Page 1

VOL.02 / Nยบ079 ISSN 2019 - 079 CDD 720

LETรCIA STEPHANIE DOS S. PIMENTEL

CENTRO CULTURAL INTEGRADO


Revista TFG - Arquitetura e Urbanismo [recurso eletrônico] / Núcleo Docente Estruturante de Arquitetura e Urbanismo. Universidade de Marília. - Vol. 2, n° 079 (nov./dez 2019). Marília: UNIMAR, 2019. v.:il., 30cm Trimestral Endereço eletrônico: http://www.unimar.br/cursos/graduação/arquitetura/ ISSN 2019-079 versão eletrônica 1. centro integrado, 2.cultura 3.lazer 4.esporte 2. ll. Uninversidade de Marília. Arquitetura e Urbanismo CDD - 720


REVISTA TFG - ARQUITEURA E URBANISMO UNIVERSIDADE DE MARÍLIA - UNIMAR ARQUITETURA E URBANISMO

ISSN 000-000 REVISTA TFG

CDD 720 VOL.02

NOV 2019


UNIVERSIDADE DE MARÍLIA

REITOR MÁRCIO MESQUITA SERVA VICE-REITORA REGINA LÚCIA OTTAIANO LOSASSO SERVA PRÓ-REITORA DE PÓS GRADUAÇÃO FERNANDA MESQUITA SERVA PRÓ-REITOR DE ADMINISTRAÇÃO MARCO ANTONIO TEIXEIRA PRÓ-REITOR DE GRADUAÇÃO JOSÉ ROBERTO MARQUES DE CASTRO PRÓ-REITORA DE AÇÃO COMUNITÁRIA FERNANDA MESQUITA SERVA CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO FERNANDO NETTO


UNIVERSIDADE DE MARÍLIA

NDE - NÚCLEO DOCENTE ESTRUTURANTE MS. DR. MS. MS. MS.

F E R N A N D O N E T T O - Coordenador / Arquiteto e Urbanista I R A J Á G O U V E I A - Docente / Arquiteto e Urbanista W A L N Y C E S C A L I S E - Docente / Arquiteto e Urbanista S Ô N I A C . B O C A R D I M O R A E S - Docente / Arquiteto e Urbanista W I L T O N F . C A M O L E S E A U G U S T O - Docente / Arquiteto e Urbanista

NÚCLEO INTEGRADO DE PESQUISA E EXTENSÃO - NIPEX D R A . W A L K I R I A M A R T I N E Z H E I N R I C H F E R R E R - Coordenação

CPA - COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DRA. ANCRÉIA C. F. BARALDI LABEGALINI

- Pesquisadora Institucional

COMISSÃO EDITORIAL - REVISTA TFG M S . F E R N A N D O N E T T O - Coordenador / Arquiteto e Urbanista M S . W I L T O N F . C A M O L E S E A U G U S T O - Docente / Arquiteto e Urbanista M S . S Ô N I A C . B O C A R D I M O R A E S - Docente / Arquiteto e Urbanista DRA. WALKIRIA MARTINEZ HEINRICH FERRER F E R N A N D O M A R T I N S - Jornalista / MTB 76.753

COORDENAÇÃO - ARQUITETURA E URBANISMO M S . F E R N A N D O N E T T O - Arquiteto e Urbanista


Primeiramente dedico meu trabalho de graduação a Deus, pois graças a ele estou concluindo mais uma etapa em minha vida, e aos meus pais por sempre

DEDICATÓRIA

me apoiarem e acreditarem em meus sonhos.


AGRADECIMENTOS Agradeço a Deus por ter me dado forças para chegar ate aqui, e por nunca ter me desamparado. Agradeço aos meus pais Leonilda e Valdemar, que não mediram esforços para que eu concluísse essa caminhada, sempre estiveram ao meu lado me apoiando, ajudando e confiando em meu potencial. Em especial ao meu namorado Alexandre Cassaro, que sempre esteve ao meu lado, sempre segurou minha mão nos momentos de dificuldades, me deu carinho, apoio e me incentivou sempre que eu me encontrava sem entusiasmos. Aos

meus

irmãos,

amigos

e

familiares

que

sempre

acreditaram em mim e me deram incentivo para chegar até aqui. E

por

fim,

agradeço

aos

meus

professores,

pelo

conhecimentoe aprendizagem que foi passado durante todo o curso.


RESUMO O projeto trata-se de um Centro Cultural na cidade de Vera Cruz/SP. O mesmo tem a função de trazer aos moradores um espaço adequado onde possa ser desenvolvida atividades de esporte,lazer e cultura. A instituição atende crianças e adolescentes oferecendo gratuitamente atividades educacionais, tais como: aula de luta, dança, música e atendimento com psicólogos. Tendo como objetivo oferecer benefícios tanto pessoal como profissional. Evitando que os mesmo em seu tempo livre se envolvam em riscos sociais, como: drogas, marginalidade e prostituição. O Centro Cultural, também

