Issuu on Google+

Notícia Antiga

Curitiba

Nebulosidade variável

No dia 12 de junho do ano 2000. Aconteceu uma das maiores tragédias já cobertas pela imprensa brasileira, o sequestro do ônibus 174 . Página 6

Mín. 12ºC Máx. 21°C

Mais informações: www.simepar.br

Ano XIV Edição 7904

lona.redeteia.com

Quarta-feira, 12 de junho de 2013

Panela de Pressão Tricolor vence o ASA de Arapiraca e se aproxima do G4 da Série B do Campeonato Brasileiro.

Paraná cozinha o ASA na Vila e chega à segunda vitória consecutiva na Série B, em dia de redenção para o ataque, que finalmente balançou as redes após cinco partidas sem marcar; comissão técnica e jogadores querem aproveitar a paralisação do campeonato para aprimorar a parte técnica, física e tática.

divulgação

Burocracia excessiva e farra de dinheiro público atrasam obras da Copa 2014 A menos de um ano, seis estádios não estão prontos e várias obras em setores essenciais à realização da Copa do Mundo, como mobilidade urbana, aeroportos, também estão em atraso. Algumas estão fora do planejamento por falta de agilidade em liberar licitações para o início das obras.

Página 3

Zumbimania inspira alunos de Design de Produto a criar a marca Zombie Store A marca Zombie Store, que está em processo de expansão, aproveitou a moda lançada por filmes, videogames e a série de televisão The Walking Dead para vender produtos que utilizam os carismáticos mortos-vivos como identidade visual. O trabalho dos alunos de Design de Produto Hemeron Krause e Gabriela Bruginolli fazem parte do Bazar de Design, evento mensal que expõe projetos dos alunos do curso. Página 3

COLUNAS Música

Como os músicos estão se adaptando ao crescimento da internet para divulgar seus trabalhos? A colunista Pamela Castilho explica sobre as bandas que se tornaram conhecidas após a “era youtube”.

Política

Na última semana, o deputado Eduardo Cunha, do PMBD - RJ, defendeu a aprovação do Estatuto Nasciturno. Essa decisão tornaria criminoso o aborto inclusive em casos de estupro. Será o machismo falando alto? Confira a opinião de Isadora Nicastro.

Página 2 Estupro

Animais

Por onde anda?

“Acredito também que pretende garantir ao nascituro direitos maiores do que à própria mãe”. Bruna Karas.

“Nitidamente uma atitude desesperada de alguém despreparado para coordenar qualquer grupo de pessoas ou animais”. Kathulin Tanan

O que fazem os estudantes de jornalismo depois de formados? Saiba por onde anda o ex-aluno Bernardo Wolff.


Quarta

P2

Editorial O silêncio do suicídio O número de suicídios entre jovens e adolescentes brasileiros aumentou 30%, nos últimos 25 anos. Isso significa que 26 mortes são registradas diariamente no Brasil. Isso é o que mostrou uma matéria veiculada ontem, no site da Folha de São Paulo. Durante o texto, entende-se que há uma omissão, quanto ao “tema suicídio”. Poucos médicos tem a coragem de falar abertamente com seus pacientes sobre tal assunto. Contudo, o problema não pode ser levado somente no quesito médico. Afinal, a pergunta que também

deve ser feita é o motivo que leva adolescentes e jovens, a abandonarem tão facilmente suas vidas. Na era da globalização, nunca se viveu tão sozinho. A máscara que a Internet cria, em integrar todas as pessoas, acaba por privar os indivíduos da vida real, dos relacionamentos reais. Pois, enquanto estão na frente de seus notebooks, tablets e afins, se sentem invencíveis e sentem também, a obrigação em manter esse status social. Impondo suas opiniões, acreditam estar criando um personagem, que será

junho, 2013

OPINIÃO admirado no meio. Porém, quando o mesmo se volta para fora do online, ele percebe que a vida material não permite tais atitudes e a manutenção dessa figura imponente, perde força no meio social. A partir daí, começam os problemas, os desesperos e por fim, consumam suas vidas, por não conseguirem aceitar viver no mundo real. Essa pressão social é perigosa e demonstra um descuido de toda a sociedade, na educação das crianças, dos adolescentes e jovens. Mostrar que a vida não é um mar de rosas, parece ter vira-

