Issuu on Google+

Edição 853

WikimediaCommons

Notícia Antiga No dia 22 de outubro de 1962, aconteceu a Guerra dos Mísseis.

Curitiba, 22 de outubro de 2013

lona.redeteia.com

Abraji soma 96 jornalistas agredidos desde junho Bruna Alves

Um levantamento realizado pela Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo revela que 96 jornalistas foram agredidos desde o início das manifestações pelo país, no mês de junho. O maio número de ocorrências foi registrado nas duas cidades onde reflexos dos protestos seguem até hoje, em São Paulo e Rio de Janeiro.

Página 3 Divulgação Zélão

Revitalização no Parque Estadual do Monge na Lapa

O governador do estado, Beto Richa, autorizou a nova licitação para a revitalização do Parque Estadual do Monge na Lapa. Uma das primeiras licitações da obra em 2009 previa extrair os pinos e eucaliptos que comprometiam a biodiversidade do local e a reativação com infraestrutura adequada à área de lazer do parque. A obra já foi iniciada e paralisada diversas vezes, prejudicando a confiança da população, a visitação dos turistas e a prática do montanhismo, que vinha sendo feita desde 1998 na cidade. Página 4

Opinião Editorial

Fifa

Por onde anda?

“A partir do momento em que essa ação se dissemina, fica cada vez mais difícil estabelecer poíticas públicas de segurança sem estatísticas.”

“A Fifa e suas determinações incompreensíveis para a copa acaba por acarretar aos países, principalmente aos emergentes[...],” Maiara Yabusaki.

O que fazem os estudantes de jornalismo depois de formados? Saiba por onde anda o ex-aluna Marjori Von Jelita.

Colunistas

Página 5

Esporte “A participação dos times paranaenses na rodada do fim de semana do Brasileirão se deu apenas na série A, já que o Pa-

raná vai jogar na rodada da série B apenas nesta terça-feira, as 9 da noite [...],” Osmar Murbach.


2

Editorial

Instrumento de mudança Pesquisa publicada hoje indica que mais da metade da população de São Paulo já foi vítima de algum tipo de crime. O Centro de Políticas Públicas do Insper (Instituto de Ensino e Pesquisa) chegou a números altíssimos que demonstram a insegurança na maior cidade do Brasil e que pode ser estendida a outras ci-

dades do país. Das 3 mil pessoas entrevistadas, três em cada dez pessoas já perderam algum bem por roubo e 17% já foram ameaçados com arma de fogo. No entanto, o dado que mais chama atenção é o fato de 66% das pessoas não terem comunicado um caso de roubo à polícia. Muitos alegaram medo ou ineficiên-

cia na atitude. O número mostra que, além da insegurança mais que presente e comprovada, há um descrédito generalizado com a força que o cidadão pode ter. Apesar de inúmeros pedidos da polícia para realização de boletins de ocorrência, é enorme o número de pessoas que simplesmente não acreditam na eficá-

Por Onde Anda?

cia do documento para reaver algum bem perdido. A partir do momento em que essa ação se dissemina, fica cada vez mais difícil estabelecer poíticas públicas de segurança sem estatísticas. Infelizmente, a tendência é mesmo achar que é uma “perda de tempo” registrar a ocorrência em uma delegacia, como os entrev-

Para eles, do nosso bolso

Expediente

“exigências” de interesses únicos e exclusivos da própria Fifa, como tendas de p at ro c i n a d ore s e lojas oficiais. Uma vez que não houve e não haverá qualquer tipo de benefício à cidade e ao povo os governos reivindicam a devolução desse dinheiro. Nada mais sensato já que somos sede da Copa do Mundo e não doadores de dinheiro para uma instituição milionária que vive cercada de escândalos

caso e a ineficiência fazem parte do processo. Infelizmente, sem informação, a polícia apenas trabalha de forma paliativa, sem realmente pensar em algo voltado à prevenção e ao combate efetivo da violência. O instrumento principal de mudança está na mão do cidadão.

