Issuu on Google+

O único jornal-laboratório diário do Brasil

lona.redeteia.com

Ano XV > Edição 882 > Curitiba, 05 de maio de 2014

Foto: Rachel Ribas (Bem Paraná)

Taça da Copa do Mundo chega à capital paranaense Em evento organizado pela Coca Cola, patrocinadora do Mundial no país, fãs e torcedores puderam ver o troféu de perto, além de p.4 participar de diversas atividades durante todo o dia EDITORIAL “Diante de um amadurecimento precoce, assuntos delicados como sexo devem ser conversados em casa.“ p. 2

OPINIÃO

Curitiba recebe 2ª edição do CWBurger Fest durante o mês de maio

Evento contará com 36 estabelecimentos oferecendo receitas especiais de hamburguer pelo preço único de R$24,90 p. 3

“O racismo está em alta e, pelo que parece logo o preço da banana também.” p. 2

#PARTIU FanFest, evento realizado pela FIFA, tem sua progração divulgada em Curitiba p. 6

COLUNISTAS Jorge de Sousa “Que as trocas polêmicas se restrinjam ao futebol, porque assim a piada pelo menos terá graça e não afetará a vida do país inteiro.” p. 5

Igor Castro “Tudo começou quando o então dono do time dos Los Angeles Clippers, Donald Sterling fez declarações racistas em um áudio publicado em seu Instagram.” p. 5


LONA > Edição 882 > Curitiba, 05 de maio de 2014

2

EDITORIAL

Qual o limite entre o espaço público e o privado? Após usar seu blog pessoal para postar contos eróticos, um professor de gramática e literatura de uma escola particular de São José dos Campos, no Vale do Paraíba, foi demitido. De acordo com a escola, os pais estariam reclamando que o conteúdo do blog teria chegado via redes socias para os alunos do professor, jovens de idade entre dez e quinze anos. Sob ameaça de ser processada, a escola não teve alternativa a não ser dispensar o professor formado em letras e teologia. Apesar do conteúdo considerado pesado e ostensivamente erótico, como as palavras e expressões como “ninfetinha”, “leves gemidos” e “de quatro”, o blog alertava que o assunto era inapropriado para menores de 18 anos. Levando em conta que hoje dia a internet é livre, e não há como controlar a verdadeira idade de quem está fazendo uso da rede, o professor não tinha muito que fazer. Talvez os pais queiram transferir uma responsabilidade que para eles cabe às escolas e aos professores. Há algum tempo, justamente por causa dessa liberdade que a internet traz, os pais não conseguem mais controlar o que seu filhos estão fazendo, nem ao que eles tem acesso, e muito menos quem eles estão se tornando.

OPINIÃO

A macacada reunida Davi Neto

O racismo está em alta e, pelo que parece logo o preço da banana também. “Yes, nós temos bananas” e polêmicas a rodo. Fausto Silva fez uma piada de muito mau gosto com uma dançarina da cantora Anitta, “Arielle cabelo de vassoura de bruxa”, e começaram duras críticas ao apresentador. A dançarina se disse ofendida e Faustão, conhecido por não ter papas na língua teve que se redimir: “Tem muita gente que quer transformar a internet em penico e começam a fazer o seguinte: achar que aquilo foi racismo. Absolutamente. Ninguém mais do que eu, nestes últimos 30 anos, fala quase todo domingo que caráter, competência, talento não tem nada a ver com cor da pele, orientação sexual, opção religiosa”. O mesmo “penico” é palco da grande limonada, digo, bananada que Daniel Alves, jogador do Barcelona, fez a partir da banana que lhe arremessaram quando estava prestes a cobrar um escanteio,

durante o jogo contra o Villarreal. Os torcedores lançaram bananas, isso mesmo, querendo chamar o jogador de macaco e humilhá-lo em campo. Por isso, quando seus pais disserem “se a vida te der um limão, faça uma limonada”, obedeça. Daniel pegou a banana, comeu e fez “um gol contra o racismo”, como se tem falado na internet. O fato é que o jogador Neymar, que também passou pelo mesmo episódio, postou uma foto no seu Instagram, criou a hashtag #somostodosmacacos e popularizou fotos com bananas. A jogada de marketing foi sensacional! Gol para o combate ao racismo ou para a imagem de Neymar? E no domingão, será que os telespectadores engoliram o discurso de Faustão? A verdade é que presenciamos uma causa que ganhou um dos palcos mais complexos do mundo: a internet. Acontece que grandes causas fogem do sentido real e se transformam em puro marketing. Afinal, qual o sentido

