Issuu on Google+

O único jornal-laboratório diário do Brasil

lona.redeteia.com

Foto: André Luiz D. Takahashi/ ASCOM - Prefeitura de Votuporanga

Ano XV > Edição 877 > Curitiba, 24 de abril de 2014

Vacinação contra a Gripe A começa em Curitiba Secretaria Municipal de Saúde iniciou na ultima terça-feira a campanha de vacinação contra o vírus H1N1 e a meta é imunizar cerca de p.3 310 mil pessoas COLUNISTAS

EDITORIAL “O debate gira em torno da chamada “governança de rede”: quem passará a mandar na internet?” p. 2

OPINIÃO “O Brasil prefere – juntamente com China, Índia, Argentina, Uruguai, Equador e Paraguai – ficar em silêncio.” p. 2

Moradores criam página na internet e evitam ação dos bandidos Cansados dos constantes roubos no bairro do Santo Inácio, moradores evitam roubos de carros, e até mesmo invasões de residências

#PARTIU

p. 4

“A vida de Jesus Cristo talvez seja a história mais abordada na sétima arte.”

p. 6

Rodrigo da Silva “O caso do juiz do Rio de Janeiro é, sem dúvida, um exemplo da falta de conciliação, arbitrariedade prévia e de respeito com o papel do judiciário. “ p. 5

Julia de Cunto “Paralisia de quem viu nostalgia condensada em água. Esse adeus não foi e nem nunca será consumado. Gabo estará imortalizado nos corações de gerações de leitores.” p. 5


LONA > Edição 877 > Curitiba, 24 de abril de 2014

2

EDITORIAL

Hora de decidir quem manda na internet A semana começou com mudanças importantes para a internet brasileira. Foi aprovado ontem (22) no Senado o projeto de lei que institui o Marco Civil da Internet, que compõe uma espécie de Constituição para o uso da rede no Brasil, estabelecendo princípios, garantias, deveres e direitos para os usuários e provedores. Agora, o texto segue para sanção da Presidente da República. E hoje (23), o Brasil sediará um encontro entre empresas e grupos técnicos de diversos países para discutir qual deve ser a extensão do poder de quem passará a “mandar” na internet. A aprovação do projeto de lei, que desde 2011 tramitava na Câmara dos Deputados, se concretiza em apenas um mês de trâmite no Senado Federal, contrariando ao que se imaginava tratar de um processo muito mais lento. Coincidentemente ou não, a medida é tomada no dia anterior à realização do evento para tratar do tema no país. A pressa do governo em transformar o projeto em realidade para ser apresentado na conferência internacional é uma boa justificativa para a rapidez no processo, já que nem sempre se preza pela velocidade quando o assunto é legislação. O projeto, apesar de não ser recente, levanta a questão central: o novo rumo da navegação na internet brasileira a partir deste ano. Assim que a lei for sancionada, o princípio da neutralidade de rede, um dos pilares do projeto, entra em vigor.

OPINIÃO

Por um Brasil menos “suiço” Lis Claudia Ferreira

Apesar de todos os esforços – alguns até exagerados – de Lula para que o Brasil alcançasse uma posição de influência no cenário político mundial, o governo Dilma não faz questão de investir em relações internacionais que não sejam de interesse econômico direto do país. Enquanto Estados Unidos, os países da União Europeia e até mesmo Chile, Colômbia, Peru e México se manifestaram claramente sobre a anexação russa da Criméia, o Brasil prefere – juntamente com China, Índia, Argentina, Uruguai, Equador e Paraguai – ficar em silêncio. Como integrante do Brics o Brasil não tem nenhum interesse em contrariar Putin, mas com essa decisão, perde um pouco da credibilidade conquistada com Estados Unidos e alguns importantes paí-