Marjori Von Jelita Me formei em dezembro de 2012, mas consegui um emprego no último semestre na faculdade, como eu disse que faltavam 6 meses para a minha formatura, eles me registraram ganhando o piso de jornalista. Estou na empresa - rádio RB2 AM 1430 há 1 ano e

O Ministério Público, numa ação inédita e corajosa, abriu seis ações judiciais contra a Fifa para ressarcir os estados brasileiros do Ceará, Rio de Janeiro, Pernambuco, Minas Gerais, Bahia e Distrito Federal sobre as estruturas temporárias exigidas pela entidade para os estádios que sediaram jogos da Copa das Confederações. As ações pedem a devolução mais que justa de R$ 230 milhões que foram gastos em

istados disseram. No entanto, essa é a única atitude que o cidadão comum pode ter para contribuir na definição de ações para combater a violência. É preciso, inclusive, alterar a forma de atendimento nas delegacias, de maneira que se encoraje o registro e a denúncia. Não adianta incentivar a população se, nas delegacias, o des-

de corrupção. Os gastos com essas estruturas temporárias nunca fizeram parte do contrato feito pela instituição com os estados, o que não torna obrigação desses pagar pelos interesses internos da Fifa. Além disso a federação bancou esses gastos na última copa, sediada na África do Sul, não existe razão para aqui a situação ser outra. O Brasil está gastando o dinheiro público com elefantes bran-

seis meses. Trabalho como repórter, âncora , produzo o jornal da RB2 primeira edição junto com outros jornalista, e o jornal da RB2 segunda edição - o qual eu apresento. Faço alguns trabalhos de locução freela para o mercado publicitário - fiz locução para propagandas

e vídeos institucionais. No momento estou procurando uma especialização em assessoria de imprensa, pois, é um mercado que gostaria de atuar de forma autônoma(mas estou tendo dificuldades de encontrar uma especialização nessa área aqui em Curitiba).

Maiara Yabusaki cos que depois da copa serão apenas recursos jogados no lixo. Não há necessidade de criar a Arena Amazônia, orçado em R$ 605 milhões e que custará R$ 6 milhões ao ano com capacidade para 44 mil pessoas, sendo que o estado não abriga nenhum time grande ou que irá usufruir de um estádio desse porte. Mas o estádio existe, graças a exigência da Fifa. A África está passando agora, o

que muito provavelmente enfrentaremos num futuro próximo. O estádio da Cidade do Cabo que custou ao país mais de R$ 1 bilhão agora está abandonado, servindo apenas para alguns amistosos da seleção do país e shows internacionais. O tamanho e consequentemente seus custos não atraem nenhum tipo de esporte a construção. A Fifa e suas determinações inc ompre e ns íve is para a copa acaba por acarretar

Reitor: José Pio Martins Professora-orientadora: Ana Paula Mira Vice-Reitor e Pró-Reitor de Administração: Arno Gnoatto Editores: Júlio Rocha, Lucas de Lavor e Marina Geronazzo Pró-Reitora Acadêmica Marcia Sebastiani Editorial: Da Redação Coordenadora do Curso de Jornalismo: Maria Zaclis Veiga Ferreira

aos países, principalmente aos emergentes, rombos gigantes nos cofres públicos e se utiliza desses recursos a seu bel prazer. Infelizmente se nosso país não quisesse tais gastos não deveria ter se candidatado como país sede, e nem deixado tudo para última hora. Agora arquemos com nossas consequências e exijamos mudanças por parte dessa instituição que abusa do seu poder.


Notícias do Dia

3

Abraji contabiliza 96 agressões a jornalistas desde junho A data marca o início das manifestações no Brasil. A maioria dos registros é em São Paulo, somando 35 agredidos em São Paulo, 23 no Rio de Janeiro e 15 em Brasília

Lucas de Lavor

Dos agredidos, 35 são da cidade de São Paulo, 23 do Rio de Janeiro, 15 em Brasília, 7 de Belo Horizonte, 6 de Fortaleza, 3 em Manaus, 3

em Salvador, 2 de Porto Velho, 1 em Niterói, 1 em Campinas, 1 em Porto Alegre, 1 em Aracaju. Em nota oficial, a Abraji “condena todos os atos de violência contra jornalistas, sejam praticados por manifestantes ou por policiais”.

Somente ontem, foram registrados quatro casos de agressão durante o leilão de libra,

campo petrolífero que estava sendo realizado no Rio de Janeiro. Uma repórter da Rede

Record, um fotógrafo da agência Demotix, um cinegrafista da da TV Brasil e um fotó-

grafo do O Globo foram as vítimas de agressão.

Divulgação

No mínimo 96 jornalistas brasileiros foram agredidos desde a as manifestações realizadas em junho desse ano, segundo dados divulgados pela Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji). 71 dos casos registrados foram causados por policiais ou agentes da Força Nacional, os outros 25 foram causados por manifestantes.

