Page 1

MOSTRA DE ARTE E CULTURA Lourenço Castanho 2011

Imagem: trabalho ‘Teatro de Bonecos’ - Artes Cênicas - 5o Ano.

Educação Infantil, Ensino Fundamental I e Educação de Jovens e Adultos


PISO SUPERIOR

MAPA DA MOSTRA Sala 103 Artes Visuais e Música Infantil I e II

PISO INFERIOR Sala 101 Artes Visuais 4º Ano

Sala 102 Projetos Infantil II

Sala de Projetos Quadra

Música 1º Ano

Projetos Educação Infantil

Pátio Coberto

Biblioteca Artes Cênicas 5º Ano

Artes Visuais 1º Ano

Aula do Movimento 1º e 2º Ano

Lab. Informática 1

Cantina

2

EJA

Sala 01

Corredor de Acesso

Sala de Expressão

Artes Visuais 2º Ano

Sala 02

Quadra Pátio Coberto Artes Visuais - 3º Ano Sala 04 Sala 03

Fraldário

Projetos Educação Infantil


MOSTRA DE ARTE E CULTURA Educação Infantil, Ensino Fundamental I e Educação de Jovens e Adultos É preciso aprender a usar os sentidos, neles confiar, usar a inteligência, bom senso, criatividade, ouvir a intuição. É preciso ousar, acreditar, correr riscos. Em sua natureza poética e pedagógica, a arte nos ensina a tomar posse de nossa totalidade, mostrando o possível convívio entre as diferenças. É essencialmente vivencial, humanizadora e ampliadora de horizontes.

O Ensino da Arte na Educação Infantil ....................... Projetos | Quadra ....................... MINI MATERNAL - F | MATERNAL I - A ............................. MATERNAL I - B e C ............................. MATERNAL I - F e G ............................. MATERNAL I - H | MATERNAL II - A ............................. MATERNAL II - B e C ............................. MATERNAL II - F e G ............................. MATERNAL II - H ............................. INFANTIL I - A e B ............................. INFANTIL I - C e F ............................. INFANTIL I - G ............................. INFANTIL I - H ............................. INFANTIL II - C e F ............................. Projetos | Sala 102 ....................... INFANTIL II - A e B ............................. INFANTIL II - G ............................. Artes Visuais e Música | Sala 103 ....................... INFANTIL I E II .............................

04 06 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 18 19 20 20

Arte no Ensino Fundamental I ....................... Artes Visuais | Sala de Expressão | 1o ano ....................... Artes Visuais | Pátio Coberto ....................... 2o ano ............................. 3o ano ............................. Artes Visuais | Sala 101 | 4o ano ....................... Artes Cênicas | Biblioteca | 5o ano ....................... Música | Sala de Projetos | 1o ano ....................... Aula do Movimento | Sala 01 | 1o e 2o ano .......................

23 24 25 25 26 27 28 29 30

Educação de Jovens e Adultos | Corredor de Acesso ....................... 31

3


O ensino da Arte na Educação Infantil O ensino da Arte na Educação Infantil tem início no Maternal, dentro dos projetos de trabalho, articulando os temas explorados na classe, inseridos na rotina do aluno. Desse modo a Arte, aparece de forma indeterminada, não se restringindo apenas a aulas no atelier, mas permeando todas as atividades que compõem a rede do projeto pedagógico. No Infantil, a Arte continua integrada aos projetos de trabalho desenvolvidos pelas professoras de classe, porém, além de contribuições aos projetos, têm início aulas em que são desenvolvidos exercícios específicos apresentando aos alunos as diferentes linguagens artísticas. Esses exercícios acontecem no ateliê e brincadeiras funcionam como metodologia de ensino. A brincadeira espontânea é a manifestação mais autêntica da criança e incorporá-la como método de trabalho significa acolher a expressão da criança em sua forma mais pura, em que aparecem seus verdadeiros interesses, questões, sua forma de descobrir e interpretar o mundo. A questão chave que permeia o processo do ensino da Arte é o desvendamento dos sistemas e códigos inerentes às linguagens artísticas de acordo com as fases de desenvolvimento da criança. Através da ordenação e reordenação de elementos expressivos no desenho, na escultura, na expressão corporal, na música, a criança exercita ao mesmo tempo a organização de seu universo simbólico e de elementos que, a cada dia, se incorporam ao seu repertório de experiências. Ela obtém múltiplas combinações e amplia progressivamente as possibilidades de se comunicar e se expressar com segurança e liberdade. Isa Seppi Assessora de Arte Direção Geral: Alexandre Abbatepaulo | Direção de Unidade: Márcia Sprenger Dalla Stella | Coordenação de Série: Adriana Nobis, Lígia Ceriani Marino Ticianelli | Assistente de Direção: Luciana Maria Loreti Bolonha | Coordenação de Área: Fabiana Ferreira Queirolo | Assessoria de Arte: Isaura da Cunha Seppi | Professoras de Artes: Claudia Ferrari El Bayeh, Marina Pecci Jimenez | Professora de Música: Renata Facury Farias da Silva

