Page 1

Ortodontia & Estética

Análise do Sorriso

Coordenação de conteúdo: Alexander Macedo Colaboração na matéria: Alessandra Motta Streva Andréa Trajano Ives Lopes Cardoso

Nos tratamentos ortodônticos, a análise do sorriso é fundamental para mostrar todas as modificações que podem ser feitas no sorriso, visando a saúde e a estética.

252 | OrtodontiaSPO | 2009;42(3):252-6

Dentes alinhados, função mastiga-

contato. Com um sorriso eternizamos

tória correta e maior harmonia facial são

um momento e nos tornamos inesquecí-

as principais metas de um tratamento

veis em simpatia aos que nos rodeiam.

ortodôntico. Hoje em dia, no entanto,

Assim, estabelecer elementos de

a busca pela estética vem sendo cada

diagnóstico e planejamento, visando

vez mais valorizada no relacionamento

buscar um sorriso harmonioso e bem

entre as pessoas. E o sorriso tem parte

balanceado, tornou-se primordial nos tra-

primordial nesse convívio, uma vez

tamentos ortodônticos. Isto é possível por

que ele sempre serviu como forma de

meio da análise do sorriso, que possibilita

comunicação, possivelmente a maneira

identificar desarmonias faciais, corrigíveis

não-verbal mais rápida e eficaz de fazer

apenas com tratamentos odontológicos.


res dos olhos. “O sorriso espontâneo é o

as linhas do sorriso (alta, média e baixa)

ideal para a avaliação do sorriso, embora

e a linha média dentária que deve estar

para a atratividade do sorriso, tais como

seja difícil de registrá-lo numa fotogra-

coincidente ou paralela ao plano facial

alinhamento das linhas médias dentária

fia. O olhar semicerrado do paciente é

mediano no centro do lábio superior. Se

e facial, a inclinação do sorriso e a cur-

o sinal que mostra que ele está sorrindo

houver uma disposição oblíqua da linha

vatura incisal, exposição dos dentes, o

verdadeiramente”, garante.

média dentária devido a angulação dos

corredor bucal, contorno e exposição

Cardoso lembra ainda que o sorriso

incisivos centrais superiores em relação

gengival”, informa Alessandra Motta

cordial revela um gesto de simpatia,

a linha média facial, qualquer desvio,

Streva, mestre em Ortodontia pela Uni-

expressando uma atitude social. “É um

por menor que seja, torna-se facilmente

versidade Cidade de São Paulo - Unicid

sorriso reproduzível, pois alguns dos

perceptível”, explica.

e professora do Instituto Vellini. “Sendo

músculos envolvidos como o zigomáti-

Com relação às outras caracterís-

assim, fazemos essa análise em todos

co maior (que puxa os cantos do lábio

ticas, Cardoso informa estarem estas

os pacientes, já que os mesmos nos

para cima) podem ser controlados,

relacionadas aos aspectos propriamen-

procuram, em sua maioria, para a ob-

contraindo-os. Em razão disso, o sorriso

te dentários e gengivais (proporções

tenção de um sorriso mais harmonioso”,

cordial amplo deve ser utilizado na aná-

dentárias, contatos interdentários,

acrescenta.

lise do sorriso. Já o sorriso espontâneo

contornos gengivais e direções axiais dos dentes).

Para Ives Lopes Cardoso, mestre

expressa um momento de felicidade,

e doutor em Ortodontia pela FOP-Uni-

em que um dos músculos envolvidos

Na avaliação do sorriso considera-

camp e coordenador do curso de Espe-

como o orbicular ocular, não pode ser

se o clínico em questão e da queixa

cialização em Ortodontia da Academia

controlado e, ao contrair-se, há um

específica do paciente. Os principais

Norte-Rio Grandense de Odontologia,

semicerramento dos olhos, formando

fatores, conforme Alessandra, já foram

se considerarmos o fato de que a estética

pequenas rugas na região, as bochechas

mencionados anteriormente, mas con-

do sorriso é um dos principais motivos

se elevam e pequenas bolsas se formam

vém ressaltar que:

de procura por tratamento ortodôntico,

embaixo dos olhos, inclusive nesse tipo

• Linha média: a avaliação da linha

então a análise do sorriso deve fazer par-

de sorriso há uma maior exposição de

média é realizada com a verificação

te da rotina de exames complementares

gengiva, considerada não tão estética

da coincidência ou não da linha

de diagnóstico na clínica ortodôntica,

para alguns”, esclarece.

