferno. Eu era como a serpente enfiando a maçã na boca de Eva. Ou se você preferir, a banana... Todas as analogias más fugiram do meu cérebro estúpido um momento mais tarde, quando Jamie enfiou a mão na cueca e puxou o pau dele para fora. Meu coração vibrou em meu peito à vista disso. Ele era rosa, grosso e perfeito. Com os dedos de uma mão ele acariciava a parte inferior para cima e para baixo. O mais leve toque. Eu invejava as pontas dos seus dedos. Eu peguei em concha minhas bolas doridas e tentei tomar uma respiração profunda. Meu peito estava apertado de tanto querê-lo. Ele estava lá, o quadril dele tocando o meu. Eu queria curvar-me e levá-lo na minha boca. Eu queria tanto que poderia sentir até o gosto disso. Os olhos dele voltaram para a tela. Eu o senti afundar um pouco mais de volta para a cama. Nós estávamos ambos


os acariciando a sério agora. Sua respiração tornou-se mais rasa, e o som dele enviou outra dose de luxúria em minha espinha. Eu queria ser eu a fazê-lo se sentir assim. Mas então seu ritmo foi abalado, e olhei para cima para descobrir o por quê. O vídeo tinha terminado. Eu tinha escolhido um clipe que tinha apenas alguns minutos de duração. E agora a tela tinha congelado em um menu de clipes, mas a foto em miniatura exibida mais proeminente era este um tiro horrível do rabo gigante de uma mulher. "Hum..." Jamie realmente riu. "Isso não vai fazer o trabalho." Eu senti uma espécie de consciência resolver sobre mim depois disso. No hóquei, quando se abre um tiro, um bom jogador tem que reagir imediatamente. Isso é exatamente o que estava acontecendo aqui. Uma janela de oportunidade tinha se aberto, uma lasca, e eu ia mergulhar através dela. "Você poderia receber a sua aposta," bati as botas. Acariciando-se, ele soltou um bafo quente. "Você está me desafiando?" "Sim". A garganta dele trabalhou quando ele engoliu. Seus olhos piscaram com um desfile de emoções que eu não conseguia acompanhar. Relutância. Calor. Confusão. Calor. Irritação. Calor. "Eu...." Ele riu, sua voz rouca. Ele parou, limpou a garganta. "Cão, duplo desafio." Seu olhar fechado com o meu outra vez e eu quase gozei direto, ali e depois. Meu pau havia aumentado na minha mão, pulsante. Dolorido. Mas de alguma forma eu


consegui colocar em um tom descuidado, minha marca registrada, pronto para qualquer coisa que na metade do tempo é uma fachada total, pausadamente. "Bem. Isto deve ser interessante." O leve toque de pânico no seu rosto era inconfundível, mas não lhe dei tempo para voltar atrás. Eu o queria demais. Estive sempre querendo esse cara. Soltando-me, eu estendi a mão para cobrir a sua mão com a minha. Ele ficou tenso, e por um segundo eu pensei que ele ia me afastar. Eu não o teria culpado. Mas então ele a soltou, deixando minha mão lá, sozinha. E eu estava segurando seu pênis. Finalmente. Ele era quente e duro, e as extremidades de seus pelos pubianos loiros e macios faziam cócegas em meus dedos. Eu apertei, e todo o ar parecia escorrer para fora de seu corpo, seu torso praticamente derretendo no colchão. Minha boca era um deserto, meu pulso um tambor alto em meus ouvidos. Eu acariciava minha mão ao longo de seu pau rígido, agindo como se o que eu estava fazendo não fosse nada demais. Então eu disse: "Foda-se, eu acho que estou bêbado." Porque isso parecia à coisa certa a dizer. Como se o álcool fosse a razão pela qual estávamos fazendo isso. O álcool foi o nosso passe livre. Funcionou, porque ele engasgou, "Eu também." Mas sua voz foi rouca e distraída. E talvez ele estivesse bêbado. Talvez o rubor em seu rosto fosse tudo graças ao whisky e não pela sensação da minha outra mão puxando seu calção ainda mais para baixo.


Talvez sua respiração acelerasse porque o álcool foi surgindo através de sua corrente sanguínea e não dos meus dedos enrolando mais em torno de seu eixo. Eu me mexi no colchão, de joelhos na frente dele enquanto eu o bombeava. Meu corpo inteiro pulsava com a necessidade incontrolável, minha ereção pesada entre as minhas pernas. Eu ignorei isso, porém. Jamie piscou duas vezes quando me levantei acima dele, e vi seu rosto, avaliando a reação dele. Ele não parecia horrorizado. Ele parecia ligado, excitado. Eu tinha fantasias com este momento por anos. Não podia acreditar que estava mesmo aqui. "O que está esperando, Ryan? Chupa logo." Surpresa sacudiu através de mim. Ele só me ligou, quando ele estava me provocando. E agora ele estava me provocando sobre chupar o pau dele. Jesus. Minha bravata foi abalada, só por um segundo. Até que vi seu pulso martelando na parte oca de sua garganta e percebi que ele estava tão nervoso e excitado quanto eu estava. Eu respirei e abaixei a cabeça. Então fechei minha boca sobre sua ponta inchada e suguei. Os quadris de Jamie retribuíram instantaneamente, seu hálito, deixando sua garganta em um tremor irregular. "Oh Jesus." Lembro-me de perguntar-me se ele já tinha sido explodido dessa forma antes. O choque e temor em sua voz


tinham sido tão crus. Tão sexy. Então, eu tinha me perguntado, mas não por muito tempo. Não quando ele começou a sussurrar os comandos, mais quentes e imundos para mim. "Mais," ele murmurou. "Pegue mais. Leve tudo. " Chupei-o mais profundo em minha boca, quase até a base, e apenas quando ele gemeu, eu o liberei, deslizando minha língua ao longo do comprimento, duro até que seu pau estava brilhando. Eu lambia a umidade vazando fora de sua ponta, e o gosto dele se fundindo em minha língua, fazendo minha cabeça girar. Eu estava chupando o meu melhor amigo. Foi tão surreal. Era o que eu tinha sonhado por tanto tempo, e a fantasia era nada comparada com a realidade. "Foda-se, sim." Os quadris de Canning começaram a balançar quando eu o levei na minha boca novamente. Eu lambia a coroa de seu pênis, provocando, saboreando, em seguida, tomando-o profundo novamente. Não me atrevi a olhar para ele. Eu estava com muito medo de olhar nos olhos dele com medo de que ele seria capaz de ver em meu rosto o quanto eu o queria. "Jesus, Wes, você é muito bom nisso." O elogio me iluminou. Santo inferno. Ele estava empurrando em minha boca porque eu o excitava. Seus dedos de repente emaranhados no meu cabelo, apertando quando eu o engoli tanto quanto eu poderia levá-lo. "Oh Cristo. Continue fazendo isso, cara. Deixe-me foder sua boca. " Cada coisa rouca que ele dizia praticamente me fez ficar em chamas. Eu sabia que iria desfrutar disto. Mas e se ele também o fizesse? Minha mente dobrou. Apressei o passo,


apertando seu eixo em cada movimento ascendente, mais apertado do que eu pensei que ele gostaria, mas ele continuou resmungando: mais duro, mais rápido. Meus olhos bem fechados enquanto eu trabalhava nele mais, determinado a fazê-lo perder o controle, para fazê-lo sentir a mesma necessidade urgente que estava causando estragos no meu corpo. "Wes ..." Um som sufocado deixou seus lábios. "Porra, Wes, você está me fazendo gozar." Seus dedos puxaram meu cabelo ao ponto de dor, seu abdômen se apertou enquanto seu quadril balançava mais rápido. Alguns segundos depois, ele gemeu. O som rouco vibrou contra os meus lábios enquanto ele ficou imóvel, um impulso profundo, e gozou dentro da minha boca enquanto eu engoli até a última gota dele. "Você espera que uma daquelas garrafas faça um pequeno sinal para você e diga ‘acabe comigo’?” Uma voz masculina me sacode de volta ao presente. Eu pisco, desorientado. Eu ainda estou no bar, ainda de pé no balcão e olhando para as garrafas de licor. Merda. Eu tinha me perdido totalmente. E eu estou semiduro agora, graças à memória da minha última noite com Jamie Canning. Engolindo, eu viro para encontrar um estranho sorriso ao meu lado. "Sério" acrescenta, seu sorriso cada vez maior. "Você esteve olhando para essas garrafas por quase cinco minutos. O barman cansou de perguntar o que você queria. " O barman tinha falado comigo? Ele provavelmente pensa que eu sou um esquisitão total.


O cara perto de mim não se parece com uma pessoa estranha, apesar de tudo. Ele é muito bonito, na verdade. Vinte e tantos anos, vestindo jeans desbotados e uma camiseta dos Ramones, uma tatuagem cheia cobrindo seu braço direito. Alguma merda Tribal, misturado com crânios e dragões e algumas outras imagens fodidas. Ele é mais magro do que eu normalmente gosto, mas não anoréxico, fino. Não inteiramente o meu tipo, mas ele não é o meu tipo, também. Ele definitivamente conecta o material, e pelo jeito que ele está me olhando, eu sei que ele ficaria por baixo. "Você está com esses caras?" Ele aponta para a mesa cheia de casacos de hóquei. Eu concordo. "Estão comemorando?" "Ganhamos o Frozen Four esta noite." Faço uma pausa. "Campeonato de hóquei College." "Não brinca. Parabéns, cara. Então você joga hóquei, huh?" Seu olhar grudado em meu peito e braços antes de correr de volta para o meu rosto. "Isso mostra." Sim, ele estaria por baixo. Eu olho para a mesa, onde Cassel me chama a atenção. Ele sorri quando ele percebe o meu companheiro, em seguida, volta-se para os caras, rindo de alguma coisa que Landon disse. "Então, qual é o seu nome?" Meu desconhecido pergunta. "Ryan". "Sou Dane." Concordo com a cabeça novamente. Eu não consigo reunir todo o meu charme. Sem informação arrogante,


nenhum flagrante. Ganhei um jogo do campeonato esta noite. Eu deveria estar comemorando. Eu deveria convidar esse cara muito atraente para o hotel, pendurar o sinal de não perturbe na porta para Cassel pegar a dica, e colocar os malditos parafusos do cérebro de Dane para fora. Mas não quero. Eu estaria apenas tentando foder Canning fora do meu sistema, e sei que me sentiria mal depois. "Desculpa, tenho que voltar para os meus rapazes," digo abruptamente. "Gostei de conversar com você, cara." Eu ando através do balcão, antes que ele possa dizer outra palavra. Não virei para ver se ele parece desapontado ou para certificar-me que ele não está me seguindo. Só toco no ombro de Cassel e digo que vou embora. Antes de ser capaz de convencê-lo que ainda não fui raptado por alienígenas, eu declaro uma dor de cabeça, culpo a adrenalina, as cervejas e a temperatura e tudo mais que eu possa pensar, até que finalmente ele desiste de persuadir-me para ficar, e eu sou capaz de sair do bar. São vinte quarteirões até o hotel, mas decidi caminhar ao invés de chamar um táxi. Eu poderia usar o ar fresco e o tempo para esfriar a cabeça. Só que agora estou a quarteirões para o fim da caminhada, e minha cabeça ainda não está clara. Ela está fechada com imagens de Canning. Não consigo parar de imaginar como ele parecia ontem à noite. O cabelo sexy dele, o rubor em suas bochechas. Ele também tinha percebido ou tinha sido tudo coisa minha? E a garota parecia quente, um duende pequeno, uma menina minúscula com olhos azuis. Ele sempre tinha sido caído pelas as garotas pequenas.


Rangendo os dentes, eu forço a garota a sair da minha cabeça e penso sobre o adeus que Canning e eu partilhamos. O lugar não é o mesmo sem você. Tinha soado como se ele quisesse dizer isso. Diabos, ele provavelmente queria. Nós passamos os melhores verões das nossas vidas em Elites. Obviamente um boquete não tinha destruído todas as boas lembranças para ele. Eu coloco minhas mãos no meu bolso quando eu paro na faixa de pedestres e aguardo o sinal ficar verde. Gostaria de saber se vou voltar a vê-lo novamente. Provavelmente não. Estamos ambos nos formando, prestes a começar nossa vida pós-faculdade. Ele está na costa oeste; Eu estou indo para o norte de Toronto. Nossos caminhos não são susceptíveis de se atravessarem. Talvez seja o melhor. Dois míseros encontros neste fim de semana, apenas dois, ainda assim, de alguma forma eles conseguiram apagar os quatro anos que passei longe dele. É óbvio que eu não posso ficar perto de Canning sem desejá-lo. Sem querer mais. Mas este fim de semana não foi suficiente para mim, droga. Pego meu telefone antes que eu possa me parar, parando em um distribuidor de jornal e encostado na caixa de metal quando eu abro o navegador. O site leva um tempo para carregar, mas quando isso acontece, ele não tem tempo para chegar à página de contatos. Eu olho o diretório pessoal até encontrar o número de telefone para o diretor do acampamento. Ele me conhece. Ele gosta de mim. Inferno, nos últimos quatro anos, ele está me perseguindo para voltar.


Ele iria me fazer este favor se eu pedisse. Eu clico sobre o número. Aí eu hesito, meu dedo pairando sobre o botão de chamada. Eu sou um bastardo egoísta. Ou talvez eu seja a porra de um masoquista. Canning não pode me dar o que eu quero, mas eu ainda não consigo parar de querer. Eu quero tudo o que eu posso conseguir, uma conversa, uma piada, um sorriso, tudo. Eu posso não ser capaz de ter o bife inteiro, mas foda-se, eu estou bem com algumas migalhas. Eu só... Eu só não posso deixá-lo ir ainda.


08 JUNHO

"Ei, Canning?" "Sim?" Pat, o diretor do acampamento, veio do pênalti para falar comigo. Eu não tiro os olhos da confusão que estou treinando, mas ele não acha que eu sou rude. "Você tem um companheiro de quarto," ele diz. "Sério?" Isso é boa notícia, porque em todos os verãos Pat organiza isso para os treinadores. E este ano não é diferente. Pessoas como eu mantêm-se em forma e seguem em frente. Ele quer os melhores treinadores no seu acampamento, mas os melhores estão em alta demanda. Este ano eu sou um desses. Estarei em Detroit para o campo de treinamento em seis semanas a partir de agora, o que significa que Pat terá que encontrar alguém para me substituir quando eu for. Olho-o por uma fração de segundo antes de olhar para trás no jogo dos meninos em andamento.


Ele me avalia, e não sei por quê. "Seja gentil com ele, ok?" Toma-me um momento para responder, porque não me agrada a direção que está tomando essa jogada. Os ânimos estão prestes a fluir. Eu posso sentir a tensão se construindo. "Quando eu não sou bom?" Pergunto, distraído. Uma mão firme bate no meu ombro. "Você é o melhor que há, rapaz. Embora seu goleiro está prestes a perder sua merda." "Eu estou vendo". É como ver um acidente. Eu sei que se trata de correr, mas as forças já estão em movimento e eu não posso impedilas. Já que meu melhor goleiro, Mark Killfeather parou em vinte tiros nesta jogada. Com reflexos rápidos e um corpo grande e ágil, Killfeather tem todos os traços físicos que necessita de um bom goleiro. Ele também tem, infelizmente, um temperamento de um relâmpago rápido. E o talentoso franco-canadense para frente do outro time tem jogado como um violino, tudo para provocá-lo e provocá-lo em cada impulso ofensivo. Vejo a jogada que o canadense está prestes a fazer. Ele passa para o amigo da linha azul, em seguida, leva o disco novamente quando os homens do outro lado ficam presos nos cantos. Ele finge ir para a esquerda, depois direita... e envia um disco passando por meu Killfeather. É uma bela jogada, até que o garoto canadense pulveriza o goleiro com lascas de gelo e o chama de "estúpido." Como se fosse um bumerangue, Killfeather lança sua vara com força suficiente para quebrá-la como um palito de fósforo contra as placas. Cai para o gelo, lascada.


Verifique, por favor. Eu sopro o apito. "Esse é o jogo, estamos fora do tempo." "Por quê?" Protesta a frente agressiva. "Há tempo no relógio ainda!" "Não discuta com o seu treinador ofensivo," eu digo, acenando. Então eu ando de skate até Kilfeather, que fica ofegante na rede, arranca o capacete para revelar sua cabeça suada. Ele tem apenas dezesseis anos e olhe para ele. Enquanto outras crianças de sua idade estão retrocedendo para trás sob o sol ou jogando jogos de vídeo game, ele passou suas horas durante o dia na pista. Eu tinha sido aquele garoto também. Foi uma boa vida e eu não trocaria isso por nada, mas ajuda a lembrar de que estes ainda são crianças. Então eu não falo: "Hey idiota, você só destruiu uma vara de cem dólares." "Quem é o seu goleiro favorito, garoto?" Eu pergunto. "Tuukka Rask," ele diz imediatamente. "Boa escolha." Eu não sou um fã dos Bruins, mas o homem tem um excelente histórico. "Como o seu cara parece depois que ele deixa o gol?" Killfeather levanta uma sobrancelha. "Por que? Ele só toma uma bebida e coloca sua máscara de volta." "Ele não perde sua merda e joga sua vara," Eu disse com um sorriso. O garoto revira os olhos. "Eu entendo, mas esse cara é um idiota." Inclinando para baixo, puxei a baliza, assim o gelo pode refrescar. "Você foi um bom goleiro hoje. Verdadeiramente excepcional." Killfeather começa a sorrir. “Mas você tem que aprender a manter a calma, e eu vou lhe dizer por quê." Seu sorriso se desvanece. "Rask é


calmo depois que ele mexe-se. Mas não porque ele é uma pessoa melhor do que você ou eu, ou porque ele medita ou nunca fica bravo. É porque ele sabe que colocá-lo atrás de si é a única maneira de vencer. Sério, quando ele está tendo aquele gole de água, ele já superou. Em vez de dizer: 'Quem me dera que eu não tivesse feito isso,' ele está dizendo: 'Bem, agora eu recebo uma nova chance de impedi-lo.' " O garoto está amarrando os seus patins agora. “Sabe aquela coisa que dizem sobre o peixinho? Suas memórias são tão curtas que cada vez que eles nadam em torno da bacia, é tudo novo outra vez." Os cantos de sua boca levantam-se. "Isso é profundo, treinador Canning." Ah. Mate-me por ser o treinador Canning por algumas semanas no ano. Eu adoro este trabalho. "Seja meu peixinho, Killfeather." Dou-lhe um soco nas almofadas de peito. "Esqueça todas as coisas estúpidas que o cara disse para você. Porque o mundo está cheio de idiotas que vão irritar você para ter diversão. Você tem os movimentos. Você pode fazer o trabalho. Mas só se você não os deixar destruir isso para você." Ele finalmente olha para mim. "Obrigado." "Tome um banho", digo, patinando para longe dele. "Então, tenha seu cartão de crédito para fora e compre outra vara." Deixo-o, desamarro meus patins e deslizo em meu tênis. Quando você é o técnico, não precisa acelerar o ritmo. Só patins e um capacete. Eu estou usando shorts e uma camiseta da faculdade de Rainier. E eles me alimentam com três refeições por dia na sala de refeições do acampamento. Eu mencionei que este é um trabalho doce?


Deixando a pista, eu começo a lembrar dos jogos Olímpicos de Inverno. A pista de onde eu estava a um minuto, tentando convencer um goleiro de 16 anos, esse é o mesmo gelo onde os EUA ganharam o ouro olímpico em 1980. Então existem imagens de "Milagre no gelo" em todos os lugares. Durante os meses de inverno, há mais atletas per capita nesta cidade do que a maioria em qualquer lugar. As pessoas se mudam para cá para treinar hóquei, patinação, saltos de esqui e eventos alpinos. Mas quando eu abro as portas de vidro, é um quente dia de junho. O lago espelhado brilha à distância e tenho de proteger meus olhos. A cidade de Lake Placid está a cinco horas da cidade de Nova York ou Boston. A cidade mais próxima do real é Montreal, e ainda são duas horas de distância. Bem no meio de lugar nenhum está essa cidade turística bonita, rodeada por lagos intocado e da Cordilheira de Adirondack. Paraíso. A menos que você precise de acesso a um aeroporto. Mas hoje não. Só estou passando por uma loja de esqui e uma sorveteria, medindo as horas até à hora do jantar. Eu tenho um monte de nostalgia por esta cidade, provavelmente porque ela é só minha. Quando você é o caçula de seis filhos, nada é só seu. Eu acho que foi por isso que saí para o hóquei em primeiro lugar, os Canning, minha família, é toda sobre futebol. Não eu, eu tinha os pés no Adirondacks até que fui convidado para este acampamento. Na verdade, estar deixando minha família para vir aqui quando era adolescente, fazia eu me sentir como se me aventurasse para a lua. É 04:00 e há tempo para correr ou nadar, mas eu teria que mudar de roupa.


Todos os campistas e treinadores estão alojados em um antigo dormitório que foi construído para acomodar atletas europeus para as Olimpíadas de Inverno de 1980. O edifício está a uma caminhada de cinco minutos das pistas. Quando corro para subir os degraus eu passo por uma placa que descreve os ocupantes originais e as medalhas que ganharam, mas eu não paro. Passar alguns anos nesta cidade faz você se esquecer de ficar impressionado. Meu quarto é no segundo andar, e tomo sempre as escadas em vez do elevador velho. O corredor escuro tem cheiro de cera de assoalho e as flores florescendo do lado de fora. Além disso, há um cheiro de meias. Você não pode ter um edifício cheio de jogadores de hóquei sem isso. Eu estou a um metro da minha porta, chaves na mão, quando percebo que tem alguém no quarto. Só isso já é suficiente para assustar-me. E então eu percebo quem é. "Jesus Cristo"! "Eu ainda atendo por Wes", ele diz, se empurrando contra a parede. "Ou Ryan. Ou idiota." "Você é..." Estou quase com medo de dizer as palavras, porque ele fechou-me por tanto tempo agora. "Meu colega de quarto"? Abro a porta para o meu quarto para dar a minhas mãos alguma coisa para fazer. Uma onda de alegria constrói abaixo do meu estômago. Só a ideia de outra loucura de verão com Wesley... não pode ser verdade. "Bem..." Sua voz é muito cautelosa. E desde que a luz da minha porta aberta derrame para o corredor, eu posso ver seu rosto corretamente pela primeira vez. Ele está preocupado. A mandíbula desenvolta está dobrada para baixo, e seus olhos se abaixam enquanto eu o estudo. É estranho.


Eu entro no quarto e arremesso minhas chaves na minha cama. "Estou prestes a ir correr. Quer ir correr? Você pode acompanhar-me. Presumo que você está treinando para Pat, ou você não estaria aqui." Ele acena. Mas quando eu tiro minha camisa, ele atola as mãos nos bolsos e se afasta. "Temos que conversar, embora". "Ok". Sobre o quê? "Podemos fazer isso enquanto estamos correndo. A menos que você esteja ficando gordo desde sua grande vitória?" "Bem". De fora no corredor ele agarra uma grande bolsa de lona. "Pat só me disse que vou ter um companheiro de quarto. Ele quis dizer isso, certo? Ele estava apenas me gozando?" De costas para mim, Wes acena. Então ele puxa sua camiseta desbotada pela cabeça. E Jesus Cristo, ele está enorme. Tatuagens e músculos ondulantes até onde os olhos podem ver. Eu tinha esquecido que éramos realmente rapazes na última vez que estivemos aqui juntos. Adolescentes. Parece que foi ontem. "Quarto bonito que você tem aqui", ele observa enquanto se troca para uma camiseta e calções de ginásio. É verdade. Em vez de camas de beliche, temos camas construídas nas paredes. E há uma extensão confortável de andar entre elas. “Os treinadores têm um pouco mais de espaço para respirar. Eu estou aqui nos últimos três anos." Eu solto uma camisa sobre minha cabeça e então entro em meus tênis de corrida.


Amarrá-los leva apenas alguns segundos, e estou ansioso para sair daqui e correr. Talvez Wes vá parar de agir como um maluco e dizerme qual é a sua ideia. "Vamos"? A bolsa dele cai, ele dá um chute. "Eu vou deixar isso aqui." "Onde mais a deixaria?" Ele estremece, e não sei por quê.


09 Lá fora, Jamie se dirige em direção a Mirror Lake, e eu o sigo. Quantas vezes tinha feito este caminho com ele? Cem, pelo menos. "Lembra-se que quando dissemos que faríamos cinco milhas por dia, não importando que fosse verão?" Pergunto. Ele nos colocou em um ritmo fácil enquanto íamos longe do dormitório. "Sim". "Depois que tivemos duas práticas e halterofilismo naquele dia quente. Mas você disse, 'ainda temos que fazer a corrida, ou o verão não vai contar’.“ Eu rosno só de pensar. "Ninguém disse a você para comer aquela casquinha de sorvete primeiro." "Eu estava faminto. Claro, não fui capaz de comer pistache desde aquilo." Jamie disse quando viramos em direção ao lago. “Luz verde vomitada por todo o gramado”. "Bons tempos". Eles foram, no entanto. Gostaria de vomitar na grama todos os dias se isso significasse que podia voltar aos tempos fáceis. Aquele corpo loiro de volta ao redor do lago era tudo o que queria da vida.


Ok, isso é uma mentira. Prefiro lidar com ele no chão e tirando a sua roupa. Vê-lo novamente está me matando agora. Eu tenho algo a dizer, porém, e tem que ser logo. Podemos correr a próxima milha em silêncio, enquanto eu ensaio de novo. Meu grande pedido de desculpas. Se Jamie ficar horrorizado, isso vai doer. Há vítimas no lago, seus navios derrubados com cada traço do remo. Sinto-me tão estável quanto eles parecem. "Então o que você quer falar?" Jamie finalmente pergunta. Não há nenhum jeito mais. "Estou aqui apenas até a metade de julho." É melhor começar os preliminares do caminho. "Eu também. Tenho que estar em Detroit antes de primeiro de agosto. Estou indo para Toronto? E você?" "Não tenho certeza. Mas... Só preciso dizer que se você não quiser dividir o quarto este verão, eu vou pedir a Pat para me mudar. Eu não vou ficar ofendido." Jamie para, e eu puxo um passo curto para evitar trombar nas costas dele. "Porquê?" Ele indaga. Tudo sai com pressa. "Canning, eu sou gay. E talvez isso não seja tão importante para o grande esquema das coisas. Exceto que a última vez que estivemos aqui eu tenha sido meio... eu meio que te pressionei para brincar comigo. Não foi legal, e eu passei os últimos quatro anos me sentindo uma merda sobre isso." Por um longo instante ele só olha para mim. E quando ele finalmente fala, não é o que eu queria que ele dissesse. "E?" E?


"E... Desculpe-me." Seu rosto fica vermelho. "Você sabe que eu sou do norte da Califórnia, certo? Você entende que eu conheço um cara gay ou dez?" "Uh, ok?" A boca de Jamie abre e fecha. E abre novamente. "É por isso que você não me ligou por quatro anos? Por isso você ignorou meus textos?" "Bem... sim." Estou tão confuso agora. Eu só me declarei culpado de gostar de homens e praticamente de um abuso sexual. E ele está preocupado com alguns textos. Seu rosto fica outra vez ainda mais vermelho. Então ele sai correndo novamente, e eu estou tão assustado que levo um segundo para persegui-lo. Ele está correndo mais rápido agora. Ele alonga seus passos e move os braços com força. A camisa atlética que ele está vestindo abraça cada músculo seu quando ele se move, e estou com ciúme daquele pedaço de tecido de poliéster. O círculo em torno do lago espelhado é um pouco menos de 3 milhas. Não sei o que se passa na cabeça dele, como ele trabalhou todo o resto. Estou a poucos passos atrás, confuso e desanimado. No nosso caminho através da cidade, passamos por todos os nossos velhos amigos, a loja de chocolate e a loja de brinquedos que vende armas de elástico. Uma padaria chamada Milagre no Gelo. Não vejo o rosto de Jamie até que ele retarda a uma parada em frente do tobogã, trancado novamente para o verão. Quem me dera que pudéssemos voltar a uma época mais simples quando algumas correntes de escalada eram minha maior ofensa.


Quando ele vira o rosto suado para mim, ainda há raiva nele. "Você não falou comigo durante quatro anos porque achou que eu iria pirar com você por que você chupou meu pau." "Uh... sim." Mas dado o ressentimento em sua voz, é claro que eu tinha fodido isso de alguma outra forma que eu não tinha calculado. Suas mãos estão cerradas em punhos. "É assim que você me vê? Um pequeno pau tenso?" Em um banco nas proximidades, vejo uma jovem mãe recolher sua criança e afastar-se de nós, franzindo a testa. Mas Jamie está em um rolo. "Foi apenas um pouco de sexo, pelo amor de Deus. Ninguém morreu." E provavelmente vou engolir minha língua agora. "Eu... Fui desonesto." "Ah. Obrigado por ter me punindo por sua desonestidade. Uma sentença de quatro anos. Fui para um colégio estranho onde não conhecia ninguém, me perguntando como tinha sido um amigo tão medroso." Bem, foda-se. "Peço desculpas", eu resmungo. Parece inadequado. Para nós dois, tenho certeza. Jamie chuta uma lata de lixo. "Eu preciso de um banho." Meu pau traidor se voluntaria para se juntar a ele, mas eu mantenho minha grande boca fechada enquanto caminhamos o último bloco e subimos as escadas. Isso não tinha ido da maneira que eu tinha antecipado. Meu pior cenário tinha envolvido Jamie deslizando em horror à minha homossexualidade e me acusando de manipula-lo para brincar com ele.


Passei quatro anos cheio de vergonha sobre o que tinha feito, e agora parece que eu senti vergonha sobre algo completamente diferente. Jamie não se importava que eu tivesse chupado ele. Ele se importava que eu o tivesse abandonado. E saber que magoei meu melhor amigo muito mais profundamente do que eu tinha percebido me torce até embrulhar-me. Hesito no topo da escadaria, ao chama-lo em suas costas rígidas. "Hum, Canning?" "O quê?" Ele murmura sem se virar. "Eu vou encontrar outro lugar para dormir esta noite?" Ele suspira. "Não, idiota."


10 Vinte e dois anos parece velho demais para dar o tratamento de silêncio a alguém. Não que eu já tenha jogado esses tipos de jogos quando eu era mais jovem. Eu sempre fui um cara de conversa. Enfrentar sua cabeça cheia de problemas, não dar um gelo na outra pessoa. Essa é a especialidade de Wes, dar gelo em alguém. Alguém pode dizer "ainda amargo?" Nós dois não nos falamos desde que nós corremos. No jantar, ele tinha sentado com Pat, falando dos últimos anos. Então, Pat bateu com sua colher em um copo de água e apresentou Wes para os campistas. "Um campeão da Frozen Four... e o número dois da nação em pontos marcados e garantido para estar algum tempo no gelo em Toronto no próximo ano." Os olhos dos meninos ao meu redor cresceram maiores e mais arregalados. Eles tinham se pendurado em cada palavra. Enquanto isso, Wes tinha sentado lá, um sorriso metade rachando de "nada", parecendo arrogante e despreocupado.


Talvez ele não seja tão despreocupado quanto aparenta, sugere a minha consciência. Foda-se, consciência! Eu estou ocupado ficando louco aqui. Agora estamos em nossas respectivas camas, mas nenhum de nós está dormindo. Ainda uso minha raiva ao meu redor como o lençol da cama que me cobre. Mas é uma camada fina. Eu o ouço suspirar da outra cama, e fico olhando para o teto, pensando se já deveria superar isso. Sua voz rouca rompe o silêncio. "Eu tinha medo". Há um som de farfalhar e do canto do meu olho, eu vejo que ele está lançado sobre seu lado, vendo-me na escuridão. "Você"? Pergunto-me. "Não sabia que isso era possível." "Muitas vezes não," ele admite e eu rosno. Não há mais silêncio, mas eu finalmente cedo. "Medo de quê?" "De que eu tivesse usado você. E que você iria me odiar por isso." Um suspiro nasce no meu peito. Eu mudo para o meu lado também, mas é difícil de decifrar sua expressão nas sombras. "Eu nunca poderia odiar você, idiota." Eu considero isso. "Bem, só se você fizesse algo digno disso, como lhe odiaria se você atropelasse minha mãe com um carro de propósito ou algo assim. Mas te odiar por ser gay? Ou por me dar um boquete sem me dizer que era gay?" Porra, eu estou ainda ressentido como o inferno que ele tenha pensado que eu fosse capaz de ser tão baixo. "Mas eu não estava pronto para dizer a verdade," ele admite. "Eu não sei o que eu estava pronto para dizer. Mas


no fundo eu sabia, e me senti uma merda depois. Senti-me como, eu não sei.. Como se aproveitasse de você." Não consigo não rir. "Cara, é como se você tivesse me amarrado na cama e me forçado mesmo a isso. Não sei se você lembra, mas eu gozei como um filho da puta naquela noite." Oh merda. Não sei por que eu disse isso. E as ondas de calor que viajam até meu pau são igualmente desconcertantes. Pensando que é algo que a noite raramente deixou-me fazer. Foi facilmente a experiência sexual mais quente que o velho Jamie Canning já teve aos dezoito anos. Mas lembrar disso sempre me confunde, porque a associei com ser banido da amizade que eu valorizei a maioria desse tempo. "Oh, eu me lembro de tudo sobre aquela noite." A voz dele engrossa, e a agitação em baixo em mim fica mais forte. Eu rapidamente mudo de assunto, porque falar de boquetes parece estar confundindo o meu corpo. "Então você está agora? Como está oficialmente? Os seus pais sabem?" Respondendo o hálito dele é pesado. "Sim, eles sabem." Espero que ele continue bem. Ele não parece. Isso não é uma surpresa, desde que Wes nunca gostou de falar da sua família. Eu sei que seu pai é um grande banqueiro de investimento e sua mãe senta-se em um monte de comitês de caridade. E a única vez que o pai de Wes levou-o para o acampamento, lembro-me de apertar a mão do homem e pensar que ele era a pessoa mais fria que já conheci. Estou curioso para ouvir o que eles pensam sobre ter um filho gay, mas eu sei que ele não vai responder se eu perguntar. E a coisa com Wes, tudo é sempre nas condições dele.


"E seus companheiros de equipe"? Eu tento. "O Toronto?" "Com o pessoal da equipe antiga tive uma coisa tipo: não-pergunte, não-respondo acontecendo. Eu não escondi, mas eu não falava sobre isso, também. Eles deixaram em paz. Mas Toronto..." ele geme. "Não sei como isso vai funcionar. Meu plano é apenas uma questão de tempo, enquanto eu posso. Acho que estou escorregando de volta para o armário por um tempo até sentir que eu conheço esses caras. Até que eu seja tão valioso para eles, que eles não se importarão com quem eu transei no meu tempo livre. Isso deve levar apenas três, quatro anos no máximo." Isso parece incrivelmente duro. "Peço desculpas". "Não, peça desculpa. Sou eu que lhe devo desculpas porque estraguei nossa amizade, Jamie." Merda, ele me chamou Jamie. Ele só faz isso quando ele está sendo sério e cuidadoso. Arrependimento irradia do corpo dele e rola em minha direção em ondas palpáveis, e sinto minha raiva desmoronando como um castelo de areia na maré alta. Não posso ficar bravo com esse cara. Mesmo quando pensei que ele tinha jogado longe nossa amizade como um pedaço de lixo, eu ainda não tinha sido capaz de odiá-lo. Eu engulo. "Águas passadas, cara." "Sim?" "Sim". Eu deixo sair uma respiração lenta, deito meu braço sob a cabeça e olho para ele. "Então o que está acontecendo com você? Coloque-me a parte nos últimos quatro anos." Ele ri. "Quatro anos de peripécias de Ryan Wesley? Isso vai levar a noite toda, cara." Então ele faz uma pausa, seu


tom é inábil. "Prefiro ouvir sobre você, de qualquer forma. Como está o clã Canning? Ainda o caos central ali?" Sorrio na escuridão. "Sempre. Mamãe vendeu sua galeria de arte e abriu um daqueles lugares de cerâmica aonde você vai e passa o dia fazendo vasos e cinzeiros e essas merdas." "Quantas vezes você acha que tem levado as pessoas agir fora daquela cena do fantasma?" Ele quebra. "Pelo menos solenemente.

uma

vez

por

dia,"

eu

respondo

"Não é brincadeira." Eu penso sobre o que aconteceu, mas é difícil peneirar quatro anos dos eventos. "Oh, Tammy minha irmã teve um bebê, então eu sou um tio agora... Hum, o que mais... Joe — que é o meu irmão mais velho — ele divorciou-se." "Nãão". Wes parece genuinamente perturbado. "Você não foi padrinho do seu casamento?" De repente, eu ri. "Ei, lembra aquela gravata que te enviei para usar durante a cerimônia?" Eu abafo um gemido. “Você quer dizer aquela vermelha brilhante com paus cor-de-rosa por todo o lado? Sim, eu me lembro. E foda-se, muito, a propósito. Joe estava na sala quando eu abri a caixa, e ele quase teve um infarto quando ele pensou que aquilo era o que eu iria usar." “Então você deixou meu presente se desperdiçar? ” "Não, eu usei na festa de despedida de solteiro." Nós dois nos zoamos, e algo quente e familiar aperta em meu peito. Eu senti isso. Falando com o Wes. Rindo com o Wes. "O casamento foi divertido," eu adiciono. "Eu, Scott e o Brady fomos os padrinhos, Tammy foi uma das madrinhas


da Samantha, e minha irmã Jess foi ordenada e realizou a cerimônia. Ela foi hilariante lá em cima." Wes ri. "Como você não enlouqueceu ainda, cara? Não acho que sobreviveria tendo cinco irmãos." "Não, eu adoro. Além disso, sou o caçula, quando eu nasci, meus pais só me deixaram fazer o que quisesse. Eles estavam exaustos de estar disciplinando tudo o que tinha a ver com meus irmãos e irmãs". Ele cai em silêncio, e posso sentir a tensão no ar novamente, como se ele quisesse dizer algo, mas tem muito medo de dizê-lo. "Só cuspa logo." Eu ordeno quando seu silêncio continua a se arrastar. Ele suspira. "Estamos bem?" "Sim, Wes, estamos bem." E estou falando sério. Demorou quatro anos para voltar a este ponto, mas estamos aqui agora e eu estou feliz. Eu tenho meu melhor amigo de volta, pelo menos nas próximas seis semanas.


11 Então, ser treinador? É mais difícil do que parece. No início da sessão da manhã, parece fácil. Montei alguns exercícios para os jogadores ofensivos mais novos e eles os executaram como loucos. Há um apito ao redor do meu pescoço e eles têm que fazer tudo o que lhes digo. Dinheiro fácil, certo? Não tão rápido. Quando eu assumi um treino para os adolescentes mais velhos, todas as rodas caíram. Não é que as crianças não sejam boas. Seus níveis de habilidade variam de impressionante a virtuosística. Mas eles não funcionam como uma equipe da faculdade. Eles são teimosos e irracionais. Eles escutam o que digo, e então eles fazem o oposto. Eles são adolescentes. E depois de basicamente dez minutos de jogo estou batendo a cabeça contra a parede, rezando pela minha própria morte. "Pat", eu imploro. "Por favor, me diga que eu não era assim."


"Você não era", diz ele com um patins em sua cabeça. "Você era três vezes pior." Em seguida aquele traidor leva suas bolas para fora do prédio, deixando-me encarregado de trinta jogadores de hóquei adolescentes enlouquecidos pelos hormônios. Apito pela milionésima vez. "Fora os lados! Mais uma vez. Sério?" Pergunto a Shen, um cara arrogante que foi torturar o goleiro por toda a minha sessão. Os dois tem algum tipo de vingança contra os outros, e isso não está ajudando o caos geral. "Tempo". O jogo começa de novo quando eu deixo cair o disco. Eu procuro ver Canning descendo o paraquedas para ajudarme com a jogada. Graças a Deus. Seu rosto calmo é como um copo de água fresca. Eu patino e pulo sobre o muro para cumprimenta-lo. "Por que você não me disse que este trabalho era difícil?" Ele sorri, e meu coração derrete um pouco da forma habitual. "O que é difícil? Você ainda nem suou". Estou suando sim, no entanto. Porque mesmo quando viro a cabeça para assistir os meus jogadores, Shen vai deslizando e recua para o goleiro do qual ele tem zombado, derrubando-o. Parece intencional, e Canning deve ter pensado assim também, porque nós dois pulamos por cima do muro para chegar lá. "O que o..." começa Killfeather, o goleiro. Shen sorri. "Sinto muito". "Porra" Killfeather xinga. "Bicha", Shen retorna. Meu apito é tão alto que Canning coloca as mãos sobre as orelhas. "Penalidades de dois minutos!" Eu rugi. "Ambos."


"O quê"? Killfeather jorra, meu Deus. "Não toquei o rabo dele." "Olha a boca," eu rosno. "No meu gelo você não usa calúnia de qualquer tipo." Aponto para o banco de penalidade. "Agora". Mas Killfeather não se move. "Você não pode criar novas regras." Seu sarcasmo é tão grande quanto às propagandas e as bandeira nas placas do forro. Todos os jogadores estão ouvindo, então não posso fazer nada de errado. "Meninos, é uma regra. Dois minutos no banco menor para conduta antidesportiva. Se você tivesse ficado de boca fechada depois que ele bateu em você, sua equipe teria o direito de poder jogar agora. Eu estou fazendo isto para seu próprio bem." "Com certeza." Apesar dessa despedida, ambos os meus encrenqueiros finalmente apontam seus corpos em direção as caixas de penalidade. Então eu emito meu tiro de despedida e certificome de que todos possam ouvir. "A propósito, a ciência provou que a relação entre alguém chamar o outro de bicha, é porque esse alguém tem um pênis muito pequeno. Você não quer anunciar isso. Pense sobre isso." Canning não diz nada. Mas ele começa a patinar, também. Vejo-o tirar um assento para o lado e depois senta como se ele estivesse colocando seus patins. O que ele já tem certo? Mas então vejo suas costas tremerem. Pelo menos alguém gosta das minhas piadas. O resto do jogo dura cerca de uma década. Quando nós finalmente temos uma pausa para o almoço, Jamie apanha-me no caminho para o vestiário. "A ciência provou?" Ele ri.


"Faço ciência do lado". "Uh-huh. Estou pensando em pular a sala de jantar hoje e pegar um hambúrguer no pub na cidade. Está a fim?" "Claro." Eu respondo. Então eu viro e olho ao redor para certificar-me de que nenhuma das crianças estão à espreita por aí. Não sei se estou preparado por ser uma figura de autoridade. Eu passei quatro anos rodeados de jogadores de hóquei do Northern Mass que abandonam a porra em cada frase, e esqueço que preciso me censurar por enquanto no Elites. Os adolescentes aqui xingam como marinheiros — pelo menos quando Pat e os outros treinadores não estão por perto — mas eu me recuso a corromper os mais novos com minha boca suja. "Está vendo só?" Certo. Canning acena para o vazio em torno de nós. "Nós somos os únicos aqui. Você pode dizer qualquer merda, idiota. Você pode dizer qualquer coisa, realmente". Com um sorriso, ele desencadeia uma série de palavrões. "Porra, merda, caralho, boceta " "Pelo amor de Cristo!" Vem uma voz alta crescendo por trás de nós. "Eu preciso lavar sua boca com sabão, Canning?" Eu tento engolir meu riso quando Pat aparece. Ele abana a cabeça em descrença enquanto encara Jamie, então seus olhos se estreitam e ele se vira para mim. "Na verdade, o que estou dizendo? Canning, nem saberia essas palavras se não fosse por você, Wesley. Que vergonha." Eu dou a Pat um sorriso inocente. "Eu sou puro como a neve, treinador. Canning foi quem me corrompeu." Eles dois sorriem. Pat me bate no ombro e passa por nós. “Sim, continue a dizer isso, garoto,” ele diz sobre o meu


ombro. "E vocês dois, cuidado com a boca em torno dos campistas ou vou chutar seus traseiros de filhos da puta." Jamie e eu ainda estamos rindo quando nos escondemos no vestiário para deixar nossos patins e calçar nossos tênis. Quando estamos fora do prédio, poucos minutos depois, sinto que deixei uma piscina gelada e entrei em uma sauna. A umidade do ar é sufocante, fazendo o suor rolar nas minhas costas. Minha camiseta adere ao peito como envoltório plástico. Eu encolho os ombros, puxe-a sobre a minha cabeça e dobro o tecido na cintura dos meus calções. A atmosfera em Lake Placid é tão casual que ninguém vai se importar se eu andar pela cidade balançando um peito nu. Canning mantém a camisa dele. Acho que eu prefiro assim, porque a sua blusa é muito mais finas e está fazendo a mesma coisa, aderindo-se a ele como a minha tinha feito, o que me dá uma visão decadente de cada ondulação dura de seu peito largo. Foda-se, mais uma vez estou com ciúme da sua camisa. Eu queria ser o único colado no peito dele, e a dor que sinto por isso traz uma faísca de culpa. Agora estamos bem. Somos amigos novamente. Então porque meu corpo traidor não pode ficar bem com isso? Por que não posso olhar para ele sem imaginar algo sujo, tudo o que eu quero fazer com ele é sujo? "Então, qual é o negócio entre você e aquela garota?" Ouço-me perguntar. Eu particularmente não quero ouvir a resposta, mas eu preciso do despertar que ela vai trazer, o lembrete de cobiçar esse cara é um desastre esperando para acontecer.


"Holly?" Ele dá de ombros. "Nada, realmente. Nós só transamos. Ou melhor, nós costumávamos ficar. Não acho que estarei vendo muito ela agora que nós já nos formamos." Eu levanto uma sobrancelha. "Só um gancho acima? Desde quando você gosta de amigas com benefícios?" Mais um encolher de ombros. "Era conveniente. Diversão. Eu não sei. Eu só não estou pensando em ficar com alguém agora. Holly entendeu isso." Sua voz assume uma nota de desafio. "O que, você não concorda?" "Não, eu sou tudo sobre amigos de foda." Nós passamos a loja de brinquedos e mergulhamos fora do caminho de duas mães empurrando carrinhos de bebê. As duas mulheres inclinam a cabeça em minha direção olhando minhas tatuagens. Não com desprezo, mas intrigadas. Acontece novamente no próximo quarteirão, quando um grupo de adolescentes para em suas trilhas olhando para mim. As palavras "tatuagem quente" faz cócegas nas minhas costas quando passamos. Jamie solta um riso abafado. “Você quer ir por esse caminho bissexual? Porque eu tenho certeza que você não terá qualquer dificuldade no departamento de garotas". "Tudo bem. Não seria justo para os heteros se eu jogasse meu chapéu no ringue de bocetas. Eles não teriam chance." Sua expressão parece pensativa. "Já te vi brincar com meninas antes. Você parecia interessado." Eu sei que ele está pensando em todas aquelas noites que saímos pela cidade e flertamos com as locais. Mas nós tínhamos quinze anos, dezesseis talvez, então, e eu ainda estava experimentando, descobrindo as coisas.


"Você apenas fingiu gostar?” ele indaga curiosamente. "Fingi não tanto quanto tentei apreciá-lo," eu admito. "E não foi horrível. Eu não fui para casa depois disso vasculhar minha pele fora no chuveiro. Dar uns amassos com aquelas garotas foi... Não sei... era. Eu fiz isso, estava tudo bem, mas não era como se eu estivesse morrendo para arrancar suas roupas e entrar nelas." Como estou morrendo para arrancar suas roupas e entrar em você. Eu cerro os dentes, irritado comigo mesmo. Cristo, é o suficiente. Isso não vai acontecer com Canning. Eu preciso parar com isso. "Entendi". Ele acena, e assente com sua cabeça. "Quem faz isso para você, então? Tipo, qual é seu tipo, para olhar sabe?" Você... "Ah, eu não sou exigente." Chegamos ao bar da esquina, mas ele não faz um movimento para abrir a porta. Ele só permanece na calçada e solta uma risada. "Realmente. Então você apenas colocaria seu pau em qualquer um?" "Não," Eu não admito. Sinto-me muito estranho discutindo isto com ele. "Eu não sou louco por twinks 2 , acho. Não gosto da vibração do tipo todo magro, rapaz jovem."

Twink (no diminutivo em inglês, twinkie) é uma expressão da língua inglesa, originalmente proveniente do jargão LGBT, usada para descrever adolescentes ou jovens do sexo masculino, ou adultos com aparência física igualmente jovem ou pueril, caracterizados geralmente por um corpo magro ou atlético e "liso", sem pêlos nem marcas de expressão ou de idade. Existe toda uma indústria de pornografia "twink", focada nesse estereótipo físico. 2


"Então você gosta deles grandes." Um largo sorriso enche a cara dele quando ele pisca para mim. "Modo de falar." Eu faço os meus olhos. "Grande é um bônus agradável. Alto, Atlético, não muito peludo..." o que o faz rir "...e, não sei..." Eu começo a rir. "Sério, você quer ouvir tudo isso?" Seus olhos brilham com a dor. "Por que, porque você está falando de caras, em vez de meninas? Eu já te disse, eu não sou um puritano". "Não foi o que eu quis dizer," eu cortei apressadamente, e ele relaxa um pouco. "Parece estranho mesmo assim, como se eu estivesse descrevendo um pênis. Como, porque dois caras ficam descrevendo seu parceiro sexual perfeito?" Eu olho ao redor. "Será que vamos discutir sobre Sex and the City? Se assim for, eu sou a Samantha.” A tensão do ar difunde instantaneamente, enquanto os lábios do Canning se contorcem incontrolavelmente. "Você realmente sabe os nomes dos personagens de Sex and the City? Merda, se você não tivesse me dito que era gay, eu iria descobri agora." "Isso foi um caso extremamente insensível de estereótipo, Jamie," eu digo." Só por isso, você vai pagar o almoço. Idiota.” Mas eu estou sorrindo para mim mesmo quando lançolhe o pássaro e ando para o bar.


12 Domingo é o dia em que os treinadores têm folga. A esposa de Pat, geralmente, leva as crianças para um passeio. Eles vão todos pescar no lago leste amanhã de manhã. Enquanto isso, os treinadores normalmente têm um sábado à noite bêbado, seguido de um domingo de sono. Acabamos de comer o jantar as 06:00 com todas as nossas cargas de adolescentes, então estamos oficialmente livres. Wes está no acampamento há quatro dias, mas geralmente estamos tão abatidos durante a noite para fazer qualquer coisa fora do frio em nosso quarto. Então eu vou agitar uma loucura. "O que faremos hoje à noite?" Pergunto à Wes, que está deitado na sua cama. "Você tem um carro, certo? Vamos usar ele." "Meu carro é viril", ele diz, passando através de um aplicativo. "Claro que é. O que vamos fazer afinal?" O aplicativo continua a fazer um som de notificação estranho que é desconhecido para mim.


