Issuu on Google+

Curitiba

Notícia Antiga

Chuva

Primeira transmissão ao vivo em âmbito mundial, gravação da música All You Need Is Love dos Beatles. Página 6

Mín. 14ºC Máx. 18°C Mais informações: www.simepar.br

Ano XIV Edição 7994 Terça-feira, 25 de junho de 2013

lona.redeteia.com

Fruet anuncia lançamento de 3 centros de apoio aos usuários de drogas

O encerramentoda 5ª Semana de Enfretamento às Drogas foi marcado pela primeira Jornada Municipal de Combate às drogas, evento que contou com a participação do prefeito Gustavo Fruet e deve ganhar edições futuras. Página 3

Geral O Go Skate Day é um evento que reúne skatistas com o objetivo de estimular a prática esportiva do skateboarding e chamar a atenção do governo municipal para reivindicações como a construção de novas pistas de skates e a melhoria das já existentes. Curitiba é referência mundial, e contou com a participação de 20 mil pessoas. Página 3

COLUNAS

Página 2 Protestos

Obudsman

Por onde anda?

“De quem é a culpa da baderna? Da polícia? Da organização da farofada? Os baderneiros que não tiveram educação?”, Bruna Alves

“A função do ombudsman (e a de professora), no entanto, não pode se limitar a aplaudir os acertos”, Rosiane Correia de Freitas

O que fazem os estudantes de jornalismo depois de formados? Saiba por onde anda a ex-aluna Cleusa Slaviero

Economia

Gastronomia

Não é surpresa que a Copa do Mundo do Brasil está com um orçamento alto demais, é maior que o valor somado do valor gasto nas três últimas Copas. Ainda assim, esse valor não supera o gasto anual com corrupção, como conta Lucas Kotovicz.

Comer é um grande prazer para muita gente, já cozinhar é outra história. A colunista Izabelle Ianchuck dá dicas de cursos de culinária para aqueles que querem expandir o prazer da gastronomia não só para o momento de comer mas também para o de preparar a comida.


Terça

P2

junho, 2013

OPINIÃO

Editorial Resposta aos protestos Parece que as manifestações realmente não foram completamente irrelevantes, a presidente Dilma reuniu todos os governadores e prefeitos das capitais brasileiras para debater soluções para as milhares de reclamações dos protestantes. Os preços dos videogames e da cerveja não estavam em pauta, para a tristeza de muitos. A presidente levantou cinco pontos em especial: economia, reforma política, saúde, transporte público e educação. O segundo destes cinco pontos já foi cortado em um aspecto, o mais radi-

cal dos discutidos. Dilma propôs a convocação de um plebiscito sobre uma constituinte para a reforma política do país. Em reunião com o presidente da OAB, chegou à conclusão de que a Constituição de 1988 ainda funciona e que seria trabalho desnecessário alterá-la por inteiro. Mas a questão da reforma política ainda deixa dois pontos muito importantes para serem debatidos: tornar a corrupção um crime hediondo e ampliar a Lei de Acesso à Informação. O primeiro mais parece uma estratégia publicitária, consider-

ar a corrupção um crime mais grave não quer dizer, necessariamente, que aqueles a praticam serão efetivamente punidos. E o outro pode ser um passo adiante na tentativa de dar transparência ao trabalho dos políticos brasileiros, estratégia que já foi tomada há algum tempo e, ainda assim, não surtiu efeito satisfatório. Em relação ao estopim da “revolução”, o grupo debateu a possiblidade do aumento da desoneração do PIS-Cofins sobre o óleo diesel dos ônibus e a energia elétrica usada por metrôs e trens. A medida jogaria o prejuízo

Culpados da história Na última sexta feira, 21, a Farofada com intuito de permanecer na Rui Borbosa foi dividida em três grupos que saíram protestando pela cidade, dois deles acabaram em conflito. Cheguei às 19h no centro da cidade com chuva, frio e sozinha procurando os protestantes. Finalmente me juntei a colegas e seguimos rumo ao Palácio Iguaçu. Tudo muito estranho no Centro Cívico, parecia que dava pra prever que iria dar confusão. Bagunça com o mastro, bandeiras subindo e descendo, um caos. Meu celular começou a to-

car desesperadamente com mensagens “Você está bem?” “Bruna? Atende o telefone!” “O que está acontecendo?”. Definitivamente eu não estava entendendo nada. Do outro lado da cidade, na Arena, a violência havia começado. Quem foram os culpados? Se o princípio da farofada era permanecer na Rui Barbosa como que a TOF esperava a manifestação por lá? Suspeito! Ouvi vários depoimentos culpando única a exclusivamente os torcedores do Atlético. No mínimo, peculiar. Isso que um dia antes eu ouvi dizer que as torcidas iriam se juntar pacificamente para manifestar jun-