ses da Europa e fica cada vez mais longe do tão sonhado – não por Dilma, claro - assento permanente no Conselho de Segurança da ONU. Não é a primeira vez que o governo de Dilma tenta se manter “neutro” em uma situação política de tamanha importância: sobre a crise da Síria (que já matou mais de 100 mil pessoas) o Ministério das Relações Exteriores limitou-se a condenar o uso de armas químicas e dizer que a questão deveria ser resolvida diplomaticamente enquanto a maior parte das grandes potencias apoiavam um ataque maciço às forças de Bashar Al-Assad. Recentemente – após a demissão de Antônio Patriota - o Brasil declinou o convite para participar da conferência de Genebra II, que discutiu a crise na Síria, e também

da Conferência de Segurança de Munique, que reuniu representantes das principais potências do mundo para debates sobre políticas de segurança. Com a estratégia adotada Dilma deixa claro que não concorda com a política externa de seu antecessor Lula, que fez questão de participar (e opinar) sobre qualquer questão internacional quando teve a oportunidade. Com a tentativa de manter a neutralidade para garantir os ganhos econômicos diretos, Dilma corre o risco de ver os “dois pássaros voando”. Na queda de braço das forças econômicas mundiais não é difícil prever o vencedor, afinal, a as relações internacionais seguem o padrão de qualquer vínculo: “manda mais, quem pode mais”.

Realizado hoje em São Paulo, O NETMundial promove o debate que gira em torno da chamada “governança de rede”: quem passará a mandar na internet? A elaboração de uma carta de princípios sobre questões como domínios de rede e liberdade de expressão está entre os temas que serão levantados no encontro. A Presidente Dilma participará do evento para levar o Marco Civil da Internet – agora oficialmente aprovado - como resposta às denúncias de que instituições brasileiras teriam sido espionadas pela Agência de Inteligência dos Estados Unidos. Está explicada a rapidez. Ilustração por Carlos Latuff do site Opera Mundi

Expediente Reitor José Pio Martins Vice-Reitor e Pró-Reitor de Administração Arno Gnoatto

Pró-Reitora Acadêmica Marcia Sebastiani

Coordenação de Projeto Gráfico Gabrielle Hartmann Grimm

Coordenadora do Curso de Jornalismo Maria Zaclis Veiga Ferreira Professora-orientadora Ana Paula Mira

Editores Ana Justi, Kawane Martynowicz e Luiza Romagnoli


Curitiba, 24 de abril de 2014 > Edição 877 > LONA

3

NOTÍCIAS DO DIA

Expectativa da vacinação é imunizar 310 mil pessoas A campanha da Secretaria Municipal de Saúde sofreu com o atraso e começou 6 dias após o prazo estipulado pelo Ministério da Saúde Ana Cristina Mayer

Começou no dia 22 de abril a campanha de vacinação contra a influenza A (H1N1) em Curitiba, as vacinas estão sendo aplicadas gratuitamente nas 109 unidades de saúde e também em uma tenda especial montada na Boca Maldita. A expectativa da Secretaria Municipal de Saúde é imunizar cerca de 310 mil pessoas, o que corresponde a 80% da população que integra os grupos vulneráveis: idosos, portadores de doenças crônicas, gestantes, mulheres até 45 dias após o parto, indígenas, pessoas privadas de liberdade, crianças entre seis meses e cinco anos e profissionais da saúde. A campanha da Secretaria Municipal de Saúde sofreu com o atraso e começou 6 dias após o prazo estipulado pelo Ministério da Saúde. Segundo a diretora do Centro de Epidemiologia de Curitiba, Juliane Oliveira, o prazo foi alterado por questões logísticas e pelo atraso na fabricação das vacinas, “A vacina é produzida a cada ano, o Ministério da Saúde não tem um estoque. A nova vacina é produzida a partir dos vírus que foram identificados circulando no hemisfério sul, o que ocasionou um pequeno atraso no inicio da campanha.” A influenza A é transmitida através de um vírus que provoca febre repentina, dores de garganta, tosse e fraqueza, entretanto se não diagnosticada, a doença pode se agravar e levar o paciente a óbito. Além da vacinação também existem outras maneiras de prevenir a doença como higienizar as mãos e manter os lugares bem arejados. A atendente Rosilda Ribeiro que se enquadra nos grupos de risco afirma que além de tomar todos esses cuidados prefere também tomar a dose da vacina, “Desde que começaram as campanhas eu sempre tomei, prefiro

