Issuu on Google+

Notícia Antiga

Curitiba

No dia 29 de maio de 1919, a Teoria da Relatividade de Albert Einstein foi comprovada . Página 6

Nebulosidade variável e pancadas de chuva

Mín. 13ºC Máx. 21°C

Mais informações: www.simepar.br

Ano XIV Edição 7824 Quarta-feira, 29 de maio de 2013

lona.redeteia.com

Iniciativa da Prefeitura tenta ajudar fumantes a largar o vício no Dia Mundial de Combate ao Fumo

Pedro Garcia

A Secretaria Municipal de saúde de Curitiba, por meio de seu programa de controle ao tabagismo, realizará um trabalho na Boca Maldita em comemoração ao Dia mundial de Combate ao Tabagismo. A organização do evento distribuíra material educativo sobre o tabagismo e seus riscos para os transeuntes no local. Também estará disponível um teste de monoximetria para medir os níveis de monóxido de carbono no organismo. Página 3

Larissa Mayra de Lima

Divulgação

UNIVERSIDADE

Pesquisa realizada pela Associação Brasileira de Estágio (ABRES) em 2011 aponta que existem aproximadamente um milhão de vagas de estágio, sendo 740 mil destinadas a alunos de graduação. Ainda assim, esse número aponta que quase 90% dos alunos não conseguem estágios. Página 4

GERAL

Deputados estaduais do Paraná aprovaram um projeto de lei que prevê a construção de quatro usinas hidrelétricas no estado. A proposta deverá ser aprovada pelo governador Beto Richa (PSDB), que irá sancionar ou vetar o projeto. As usinas possuem licenças prévias emitidas pelo governo. Página 4

Página 2 Obudsman

Descriminalização

Por onde anda?

“O que queremos é que leiam nossas reportagens. Então precisamos agarrar o leitor já na manchete do jornal e mantê-lo interessado até as últimas linhas”, Rosiane Correia de Freitas.

“Chegar a uma decisão que valoriza as opiniões e cria um ambiente de respeito, ao invés de marginalizar ainda mais usuários e defensores da causa”, Daiana Costa.

O que fazem os estudantes de jornalismo depois de formados? Saiba por onde anda o ex-aluno Marcio Valle.

Colunas

Música

Conhecer novas bandas e músicas é um grande prazer para a colunista Pamela Castilho, que compartilha sugestões na coluna musical de hoje.

Política

Na coluna Politicando de hoje, Isadora Nicastro comenta as propagandas de Aécio Neves na televisão. O político mineiro é um dos possíveis candidatos do partido à presidência na próxima eleição. Página 5


Quarta

P2

Editorial

Participe, Curitiba!

Desde terça-feira (28), os moradores de Curitiba já podem enviar opiniões e sugestões à Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2014. Essa lei define todos os gastos da prefeitura no ano da Copa do Mundo do Brasil. A princípio, R$7,165 bilhões será o valor disponível para tudo o que for feito na capital paranaense no próximo ano. Apesar disso, as despesas previstas devem ficar em torno de R$7,082. O valor restante, nesse caso, seria

uma quantia para manter guardada caso ocorram imprevistos. O prazo para os curitibanos darem seus palpites vai até segundafeira, dia 3 de junho. É muito importante a participação da população em ações como essa. É o momento em que o povo pode ser ouvido e, quem sabe, ter suas ideias aceitas pelo governo. Quem participar, também vai ter o direito de expressar tudo o que acha sobre a inclusão de novos gastos, assim como poderá apre-

maio, 2013

OPINIÃO sentar argumentos para o Executivo Municipal incluir alguma despesa no plano orçamentário da cidade. Para participar é muito simples. O processo de consulta pública disponibilizou urnas em várias administrações regionais de Curitiba nas quais as pessoas podem depositar bilhetes com sugestões e afins com relação à elaboração de orçamento de 2014. Os moradores de Curitiba devem se interessar por

esse processo. De nada adianta não participar hoje e, mais tarde, reclamar de tudo que está sendo feito, do modo que estão fazendo e do que foi ignorado. Essa é a hora em que todo povo curitibano pode reclamar sem medo. Um dia após o recolhimento das urnas (4), vai acontecer uma audiência pública na Câmara Municipal de Curitiba. Somente a partir de então, os parlamentares municipais vão acertar os últimos detalhes da lei, que