A Federação Nacional dos Jornalistas se manifestou sobre o caso do repórter fotográfico que na semana passada foi agredido por policiais, Yan Boechat, e também classificou o caso como inadmissível.

Festival de cinema ao ar livre chega em Curitiba 11ª edição do festival acontece em Curitiba. Evento traz clássicos como “O Poderoso Chefão” e “Pulp Fiction” Lucas de Lavor

Divulgação

E nos dias 31 de outubro a 10 de novembro, acontece em Curitiba o maior cinema ao ar livre do mundo, o Open Air Brasil. O evento ocorre pela primeira vez em Curitiba no Eco Estádio, e terá estacionamento gratuito para quem for de carro no Parque Barigui. Abrindo com o clássico “O Poderoso Chefão”, de Francis Ford Coppola, o evento tem raízes na Europa, no ano de 1988 e há 11 anos vem atraindo mais

espectadores no Brasil. Com shows ao vivo, o evento é patrocinado pela VIVO. No primeiro dia do evento no dia 31, serão apresentados “O Poderoso Chefão”, de Francis Ford Coppola. No dia 3 de novembro a apresentação da curta metragem “Tim, Vou Fazer Com o Que Tem” é seguida de “Django Livre” de Quentin Tarantino. Do mesmo diretor, é exibido “Pulp Fiction” às 20h45 no da 6 de novembro.


4

Geral

Parque Estadual do Monge na Lapa terá novo processo de revitalização A primeira etapa deste projeto de revitalização está prevista para ser concluída em 18 meses

Klarissa Henke

religiosa permanece aberto. O que estava no projeto de revitalização não foi cumprido e dezenas de espécies que estão na lista de extinção do Ibama foram arrancadas pelos tratores. Em 2010, o então governador Orlando Pessuti esteve na Lapa para assinar a ordem de serviço para o início das obras e a previsão de conclusão foi abril de 2011. Devido a falhas na documentação da empresa responsável, o governo suspendeu os trabalhos em agosto de 2012. A revitalização é composta por duas fases: esta que ainda não foi concluída e o receptivo, que terá estacionamento, restaurantes e quadras. Segundo o diretor de turismo da Lapa, Sérgio Vinícius, o parque estadual vai muito além de um simples parque. “A população da cidade está revoltada com esta situação que não é resolvida pelo governo do estado. O número de pessoas que deixaram de visitar o Parque do Monge é muito grande, algumas até acham que foi vendido”, completa Sérgio. “É importante resgatar a confiança da população e isso só acontecerá quando for possível mostrar que o parque está pronto”, afirma Sérgio. O que aconteceu foi muita descrença por parte da

população e resga- Tem muitos grupos tar isso não vai ser e atletas que chegam à cidade com suas fácil. famílias para o esEsportes no parque porte. José Luiz Mendes, conhecido O setor de turismo mais da Lapa está ten- como Zélão, é piotando, por meio do neiro de montaIAP, a liberação para nhismo e práticas viabilizar as vias verticais na Lapa. A de escaladas que escalada no parque se tornariam outro começou em 1998. segmento de espor- Os montanhistas tes radicais e os sal- têm a visão de que tos de voo duplo. O devem fazer as maParque do Monge é nobras a favor da um dos locais mais natureza, fazendo apropriados do es- melhorias e limpetado para as prá- zas nas trilhas para acidentes. ticas de escalada. evitar

Com a revitalização, a prática do esporte foi ainda mais prejudicada, pois, desde 2009, não é permitido fazer o montanhismo. Isso porque o IAP apenas permite a manutenção e limpeza das 50 vias de escaladas e os grampos. A Equipe Lapeana de Montanhismo, (ELMO) pede que a partir da revitalização do parque aconteça também um trabalho dentro das rochas, porque existem muitas

que estão pichadas. A liberação do IAP para a prática do montanhismo, seria importante para o esporte e o turismo, já que haveria um projeto de trilha com demarcações de informações turísticas desde a BR. A prática do montanhismo acontece o dia inteiro. José Luiz diz que é preciso uma área de camping, pois existem famílias e grupos grandes que procuram o local para esse esporte.