fica

de

livre

acesso

para

os

moradores

do

município,

proporcionando um lugar de lazer, convívio e entretenimento, onde conta com uma ampla pista de caminhada e ciclo faixa para ciclista, quadra poliesportiva, pista de skate, playground, academia ao ar livre, entre outros atrativos. Após levantamento dos pontos de lazer, esporte e cultura que a cidade oferece para a população, foi notado que algumas regiões do município não têm fácil acesso a esses locais. Pensando nisso, a instituição foi construída em uma região que abrange os bairros mais desfavorecidos em questão de cultura. Dessa forma, todas as atividades oferecidas pelo município, serão distribuídas igualmente para todos os bairros e regiões. Permitindo que seus usuários possam usufruir e adquirir conhecimento através das atividades desenvolvidas no local. O terreno escolhido é direcionado pelo poder Público Municipal, para programas institucionais e de lazer. No local encontram-se grandes variedades de vegetações existentes. Pensando nisso, toda a parte de

lazer

e

convívio

foi

construída

integrada

com

esse

espaço,

proporcionando um ambiente natural e agradável. O projeto foi desenvolvido em métodos inovadores, apostando todos os ambientes em um conceito sustentável, buscando minimizar os impactos ao meio ambiente. Tendo como investimentos energias renováveis, coleta de água pluvial e valorização dos elementos naturais já existentes no local.  Palavra-chave: centro integrado,cultura, lazer, esporte.


SUMÁRIO 1.INTRODUÇÃO...................................................09 1.1 JUSTIFICATIVA..............................................10 2. CONCEITUAÇÃO............................................12 2.1 CENTRO CULTURAL INTEGRADO........12 2.2 CULTURA........................................................12 2.3 ESPORTE..........................................................13 2.4 LAZER...............................................................14 3. EVOLUÇÃO HISTÓRICA...............................15 3.1 ORIGENS DO CENTRO CULTURAL........15 4. LEGISLAÇÃO....................................................17 4.1 ACESSIBILIDADE..........................................17 4.2 CÓDIGO DE OBRAS.....................................18 4.3 ZONEAMENTO.............................................18 5. LEITURA DE PROJETO.................................19 5.1 CENTRO CULTURAL SÃO PAULO.........19 5.2 SESC POMPÉIA..............................................24 5.3 CENTRO CULTURAL PORTO SEGURO.27 6. ESTUDO DE TERRENO.................................33 7. PROGRAMA DE NECESSIDADES.............36 7.1 ORGANOGRAMA.........................................38 7.2 FLUXOGRAMA.............................................38 8. PARTIDO ARQUITETÔNICO......................39 9. CONSIDERAÇÕES FINAIS...........................40 10. REFERÊNCIAS...............................................41


No projeto busca-se desenvolver o entendimento e interesse

dos

participantes

a

praticar

atividades

esportivas e educativas, mostrando o quanto irá trazer

1. INTRODUÇÃO

benefícios, oportunidades e crescimento tanto pessoal como profissional. O Centro Cultural Integrado tem a finalidade de trazer para a população um espaço adequado onde possam ser desenvolvidas atividades culturais, tais como: esporte, educação e lazer. Seu público alvo será crianças e adolescentes entre 6 a 18 anos de idade, evitando que os mesmo em seu tempo livre se envolvam em riscos sociais, como: drogas, marginalidade e prostituição. A instituição irá contar com salas de aula onde serão desenvolvidas atividades culturais e educativas, tais como: dança, música, luta, pintura e atendimento com psicólogos.

E

uma

ampla

área

com

quadras

poliesportivas, playground, entre outros atrativos. Todas as atividades serão desenvolvidas durante a semana (segunda à sexta-feira), dentro do horário comercial,

om profissionais capacitados para cada

determinada área de atuação. Pensando também no bem-estar de todos os moradores do município, o Centro Cultural Integrado, terá a finalidade de oferecer paRa a população uma área onde todos possam desfrutar do espaço de esporte e lazer, ou seja, uma determinada área da instituição ficará de livre acesso

aos

finais

de

semana

para

toda

a

sociedade.Buscando incentivar a pratica de esportes e

09

trazer entretenimento para todos


1.1 JUSTIFICATIVA O Centro Cultural Integrado foi executado na cidade de Vera Cruz/SP em uma região mais carente em questão de lugares para o desenvolvimento de esporte e lazer. O bairro onde será feito o projeto é bastante frequentado por crianças e adolescentes, e também está em grande desenvolvimento tanto residencial como comercial. A cidade de Vera Cruz, conta com alguns programas sociais, tais como: Projeto Guri que é um grande projeto sociocultural, onde é desenvolvido aulas de canto e instrumento musical; Ginásio de Esportes Municipal, onde é desenvolvido luta de jiu jitsu e jogos esportivos; Estádio Municipal, onde é feito treinamentos de Futebol de campo. Há varias praças públicas pela cidade, porém grande parte não está em condições ideias de uso. As mais frequentadas pelos moradores do município é a Praça da Matriz, onde tem um grande espaço de convívio e lazer, e a Praça Monteiro Lobato, onde além de ter o espaço de lazer e convivo, tem quadras esportivas, pista de skate e playground. De acordo com o mapa da cidade de Vera Cruz/SP, é possível notar vários locais onde a cidade oferece ambientes para o desenvolvimento de lazer, convívio e esporte. Porém eles estão localizados na área central do município onde apenas os bairros do Centro e o Lorenzetti são favorecidos. Já os demais bairros, como: Cruzeiro do Sul, Cecap, Tancredo Neves, Cid Pimentel, Bela Vista, Jd. Aeroporto I, Jd. Aeroporto II e Terras de Vera Cruz ficam mais distantes destas áreas, tendo que percorrer uma boa distância para se beneficiar destes locais.