do um tabu, assim como se falar sobre o suicídio. Não há mais o zelo, não há mais a preocupação em formar pessoas fortes. O que se pratica nos dias atuais acaba por criar pessoas preocupadas em manter o status social e quando são ineficientes nessa tarefa, se sentem sozinhos, sem o apoio de ninguém. Uma simples conversa, um simples “ombro” para desabafar já seria o suficiente, conforme mostra na matéria, para aliviar essa pressão. Mais do que isso, a preocupação médica nesse quesito, deveria ser ponto ur-

gente de implantação. Criar centros de apoio àqueles que pensam em abandonar suas vidas é algo que é necessário, para se evitar a perda dessas vidas. Contudo, não é só isso que deve mudar. O pensamento geral também deve ser mudado. Destituir essa incessante luta social, que vai de um simples sopro no ego, até casos extremos, como a violência e o bullying, é o primeiro passo, para impedir que as desilusões da vida, desanimem esses jovens e adolescentes, que são o futuro do Brasil.

Bruna Karas A aprovação do projeto de lei que cria o Estatuto do Nascituro pela Comissão de Finanças e Tributação da Câmara nesta quarta-feira (5) tem gerado muita discussão e polêmica no Brasil inteiro. O projeto prevê que, desde a sua concepção, a natureza humana do nascituro seja reconhecida. Isso inclui casos de violência sexual, risco de morte para a mãe e também inclui os casos de fetos anencefálicos. O projeto inicial era radical, frio e vio-

lava inúmeros direito das mulheres. No começo, o Estatuto do Nascituro obrigava a mãe vítima de violência sexual a ter o filho, citava também a obrigação de conceber o feto anencefálico, entre outros. Depois de alguns protestos e com base no Código Penal, essa medida tornou-se facultativa e o aborto, legalizado por lei em alguns raros casos como estes citados acima, foi incluído na proposta. O projeto tem algumas poucas partes onde a medida seria real-

mente positiva. Mas, de forma geral, é absurdo. Por exemplo, a mãe, vítima de estupro, com sua vida e seu psicológico completamente destruídos, teria que receber uma pensão alimentícia do estuprador (caso ele seja identificado). Ou então uma mãe que acabou de descobrir que carrega um feto anencefálico, que morrerá em poucas horas após o parto, pode ter que responder a uma investigação policial caso opte pelo aborto. Acredito que

Bernardo Wolff Reitor José Pio Martins Vice-Reitor e Pró-Reitor de Administração Arno Gnoatto Pró-Reitora Acadêmica Marcia Sebastiani Coordenadora do Curso de Jornalismo Maria Zaclis Veiga Ferreira Professor-orientador Ana Paula Mira Editores-chefes Júlio Rocha e Marina Geronazzo Editorial Lucas Karas O LONA é o jornal-laboratório do Curso de Jornalismo da Universidade Positivo. Rua Pedro Viriato Parigot de Souza, 5.300 - Conectora 5. Campo Comprido. Curitiba -PR CEP 81280-30 Fone: (41) 3317-3044.

Eu me considero um jornalista de empresa com alma de repórter de rua. Terminei a faculdade em 2006 e já entrei nesse mundo da comunicação organizacional. Posso dizer que fui por caminhos meio óbvios e comuns, mas que me levaram ao lugar certo (eu acho). Passei por duas agências de comunicação, fiz uma

esse projeto de lei, indiretamente, visa dificultar a legalização do aborto (o que vai na contramão de todo o resto do mundo). Acredito também que pretende garantir ao nascituro direitos maiores do que a própria mãe. Todo mundo sabe que o aborto é dolorido e que oferece riscos à vida da mãe. Ninguém pretende legalizar o aborto para que seja feito de maneira irracional e sem motivos decentes, mas a mulher tem que ter o direito de receber total apoio médico caso faça

essa opção. A mulher tem que ter o direito de decidir o que quer fazer com seu corpo e com o embrião que carrega dentro de si. O governo não deveria ter poderes para decidir isso por nós. É um absurdo que você não possa usar o livre-arbítrio que possui porque o Estado, que deveria ser laico, utiliza argumentos religiosos para definir limites aos seus direitos e definir se você deve ou não ter um filho.