Divulgação Zélão

O Parque Estadual do Monge da cidade da Lapa é uma reserva natural e faz parte de uma unidade de conservação. Além da parte ecológica do parque, há também uma gruta religiosa que se transformou no decorrer dos anos em local de peregrinação, atraindo milhares de fiéis. Antes do início das obras, a média de visitações era de 1500 pessoas por final de semana. No dia 24 de setembro deste ano, o governador Beto Richa autorizou uma nova licitação para a revitalização do parque estadual. Na obra, será investido R$ 1,5 milhão. A licitação para retomada das obras será feita pela Paraná Edificações, da Secretaria Estadual da Infraestrutura e Logística. Em 2009, o ex-governador Roberto Requião autorizou o processo de revitalização do parque. O plano previa: extrair os pinos e eucaliptos que comprometiam a biodiversidade do local e reativar com infraestrutura adequada a área de lazer do parque. A data prevista para reabertura do parque, que contaria com receptivo turístico, local para lazer, prédios administrativos, museu, alojamento para pesquisadores, era fevereiro de 2010. Desde então, o parque permanece em obras, apenas o local de peregrinação


Colunistas

5

Osmar Murbach Do campo pro Lona A rodada do retorno do artilheiro Divulgação/Site Oficial do Coritiba

A participação dos times paranaenses na rodada do fim de semana do Brasileirão se deu apenas na série A, já que o Paraná vai jogar na rodada da série B apenas nesta terça-feira, as 9 da noite, contra o Atlético Goianiense, na Vila Capanema. A participação da dupla Atletiba foi resumida em uma derrota (do Atlético para o Goiás, por três a zero) e em uma vitória (do Coritiba, sobre o líder Cruzeiro, por dois a um). Mas o fato mais marcante desta rodada foi, sem sombra de dúvidas, a volta de Keirrison a balançar as redes pelo Coritiba. Começarei pelo Atlético, que na tarde de domingo foi até Goiânia para enfrentar o embalado Goiás, no Serra Dourada. E o furacão, dono de grande campanha na série A e, na minha opinião, figura praticamente certa na Libertadores do ano que vem, sofreu do efeito Goías no Serra, e foi derrotado pelo placar de três a zero. Vale ressaltar que o Goiás, que também faz grande campanha, passa a lutar por uma vaga na Libertadores, já que soma 46 pontos (quatro a menos que Botafogo e cinco a menos que o Atlético-PR). Os dois personagens do jogo em Goiás foram o forte calor e o atacante Walter. O calor pareceu tirar as ações do Atlético, que já não conta-

Keirrison é aclamado por Robinho, torcida festeja gol que afasta o verdão da zona da degola.

va com o maestro Paulo Bayer. Walter marcou gol, deu assistência e mostrou porque é o destaque do alviverde goiano neste ano. O primeiro gol do Goiás saiu aos 17 minutos da primeira etapa. Valter recebeu, chamou Maranhão pra dançar e após entortar o meia improvisado na lateral esquerda, deixou Roni livre para marcar. O segundo gol saiu aos 27. Roni driblou o zagueiro Manoel e cruzou pra área. A bola passou por Hugo, mas não por Dudu Cearense que só precisou rolar para o gol. No segundo tempo, o Atlético balançou as redes do Goiás, mas de maneira irregular. Gol validado mesmo foi o de Valter, aos 49. O atacante recebeu, driblou seu marcador e fuzilou o gol de Santos, que entrou no lugar de Weverton, machucado, ainda durante

a primeira etapa. Brasileirão será preocupação para Atlético e Goiás quinta e sexta, r e s p e c t i v a m e nt e , já que na quarta o furacão recebe o Internacional de Porto Alegre para tentar confirmar uma vaga nas semifinais da Copa do Brasil e na quinta o Goiás recebe o Vasco também tentando um lugar ao sol no torneio nacional. Pelo Brasileiro, o Goiás receberá o lanterna Náutico no domingo e o Atlético vai até Bahia enfrentar o Bahia também no domingo. O Coritiba, em situação complicada, recebeu o Cruzeiro no Couto Pereira. Todos os holofotes estavam no clube mineiro, pela posição e conforto na tábua de classificação, mas quem brilhou foi alguém que há muito tempo não marcava gols. O Coritiba mostrou que queria vencer

o líder a qualquer custo, indo pra cima com vontade e inspiração do seu meio de campo, principalmente com Robinho e Alex e de Geraldo e Carlinhos, pela esquerda. E foram exatamente os dois os personagens do primeiro gol. Após tabela, Geraldo deixou Carlinhos na cara do gol. O lateral, que estreava na titularidade do alviverde, contou com a falha de Ceará, do Cruzeiro, e fuzilou para o fundo das redes. O Cruzeiro no primeiro tempo foi bem marcado, mas mesmo assim manteve seu toque de bola envolvente, e por isso teve mais posse de bola. No segundo tempo, o Cruzeiro voltou a campo decidido a virar a partida. Marcelo Oliveira colocou em campo Luan no lugar de Egídio e Dagoberto no lugar de Borges. O árbitro da partida, Jailson Macedo