10


Figura 01 – Mapa dos Bairros do Município de Vera Cruz/SP

Fonte:Acervo do autor, 2019.

Pensando no bem-estar de toda a população, para que todos os bairros sejam beneficiados com um ambiente adequado para essas atividades, o Centro Cultural Integrado será executado em um ponto onde facilite o acesso desses bairros que ficam distantes dos pontos de convívio, lazer e esporte já existente no município. O projeto terá a finalidade de unir todas as atividades que já são desenvolvidas na cidade em um único local com uma estrutura adequada e segura, oferecendo aos moradores um lugar para desenvolver atividades físicas e de no convívio social e futuro profissional. Onde o mesmo será mantido pela a prefeitura municipal.

11


2. CONCEITUAÇÃO

2.1 CENTRO CULTURAL INTEGRADO É uma instituição que abrange várias funções de desenvolvimento e aprendizagem, acolhendo todas as idades e classes sociais. Ele irá unir todas as atividades que já são oferecidas pelo o município em um só lugar, e sempre buscarão novos métodos de preparação, capacitando seus frequentadores com o crescimento pessoal e profissional.

2.2 CULTURA Nenhum ser humano necessita de aprendizagem para ter cultura, ninguém tem cultura a mais/menos, nem superior/inferior a outra pessoa. A cultura é transmitida de geração para geração, ela tem a ver com costumes, ideias, valores, tradições e práticas que se torna uma característica de um grupo. Ninguém faz parte de um único grupo social, pois convivemos com grupos escolares, grupos de amigos, grupos de trabalho, entre outros. Não importa o grupo social que você conviva, todos terão uma determinada

cultura.

Cabe

ao

ser

humano,

compreender, respeitar e filtrar o que há de bom em cada uma delas. Segundo Santos, 1983, p.10:

12


“Não apenas os recursos naturais devem ser considerados quando se pensa no desenvolvimento dos grupos humanos. Mais importante ainda é observar que o destino de cada agrupamento esteve marcado pelas maneiras de organizar e transformar a vida em sociedade e de superar os conflitos de interesse e as tensões geradas na vida social”.

2.3 ESPORTE Na Contemporaneidade, o esporte se tornou um dos maiores fenômenos socioculturais, mostrando sempre sua saliência em sua pratica e reflexão na educação formal, uma vez que Paes (2001) aponta a significância das escolas no direito a todos ao acesso do esporte. Buscando sempre ampliar o esporte do ambiente escolar, como destaca Paes, 2001, p.49: “(...)

o

esporte,

como

conteúdo

da

Educação Física na escola, deverá ser oferecido de forma que o aluno possa compreendê-lo

integralmente,

conhecendo suas diferentes modalidades; seu

ensino

deverá

abranger

conhecimentos teóricos e práticos, dando oportunidade ao aluno de aprender e

vivenciar

seus

fundamentos,

compreender suas regras, bem como

13

conhecer sua história e evolução”.


2.4 LAZER Para esquecer as obrigações e pressões do dia-a-dia, procuramos tirar um tempo de lazer, ou seja, “fugir” das atividades que desenvolvemos diariamente por obrigações. Cada indivíduo tem uma maneira de se expressar como: praticando uma atividade esportiva, sair com família e amigos, ler um livro, entre outras atividades. Segundo Dumazedier, 1979, p12:

“O lazer é o conjunto de ocupações, às quais o indivíduo pode entregar-se de livre vontade, seja para repousar, seja para divertir-se e entreter-se ou ainda para desenvolver sua informação ou formação desinteressada, sua participação social voluntária

ou

sua

livre

capacidade

criadora após livrar-se ou desembaraçar-se das obrigações profissionais, familiares e sociais.”

14


3. EVOLUÇÃO HISTÓRICA 15

3.1 ORIGENS DO CENTRO CULTURAL Para Ramos, 2007, a origem dos centros culturais pode estar na antiguidade clássica, em um complexo cultural, como a biblioteca de Alexandria. Ela era composta por palácios, onde era guardado várias documentações, com a ideia de trazer e preservar o saber existente na Grécia Antiga, abordando a área da religião, medicina, filosofia, entre outras. Também era armazenada

estatuas,

instrumentos

cirúrgicos

e

astronômicos e obras de arte. De acordo com Ramos, 2007: "Os centros culturais são instituições criadas com o objetivo de se produzir, elaborar e disseminar práticas culturais e bens simbólicos, obtendo o status de local privilegiado para praticas informais que dão subsídios às ações culturais. São espaços para se fazer cultura viva, por meio de obra de arte com informação, em um processo crítico, provocativo, grupal e dinâmico".


Os espaços que hoje chamamos de culturais, sempre existiram, porém em organizações separadas, cada uma tendo seu encargo, sendo elas: bibliotecas, cinemas, teatros. A partir dos anos 70, que o ligamento desses espaços se proliferou com nomes variados, entre eles centro de cultura. (MILANESI, 1997, p: 97). A cultura deve estarno alcance de todas as pessoas, concedendo a construção e conservação de suashistórias e costumes. Segundo Turino, 2006, p,44 "Um povo que não tem um acervo de conhecimentos, arte e memória, não tem referências que lhe permitam projetar-se para o futuro; estará condenado a ser um mero receptor, nunca um criador".

