Issuu on Google+

gráfico

BRASIL

informativo

twitter@graficosjundiai

www.sindigraficos.org

Informativo do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias Gráficas, Jornais e Revistas de Jundiaí e Região - Set/Out de 2013

CAMPANHA SALARIAL DOS GRÁFICOS DE JUNDIAÍ E REGIÃO 2013

Sindicato entrará com ação trabalhista para recuperar perdas do FGTS. Confira as página 06 e 07.

Sede: Rua Prudente de Moraes, 911- Centro - Jundiaí/SP - Fonefax:(11)4521-2163/4522-4616 Subsedes: Vinhedo: Rua Monteiro de Barros, 194 - Centro-Vinhedo - Fone: (19) 3886-1806 l Cajamar: Av. Tenente Marques, 1674 - Polvilho - Cajamar/SP - Fone:(11)4498-0335


2

gráfico informativo

gráficos se unem para a campanha salarial 2013 gráficos de Jundiaí tem o apoio maciço do movimento intersindical da região e principalmente da CUT, além do apoio dos gráficos de outros estados. De acordo com Leandro Rodrigues a decisão em romper com a Federação ocorreu pelo fato do Sindicato não concordar com algumas proposta apresentadas, inclusive o da taxa negocial. “Se permanecemos na diretoria da Federação até hoje foi por acreditarmos que poderíamos contribuir com um projeto em defesa dos trabalhadores, mas no mesmo dia em que percebemos que o projeto apresentado por outros sindicatos vai totalmente na contra mão dos nossos ideais rompemos imediatamente”. O presidente da Federação e também diretor do nosso Sindicato, Leonardo Del Roy, se comprometeu em dar todo apoio possível para a nossa campanha e lamentou os fatos que estão ocorrendo na Federação. “Os trabalhadores precisam estar unidos para o bom resultado da campanha”, alerta Del Roy.

Os trabalhadores ligados ao Sindicato dos Gráficos de Jundiaí e Região acordaram cedo no domingo, dia 15 de setembro, para discutir e aprovar a pauta trabalhista da Campanha Salarial 2013. A reunião também foi marcada pelo espírito de união do grupo, que recentemente rompeu com a Federação dos Gráficos do Estado de São Paulo e irá tocar a campanha salarial individualmente. A assembleia que marcou o início da Campanha Salarial dos Gráficos de Jundiaí e região ocorreu na sede do Sindicato e contou com a presença dos trabalhadores de diversas cidades, além da diretoria sindical. O tema da campanha será “Luta e mobilização contra a choradeira do patrão”. “Faremos uma campanha com os pés no chão. Vamos Gráficos aprovam a pauta da Campanha Salarial buscar a reposição salarial, avançar na convenção e se unem para a mobilização. coletiva e tudo mais que temos direito, e principalmente fazer uma campanha digna”, declara o presidente do PRINCIPAIS REIVINDICAÇÕES DA PAUTA TRABALHISTA Sindicato, Leandro Rodrigues, que se desligou da diretoria executiva da Federação por não concordar com algumas propostas apresentadas na última reunião ·12% de reposição salarial dos Federados. ·Vale de 30% para 40% A Campanha Salarial será realizada na porta das ·Hora Extra: 100% durante a semana e 130% gráficas, com carro de som e distribuição de materiais informativos e os trabalhos não têm data para terminar. aos domingos e feriados RUPTURA A decisão da diretoria executiva do Sindicato dos Gráficos de Jundiaí e Região em romper com a Federação dos Gráficos do Estado de São Paulo torna a Campanha Salarial um desafio ainda maior, porém os

·Adicional noturno de 35% para 50% ·20% na PLR ·Auxílio-creche de 40% ·Jornada de 40 horas semanais ·Contra a rotatividade da mão de obra


gráfico

3

informativo

O 5º Torneio de Truco e Dominó do Trabalhador foi realizado pelo Sindicato dos Gráficos de Jundiaí e Região no domingo, dia 15, com a presença dos associados e familiares. O tradicional evento realizado na sede do Sindicato foi realizado com o espírito de confraternização entre os trabalhadores. Pelo campeonato de truco, oito duplas se inscreveram para a competição e a dupla Estevão e Douglas, da empresa Log & Print, foram os campeões. Eles venceram a final contra Fernando e Tatu, da empresa Jandaia. As duas duplas finalistas foram premiadas com troféus. No campeonato de dominó, houve seis duplas inscritas e a maior parte dos participantes foram trabalhadoras. Assim como no torneio de truco, os finalistas foram premiados com troféus. A dupla vencedora foi Osvaldo Santesso e Regina Aparecida da Silva, ambos da empresa Jandaia. A dupla vice-campeão foi formada por Rafael Lourenson da empresa Nova Página e Welma James, da empresa LX Oliveira, de Bragança Paulista.