que preferiu pagar para tomar a vacina, pois no posto de saúde ela precisaria de uma prescrição médica, “ Eu preferi tomar aqui na faculdade mesmo, paguei mas não precisei me preocupar com a prescrição que confirma minha bronquite”.

Na foto Adriana dos Santos, grávida > Foto por Adenilson Nunes/Agecom

sentir dor do que ficar doente.” Os laboratórios de medicina particular também estão disponibilizando as doses, qualquer pessoa pode ser imunizada desde que pague pela vacina. Em Curitiba os preços variam entre 60 e 80 reais. Para o médico Claudio Paciornik a vacinação deve ser feita em toda a população, pois assim o risco de espalhar a doença diminui e deixa um alerta, as vacinas podem acabar, “todos os anos a corrida pela vacina é intensa, e a quantidade disponibilizada para o Brasil é única, depois de liberada dificilmente entram mais doses em nosso país. Então é importante que quem puder se vacinar, se vacine pois com certeza este ano as doses podem acabar”.

“Se vacine, pois com certeza este ano as doses podem acabar”.

A campanha de vacinação vai até o dia 9 de maio, as pessoas que fazem parte dos grupos de risco devem levar até os postos de saúde os documentos de identidade, certidão de nascimento, carteira de vacinação e os portadores de doenças crônicas devem apresen-

tar uma prescrição médica para confirmar a doença. Já nos laboratórios particulares a única exigência é o documento de identidade. Grupo Positivo O Grupo Positivo fechou uma parceria com o Centro de Vacinação Parcionik, funcionários e estudantes terão descontos na hora da imunização contra o vírus da gripe A. 3 mil doses de vacinas foram separas para o grupo Positivo e segundo o doutor Claudio Parcionik podem ser tomadas no laboratório. Para os estudantes e funcionários da Universidade Positivo a imunização fica mais fácil, as doses serão aplicadas na enfermaria do campus. Boa parte dos funcionários e estagiários da Universidade já tomaram a vacina, a estagiária Laura Torres, que faz parte dos grupos de risco conta

Outra vantagem mencionada pelo doutor é que os familiares de alunos e funcionários também podem ser imunizados com o desconto no pagamento da vacina. Os estudantes dos Colégios Positivo são campeões em procura, segundo o doutor os pais se preocupam bastante com as crianças e preferem imuniza-las, é por esse motivo também que não sobram doses ao final da campanha. A enfermeira da Universidade Positivo Milene Cristiane Claper, afirma que a iniciativa da instituição foi importante, “A procura pela vacina foi grande aqui na UP e é muito importante a iniciativa da instituição pois assim já se cria um ambiente imunizado.” A universidade ainda não abriu a vacinação para os estudantes , mas s vacinas já podem ser tomadas com desconto no centro de vacinação Parcionik, na rua Lourenço Pinto no centro de Curitiba. A estimativa do doutor é que a vacinação aconteça até o dia 20 de maio.