"Checando o Brandr. Muito divertido em uma pequena cidade." Isso me escapa por um momento. Brandr é um aplicativo para encontrar gays. Eu estou de repente genioso, porque eu achei que íamos sair hoje à noite. Juntos. Talvez tenha sido uma suposição estúpida, mas é como sempre foi antes. "Então..." Eu limpo a minha garganta. "Como é que funciona?" Ele ri. "Venha aqui e veja. É histérico. Todos os piores traços de humanidade para exibir em um só lugar." Intrigado, eu sento na cama dele, e ele próprio se apoia em um cotovelo para me mostrar. Nós estamos inclinados sobre o telefone juntos, da mesma forma que fazíamos quando éramos adolescentes. Só que não estamos numa cama juntos desde... bem. Daquela noite. E eu estou consciente do fato de que nós não nos encaixamos tão bem. Pegamos a maioria da superfície, mas ainda praticamente estou sentado em cima dele. Eu posso sentir os pelos da sua perna escovar a minha quando ele se inclina para me mostrar a tela. "É como uma placa do menu. Cada foto é um cara". Algumas das fotos são closes, mas algumas são impossíveis de se ver. Há um número de marcação em cada um, também. 0,7 mi e 1,3 mi. "Toda essa gente está perto? Isso é um pouco assustador." "Isso é parte da diversão. Se alguém age estranho, você pode só bloqueá-los para sempre. Um clique e eles já eram. O bios é a parte engraçada. Confira isso." Ele bate uma das


teclas e a imagem de um cara preenche a tela. Ela diz: online agora; 0,9 mi afastado. "Ele é velho demais para você", eu digo imediatamente. "E o que são essas meias?" O cara tem cabelo grisalho e inclina-se contra um conversível vermelho. Ele está em boas condições, mas ninguém deve usar meias tão altas com shorts. Isso é errado. Não vou mentir. Isto está ficando esquisito, a ideia de que este homem está olhando para baixo na sua tela em algum lugar na outra extremidade da cidade, olhando para a foto de Wes... Wes só ri. "Sempre é divertido olhar para o Brandr em uma pequena cidade. As chances são boas, mas os bens são estranhos." Ele rola a imagem para o fundo onde o cara adicionou seus 140 caracteres, ou qualquer outra coisa. A manchete é "olhe e fique com os músculos nus." E abaixo está: se estiver on-line, então eu tenho tempo para ficar nu. Beijos, contato corporal e mais, só perguntem. Não mulheres. Desculpe, só gosto de brancos. "O que?" Eu gaguejo. "Parece um sedutor, não é? Essa é a internet para você." Wes sai do perfil do idiota. Mas, em seguida, seu telefone faz um barulho e uma pequena janela aparece. "Ei", diz, e há uma miniatura do outro cara ao lado dele. "Alguém está falando com você," Eu murmuro. E agora eu odeio este aplicativo mais do que pensava ser possível. Competir pela atenção do meu amigo não é divertido. Então, levanto e tiro a minha camiseta do Elites. Eu vou sair daqui hoje à noite se Wes vier junto ou não. Eu puxo uma camisa


polo, que é tão elegante quanto um cara precisa ficar em Lake Placid. "Você quer ir?", indago da cama. "Sim". Quando eu me viro, ele está mudando de roupa, também. Graças a Deus. "E pensar que podemos sair depois de escurecer sem escalar para fora das janelas," Wes diz. "Isso é estranho". Ele está vestindo bermudas de caminhada curta e botas e uma camiseta preta, deixando os braços nus. "Você pode saltar pela janela se você quiser," digo-lhe. "Mas eu vou pelas escadas." "Onde estamos indo?" Eu pego minhas chaves e telefone. "Se seu carro viril estiver disponível, vamos para a Owl’s Head." Ele para no meio de amarrar os cadarços. "Sim? Pensei que iríamos a um bar." "Vamos fazer as duas coisas", eu digo. "Mas só se você puder mover o seu traseiro por aquela porta." Wes tem um Honda com um som doce e bancos de couro. Mas está uma bagunça. Eu tenho que mudar várias cópias de CD de hóquei dos EUA fora do banco do passageiro e jogar fora um saco velho do McDonalds. "Isto é... bom," Eu brinco enquanto eu persigo um copo vazio do chão. "Eu não sou gay o bastante pra perder um passeio, Canning. Vamos. Corremos contra a luz do dia." Owl’s Head é uma curta caminhada que costumávamos fazer com o grupo como campistas. São algumas milhas fora da cidade, e não existem outros carros na trilha quando


chegamos. Wes apita as fechaduras, e então saltamos para cima sobre pedras e raízes de árvore. Eu amo isso. Jogar hóquei é grande, mas o mantém dentro de casa. Meu esporte de verão é o surf, mas sempre gostei de uma boa caminhada. Eu mencionei que sou da Califórnia? "Devagar," Wes para em um ponto. Eu paro, segurando o ritmo para esperá-lo. "Demais para um recruta de Toronto lidar? Melhor eu chamar meu agenciador. Quem está jogando primeiro?" Ele bate-me na bunda. "Parei para tirar uma foto, idiota. Continue." As vistas são realmente intensas. Estamos subindo até um parapeito, basicamente, e os picos de Adirondack destacam-se todos ao nosso redor, escuro contra o céu no início da noite. "É só mais duas vezes ", eu prometo. Nos leva 30 minutos para chegar aos afloramentos rochosos, carecas no topo, assim quando o sol se prepara para se pôr atrás de um pico distante. Eu estou ofegante, um pouco pela escalada, um pouco pela pedra aquecia de sol. "Que pocilga," Wes faz piadas, sentado ao meu lado. "Sério"? Provavelmente já subi a colina em todos os verãos nos últimos nove anos. Quando nós tínhamos quatorze anos, era divertido assustar uns aos outros pela maneira que sentamos na beirada. Quando estávamos com dezessete anos, provavelmente viemos até aqui sem realmente vê-lo. Wes e eu teríamos discutido sobre hóquei. Ou futebol. Ou algum filme idiota. Subimos porque essa era a atividade no itinerário do dia.


Isso tinha me assustado este último ano por perceber tudo o que eu fiz aqui, e o que eu fiz para mim. A formatura da faculdade é o fim do roteiro. É todo um território desconhecido a partir deste ponto, e estou no assento do motorista. As nuvens distantes viram laranja-rosa enquanto assisto. Meu amigo se senta ao meu lado, perdido em seus pensamentos. "Nós vamos perder a luz", ele diz eventualmente. "Ainda temos tempo." Outra batida do silêncio passa antes que eu pergunte, "O que está pensando, afinal?" Ele ri. "No primeiro ano de faculdade. O quão idiota eu era para todos." "Sim?" Estou surpreso de que Wes está todo introspectivo, assim como eu. Eu pensaria que ele estava ali tentando descobrir a melhor forma de pirraçar Pat e culpar as crianças. "Sim. Ano difícil. Lotes de trote." Eu tento olhar para ele pela primeira vez desde que estamos sentados. "O mesmo aqui. Esses idosos foram psicopatas, a sério. Nunca vi nada parecido." Eu limpo a minha garganta. "Naquele outono eu fiquei pensando, Wes não vai acreditar nesta merda quando eu contar..." Deixei morrer a sentença. Isso provavelmente foi muito duro. Se formos amigos novamente, eu não deveria deixar minha bolha de raiva voltar à superfície. Ele faz um som irritado no fundo de sua garganta. "Sinto muito". "Eu sei", eu disse rapidamente. "Mas eu passei aquele primeiro semestre rezando para aqueles idiotas não descobrirem que eu gostava de pau. E


desde que eu não era tão confortável com essa ideia também..." Ele suspira. "Eu não era muito boa companhia naquele ano, mesmo." Algo errado se agita no estômago com a ideia de Wes ter medo. Toda a minha vida tinha pensado nele como um destemido. Ninguém é. Intelectualmente, eu sei disso. Mas mesmo quando ele me disse na outra noite que tinha lutado contra ser gay. Não acho que eu entendi. "Que droga", eu disse suavemente. Ele dá de ombros. "Não me matou. Só me fez trabalhar duas vezes mais duro. Talvez eu não acabasse como um forro primeiro se aqueles idiotas não tivessem colocado o temor de Deus em mim todos os dias." "Você está olhando pelo lado positivo." "Canning, vamos perder a luz do dia" Ele me lembra. Ele está certo. O céu já está desbotado para um roxo suave em alguns lugares. Levanto-me às pressas. "Vamos lá, então." É contra intuitivo, mas uma caminhada íngreme para baixo é muito mais difícil do que subir. Cada passo ameaça varrer os pés para fora debaixo de você. Nós não falamos nada durante a descida. Nós estamos muito ocupados, concentrando-nos em onde colocar cada pé e quais ramos fará uma retenção firme. A escuridão está vindo rápido. Estamos quase lá, quando o caminho se torna verdadeiramente difícil de ver. Ouço os passos de Wes atrás de mim e o som saltitante dos eixos que ele desloca a cada passo. Eu apostaria dinheiro que Wes está focado, como eu estou agora, pensando apenas na


tarefa à mão. Quando o corpo está ocupado, a mente fica quieta por um tempo. Está quase totalmente escuro, mas eu sei que estamos apenas a algumas jardas da trilha. Foi quando ouvi Wes tropeçar. Há um grunhido e o som dos pés deslizando na sujeira. Meu coração para enquanto ouço-o descer alguns passos atrás de mim. "Foda", ele resmunga. Eu me viro para encontrá-lo espalhado para fora no chão. Merda. Coloquei um novo recruta do Toronto para andar até uma montanha de merda no escuro. Se ele torceu algo, é tudo culpa minha. "Você está bem?" Sinto-me doente, eu faço meu caminho para cima novamente para onde ele está. "Sim", ele diz, mas isso não é uma prova. Um jogador de hóquei sempre diz que sim, mesmo quando não é verdade. Mas então Wes senta-se nas sombras. Enfio a mão e ele fecha os dedos em torno dela e aperta. A pressão de suas mãos me acalma. Com um puxão em mim, ele está de pé novamente, e o calor da sua mão deixa a minha. Mas não se vira e sua cabeça está baixa ainda. "Sério, você não torceu nada?" A sombra de Wes muda seu peso de um pé para o outro novamente. "Não. Bati com o joelho em uma rocha. Mas não é nada." Ele esfrega as mãos juntas para tirar o pó. Deixando sair um fôlego que eu nem sabia que estava segurando, me viro e escolho meu caminho ainda mais lentamente para baixo da colina. O carro de Wes espera por nós no escuro. Eu salto para o banco do passageiro, aliviado que minha caminhada não feriu ninguém. A luz me mostra um Wes sorridente, mas há


sujeira na camisa dele. Eu estico a mão e o limpo, desfazendo os danos. Ele me dá uma piscadela. "Você sentiu?" Ele rindo de sua própria piada, liga o motor. "Onde estamos indo?" "Em qualquer lugar. Sua escolha." Wes liga o carro e sai de volta para a estrada principal. "Passamos por um bar antes deste desvio. Lou, ou algo assim. Você já esteve lá?" Eu balanço a cabeça. "Nunca tive carro, então eu sempre bebo na cidade." "Nós vamos experimentá-lo," ele diz.


13 Existem 1 milhão de carros fora do Lou... porque o lugar compartilha um estacionamento com uma Dairy Queen. Podemos estacionar na estrada e ir a pé à escuridão cheia de grilos para o bar à beira da estrada. O Lou tem um tema de Adirondack, e trabalham muito duro. As pás de madeira velhas necessárias estão penduradas nas paredes como painéis. Uma canoa invertida está suspensa nos ganchos do teto. As bebidas especiais são nomeadas com os nomes dos picos da proximidade. Claro que são. "Ok, então você vai ter o Nippletop, e eu vou ter a montanha Dix." Wes já está se divertindo. "Cara, se o Nippletop tiver licor de pêssego, vou te machucar." Arreganho os dentes, e é demais. "Como é que se sente sobre vodka sabugueiro?" "Não tem graça." Aceno para baixo para o barman. "Eu quero um Saranac IPA. Obrigado”...


Wes inverte o menu de bebidas do bar. "Traga dois, por favor." Ele coloca uma nota de 20 para baixo e quando eu pego a minha carteira, ele acena-me. "Vou pagar essas". Levamos nossas cervejas para uma mesa alta, ambos de nós ficamos um pouco assistindo as pessoas. Não vejo nenhuma garota com a qual eu quero falar, mas tudo bem porque não vim aqui para isso, de qualquer forma. Wes pega seu telefone do bolso dele. "Devia ter desligado essa coisa," ele diz. Então sua tela pisca. "O quê é"? "É uma notificação Brandr. Alguém está tentando falar comigo. E diz que está a 'menos de 100 pés de distância.“ Eu quase engasguei com um gole da minha cerveja. "Um cara aqui?" Então eu estou girando minha cabeça em todas as direções, me perguntando quem é. Wes chuta-me debaixo da mesa. "Pare". Mas é tarde demais. Na extremidade distante do salão, tem um cara em uma camiseta do Fugees olhando de forma estranha. Ele está me observando. Então ele sorri. "Ah, foda-se," Eu assobio para fora. Wes está rindo. "Cara, você fisgou um cara." "O quê"? Estou suando agora. E eu não posso bater a porcaria fora de meu melhor amigo porque o cara chegou a nossa mesa. "Ei," ele diz, dando-me um sorriso. Então ele olha para Wes. "Espere". Ele ri. "Qual de vocês...?" Ah meu Deus.


"É meu perfil", disse Wes, e eu posso dizer que ele está se esforçando muito para não prender a respiração. "Você gosta?" "Pescando elogios?" O cara pisca. Ele é um pouco mais velho do que nós, com cabelo escuro, brilhante. "Eu preciso de outra cerveja. Posso pagar uma rodada?" "Eu estou bem", eu disse rapidamente. "Uma para você, então," ele diz, apontando para Wes. Em seguida, ele vai até o bar. Quando ele se foi, Wes coloca seu rosto em suas mãos e cai na gargalhada. "Jesus, o olhar em seu rosto!" Urrgh. "Por que ele pensou que era eu, afinal?" "Eu não tenho uma foto no meu perfil." Wes, mal consegue falar de tanto rir. Percebi uma coisa. "Você não me mostrou seu perfil." "Não brinca", diz ele. "Não mostro isso." "Porquê?" Quando ele dá de ombros, de repente pergunto-me se..." É uma foto do seu pau"? Outra explosão de riso estremece da boca dele. "Abdômen", ele morre. "É meu abdômen." Claro que é. O novo "amigo" de Wes volta à nossa mesa, deslizando uma garrafa na frente de Wes, que mal havia dado um gole em sua bebida atual. Passamos alguns minutos conversando. Bem, eles conversam. Só escuto, sentindo-me desconfortável. Há algo meio desprezível sobre tudo, sobre esse cara, mas talvez eu esteja rabugento. Eu queria sair com meu melhor amigo hoje, não vê-lo de olho na porra de outro cara. "Eu ensino no segundo grau de uma escola pública", o cara diz para Wes. O nome dele é Sam e é um pouco difícil de


odiá-lo agora que eu sei que ele trabalha com crianças. Ele parece decente. E ele é realmente bonito. Não tão bonito quanto Wes nem nada, mas Jesus. Eu aqui sentado, a sério, estou comparando o nível de atividade dos dois caras ao meu lado? Tomo um gole profundo da minha cerveja. Que se dane. Se eu vou ser a terceira roda esta noite, eu também poderia ficar chapado. "A mesa de bilhar está disponível", Sam diz, olhando para o outro lado. "Vocês querem jogar uma partida?" "Claro," Wes responde por nós, e eu engulo minha irritação com outro gole de cerveja. "Eu só vou assistir," sussurro ao chegarmos à mesa. "Não estou a fim de jogar." Wes me olha por um momento. "Está bem". Sam organiza as bolas e pisca para Wes um sorriso. "Parece que é só você e eu. Por uma questão de divulgação cheia, estou prestes a chutar o seu traseiro." Esse cara não conhece Wes, então. Eu costumava assistir meu amigo agitar cada seiva desavisada que já o desafiou para um jogo. Wes sorri timidamente. "Sim, você pode estar certo sobre isso. Eu não sou muito bom." Eu abafo um sorriso. "Você quer que eu comece?" Sam oferece. Wes concorda. Seu olhar encontra o meu brevemente, e eu vejo o brilho nos seus olhos antes que ele se afaste. Eu me inclino contra a parede de painéis de madeira quando Sam se inclina sobre o outro extremo da mesa, o taco de bilhar posicionado habilmente em suas mãos. Seu tiro de abertura envia as bolas se espalhando em um giro vertiginoso, mas ele só pousa um vermelho sólido na caçapa


lateral. Ele permanece com sólidos, afundando mais um antes de perder a próxima tacada. Wes vai para cima. Ele estuda a mesa com o cenho franzido, como se ele não pudesse decidir que tacada tomar. Besteira. Como se seu cérebro astuto já não tivesse planejado cada tiro de todo o caminho até o afundamento da bola oito. Sam caminha até ele, levemente descansando a mão no ombro de Wes. Eu estreito meus olhos, filho da puta de mão boba, não é? "Vá para a onze," Sam aconselha. " Canto." Wes morde o lábio. "Eu estava pensando na treze." O que exigiria um tiro de combinação que faria até mesmo o mais avançado jogador suar. Sam ri. "Isso pode ser um pouco difícil, considerando que você não é...". Wes leva o tiro antes de Sam poder terminar a frase. Ele afunda a treze. E a nove. E a doze. Em uma combinação impressionante que faz com que a mandíbula de Sam bata no chão. Eu não posso evitar. Eu começo a rir. "Você não pesadamente.

é

muito

bom,

hein?"

Sam

suspira

A boca de Wes se contrai. "Eu posso ter subestimado o meu nível de proeficiência." Uma parte de mim espera que Sam seja um dos maníacos de ego sensível que não consegue lidar com a perda, mas Sr. Professor-do-Segundo-Grau parece encantado com a grandiosidade de Wes. Ele simplesmente fica ali e assobia e meu amigo circula a mesa como o tubarão numa piscina, ele até mesmo bate nas palmas, depois de Wes limpar a mesa sem deixar Sam tentar nenhuma outra vez.


Sam aceita sua derrota bebendo o resto da sua cerveja e, em seguida, batendo a garrafa vazia na borda atrás da mesa de sinuca. "Outro?" Wes indaga. Wes olha para mim, como se para verificar se estou bem com isso. Simplesmente encolho os ombros. Eu sei que não há nenhuma dúvida de Sam por Wes agora. Ele está encantado demais com meu amigo. Eles fazem o outro jogo. Eu peço outra cerveja. Eles jogam um terceiro jogo. Eu peço uma terceira cerveja. Quanto mais bêbado eu fico, o manusear fica mais intenso. A palma da mão de Sam escorrega nas costas de Wes quando ele se inclina para alinhar sua próxima tacada. Wes olha por cima do ombro e pisca para Sam, seus olhos cinzentos brilhando. Eventualmente eu vagueio em volta da mesa, o álcool está zumbindo na minha corrente sanguínea, enquanto aborrecimento baseia-se nas minhas entranhas. Foda-se esse cara, esse Sam. Retiro o que disse — ele não é decente. Ele parece não ter nenhum problema em estar monopolizando o tempo do meu melhor amigo. Não, ele nem mesmo dá uma merda se estão ambos me ignorando. E ele não vai parar de tocar Wes. Meus dedos se curvam ao redor da garrafa de cerveja. Quando Sam passa mais perto de Wes e sussurra algo em seu ouvido, meus dedos ficam brancos pelo meu aperto, ele está perguntando à Wes se ele quer sair daqui? Dizendolhe como quanto ele quer fodê-lo agora? Oferecendo-se para chupá-lo no banheiro?


Eu dreno o resto da minha cerveja. Sim, estou zumbido duro agora. E o álcool tem feito algo para o meu cérebro. Estou em curto-circuito de alguma forma, inundado com as memórias que eu geralmente não permito que venham à superfície. A trilha sonora do último dia no acampamento há quatro anos corre em minha mente. "O que você está esperando, Ryan? Chupa logo." "Foda-se, Wes, faça-me gozar." Incomoda-me que eu me lembre de todas as palavras que eu disse a ele. Já recebi alguns boquetes muito fenomenais nestes últimos quatro anos, mas posso te dizer o que foi dito durante eles? Textualmente, posso repetir cada palavra que proferi para aquelas garotas? A Holly? Cada comando sujo que deixou minha boca? Não, eu não posso. A risada de Sam e Wes sopra em minha direção. Parece que Sam finalmente ganhou um jogo, e conhecendo Wes, ele está provocando o cara sobre isso ser um acaso. Ou para o inferno, talvez Wes tenha o deixado vencer. Talvez ele tenha decidido lançar ao cara um osso antes que ele ... o cara vire o osso. Meu peito se torna rígido. O pensamento de Wes ficando com alguém hoje à noite está me deixando irritado. Com ciúmes? Uma vozinha zomba de mim. Que se dane. Eu não estou com ciúmes! Eu não me importo com o que Wes faz — ou com quem ele faz — mas era suposto para sairmos hoje à noite. Eu e ele. Não ele e algum cara aleatório que ele conheceu através de um aplicativo. A decepção do outro cara é impossível de não perceber. Ele olha para mim, então se volta para Wes. "Sim, certeza. Deixe-me pegar seu número antes de ir?"


Idiota. Eu fico furioso quando eu os vejo trocarem seus números. Bem, então. Acho que eles vão se encontrar de novo. Tanto para ficar ou para passar o verão conectado com meu melhor amigo. Wes não diz nada enquanto nos dirigimos para a saída. A música no bar estava muito alta, não dava para saber o que estava acontecendo lá fora, mas quando saímos pela porta, nos encontramos no meio de uma chuva torrencial. Uma rajada fria de chuva me dá um tapa na cara, minhas roupas se molham em segundos. “Merda. Corremos para o carro?" Eu grito sobre o barulho ensurdecedor da chuva batendo na calçada. Wes fica onde está. A expressão dele é tão poderosa quanto o clima. "O que foi isso?" Mal consigo ouvi-lo sobre o vento e a chuva. "O quê"? "Você agiu como um babaca lá dentro." Em seguida, persigo as botas dele espirrando as poças formando-se no asfalto. O toldo pequeno abrangendo o lado do edifício não faz nada para nos proteger da chuva. Nossas roupas estão grudadas em nossos corpos. A água se apega ao meu cabelo e escorre pelo meu rosto enquanto me apresso atrás dele. "Fui eu que agi como uma idiota?" Eu grito atrás dele. Ele para, e gira para me enfrentar. "Sim. Jesus, cara, a forma como você tratou aquele cara, você acha que ele estava carregando o vírus Ebola?"


"Talvez eu só não tenha gostado do modo como ele estava interessado em você na minha frente!" Eu atiro de volta. A boca de Wes cai aberta. "O quê"? Minha boca se fecha. Foda-se. Por que eu disse isso? "Quero dizer..." Eu engulo. "Fui rude". Wes me encara. As gotas atropelam seu rosto cinzelado, capturando o crescimento de barba sombreando sua mandíbula. Seus lábios estão ligeiramente separados. Não consigo parar de olhar para eles. "O que lentamente.

está

acontecendo

agora?"

Ele

indaga

Gosto de miséria sobe à minha garganta. Eu não sei. Honestamente, não sei o que está acontecendo. A chuva cai com mais força. Um flash de relâmpago atravessa o céu negro. Eu deveria estar sentindo frio, mas não estou. Meu corpo sente-se como uma fornalha. Três cervejas não deveriam ter esse efeito em mim. Talvez seja ele? Talvez ele esteja me deixando excitado? A língua de Wes lambe as gotas de chuva no seu lábio inferior, e eu pego um vislumbre de seu piercing na língua. Não estava lá quando tínhamos dezoito anos. Não estava lá quando sua língua tinha circulado a cabeça do meu pau na noite em que ele me deu o melhor boquete da minha vida. E aí está. Ryan Wesley tinha me dado o melhor boquete de minha vida. "Canning..." Ele está me observando mais uma vez. Ele parece inquieto, mas... há outra coisa em seu olhar. Um pouco de confusão.


Uma pitada de interesse. Dou um passo mais perto, mas não sei por que. Meu coração está batendo mais forte que a chuva. Meus olhos estão colados à boca dele. "Jamie". Há uma nota de aviso desta vez. Eu respiro fundo. Então eu ignoro o aviso. Seus olhos se alargam quando eu enfio meus dedos pelo cabelo dele e puxo sua cabeça mais perto mim. "O que..." Ele não precisa terminar a frase, porque eu estou quebrando minha boca contra a dele.


14 Jamie está me beijando. Jamie está me beijando. Jamie está me beijando. Não, não importa de que lado eu execute isso através da minha cabeça, ainda não faz sentido. E a pressão da boca dele? Faz com que isso não faça sentido. A varredura chocante de sua língua sobre meu lábio inferior? Não faz sentido. Mas puta que pariu, eu quero isso. A chuva derrama fora do toldo e desliza sobre as nossas cabeças enquanto a língua e os lábios do meu melhor amigo estão em mim. Eu sinto o gosto da chuva, cerveja, e algum aditivo masculino. Sua boca escova uma e outra vez, e quando eu abro os meus lábios para um suspiro trêmulo, ele se aproveita ao máximo e desliza sua língua para dentro. É como um aguilhão na minha espinha. Desejo surta através de mim em espirais até minhas bolas, apertando-as. Quando sua língua toca a minha eu quase explodo. Eu tenho que tomar a frente da sua camisa e segurar entre os meus


dedos para evitar ser varrido pela tempestade. Não a tempestade que está iluminando o céu, mas a tempestade que está rugindo dentro de mim. Eu sei que o momento em que ele sente meu piercing na língua, porque a sua língua ondula em torno do pino de metal e ele geme contra os meus lábios. Profundo e rouco. É aquele som encharcado de luxúria que me puxa de volta à realidade. Isto pode parecer certo, mas é errado. Ele está bêbado novamente. Não está pensando com clareza. Por alguma razão, ele decidiu que enfiar sua língua na minha garganta era uma boa ideia, mas não é. No final do dia, eu ainda sou gay e ele ainda está em linha reta. Pior ainda, eu sou apaixonado por ele. Com um gemido torturado, eu tiro a minha boca fora. Eu não posso fazer isso novamente. Eu não posso me deixar criar esperanças sobre nós dois. Ele é meu amigo. Ele sempre vai ser meu amigo e nada mais. Seus olhos, nebulosos com paixão, me destroem absolutamente. Ele pisca desorientado, como se ele não conseguisse entender por que eu quebrei o beijo. "Seu piercing na língua..." Sua voz está rouca com emoção. "Eu quero sentir ele no meu pau." Ah meu Deus! Ok, ele está mais bêbado do que eu pensava. Eu não o vi tomar mais do que umas cervejas, mas ele deve ter escapado um pouco mais em quando eu não estava olhando. "Sim..." Gerencio uma risada precipitada. "Isso não vai acontecer, cara." Jamie estreita seus olhos. A chuva diminui um pouco, tornando mais fácil falar sem ter que levantar a voz.


"Não vamos por esse caminho novamente, Canning." Eu engulo duro. "A última vez que fizemos isso, arruinou nossa amizade, porra." Ele inclina a cabeça, aqueles grandes olhos castanhos brilhando com desafio. "Você está dizendo que não me quer? ” Ah, droga! "Não, eu estou dizendo que é uma má ideia." Jamie da mais um passo, apoiando-me na parede até minhas costas encostarem-se aos tijolos molhados. Agora ele me prende no lugar. Há uma parede dura atrás de mim e uma igualmente dura na minha frente. Ênfase no duro, porque diabos, ele está com um baita tesão. Ele pressiona contra minha coxa quando ele chega ainda mais perto, até que seus lábios estão sobre os meus. "Você é o rei das más ideias", ele me lembra. "Pelo menos esta aqui termina com nós dois nos sentindo bem." Ele vai me matar. Essa inversão de papéis derrete meu cérebro, porque era eu quem sempre estava no comando, quem mandava, definia os limites. Jamie desloca seus quadris, uma respiração ofegante escapa quando sua ereção escova minha perna. Se ele estivesse sóbrio, ele provavelmente ficaria horrorizado. Quando ele ficar sóbrio, ele vai ficar horrorizado. Ele vai pedir desculpas por ter me procurado, e terminaremos tendo aquela conversa estranha de que nós devíamos ter tido depois que estraguei tudo à quatro anos atrás. Ele me dirá que é hétero, que isso era apenas uma brincadeira, que ele não está afim de mim. E eu vou ser esmagado. Eu sei de tudo isso, mas isso não me impede de roubar mais um gosto disso. Eu mencionei que eu sou um masoquista, certo? É a única explicação para eu enrolar


minhas mãos na parte de trás do pescoço dele e puxá-lo para mim novamente. Nossas bocas se encontram em outro beijo. Macio, desta vez. Dolorosamente lento. Não é o suficiente. Eu vou parar em breve, a qualquer segundo agora, mas ainda não. Não até que ele me dê mais. Gemendo, eu empurro meu peito contra ele e nos giro, assim, agora ele é o único contra a parede e eu estou moendo nele. Ele faz um barulho de surpresa, mas isso se transforma em um gemido rouco quando eu aprofundo o beijo e aproveito a unidade de minha língua em sua boca. Agora estou ganancioso. Desesperado. Eu fodo sua boca com minha língua, da mesma maneira que eu quero foder com meu pau. Profundo, com uma fome que deixa ambos sem fôlego, e agora é ele que está segurando minha camisa. À minha direita, bate quando a porta do bar abre. Um grito feminino ecoa. Ela está gritando sobre o tempo, não sobre os dois caras na parede tentando comer um ao outro. De qualquer forma, o grito dela me traz de voltar para os meus sentidos. Tropeço para trás, estou ofegante como se tivesse corrido três maratonas. Estou sob a chuva torrencial, mas Jamie não. Posso ver a expressão dele perfeitamente, o pânico em seus olhos arregalados no seu rosto. A descrença. Foda. Este é meu amigo hétero-como-uma-linha-azul prestes a entrar em pânico. Daqui à uma hora, ele vai... provavelmente ter um inferno de uma crise de identidade, e para quê? O melhor beijo da minha vida não pode valer a pena se for estragar a vida dele. Eu vivi essa confusão. Não é bonito. Agora eu tenho que desviar o olhar. Se não o fizer, ele vai ver meus olhos e


eu sei que estou morrendo por dentro. Eu o quero mais do que tudo nesse mundo maldito. Leva todo o meu poder, mas eu viro e saio na chuva em direção a meu carro. A chuva está caindo forte, mesmo assim, eu começo a correr. Nem percebo que ele me seguiu até ele deslizar no banco do passageiro à minha frente e bater a porta. Tenho o motor funcionando em menos de trinta segundos. Voamos em direção a Lake Placid antes que um minuto inteiro tenha passado. Há um silêncio terrível no carro. Se não estivesse chovendo... eu estaria provavelmente com o dobro do limite de velocidade, tentando recuperar Jamie para a cidade. Ele ainda não disse uma palavra. "Peço desculpas", eu deixo escapar. "Não quis deixar isso acontecer." Ele faz um barulho irritado. Estou morrendo de vontade de saber o que isso significa, mas sou covarde demais para perguntar. Nunca falaremos de novo sobre esta noite. Nunca. Mesmo se nós estivermos nos despedindo, na noite antes do casamento de Jamie. Mesmo se estivermos presos numa mina com trinta minutos de oxigênio. Nem nessa altura. Anteriormente, eu disse a ele que ele agiu como um idiota. Mas isso é uma porcaria. Eu sou o único que é apaixonado pelo meu melhor amigo e não estou fingindo o suficiente. A chuva cessa. Poucos minutos depois (mesmo que parecem horas) paramos em frente ao edifício do dormitório e eu piso no freio. Jamie não se move. "Eu vou encontrar um lugar para estacionar e então vou dar um passeio," digo-lhe. Não há nenhuma maneira que eu possa voltar para o nosso quarto agora. Precisamos de um tempo longe. Espero que ele compreenda.


Mais tarde, quando ele estiver dormindo, será possível respirar o mesmo ar que Jamie Canning mais uma vez. Mas ele não se mexe. Por favor, peço-lhe interiormente. Por favor, vá para a cama. Já é difícil olhar para a cara dele a cada dia e não sentir desgosto. Não posso estar próximo a ele agora. Eu tenho medo de que eu vá beijá-lo novamente. Como seu corpo duro tinha se alinhado perfeitamente com o meu está queimando na minha consciência. Eu vou tentar não me lembrar disso por semanas. Eu espero, e eu sofro. Finalmente a porta clica se abrindo. Eu o ouço sair do carro. Quando a porta se fecha, o que eu sinto é como uma marreta no coração. Não olho em volta, eu estou sozinho. Mas meu autocontrole não é infinito. Seu cabelo curto brilha sob as luzes da rua e suas pernas comem a passarela em poucos passos. Vê-lo se afastar quebra algo dentro de mim.


15

Eu subo rapidamente às escadas do prédio, meu coração batendo, minha pele molhada de chuva, suor e dos nervos. "Jamie". Merda, eu já tinha quase entrado. Mas Pat está sentado na escuridão furtiva em uma das cadeiras de balanço na varanda da frente. Ele está provavelmente na tocaia, assistindo os adolescentes saindo. Em vez disso ele me pegou esgueirando-me. E ao som de sua voz, eu sinto pelo menos tanto terror quanto um adolescente em rota de fuga. Eu paro tropeçando antes de chegar à porta. "Ei", eu digo, tentando soar normal. Pelo menos está escuro. Agora não confio em meu rosto. "Você tem um minuto?" Não? O que eu preciso é ficar sozinho por várias horas e bater minha cabeça contra uma parede. Para tentar descobrir por que na terra de Deus isso aconteceu. Mas Pat é


como um segundo pai para mim, e ser rude com ele não é algo que posso fazer. Não respondo, mas eu tomo a cadeira de balanço ao lado dele. Minhas mãos estão tremendo, então eu agarro os braços da cadeira. Um par de respirações muito lentas me ajuda a acalmar-me. Do outro lado da estrada, o lago é um vazio escuro. As luzes dos restaurantes em Lake Placid brilham no ar da noite enevoada. Tudo parece tão calmo e normal. O mundo faria mais sentido para mim... se os prédios estivessem caindo dentro do lago, ou se as lojas de chocolate estivessem em chamas. Mas a única coisa a tremer, sou eu. "Você está bem, filho?" "Sim," minha voz sai como uma serra elétrica. "Peguei chuva". "Eu estou vendo". Ele fica quieto por um momento. "Eu só queria te perguntar como Wesley está aguentando. Há primeira semana ele foi ok, você não acha?" Só o som do seu nome faz meu instinto cerrar. Bem, Pat, eu me joguei para cima dele. Curtimos como estrelas pornôs do lado de um bar. Então ele me deu um fora. E não tenho nenhuma ideia do que isso significa. "Ele está, hum, ok," Eu gaguejei. Realmente não me lembro da pergunta que ele havia feito. "Se ele estiver lutando por aí, espero que você vá me dizer. Eu não vou demiti-lo, mas eu só vou arranjar reforços para ele." Eu me recomponho e tento focar na conversa. "Ser um treinador requer prática." Pat sorri. "Isso é muito diplomático vindo de você. Treinar requer prática, sim, mas nem todo mundo é natural para isso do jeito que você é."


"Obrigado". O elogio é inesperado. "E acho que as crianças vão ficar muito fora de seu tempo com Wes, eu não teria contratado ele se não tivesse a certeza de que ele se sairia bem." A cadeira de Pat range enquanto ele a balança suavemente. "Surpreendeu-me, porém, receber a ligação dele. Foi poucas horas depois da sua vitória no Frozen Four. Eu tinha visto o jogo — faz meu ano melhor a qualquer hora que eu vejo vocês na minha televisão. Mas foi engraçado — quando vi quem estava ligando, teve um momento onde pensei que ele ia dizer, 'eu devo tudo a você." Ele ri de si mesmo. "Isso não é o estilo de Wes, então eu não sei por que eu esperava ouvir isso. Mas sim, quando ele disse, 'eu estou ligando para aceitar aquele trabalho que você me ofereceu todos os anos,'” fiquei realmente surpreso. Eu também estou. Na verdade, muita coisa sobre esta informação me surpreende. "Você já tentou recrutá-lo todos estes anos?" "Tenho certeza. Todos os meus filhos que se tornam jogadores bem-sucedidos na faculdade recebem um telefonema meu. Wes nunca disse que sim, embora. Então recebi esta ligação..." Ele faz uma pausa. "Teve muita coragem, realmente. Ele disse:' Eu quero treinar para você neste verão. Mas você precisa saber que sou gay. Ninguém sabe, mas se te incomoda — executando um acampamento e tudo — eu entendo.'“ Uma gota de suor corre nas minhas costas. "O que você disse?" Mesmo sabendo que Pat contratouo, minha respiração ainda falha por Wes do outro lado do telefone, à espera de alguém para julgá-lo. Talvez precise de mais bolas para ser Wes do que eu tinha percebido.


"Eu disse que isso era da conta dele, e eu não dou a mínima, desde que ele aparecesse pronto para treinar de manhã. Mais tarde eu lhe perguntei se ele queria ficar no quarto com você novamente após todos estes anos. Ele disse: 'com certeza, mas eu tenho que dizer isso para Jamie, também. Se ele tiver algum problema, talvez você precise trocar as coisas por aí.'" Um problema. Eu tenho, certamente. Meu problema é o gigante pau duro que ele me deu esta noite. Deus é uma luta para não enterrar minha cabeça em minhas mãos e gritar em confusão. Noite mais estranha da minha vida. Bem aqui. Vencedora! E o treinador Pat ainda está esperando para eu dizer alguma coisa. "Hum, eu só lhe disse que eu sou do norte da Califórnia." Pat, ri. "Eu vejo. Não achei que você teria um problema. Vocês eram inseparáveis todos esses anos." Inseparáveis. Há pouco tempo minha língua estava inseparável dele. E foi tudo culpa minha. Eu tinha atacado meu melhor amigo. Seu gosto ainda está em meus lábios. Preciso escapar desta conversa, antes que eu perca a cabeça. "Não há problema em tudo," eu disse rispidamente. "Eu acho que eu tenho que acertar o feno, embora". "Boa noite, treinador." "Boa noite". Eu subi as escadas e andei pelo corredor em direção do nosso quarto. Nenhuma das portas tem luz vazando por baixo, mas eu posso ouvir o som de vozes e risos masculinos


enquanto passo. Wes e eu tínhamos sido assim mesmo nessa idade, falávamos todo nosso tempo. Agora? Não sei se estamos falando em tudo. Faço uma parada no banheiro para escovar os dentes. Quando eu pego meu rosto no espelho, parece o mesmo como sempre pareceu. Mesmo queixo quadrado. Mesmos olhos castanhos. Minha pele está um pouco pálida sob as luzes fluorescentes do banheiro. Não há nada para ver aqui, mas como um idiota eu olho mais um pouco, sem saber o que procurar. Uma mudança. Um sinal. Como um cara que não é tão direto quanto pensou deveria parecer, afinal? "Como você, aparentemente." Meus lábios se movem com estas palavras e eu não estou nem perto da compreensão do que aconteceu. Mas agora eu estou falando sozinho. Incrível. Não posso evitá-lo por mais tempo, então eu vou para o nosso quarto. Ligar as luzes só me faz olhar de soslaio, então as desligo novamente. Eu tiro a minha cueca e subo na cama. Estou sóbrio agora, o que é uma chatice. Isso não vai me ajudar a dormir. Mas pelo menos eu não estou tremendo como uma folha mais. Wes não está aqui, mas sinto sua presença. E estou só acordado, esperando ouvir sua voz áspera, arrogante no corredor. Não é um exagero dizer que eu sempre me sinto um pouco mais vivo quando ele está por perto. A vida é apenas um pouco mais brilhante um pouco mais alta quando Wes está. Mas agora é tentador para eu reexaminar minhas impressões dele. Na maior parte tenho certeza de que eu sempre o amei como um amigo e que o impulso desta noite era só uma vontade nascida da cerveja de novo, ciúme normal, excitação e algum tipo de sobrecarga emocional


amigável. A tempestade perfeita. Meu desejo é uma estranha criatura da noite, trazida à vida por uma breve relâmpago exatamente no lugar certo. Certo? Eu suspiro. O mundo não roda ao redor do meu umbigo. Não fico inventando teorias complexas para explicar o meu comportamento. Mas hoje é impossível não ficar aqui e me perguntar... Todas as vezes que eu o vi voar para baixo na pista com o disco sob o seu comando, aquilo era simples admiração? Todas as vezes que eu assisti sua patinação chamativa com uma sensação de calor no peito. Ou quando ele sorria para mim do outro lado da mesa. Eu estava escondendo algo de mim? Ou não havia nada para suprimir? Porra, isso importa? Desejo é química. E em uma classe de bioquímica, em que eu estudei uma vez, ensinaram-nos que toda a química é apenas eletricidade. Somos todos apenas sacos de átomos carregados andando por aí a encontrar-nos. Meus elétrons correram seriamente para os dele hoje à noite, no entanto. Partículas colidiram. Empurrando meus quadris para o colchão, quem me dera que eu pudesse sentir isso novamente, a sensação de seu corpo. O arranhão de suas mãos ásperas no meu antebraço. Não sei por que eu quero isso. Não sei se o desejo desaparecerá como um efeito chuva desta noite. Mas mesmo neste momento, ele está aqui. E é real. Agora a noite parece interminável. E amanhã será uma eternidade inábil. Sim.


Nem consigo imaginar o que Wes está pensando agora. Ele queria me sentir. Mas ele parou porque estragaria a nossa amizade. Esse homem que transa com estranhos encontrados a partir de um aplicativo de celular. Eu ainda estou mentindo aqui, com a cara em meu travesseiro, quando a chave dele finalmente se move na nossa tranca. Eu congelo, claro. Ele anda na ponta dos pés para dentro. Ouvi o baque das suas botas batendo no chão e o farfalhar macio de sua roupa saindo. Meu pau endurece contra o colchão. Eu estou realmente duro, e tudo que ele fez foi entrar e se despir. Interessante. Os lençóis farfalham quando ele deita na cama. E depois há o silêncio. Um minuto se passa e, em seguida, dois. Eu não estou dormindo, e ele provavelmente pode dizer isso. O que significa que somos como dois adolescentes, após uma briga em uma festa do pijama, ignorando um ao outro. Eu dou mole para enfrentá-lo. "Se você está tentando me evitar, você pode dar mais 17 voltas em torno da cidade. Eu ainda estou acordado." Wes suspira. "Como você se sente?" "Com tesão". Ele inspira. "É a cerveja falando. Você sabe que sempre se é gay quando você está bêbado?" Quando ouço a palavra "gay", eu quase argumento. Mas isso não é realmente o ponto. "Eu não estou bêbado, Wes." O que eu estou é muito, muito curioso. Wes acha que ele me fez um favor hoje por nos impedir de avançar, mas agora eu tenho essa questão gigante dentro de mim, e eu não acho que isso vá desaparecer de manhã. Mas ela vai fazer as


coisas serem estranhas. Eu estarei assistindo-o no espelho enquanto nós dois fazemos a barba, imaginando o que teria sido, e como teria sido. Querendo saber se isso é algo em que eu realmente poderia entrar, ou apenas um momento estranho de casualidade. "Não quero foder com a sua cabeça," ele sussurra. "Quem me dera que eu já não tivesse feito isso." Mas não é a minha cabeça que precisa ser fodida. "Vem cá," eu digo. "Por favor". "De jeito nenhum," ele responde. "Eu posso fazer você gozar". Ele ri. "Você fumou maconha enquanto eu estava fora, Canning?" Eu rio, também, e é um alívio. Porque isso significa que ainda não estraguei tudo. Começando a retirar o lençol, coloco a mão no meu pau. E ele para de rir.


16 Fode-me. Eu sou um cara forte. Eu sou um cara durão. Mas não fui construído para suportar a visão de Jamie Canning acariciando-se. O pingo de luar brilhando através da abertura nas cortinas o mostra reclinado sobre as costas, joelhos longes um do outro, bem abertos. Seu corpo é perfeito, forte e inclina-se sobre a cama. A palma da mão está em concha sobre seu pau, as pontas dos dedos apenas escovam sua ponta. Ele toma uma respiração profunda e depois empurra-o lentamente, suas costas arqueando um pouco, seus quadris rolando alguns graus. E eu estou morrendo uma morte tranquila. Minha boca está na verdade cheia de água, e eu tenho que engolir duro. Ele está ali. Em dois passos eu poderia tê-lo na minha boca. É como se Jamie Canning tivesse olhado para minha mente imunda e extraído isso de minhas fantasias. Bem, a ponta do carretel, de qualquer forma. Ele não vira a cabeça para olhar para mim, porque ele não precisa. Nós dois sabemos onde se encontra a minha atenção. Ele apertou seu pau mais uma vez. Duas vezes. Em


seguida, ele abre sua mão, deixando os dedos descerem. Ele pega suas bolas, seu polegar roubando a pele delicada. Eu ouvi um suspiro quente e percebo que veio de mim. E então? Os sorrisos desse filho da puta. Isso me desperta, ao menos um pouco. "O que você está fazendo?" "Preciso mesmo gozar idiota. Você se importa?" Santa porra...! Arrependo-me do dia que eu lhe disse essas mesmas palavras. Eu tinha dezoito anos, e eu pensei que tinha sido tão suave. Mas eu estava apenas criando um movimento de dor séria para todos. E ainda está acontecendo. Há sangue batendo em meus ouvidos agora. E em outros lugares. Minha mão arrasta-se para baixo em minhas boxers sem a minha aprovação. Jamie está bombeando-se agora. Lentamente, para cima e para baixo. Ele faz uma pausa para esfregar o polegar sobre a cabeça, e minha garganta contrai. "Wes", diz ele, a voz dele é como cascalho. "Eu preciso de sua ajuda." É um milagre que eu seja capaz de responder com uma voz quase normal. "Parece que você está indo bem por conta própria." Foi quando ele, finalmente, vira sua cabeça para olhar para mim. Enquanto ele se esfrega, ele engole, e vejo seu pomo de Adão subir e descer. "Eu preciso saber". Saber o que? Eu quase perguntei. Mas ele está me estudando agora. Seus olhos estão à direita no meu peito e meu braço. Ele está vendo minha mão no meu short. E eu entendi. Ele quer saber por que ele está se sentindo assim, se é atração, a cerveja ou insanidade temporária.


No início da noite eu estava lhe dizendo a verdade quando eu disse que não queria ajudá-lo a fazer essa descoberta. Não sei se sobreviveria a isso. Isso é, claro, culpa minha. Fechamos os olhos. Suas pálpebras estão pesadas. Sempre quis outra chance de ver o rosto dele cheio de luxúria. Agora seus lábios partem sobre o movimento ascendente e isso é quase o suficiente para me fazer atravessar o quarto. Mas ainda hesito, e não porque tenho medo que ele vá se arrepender amanhã. É porque eu sei que vou. "Por favor", diz ele. Essa palavra é suficiente para me tirar da minha cama. Eu estou aqui no centro do nosso quarto agora, mãos na cintura das cuecas. Eu arranco-as e deixo-as cair no chão. E agora ele está olhando para o meu pau, apreciando-o. "O que você quer?" Pergunto-lhe. E eu preciso dele para ser mais específico. Este é um jogo muito perigoso que estamos jogando. Provavelmente vai acabar em desastre. Mas se há alguma maneira que eu possa evitar isso, eu vou. Ele move-se mais na cama, abrindo espaço para mim. Então ele me chama. E lá vou eu. Não há dinheiro suficiente, fama ou fortuna no mundo para me impedir de obedecer. Estou na cama, um segundo depois. Os braços dele vêm até mim, puxando-me. Estamos lado a lado, peito a peito. E Jamie Canning está me beijando novamente. Ele não tem gosto de cerveja mais, mas da pasta de dentes. Não há nenhuma maneira que qualquer um de nós possa culpar o álcool por isso amanhã. Sua língua está na


minha boca e eu assumi trações gananciosas, amando cada segundo. As partes inferiores de nossos corpos moem juntas, e ele deixa escapar um gemido suave, balançando-se mais forte contra mim. Seu pau desliza sobre minha barriga, indo para cima com meu próprio eixo dolorido. Aquele pedaço de fricção traz estrelas aos meus olhos. "Foda-se," Eu sufoco. Os olhos dele se abrem, procurando meu rosto, quando a língua dele sai e lambe seu lábio inferior. "Se você parar agora, eu vou chutar seu traseiro." Parar? Isso é uma palavra? O que ela significa? Provavelmente o oposto do que eu estou fazendo quando deslizo minha mão entre nossos corpos e seguro ambos os nossos paus na minha mão. A coluna do Jamie arqueia em outro gemido rouco. "Oh, merda. Isso é bom." Eu fodo-nos lentamente, apertando a cada movimento ascendente. Sua boca encontra a minha novamente. Sua barba por fazer raspa minha bochecha quando ele vira a cabeça para aprofundar o beijo. Essa língua mágica passa entre meus lábios novamente, com fome e ansiosa. Não acredito que estamos fazendo isso. Não acredito que ele me deixou fazer isso. Estamos ambos vazando, tornando muito fácil para meu punho deslizar sobre nossos paus duros. Minhas bolas estão pesadas, formigando com a necessidade de liberação. E em mais alguns traços, provavelmente vou explodir, mas Jamie não deixa que isso aconteça.


Ele foge de meu aperto e se levanta, plantando as palmas das mãos no meu peito para me empurrar para trás. Meu pau se ergue e estapeia meu umbigo, e ele geme com a visão disso, antes de envolver os dedos em torno do meu eixo. "Eu posso..." Sua voz sai com pressa. "Eu Posso te chupar?" Santa mãe de Deus. Estou preso em algum tipo de sonho febril. Tenho que estar, porque não há outra explicação para o meu melhor amigo estar se oferecendo para colocar a boca no meu pau. Achei que esta sessão exploratória de eu-preciso-saberse-eu-como-caras envolveria eu fazendo todo o trabalho, devastando-o como eu sempre sonhei em fazer. Mas há uma coisa sobre Jamie Canning? Ele é cheio de surpresas. Toda vez que usou isso para aceitar um dos meus desafios loucos, minhas sobrancelhas se erguiam, minha mente era incapaz de compreender como este menino tímido da Califórnia, que sempre seguiu as regras podia estar tão disposto a me acompanhar aos buracos de coelho em que eu estava levando-o sempre. Eu não estou levando-o a nada esta noite, no entanto. Isto é tudo por conta de Jamie. São os dedos de Jamie roubando meu pau inchado e duro. A respiração de Jamie está quente na ponta do meu pau quando ele desliza para baixo e leva cada polegada de mim para dentro de sua boca. "Você já..." Eu engulo passando o cascalho na minha garganta. "Fez isso antes?" "Não." Seus lábios estão hesitantes enquanto eles passam na cabeça do meu pau. "Eu poderia chupar." Uma risada me sufoca. "A sucção é o tipo do ponto nisso".


Ele levanta sua cabeça, e pisca seus olhos castanhos. "Eu poderia ser ruim nisso", ele corrige. "Você não vai ser". Porque não há nenhuma maneira que ele possa ser ruim. Estou muito perto de chegar já, só de estar na mesma cama que ele. Ele não precisa de habilidade — ele só precisa estar aqui. Oh. Aqui. Comigo. Quase perco a cabeça quando a língua dele me toca. Cada polegada de mim está quente, apertado, picando-me com a necessidade. Ele lambe um círculo lento em torno de minha ponta e, em seguida, beija o seu caminho ao longo do meu eixo. Ele está beijando meu pau, eu vejo uma luz, ele abre boca e suas carícias explodem minha cabeça. Puta merda. Jamie Canning é um provocador. Quem diria? "Você está tentando me deixar louco?" Eu rosno depois que ele beija outro caminho até meu pau. Sua risada vibra através de mim. "Está funcionando?" "Sim". Eu deslizo as mãos pelo seu cabelo, segurando a cabeça dele. "O que acha? Desfrutando o gosto de seu primeiro cara?" Ele ri mais alto agora, ombros largos, tremendo enquanto se agacha entre as minhas coxas. "Estou." A língua dele me encontra novamente, fazendo cócegas na parte inferior do meu eixo. "É diferente". Ele fecha a mão ao redor da minha base e fecha a boca em torno da cabeça, dando uma chupada lenta, decadente. "Estou sim." Ele suga, me levando mais profundo neste momento, meu pau pulsa incontrolavelmente. Ele deve sentir isso em sua língua porque ele geme alto, desesperadamente. Ele


levanta a cabeça, sua expressão é nebulosa com luxúria, nublada com confusão. Alegria surge através de mim. E apreensão, porque não sei o que fazer com sua perplexidade. Asseguro-lhe que isso não é grande coisa? É perfeitamente legal para quem é hétero amar chupar outro homem? Mas ele não me dá a chance de dizer nada. Ele só mergulha a cabeça e sua boca quente, molhada rodeia-me novamente. Meus quadris se erguem no colchão, há pura luxúria escaldante no meu pau e em minhas bolas enquanto meu melhor amigo me chupa. Eu mantenho uma mão presa no seu cabelo. A outra agarrada no lençol, ajuntando-o apertado entre meus dedos. Meu coração está acelerado. E tudo o que eu posso ouvir é um um-tum-tum frenético chacoalhando minhas costelas. Jamie está fazendo isso e esses sons que parecem molhados. Gemo um rosnado profundo quando ele me leva quase até a parte de trás da sua garganta. Jesus Cristo. Este homem está destruindo-me. Estou exausto. "Vou gozar," eu deixo escapar para fora. O clímax se apodera das minhas bolas e atira-se ao meu eixo, jatos quentes jorrando fora do meu pau, assim quando a boca de Jamie me libera. Ele acaricia-me através do meu gozo, sua respiração pesada e olhos brilhando enquanto ele assiste minha porra se espalhar pelo meu abdômen, meu peito. Não consigo respirar. Eu estou ofegante, tremendo, uma bagunça, e ele só fica assistindo. E então o filho da puta faz novamente, ele sorri. Ele sorri


enquanto abaixa a cabeça e lambe uma gota perolada em meu estômago. "Isso foi tão quente", ele diz. Quente? Tente abrasador. Borbulhante. Um maldito inferno. Eu não sou capaz de fazer nada, apenas fico deitado como um saco de batatas. Lutando para respirar. Piscando como uma coruja enquanto eu assisto o homem mais bonito pegar minha camisa descartada do chão e me limpar. Uma vez que ele fez isso, ele joga fora a camisa e se abaixa para beijar minha clavícula. E então meu ombro. E meu outro ombro. Ele continua beijando minha carne febril, lambendo, mordiscando, e eu o deixo explorar, oferecendo-me mesmo como cobaia sexual dele. Ele está provando cada polegada de mim, sua boca movendo provisoriamente sobre as ondas do meu tórax, meus quadris, meu peitoral. Eu gemo quando ele lambe um dos meus mamilos, e ele se exibe para mim, seus lábios curvam-se. "Você gosta?" Administro um aceno. Ele faz isso de novo, desta vez fechando os lábios em torno da pequena protuberância e chupando-a. Posso sentir sua ereção contra minha coxa, deixando manchas de umidade contra minha pele. Com um suspiro, eu abaixo-me para toca-lo, e agora eu estou sorrindo, porque sua língua congela no meu mamilo quando seu corpo inteiro treme. Ele pulsa na minha mão, e é todo o convite que eu preciso. "De costas", eu sussurro. Jamie rola tão rápido que me faz rir. Ele descansa os braços atrás da cabeça, uma sobrancelha engatilhada


enquanto ele cutuca seus quadris para cima, me provocando descaradamente com seu pau perfeito. "Confie em mim, eu ainda tenho algo para você," sussurro enquanto minha boca desce em direção a seu pau. E eu vou provar para ele. Mostrar-lhe o quanto eu amo isso, porque eu, certo como a merda, não posso dizer-lhe. Eu respiro. Sua ereção está a milímetros de distância e é minha. Hoje, ele é meu... Eu seguro seu eixo e dou-lhe um leve apertão. Ele estremece em resposta, observando-me. À espera. Eu lambo os meus lábios, abaixo-me e passo a língua sobre o pequeno corte na sua ponta. Ele provocou-me antes, e agora é hora de dar o troco. Eu vou adorar cada polegada do pau de Jamie Canning. Eu atormento-o com a minha língua, até que ele nunca se esqueça de quando minha boca esteve no pau dele, trazendo-lhe prazer. Eu vou para Jamie e ele goza no segundo em que meus lábios se embrulham em torno dele. Sim, porra! Ele goza, e eu não sei se eu rio ou gemo quando ele começa a tremer com seu lançamento. No final, eu nem suguei-o todo o caminho até a base, puxando um grito estrangulado de seus lábios enquanto eu engulo as gotas salgadas que atiram na minha garganta. Quando ele finalmente termina, ainda assim, eu levanto minha cabeça com um suspiro. "Realmente, cara? Isso foi cerca de dois segundos. Você tem o vigor de um pré-adolescente." Seus ombros tremem enquanto ele rola em seu lado em histeria. "Eu acho que você ainda tem culpa nisso", ele sufoca entre risos. Subindo o colchão, eu alivio atrás dele, puxo seu corpo grande para mim.