A descriminalização da maconha e o Preconceito Social No momento que escrevo esse artigo, a TV está ligada no programa Balanço Geral com o apresentador Gilberto Ribeiro discorrendo (e de certa forma impondo sua opinião como sendo a soberana e essencial sobre as demais) a respeito da descriminalização da maconha. Atualmente, há um grande debate a respeito do tema em cenário nacional, contemplando a possibilidade de o Brasil ser um

dos países a permitir o uso da droga no seara mundial sem criminalizar seus usuários. Atualmente no Brasil, o artigo 28 da lei 11.343/2006 prevê como pena a usuários de drogas advertência sobre seus malefícios, prestação de serviços à comunidade ou medida educativa de comparecimento a curso educativo, estabelecendo também ao juiz julgar a quantidade que se destina ao consumo ou não. Um dos

movimentos de maior expressão no país na busca pela descriminalização da droga é a Marcha da Maconha, iniciando-se a luta pela causa no país entre as décadas de 80 e 90, apoiada por artistas e políticos e liberais. A constituição brasileira defende a liberdade de expressão, o direito de manifestar livremente pensamentos, opiniões e ideias, principal respaldo dos grupos apoiadores da Marcha da Maconha,

Reitor José Pio Martins Vice-Reitor e Pró-Reitor de Administração Arno Gnoatto Pró-Reitora Acadêmica Marcia Sebastiani Coordenadora do Curso de Jornalismo Maria Zaclis Veiga Ferreira Professor-orientador Ana Paula Mira Editores-chefes Júlio Rocha e Marina Geronazzo Editorial Bruno Sentone O LONA é o jornal-laboratório do Curso de Jornalismo da Universidade Positivo. Rua Pedro Viriato Parigot de Souza, 5.300 - Conectora 5. Campo Comprido. Curitiba -PR CEP 81280-30 Fone: (41) 3317-3044.

correr todo o trecho, da chamada até o fim da matéria (passando pelos seus elementos em imagem e vídeo)? Tem muita listinha de dez dicas por aí que vai elencar truques para segurar o leitor. Mas a resposta é uma só (segundo os resultados da pesquisa do Poynter): a qualidade da informação e a forma como essa é apresentada. O que o Lona tem a ver com isso? Pois bem, o suporte muda, mas o desafio é o mesmo. O que queremos é que leiam nossas reportagens. Então precisamos agarrar o leitor já na manchete do jornal e mantê-lo interessado até as últimas linhas. Um texto sem leitores é um texto sem sentido.

porém, é visível o preconceito que sofrem os idealizadores, como afirmou Recalcatti em uma entrevista telefônica ao programa que a marcha da maconha é uma “vergonha nacional” e como afirmou uma estudante uruguaia que esteve presente em uma das marchas da maconha “eu esperava mais respeito no Brasil”. Independente dos malefícios e benefícios provocados pela droga ao cor-

começou sendo impressa e a partir da sétima edição, passou a ser digital. O MMA tomou proporções gigantescas no Brasil, e nossa cobertura, que era algo restrita ao estado do Paraná e Santa Catarina, passou a ser nacional e internacional. Fiz um curso profissional de fotografia e comecei a me especializar em fotografia de MMA. Hoje o site www.primeiroround.com.br tem em média 15 mil acessos diários e é um dos sites mais acessados do Brasil. Já cobrimos vários UFCs (maior evento de MMA do planeta), e mantemos uma Fan Page no Facebook que já soma quase que 7 mil curtidas.