Por Onde Anda?

especialização em comunicação estratégica e negócios e faz cinco anos que trabalho na assessoria de imprensa da Federação das Indústrias. Aqui, atendo a imprensa, faço matéria, sou repórter de TV...Uma escola mesmo! Não posso negar minha paixão por comunicação interna e agora inventei de estudar marketing. Acervo Pessoal

Ingenuidade demais ou crueldade em excesso A crueldade com pessoas e animais está crescendo constantemente nos noticiários brasileiros. Ao ligar a televisão e o rádio, ao acompanhar um portal de notícias e/ou folhear um jornal ou revista, é possível encontrar relatos de violência contra seres vivos das mais diversas formas. Há dois dias, o prefeito Marcelo Pamplona de Santa Cruz do Arari, no Pará, foi acusado de pagar pessoas da cidade para matar cães em troca de dinheiro. Devido às imagens gravadas por um morador do município - que mostram as pessoas capturando os animais para matar - e divulgadas pela imprensa, a população paraense se revoltou e houve grande re-

percussão do caso nas redes sociais. Quando o prefeito foi procurado, alegou que a população reivindicava uma solução para o número de cachorros nas ruas causando doenças e atacando aos moradores, mas ao tomar uma atitude diante das reclamações ele se esqueceu de um detalhe imprescindível a uma autoridade política: conhecimento da legislação. De acordo com o primeiro parágrafo do artigo 255, contido na Constituição Federal brasileira de 1988, é responsabilidade do Poder Público “proteger a fauna e a flora, vedadas, na forma da lei, as práticas que coloquem em risco sua função ecológica, provoquem

a extinção de espécies ou submetam os animais a crueldade”. A atitude de Pamplona é vergonhosa, tratando-se de uma autoridade política com o dever de tomar atitudes em benefício à população sob sua responsabilidade. Nitidamente uma atitude desesperada de alguém despreparado para coordenar qualquer grupo de pessoas ou animais. Com o avanço dos experimentos feitos pelos cientistas, hoje é possível esterilizar os cães através da castração química, que não causa sofrimento, e evita a transmissão de doenças por parte desses animais. E mesmo que essa medida não pudesse ser tomada por necessitar de

Kathulin Galuppo Tanan verba pública, não existe em Santa Cruz do Arari algum espaço rural fechado em que esses animais pudessem ser deixados e cuidados por pessoas pagas pela prefeitura da cidade, com um gasto menor? Quanta imaturidade demonstrada por Marcelo! É claro que oferecendo dinheiro à população pela captura e morte dos cães, ainda mais às pessoas que vivem em condições de pobreza, eles pegariam aqueles animais que encontrassem na frente. Quando há dinheiro no “jogo”, todos querem “ajudar”. É “ingenuidade” demais para um prefeito. Bom, se a intenção era satisfazer a população e consequentemente se sair bem

na situação, nada deu certo, porque agora Pamplona vai ter que aguardar a análise do caso pelo Tribunal de Justiça do Pará. Se os maus tratos forem confirmados, as pessoas envolvidas poderão ser responsabilizadas criminalmente e condenadas a até três anos de prisão. Vale o exemplo aos próximos prefeitos, vereadores e autoridades políticas no geral, que tiverem problemas com animais nos locais sob suas tutelas. Que se atentem ao conteúdo contido na legislação, o qual deveria ser integralmente conhecido por quem se considera capaz de coordenar uma parcela da população do país em questão.


P3

GERAL

QUARTA 12 JUNHO, 2013

Blitz paranista

Paraná Clube vence o ASA de Arapiraca por 1x0 pela Série B do Campeonato Brasileiro Tricolor sufoca o ASA, emplaca segunda vitória seguida na Vila Capanema e segue tranquilo para a intertemporada durante a Copa das Confederações VICTOR HUGO TUREZO