Osvaldo e Regina, campeões do Dominó

Leandro entrega os troféus a Rafael e Welma

Estevão e Douglas, da Log & Print, campeões no Truco

Fernando e Tatu, da Jandaia, vice-campeões no Truco


gráfico informativo

Posse da nova diretoria, a luta continua!!! O dia 23 de agosto foi um dia especial para o Sindicato dos Gráficos de Jundiaí e Região com a realização da cerimonia de posse dos 23 diretores que compõem a Chapa 1, reeleita com 94% dos votos válidos nas eleições realizadas em maio. O grupo assumiu o mandato até 2017. O evento ocorreu na Associação dos Aposentados e Pensionistas e contou com a presença de lideres sindicais, autoridades políticas, como o deputado federal Vicentinho (PT), além de familiares dos diretores sindicais. O grupo liderado por Leandro Rodrigues completou 10 anos de atuação a frente do Sindicato e uma série de conquistas, como a sede própria em Jundiaí e a criação de mais duas sub sedes em Cajamar e Vinhedo, além da Colônia de Férias em Itanhaém, litoral sul, incluindo os benefícios dos trabalhadores com os trabalhos realizados continuamente nas portas das fábricas contra as irregularidades nas empresas da região. “Este grupo não vai parar de trabalhar por melhorias para a classe trabalhadora. É importante ressaltar que temos uma equipe eficiente que está disposta a auxiliar nossos associados e também uma relação muito boa com todo o movimento sindical, que está sempre nos apoiando em ações nas portas de fábricas. A LUTA CONTINUA COMPANHEIROS!!!”, destacou Leandro Rodrigues.

O Grupo assume o mandato até 2017 com o apoio de todo o movimento sindical, principalmente com o apoio dos trabalhadores.

Movimento sindical indica novo gerente do CEREST O prefeito de Jundiaí, Pedro Bigardi, atendeu a indicação do movimento sindical e indicou o técnico em segurança do trabalho e jornalista, Jesus Carlos Luiz dos Santos, 61 anos, como o novo gerente do CEREST (Centro de Referência em Saúde do Trabalhador). Também foi indicado José Trad Neto, como novo diretor de Vigilância em Saúde. Eles assumiram o cargo no dia 9 de setembro último. O nome de Jesus foi unanimidade de 20 dos 25 sindicatos que apresentaram a carta de indicação a Bigardi. O novo gerente trabalhou como autoridade sanitária do CEREST entre 2004 e 2009, e nos últimos anos lutou pela saúde do trabalhador, com diversos artigos escritos. “Fico muito feliz em ter meu trabalho reconhecido, me sinto mais do que vitorioso”, diz.

Sindicatos indicam novo gerente regional do Trabalho e Emprego O Superintendente Regional do Trabalho e Emprego, Luiz Antônio de Medeiros, acatou a indicação do movimento intersindical de Jundiaí e nomeou o ex-auditor fiscal Roque de Camargo Junior, 47 anos, como o novo Gerente Regional do Trabalho e Emprego de Jundiaí e Região. A cerimonia de posse ocorreu no dia 29 de agosto na Associação dos Aposentados e Pensionistas de Jundiaí, com a presença de representantes do movimento sindical, patronal, Ministério Público, OAB (Ordem dos Advogados do Brasil), Câmara dos Vereadores e do prefeito e vice-prefeito de Jundiaí, Pedro Bigardi e Durval Orlato, respectivamente, além da sociedade civil. O nome de Roque como o novo gerente regional do trabalho e emprego de Jundiaí e região foi uma indicação unânime do movimento sindical da cidade, inclusive com ampla participação do Sindicato dos Gráficos de Jundiaí e região, porém conforme o diretor estadual da CUT, Vitor Machado, declarou “não foi o movimento sindical que o colocou no cargo, mas sim a capacidade e competência de Roque para assumir o cargo”. Medeiros elogiou a união dos sindicatos de Jundiaí, mas alertou o novo gerente que o apoio unânime na cidade lhe dá mais estrutura, porém aumenta a responsabilidade do cargo. “As pessoas vão cobrar”, disse.


