Issuu on Google+

Núcleo de Projeto Social Educação de Jovens e Adultos

Junho de 2012

1


2


A EQUIPE Direção Geral: Alexandre Abbatepaulo

Assessoria Educacional: Ruth Alicke Broggin

Direção Educacional: Karyn Bulbarelli

Direção de Unidade: Educação Infantil: Márcia Sprenger Dalla Stella Ensino Fundamental I: Maria Cecília Oliva Perez Ensino Fundamental II: Antonio Sérgio Pfleger de Almeida Ensino Médio: Wagner Cafagni Borja

Educadores do Núcleo de Projeto Social Lourenço Castanho Educação Infantil e Ensino Fundamental I: Virgínia Alice Barros Pereira e Stefano Bigotti Ensino Fundamental II: Kadine Teixeira Lucas e Juan Carlos Ramirez Mondejar Ensino Médio: Tiago Pinto Ferreira

EJA – Educação de Jovens e Adultos Lourenço Castanho: Coordenação: Miguel Castilho Jr.

Capa: Victória Guelli Ambrósio - 2ª série B Ação: Construção casas emergência na comunidade Espama, Pirituba.

3


“Os alunos acreditaram no projeto e estão extremamente envolvidos e satisfeitos com as vivências e trocas que estão obtendo”. Tiago Pinto Ferreira, educador do NUPS Ensino Médio

O NUPS A criação do Núcleo de Projetos Sociais ocorreu a partir da ideia de elaborar um projeto sociocultural que possibilitasse a integração e a troca de saberes de jovens de diferentes classes e realidades sociais. O NUPS pretende estimular a conscientização sobre o desigual quadro socioeconômico de São Paulo e do Brasil, contribuindo para a formação dos alunos no sentido de despertá-los para questões sociais e para a importância da participação dos mesmos no processo de transformação e desenvolvimento da sociedade.

4


“O NUPS está proporcionando aos alunos a possibilidade de convívio com realidades distintas na qual existe uma oportunidade efetiva de aprendizado, contribuindo para uma sociedade mais disposta a reconhecer e aceitar diferenças”. Wagner Cafagni Borja, Diretor da Unidade do Ensino Médio.

5


MÃOS NA MASSA Educação Infantil e Ensino Fundamental I “É uma semente, queremos despertar nas crianças algo que vai acompanhá-las sempre: a percepção do outro.” Virgínia Alice Barros Pereira, educadora do NUPS Educação Infantil e Ensino Fundamental I.

LANCHE SOLIDÁRIO A Escola Lourenço Castanho acredita que o conceito de responsabilidade social deve fazer parte de seu projeto pedagógico e deve ser vivenciado de maneira ampla pelos alunos. Por isso, as crianças da Educação Infantil já são protagonistas dos trabalhos sociais. Elas trazem maçãs, leite em pó e ingredientes para preparar sanduíches e bolos, que são enviados às entidades atendidas pela escola. Carinhosamente conhecido na Escola como “Lanche Solidário”, a atividades faz parte do nosso Núcleo de Projeto Social desde 2003.

6


ATIVIDADE DE INTEGRAÇÃO COM CRIANÇAS ASSISTIDAS PELA ASSOCIAÇÃO MARIA HELEN DREXEL Como parte integrante das ações planejadas para a Campanha de Páscoa de 2012, os alunos do Infantil II visitaram um dos lares da Associação Maria Helen Drexel, que abriga 70 crianças e adolescentes em condição de risco. Foram realizadas atividades de integração que permitiram a aproximação e a interação das crianças das duas instituições. Sob a orientação do Professor Stefano Bigotti, os alunos realizaram atividades físicas, fizeram um lanche conjunto e, pensando desde cedo na questão da sustentabilidade, recolheram o lixo de forma seletiva, uma vez que a Associação também tem um trabalho voltado para a reciclagem do lixo.

“Essa troca nos traz oportunidades de igualar questões sociais que muitas vezes o sistema contém. A troca foi além de questões sociais, trocamos experiências, oportunidades, carinho, amor e SOLIDARIEDADE. Obrigada, Lourenço Castanho, por formar em suas crianças um futuro melhor”. Roberta Lund, Presidente da Associação Maria Helen Drexel.