havia marcado nesta Série B. “A desconfiança e a ansiedade [dos atacantes] atrapalham. Mas o ataque tem produzido. Aos poucos, as coisas serão corrigidas e, com um pouco mais de tranquilidade, nós também chegaremos com mais qualidade”, salientou o técnico Dado Cavalcanti em entrevista ao término da partida. Embora a ineficiência do ataque seja um ponto a ser melhorado – em seis confrontos o Paraná só furou a defesa adversária em quatro oportunidades – a consistência na parte defensiva é uma questão que deve ser destacada. O time da Vila Capanema tem a melhor defesa da competição com somente três gols sofridos. Números impressionantes para uma defesa que foi quase totalmente remodelada para a disputa do Nacional. “Nas estatísticas, nossa defesa é mais eficiente que o ataque. E o objetivo inicial era acertar a equipe de traz para frente. O mais importante é transferir a consistência em resultado”, enfatizou o comandante. Com 10 pontos, um

divulgação

Domínio. Esta é a palavra que se encaixa no jogo praticado pelo Paraná na vitória de 1 a 0 sobre o ASA de Arapiraca, ontem, na Vila Capanema. Ofensivo e disciplinado taticamente. Foi assim que o Tricolor comandou as ações durante praticamente os 90 minutos e conquistou a segunda vitória consecutiva em casa na Série B. Paulo Sérgio, que já havia acertado um chute no travessão, teve a incumbência de tirar a igualdade do marcador. Aos 17’ da segunda etapa, o camisa nove aproveitou o cruzamento rasteiro de Luisinho e só teve o trabalho de desviar para o gol. Apesar da ampla superioridade, o Paraná teve de criar inúmeras oportunidades até conseguir furar o bloqueio alagoano. Desenvolto, Roniery aproveitava os flancos para produzir as principais jogadas de ataque. Por outro lado, o sistema ofensivo do Tricolor desperdiçava muitas chances – reflexo, principalmente, da ansiedade em quebrar o tabu sustentado até o momento. Até então, nenhum jogador de frente

O atacante Paulo Sérgio foi o autor do único gol do jogo. aproveitamento de 55,6% nos primeiros seis jogos do campeonato e há dois pontos do G-4, o Tricolor sustenta a 7ª colocação na tábua de classificação e quer aproveitar a intertemporada durante a Copa das Confederações - torneio preparatório para a Copa do Mundo - para aprimorar a parte física, tática e técnica da equipe. “Estamos comemorando muita a paralisação [do campeonato]. Foram 15 dias

apenas de contato com os jogadores para identificar as principais qualidades e defeitos. E sabendo quais são as deficiências, podemos trabalhar na melhoria delas”, emendou Cavalcanti. Diante destas circunstâncias, o Paraná só volta a campo no dia 5 de julho para enfrentar o América-MG no Estádio Independência, em jogo válido pela 7ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série B.

Dono da Bola

Criativo e ofensivo. O lateral Roniery comandou as principais jogadas de ataque do Paraná. O jogador soube aproveitar os espaços deixados pela equipe alagoana e desenvolveu boas jogadas pelos lados do campo. A atuação rendeu elogios do treinador ao final da partida, que destacou a facilidade do atleta em desvencilhar-se do marcador e em chegar à linha de fundo.

Onda “zumbi” serve de inspiração para produção de alunos de Design Bazar Design, evento do curso, acontece mensalmente no térreo do bloco vermelho e serve de oportunidade para alunos com Hemeron Krause e Gabriela Bruginolli , criadores da marca Zombie Store, que começaram a divulgação de seus trabalhos no Bazar YOSHUA GARCÍA

O curso de Design realiza uma vez ao mês no bloco vermelho o projeto Design Bazar e o Garage Sale. Tendo incorporado recentemente a Zombie Store, o Bazar ganhou certo destaque mas, mesmo assim, o grande problema segue sendo a falta de alcance da iniciativa que não conta com o público requerido, segundo os participantes. A partir deste ano, o Design Bazar é realizado todo mês. As datas escolhidas são sempre uma terça ou quarta, entre os dias 8 e 12 do mês. A exposição dura o dia todo. O grande destaque, iniciado em abril pelos

alunos de Design Hemeron Krause e Gabriela Bruginolli, é o “Zombie Store”, uma marca criada apenas pelos dois alunos, que se baseia no sucesso dos filmes, games e séries de zumbis para a confecção de camisetas. Ainda com pequenas vitórias, os alunos sentem que o bazar tem um alcance muito pequeno, por mais que estes e os professores se esforcem em fazer publicidade, geralmente a partir de banners, mas até agora não foi suficiente. Toni Razera, professor do curso de Design, explica que precisa da