Foto: André luiz D. Takahashi/ ASCOM - Prefeitura de Votuporanga


LONA > Edição 877 > Curitiba, 24 de abril de 2014

4

GERAL

Grupo no Facebook denuncia assaltos em bairro de Curitiba Moradores do bairro Santo Inácio, em Curitiba, resolveram usar a rede social para compartilhar informações e alertas, evitando furtos na região Amanda Bertoli

Cansados dos assaltos constantes no bairro os moradores tiveram uma ideia: criaram o “SOS Santo Inácio”, um grupo fechado no Facebook que conta com 1248 membros, e é destinado ao compartilhamento de informações e denúncias em tempo real. A ideia, como explica o administrador da página, Marcelo Lunardon, surgiu após várias casas da região serem invadidas. “Nós precisávamos de um canal para nos comunicar em tempo real com um grande número de pessoas”, conta. Lunardon explica que o grupo também aproxima vizinhos, e faz com que comessem a cuidar um dos outros, tornando o bairro mais amigável. Graças ao compartilhamento de conteúdo na página, Lunardon relata que assaltos já foram evitados. Com a ajuda de um aplicativo, que identifica automóveis e motos com emplacamentos falsos, os membros do grupo e a polícia foram avisados da presença de criminosos que planejavam invadir residências. Após as ações via Facebook, os membros do grupo passaram a também tomar atitudes fora do meio digital. Câmaras de segurança, buzinas, apitos e segurança privada estão entre os pontos discutidos e avaliados para aumentar a segurança nas ruas. Reuniões com representantes da Polícia Militar (PM) também já foram realizadas nos últimos meses. No último encontro, os oficiais decidiram manter uma forçatarefa no bairro. Roubos em Curitiba Curitiba é, atualmente, a sétima capital brasileira com o maior índice de roubos de automóveis. Segundo números da Confederação Nacional das Empresas de Seguros (CNseg), 24 carros eram roubados por dia na cidade em 2013, o que resulta em 8.881 veículos furtados em um ano. De acordo com o mesmo levantamento, nem metade deles foram recuperados.

Dentro de casa, os curitibanos não se sentem seguros. Dados divulgados em 2011 pelo Ministério da Justiça revelaram que os moradores da capital são os que mais temem assaltos em residências no país. Em média, a cada ano, o número de pedidos de instalações de equipamentos de segurança na cidade cresce 20%. Redes Sociais Há algum tempo que as redes sociais não são mais vistas como simples espaços para conhecer pessoas e manter contato com amigos e familiares. Cada vez mais, sites como Facebook e Twitter vêm se tornando ambientes democráticos de compartilhamento de informações úteis para a sociedade. De acordo com o IBOPE, mais de 46 milhões de brasileiros possuem conta em alguma rede social, representando 73% da população com acesso à internet. Esses usuários são predominantemente jovens entre 18 a 29 anos que estão online pelo menos uma vez por dia. Em sua dissertação de mestrado, “Redes Sociais Virtuais: Um Estudo da Formação, Comunicação e Ação Virtual”, Daniel Bonfim da Silva expõe a principal diferença entre as redes sociais e a mídia tradicional: a possibilidade de todos os usuários gerarem conteúdo. “O usuário dessas redes não se limita à posição de espectador, pois ele pode ser também autor, produtor e promotor de textos ou outros materiais” explica. As redes sociais se tornaram um meio de circulação de conteúdos alternativos, que não possuem espaço nos veículos de comunicação tradicionais. Esses sites se tornaram ferramentas de combate à violência, como no exemplo do “SOS Santo Inácio”, mas também de mobilizações sociais como a localização de animais desaparecidos e campanhas solidárias.

Página do SOS Santo Inácio, criada pelos moradores > Imagem: Reprodução do Facebook

Como se proteger Site da PM oferece dicas para evitar assaltos em veículos, ônibus, caixas eletrônicos, e até mesmo sequestros relâmpagos A Polícia Militar do Estado do Paraná disponibiliza em seu site uma Cartilha de Segurança Residencial, assim como oferece dicas para evitar assaltos em veículos, ônibus, caixas eletrônicos, e até mesmo sequestros relâmpagos. São diversas cartilhas feitas com base em pesquisas doas delitos registrados pela PM. Além de segurança Residencial, há dicas sobre segurança de idosos, família, comércio e até mesmo rural.