7


APRENDENDO A RESPEITAR A Lourenço Castanho integra desde 2011 o movimento A Corrente do Bem, que tem como ideia central mostrar que boas ações são simples, rápidas, divertidas e têm um enorme potencial de transformar positivamente a sociedade. Para celebrar o Dia Mundial da Boa Ação, professoras, pais e alunos da Educação Infantil voltaram suas ações para atitudes gentis, conscientes e cidadãs no trânsito, sobretudo no que se refere ao entorno da escola. Pais e alunos produziram, juntos, imagens, desenhos, palavras, cartazes e maquetes representando iniciativas que demonstram a importância do respeito às regras. Os trabalhos fizeram parte de uma exposição, que ganhou maior significado com a ida das crianças à frente da Escola para observação da sinalização existente.

8


CRIANÇAS DO PRÓ-SABER - ESPAÇO NOSSA CASA DE PARAISÓPOLIS VISITAM A LOURENÇO Em abril, os alunos do Pró-saber - Espaço Nossa Casa de Paraisópolis - visitaram a Lourenço Castanho em mais uma ação promovida pelo NUPS. Foi um dia muito especial para os integrantes das duas instituições. Recepcionadas por Professores e Coordenadores das duas Unidades, as crianças do Pró-saber visitaram as instalações da Escola, conheceram funcionários e alunos, brincaram nos espaços de recreação e realizaram um lanche coletivo oferecido pelos alunos da Lourenço. Em seguida, dirigiram-se à biblioteca onde participaram de uma atividade de contação de histórias. Depois, nas quadras de esportes, realizaram atividades físicas e lúdicas, com brincadeiras como “pife-pafe” e “vivo ou morto”, orientadas pela equipe da área de Educação Física. No encerramento, os ovos arrecadados na Campanha de Páscoa 2012 foram entregues aos responsáveis da Instituição.

“Queremos unir responsabilidade social e aprendizado. Um ponto a destacar é que os alunos, tendo essas vivências, tendo contato com outras realidades, tornam-se mais críticos quando adultos”. Professor Stefano Bigotti, Educador do NUPS - Educação Infantil e Fundamental I.

9


“É a oportunidade de conhecer o outro lado, abrindo uma porta para as escolas. O maior feito, para nós, é poder contribuir com o conhecimento.” Marcos Magalhães, artista plástico.

ATIVIDADE ARTÍSTICA UNE ALUNOS DA LOURENÇO CASTANHO E DA ESCOLA ESTADUAL MARTIM FRANCISCO Proporcionar experiências que formem cidadãos conscientes, críticos, capazes de romper as barreiras sociais. Pensando nisso, a Lourenço Castanho e a Martim Francisco participaram, em maio, do Projeto Atelier da Vila Nova. A partir de uma apresentação conceitual sobre o estilo, as formas e as cores que caracterizam as obras dos pintores Di Cavalcanti, Vincent Van Gogh e Jackson Pollock, o artista plástico Marco Magalhães coordenou sessões de pintura coletiva que envolveu alunos das duas escolas. As 37 obras produzidas ficaram em exposição no atelier de Marco Magalhães. Por um valor simbólico, as obras foram adquiridas por pais e vizinhos das escolas, e a importância arrecadada está sendo utilizada na reativação da biblioteca da Martim Francisco, fechada desde o início do ano letivo 2012. Em outra iniciativa do NUPS do Ensino Fundamental I, celebrando o Dia Mundial da Boa Ação, foram arrecadados 1.104 livros, que também serão empregados na reativação da biblioteca da escola vizinha.

10


“Foi uma experiência bacana, no início nós nos estranhamos, pois não conhecíamos o espaço, mas acabamos fazendo novos amigos. Contamos coisas novas um para o outro, conseguimos interagir e, nos trabalhos, fizemos ao gosto de todo mundo.” Sofia Toledo, aluna do 5º ano da Lourenço Castanho

“Eles usaram os artistas (que nós apresentamos como referência) de uma forma super livre. Tentamos aproximá-los ainda mais da arte, mas aqui outras proximidades aconteceram. Não só a da arte, mas de duas realidades diferentes, a do público e a do privado. As diferenças entre eles desapareceram. Eles se entrosaram e conseguiram trabalhar muito bem”. Aluíse Coutinho, professora e colaboradora do projeto.