gráfico

5

informativo

10 Anos de Bolsa família Em dez anos, o Brasil assistiu a uma das maiores mudanças da sua história: a ascensão social de milhões de pessoas. O maior feito, contudo, foi a retirada de 36 milhões de brasileiros da extrema pobreza. Isso foi possível graças ao Programa Bolsa Família, criado pelo governo federal no dia 20 de outubro de 2003 e aperfeiçoado com o Plano Brasil Sem Miséria, lançado em 2011. Dez anos depois, o Bolsa Família é recomendado por organizações internacionais como exemplo de sucesso na redução da pobreza. Ainda hoje recebe críticas como “bolsa esmola”, porém uma década depois mostra que o Bolsa Família é considerado o maior programa de transferência de renda do mundo e exemplo para outros países.

BOLSA FAMÍLIA EM NÚMEROS Programa beneficiou 13,8 milhões de famílias (aproximadamente R$ 50 milhões de pessoas) Tirou 36 milhões de pessoas da extrema pobreza Queda da mortalidade infantil em 40%, principalmente no Nordeste Investimento de quase R$ 24 bilhões por ano no programa (média de R$ 216 para cada beneficiário)

Pressão contra o PL 4330 aumenta A batalha contra o Projeto de Lei 4330 da Terceirização ainda não acabou. No último dia 18 de setembro, o projeto passou por uma Comissão Geral no plenário da Câmara dos Deputados e a CUT (Central Única dos Trabalhadores) voltou a cobrar o arquivamento do projeto de lei que amplia a já nociva terceirização da mão de obra no Brasil. Esta audiência foi conquistada graças a pressão da CUT, que enfrentou a truculência da segurança da Câmara para defender os interesses dos trabalhadores no dia 3 de setembro. A vergonhosa demonstração da Câmara dos Deputados de incapacidade para lidar com os movimentos sociais ocorreu durante uma manifestação pacífica da CUT, com cerca de 3 mil pessoas, que foi recebida pela polícia legislativa, militar e o batalhão de choque com spray de pimenta, armas de choque e cassetete. Dezenas de trabalhadores foram agredidos. Caso seja aprovado como está, o PL 4330 ampliará ainda mais as condições precárias de trabalho e colocará em risco todos os contratados com carteira assinada – mais de 45 milhões no País, porque libera a terceirização completa e sem limites pelas empresas, em qualquer setor. A estimativa é que 12 milhões de trabalhadores/as exercem hoje atividades terceirizadas no Brasil. O projeto, como está, dá respaldo para que empresários substituam os trabalhadores contratados por terceirizados.

Fique de Olho com o pagamento da PLR No dia 5 de outubro é a última data para o pagamento da 2ª parcela da PLR (Participação nos Lucros e Resultados). Terão direito a receber todos os trabalhadores que efetivamente trabalharam no exercício de 2012, na proporção de 1/12 por mês trabalhado conforme a tabela abaixo

Ausências injustificadas no semestre.

Percentual sobre o valor semestral

Valor (RS) até 19 empregados

Valor (RS) de 20 a 49 empregados

Valor (RS) de 50 a 99 empregados

Valor (RS) de 100 ou mais+ empregados

0

105%

280,01

304,73

354,12

411,79

1

100%

266,67

290,22

337,26

392,18

2

95%

253,34

275,71

320,40

372,57

3

90%

240,01

261,20

303,53

352,96

4

85%

226,67

246,68

286,67

333,35

5ou+

80%

213,34

232,17

269,81

313,74


6

SINDICATO ENTRARÁ COM AÇ PERDAS DO FGTS QUE PODE C O Sindicato dos Gráficos de Jundiaí e região, esta convocando todos os ASSOCIADOS para entrarem com uma ação na Justiça com o objetivo de recuperar as perdas geradas na correção do FGTS. A medida adotada será a propositura de UMA AÇÃO NA JUSTIÇA, na condição de Substituto Processual. DUVIDAS FREQUENTES Os trabalhadores associados terão algum custo? Não. Todas as despesas decorrentes de honorários advocatícios serão custeadas pelo sindicato. E quem ainda não é sindicalizado, como fica? Só entraremos com ação para os associados, porem quem se sindicalizar até o dia 25 de Outubro terá direito a fazer parte desta ação sem custo com honorários. Quanto que os advogados cobram no mercado? A maioria dos advogados cobram até 30% do valor da causa, e ainda cobram um Taxa para darem entrada no processo. No nosso caso, temos um contrato com um escritório de advocacia que já pagamos mensalmente para atenderem os associados. Por isso não cobraremos nada dos sindicalizados! Vejam o exemplo: Trabalhadores não Sindicalizados: Terão que recorrer a advogados particulares, pagando honorários de até 30% do valor da causa, isto significa que se tiverem uma diferença de R$ 25.000 para receber, terão que pagar R$7.500 para o advogado.