ça de um cão de guarda, e aguardar o fechamento de portas e portões antes de sair de casa, também estão inclusas. Além disso, familiares e empregados não devem contar à estranhos os hábitos da família e bens que possuem. Técnicos só devem entrar quando solicitados, e ao viajar é aconselhado avisar parentes ou vizinhos de confiança, para que vigiem a residência e coletem as correspondências.

O principal conselho é não reagir, principalmente se o criminoso estiver armado. Segundo a PM, é importante possuir sistemas de alarmes, tanto em casas quanto em veículos. Embora não evite a ação dos bandidos, ainda é uma meio de intimidação. Ambientes iluminados devem ser escolhidos ao estacionar o carro ou moto. Durante o dia, no entanto, para casas, não é recomendável manter luzes acessas.

Para evitar assaltos em veículos, a dica é não deixar objetos de valor no interior, assim como acessórios que chamem a atenção, como rodas e aparelhos de som. Durante a noite, a atenção deve ser dobrada, principalmente em cruzamentos e ao estacionar.

Entre as sugestões, estão medidas preventivas básicas, como a presen-

Nos ônibus as posturas sugeridas envolvem andar com pouco dinheiro, evitar a permanência nas portas de embarque e desembarque, e cuidar com bolsas e carteiras, alvos preferidos dos punguistas.


Curitiba, 24 de abril de 2014 > Edição 877 > LONA

5

COLUNISTAS

Geni e o Zepelim Rodrigo da Silva

limites do bom senso. O caso do juiz do Rio de Janeiro é, sem dúvida, um exemplo da falta de conciliação, arbitrariedade prévia e de respeito com o papel do judiciário.

Os descabidos da Justiça

O senhor, ou melhor, Doutor Antonio Marreiros da Silva Melo Neto, juiz da 6ª Vara Cível de São Gonçalo, propunha em sua ação o direito de ser chamado pelo funcionário do condomínio de Doutor, ou ao menos de Senhor, já que a síndica era chamada de dona Janette.

Calcula-se – segundo dados do CNJ – que tramitem nos tribunais de todo Brasil, cerca de 90 milhões de processos judiciais. Isso dá algo nem torno de dois processos por habitante. Contando que muitos morrerão sem jamais ter utilizado a Justiça, o número é, realmente, discrepante. Pior ainda, é quando se analisam o teor desses processos. No final do mês passado, o STF – a mais alta instância do judiciário – analisou processo que tratava de um senhor que havia roubado duas galinhas. E esta semana, o ministro Ricardo Lewa-

Diante da agressividade do funcionário e da contrariedade do pedido se viu no direito de pleitear na Justiça seu desejo. Ora, tenha acontecido o que quer que seja no condomínio do juiz, desde que não agressões ou atentados à dignidade humana, o que não foi o caso, não havia motivos para o ocorrido chegar à Justiça. Vale lembrar que o cidadão requisitante é um magistrado. E por que não havia motivos? Porque é preciso atentar para o valor que se dá às instituições. Em coro, a sociedade conclama por celeridade no Poder

ndwski teve de tratar do pedido de um juiz carioca que requisitava na Justiça o direito de ser chamado de Doutor, não no Fórum onde trabalha, mas no condomínio onde mora. É claro que o acesso aos direitos – assegurados pela Constituição e pelos códigos em vigor – precisa estar ao alcance de todos. Uma sociedade justa se faz também com uma justiça digna e isenta, a qual atenda aos anseios da população. No entanto, é de espantar que esses direitos ultrapassem os

Judiciário. Fatos como estes só emperram ainda mais os já entupidos gabinetes de juízes Brasil afora. Muitos desses processos são ações do Estado, sabese, mas ainda assim é preciso compreender o que é de necessidade ou não tramitar na Justiça. Não é preciso chegar à Suprema Corte um processo por roubo de galinhas para saber que não há relevância no ocorrido para caracterizá-lo com crime. O caso do juiz carioca tramitava desde 2006 no Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro e chegou ao Supremo, porque o impetrante julgou ter sido ofendido no que diz respeito à dignidade da pessoa humana. Obviamente que não. O que houve – e não é difícil de perceber – foi um desentendimento entre alguém que julgava estar sendo tratado como não devia e alguém que discordava disso. Ponto. O velho e excelente aliado bom senso resolveria o problema. Os poderes estão aí, e assim deve ser, para servir ao cidadão e não para amenizar egos feridos de quem quer que seja.