4


5


Projetos | Quadra

NA FAZENDA DO MINI MATERNAL MINI MATERNAL - F O projeto surgiu durante o período de adaptação quando alguns alunos exploraram os livros sobre animais da fazenda. Encantados com os personagens, durante o ano, fomos estudando cada animal da história, conhecendo suas características e seus habitats. Dentre eles estavam: cachorro, carneiro, porco, gato, vaca e galinha. Confeccionamos cada animal usando sucata, cola, algodão, pena, diversos tipos de papéis, e assim produzimos a maquete da fazenda. Professoras: Amanda Ramos Siqueira de Bem e Marcela Andreolli de Carvalho.

TRANSPORTANDO MÚSICA MATERNAL I - A A exploração do ambiente, materiais e convívio em grupo possibilitaram a observação do interesse individual e coletivo dessa turma dinâmica e alegre. Diariamente, em diversos momentos, os materiais mais procurados pela maioria foram os que continham rodas: carros, caminhões, trens, entre outros. Em todas as atividades, os meios de transportes foram inseridos. Os carros passeavam por pistas delineadas com fitas. Os aviões, estudados a partir da observação das obras de Ivan Cruz: “Avião de papel” e “Aviãozinho de papel”, despertaram nos alunos a elaboração de dobraduras e o manuseio de jornais. Tudo foi apresentado com muita música, tornando a atividade desse processo mais alegre e atraente. Professoras: Andreza Varga Gomes de Lima e Camila Claro Guilger.

6


Projetos | Quadra

O QUE TEM NA FLORESTA? MATERNAL I - B O projeto “O que tem na floresta?”, partiu do interesse do grupo por histórias, em especial, a da “Lelé da Cuca”, personagem mediadora desse processo, que adora passear pela floresta. Buscamos, a partir de elementos naturais, proporcionar uma visita a essa floresta, despertando os sentidos, diferentes sensações e repensando o papel de cada um para a preservação da natureza. Professoras: Angélica Vieira da Silva e Ednéia Cristina Vageti Tuma.

DO MEU, AO SEU CONSTRUÍMOS O NOSSO MATERNAL I - C Esse trabalho é o resultado de um processo percorrido pelo grupo em que o objetivo foi trabalhar a união, proporcionar acolhimento e despertar o respeito entre todos, por meio das seguintes histórias: “A galinha ruiva”, “O pato atolado” e “O homem que amava caixas”. No painel existem as “marcas” da convivência e contribuição de todos. Professoras: Camila Pinheiro dos Santos Marani e Mariana Ferreira Ferolla.

7


Projetos | Quadra

EU CONHEÇO UM JACARÉ QUE GOSTA DE... MATERNAL I - F Figuras de jacarés foram confeccionadas pelas crianças com jornal, cola, revistas e foram pintadas com tinta guache dissolvida em água. Os animais foram representados em seu tamanho real (filhote e idade adulta). Caixas de ovos de codorna, cascas de abacaxi, papel crepon e colheres plásticas foram utilizadas para a finalização do trabalho. As crianças também produziram os ovos do jacaré com papel machê, o lago com pintura de tinta guache e cada um fez seu próprio jacaré de argila. Professoras: Talita Rodrigues Giovanini Cheurun e Angélica vieira da Silva.