O LONA é o jornal-laboratório do Curso de Jornalismo da Universidade Positivo. Rua Pedro Viriato Parigot de Souza, 5.300 - Conectora 5. Campo Comprido. Curitiba -PR CEP 81280-30 Fone: (41) 3317-3044.

tas. Ah! Tão ingênua. Por um lado gritavam “sem vandalismo”, pelo outro destruíam tudo. Por um lado exigiam educação, por outro pichavam “revolução”. A multidão cantava “Ei, soldado, você está do lado errado” e por outro, jogavam bombas e pedras em cima de quem estava protegendo patrimônio público. Os participantes? Gente de esquerda, gente de direita. Gente que queria quebrar tudo, gente que zelava pelo patrimônio. Gente que sorria enquanto desmoralizava a cidade referencia, gente que chorava por medo, insegurança, por não pode fazer

Alguém pode dizer que o mérito é mais das circunstâncias do que dos jornalistas. Mas acredito

que, muito embora seja mais fácil trabalhar numa semana rica de notícias, é preciso ser bom repórter (e bom editor) para aproveitar o momento. Frequentemente tenho criticado a abordagem corriqueira dada em matérias sobre eventos pelo jornal (e que, muitas vezes, viram manchete mesmo sem ter pique para isso). O que a semana passada mostrou é que nossos repórteres tem sangue na veia para tirar boas manchetes do dia a dia de reportagem. A função do ombudsman (e a de professora), no entanto, não pode se limitar a aplaudir os acertos. É preciso aproveitar o bom momento para manter a qualidade do jornal no alto (e,

foram presas e ainda não há o número total de feridos”. Ferido está o Centro Cívico e centenas de curitibanos que manifestaram sua indignação nas redes sociais. O povo também está ferido. De quem é a culpa da baderna? Da polícia? Da organização da farofada? Os baderneiros que não tiveram educação? Não estudaram bom senso? A Dilma é a culpada? Inibição de criatividade na infância? Pessoas que não tiveram oportunidades? Quantos fatores! O que não falta é culpado nessa farofada toda.

Por Onde Anda? assim, hoje meu projeto maior é tornar a Editora ComPactos numa referência para os novos autores que sonham em ver suas obras publicadas. O meu trabalho é complexo, atuo como editora e empresária, mas é gratificante. As etapas de editoração exigem comprometimento e dedicação, minha jornada é extensa, não posso garantir que folgarei em finais de semana ou em feriados, e como empresária as responsabilidades são imensas, as duas atividades são austeras, mesmo assim, são estimulantes, e ser editora me proporciona um sentimento de realização imenso.

Uma oportunidade única As cinco edições do Lona publicadas na semana passada registraram uma melhora sensível na qualidade do jornal. Começou com as fotos fantásticas das manifestações (a coordenadora do curso, professora Maria Zaclis Veiga, deve ter ficado orgulhosa), passou por manchetes boas, fortes, como a dos Males da corrupção e fechou com a cobertura dos protestos e da Copa das Confederações (que emplacou uma excelente matéria sobre o desinteresse do público por produtos com a marca da seleção brasileira).

nada e estar no meio da bagunça vendo o Centro Cívico ser destruído. Além de todos eles, tinha gente que nem sabia pelo que estava lá e tinha a gente. Os culpados? A polícia vai prender quem? Por quanto tempo? E os menores? Vai ter um sinalizador de gente da bagunça e gente que nem sabia direito porque estava ali? O estopim da Revolução Francesa foi o pão. No Brasil, a tarifa do busão. Meia dúzia de baderneiros derrubaram a bastilha e mudaram a história da França. Mas, zé, Curitiba é tão linda para ser destruída. Segundo a Gazeta “30 pessoas