16


4. LEGISLAÇÃO 4.1 ACESSIBILIDADE O Projeto por ser uma instituição pública, irá atender diversos tipos de pessoas, sendo elas: crianças, adultos, idosos e pessoas com necessidades

especiais.

Com

isso

a

instituição irá seguir a Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) NBR 9050 de 2015. O Centro Cultural Integrado abrange diversos espaços como lazer, cultura e esporte, seguindo as orientações da NBR 9050 toda a rota que liga um setor ao outro deverá estar livre de entraves/impedimentos e deverá ser sinalizado. Ligando de forma acessível tanto os ambientes internos como os externos, buscando sempre a acessibilidade dos espaços, mobiliários e equipamentos urbanos. Todo equipamento e lugar da instituição deverão oferecer um espaço adequado com parâmetros para a instalação de equipamentos e adaptação de espaço urbano.

17


4.2 CÓDIGO DE OBRAS O empreendimento será implantado na cidade de Vera Cruz, com isso irá seguir as diretrizes do Código de Obras e Edificações do município. De acordo com o Código de Obras de Vera Cruz - Lei nº 2.068 de 04 de dezembro de 1992, As edificações destinadas a escolas e estabelecimentos congêneres, além de atender às exigências da presente Lei que lhes forem aplicáveis, deverão ter: locais de recreação, cobertos e descobertos, que atendam ao

seguinte

dimensionamento;

instalações

sanitárias

separadas por sexo, com as seguintes proporções mínimas em relação à área construída das salas de aula; elementos construtivos de material incombustível, tolerando-se o emprego de madeira ou outro material combustível apenas nas

edificações

térreas,

bem

como

nas

esquadrias,

revestimento de pisos e estruturas de forro e da cobertura.

4.3 ZONEAMENTO O município de Vera Cruz, não possui lei de uso e ocupação do solo e não se opõe as instalações das atividades em pontos da cidade. A única limitação que existe, é em áreas que estão destinadas ao serviço público, sendo elas: áreas institucionais e áreas para sistema de lazer. Onde as mesmas só podem receber instalações do poder público municipal.

18


5. LEITURA DE PROJETO 5.1 CENTRO CULTURAL SÃO PAULO Localizado entre a Rua Vergueiro e a Avenida 23 de maio, sendo exemplo de urbanidade e diversidade, também foi o primeiro Centro Cultural multidisciplinar do país. O projeto foi feito por uma equipe de arquitetos, liderados por Luís Telles eEurico Prado Lopes. Figura 02- Fachada do Centro Cultural São Paulo

19

Fonte: <https://bit.ly/2UqJBd0>. Publicado em: 04 fev. de 2009


O local tem uma grande área construída de 45.500m², onde seus frequentadores podem desfrutar de bibliotecas, ateliês, teatro, coleções e acervos da cidade, oficina de música, atividades educativas, ações ligadas ao público infantojuvenil, entre outros atrativos. Desde o início o CCSP foi pensado em uma estrutura que atendesse um grande número de frequentadores, com isso foi projetado uma “rua interna” onde iria facilitar a locomoção entre uma área a outra

Figura 03- Planta baixa do Centro Cultural de São Paulo - Pavimento 01

Fonte: <https://bit.ly/2Z2qWTn>. Publicado em: 26 de maio de 2017

20


Figura 04- Planta baixa do Centro Cultural de São Paulo - Pavimento 02

Fonte: <https://bit.ly/2P2ekah>. Publicado em: 26 de maio de 2017

Ao observar a planta, é possível notar os espaços internos e suas divisões, onde o ligamento de um setor ao outro é feito através de passarelas feitas de aço em forma de "Y". Os ambientes

externos

são

integrados

com

os

jardins,

proporcionando um ambiente paisagístico. As paredes longitudinais são feitas de vidro, atraindo os olhares de seus frequentadores para toda a parte externa do complexo. Na implantação podemos observar que sua setorização é feita da seguinte forma: na área externas fica localizado os jardins e área expositiva, toda a parte construída fica na área central do terreno, onde a mesma é ligada por pátios que liga uma área com a outra. Possibilitando um fácil e rápido acesso

21

entre eles.


Figura 05- Vista Interna do Centro Cultural de São Paulo - Pilares e Vigas

Fonte: <https://bit.ly/2uVg8IT>. Publicado em: 26 de maio de 2017

Sua estrutura chama atenção pelos grandes pilares de aço e suas vigas de concreto que ficam expostas na parte interna da edificação, no pátio central por ser um lugar bem amplo e aberto podem ver tecidos translúcidos que facilita a entrada de luz natural, através da cobertura. Suas paredes longitudinais por serem transparentes possibilitam uma vista panorâmica e integração aos jardins internos.