ALÉM DAS HISTÓRIAS MATERNAL I - G Para representar as histórias ouvidas e “vividas” com o Lobo ao longo do ano, escolhemos “Os três porquinhos”, em que as crianças realizaram pinturas e colagens para construção das casas com palha, madeira e tijolo. Elas materializaram, dessa forma, um conto que foi apreciado pelo grupo. Professoras: Renata Pires Galvão e Fabiana Paula Lacerda.

8


Projetos | Quadra

UM MAR DE DESCOBERTAS MATERNAL I - H O Projeto surgiu a partir do grande interesse do grupo pelo “temido” tubarão cantado nas músicas da rotina. Dessa forma, conhecemos o tubarão “Bruce” e descobrimos suas características, seu habitat, o fundo do mar, e outros animais como: anêmonas e o peixe palhaço. As crianças produziram um painel referente ao fundo do mar com diferentes tons de tinta guache azul, pintaram os “espaguetes” de espuma que representam as anêmonas e fizeram o peixe palhaço utilizando a técnica de papel machê. Professoras: Bruna Tena Garcia Ricciardi e Roberta Pellegrino Gianotti Assalin.

VAMOS CONHECER AS ÁRVORES E CUIDAR DO NOSSO PLANETA MATERNAL II - A A ideia do trabalho surgiu a partir do tema desenvolvido pelo grupo sobre cuidado com o planeta e do livro trabalhado: “As 10 coisas que eu posso fazer para ajudar o meu planeta”. As estações representam estas ações que podem e devem ser feitas para a preservação do meio ambiente. Professoras: Carolina Laloni Gentil e Alana Dias Carvalho.

9


Projetos | Quadra

DA PRAIA AO FUNDO DO MAR MATERNAL II - B Descobrir os diferentes animais que vivem no fundo do mar, suas características e sua importância para a natureza foram alguns dos objetivos do projeto “Da Praia ao Fundo do Mar” que o Maternal II desenvolveu durante esse ano. Ao elaborar questões e buscar respostas em livros, filmes, imagens e observações de bichos reais, esse projeto favoreceu a postura de estudante nas crianças, desenvolveu suas habilidades comunicativas e de seu repertório na medida em que compartilharam as suas hipóteses e descobertas com os colegas nas rodas de conversa. Apresentamos alguns animais marinhos que foram confeccionados pelas crianças. Além de ter trabalhado com a percepção tátil, por meio da exploração de diferentes texturas e materiais, essa etapa do trabalho despertou a atenção para as características físicas dos animais estudados. Professoras: Vivien Figueiredo Pujol Yamamoto e Mariana Fini de Moura.

UM MUNDO DIFERENTE MATERNAL II - C “Brinquedo” montado pelas crianças sobre o desenvolvimento humano. Foram retratadas as características de cada faixa etária, as habilidades adquiridas com a passagem do tempo e as diferenças entre nós. Professoras: Marina Lima Zylberstajn e Adriana Bello da Silva.

10


Projetos | Quadra

O QUE A NATUREZA ME DÁ MATERNAL II - F Este projeto nasceu do grande entusiasmo e interesse das crianças em explorar elementos da natureza durante o recreio. Por meio de rodas de leitura, pesquisas, divertidas culinárias e degustação, as crianças aprenderam sobre alimentação saudável, reaproveitamento de alimentos e preservação do meio ambiente. Atividades como a produção de tintas com pigmentos naturais e a confecção de diferentes “jardineiras” possibilitaram aos alunos maior aproximação e respeito à natureza. Professoras: Camila Gomes Groppo e Maria Fernanda Tchalian.

CONHECENDO O FUNDO DO MAR MATERNAL II - G No início do ano, o livro “O que há no mar?”, lido pela professora dentro de uma cabana, montada com panos coloridos dentro da sala de aula, despertou a curiosidade e o interesse das crianças por esse tema. Assim surgiu o Projeto “Conhecendo o fundo do mar”. Conhecemos alguns animais que habitam esse ambiente como: peixe, caranguejo, tartaruga, tubarão. O resultado do trabalho foi um painel coletivo que confeccionamos, juntos, durante todo o ano! Professoras: Mariana Ferolla e Camila Claro Guilger.