Já os Trabalhadores Sindicalizados: não pagarão nada ao sindicato, só contribuirão com a mensalidade de sócio cujo valor é de 1,5% do salário nominal com o teto de três pisos da categoria Exemplo:

Salário Salário Salário Salário

de de de de

R$ R$ R$ R$

1.200,00, mensalidade de R$ 18,00 2.200,00, mensalidade de R$ 33,00 3.300,00, mensalidade de R$ 50,00 5.000,00, mensalidade de R$ 50,00.

Vale relembrar que todos os associados estão livres da contribuição assistencial de 12% ao ano. Alem disso, os associados gozam de vários benefícios oferecidos pelo sindicato, como exemplo,os torneios, a festa dos gráficos, e a nossa Colônia de Férias em Itanhaem.


ÇÃO PARA RECUPERAR CHEGAR ATÉ 88%.

7

Quando eu posso procurar o sindicato para entrar com a ação, ou me sindicalizar? O quanto antes. É só vir até a sede do sindicato com todos os documentos relacionados e assinar a procuração. No dia 19 de Outubro haverá um mutirão na sede do sindicato em Jundiaí, também realizaremos plantões nas maiores empresas. Anotem os documentos necessários para entrar com a ação: 2 cópias do CPF; 2 copias do RG; 2 copias do comprovante de endereço; Extrato analítico do FGTS desde 1999; 2 cópias da Carteira de Trabalho ( páginas da foto, do verso onde tem a qualificação, dos registros nas empresas desde 1999); Cartão do PIS ou cartão cidadão. CONHEÇAM UM POUCO SOBRE A ORIGEM QUE GEROU ESTE PROBLEMA O FGTS passou a ser corrigido pela TR desde 1990 durante a gestão de Fernando Collor como um índice para atualizações monetárias. Até 1999 ele rendeu mais do que a inflação, o que beneficiava o fundo e as cadernetas de poupança, mas prejudicava quem tinha financiamento para a compra de casa própria que usava a taxa para corrigir as parcelas. Porém, a partir desse ano foi adotado um redutor para a taxa referencial, o que o fez perder sua rentabilidade. JUROS BAIXOS FAZEM FGTS RENDER MENOS Fundo é corrigido pela TR. Taxa sofre queda à medida que Selic cai. O trabalhador da iniciativa privada com carteira assinada verá o saldo do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) render menos à medida que o Comitê de Política Monetária (Copom) baixar a taxa de juros básica da economia brasileira, a Selic. Atualmente, a taxa está em 9% ao ano. Com isso, o rendimento do FGTS este ano (2013) deve ser o menor dos últimos cinco anos, ficando em apenas 3,29%. A movimentação para baixo se dará pelo fato de a correção do saldo do fundo ser atrelada à Taxa Referencial (TR), acrescida de mais 3% ao ano. A composição da TR leva em conta em seu cálculo o valor da Selic. Com a taxa básica de juros chegando ao patamar de 9% ao ano, em setembro, a TR ficou zerada. A estimativa do mercado financeiro é que o Copom mantenha a tendência de queda da Selic ou a mantenha em 9%. SE NADA FOR MUDADO O FGTS PERDERÁ PARA INFLAÇÃO Há estudos que apontam perdas de até 88% na correção do FGTS, dependendo do índice de correção e do período que se adote para calcular as perdas.