Ele endurece por um segundo, em seguida, relaxa, sua bunda tensa aninhada contra a minha virilha, costas rentes ao meu peito. Eu envolvo um braço em volta de sua cintura. Se eu for honesto, eu queria isso tanto quanto o boquete, o direito de apenas tocá-lo. Para apoiar-me nele, pele com pele. Mas ele provavelmente.

está

silencioso.

Muito

silencioso,

"Jamie," eu murmuro em seu ouvido, antes de plantar um beijo em seu ombro. "Você vai pirar agora?" A pausa antes de falar me corta ao meio. "Você quer que eu pire?" Há humor em sua voz. "Não." É a minha vez de fazer uma pausa. "Você quer que eu volte para a minha cama?" Ele se aconchega ainda mais perto, aninhando-se ao meu corpo como um cobertor quente. "Não." Ele suspira de contentamento. "Boa noite, Wes." Um nódulo sobe na minha garganta. "Noite, Canning."


17 Wes não está ao meu lado quando eu abro meus olhos na manhã seguinte. Eu rolo e estudo o quarto. Sua cama está vazia. Parece que ele nem dormiu aqui, e eu não me lembro dele saindo da minha cama durante a noite. O que eu me lembro é de acordar às seis da manhã para encontrar o braço de Wes enrolado em torno de mim. Então eu tinha caído no sono, então ele deve ter me deixado em algum momento depois disso. Provavelmente isso me faz um idiota, mas estou aliviado. Eu não tenho certeza do que eu teria dito se eu acordasse para nos encontrarmos aconchegados. De acordo com o despertador na mesinha de cabeceira, são quase 11:30. O refeitório para de servir café da manhã às onze. Eu tinha dormido direto, mas tudo bem. É o nosso dia de folga, então eu não estou necessariamente na pista. Por outro lado, é o nosso dia de folga. Isso significa horas e horas de tempo livre. Tempo esse que provavelmente estarei gastando com Wes. Com quem me juntei noite passada. Eu não sinto nada diferente, porém. Eu brinquei com um cara ontem, não deveria me sentir diferente?


Sentir-se gay, você quer dizer? Uma risada prende na minha garganta. Quem se sente gay? E dane-se, eu estou perplexo ao descobrir que estou de pau duro, e é mais do que apenas um caso de ereção matinal. É pau-Wes, um resultado de pensar sobre nós dois brincando. Eu ... eu acho que eu poderia querer fazer isso novamente. E quão fodido é isso? Eu tinha sido totalmente preparado para ver a noite passada como um experimento de química. Um teste. Eu não esperava gabaritar a maldita coisa. A porta se abre de repente e Wes marcha para dentro, com o rosto vermelho e respirando com dificuldade. Ele está no seu modo corrida, a frente de sua camisa sem mangas encharcada de suor. Ele a arranca fora de seu peito musculoso e lança-a de lado. "Está um puta calor lá fora", ele murmura sem olhar para o meu caminho. Ah Merda. Ele está se tornando um pouco estranho. Ele não pode ao menos me olhar nos olhos. "Por que você não me acordou?" Pergunto. "Eu teria ido correr com você." Ele dá de ombros. "Pensei em deixá-lo dormir." Ele arranca os sapatos e as meias, em seguida, retira seu short. Agora ele está nu. E estou ainda mais duro. Ele ainda está desviando o olhar, então ele não tem ideia de que estou admirando seus músculos magros e esculpidos e a tinta preta envolta em torno de seus bíceps pesados. Sei que esta é a primeira vez que o vi nu na luz do


dia, e sua pele brilha na luz do sol que espreita através das cortinas. Ele é todo músculo. Todo homem. E todas aquelas perguntas que perguntei a mim mesmo na última noite - eu estou realmente atraído por ele? Eu gostaria que nós ficássemos juntos? Eu estou totalmente louco? Eu sei as respostas para elas agora. Sim, sim, e talvez. Mas eu não esperava acordar com mais perguntas. Eu deslizo para fora da cama e percebo que ele está fazendo um esforço ainda maior para não olhar para mim agora. Por que... sim, eu estou nu também. Nós tínhamos adormecido nus. Nos braços um do outro. Ele fica de costas para mim enquanto ele segue até a cômoda. "Wes", digo em voz baixa. Ele não reage. Ele pega um par de shorts azuis de ginástica da gaveta de cima e puxa-os para seus quadris. "Wes". Seus ombros estão tensos. Muito lentamente, ele se vira, e seus olhos cinzentos se concentram no meu rosto. Há uma pergunta cintilante e silenciosa lá - e agora? Foda-se se eu sei. O que eu sei? Não estou preparado para ter essa conversa agora. Não até que lhe dê algum pensamento e descubra o que eu quero com isso. Dele. Então eu coloco um tom descuidado e pergunto: "O que vamos fazer hoje?" Ele está em silêncio por uma batida. Posso dizer que ele esperava que eu fosse todo mulherzinha e exigisse falar sobre


ontem à noite. Também posso dizer que ele está aliviado por eu decidir escolher a rota tipo cara e ignorar isso. Seus lábios se curvam ligeiramente. "Bem, nós precisamos obter um pouco de comida pra você e, em seguida, caminhar até o campo de futebol. As crianças já voltaram da pesca, porque nada estava mordendo exceto os mosquitos. Então Pat organizou um jogo." E assim, nós estamos bem novamente. Claro, estamos fingindo que não chupamos a merda fora um do outro na noite passada, mas por agora, estou feliz em fingir. Eu não estou pronto para lidar com isso ainda. Eu enrugo a testa. "Para as crianças?" "Não, para os treinadores. Mas um grupo de meninos já está lá fazendo apostas sobre qual equipe vai ganhar". "Há equipes já?" Quanto tempo eu dormi? Wes sorri novamente. "Pat esta chamando isso de rapazes contra homens. Ele e os treinadores mais velhos contra nós 'jovens'.” "Que doce." Eu não sou um entusiasta do futebol, mas qualquer tipo de concorrência puxa a minha adrenalina. "PS: os perdedores tem que cantar uma canção para os campistas no refeitório hoje à noite", Wes diz. Eu estreito meus olhos. "Qual musica?" "A escolha será dos vencedores." Ele graceja. "Só por curiosidade, quem surgiu com estas apostas?" Meu melhor amigo pisca com a maior inocência. Isso foi o que eu pensei. "Você sabe, se perdermos, Pat vai fazer-nos cantar Mariah Carey ou algo assim", eu resmungo enquanto eu olho para o meu short.


"É por isso que nós não vamos perder", ele diz alegremente. Nós paramos na padaria da cidade para que eu possa tomar um café e pegar algo para comer, e eu devoro dois bolos de banana enquanto caminhamos para o campo de futebol. É mais um dia lindo e os turistas estão em massa pelas ruas movimentadas, pela calçada e enchendo os pátios ao ar livre que passamos no nosso caminho. Duas meninas param em seus caminhos quando Wes e eu passamos. Elas estão em seus primeiros vinte anos, duas loiras, incrivelmente atraentes. Uma menina está vestindo um top que é tão decotado que os seios dela estão praticamente pendurados para fora dele, e uma faísca de calor inflama minha virilha. Merda. Essa tortura é espetacular. Wes pisca para elas e continua andando. Eu combino seus passos, tentando não olhar por cima do ombro para ver se as meninas estão nos observando. Ok, apenas uma espiada. Eu tapo meu queixo de volta para um olhar rápido, que faz com que uma das meninas cutuque sua amiga. Whoops. "Vê algo de que gosta?" Wes pergunta. Sinto-me desconfortável de um jeito que não teria sentido há vinte e quatro horas atrás. "Só pensando sobre as coisas", eu murmuro. "Eu aposto que sim." Sua voz é baixa. Nós não falamos mais, porque eu não preciso envolver Wes na minha confusão. Mas eu tenho certeza que meu pau é um jogador de igualdade de oportunidades. Porque eu amo


as mulheres. Eu amo o quão macias elas são e a forma como elas cheiram e como eu as sinto em meus braços. Eu amo fode-las e ir para baixo nelas, e eu nunca estou fingindo. Ontem à noite, eu não estava fingindo, também. E agora eu não tenho ideia do que isso significa. Wes me cutuca, em seguida, aponta para uma placa de rua que estamos passando. Cummings Road. "Como se essa piada nunca fosse feita antes. Agora quem é o pré-adolescente?" Ele endurece por um instante, como se ele não me esperasse para fazer uma referência a noite passada. Então ele bufa. "Vamos jogar um pouco de futebol, Canning." De fato. Em primeiro lugar, Pat reúne todos ao seu redor. Você não pode pedir a um monte de atletas altamente competitivos para jogar um jogo amigável de futebol sem estabelecer algumas regras primeiro. Haverá dois períodos de vinte minutos. E será que as regras oficiais contam? Sim, vão contar. Combate é corporal legal? Não. "Porque eu vou matar qualquer pessoa que se ferir," Pat acrescenta. Bom saber. Estamos jogando de cinco em cinco, e eu estou no gol, claro. Eu posso ver Kilfeather ao lado, observando-me com um sorriso no rosto. Ele não é um garoto mau quando ele se esquece de ser saliente. Eu não sou forçado a jogar, tampouco. Estou entediado até às lágrimas, porque Wes e os outros caras estão dandolhes o inferno na outra extremidade do campo. Estamos 1-0 no momento em que eu tenho que fazer a minha primeira defesa. A rede de futebol é muito maior do que uma de


hóquei, poupando-me assim, a rede parece mais casual. Mas eu paro o chute de Pat em minhas mãos e meu time aplaude. Eu jogo a bola para baixo na linha, faço um retorno e chuto para baixo no campo. Antes que o passe atinja Wes, ele me dá um pequeno sorriso, então intercepta a bola com o peito. Ela cai no chão entre as suas pernas musculosas e, em seguida, ele está correndo, controlando a bola, beleza masculina em movimento. De repente, eu estou pensando sobre sexo outra vez. No meio de um jogo. Isso nunca aconteceu antes. A próxima vez que a bola ameaça a nossa meta, as coisas não vão tão bem. Nossa defesa cai por terra quando Pat é capaz de deter meu companheiro de equipe Georgie, deixando o treinador sênior sem guarda. O velho dispara imediatamente uma bola voando diretamente para mim. Eu salto, mas a bola navega passando meu polegar e no canto da rede. Wes faz um barulho, e eu posso ver que ele está prestes a brigar com Georgie por nos deixar em aberto. Enquanto isso, Kilfeather e o resto estão assistindo. Vou até Wes e coloco uma mão em seu ombro. "Ei," eu disse, segurando a minha mão aberta para ele. "Nós vamos pegar o próximo." Wes pensa rápido, por isso não é nenhuma surpresa para mim que ele a pegue. Ele cheira a minha mão. "Sim, cara." E então? Ele chega por trás de mim e dá um aperto rápido na minha bunda. Santo inferno...! Eu não posso ajudar que meus olhos dardejem ao redor, verificando o rosto de todos para procurar uma reação. Mas não há, porque ninguém viu. E mesmo se


tivessem, é um movimento de Wes que ninguém pensaria duas vezes sobre ele. Mas eu faço. Porque mesmo se eu não estou surtando sobre o que fizemos na noite passada, eu não quero que ninguém mais saiba. Se Wes fosse uma menina, eu não me importaria, porém. E por que, exatamente? A minha consciência se pergunta. É uma boa pergunta, e não uma que eu estou preparado para responder. E de qualquer maneira, há mais de dez minutos de futebol para jogar. Nós prendemos em 1-1 e há apenas dois minutos restantes. Em seguida, Wes tem sorte com o canto de Georgie, dirigindo a bola para o topo da rede. E nós vencemos. Eu colapso na grama e grito por Killfeather para me trazer uma garrafa de água. Ele faz, mas ele derrama um pouco dela no meu rosto antes de me entregar o resto. "Você é um filho da mãe," eu reclamo, e ele ri. A caminhada para casa leva mais tempo do que deveria, porque os treinadores estão suados e cansados. "Então, com quem você divide o quarto?" Pergunto a Kilfeather. "Oh, com Davies." "Realmente? Como isso funciona? " "Está tudo bem", diz ele. "Ele não é ruim quando não está no gelo." Eu arquivo isso para pensar mais tarde. E eu deixo meus olhos permanecem em Wes. Seu andar é tão familiar para mim. A maneira como ele carrega seus ombros não mudou nos nove anos que o conheço. A forma como sua


bunda aperta com cada passo é tão familiar quanto a minha própria mão. Há uma sensação de calor na minha barriga quando eu olho para ele. E não é apenas sexual. É ... confortável. Quando estamos perto, mesmo quando ele está a vinte jardas adiante. Eu uso uma consciência dele como uma segunda pele. Ok, isso soa um pouco assustador. Um pouco Silêncio dos Inocentes demais. Calor do sol e confusão sexual tem se alojado na minha cabeça. Pouco antes que ele chegue ao dormitório, vejo Wes atender ao telefone. E quando eu chego ao nosso quarto a menos de um minuto atrás dele, ele está franzindo a testa para fora da janela enquanto fala. "E se eu não quiser fazer uma entrevista?" Ele pergunta. Seu tom é de forma imprudente beligerante, como se ele estivesse falando com um Relações Públicas. Cuidado, eu me sinto dizendo. "Esta não é uma boa ideia. Fazer isso apenas para eu mentir?" Há uma pausa na extremidade oeste. Ele arranca os sapatos com mais força do que o necessário, e eles voam com uma conversão irritada na mesa que nunca usamos. "Pai, se eu lhes disser que há uma namorada, eles vão perguntar o nome dela. E então o que você quer que eu diga?" Ah... A conversa faz mais sentido agora. Wes nunca se deu bem com o pai. Cada telefonema sempre havia terminado com Wes com o rosto vermelho e irritado. A única vez que eu conheci Sr. Wesley, eu encontrei-o para ser terrivelmente arrogante e exigente para alguém que senta em uma mesa todos os dias.


O fato de que o Sr. Wesley não está feliz sobre a sexualidade do seu filho não é nenhuma surpresa para mim em tudo. Na minha frente, Wes encolhe os ombros. Sem pensar muito sobre isso, eu passo a frente e coloco as duas mãos lá, apertando o músculo entre o pescoço e os ombros. Eu cavo meus polegares em seus trapézios e empurro. No começo, ele fica rígido. Em seguida, ele faz um esforço para relaxar. E quando ele me lança um olhar por cima do ombro, ele está grato. "Eu tenho que ir," Wes está dizendo, sua voz ainda soa mal-humorada. "Eu vou pensar sobre isso. Mas não se atreva a programar nada sem minha permissão." Ele termina a chamada e deixa cair o telefone sobre a mesa. Em seguida, ele deixa cair a cabeça e se inclina para o meu toque. "Obrigado, cara", diz ele rispidamente. "O que ele quer de você?" Eu trabalho minhas mãos para cima na parte de trás do seu pescoço. Eu teria tocado nele desta forma ontem? Talvez? Provavelmente não. Mas não é sexual. Ele se sente bem em minhas mãos, apesar de tudo. Quente e vivo. Wes geme. "Ele tem um amigo na Sports Illustrated. Você o conhece, ele tem um amigo em todos os lugares. Meu pai saiu do ventre de sua mâe com cartões em suas mãos. Ele está convencido de que o cara deve me entrevistar sobre a minha temporada de estreia. Tipo: seguindo os altos e baixos". Estou horrorizado. "Isso é uma péssima ideia." Em primeiro lugar, temporadas de estreias são extremamente imprevisíveis. Wes poderia acabar com um arranhão saudável por duas dúzias de jogos antes de repentinamente vir toneladas de jogos. E quem quer a pressão de falar com


um repórter todo o maldito tempo? "Você não quer ser o estreante na equipe com um repórter o seguindo todo o dia de merda." Wes suspira, suas costas subindo e descendo sob minhas mãos. "Você acha?" Eu sinto uma onda de ... alguma coisa por ele. Solidariedade. Afeto. Talvez não precise de um título. Mas eu desejo que seu pai não se intrometa. "O que você vai fazer?" "Mentir", diz ele, seu tom plano. "Vou dizer a ele que falei com a equipe de RP dos Panthers, e eles vetaram a ideia." "Será que ele vai acreditar em você?" "Será que isso importa?" "Sim", eu digo em voz baixa. "Porque você não quer irritar a Sports Illustrated antes que você mesmo afie seus patins em Toronto." Wes faz um som frustrado enquanto trabalho minhas mãos para baixo em sua coluna vertebral. "A porra do meu pai, meteu o nariz onde não foi chamado novamente. Ele acha que está ajudando também. Ele quer que seu amigo escreva alguma história do tipo garoto Americano. A porra da torta de maça e tudo isso. Como que se isso se tornasse realidade se fosse impresso em uma revista. " Wes gira de repente, interrompendo a massagem assassina que eu estava lhe dando. Estou estranhamente desapontado. Eu apreciei ter minhas mãos nele. Eu sei que ele gostou muito, mas sua expressão está fechada de novo, exatamente como esta manhã. Abro a boca. Fecho-a. Não, eu ainda não estou pronto para ter essa conversa.


Nem ele, aparentemente. "Vamos almoçar", ele sugere. Hesito, em seguida, balanço a cabeça. "Vá em frente. Acho que vou tirar um cochilo, um pouco. Eu estou ... cansado depois do jogo ". É uma desculpa esfarrapada estúpida, e eu sei que ele vê através de mim. Mas ele apenas balança a cabeça. "Sim. Claro. Eu vou ver você mais tarde." Um momento depois, ele se foi.


18 Eu acabo não pegando o almoço. Em vez disso, eu ando por aí sem rumo por quase uma hora, em seguida, planto minha bunda em um banco do parque e começo a observar algumas pessoas. Canning está pirando. Eu não preciso ser um leitor de mentes para saber disso. Mas porra, eu gostaria de poder ler sua mente. Eu quero saber o quão mal eu estraguei a nossa amizade novamente. Ou não tinha? Eu nem sei porra. Uma parte de mim assume que sim, eu o perdi novamente. Mas outra parte continua dizendo, cara, ele apenas deu-lhe uma MASSAGEM. Isso significa que nós ainda somos amigos, certo? Exceto que... amigos realmente não se esfregam de volta? A única vez que eu tive uma torção no meu pescoço e pedi a Cassel para massageá-lo para mim, ele quase estourou seu intestino rindo. E por falar em Cassel, há duas mensagens de texto dele no meu celular, as duas do início da semana. Eu estive muito ocupado recostando-me na rotina de Lake Placid para lhe responder.


Digito uma resposta rápida: O acampamento está bom. Há alguns talentos reais aqui. Como está sua irmã? Fazendo amigos com quaisquer lagostas? Eu rio de mim mesmo. Cassel passa o verão com sua irmã mais velha no Maine, servindo mesas no seu restaurante de frutos do mar. Ele responde mais rápido do que eu esperava: Todos bem aqui. A mana diz oi. Há uma longa demora, e em seguida, uma segunda mensagem aparece: Terminei com Em. Sentado lá no banco, eu soltou um grito de alegria. Já era tempo porra. Isso é muito importante para conversar por textos, então eu puxo o seu número e ligo. Ele responde ao segundo toque, sua voz familiar corre em meu ouvido. "Simm". "Então, como ela levou isso?" Eu exijo. "Como esperado." "Se assustou e bateu em você, você quer dizer?" Um suspiro ecoa na linha. "Bastante. Ela me acusou de estar amarrando-a ao longo de quatro anos. Lembrei-lhe que estávamos saindo apenas por um, e então ela me chamou de retardado fodido, insensível e saiu." "Merda. Desculpe-me, cara. Você está bem?" "Oh sim. Nunca percebi o quão altas eram as expectativas daquela garota até eu definir sua liberdade. Estou apenas curtindo minha liberdade agora, tendo uma página da cartilha Ryan Wesley e estragando qualquer coisa que ande ". "No próximo ano essa não será a minha cartilha".


Ele está em silêncio por um segundo. "Você vai tentar manter suas atividades extracurriculares no armário?" "Eu acho que tenho que mantê-lo fechado acima em seu lugar. Um novato não pode pagar rumores. Na escola ... Isso foi apenas diferente. As apostas eram mais baixas. " "Sim. solitário."

Eu

acho.

Desculpe-me,

cara.

Isso

parece

Tento rir. "Parece quente." "Você devia ter mais algum divertimento neste verão, antes que você fique famoso e todas essas merdas." Cassel ri de seu próprio humor. "Vou pegar direto sobre isso." "Como é o cenário de captação em Lake Placid? Não consigo imaginar se há um bar gay aí. Você vai ter que transformar um atleta ou dois." Meu estômago trepida. Se eu não tivesse já tentado isso. "É melhor eu ir", eu digo. Porque eu realmente não estou apto para essa conversa hoje. "Bom falar com você, cara." "Fique forte e ve se me liga" Advirto. "Não se preocupe." Ele suspira. "Eu vou."


19 Eu olho para a porta pela centésima vez em dez minutos. Apenas, você sabe, para ter certeza de que gremlins pequenos não rastejem para fora de alguma ventilação de ar e desbloqueie-a. Mas não, ainda bloqueada. Parece que eu estou fazendo algo errado. Como se eu mergulhasse a mão no pote de biscoitos enquanto minha mãe vira as costas para mim. Mas talvez eu esteja sendo muito duro comigo mesmo. Não há nada de errado em olhar pornografia. Eu sou um homem de vinte e dois anos de idade de sangue vermelho. Eu não sou virgem. Eu não sou um puritano. Apenas um cara tentando descobrir o que seus desejos são. Suspirando, eu me inclino para trás contra os travesseiros, meu laptop posicionado em minhas coxas quando eu percorro as miniaturas na tela. Eu passo o mouse sobre uma das imagens, o que mostra uma prévia do que eu posso esperar. Tudo certo. Parece bom. Eu clico sobre o título: Atletas quentes chupam e fodem. Eu mencionei que eu estou navegando em pornô gay? Sim, eu sou um mentiroso imundo. Eu disse a Wes que eu ia tirar uma soneca, e olhe para mim agora.


Uma respiração estremece fora do meu peito enquanto o vídeo carrega. É um clipe curto, e ele começa ejaculando no meio de uma cena de qualquer filme do site. Eu tenho o som baixo, mas eu posso ouvir cada palavra alta e clara. Bem, apenas um dos caras está falando. O outro cara só é capaz de dar chupadas molhadas e gemidos profundos conforme engole o pinto do primeiro cara. "Foda sim... oh foda siim... chupa esse pau grande..." Ok, isso é apenas extravagante. Eu rio conforme imagino-me ordenando para Wes: "chupa esse pau grande". Próximo clipe. Este não está fazendo isso por mim. Eu clico em algo rotulado: Foda na beira da piscina. Parece promissor. Eu gosto de piscinas e eu gosto de foder. Não pode dar errado isso, certo? "Você gosta desse pau grande no seu buraco, menino? É isso aí, menino, tome isso" Eu pressiono a tecla para Parar. Não. Apenas não. Eu clico na minha próxima seleção. Dois caras muito atraentes estão dando uns malhos em uma cama, roçando seus paus duros juntos. Meu pau diz: Olá. Interessante. Há algo sobre o aperto que eles têm um sobre o outro que me excita. Não é gentil. Há uma fome, posse enérgica ao seu beijo que eu aprecio. Que meu pau aprecia. Merda, como aprecia, sério. Eu estou duro agora, meu olhar fixo na tela enquanto vejo um cara beijar seu caminho para baixo no estômago do outro. Quando a boca engole a ereção de seu parceiro, um choque de calor dispara por minha espinha.


Sugando uma respiração, eu estendo a mão e agarro meu pau dolorido. Oh foda, se sente tão bem. Eu continuo assistindo. Me mantenho acariciando-me. E a confusão toda é que eu não estou substituindo até mesmo mentalmente o rosto do cara com Wes. Isso tinha sido uma das razões para esta pequena experiência, para descobrir se é apenas Wes que me excita, ou caras em geral. O cara que recebe o boquete libera um gemido rouco. O som masculino dele faz algo para mim. Seu parceiro suga-o mais forte. Estou literalmente cinco segundos longe de gozar. Calma, eu peço ao meu pau. Nós estamos apenas começando. Mas o pequeno goleiro tem uma mente própria. Ele não vai parar de latejar, então eu aperto o botão de avanço rápido para pular para o teste real. O anal. E puta merda, isso é uma batida grave. Eu estremeço com o som de carne batendo contra carne para fora dos altofalantes portáteis. Porra. Como é que o cara não está gritando de dor? Ele está gritando, embora. Bem, gemendo. E há grunhidos. Eles não tiveram cuidado com o outro, mas todo esse entusiasmo desajeitado parece divertido. Eu continuo olhando para o cara que está sendo fodido. Seus bíceps contraem-se enquanto ele goza em si mesmo, seus olhos se fecharam, com o pescoço esticado com prazer. E então ele está gozando, e eu não estou muito atrás. O computador cai do meu colo enquanto eu me derramo rápido, apertando minhas bolas com a outra mão. Eu suspiro para o ar, os olhos colados ao monitor, com a visão de dois homens fodendo. Minhas costas arqueiam quando meu pau


esguicha na minha mão, espalhando porra por todo o meu estômago. Santa ... merda. Leva quase um minuto inteiro para o meu batimento cardíaco regularizar. Uma vez que os meus membros não se sentem mais como macarrão espaguete, eu alcanço a caixa de lenços ao meu lado e me limpo. Então eu olho para o teto por um tempo. Eu não terminei, porém. Essa foi apenas a primeira parte do experimento. Eu pego o laptop novamente e clico em uma nova categoria. O bom e velho pornô lésbico. Estou muito gasto para gozar novamente, mas eu ainda clico em uma miniatura, que mostra duas morenas gostosas quentes emaranhadas juntas em um sofá branco. Eu suspendo meu short, uma mão apoiada na minha virilha enquanto eu resolvo apreciar a vista. E aprecio. Estou endurecendo novamente. O desejo não é tão forte quanto antes, mas isso é por causa do orgasmo que eu tive, não porque as meninas não estejam fazendo isso por mim. Elas estão. Grande momento. Suas curvas são suaves e suas bocetas bonitas e esses gemidos são doces. Eu me sinto atraído por mulheres, nenhuma dúvida sobre isso. Eu também aparentemente.

me

sinto

atraído

por

homens,

Maravilhoso! Companheiro complicado esse meu pau! Quando passos batem forte no corredor, eu fecho o laptop, quase arrancando meus dedos fora. Então eu enfio o computador de lado e me levanto, rapidamente jogando o lenço usado no lixo perto da cômoda.


Um segundo depois, ouço um barulho de chave na fechadura e Wes caminha através da porta. Ele me vê de pé no meio da sala, levanta uma sobrancelha, e diz: "Como foi à sesta?". Tenho a sensação de que ele sabe exatamente o que eu estava fazendo, mas eu simplesmente dou de ombros. "Apenas o que eu precisava. Como foi o almoço?" "Não almocei. Eu acabei andando por aí". "Você está com fome?" Eu pego minha camiseta do chão e coloco-a. "Porque eu estou." Quando minha cabeça aparece através do buraco no pescoço da camisa, acho que Wes me olha com cautela. "Você está bem, Canning?" "Sim." Eu ando até a porta, olhando-o por cima do meu ombro. "Então... o almoço?" Suas sobrancelhas arqueiam, chamando minha atenção para o piercing em sua sobrancelha esquerda. Toda essa vibração bad-boy me deixa meio que com ... tesão. "Wes?" Ele me estala fora de quaisquer pensamentos que acabara de lhe preocupar. "Uh, sim. Almoço soa bem." Eu deixo o quarto sem verificar se ele está me seguindo. Eu sei que ele está. Eu posso sentir seu olhar perplexo correndo por minhas costas. Depois da maneira como eu passei à tarde, eu tenho certeza que ele está longe de estar tão perplexo quanto eu estou.


20 Nós compramos burritos e comemos junto no lago. Depois disso, nós fomos para o sorvete em um dos muitos lugares na Main Street. Jamie quer falar sobre o treinamento, aparentemente. Então é o que fazemos. "Muitas dessas crianças ainda não entendem o ‘primeiro toque’”, ele teorizou. “Se houvesse uma coisa que eu poderia chamar de 'levar para casa', seria isso. Em um jogo de alto nível, você só tem uma chance com o diabo. Se eles perdem o reposicionamento, acabou-se." "Uh-huh." Mas cada vez que ele diz ‘primeiro toque’ minha mente está em um tipo totalmente diferente de tocar. Ele está falando muito com as mãos, e eu estou olhando firme em seus bíceps, e o cabelo loiro bem em seus braços, o que eu sei agora que é muito macio ao toque. Eu penso sobre a remoção de sua camiseta para beijar seu peito, e meu pau começa a crescer pesado. Vestindo esses shorts de nylon? Não é inteligente. E tesão nem sequer é o meu único problema. Na noite passada eu tinha perguntado a Jamie se ele estava pirando. Engraçado, agora eu passo um dia inteiro fazendo exatamente isso.


Esse cara está fodendo com a minha mente. Primeiro, ele age como se nada tivesse acontecido. Então ele me dispensa para que ele possa tirar um "cochilo." Mas de jeito nenhum que ele estava fazendo isso. Quer dizer, eu não nasci ontem. Quando voltei para o quarto e o vi de pé lá, meio culpado, era óbvio o que ele estava fazendo. O filho da puta tinha se masturbado. Eu teria ficado feliz em ajudá-lo com isso, mas é evidente que ele preferiu ir sozinho a me deixar tocá-lo novamente. Exceto... então, ele me checa. Mais uma vez, não nasci ontem. Eu vi o jeito que ele estava olhando para mim antes de sairmos. Jesus. Boa coisa ele não ser um guarda de trânsito, porque ele está enviando sinais mistos o suficiente para causar um engavetamento de dez carros. Eu tenho jogado com calma, mas por dentro eu estou arruinado. Porque uma vez não foi suficiente, e ainda assim eu não tenho ideia sobre os pensamentos de Jamie. Nenhuma pista. Empurrando o fim do meu sorvete de casquinha na minha boca, tudo que eu quero é arrastá-lo de volta para nossa toca e fazer coisas muito sujas para ele. Mas é que, mesmo nos cartões? Sei duas coisas até agora. Em primeiro lugar, Jamie Canning pode ficar quente por mim. Vi-o ontem à noite. E segundo, ele não está horrorizado com o que fizemos. Isso é incrível, e eu sinto como se estivesse me beliscando para acreditar que eu tive uma noite incrível com o amor da minha vida. Mas isso não me garante porra nenhuma. Ele não me deve nada. Ele poderia cansar desta pequena experiência. Ele provavelmente já cansou.


É assustador. Porque eu quero outro sabor. Inferno, eu quero devorar ele. Eu sou um guloso por Jamie Canning. "Wes?" "O quê?" Oh, merda. Eu estive encarando-o, e eu não tenho ideia do que estamos falando. "Eu perguntei se você queria nadar. Ainda está quente." "Uh." Eu realmente só quero ir para casa e ficar muito, muito nu. "Eu não estou vestindo uma sunga." Seus olhos se estreitam. "Você quer?" Certo. Quando você passa a sua vida dando nenhuma merda sobre roupas adequadas, as pessoas notam. "Ok", eu cedo. "Vamos nadar." O telefone de Jamie faz um barulho de chamada "Oh. Espere-me dois minutos? Se eu não responder, eles vão continuar chamando." Ele desliza a tela, mas mantém o telefone longe de seu corpo. "Ei pessoal!" Um coro de vozes derrama de seu telefone, que está no Skype ou algo assim. "Jamie!" "Jamester!" "Hi baby!" Eu tinha esquecido sobre isso. Toda a família de Jamie tem uma grande refeição juntos no domingo a cada semana, e aparentemente é um sacrilégio perder uma. Assim, enquanto o seu menino mais novo estava ausente no acampamento, ele recebeu essas chamadas a cada semana. Provavelmente quando estava na faculdade, também. "Você precisa de um corte de cabelo", uma voz feminina se sobressai. "Sim", ele admite, passando a mão pelo seu cabelo dourado. Estou com inveja dessa mão. "O que há de novo na Califórnia?"


Eu escuto enquanto sua família toda tenta falar ao mesmo tempo. "Adivinha quem está grávida de novo?" Uma voz masculina pergunta. "Língua grande!" Aparentemente, a irmã de Jamie está grávida mais uma vez. E um de seus irmãos teve uma promoção. Outro irmão rompeu com sua antiga namorada. "Eu sinto muito por isso", Jamie diz. "Nós não!" Uma irmã chora. "Foda-se!" "Olha a língua!" Basta dizer que uma chamada para Jamie, de sua casa, não é nada parecida com a minha. "Então, filho," uma voz mais velha ressoou. O pai de Jamie sempre consegue soar comandando sem se sair como um idiota. Meu pai poderia aprender algo com isso. "O que você tem feito esta semana?" Eu ronco tão forte que os olhos de Jamie voam firmes para mim antes de mudar rapidamente de volta para a tela. "O de sempre", diz ele, dando-me um pontapé sob a mesa. "Muito tempo no gelo. Fomos caminhar." Chupei o meu amigo gay, Wes. Ele mantém os olhos firmemente na tela e assim eu realmente não posso dizer se ele está suando nessa parte da conversa ou não. "Parece bom", seu pai fala. "Sua mãe está ocupada na cozinha, mas ela disse para dizer-lhe para se certificar de você chegar em casa antes de ir para Detroit." "Eu vou tentar", ele promete. "Depende se Pat puder me substituir para essa semana."


"Sua mãe também lembra que você deve tentar obter bastante fibra e comer alimentos orgânicos". Há um estrondo de risos vindo pelo telefone. Jamie sorri. "Vou fazer direito sobre isso." "Fique bem, Jamie!" "Te amo!" "Vista seu casaco!" Mais risadinhas. Mais carinhos. E então Jamie termina a chamada, colocando o telefone no bolso da camisa, balançando a cabeça. "Desculpe-me por isso". "Não é grande. Ainda quer nadar?" Por favor, diga não. "Sim. Vamos fazer isso." A praia da cidade é no extremo sul do Mirror Lake, realmente perto do dormitório. Tudo em Lake Placid está perto de todo o resto. Esta cidade foi um resort de verão para as pessoas ricas bem antes de ter sido um destino de Esportes de Inverno. Então nós passamos todos os tipos de edifícios antigos atraentes em uma curta caminhada até a pequena praia. Jamie arranca seus chinelos e retira sua camisa. Ele entra na água, onde o calção começa a agarrar-se ao seu corpo, mesmo antes dele submergir. Eu o sigo, é claro. Ele poderia me levar em qualquer lugar agora, e eu não argumentaria. A água fria faz eu me sentir muito bem, apesar de tudo. Quando eu estou até minhas coxas dou um mergulho, perseguindo Jamie para longe da areia. Há uma balsa flutuante a cem jardas para fora, e nós nadamos até ela. Jamie está sorrindo para mim quando eu quebro a superfície. Com a palma da mão eu espirro-lhe água, em seguida, mergulho novamente para escapar de sua


retribuição. Passando por ele, eu passo para o outro lado da balsa. Quando eu chego para tomar um fôlego, uma grande mão me empurra a para baixo outra vez. Então é claro que eu estou tossindo quando eu submirjo um segundo depois. "Fodido," eu cuspo, embora já tenhamos passado a maior parte de nossos verões tentando afogar o outro, todas as tardes após o treino. Ele tem um cotovelo na balsa agora, também, o que me impede de afunda-lo. Figura. Então eu faço o mesmo, vindo deitar ao lado dele. Nossos ombros estão se tocando. Tudo o que teria a fazer é virar a cabeça e sua boca estaria a polegadas da minha. E então tudo o que eu teria que fazer é avançar e sua boca seria minha. Mas ele não liga para mim. Ele só olha para frente. Porra. Eu não aguento mais. Eu preciso saber onde estamos. Porque o pensamento de gastar ainda mais um minuto tentando adivinhar o que esse cara quer de mim é uma tortura absoluta. Sob a água, eu alcanço e toco sua barriga com os meus dedos. Os olhos de Jamie aumentam. Mas ele não diz nada. Eu mesmo engato até chegar um pouco mais perto. Então eu achato a palma da mão em sua pele fria, molhada, meu dedo mindinho viola o elástico da cueca. Eu não acho que qualquer um pode ver o que estou fazendo. Mas os olhos de Jamie fazem um circuito do lago. Ele está preocupado. Porra, eu não quero assustá-lo. "Sente vontade de ir para casa agora?" Pergunto. É o código para, vamos brincar


de novo? Se não formos, eu gostaria que ele me dissesse. Tire-me da minha miséria. Ele lambe os lábios. "Sim", diz ele. Então ele bate minha mão. "Mas pare com isso, ou eu não serei capaz de sair da água." Eu obedeço imediatamente. Cinco minutos depois, nós estamos andando para o dormitório, nossas roupas pingando sobre os antigos pisos e azulejos. Mas é assim que as pessoas rolam por aqui no verão. O local está tranquilo, o que significa principalmente que as crianças estão todas no jantar. Sem uma palavra, nós caminhamos para o nosso quarto e fechamos a porta. A primeira coisa que faço é jogar meus shorts e boxers para o chão onde eles fazem um som molhado. Jamie segue meu exemplo. Então nós dois estamos apenas ali, completamente pelados, olhando um para o outro. Seus olhos são surpreendidos, e meu coração treme com medo do que ele esteja prestes a dizer: "Eu não posso fazer isso de novo." "Nós temos que ficar quietos", diz ele em seu lugar. Meu sorriso é do tamanho do Mirror Lake. "Você pode morder o travesseiro quando eu fizer você gritar." Ele respira balbuciante quando eu me aproximo dele, e imediatamente congelo. "Tem certeza de que quer fazer isso?" Eu mordo o interior da minha bochecha. "Você meio que esteve correndo quente e frio em torno de mim o dia todo." Ele balança a cabeça. "Eu precisava obter algumas coisas em linha reta na minha cabeça." Eu ronco em sua escolha de palavras. "Reto, huh?" Eu ofereço um olhar aguçado em sua muito perceptível ereção.


Sua boca contrai. "Meu pau e eu chegamos a um entendimento." "Sim? E qual foi?" Eu pergunto, curioso. Ele dá de ombros. "Nós dois gostamos de você." Foda sim! Eu apago o resto da distância entre nós. Eu já estou endurecendo, o que não é surpresa, porque eu estive pensando sobre isso o dia todo. Minhas mãos pousam na sua pele fria pela água. Eu escovo os seus mamilos com os meus dedos, e eles endurecem imediatamente. Seu ouvido está bem ao lado da minha boca, então eu estalo minha língua nele, fazendo-o ofegar. "Pule na minha cama, porra", eu sussurro. Dois segundos depois, ele está lá. E eu estou me estendendo sobre ele como um cobertor, e tocando minha língua em sua boca. Jamie geme, mas eu estou muito envolvido no gosto dele para me preocupar com isso. Eu tenho meus dedos em seus cabelos e seu corpo está quente, duro sob o meu e ele é tudo que eu sempre quis. Ele não está odiando a vida, também. Seus quadris rolam debaixo de mim, seu pau colide e raspa contra o meu. Dói. Minhas bolas estão apertadas já. Passando por ele me sinto incrível, e eu amo isso, sua boca doce é prisioneira da minha. Mas eu não quero gozar ainda. Ent��o, eu me forço a puxar para trás. Quando eu olho para Jamie, seus olhos estão vidrados com luxúria, e os seus lábios inchados e vermelhos. Eu faço o sinal para "tempo". Ele inclina a cabeça para trás no travesseiro e suspira, e eu não posso evitar, mergulhando-me para beijar sua garganta exposta.


Eu te amo. As palavras estão sempre ali na ponta da minha língua maligna. Eu engulo-as de volta quando eu preciso e digo algo muito mais prático ao invés. "Você já foi familiarizado com a sua próstata?" Ele nega balançando a cabeça. "Você confia em mim?" Jamie confirma com a cabeça imediatamente, e meu coração contrai. Devo estar louco para empurrá-lo assim, mas as coisas que eu anseio estão em guerra com o meu melhor julgamento. Então, agora eu estou ficando fora da cama para cavar na minha mochila para o tubo de lubrificante que guardo lá. Seus olhos seguem o tubo quando eu sento na cama. Ele está, provavelmente, a segundos de dizer: "Espere aí, isso é simplesmente muito gay para mim." Então, eu me inclino e tomo a ponta de sua ereção na minha boca. “Foda-se” ele engasga arqueando as costas. Mais uma vez eu estou chocado com a certeza de que eu sou o bastardo mais manipulador do mundo. Mas eu estou tentando explodir sua mente, e eu estou esperando que isso seja justificativa suficiente. Eu o torturo com a minha língua até que ele está praticamente levitando para fora da cama. "Levante esta perna," eu sussurro. Bêbado de minha provocação, ele levanta seu joelho sem reclamar, e eu o posiciono para que eu possa alcançar sua bunda facilmente. Eu lambuzo lubrificante nos dedos de uma mão. Então eu largo minha cabeça e tomo o seu pau na minha boca. Quando eu começo a chupar, ele suspira. Mas quando eu deslizo os dedos entre suas nádegas, ele fica em silêncio.


Por um momento eu não sei o que ele está pensando. Eu libero o pau dele e coloco um beijo na cabeça. "Você está bem?" Ele toma uma respiração lenta. "Sim", ele diz enquanto eu brinco com o seu buraco. "É estranho." "Você pode levar mais?" Se ele disser não, eu vou deixálo cair. "Ok." Eu aplico mais lubrificante e depois o penetro com a ponta do meu dedo. "Relaxe para mim, baby." Ele tenta. Então eu o recompenso com alguns beijos exatamente onde ele mais os deseja. "Mmm", diz ele. "Eu gosto disso." Dou-lhe um pouco mais. Desde que eu o aliene brincando com seu rabo, ele não está mais oscilando no limite. Eu me inclino para baixo, chupando e lambendo, e realmente, só trazendo ele para o meu jogo. E, ao mesmo tempo, estou trabalhando um dedo lentamente em direção à sua próstata. Quando eu finalmente chego lá, tudo muda. "Oh merda, oh foda," Jamie sussurra com seus músculos da coxa tremendo. Eu esfrego sua próstata novamente e dou outra boa chupada. Ele geme, e eu chego com a minha mão livre para cobrir sua boca. "Shh", eu o lembro. "Não me faça parar." Ele aperta minha mão fora de sua boca. "É ... Você está... Meus pés estão formigando." Isso é um bom sinal. Sorrindo, eu retomo minhas ministraçôes malvadas, meu dedo deslizando dentro dele no tempo para os cursos longos, preguiçoso em minha boca. Jamie começa a mudar seus quadris, empurrando em minha


boca. E não é só o pau que ele está empurrando. É o seu rabo, também. Ele está batendo-o para mim, me procurando. Ele está tentando foder meu dedo. "Você está bem?" Murmuro. "Mais do que bem." Sua voz é um sussurro sufocado. Ele fechou os olhos. Um rubor sobe em suas bochechas, a testa franzida como se ele estivesse com dor. Mas eu sei que a dor é a última coisa que ele está sentindo agora. Seu pau cresce incrivelmente duro na minha boca, e eu gemo quando o seu rabo aperta meu dedo. "Wes..." Ele respira meu nome, suas coxas tremendo quando ele levanta os quadris novamente. "Você está me deixando louco." Isso é o que eu gosto de ouvir. Sua excitação nos rodeia como uma névoa espessa, pulsando no ar, no meu pau. Eu deslizo a ponta do meu dedo sobre sua próstata novamente, e ele rosna uma maldição, e eu estou amando isso. "Alguém já lhe disse antes que você é sexualmente aventureiro?" Um olho se abre. "Todo o tempo", ele murmura, e eu experimento uma onda de ciúmes, querendo saber qual garota de sorte o ajudou a descobrir. Jamie geme novamente. "Continue fazendo isso. Por favor, ... não pare ... " Esse cara está sob a impressão de que parar ainda é uma opção. Eu poderia, é claro, se ele me pedisse, mas enquanto ele está implorando por minha boca? Pelo meu dedo? Nada menos do que morrer vai me impedir de dar isso a ele. Vou dar-lhe cada parte do caralho de mim mesmo, servido para ele como uma festa em um banquete. Jamie Canning não tem ideia do tipo de poder que ele tem sobre mim.


21 Eu pensei que fazer sexo até seria uma ciência. Quer dizer, não é difícil. Beijar, preliminares. Eu tentei quase todas as posições sexuais conhecidas pelo homem, até mesmo as loucas que você vê na pornografia, onde a garota puxa alguma manobra do exorcista-contorcionista enquanto eu bato nela. Mas minha bunda nunca foi parte do acordo. Agora, é todo o negócio. Porque mesmo que isso envolva a boca de Wes no meu pau, enquanto, ele está tentando me engolir inteiro, o zumbido no meu sangue está centrado exclusivamente sobre a pressão entre minhas nádegas. É uma boa pressão. Uma queimadura ligeira que se transforma em uma corrida de mente-derretendo de prazer cada vez que ele bate em um ponto dentro de mim. Ele está me destruindo. Ele está trazendo minhas terminações nervosas que eu não sabia que existiam para a vida. É o desconhecido. É novo. E viver isso é um milhão de vezes mais quente do que vê-lo acontecer com outro em um clipe pornô. "Tão bom", eu sufoco. "Jesus, não pare... baby." Ele me chamou disso antes e eu quero testá-lo agora. É estranho,


isso deixando minha boca. Tão estranho quanto às novas sensações percorrendo-me e o formigamento no meu rabo. Não sabia se gostaria disso, mas eu gosto. Deus, eu adoro. Quando seu piercing na língua raspa a parte de baixo do meu pau, eu tremo, pegando minha respiração. Seu dedo está alojado dentro de mim, e eu me pergunto o que eu sentiria se ele escorregasse outro lá. Ou se ele usasse outra coisa mais do que um dedo... De repente, lembro da pornografia de antes, vi os gemidos do cara que estava sendo perfurado e a memória suja faz-me mais duro em torno de Wes. Ele levanta a cabeça abruptamente, o dedo dele acalma, mas não me deixa. Mal-estar circula meu instinto quando encontro seus olhos. Luxúria escureceu a tempestade prata, e a garganta dele flexiona enquanto ele engole. "Por que você parou?" Eu engulo, também. "Vai parar porra... agora?" A questão traz uma sacudida de pânico em mim. Tanto quanto tenha sido quente assistir em uma tela, não acho que estou pronto para essa experiência para mim ainda. Não sei se eu alguma vez estarei pronto "Não." Ele é rápido em tranquilizar-me, seu olhar amolece quando ele vê a minha cara. "A não ser que você queira que eu pare." "Eu...." Eu mordo meu lábio. "Eu...não sei. Talvez outra hora." Talvez outra hora? Meu Deus! Quando eu for gay, eu vou realmente ser um gay. Os lábios do Wes tremem. "Vou colocar outro dedo". Tremo por uma risada. "Por que parou antes?"


"Só queria fazer isso," ele diz mais ou menos, e então o dedo dele me abandona enquanto ele desliza para cima e escova sua boca na minha. O beijo vai de doce a derretido em questão de segundos. A língua dele enche minha boca em traços profundos, uma fome que me faz suspirar. Estou ansioso para saber mais, desesperado por ele, mas ele se foi novamente antes que pudesse piscar, rastejando de volta entre as minhas pernas. Desta vez, quando o dedo passa pelo meu anel enrugado do músculo, saúdo a queimadura. Anseio por isso. Wes lambe uma linha direta entre a ponta do meu pau até minhas bolas doloridas, provocando o saco delicado enquanto seus dedos brincam comigo. Quando eu tento empurrar minha bunda contra ele, ele se retira, uma risada escura ventilando sobre meu eixo. Não aguento mais. Eu preciso gozar antes que eu tenha uma autocombustão espontânea. "Pare de ser um provocador", eu rosno. "Dê-me o que eu quero." Seu piercing na língua provoca minha fenda. "Sim, e o que você quer, querido?" "Que você me chupe até eu estar seco." Wes empurra o dedo em atrito mais profundo, naquele lugar que me faz ver estrelas. Minha próstata. Por que não tinham me dito que a próstata trazia algum tipo de prazer mágico? Existem unicórnios e fadas do orgasmo dançando lá dentro? "Peça-me muito bem e eu vou considerar isso." Ele arreganha os dentes para mim.


Eu estreito meus olhos para ele. "Faça-me gozar, idiota." Sua risada envia meu coração voando. Essa é a coisa mais confusa de todas, porque ele adiciona um elemento ao sexo que eu não esperava. Estou confortável com ele. Eu me divirto com ele. Eu não estou tentando impressionar ninguém. Simples como espirrar no lago. Mas com orgasmos. "Você é um bastardo mandão, Canning". Seus lábios fazem cócegas na cabeça do meu pau. "Eu te adoro." E eu adoro o que ele está fazendo comigo. A sucção, a ponta rombuda de seu dedo esfregando dentro de mim. Não demora muito antes que a tensão se reúna novamente. Um nó de prazer bobina mais apertado e mais apertado, até que finalmente eu agarro a parte de trás da sua cabeça e empurro para baixo em Wes, em seu dedo quando o orgasmo dispara através de mim. Fora de mim. Wes me bebe como se ele não conseguisse o suficiente, zumbindo ao redor do meu pau e eu tenho que puxar seu cabelo para fazê-lo parar uma vez que meu pau já teve o suficiente. Eu me deito ofegante. Quando minha respiração finalmente diminui a uma taxa quase normal, Wes está maravilhoso, seu pau duro em minhas mãos. Meu olhar repousa sobre sua ereção, longa e orgulhosa, sua cabeça me dá água na boca. É a mesma resposta que eu tenho quando uma menina abre as pernas para mim, oferecendo-me aquele doce paraíso para minha boca ou meu pau. Nunca pensei que o pacote de outro cara poderia ser atraente também, e eu realmente gostaria de saber o que isso significava. Agora não é hora para pensar nisso, embora. "Dê-me isso," eu digo, acenando para a ereção.