11


Projetos | Quadra

BRINQUEDOS E BRINCADEIRAS CANTADAS MATERNAL II - H As imagens de Ivan Cruz foram apresentadas ao grupo, retratando os brinquedos e brincadeiras infantis. Por meio delas, as crianças puderam fazer sua “leitura”, ampliando o vocabulário, usando a imaginação e apreciando uma forma diferente de registrar fatos e momentos, sem ser por meio da fotografia. O objetivo de explorarmos as obras desse artista, em especial “a amarelinha”, foi o de ampliar o repertório imagético e cultural de nossos alunos. Realizamos algumas atividades inspiradas nessa obra, visando a enriquecer diferentes possibilidades na pintura e fornecendo novos elementos para produções artísticas do grupo. Passamos, então, a procurar as brincadeiras nas imagens de Ivan Cruz. Todos perceberam, curiosos, que já tinham brincado de algumas delas. Nas aulas de computação, em lições enviadas para casa, mais brinquedos e brincadeiras, os alunos mostraram que estavam envolvidos com tudo o que era ensinado em sala de aula e elegeram a brincadeira da amarelinha como uma de suas preferidas. Professoras: Bárbara de Sá Barreto e Tatiana Blanc Simões Sayegh.

12


Projetos | Quadra

UM MUNDO DE BRINCADEIRAS INFANTIL I - A A partir de pesquisas de diversas brincadeiras e exploração de alguns materiais que podiam se transformar em brinquedos, as crianças manipularam diferentes tipos de sucatas. Descobriram diferentes possibilidades de usá-las e criaram seus brinquedos, individualmente e de maneira criativa. Professoras: Fabiana de Oliveira Abu-Izze e Bruna Iza Ribeiro.

SOMOS TODOS IGUAIS? INFANTIL I - B O projeto surgiu do interesse dos alunos pelas descobertas do próprio corpo e pelas brincadeiras em grupo sugeridas pelas professoras. No decorrer do trabalho, as propostas deram ênfase à construção da identidade, ao respeito à diversidade, à valorização do grupo, às características do corpo humano, e ao incentivo à boa alimentação. Elas favoreceram as possibilidades expressivas e a percepção dos sentidos. Inspirado nas obras de Arcimboldo, o grupo construiu diferentes figuras humanas utilizando alimentos dos grupos da pirâmide alimentar. Professoras: Juliana Gomes Groppo e Bárbara de Sá Barreto.

13


Projetos | Quadra

MINHA SAÚDE, MEU CORPO INFANTIL I - C A partir de pesquisas, brincadeiras e atividades que envolveram movimentos e jogos corporais, trabalhamos as percepções sensoriais. Esse trabalho foi resultado de experiências relacionadas à percepção tátil, em que as crianças puderam escolher diferentes partes do corpo para marcar o tecido. Professoras: Carla De Marco Toyama e Fernanda Mora Lobato.

BRINCANDO DE CONTAR HISTÓRIAS INFANTIL I - F Brincando de contar histórias possibilitou às crianças a ampliação de seu repertório motor, cognitivo e afetivo através da realização de atividades lúdicas associadas às histórias trabalhadas. Os jogos de percurso favoreceram a exploração de dinâmicas do movimento, surgindo, assim, a proposta do Jogo de Trilha corporal. Professoras: Sheila de Moura Bignozzi e Fernanda Mora Lobato.

14


Projetos | Quadra

CASTELOS INFANTIL I - G O Projeto Castelos teve o objetivo de fazer com que as crianças entrassem em contato com diferentes contextos históricos e sociais. Neste trabalho, elas foram convidadas a estabelecer relações entre o que conheciam e vivenciavam no presente, com um mundo do qual ouviram falar por meio da leitura dos Contos de Fadas ou a que puderam assistir em filmes ou desenhos animados. Ao apresentarmos outra forma de viver e se relacionar em sociedade, um grande espaço foi aberto para que as crianças questionassem, buscassem respostas, sentissem interesse por esse outro tempo distante de nossa realidade. A ideia foi aproximá-los da história real da existência dos castelos. Ir além dos contos de fadas possibilitando que conhecessem outros aspectos de vida em um lugar e tempo diferentes, tais como construções, vestimentas e alimentação. Esse conhecimento sobre o tempo e a vida de pessoas diferentes favoreceu o trabalho com a diversidade cultural, que potencializou uma reflexão e o estabelecimento de relações em torno dos costumes, do modo de vida e das mudanças ocorridas com o decorrer do tempo histórico. Professoras: Juliana Gomes Groppo e Kamila Campos de Sá.