Freitas vinha tendo tarde tranquila até os 17 minutos, quando quase virou o personagem da partida, após marcar pênalti absurdamente inexistente de Luccas Claro em Willian. Dagoberto, que não tinha nada a ver com o erro do árbitro, cobrou e fez. O clima ficou tenso no Couto Pereira. O Coritiba atacava e o Cruzeiro contra atacava perigosamente. Foi aí que entrou a estrela do jogo. Keirrison entrou no lugar de Julio César, que mais uma vez não esteve muito bem. Há dois anos sem marcar, o jovem atacante, revelado nas categorias de base do verdão, saiu do jejum. Após cruzamento de Carlinhos, o destaque da partida (segundo a rádio Transamérica) o atacante cabeceou bem e a bola morreu no canto esquerdo de Fábio. O estádio explo-

diu. Lágrimas saíram dos olhos do agora K19, que sofreu com duas lesões muito sérias em sequência. E o garoto merecia o presente, lutou muito por ele, e nada mais justo que alguém que tem um potencial e uma perseverança tão grande para continuar no esporte. A torcida do Coritiba agradece, já que o verdão se distanciou da zona de rebaixamento. No próximo fim de semana o alviverde receberá o Grêmio, também postulante ao título, no Couto Pereira. O Cruzeiro receberá o lanterna Criciúma, no Mineirão, ambos os jogos no Domingo. Antes de mais uma pedreira no Brasileiro, o Coritiba vai até a Colômbia enfrentar o Itagüi, às 23 horas. Espera-se que o K19 esteja lá também, e que volte a ser o K9 de 2008.


6

NOTÍCI ANTIGA No dia 22 de outubro de 1962, aconteceu a Guerra dos Mísseis. Americanos e soviéticos estavam em um momento de muita tensão. John Kennedy presidente dos Estados Unidos, e Nikita Kruschev, secretário-geral do Partido Comunista da União Soviética, na época da Guerra Fria (entre o mundo capitalista e o comunista), desistiram de tomar uma decisão que poderia crescer

de forma imensa, afetando drasticamente o futuro do mundo, e gerando uma possível Terceira Guerra Mundial. No meio de toda essa confusão, Fidel Castro, comandante da revolução de Cuba, resolveu se tornar aliado de Kruschev, instalando mísseis nucleares numa ilha com localidade próxima a Flórida. Durante 13 dias, a incerteza sobre uma nova guerra

nuclear permaneceu entre a população mundial. A retirada dos mísseis estadunidenses da Turquia, foi realizada secretamente por Kruschev, que concordou em remover os mísseis que se encontravam em Cuba. Enquanto isso a população dos EUA se defendia como podia, apesar das circunstâncias.

O que fazer em Curitiba? Galeria Teix De 5 a 30 de setembro, na Galeria Teix (Rua Vicente Machado, 666), fica a exposição “Quanto um Chapéu de Palha”, e reúne 11 obras inéditas em tecido, bordadas e pintadas à mão do artista Alexandre Linhares. Informações: (41) 3018-2732. Exposição “Consciente do Inconsciente” no MASAC De 8 de agosto a 3 de novembro, no Masac – Museu de Arte Sacra da Arquidiocese de Curitiba (Largo da Ordem - Setor Histórico), tem a exposição São Francisco de Assis – O Homem Atemporal, com esculturas da artista plástica Nilva Rossi. Memorial de Curitiba Até dia 3 de novembro, no Memorial de Curitiba (R. Claudino dos Santos, 79 – Setor Histórico) fica a exposição “Curitiba Protesta”. As recentes manifestações populares que tomaram conta das ruas de todo o país são tema da exposição Curitiba Protesta. Integram a mostra 60 imagens feitas por fotojornalistas que acompanharam as manifestações, apresentando um recorte visual dos principais momentos dos atos que lotaram ruas e avenidas do centro da capital. Entrada franca. Informações: (41) 3321-3328.


Lona 853 - 22/10/2013