em utilizar “a marca” do racismo como símbolo dessa campanha? Exceto os aproveitadores do acaso para lucrar em campanhas e alimentar a indústria do entretenimento, Fausto Silva merece aplausos por sua retratação, são gestos como o próprio reconhecimento que combatem a ação (embora tenha sido de forma subentendida); e Daniel Alves, que com um gesto inesperado e épico conseguiu calar a boca dos torcedores racistas. As pessoas querem mais likes em fotos suas nas redes sociais falando sobre o racismo do que acabar com ele de fato. As leis ficam sempre em segundo plano. O racismo, a ofensa a uma raça, o repúdio a uma cor continua como coadjuvante. Que o discurso entre em campo, mas de forma legítima e não midiática. Por enquanto, a causa só briga por holofotes! Dorival Caymmi não vendia bananas, mas já previu “vida de negro é difícil, é difícil como o quê”.

O professor diz que nunca instigou seus alunos a ler os contos, nem a procurá-los na internet. Segundo ele, se alguém achou e divulgou foi porque estava curioso e, talvez, essa curiosidade tenha sido despertada por meio da cultura que pula aos olhos em cenas exibidas em novelas, ou programas em horários inapropriados. Diante de um amadurecimento precoce, assuntos delicados como sexo devem ser conversados em casa. Deve-se criar toda uma confiança entre pais e filhos, para não chegar em casos como esse do professor, que teve sua vida afetada por ter uma mente talvez um pouco mais aberta do que a desses pais. Talvez eles tenham medo de que seus filhos estejam crescendo e tenham curiosidades diante da vida. Talvez eles não queiram aceitar que seus filhos não tenham vindo da cegonha assim como os seus avós contavam.

Charge: Thayná de Almeida Jorge

Expediente Reitor José Pio Martins Vice-Reitor e Pró-Reitor de Administração Arno Gnoatto

Pró-Reitora Acadêmica Marcia Sebastiani Coordenadora do Curso de Jornalismo Maria Zaclis Veiga Ferreira Professora-orientadora Ana Paula Mira

Coordenação de Projeto Gráfico Gabrielle Hartmann Grimm Editores Ana Carolina Justi, Kawane Martynowicz e Luiza Romagnoli Editorial Nicole Braga


Curitiba, 05 de maio de 2014 > Edição 882 > LONA

3

NOTÍCIAS DO DIA

2ª edição do CWBurguer Fest contará com 36 estabelecimentos Ágatha Santos

cidade e informação neste ano, nós esperamos que as vendas sejam até 40% maior do que na primeira edição do CWBurguer”, conta Zappelini.

Em maio acontece a segunda edição do CWBurguer Fest, na capital paranaense. O evento contará com a participação de 36 restaurantes, bares e bistrôs que vão oferecer receitas especiais Entre os dias 5 e 18 de maio, acontece em Curitiba a segunda edição do CWBurguer Fest. O Festival de Hamburguer, neste ano, contará com a participação de 36 estabelecimentos, entre bares, restaurantes e bistrôs que estarão abertos à visitação dos consumidores. Cada casa oferecerá uma receita especial de hamburguer, que será vendido pelo valor único de R$24,90, incluindo o lanche e um acompanhamento, que varia de acordo com a proposta de cada estabelecimento para o festival. Para o organizador do evento, Philip Khouri, o CWBurguer Fest trata-se de uma grande oportunidade para os curitibanos conhecerem o que a cidade tem de melhor neste que é o prato mais tradicional do mundo. “O CWBurguer é um evento dedicado inteiramente ao hambúrguer, afinal esse é um prato que conquistou o paladar em diferentes culturas por todo o mundo”, explica Khouri. Além de poder experimentar diferentes receitas da especiaria, no festival, o público é convidado a doar a quantia de R$1,00, que será repassada para a Associação Franciscana de Educação ao Cidadão Especial (AFECE), que atua no setor de educação especial desde 1967. Receitas especiais O diferecial do CWBurguer Fest será a oferta de várias receitas inusitadas de hamburguer na capital paranaense. Durante o festival, o público vai encontrar combinações incomuns, como o prato ofertado pela Cervejaria da Vila, o Schnitzel Burger, que terá hamburguer de lombo de porco marinado e empanado, servido com alface, cebola