média dentária superior com a linha

avaliando as características do sorriso e como a dentição se relaciona com

média facial. Se houver desvio, quase

Características

os tecidos moles, tanto de uma forma

sempre é de origem dentária. Assim, o ortodontista verifica a possibilidade de

dinâmicaquantoestática,especialmente

Para avaliar o sorriso, o ortodontis-

correção. Se não for possível coincidir

quando a aparência dentofacial for

ta deve levar em consideração algumas

a linha média facial com a dental, a

uma consideração importante para o

características que, segundo Cardoso,

linha entre os incisivos centrais deverá

desenvolvimentodoplanodetratamento

se enquadram em dois grupos: aquelas

ficar paralela à linha média facial. A

integrado ou não a outras especialidades

relacionadas à aparência do sorriso,

inclinação da linha de junção entre os

odontológicas. “O desenho estético do

quando ocorre o “descortinamento dos

incisivos centrais é mais perceptível

sorriso é um recurso auxiliar digital útil

lábios”, formando o desenho do sorriso.

na análise do sorriso”, destaca.

“Neste aspecto se inclui a avaliação do

• Inclinação do sorriso e curvatura inci-

que o desvio das linhas médias.

Dentre as possíveis classificações

contorno dos lábios em repouso, em

sal: o plano incisal superior e a forma

em que o sorriso está inserido, podemos

função e no sorriso, como determinante

do lábio inferior durante o sorriso

destacar duas formas: cordial e espon-

no grau de exposição de dentes e de

devem manter uma relação harmôni-

tâneo. A primeira, de acordo com Ales-

gengiva, de exposição do corredor bucal

ca, representada pelo paralelismo do

sandra, denominada ainda de voluntária,

e da forma da curvatura das bordas dos

arco formado pelas bordas incisais e

estabelece-se com a elevação do lábio

lábios, devendo haver um paralelismo

oclusais dos dentes superiores com a

superior em direção ao sulco nasolabial.

entre as bordas incisais dos dentes ân-

Já o sorriso espontâneo é verificado com

tero-superiores e o lábio inferior. Ainda,

• Exposição dos dentes: quando o pa-

uma maior elevação do lábio superior e

ao sorrir, podemos constatar também os

ciente sorri, o ideal seria que o lábio

com a contração dos músculos orbicula-

tipos de sorriso (cordial e espontâneo),

superior permitisse a exposição de

borda superior do lábio inferior.

OrtodontiaSPO | 2009;42(3):252-6 | 253

ORTOINFORMAÇÃO

“Na análise do sorriso, o ortodontista verifica os fatores que contribuem


Ortodontia & Estética todas as coroas dos incisivos.

Caso o contorno gengival dos incisi-

e/ou cirúrgica da arcada favorece um

• Corredor bucal: todos os espaços

vos laterais esteja situado apicalmente

aumento dessa dimensão, melhorando

negros são antiestéticos e atualmente

aos incisivos centrais e caninos, essa

significativamente a aparência do sor-

a tendência é que os sorrisos sejam

situação pode ser corrigida ortodonti-

riso”, orienta.

amplos, largos, com a máxima dimi-

camente com movimentos de intrusão

A idade e o sexo do paciente

nuição do corredor bucal.

e/ou extrusão. Em casos severos, a

também devem ser levados em conside-

• Exposição e contorno gengival: a

cirurgia plástica periodontal deve ser

ração na avaliação estética do sorriso.