Dicas para conquistar o leitor Uma pesquisa realizada pelo Poynter Institute em 2012 com leitores de jornais em tablets apontou que o usuário lê, em média, cerca de doze manchetes antes de decidir em qual matéria irá clicar. A luta do texto para transmitir suas informações não para aí. Uma vez escolhida, a reportagem vai sofrer uma segunda avaliação do leitor, que só então inicia a leitura (se quiser). Essa pequena vitória não garante, no entanto, que se vá até o fim do texto. A partir de um determinado momento pode-se, ou não, desistir da reportagem. O percentual de pessoas que conclui a leitura é bastante pequeno. O que faz um leitor per-

Daiana Costa po humano, o respeito às opiniões devem ser respeitados em primeiro lugar e contrabalanceando as opiniões em um ambiente democrático e observando-se países que passaram pela experiência antes do Brasil, chegar a uma decisão que valoriza as opiniões e cria um ambiente de respeito, ao invés de marginalizar ainda mais usuários e defensores da causa.

Por Onde Anda?

Marcio Valle Bom, eu, Marcio Valle, me formei em 2004, e depois disso já engatilhei uma pós graduação. Quando eu estava terminando a pós sobre Jornalismo Empresarial, que era algo que eu tinha vontade de trabalhar, com assessoria de imprensa (algo que ainda tenho vontade), meu irmão, Marlon do Valle estava se formando também, e ele estava com um projeto de uma revista especializada em artes marciais. Resolvemos então colocar a mão na massa, pois as artes marciais estavam crescendo muito em Curitiba, com eventos amadores quase que semanalmente, e focamos nossa cobertura nos esportes amadores de lutas, isso em 2006. A Revista 1° Round,

deverá ser aprovada até o dia 30 de junho. As urnas podem ser encontradas no Bairro Novo, Boa Vista, Boqueirão, Cajuru, Matriz, Pinheirinho, Portão e Santa Felicidade. Nos anexos da Câmara Municipal também podem ser achadas. E quem não tiver como comparecer a nenhum dos locais citados, tem como enviar suas opiniões e sugestões para o e-mail comiss ao.economia@ cmc.pr.gov.br. Participe, Curitiba!

Acervo Pessoal

Rosiane Correia de Freitas Mas como fazer isso? Aí é que descobrimos a grande graça de ser jornalista: temos que estar atentos sempre. Porque sempre pode aparecer um ângulo melhor para nossa matéria. Ou uma outra pauta, mais interessante. E assim nosso trabalho pode ganhar mais visibilidade, atrair mais a atenção dos leitores. Vamos pegar um exemplo: a reportagem “Os inimigos da saúde”, da edição 778 do jornal. O assunto é chamativo, relevante. Uma pauta muito bem escolhida. Quem é que não come em restaurantes e lanchonetes? Quem é que já não sofreu como uma intoxicação alimentar ou um mal-estar

causado pela alimentação? Ou viu alguém sofrer? O texto publicado é longo, cheio de informações. Dá para ver que a repórter investiu na matéria, fez várias entrevistas, leu sobre o assunto. Mas, vejam só, a informação mais interessante estava quase no final: não há pessoal suficiente para fiscalizar o respeito às normas da vigilância sanitária em restaurantes e outros estabelecimentos. Taí um lead e um título realmente chamativos: falta fiscalização em restaurantes e lanchonetes. É esse tipo de informação mais impactante que pode ajudar a conquistar o leitor. E não é difícil transformar uma matéria

(a original), em outra (a com o lead mais “quente”): bastava descobrir com a Vigilância Sanitária quantos técnicos trabalham na fiscalização em Curitiba e quantos estabelecimentos deveriam ser fiscalizados (um dado que é público). Isso daria ao texto mais apelo e garantiria um título mais forte, atraente. A nova reportagem daria uma manchete excelente, mais impactante do que a que foi escolhida para o Lona naquela edição. Não se trata de querer desmerecer a outra reportagem. Mas sim de instigar o repórter a correr atrás sempre da melhor matéria. Aquela que vai arrebatar a atenção do público.