Gabo Gabriel García Marquéz desperta, através de sua obra “Cem Anos de Solidão”, escrita em 1967, a descoberta das asas imaginárias que levam o leitor ao vértice de qualquer imaginação domada. O olhar da família Buendía sobre aquela cidade fantasiosa chamada Macondo é o de quem viajou incansavelmente pelos meandros da vida, sem sair do lugar. reciclando um vazio que nunca se preenche. Este espaço tão largo e profundo que o ser humano separa dentro de si para o amor, mas que é na verdade completo por solidão. Seja por escolhas erradas, uma vida feita de planos mecanicistas, pessoas enviesadas ou mesmo a falta de amor próprio. Característica do realismo fantástico, a história possui entrelaçamentos temporais – algo que tempo e espaço não permitiriam acontecer, - os personagens herdam o nome uns dos outros e o estado de espírito da família, criando padrões que se repetem. O livro é considerado a obra-prima de Marquéz não

somente por ser um dos textos mais emocionantes do universo, mas também pela história por trás da história. A própria história de vida do autor toca os leitores. A visão sentimental do mundo, nessa obra, foi a que mais tocou fundo gerações e gerações. E foi a que mais emocionou o próprio autor, a quem, anos depois, acabou rendendo o Prêmio Nobel de Literatura, em 1982. Com “Cem Anos de Solidão”, Gabo produziu um diário aberto, linhas contundentes que contam mais que histórias: suas próprias histórias, inspiradas na infância cheia de fantasias, na cidade de Aracataca, e fomentada no imaginário de seus avós. Macondo, uma cidade assolada por pragas de insônia, deixou leitores sonhando para que essa trama viajante nunca terminasse. E que os desdobramentos da vida prossigam sem interrupções e sem receios. Gabriel deixa seus leitores em uma quinta-feira san-

Poética Emblemática

Julia de Cunto

ta, acenando um adeus, e no aguardo de que atrase o mundo naquele momento em que “muitos anos depois, diante do pelotão de fuzilamento, o coronel Aureliano Buendía havia de recordar aquela tarde remota em que seu pai o levou para conhecer o gelo”. Paralisia de quem viu nostalgia condensada em água, pragmaticamente chamada gelo. Esse adeus não foi e nem nunca será consumado. Gabo estará imortalizado nos corações de gerações de leitores por embarcá-los em uma viagem que transpõe fronteiras do real e do imaginário com amor e solidão, mais amor que solidão, mais amor que um destino certo. Gabriel é

a revelação da infinita capacidade de poesia contida na vida humana. Gabriel García Márquez, Gabo, faleceu no dia 17 de abril de 2014, aos 87 anos. O autor colombiano é considerado o maior escritor latino-americano por seus romances célebres: “Cem Anos de Solidão”, publicado em 1967 - vendeu, até hoje, mais de 50 milhões de exemplares - e vencedor do Prêmio Nobel de Literatura em 1982; e “O Amor nos Tempos do Cólera”, de 1985. Jornalista, esquerdista, fã de Hemingway e de Woody Allen, Gabo mudou a ótica do mundo em relação ao continente Sul -americano e sua produção cultural.