O CWBurguer Fest tem a sua segunda edição em Curitiba, oferecendo grande diversidade de receitas ao público > Foto: Divulgação

roxa, rabanete, maionese especial temperada e acompanhamento de batata frita. O cardápio do estabelecimento, localizado na Rua Matheus Leme, no Centro Cívico, é inspirado na Oktober Fest de Munique e é uma das opções mais exóticas do festival. Outra opção de hamburguer que foge do tradicional será a ofertada pelo Charles Burguer, estabelecimento localizado na Avenida Cândido Hartmann, no Bigorrilho, em funcionamento desde 1995. O prato da casa, que é especializada em sanduíches e beirutes, foi batizado com o nome de Charles Miller e terá em sua receita linguiça artesanal de Blumenau, bacon, queijo Philadelphia, ovo na chapa, molho especial no pão francês e acompanhamento de batata frita inglesa. O CWBurguer Fest também contará com receitas para o público vegetariano e a hamburgueria Cidadão do Mundo, que oferece sanduíches inspirados em vários cantos do planeta, preparou uma opção para os que não consomem carne. Trata-se do hamburguer que levará o nome de “Bob Marley”, com receita à base de hamburguer vegetariano feito com cogumelos frescos, muçarela, alface, tomate e picles. A

Hamburguer de fraldinha com cheddar e envolto em massa de pizza será o cardápio da Forneria Copacabana > Foto: Divulgação

opção vegetariana foi idealizada pelo Chef Fábio Ikoma especialmente para o Cidadão do Mundo, estabelecimento situado na Rua Bento Viana, no Água Verde. Chance de visibilidade Para Raul Alexandre Zappelini, 30, gerente do restaurante Picanha Brava, no bairro Água Verde, que participará pela segunda vez do festival de hamburguer, o evento em Curitiba é uma excelente oportunidade para os restaurantes da capital, que ganharão maior visibilidade durante o CWBurguer Fest e também terão a chance de mostrar os mais diversos cardápios que existem na cidade. “Devido à maior publi-

Délio Canabrava, 42, dono do Bar Canabenta, localizado no Alto da XV, explica que o CWBurguer Fest oferece a grande vantagem de aumentar a visibilidade dos restaurantes, que com a divulgação do evento passam a ser conhecidos pelo público consumidor. “Para os estabelecimentos, o festival de hamburguer é ótimo, pois assim temos a chance de divulgar as nossas receitas exclusivas, como a que o Canabenta preparou para o CWBurguer, e, além disso, as vendas aumentam bastante durante a realização do evento.”, explica o proprietário do Canabenta. “Eu vou aproveitar para conhecer novas hamburguerias, pois já notei que o CWBurguer Fest vai contar com muitos restaurantes e receitas desconhecidas, pelo menos por mim”, comemora a estudante Rafaela Gonçalves, 19, que descobriu o festival através de uma rede social. Para a comerciante de roupas, Lélia Romano, 27, o preço dos hambúrgueres do festival está alto demais. “É excelente que exista um festival como esse na cidade, porém, o preço não é muito acessível e muitas pessoas, obviamente, não poderão participar devido a esse fator”, lamenta Lélia.


LONA > Edição 882 > Curitiba, 05 de maio de 2014

4

GERAL

Tour da Taça da Copa do Mundo chega a Curitiba Evento organizado pela multinacional Coca-Cola visa promover a interação entre o público e o troféu mais cobiçado do mundo esportivo Jorge de Sousa

No último sábado (03), Curitiba foi a parada do Tour da Taça da Copa do Mundo da Fifa, evento que é gerido pela multinacional Coca-Cola, e que leva o troféu mais importante do esporte por todo o mundo. A presença de Carlos Alberto Torres, embaixador do Tour e campeão mundial em 1970, Dirceu Krüger e Nilson Borges (ídolos de Coritiba e Atlético respectivamente) foram destaques da programação. Além disso, haviam várias atividades para o público, como o “totó humano”, oficinas de chute a gol, e a tão desejada foto com a Taça da Copa. Para participar do evento era preciso comprar um lote promocional de refrigerantes da empresa organizadora, e marcar o horário da visita através do site da marca. Os 4000 bilhetes disponibilizados foram vendidos. Os portões só foram abertos às nove da manhã, mas uma hora antes teve início uma coletiva de imprensa com Carlos Alberto Torres, que destacou a importância da Copa do Mundo para o Brasil, “Copa do Mundo é o maior evento do futebol. Todos os lugares por onde eu fui tinham muito entusiasmo. Esse evento é a nossa chance de promover o país lá fora”, destacou Torres.