P3

GERAL

QUARTA 29 MAIO, 2013

Campanha de conscientização incentiva fumantes a largarem o vício no dia mundial de combate ao fumo Campanha criada pela agência Practice, da Universidade Positivo, utiliza imagens de silhuetas no chão para impactar DA REDAÇÃO COLABOROU PEDRO GARCIA

Normalmente o vício está atrelado à nicotina, uma substância que estimula o corpo a produzir hormônios ligados ao prazer. Esse efeito é ainda mais perceptível quando o fu-

tendo largar até minha morte”. A estudante de 22 anos, Louise Ferreira Netto, fuma há 9 anos. Sente diariamente os efeitos do cigarro em seu

mante está sob estado de estresse elevado, acalmando-o e também diminuindo a ansiedade. Por conta desse efeito, algumas pesquisas mostram que fumantes têm menos chances de desenvolver o Mal de Parkinson e o Mal de Alzheimer.

corpo, como o fato de subir uma escada e já se encontrar ofegante. Disse que o vício se desenvolveu pela influência de amigos, mas que sempre tenta largar. “O maior problema é a abstinência, sinto uma vontade absurda, e por mais que eu tente não fumar, sempre acabo voltando. O cigarro acabou se transformando em um companheiro para mim”. Karla Barbosa é uma ex-fumante de 39 anos. Ela parou de fumar e voltou algumas vezes. Parou definitivamente com o tabagismo em 2008, quando estava grávida de sua segunda filha. Em outras tentativas de acabar com o vício, sempre encontrou dificuldades e não conseguiu ficar sem o cigarro por mais de seis meses. “Eu finalmente arranjei um

motivo maior do que a minha saúde para cortar esse mal, a saúde de minha filha estava em jogo e eu não poderia continuar com aquilo”. Já Elaine Cassiano, no auge

de seus 18 anos, largou do cigarro porque encontrou em si forças suficientes para isso. “Vejo fumantes todos os dias, em todos os lugares, mas não sinto vontade nenhuma”. Pedro Garcia

Em Curitiba, a Secretaria Municipal de Saúde possui um programa de controle ao tabagismo, e neste dia pretende realizar um trabalho na Boca Maldita. Serão distribuídos materiais educativos sobre o hábito de fumar e com motivos para não adquirir o vício. A iniciativa será realizada de forma gratuita para os fumantes que passarem pelo local, tendo ainda a possibilidade de realizar um teste de monoximetria para medir os níveis de monóxido de carbono, um gás tóxico liberado pelo cigarro e retido nos pulmões. O evento acontecerá das 08h às 17h e tem como tema “Fumar: faz mal para você, faz mal para o planeta”.

Pedro Garcia

O Dia Mundial do Combate ao Fumo é comemorado na próxima sexta-feira (31), com a intenção de conscientizar fumantes de todos os lugares sobre os riscos deste hábito. Varias atividades estão sendo desenvolvidas pela prefeitura de Curitiba e também por alguns estabelecimentos privados. A Organização Mundial da Saúde estima que um terço da população mundial seja dependente do cigarro, enquanto o número de mortes ultrapassa 4,5 milhões anualmente.

Na UP A Universidade Positivo faz parte de um projeto de conscientização especial para o dia mundial de combate ao fumo. A Practice, agência experimental do curso de Publicidade e Propaganda, desde o início desta semana, adesivou o chão dos blocos da universidade com figuras que simulam uma cena de homicídio, tentando, dessa forma, mostrar aos fumantes a que ponto o vício pode chegar. Nas redes sociais, um vídeo alerta sobre os riscos à saúde e sobre a sujeira causada pelas bitucas de cigarro. Jonathan Pelaquini, responsável pelo atendimento na Practice, em conjunto com os responsáveis pela criação da campanha, Rodrigo Annies, Adrian Martin e Vinicius Zanlorenzi, revelam que a intenção é justamente impactar os usuários de cigarro para sentirem-se incentivados a parar de fumar. “Queremos mostrar que o cigarro não é esse amigo que muitos fumantes pensam ser”, diz Pelaquini. Males O cigarro possui milhares de substâncias como a nicotina, responsável por 50 tipos de doenças diferentes, e causa a dependência física e psíquica. A nicotina atinge o cérebro em aproximadamente 8 segundos, e tem um potencial entre 30% e 50% para o vício. O cigarro faz com que a pressão arterial aumente assim como o nível de coagulação do sangue, diminuindo o potencial respiratório.