15


Projetos | Quadra

QUEM CONTA UM CONTO, AUMENTA UM PONTO. QUEM É VOCÊ NESSA HISTÓRIA? INFANTIL I - H O Projeto desenvolvido durante o ano proporcionou às crianças inúmeras experiências significativas de aprendizagem. Elas conheceram diferentes contos com dragões, bruxas, príncipes, princesas, reis, rainhas, fadas, duendes, piratas e sereias. Poder ouvir, dramatizar, pesquisar, contar, inventar histórias e criar os mais diferentes personagens foi muito divertido. Dividimos essa diversão com as crianças em: “Venha ser um desses personagens”. “Quem é você nessa história?” Professoras: Daniela Rosa Amado e Gláucia Camila do Carmo Verceze.

16


Projetos | Quadra

QUEM NASCEU DO OVO? INFANTIL II - C Ao tratar do Ano Internacional das Florestas, as crianças também se interessaram pela origem do mundo e dos seres vivos. Na classe, “surgiu” um ovo de Avestruz, em seguida as crianças mostraram-se interessadas pelos dinossauros. Descobriram que os dinossauros eram répteis e que nasciam do ovo. Passamos então a desenvolver o Projeto dos Répteis, em que a maioria deles nasce do ovo. Pesquisamos suas características e fizemos sua classificação em subgrupos da espécie. Professoras: Fátima Assumpção Ortenblad Nogueira e Camila Gomes Groppo.

PREDADORES COMEM CARNE INFANTIL II - F Começamos falando sobre a natureza e sua forma mais natural de predação! Houve um interesse muito grande sobre a extinção de animais e animais predadores. Iniciamos nosso trabalho fazendo uma votação para decidir quais animais iriamos estudar, pois eram muitos. Dinossauro, lobo, baleia, piranha e cobra naja, foram os escolhidos. A partir daí trilhamos nossas pesquisas, discussões e criações... Professoras: Karina Simas Vianna Nogara e Luciana Andreolli de Carvalho.

17


Projetos | Sala 102

NÃO POLUIR O PLANETA INFANTIL II - A Os alunos tiveram a ideia de fazer um vídeo falando sobre a preservação das florestas e sobre a poluição de nosso planeta. Construíram um caminhão de lixo feito de sucata. Professoras: Marisol Prieto Rodrigues Ramos e Luciana Andreolli de Carvalho.

AMAZÔNIA INFANTIL II - B O projeto surgiu a partir do tema: 2011 - Ano Internacional das Florestas. Após a pesquisa e apresentação de trabalhos, feitos pelas famílias, referentes à Floresta Amazônica, as crianças criaram fantasias com sucatas para representar animais e personagens do folclore brasileiro. Professoras: Virgínia Alice de Barros Pereira e Fernanda Ayres Kimura.

18


Projetos | Sala 102

MAS QUEM ESTÁ DE OLHO NA AMAZÔNIA? INFANTIL II - G O ano de 2011 foi declarado pela ONU como o Ano Internacional das Florestas e nós, educadoras, pensamos em desenvolver um projeto que mobilizasse nossos alunos e, principalmente, despertasse a consciência para uma causa tão importante. Com o objetivo de motivar o grupo para realizar descobertas e construir novos conhecimentos sobre o tema, iniciamos uma “aventura” pela Floresta Amazônica! Durante o ano, tivemos a companhia de “Juca”, um boneco ribeirinho, que trouxe informações sobre o seu povo e região. Essa experiência possibilitou ao Infantil II estabelecer semelhanças e diferenças entre a realidade vivida e a dos ribeirinhos, ampliando a visão de mundo de cada uma das crianças. Professoras: Liliani Marques e Fabiane Costa.