22


Figura 06- Corte Longitudinal do Centro Cultural de São Paulo

Fonte: <https://bit.ly/2G1vEYT>. Publicado em: 26 de maio de 2017

O projeto foi executado em um terreno com 300m de comprimento e 70m de largura, por conter um desnível de 10m a edificação foi trabalhada em quatro pavimentos. Observando o corte, pode ser notado que todas as áreas são bem amplas e bem distribuídas. Devido ao desnível do terreno, se olhar o edifício da Rua Vergueiro, o Centro Cultura aparenta ter uma volumetria baixa e discreta, muito diferente se observarmos o mesmo da Avenida 23 de Maio. O partido arquitetônico visou a horizontalidade, privilegiou a fluidez dos amplos espaços e incluiu diversos acessos. O Centro Cultural possui um programa de livre acesso, onde as pessoas com deficiência e mobilidade reduzida podem frequentar facilmente todas as oportunidades que o CCSP fornece. Os funcionários são treinados para ajudá-los e, além disso, o Centro fornece atividades e espaço físico para possibilitando o acesso de cadeirantes, deficientes auditivos e visuais.

23


5.2 SESC POMPÉIA Após o fechamento de uma antiga fábrica de tambores, surgiu a ideia de transformar o empreendimento em um grande complexo de cultura e lazer, inaugurando assim o SESC Pompéia. A edificação é marcada pelas três torres, sendo formas de dois retângulos e um cilindro. Onde suas junções ilustram a fachada de uma fábrica. Para realização, foi contrata a Arquiteta Lina Bo Boardi, onde deu início ao projeto em 1977. A instituição levou cerca de 10 anos para realizar sua construção, sendo inaugurada em 1986, onde foi nomeada como uma referência para a arquitetura brasileira. Figura 07- Fachada do SESC Pompéia

Figura 07- Fachada do SESC Pompéia

24


Os galpões que ficavam localizados no térreo da fábrica, contava com uma rua interna, onde facilitava a locomoção entre

um

barracão

e

outro.

No

projeto

do

novo

empreendimento foi permanecida a passagem da rua, facilitando o ligamento e a organização do fluxo interno do complexo. Sua cobertura é composta por estrutura de metálica com telhas de barro e vidro, com isso há uma grande facilidade e maior iluminação solar, na maior parte do tempo. Para fazer o ligamento das torres do complexo, foi projetas passarelas de concreto armado, com vãos de 25 metros. Em cada uma delas passa um córrego canalizado, assim como o vão do MAPS que surgiu para não tampar o cenário paisagístico. Figura 08- Planta Baixa do SESC Pompéia

25

Fonte: <https://bit.ly/2Qtvai0>. Publicado em: 05 de nov. de 2013


Figura 09- Planta Baixa do SESC Pompéia – Setorização

Fonte: <https://bit.ly/2Qtvai0>. Publicado em: 05 de nov. de 2013

Figura 10- Planta Baixa do SESC Pompéia – Setorização

Fonte: <https://bit.ly/2P2TR5l>. Publicado em: 21 de mar. de 2015

26


O complexo foi muito bem distribuído e setorizado, tendo o acesso principal através das áreas onde fica livre aceso ao público, através da "rua interna". onde estão localizadas a biblioteca, áreas de exposição, restaurantes, entre outros atrativos que ficam aberto ao público. Mas a frente fica localizado o setor privado, que é frequentado pelos usuários do Sesc, nele está localizado toda a área de esporte, desde quadras e piscinas. Figura 11- Corte do SESC Pompéia

Fonte: <https://bit.ly/2P2TR5l>. Publicado em: 21 de mar de 2015

Através do corte pode ser visto, o detalhamento as passarelas feita de concreto que liga uma torre a outra. Uma torre é destinada a quadras e piscina e a outra fica os vestiários de acordo com cada setor esportivo.

27


5.3 CENTRO CULTURAL PORTO SEGURO O projeto está localizado no bairro de Campo Elíseos – São Paulo/SP. Sendo construído em 2016, a edificação conta com uma construção de 3.800m². Os arquitetos responsáveis pelo projeto são: Yuri Vital, Miguel Muralha e São Paulo Arquitetura. O edifício está localizado em um bairro onde seu processo de desenvolvimento, tem grandes problemas sociais, devido aos casarões abandonados.  Com isso o empreendimento seguiu com umas series de medidas que dirigi a revitalização urbana dessa região. Figura 12 – Fachada do Centro Cultural Porto Seguro

Fonte: <https://bit.ly/2UuzrYQ>. Publicado em: 02 de maio de 2016

28


O Centro Cultural teve grande referência na Arquitetura Moderna, foi projetado para ser um lugar de apresentações das mais diversas expressões artísticas contemporânea. No local é desenvolvidos cursos, workshops, feiras, ateliês e entre outros atrativos. Contendo uma fachada audaciosa de concreto, a arquitetura brinca com sombras que se convertem em luz. Através da própria arquitetura, foi conseguido trabalhar o isolamento acústico Figura 13 – Planta Baixa/ 1º Subsolo - Centro Cultural Porto Seguro

Fonte: <https://bit.ly/2Ur4dly>. Publicado em: 02 de maio de 2016

29


Figura 14 – Planta Baixa/ 2º Subsolo - Centro Cultural Porto Seguro

Fonte: <https://bit.ly/2WTL88a>. Publicado em: 02 de maio de 2016 Figura 15 – Planta Baixa/ Térreo - Centro Cultural Porto Seguro

Fonte: <https://bit.ly/2WTL88a>. Publicado em: 02 de maio de 2016

30


Figura 16 – Planta Baixa/ 1º Pavimento - Centro Cultural Porto Seguro

Fonte: <https://bit.ly/2Im7HOK>. Publicado em: 02 de maio de 2016 Figura 17 – Planta Baixa/ 2º Pavimento - Centro Cultural Porto Seguro