As suas sobrancelhas sobem, seu piercing capturando a luz. "Você sente que precisa retribuir o favor?" Quando eu aceno, ele se aproxima e localiza-se entre meus ombros, em seguida, agarra um segundo travesseiro na cama e coloca-o sob minha cabeça. A altura adicionada traz minha boca ao nível de seu pau. Eu engulo, em seguida, aperto a minha língua ao redor da cabeça. "Estou quase lá", ele admite. "Sim?" Tiro o meu olhar, mas mantenho minha boca nele, raspando levemente os dentes ao longo de seu pau. Um gemido suave escapa de seus lábios. Solto-o com uma risada. "Não estamos com toda a resistência de ontem à noite?" "Isso foi antes de passar vinte minutos dedilhando seu cu." Eu tremi com a lembrança. Eu estou ficando duro novamente. É como se eu não me cansasse desse cara. "Te excitou, hein?" "Oh sim." Ele cutuca seu pau para frente, e eu abro a boca, deixando-o deslizar para dentro. Minha mão deriva ao redor de seu corpo para agarrar o seu rabo. Eu aperto e ele geme mais uma vez, empurrando um pouco mais profundo. Com as mãos ocupadas, é difícil de controlar o quanto tomá-lo, mas ele não é um babaca por isso. Ele não mergulha fundo ou força qualquer ação de garganta profunda em mim. Ele parece sentir meus limites, da mesma forma que ele sente essa merda no gelo — quando passar o disco, quando a todo o tempo, até que a abertura perfeita se revele, assim ele pode colocar mais um. Ele fode minha boca em traços rápidos, superficiais, que correspondem a sua respiração rápida e superficial.


Eu sinto gosto de seu pré-gozo na minha língua. É um sabor inebriante que me faz pensar como sentiria isso inundando minha boca, descendo pela minha garganta. Nem em 1 milhão de anos eu acho que iria imaginar isso. Ou que eu iria amassar as bochechas do rabo de outro homem, incitando-o ao orgasmo enquanto eu fixo meus lábios em torno do pau dele. "Estou gozando", ele adverte. Eu vou ficar com ele até o final desta vez. O primeiro jorro quente bate na minha língua, o segundo vai para o fundo da minha garganta, gerando minha ânsia de vômito. Eu respiro através do meu nariz e engulo, meu coração batendo enquanto meu melhor amigo suspira através do seu orgasmo. Não foi ruim. O gosto dele é estranhamente atraente. Eu desfruto de um pouco mais antes de permitir que ele retire. Ele desmaia ao meu lado, sua cabeça descansando no meu ombro. Ambos liberamos um suspiro saciado, e rimos. Silêncio estende-se entre nós, mas não é um estranho. Estamos ambos relaxados. Minha mente flutua em uma névoa de pós-sexo, onde o pensamento é superestimado. "Provavelmente devemos ir para o salão de jantar antes que o jantar termine," disse Wes. "Não quero perder o grande show." Certamente. A canção. Alguém — vulgo, Wes — tinha decidido que os treinadores deveriam fazer uma serenata para as crianças com algumas boas canções de Britney Spears. Pat tinha reclamado e reclamado, alegando que ele não sabia as letras de qualquer uma das suas canções. Wes, claro, tinha prontamente pegado o telefone dele e enviado por e-mail aos treinadores mais velhos, as letras de um disco inteiro da Britney. Muito engenhoso, meu melhor amigo.


Estou muito relaxado para mover-me, no entanto. "Mais cinco minutos," digo-lhe, envolvendo meu braço em volta de seus ombros para impedi-lo de se levantar. Sua bochecha acariciou o meu pescoço. "Você gosta de um abraço, hein?" Eu gosto. Absolutamente. Nunca sonhei que eu ia ter carinhos com outro cara. "Eu assisti pornô mais cedo," eu deixo escapar. "Sim, eu imaginei. Você tinha aquele olhar culpado de eu-só-bati-uma quando eu entrei aqui". Ele faz uma pausa. "Pornô Gay." Ele inclina a cabeça e olha para mim, seus olhos cinzentos brilhando divertidamente. "Uh-huh. Entendo. Você gostou?" Outra pausa. Então eu respiro fundo. "Sim". Wes abaixa a cabeça novamente, esfregando uma mão calmante sobre o estômago. "O que passou pela sua cabeça, hein?" "Bem..." Não é fácil de explicar. "Estou um pouco assustado sobre não estar assustado. Se isso faz sentido." Ficamos em silêncio de novo. Eu posso dizer que ele está absorvendo o que eu disse. "Posso te pedir uma coisa?" Eu murmuro. "Fala". Sua respiração faz cócegas no meu mamilo, e ele endurece. Instantaneamente. "Alguma vez você já..." Não sei como dizer isso. "Deu o traseiro? É a palavra certa?" Seus ombros tremem como se ele estivesse tentando não rir. “Uma palavra como outra qualquer. 'Foi fodido' também funciona. ‘Eu levei no cu', também." "Ok. Então?"


Ele muda um pouco. "Sim. Eu fiz. Uma vez." "Só uma vez?" Acho que não me surpreende. Wes tem "por cima" escrito por todo ele. " Você não gostou?" Ele considera. "Não no início. E definitivamente não no final. Mas foi muito bom no meio." Resposta clássica de Wes. Comecei a rir, a palma da minha mão desliza sobre seu braço nu antes de dar um aperto em seu bíceps. "Hum... o que aconteceu no início e no final?" "O início doeu." Seu tom é triste. "Mas isso é provavelmente porque nós éramos idiotas de dezoito anos de idade e nenhum de nós pensou em trazer um lubrificante". Dezoito anos. Por alguma razão isso me faz sentir ciúmes. Gostaria de saber se foi antes ou depois da nossa última noite no acampamento. Se foi antes, eu estaria bem. Mas depois... Não tenho certeza por que, mas o pensamento de Wes privar-me da sua vida e então indo perder a virgindade para qualquer cara me irrita. Alheio aos meus pensamentos turbulentos ele retoma. "Então, ele demorou um pouco para ele... sim." Eu forço um tom casual. "Mas depois ficou bom?" Ele para novamente. Em seguida, acena, seu queixo bate em meu ombro. "Sim, ficou bom." Uma corrida quente viaja na minha espinha. Eu estou surpreso ao perceber que isso é ciúme. "E no final?" Eu aviso, na esperança de que ouvir como o sexo ficou ruim novamente alivie a tensão em meu peito. Wes suspira. "Ele não era alguém que eu precisei ver novamente. E isso fez torná-lo degradante para mim. Tipo azedou-me sobre toda a experiência." Eu acaricio o topo da sua cabeça. Eu posso dizer que ele se sente estranho por falar sobre isso, mas eu aprecio o


que ele me disse. É raro que Wes derrame sua atitude de merda do mundo e deixe-se ser vulnerável. "Então foi assim? Você não deixou ninguém... hum... manter a sua bandeira lá depois disso?" Ele engasga fora uma risada. "Não. Eu decidi que deixaria a bandeira do meu furo comigo." Eu ri, acariciando seu cabelo novamente. É como seda macia sob minha palma, um contraste com o seu restolho de barba raspando o meu ombro. "Eu...." Ele limpa sua garganta. "Deixaria você fazer isso." Minha mão congela no seu cabelo. "Você faria?" Wes acena. "Eu iria deixar você fazer qualquer coisa comigo, Canning." Quando sua voz sai, racha algo dentro de mim também e eu não tenho ideia do que está acontecendo aqui, ou do que nós somos um para o outro. Amigos. Nós somos amigos. Exceto que o rótulo não parece o mesmo agora. Amigos com benefícios? Não está certo, também. Eu devo ter ficado em silêncio por muito tempo, porque Wes de repente senta-se, e o calor do seu corpo me abandona. "Venha," ele disse rispidamente. "Precisamos ir."


22 Nosso horário de treino volta por cima novamente na manhã seguinte e vou para o gelo pronto para treinar o inferno fora dessas crianças. Eu tive um começo difícil na semana passada, deixando suas cabeças quente, a incapacidade de seguir as minhas instruções chegarem a mim, mas estou determinado a tomar uma página do livro e dos exercícios de paciência de Jamie um pouco. Não me interpretem mal, eu sei como ser paciente quando estou jogando. Mas assistindo outros caras jogarem? Vendo os erros que estão fazendo e, em seguida, vê-los repeti-los todos mais uma vez, em vez de corrigi-los com base no meu conselho? É enlouquecedor. As crianças estão ouvindo melhor hoje, embora. Eu estou correndo alguma passagem básica com os meus atacantes, trocando a linhas em todas às vezes para deixá-los ter uma ideia de estilo e técnica de seus companheiros de equipe. Para a maior parte, isso vai bem, mas um garoto Davies não se importa com a linha que ele está jogando. Eu mando meu apito, tentado arrastar meu cabelo pela raiz. Davies acaba de ignorar minhas instruções de novo,


tirando um pulso fraco e atirando em Kilfeather em vez de passar de volta para Shen como ele deveria fazer. Eu chamo-o, e ele patina até mim, com o rosto vermelho e grosseiro. Do canto do meu olho, eu vejo Jamie nos observando com cuidado, como se estivesse avaliando minhas proezas de treinador. Pat está assistindo também, a partir do banco, e eu estou satisfeito de ver que ele não está de cara feia para mim. Última noite de treino eu tinha aparecido tarde demais no jantar para pegar o desempenho ao vivo, mas felizmente, Georgie filmou-o em seu iPhone. E confie em mim, eu nunca vou esquecer a visão de Pat e seus quatro treinadores cantando a versão do "Oops, I Did It Again". Eu não acho que Pat vai esquecê-lo, tampouco. Ou parar de me odiar por escolher as estacas de jogo de futebol. Focalizando Davies, eu cruzo meus braços sobre a frente do meu moletom e pergunto: "Que tipo de jogada está fazendo? Um ...?" "Passe" ele esclarece. Ele balança a cabeça. "Certo." "O que significa que você precisa passar o disco, criança." "Mas o último treino que você nos deu era sobre não hesitar. Você disse que se você tem uma chance, você a toma." Seu queixo se projeta para fora na defensiva. "Eu tinha um tiro." Eu suspiro. "O disco conseguiu passar Kilfeather? Eu devo ter perdido esse gol." Sua expressão fica envergonhada agora. "Bem, não, eu perdi, mas..." "Mas você queria marcar. E conseguiu." Eu ofereço um sorriso gentil. "Olha, eu estou com você, garoto. Não há


nenhum sentimento mais doce no mundo do que ver que a luz da lâmpada se acende. Mas deixe eu te perguntar uma coisa, quantos atacantes estão geralmente sobre o gelo? " "Três…" "Três", eu confirmo. "Você não está jogando sozinho lá fora. Você tem seus companheiros de equipe com você, e não é para que eles possam andar de patins lá e ficar bonitos." Ele fissura um sorriso. "Shen tinha um tiro. Se você tivesse passado para ele, ele teria cronometrado o bebê na direita, topo canto esquerdo. E você já teria começado a ajudar. Em vez disso, você não tem nada. " Davies acena com a cabeça lentamente, e uma explosão de orgulho vem dentro de mim. Puta merda, eu estou alcançando ele. Posso vê-lo absorvendo as palavras e de repente eu entendo porque Canning tem voado como um disco para este treinamento. É... Recompensador. "Você precisa confiar equipe:" Digo a Davies.

em

seus

companheiros

de

Mas por alguma razão, que apaga o sorriso fora de seu rosto, uma carranca escura toma seu lugar. "O que é isso?" Pergunto. Ele murmura algo que eu não posso entender. "Não é possível ouvi-lo, garoto." Ele reconhece meus olhos. "É meio difícil de confiar neles quando eu sei que eles me querem falhando." "Isso não é verdade." Exceto assim, como uma voz de protesto, sei que em algum nível ele está certo. Alguns jogadores têm a tendência a serem cruéis, apenas olhando para si mesmos. Isto de repente faz sentido


porque Davies está sempre olhando para ser a estrela, porque ele pensa que é isso o que todo mundo está fazendo. "É verdade." Seu olhar se desvia em direção a rede, onde Jamie está conversando com Killfeather. "Especialmente com Mark. Ele é uma porra maldita", ele corrige. "Ele adora ficar observando os meus erros. E, em seguida, ele lista tudo que eu fiz de errado no dia seguinte no café da manhã ou no jantar, ou quando eu estou tentando dormir. Ele é tudo sobre os jogos mentais". Eu abafo um suspiro. "Vocês são companheiros de quarto, certo?" "Infelizmente", ele murmura. "Vocês nunca saem do lado de fora? Falam sobre algo diferente do hóquei?" "Não", diz ele com um encolher de ombros. "Quero dizer, ele fala sobre seu pai às vezes. Eu não acho que eles se deem bem. Mas isso é muito bonito." "Você quer o meu conselho?" Sua expressão é séria quando ele assente novamente. "Tente conhecê-lo. Desenvolver alguma confiança fora do gelo." Eu empurro a cabeça para Jamie. "O primeiro dia que eu enfrentei Jamie, o treinador Canning, quero dizer, eu fui um chato total. Arrogante, cheio de mim. Eu zombava dele toda vez que ele levou um tiro no gol, dançava toda vez que eu marcava. Eu juro, ele queria me matar quando o treino tinha acabado. Ele disse ao treinador Pat que odiava minha coragem e sugeriu que eles me mandassem de volta para qualquer que fosse o planeta de idiotas de que eu vim. "


Davies argumenta. "Mas vocês são amigos agora." "Sim. E nós éramos companheiros de quarto na época. Nós estávamos no nosso quarto depois que o primeiro treino acabou e ele apenas ficava lá, olhando para mim por um bom tempo. " "Então o que você fez?" Pergunta Davies curiosamente. "Sugeri que devíamos jogar um jogo de ’Um jogo da verdade'. Demorou um pouco para convencê-lo, ele ainda estava bastante irritado comigo, mas eu o convenci, eventualmente." Eu sorrio pela memória. Passamos por algumas latas de Red Bull que eu tinha roubado de um dos treinadores e chegamos a conhecer um ao outro, dizendo as coisas mais loucas. Eu nunca fiz xixi nas calças em um jogo dos Bruins. Nunca mostrei a bunda para um ônibus cheio de freiras durante uma viagem de escola para uma fábrica de chicletes. Aquilo eram devaneios meu claro. Jamie tinha sido mais sério — eu sou apenas uma criança. Não quero jogar para os profissionais um dia. Sim, se não tivesse dominado completamente a parte do jogo, mas eu "nunca", nunca me importei. Em meus treze anos eu estava me divertindo demais ficando viciado em açúcar e cafeína. Nós ficávamos acordados até às 04:00 e mal conseguíamos nos levantar na manhã seguinte. "Depois disso, nos tornamos inseparáveis", eu digo com uma risada. Davies mastiga em seu lábio. "Mas o treinador Canning é legal. Mark é ... uma espécie de imbecil.” Eu engulo uma risada. "Você nunca sabe, ele pode acabar sendo o cara mais legal que você já conheceu." "Eu não sei…"


Dou-lhe um tapa bem-humorado sobre o ombro. "Basta dar-lhe uma chance. Ou não. Pense no que te falei.“ Então eu encaixei no modo de Wesley treinador, soprando meu assobio alto o suficiente para fazê-lo saltar. "Agora volte lá e compartilhe a riqueza, garoto. Monopolize o disco mais uma vez e eu vou colocar você no banco o resto do treino". A semana passou rápido. Quando Jamie e eu éramos adolescentes, tudo parecia para sempre. Um verão era o tempo de uma vida. Mas eu já estou nas minhas duas semanas de seis semanas de estadia em Lake Placid, e eu não consigo descobrir para onde o tempo foi. Após o jantar com as crianças na sexta-feira à noite, Jamie e eu tivemos o dever de inspecionar o dormitório. Isso só significa passar por ele contando cabeças e gritando "luzes apagadas” quando são dez horas. Em seguida, eles gritam novamente quando não conseguem seguir adiante. Por volta das onze está totalmente silencioso. Jamie está deitado em sua cama escrevendo uma mensagem para alguém. E eu não gosto disso. De modo nenhum. Então eu subo em seu corpo, segurando sua bunda, meu peito até os ombros. "Oi." "Oi", diz ele sem olhar para cima. Eu coloco meu nariz em seus cabelos e tomo uma respiração profunda dele. Ele cheira a Verão, e eu não posso obter o suficiente. "Cara, você está cheirando a minha cabeça?" "Só verificando para ver se você estava cheiroso.” "Mhm", diz ele, batendo afastado seu telefone.


Eu me aproximo um pouco mais, meu pau acorda para o fato de que eu estou tão perto de Jamie e da sua bunda. Engraçado como ele acha que é estranho quando eu cheiro o cabelo dele, mas ele esta perfeitamente bem que eu estou a cerca de dois segundos de foder a seco sua bunda. Os tempos estão mudando. Temos gozado todas as noites como coelhos Puck no calor da semana. Belisque-me. É como uma corrida de revezamento boquete por aqui. E nós estamos realmente bem em passar o bastão. Mas o meu favorito é coisa só para fazer fora enquanto nós esfregamos fora. Beijar Jamie Canning é surpreendente. Estou ávido por isso, porque eu sei que no meu intestino isso não vai durar. O Verão termina para mim em quatro semanas, e Jamie pode perder o interesse por mim. Então, eu vou tomar tudo o que posso obter. É cem por cento honesto dizer que eu nunca estive mais feliz. Mas é claro que eu não posso dizê-lo em voz alta. O problema é que é mais difícil a cada dia para expressar qualquer uma atitude, mas sou famoso por estragar tudo. E eu não estou indo para olhar sobre seu ombro e ler o texto. Isso seria uma coisa idiota para fazer, certo? Eu olho. A tela diz HOLLY. No instante seguinte sinto um tsunami de merda de ciúme. "Você quer ir ao cinema?" Não quero ir ao cinema, e eles provavelmente já começaram. "O que tem no teatro esta semana, de qualquer maneira?" Pergunto-me. Como se eu me importasse. Eu prefiro ficar nu. "Um filme de mulheres e filme infantil", diz ele. "Eu chequei."


"Vadio. Boquetes, então? " Ele sorri. Mas ele ainda está segurando o telefone maldito. Eu não estou dizendo uma palavra, embora. Certo. "O que está fazendo?" "Texto de Holly." Eu não posso ajudá-lo, até mesmo o som de seu nome em seus lábios me deixa tenso. A primeira e única vez que eu conheci a menina, ela tinha cabelo despenteados e um sorriso sonhador no rosto. Incomoda-me que Jamie tenha sido responsável por tanto dessas coisas. "O que ela está fazendo?" Tento parecer casual. Eu falho, porque ele vira a cabeça para rolar seus olhos para mim. "É essa a sua maneira de perguntar se estamos fazendo sexo?" Eu dou de ombros. Jamie começa a tocar no telefone novamente. "Nós não estamos fazendo sexo. Nós não fazemos mais isso, a propósito. E esta noite ela está de babá dos seus priminhos em Cape Cod. Mantenho a ver o mesmo filme da outra vez, e ela está prestes a sair da família e participar de um circo itinerante." Ele se vira sorrindo para mim. "Eu sugeri comer fogo, mas ela pensa que o trapézio seria divertido. " Ele para de falar, aqueles olhos castanhos segurando uma pitada de diversão. Acho que ele está tão perto de chamar-me sobre meu comportamento idiota. Então, ele não o faz. Porra Jamie. Sempre tão descontraído. Alguns dias eu daria um membro para ser mais assim. Mas não uma perna, porque eu preciso dela para patinar. E não meus braços...


Deus, eu estou preso dentro da minha cabeça hoje à noite. Preciso de um boquete ou o quê? Jamie lê a tela novamente e ri, e eu quero pegar o telefone e jogar contra a parede. A única coisa boa é o fato é que Cape Cod fica a cinco horas de distância daqui. Talvez seis. Então eu começo a beijar seu pescoço. Isso é algo que Holly não pode fazer. Depois de um tempo, funciona. Ele joga o telefone para baixo e deixa cair sua cabeça sobre o travesseiro. "Você se sente bem ai em cima." "Sim?" Eu empurrei meu quadril para baixo e sinto-o empurrando de volta para mim. Eu deslizo a mão sob a camiseta, acariciando seu lado. Então eu trabalho a camisa para cima e beijo a sua volta, e ele aconchega sob o meu toque, seu corpo mudando preguiçosamente na cama. "Quero você", eu sussurro. Ultimamente, as duas palavras me define. "Tenha-me", diz ele. Meu coração bate mais forte no meu peito, e meu pau endurece na textura aproximada de uma barra de ferro. Será que ele quer dizer a maneira que soa? Nós não falamos sobre essa porra uma vez. Eu o quero tanto, mas somente se ele quiser. Só há uma maneira de descobrir. Eu escalo fora dele e arranco seus shorts. E sua cueca. Sua bunda é perfeita forte e redonda, com uma linha tan cortando em sua cintura. Eu beijo a linha tan, porque eu tenho que beijar.


"Mmm" ele concorda com os olhos fechados. Eu assisto como ele empurra seus quadris na cama. Como eu, Jamie tem duas velocidades: excitação e adormecido. Eu arranco a minha camisa e depois o meu short. A minha pele toca a sua, estou mais feliz. Depois? Seu telefone toca. Juro por Deus, se for Holly ... Desde que eu estou mentido sobre o seu corpo, eu engulo meu aborrecimento e pergunto se ele quer atender. "Basta verificar o número", diz ele preguiçosamente. "Provavelmente não é nada." Mas o telefone de Jamie não costuma tocar a essa hora, então eu vou olhar. Não é Holly. O visor diz KILLFEATHER. "Hum ... É um campista." Ele levanta a cabeça rapidamente. "Sério?" Eu entrego o telefone, e ele responde. "Olá?" Ele franze a testa. "Onde está você? Onde?" Outra pausa. "Eu estarei ai." Ele termina a chamada. "Qual é o problema com seu goleiro?" Jamie faz uma carranca, e eu não posso deixar de notar até que até mesmo seu rosto mal-humorado é quente. "Isso foi Shen usando o telefone de Killfeather. Aparentemente meu goleiro está bêbado com dois de seus atacantes. Eles não estão longe, mas Killfeather não vai voltar para casa, e eles não sabiam o que fazer." Pego minha camisa. "Vamos lá. Onde eles estão?" "Por trás da escola."


"Que original. Quando cheguei bêbado, eu estava no telhado do Hampton Inn. " Jamie ri, puxando suas roupas no lugar. "Eles não podem ser todos Ryan Wesley. A cidade teria que dobrar o tamanho de sua força polícial." Por acordo mútuo ficamos em silêncio, deixamos os dormitórios como ladrões na noite. Se for necessário para chamar reforços, tenho certeza que Jamie irá fazê-lo. Mas às vezes é apenas melhor para lidar com as coisas em silêncio. Uma vez lá fora, nós dirigimos em direção à escola. Há uma cerca ao redor do local, mas Jamie aponta para um intervalo de dois pés. Quando eu me espremo através na frente dele, ele coloca uma mão quente nas minhas costas, e eu tremo um pouco. Encontramos nossos encargos sentados em suas bundas no cascalho sob uma placa que diz "The Blue Bombers ". É justo, porque essas crianças são bombardeadas. Especialmente Killfeather. Jamie se agacha para falar com eles. "Qual foi o problema aqui?" "Nós estamos muito bêbados”, diz Davies. "Eeeeee Killfeather não vai voltar para casa. Mas nós não podemos deixar ele aqui ". "Entendo." Jamie de alguma forma tenta manter uma linha reta. "Por que você não vai para casa?" Ele pergunta a seu goleiro. "Estou... farto de tudo," Killfeather insulta, volta a bater a cabeça contra a parede de tijolo. "Amanhã só faremos isso tudo de novo." "Eu vejo", diz Jamie novamente. "Quanto que todos vocês beberam?"


Shen faz uma cara. "Um pacote de seis." Espere o que? "Cada?" Eu peço fortemente. Killfeather balança a cabeça. "Não." Ele empurra umas seis garrafas de longneck para a luz. As garrafas estão vazias, é claro. "O que mais?" Eu exijo. Procurando acanhado, Davies puxa uma garrafa vazia de um litro de cerveja local, a partir da sombra. Jamie pega e lê o rótulo. "Ok. Algo mais?" Três cabeças tremer. "Onde você conseguiram isso?" Jamie pergunta. "Pagamos um cara." Jamie levanta o queixo para olhar para mim, e eu lutando para não rir. Isso era como comprávamos a nossa cerveja nessa idade, também. "Barra Lateral," diz ele, de pé e acenando para mim. Eu caminho para a esquina do edifício com ele. Estamos a apenas alguns metros de distância, para que ele coloque seus lábios no meu ouvido. "Sério? Eles tomaram menos de três cervejas cada? " Virando-se para sussurrar minha resposta, meu peito escova seu ombro. Eu deixo meus lábios escovar sua mandíbula antes de falar. "Eles têm tolerância zero e um metabolismo muito rápido. Não estávamos no mesmo?" Jamie ri e sua respiração faz cócegas na minha orelha. "Então, nenhum hospital." "Nah", eu digo rapidamente. "Ninguém nunca morreu de cervejas há dois anos e meio. Vamos andar ao redor, até eles ficarem sóbrio e, em seguida, mandarmos para cama."


"Soa como um plano." Jamie vira a esquina. "Ok, senhores. Vamos lá. Nós vamos fazer um acordo. Vocês três vão para uma pequena caminhada conosco, e nós o levaremos para casa sem levar para as autoridades ". "Como, a polícia?" Pergunta Shen. "Não, ele quer dizer Pat," Eu esclareço. Shen luta para seus pés. "Ok. Lesh vamos." Davies levanta também. Isso deixa Killfeather ainda sentado lá. Não se mexe. Jamie se inclina, oferecendo uma mão. "Venha ativo agora. Você tem treinamento na parte da manhã". "Não vai ser bom o suficiente", Killfeather murmura. "Você vai estar com um pouco de ressaca," Jamie admite. "Mas isso nunca matou ninguém." Killfeather dá uma sacudida inflexível de cabeça. "Não vai ser bom o suficiente para o meu pai. Nunca será. Nada é." Ah. Eu poderia ter achado que falava de mim mesmo. "Não jogue hóquei para seu pai, cara. Você tem que jogar para si mesmo.” Desta vez, ele levanta. Eu seguro ele de pé. Ele tem que firmar-se contra a parede por um segundo, mas então ele é vertical no seu próprio poder. "Sério. Foda . É a sua vida." A cabeça de Killfeather oscila um pouco na pose bêbado clássico. "Ele precisa relaxar." "Mas ele nunca vai fazer", digo a ele. A verdade dói, mas ele deveria entender isso o mais rapidamente possível. "E você ainda tem que viver sua vida. Se não o fizer, então ele ganha. Que desperdício, certo?"


O jovem goleiro acena com todo seu corpo, como um cavalo. Mas ele está me ouvindo. "Então vamos." "Onde você está nos levando?" Davies pergunta. "Nós vamos ter uma pequena lição de história" Jamie responde. "Você escolheu para percorrer cerca de cinquenta jardas de distância de um lendário local." Ele leva as crianças em toda Cummings Road, e eu não consigo fazer uma rachadura sobre isso. Eles embaralham atrás dele até nós estarmos de pé em uma área de estacionamento empoeirada atrás do Estádio Olímpico. "Ok, o que é famoso sobre esse lugar?" "Hum", diz Shen. "A arena. Onde o EUA bateu a Rússia para ganhar o ouro em 1980. " "Ah", diz Jamie, levantando um dedo no ar. "O EUA bateu a impressionante equipe russa de 4-3, com uma equipe de vinte estudantes universitários. Mas o jogo da medalha de ouro foi dois dias depois, contra a Suécia. Quatro a dois. Mas não é por isso que estamos aqui. " "Não é?" Jamie balança a cabeça. "Veja aquela colina?" Ele aponta por cima do ombro, e todos nós olhamos para cima. "Eu vejo outro parque de estacionamento," Killfeather murmura. Com um punho fechado, Jamie gentilmente sob o queixo. "Isso não é apenas qualquer estacionamento, e não é apenas qualquer colina. Herb Brooks era o treinador da equipe EUA. É por isso que o edifício é nomeado a ele agora. Ele pôs seus homens em todas as suas almofadas e correu abaixo desse monte. "


"Soa como uma festa." Davies suspira. "Nós vamos descobrir." Jamie esfrega as mãos juntas. "Em uma contagem de três, todos correm até lá. Vamos juntos. Você também, Wesley. " "Eu não estou correndo," Shen reclama. " Bêbado demais." "Uh-huh", eu digo, agarrando seu ombro. "Devia ter pensado nisso antes. Vamos." Eu bato palmas. "Um, dois, três!" Jamie decola através do cascalho. Há um pouco de grama onde a colina começa, e ele alcança rapidamente. Eu fiquei para trás para certificar de que os meninos o seguiam. E eles fazem, em um ritmo lento. Isso é muito bom, porque nós realmente não precisamos de quaisquer lesões. A lua é para cima, no entanto. Não está totalmente escuro, e existem projetores no topo da colina. Estamos todos respirando com dificuldade em poucos minutos. A colina é uma cadela real, e eu estou feliz que não estou usando minhas almofadas. As crianças chegaram ao topo, eventualmente, resmungando todo o caminho. Depois que os cinco de nós estão ofegantes no estacionamento, as mãos nos quadris, desejando que tivessemos água. "Eu não me sinto tão bem," Shen murmura. "Nos arbustos, se você estiver indo para vomitar." Eu digo rapidamente. Este parque de estacionamento pertence a um campo de golfe. Nós já estamos invadindo. Ele cambaleia fora, apenas tornando-a um bucho antes do som de vomito.


"Nós vamos caminhar lentamente," Jamie diz, coçando o queixo. "E comprar alguma água." "E Advil. Eu tenho alguns em nosso quarto. " "Claro que você tem." Eu tenho que morder de volta um sorriso. Outra boba, noite ridícula em Lake Placid com Jamie. Esperamos que as próximas quatro semanas sejam calmas. No meio do caminho, eu tenho uma pequena conversa com Davies. "Então... Por que vocês foram beber? Você poderia ser chutado para fora do acampamento." Ele destaca o queixo. "Você me disse para fazer." "Diga o quê?" "Você disse para passar algum tempo com eles fora do gelo. Eu fiz." Eu dou a ele algum pensamento. "Ok. É meu trabalho dizer-lhe para parar de quebrar as regras. Mas Eu ouço onde você está vindo. E eu gostei que você chamasse o treinador Canning quando Killfeather não queria ir para casa. " "Eu não iria deixá-lo lá." Ele recebe um tapa amigável nas costas. "Bom homem. Fique fora de problemas e nós podemos manter essas travessuras privado, ok?" "Ok." Nós caminhamos de volta para o dormitório através do ar de verão fresco enquanto a lua sobe sobre o lago. Eu não posso esperar para chegar em casa.


23 Quarenta minutos depois eu tenho o pau de Jamie em minha boca e eu estou acariciando sua próstata como um campeão. Ele está se contorcendo e implorando. "Dê-me mais", ele calça. "Dê-me, Você sabe o que você quer. " Eu o liberto da minha boca, e praticamente engulo minha própria língua. A forma como ele é ocasional me pedindo para foder apenas soprar minha mente. "Eu não sei", eu gaguejo. Ele abre um olho aquecido e olha para mim. "Cristo. Às vezes parece que você tem seu braço inteiro lá, de qualquer maneira. Como é muito diferente?" Porque simplesmente é. Não me interpretem mal, quero estar dentro da sua bunda muito mais do que eu quero a minha respiração. Mas eu também tenho medo. Não é uma sensação familiar. Eu nunca me importei com as consequências das minhas ações. Mas se fizermos isso, não será apenas porra Jamie. Isto vai significar algo para mim. E as chances são pequenas.


Para ele, vai ser outra pequena experiência que ele pode levar antes de apagar-se e estabelecer-se com alguma garota. Ele está me olhando agora, esperando por mim para decidir. E enquanto espero que ele gentilmente masturbe a si mesmo, olhando nos meus olhos. Puta merda, eu vou fazê-lo. Eu vou foder o único homem que eu já amei. Eu mal posso respirar quando eu pego o lubrificante. Então eu percebo que eu preciso de um preservativo também, eu saio da cama em busca da minha mochila. Eu tenho uma caixa inteira lá, embora não sou inteiramente certo porque. Quando tomei o trabalho no acampamento, era com o único propósito de passar o tempo com Jamie, para não ir a algum tipo de farra de sexo com os moradores gays. Eu nunca pensei que estaria abrindo essa caixa. Com Jamie. Para Jamie. "Tem certeza?" Pergunto densamente. Ele balança a cabeça. Aqueles olhos castanhos queimam com fome. Eles brilham com confiança. Eu memorizo a sua expressão, a forma como ele olha ali à minha mercê, grande e duro e ondulando com poder masculino. Eu levo o meu tempo com ele, mais generoso do que o normal com o lubrificante. Foda-se, eu não quero machucálo, e eu absolutamente não quero ele odiando isso. Eu não posso ajudar, mas me lembro da minha primeira vez, o quão barato ele me fez sentir, sendo usado por um cara que não dava à mínima se eu gostava ou não. Eu quero que isso seja tão bom para Jamie.


"Um dedo não será suficiente neste momento.” Minha voz é tão rouca que pica minha garganta. "Você precisa se acostumar com mais antes de eu... uh...”. Ele soa como uma voz rouca como a minha. "Você vai parar se eu não gostar?” Meu coração aperta. "Claro." Eu me inclino sobre ele e dou um beijo reconfortante em seus lábios, em seguida, pisco para ele. "Basta dizer ballsack3 se você quiser que eu pare." Uma onda de risadas o estremece. "Ah Merda. Eu esqueci completamente sobre isso." Eu rio muito quando penso sobre a ridícula palavra de código que fizemos quando tínhamos quatorze anos. Eu não tenho certeza quem começou com ela, acho que estava brincando? Era obviamente usado durante a fase de wrestling. Nós decidimos que MMA era a merda mais fresca em umas horas passadas no ginásio praticando nossos “Movimentos”. Exceto metade do tempo quando um de nós bateu para fora, o outro não iria notar, por isso, inventamos uma palavra segura. Eu acho que nunca vou esquecer o dia em que Pat entrou no ginásio e nos encontrou, flat no meu estômago com o joelho de Jamie cavando a parte de trás do meu pescoço, enquanto eu gritava "ballsack!" uma e outra vez. "Pronto para vir mais difícil do que você já veio em sua vida?" pergunto solenemente, levantando um dos joelhos para cima. Essa palavra tem muitos usos... 1. a "área escrotal"./2. um apelido para um amigo./3. um nome para alguém que não conhece./4. em vez de uma palavra como "merda" ou "Dane-se" quando em uma situação desconfortável./5. como uma palavra aleatória de gritar da janela de um carro enquanto dirigia por alguém andando na calçada./6. em estado de choque./7. em resposta a uma pergunta, não queres responder./8. como uma humilhação para alguém (chamando-lhes um saco)./9. como um regresso. 3


Ele sorri. "Você tem certeza que quer colocar muita pressão sobre si mesmo, cara? " "Sem pressão. Apenas fato. A ciência tem provado isso." Quando um segundo dedo se junta à equipe, sua sobrancelhas se une. Gotas de suor pausa em sua testa. Na minha também. Afrouxamento é uma das coisas mais quentes que eu já tinha feito. Leva toda a minha concentração. Acariciar, provocar, torcer, tê-lo pronto para mim. Aos três dedos, ele geme alto o suficiente para acordar os mortos, e eu libero sua ereção para pressionar a palma da mão para a boca. "Quieto, bebê." "Wes..." Ele está se contorcendo agora, empurrando sua bunda contra meus dedos. Toda vez que eu conecto com sua próstata, ele respira fundo. "Eu preciso de mais." Ele é bonito. Porra. E estou tão duro que dói. Meu batimento cardíaco decola como se fosse a separatista quando eu rasgo o pacote de preservativo com os dentes. Eu me cubro com uma mão, em seguida, despejo lubrificante sobre o preservativo para obter o látex. Meus dedos continuam a atormentar a bunda de Jamie. "Você está pronto para isso?" Eu falo. Seus lábios partem em uma respiração instável. Ele balança a cabeça. Agarro o meu eixo, eu me posiciono entre suas coxas grandes. Minha respiração é igualmente instável. Inferno, minha mão está tremendo em torno de meu pau como se eu nunca fizesse isso antes. Mas eu não fiz isso. Não com alguém que eu amo. A cabeça do meu pau cutuca seu buraco. Ele enrijece novamente, apertando-me negando sua entrada. Acho sua


ereção e meu punho para cima no seu comprimento. "Respire", eu sussurro. "Relaxe por mim." Sua garganta mergulha. Em seguida, ele solta outra respiração. Eu empurro para frente novamente, e desta vez eu sou capaz de aliviar. Apenas a ponta, mas inferno santo, a pressão é incrível. Ele é quente e apertado, me apertando no esquecimento. " Ah foda Ah Ah porra." É tudo o que parece ser capaz de dizer quando meu pau vai mais profundo. As bochechas de Jamie são liberadas, com os olhos vidrados. Se eu durar mais de cinco minutos, vai ser um milagre. Então, novamente, estamos em Lake Placid, que acontece de ser Miracle Central. Sua ereção pulsa no meu punho, mas eu não o acaricio. Ainda não. Não até que ele me implore para fazer. "Jamie... você está bem?" Ele geme em resposta. Eu sou todo o caminho agora, e meu pau está no céu. Eu estou no paraíso. Eu me inclino para frente e cubro seu torso com o meu, meus cotovelos sobre ambos os lados de sua cabeça enquanto eu me curvo para beija-lo. Então eu começo a me mover. "Oh... Deus..." Ele sussurra as palavras em os meus lábios e eu engulo-o com outro beijo emaranhando a língua. Eu transo com ele lentamente, deixando que se acostume com a sensação, mas Jamie Canning é um mestre a adaptação. É ele que envolve seus braços em torno de mim, que conecta as pernas em volta da minha bunda. É ele que começa a balançarse para atender cada impulso, e ele que diz: "Mais rápido, Wes" quando eu tento desesperadamente ir devagar.


"Não quero te machucar", murmuro. "Quero vir", ele murmura de volta. Eu sorrio quando ele serpenteia a mão entre nossos corpos, tentando encontrar seu pau. Ele está queimando, seu rosto no meu peito lavado com desejo. Quando ele carrega para baixo em minha bunda os gemidos em frustração, eu tenho piedade do meu homem e subo de joelhos novamente, arrancando seus quadris para puxá-lo para mais perto. O novo ângulo faz com que ele amaldiçoe. Seu dedo esquadrinha a sua ereção, mas eu gentilmente tiro fora. "Meu trabalho, baby. eu faço você vir." Retiro até só minha cabecinha permanecer dentro dele. Nossos olhares se bloqueiam. Sua respiração acelera. Então eu masturbo o seu pau em uma bomba de longo e difícil ao mesmo tempo em que eu bato de volta. Eu tenho que lhe dar crédito, que ele consiga ficar quieto dessa vez. Ele morde o lábio para não gemer, suas lindas características tensas. Ele está perto. Posso ver nos seus olhos, senti-lo na urgência com a qual ele mói o rabo dele contra minha virilha. Estou coberto de suor. Minha própria libertação é iminente e quero tanto prolongá-la, mas isso é como passar o disco para Gretzky e pedir-lhe para não tomar um tiro. Não há nenhuma forma de parar o orgasmo. Ele chia nas minhas bolas e ondula através do meu eixo, e venho enquanto ainda roubo o pau de Jamie. Meu mundo é reduzido ao homem debaixo de mim. Comporto-me quase uma cena bem de uma vontade de gritar "Eu te amo!" enquanto tremo em comunicado. Mas lutar contra a tentação e o foco de Jamie onde ele precisa ir e ficar. Meu pau permanece duro apesar do clímax alucinante. Eu


continuo transando com ele, continuo empurrando para frente com minha mão trabalhando sua ereção. "Oh... sim..." Puro êxtase rola através de mim quando sua libertação embebe meus dedos. Ele vem em um grito estrangulado. E continua vindo. E depois vem um pouco mais. Acho que ninguém pode dizer que ele não gosta dele mesmo. Quando ele finalmente vai, eu entro em colapso em seu peito pegajoso e rosno em seu ouvido. "Essa foi a coisa mais quente que eu já vi. " Ele se apega a mim, suas grandes palmas pressionadas para amortecer minha volta. Nós mentimos desse jeito há muito tempo. Eu só estou à deriva na minha própria felicidade. Eu levo uma vida grande, e é um inferno de um passeio. Mas não há muitos momentos como este. Eu quero carregá-lo em todos os lugares que eu vá. Finalmente Jamie fala. "Você acha que alguém ainda está doente?" "Como?" Há apenas duas pessoas que existem para mim agora, então eu não tenho ideia do que ele está pedindo. "Eu só estava esperando que eles tirassem tudo a caminho de casa." Ele está falando sobre os adolescentes bêbados que levou metade da porra de uma hora a pé para casa esta noite. Tivemos que caminhar para eles ficar sóbrios. "Eles estão bem," murmuro. Eu beijo o pescoço suado de Jamie, e ele tem gosto de céu. "Devemos nos limpar?" Ele pergunta. Eu não posso esperar até este momento muito longo. Não vai esticar e ficar comigo não importa o quanto eu quero ele. "Sim. Você quer ir primeiro?"


"Vá em frente." Levo meu pegajoso pau para o banheiro para um banho de sessenta segundos. Quando eu volto para o quarto, Jamie parte para seu próprio banho. Olho para minha cama, amaldiçoando seu tamanho. As camas são embutidas na parede, de modo que as únicas vezes que eu empurrei elas juntas foi na minha imaginação. Às vezes, dormimos juntos, mas é um ajuste muito apertado. Eu tenho uma ideia, no entanto. Na verdade, eu pensei nisso antes, mas estava com medo de trazê-lo para cima. Foda-se, no entanto. O verão está na metade. Em um, perdido por uma libra. Meu colchão desliza para fora da moldura de madeira quando eu dou-lhe um puxão. Eu deixo-o cair no chão ao lado da minha cama. Há apenas espaço suficiente à esquerda de Jamie, para fazer o mesmo. Estando lá olhando para o meu colchão, eu me sinto exposto de uma forma que eu não me senti antes. Jamie e eu brincamos, nós não falamos sobre isso. Eu não pedir-lhe qualquer coisa exceto orgasmos. Tem que ser assim. Eu estou indo para Toronto em um mês, onde eu jurei manter minha cabeça para baixo e jogar o melhor hóquei que esses filhos da puta já viram. Meu ano de estreia vai ser impecável sem escândalos, sem travessuras. É chocante, mas meu pai e eu temos, na verdade, um acordo sobre alguma coisa pela primeira vez na nossa vida, a desculpa de um relacionamento intermitente em torno de minha sexualidade não é uma boa ideia agora. É por isso que me assusta eu estar me tornando tão ligado a Canning. Dizer ao cara que já estou estupidamente, repugnantemente apaixonado por ele...


Eu sou, e sempre fui. Eu amo tudo sobre ele. Sua força tranquila, seu humor seco, sua abordagem à vida despreocupada que contrasta com a sua maneira controlada no gelo. Aquele corpo sensual como pecado... Eu fiz certo em manter meus sentimentos por ele em segredo, no entanto. Ele acha que nós estamos apenas brincando. Bom tempo Wes apenas ter algum divertimento. Mas eu mudei o jogo para mim esta noite. E se eu deixá-lo saber o quanto eu quero ele ao meu lado na cama, isso vai mudar para ele, também... É por isso que eu estou de pé aqui e de cueca, discutindo comigo mesmo sobre se eu deveria ou não ter jogado o colchão no chão. A porta se abre atrás de mim, e eu estou tão perturbado. A toalha de Jamie está longe do cabelo dele. Ele olha para baixo o colchão. "Nunca pensei nisso", diz ele. A toalha pousa em nossa cadeira de trabalho não utilizada, e então ele arranca seu colchão para baixo, também. Meu rosto aquece e eu vou para desligar a luz. É difícil se mover ao redor da sala com o espaço dos colchões. Jamie vai para a cama do seu lado, e me deito também. Eu envolvo um braço em volta de sua cintura e acaricio sua barriga nua com a minha mão. "Você está bem?” Eu murmuro. Como se mudasse o nosso sono para confortá-lo. "Vou ficar dolorido, não é?", indaga. Eu hesitei. "Talvez um pouco. Sinto muito." Ele pega minha mão e beija a palma. "Valeu a pena." Agora eu estou sorrindo no escuro. Segurá-lo é o mais próximo desafio. Mesmo que toda a minha vida vá para a merda antes do café da manhã, eu sempre vou ter essa noite.


24 As crianças não estão tão de ressaca como deveriam estar. Tinha se esquecido de como o corpo de adolescente pode recuperar de qualquer coisa. As brocas do dia já acabaram, e ninguém sequer olha verde. Agora, os adolescentes estão treinando na pista de prática, e Kilfeather está chutando algumas bundas. Toda vez que ele defende eu sinto como se tivesse feito algo de bom. Esse garoto vai ser grande um dia. Ele é material de bolsa de estudos, e espero que o pai pare de se queixar de Kilfeather para poder apreciá-lo. Os jovens na frente que tem sido treinado por Wes são finalmente bons juntos. Já tomaram alguns tiros a gol. E Wes é rápido no jogo. Mesmo os preguiçosos círculos para trás que ele patina são fluidos e poderosos. Há muito talento certo que agora eu mal posso acreditar nesta sala. É por isso que eu fiz a caminhada de 2.500 milhas todos os anos. Por isso. Há outro ataque na rede. Shen faz uma passagem fitapara-fita para Davies, que não hesita. Ele atira-o para o gol antes que Killfeather possa detê-lo. Um pequeno grito de


vitória sobe a partir da equipe de pontuação. "Fumava você, Killfeather!" Davies grita. "Você é uma peneira, Mané!" Oh, merda. Aqui vamos nós. Eu assisto Killfeather empurrar sua máscara para cima. Em seguida, ele leva sua garrafa de água para cima da rede e derrama um pouco em sua boca. Eu estou meio que esperando ele cuspi-la no rosto de Davies, porque o rosto de meu garoto fica vermelho. Eu me preparo para o desastre. Killfeather joga a garrafa para a rede. Em seguida, ele bloqueia os olhos comigo. Por favor, não exploda como uma mina terrestre, eu silenciosamente imploro. Meu goleiro na verdade dá-me um pequeno sorriso antes de falar. "Sim, Davies. Você me bateu. Só levou duas dúzias de tentativas, grande coisa Mané." Ele arranca a máscara para baixo sobre o rosto e pega seu pau. Wes está sorrindo quando ele patina para recuperar o disco. "Boa atitude hoje, garoto", ele diz para Killfeather. O adolescente parece um pouco presunçoso, quando ele arremessa o disco na mão de Wes. Estou tão envolvido neste pequeno drama que não percebi cabeças estão girando para olhar alguém que apareceu atrás da pequena caixa. "Jamie! Aqui!" Eu me viro para encontrar Holly de pé lá, agitando os braços. "Holly", eu digo estupidamente. "O que você está fazendo aqui?" Ela revira os olhos, as mãos nos quadris de um pequeno par de shorts jeans. "Isso é um pedaço de uma saudação, Canning. Você pode fazer um pouco melhor do que isso." "Puxa vida", Killfeather fala.


"A namorada do treinador Canning tem uma bunda grande." "Cale-se," eu sussurro, encarando-o. Mais de uma dúzia de adolescentes estão agora olhando uma Holly em seu pequenino shorts e top acanhado. De repente, meu pescoço está quente. E isso foi antes de olhar para Wes. Patins acima, um pequeno sorriso torcido em seus lábios. "Você está tendo uma visita, Canning?" "Hum". Perdi a capacidade de falar, porque estou ocupado peneirando todas as conversas desconfortáveis vindo em minha direção. "Holly, este é meu amigo Wes". "Eu me lembro de você do hotel," ela diz com uma piscadela. Wes mantém seu próprio sorriso serrado, e você teria que saber dele como eu faço para ver o olhar de desprezo por baixo. Caramba. "Parece que deveria parar cedo, treinador. Leve sua garota para bebidas. Passear um pouco." "Seria incrível", diz Holly. “Eu parei no dormitório primeiro, e o treinador Pat disse que provavelmente deixaria Jamie livre." "Sim, ok," Eu disse devagar. "Vamos lá". "Vocês se divirtam," diz Wes vagarosamente. Então ele vira as costas para mim e toca o apito. "Vamos lá, meninos! Suficiente, em pé ao redor." É assim que eu me encontro removendo meus patins e saindo da pista uma hora mais cedo com Holly. "Deus, você está bem" Ela para na etapa do edifício para me bater com outro ofuscante sorriso, em seguida,


levanta-se na ponta dos pés e... Beija-me. Sua boca é menor e mais suave do que eu esperava que fosse. Confusão deve estar escrito por todo o meu rosto, porque ela diz, "Desculpe surpreendê-lo, mas eu pensei que seria divertido." "É... Uau", eu gaguejo. "Como você chegou aqui?" "Bem, quando eu ameacei treinar no trapézio, meu tio me emprestou seu carro. Pensei em fugir para a noite.” Eu faço a matemática. Tem que ser cinco horas de carro de Cape Cod. "Uau", eu digo novamente. Aparentemente, "wow" é agora três quartos do meu vocabulário. "Jamie", diz ela, olhando para mim. "Está pirando." “O que?" Ela inclina a cabeça para o lado, e aqueles olhos azuis familiares me estudam. "Você está entrando em pânico. Por quê?" "Hum..." Eu não posso dizer para ela. Porque Holly planejou ficar comigo essa noite. De fato, no verão eu disse que ela poderia visitar e fazer funcionar, mas ela não tinha sido capaz de balançá-lo em seguida. Porra. "Querido." Ela atinge até a copa do lado do meu pescoço. "Há mais alguém?" Meu coração acelera, porque não há alguém. Meio que. Wes e eu não somos um casal, exatamente. Nós nunca tivemos uma conversa sobre isso. Mas não há nenhuma maneira de que eu estou dormindo com outra pessoa agora, simplesmente não seria correto. "Há", eu admito. Seus olhos se arregalam. Ela fez a pergunta, mas ela ainda parece bastante chocada com a minha resposta.


"Quem é ela?" Eu balancei minha cabeça. "Você não a conhece. Sinto muito”, eu digo rapidamente. Ela tira a mão dela de mim dando passos para trás. "Ok." Ela morde o lábio. "Eu deveria ter ligado. " "Eu sinto muito", repito. E eu sinto. Holly só foi boa para mim. Mas depois da formatura, que tivemos uma conversa. Ela disse: "Eu quero ver você quando você estiver em Detroit, "e eu disse:" Isso provavelmente não vai funcionar. " Ela disse: "Vamos ver." E agora aqui está ela, seu rosto está vermelho. "Olha", eu digo a ela. "Vamos tomar um sorvete. Ou tequila, se você preferir. Eu quero me atualizar com você." "Nós ainda somos amigos", ela diz baixinho. "Sempre." Seus olhos vagueiam longe de mim e mais em direção ao lago. Ela toma uma respiração lenta. "Ok, Jamie Canning. Mostre-me Lake Placid. Você sempre me falou o quanto ama aqui. " Seu olhar retorna para mim. "Mostre-me o porquê." Por um momento, minha mente vai direto para sarjeta, porque Lake Placid significa algo um pouco diferente para mim nesse verão do que foi antes. Mas eu espanto esse pensamento e seguro sua mão. "Como você se sente sobre cones de waffle?" Ela fecha os dedos com os meus. "Eu sinto muito bem sobre cones de waffle. " Nós passamos a tarde juntos andando por toda a cidade. Holly gosta de fuçar nas pequenas lojas de turistas, e este fica velho muito veloz. Mas desde que eu arruinei seu dia


uma vez, eu só vou junto com ela. Eu mostro a loja de brinquedos com a banda incrível de borracha armada, e ela compra uma para o irmão. Ela têm metas estabelecidas no interior da loja, por isso, ficar lá por um longo tempo tentando tirar um aos outro entre si. Algumas portas para baixo há outra loja para fazer compras, e eu seguro o meu suspiro quando ela me leva para dentro. Ela pára para olhar um bando de canecas de café, enquanto eu ando até o corredor de volta onde eles têm um monte de doces para venda a granel. E quando eu dou uma olhada, eu deixo escapar uma casca de descrença. "O que é isso?" Holly pergunta. "Skittles roxo!" Eu pego um saco e mantenho sob a rampa. "Puxe a alavanca", digo para Holly. Ela faz, e eu não digo para "parar" até que o saco esteja cheio. Então eu rio todo o caminho até o caixa. "O que é tão engraçado?" Eu jogo a minha carteira no balcão. "Tenho um amigo", eu começo. Sinto-me como um canalha descrevendo Wes assim, mas é o melhor que posso fazer no momento. "Costumávamos mandar esta caixa uma para o outro, como, presentes dentro." "Isto é engraçado. E ele gosta de Skittles roxo? " "Sim. Exceto a última vez que eu mandei Skittles roxo na caixa, você tinha que comprar todas as cores de uma vez. Eu comprei quatro sacos gigantes em..." Santo Deus, o nome da loja faz com que uma bolha de inadequado riso suba no meu peito. "Classificando eu mesmo para envia-lo somente as roxas. Então eu compartilhei tipo, cinco quilos dos outros com os meus amigos do ensino médio em uma festa. Foi uma


festa, e quando eles fizeram o bocejo de Technicolor, foi realmente Technicolor." "Obrigado por isso." "O prazer é meu." Quando saímos, ela limpa a garganta. "Jamie, eu preciso encontrar um lugar para ficar hoje à noite. Podemos sentar em algum lugar para que eu possa usar o meu telefone?" Eu não respondo imediatamente, porque eu estou forçando meu cérebro para uma solução. Qual não é fácil, porque o dormitório é sempre muito cheio. "Deixe-me te encontrar um hotel", sugiro. "Eu tenho", ela diz rapidamente. "Sério. Não é grande coisa." Ainda. "Vamos sentar na varanda do dormitório. Você pode usar o wi-fi. E se tudo ficar reservado, eu vou pedir para Pat para poder ajudar." "Obrigado." Sua voz é baixa. Outro pedido de desculpas está na ponta da minha língua. Mas eu não digo. Porque eu não posso dizer o que ela queira ouvir. Não há ninguém nas cadeiras de balanço, então Holly e eu definimos com a senha de acesso wi-fi e digo a ela que eu estou indo para obter-nos um par de bebidas. "Eu já volto," Eu prometo. Então eu subo as escadas e vou por nossa sala, esperando que Wes esteja lá. O quarto está vazio. Antes de sair de novo, eu pego o presente que Wes tinha me enviado em Boston. Eu tinha trazido todo o caminho para Lake Placid, porque eu estava tentando decidir se eu deveria reiniciar nossa meme. Mas então ele apareceu aqui, e eu esqueci completamente.