19


Artes Visuais e Música | Sala 103

ARTE, MÚSICA E NATUREZA INFANTIL I E II Observando as crianças, percebemos um interesse comum pela natureza e pelo Ano Internacional das Florestas. Pensamos, então, trabalhar esse tema de forma integrada com Artes Visuais e Música. Durante as aulas de Arte, promovemos o contato com trabalhos de diversos artistas que trabalham com materiais naturais. Iniciamos, com o Infantil II, uma pesquisa sobre materiais naturais, folhas, gravetos, sementes, pedras, entre outros. Foram desenvolvidos desenhos e esculturas com os elementos naturais. O trabalho com materiais naturais também ocorreu com as turmas de Infantil I. Como, o desenho é de grande interesse nessa faixa etária, começamos a desenhar na areia e, algumas vezes, usamos sementes e gravetos. Trabalhos efêmeros que foram capturados através da fotografia. Nas aulas de Música, o trabalho em relação à pesquisa de sons foi bastante intenso. Pesquisamos os sons do corpo, sons dos instrumentos musicais, sons do ambiente, sons de objetos diversos, culminando na transformação desses objetos em instrumentos musicais. Como eles podem ser utilizados de maneira a se tornaremn instrumentos, ou interessantes objetos sonoros? Exploramos cada objeto das mais variadas maneiras, pesquisamos como podemos associar dois ou mais materiais transformandoos em um, e descobrimos como fazer para que eles deixem de ser um simples objeto para servir de fonte sonora. Esse trabalho culminou numa grande instalação sonora. Juntamos as construções com materiais naturais do infantil II aos desenhos na caixa de areia do infantil I. O espectador poderá entrar em contato com essa produção que possibilita compartilhar as experiências vividas pelas crianças ao longo do projeto. Professoras: Claudia Ferrari El Bayeh, Marina Pecci Jimenez e Renata Facury.

20


21


22


Arte no Ensino Fundamental I No Ensino Fundamental I inicia-se um trabalho gradual de diferenciação das linguagens artísticas, visuais, musicais, cênicas e corporais e de identificação dos elementos que as constituem. Os aspectos formais da Arte, seus códigos próprios, são apresentados ao aluno de modo que ele possa transformá-los em vivência concreta através do fazer artístico que envolve simultaneamente as habilidades de sentir, pensar, fazer, construir, comparar, relacionar, selecionar, simbolizar, representar, expressar. Arte, portanto, é uma forma de conhecimento. Em sua natureza interdisciplinar, a arte promove a articulação entre o conhecimento que é específico das linguagens artísticas (estudo das cores, das formas, dos tamanhos, das proporções, das relações, da perspectiva, do som, do ritmo, do gesto expressivo, da cenografia, da construção de personagens, etc...) e o conhecimento de história, filosofia, geografia, psicologia, religião, ciência, tudo que faz parte do contexto em que a obra é criada. O ser humano é capaz de inventar e criar símbolos, ordenando e interpretando o mundo por meio de sistemas de representação e arte, necessidade atávica e patrimônio da humanidade. Por meio da arte se dá o acesso aos sentimentos e aos pensamentos das comunidades de qualquer época, povo, cultura ou país. Produzindo arte nos conhecemos melhor e melhor conhecemos o outro. No Ensino Fundamental I, o ensino da Arte baseia-se numa pedagogia de projetos de trabalho, que permite uma aprendizagem por meio da participação ativa dos educandos, vivenciando as situações-problema, refletindo sobre elas e tomando atitudes diante dos fatos. A escolha dos temas para os projetos tem como ponto de partida o universo do aluno, possibilitando assim um vínculo afetivo dele com o fazer artístico, com o espaço do atelier e com o professor, que atua nessa relação como um facilitador e estimulador do processo criativo. A avaliação em artes é compreendida como parte do processo de aprendizagem e, como tal, deve evoluir concomitantemente a ele, assumindo diferentes formas e procedimentos. A nosso ver, o processo é sempre prioridade durante o trabalho, entretanto encaramos o produto como resultado e reflexo deste processo. Ele deve ser igualmente avaliado, na forma da mostra que apresentamos para que os trabalhos possam ser compartilhados e apreciados por todos.