Largar ou não? Maria Joanita, 60 anos, é fumante desde os 17 anos. Começou por influência da família, sempre via seus pais fumando, resolveu experimentar e viciou-se em pouco tempo. Depois de tantos anos, revela não ter medo das consequências do cigarro e que não pretende parar com seu vício. “Eu não vou parar de fumar depois de tanto tempo nessa vida, é um dos meus pequenos prazeres, e não pre-

História do tabagismo Há registros arqueológicos de que o tabagismo seja praticado há mais de oito mil anos. Os créditos de desenvolvedores do hábito são dados aos índios que moravam nas Américas. Aparentemente os astecas fumavam tabaco enrolado em tubos de cana ou em folhas de junco. Em um vaso maia, datado do século X, foi encontrada a imagem de um grupo de indígenas fumando um maço de folhas amarradas. Porém, o cigarro como o conhecemos nasceu na Europa. Rodrigo de Xerxes, um explorador da frota de Cristóvão Colombo, desembarcou nas Bahamas e experimentou o fumo dos índios, levando folhas de tabaco para o velho continente. O produto era extremamente caro para os operários de baixa renda, que tinham que coletar os restos de charutos espalhados pelas ruas para poderem satisfazer suas vontades.


Universidade

QUARTA 29 MAIO, 2013

P4

Somente 11% dos universitários brasileiros realizam estágio O estágio é uma possibilidade de exercer a prática da profissão. Porém, apenas 740 mil vagas são destinadas ao ensino superior. Larissa Mayra

De acordo com a pesquisa realizada em 2011 pela Associação Brasileira de Estágio (ABRES), o Brasil possui aproximadamente um milhão de vagas de estágios, sendo que 740 mil são destinadas aos alunos de graduação. Este número representa 10,98% do total de 6.739.689 pessoas matriculadas no ensino superior brasileiro. Com poucas vagas ofertadas, 89,02% dos alunos não conseguem uma oportunidade de estágio. Francielly Kaucz é estudante de Publicidade e Propaganda da Universidade Positivo (UP) e trabalha há quase dois anos como estagiária remunerada da Practice (Agência Experimental de Publicidade da Universidade Positivo), na área de projetos audiovisuais. Segundo o setor de recursos humanos da Universidade Positivo (UP), há aproximadamente 95 estagiários remunerados trabalhando na instituição. Porém, não são todos os cursos que possuem esta possibilidade. É o caso do curso de Nutrição, em que todos os alunos fazem o estágio obrigatório curricular e por esse motivo não há outras possibilidades de exercer a prática. Priscila Dabaghi, coordenadora do curso de nutrição da UP, é também responsável pelos estágios obrigatórios curriculares. Ela explica que a prática,

Larissa Mayra

segundo recomendações do Ministério da Educação (MEC), é ofertada em três áreas clássicas de atuação do nutricionista: clínica (ambulatorial e hospitalar), unidades de alimentação e nutrição (cozinhas industriais e restaurantes) e saúde coletiva (escolas, mercados populares). Apesar de o curso de Nutrição não ofertar vagas remuneradas dentro da instituição, Priscila defende a importância dele. “O estágio não obrigatório complementa a visão profissional do aluno, porque ele tem uma oportunidade de treinamento antes de chegar ao estágio obrigatório. A conexão entre teoria e prática aumenta’’, explica. No curso de Jornalismo, são disponibilizadas 15 vagas para estágios nos meios de comunicação integrantes da Rede Teia. A seleção acontece sempre no início do ano letivo, entre fevereiro ou março, e todos os alunos podem se candidatar, inclusive os calouros, apesar da inexperiência. Maria Zaclis Veiga, coordenadora do curso de Jornalismo, diz que há um limite estabelecido pela instituição para gastos com estagiários. No curso de jornalismo, esse percentual é totalmente utilizado.