LONA > Edição 877 > Curitiba, 24 de abril de 2014

6

ACONTECEU NESTE DIA

Telescópio Hubble é lançado ao espaço Em 24 de abril de 1990 o Telescópio Espacial Hubble (em inglês Hubble Space Telescope) é lançado para o espaço. O Hubble é um satélite astronômico artificial não tripulado que transporta um grande telescópio para a luz visível e infravermelha. O telescópio é a primeira missão da NASA pertencente aos Grandes Observatórios Espaciais consistindo numa família de quatro observatórios orbitais, cada um observando o Universo em um comprimento diferen-

te de onda, como a luz visível, raios gama, raios-X e o infravermelho. Pela primeira vez se tornou possível ver mais longe do que as estrelas da nossa própria galáxia e estudar estruturas do Universo até então desconhecidas ou pouco observadas. O Hubble foi batizado em homenagem a Edwin Powell Hubble, que revolucionou a Astronomia ao constatar que o Universo estava se expandindo.

Telescópio Hubble > Foto: NASA > Divulgação: Wikimedia Commons (domínio público)

#PARTIU Em Cartaz Divergente Aventura > 139min > 12 anos Julio Sumiu Comédia > 99min > 16 anos Amante a Domicílio Comédia > 98min > 14 anos O filho de Deus Drama > 138min > 14 anos

Exposições Viagens Fotográficas Ingresso: gratuito Data: 29 de março a 22 de junho – terças a domingos Horário: 9h às 12h e 13h às 18h (3ª a 6ª feira); 9h às 14h (sábado, domingo e feriados) Classificação: livre Local: Casa Romário Martins Triângulo Ingresso: gratuito Data: 14 de março a 01 de junho – terças a domingos Horário: 9h às 12h e 13h às 18h (3ª a 6ª feira) e 9h às 14h (sábado, domingo e feriado) Classificação: livre Local: Museu de Arte Sacra – MASAC Projeção Ingresso: gratuito Data: 13de março a 19 de maio – terças a domingos Horário: 9h às 12h e 13h às 18h (3ª a 6ª feira); 12h às 18h (sábado, domingo e feriado) Classificação: livre Local: Museu da Fotografia Cidade de Curitiba

“Divergente” tem melhor estreia no Brasil Na futurística Chicago, quando a adolescente Beatrice (Shailene Woodley) completa 16 anos ela tem que escolher entre as diferentes facções que a cidade está dividida. Elas são cinco, e cada uma representa um valor diferente, como honestidade, generosidade, coragem e outros. Beatrice surpreende a todos e até a si mesma quando decide pela facção dos destemidos, escolhendo uma diferente da família, e tendo que abandonar o lar. Ao entrar para a Dauntless, ela torna-se Tris e vai enfrentar uma jornada para afastar seus medos e descobrir quem é de verdade. Além disso, Tris conhece Four, um rapaz mais experiente na facção que ela, e que consegue intrigá-la e encantá-la ao mesmo tempo. O filme é baseado no livro homônimo de Veronica Roth.

Poster divulgação

Mais um filme sobre Cristo A vida de Jesus Cristo talvez seja a história mais abordada na sétima arte, sob os mais variados enfoques. Desde o didatismo minucioso de Jesus de Nazaré, com mais de cinco horas de duração e dirigido por Franco Zeffirelli, até a sanha violenta de Mel Gibson em A Paixão de Cristo. Vindo de uma pescaria fracassada, Pedro (Darwin Shaw) encontra Jesus Cristo (Diogo Morgado), que o convence a segui-lo. Logo Cristo reunirá 12 apóstolos que têm por missão es-

palhar seus ideais pela Terra. Entretanto, por mais que pregue o amor ao próximo e a compaixão, sua crescente popularidade desperta a ira de pessoas importantes de Jerusalém, que não desejam que o status quo seja alterado. A traição de um de seus apóstolos, Judas (Joe Wredden), faz com que Cristo seja capturado e levado a julgamento. O Filho de Deus é dirigido pelo estreante no cinema Christopher Spencer.


Lona 877