31

Fonte: <https://bit.ly/2G36Gsf>. Publicado em: 02 de maio de 2016


Figura 18 – Cortes- Centro Cultural Porto Seguro

Fonte: <https://bit.ly/2ZbBTSW>. Publicado em: 02 de maio de 2016

O complexo foi construído em um ponto estratégico, pensando na forma de valorização do bairro o de ele seria construído, trazendo mais arte e cultura para o local. Sua estrutura aparenta ser um grande bloco de concreto composto por formas assimétricas, o edifico trabalha em sua fachada diversas formas devido à luz solar que converte em sombras. Além de sua fachada imponente e encantadora, seu interior é composto por espaços amplos trabalhados com vidro, onde proporciona

um

ambiente

grande,

agradável

e

com

iluminação natural. Ou seJa, o Centro Cultural, predomina a arquitetura moderna, disponibilizando para seus frequentadores um local diversificado de arte contemporânea.

32


6. ESTUDO DE TERRENO

O complexo foi construído em um ponto estratégico,

33

pensando na forma de valorização do bairro o de ele seria construído, trazendo mais arte e cultura para o local. Sua estrutura aparenta ser um grande bloco de concreto composto por formas assimétricas, o edifico trabalha em sua fachada diversas formas devido à luz solar que converte em sombras. Além de sua fachada imponente e encantadora, seu interior é composto por espaços amplos trabalhados com vidro, onde proporciona um ambiente grande, agradável e com iluminação natural. Ou seJa, o Centro Cultural, predomina a arquitetura moderna, disponibilizando para seus frequentadores um local diversificado de arte contemporânea. Figura 19 – Terreno

Fonte: Acervo do autor, 2019


Como a instituição será construída e mantida pela a prefeitura municipal, pensamos em um lote que já estivesse destinado a esse tipo de construção. Após o levantamento, foi verificado que no bairro Jd. Aeroporto II contém um lote do poder público municipal destinado a área de lazer e institucional. Figura 20 – Entorno do Terreno

Fonte: Acervo do autor, 2019

O terreno escolhido fica localizado em um ponto estratégico, ou seja, ela está em uma área central dos bairros

que

será

principais

beneficiados

pela

a

instituição. O mesmo conta com uma área total de 12.286,23 m². As ruas que dão acesso a ela são: Rua Everaldo Marchioni, Rua Roberto Ottoboni Neves, Rua Mário Bolonhezzi e a Rua Dr. Roberto Martes Antigueira Elias. O trafego de ambas as ruas é de sentido duplo.

34


Ao redor do bairro onde está o terreno, podemos encontrar escolas, farmácias, supermercados, lojas, entre outros estabelecimentos comerciais. Podemos notar que está região está tendo um grande crescimento comercial e residencial.

Próximo a terreno escolhido temos a

Rodovia SP 240 (Comandante João Ribeiro de Barros), onde facilita o acesso do bairro Terras de Vera Cruz. Figura 21 – Entorno do Terreno

Fonte: Acervo do autor, 2019

35


7. PROGRAMA DE NECESSIDADES

OÃÇARTSINIMDA

RECEPÇÃO.....................................................23,65m² SANITÁRIOS..................................................25,20m² SECRETÁRIA.................................................10,20m² SALA DE REUNIÃO....................................27,90m² SALA PSICOLOGO.......................................16,00m² SALA PROFESSORES..................................21,10m² HALL...............................................................18,00m²

OFICINA DE DANÇA..............................100,00m²

ARUTLUC

OFICINA DE LUTA..................................100,00m² OFICINA DE PINTURA.............................64,00m² OFICINA DE MÚSICA.............................100,00m² SANITÁRIOS.................................................67,60m² HALL...............................................................44,50m²

36


QUADRA POLIESPORTIVA..................378,00m²

ETROPSE

QUADRA DE AREIA................................182,00m² VESTIÁRIO....................................................61,00m² DEPÓSITO........................................................5,20m² ACADEMIA AO AR LIVRE...................200,00m²

REZAL

PISTA DE SKATE.....................................220,00m² PLAY GROUND.........................................182,00m² SANITÁRIOS.................................................13,60m² QUIOSQUE....................................................25,00m²

OÇIVRES

37

COZINHA/COPA.........................................25,20m² ALMOXARIFADO......................................20,00m² DEPÓSITO......................................................10,00m²