colaboração dos outros cursos. O pequeno empreendimento vai crescendo aos poucos. Já estão sendo criados novos produtos como almofadas e jaquetas. Mesmo com o problema do alcance do produto, no dia de lançamento conseguiram acabar com o stock. A partir desse êxito inicial, foram crescendo e hoje já vendem pela internet, inclusive estão fechando uma parceria com uma loja do Shopping Palladium. A marca pode ser conhecida mediante o próprio bazar ou a partir do Facebook.

A ideia do Design Bazar partiu dos professores do curso de Design Toni Razera e Elza Sawada em 2008, os quais queriam estimular os alunos a criarem seus próprios projetos, marcas e conteúdo e assim incentivá-los a serem empreendedores. Já o Garage Sale oferece a possibilidade de trocar e comprar muitos tipos diferentes de objetos. Além do Zombie Store, o bazar conta com mais algumas participações de alunos, professores, mães ou ex-alunos, existe uma variedade de coisas importante mesmo sendo peque-

no. Hemeron Krause conta que o projeto vem do interesse pessoal dos criadores e da moda que existe na atualidade sobre o universo e os próprios zumbis. As camisas à venda são de materiais específicos, pensadas para ser cômodas nas mangas, o material é 100% algodão, a camisa de Haglan com mangas especiais custa 49,90 R$, já o moletom custa R$ 39,90.

Divulgação


P4

Geral

QUARTA 12 JUNHO, 2013

5 dos 12 estádios que sediarão jogos da Copa do Mundo estão com as obras finalizadas A burocracia e dificuldade de gestão do Estado gereram um superfaturamento e grandes atrasos na entregas de estádios e finalizações de obras fundamentais para a Copa do Mundo de 2014.

A pouco menos de um ano para o início da Copa do Mundo no Brasil, os estádios e obras do Programa de Aceleração do Crescimento 2, o PAC da Copa, estão com seu cronograma atrasado. Dos 12 estádios escolhidos para o mundial, seis ainda estão em obras, ainda sob o risco de não ficarem prontos completamente até o início da competição. É o caso da Arena Corinthians, em São Paulo, Arena da Baixada, em Curitiba e do Estádio da Beira Rio em Porto Alegre, que, por serem particulares, estão enfrentando enormes dificuldades em receber repasses por meio de empréstimos do BNDES. Os três estádios deverão ficar prontos até o dia 31 de dezembro para serem entregues à direção da FIFA. Com relação aos estádios que já estão prontos, em todos que já foram reabertos e que tiveram jogos de futebol como evento teste, tanto Maracanã, no Rio de Janeiro, Arena da Fonte Nova, em Salvador, Estádio Castelão, em Fortaleza, e o Mineirão, em Belo Horizonte, tiveram graves problemas, desde na compra de ingresso por torcedores que tiveram que enfrentar longas filas até a dificuldades no acesso aos estádios. No próximo dia 15 de junho, haverá a o início da Copa das Confederações, que será realizada nesses estádios. O contraste disso aconteceu há poucos dias, na quinta feira, 30 de maio. A pedido do Ministério Público, a Justiça do Rio de Janeiro concedeu uma liminar para a suspensão do jogo amistoso entre Brasil e Inglaterra que aconteceria no domingo, 02, no estádio do Maracanã sob a alegação de falta de segurança aos torcedores, devido ao estádio estar ainda em fase de obras. O Governo do Rio de Janeiro entrou com recurso no mesmo dia e conseguiu derrubar a liminar e o jogo se realizou. Outro problema, esse estrutural, aconteceu com a Arena Fonte Nova, que teve o desa-