exposição gengival é avaliada pela

utilizada, a fim de melhorar os contor-

“Conforme o avanço da idade, o lábio

distância da margem gengival do

nos para o tratamento restaurador.

superior perde a tonicidade e, con-

incisivo central superior à borda inferior do lábio superior. O sorriso

sequentemente, o paciente apresenta

Avaliação estética

menor exposição dos dentes superiores.

esteticamente atrativo mostra até

O inverso ocorre com os dentes inferio-

3 mm de gengiva, segundo os relatos

De acordo com Cardoso, quando

res”, relata Alessandra. “Com relação

na literatura ortodôntica. Com relação

a dimensão transversa da arcada na

ao sexo, as mulheres tendem a ter o

ao contorno gengival, os limites dos

região posterior for atrésica, teremos

sorriso mais alto do que os homens.

contornos gengivais dos caninos supe-

um sorriso estreito, com um amplo

Deve-se atentar quanto às caracterís-

riores devem estar mais altos que dos

corredor bucal, dando a ilusão da

ticas que favorecem a estética, como

incisivos laterais e, mais ou menos, na

presença de fundos escuros na boca.

o paralelismo das bordas incisais com

mesma altura dos incisivos centrais.

“Nesses casos, a expansão ortodôntica

a borda superior do lábio inferior para

Figura 1 Desenho estético do sorriso utilizado na análise do sorriso.

Figura 2 Curvatura incisal paralela ao lado inferior. Os incisivos centrais são normalmente 1 mm a 2 mm maiores que os incisivos laterais e apresentam comprimento semelhante ao dos caninos.

Figura 3 A proporção áurea aplicada às dimensões dentárias mostra, a partir da linha média, a relação da largura do incisivo central superior, incisivo lateral e canino de 1,618, 1 e 0,618, respectivamente.

A

A

B

B

C

D

Figura 4 A e B. O sorriso cordial expressa uma atitude social. O sorriso espontâneo é naturalmente franco e apresenta maior exposição gengival.

Imagens cedidas pelo professor Ives Lopes Cardoso.

254 | OrtodontiaSPO | 2009;42(3):252-6

Figura 5 A e B. Desenho estético do sorriso (DES) pré e durante o tratamento. Correção do apinhamento dentário através de extrações de pré-molares superiores e subsequente retração anterior. Observar em vista frontal a necessidade de intrusão dos caninos, para uma melhor harmonia da curvatura incisal; e C e D. Observar após a retração a necessidade de aumento com resina nas superfícies distais dos incisivos laterais, contribuindo para a devolução das proporções dentárias.


to importantes para se prever como esse

Para Alessandra, a integração das

completa.

novo arranjo vai se comportar na troca

diversas especialidades odontológicas

Cardoso esclarece que mudanças

da dentição, crescimento e alterações

é imprescindível para atender às ex-

relacionadas ao crescimento ocorrem

na proporção facial, ou seja, na estética

pectativas dos pacientes. “A Dentística

ao longo da vida, nos adultos, segundo

adulta desse indivíduo”, pondera.

Restauradora (Odontologia Estética), a

se sabe à luz da literatura ortodôntica,

Segundo ela, ainda, a atenção e

Prótese, a Implantodontia e a Periodon-

as mudanças no perfil dos tecidos moles

a avaliação especiais de profissionais

tia são as especialidades que atuam em

são maiores que as ocorridas no esque-

de diversas áreas é indispensável em

conjunto com a Ortodontia para a po-

leto facial. Envolvem alongamento do

pacientes com anodontia.“Nestes casos,

tencialização dos resultados”, avalia.