Direção Geral: Alexandre Abbatepaulo | Direção de Unidade: Maria Cecília Oliva Perez | Coordenação de Série: Marina Buckup Mariotto, Rosana da Silva Garcia Solha | Coordenação Pedagógica: Eliane Mantovani | Coordenação de Área: Fabiana Ferreira Queirolo | Assessora de Arte: Isaura da Cunha Seppi

23


Artes Visuais | Sala de Expressão

CAIXA DE HISTÓRIAS 1o ANO O projeto “Caixas de histórias” foi feito em parceria com as professoras de classe que conduziram a elaboração da história e sua escrita. A partir da história pronta, os alunos dramatizaram a sua história e representaram as cenas (personagens e cenários) em caixas de papelão, utilizando massinha, desenho, colagem, pintura e sucatas. Nesse semestre, os alunos também produziram esculturas com diferentes materiais como: papel jornal, papel alumínio, isopor, papelão, palitos de madeira, entre outros. Nas artes visuais, a escultura é uma linguagem tridimensional em que a forma se projeta no espaço nas 03 dimensões (altura, largura e profundidade), criando o volume. Assim, ela pode ser apreciada em vários ângulos. Professoras: Luciane Freua Gubeissi Sallum, Marisol Clari.

24


Artes Visuais | Pátio Coberto

ESCOLA DE SUPER-HERÓIS 2o ANO Nesse ano, foi desenvolvido um projeto denominado: “Escola de Super Heróis”. Ao longo do processo, os alunos criaram seus próprios heróis, elaboraram jogos e brincadeiras e fizeram desenhos e gravuras inspirados nos desafios dos personagens dos mitologemas: “Os doze trabalhos de Hércules”, “Minotauro” e de “Dédalo”, o grande arquiteto. O projeto para o segundo ano incluiu o desenvolvimento da expressividade dos alunos, por meio do aprimoramento de diferentes linguagens gráficas (desenho e gravura). Nas propostas de desenho, os alunos foram desafiados a explorar as diferentes qualidades das linhas incluindo a cor neste elemento, entre outras propriedades específicas do grafismo. Para o trabalho em gravura foram desenvolvidas técnicas simplificadas, adequadas a faixa etária em que se utilizam diversos materiais como base para as matrizes (placas de isopor, E.V.A. e barbante). Tais procedimentos permitiram uma variedade de intervenções gráficas ampliando o repertório artístico que por sua vez expande as possibilidades expressivas dos estudantes. Professora: Marisol Clari.

25


Artes Visuais | Pátio Coberto

GÊNEROS PICTÓRICOS 3o ANO Ao longo desse ano, os alunos dos 3os anos conheceram os principais gêneros de pintura da História da Arte, tais como retrato, paisagem e natureza morta e utilizaram diferentes técnicas em suas produções plásticas. Exploraram diversos procedimentos usando giz pastel oleoso, tintas e misturas de cores, recorte e colagem, modelagem em argila e apropriação de imagens fotográficas em trabalhos de observação, memória e invenção. Apresentamos um trabalho individual de cada aluno num grande painel que integra as experiências realizadas ao longo desse processo . Também apresentamos alguns trabalhos coletivos: “Retrato de grupo” são pinturas baseadas em fotografias de cenas elaboradas pelos alunos; “Paisagem infinita” é um painel interativo em constante transformação, por meio da inserção de novos elementos pelo público; “Retrato de quem?” são composições lúdicas inspiradas em retratos que podem ser (cuidadosamente) manuseadas pelos visitantes da exposição. Professoras: Fabiana Queirolo, Ana Mazzei.

26


Artes Visuais | Sala 101

ESCULTURA EM CENA 4o ANO Como conclusão das aulas de Artes Visuais, os alunos dos 4os anos apresentaram uma instalação coletiva formada por esculturas feitas de jornal, fita adesiva, gesso acrílico e tinta um trabalho que chamamos de “Escultura em Cena”. Cada aluno desenvolveu um boneco ou objeto, tendo como referência a obra do artista Alberto Giacometti (1901 – 1966). Nesse trabalho e no decorrer do ano, os alunos entraram em contato com elementos essenciais para o estudo de obras tridimensionais, conceitos como equilíbrio, simetria e volume promovendo o desenvolvimento da percepção sobre o objeto que ocupa o espaço físico tal como sua distinção da imagem bidimensional. Professora: Ana Mazzei.