7.1 ORGANOGRAMA Figura 21 – Entorno do Terreno

Fonte: Acervo do autor, 2019

7.2 FLUXOGRAMA S. REUNIÃO

SECRETÁRIA

S. PROFESSORES

RECEPÇÃO

COZINHA/COPA

SANITÁRIOS

PISTA DE SKATE

PLAY GROUND

DEPÓSITO

ACADEMIA

SANITÁRIOS

DEPÓSITO

S. PSICOLOGO

DEPÓSITO

HALL

ALMOXARIFADO

OFICINA PINTURA

Q.POLIESPORTIVA

OFICINA LUTA

QUADRA AREIA

OFICINA LUTA

OFICINA DANÇA SANITÁRIOS

38


8. PARTIDO ARQUITETÔNICO 39

É muito importante para o desenvolvimento de um projeto definir o partido arquitetônico, pois é a partir dele que parâmetros e diretrizes são tomados. A instituição acomoda todas as atividades artísticas e esportivas que o município oferece para a população, tendo sua principal utilização para o uso público e integração da comunidade. O projeto irá buscar métodos inovadores, apostando no conceito sustentabilidade, ou seja, minimizando os impactos ao meio ambiente. Tendo como investimento energias renováveis e valorização dos elementos naturais. Para a valorização da vegetação existente no local, será adaptado junto a ela o setor de lazer e convívio, proporcionando um ambiente agradável e natural Sua estrutura é feita de traços retos, seguindo o estilo contemporâneo, suas paredes são todas em alvenaria, a cobertura é composta por platibandas e telhas metálicas. O vidro é bastante usado em ambientes internos proporcionando uma integração com os ambientes externos, trazendo maior iluminação natural e atraindo a visão do publico para toda a área verde e de convívio do local. Seu acabamento é feito com cores neutras, trazendo um ambientes tranquilo e que valorize a vegetação existente no local.


9. CONSIDERAÇOES FINAIS

A instituição tem a finalidade de trazer para toda a população, um ambiente adequado para ser desenvolvidas atividades de esporte, lazer e cultura. Buscando melhorar a saúde de cada individuo, trabalhando seu estado físico, mental e social. Desenvolvendo o entendimento, interesse e a pratica de atividades esportivas e educativas, mostrando o quanto os mesmo irá trazer benefícios, oportunidades e crescimento tanto pessoal como profissional. O Centro Cultural oferece uma infra-estrutura capacitada para abranger todos os tipos e atividades relacionadas à cultura, lazer e esporte. Com profissionais adequados e capacitados para cada determinada área de atuação.  Também trazendo consigo um ambiente desenvolvido para convivo e lazer, tendo como publico toda a população da cidade de Vera Cruz. Seu objetivo é trazer e mostrar para a sociedade o quanto é importante e grandiosamente prazeroso a pratica de esporte no seu dia a dia.

40


SANTOS, José Luiz Dos. “O QUE É CULTURA”. 9 eds. São Paulo: Editora Brasiliense, 1983. DUMAZEDIER, Joffre. “LAZER E CULTURA POPULAR”. São Paulo: Perspectiva, 1976. PAES, Roberto Rodrigues. “EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR: O ESPORTE COMO

10. REFERÊNCIAS

CONTEÚUDO PEDAGÓGICO DO ENSINO FUNDAMENTAL”. Canoas: Ed. Ulbra, 2001 SOUZA, Eduardo. “CLÁSSICOS DA ARQUIETURA: CENTRO CULTURAL SÃO PAULO” 26 de maio de 2017. Disponível

em:

<https://www.archdaily.com.br/br/872196/classicos-da-arquitetura-

centro-cultural-sao-paulo-eurico-prado-lopes-e-luiz-telles Acesso em: 26/02/2019 “CENTRO CULTURAL SÃO PAULO”. Disponível em: <http://centrocultural.sp.gov.br>. Acesso em: 26/02/2019 FRACALOSS, Igor. “CLÁSSICOS DA ARQUITETURA: SESC POMPÉIA” 05 de novembro de 2013. Disponível em: <https://www.archdaily.com.br/br/01-153205/classicos-daarquitetura-sesc-pompeia-slash-lina-bo-bardi>.Acesso em: 26/02/2019 “CENTRO CULTURAL PORTO SEGURO” 02 de maio de 2016. Disponível em: <https://www.archdaily.com.br/br/786322/porto-seguro-cultural-center-sao-pauloarquitetura>. Acesso em: 27/02/2019 “CÓDIGO DE OBRAS E EDFIFICAÇÃO DO MUNICIPIO DE VERA CRUZ” Disponível em:

<https://www.veracruz.sp.gov.br/arquivos/27_l206892_codigo_de_obras.pdf>.

Acesso em: 08/04/2019 “NORMA

BRASILEIRA

ABNT

NBR

9050”.

Disponível

<https://www.ufpb.br/cia/contents/manuais/abnt-nbr9050-edicao-2015.pdf>.

em: Acesso

em: 08/04/2019 "CENTRO

CULTURAL

SÃO

PAULO".

História.

[200-?].

Disponível

em:

<

http://centrocultural.sp.gov.br/site/institucional/historia/>. Acesso em 03 jun de 2019. MILANESI. Luís. A Casa da Invenção. 3. Ed. São Paulo: Ateliê Editorial, 1997. "ACESSIBILIDADE

ESPACIAL

EMCENTRO

CULTURAL:

ESTUDO

DE

CASO".

OLIVEIRA, Aíla Seguin Dias Aguiar de 2006. 214 f. Dissertação (Mestrado em Arquitetura e Urbanismo) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis - SC.