ápice nasal, aumento do mento e acha-

a opção de se tracionar ou manter os

De fato, a interdisciplinarieda-

tamento dos lábios. “Especificamente,

espaços, as possibilidades de reana-

de é uma realidade na Odontologia

com o envelhecimento, o aumento de

tomização dos dentes nas diferentes

contemporânea. Conforme Cardoso,

lassidão muscular torna mais fino o

posições, implantes associados ou não

os ortodontistas são cada vez mais

vermelhão dos lábios (preenchimento

a enxertos ósseos e/ou de conjuntivo

requisitados a darem sua contribuição

dos lábios), havendo uma diminuição

devem ser levantados anteriormente

no planejamento de tratamentos odon-

progressiva de exposição da gengiva

ao início do tratamento ortodôntico.

tológicos estéticos intregrados, espe-

e dos incisivos superiores, enquanto a

A decisão isolada do ortodontista e o

cialmente em adultos. “Diversas outras

dos inferiores aumenta. O que nos deve

encaminhamento feito posteriormente

especialidades fazem parte desse time

deixar em alerta com as intrusões de

aos demais profissionais leva a um des-

interdisciplinar: os reabilitadores orais,

incisivos superiores nas correções de

gaste muito grande no relacionamento

periodontistas, cirurgiões bucofaciais,

sobremordidas e em casos de retração

paciente-família/profissional e mais

dentistas restauradores... Assim, temos

anterior, a fim de não `envelhecer` os

ainda a um custo financeiro e biológico

de ampliar nossos conhecimentos sobre

sorrisos dos pacientes”, declara.

importantes”, especifica.

estética dentofacial, fundamentando o

Integração

“Por outro lado”, continua, “quando

nosso papel na obtenção do desenho

a decisão é tomada por um grupo de pro-

do sorriso. Convém ao ortodontista

fissionais, o paciente e os responsáveis

cultivar olhos de cirurgião plástico para

Na busca por um sorriso har-

ficam conscientes de todas as fases desse

as sutilezas estéticas da face, a fim de

monioso, o trabalho multidisiciplinar

tratamento e o custo estimado de cada

aperfeiçoar seu senso estético. Sorrisos

contribui eficazmente para alcançar

trabalho do início ao término. Lembrando

agradáveis se integram harmoniosa-

um resultado estético satisfatório. “A

que esse plano de tratamento deve ser

mente à face”, revela.

multidisciplinaridade não só é impor-

documentado e o paciente assinar acei-

tante como essencial no modo como a

tando-o”. Completa, citando Burkay et al,

Odontologia deve funcionar hoje: trata-

2007,queacomunicaçãoeaapresentação

mentos com previsibilidade”, confirma

de todos os detalhes do diagnóstico ao

E para se chegar a um sorriso agra-

Andréa Trajano, mestre em Dentística

paciente é essencial para o entendimento

dável, uma conjunção de elementos de

pela Faculdade de Odontologia da

e a aceitação do tratamento.

simetria, equilíbrio, proporção e harmo-

O sorriso é o que fica

Universidade de São Paulo e coorde-

Já em casos de pacientes adultos

nia; princípios de estética, perfeitamente

nadora do curso de Especialização da

com más-oclusões e problemas estéti-

combinados entre si, promovendo a

EAP/APCD. “A avaliação de um caso

cos, Andréa diz que uma análise da esté-

integração da estética do sorriso com a

e a proposição de um tratamento orto-

tica facial é determinante para o planeja-

da face, são necessários.“Naturalmente,

dôntico isolado ou associado a mais

mento, muitas vezes, apesar das análises

introjeta-se no observador, a perfeita

tratamentosdevemcontemplartodasas

cefalométricas determinarem extrações,

harmonia entre dentes, lábios e gengiva

possibilidades a curto, médio e longo

o perfil externo e o posicionamento de

em uma sutil combinação com os traços

prazo. Essas diversas possibilidades

lábios o contraindica. “Quase sempre

faciais do indivíduo. No entanto, não

podem ser muito diferentes quando

complementaçõesrestauradoraseproté-

se pode negar o peso de influências

se trata de pacientes jovens e adultos.

ticas são necessárias para estabilização

subjetivas nas observações estéticas. A

Quando se propõe um tratamento em

da oclusão e, consequentemente, para o

percepçãoestéticaqueopacientetemde

uma criança, todas as análises são mui-

sucesso do tratamento”, justifica.

si próprio é fundamental para a deterOrtodontiaSPO | 2009;42(3):252-6 | 255

ORTOINFORMAÇÃO

rejuvenescer o sorriso no tratamento”,


Ortodontia & Estética

Figura 1 Pré-tratamento ortodôntico.