27


Artes Cênicas | Biblioteca

TEATRO COM BONECOS 5o ANO Os alunos do 5o ano iniciaram o aprendizado da linguagem teatral tendo contato com as primeiras noções sobre técnicas de interpretação, análise crítica, expressão corporal e vocal, cenografia e sonoplastia. Vivenciando jogos teatrais, improvisações e exercícios diversos, puderam compreender os elementos que constituem essa linguagem e os mecanismos que possibilitam a montagem de um espetáculo teatral. No segundo semestre, vivenciaram a prática de uma das mais antigas e tradicionais manifestações da Arte popular, o “Teatro de bonecos”. Criaram uma peça desenvolvendo cada um dos elementos que a constituem essa arte. Passaram pela criação da narrativa, pela caixa cênica, iluminação, sonoplastia e principalmente o personagem (nesse caso, é um boneco) que ganha vida ao ser manipulado nas apresentações. Para a criação desses bonecos, apresentados nessa mostra, foram utilizados materiais como sucatas, papel machê, tinta guache e outros. Professora: Marisol Clari.

28


Música | Sala de Projetos

NOSSAS CANÇÕES 1o ANO No 1º ano, as práticas expressivas com voz têm grande espaço nas aulas de música e permitem que a criatividade e a exploração de diferentes recursos vocais desenvolvamse por meio da montagem de arranjos e de pequenas criações sonoras individuais e coletivas. Além disso, as letras das canções entoadas nas aulas de música também são trabalhadas, muitas vezes, nas atividades de classe voltadas ao processo de alfabetização. Professora: Marili Macruz.

29


Aula do Movimento | Sala 01

MOVI-MENTE 1o E 2oANO Na mostra cultural (dos 1os e 2os anos – manhã e tarde), serão exibidos quatro vídeos sobre a Aula do Movimento baseados nas apresentações que eventualmente ocorrem durante as aulas. Essas apresentações se fundamentam nos conceitos trabalhados em sala de aula com a diferença de que há certa preocupação e cuidado com o resultado. Para isso, o trabalho em grupo na construção de um objetivo comum torna-se fundamental. Quanto aos primeiros anos, o vídeo documentará o feitio das apresentações, como se organizam e as dificuldades que se tem em um trabalho que representa toda classe. Depois, documentará uma apresentação para as professoras de classe e suas auxiliares de forma lúdica e sem muita cobrança. Nos segundos anos, há de se buscar algo mais artístico e elaborado das imagens e movimentos produzidos. Os alunos terão a oportunidade de se familiarizar com técnicas da linguagem audiovisual para contar uma história, mesmo que sem palavras. Professor: Rodrigo Noronha.

30


Educação de Jovens e Adultos | Corredor de Acesso

“Arte para mim significa o espelho da vida, vista com outros olhos, por outros ângulos. É o sensibilizar com imagens que na maioria das vezes não conseguimos explicar. Arte é vida.” Depoimento de aluna do EJA Para que serve a arte? O que significa? Que contribuições traz? Segundo o depoimento da aluna, significa “o espelho da vida”, o inexplicável, “vida”. Para alguns, a arte concretiza-se na música que gostam de ouvir, tocar ou cantar; na dança que os fazem felizes; na personagem com a qual se identificam em uma peça de teatro; na pintura, na produção plástica que elaboram; na imagem na qual seus olhos passeiam e os leva a dialogar com o que estão vendo; na fruição, na apreciação das manifestações artísticas de que gostam. Para outros, talvez signifique algo que não consigam expressar e talvez até não signifique nada. Pode ser ainda um pano de fundo dos espaços onde vivem, onde trabalham, assim como a música ambiente das lojas, ou os quadros que foram esquecidos na parede. Mas ela pode significar muito e ser a portadora de muitos conhecimentos e valores para os alunos, de qualquer idade, ampliando suas possibilidades de participação social e cultural de forma crítica, criadora e autônoma.

31


32

www.lourencocastanho.com.br

Catálogo - Mostra de Arte e Cultura  

Trabalhos apresentados na Mostra de arte e cultura do Ensino Fundamental I e Educação Infantil - Lourenço Castanho

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you