Pai e filho observam a Taça > Foto: Rachel Ribas (Bem Paraná)

do tour. Outro fato que chamou a atenção foi a recusa do capitão de 1970 em levantar a Taça da Copa, gesto imortalizado por ele ao levantar o troféu no tricampeonato do Brasil em 1970. “Deixa o Thiago Silva fazer isso”, declarou em bom humor Carlos Alberto Torres.

“Esse evento é a nossa chance de promover o país lá fora.”

Sobraram, ainda, críticas do ex-atleta aos protestos contra a Copa e aos atrasos nas obras do torneio, “deveriam ter protestado quando o Brasil se candidatou. Agora é só para aparecer. Se você fizer uma pesquisa vai ver que uma minoria de pessoas é contra o evento. Já os estádios são um problema, porque isso gera uma promoção ruim do país na imprensa estrangeira, além do fato das obras no entorno dos estádios não ficarem prontas”, disse o embaixador

Durante todo o dia (o evento durou até às 21 horas) o movimento foi intenso no local e muitos visitantes não conseguiam esconder a emoção por estar perto da taça mais cobiçada do esporte mundial. Foi o caso da empresária, Stephanie Leites, 23, que contou como foi a sensação de tirar uma foto com a relíquia, “muito emocionante. É uma realização pessoal poder estar aqui do lado da taça. Essa foto vai ficar para a história da família”. O empresário Matheus Leites, 25, relatou seu sentimento ao ver a taça, “meu pai morreu e não conseguiu realizar o desejo de assistir um jogo de Copa do

Mundo. Eu prometi para ele que um dia eu veria um e ainda tiraria uma foto com a Taça. Em junho vou ver os quatro jogos de Curitiba e hoje vou tirar essa foto. Não tem como não chorar de felicidade”, registrou Leites. O público infantil também aprovou o evento, principalmente as atividades de lazer: Bruno Rizzo, 5, explicou, “já chutei, corri e agora vou tirar foto. Tá muito legal!”, afirmou o garoto.

“O evento aqui em Curitiba está sendo um grande sucesso”. Estas foram as palavras do organizador do tour, Victor Bicca que ainda cuida de toda o percurso da Taça da Copa pelo Brasil. Bicca explicou a importância da aproximação do público com o troféu, “a Coca Cola é o primeiro patrocinador da FIFA. Nós temos uma forte ligação com o futebol, que aqui no Brasil é uma religião. Desde 2006 fazemos esse tour da taça e podemos levar essa magia da Copa do Mundo para as pessoas. Já que o ápice da Copa do Mundo é a taça em si. Isso ajuda a espalhar alguns dos valores do torneio e também da nossa marca como família e emoção, e dar, acima de tudo, momentos únicos para essas pessoas”. O Tour da Taça da Copa do Mundo percorrerá as 27 capitais do Brasil em 35 dias, e conta com um grande sistema de segurança. Desde carro forte até jato particular, sem contar os muitos seguranças que sempre estão supervisionando a Taça aonde quer que ela vá. No sábado à noite o troféu viajou para Florianópolis, onde foi exposta ontem. Em sequência, viajará para Campo Grande sua parada de hoje.

Nem mesmo os jornalistas ficaram imunes a todo o clima festivo: Lycio Vellozo Ribas, do jornal Bem Paraná, falou sobre a presença da Taça da Copa em Curitiba, “Ficar vendo essa taça girando é hipnótico. Você vê ela nos jogos da Copa do Mundo e imagina poder ver ela de perto. É simplesmente emocionante poder fazer isso”, comentou Ribas. Taça da Copa do Mundo exposta em Curitiba > Foto: Rachel Ribas (Bem Paraná)


Curitiba, 05 de maio de 2014 > Edição 882 > LONA

5

COLUNISTAS

Politicalizando Jorge de Sousa

Marina 2.0

mínimo inverossímil. Por isso a procura de um partido de centro, no qual ela não “traia” suas origens, e nem permaneça no “antro” em que ela coloca o seu antigo partido. Para Eduardo Campos, tê-la como vice, coloca seu nome forte somente no Nordeste, como um candidato nacional, fazendo seu palanque ganhar novos adeptos. Mas, como tudo na vida, isso tem um preço.

Quando as pesquisas do final do ano passado apontavam para uma aproximação da (na época) candidata à presidência nacional, Marina Silva, muitos colocavam em seus ombros a força da oposição para derrubar Dilma.

entenderam como a ex-ministra do meio ambiente e ativista dos direitos da mulher, poderia ser aliar a um candidato que nunca se posicionou sobre o primeiro assunto e é extremamente contra o aborto.