Acervo Pessoal

Desde que me formei no ano de 2009, nunca parei de trabalhar com comunicação. A partir do meu trabalho de conclusão no curso de jornalismo na UP, escrevi um livro intitulado Sobre Amizade – As Pessoas Que Você Ama Mudam Sua Vida. Para lançar o livro, fundei minha própria editora, a ComPactos. Entre os diversos livros que a ComPactos lança, muitos são obras de jornalistas recém formados, algo que tem se tornado uma tradição. Me formei aos 47 anos, e cursar jornalismo era um desejo que acalentava desde a juventude e isso mudou a minha vida pra melhor. Os sonhos nunca acabam, realizamos um, nasce outro, e

não estão sendo aceitadas pelos brasileiros (que já vem gerando polêmica há algum tempo). Essas duas serão grandes divisoras de opinião e que podem gerar revoltas independentemente da decisão tomada. Ainda que a presidente tenha deixado assuntos importantes de fora, como as polêmicas decisões de Marco Feliciano, é bom saber que pautas relevantes estão sendo discutidas pelos políticos assustados. Agora, cabe ao pessoal dos protesto reagir de maneira racional, o que não tem acontecido.

Bruna Alves

Cleusa Slaviero Luersen Reitor José Pio Martins Vice-Reitor e Pró-Reitor de Administração Arno Gnoatto Pró-Reitora Acadêmica Marcia Sebastiani Coordenadora do Curso de Jornalismo Maria Zaclis Veiga Ferreira Professor-orientador Ana Paula Mira Editores-chefes Júlio Rocha e Marina Geronazzo Editorial Júlio Rocha

da redução das tarifas do transporte em cima de outras áreas. Uma solução interessante seria algo parecido com o que Fruet anunciou em Curitiba na semana passada, reduzir o investimento em publicidade da Copa do Mundo e entrar em acordo com a Câmara de Vereadores para economizar dinheiro. Dentre outras medidas discutidas, estão a aprovação do projeto de lei que destina 100 % dos royalties do pré-sal à educação (algo muito improvável) e trazer os médicos estrangeiros para ocupar posições que

Rosiane Correia de Freitas quem sabe, ir além). E as manifestações que varreram o país são um ótimo álibi para continuar a discussão sobre o que o Lona é e o que o Lona quer ser. O desafio parece ser fazer com que uma reportagem para o jornal deixe de ser tarefa de casa para ser mergulho no jornalismo, fazer com que o repórter deixe de se ver sozinho para se sentir parte de uma equipe. Foi isso que, senti, aconteceu com quem cobriu as manifestações na semana passada. É possível que novas manifestações aconteçam em todo o país. Como fazer para garantir que a qualidade se mantenha (ou avance)? É preciso sentar

e avaliar o que já foi feito. Identificar erros e corrigilos. Manter estratégias que tenham dado certo. Mudar aquelas que forem equivocadas. O Lona só será capaz de fazer isso se dialogar com seus repórteres e seus leitores. Parece ser uma oportunidade única para começar esse processo, uma vez que ainda há uma empolgação no ar. É desse diálogo que deve surgir uma fórmula ideal de produção de conteúdo do jornal que o alimente sempre com material de qualidade e pertinente. Um sistema que promova uma competição positiva entre os repórteres, cujo resultado é a escolha da melhor matéria como manchete e a seleção dos

melhores textos para figurar nas páginas do jornal. O debate deve ajudar todos os envolvidos a superar o medo dessa competição e da crítica. Não se faz bom jornalismo sem aprender a lidar com a crítica. Ela é parte do arroz com feijão de quem é repórter. Ser jornalista é ser vidraça. É parte da formação do profissional aprender a crescer com isso. O Lona já tem o mérito de ter se reiventado no início do ano com o novo design, agora espero que aproveite esse bom momento para reiventar também seu conteúdo.


P3

Geral

TERÇA 25 JUNHO, 2013

Programa de conscientização fecha a 5ª Semana de Enfrentamento às Drogas A primeira Jornada Municipal de Combate às Drogas aconteceu nesta terça-feira, o progama tem o objetivo de conscientizar a população das ações governamentais contra as drogas LUCAS SOUZA