11


Ensino Fundamental II “A literatura é um direito de todos, faz uma grande diferença na vida de qualquer ser humano”. Ariadne Olímpio, professora de Língua Portuguesa da Lourenço Castanho.

ALUNOS DO FUNDAMENTAL II MONTAM BIBLIOTECA PARA CRIANÇAS DO LAR SÃO TIAGO. Os alunos do NUPS do Ensino Fundamental II, o “Nupinho” como é internamente conhecido, trabalhou nos primeiros dias do mês de março, no projeto de montagem de uma biblioteca no Lar São Tiago, abrigo que acolhe crianças cuja guarda foi retirada dos pais. A ideia partiu dos próprios alunos envolvidos na oficina de Projetos Sociais, que ocorre às sextas-feiras, no Ensino Fundamental II, e envolveu todos os integrantes da Unidade. O resultado do trabalho pôde ser acompanhado no dia 21 de abril, quando os alunos visitaram o Lar São Tiago. Eles organizaram e montaram uma biblioteca com cerca de 3 mil títulos dos mais variados gêneros. Os professores Pedro Haddad, de Teatro e Ariadne Olímpio, de Língua Portuguesa, acompanharam a visita e envolveram as crianças das duas instituições, realizando atividades pedagógicas como leitura de livros, desenhos, definições poéticas e encenações de alguns momentos das histórias. No dia da visita, os alunos Felipe Ioshpe e Gabriella Souza foram repórteres por um dia e auxiliaram na cobertura do acontecimento. Confira no destaque os textos produzidos por eles.

“Um dos momentos que mais gostei foi quando eles fizeram uma apresentação de boas-vindas”. Felipe Ioshpe, aluno do 8º ano.

12


“Queremos dar mais do que auxílio material, buscamos uma troca verdadeira entre alunos”. Professor Juan Carlos Ramirez Mondejar, educador do NUPS do Ensino Fundamental II.

NUPS visita o Lar São Tiago – por Gabriella Souza, aluna do 9˚ano. No último sábado, dia 21 de abril, o NUPS do Fundamental 2, juntamente com os professores Juan, Ariadne e Pedro, foi ao Lar São Tiago, um abrigo para crianças órfãs ou crianças que não puderam continuar com suas famílias por questões legais. Esse abrigo se situa na divisa da cidade de São Paulo com a cidade de Itapecerica da Serra. A visita teve como objetivo a montagem de uma biblioteca no Lar. Os livros utilizados na biblioteca, cerca de 3 mil, foram doados por alunos do Fundamental 2 da escola. As crianças do Lar estavam muito animadas com a montagem da biblioteca. A diretora do Lar disse que as crianças, com certeza, aproveitarão a biblioteca, pois elas gostam muito de ler. “Vou aproveitar muito. Gosto muito de ler”, disse Kaique, 9, confirmando a fala da diretora. O entusiasmo não era apenas das crianças do Lar; os alunos e professores da escola também estavam ansiosos com a montagem da biblioteca e tinham grande expectativa em relação à visita. Após a montagem da biblioteca, já se viam crianças do Lar, juntamente com alunos da Lourenço, lendo e se divertindo com os livros. “Assim como a comida e a moradia, o livro também é um direito do ser humano”, comentou a professora Ariadne Olímpio, de Língua Portuguesa. “Depois de ver que existe uma realidade tão diferente da nossa, vou começar a pensar diferente, vou pensar nas pessoas que têm uma vida bem diferente da nossa”, disse o aluno do 9˚ano da escola, Thomas Carvalho, ao sairmos do Lar São Tiago. A visita agradou tanto aos alunos da escola quanto às crianças do lar.