O maior problema dessa troca é que o PV fica carente da sua principal força, o que pode causar problemas nas próximas eleições. Para tentar agregar novos eleitores (ou não perder os antigos) a legenda vai tentar usar apelos como a liberação da maconha e do aborto.

Forte foi a surpresa quando ela se aliou ao governador de Pernambuco e presidente nacional do PSB (o partido que mais vem crescendo nas últimas eleições), Eduardo Campos, em uma chapa na qual seria a sua vice. Surpresa geral para seus próprios eleitores, que não

Essa transformação radical pode ser explicada pela necessidade de Marina se desvincular da sua “herança” da esquerda, dos tempos de PT. Afinal, como ela poderia ir contra a gestão Roussef, se ela própria apoiava esse regime em seu tempo no PV? Seria no

A medida é inteligente, na minha opinião, já que reafirma o partido como membro da esquerda e pode angariar votos em várias camadas relevantes (em número de votos) da sociedade brasileira. A rejeição dos votantes da direita eles sempre tiveram, logo aca-

bam com “vão se os anéis, sobram os dedos”. Para Marina a estratégia é tentar se isolar desse “novo” PV, já que seu parceiro de chapa é fervoroso combatente de tais propostas. Para isso, ela terá que fazer o que não era seu plano inicial: atacar sua antiga legenda. O temor é perder a confiança dos seus antigos eleitores, o que a transformaria em um “novo” Eduardo Campos, o que faria o próprio efeito de contra senso que ainda persegue o ex-governador. Sinuca de bico, como diriam os antigos. Esse é o grande problema da política nacional. Troca-troca interminável e totalmente controverso, já que os câmbios são feitos entre legendas totalmente rivais, o que deixa o eleitor confuso. Confusão esta que seria facilmente evitada com um pouco de bom senso das “vossas senhorias”. Que as trocas polêmicas se restrinjam ao futebol, porque assim a piada pelo menos terá graça e não afetará a vida do país inteiro.

Racismo, o mal que perturba os esportes Na coluna desta semana iria falar sobre os outros jogos dos playoffs da NHL, a Liga Nacional de Hóquei, porém outro assunto dominou o cenário dos esportes da Terra do Tio Sam. Lamentavelmente mais um caso de racismo aconteceu, e chocou os Estados Unidos e o mundo de uma forma geral. Tudo começou quando o então dono do time dos Los Angeles Clippers, Donald Sterling fez declarações racistas em um áudio publicado em seu Instagram. O motivo seria uma foto que sua namorada havia tirado junto com Magic Johnson, um dos maiores jogadores da história da NBA, a Liga Americana de Basquete, e que jogou por muitos anos e conquistou vários títulos pelo time dos Los Angeles Lakers, maior rival dos Clippers. Ao ver essa foto, Donald Sterling botou a boca no trombone e falou o que quis sem pensar, aqui estão alguns trechos da sua declaração: “me machuca muito que você queira transmitir sua ligação

com os negros. Precisa? Você pode dormir com eles, pode fazer o que quiser. A única coisa que te peço é a não promoção disso, e para não levá-los aos meus jogos.” “Em seu asqueroso Instagram, não tem que ter fotos com pessoas negras”, conclui. Após a divulgação dessas declarações, várias pessoas se pronunciaram sobre o assunto, uma delas foi o Presidente dos Estados Unidos Barack Obama. Em seu discurso, no último domingo na Casa Branca, disse que as declarações de Donald Sterling foram “incrivelmente ofensivos e racistas” e que “quando pessoas ignorantes querem manifestar sua ignorância, você não precisa fazer nada, apenas deixá-las falar”. Em resposta as declarações de Donald, os jogadores dos Los Angeles Clippers tiraram suas camisas de treino e jogaram-nas no meio da quadra, em sinal de protesto, antes do jogo contra o Golden State Warriors. Além disso, todos os jogadores titulares e reservas

Draft

Igor Castro

treinaram com camisas vermelhas, sem o logo, e usaram meias pretas. Doc Rivers, técnico dos Clippers, disse que ficou muito desapontado com os comentários, e que todo o time se sentiu incomodado. Magic Johnson, atingido pelas declarações, disse que a NBA deveria ter atitudes mais rigorosas, e até mesmo banir Donald Sterling da Liga. A NBA respondeu, por meio de Adam Silver (comissário da Liga), que decidiu pela proibição do comparecimento do presidente dos Los Angeles Clippers em todos os jogos da Liga, sendo impossibilitado de entrar nos ginásios, e pagando uma

multa de U$$ 2,5 milhões. Por fim, patrocinadores da equipe californiana deixaram de ter relações com os Clippers. Ao todo, foram cinco empresas que tomaram essa atitude. Gostei muito da atitude da NBA, isso mostra que não podemos tolerar qualquer tipo de preconceito, e nada melhor do que proibir uma pessoa de ter acesso ao que ela mais ama fazer. Tomara que outras instituições esportivas tenham a mesma atitude quando houver esses tipos de atos que só vem a manchar os esportes em geral. Hasta la vista, baby!