Aconteceu nesta terça-feira (25) no teatro Guaíra, a primeira Jornada Municipal de Combate às Drogas, da cidade de Curitiba. Evento que finalizou o ciclo de palestras e discussões da 5º Semana de Enfrentamento as Drogas, mas que inicia um enorme desafio de mudanças de ações público e atitudes sociais do país. O evento tem o objetivo de conscientização da população das ações governamentais e secretariais ante as problemáticas sobre o uso e tráfico de entorpecentes na capital. A abertura foi marcada pelo discurso do prefeito Gustavo Fruet, que reforçou a importância da discussão aproximada do público para melhor resolver os problemas de relevância e proximidade social: “É uma forma de provocar a reflexão de quem não está ligado ao tema, fortalecendo a prevenção, a integração dos órgãos

públicos com o terceiro setor e as igrejas que promovem ações de reabilitação, fortalecendo a rede de saúde e de ação social”. Durante as várias palestras, foram levantados pontos positivos e negativos da atuação dos órgãos competentes e da legislação que a problemática está inserida. Houve em 2006 a promulgação da lei 11.343/2006 que tira a visão do usuário de drogas como um criminoso, mas sim, de dependente químico. Efetivamente, ao invés da privação da liberdade, o indivíduo é apresentado a uma realidade de preocupação com saúde, reinserção social, psíquica e de saúde. Diante esta mudança de lei, um dos pontos abordados foi a verdadeira eficácia desta mudança de análise do dependente químico. Segundo Diogo Buse, Diretor de Política Pública sobre

O diretor de Política Pública Diogo Buse em palestra da Jornada. Drogas da Secretaria Municipal da Defesa Social de Curitiba, houve uma precipitação nas mudanças políticas, pois há o déficit estrutural e de assistência. Atualmente o maior número de casas de reabilitação, apoio psicológico e familiar se dão por instituições religiosas que não tem ajuda governamental. Além da fortificação e

comunicação com essa rede, segundo o prefeito, até o final do mês serão inaugurados 3 centros regionais de apoio psicossocial de atuação 24 horas, além da contratação de mais profissionais, sendo acrescentados 200 leitos a disposição da população de Curitiba. A 5ª semana de discussões de enfrentamento as drogas termina

amanhã, quarta-feira (26), com uma caminhada pela rua XV de Novembro, a concentração ocorrerá na Praça Santos Andrade e a expectativa é de que os últimos movimentos e manifestações nacionais das últimas semanas intensifiquem a participação pública na caminhada.

Evento no Centro Civico de Curitiba comemora o dia mundial do skate Cerca de 30 mil pessoas compareceram ao Go Skate Day, evento que promove a prática sadia do esporte PEDRO TALES E AMANDA CAROLINA

A quinta edição anual do Go Skate Day, evento que celebra o dia mundial do skate, aconteceu em Curitiba, no último domingo (23). A passeata reúne skatistas e simpatizantes, com o objetivo de estimular a prática esportiva do skateboarding e também de chamar a atenção do governo municipal para reivindicações como, construção de novas pistas de skate e a melhoria das já existentes. O evento em Curitiba é referência mundial e a cada edição o record de público é batido, ano passado, mesmo embaixo de chuva, o evento teve a participação de 20 mil pessoas. A partir das 10h ocorreu a concentração de pessoas para a caminhada que começou pontualmente às 13h30min. O percurso iniciou-se na Praça Santos Andrade e teve como destino a Praça Nossa Senhora de Salete, passando por ruas históricas como a Rua Riachuelo. O evento durou cerca de quarenta minutos. No destino final, os participantes encontraram pistas de manobras livres para serem usadas,

e alguns quiosques que vendiam bonés, camisetas, skates, adesivos, alimentos e bebidas. Foram distribuídos no evento adesivos e shapes a alguns participantes, além de voluntários que deram aulas skates para iniciantes. Regada ao som de hiphop, a caminhada foi guiada por dois carros de som, que gritavam frases como “Somos skatistas, queremos mais pistas” e “Estamos aqui para provar que skate é esporte, não é crime”. De forma pacífica, a passeata seguiu seu rumo com o auxílio da Polícia Militar. A maioria dos participantes não apoiam o vandalismo e segundo um organizador e um tweet de Gustavo Fruet, prefeito de Curitiba, haviam 30 mil pessoas no evento. O Soldado Diego Fernandes contou que a P.M. tem o dever de proteger o cidadão, de garantir a integridade do patrimônio público e privado e que estava presente no evento para controlar possíveis ocorrências.