Agora eu despejo balas roxas na caixa e fecho a tampa. Deixo-a em sua cama, eu me pergunto se eu deveria deixar algum tipo de nota. Mas o que diabos diria? Antes de Holly aparecer, parece que não importava que Wes e eu estivéssemos juntos sem qualquer tipo de discussão sobre isso. Não precisamos de um rótulo. Esta sala era como nossa bolha privada, tudo o que aconteceu aqui é só entre nós. O resto do mundo não importa. E estava bom. Exceto que o resto do mundo ainda existe, eu lembrando ou não. De repente tudo ficou complicado e não por causa de Holly. Isso foi só um momento constrangedor com um amigo. Em poucas semanas, porém, ele e eu estaremos sobre duas diferentes equipes de NHL4 em duas cidades diferentes. Estamos indo para uma virada independentemente, e eu só não tinha percebido isso. Apressando-me de volta para baixo, eu pego dois refrigerantes e levo-os para a varanda onde minha amiga espera. "Eu encontrei um lugar fora da cidade", diz ela. "Não é muito caro." "Você tem certeza? Eu não quero que você..." Ela levanta sua mão, para silenciar-me. "Tudo bem, querido. E de manhã eu vou voltar para Massachusetts, ok?" "Nós poderíamos..." Holly balança a cabeça. "Você tem um trabalho a fazer. E não é culpa sua, Jamie. Eu não... Eu não estava sendo esperta." As palavras são firmes, mas os olhos tem um pouco de água, e custa-me vê-lo. "Peço desculpa", eu sussurro. "Eu me importo com você, mas...".

4

Liga Nacional de Hockey.


Mais uma vez ela me acena fora. "Você nunca foi desonesto, Jamie. Não comece agora." Ok. Bem em seguida saímos para jantar juntos. Escolher um restaurante de mariscos agradável bem na água, mas quando comemos nossa torta, o humor é subjugado. "Você me dirá sobre ela?" indaga em um ponto. Eu balanço a cabeça. "Não vamos fazer isso." Holly me dá um sorriso triste. "Eu só estava tentando ser uma menina grande." Tomo um longo olhar para ela. "Eu posso dizer uma coisa que eu estou tentando para uma garota grande sobre isso?" Holly sorri, e estou feliz por tê-la feito fazer isso. "O quê"? "A ideia de mudar-se para Detroit deprime o inferno fora de mim." Eu não disse a ninguém ainda, e é bom tirar isso do meu peito. Ela agita sua bebida com o canudo. "Eu sei que não é a cidade mais bonita do mundo, mas você pode encontrar um lugar agradável lá, eu aposto. " Eu balancei minha cabeça. "Deterioração urbana não é o problema." Embora não esteja me ajudando imaginar uma vida lá. "Eu não sei nada. E não estou recebendo qualquer tempo de jogo no próximo ano. Sejamos honestos." "Oh, querido." Ela suspira. "O primeiro ano pode ser duro. Mas você é bom no que faz." "Veja, eu sei disso. Não é que me falta confiança. Mas as chances de realmente me tornar um goleiro são horríveis. Não é apenas o primeiro ano que ficara chato. Poderia ser cinco anos onde eles me jogam duas vezes em uma


temporada, e eu só estou esperando minha grande chance. Ou mandam-me para os menores, e eu jogo sete jogos em vez de dois." "Ou alguém pode se machucar, e seu número poderia vir para cima." Ela coloca a mão sobre a minha. "Mas eu sei o que você está dizendo. É um tiro longo. E não vai ser sua culpa se não funcionar." Um garçom vem para levar os nossos pratos para fora do caminho, e Holly pede um pedaço de bolo. "E duas colheres." Eu nunca fui um fã de bolo apagão, mas agora não é o momento de apontar isso. "Eu não gosto de me sentir ingrato", eu digo a ela. "Todo mundo está tão animado para ver-me no 'NHL' e obter estrelas em seus olhos. Eu não estou certo do que fazer." "Eu acho que você mostra experiência. Dê-lhe um ano?" "Talvez." Essa é a escolha fácil. Mas eu posso ver como eu poderia acabar esperando para sempre. Você poderia manter-se dizendo, apenas um pouco mais longo! "Talvez haja algo mais do que eu poderia fazer neste ano, apesar de tudo." "O que o seu amigo Wes acha?" Ela pergunta de repente. "O quê?" A menção de seu nome me assusta. "O que ele pensa sobre Detroit?" Ela espera pela minha resposta. "Eu, uh, não pedi sua opinião," eu confesso.


"Ele quer ser tanto profissional. Eu não tenho certeza se ele entenderia. Mas é diferente para ele. Há mais demanda por centros. E ele tem Frozen Four para ganhar...”. "Deveria ter sido seu", diz Holly firmemente. Ela é leal ao núcleo. Eu olho por cima da mesa para ela todo o conjunto de olhos e desejo ser diferente. Se eu fosse no amor com Holly, a vida seria menos confusa. Mas eu não sou. E não é. Quando chega o bolo de chocolate escuro, digo a ela que estou muito cheio para ter qualquer bolo. Então eu vou até o banheiro.


25 Já passa da meia-noite quando eu caminho de volta para o dormitório. Felizmente Pat não está sentado na cadeira de balanço, porque não há nenhuma maneira que eu possa continuar uma conversa normal agora. Andar em linha reta é também um desafio. Yeppers, talvez esteja um pouco bêbado. Eu chego à porta de Canning e olho para ela por um bom minuto. Foda-se, e se a namorada dele estiver aí? Fiquei longe o quanto pude, mas um homem tem que dormir em algum momento. E não vou dormir na varanda. Ele me mandaria uma mensagem se ela estivesse dormindo aqui diria para ficar longe. Certo? O pensamento é como uma lâmina quente na barriga. Não acredito que sua namorada apareceu acampamento. Ele passou o dia todo com ela. Toda a noite também, provavelmente.

no


Minhas mãos enrolam em punhos como um desfile de imagens indesejáveis marchando pela minha cabeça. As grandes mãos de Jamie nas curvas femininas de Holly. O pau dele deslizando dentro dela. Seus lábios levemente naquele sorriso sujo que ele sempre me dá antes de colocar sua boca no meu pau. Eu sou um idiota, maldito. Eu não deveria começar nada com ele. Vou acabar de uma vez e ir para Toronto, de qualquer maneira. Assim inferno, talvez seja melhor se ele apenas terminar agora. Finalmente viro a maçaneta. Ela está desbloqueada. E quando eu entro no quarto, vejo que o colchão de Jamie está no chão novamente, exatamente onde ele tinha colocado na noite passada. Mas o meu está sobre a estrutura da cama onde eu coloquei esta manhã. Jamie é o único no quarto. Minha pressão arterial alivia, mas apenas um pouco. Ele está dormindo. Bom, porque eu não estou com a mente boa para falar com ele agora. Eu posso sentir meu temperamento pulsando através das minhas veias, juntamente com todo o álcool que eu bebi. O quarto está irritantemente escuro. Eu tropeço para frente, o braço esbarra no lado da cômoda, desbotou o meu jeans. Eu chuto para longe, em seguida, tiro a minha camisa. Eu estou em minhas boxers agora. Eu só preciso ir para a cama sem acordar Canning, e então nós dois vamos estar dormindo e a grande conversa pode ser tratada na parte da manhã. Eu alivio meu corpo sobre o colchão silenciosamente. Isso aí. Eu fiz isso. Meu cu bêbado está agora na cama e Jamie ainda está dormindo.


Minha cabeça se choca com algo duro, e, em seguida, uma explosão de som vem através da sala. Uma sinfonia de zunidos e mossas e retinir assaltam meus ouvidos. É como se alguém pegasse uma marreta e quebrasse a máquina de balas e desencadeasse uma onda de doces. Eu cambaleio para os meus pés, xingando alto quando estou em algo duro e redondo. "Filho da puta, filho da puta!" Eu salto em torno de um pé quando eu uso minha mão para esfregar a dor através do outro pé. Jamie está em uma posição sentada, com sua voz em pânico cortando a escuridão. "Que diabos?" "Sério? Você está me perguntando?" Eu resmungo. "O que você colocou no meu travesseiro?" "Skittles". Ele diz isso como se fosse suposto fazer sentido. "Por quê?" Ajoelho-me, tentando encontrar a caixa que eu tinha apenas apagado na minha cabeça. Ouço passos de Jamie indo para a porta, em seguida, um interruptor acende, há inundações de luz na sala. Jesus. Um mar de Skittles roxo cobre o chão e colchão de Jamie. Um nódulo sobe na minha garganta enquanto eu percebo o significado do que eu estou vendo. Pegando a caixa que eu tinha dado a ele em Boston, ele encheu com o meu doce favorito e deixou-o no meu travesseiro. Como uma desculpa para passar o dia com sua ex? Ou é um pedido de desculpas por algo mais? Algo pior... como porra sua ex.


Jamie agacha ao meu lado. "Ajude-me a limpar isso. " Ele soa irritado. Olhar isso, também. Só me irrita, porque inferno ele tem que ter raiva? Eu sou o escolhido que ficou abandonado hoje. Nós não falamos quando começamos a pegar os Skittles. Sua mandíbula está definida em uma linha tensa, e ele está jogando o doce de volta na caixa com mais força do que o necessário. "O quê é?" Eu murmuro quando eu vejo a cara feia para mim. "Você voltou tarde." Sua voz é apertada. "É a nossa noite de folga. Peguei uma bebida no De Lou." Eu estiquei a mão debaixo da minha cama e reuni mais Skittles. "Eu diria que você teve mais de um. Seu hálito cheira como uma cervejaria." Seu tom de repente aguça. "Você não dirigiu, não é?" "Naw. Eu dei um passeio." "Com quem?" "O que há com as Vinte Perguntas?" Jamie chicoteia um Skittle na caixa, mas salta de volta para fora, derrapando no âmbito da escrivaninha. "Nenhum dos outros caras têm carros, Wes. Por favor, não me diga que você saiu com algum estranho aleatório." Culpa pica minhas entranhas. Mas por que diabos estou me sentindo culpado? Ao contrário de algumas pessoas, eu não passei o dia divertindo ao redor com uma ex. "Quem te trouxe para casa?" Ele exige quando eu não respondo. Eu encontro o seu olhar de frente. "Sam".


A respiração de Jamie engata. É inconfundível a nuvem de dor em seus olhos. "Está brincando? O cara do aplicativo ficante?" "Convidei-o para uma bebida," Eu disse com um encolher de ombros. "Qual é o problema?" Ele não responde. Ele só se ajoelha em seu colchão, recolhendo mais doces. "Você está seriamente chateado agora?" Eu luto uma explosão de irritação. "Porque você é aquele que me abandonou hoje, Canning." "Como o inferno! Primeiro de tudo, você me disse para cair fora mais cedo. E eu não sabia que ela estava vindo para cá, OK? Ela apareceu do nada, e, o que, eu deveria ignorá-la? Ela é minha amiga." "Ela é sua colega de transa", eu atiro de volta. "Não mais." Ele levanta ambas as mãos através de seu cabelo, então pega a caixa e bate sobre a mesa. O chão parece muito claro, mas eu sei que não há nenhuma maneira de nós conseguirmos pegar todos os doces. Canning deve ter limpado toda loja de doces do caralho. De qualquer forma, os Skittles são esquecidos quando Jamie lança um olhar irritado em minha direção. "Mas só porque não estamos transado não significa que ela não é mais minha amiga. E ela dirigiu até aqui para me ver. Então, sim, eu passei o dia com ela. Fui às compras, fomos jantar." Eu não posso controlar a raia quente de ciúme que corre através de mim. "Aposto que foi divertido. Fez você comer alguma boceta para a sobremesa? " Sua boca cai aberta. "Você realmente disse isso? " Tenho certeza que fiz, e eu nem sequer me arrependo. Eu sou doente à morte de não saber onde eu estou. Onde


estamos. Ontem à noite, eu estava dentro deste cara. E no segundo que Holly apareceu, ele agia como se fôssemos estranhos. Ele nem mesmo olhou para mim antes que tivesse ido com ela. Não vou mentir, estou magoado. "Estou errado?" Pergunto sem rodeios. Jamie libera um lento fôlego, como se ele estivesse tentando se acalmar. "Eu quero dar um soco em você agora, Wesley. Como, por real." Eu defino o meu queixo. "O que, por ousar chamá-lo fora o fato de que você ainda está com mulheres?" "Você realmente acha que eu estive com você e depois fui para a cama com ela? Eu não sou um filha da puta! O que mais posso dizer de você e seu precioso Sam." "Eu não quis ficar com ele, também." Frustração atravessa através de mim. "Fomos tomar uma bebida e falar sobre você o tempo todo. Burro." Jamie pisca. "Então por que diabos está argumentando agora? " Eu vacilo. "Uh. Eu não tenho mais certeza." Há uma batida. Em seguida, ambos soltamos uma risada tensa. Estou me sentindo muito menos hostil e muito mais sóbrio quando eu ando mais para fechar a porta e desligar a luz novamente. Quando eu volto para Jamie, ele está acenando para mim no escuro de seu colchão no chão. Quando eu sento na borda, ele me puxa para baixo para seu travesseiro. Estamos estendidos em nossos lados, de frente entre si. Nós dois estamos esperando que o outro vá falar. Então Jamie suspira sua expressão piscando com resignação. "Eu não gosto da ideia de você sair com outra pessoa."


Eu engulo minha surpresa. "Tão pouco eu com você, querido." "Eu disse a Holly, que havia outra pessoa," ele admite. "Mesmo, quando ela chegou aqui." Meu coração voa. "Você fez?" Sua voz é grossa. "Sim". "Eu disse a Sam a mesma coisa", eu confesso. "Ele tentou tirar uma sensação quando nos abraçamos e descaradamente disse que eu não estava lá para isso." Seus olhos se estreitam. Ele desliza em direção a mim, um braço vindo à minha cintura quando sua quente palma cai sobre a minha bunda. "Onde fez ele tocar em você? " Jamie aperta uma de minhas nádegas. "Aqui?" Eu rio. "Sim." "Idiota." Eu me inclino mais perto e beijo a ponta de seu nariz. "Isso é o mais longe que chegou o homem. Eu prometo." "Não tem que prometer. Eu confio em você." Meu estômago se agita em sua declaração séria. Ele confia em mim. Porra, eu sou um idiota. Porque a confiança era a última coisa que eu senti hoje quando estava imaginando as mãos do Jamie por toda aquela garota. E o fato de que ela estava balançando sua vagina faz mil vezes pior. Nunca tive que me preocupar que o cara na minha cama pudesse escolher uma garota por mim. Então, novamente, eu nunca ligo o que fizeram os caras depois que deixaram a minha cama. É diferente com Jamie. Sinto-me doente quando eu o imagino me deixando. Sinto-me mais doente, sabendo que estou competindo com não uma, mas duas piscinas de sexo para sua afeição.


Só que não tenho sua afeição por muito mais tempo. Uma vez que o acampamento acabar, vamos para caminhos separados. Eu não tinha brincando com Cassel no outro dia — se eu quiser ter sucesso com os profissionais, preciso manter minha calça zipada. "Mas acho que precisamos de algumas regras básicas ou algo assim", diz Jamie com tristeza. Eu engulo. Regras sempre tiveram uma relação de amor e ódio. "Como o quê?" "Com exclusivo."

o

tempo

que

estamos

brincando

somos

Há. Porque eu não estou tão interessado em me enroscar com alguém mais. Ainda assim, eu aceno de acordo, porque acontece que eu sou muito interessado em ter certeza de que ele não vai se enroscar com ninguém. "Combinado. O quê mais?" Ele franze os lábios. "Ah... isso é tudo que eu tenho por agora. Você?" Compotas de relutância em minha garganta. Eu sei que preciso dizer isso, mas eu não quero. Eu quis esse cara por muito tempo. Para sempre. E o pensamento de deixá-lo ir a menos de um mês me desfaz. Mas eu vou ter que falar. "Nós terminamos quando a temporada do acampamento terminar." Minha voz sai rouca, e eu rezo para que ele não possa ouvir a nota de dor nela. "Nós só temos o verão." Jamie fica em silêncio por um momento. "Sim." Ele soa igualmente rouco. "Eu imaginei." Eu não posso dizer como ele se sente sobre isso. Desapontado? Triste? Aliviado? Sua expressão não revela


nada, mas eu não decidi a empurrar para responder. Além disso, eu sou o único que veio com essa regra. Eu deveria estar feliz que ele não está lutando-me sobre ele. "Devemos ir dormir", sussurro. "Sim." Ele fecha os olhos, mas em vez de rolar, ele muda mais perto e me beija. Volto seu beijo suavemente. Quando eu coloco a mão em seu quadril, as dobras de tecido debaixo dos meus dedos tem uma forma que se sente familiarizado. Ele não está usando sua cueca de costume, assim que eu quebro o nosso beijo olho de soslaio para ele no escuro. "Canning," Eu sussurro. "Você está usando sua cueca com gatinhos? " Mesmo sob a luz fraca Eu posso ver o canto de sua boca. "Então, e se eu tiver?" Por alguma razão, isso me faz inconcebivelmente feliz. Eu me inclino para tocar meu sorriso ao seu. Mas Jamie se contorce um pouco, como se desconfortável. Em seguida, ele enfia a mão pela volta da cueca acima mencionada e escova algo. "Tudo está bem lá para trás?" Pergunto, como se eu tivesse deixado a marca nele. "Apenas, uh, um Skittle em meus shorts." Caímos na risada até que os nossos lábios se encontram mais uma vez. E de novo. Finalmente eu sou capaz de relaxar. Seus braços próximos ao meu redor e me sinto voltando para casa. Nossas bocas se encaixam tão perfeitamente. Toda vez que nos beijamos, eu caio ainda mais em amor com ele, e não tem nada a ver com sexo ou luxúria. É ele. Sua proximidade e o seu cheiro e o jeito que ele me acalma.


Minha vida tem sido caótico por tanto tempo quanto eu lembro, e eu sempre lidei com isso sozinho. Críticas dos meus pais, confusão sobre a minha sexualidade. Mas, daqui a seis semanas termina o verão, eu tenho que ficar sozinho. Mas eu tive Jamie, meu melhor amigo, minha rocha. Agora eu tenho ainda mais dele. Eu tenho o seu braços fortes em torno de mim e seus lábios preguiçosamente escovando os meus, e isso me mata que eu tenha que desistir dele quando eu for para Toronto. Nos beijamos por um tempo. Não há nenhuma urgência para fazer, nada mais do que isso. Nossos paus nem sequer entram na equação. Só nos curtimos, enquanto as palmas deslizam nas costas, doce, reconfortante. Eventualmente adormecemos com minha cabeça em seu peito e o som do seu coração firme debaixo de minha orelha.


26 JULHO

Vários dias depois, recebo um email de meu agente. Um ano atrás, eu adorava dizer isso. O meu agente. Soa muito importante, não? Não muito. Quando eu era criança colecionava cartões de hóquei. Eles vinham em embalagens de 10 com um pequeno pedaço de goma sabor horrível. Em cada pacote, havia um bom jogador — esperava que não houvesse cartões repetidos — e nove caras que você nunca tinha ouvido falar. Esses nove iam para o fundo da minha caixa de sapatos, onde esperavam. De vez em quando um daqueles caras subia nas fileiras, mas geralmente não. Avanço rápido os dez anos. Para meu agente, eu sou um daqueles cartões na parte inferior da caixa de sapatos. Na verdade, é improvável que os e-mails que recebo dele seja escritos por ele. Este me pede a data que eu estou indo para Detroit. "O clube vai colocá-lo em um hotel perto da pista até encontrar


um alojamento. Anexado, você irá encontrar informações de contato do mediador imobiliário. Por favor, marcar uma visita com o corretor de imóveis uma vez que você chegar a Detroit." O final do verão rasteja mais perto todos os dias. Não vou ser capaz de adiar os planos por mais tempo. Entre as sessões no rinque na quinta-feira, eu olho para Pat no seu apertado pouco escritório. Desde que eu tinha prometido a minha mãe, gostaria de tentar ir para casa, preciso descobrir se isso é possível. "Tem um segundo?" Eu pergunto da porta. Pat acena para mim, então se afasta da tela do computador. "O que foi treinador?" Ainda faz cócegas quando ele me chama assim. Campistas conseguem um o que é, garoto? "Estou tentando planejar minha vida, que é sempre um bom tempo. Então eu preciso saber como você está fazendo com sua falta de pessoal no final do mês." Ele dá-me um olhar pensativo. "Sente-se, Canning." Eu sento em uma cadeira me sentindo como uma criança que foi chamada para o escritório do diretor. E eu não sei por quê. Mas há algo sério em sua expressão, e acho que estou prestes a descobrir o que é. "Eu não ouvi você mencionar Detroit durante todo o verão," diz ele, dobrando as mãos em uma tenda. "Por que isso?" "Hum. Estive ocupado." E você não vai querer saber com o que. Pat sorri para mim, inclinando a cabeça. "Não entendi isso. Desculpa. Um homem que está recebendo tudo o que


quer na vida não pode permanecer em silêncio sobre isso. Nem mesmo você. " Droga. O treinador está tudo sobre papo cabeça. "Tenho, eu não sei. Não sei bem como vai funcionar, isso é tudo. Talvez em um ano não possa calar sobre isso." Seu aceno é lento. Pensativo. Sinto-me como uma ameba sob um microscópio. "Você sabe que eu acho que você é um baita de um goleiro. Você põe seu coração no jogo, e alguém vai notar. Mesmo se demorar algum tempo." É meio difícil de engolir tudo de repente. "Obrigado!" agradeço. "Mas eu me pergunto se você está sentindo isso. Nem todo mundo quer entrar nessa esteira quando ele poderia ser, digamos, treinar ao invés." Agora é a minha vez de olhar por cima da mesa. "Quem iria me contratar como treinador?" Pat faz um show olhando para cima no teto antes de encontrar meus olhos novamente. "Muitas pessoas Canning. Você já foi treinador aqui todos os verões desde que você começou a faculdade. Eu ficaria feliz de contar com você. E você tem grandes estatísticas na faculdade. Melhores estatísticas sobre a sua equipe. Rainier pode ainda querer você. " É tipo de uma sensação vertiginosa para permitir-me pensar sobre isso. Treinador? Como um emprego a tempo integral? Isso soa como uma explosão. Treinador no nível de faculdade me pagaria um bom salário, também. Nunca imaginei que eu poderia ter um trabalho assim. Mas Pat conhece as pessoas. Muitas delas. Todas em todo o país. Onde é que eu quero ser?


A ideia saia da minha boca antes que eu possa pensar melhor. "Você acha que alguém em Toronto pode precisar de um treinador defensivo?” As sobrancelhas espessas de Pat levantam, mas apenas por uma fração de segundo. "Não sei, Canning. Eles não jogam muito hóquei no Canadá." Então ele desata a rir. "Deixe-me ver o que posso fazer." Deixo seu escritório me sentindo mais leve, mesmo embora nada realmente mudasse, exceto há uma nova ideia na minha cabeça. Mas é um inferno de uma ideia. É a sexta-feira da semana dos pais, de modo que os treinadores têm esta noite de folga em vez do sábado porque somos obrigados a estar em um jantar especial com os pais amanhã. Quando Wes e eu éramos campistas, nem um de nós teve visitantes no fim de semana dos pais. Meu clã não poderia comprar a passagem aérea para exatamente sete pessoas e largar tudo para assistir eu jogar um amistoso em Nova York. E os pais de Wes ... Eles simplesmente não se importavam. Seu pai achava o fato de que seu filho às vezes ia aos jogos do campeonato estadual, mas se não havia nenhuma maneira de se gabar de um evento, ele não via porque de aparecer. E a mãe de Wes? Eu nunca conheci a mulher. Às vezes me pergunto se ela ainda existe. Como treinadores, o fim de semana dos pais significa que tem que aparecer e olhar atento. O acampamento é financiado com os pagamentos dos pais, e quando os pais pararm, eles querem ter certeza de que seus filhos estão recebendo 24/7 de atenção. A criança realmente não quer 24/7 de atenção, claro. Mas isso não é problema nosso. Wes e eu atrás da pista tentamos resolver nossas opções.


"Então me diga sobre esse concerto ao ar livre", ele diz. "É isso que estamos fazendo hoje à noite?" Wes está rolando através de suas mensagens. "Eu acho que a música seria bom." Ele olha para cima. "Diz o homem com o menino bandas em seu telefone." "Isso foi uma piada:" Eu engasgo. "Temos sido sobre isso. " Wes gargalha. "Uma coisa — vamos fazer um acordo. Faz um tempo desde que eu tive um jantar. Você me acha um bife, e eu vou submeter-me a este concerto." "Aqui, cara." Eu finjo que desabotoo minha calça. Ele joga um travesseiro em mim. "Alimente-me Canning. Música local ruim é mais fácil de aturar depois de um bife." Arranquei o meu telefone. "Podemos usar seu carro, certo?" "Certo." A maioria dos restaurantes em Lake Placid são lanchonetes, mas o Squaw Lodge na casa de barcos no Lago Oeste parece valer. E desde que o concerto ao ar livre é na mesma direção, é fazer uma reserva e esperar pelo melhor. Então fui até o armário, que partilhamos e pego uma camisa polo de Wes. Soltando-a na cama de Wes, encontro uma camisa Buttondown para mim e um par limpo de shorts cáqui. "Você quer me vestir?" Wes pede, içando a camisa na cabeça dele. "Vamos a um encontro, Canning?"


"Parece que sim. O lugar de carnes parece mais agradável de calção de banho e chinelos ". "Então, a culpa é minha." Suas palavras são malhumoradas, mas ele está admirando meu peito enquanto eu fecho a camisa. "Você é agradável, mel." Eu digo. Wes vai para o banheiro para escovar seus dentes, e eu vejo-o ir. Eu mesmo me pego admirando sua bunda. Ultimamente eu me encontro admirando ele, tentando levantar algum tipo de reação puta merda à ideia de que eu estou envolvido com um cara. Quando eu era jovem eu costumava tentar assustar eu mesmo andando sozinho pela floresta. Eu tentava perscrutar as sombras e imaginar algo aterrorizante, apenas para me dar um pouco de emoção. Mas nunca funcionou tudo tão bem, e nem minhas tentativas me assustam sobre os acontecimentos recentes. Porque é Wes. Ele não é assustador. E as coisas que fazemos na cama são simplesmente quentes. Quando isso acontece, o Grêmio é um bom restaurante. Mas não estamos mal vestidos, porque o lugar oferece dosagem. Em outras palavras, alguns dos convidados do jantar chegam em pequenas embarcações, despenteado pelo vento e queimaduras solares. Não temos uma mesa lá fora, porque só fiz a reserva a uma hora atrás. Mas o interior é escuro e lustroso, com estofos em pele e velas piscando em cima das mesas. É mostrado para uma confortável cabine lá atrás, e eu deslizo sobre a sensação de sede como isto era uma boa ideia. Sinto cheiro de alho pão e há uma lista de cerveja e um quintal longo. "Nós estamos indo para comer como Vikings," Wes diz, dando a anfitriã seu sorriso mais arrogante.


"Qual bife é o melhor?" A menina é muito feliz em ficar e conversar. "O crioulo é popular", diz ela com um lance de seu cabelo. "Eu gosto da tira de New York, embora." "Você sabe. Obrigado pela dica." Ela vai embora, balançando os quadris, e eu mordo de volta um sorriso. "Você estava tão perto de fazer uma piada de mal gosto, não é? Seja honesto." Wes atinge o outro lado da mesa para cobrir a minha mão com a sua. Ele faz uma cara de morto-grave, do tipo que ele só faz quando está puxando minha caderia. "Eu estava tão perto de fazer uma boa piada. Duh." Isso é quando um cara pára acima de nós. "Boa noite! Eu sou Mike, e eu serei seu garçom esta noite..." Calmamente, Wes retira a mão da minha e olha para o garçom. O homem olha de Wes para mim e de volta. "Bem-vindo ao Squaw Lodge Boathouse. Você já jantou conosco antes?" Sua voz assumiu um ligeiro tom diferente. Mais suave, com um riff de afetação nisso. Estou distraído, mas Wes olha-lo diretamente nos olhos e diz: "Na verdade, é nossa primeira vez." "Oh! Bem, você está em um verdadeiro mimo..." Ele e o garçom discutem o cardápio, mas mudam de canal. Esta é a primeira vez que alguém olha para mim e decide que eu sou um homem gay para fora em uma data, e eu estou tentando descobrir como me sinto sobre isso. Não me entenda mal — seria visto em qualquer lugar com Wes. Qualquer dia da semana. Mas há algo estranho sobre como


se tornar seu jantar. Como se já estivesse na fantasia de outra pessoa e eu faço um papel. Eu pedi uma cerveja e um bife, quando é a minha vez, e o cara foge para colocar na nossa ordem. "Incomodado?" Wes pergunta, cutucando meu pé debaixo da mesa. "Não," Eu disse rapidamente. Não, sou ambos. "Não dou a mínima se partimos gaydar5 daquele fulano ou não." Wes realmente estremece. "Não o culparia se fizesse. Olha, esse cara só está com ciúme. Mas algumas pessoas são idiotas sobre isso. Quer dizer, as coisas que você e eu fazemos todas as noites são ilegais em alguns lugares." "Você está realmente me vendendo, então." Seu sorriso é irônico. "Há benefícios." "Sim? Bate-me. O que é bom sobre gay?" Eu o cutuco de volta debaixo da mesa. "Bem, paus," ele diz. "Observação." "Observação." Ele sorri. "Ok, imagine agora isso. Você acorda em um fim de semana ao lado de seu namorado realmente quente, e fodem como ouriços com tesão por um par de horas. Então você passa o resto do dia assistindo esportes na televisão, e ninguém diz nada, ele grita: querido, você disse que poderíamos ir ao shopping!“ Agora eu estou rindo. "E eu acho que você poderia abaixar o assento do vaso sanitário, certo?"

Habilidade/dom de ser capaz de detectar a homossexualidade em outras pessoas. 5


Wes espalha suas mãos. "Veja? Benefícios em toda parte. E aqui está uma, os pais não importunarão para ter netos”. "Eu tenho cinco irmãos", eu indico. "Eles garante, pelo menos, um time de basquete." O garçom traz as nossas cervejas, e eu, na verdade, dou-lhe uma piscadela antes dele ir. "Olhe para você!" Wes fala depois que ele se vai. "Você poderia ser bom nisso." "Como é difícil?" Wes está sorrindo para mim, e eu odeio matar o humor. Mas eu percebo que tenho uma pergunta para ele que está me incomodando. "O que seus pais disseram quando você disse a eles?" Seu rosto cai. "Bem. No início, eles não acreditaram em mim. Minha mãe disse: É apenas uma fase. E meu pai não disse nada." "Quando foi isso?" "Primeiro ano de faculdade. Eu decidi dizer no caminho da casa de meu avô em Ação de Graças. Estávamos todos presos no carro juntos." "Oportuno". Ele dá de ombros. "Eu nem sabia o que fazer com essa reação. Nunca me ocorreu que eles apenas iriam me ignorar. Embora agora lembrando, faz muito sentido ". Sua admissão maçante traz uma dor no meu coração. Ele também me faz pensar como minha própria família reagiria se soubessem que eu estava ficando com um cara. Mas não importa quantas vezes eu tente imaginar suas expressões preenchendo com horror ou desgosto, eu não posso faze-lo. Apoio é tudo o que eu tive a partir deles.


"Então, o que você fez?" Eu pergunto, esperando que minha aflição interior não apareça no meu rosto. "Bem, Canning, este sou eu que estamos falando aqui. Então eu fiquei muito bravo. E da próxima vez, eu fui para casa no intervalo, peguei um cara numa festa e ele explodiu na sala da família, quando eu sabia que eles estavam a caminho de casa. " Caramba. "Que provavelmente tem o ponto do outro lado." Wes toma um longo gole de cerveja e eu assisto sua garganta forte trabalhando. "Ele fez o truque. Meu pai deu todos os gritos que eu esperava que ele daria. Ele disse que eu era nojento. E que eu estava indo para foder a minha carreira no hóquei. Inferno. Isso ainda é minha maior preocupação." Ai. "O que sua mãe disse?" Ele nunca fala dela. Como uma mãe não pode defender o filho dela? "Ela é esposa dele. Então ela nunca diz muita coisa." Merda, realmente matei meu humor. Mas felizmente nossos aperitivos chegaram um pouco mais tarde, e estamos felizes de novo. Às vezes é tão fácil.


27 Leva-nos mais uma milha na estrada para o parque, onde a banda está tocando. Nenhum de nós nunca foi a este lugar antes, mas é bom. Um gramado executa todo o caminho até à água. Uma concha acústica foi criada perto da costa, e as pessoas de todas as idades estão sentadas na grama. Nos encontramos um lugar com bastante facilidade. Eu sento, mas Jamie não. “Merda. Não pensei nisto," ele diz, olhando para o seu bom par de shorts cáqui. Olho para ele. "E pensei que eu era o cara gay." Bate no topo da minha cabeça. "Amanhã é fim de semana dos pais de Pat. Eu estou apenas tentando representar." "Tudo bem." Eu me levanto. "Espere aqui um segundo." Eu corro para o carro e pego um cobertor xadrez antigo na parte de trás. Quando eu volto, dou-lhe um sorriso arrogante. "Veja? É uma boa coisa que eu nunca limpo meu carro." Eu espalho-o na grama e sento. Jamie se senta ao meu lado. Nós dois inclinamos para trás ao mesmo tempo, e minha mão se encosta com a dele.


Então eu tiro a minha dando-lhe espaço. Mas ele move a dele também, cobrindo a minha. Não quero que ele saiba o quanto eu gostei, então não olho nos olhos. Em vez disso, eu olho o céu escurecendo sobre o lago e me pergunto como eu consegui chegar nessa idade sem nunca ter ido a um encontro. Eu tinha provocado Jamie sobre isso antes, também. Mas aqui estamos. Jantar e música ao vivo. Sentado em uma porra de um cobertor no parque. Eu nunca namorei ninguém antes, e eu provavelmente não sou muito bom nisso. Depois de um tempo a banda inicia. Há quatro deles — uma cantora, uma guitarra, contrabaixo e percussão. A primeira música que eles tocam é um fraco cover de uma canção de Dave Matthews. "Huh", diz Jamie. "O que foi?" "Estou preocupado." "Sobre a música?" Eu estou em um estado de espírito para ser generoso. "Eles estão apenas se aquecendo, certo? Toda banda toca Dave Matthews. É uma lei, Eu acho." Infelizmente, as coisas não melhoraram. "Isso poderia ser uma velha canção de Billy Joel?" Jamie pergunta. Eu escuto por um segundo. "Deus, talvez. Parece que eles estão tentando tocar ‘New York State of Mind’." "Não tenho certeza se eles conseguem." Eu lanço minha mão e aperto seus dedos quando o céu escurece. Na terceira música, é tão ruim que é engraçado.


O vocalista olha para a multidão e anuncia: "Vamos tocar uma música que meu amigo Buster escreveu. " Jamie e eu batemos palmas, conhecêssemos Buster. Vai Buster.

como

se

nós

"Chama-se 'Em cativeiro da chuva', e nós estamos dando esta canção sua estreia mundial." O baterista começa, e os primeiros quatro acordes não são tão ruins. Mas a letra é... horrível. Não sei sobre o que o cara está cantando. Chuva em cativeiro vem a ele como um...trem. "Oh meu Deus," Jamie sussurra. Sua mão cai na minha novamente. No decorrer da canção, eu posso senti-lo começar a tremer ao meu lado. "Shh! Estou tentando ouvir a música." Eu digo, e ele me belisca com a mão livre. "Cara, ele só rima 'frango' com 'um pau'." Jamie bufa e eu chego todo o meu corpo para apertar a mão sobre sua boca. Assim, ele gruda a sua língua e lambe minha palma. Então eu limpo em sua camisa. Vejo como estou segundos longe de nossas experiências com repetido MMA, eu faço uma sugestão. "Hora de nadar?" Seus olhos cortam sobre o meu. "Eu não tenho uma sunga." " Sério?" Quando a música termina, finalmente, Jamie salta e se dirige para as árvores que fazem fronteira com o gramado. Eu pego o cobertor sob meu braço e sigo-o. Ele está esperando algumas jardas para a floresta.


"Olhe para a hera venenosa", diz ele, e eu congelo, olhando para baixo. "Fiz você olhar!" "Jesus, Canning." Ele ri e pega o seu caminho em direção à borda da água. Nós não podemos ver as pessoas no gramado daqui, mas ainda podemos ouvir a banda. Está quase escuro, o que é bom para nós. Há algumas rochas na borda da água, então eu tiro fora meus sapatos e coloco-os em um local. Retirando também a camiseta. Jamie está colocando suas roupas sobre a rocha quase delicadamente. Ele está mesmo na remoção de seus shorts. Eu tinha esquecido que ele estava tentando mantê-los limpos. "Desafio você a nadar pelado". "Claro que vou nadar nu", ele diz. Bem, então. Não posso deixar ele fazer isso sozinho. Eu solto cada segmento da minha roupa nas rochas. Não é uma noite quente, mas quando eu entro na água, a temperatura não é tão ruim. Viro-me para assistir Jamie entrar na água, e eu gosto do que vejo. A luz fraca faz sombras nos vales do seu abdômen. Eu entro na água mais profunda, a água caricia a minha pele nua. Isso é decadente. O som da risada de Jamie me faz sorrir no escuro. Quando ele me atinge, eu pego sua mão. Juntos, nos escondemos sob a água, nadando apenas um pouco. Algumas pessoas no gramado provavelmente não tem nenhuma visão nossa. Então, novamente, é terrivelmente escuro.


Estamos até nossos pescoços, e o lago é bonito, um pouco assustador se o sua mente funciona dessa forma. "Eu acho que eu senti alguma coisa passando pelo o meu pé." Eu não tinha, mas Jamie não sabia disso. Ele se contorce um pouco. "Provavelmente apenas um peixe-lua." "Uh-huh. Você está certo." Eu manobro meu pé debaixo da água, encontrando a panturrilha de Jamie e passo o meu dedo. Ele dá uma guinada para longe de mim. "Seu imbecil." Isso me faz rir, e Jamie espirra-me. "O fundo está meio lamacento aqui". E isso é verdade. "Eu me preocupo com sanguessugas. Você já viu o carrinho por mim?" "Ugh", ele reclama. "Caminho para arruiná-lo." Ele se aproxima de mim. De repente ele pula para frente, agarrando meus ombros, envolvendo as pernas fortes ao meu redor. "Agora eles só podem encontrar você." Jesus. Isso é sexy. Eu abri para ele e para as nossas línguas de imediato. Eu gemi em sua boca, e isso não importa, porque a música vai de novo, e as trevas nos dá muita privacidade. Os dedos de Jamie tecem o cabelo na parte de trás da minha cabeça. Ele tem gosto de boa cerveja e sexo. Eu estou parado em um lago com o homem mais bonito envolvido em volta do meu corpo, e seu pau já está duro contra minha barriga. Isso deve ser como o céu é. Incapaz de resistir deslizo um dedo pelo seu vinco e provoco seu buraco. Ele geme em minha boca. "Você está malditamente viciante, Wes." Isso é o que eu gosto de ouvir. Eu não o comi em nenhum outro momento desde a primeira noite quase há


uma semana. Nossa segunda vez, eu levei por trás e tive que cobrir sua boca a tempo de impedi-lo de fazer barulho. Eu o quero novamente agora, mas o lago não é realmente uma opção. Sem preservativo ou lubrificante, um monte de pessoas a menos de cem jardas de distância. Eu movo minha mão para sua virilha, e o acaricio suave como nossas línguas emaranhando em um beijo faminto. Então eu pulo, porque suas mãos estão no meu traseiro agora, seus dedos viajam entre minhas nádegas. "Vou te foder um desses dias", sussurra. Sim, eu sei que ele vai. Eu sei que vou deixálo,também. Talvez um cara me azedou na ideia de tomá-lo, mas com Canning, eu vou levar o que ele tem a dar. Vou levar tudo. Seu dedo viola o meu buraco e prendo a respiração. Jesus. Eu tinha esquecido o quão sensível todas essas terminações nervosas são. "Você gosta disso, hein?" Gotas se agarram a seu rosto perfeito quando ele sorri para mim. Um sujo, lindo sorriso. "Mmm-hmmm." Eu coloco minha língua em sua boca de novo, moendo meu pau contra o seu quando ele timidamente brinca com a minha bunda. Ele me beija de volta, apenas um breve gosto, antes de quebrar nossas bocas separadas. Ele está na vontade de falar. Não, ele está com vontade de atormentar. "Tão apertado", ele suspira. O ângulo permite apenas a ponta do seu dedo me penetrando, mas mesmo isso é profundo o suficiente para me fazer gemer. "Meu pau vai gostar quando estiver em você, Wes."


Seus lábios se trancam em meu pescoço, deixando cair gananciosos beijos na minha pele molhada. "E você vai implorar por isso." Eu tremo. Eu acho que ele está certo. Quando seu dedo desaparece, eu mordo para trás um gemido desapontado. Essa provocação fugaz virou-me como ninguém. "Mas não hoje à noite." Ele diz decisivamente, como se realizando alguma conversa em sua própria cabeça. Aquele sorriso sujo retorna quando ele se inclina para mordiscar minha mandíbula. "Hoje à noite, eu quero que você me foda. Eu estive pensando sobre isso o dia todo." Eu rosno. "Você precisa calar a boca, Canning. Caso contrário, eu vou entrar em você agora. E pegar o que é meu." Seus lábios molhados coloca um beijo bem debaixo do meu queixo. "Promessas, promessas." Então ele se desembaraça do meu corpo e nada para trás como se não tivesse nenhuma preocupação no mundo. Nadar com uma ereção é extremamente difícil. Mas talvez eu devesse estar pensando no tesão como um dispositivo de flutuação. Ou um remo, porque Deus sabe que é longo e duro o suficiente, sozinho, impulsiona uma canoa. Nadamos lado a lado por um tempo, em seguida, flutuo nas nossas costas no escuro céu. Dou risada quando vejo os nossos paus que cortam para cima como se a saudar a lua. "Devemos fazer algo sobre isso?" Eu pergunto. Jamie ri. "Sim, provavelmente. Estou morrendo aqui." "Eu também."


Em acordo tácito, podemos nadar de volta para a costa, nossos corpos nus pingando água do lago tudo sobre um banco de lama. Jamie olha fixamente em suas roupas imaculadas, em seguida, diz: "Foda-se." Ele coloca apenas suas cuecas boxer, e segura suas roupas. Eu faço o mesmo, e por sorte nós não encontramos qualquer pessoa na rápida caminhada de volta para o estacionamento. As cuecas são pretas e os meus pugilistas são azul-marinho, por isso não há esconde-esconde acontecendo com os nossos paus, mas ainda assim, perambulando em torno de nossa roupa interior pode ser um pouco demais atrevido para Lake Placid. Um momento depois, estamos no carro. Coloquei na unidade a brisa fora do lote, enrijecendo quando Jamie acaricia meu pacote sobre a minha cueca molhada. "Não vou ser capaz de dirigir em linha reta se você continuar fazendo isso", eu avisei. "Os olhos na estrada", ele brinca. "Não se preocupe, não vamos longe." Eu franzo a testa. Eu estava pensando em dirigir de volta para o dormitório, mas aparentemente Canning tem outras ideias. Temos viajado mais de cinco minutos, quando ele acena para um caminho de cascalho à nossa direita. "Vire lá." Um sorriso puxa em meus lábios quando eu percebo o que ele tem em mente. Para um dos nossos antigos pontos de caminhadas. A área é geralmente deserta mesmo durante o dia, por isso, à noite definitivamente não haverá ninguém ao redor. Eu estaciono na pequena clareira perto da trilha, e antes que eu possa até mesmo desligar o motor, Jamie está subindo em meu colo.


28 Eu não estava exagerando antes. Eu sou viciado em Ryan Wesley. E agora eu desesperadamente preciso de uma correção. Um par de semanas atrás, conseguido com um cara tinha me assustado. Agora é tão óbvia como a respiração que tudo sobre esse cara me excita, sua voz rouca, seu corpo poderoso, as tatuagens com tinta na sua pele dourada. Minha boca está na sua em um batimento cardíaco, a minha língua na garganta dele quando eu subo em suas coxas musculosas. Ele suspira contra os meus lábios. "Você é um tarado." Eu totalmente sou. Eu balanço em sua parte inferior do corpo, as palmas das minhas mãos deslizando de cima para baixo em seu amplo peito. A questão agora não é se eu quero parar de brincar com esse homem. A questão é que nunca vou desistir. Afasto esse pensamento ao mar, no entanto, porque estou prestes a entrar em combustão espontânea. Mas talvez tenha sido demasiado apressado com a minha escolha, porque o banco da frente é muito pequeno para acomodar dois grandes jogadores de hóquei de merda. Minhas pernas já estão começando a dar cãibras e quando eu mudo ao redor tentando ficar mais confortável. Wes


estoura na gargalhada. Então ri mais difícil quando faço mais uma tentativa de reposicionamento. "Banco de trás?" ele engasga para fora. Ideia muito melhor. Ele sobe primeiro, sua bunda bate na minha cara, quando ele ergue na parte de trás. Eu pouso nele com um baque, e agora estamos os dois rindo das nossas bundas. É tão apertado aqui. Não posso mentir lado a lado, então eu estou no topo dele, e quando eu curvo para beijá-lo, bato a testa na maçaneta da porta. E quando pego minha cabeça, bato meu cotovelo no seu olho. "Puta merda!" Wes grita. "Você está tentando me matar, Canning?" "Não, mas..." "Pare!", Ele diz entre risos. Que se dane. Este deslocamento e manobra foram bem sucedidos pra mim esfregando meu pau dolorido por todo o seu corpo. Se eu não sair logo, eu vou perder minha mente. "Nós temos este", digo-lhe. Quando eu sento e bato a cabeça no capô do carro. "Uh-huh", ele diz solenemente. "Parece ser isso". "Os jogadores de hóquei gostam de áspero," eu argumento, atingindo o banco da frente para o calção de Wes. No bolso de trás eu encontro sua carteira. Um segundo mais tarde, eu pego uma camisinha para ele, "Coloca." "Sim, treinador." Ele ainda parece que está tentando não rir, mas seus olhos cinzentos estão agora brilhando com luxúria. Mantendo nossos olhares bloqueados, ele tira sua cueca. Tiro a minha cueca e se cobre, em seguida, coloca em minha boca.


O gosto medicinal do látex enche minha boca, mas eu ignoro. Essa é a primeira vez que lubrificante não entra na equação, então eu quero certificar-me de que o preservativo é agradável e molhado antes de Atrever-me a montar em seu pau. Deus, e isso é algo que eu nunca imaginei de estar fazendo. Montando outro homem. "Baby", sua voz é baixa e rouca. "Eu estou amando isso, mas você não tem que fazê-lo. Dê-me minha carteira. " Eu fico no banco da frente mais um tempo e passo-o para ele. Ele remove outro pacote e rasga. Este é um de lubrificante. Um segundo depois, uma deliciosamente escorregadia mão desliza para cima da minha bunda, esfrega minha mácula e me faz tremer. "Isso é útil," Eu falo. Ele não responde. Ele está muito ocupado trabalhando em me abrir com os dedos. Quando fazemos isso, há sempre um estranho momento em que ele me viola. Antes meu corpo começava como uma piada. Mas agora que eu sei como isso funciona. Estou ansioso por isso. São alguns minutos mais tarde, quando eu estou empurrando a mão de Wes para longe e montando seu colo mais uma vez. A maneira que eu lido com ele é nada como a maneira que eu toco em uma mulher. Ele é tão grande e forte como eu sou, e eu não tenho que preocupar-me de machucá-lo. Seus ombros largos fazem um lugar resistente para colocar minhas mãos. Ele posiciona seu pau no meu buraco, e nós dois assobiamos quando deslizo para baixo sobre seu pênis duro. Por um momento, não nos mexemos. Estamos nariz com nariz, piscando os olhos um do outro. A língua de Wes emerge a molha meu lábio inferior. E eu mergulho em sua


boca, tocando a minha língua dentro. Não há um monte de espaço para me mover, mas não importa. Eu estou montando ele em movimentos curtos, rápidos. Eu vou descendo exatamente onde eu preciso dele. Wes vai colocando minha bunda em suas mãos fortes, e com cada impulso, ele deixa de fora um sexy grunhido. Nosso peito esfrega como nosso bloqueio de bocas novamente. Meu pau está preso entre nossos estômagos, ambos profissionais com pré-gozo. Meu clímax leva-me de surpresa. Em um segundo estou brigando com a língua em sua boca. No próximo, eu estou lutando contra o desejo de explodir. E me perder. "Foda-se. Eu tenho que vir." Wes geme na minha boca, empurrando para baixo mais uma vez. É quando sinto isso — o orgasmo de corpo inteiro. Os meus membros formigam imprevisíveis com a queda para frente, meu rosto fica no seu pescoço. O mundo fica distorcido nas bordas, mas sinto-me atirar nele quando ele mexe abaixo de mim. Ele solta um grunhido, e os músculos se apertam no pescoço de uma vez. Em seguida, ele cai à cabeça para trás e tremores através de seu lançamento. Respiração pesada e corações estão batendo tudo o que pode ser ouvido no carro depois. Estou descansando contra seu peito pegajoso, muito êxtase para mover. Suas mãos traçam padrões preguiçosos sobre minhas costas. Eu poderia me acostumar com isso. Eu realmente poderia. Um pouco depois, Wes me dá um tapa na bunda. "Pra cima, bebê. Não podemos ficar aqui para sempre. "


Eu odeio a maneira que soa, mas é difícil discutir a verdade. Então, começamos o processo ridículo de tentar nos limpar em um espaço confinado sem mais prejuízos. Nós administramos, mas apenas mal. Wes e eu arrastamos nossas bundas turvas da cama na manhã seguinte para a pista, onde os outros treinadores já se reúnem. Os pais estão chegando às nove horas, a primeira reunião está prevista para as dez, e Pat tem uma lista de preparação que é uma milha de comprimento. Ele começa as instruções uma vez que Wes e eu saímos do grupo, em seguida, para no meio da frase quando ele percebe o rosto de Wes. "Que diabos aconteceu com você, Wesley? " Eu pressiono meus lábios juntos para combater uma risada. O nosso número de circo sexual no carro ontem à noite deixou Wes com um bom olho roxo em seu olho esquerdo, cortesia do meu cotovelo rebelde. Não é preto, mas definitivamente arroxeado, e visivelmente inchado. "Canning me bateu", diz ele gravemente. Pat fixa seu olhar em mim, então de volta para Wes. "O que você fez para irritá-lo?" Wes suspira. "Está dizendo que eu mereci, treinador? " "Estou dizendo você tem uma boca inteligente e é um milagre você não obter uma mancha no rosto todos os dias da tua vida." Mas Pat sorri quando ele diz. Então ele bate as mãos e volta aos negócios. "Talvez vocês possam se beijar e dar uma viagem ao supermercado. Você está de plantão no gelo. Certifique-se que você use alguma coisa nesse olho."