Visita ao Lar São Tiago - Por: Felipe Ioshpe, aluno do 9º ano. No último sábado, 21 de abril, o NUPS (Núcleo de Projetos Sociais) do Ensino Fundamental II visitou o abrigo Lar São Tiago para crianças. A visita foi uma das atividades para os alunos da oficina de Projetos Sociais, planejada pelo professor Juan Carlos Ramírez. Esta instituição já tem uma história com a escola. Por volta de 1990, a escola ajudava a instituição e, em 2011, o Lar ligou para a Lourenço, pedindo ajuda. Foi então que o professor Juan achou que visitar o Lar São Tiago seria uma excelente oportunidade para os alunos da oficina bem como para as crianças do Lar. “É uma experiência importante, gera um sentimento bom. É uma das únicas maneiras que uma criança tem de ajudar o outro”, disse Isabella Iervolino, 13, do oitavo ano da Lourenço. Além dessa visita, o grupo de Projetos Sociais do Fundamental II já havia visitado o Lar em dezembro do ano passado, acompanhado da Cássia, professora de música, para fazer uma atividade interativa musical, com máscaras de grafite para divertir as crianças e também distribuir roupas arrecadadas pelos alunos de toda a escola como presentes de Natal. Neste ano, os alunos arrecadaram um alto número de livros (cerca de 3 mil), e montaram uma biblioteca no abrigo. Além da biblioteca, o professor de Teatro da escola, Pedro Haddad, propôs uma atividade teatral que dialogava com a atividade proposta pela professora de Língua Portuguesa, Ariadne Olímpio. “Gosto das visitas de vocês. No ano passado, gostei muito dos desenhos (máscaras). Também gosto de ler, principalmente gibis. Estou feliz pela biblioteca”, disse Guilherme, 11, do Lar São Tiago. Visitar o Lar foi uma experiência única. As crianças, tanto as do Lar quanto as da escola, participaram de diversas atividades e brincadeiras e o dia passou rápido. Acredito que, como eu, muitos estejam ansiosos para a próxima visita.

“A montagem da biblioteca facilita o aprendizado, trazendo o material necessário para estudo. Além de possibilitar uma troca essencial, mostrando que não há diferença entre eles”. Maria Aparecida, Diretoria do Lar São Tiago.

14


FANZINE DO NUPINHO Em uma oficina de fanzine, nossos alunos aprenderam a construir a revista e o sentido de sua publicação. Assim, produziram um primeiro número, cujo tema foi “diversidade e igualdade social”, com o objetivo de divulgar a mensagem do NUPS, em nossa comunidade escolar.

GENTILEZA GERA GENTILEZA Os alunos observaram a diversidade humana presente no centro da cidade de São Paulo. Distribuíram flores e mensagens de solidariedade aos transeuntes e trabalhadores e intervieram no cotidiano agitado das pessoas. A vivência proporcionou uma interação cheia de emoções e de trocas inesquecíveis.

15


VISITA AO CENTRO EDUCACIONAL UNIFICADO DE PARAISÓPOLIS Durante a visita que fizeram ao CEU, instalado em Paraisópolis, os alunos puderam reconhecer a importância e a qualidade dos equipamentos públicos para a educação dos jovens e para promoção do desenvolvimento das comunidades carentes. Centro de referência, o CEU promove atividades educacionais esportivas, culturais e recreativas para todos os moradores do local.

CASA DE ESTEVÃO CONCEIÇÃO - O GAUDI BRASILEIRO A Rua Herbert Spencer é das mais visitadas em Paraisópolis. Lá vive Seu Estevão, um homem simples e muito talentoso. Os alunos conversaram com o artista, que fez de sua casa simples um pequeno castelo de paredes decoradas com porcelanas, rádios, telefones, relógios, garrafas de champanhe, copos de chope, pires e xícaras, formando belos mosaicos.

VISITA AO LAR SÃO TIAGO No final do ano letivo de 2011 foi realizada a primeira visita do Nupinho ao Lar São Tiago. Marcada pela troca de experiências com as crianças da instituição, por meio de workshops ministrados pelos alunos e da entrega de presentes arrecadados na campanha realizada pelos próprios alunos durante as últimas semanas de aulas no Fundamental II, a experiência serviu para demonstrar, entre várias coisas, o grande poder de mobilização dos jovens que participam do projeto.