COMUNICADO OFICIAL DA CAIXA Em relação à ação judicial de utilização do índice TR na atualização das contas FGTS, a Caixa Econômica Federal informa que a decisão compete ao poder judiciário. A Caixa é responsável pelo fornecimento do extrato e vai providenciar posto específico para atendimentos aos trabalhadores interessados.


gráfico

8

informativo

Boca no Trombone Trabalhadores da Nova Página aprovam acordo de jornada de trabalho No último dia 13 de setembro, os companheiros da empresa Nova Página, de Cajamar, aprovaram por ampla maioria a renovação do Acordo Coletivo do Trabalho. Este acordo permite que os trabalhadores trabalhem em regime de sábados alternados, proporcionando a todos um melhor bem estar social. Além disso, os companheiros garantiram o dia 7 de Fevereiro, o Dia do Gráfico, como feriado. A empresa também se comprometeu a conversar com alguns chefes que estão cometendo abusos de autoridade no sentido de eliminar de uma vez por todas esse problema. Parabéns aos companheiros da Nova Página pela organização!!! FINETECH A empresa promove campanha antisindical internamente no sentido de afastar os trabalhadores do Sindicato, porém se esquece de cumprir a Convenção Coletiva do Trabalho (CCT), como, por exemplo, a cesta-básica, que é retirada do trabalhador quando ele falta, sem nenhum tipo de previsão legal na Convenção Coletiva do Trabalho. Acorda companheiros da Finetech!!! LOG & PRINT No domingo, dia 15 de setembro, iniciou o novo horário de Jornada de Trabalho dos companheiros dos três turnos da empresa. Com este novo horário, o turno da tarde folgará um sábado por mês, além de encerrar o expediente às 21h15, aos sábados. No turno da manhã, os trabalhadores irão entrar às 6h30 e sair às 12h15 aos sábados. E, o turno da noite, entrará às 23hs e sairá às 6h30 todos os dias. Conquistamos também a redução do valor do transporte para todos os trabalhadores de 6% para 4,5% aos companheiros que não tiverem falta

gráfico informativo

injustificada no período do mês. O Sindicato está de olho também nas denúncias de abuso de autoridade por parte de alguns chefes. Já cobramos a direção da empresa sobre esses problemas, mas infelizmente ainda não foi resolvido. Diante disso, estaremos iniciando protestos na porta da empresa. GRÁFICA RAMI Os trabalhadores da Gráfica Rami aprovaram um novo acordo de Jornada de Trabalho, onde irão trabalhar em regime de sábados alternados. Além disso, conquistaram o Dia do Gráfico, dia 7 de Fevereiro, como feriado. Parabéns a todos os companheiros pela conquista!!! GRÁFICA PEDREIRA A empresa não está cumprindo com a Convenção Coletiva de Trabalho (CCT), pois não entrega a cesta-básica ao trabalhador. Também recebemos várias denúncias de assédio moral e descumprimento do piso salarial.

Órgão Informativo do Sindicato dos Trabalhadores Gráficos de Jundiaí e Região

CNPJ:50.981.315/0001-35 Sede: Rua Prudente de Moraes, 911 Centro - Jundiaí/SP Fonefax:(11)4521-2163/4522-4616 Subsedes: Vinhedo:(19) 3886-1806 Cajamar:(11)4498-0335 Diagramação: Loro Comunicação Jornalista responsável: Mauro Utida | MTB: 54971-SP

Diante dos fatos, o Sindicato irá encaminhar ofício para agendar reunião com os responsáveis, caso o problema não seja resolvido vamos encaminhar as denúncias ao Ministério do Trabalho e Emprego. PRECCISA COMUNICAÇÃO VISUAL Esta empresa também não vem cumprindo com a CCT por não fornecer cesta-básica ao trabalhador, conforme convenção coletiva vigente. Além disso há trabalhador sem os devidos registros de carteira. Estamos agendando uma reunião com a empresa e se não tivermos resultados também encaminharemos as denúncias ao Ministério do Trabalho e Emprego. GRÁFICA MONTE SANTO Recebemos várias denúncias da Gráfica Monte Santo. A empresa não está pagando PLR e muito menos fornecendo cesta-básica ao trabalhador. O Sindicato já encaminhou pedido de reunião com a empresa.

Responsabilidade: Diretoria Diretoria : Leandro Rodrigues da Silva; Marcelo Marques de Souza; Jurandir Franco; Maria Aparecida Reis; Valdir Ramos da Silva; Fábio Souza Meira; Eliana da Silva; Leonardo Del Roy; Osvaldo Santesso; Regina Aparecida da Silva; Aliro de Freitas; Josué Cândida da Silva; César Luis dos Santos; Walter Corrêa Júnior; Karina de Freitas Cruz; Valdeci Paulo da Silva; Wilson Roberto Donato; Maria Aparecida Reis; Leonildo da Silva João; Cláudio Munhoz; Valéria Simionato; Vera Lucia de Lima Silva; Antonio Carlos Amâncio Lopes e Aparecido Morales.


Informativo dos Gráficos Set/Out