Na foto, a estagiária Francielly Kaucz e o seu espaço de trabalho: a Practice possui um ambiente descontraído e criativo.

térreo do Bloco Amarelo, a Central de Carreiras é o setor responsável pela gestão de contratos de estágios. Todo aluno, seja ele da graduação, tecnólogo ou pós-graduação, que encontra uma oferta de estágio na modalidade remunerada ou não, terá que passar pelo setor para regularizar este documento. Dâmaris Souza de Cristo, gestora da Central de Carreiras, explica que uma das tarefas do setor é a análise legal do contrato. Essas exigências são estabelecidas pela Lei Federal 11.788, de 25 de setembro de 2008. Além disso, há normativas da Universidade Positivo e especificidades de cada curso. Há três documentações Central de Carreiras básicas necessárias para Localizada na sala 16, no regulamentação de um

estágio: Convênio, Termo de Compromisso e Plano de Atividades. O Termo de Compromisso é assinado por cinco partes: aluno, empresa, supervisor da empresa, instituição de ensino e professor orientador. São cinco partes que assumem a responsabilidade pelo conteúdo daquele contrato. “Quando um contrato é entregue na Central de Estágios, ele tem que ser avaliado e fiscalizado. A regulamentação do estágio é um processo burocrático. Existe uma base de diretrizes que diz o que deve e o que não deve conter em um contrato, por isso estipulamos três dias úteis para a entrega do documento assinado’’, explica Dâmaris Souza.

De acordo com a legislação federal, existem apenas duas modalidades de estágio: o curricular obrigatório e o não obrigatório remunerado. O estágio obrigatório já consta na lista curricular do curso e o aluno deve cumprir esta prática de carga horária para ser aprovado no ano letivo e consequentemente, ter o seu diploma no final do curso. No estágio não obrigatório remunerado, o aluno vai a campo exercer uma atividade profissional. Possui bolsa-auxílio e vale transporte. Também deve estar contemplado com seguro contra acidentes. As suas atividades devem estar vinculadas ao seu curso de formação.

Diferenças

GERAL

Deputados aprovam a construção de quatro usinas hidrelétricas no Paraná. O projeto de lei aprovado pelos deputados estaduais seguirá para a sanção ou veto do governo do Estado Halanna aguiar e Lucas Karas

Foi aprovado no dia 7 de maio, pelos deputados estaduais do Paraná, o Projeto de Lei que prevê a construção de quatro usinas hidrelétricas no estado. Todas as usinas possuem licenças prévias emitidas pelo governo do Paraná. Agora a proposta deverá ser aprovada pelo governador Beto Richa (PSDB), que irá sancionar ou vetar o projeto. A maior usina será construída no Rio Iguaçu, conhecida como Baixo Iguaçu, entre os municípios de Capanema e Capitão Leônidas Marques e terá potencial hidráulico para produzir até 350 MW de energia. Em Bom Sucesso do Sul, no sudoeste paranaense, está prevista a construção de outra usina com capacidade para produzir 0,3 MW de energia. A usina da bacia do Iguaçu ficará

no município de Guarapuava, no Rio do Poço, com potência de 0,71 MW de energia. No município de Prudentópolis, a usina será construída no Rio dos Patos, que faz parte da bacia do Ivaí e irá produzir até 25 MW de energia. O professor do curso Economia da Universidade Positivo, Ruben Doege, acredita que enquanto a obra é construída ela será benéfica para aquela localidade. Para ele, aproximadamente mil trabalhadores estarão operando a obra, portanto são mil pessoas recebendo renda e gastando a mesma na própria região, aquecendo a economia local. “Depois da obra alguns trabalhadores vão embora, esfriando a economia, mas mesmo assim ficam os reflexos benéficos, até pela questão de pagamento de