16


Ensino Médio UM TETO PARA O MEU PAÍS

Na sua quarta ação conjunta, a Escola Lourenço Castanho e a ONG Um Teto Para o Meu País, pioneiras nessa iniciativa, realizaram mais uma construção, dessa vez na comunidade Espama, em Pirituba. Idealizado pela ONG, a iniciativa está presente em vários países da América Latina e desde 1997, constrói casas de emergência e executa planos de habilitação social para pessoas que vivem em estado de extrema pobreza. Os alunos do NUPS Ensino Médio participam, desde 2010, das ações que envolvem o processo Teto: reuniões e palestras de preparação e pesquisa socioeconômica nas comunidades atendidas pelo projeto; debate sobre a experiência envolvendo alunos da Lourenço e de outras escolas; construção das casas de emergência nas comunidades carentes, em sistema de mutirão; pintura e confraternização com as famílias beneficiadas; elaboração de registros sobre as diferentes atividades. O objetivo dessa atividade é diminuir a distância entre pessoas que vivem em contextos diversos, proporcionando aos alunos imergirem em uma realidade muito distante deles. O resultado é uma significativa troca de experiências e o desenvolvimento, pelos jovens, de ações sociais em comunidades menos favorecidas, desmistificando, a partir do trabalho voluntário, o que significa viver em uma favela.

17


“São muitas observações e sentimentos que nos tocam e fazem pensar que é preciso mudança. É preciso menos segregação, mais comunicação, mais interação, mais oportunidade”. Maria Elisa Savaget, aluna do Ensino Médio, sobre a enquete massiva, primeira etapa do processo Teto.

“Não imaginei que a situação das pessoas daquela comunidade pudesse ser tão precária. Poder ajudar foi fantástico, amei passar pela experiência de me relacionar com os moradores e poder dar a eles um maior conforto com as novas moradias. O carinho deles, a atenção deles nos motivaram enquanto estivemos lá embaixo da chuva e da lama.” Julia Meirelles, aluna da 3ª série de 2011, sobre a construção daquele ano.

18


“Me senti extremamente feliz ao ajudar na construção das moradias e ter contato com as pessoas da comunidade. Ninguém estava ali trabalhando forçado, estávamos todos unidos pela mesma ideia. Os próprios moradores nos ajudavam também. O nosso grupo ficou muito unido, a experiência foi transformadora e gratificante.” Isabela Oliveira, aluna da 3ª série de 2011, sobre a construção daquele ano.

19


A BANCA A Banca é uma ONG que desenvolve projetos culturais no Jardim Ângela. Em conjunto com os alunos do NUPS são elaboradas discussões e reflexões sobre cultura urbana, participação em seminários sobre juventude e infra-estrutura urbana, produção de músicas, fanzines, grafite e stencil.

“E quando estas duas propostas passaram a ter um fim muito maior que somente o esporte e o jogo em si, ou o simples ensinamento sobre artes e idiomas, envolvendo uma troca de experiências e conhecimentos de dois públicos distantes e próximos ao mesmo tempo, ela passou a ser ainda mais ousada, muito mais valiosa e empolgante.” Fabrício Kobashi de Faria, Presidente da ONG RUGBY Para Todos.

PROJETO RUGBY PARA TODOS O Instituto Rugby Para Todos tem como objetivo difundir a modalidade esportiva e colaborar para a educação e formação de crianças e jovens por meio da integração social pelo esporte. Com a presença dos nossos alunos na comunidade, logo surgiu a ideia e o desejo de ampliar as iniciativas. Como consequência, oficinas de música, inglês, teatro e o que mais os alunos do NUPS tivessem em suas bagagens para ensinar foram implantadas.

20


MONTE AZUL, CASA DO ZEZINHO E ESCOLA ESTADUAL HONÓRIO MONTEIRO. As ações desenvolvidas pelo NUPS compreendem momentos de integração, troca de experiências e produção artística.

“Há dez anos desenvolvemos atividades de hip-hop e grafite aqui na ‘quebrada’. Nunca havíamos feito oficinas em escolas particulares. Está sendo um intercâmbio muito maneiro. Além disso, fazemos saídas e organizamos seminários de discussões, que integram os jovens e promovem a troca de ideias e a reflexão.” Márcio Teixeira, conhecido como Macarrão, um dos coordenadores da ONG.