Divulgação

IGOR LARA CASTRO

bamento de uma parte de sua cobertura, sob a acusação de falha humana. Ao todo, serão investidos um pouco menos de R$ 8 bilhões em reformas e construções dos estádios, porém, num período de três anos, houve um aumento de 51% nos valores, já que se havia estimado um gasto de R$ 5,3 bilhões, segundo dados do Portal da Transparência do Governo Federal. Elefantes Brancos É incerto o futuro de alguns desses estádios após os jogos da Copa

brasileiros da série A ou B. Alguns dos motivos para “encalharem” são custo de manutenção e a localização estar fora do grande eixo, gerando assim uma demanda menor de investidores. Uma das saídas para esse problema seria realização de shows e eventos comerciais, além de fazer à compra de jogos do campeonato brasileiro da série A por parte de empresários locais ou até mesmo pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF). Segundo estudos da Consultoria Crowe

iniciativa privada. Foi o que aconteceu com a Alemanha, que gastou cerca de R$ 1,9 bilhões, sendo que o governo alemão colocou somente 38% de recursos públicos. Obras em execução Além dos estádios, o governo federal está fazendo um investimento pesado em outros setores muito deficientes. Ao todo, serão disponibilizados pouco mais de R$ 13 bilhões de reais, que terão destino a aeroportos, portos, mobilidade urbana, telecomunicações, desenvolvimento

Manaus,a Reestruturação da Av. Eng. Roberto Freire , em Natal, o Monotrilho Linha 17-Ouro do Metrô, em São Paulo. As cidades de Porto Alegre, Manaus e Natal estão com a maioria de suas obras em atraso. No caso de Curitiba, segundo dados do Tribunal de Contas do Paraná (TCE), ao todo são 8 obras, sendo que duas não serão realizadas: a do corredor da Cândido de Abreu e o corredor metropolitano. Cinco estão sendo executadas com atraso: a do corredor

*O número de torcedores do estádio do Corinthians terá sua capacidade reduzida para 48 mil após o término da Copa do Mundo, sendo que 17 mil cadeiras serão removidas do estádio. Dados: Portal da Transparência Copa do Mundo 2014/Portal 2014

do Mundo. Ao todo, sete estádios - de Brasília, Cuiabá, Manaus, Natal, Fortaleza, Salvador e Recife - têm grande chance de virarem “elefantes brancos” como aconteceu na África do Sul. Os motivos seriam a falta de jogos de futebol, devido a essas cidades na possuírem tradição no futebol, portanto sem times que disputam os campeonatos

Horwath RCS, em um período de 15 a 20 anos, um estádio de R$ 500 milhões, tendo uma receita de 10 milhões anuais, conseguiria somente zerar o investimento, portanto, para o estádio se tornar um local atraente, o número de arrecadação teria que ser de R$ 18 a R$ 25 milhões de reais. Além disso, a maioria dos recursos deveria vir da

turístico e segurança. Ao todo são 73 obras, das quais 15 estão em atraso e cinco não ficarão prontas até a Copa, por isso foram retiradas do planejamento, como o VLT (Veículo Leve de Transporte) linha 1-trecho 1 (Aeroporto-Asa Sul) , em Brasília, BRT (Ônibus Rápido para Trânsito) Eixo Leste-Centro e Monotrilho Norte - Centro, ambos em

aeroporto – rodoviária, requalificações da rodoferroviária e seus acessos, reforma e ampliação do Terminal do Santa Cândida, Sistema Integrado de Monitoramento (SIM) e requalificação do corredor da Marechal Floriano. Além disso, ainda há uma que está paralisada, da extensão da Linha Verde.


P5

COLUNISTAS

QUARTA 12 JUNHO, 2013

Pamela Castilho Eight Days a Week Violão e Voz afastar por um tempo. Ela foi morar no Rio de Janeiro, até que em 2008 veio para Curitiba para fazer uma visita. Na época eu ainda levava o violão a sério, então tocamos “Wish you where here” do Pink Floyd. Foi uma pena não termos filmado. Depois disso, vi a Bruna apenas mais uma vez, até me deparar e me surpreender Malu Magalhães. Ela com um vídeo dela tocando um cover leva jeito pra coisa! Só de “ Tchubaruba”, da não consigo entender como o canal dela no You-