Os skatistas aproveitaram a oportunidade para praticar o esporte, fazer novas amizades e escutar música, atingindo o propósito central do Go Skate Day. A quinta edição do evento contou com a participação especial do cantor de rap Shawlin levando os fãs ao delírio. O público em geral era jovem, porém a old school e muitas crianças também estavam presentes. Além disso, a presença feminina foi expressiva, segundo duas skatistas, o esporte é democrático, não existe preconceito de sexo. Embora bem organiza-

da, a manifestação teve como ponto negativo o uso de drogas ilícitas e de bebidas alcoólicas por uma minoria dos participantes. O Secretário Municipal de Esporte, Lazer e Juventude, Aluísio de Oliveira Dutra Júnior, compareceu ao evento para prestigiar a força dos skatistas e elogiou a pacificidade e a boa organização do Go Skate Day. Também revelou promessas a respeito da construção de oito novas pistas, além da revitalização das que já estão presentes pela cidade. Segundo Luís Felipe

Farinhauq, um dos organizadores do evento, o Go Skate Day tem como premissa a criação de uma troca entre os skatistas e a prefeitura “Isso é importante, porque assim a prefeitura finalmente está nos ouvindo, e agora quer lutar ao nosso lado para melhores condições para os skatistas”. Quanto a sua opinião sobre a importância do skate na sociedade, “aquele jovem que estava indo para um caminho ruim, quando encontra o skate pode encontrar um caminho melhor para seguir na vida”.


P4

COLUNISTAS

TERÇA 25 JUNHO, 2013

Lucas Kotovicz Nada se perde, tudo se investe Custo da Corrupção por ano: R$ 69 bilhões Custo da Copa do Mundo: R$ 66 bilhões Em época de protestos, o assunto não poderia ser diferente: gastos. A população está saindo para a rua porque, dentre outros motivos, a inflação bateu na porta e disse: “to chegando”. O maior problema, porém, é o investimento que o governo faz... com o próprio governo. Não é o superfaturamento dos estádios, como muitos vem protestando. É, sim, o alto salário do vereador, do deputado, do senador. É a mordomia que cada um recebe: casas, apartamento de luxos, transporte em carros blindados gratuito.

pela Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo), o custo com a corrupção chega até R$ 69,1 bilhões por ano. Isso mesmo,

a 2,3% do PIB brasileiro, equivalente em torno de R$ 41,5 bi a R$69,1 bilhões por ano. Isso que são dados de 2008, provavelmente um

por exemplo. Como diz o nome desta coluna, nada se perde, tudo se investe. E investimento não é sinônimo de certo. A corrupção é o

ção: o número de matriculados na rede pública do ensino fundamental poderia ser elevado em 47%; e o número de leitos para internação nos hospitais públicos do SUS poderia crescer em 89%. Isso sem falar nas melhorias que poderiam ser feitas se todo esse dinheiro fosse investido na qualificação dos setores, como capacitação de professores e equipamentos para escolas.

Educação – O número de matriculados na rede pública do ensino fundamental saltaria de 34,5 milhões para 51 milhões de alunos. Um aumento de 47,%, que incluiria mais de 16 milhões de jovens e crianças.

Não, caro leitor, essa não é uma coluna de política. Aqui, vou apresentar alguns números. A Copa do Mundo custará ao Brasil quase US$30 bilhões. Só as últimas três Copas (Japão e Coreia, Alemanha e África do Sul) custaram respectivamente US$ 16 bi, US$ 6 bi e US$ 8 bi. Faça as contas. Estimase que todas as Copas da história custaram, juntas, US$ 75 bi. E eu pergunto, é esse nosso maior problema? segundo a cotação do dólar de hoje (R$2,22), o Brasil A resposta é (por incrível pode gastar uma Copa por que pareça) não. A Copa ano só em corrupção. está superfaturada, mas há algo pior: o investimento A pesquisa aponta que o em corrupção. Segundo custo médio anual da correlatório de 2008, divulgado rupção no país é de 1,38%

O elevado custo da Copa do Mundo é uma consequência da péssima gestão pública, feita através de corrupção. Se é para sairmos às ruas, que esse seja o principal foco de protesto. Melhorando a gestão do país, melhora-se a ética da população, melhora-se a transparência nas ações de cada um. Acaba-se com o pejorativo termo que nos acostumamos a chamar de “jeitinho brasileiro”.