Sinto o calor do meu pescoço Pat mencionando o beijo. Treinador, se você soubesse... Wes levanta uma sobrancelha. "Gelo"? "A máquina no refeitório quebrou, assim eu preciso de você para dirigir ao supermercado e agarrar uma dúzia de sacos." Ele já está nos dispensando, voltando-se para Georgie e Ken. "Verifique o equipamento, precisamos dos capacetes extras e almofadas fora do armazenamento para quaisquer pais que queiram jogar com a gente mais tarde." Wes e eu estamos fora, enquanto Pat ainda está dando uma de sargento. Eu entro do lado do passageiro de seu carro, sorrindo para ele quando eu me lembro das aventuras automotivos da noite anterior. Ele lança um olhar triste sobre seu ombro. "Eu nunca vou poder olhar para esse banco traseiro da mesma forma novamente." "Espere, você está dizendo que você nunca fez nada em seu carro antes de ontem?" "Não. Eu tinha um único Northern Mass, então trouxe geralmente caras para casa. Ou eu fui para suas casas." Ele faz uma pausa. "Foi a melhor opção. Significa que eu não precisava chutá-los quando eles queriam passar a noite." Eu franzo a testa. "Você nunca passou a noite com alguém?" Ele e eu estamos dormindo juntos regularmente. "Não", diz ele novamente. “Por que?" Eu estou de repente curioso para saber sobre sua vida amorosa. Não o sexo, a ideia dele com mais alguém incomoda a merda fora de mim, mas as coisas de relacionamento. Por enquanto eu o conheço, Wes tem sido único. Agora, sabendo que ele é gay, faz sentido, porque ele nunca teve uma namorada. Mas ele teve um namorado?


"Eu não queria ninguém ficando muito apegado a mim", ele diz com um encolher de ombros, os olhos focados na estrada. A resposta só me faz mais curioso. "Alguma vez você se apegou a eles?" "Não." "Você já saiu com alguém?" Eu pergunto lentamente. Ele fica quieto por um momento. "Não", ele admite. "Eu não tenho namorados, Canning. É também uma bagunça." Por alguma razão, meu intestino aperta. Eu perguntolhe o que eu sou, então. Um extenso encontro? A aventura de verão? Eu sabia que essa coisa com a gente era obrigado a terminar eventualmente, mas eu pelo menos pensei que o tempo que passamos juntos tinha significado algo para ele. Porque isso significa algo para mim. Eu sou não sei o que, ou por que, mas eu sei que isto não é apenas sobre sexo para mim. "E uma vez que eu estiver em Toronto, eu não vou fazer nada", ele diz com tristeza. "O celibato vai me chupar. " Uma sensação esquisita me envolve . "Fez você falar com seu pai sobre a Sports Illustrated?" "Não lhe disse ainda. Mas eu não estou fazendo a entrevista. Isso não é uma lata de minhocas que eu estou interessado em abrir." Ele rapidamente muda o assunto, como normalmente faz quando a conversa é muito focada nele. "Sobre o quê você vai fazer? Você já comprou um bilhete para Detroit?" Ótimo. Ele pega um tópico que eu não quero discutir. "Não."


"Cara, você precisa para começar com isso." Wes para em frente do supermercado e nós pulamos para fora do carro. Espero que ele vá parar o assunto, agora que estamos aqui, mas ele ainda está falando sobre isso à medida que caminhamos para o ar-condicionado. "Você deve estar lá em três semanas”, ele me lembra quando agarra um carrinho. "Você está pensando em alugar uma casa no subúrbio? Onde é que os jogadores de Detroit tendem a viver?” Eu aceno, pensando na minha conversa com Pat. Ele me puxou de lado um par de dias atrás e disse que iria colocar algumas antenas na comunidade de treinadores. Nós deveríamos falar novamente na segunda-feira, mas eu ainda não disse a Wes sobre isso. Decidido a testar as águas, eu pego outro carrinho e digo: "Honestamente, eu não sei como me sinto sobre ir para Detroit.” Ele parece assustado. "O que quer dizer?" "Significa..." Eu respiro. Dane-se. Posso muito bem dizer-lhe. Dirigimos-nos para o congelador na parte de trás, e Wes escuta sem expressão como eu repito tudo o que eu discuti com a Holly como não quero jogar de goleiro toda a minha carreira, minha falta de entusiasmo em ir a Detroit, a possibilidade de ser enviado para os menores e nem mesmo um jogo. A única parte que eu deixei de fora foi que eu estava tentando um emprego como treinador. Eu não estou pronto para falar sobre isso ainda, especialmente quando não é oficial.


Uma vez que foi feito, ele ainda não responde. Ele mastiga seus lábios, pensativo. Depois ele abre o freezer e solta para fora um saco de gelo. "Você está realmente considerando não jogar esta temporada?" Ele finalmente diz. "Sim." O ar frio bate no meu rosto enquanto eu agarro mais dois sacos e carrego-os em meu carrinho. "Você acha que eu estou fodido da cabeça para jogar fora a chance de ser profissional?” "Sim e não." Ele deixa cair outro saco em seu carrinho. "Eu acho que todas as suas preocupações são válidas". A conversa é interrompida quando uma mulher empurrando um carrinho aparece ao virar da esquina. Ela para quando percebe o olho roxo de Wes. Wes olha para mim, rindo. "Ela pensa que somos arruaceiros". Eu viro meus olhos. "Ela acha que você é um vândalo. Como ela deveria. Eu, por outro lado, sou um Santo." Ele aspira. "Devo sinalizar para ela e diz-lhe como consegui o olho roxo, Santo Jamie?" Eu dou-lhe o dedo, em seguida, pego mais duas bolsas. Nós empurramos nossos carrinhos lado a lado até o caixa, onde entramos na fila atrás de um casal de idosos com um carrinho de compras cheio de caixas de cereais. Apenas caixa de cereal e nada mais. "Então minhas preocupações são válidas," Eu aviso enquanto aguardamos nossa vez. Ele acena. "Goleiros são difíceis. Não posso negar isso." "Mas"? "Mas essa é sua chance." Ele suaviza a voz. "Se você não voltar, você pode se arrepender para o resto da sua vida.


Olha, se eu estivesse no seu lugar, eu poderia estar questionando minha decisão também, mas...” "Não, não. Você informaria num piscar de olhos, mesmo que isso significasse passar anos à espera da sua oportunidade.” "Verdade." Ele descansa seus antebraços no carrinho. "Mas isso é porque eu amo o jogo. Mesmo se eu conseguir jogar apenas cinco minutos de uma temporada inteira, vale a pena para mim. Hóquei é tudo para mim." Mas é tudo para mim? Eu sou ainda mais problemático, como eu acho que de todo o trabalho duro que entra em uma carreira profissional de hóquei. O constante treinamento, a dieta rígida, a agenda esgotante. Eu amo o hóquei, sério, mas não tenho certeza se eu amo tanto como Wes ama. E se eu comparar o nível de satisfação que eu tenho em parar um gol para o orgulho que sinto ensinando alguém como Mark Killfeather para se tornar um goleiro melhor, um homem melhor... Sinceramente não sei qual deles é mais importante para mim. "Eu só acho que você precisa dar-lhe um tiro" solavancando meus pensamentos. "Pelo menos ir campo de treinamento, Canning. E se você estiver repente, eles são como, 'Oferecemos o trabalho garoto.'"

Wes diz para o lá e de inicial,

Certo e então eu vou voar para trabalhar em um Pegasus, fazer amizade com um gênio e ser pago com ouro de duende. Wes percebe minha acontecer", ele insiste. "Sim, talvez," digo.

expressão

e

suspira.

"Pode


O casal de velhos empurra seu carrinho de cereais, e Wes e eu damos um passo em frente, carregando o gelo à conta das Elites. Cinco minutos depois, estamos carregando o gelo no porta-malas de Wes. Eu não sou mais capaz de alcançar qualquer tipo de conclusões sobre minha situação, e Wes parece sentir isso. Ele balança a cabeça no posto de gasolina cinquenta jardas do supermercado. "Vamos agarrar algumas raspadinhas ", ele sugere. "O gelo vai derreter se nós deixarmos no porta-malas por muito tempo," eu indico. Ele revira os olhos. "Vai demorar uns cinco minutos. Além disso, a ciência provou que a raspadinha é propício para a tomada de decisões importantes na vida." "Cara, você realmente precisa parar de citar 'ciência' o tempo todo." Estamos rindo, trancamos o carro e fazemos uma curta caminhada até o posto, onde Wes pega duas taças vazias e me empurra em direção à estação de raspadinha. Ele enche seu copo com o sabor cereja e em seguida, aguarda. Mas não tenho uma raspadinha há muito tempo, e eu não posso decidir. Então eu coloco um pouco de cada sabor em minha xícara. No balcão, o secretário de meia-idade ri com a visão de minha mistura do arco-íris. "Eu fiz isso uma vez", ele comenta. "Me senti mal por vários dias depois. Você foi avisado, filho." Wes ri. "Meu amigo gosta de um pouco de tudo." Dou uma olhada de lado para essa piada horrível. Nós pagamos por nossas bebidas e deixamos a loja, mas nós mal


damos dois passos quando Wes bate na testa. "Esquecemos o palitinho. Espere aqui. Vou pegar eles." Quando ele entra, fico perto da porta, admirando o Mercedes Sclass lustroso, prata que puxa até uma bomba. Um homem de cabelos cinzento fica fora do Mercedes e suaviza a frente da sua gravata de seda. Merda, o cara está balançando um terno que provavelmente custa mais do que meus pais ganham em um ano. Os movimentos de seu olhar em minha direção. "Você é o atendente?" ele late para fora. Eu balanço a cabeça. "É self-service", eu chamo de volta. "Claro que é." Seu tom é condescendente como o caralho, e há uma careta no rosto quando ele torce e remove a capa de seu tanque de gasolina. Franzindo a testa, eu me afasto do esnobe McSnobbers apenas quando Wes aparece fora da porta. Ele me dá um canudo, a testa dele enruga quando ele percebe a minha expressão. Claramente ele acha que minha carranca é um resultado de meu dilema de Detroit, porque ele deixa sair um suspiro silencioso. "Você vai descobrir isso, querido", diz ele em voz baixa. "Você ainda tem tempo." Então ele se inclina para mim, segurando meus ombros com um braço. Ele escova um beijo tranquilizador sobre minha bochecha, porque McSnobbers escolheu aquele momento exato para olhar o nosso caminho. O olhar no rosto do homem me corta como uma lâmina. Nojo. Malicioso, puro nojo.


Jesus. Ninguém nunca me olhou assim antes. Como se eu fosse um pedaço de merda de cachorro que só tiveram o azar de pisar. Como se eles quisessem acabar com a minha existência da face da terra. Ao meu lado, Wes endurece. Ele só percebeu que estamos sendo observados. "Você conhece esse cara?" Diz ele com cautela. "Não." "Ele parece familiar." Ele? Eu estou muito preso em sua expressão. "Ignore", murmura Wes, dando um passo em direção ao carro. Minha respiração é instável. Minha respiração está instável quando eu o sigo. A menos que caminhamos até o posto de gasolina para voltar para o nosso carro eu estou incrivelmente tentado fazer certo agora que não temos nenhuma escolha, a não ser passar pela Mercedes. Como estamos perto do homem de terno, me pego preparando da maneira como faço no gelo antes de um disco voar em minha direção. Estou em modo de defesa, pronto para me proteger a todo custo, mesmo sabendo que estou sendo ridículo. Este homem não vai atacar-me. Ele não vai. "Bichas do caralho," ele murmura sob sua respiração enquanto caminhamos. Essas duas palavras são como um golpe para o intestino. Do canto do meu olho eu vejo Wes se mexer, mas ele não diz uma palavra. Ele continua andando, e eu me esforço para corresponder o passo acelerado. "Desculpe," ele diz quando chegamos ao carro.


"Nada para se desculpar homem." Mas não posso negar que estou abalado. Essa bolha que Wes e eu temos vivido em todo o verão apenas explodiu. Se de alguma forma conseguisse manter a ver um ao outro depois do acampamento, eu poderia encontrar este tipo de merda o tempo todo. Inacreditável. "As pessoas são idiotas." Seu tom é suave quando nós entramos no carro. "Nem todos eles, mas alguns." Minha mão treme quando eu coloco a minha raspadinha no suporte de copo. "Isso acontece com você muito?" "Nem sempre. Mas isso acontece." Ele chega para o meu lado, e eu sei que ele sente, ele entrelaça os dedos com o meus. "É uma merda, Canning. Não estou dizendo que não. Mas você não pode os deixar chegar até você. Foda-se , certo?" Eu aperto forte em sua mão. "Foda-se ," Eu concordo. Ainda assim, a unidade que volta para o ringue é subjugada. Eu não digo muito quanto nós deixamos o gelo na cantina. Eu realmente gostaria que pudesse escovar fora esse comentário preconceituoso — aquele olhar — mas não sai. Corrói-me. No entanto, ao mesmo tempo, sinto uma explosão de orgulho por Wes. Não, é o temor, porque demora a verdadeira força para ele ser tão inflexível sobre sua sexualidade. Seus pais se recusam a aceitá-lo, e assim ele se matém. "Treinador Canning, Treinador Wesley!" Davies chama quando Wes e eu chegamos fora da pista. "Venham conhecer o meu pai." Os degraus da frente estão repletos de adolescentes e seus pais, os quais estão ansiosos para conhecer os treinadores que estão preparando seus filhos para ser


campeões. Shen está no meio de uma animada conversa com seus pais, sorrindo freneticamente enquanto ele fala sobre seu progresso alguns passos de distância, Killfeather está sozinho, ele olha por aí. Wes e eu acabamos de chegar perto de Davies e seu pai quando um flash de prata chama a minha visão periférica. Meu coração cai para o fundo do estômago, quando de repente acelera a Mercedes do posto de gasolina para o meiofio. Reparei Killfeather dar um passo à frente, parecendo ainda mais agitado agora. Abre a porta do motorista. O fanático fica fora do carro e Killfeather caminha em uma voz irritada. "Há um estacionamento mais perto?" Meu goleiro visivelmente engole. "Não. Somente aquele atrás do edifício." "Vou deixar o carro aqui então." Killfeather "É uma pista de fogo", protesta. "Estaciona no estacionamento, pai. Por favor." Oh merda. Pai? Pavor inunda meu estômago ao mesmo tempo em que killfeather Senior registra minha presença. Sua cabeça gira agudamente, aqueles olhos escuros, pousando em mim. Então em Wes. Como seus lábios ondulam em um esgar de raiva, só um pensamento atravessa minha cabeça. Porra.


29 Droga. Eu sabia que aquele filho da puta no posto de gasolina parecia familiar. Eu prendo a respiração e meu olhar com o homem no meio-fio. Mas o Sr. Killfucker não me fez aguentar muito tempo. "De jeito nenhum," ele cospe. "De jeito nenhum. Onde está Pat?" "Bem aqui", diz uma voz calma. Pat aparece na porta aberta, uma carranca jogando nos lábios. "Há algum problema?" "Você pode ter certeza que há. Isto é o que está me custando milhares? Eu estou pagando dois pervertidos que passam horas de cada dia com meu filho? Isso é uma merda." Cabeças estão girando mais rápido do que os espectadores em Wimbledon. E como eu assisto, o rosto do Pat empalidece. Os olhos dele saltam para cima de mim por uma fração de segundo, e meu coração afunda. Eu vou ser um risco aqui. Uma cratera de merda para Pat e seu negócio. Killfucker também conseguiu toda atenção dos pais pra ele. Isto é quando ele entra para matar. "Eu não vou ficar tranquilo sobre isso."


O envolvimento do seu filho. "Papai!" a criança grita. "Que diabos você está dizendo?" A mandíbula de Pat endurece até que se assemelha a um bloco de granito. "Você precisa me seguir, senhor. Se você estiver indo para caluniar minha equipe de treinamento, você pode fazê-lo na privacidade de meu escritório." Ele vira-se e desaparece dentro do prédio. Eu espero até que Killfucker me passe. Subindo os passos ele dá-me um olhar de ódio. Então vou para dentro. Atrás de mim Jamie está com os olhos baixos. "Vou ouvir o que ele tem a dizer," eu sussurro. "Mas você não precisa vir." Jamie dá-me um olhar exasperado e segue-me de qualquer maneira. Puta que pariu. Só arruinei o final do verão de Jamie às Elites. Este trabalho que ele ama tanto? Ele vai amaldiçoar o dia em que ele me conheceu. Um minuto depois, nós quatro nos reunimos no pequeno escritório de Pat, e eu bato a porta. Killfucker obviamente sabe que não deve hesitar antes de tomar um tiro. Ele deixa voar antes que Pat possa falar primeiro. "Não tente me dizer que você não sabe sobre esses dois. O que você contratou para trabalhar com jovens impressionáveis?" Pat toma uma respiração profunda, mas seu rosto está vermelho. "Não faço ideia o que desencadeou. Alguém quer me explicar?" Jamie abre a boca para falar, mas levanto a mão. Sinto-me tremer de raiva, mas a minha voz soa razoavelmente estável. "Vamos deixar o Sr. Killfeather dizer treinador Pat exatamente o que viu." Passo à Killfucker. "E não se reprima homem. Diga-lhe todos os detalhes."


Esta parte funciona, porque Killfucker começa a parecer desconfortável. Eu só consegui usar sua própria homofobia contra ele. Ele nem sequer consegue colocar as palavras para fora, ele está tão revoltado. "Eles..." Ele limpa a garganta e aponta para mim. "Eles se beijaram." E agora eu tenho que dar crédito a Pat. Existe um flash de surpresa em seu rosto, mas ele desliga tudo apenas uns segundo depois. Eu salto novamente antes que Pat tenha uma chance. "Isso não é uma descrição bastante boa, cara. O que mais você viu? Eu estou esperando ouvir a perversão". Killfucker abana a cabeça. "Isso foi muito, confie em mim." "Sério?" Eu rosno. "Onde eu o beijei treinador Canning?" Ele claramente encontra meu jogo ofensivo exasperante, então eu sei que estou no caminho certo. "No posto de gasolina!" "Em que parte do corpo dele, cara?" É quase depreciativo, porque agora há uma veia pulsando na testa do centro de Killfucker. "Uh, aqui," ele diz, apontando para seu rosto. "Mas essa não é a questão." Continuo a provoca-lo. "É mesmo? Porque eu acho que é exatamente o ponto. Conheci Jamie para sempre e ele só me disse algo importante sobre sua carreira, e eu o abracei. Com um braço. Não seja mesquinho com os detalhes, ok? Eu consolei meu amigo em tão sórdidos detalhes — metade um abraço e um beijo na bochecha. Meta as algemas em mim, por que não?" Eu coloquei meus pulsos retos. Killfucker está prestes a explodir. "Mas eu vi... Acho que vocês dois claramente..."


Pat salta agora. "Não importa o que você pensa. Este é o seu grande problema? Um momento privado entre amigos?" "Amigos que..." "Não é seu negócio!" Pat grita. "Não são meus, também. Nunca vi meus treinadores fazendo algo inapropriado. Eles são todos os negócios naquela pista. E isso é o que você está pagando, senhor." "Não eu estou pagando por bom senso, e vou dizer a quem está disposto a ouvir que você não escolhe seus empregados. Espere o desastre, enfim. Estes dois causam um rebuliço e... " Pat corta-o. "O único rebuliço que o treinador Canning causou foi o dia que sua namorada apareceu no rinque. E seu filho fez um comentário inapropriado sobre sua anatomia." A boca de Killfucker cai aberta. "Então é pior do que você imagina treinador, porque Sr. Canning aqui, obviamente, fica em torno. Porque eu sei o que vi. E meu filho e eu estamos fora daqui." Merda. Pobre Killfeather. Ele tem essa bunda do pai, e ele vai tira-lo do acampamento? O rosto de Pat é uma pedra. "Você está livre para fazer o que quiser. Mas se você difamar meus treinadores a alguém eu vou processar você." "Não é como eles fazem, né?" Depois de emitir esse tiro de despedida, Killfucker sai. O escritório fica em um silêncio ensurdecedor. O único som alto é o suspiro de Pat, até que Jamie tenta dizer alguma coisa. "Treinador, eu..." Pat levanta a mão. "Apenas me dê um minuto para pensar." Castigado, Jamie está em silêncio novamente. Ele não olha para mim, embora, eu gostaria que ele olhasse.


"Ok", diz o treinador. "Vocês podem ir para seu quarto, eu vou ver como esse idiota vai jogá-lo. E quero pedir desculpas, Jamie, por trazer à tona essa parte sobre sua amiga..." "Não é necessário", disse rapidamente. Mas Pat está balançando a cabeça. "Não. Não importa! Eu não me importo se você tem uma namorada ou não. Mas deixei-o ficar atrapalhado. O fato de que a situação me pegou de surpresa, vocês tem ambos agido impecavelmente." Agora isso não é verdade. Ainda bem que o treinador Pat não seguiu a gente quando estavamos nus e fodendo no carro. "Fiquei neste acampamento há vinte anos", acrescenta, olhando nos nossos olhos, por sua vez. "Houve vezes em que tive que pedir ao pessoal para ser mais discreto. Mas isso não é o caso aqui." E agora, Jamie é da cor de um tomate. Parece que ele ficaria feliz em ativar qualquer alçapões no chão do escritório de Pat. Meus punhos finalmente abrem. "Pat? Peço desculpa se estou fazendo seu dia mais complicado, mas eu não vou subir para aguardar seu texto. É suposto para essa jogada certo? Eu não corro. Minha vida privada é meu negócio. Muitas pessoas não sabem meu segredo. Mas se algum idiota decide confrontar-me, eu nunca vou correr. Isso só parece fraco. Eu tenho todo direito de estar aqui. Eu tenho todo o direito como treinador daquelas crianças." Pat aperta a ponta de seu nariz. "Claro que sim. Estava tentando protegê-lo de qualquer besteira mais ignorante. Coloque seus patins, então. Foda-se ele."


30 Talvez me torne um covarde, mas aceito a oferta de Pat para subir nessa jogada. Não estou com medo do pai de Killfeather. E eu não tenho medo de ter pessoas sussurrando sobre mim. Mas estou triste. E eu não quero mostrar isso. Antes de hoje, eu realmente não entendia o que Wes estava enfrentando. Eu nunca tinha ouvido alguém dar um discurso homofóbico, exceto em filmes. Eu não sabia que um homem em um carro de cem mil dólares poderia causar tanta confusão. Desde que todo mundo estão na pista de gelo, o segundo andar do dormitório parece deserto quando eu viro minha chave. Entro deito na minha cama. Estou triste, pelo menos posso levar uma coisa com essa experiência. Um pedaço de uma visão que estava relutante em dar um rótulo. Eu sou bissexual. Sim, eu sei, não é exatamente uma mente soprando M. Night Shyamalan uma reviravolta por aqui, mas é a primeira vez que eu permiti a palavra a enraizar-se em minha consciência. Eu sou bissexual, e não é só uma conexão física, que sinto por Wes.


Eu também posso ver-me em um relacionamento com ele. Vejo-me sendo feliz com ele e nunca mais me sentindo como algo que estava faltando. Tive essa ideia de que eu poderia encontrar um emprego perto de Toronto. Que Wes e eu poderíamos continuar... seja o que for, o que somos um ao outro. Mas isso não vai acontecer. Mas Wes disse-me para ir a Detroit. Ele precisa que eu fique a quatro horas de distância. Só temos o verão, ele disse à noite que tivemos uma discussão. Ele estava certo. Isso é tudo. Nós vamos conseguir. Algum tempo depois ouço uma comoção no corredor. Ecoa no lugar, até mesmo embora o quarto do Killfeather é no extremo oposto do edifício é fácil ouvi-lo. "Não quero ir embora!" ele grita depois bate com uma porta. "Você vai colocar sua bunda no meu carro agora." "Você não pode me obrigar"! O garoto está colocando seu melhor esforço para a resistência. Mas eu sei muito bem quem sempre ganha essas lutas. A voz que responde a ele é baixa e inflexível. "Se você não estiver no carro em 60 segundos, não joga no torneio do dia do trabalho este ano." Ai. Bateu no cara onde dói, por que não? Eu ouço o inevitável — o som de uma mala rolando as escadas. Quando eu olho pela janela um minuto depois, vejo meu goleiro curvar em direção do banco do passageiro e seu pai colocando as malas no porta-malas. Esse idiota nem teve uma multa de estacionamento na faixa de fogo. Eles partem um minuto mais tarde, e isso é o fim dos Killfeathers, ambos Junior e Senior.


Desde que eu perdi a briga, Pat realmente não precisa de mim, e eu uso o tempo para me reagrupar. Eu preciso encarar o fato de que o verão terminará em breve. Ligo para minha mãe em seu telefone de negócios — aquele que sempre está manchado com argila. "Oi querido!" responde. "Esta ligando para me dizer que você vem pra casa?" A mulher sempre corta a perseguição. Com seis filhos, ela sempre tem o que fazer. Só não existem horas suficientes no dia para conversa fiada. "Eu estou, de fato. O treinador Pat não me substituiu ainda, mas eu vou dizer que preciso de uma semana de folga." "Excelente", ela diz no mesmo tom de voz, que ela sempre tem reservado para boas notas. "Precisamos falar com você antes de se juntar a NHL. Enquanto você ainda tem todos os dentes." "Isso é edificante:" Eu reclamo. "Eu não sei carreiras perigosas”, para se certificar de ainda tem todos os policial.

por que meus meninos escolheram diz ela. "Eu sempre digo a seu irmão que ele venha me visitar, enquanto ele seus órgãos vitais." Meu irmão é um

"Que nojo, mãe. linha do dever."

Scott nunca sacara suas armas na

"Na verdade, as balas não são o seu maior problema agora." Ela me conta sobre o fato do meu irmão se mudar de volta para casa por pouco tempo. Ele é o único cuja namorada recentemente o abandonou. E uma vez que eles viveram juntos, ele precisa de um lugar temporário para ficar.


"Então ele está em seu antigo quarto?" Eu pergunto, tentando imaginá-lo. Scott tem vinte e oito anos de idade. "Ele está, mas raramente. Ele pegou um monte de turnos extras recentemente. Acho que ele está apenas tentando ficar ocupado. " "Hum". Murmuro. "James," minha mãe disse bruscamente. "Por que você está triste?" "Não estou." Eu tento. Mas é impossível enganar minha mãe. Você não cria seis filhos sem ter habilidades perceptivas. "Se você diz. Mas vou dar uma boa olhada em você durante este mês, meu jovem. Vou fazer lasanha e enfia-la debaixo do seu nariz e vou fazer perguntas." A lasanha da minha mãe é tudo de bom. Eu provavelmente vou confessar tudo que ela perguntar. "Não posso esperar", digo com sinceridade. Parece-me bom ir pra casa agora. "Te amo, meu menino Jamie," ela diz. "Compre sua passagem de avião." "Eu vou". Falar com minha mãe melhorou meu humor. Assim que eu sai e me tratei com um cheeseburger de bacon em um bar na rua principal. Enquanto eu como, eu assisto o Red Sox perder e penso em Wes. Ele está no churrasco, onde os pais estão provavelmente a grelhá-lo sobre o processo de recrutamento da NHL. E ele é o melhor homem para responder suas perguntas. Isso não é meditando — é apenas um fato. Wes sempre quis jogar na NHL. Foi a primeira coisa que ele me disse sobre si mesmo quando nos conhecemos quando adolescentes.


Eu escolhi hóquei porque meus irmãos já tinham quebrado todos os recordes de futebol que nosso colégio já tinha gravado. Eu amo hóquei. Mas você já não pode dizer eu amo ele mais que Wes. Porque ninguém ama hóquei mais. Quando eu volto para o dormitório, o lugar está vazio. Eu escovo meus dentes e procuro um suspense militar que eu trouxe comigo para o acampamento e não tive tempo de ler. Eu deslizo na cama na minha cueca. Talvez Wes venha para casa com vontade de queimar alguma tensão. Adormeço com o livro em meu peito. Algum tempo depois eu acordo ao som da chave girando na fechadura. Eu pisco para Wes enquanto ele caminha até a minha cama. "Como foi?" Eu pergunto minha voz áspera de sono. Wes não me responde. Mas ele remove o livro e deita no chão. "Você está bem?" Ele ainda está em silêncio, mas não parece estranho. Porque ele está situado ao lado da minha cama agora, apenas me admirando. Levantando uma mão, ele empurra meu cabelo que cobre a minha testa. Então ele se abaixa e beija a bochecha que causou todo o problema antes. No mesmo lugar. O pincel de lábios me faz tremer e inclinar-se para mais. Lábios macios continuam a pressionar beijos no meu rosto. No meu pescoço. Sua sensibilidade parece familiar para mim agora. E o contraste entre o tamanho e a força deste homem e a suavidade de seu toque faz arrepios subir no meu peito.


Mão quente sobre a conjuntura entre as minhas pernas, fixando-se sobre o tecido fino da minha cueca. A pressão suave encoraja-me a rolar meus quadris em sua mão. Sinto um pouco de tudo agora. Mas tudo o que eu vejo é a varredura suave de seu polegar em toda a minha virilha. Aparentemente Wes está com vontade de tortura-me com bondade. E eu estou com vontade de deixar ele. Afundando-me na cama, eu fecho meus olhos enquanto ele me banha com beijos suaves e até mesmo toques suaves. Quando eu começo a colocar as minhas mãos em seu peito, ele me corrige, delicadamente movendo minhas mãos para trás para baixo no colchão. "Bem. Seja a sua maneira," eu resmungo. Ele nem mesmo ri. Em vez disso, ele desliga minha lâmpada e começa a tirar suas roupas. Cada peça. Eu deito minhas costas enquanto meus olhos se acostumam com o escuro, admirando cada polegada recém-exposta de pele lisa e músculo duro. Uma ereção impressionante contra seu estômago. Eu quero sentar e levá-lo na minha boca, mas eu espero preguiçosamente no meu lugar. Seja o que for que Wes tem planejado, Eu tenho certeza que eu vou apreciá-lo. Então, ele está inclinando-se sobre mim, beijando a pele exposta entre a minha camiseta e minha cueca. "Mmm” eu suspiro. Estou tão duro, e ele realmente ainda não me tocou. Ainda. Suas mãos deslizam para o elástico da minha cueca e eu levanto os quadris. Cueca se foi. Nos próximos segundo, ele coloca a mão na minha boca e em seguida, devora o meu pau em um gole. O calor e a pressão são rápidos e chocante que é um milagre eu não morder a mão dele. Wes trabalha no meu pau, enquanto treme meu estômago e mexo o meu quadril. Jesus Cristo. Eu sei que temos que estar absolutamente silenciosos, mas quem não pode sobreviver.


Quando ele me libera estou tremendo por todo o lado. Wes desaparece da minha linha de visão, por um momento. Quando ele retorna com uma camisinha e um frasco de lubrificante, suspiro de alívio. Ele oferece-me uma mão, e eu levo-a, permitindo que ele me puxe para a posição sentada de forma que ele possa remover a minha camiseta. Em seguida, ele atravessa minhas coxas, agachando-se lá de joelhos. Para pela primeira vez desde que ele entrou na sala, estamos nos beijando de verdade. E eu tenho tanta fome para isso. Toda a maciez de alguns minutos atrás queima como o vapor, deixando um incêndio em sua esteira. Esses beijos são difíceis e fundidos. Eu capturo a língua de Wes na minha boca e sugo difícil. Ele geme — o primeiro som real hoje que ouvi dele — e eu engulo o som na minha garganta ansiosa. De joelhos, ele junta lentamente contra meu corpo, nosso peito batendo, nossos paus doendo. Querendo ele tão gostoso. Eventualmente, ele se senta um pouco para trás, quebrando nosso beijo. Eu alcanço o preservativo, esperando para mover as coisas. Mas ele leva-o para fora da minha mão, rasgando a embalagem. Em vez de embainhar a si mesmo, ele chega para baixo e coloca no meu pênis. A respiração para no meu peito. "Sério?" Wes me beija em vez de responder. Outra línguaemaranhamento lança-chamas. Em seguida, abre o lubrificante e aplica alguns em sua própria mão. Ele volta, atinge uma expressão séria no rosto. Posso dizer quando ele penetra a si mesmo, porque ele morde o lábio. "Deixe-me fazer isso por você", eu sussurro. Eu lubrifico a minha mão e chego entre as suas pernas. Wes


coloca as duas mãos na cama e se inclina para o meu corpo, beijando meu maxilar. Acaricio seu buraco, e ele suspira no meu ouvido. Colocando sua cabeça no meu ombro. "É isso", eu respiro. Quando eu penetro, ele congela por um segundo. Então eu o ouço respirar fundo, e relaxar. Ele é quente e apertado e como nada que já senti. Eu alivio dentro. Ele alternadamente combate-me e então relaxa. Paro para aplicar uma quantidade ridícula de lubrificante na minha mão. E agora eu sou capaz de alcançar o seu lugar. Eu movimento os meus dedos em um movimento acenando, e ele treme contra meu corpo. O rosto de Wes ainda está enterrado no meu pescoço. Eu gosto de lá. Quem dera que ele nunca me deixasse.


31 Eu estou lutando. Esse é o tema de hoje, aparentemente: liso para fora da luta. Mas esta é uma luta que escolhi. Deixar outro homem em meu corpo, não é fácil para mim. Não sei por quê. Não é. Quero, no entanto. Toda vez que eu tenso contra a intrusão, digo a mesma coisa: isto é Jamie. Esta tudo bem. E então eu sou capaz de relaxar. Jamie está indo com calma. Ele me lê da forma de que um talentoso goleiro faria. Ele é firme e suave, neste, como em todas as outras coisas. Foder. Eu o amo tanto. Hoje foi mais um lembrete de como as coisas são. A primeira vez que eu toquei em Jamie, fingi estar dando-lhe uma coisa quando na verdade eu estava tomando. Ele me perdoou, claro. Infelizmente, este verão tem sido mais do mesmo. Dou-lhe minha afeição. E em troca, eu coloco-o à mercê de idiotas como Killfucker. Hoje, Jamie perdeu seu melhor jogador. Ele provavelmente nunca vai ver aquele garoto novamente. E é tudo minha culpa.


A mão livre de Jamie aquece minhas costas enquanto a outra me prepara. "Baby", ele sussurra. "Pode levar mais?" Eu aceno em seu pescoço. Se junta um segundo dedo com o primeiro. No começo eu luto contra a queimadura. É Jamie. Esta tudo bem. Outra profunda respiração e começo a relaxar. "É isso", ele insiste. "Quero que me monte, ok? E quando vier, quero derramar tudo sobre meu peito." Um parafuso de corridas de luxúria na espinha. Que suporta para baixo nos dedos, e sou recompensado com uma escova contra minha próstata. Sim. Vigor de prazer me faz tremer, e eu posso sentir o sorriso de Jamie contra minha bochecha. Depois de alguns minutos, ele me estica com três dedos. Começo a andar de mão em pequenas estocadas. Sopros encorajamento enquanto eu peço a meu corpo para esticar um pouco mais. Faz anos desde que eu tentei isso. Esperava que apenas parecesse fácil, mas como tudo na minha vida, eu tenho que trabalhar para isso. Mas fazê-lo. E me deixar com mais um motivo para apreciar Jamie. Meu homem ousado, de grande coração. Ele faz isso por mim, e ele faz parecer fácil. Ele é incrível. Eu sento-me um pouco mais reto, beijo difícil para que ele saiba que estou pronto. A boca de Jamie congratula-se com a minha. Eu tomo alguns goles mais requintados dele. Pela coragem. Então eu me levanto em meus joelhos, preparando-me para ele. Jamie resolve assim que ele está apoiado sobre a cabeceira da cama, almofadas em suas costas. Ele aplica algum lubrificante para o seu pau, e a visão dele se esfregando dá água na boca. Ele posiciona-se abaixo de mim.


Bem, então, com aqueles olhos castanhos, olhando para cima, cheio de luxúria para mim, ele é o mais sexy que já vi. Então eu faço isso. Afundo-me para baixo sobre o seu pau. A boca de Jamie abre em um gemido silencioso, e aqueles olhos lindos vão a meio mastro. Os retornos de queimadura, mas não é nada que eu não possa resolver. Espero um minuto para me ajustar, e uso o tempo para segurar o lindo rosto de Jamie em minhas mãos. Por um segundo, eu apenas admiro a vista. Ele está corado e despenteado e sex, queimando com excitação. Eu vim para Lake Placid esperando que ainda pudéssemos ser amigos. Tenho muito mais do que isso. E eu sou tão grato. Dou-lhe um beijo tentando deixá-lo saber. Ele está quase choramingando na minha boca agora, talvez ele tenha me ouvido. Eu dou meus quadris um impulso experimental, e eu gosto do resultado. Então eu preparo minhas mãos nos ombros de Jamie e começo a me foder lentamente sobre ele. Eu mudo meus quadris até eu conseguir o ângulo certo. E quando eu faço, é milagroso. Prazer pulsa através de meu corpo cada vez que eu empurro. É tão, tão bom. Abaixo de mim, Jamie leva meu pronto pau na mão. Seus lábios estão entreabertos, sua garganta trabalhando. Eu vejo ansiedade em qualquer lugar que eu olho para ele. É no conjunto de sua mandíbula e na ondulação de seu antebraço enquanto ele me toma. Ele lambe os lábios. "Se você vier, você vai ter-me com você. " Agora que ele disse isso, eu realmente quero.


Fechando os olhos, eu abrando o meu ritmo e foco no prazer de cada curso. Para fora e no borrão juntos. Há apenas o rufar de felicidade que recebo dele. Quando eu abro meus olhos novamente, é a expressão de Jamie que finalmente me leva para lá. É um cocktail de desejo e admiração tão potente que eu sento-me tombar a borda. "Jamie," Eu suspiro, perseguindo a sensação. Inclinando-me para ele. Eu tiro e ele estremece debaixo de mim. Eu colapso em seu peito desarrumado antes que termine. Meus lábios pousam ao lado de sua orelha e nós gememos tranquilamente enquanto aperto minha bunda em torno de seu pau. "Jesus", ele sussurra. De fato. Eu envolvo meus braços em torno dele e o seguro por tanto tempo possível. Eu honestamente não sei como vou suportar quando o verão chega ao fim.


32

O acampamento está quase no fim. Sério, estas últimas cinco semanas voaram. E agora só resta uma semana e eu não posso envolver o meu cérebro em torno dele. Eu acho que o tempo voa quando você está jogando hóquei todos os dias e transando todas as noites. Como o vento a tarde, o treino das crianças está em alto astral. Correção dos jogadores ofensivos está em alto astral. Meus goleiros, por outro lado, são mal-humorados como o inferno. Foi um jogo de alta pontuação para ambos os lados, e lá estava à frente hoje nenhuma parada de Wes. A ausência de Killfeather é definitivamente perceptível. Ele tinha muito talento. Tem, eu me corrijo, porque não é como o e o garoto tivesse caido morto. Seu pai decidiu que tirar o filho de um dos centros de treinamento mais prestigiados do país era uma decisão inteligente. Você sabe, porque Elite está cheio de pervertidos. Idiota. Eu patino para o lugar, onde o meu goleiro permanece franzindo a testa enquanto ele tira o capacete. "Eu fui um cão de merda hoje," Brighton informa-me.


"Você teve um dia de folga," Eu disse com um sorriso. "Mas você não era o cão de merda. Você parou mais do que você deixa entrar." "Deixei em sete". "Acontece, garoto. Você fez tudo certo lá fora." Eu não estou mentindo — Brighton ouviu cada pedaço de Conselho que eu dei a ele hoje. Aconteceu que o Conselho de Wes à sua frente era melhor. Apita para sinalizar a meu outro goleiro, que parece igualmente triste quando ele patina sobre nos. "Joguei como..." "Deixe-me adivinhar, cão de merda?" Cortei Bradowski rindo. "Sim, eu e o Brighton acabamos de discutir isso. Mas vocês jogaram duros hoje, e você jogou bem. Não quero que voltem para o dormitório amuados a noite toda, ok?" "Ok", dizem em uníssono, mas não me parece muito convincente. Eu suspiro. "Olhe isso deste modo. Brighton, você deixou-me em sete.“ Eu chamo Georgie quando ele patina por nós. "Quantos tiros de Wes você pegou rapaz?" "Trinta e cinco," Georgie fala de volta sem parar. "Sete, fora de trinta e cinco," digo a Brighton. Fiz algumas contas rápidas. "Isso é vinte por cento. E Bradowski, tinha oito para passar, mas parou sobre tantos como Brighton. Não é uma estatística terrível." Eu dou uma risada. "Treinador Wesley e eu costumávamos desafiar um ao outro para tiros quando nós estávamos treinando aqui o tempo todo. Havia dias quando ele ia bater cinco tiros em mim e cada um teria que atingir sua marca". A orelha de Wes deve queimar, porque ele aparece de repente ao meu lado. "Tudo bem aqui?"


"Sim. Basta dizer aos meninos sobre como você costumava fumar meu traseiro em tiros ". Quando as sobrancelhas atiram para cima, eu percebo que ele está pensando sobre a última vez que nos enfrentamos. Impressionante. Agora eu estou pensando sobre isso também, e espero em Deus que as crianças não vejam o vermelho nas minhas bochechas. "Sim, Canning não tinha a menor chance contra mim", Wes diz, recuperando rapidamente. "Em ambos os lados da meta, na verdade. Não importava se eu estava segurando o bastão ou vestindo a almofada de goleiro, ele perdeu o tempo todo. " Eu estreito meus olhos. "Asneira, besteira. Você está esquecendo quem ganhou o último? " Eu tenho que dar crédito a Wes, ele nem sequer pisca neste momento, mesmo que nós dois sabemos que ele está se lembrando do resultado desse último tiro. Os meninos dão risada. "Revanche", Brighton deixa escapar. Os olhos de Bradowski acender. "Merda! Sim!" Wes e eu trocamos um olhar. Eu realmente deveria ter apressado as crianças para o chuveiro de modo que não ficassem atrasados para o jantar, mas os meninos não estão tendo. Bradowski e Brighton já estão voando para longe, chamando os adolescentes que não tinham ido para o túnel ainda. "Treinador Canning e treinador Wesley está tendo um tiro!" Bem então. Eu acho que é hora de um tiro.


Wes pisca para mim e diz: "Mesmo Stakes?" "Droga em linha reta." Nós dois sorrimos pela minha escolha de palavras. Dez minutos mais tarde, estamos adequados para cima e ficamos em posição. Nosso público tem os treinadores adultos que estão reunidos em torno das placas, incluído Pat. Estou usando almofadas completas, porque não há nenhuma maneira de estar me deixando desprotegido enquanto o novo atacante de Toronto dispara balas em mim. Wes mostra seu chamativo mover-se como patins em direção à linha azul e, em seguida, pára e olha bem para mim. O perverso brilho em seus olhos faz meus pulsos correrem. Quase posso ouvir sua provocação não dita — Prepare-se para chupar meu pau, Canning. Eu respiro e toco em meu bastão contra o gelo. Um apito, e Wes vêm correndo em minha direção. Um tiro relâmpago e um alto elogio repercute na pista. Objetivo. Merda. Ele não está puxando tudo o que posso hoje. Wes sorri para mim, quando ele se alinha para o próximo disco. "Pronto para isso?" O idiota só tem repetido as mesmas palavras que ele tinha falado comigo ontem à noite antes que tinha enfiado seu pau na minha bunda. Tudo sobre os jogos de mente, meu namorado. Espera o quê? O disco voa passou por mim e eu mesmo não tenho chance, porque meu cérebro ainda está tropeçando naquele último pensamento.


Meu namorado? Eu pensei que eu tinha me resignado ao fato de que não íamos ficar juntos. E agora eu estou pensando nele como meu namorado? Eu encolho as teias de aranha da minha cabeça... e me obrigo a concentrar-me em defender a rede. Quando minha luva engole o último disco, eu respiro de alívio. Eu só deixo em dois. O que significa que preciso marcar nele duas vezes para amarrar, três para a vitória. Considerando que ele é tão bom quanto eu no sulco, eu já sinto o gosto da vitória. Mas ele parece muito confortável na frente dessa rede. Seus olhos cinzentos zombam de mim por trás da máscara e quando ele chama, "Mostre-me o que você tem," há riso na voz dele. Filho da puta arrogante acha que ele realmente pode me impedir. Merda. Filho da puta arrogante me impediu. Meu primeiro tiro pousa em sua luva. Eu cerro os dentes e tente-o com a segunda tentativa, mas o seu olhar de falcão, não é enganado. Ele pára com suas almofadas, a outra com seu bastão. Merda. Preciso afundar os dois seguintes para ganhar. O grito das crianças em deleite quando minha quarta tentativa prova frutífera. Passa por Wess e voa por cima do ombro e atinge a rede. "Último tiro," ele diz com uma voz melódica. "Você vai estragar tudo, Canning!" Eu sei exatamente que tipo de sopro ele está falando. Brighton Obtém um ritmo de tambor que vai tocando as mãos sobre as placas e as outras as crianças rapidamente seguem o mesmo caminho. A batida coincide com o


constante bater do meu coração. Eu respiro e, em seguida, encaminho o patins. Eu puxo meu braço para trás, avaliar e liberar um instantâneo. O disco assobia no ar. Tenho saudades. As crianças veem quando Wes deixa a rede e patins e desce as placas para aceitar sua toca. Vê-lo em suspeita, imaginando quando ele tinha ficado tão bom na defesa contra o disco. Há quatro anos ele foi totalmente inepto. Encolho os ombros, o pensamento longe, aceito minhas condolências de meus goleiros, que na verdade parecem um bocado satisfeitos que eu perdi. Acho que os fez perceber que mesmo os melhores goleiros chupa às vezes. Quando as crianças estão indo em direção ao armário e aos quartos, Wes patina seu caminho para mim e levanta uma sobrancelha. "Você está também fazendo corpo mole em seus treinos de tiros, ou me deixou vencer isso." "Não deixei você ganhar," Eu disse através dos dentes cerrados. Exceto, em seguida, ocorre uma coisa para mim. Que no último tiro antes da faculdade... ele tinha me deixado ganhar? Porque o cara que eu vi na rede hoje não era o que eu vi lá há quatro anos... Estou prestes a pedir-lhe à queima-roupa quando Pat interrompe-nos. "Canning", diz ele, aparecendo perto do banco. "Uma palavra". Wes bate uma mão por cima do meu ombro. "Vejo você no salão de jantar." E patinamos fora em direções opostas, mas Pat não fala até Wes estar bem fora do alcance da voz. "Recebi uma chamada de um amigo em Toronto esta manhã." Como de costume, Pat vai direto para o ponto. Que tenso. "Sobre a possibilidade de me treinar?"


Ele acena. "O nome do meu amigo é Rodney Davenport. Ele está com a OHL, treinadores um nas equipes da liga Junior A. Ele está em Ottawa, mas ele tem trabalhado com o treinador principal da equipe de Toronto — Bill Braddock. Ele falou a Braddock em seu nome." Solavancos de surpresa passam através de mim. "Ele fez"? "Eu disse a Davenport tudo sobre você." Pat encolhe os ombros. "Você tem uma entrevista em Toronto no vigésimo oitavo." "Eu tenho"? Estou perplexo. Uma parte de mim não tinha esperado que Pat realmente viesse para mim. "É uma posição de treinador assistente, coordenador defensivo para uma equipe de juniores grandes, então eles tem garotos entre dezesseis a vinte anos com os quais você estaria trabalhando. A entrevista é só uma formalidade, no entanto. A liga está altamente impressionada com o seu nível de experiência." Bem, porra. Acho que todos esses anos de treinamento aqui em Elites vêm acessível. "Eu..." Não sei o que dizer. Mas aí eu percebo que há uma questão importante para endereço. "Se estiver em Toronto com..." Eu limpo a minha garganta. Não me envergonho; é só que eu tenho... Nunca tive qualquer prática falando sobre isso. "E se existir outros homens como o senhor Killfeather?" Pat arranca um pedaço de papel do bolso da camisa. "Esta é a política de combate à discriminação da liga. Eu procurei. Tudo é, hum, coberto."


Eu roço as palavras na página. A liga se comprometeu a não discriminar com base em raça, religião, credo ou orientação sexual. "Isso é... útil," Eu disse, e Pat sorri. "Vinte e oito de julho, hein?" Merda. É na próxima semana e três dias antes de me apresentar em Detroit. Se eu reportar para Detroit. A ideia de aparecer no campo de treinamento cresce cada vez menos atraente quando aproxima a data. Eu quero jogar com os profissionais? Ou eu quero ajudar jovens, crianças talentosas obter para os profissionais? "Braddock precisa de uma resposta até o final da semana", diz. "Eles tinham outro candidato que eles estavam considerando, então se você não decidir entrevistar para o show, ele provavelmente vai dar-lhe a ele." Minha mente ainda está cambaleando, indecisão, surgindo através de mim. Eu deveria falar com Wes antes de fazer qualquer coisa. Fez mais do que claro que ele não vai sair com alguém quando ele estiver em Toronto. Ele me disse para ir a Detroit. Então, sim, eu preciso falar com ele antes de tomar qualquer decisão. Mas eu tenho uma sensação que sei exatamente o que ele vai dizer.


33 Canning está estranho. Mal disse uma palavra durante o jantar, e depois ele vetou minha sugestão sobre pegar um filme na cidade, dizendo que ele só queria voltar para o quarto. Quando subimos os degraus para o dormitório em silêncio, eu gostaria de saber o que está acontecendo naquela cabeça sensual. Ele não parece irritado, ou mesmo chateado. Quando mais preocupado, o que é então ao contrário de Jamie preocupa-me. "Então o que Pat queria falar com você mais cedo?" Estou tentando ter uma conversa, mas a minha pergunta tem o efeito oposto. "Apenas algumas coisas de coaching", ele responde. E então ele encerra o assunto novamente. Eu sufoco um suspiro e sigo-o até o segundo andar, admirando a forma que dele se desvaneceu. Calças jeans abraçam sua bunda. Já estivemos em calções e chinelos todo o verão, mas é surpreendentemente legal sair hoje à noite, então agora vou experimentar Jamie em jeans. Parece-me espetacular. "Quer ver algo em seu laptop?" Pergunto quando entramos no nosso quarto. "Cassel me enviou este vídeo hilário de..."


Os lábios dele estão no meu... antes que eu possa terminar a frase. Jamie empurra-me contra a porta atola a língua na minha boca, e eu instintivamente beijo-o de volta apesar dos sinos WTF tocando em minha cabeça. Ele aperta minha cintura e mói a parte inferior do corpo contra o meu, gemendo mais ou menos. Jesus Cristo. Não sei onde essa súbita investida da paixão veio, mas meu pau com certeza apreciou. Após um minuto ou dois, eu sou um espigão de ferro atrás do meu zíper. Jamie percebe, e suas mãos são quase frenéticas quando ele se atrapalha para o botão da minha calça jeans. "Devo-lhe um boquete", ele resmunga. Direito. O tiro. Eu tinha esquecido o prêmio. Não é importante, visto que estouramos mutuamente regularmente sem a necessidade de um tiro para justificá-lo. Ele puxa as minhas calças e cuecas para baixo dos meus quadris, afunda-se de joelhos com quase desespero... Os alarmes na minha cabeça tocam mais alto. "Ei". Já enfiando meus dedos pelo seu cabelo ainda em movimentos frenéticos. "O que deu em você?" "Nada ainda." Ele lambe a cabeça do meu pau, e eu vejo estrelas. "Mas espero que isso vá me acontecer muito em breve." Então ele pega meu comprimento inteiro em sua boca, provando sem dúvida que ele está escolhendo alguns novos truques neste verão. Agora ele faz a garganta profunda como um campeão, e normalmente estou em cima disso. Esta noite, algo não está batendo. Sua urgência engrossa o ar. Eu inclino-me contra nossa porta e tento me entregar a ele, mas apesar de sua boca mágica, não consigo muito me concentrar. Deslizando a mão sob o queixo, exorto-o para cima. "Venha aqui".