Divulgação

Antes da “era Youtube”, ser descoberto no mundo da música era algo muito mais complicado. Hoje, pessoas talentosas podem ser vistas do outro lado do mundo. Eu nunca cantei bem e minha viagem pelo mundo da música, infelizmente, foi curta e nem tão bem sucedida. Fiz três anos de violão, mas depois fiquei um bom tempo sem tocar e acabei “desaprendendo”. Por isso, quando encontro alguém que tem talento pra coisa, gosto de incentivar e deixar isso bem claro. É o caso de uma das minhas amigas de infância. Bruna Sus estudou comigo desde a segunda série, em 2001, mas o tempo tratou de nos

tube tem só 3 inscritos (eu, inclusive) e 610 visualizações. Ela tem talento pra bem mais coisa do que isso. Portanto, procurem lá o canal dela porque vale a pena: /brunasus1 Outra ótima vantagem do Youtube é descobrir coisas que você só acha lá. Onde mais ouvir um cover acústico de “Where Did all the love go”? A proeza foi de uma banda chamada Standing On Giants, da Inglaterra (youtube/StandingOnGiants). Quer dizer, se não fosse pelo querido Youtube, as chances de eu ouvir eles tocando seria 0. Assim também como as chances de ouvir Jayme

Dee, que toca violão e faz covers muito bons de várias músicas. Ela tocou desde “Toxic”, da Britney Spears até “Hallellujah”, do Leonard Cohen. A versão dela de Toxic faz você gostar da música, o que no meu caso é bem curioso. Achei o timbre dela tão único e a junção disso com o violão tão maravilhosa, que tive que encontrar recursos pra baixar a música e ouvir no caminho para a universidade. Ela já faz mais sucesso: tem 141 mil inscritos e mais de 18 milhões de visualizações. Quem ficar curioso e quiser ouvir, pode procurar: youtube/ jaymedee333.

além de fazer a mulher gerar o fruto da situação em que passou mais dor, constrangimento e humilhação da sua vida, se o agressor reaparecer ele não vai para a cadeia! Mas sim, te ajudar a criar essa criança. Mas que sensibilidade dos nossos deputados, não?

sociais estão crescendo. Uma petição online já registrou mais de 124 mil assinaturas de brasileiros contrários ao projeto. E esperamos que receba ainda mais, para parar esse projeto em algum lugar do sistema. Mas, confesso, é difícil ter esperanças. Em nota, o PSC divulgou a avaliação do deputado federal André Moura (SE), líder do partido, sobre essa aprovação na votação do estatuto. Sua resposta foi: “Visto que os princípios do PSC são a defesa da vida e da família, entendemos esse projeto como um verdadeiro avanço”. Agora, tenho medo de imaginar qual será o próximo ‘grande avanço’ proposto pelo PSC.

Isadora Nicastro Politicando Um grande avanço Na semana passada, a Câmara dos Deputados, que é majoritariamente composta por homens, resolveu aprovar um projeto de lei proposto pelo deputado evangélico, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que faz a mulher ser responsável por seu próprio estupro. Vou esclarecer melhor: o projeto chamado de Estatuto do Nascituro tem quatro aspectos inacreditáveis. Primeiro deles: dificulta o aborto já legalizado nos casos de abuso sexual. Para o deputado, e agora a maioria da câmara, o feto deve ter direito ao seu desenvolvimento. “Direito à vida, à saúde, ao desenvolvimento e à integridade física e os demais direitos da personalidade”. Se uma mulher fica grávida

por ser estuprada, deve pensar primeiro nos direitos da criança gerada por essa ‘carinhosa’ agressão. Segundo o deputado, esse óvulo fecundado deve ter quase os mesmos direitos que essa mulher traumatizada. Ainda nesse projeto genial, o deputado propõe que a mulher que concorde em manter a gestação e declarar falta de condições financeiras, pode ganhar uma bolsa auxílio do governo para a criança. É quase um prêmio de consolação. É dizer para a mulher: olha, eu sei que você está traumatizada, mas vai ter que conviver com a consequência da violência que a senhora sofreu pro resto da vida. Não pode tirar esse filho. Então, para não parecer tão ruim, vamos lhe dar um dinheirinho.” E se a mulher gerar esse

bebe e não conseguir cuidar dele? Tudo bem, o estado permite que ele seja colocado em um orfanato e vire prioritário no sistema de adoção. Porque, com absoluta certeza, é melhor que esse bebê nasça e fique sem família, seja abandonado, do que ter seu direito de desenvolvimento impeço por sua mãe. E isso, considerando que o processo de adoção no Brasil deveria ser fácil, rápido e eficiente. O contrário da realidade. E por último, e mais absurdo ainda, o estuprador, pai biológico da criança, que reaparecer em algum momento entre a gestação e os 18 anos da criança, deve reconhecer a paternidade e arcar com os custos da pensão. Sendo assim, retirada a bolsa do governo. Portanto,