Saúde – Nos hospitais públicos do SUS, a quantidade de leitos para internação, que hoje é de 367.397, poderia crescer 89%, que significariam 327.012 leitos a mais para os pacientes.

estudo feito hoje revelaria um montante ainda maior. E, sim, a corrupção é um investimento. O político, eleito pelo povo, tem a opção de investir o dinheiro público que ele gere em educação ou no seu benefício próprio,

maior exemplo disso. Este relatório ainda faz simulações sobre investimentos que poderiam ser feitos com o dinheiro que é gasto com a corrupção. Dois exemplos chamam a aten-

Izabelle Ianchuki Um tempero, uma piñata Aprendendo, sem compromisso Você gosta ou tem vontade de aprender a cozinhar? Nem todo mundo nasceu em uma família onde todo mundo cozinha ou não nasceu com o dom e a paciência para querer isso como profissão, mas acredito que muitas pessoas já quiseram fazer uma comidinha especial... Então, dessa vez irei indicar ótimos cursos espalhados por Curitiba! Espaço Gourmet: Lá eles dão aulas para quem quer seguir profissão ou para quem que um lazer; suas aulas são divididas em: aulas-jantar, que consiste na preparação de diversos pratos pelo Chef e os alunos acompanham a preparação pela apostila, e depois os insumos são servidos; Chef de Cui-

sine, que são 7 módulos de 20 aulas, onde o aluno escolhe qual e em que ordem irá fazer; aulas interativas, são aulas com duração de até 12 horas e você prepara os pratos e ao final, serve para degustação; eventos corporativos são os momentos de descontração para as empresas, onde eles reúnem para happy hour e palestras; assessoria e consultoria gastronômica para hotéis e restaurantes, onde a escola te dá todo o auxílio para ter um bom negócio, aulas especiais para crianças, cursos interativos para garçons e empregadas domésticas e cursos para sommeliers. Além de sempre estarem liberando cursos de um à três dias, onde você aprende o básico para a sua

formação. Centro Europeu: O C.E. possui três opções para quem quer estudar a cozinha: sommelier, que especializa a pessoa em vinhos - desde os seus processos até o serviço da bebida, dando aulas de todas as técninas -, esse curso dura 6 meses; pâtisserie & boulangerie que é um curso de panificação e confeitaria, que também dura 6 meses; e tem també o curso de Chef de Cuisine, que dura 1 ano e especializa o aluno em todas as áreas da cozinha. Senac: Acredito que o Senac seja um dos melhores lugares para se fazer curso (e não só de cozinha, mas de todas as profissões). Além de eles terem um ótimo curriculum, eles possuem um

ótimo preço! Eles dão os cursos livres, que são cursos de curta duração e também tem os cursos técnicos, onde você fica mais tempo e participa mais, cria mais prática... Os alunos de cozinha ficam responsáveis por todas as refeições servidas no local e em todos os horários, é bem legal! Mas é claro que você não precisa fazer um curso para aprender a cozinhar! Uma das melhores coisas que você pode fazer é separar receitar fáceis e legais, ir pra cozinha e cozinhar sem medo. Tenho certeza que sairão coisas interessantes...

Basta saber no que queremos investir.


P5

TERÇA 25 JUNHO, 2013

AGENDA

NOTÍCI ANTIGA Primeira transmissão mundial de TV ao vivo via satélite completa 46 anos No dia 25 de junho de 1967, emissoras de televisão do mundo inteiro transmitiam um momento histórico da música no

mundo, a gravação da música All You Need Is Love dos Beatles no estúdio Abbey Road. Tirando a parte da música, o dia foi histórico por marcar a primeira transmissão ao vivo em âmbito mundial.

O que fazer em Curitiba?

O canal inglês BBC se uniu a um pool de emissoras de 26 países para transimitir a apresentação dos Beatles. A transmissão foi vista por cerca de 400 milhões de pessoas.

Terça, a partir das 21hh, no Trip Bar tem a festa Em Alto e Bom Som Conexão Ilha do Mel, com apresentação de Nego Blue e Leandro Moska. Informações: (41) 3078-9148 e www.tripbarcwb.com.br. Summer Time no Empório São Francisco Terça, às 21h, no Empório São Francisco tem Summer Time com apresentação de Titcho acústico e um Especial Dazaranha com a banda Malungos. Caipirinhas de frutas na faixa até 23h. Entrada masculino R$15,00 até as 23h, depois R$20,00; feminino R$5,00 até as 23h, depois R$15,00. 26 de junho, às 21 horas: El Merekumbé. Show de lançamento do segundo disco. Teatro do Paiol: R$ 5

Wiki Commons

26 de junho, às 20h30: Orquestra OPUS convida: Daniela Mercury Teatro Positivo: R$ 50 e R$ 25 (meia-entrada)


Lona 799 - 25/06/2013