Jamie dá um gole melhor, que eu sinto até nos meus dedos do pé. Quando ele fica, eu me viro então de costas para a porta. Segurando o queixo com as duas mãos, examino o seu lindo rosto. Suas bochechas são liberadas e o seus grandes olhos castanhos estão cheios de alguma emoção que não consigo ler. Eu vou ver o que se passa, mas primeiro eu beijo-o. Uma vez. Duas vezes. "Canning," sussurro. "Nós não vamos foder até que me diga o que está em sua mente." Os olhos dele caem. "Eu poderia ser treinador no próximo ano", diz ele, em sua voz rouca. "Sério?" Isso é uma ideia que eu não sabia que ele tinha considerado. Dependendo do emprego, pode ser uma solução interessante para suas aflições de goleiro. Embora uma parte de mim ainda ache que ele seria louco para jogar fora uma carreira profissional de hóquei. "Onde?" "Há um trabalho de coordenador defensivo para uma grande equipe júnior..." Ele engole. "Em Toronto." Em Toronto. A palavra "ricocheteia" através da minha mente. Para o mais breve dos segundos, meu coração vai decolar como um foguete. Eu poderia dar um grito de alegria inapropriada, mas ainda estou olhando para os olhos cuidadosos de Jamie. Ele sempre foi o mais inteligente de nós dois. Mas eu aprendo rápido. Então é só um meio segundo mais tarde quando aperta meu peito, e minhas mãos deslizam pelo seu rosto. Na verdade, ele encolhe quando eles caem fora. Não posso estar com Jamie em Toronto. Porque se descobrimos, não haverá qualquer razão para eu estar naquela cidade em tudo. Eu sou um novato de merda, na esperança de ser sorte o suficiente para me tornar valioso para a equipe.


Mais uns segundos passam antes que eu posso trazer-me para dizer isto a ele. Porque é de Jamie Canning que estamos falando aqui. As chances de eu nunca mais amar alguém como eu o amo são como sendo atacada por um tubarão. Em Toronto. Mas as probabilidades de Jamie de seguir em frente são exponencialmente melhores. Tivemos muita diversão neste verão, mas não posso significar para ele o que significa para mim. Este homem lindo é provavelmente mais direto do que não. E mesmo se eu estiver errado sobre isso, agora existem duas vezes como muitos parceiros disponíveis para ele no planeta do que havia há seis semanas. Ele pode ter qualquer um. E não peço que espere por mim. "Diga alguma coisa," ele resmunga. Não quero. Há calor atrás dos meus olhos, e minha garganta pode rachar. Mas eu não vou colocar a buceta para fora. Pela primeira vez, ele merece minha honestidade. "Nós não podemos ficar em Toronto juntos," Eu disse. Apenas seis palavras. Mas eles fazem seus olhos ficarem vermelhos. "Peço desculpa", acrescento. Desculpa nem sequer para descrevê-lo. Ele me evita, afastando-se da porta. Eu tomo um momento para me ajeitar em meu jeans. No momento em que chego até meu zíper, Jamie faz uma mudança frenética em um par de calções em execução. Ele enfia os pés em seus sapatos, nem dando tempo para amarrar seu cadarço. "Vou fazer uma corrida", ele grunhe. Quando ele se move para a porta, eu saio do caminho. É precisamente a oposta manobra do que quero fazer, e o meu coração grita comigo para chama-lo de volta.


Mas a porta abre e fecha-se novamente com um piscar de olhos, e ele se foi. Agora entro em pânico, corro para nossa janela. Um minuto depois que ele explode fora da varanda da frente e sai correndo pela rua, cadarços, ainda desamarrados atrás dele. Mesmo depois que ele está fora de vista, eu preciso de um minuto de respiração calma para me recompor. Não acredito que fiz isso. Não é o que eu quero. Meus pensamentos fecham ao redor como um pinball, enquanto procuro em meu cérebro uma solução para o problema. Mas lá não tem nenhum. Acabei de passar uma década da minha vida tentando conseguir este trabalho em Toronto. Tenho uma licenciatura em comunicação, como todos os outros idiotas de merda do planeta. E um pai que me terá alcatrão e penas se eu foder em Toronto. Jamie Canning foi minha primeira paixão e meu primeiro amor. Mas ele nunca foi meu. Há uma fresta de esperança aqui. Apenas uma. Eu sei que Jamie está chateado agora porque ele está se sentindo rejeitado. Isso nunca é divertido. Mas eu sei no meu íntimo, que ele vai seguir em frente. As Hollys do mundo estão esperando para levá-lo de volta. Uma garota bonita vai pegar o olho dele antes que a semana termine, e daqui a alguns meses o desastre de hoje será apenas uma lembrança ruim. Assim como eu. Eu engulo esse pensamento para baixo e, em seguida, procuro no assoalho do armário pela minha mala.


34 É o jantar de domingo na casa dos meus pais em San Rafael, Califórnia. Desta vez eu não estou vendo no Skype — estou preparando o prato de massa. Eu corto uma montanha de alho, várias cebolas e uma montanha de azeitonas. Nós vamos ser dez para jantar hoje à noite — os oito de nós além do marido de Tammy e o novo namorado de Jess. Mamãe teve-me na cozinha por uma hora e meia, e estamos prontos. Na verdade, cozinhar é muito terapêutico. Eu tenho algo para ocupar as minhas mãos, e não tenho que olhar alguém nos olhos. Eu estive em casa por quarenta e oito horas e minha mãe está circulando como um tubarão. Ela sabe que algo está muito errado comigo. Tudo o que eu disse a ela é que eu estou tendo uma crise de carreira. Ela sabe sobre a entrevista marcada para daqui a três dias a partir de agora, que conflita com o fato de que eu deveria estar em Detroit seis dias a partir de agora. Passei os dois últimos dias tentando não entediar-me em torno de meu quarto. Coincidentemente, o jardim dos meus pais é bem capinado. Eu perdi para o meu pai no xadrez quatro vezes. E eu finalmente terminei esse livro que trouxe para o acampamento. Mas só a dor da perda de meu


melhor amigo/namorado/não importa. Eu nunca consegui colocar uma etiqueta nele. E agora nunca colocarei. "Foda-se!" Eu amaldiçoo quando a lamina da faca passa pela ponta do meu dedo. A faca escorrega da minha mão quando eu aperto o corte fechado. "James". A voz da minha mãe é suave. "Talvez precise de uma pausa". Ela ainda não reclama sobre a bagunça que deixei. Então deve começar a agir como um caso real. "Deixeme encontrar um curativo," ela diz em vez disso. Dois minutos mais tarde ela cobre o ferimento. "Eu posso refogar com a outra mão," Eu ofereço. "Que tal você me dizer o que está te incomodando em vez disso?" Agora, eu poderia fazer isso. Meus pais não hesitariam a ideia de eu estar envolvido com um homem. Eles são ambos os hippies da Califórnia até o núcleo. E se eu e Wes tívessemos ficado juntos, iria partilhá-la num piscar de olhos. Mas não adianta contar a história agora. Eu ia comprar uma vida inteira de provocações de meus irmãos. ("Você precisa saber qual camisa vai com essas calças? Pergunte a Jamie. Ele é gay uma vez por algumas semanas. ") Não pode dar a cinco irmãos esse tipo de munição a menos que seja relevante. E de qualquer forma, estou salvo de responder às perguntas da minha mãe, porque a porta da cozinha bate aberta quando a primeira onda começa a chegar. Grita "Jamester!" minha irmã Tammy. "Aqui. Segure isto." Antes que eu possa discutir, há um bebê em meus braços.


"Carne fresca"! Minha irmã gargalha. E o marido passa por nós dois, para obter uma cerveja. Eu olho para o bebê. "Hum, oi," digo ao Ty. Não o vejo em dois meses, e eu juro que ele está o dobro do tamanho. "Ja", ele responde em torno dos quatro dedos que ele tem enfiado na boca. Então ele remove sua mãozinha babona e a usa para pegar meu nariz. Tammy sorri duplo. "É bom ter você de volta, garoto." Tammy tem trinta anos, mas ela tem me ligado "miúdo" desde que ela tinha doze anos e eu tinha quatro. Ty e eu pegamos uma cerveja na geladeira e colocamos a cabeça para fora para a plataforma onde há uma vista arrebatadora da Baía de San Rafael à distância. Os meus pais compraram esta casa há trinta e quatro anos antes do nascimento de Joe. É a única razão que pode arcar com essa visão doce em um grande bairro. A própria casa recebeu duas adições hesitantes, quando a família cresceu. Nós o chamamos de Hodge Podge Lodge. Em sua configuração atual, há cinco quartos. Como o mais jovem, eu tinha meu próprio quarto nesta casa por exatamente um ano antes de partir para a faculdade. Minha vida foi uma série de lutas com o melhor sabor de cereais e as refeições da família barulhenta, para as camas de beliche. Adoro isso aqui. "Eu acho que eu preciso adicionar uma terceira coisa na lista," Digo a Ty. Quando olho para baixo para ele, ele está olhando de volta com olhos largo marrons que não são ao contrário dos meus. "Detroit, Toronto ou Califórnia?" Peçolhe. Ty aperta a cara dele e parece considerar a questão. Ele está pensando sobre isso difícil. Mas há um pequeno som com gases. Seu rosto relaxa quando eu começo a cheirar algo podre.


"Você pegou uma porcaria na minha frente?" Pergunto ao bebê. Ele volta todo inocente. "Lá está ele! Jamie!" Eu giro ao redor para encontrar minha outra irmã, Jess. E antes que ela pudesse reagir, eu ando sobre e entregou-lhe o bebê. Depois lhe dou um grande beijo na bochecha. "Bom te ver, mana." "Me deu um sobrinho com coco?" "É o que o cheiro parece?" "Você!" Jess veicula. Ela e eu somos o mais novos da família. Ela tem 25 anos, e a irmã que me sinto mais próximo. O que significa que podemos enlouquecer um ao outro. "Sem retorno", acrescento. Ela revira os olhos. "Bem. Eu vou encontrar o saco de fraldas. Pegue uma cerveja para Raven? Faça algo de útil." Ela deixa o baralho, passando por um homem que nunca vi antes. "Você é..." Ela disse Raven? Que raio de nome é isso? "Raven ", diz ele, e segura um punho para eu bater. Sério? Eu o engulo para não ser rude. "Você é o jogador de hóquei," ele diz. A voz dele é meio esfumaçada, eu percebo. "Claro", eu respondo. Porque quem sabe o que eu vou decidir fazer até o final da semana. "Legal," diz ele, soando um pouco chapado. Minha irmã o escolheu mesmo. Mas quando Raven coloca seu quadril contra o corrimão do convés e cruza os braços, Noto as tatuagens espreitando nas mangas da camisa dele e a curva do bíceps. Nada mal.


Jesus Cristo — agora vou ficar admirando o namorado da minha irmã. Argh! Foda-se, Ryan Wesley. Você vê o que você me fez fazer? É mais ridículo que pensei, e agora tenho a súbita vontade de rir como uma hiena. "Você," Eu engasgo de volta uma risada, "quer uma cerveja?" "Claro", ele grunhe. Ele é um locutor real, nosso Raven. Se Wes estivesse aqui ele teria... Direito. Suspiro. O jantar é barulhento e divertido, sempre tem sido assim. Ouvir conversa de heroína dos meus irmãos, me faz esquecer de Wes por um par de horas pelo menos. "Temos um atleta profissional na família", lamenta-se Scotty, "e ele desperdiça em hóquei". "Não é argumenta.

tarde

demais,"

seu

irmão

gêmeo

Brady

"Jamie podia jogar futebol. Os Niners precisam de defesa, também." "Já está tudo planejado," meu pai anuncia. " A equipe de Jamie vai estar em Anaheim em novembro..." Há gotas no meu estômago, porque não há quase nenhuma chance que eu vá jogar esse jogo. "Que significa que podemos ir todos para um jogo em Niners juntos!" meu pai termina. Típico. Pelo menos se desistir da NHL, ninguém vai ficar muito chateado. Nós provocamos Tammy sobre a barriga redonda. E nós provocamos Joe sobre sua queda de cabelo. E quando é minha vez de ser provocado, nem sequer ouço.


O dia passa voando num turbilhão de fofocas e provocações. Agora os pratos são feitos e a torta de pêssego é devorada. A maioria do clã desapareceu de casa e estão abaixo de mim, meus pais, Brady e Scotty, quem estão aqui agora. Estamos no convés, pés para cima, vendo o sol se pôr quando Scotty me conta a sua triste história. "Ela disse, 'Não quero ser casada com um policial' e — juro por Deus — eu tentei descobrir como não ser um. Eu tenho uma licenciatura em justiça criminal e sete anos de experiência de trabalho. E pensei seriamente em atirá-lo." A voz de meu irmão é áspera, e sinto muito mais do que uma simples pontada de simpatia. "Mas então eu percebi que provavelmente não importa. Se ela me amava, o trabalho não importa. Mas ela não. Não é suficiente mesmo assim. " Ok, verifique, por favor. Há uma chance pequena, mas estatisticamente significativa, que eu vá chorar em minha cerveja em um minuto. E não vai ser divertido para explicar? "Pelo menos eu sei que fiz tudo que podia" Ele adiciona. "Disse-lhe que a amava, que queria o negócio real. Eu fiz o meu caso, e eu fiz forte. Então não me arrependo." Foda. Eu não posso dizer a mesma coisa. Wes me empurrou, e o que ia fazer? Fui dar uma corrida. Eu o deixei fugir como um ladrão na noite. Eu não disse, "Eu te amo". Eu não disse isso. Em vez disso, só achei que ele iria voltar. Eu sou um idiota. "Jamie?" minha mãe diz suavemente. "O quê"? Eu bato as botas. "Você está bem?"


Onde as mães conseguem essa habilidade? Por isso é muito inconveniente. "Estou bem", murmuro, não convencendo ninguém. "Quem é ela, querido... Se ela se importa com você, espero que vá lhe dizer." Argh. Acho que há mais alguém que eu vou ter que ver depois da entrevista em Toronto.


35 Eu me aproximo das janelas do chão ao teto da sala de estar do apartamento, contemplando a vista panorâmica da orla de Toronto. É definitivamente a melhor vista de todos os apartamentos que eu olhei, mas hoje as águas calmas do Lago Ontário fazem me lembrar muito de Lake Placid. De Jamie. Mas quem estou enganando? Tudo me lembra Jamie. Ontem à noite eu não podia mesmo sentar-se no bar do hotel sem lembrar o lugar na estrada de volta ao acampamento, onde nós compartilhamos nosso primeiro beijo. Esta manhã, passei por uma loja de doces e pensei no Skittles roxo que ele tinha me comprado. No último apartamento que visitei, passei dez minutos olhando fixamente na cama o edredom no chão lembrando-me dos dois colchões que nós deslizamos juntos no dormitório. Eu não posso esquecer Jamie Canning, não importa o quanto eu tente. "Você não vai encontrar um melhor negócio neste bairro”, o corretor de imóveis diz. Ele anda e está ao meu lado, admirando a vista. "Alugar este para um de dois quartos no condomínio Harbourfront? É inédito."


Eu me afasto da janela para estudar a enorme sala aberta de conceito. O apartamento não é mobiliado, mas eu já posso imaginar como ficaria com o mobiliário. Sofá de couro e uma enorme tela plana na sala de estar. A mesa de jantar. Alguns bancos altos para o café da manhã. Eu posso me imaginar vivendo aqui, sem dúvida sobre isso. E eu tenho que admitir, eu sou muito menos propenso a quebrar a minha regra de celibato auto imposto neste bairro. A cena gay não é tão proeminente aqui em comparação com as outras áreas que visitei. Um apartamento da rua tem não um, mas três bares gays. Não que eu esteja olhando para bater-se quaisquer bares e provar o mercado de carne. A ideia de estar com alguém que não seja absolutamente Jamie me mata. "E eu não tenho certeza se isso é uma vantagem ou uma menos para você", o corretor de imóveis continua, "mas os proprietários me disseram que está pensando em vendê-lo em um ano ou dois. Se você já estiver vivendo aqui e olhando para investir em imóveis na cidade, você estaria em uma ótima posição para comprar o lugar." Eu franzo a testa. "E se eles decidirem vender mais cedo e eu não estiver interessado em comprar? Terei que me mudar? " Ele balança a cabeça. "Você vai ter a assinatura de uma locação de um ano. Você está garantido durante esse período ". Foda-se. "Vou ficar com ele", eu digo a ele. Porque honestamente? Estou cansado de olhar apartamentos. Eu só preciso de um lugar para dormir. Não importa onde. De qualquer forma, o meu coração não estará nele. Meu coração está de volta em Lake Placid. Ou talvez seja na Califórnia. Ele vai para onde Jamie Canning estiver.


Eu me sinto como uma merda por fugir daquela maneira. Mas eu nunca fui bom com despedidas. O que só prova que eu sou tão imaturo como tinha sido há quatro anos. Eu o cortei fora da minha vida outra vez. Eu acho que é a minha "coisa". Eu realmente sou um idiota. Alheio a meu auto-ódio, partido de um, o rosto do corretor de imóveis acende. "Maravilhoso. Vou elaborar a papelada esta noite.” Cinco minutos mais tarde, eu atravesso para fora do lobby para a calçada, respirando o ar quente de julho. Há um bonde parado uma quadra de distância, então eu enfio as mãos nos bolsos e sigo em direção a ele. Eu só quero chegar de volta para o meu hotel e passar o resto do dia sem fazer nada, mas quando eu subo no bonde, eu decido contra isso. Eu não posso continuar chafurdando na miséria. E em poucos dias, eu vou estar imerso em formação, que não vai me deixar muito tempo para explorar o meu novo lar. Eu pego um almoço tardio em um pequeno café com vista para o lago, então passeio um pouco, um pouco espantado com o meu ambiente. As ruas são tão limpas, e as pessoas são tão malditamente educadas. Eu não posso nem contar quantas vezes eu ouço as palavras "Desculpe-me", e "Desculpe" e "muito obrigado" durante as duas horas que eu gasto explorando. Eventualmente eu volto para o hotel, onde tomo um banho r��pido antes de abordar o próximo item da lista do dia de afazeres. O e-mail do agente. Encontrar um apartamento. Em seguida é uma chamada telefônica para o meu pai. Mal posso esperar.


Eu disco o número de casa, em seguida, sento-me na borda da cama, já temendo ouvir a som de sua voz. Mas minha mãe é a única que pega o telefone. "Ryan, que bom ouvir você", ela diz em seu tom nítido, sem emoção. Sim, eu tenho certeza que ela está emocionada. "Oi mãe. Como está tudo em Boston?” "É adorável. Eu só atravessei a porta, na verdade. Eu estava em reunião com a sociedade histórica esta noite. Nós estamos falando com a cidade sobre como restaurar a antiga biblioteca na Washington.” "Parece divertido." Como se fosse. "E o pai está por perto?" "Sim. Deixe-me ligar para ele pelo interfone." Sim, a nossa casa em Beacon Hill tem interfones em todos os quartos, porque é assim que pessoas ricas agem. Quem tem tempo para andar em outro quarto e atender um telefone quando eles estão tão ocupados contando suas pilhas de dinheiro? Meu pai vem na linha um momento depois, cumprimentando-me friamente. "O que é isso, Ryan?" Olá para você também, pai. "Ei, apenas queria falar com você sobre o Sports Illustrated entrevista." Ele vai imediatamente à guarda. "O que sobre isso?" "Eu não vou fazer isso." Faço uma pausa. Quando ele não responde, eu me apresso. "As Estações de Rookie são muito imprevisíveis, pai. " "Entendo." Seu tom é cortado. "E isso não tem nada a ver com você querendo esconder suas atividades... da revista? "


"Não é sobre isso", eu insisto. "Eu não posso ter um repórter seguindo-me em torno de um ano todo, especialmente se esse ano acaba sendo um busto." Eu cerro os dentes. "Quanto às minhas atividades, você não precisa se preocupar com isso. Neste momento, não é um problema." "Eu vejo", diz ele novamente. "Então era uma fase." Ele soa presunçoso. “Sim, pai. Minha sexualidade é uma fase. Quem eu sou, a minha própria essência, é uma fase.” Amargura obstrui a garganta, ameaçando sufocar-me vivo. Eu não posso lidar com ele direito agora. Ou nunca. Mas, especialmente agora. "De qualquer forma, agradeço a oportunidade, mas a entrevista não vai acontecer. Por favor, agradeça a seu amigo por mim ". Eu desligo sem dizer adeus, então olho para os meus pés, resistindo à vontade para bater algo. Eu sou uma pessoa má por odiar meus pais? Não, pois detesta-los? Às vezes eu sinto que estou indo direto para o inferno para os pensamentos que eu abrigo. Mordendo o interior da minha bochecha, olho em torno da suíte. Acho que posso assistir alguma coisa na TV. Serviço de quarto. Faço algo para distrair-me de pensar em Jamie ou meus pais ou minha vida fodida. Mas parece que as paredes estão se fechando sobre mim. Eu preciso sair desta sala, preciso sair da minha cabeça. Pego minha carteira e cartão-chave, e coloco no meu bolso, e hightail fora do hotel. Uma vez que eu estou na calçada, vacilo, porque sinceramente, não sei onde diabos eu estou indo.


Eu considero esquivando-me no bar do outro lado da rua para tomar uma bebida, mas estou com medo, eu não vou parar em nenhum. Minha primeira noite em Toronto, eu tenho escurecimento de ter bebido, alternando entre ajoelhar sobre o vaso sanitário vomitando minhas tripas para fora, e me enrolando na minha cama sentindo a falta de Jamie. Recuso-me ao hábito de fazer. Eu começo a andar. São oito horas em um dia da semana, de modo que as lojas ainda estão abertas e as calçadas lotadas. Nada ou ninguém pega o meu interesse, no entanto. Então eu continuo andando. E então eu ando um pouco mais, até que o sinal de néon a distância chama minha atenção. O estúdio de tatuagem me acena como uma luz no final de um túnel. Eu me vejo andando em direção a ele, sem realmente pensar sobre isso, e de repente eu estou na frente da porta. Eu estive pensando em conseguir este feito por um tempo agora, mas me senti muito extravagante. Agora isso parece agridoce. Eu hesito por um segundo, então, estudo a loja horas postado ao lado da porta. As lojas fecham as nove. São oito e vinte agora. As possibilidades são não terá tempo suficiente para o artista me ver, mas eu não sou nada se não impulsivo. Um sino toca na porta enquanto eu passo dentro e me aproximo do rapaz de cabelos compridos atrás do balcão. Ele está em uma camisa preta, recostado em uma cadeira giratória com uma revista em seu colo. Seu pescoço, braços e ombros estão cobertos de tinta. "Ei", diz ele facilmente. "Como posso ajudar você?" "Você faz as tatuagens?" Pergunto.


"Sim, mas isso depende do que você está pretendendo. Peças maiores exigem várias sessões." Ele olha para as tatuagens que espreitam para fora das minhas mangas. "Mas você provavelmente já sabe." Eu olho em volta, examinando as fotos que cobre todas as paredes. Há algumas peças incríveis lá em cima. "Você fez tudo isso?" "Isso mesmo." Ele sorri. "É você está procurando uma peça personalizada?" "Não, só algo simples." Eu ergo meu pulso direito. "Uma linha de texto aqui." "Eu posso fazer isso para você sem nenhum problema." Ele se levanta de sua cadeira e deixa de lado a revista, em seguida, fala preços comigo. É acessível, e eu sinto uma confiança instantânea com o cara, por isso, quando ele diz: "Por que não fazer agora? " Eu o sigo sem mais perguntas. Ele me conduz através de uma cortina escura em um espaço de trabalho que é limpa e organizada. Isso é um bom sinal. "Eu sou Vin", diz ele. Eu arqueio uma sobrancelha. "O seu sobrenome Diesel?"

é

Ele sorri. "Não. É Romano. Vin é o apelido para Vincenzo. Minha família é italiana. " "Sou Wes." Nós apertamos as mãos, e então ele aponta para a cadeira. "Sente-se." Depois que eu me sento, ele arregaça as mangas e pergunta: "Então, qual o texto que quer com tinta? "


Tiro meu telefone do bolso, batendo na tela para puxar a nota que eu tinha deixado em meu aplicativo de bloco de notas, em seguida, entrego a ele o telefone. "Esses números exatamente." Ele estuda a tela. "Você quer isso como numerais ou soletrados para fora?" "Numerais". "Quão grande?" "Metade de uma polegada, talvez?" Balançando a cabeça, Vin agarra um bloco de notas e rabisca para baixo os números antes de entregar a parte de trás do telefone. O lápis voa através do papel quando ele esboça algo. Um momento mais tarde, ele mostra-me a página. "Algo como isto, talvez? " Eu concordo. "Perfeito." "Você é fácil de agradar." Com um sorriso, ele rapidamente se agita em torno para preparar sua estação, agarrando suprimentos a partir de um armário nas proximidades enquanto eu examino cada movimento seu. Estou satisfeito para ver se a agulha de grau médico que ele traz está embalada, o que significa que esta loja descarta as agulhas após cada uso. Vin instala-se em frente de mim. Ele encaixa um par de luvas de látex, tira a agulha da sua embalagem, em seguida, chega para a tatuagem. "Então, onde está?" pergunta ele. Eu franzo a testa. "Onde está o quê?" Ele furtos desinfetante sobre o interior do meu pulso direito. "Esses números... eles são longitude e latitude, certo? Coordenadas? Como se olhar no mapa? "


"Lake Placid", eu digo rispidamente. "Huh." Ele olha intrigado. "Porque Lake Placid? E sintase livre para me dizer para cuidar do meu próprio negócio, se você quiser. " Eu engulo. "Não, está bem. O melhor lugar para mim, isso é tudo. Passei os melhores verões da minha vida lá. " Vin derrama a tinta preta em um dos copos plásticos na bandeja na frente dele. "Eu odeio o verão." Eu não posso deixar de sorrir. Você pensaria que alguém que lida com o canadense frígido inverno pela metade do ano gostaria de receber um tempo quente. "Por que isso?" "Porque ele sempre termina." Ele solta um suspiro melancólico. "Recebemos, o que, dois, três meses? E então ele se foi e estamos de volta a tremer nas nossas ceroulas. O verão é um total provocador." Ele dá de ombros, repetindo a si mesmo. "Ele sempre termina." Ele está certo sobre isso. O verão sempre termina.


36 Eu estou pregando esta entrevista. Isso não quer dizer que sou arrogante é apenas a verdade. Meu chefe em potencial, Bill Braddock, é cerca de quarenta anos de idade, e um cara bom, também. Posso dizer já. Nós passamos apenas quarenta minutos estudando mais sobre os melhores métodos de treinamento para sermos mais responsáveis na defesa. Quando Bill fala da estratégia, seus olhos se iluminam. Eu quero este trabalho. Eu realmente quero. "Desculpe", diz Bill. "Eu saí dos trilhos mais uma vez." "Está é tudo bem", eu respondo. "Esse é o ponto crucial dele, certo? Ensinar as crianças a relaxar assim eles pode defender a sua zona de forma eficaz. " Ele acena com entusiasmo. "Como você aprendeu a ser tão calmo, de qualquer maneira? Eu vi sua fita." "Ah." Eu rio. "Eu sou o mais novo de seis irmãos. Eu nasci em meio ao caos. É tudo que eu conheço." Eu tenho Braddock rindo agora. Ele, na verdade, bate em seu próprio joelho. "Impagável. Isso nunca foi um obstáculo? "


"Certo. Quando você tem seis filhos, você está sempre perdendo um. E quando você é o mais novo, normalmente é você. Lembro-me de ficar em pé em um corredor de cereais da mercearia, tentando decidir entre Cheerios e Chex. Enquanto eu olhava todo mundo tinha ido. Uma vez eles me deixaram em uma parada de descanso fora de Lake Tahoe. Eles andaram quinze milhas de distância antes de perceberam que eu não estava no carro ". Bill está com rosto vermelho de tanto rir. "Quantos anos você tinha? " "Sete? Oito? Eu não sei. Mas eu sabia que não deveria entrar em pânico. " "Incrível." Ele ri, em seguida, atinge uma mão sobre a mesa. "Venha trabalhar para mim, Jamie. Eu acho que nós vamos nos dar muito bem. " Eu me inclino para o aperto de mão. "Eu gostaria de fazer isso." "É uma grande decisão, você quer o fim de semana ... " Agora eu balancei minha cabeça. "Quero treinar. Não é necessário o fim de semana. " Ele se senta para trás, sua expressão me dizendo que ele está impressionado. "Bem, tudo bem então. Eu posso conectá-lo com uma agência de aluguel? A habitação vai ser um pouco complicada. Toronto é caro. Nós pagamos nossos treinadores o que podemos, mas ninguém está ficando rico..." "Sim, eu vou precisar para resolver isso." Pela primeira vez em uma hora, eu penso em Wes. Ele pode estar apenas algumas milhas de distância à direita agora, à procura de um apartamento, também. Eu preciso falar com ele que já decidi. Mas então eu vou ter que encontrar uma maneira de colocá-lo fora da


minha mente. Eu não quero sempre estar à procura de seu rosto quando andar descendo a rua. Seguir em frente vai ser difícil. Levanto-me e ofereço minha mão mais uma vez. Bill sacode, ainda sorrindo como se ele tivesse ganhado na loteria. Pelo menos eu vou trabalhar para um bom homem. Eu estou esperando que signifique boas coisas sobre esta organização, também. "Deixe-me saber como posso ajudá-lo a estabelecer-se", diz Bill, levantando-se da cadeira. "isso significa. Mandar-me um e-mail se você tiver quaisquer perguntas sobre bairros ou outros assuntos." "Eu farei isso." Cinco minutos mais tarde, eu estou fora novamente nas ruas de Toronto, afrouxando a gravata que eu tinha usado para a entrevista. Eu perdi o almoço de hoje, então eu tomo um assento em um café ao ar livre no Lakeshore e peço um sanduíche e café gelado. Toronto é um lugar agradável. Uma cidade grande. De alguma forma eu tenho que encontrar Wes hoje. Eu tentei chama-lo esta manhã depois que eu saí do avião, mas o seu número estava desligado. No começo eu entrei em pânico, pensando que ele tinha ido a um grande esforço para me calar. Mas quando minha operadora de telefonia me enviou um texto explicando as cobranças internacionais para o Canadá, percebi que Wes tinha, provavelmente, ligado de uma operadora canadense. Isso tem que ser ele, certo? De qualquer maneira, eu preciso de outro plano para alcançá-lo rapidamente. Eu poderia ir para a pista, mas eu duvido que eles vão deixar-me simplesmente entrar. E mesmo que eles fizessem, Wes pode não gostar...


Meu telefone toca, assustando-me, e por um segundo o meu coração salta. Mas é claro que a chamada não é de Wes. O telefone diz Holly. "Olá," eu respondo, tentando manter meu tom leve. Nós não temos nos falado desde a nossa desajeitada noite em Lake Placid, mas eu estou realmente esperando que ela quisesse dizer o que ela disse sobre nós continuarmos sendo amigos. "Você nunca vai adivinhar onde estou agora. " Ela ri, e o som é reconfortante. "Não Detroit, então?" "Não. Toronto. Eu estou tomando um emprego de treinador." "Sério? Isso é ótimo, Jamie. Estou tão orgulhosa de você. Fico feliz que você seguiu seu instinto ". Meu coração incha um pouco. Todo mundo gosta de ouvir que eles fizeram bem. "Obrigado. Vai será uma adaptação. O dinheiro Canadense é engraçado de ver." Holly ri. "Por que Toronto? Você vai me contar sobre sua mulher misteriosa ? " "Um ..." Ouch. "Não tenho certeza. E eu não estou muito feliz com isso. " "Oh, querido." Há uma verdadeira simpatia em a voz dela. "Desculpe-me. Por que não?" A garçonete entrega minha comida, e eu tive um momento para agradecer a ela. "Então," eu digo, olhando por cima do meu ombro. Eu estou sozinho e fora, que é por isso que eu respondi meu telefone em primeiro lugar. "Aqui está algo que vai rachar você para cima. " Eu preciso dizer a alguém e Holly vai manter o meu segredo. Ela é uma boa amiga. "O que é?"


"Minha mulher misteriosa? Não há uma. Eu estava vendo um cara." Há um profundo silêncio por um momento. "Sério?" Ela parece incrédula. "Sério. Aparentemente eu sou, um... " Eu nunca disse em voz alta antes. "Bissexual". Não. Isso realmente não foi tão difícil. "Eu sou ... Wow", diz Holly. "Eu não sabia que isso ia acontecer. " "Nem eu." Eu ri. "Tem sido realmente um verão interessante. " "Quem é ele? Espere amigo do hotel! E a pista em Lake Placid! Ryan alguém." Bem, foda-se. Esqueci-me que as mulheres são tão estranhamente intuitivas. "Holly, você não pode dizer a ninguém. Não importa muito para mim, mas poderia realmente feri-lo ". Seu suspiro é alto em meu ouvido. "Eu não vou dizer a uma alma. Mas ... ele terminou com você? Eu vou matá-lo ". Agora ela me tem sorrindo. "Você é a melhor. Eu já lhe disse isso? " "Eh", ela suspira. "Eu tenho meus momentos. ” “Ei, agora eu posso parar de tentar descobrir que tipo de garota que você tinha caído. Queria saber o que ela tinha que eu não, estava realmente tomando você do meu tempo livre. Agora pelo menos eu sei a resposta, um pau. " Comecei a rir. "Porra, Holly. É bom conversar com você". "Da mesma forma."


Quando desliguei, ainda havia um sorriso em meu rosto. Eu como o meu almoço e o pensamento de toda a coisas malucas que eu fiz essas últimas seis semanas. E uma memória, em particular, resolver o problema de encontrar Wes. Eu pago a garçonete e retiro meu telefone. Eu tenho um aplicativo para download.


37 Minha primeira prática é brutal, mas é assim que eu gosto disso. Treinador Harvey começa com um cruzamento broca projetado para fortalecer nossa capacidade para acelerar nas curvas, e leva apenas cinco segundos para eu compreender plenamente que eu estou nas grandes ligas agora. Não, você não está na faculdade, Dorothy. Este é um novo nível de intensidade, e estou suando minhas bolas fora quando eu entro fora do tráfego, mudando de direção dos caprichos do treinador. Empurrando-me para manter-se com os jogadores que já treinaram juntos por muito mais tempo do que os cinco minutos que eu estive com eles. E ele só pega em intensidade de lá, mas eu estou bem com isso. Isso é tudo que eu tenho. Esta é a escolha que eu fiz. Jogando o melhor hóquei pode ser o foco da minha vida para os próximos anos. No momento em que termino, eu estou tão suado, há vapor saindo de dentro do meu capacete quando eu finalmente retiro. Minhas pernas estão como geleia quando eu ando na calha para o vestiário.


"Boa agitação lá fora homem. Você vai ser uma boa adição," meu companheiro de equipe Tomkins diz. Ele está por aqui a três temporadas e faz bem, por isso estou contente de ouvi-lo dizer isso. "Obrigado. Estou feliz por estar aqui. " E eu estou. Principalmente. Depois de um banho, eu me visto e saio da pista. Estou cansado, e não preciso ser social de qualquer maneira, porque há uma equipe jantando a partir de duas horas. Eu verifico meu telefone para chamadas, mas não há qualquer uma. O app tem um novo Brandr notificação, no entanto. Isso é estranho, porque eu não enviei mensagens para uma alma desde que vim para Toronto. Eu fui um bom menino. Na verdade, eu realmente devo apenas eliminar a porra do app. Conduzo-me não na tentação, e tudo isso. Mas ao ler a notificação de qualquer maneira, apenas no caso de alguém que eu realmente sei. Há uma mensagem de um novo perfil, com uma imagem em miniatura que eu não reconheço. Meu polegar paira sobre o botão delete quando o nome do remetente afunda. A mensagem é de PurpleSkittle. E quando eu abro, sua localização é de 3.3 km de distância. Há um aperto instantâneo no meu peito. Jamie Canning está em Toronto. Eu abro a mensagem, porque ele deve estar zangado comigo. Mas é para o melhor. Wes, eu preciso de quinze minutos de seu tempo. Eu vou levar este trabalho de treinador, e há algo que eu quero dizer. Estamos indo para compartilhar uma cidade. É


um grande problema, mas ainda assim. Diga-me onde podemos nos encontrar. Eu não me importo onde, Starbucks ou qualquer que seja o lugar canadense equivalente. Faça-me este favor. J. Estou respondendo antes mesmo de pensar. Digo-lhe que sim. Não porque é a coisa certa a fazer, mas porque eu sou impotente para dizer não. Uma loja de café não é a melhor ideia, no entanto. Muito público. Por isso, peço para ele me encontrar no apartamento vazio que eu acabei de alugar. O agente imobiliário tinha me perguntado se eu queria entrar lá para fazer as medições. Isso é uma coisa, aparentemente. Eu disse a ele, que sim, e ele me deixou uma chave na recepção do hotel. Agora eu estou correndo para lá. O porteiro me dá a chave e digo a ele que estou esperando alguém para que possa deixa-lo subir. Ele promete mandá-lo direto para cima. Eu entro no elevador com um martelar no coração, e quando abro a porta do apartamento, olho para ele com novos olhos. Há também muito espaço para um cara. Deveria ter olhado para um de um quarto. Jamie vai olhar para este lugar, e achar que eu fui embora para que eu pudesse ter um grande estilo de vida NHL. Como se eu desse a mínima para as regalias. Mas a bancada do granito e os pisos de madeira de cerejeira riem de mim. Isto é o que você estava procurando. Eu deveria estar aqui fazendo medições, mas eu nem sequer trouxe uma fita. E não é o apartamento que eu preciso é o tamanho das minhas bolas. Jamie está no seu caminho aqui para me dizer que eu sou um idiota com medo, e eu


realmente não posso discutir o ponto. Quando a batida vem, eu não estou pronto. Mas abro a porta, e ele caminha através do vestíbulo em uma porra de terno e gravata, parecendo quente o suficiente para me queimar. Eu instintivamente olho, porque eu não posso tocá-lo. Eu nunca tive qualquer força de vontade onde Jamie Canning está envolvido. E eu já envio a ele mensagens. Eu não posso fazer isso com ele de qualquer maneira. "Oi", diz ele com cautela. "Lugar legal." Eu dou de ombros, porque minha boca está seca demais para falar. Seus grandes olhos castanhos tomam no espaço, o que me dá um minuto para admirar este homem, eu o amo, talvez pela última vez. Seu rosto está liso, e seu cabelo foi cortado. Eu sei exatamente como é macio peneirar meus dedos. E eu sei que é realmente um milhão de cores diferentes de perto. Minha bunda bate no balcão da cozinha, e eu quase tropeço. "Você está bem ?" pergunta ele. Concordo com a cabeça, impotente. Isto é tão difícil. Mas eu o trouxe comigo. Eu descanso a mão na bancada de granito, e sua temperatura fria me estabiliza. "Bem, há algo que eu vim aqui para dizer, mesmo que eu sei que você não vai querer ouvir. " Os olhos de Jamie me procuram, mas eu não sei para quê. Eu já sou um idiota perto dele, e eu não posso mostrarlhe como me sinto realmente. Isso é o melhor que posso fazer. "Eu não sei o que você acha que aconteceu neste verão ", continua ele, encaixando as mãos nos bolsos das calças. Se essa coisa de treinador não der certo, ele deve tentar tornar-


se o CEO de uma empresa em algum lugar. Porque ele balança realmente o olhar. "Na verdade, eu tenho certeza que você já inventou um monte de besteira nessa sua cabeça teimosa. Você acha que você tem me corrompido, ou me manipulado, ou alguma merda." Meu rosto está quente agora. Porque eu penso assim. "Você acha que eu estava apenas brincando. Tomando um passeio no lado selvagem. Você acha que eu... " Ele escova as mãos juntas, como se espanando fora. "...voltar para meninas. E o que tivemos foi como um experimento. " Sim, acho isso também. "Isso não é o que aconteceu, Ryan. Não para a mim. O que aconteceu é que eu tenho o meu melhor amigo de volta por um tempo, e também cai por ele. " Sua voz engrossa. "Eu não estou apenas dizendo isso. Porra eu te amo, e eu sei que é inconveniente. Mas eu não tive uma chance para dizer-lhe em Lake Placid, então eu estou dizendo a você agora mesmo. Apenas no caso de nunca poder chegar mais de um verão. Eu te amo, e eu gostaria que as coisas fossem diferentes. " Há uma pressão em meus ouvidos, e o mundo fica um pouco embaçado. Encontro-me afundando em direção ao chão, minhas costas deslizando ao longo do armário de madeira, minha bunda bate na cerejeira polida. Meus olhos estão molhados, então eu olho para fora da janela. Eu vejo azul. Que porra de visão. É lindo, e eu simplesmente não me importo. Porque nada é tão bonito quanto o homem que acabou de dizer que me ama. "Wes". A voz é suave, e está vindo mais perto. Eu ouço o farfalhar de um paletó sendo removido. Poucos segundos depois, Jamie senta-se no chão ao meu lado. Na minha visão periférica eu vejo seus antebraços salientes na camisa arregaçada.


Ele liga as mãos em volta dos joelhos e suspira. "Eu não queria incomodá-lo", diz ele em voz baixa. "Mas precisava ser dito." Ele está ali. O aroma limpo de seu xampu e o calor de seu cotovelo contra os meus são esmagadores. Eu senti falta dele. Pra caralho. Eu estive andando ao redor de um abismo oco no meu peito onde o meu coração costumava ser. Mas esse buraco está cheio novamente. Meu coração está de volta, porque Jamie está aqui. E ele porra, me ama. Minha próxima respiração escapa como um estremecimento. "Eu não pude escolher:" Eu coloquei para fora. "Você já escolheu, e eu entendo porque…" Eu dou em minha cabeça uma sacudida violenta. "Não. Significa que eu não posso escolher. Eu não vou escolher entre você e o hóquei. Eu quero ambos. Mesmo se for um desastre." Eu olho para Jamie outra vez, finalmente, bem a tempo de vê-lo estremecer. "Eu não quero ser a razão da sua carreira na NHL não dar certo ", diz ele com veemência. "Eu entendo, Wes. Eu realmente entendo. " Há uma lágrima escorrendo pelo meu rosto e eu não me importo mesmo. Eu pego a mão de Jamie fora do joelho para beijá-la. Ele é bom pra caralho. "Desculpe," eu boto pra fora. "Nós vamos ter que trabalhar em algo. Eu te amo, porra." Sua respiração engata. "Sim?" "Foda-se, sim. E eu não vou deixar você andar fora daqui." "Nunca?" Ele brinca, apertando a minha mão. "Essa é uma maneira de evitar fofocas."


Eu suspiro. "Precisamos de uma estratégia. Eu tenho que ficar fora dos jornais enquanto eu puder. " "Mas, veja, é por isso..." "Calma, baby", sussurro. "Deixe-me pensar por um segundo." Não podemos mentir para sempre para salvar a minha carreira, porque não é justo para Jamie. Talvez ele não tenha pensado sobre isso, mas eu tenho sido um gay muito tempo e sei o quanto o armário suga. "Eu preciso ser sorrateiro até junho próximo," eu finalmente decidi. "Mas é isso. E isso só se Toronto ficar bastante longe nos playoffs. Somente uma temporada. " "E depois?" Eu dou de ombros. "Então você pode ser meu par no próximo churrasco da equipe ou o que porra for para sempre ". Jamie ri, mas eu estou falando sério. Isto só levou um olhar para ele hoje para perceber que eu não posso manter as partes de mim mesmo separado em gavetas. Isso nunca ia funcionar. "E se algo acontecer antes de junho? Quero dizer..." Ele suspira novamente. "Eu não posso mentir para a minha família. Posso pedir-lhes para ser discreto, e eles vão tentar. Mas eu não estou brincando quando eu disse que eu não quero ser a sua ruína. Pense bem sobre o quanto de risco você está disposto pegar." "Você vale a pena", eu sussurro. Porra, eu vou fazer valer a pena. Minha mudança de coração não é pura generosidade. Se Jamie é corajoso o suficiente para andar até aqui e dizer que me ama, eu tenho que tomar algumas chances


também. "Eu vou ter uma conversa com o departamento de relações públicas. Vou avisá-los." Sua mão aperta a minha. "Você não pode estar falando sério." Viro um pouco a cabeça contra a madeira da parede onde estamos sentados. "Estou falando sério. É a minha vida, e a sua. Eu te amei por anos, querido. Se a NHL não pode lidar com isso, então, é assim que será. " A expressão de Jamie amolece. "Isso será um dia realmente ruim, no entanto. " "Não. Um dia ruim é você desistir de mim." Eu passo uma mão pelo meu cabelo, e ele de repente capta o meu pulso, os olhos castanhos estreitam. "Quando você conseguiu este feito?" Ele está olhando para minha nova tatoo, e eu me sinto envergonhado quando eu respondo: "Alguns dias depois que eu saí." As pontas dos dedos ásperos roçam a linha de tinta preta. "O que são essas coordenadas?" Eu não me surpreendo se ele descobrisse. Meu homem é inteligente. "Lake Placid", digo a ele. Seus olhos travam com o meu. "Entendo." Ele limpa sua garganta, mas quando ele fala de novo, sua voz ainda é revestida com cascalho. "Você realmente me ama, né? " "Sempre amei." Eu engulo em seco. "Sempre amarei." Não está claro quem se move em primeiro lugar. Mas um segundo mais tarde nossos lábios se encontram, em seguida, pressionamos juntos. Estou gemendo antes mesmo da língua de Jamie abrir meus lábios. Eu o beijo duro, e ele dá tão bom quanto ele ganha.


O tempo passa. Assim que começamos a beijar nós não paramos. Meus lábios estão inchados e eu estou tão duro que é doloroso. Mas isto não é sobre sexo. Cada beijo é uma promessa de mais para vir. Eu sei que nós precisamos parar. Há planos para fazer, e há um jantar que eu tenho que chegar, mas cada vez que eu digo que este é o último beijo, eu volto para mais um. E, em seguida, mais um. Eu puxo de volta eventualmente. "Você tem que viver aqui", eu deixo escapar. "O que?", Diz Jamie, olhando atordoado. bochechas são liberadas e eu despenteio o cabelo dele.

Suas

"A vinte e dois anos de idade, um novato pode ter um companheiro, especialmente um de hóquei que são velhos amigos. Na verdade, seria estranho se você estivesse indo e vindo o tempo todo ". Ele sorri, e eu acho que ele vai fazer uma piada sobre indo e vindo. "Você está apenas me pedindo para morar com você? " "Bem, sim. Poderia?" Os olhos de Jamie varrem a sala. "Eu não posso pagar esse lugar." Eu já estou balançando minha cabeça. "Isso não vai ser um problema. Você pode pagar os utilitários ou alguma merda. " "Eu não posso..." "Sim, você pode. Considere isso como um presente por se esconder por dez meses. " "Eu não posso pagar nada." "Bem. Contribua com o que você faria de outra forma no orçamento para o dinheiro do aluguel." Eu estou, oferecendo-lhe uma mão. "Vamos, vamos dar um passeio."


Eu não quero falar sobre dinheiro. Foda-se isso. Jamie pega a minha mão e me segue para o pequeno corredor fora da cozinha. "Vamos colocar uma cama nesse quarto, mas não vai ser o nosso quarto. Você pode ter uma mesa aqui, porém, se você precisar de uma para o seu trabalho. Isto vai lhe dar um lugar para trabalhar. " Isso tudo parece tão fácil agora. Toronto apenas tornou-se um lugar que eu realmente quero estar. "E isso é o nosso quarto." Eu o levo para o grande quarto, o qual tem uma ranhura num canto da construção. "Veja como é privado? Quando nós fodermos, ninguém poderá nos ouvir." Eu arrisco uma olhada Jamie, e seus olhos são fundido. Puta que pariu. Não deveria ter dito isso. Eu estou duro, e não há tempo para fazer qualquer coisa sobre isso. "Espere. Que horas são, afinal? " Ele verifica o relógio. "Seis." Merda! "Eu tenho que estar neste restaurante em uma meia hora. E o meu hotel está do outro lado da cidade..." Eu olho para o que estou vestindo. Calças de moletom e chinelos. Ótimo. Vou me atrasar para o meu primeiro evento da equipe. Caramba . Eu rio, porque é isso ou chorar. E eu já tenho feito este último hoje. "Baby, você quer usar isso?" Jamie indica seu terno. "Sério?" Ele dá de ombros. "Você não precisa, mas..." "Vamos tentar." Tenho que rir, porque isso é louco. Mas isso é o que acontece quando ele e eu estamos juntos. Loucuras acontece. E nós somos apenas do mesmo tamanho.


A cintura de Jamie pode ser um pouco mais larga do que a minha, mas ele está vestindo um cinto. Ele está olhando para si mesmo, fazendo a mesma matemática. "Qual é o tamanho de seus pés?" "quarenta e dois." "Eu sou quarenta e tres", diz ele. "Perto o suficiente." Estamos sorrindo como idiotas quando nós tiramos nossas roupas no quarto grande vazio. Jamie está vestido apenas as meias, e eu gemendo com a visão. "Espero que este jantar não seja demasiado longo. Você vai ficar comigo hoje à noite no hotel?" Ele lambe os lábios. "Certo. Mas você vai ter que me dizer onde é." Ele me passa sua camisa e eu coloco. Cheira como ele. Vou ficar excitado toda a noite. O melhor tipo de tortura. Podemos fazer a troca e eu não sou nem um pouco ruim. Os ombros do revestimento são um pouco mais largos do que os meus, mas foda-se, quem se importa. "Eu esqueci alguma coisa. " "O que?" Eu trabalho no nó da gravata de Jamie, mas não há nenhum espelho, por isso é um processo lento. "Naquela noite nós estávamos fazendo a lista de benefícios de ser gay? Tomando emprestadas roupas do seu namorado. " Estalando a língua, ele empurra minhas mãos fora do caminho e endireita o nó. "Você está quente em meu terno. " "Você está quente em nada." Ele chega para baixo e aperta meu pau através das calças de lã. "Você tem um boquete mais tarde, apenas por dizer isso. "


Eu gemo. Então eu tenho um pensamento tão mal que quase não posso dizer com uma cara séria. "Hoje à noite, eu quero ter você em nada, mas meu jersey dos Toronto ". Jamie engasga com risos e dá a minha bochecha um tapa falso. "Seu idiota. Eu não sou seu coelho". "Por favor? Eu nunca peguei um coelho. Esta é a minha única chance." Ele envolve seus braços em volta do meu corpo e aperta minha bunda. Eu recebo um único, mas antes de beijar ele recua. "Agora me dê a sua chave do hotel e vá para o seu jantar já. Sem mais beijos. " Quando eu saio para a calçada alguns minutos mais tarde, eu estou um pouco tonto e andando cuidadosamente em sapatos que são um pouco grandes demais. E eu nunca me senti melhor em minha vida.


38 AGOSTO

No final da minha primeira semana de acampamento de treinamento, Treinador Harvey desloca as linhas ao redor e me coloca na segunda linha com Erikkson e Forsberg. Este último conduziu a Stanley Copa para vencer há três temporadas antes de ser negociado com Toronto. O primeiro foi amarrado para o maior jogador com pontuação ofensiva na última temporada. E depois tem Ryan Wesley, primeiro recruta da patinação com duas lendas malditas. É um sinal promissor, porque isso significa que eles estão seriamente considerando-me para esta temporada, em vez de enviar-me até a equipe da fazenda por mais desenvolvimento. Nossa mudança dura dois minutos e, pouco antes do treinador gritar para uma mudança de linha, eu dou um tapa no temporizador após o goleiro (outro ex- Stanley Cup campeão) e aceito um vigoroso aplauso de volta de Erikkson, que está sorrindo atrás de sua máscara.


“Bom garoto, que está uma beleza!" O louvor aquece-me por dentro. E eu sou grato quando noto o treinador acenando com a cabeça em aprovação do banco. "Você tem sólidos instintos ", ele me diz quando eu me levanto sobre as placas um momento mais tarde. "Sem hesitação. Eu gosto disso." Ouvir que sou bom faz bem ao meu ego? Droga, claro que faz. Estas duas últimas semanas, eu aprendi que o elogio do nosso treinador vem sobre como muitas vezes um eclipse solar. Mas, apesar dele nos empurra duro e ser resistente como pregos, ele é um cara legal quando não estamos no gelo, e o homem com certeza conhece o seu hóquei. Curvo a minha cabeça para baixo, despenteando meu cabelo como eu sou uns cinco anos mais velho. "Você é rápido, Wesley. Mantenha mostrando a velocidade na prática está bem? Eu quero você na minha linha. " Meu coração faz uma cambalhota louca. Jesus Cristo. Como esta é a minha vida? Mas não cobre o meu bom humor. Eu estou agendado em um encontro com um dos publicitários da equipe em trinta minutos, e dependendo como isso vai, a prática pode não ser a única coisa sobre hoje. Minha carreira pode acabar, e muito. Antes mesmo de começar. Eu não mudei minha mente, porém, não importa quantas vezes Jamie me pediu a reconsiderar. Eu não estou dando-lhe para cima. Este próximo ano pode ser difícil para nós, especialmente se meu agente for todo fogo e enxofre em minha bunda para manter o relacionamento em segredo. Mas eu sei que podemos resistir por ele. Eu amo Jamie. Eu sempre amei Jamie.