Nem tudo está perdido A boa notícia é que muita gente não ficou satisfeita com essa aprovação. Dentro da própria câmara, há divergências. O projeto foi proposto e apoiado pela bancada religiosa, mas recebeu votos contrários pela bancada do PT e ainda a oposição da Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República. Além disso, as campanhas contra o projeto nas redes


P6

QUARTA 12 JUNHO, 2013

AGENDA

NOTÍCI ANTIGA

Wiki Commons

O Sequestro do Ôni- voltava uma arma bus 174 para sua cabeça. Sandro teria levado a Há exatos 13 anos, no vítima para a frente do dia 12 de junho, ocor- ônibus, foi nese moreu um episódio mar- mento que o sequescante na cidade do trador fez o primeiro Rio de Janeiro. disparo. Ele deu um O ônibus 174 (atu- tiro contra o vidro do almente conhecido veículo, o que foi feito como 158), da em- com a intenção de inpresa Amigos Unidos, timidar os cinegrafisfoi detido no bairro tas e fotógrafos que se Jardim Botânico por encontravam no local. quase cinco horas. O assaltante Sandro O diálogo entre o asdo Nascimento inva- saltante e os reféns diu o ônibus levando fez com que o cenário consigo um revólver fosse de muita tensão. calibre 38. Luciana A refém Geísa Firmo Carvalho foi uma das Gonçalves foi baleada primeiras passageiras quatro vezes, após ser a ser ameaçada, en- usada como escudo quanto o assaltante por Sandro. Um dos

O que fazer em Curitiba?

tiros foi de autoria de um policial do BOPE que se encontrava na cena do crime, o policial que utilizava um submetralhadora errou o tiro atingindo a refém. Os outros três tiros foram todos realizados por Sandro. Após a morte de sua refém, a população tentou linchar o criminoso, que havia sido finalmente imobilizado pela polícia. O enterro de Geísa Firmo Gonçalves foi acompanhado por mais de 3000 pessoas, em um cemitério em Fortaleza.

6 a 14 de junho: Olhar de Cinema – Festival Internacional de Curitiba Vários espaços: R$ 5 e R$ 2,50 (meia-entrada). R$ 1 para sessão de curtas-metragens ZéPelin Quarta, a partir das 20h, no ZéPelin tem especial de dia dos namorados, com Camarão na Moranga e taça de vinho, além de uma super decoração. Tudo embalado ao som de Suingue à Trois. Informações e reservas: (41) 3244-6969. Companhia Vigor Mortis no TUC De 6 a 23 de junho, no TUC - Teatro Universitário de Curitiba (Galeria Julio Moreira, 30 Largo da Ordem), tem o apresentação da temporada do espetáculo Vigor Mortis Jukebox Vol. I, pela companhia Vigor Mortis, com direção de Paulo Biscaia Filho. Ingressos R$20,00 e R$10,00 meia. Informações: (41) 3321-3312.

Feiras Livres

Feira do S.Francisco – R.Davi Carneiro – das 7h às 11h30. Feira do Bigorrilho – R.Roquete Pinto e R.Martin Penna – das 7h às 11h30. Feira da V. Izabel – R.Prof Dario Veloso – das 7h às

11h00. Feira do Boa Vista – R.N.Sra.de Nazaré – das 7h às 11h00. Feira do Xaxim – R.Cascavel – das 7h às 11h00. Noturnas: Feira do Hugo Lange – R.Dez. Rodrigo Otávio

– das 17h00 às 22h00. Feira do Bacacheri –R.Helena de Oliveira Cunha – das 17h00 às 22h00. Feira do Alto da Glória – R. Ivo Leão – das 17h00 às 22h00.


Lona 790 - 12/06/2013