LONA > Edição 882 > Curitiba, 05 de maio de 2014

6

ACONTECEU NESTE DIA

Usina de Itaipu entra em funcionamento Em 1984 A primeira Unidade Geradora de Energia entra em funcionamento na Usina Hidrelétrica de Itaipú. A Itaipú é uma unisa hidrelétrica binacional localizada no Rio Paraná na fronteira entre o Brasil e o Paraguai. Construída por ambos os países no período de 1975 a 1982, Itaipu é, hoje, a primeira maior usina geradora de energia do mundo. Usina de Itaipu foi resultado de intensas negociações entre os dois países durante a década

de 1960. Em 22 de julho de 1966, os ministros das Relações Exteriores do Brasil, Juracy Magalhães e do Paraguai, Sapena Pastor, assinaram a “Ata do Iguaçu”, uma declaração conjunta de interesse mútuo para estudar o aproveitamento dos recursos hídricos dos dois países, no trecho do Rio Paraná desde e inclusive o Salto das Sete Quedas até a foz do Rio Iguaçu. O Tratado que deu origem à usina foi assinado em 1973.

Vista aérea da Usina > Foto: Arquivo IHA Central Office

#PARTIU Pragramação FanFest Pedreira Paulo Leminski Rua João Gava, 0, Pilarzinho 12 de junho – 5ª feira 12:00 Abertura do Portões 12:15 DJ / Brainstorm Dance Company 14:00 Grupo de Hip Hop – Festival 2013 16:00 Rodrigo Castellani e Banda 16:44 intervalo 17:00 Brasil X Croácia (São Paulo) 19:00 intervalo 19:05 Dudu Nobre 20:35 DJ 21:00 Fechamento dos Portões 13 de junho – 6ª feira 11:00 Abertura do Portões 11:15 DJ 11:30 Grupo Folc. Centro Espanhol 12:44 intervalo 13:00 México X Camarões (Natal) 15:00 intervalo 15:05 Track Cheio 15:44 intervalo 16:00 Espanha X Holanda (Salvador) 18:00 intervalo 18:05 Mixtape 18:44 intervalo 19:00 Chile X Austrália (Cuiabá) 21:00 intervalo 21:05 DJ 21:30 Fechamento dos Portões Entrada franca Fone: (41)3355-6072

Divulgada a programação da FanFest Fan Fest terá 70 atrações locais e quatro nacionais na Pedreira Paulo Leminski

Evento oficial da FIFA, que acontecerá em todas as cidades-sede do Mundial, a Fan Fest é uma maratona de entretenimento, planejada para fazer com que a população participe e se integre à festa do futebol, mesmo sem ir aos estádios. Telão para transmissão dos jogos, mais de 70 atrações culturais locais e quatro shows nacionais farão parte da programação da FIFA Fan Fest de Curitiba, que vai acontecer na Pedreira Paulo Leminski durante a Copa do Mundo. A programação na Pedreira acontecerá entre os dias 12 de junho e 13 de julho, com entrada gratuita. Nesse período, quatro atrações nacionais se apresentarão no local: Dudu Nobre (12 de junho), Jota Quest (23 de junho), Erasmo Carlos (4 de julho) e Raça Negra (13 de julho). A Fan Fest terá um “Espaço Kids” para recreação e diversão das crianças. Haverá também local para venda de produtos turísticos da cidade e referentes à Copa do Mundo FIFA, bem como espaço de informações sobre programações culturais e de serviços para turistas.

Fan Fest em Sydney > Foto: Fanfest Darling Harbour

Além das linhas de ônibus normais que levam à região, serão colocadas linhas especiais para a Fan Fest, que sairão da Praça Tiradentes, no Centro da Cidade. O público também será estimulado a chegar ao local de bicicleta, contando com um estacionamento para bikes. O horário de abertura dos portões será sempre às 10 horas e o fechamento às 22 horas. Mais informações no site da Fundação Cultural de Curitiba.


Lona 882