21


O EJA

No início de 1994, a direção da Lourenço Castanho em parceria com o SENAI, propôs a criação e instalação de uma sala de aula do Curso de Educação para Jovens e Adultos na Martim Francisco, instituição pública vizinha da nossa unidade de Ensino Fundamental II. Uma professora foi contratada pela Lourenço Castanho e a linha metodológica seguida foi a do Telecurso 2000 - 1º Grau, associação entre a Rede Globo e o SESI/SENAI. A Escola equipou a sala de aula com TV, vídeo, antena parabólica e o material didático necessário para o desenvolvimento das aulas. O curso foi concebido inicialmente para atender aos funcionários da Lourenço Castanho que quisessem dar continuidade aos estudos. Iniciou com um grupo de 70 alunos formado por porteiros, faxineiros e outros funcionários da escola, além de outros alunos que trabalhavam nas proximidades. As aulas aconteceram durante um ano, no prédio da escola estadual e, já no ano seguinte, o curso estava nas dependências da Lourenço Castanho, ocupando uma das salas do prédio do Ensino Fundamental II. Nos anos seguintes, a procura do curso de educação para jovens e adultos aumentou consideravelmente e, atualmente, ele conta com cerca de 150 alunos regularmente matriculados. Atualmente o nosso EJA conta com 8 classes, denominadas FASES, que vão desde a alfabetização até o Ensino Médio.

22


“Além de promover o aprendizado do conteúdo nas disciplinas do currículo dos Ensinos Fundamental e Médio, nosso principal objetivo é contribuir para a formação geral do aluno como cidadão, oferecendo um ensino que acrescente algo ao que eles já sabem. Visamos promover condições para que possam conviver com outras pessoas e trabalhar em conjunto com elas.” Miguel Castilho Júnior, Coordenador do EJA Lourenço Castanho.

23


SER VOLUNTÁRIO Há mais de 15 anos, a Lourenço Castanho atua na área social com o Curso de Educação de Jovens e Adultos (EJA), oferecido à comunidade de forma gratuita. Hoje, com quase 10 vezes mais alunos do que em 1995, a Escola continua investindo na educação e qualificação de pessoas que não puderam estudar na época adequada. Até agora, mais de 1500 trabalhadores, entre empregadas domésticas, faxineiros, porteiros, frentistas, zeladores e outros, passaram por nossos bancos e conseguiram um certificado de conclusão de 1º e 2º graus, sendo que vários deles chegaram até o curso superior. Para que esse trabalho continue crescendo, contamos com a ajuda de alunos do curso regular, pais de alunos, professores da escola e amigos, que se dispõem a contribuir voluntariamente no processo de ensino aprendizagem de nossos alunos. Para esse tipo de trabalho, assim como para qualquer atividade voluntária, são necessários COMPROMISSO E COMPROMETIMENTO com o curso e com os nossos alunos, já que eles dependem exclusivamente da dedicação, disposição e disponibilidade de pessoas, como vocês, que pretendem se envolver na construção de uma sociedade mais justa e digna. Seja um voluntário no EJA da Lourenço Castanho e contribua para a formação desses jovens e adultos. Agende uma visita e venha conhecer nossos projetos. Você verá que um pouco de seu tempo disponível poderá se transformar em tempo de vitória para muitos cidadãos brasileiros e de crescimento pessoal. Entre em contato com o EJA pelos telefones 3842.5374 ou 3049.5374, a partir das 17h, com Rose ou Miguel.

24


PROJETOS E ATIVIDADES EJA Buscando uma formação integral qualificada, através do desenvolvimento das habilidades e competências relacionadas ao aprimoramento do conhecimento cultural e social de nossos alunos, o EJA - Lourenço Castanho proporciona uma diversidade de atividades extracurriculares, planejadas e desenvolvidas pelos professores. Os projetos elaborados nas aulas de Artes e História das Artes exemplificam com exatidão nosso objetivo. Os alunos têm a oportunidade de se relacionar com as obras, assim como conhecer seus artistas. Através da interpretação e da leitura, o estudante é capaz de reproduzir essas obras, criando para si um significado próprio, uma vez que carrega uma gama de aspectos vivenciais totalmente diferenciados da realidade presenciada por ele. Em busca do equilíbrio entre homem e natureza, buscamos, através de projetos fora da sala de aula, sensibilizar nossos alunos para a preservação e respeito ao meio ambiente naturais, através dos estudos do meio para o PETAR e Ilha do Cardoso. Os cuidados com os patrimônios históricos e culturais também são enfatizados com maciça expressividade, procurando despertar nos estudantes uma conscientização do universo cultural e da natureza que os cercam.

25


Veja mais informações e imagens nos Blogs do NUPS: Fundamental II – nupinholc.blogspot.com.br

Ensino Médio – blognups.blogspot.com Ensino

26


27


28

www.lourencocastanho.com.br


Revista NUPS 2012