E agora que eu sei que ele se sente da mesma maneira, eu mal posso esperar para vê-lo novamente. Para morar com ele mais uma vez. Depois de aceitar o cargo de treinador e informar Detroit de sua decisão, Jamie voltou para Lake Placid por duas semanas. Ele me contou seus planos quando estávamos deitados no meu hotel após o sexo. E mesmo nesse estado, eu pensei que era uma péssima ideia. "Não vá", eu argumentei. "Eu só tenho você de volta." Sorrindo, ele me beijou. "Nós não podemos entrar no apartamento ainda, de qualquer maneira. E Pat precisa de ajuda. Além disso, isso significa que você pode concentrar toda sua energia em impressionar o seu treinador. " Tenho saudades dele, mas eu fiz o que ele sugeriu. Tudo que eu faço é praticar e falar com ele ao telefone à noite. Minha locação no condomínio começou há três dias. Eu fui comprar o essencial, um colchão king-size e uma televisão de tela plana gigante. Mas isso é tudo que eu estou comprando até Jamie voltar na próxima semana para me ajudar a escolher tudo. Na verdade, eu encontrei uma poltrona no meio-fio ontem e arrastei para cima. Mas quando eu a configurei em frente às janelas da sala notei que ela vacilou. Eu bati uma foto da cadeira e mandei uma mensagem para Jamie com uma nota sobre joga-la fora. Sua resposta foi rápida e furiosa: Tem que ir! As pessoas jogam merda fora por uma razão! Eu aposto com você que alguém morreu na cadeira! Agenda de hoje à noite: livrar-me da cadeira da morte e ir às compras de supermercado.


Olhe para mim sendo todo domestico. Estou meio escovado. Depois que tomei um banho no vestiário e coloquei minhas roupas de rua, eu ando em direção ao elevador na ponta da arena de treinamento. O cara de PR concordou em se reunir comigo nos escritórios no andar de cima, poupando-me de ter que percorrer a sede da equipe em outra extremidade da cidade na hora do rush. Ele espera por mim no corredor quando saio do elevador. Eu já o conheci uma vez antes. Foi depois que eu assinei o meu contrato, quando ele tinha me dado um pacote de informação sobre os eventos promocionais que vou participar nesta temporada. "Ryan", diz ele calorosamente, estendendo a mão. "Bom ver você de novo." "Frank", eu cumprimento-o com um aperto de mãos. "Obrigado por ter vindo para baixo para encontrar-se comigo." "Qualquer coisa para a nossa nova estrela do hóquei". Ele sorri e faz um gesto para segui-lo. Um momento depois, nós estamos sentados em um pequeno escritório com vista para o parque de estacionamento. Frank tem um olhar irônico. "Não é exatamente o colo do luxo aqui. Eu não posso nem lhe oferecer qualquer coisa para beber." "Isso é bom. Eu só bebi duas garrafas de água no vestiário ". "Eu peguei o fim da prática. Parece que você está engrenando bem com os outros caras. " "Eu acho que sim", eu admito. "Espero que o treinador concorde. "


Frank sorri. "Confie em mim, garoto, Hal ama vocês. Ouvi dizer que quando os treinadores iriam sobre o projeto de perspectivas, ele se recusou a olhar para quaisquer outros centros. Você era a sua primeira e única escolha. " Prazer dispara através de mim. Então a culpa. Porque o pensamento de decepcionar meu novo treinador faz mal ao meu estômago. Mas o pensamento de não ter Jamie em minha vida me deixa ainda mais doente. "Então, ouça. Eu tenho algo importante a discutir com você ", eu começo sem jeito. A expressão de Frank fica grave. "Está tudo certo? Alguém que lhe causou algum problema?" Eu balancei minha cabeça. "Não, nada disso." Um suspiro triste desliza para fora. "Se qualquer coisa, eu sou o único que está prestes a dar-lhe problemas. " Na verdade, ele ri. "Tenho que dizer-lhe, muitas conversas começam desta forma. Até agora, correu tudo bem, Ryan. Apenas me diga. " Eu fecho minhas mãos no meu colo para parar a partir de inquietação. "Frank ... o companheiro de quarto que eu listei como meu contato de emergência em meus formulários de saúde? Ele é, na verdade, o meu namorado. Mas, uh, ninguém mais sabe. " Ele nem sequer piscar. "Certo." Certo? Confusão enche meu intestino como se eu tentasse dar sentido a sua resposta. Ele não tinha soado sarcástico, como certo, certo de que ele é. Isto não tinha soado hostil. Ele não tinha soado como qualquer coisa. "Eu só estou dizendo isso, uh, porque poderia vazar. Eu nunca tento trazer publicidade negativa para a equipe", eu me apresso em dizer. "Minha orientação sexual não tem nada


a ver com minhas habilidades como um jogador de hóquei. Estou pensando em jogar minha bunda fora para este clube, e espero sinceramente que quem eu encontrar em meu tempo livre não afetará meus companheiros de equipe com opiniões sobre mim como jogador. Mas eu também conheço os meios de comunicação, eles vão saltar sobre esta história se vazar. " Frank está acenando com a cabeça agora. "Eu ..." Eu respiro. "Quero dizer, eu estou vivendo com alguém. É sério. O único, um, escândalo é que ele é um homem. " Seus lábios se contorcem. Puta que pariu. Ele está rindo de mim? Eu cerro os dentes e forço-me a continuar. "Estamos dispostos a ser tão discreto quanto à equipe precisar de nós para ser, mas não podemos esconder nosso relacionamento para sempre. Nós não deveríamos. " Minha respiração sai em uma corrida. "Então eu percebo que gostaria de divulgar estas informações e deixá-lo para a equipe decidir o que acontece em seguida. " Frank se inclina para frente, descansando os braços sobre o desktop. "Ryan." Ele ri. "Eu agradeço que você está vindo para frente, mas ... nós já sabíamos sobre sua orientação sexual. " Eu tusso com surpresa. "Vocês sabiam?" "Filho, nós temos um processo de investigação aprofundada para todos os nossos projetos de perspectivas. A última coisa que uma necessidade do clube é elaborar uma criança na primeira rodada, só para descobrir mais tarde que ele é um criminoso e gravar uma milha de comprimento, ou ele é viciado em pílulas ou tem algum outro esqueleto no armário que pode impactar negativamente o campeonato. "


Jesus. Então, eles sabiam que eu era gay antes que eles me contratassem? Como? Eu exprimo o pensamento perturbado. "Como é que você sabe?" Ele ri novamente. "Você estava tentando manter isso em segredo? Por nossa causa, seus companheiros de faculdade e treinadores, estávamos bem ciente disso. " Eu estou ... pasmo. "Meu treinador sabia?" Ele dá de surpreendente.

ombros

como

se

isso

não

fosse

"O técnico não iria querer que você entrasse para uma equipe que não iria tratá-lo bem. Ele fez um favor. E como eu disse, Hal ficou impressionado com você, e não apenas com o nível de talento que você trouxe para a equipe. Você é inteligente, discreto, você tem uma boa cabeça em seus ombros. Isso é tudo o que importa a ele. Para nós." "Então ..." Eu tento encontrar a minha voz. "Vocês caras não se importam que eu estou envolvido com outro cara?" "Nem um pouco." Ele cruza as mãos juntas. "Na verdade, eu já tinha escrito o comunicado de imprensa para quando isso eventualmente vazasse. A organização concordou em todo o suporte. Estamos prontos." Eu apenas sentei lá, minha mente girando. Há algo que agrada a parte de trás do meu cérebro sobre este debate. Soa quase como se eles estivessem esperando para emitir este comunicado de imprensa. "O que está nele para você?" Eu digo. Ele sorri. "A fé em nosso homem?" "Besteira. O que isso tem? " Frank abre as mãos em um gesto de humildade.


"No ano passado nós trocamos Kim para Anaheim, e Owens para Miami. Porque nós tivemos..." "Muito, Muitos homens destros," Eu terminei. Ele acena. "Só Kim coreano-americano e Owens foi ... "Ele olha para o teto tentando lembrar. "Esqueci. Mas alguns repórteres de esportes fizeram uma grande agitação sobre como nós não sermos uma equipe diversificada. Alguém saltou sobre isso e começaram uma petição que de alguma forma reuniram vinte e cinco mil assinaturas. " Eu não posso acreditar no que estou ouvindo. "Então você redigiu a bicha.” Frank revira os olhos. "Eu vou ter que pedir-lhe para não usar essa palavra, filho. Não é legal. " Meu gemido ecoa nas paredes do escritório. "Por favor, me diga que você não vai vazar minha orientação sexual na próxima vez que algum idiota escrever que Toronto não é uma organização PC. Eu não quero ser seu peão. " Ele sorri. "Nós não estamos interessados em transforma-lo em um garoto propaganda para os atletas gays. Nós não precisamos convidar o circo da cidade sempre que se mostra eventualmente. Mas não enviaremos vocês para enfrentar a mídia acenando com uma bandeira do arco íris, ou pedir-lhe para dar entrevistas divulgando ser como o "primeiro jogador abertamente gay na NHL.'" Ele cita a manchete, rindo de novo, e eu percebo que eles colocaram um monte de pensamentos nisso. E enquanto isso, eu gastei todo momento desde que eu fui convocado preocupando-me com como eu iria mantê-lo sob sigilo. "Eu tenho que dizer, no entanto. Se você está me dizendo que está em um relacionamento sério, eu estou


fazendo uma dança feliz. Quando a imprensa finalmente capturar você, não vai ser alguma foto de você em uma casa de banhos em skeezy Jarvis Street. Eu prefiro o visual de você e seu namorado em um jantar à luz de velas. " Eu abro minha boca para discutir com este pouco de cinismo, e depois descubro que eu não me importo o suficiente para lutar essa luta. Toronto vai me manter, mesmo que Jamie e eu estejamos saindo do armário. Isso é tudo que importa, digo a mim mesmo. E o homem em minha frente é pago para pensar como um idiota, apenas como eu sou pago para pensar como um assassino. "Existe alguma coisa que você queria discutir, Ryan? " Eu pisco. "Hum ... não. Era isso. " Frank raspa sua cadeira para trás e estende a mão acima. "Então eu espero que você não se importe se encerramos este pequeno bate-papo. Eu preciso falar com Hal antes de ir para casa com a esposa e as crianças. " Minhas pernas estão bambas quando o sigo até a porta, onde ele para e bate as mãos no ombro. "Você deve vir jantar em nossa casa em algum momento. O seu namorado será bem-vindo, também." Eu pisco novamente. Que planeta estou agora porra? Ele sorri para minha confusão. "Eu sei que você é novo na cidade e, provavelmente, não encontrou muita gente ainda. E minha esposa adora hospedar os membros da equipe. Ela vai ficar feliz se você vier." "Oh. Hum, certo, então. Eu aprecio o convite." Nós seguimos nossos caminhos separados quando chegamos ao lobby. Não estou me sentindo muito firme nos meus pés enquanto começo a caminhar em direção a estação de metrô. É como se um peso enorme fosse tirado dos meus


ombros, e eu não sei como lidar com a sensação que deixei para trás. Leveza, vertigem. Alívio. Eu não posso esperar para contar a Jamie.


39 Tem sido um longo dia como treinador. Pat executa um intensivo de duas semanas no final do acampamento, e nós realmente enchemos o lugar. Desde o dormitório, as crianças que se apresentam para ficar em condomínios com seus pais. Nós dobramos a nossa vez do gelo, e a nossa vigília. É difícil, mas eu adoro isso. Estou em alfinetes e agulhas durante todo o dia, no entanto, porque Wes tem sua reunião com o cara do PR. Assim, após a última sessão do dia, eu corro de volta para o dormitório. Esta manhã eu intencionalmente deixei meu telefone no quarto para que eu não passasse o dia verificando. Há algo na frente da minha porta. É um pacote FedEx. Quando eu pego, não é pesado. Abro a porta e empurro dentro da minha sala quase vazia. Pat ainda é um treinador, o que significa que é uma coisa boa que eu voltei para ajudá-lo. Verificar o telefone é a primeira coisa que faço. Não há quaisquer mensagens de voz, e o único e-mail é uma solicitação de desconto de óculos de sol. Então eu volto


minha atenção para o pacote, arrancando a faixa na borda eu abro o envelope. Uma caixa de presente cai fora toda preenchida com Skittles roxo. Eu arranco e encontro um pedaço de papel dentro, sorrindo quando vejo um único Skittle roxo gravado à página. É o resultado dos exames médicos recentes sobre Ryan E. Wesley, Jr. Cada homem STD conhecidos está listado lá, e a palavra "negativo" aparece depois de cada um. Ele escreveu alguma coisa na parte inferior: estava indo para preencher esta caixa de preservativos roxo, mas então eu tive uma ideia melhor. E, agora eu estou com tesão, bem como impaciente. Então eu começo a caminhar pelo quarto. Quando o programa de e-mail em meu telefone apita alguns minutos mais tarde, eu arranco-o do meu bolso para ler a mensagem. Mas não é de Wes. Caro Treinador Canning, Eu não posso acreditar que eu não consegui terminar a sessão com você. Eu ainda não estou falando com o meu pai, também. Trabalhar com você foi o melhor verão da minha vida, e eu estou irritado que terminou com uma nota amarga. Minha equipe para este ano é a Tempestade Sharks U18. Aqui está o link, apenas no caso de você estiver curioso sobre minhas estatísticas. Eu acho que elas estão prestes a melhorar, e é tudo por sua causa. Atenciosamente, John Killfeather, Jr.


Eu li o e-mail duas vezes. E então eu li mais uma. Ele não diz nada sobre Wes e eu, e que não existem quaisquer insultos. Apenas uma criança que quer jogar hóquei, e sabe o suficiente para dizer obrigado ao povo que tentou ajudá-lo. Porra, eu estou orgulhoso deste e-mail. E eu me sinto apenas um pouco mais otimista sobre a vida do que ela fez há cinco minutos. Bato para fora uma resposta rápida, porque eu tenho certeza de que não quero esquecer. Killfeather Você é um goleiro incrível e foi um prazer trabalhar com você neste verão. É claro que eu vou verificar suas estatísticas quando o inverno progrider. Você vai balançar nesta temporada. Atenciosamente, Jamie Canning Então eu volto a caminhar e me preocupar com Wes. E se eles lhe mostraram a porta, e eu não estou nem aí para ele? E onde, em Lake Placid posso obter um exame de sangue, como, amanhã? Quando meu telefone toca, eu salto sobre um pé, em seguida, às pressas passo a responder. "Ei querido! Está bem? O que aconteceu?" "Sim, eu estou bem." Sua voz rouca em meu ouvido e envoltórios em torno de meu coração. Eu posso ouvir que ele está na rua em algum lugar, e eu me pergunto o que ele vai


ser capaz de dizer a mim. "Droga, eu queria que você estivesse aqui agora" ele diz. Eu me abraço. "Eu ia te levar para este restaurante italiano na Queen Street que os caras amam. Eu estou morrendo de fome e eu quero dizer-lhe cada palavra da conversa que eu tive". Eu estou praticamente tonto com direito a estresse agora. "Que tipo de conversa?" "O tipo bom", ele me assegurou. Minha frequência cardíaca cai um ponto, mas ainda estou com medo de ter esperança. Porque parece impossível acreditar que um alto perfil da NHL equipe iria livrar-se da confissão de Wes. "Mas... não podemos evitar os lugares onde sua equipe gosta de comer?", pergunto lentamente. "Você sabe o que significa que as pessoas vão nos ver, certo?" "Sim, mas algum dia em breve isso não vai para a matéria." "Sério?" Eu quero uma garantia. documento com firma reconhecida.

Eu

quero

um

Eu quero um Valium6. Ou um boquete. Ou ambos. "Eu estou tendo um dia realmente bom", Wes sussurra. Minha pressão arterial cai novamente. "Eu estou feliz ", eu sussurro de volta. "Eu te amo", ele acrescenta. "Eu sei." Wes ri no meu ouvido, e o som feliz dele é o que me convence de que pode ser OK.

6

Antidepressivo.


40 Em uma sexta-feira em meados de agosto eu vou para o nosso apartamento. Embora "mover-me em" requer citações, porque não possuímos muito de qualquer coisa. No início da semana Wes pediu um sofá, uma coisa de couro macho, se eu entendi a descrição corretamente. Parece que seu gosto vai para "início de homem das cavernas," e eu não posso dizer que eu me importo. Ele também pegou três pares de tamboretes para a ilha da cozinha, o que significa que pode adiar em se preocupar com uma tabela real. Ontem à noite, após uma rodada de nossa maratona sexual, Wes fez um show ao ir ao supermercado, mas ele só veio com batatas fritas e cerveja, o que significa que eu preciso voltar novamente e comprar comida real. Posso não ter mencionado com ele ainda que sou um bom cozinheiro. Wes parece preparado para sobreviver, e em Toronto que é feito facilmente. Eu vou ter de adquirir algumas panelas e explodir sua mente um dia desses. Isso soa como um monte de diversão, na verdade. Enquanto isso, nós sopramos a mente um do outro (e outras partes) em nosso novo quarto. Em seguida, desmaiamos e dormimos por nove horas em nossa nova cama


king-size. Agora é sábado, e ainda há muito o que fazer. Esta manhã, após o café, arrastei Wes nos arredores de Toronto para poucos itens mais necessários. No momento em que, finalmente, chegamos em casa, Wes está em um estado de agitação. Eu tenho certeza que vou ter que acalmá-lo com um boquete. "São três horas da minha vida e eu nunca estou ficando para trás ", ele reclama quando nós caminhamos. Suas palavras ecoam, porque o nosso apartamento ainda está terrivelmente vazio. A razão para o mau humor de Wes é o fato que as compras levaram três horas, porque nós somos apenas um casal de atletas que não sabem nada de lojas. Fomos a quatro lojas antes de encontrarmos uma que não parecesse que a rainha da Inglaterra estivesse planejando uma visita. E aí escolhemos um tapete e a mesa de café, que nós compramos. Mas o lugar não tinha cafeteiras, então tivemos que manter às compras. "Bom café não é negociável", eu disse a ele enquanto ele resmungava. Mas depois que eu escolhi uma máquina de café expresso com um sistema integrado de moedor, comecei a verificar as toalhas. Foi quando Wes perdeu um pouco, e eu desisti e o trouxe para casa. "Oh, a ironia", ele geme, tirando seus sapatos. "Meu namorado me arrastou para um maldito shopping." "Você está certo", eu digo. "Essa viagem foi inteiramente gratuita. Quem precisa de toalhas? Nós podemos viver sem. " Wes pisa para dentro do quarto e eu o sigo, porque é um dos dois quartos funcionais em nosso lugar.


Coloquei a máquina de café e o relógio enquanto ele retira fora sua camisa e deita sobre nossa cama gigante. "Peço-lhe que supere aqui?", ele lamenta. "É uma emergência." "É uma boa coisa que você é tão atraente," Eu murmuro quando abandono meus sapatos. "Eu não fazia ideia que pisar em uma loja transformasse você em Cryin 'Ryan." Vou até a cama onde um homem sem camisa, encontra-se rasgado esperando por mim, sua expressão ardendo de desejo. "Não funciona normalmente", ele murmura. "Mas nós temos uma situação." Ele pega a minha mão. Subo para seu corpo, inclinando e passando a língua em seu mamilo, e ele geme. "Que tipo de situação? ", eu pergunto entre lambidas. Ele solta um suspiro trêmulo. "Eu pensei que isso seria divertido de usar um plug pequeno para o café da manhã hoje. Dessa forma, você poderia me foder quando chegasse em casa ... " Meus olhos agarram acima do dele. "Sério?" Ele balança a cabeça, com uma expressão infeliz. "Mas então você disse, 'Vamos apenas olhar para um par de tapetes. ’ E isso foi, como, horas atrás. Cada vez que eu ando através de outra loja, essa coisa massageia minha próstata. Se você não me foder nos próximos cinco minutos, eu vou explodir.” Estou sem palavras. Mas meu pau tem muito para dizer. Eu já estou duro com a ideia de Wes preparado e pronto para mim. Eu levo minha boca para a dele e ele geme novamente. Minha língua desliza em toda a sua perfuração e estamos prontos para as corridas de cães cheios de tesão.


Nós nos beijamos como se houvesse um título de meteoros direto para a área metropolitana de Toronto. As mãos ansiosas de Wes percorrem minha bunda enquanto eu chupo sua língua. Sua ânsia é como uma droga, e eu quero hit após hit. Eu posso sentir o quão duro ele está, mesmo através de todas as nossas roupas. Ele me quer fodendo com ele, e ele está todo preparado e pronto? "Mmm," Eu gemo em sua boca. E é a coisa mais sexy que eu já ouvi, porra. Isso é quando a campainha toca. "Segure esse pensamento," eu digo, empurrando para cima em um braço. "Nããão!" Wes levanta ambas as pernas para prenderme neles. "Não” beijo.“ Não” beijo. "Nem sequer pense nisso. " Prendendo as mãos para a colcha é fácil, porque ele está excitado a ponto de distração. "Pare com isso, baby. É a entrega do sofá. Estamos pagando setenta e cinco dólares para entregar em um sábado. " "Eu te odeio", diz ele, mas ele me libera. "Eu posso dizer," eu argumento, apertando seu pau quando eu escalo fora dele. Ele geme mais um tempo, me xingando, o sofá e também o universo. Eu fecho a porta do quarto para a privacidade de Wes e para a minha própria sanidade. Eu uso o interfone para me comunicar com a recepção, e peço ao porteiro para enviar o sofá para cima no elevador de carga. Então eu me ajustao e tento parar de pensar sobre coisas chatas para esvaziar a tenda que estou lançando em meus shorts. Mas não há coisas chatas. Eu começo o meu trabalho na próxima semana, e eu não posso esperar por isso.


Enquanto isso começa a explorar esta cidade maravilhosa onde eu estou vivendo com o homem cuja empresa eu ansiava desde que eu tinha treze anos. E movendo-me em conjunto, não é mesmo assustador. Se você somar todas as semanas que passamos no acampamento ao longo dos anos, temos, na verdade vivido juntos por mais de um ano já. Há um monte de sexo envolvido agora, claro. Tudo é diferente, e ainda é exatamente o mesmo. E é um lote inteiro de diversão. Quando eu deixo os caras da entrega entrarem, existem três deles. "Onde você quer?", eles perguntam. "Em qualquer lugar por aqui," eu indico. "Nós vamos ter que movê-lo quando o nosso tapete chegar, por isso não importa onde." "Belo lugar", o homem no comando de carga, rachando seu chiclete. Seus caras definem o sofá no meio do espaço. Ele está envolvido em um monte de plástico, então eu espero que seja uma ordem de Wes. "Obrigado." Eu assino para o sofá. Depois que eles saem, fecho e tranco a porta, em seguida, caminho até o sofá e sento em um lado ao longo do comprimento do mesmo. "Ei, Wesley!" Eu chamo alto o suficiente para ele me ouvir atrás a porta do quarto. "traga sua bunda aqui fora!" "Não!", Ele contrapõe. Puxo minha camisa. Então eu largo meus shorts. "Eu estou nu!" Ele abre a porta do quarto em velocidade recorde, caminha pelo corredor, nu, carregando uma garrafa de lubrificante. Pela vez que ele me atinge, estou sentado sobre o encosto do sofá como uma estrela porno, acariciando-me. Wes poupa o sofá um único olhar.


"Cara, meu sofá está usando um preservativo." Eu agarro seus quadris e puxo-o para perto de mim. "Percebi," eu digo, beijando sua mandíbula. "Isso é porque ele sabe que eu estou a ponto de dobra-lo." Wes geme. "Promessas, promessas ". Ele desliza a mão entre nossos corpos e cobre a minha mão com a sua. Nós tocamos um ao outro, enquanto nossos beijos crescem mais profundo e mais quente. Eu chego em torno de seu corpo e de sua bunda. Quando minha mão encontra o brinquedo ali, gemendo em sua boca.

estou

"Faça-o", ele diz. Tudo começa a acontecer muito rápido. Com um aperto firme, eu removo o brinquedo, enquanto Wes aperta meu pau. Ele me puxa para fora, para trás do sofá apoia-se contra ele. "Agora", ele ordena. Venho por trás dele e agarro seus quadris, a cabeça do meu pau deslizando entre seu tenso buraco. Assim como na outra noite, eu sou pavimentado pela sensação de estar pele com pele. Não há nenhuma barreira entre a minha latejante ereção e seu rabo apertado, e quando eu dirijo profundo no primeiro golpe, ambos gememos. "Foda-me", ele exige. Mas eu estou muito ocupado saboreando a incrível sensação de estar dentro dele sem preservativo. Eu rolo meus quadris e ele rosna como um urso malhumorado.


"Eu juro por Deus, Canning, se não se mover, eu vou.. " Eu retiro, em seguida, bato de volta. Ele faz um som abafado, todo o seu corpo treme. "Você vai o quê?", pergunto zombeteiro. Em vez de responder, ele só geme novamente. Baixo, agoniado. Merda, ele está desesperado agora. Eu também ficaria se eu andasse todo o dia com um tampão de fricção na minha próstata. Eu suavizo minha mão para baixo em sua parte traseira forte, em seguida, inclino-me e dou um beijo entre as suas omoplatas quando eu retiro novamente. "Eu gosto assim, "murmuro. "É muito sexy ter você à minha mercê." Ele sopra um suspiro. "Você é um sadista." Rindo, eu acelero o ritmo. Três, quatro estocadas frenéticas antes de desacelerar novamente, que atrai um gemido estrangulado de seus lábios. "Você precisa aprender um pouco de paciência", eu digo a ele. Mas merda, eu estou me provocando, tanto quanto eu estou brincando com ele. Minhas bolas estão tão apertadas que machucam, já formigando com os sinais indicadores de lançamento iminente. "Dane-se a paciência", ele resmunga. "Quero vir. " "Mau humor não está ajudando sua causa, cara." "Não? Como sobre isso, então? " Ele empurra sua bunda de volta contra mim e começa a foder meu pau, rápido e ganancioso. Santo inferno. Não há nenhuma maneira que eu possa segurar agora. É muito bom. Estou muito excitado. Meus dedos escavam em seus quadris quando eu bato nele, cada impulso profundo me envia mais perto e mais


perto da borda. Nossa respiração cresce trabalhando com nossos corpos juntos, mas eu preciso de mais. Eu preciso ... eu planto minhas mãos em seu peito e puxo-o para que suas costas fiquem encostadas em meu peito. O novo ângulo o faz gritar de prazer, e, em seguida, ele torce a cabeça na minha direção e nossos lábios se encontram em um beijo ardente que embaça meu cérebro. Estamos unidos em todas as formas possíveis. Meu pau dentro dele, nossas línguas se fundindo, seu poderoso corpo lutando contra o meu. Eu chego em torno dele e pego sua ereção, retardando o movimento dos meus quadris. Eu o empurro em cursos preguiçosos longos que correspondem à lânguidos impulsos de meu pau. "Eu não venho até você vir", eu sussurro. Então eu deslizo minha língua em sua boca e sugo seu piercing na língua, e isso é tudo o que preciso para ele atirar tuda na minha mão. Wes ofega por ar. Sua bunda ondula ao redor de meu pau, apertando-me com tanta força que aciona um orgasmo, eu sinto nas pontas dos meus dedos até as solas dos meus pés. Eu dou a ele, meus braços acondicionados em torno do peito forte do meu namorado quando eu venho dentro dele. Nós dois estamos instáveis em nossos pés, puxo para fora e o levo para o sofá. Ele cai ao meu lado, seu cabelo escuro fazendo cócegas no meu queixo enquanto ficamos lá nos recuperando de mais uma rodada de sexo espetacular. Eu não acho que vou nunca me acostumar com o quão bom o sexo é. Wes de repente ri. "Graças a Deus pelo preservativo no sofá ".


"O que ..." Eu sorrio quando percebo o que ele diz. "A coisa em pelos é meio confuso, Huh?" "Diversão é confusa." Sua respiração aquece o meu ombro. "Mas uma vez que o plástico sair, nós deveríamos estabelecer uma toalha ou algo se nós estamos indo para foder neste sofá." "Se?" A forma como nos atacamos, não haverá uma superfície única neste apartamento que não fodemos agora. Ele ri de novo, então libera um satisfeito suspiro e se aninha ainda mais perto. Quando isso acontece, aconchegando-se em um sofá cheio de plástico não é confortável. Portanto, temos um banho rápido juntos, em seguida, deitamos na cama. Estamos molhados, é claro, e nossos cabelos estão pingando. "Estou começando a ver o seu ponto de vista sobre toalhas", Wes diz quando eu beijo uma gota de água em seu ombro. "Agora ele percebe," eu suspiro, e, em seguida, procuro mais gotas em sua pele esticada. Eu lambo a barra em sua sobrancelha, e o sabor ligeiramente metálico me faz tremer. Eu amo ter meu próprio bad boy na cama comigo. Wes acaricia a mão preguiçosa de cima para baixo, e é divino. "Precisamos de toalhas, e uma liga para você. Assim, você pode andar uma milha em meus sapatos cheios de tesão. " "Isso foi tão quente, no entanto," Eu admito. "Droga." Ele passa a mão pelo meu cabelo molhado.


"Fico feliz que você gostou. Eu queria tornar mais fácil para você." "O quê?" Há algo grave em seu tom, então eu paro de beijá-lo em todos os lugares para olhá-lo nos olhos. "Mais fácil?" Mas ele olha para longe. "Você sabe. Mais fácil. Quando você estava com as mulheres, não demorava metade da porra de uma hora para se preparar para o sexo. " Uma risada sobe na minha garganta, mas eu engasgo de volta, porque sua expressão é tão grave. "Quantas mulheres você tem fodido, Wes?" Tímido, ele levanta um dedo. Estou assustado por um segundo, até que eu me lembro do verão, estávamos com dezesseis anos, quando Wes tinha aparecido no acampamento e admitiu ter perdido sua virgindade. Obtendo os detalhes sujos fora dele, no entanto, tinha sido como arrancar dentes. Agora eu sei por que. "Certo. E você era inexperiente demais para saber o que você estava fazendo." Eu encolho os ombros. "Muitas das mulheres precisam de mais tempo. Então eu tenho que chamar uma falta técnica aqui apenas sobre na regra do sozinho. Mas também, isso não é apenas o ponto. Temos um monte de rapidinha às vezes e sujas. Isso é o que o boquete trás. " Ele me dá um sorriso fraco. "Certo. Mas…" "Mas o que?" "Bem, eu nunca vou ser capaz de dar-lhe tudo o que você quer. "


“Ah, cara, pare. Eu não estou ansiando por uma boceta." Isso soou vindo muito mais engraçado da minha boca do que eu esperava, por isso, nós dois rimos. "Estou falando sério, no entanto. Eu aproveitei as mulheres, mas eu nunca fui apaixonado por uma." Cada vez que eu digo isso, parece mais óbvio. E cada vez que eu digo isso, o rosto de Wes suaviza. "Você pode me prometer que não vai se preocupar sobre isso? Porque não há nenhuma maneira que eu possa provar isso, exceto por ter muito sexo com você." "Isso funciona." Seu sorriso arrogante está de volta, e eu estou feliz em vê-lo. "Bom." Eu rolo e fico contra ele. "Em pouco tempo eu tenho que verificar minha página do facebook." "Por quê?" Meu estômago aperta só de pensar isto. "Amanhã é o jantar de domingo, certo? Então eu me revelei a eles hoje. " "No Facebook?", Ele grita. Eu chego de volta e dou ao seu cu uma pitada. "Dê-me um pouco de crédito? Minha família tem um grupo privado. É apenas as crianças, seus cônjuges e meus pais. Eu nem sequer disse-lhes o seu sobrenome." Ele fica tranquilo atrás de mim, mas a sua mão traça círculos preguiçosos nas minhas costas. "Você está preocupado? ", ele finalmente pergunta. Essa é uma pergunta justa. “Na verdade, não”. Eles não vão pirar sobre o fato de que você é um cara. Mas eles podem, “'Por que você não disse sobre nós? É por isso que você saiu da NHL? E por isso que você deixou o país? 'Eu não gostaria de ser grelhado."


"Quando você fez?" "Esta manhã antes de sairmos para o café da manhã. Então, como, cinco dias atrás. É uma hora em Cali agora. Eles provavelmente já viram." "Vá buscar o seu telefone", ele sussurra.


41 Eu espero na cama fazendo uma improvável oração para Jamie. Ele é possivelmente a pessoa mais descontraída que eu já conheci. Eu amo isso. Mas torna-o vulnerável. As pessoas podem ser idiotas sobre assuntos menores do que seu irmão ter um relacionamento gay. Se alguém disser algo feio para Jamie nessa página do Facebook, eu provavelmente vou soca-lo. Ele não voltou, ainda. E depois ouço um gemido da sala de estar. Isso me dá nós nos pés e eu caminho através do apartamento. E acho Jamie empoleirado na borda do sofá do preservativo, com o rosto em suas mãos. Meu estômago dá uma guinada. Eu não quero isso para Jamie. Levei quatro anos para superar a reação dos meus pais para minha vinda para fora do armário. Ele estende o seu telefone para mim, e eu levo-o com uma mão trêmula. Seu post do Facebook é puro Jamie: Olá pessoal. Eu me sinto como um canalha fazendo isso pelo Facebook, mas eu não posso chegar a todos amanhã.


Iram discutir sobre mim no Domingo, de qualquer maneira. E no caso de vocês pensarem que minha conta foi invadida, não foi. Como prova eu vou confessar que sou o único que quebrou o Anjo de Natal da árvore de mamãe quando eu tinha sete anos. Isto era a morte por beisebol, mas eu juro que ela não sofreu. De qualquer forma, eu tenho que colocar até em alguns desenvolvimentos. Eu peguei o trabalho de treinador em Toronto, e eu recusei o meu lugar em Detroit. Esse parece ser o passo na carreira direita, mas há algo mais. Estou vivendo com meu namorado (que não foi um erro de digitação.) Seu nome é Wes, e nos encontramos em Lake Placid cerca de nove anos atrás. E caso esteja faltando alguma coisa para falar durante o jantar, eu fixo esse problema. Amo todos vocês. Jamie Abaixo da postagem há um selfie que tiramos ontem. Nós estamos em nossa nova cozinha, e os mantimentos que eu tinha acabado de comprar estão espalhados ao redor. Jamie estava me provocando sobre minhas compras, e eu estava lhe dando merda sobre algo. Eu nem me lembro o quê. Mas nos tínhamos inclinado nossas cabeças juntas, e eu só fiz o sinal do diabo. E nós só parecemos felizes para caramba, eu praticamente não me reconheço. Desloquei-me para os comentários, e meu estômago rola de medo. Joe: OMG. Jamester, realmente? Você não apenas fez confessar a namorar um fã Patriots. Isso é um pecado, irmão mais novo. Temo por sua eterna alma. Eu olho para a foto e


com certeza está usando meu Super Bowl 2015 Victory shirt. Whoops. Tammy: Joe, seu imbecil! Não ouça ele, Jamie. Seu namorado está quente. E Jess me deve vinte dólares. Brady: Eu vou estar ao seu lado com Joe e um presente. O que o futebol surge em Ação de Graças? Se o seu namorado quiser falar de bolas, vai soar um pouco estranho! Joe: * High Fives Brady * Jess: Eu não te devo vinte dólares! Você disse que ele estava deprimido sobre uma menina. Tammy: Eu disse "um relacionamento." Jess: * tosse * * * merda. Sra Canning: Jess, olha a língua! Jamie querido, quando você estará trazendo seu namorado pra casa para o jantar de domingo? E o que são aqueles Doritos no fundo? Existe Whole Foods no Canadá? Eu vou olhar em seu site e enviar-lhe o endereço. Sra Canning: E obrigado por dizer-me sobre o anjo. Eu sabia que era você, porém, querido. Você nunca foi bom em mentir. Scotty: Jamie, pai não pode lembrar sua senha do Facebook. Mas ele diz para lhe dizer te ama, não importa o que e blá blá blah. Foi quando eu ronco, e Jamie olha para cima. "Eles são bastante ridículos, certo?" "Eu acho que eles são..." Eu tenho que engolir em seco, porque eu estou tão feliz por ele. "Eu acho eles ótimos." Ele dá de ombros. "Eu passei minha vida inteira tentando me destacar da multidão. Eu juro por Deus, eu


poderia anunciar que eu queria viver minha vida como um transexual, vampiro yeti, e eles ainda diriam 'Oh, Jamie. Você é tão fofo.'" É um desafio para eu engolir de novo, mas desta vez por causa da protuberância maciça obstruindo minha garganta. Como sempre, Jamie sente minha angústia. Este homem me conhece, por dentro e fora. Ele sempre tem. "O que está errado?" "Nada está errado. É só que..." Eu falo passado à massa. "Você é realmente um sortudo, Canning. Sua família te ama. Quer dizer, eles realmente, verdadeiramente te amam, e não só porque você está relacionado pelo sangue". Seus olhos castanhos amolecem. Eu sei que ele está pensando sobre a minha família, mas eu não lhe dou a chance de fazer desculpas para os meus pais. "Minha mãe é uma mulher-troféu", eu digo aproximadamente. "E eu sou um filho troféu. Nenhum dos meus pais me viam como algo mais do que isso, e eles nunca verão. É ... é uma merda. " Jamie puxa-me em direção a ele. "Sim, isso é uma merda", ele concorda. "Mas aqui é a coisa sobre a família, Ryan... sangue não significa nada. Você só precisa se cercar de pessoas que te amam, e eles se tornam a sua família." Afundo no sofá ao lado dele, o barulho do plástico debaixo dos meus boxers. Ele joga um braço muscular em torno de mim, então escova os lábios sobre a minha testa. "Eu sou sua família, amor." Ele pega o telefone da minha mão e toca no ecrã. "E estes loucos maníacos? Eles vão ser a sua família também se você deixar. Quer dizer, eles vão foder às vezes, mas confie em mim quando eu digo que totalmente vale a pena."


Eu acredito nele. "Eu não posso esperar para conhecêlos", Eu digo suavemente. Sua boca viaja ao longo da borda da minha mandíbula, antes pairando sobre meus lábios. "Eles vão te amar." Ele me beija, lento e doce. "Eu te amo." Eu esfrega a ponta do meu polegar sobre sua parte inferior dos lábio. "Amei todos os verões desde que tinha treze anos de idade. Te amo ainda mais agora." Nossos lábios estão a milímetros de se reunirem novamente quando ele diz: "Eu preciso saber uma coisa, e você tem que prometer ser honesto." "Eu sou sempre honesto com você", eu respondo. "Boa. Eu estou te segurando para isso." Aqueles lindos olhos castanhos brilham. "Será que você jogou o tiro?" Eu sei exatamente a que tiro ele está se referindo. Meus lábios tremem, então eu pressiono-os juntos para não sorrir. "Bem?" Eu dou de ombros. "Wesley..." Há uma nota de advertência em sua voz. "Diga-me o que aconteceu durante o jogo". "Bem." Eu hesitei. "Eu realmente não sei. Eu tinha pavor de ganhar, porque eu sabia que teria para deixá-lo fora do gancho. E eu estava com medo de perder, porque eu queria tocá-lo, e eu tinha medo que você descobrisse isso". Seu rosto está cheio de simpatia. Há água sob a ponte agora. Eu me inclino mais perto e beijo-o no nariz. "Então, os últimos dois tiros? Eu mal me lembro o que aconteceu. Eu estava fora, tomando a roda!"


Jamie ri de mim. E então ele me beija. Eu tranco minhas mãos na sua nuca e o puxo para mais perto. Pele quente desliza contra a minha, e eu sei que estou em casa. Porque casa é com ele.


EPÍLOGO AÇÃO DE GRAÇAS

"Ryan instante! "

Theodore

Wesley!

Abaixe

essa

faca

neste

Congelo como uma escultura de gelo quando a mãe de Jamie fala o meu nome, uma mão plantada em seu quadril, a outra apontando para faca na minha mão. "Quem te ensinou a cortar cebolas?" ela exige. Olho para a tabua de corte em minha frente. Tanto quanto eu posso dizer, eu não tenho cometido grandes crimes relacionados com a cebola. "Hum..." Eu encontro os olhos de Cindy Canning. "Bem, isso é uma espécie de pegadinha. Ninguém me ensinou, por si só. Meus pais têm um cozinheiro que vem quatro vezes por semana para preparar refeições, espera, me desculpe, você me chamou de Ryan Theodore? " Ela acena sua mão como se a questão fosse inconsequente. "Eu não sei o seu nome do meio, então eu tive que inventar um. Porque, querido, você realmente precisava


ter nomes do meio para a configuração daquelas pobres cebolas." Eu não posso parar a risada que voa para fora da minha boca. A mãe de Jamie é tão foda. Eu estou muito mais relaxado em sua cozinha do que eu esperava estar. Jamie e eu chegamos à Califórnia dois dias atrás, mas desde que eu tinha um jogo na primeira noite, Jamie foi para a casa dos seus pais, enquanto eu fiquei no hotel com os meus companheiros de equipe. Após a equipe esmagar o San Jose, eu fiz o habitual de imprensa pós-jogo, e, em seguida, na manhã de ontem me dirigi até San Rafael para me juntar a Jamie e sua família. A grande refeição do feriado hoje será a verdadeiro teste da sua aceitação. Já conheci a mãe, o pai e um irmão. Até agora, tudo bem. "Essas precisam ser cortadas em pedaços menores", Cindy me diz. Ela bate na bunda para mover-me de lado, em seguida, toma o meu lugar. "Sente-se no balcão. Você pode assistir enquanto eu pico. Tome notas, se você precisar ". Eu sorrio para ela. "Então eu acho que Jamie não disse o quanto eu cozinho, hein? " "Ele certamente não o fez." Ela me corrige com um olhar severo. "Mas você vai ter que aprender, porque eu não posso passar todo o meu tempo me preocupando se o meu menino não está sendo alimentado por lá na Sibéria." "Toronto," eu a corrijo com um bufo. "E tenho certeza que você pode adivinhar que ele é o único que está me alimentando. " Agora que a temporada de hóquei está em andamento, a vida é agitada pra caralho. A prática é brutal, e o nosso


calendário é desgastante. Jamie é minha rocha, embora. Ele vem para todos os meus jogos em casa, e quando eu arrasto o meu rabo em casa cansado do aeroporto depois de um jogo fora, ele está esperando para esfregar meus ombros, ou enfiar comida em minha garganta, ou para transarmos até que eu não possa ver direto. Nosso apartamento é o meu lugar seguro, meu refúgio. Eu não posso nem acreditar que eu considerei fazê-lo através da minha temporada de estreia sem ele. É fácil descobrir onde ele tirou esse gene de nutrir, porque sua mãe tem sido agitação sobre mim o dia todo. Outro som da porta, e, em seguida, o pai de Jamie caminha para a cozinha. "Toronto", ele ecoa. "Que tipo de cidade não tem um time de futebol? Explique para mim, Wes." "Eles têm um," eu aponto. "O Argonauts". Richard estreita os olhos. "É uma equipe da NFL?" "Bem, não, é CFL, mas..." "Então eles não têm uma equipe", diz ele firmemente. Eu seguro uma risada. Jamie me avisou que a sua família era fanática por futebol, mas eu genuinamente pensei que ele estava exagerando. "Onde está Jamie?" Richard olha em torno da cozinha, como se esperasse Jamie para pular fora de um armário. "Ele foi buscar Jess," Cindy diz ao marido. "Ela quer tomar algumas bebidas hoje à noite então ela está deixando seu carro em casa. " Richard acena com a cabeça em aprovação. "Boa menina", ele diz, como se Jess pudesse de alguma forma ouvi-lo do outro lado da cidade.


Eu tenho que admitir que eu estive apavorado para encontrar a família de Jamie. Quero dizer, eu já sabia que eles eram boas pessoas. Mas um pai e três irmãos mais velhos? Eu tive esse medo persistente de que iam me odiar a princípio. Você sabe, por ser o cara que está transando com o seu bebê. Mas o pai de Jamie tem sido grande, e eu já conhecia Scott, que vai ficar aqui na casa. Nós saímos para tomar umas cervejas em um bar de sports na noite passada, e quando os destaques dos jogos da noite anterior jogam nas telas de TV, Scott tinha batido as palmas da mão contra a mesa e gritou: "Esse é o meu irmão!" Cada vez que ele patinou na vista. E quando o gol foi marcado no final do segundo tempo a tela pisca? Jamie e Scott ficaram ferozes. Sim, o meu primeiro objetivo de NHL. Ainda estou porra, entusiasmado com ele. Este mês passado, eu tenho visto mais e mais de jogo, e ontem à noite foi um recorde para doze minutos de tempo de gelo, e uma meta para os meus esforços. A vida é boa. Tão bom, na verdade, estou me sentindo mais generoso do que o habitual, e é por isso que eu digo: "Dê-me licença por um momento? Preciso ligar para os meus pais para desejar-lhes um feliz Dia de Ação de Graças." A mãe de Jamie sorri para mim. "Ah, isso é tão doce querido. Continue." Eu vou para fora e pego meu telefone do meu bolso. Porra, eu mesmo estou sorrindo enquanto eu disco o número de meus pais em Boston. O sorriso desaparece rápido, no entanto. É sempre assim quando eu ouço a voz do meu pai. "Ei, pai", eu digo rispidamente. "Essa é uma boa hora?" "Na verdade não é. Sua mãe e eu estamos saindo. Temos reservas às seis. "


Claro que eles têm. A única vez que minha família realizou um jantar de Ação de Graças em casa foi no ano em que o presidente da corretora do meu pai estava passando por um divórcio. O cara não tinha para onde ir, então ele convidou-se para passar em nossa casa, e minha mãe contratou um chef para cozinhar a porra de um banquete para nós. "O que você quer, Ryan?", Ele pergunta vivamente. "Eu... só queria dizer Feliz Ação de Graças", Murmuro. "Oh. Bem, obrigado. O mesmo para você, filho." Ele desliga a chamada. Sem sequer colocar minha mãe na linha. Então de novo, ele fala por ambos. Eu fico olhando para o telefone por muito tempo depois que ele desliga, perguntando-me o que eu fiz em outra vida para perder tão regiamente na loteria do meu pai. Mas o pensamento deprimente não tem tempo para tomar, porque a porta da frente de repente voa aberta e sou agredido com ruídos. Passo a Passo. Vozes. Gargalhadas e guinchos felizes. Soa como um pelotão inteiro marchando para dentro da casa. Qual é muito bonito o caso, porque puta merda, a família de Jamie é enorme. Eu sinto uma onda estranha de nervos em meu peito. Em questão de segundos, eu estou cercado, sendo arrancado em todas as direções e abraçado por pessoas que eu nunca conheci na minha vida. Introduções voam ao redor, mas eu mal posso lembrar os nomes. Estou muito ocupado respondendo a todas as questões que estão sendo arremessadas pelo meu caminho como slapshots.


"Será que Jamester deu-lhe uma excursão da casa?" Sim. "Será que a mãe lhe mostrou as fotos do o Dia das Bruxas, quando Jamie estava vestido como uma berinjela?" Não, mas temos que corrigir isso imediatamente. "Você recebe um bônus monetário cada vez que você marcar um gol? " Hum... "Você está apaixonado pelo meu irmão?" "Tammy!" Jamie grita com sua irmã mais velha sobre a última pergunta. Eu olho para cima e encontro-o na multidão, e é como se o sol acabasse de sair. Faz apenas uma hora desde que eu o vi pela última vez, mas ele tem o mesmo efeito em mim o tempo todo. Eu costumava lutar contra a minha reação a ele, mas eu não tenho mais. E isso é mais chocante do que a forma como a sua família parece pronta para abraçar um completo estranho que está transando com o seu irmão. A menos que eles sejam apenas atores, realmente bons. Jamie desliza entre seus irmãos e passa o braço em volta do meu ombro. "Deixem o pobre rapaz sozinho, sim? Ele acabou de chegar aqui ontem." Seu irmão Joe bufa. "Você acha que nós vamos pegar leve com ele porque ele só está aqui há um dia? Já nos conhecemos? " Jess mexe seu caminho entre mim e Jamie e liga seu braço no meu. "Vamos, Wes, vamos pegar uma bebida. Eu acho que é mais fácil de tolerar esses babacas quando você está bêbado." Ouço as risadinhas enquanto ela me arrasta para a sala de jantar, mas a mãe de Jamie chama da cozinha, assim


quando nós passamos. "Jessica, eu preciso do Wes! Jamie, também. Você pode invadir o licor do gabinete mais tarde." "Eu não ia invadir o..." Jess para abruptamente e se vira para mim, soltando um derrotado suspiro. "Eu juro que a mulher é uma leitora de mente." Encontro-me sendo levado para a cozinha de novo, só que desta vez Jamie está ao meu lado. Quando sua mãe faz gestos para nós esperarmos, ele traz sua boca perto do meu ouvido e diz: "Já estamos nos divertindo?" "Sim", eu digo com sinceridade. Porque foda, o clã Canning tem sido grande. Talvez eu possa parar de me preocupar tanto. Talvez haja um canto do mundo onde eu não tenha que provar a mim mesmo o tempo todo. Ok, dois cantos. Porque a vida em um determinado condomínio de Toronto vai muito bem, também. "Ok, rapazes, aqui está seu presente de inauguração." Eu olho para cima para ver a mãe de Jamie definindo duas caixas de presente no balcão. Uma diz "Jamie" sobre a etiqueta e a outra "Ryan." "Ah", diz Jamie. "Você não tem que fazer isso." "Meu último pássaro voou para fora do ninho." Cindy suspira. "Se eu não posso ver o seu apartamento, pelo menos eu posso dar-lhe um pouco de algo para ele. " "Você pode ver isso", ouço-me voluntariar. "Venha visitar-nos." Jamie e eu bloqueamos os olhos, em seguida, e não há humor no seu. Talvez ele esteja pensando a mesma coisa que eu sobre as visitas de sua mãe, nós vamos ter que ocultar todos os brinquedos sexuais do armário do banheiro.


"Eu vou fazer isso!", diz ela alegremente. "Agora abraos!" Os irmãos chegam enquanto eu e Jamie abrimos as caixas. Eu levanto a tampa e empurro o papel de lado e, então eu puxo uma linda caneca de café que tem "SEU" no lado. Eu ouço o riso e olho sobre a de Jamie. Outra caneca diz: "SEU". "Mãe!" Jess Grita. "O ponto de canecas rotuladas é para que eles possam dizer-lhes separados! Você deveria ter feito suas iniciais. " "Mas isso não iria me divertir", sua mãe explica, sorrindo. "Obrigado", eu e Jamie rimos. Pego a caneca mais em minhas mãos, imaginando Cindy fazendo isso por mim em seu estúdio de cerâmica. O esmalte é brilhante, a taça ampla e sólida em minhas mãos. É lindo, e recebê-la me fez sentir como um cartão de associado para um clube que eu realmente quero me juntar. Segurando a alça, eu viro a cabeça da minha caneca para baixo para ver se ela está assinada. Certo suficiente há algo gravado na bottom não vidrada. Eu tenho que apertar os olhos para ler a letras minúsculas. Caro Ryan. Obrigado por fazer Jamie feliz. Ele te ama e nós também. Bem-vindo ao clã Canning. Oh garoto. Há uma queimadura na parte de trás da minha garganta, e eu tenho que me concentrar muito em colocar a caneca de volta na caixa. Eu passo mais tempo do que necessário colocando o papel de seda em torno dela com o cuidado de alguém realizando neurocirurgia. Quando eu estou finalmente pronto para olhar para cima novamente, a


mãe de Jamie está à minha espera. O olhar morno nos olhos faz com que o sinta a minha garganta ainda pior. Eu tento dar-lhe um sorriso casual, mas não o bastante para retirá-la. Ninguém nunca disse nada tão doce para mim. Ninguém, exceto Jamie. Como se eu o chamasse, uma mão quente desliza para a parte inferior de minhas costas. Ajusto minha postura apenas um grau fracionário, inclinando-me para aquela mão. Cindy ainda está nos observando. Ela dá uma piscadela que eu sei é só para mim. Em seguida, passa tão rapidamente, seu rosto é todo o negócio. Ela bate as mãos uma vez. "Ok, tropa! O peru está no forno, mas ainda há algum trabalho pesado a ser feito! Preciso de alguém que refogue os vegetais para o enchimento. Preciso de alguém para iniciar o grill. E preciso de duas pessoas para chicotear o creme! E o resto de vocês caiam fora da minha cozinha. " Sem deixar suas conversas, os Cannings se movem em torno da cozinha, abrindo e fechando armários e passando em torno de garrafas de cerveja. Jamie não sai do meu lado, no entanto. Ele e eu estamos calmos, olhando o furacão amigável familiar. E espero que a tempestade nunca acabe.


Him vol. 1 (revisado) [Homo] - Sarina Bowen & Elle Kennedy