41


CENTRO CULTURAL INTEGRADO

TRABALHO FINAL DE GRADUAÇÃO - 2019 DISCENTE: LETÍCIA STEPHANIE DOS S. PIMENTEL ORIENTADOR: PROFª MARIANA PETRUCELLI PIRES COORDENADOR DE GRADUAÇÃO: PROFº MS FERNANDO NETO


O CENTRO CULTURAL INTEGRADO IMPLANTADO NA CIDADE DE VERA CRUZ, TEM O INTUITO DE TRAZER AOS MORADORES UM AMBIENTE ADEQUADO PARA A PRATICA DE ATIVIDADES EDUCATIVAS,CULTURAIS E ESPORTIVAS. OFERECENDO TAMBÉM UM AMBIENTE PARA CONVÍVIO E LAZER.O MESMO TEM A FINALIDADE DE UNIR TODAS AS ATIVIDADES QUE JÁ SÃO DESENVOLVIDAS NA CIDADE EM UM ÚNICO LOCAL, COM UMA ESTRUTURA ADEQUADA E SEGURA. BUSCANDO TRAZER PARA TODA A POPULAÇÃO UMA MELHOR QUALIDADE DE VIDA

APRESENTAÇÃO FOLHA: 1/6


O CENTRO CULTURAL INTEGRADO IMPLANTADO NA CIDADE DE VERA CRUZ, TEM O INTUITO DE TRAZER AOS MORADORES UM AMBIENTE ADEQUADO PARA A PRATICA DE ATIVIDADES EDUCATIVAS,CULTURAIS E ESPORTIVAS. OFERECENDO TAMBÉM UM AMBIENTE PARA CONVÍVIO E LAZER.O MESMO TEM A FINALIDADE DE UNIR TODAS AS ATIVIDADES QUE JÁ SÃO DESENVOLVIDAS NA CIDADE EM UM ÚNICO LOCAL, COM UMA ESTRUTURA ADEQUADA E SEGURA. BUSCANDO TRAZER PARA TODA A POPULAÇÃO UMA MELHOR QUALIDADE DE VIDA

IMPLANTAÇÃO SETORIZADA ESCALA 1/275

TRABALHO FINAL DE GRADUAÇÃO - 2019 DISCENTE: LETÍCIA STEPHANIE DOS S. PIMENTEL ORIENTADOR: PROFª MARIANA PETRUCELLI PIRES COORDENADOR DE GRADUAÇÃO: PROFº MS FERNANDO NETO


ASSUNTO: IMPLANTAÇÃO E LEGENDAS FOLHA: 2/6


PLANTA HUMANIZADA - BLOCO 03

PLANTA TÉCNICA - BLOCO 03 ESCALA 1/50

TRABALHO FINAL DE GRADUAÇÃO - 2019 DISCENTE: LETÍCIA STEPHANIE DOS S. PIMENTEL ORIENTADOR: PROFª MARIANA PETRUCELLI PIRES COORDENADOR DE GRADUAÇÃO: PROFº MS FERNANDO NETO


PLANTA TÉCNICA/HUMANIZADAQUIOSQUE

ESCALA 1/50

SALA DE MÚSICA

RECEPÇÃO

ASSUNTO: TÉCNICAS E HUMANIZADAS FOLHA: 3/6


PLANTA HUMANIZADA- BLOCO 01

PLANTA TÉCNICA - BLOCO 01 ESCALA 1/50

TRABALHO FINAL DE GRADUAÇÃO - 2019 DISCENTE: LETÍCIA STEPHANIE DOS S. PIMENTEL ORIENTADOR: PROFª MARIANA PETRUCELLI PIRES COORDENADOR DE GRADUAÇÃO: PROFº MS FERNANDO NETO


PLANTA TÉCNICA/ HUMANIZADA VESTIÁRIOS ESCALA 1/50

PLANTA TÉCNICA/ HUMANIZADA SANITÁRIOS ESCALA 1/50

ASSUNTO: TÉCNICAS E HUMANIZADAS FOLHA: 4/6


PLANTA HUMANIZADA - BLOCO 02

PLANTA DE COBERTURA ESCALA 1/275

CORTE AA ESCALA 1/275

CORTE BB ESCALA 1/275

TRABALHO FINAL DE GRADUAÇÃO - 2019 DISCENTE: LETÍCIA STEPHANIE DOS S. PIMENTEL ORIENTADOR: PROFª MARIANA PETRUCELLI PIRES COORDENADOR DE GRADUAÇÃO: PROFº MS FERNANDO NETO


PLANTA TÃ&#x2030;CNICA- BLOCO 02 ESCALA 1/275

ASSUNTO: COBERTURA E CORTES FOLHA: 5/6


VISTA SUPERIOR - ESPORTE E LAZER

PISTA COOPER

PISTA DE SKATE TRABALHO FINAL DE GRADUAÇÃO - 2019 DISCENTE: LETÍCIA STEPHANIE DOS S. PIMENTEL ORIENTADOR: PROFª MARIANA PETRUCELLI PIRES COORDENADOR DE GRADUAÇÃO: PROFº MS FERNANDO NETO


QUADRA POLIESPORTIVA

FACHADA PRINCIPAL

PÁTIO CENTRAL

ASSUNTO: IMAGENS FOLHA: 6/6


Profile for lpimentel2802

TFG UNIMAR 2019 - CENTRO CULTURAL INTEGRADO  

O Centro Cultural Integrado é destinado a proporcionar aos moradores de Vera Cruz um ambiente onde possam desenvolver atividades educativas,...

TFG UNIMAR 2019 - CENTRO CULTURAL INTEGRADO  

O Centro Cultural Integrado é destinado a proporcionar aos moradores de Vera Cruz um ambiente onde possam desenvolver atividades educativas,...