Figura 2 Pós-tratamento ortodôntico.

Figura 3 Pós-clareamento dental.

Figura 4 Pós-complementação com resina composta.

Imagens cedidas pela professora Andréa Trajano.

minação do plano de tratamento e isso

todas as especialidades. “Convém lem-

soa, como disse certa vez o australiano

é um fato que também deve ser levado

brar ainda que temos de avaliar esses

Angus Trumble, curador do Centro de

em consideração pelo profissional.”,

padrões adaptados aos nossos pacientes

Arte Britânica de Yale e autor de “A

pondera Cardoso.

e que os padrões pré-estabelecidos

Brief History of the Smile” (Uma breve

Já Andréa, diz que todas as refe-

agradam aos cirurgiões-dentistas, mas

história do sorriso), ainda inédito no

rências como as ditadas pela proporção

nem sempre aos pacientes. Ensaios

Brasil: “os olhos podem até ser a janela

áurea, os detalhes e as referências es-

com enceramentos de diagnósticos e

da alma, mas prestamos atenção na boca

tabelecidas como as linhas de sorriso,

provas nos pacientes podem facilitar o

mais que em qualquer outra parte do

estética branca e vermelha e preenchi-

entendimento”, reitera.

corpo”. A Ortodontia, nesse aspecto,

mento de corredores bucais são muito

De todas as partes do rosto – e até

vem contribuindo cada vez mais para

importantes paraanálises,planejamento

do corpo –, a boca é, sem dúvida, um

garantir um sorriso harmonioso e agra-

e acompanhamento de tratamentos em

dos atrativos principais em uma pes-

dável às pessoas.

Referências 1. Burclay et al. Britshi Dental Journal, 2007 Dec;203(12). 2. Câmara CALP. Estética em Ortodontia: Parte I. Diagrama de referências estéticas dentais (DRED). Dental Press de Estética 2004;1(1):40-57. 3. Cardoso IL. Desenho estético do sorriso. In: Ferreira, CFA, Sakai E. Nova visão em Ortodontia e Ortopedia Funcional dos Maxilares. São Paulo: Livraria Santos; 2008. p.15-9. 4. Colombo VL, Moro A, Rech R, Verona J, Costa GC. A. Análise facial frontal em repouso e durante o sorriso em fotografias

padronizadas. Parte II: Avaliação durante o sorriso. Dental Press de Ortodontia e Ortopedia Facial 2004;9(4):86-97. 5. Conceição EM, Masotti AS. Princípios de estética aplicados à Dentística. In: Conceição EN. Dentística saúde e estética. Porto Alegre: Artmed; 2007. p.299-319. 6. Geron S, Atalia W. Influence of Sex on the perception of oral and smile esthetics with different gingival display an incisal plane inclination. Angle Orthod; 2005;75(5):778-84. 7. Proffit WR, Fields JRHW, Sarver DN. Ortodontia contemporânea. 4a ed. Rio

de Janeiro: Elsevier; 2008. 8. Ritter DE, Gandini Jr LGG, Pinto AS, Locks A. Esthetic influence of negative space in the buccal corridor during smiling. Angle Orthod; 2006;76(2):198-203. 9. Rufenacht CR. Princípios de integração estética. São Paulo: Quintessence; 2003. 10. Sarver DM, Ackerman MB. Dynamic smile visualization and quantification: Part 1. Evolution of the concept and dynamic records for smile capture. Am J Orthod. Dentofacial Orthop 2003 July;124(1): 4-12.

256 | OrtodontiaSPO | 2009;42(3):252-6

Análise do sorriso ortodontia spo 2009 issuu  
Análise do sorriso ortodontia spo 2009 issuu  
Advertisement