royalties”, conta o professor. O economista afirma que a energia hidrelétrica é a mais barata que existe hoje em dia. Nos últimos leilões que o órgão regulador fez, constou que o preço da energia eólica tem caído e está bastante competitivo, mas ainda a energia hidrelétrica permanece sendo a mais barata. O governo não se pronunciou quanto ao valor que será investido na obra. Impacto Ambiental Contudo, para o coordenador do curso de Gestão Ambiental da UNINTER, professor Rodrigo de Cassio da Silva, a instalação dessas usinas trará sérios impactos ambientais nas regiões onde serão construídas. Segundo ele, as principais conse-

quências ambientais são na fauna e na flora, por causa da devastação que o desvio no leito natural do rio e a inundação, devido à represa da usina, causam. O professor ressalta ainda que a construção dessas usinas atende muito mais a interesses econômicos do que com a preocupação na geração de energia. “Eu me pergunto se há a necessidade para isso”, questiona Rodrigo. “A capacidade das grandes usinas não é usada na capacidade total e, mesmo assim, existem projetos para a construção de novas hidrelétricas.” Segundo o coordenador, esses interesses ocorrem, devido ao grande movimento econômico que a construção civil traz à economia brasileira. “É tudo uma questão de in-

teresses”, afirma Silva. Rodrigo acredita que há um menosprezo nas novas formas de obtenção energia e afirma que a visão de que as hidrelétricas são as fontes mais baratas de produção de eletricidade, é uma visão ultrapassada e analisada somente a curto prazo. “Já foi comprovado que as outras formas de obtenção de energia, como a eólica e a solar são equivalentes às hidrelétricas e os custos, se analisados a longo prazo, são iguais e até menores que as usinas”, afirmou o professor. “Ainda por cima, o impacto destas fontes realmente renováveis (solar e eólica) é quase zero, o contrário da hidrelétricas, que agridem seriamente o meio ambiente”, finalizou Silva.


P5

QUARTA 29 MAIO, 2013

COLUNISTAS

Isadora Nicastro Politicando Aécio em busca de votos As eleições estão cada ve z mais próx imas e o ce nár i o p olít ic o j á come ç a a s e est r u turar p ar a a dispu t a que a c onte c e no d i a 5 de outubro de 2014. O PSDB, qu e até ent ão demonst ra v a u ma div is ã o ent re os p olít i c o s p ara es col ha do c andid ato a pre sidênc i a do p ar t id o, j á nã o dei xa mais dúv id as: o s ena dor d e Mi nas G erais Aécio Neves é a nova aposta dos tucanos. Mesm o sem

Valter Campanato/Agência Brasil

uma declar a -

ção of ic i a l, na ú lt i ma s emana o PSDB i n vest iu na sup e re xp o s iç ã o do re cé m el eito pres i d e nte d o p ar t ido Aé c i o Ne ve s , c om a veic u l a ç ã o d e t rês c omerci ais na tel e v is ã o ab e r t a e nas rá dio s . Os co merc i ais c ont am a histór i a do s e na d or, mo st ram su as con v ic çõ es p ol ít i c as e aind a c r it ic am o gov er no d a pre s i d e nt a Di l ma R ous s e f f d i ante da inflaç ã o. A s prop a gandas,

que claramente promoviam o senador, foram denunciadas pelo Partido dos Trabal ha d ore s p ar a o T SE como prop ag and a el e itor a l ante cip a d a , p o d e nd o d ar mu lt a a o PSDB d e até 2 5 m i l re ais , a l é m d a susp e ns ã o d o d i re ito à prop ag and a g r atuit a . Na ú lt i ma s e xt a , o t r ibuna l d e cl arou que o p e d i d o s e r á ju l g a d o, mas t re cho s e m foi const at a d o que Aé ci o f a z pro mo ç ã o p e ss o a l d e ve m s e r mo d i f i c a d o s i me d i at ame nte. “O Br as i l é um p aís d e muit as r i que z as , mas a mai or d el as é a no ss a ge nte. Eu e n t re i na v i d a públ i c a ve nd o br as i l e i ro s d e to d as as cre nç as con quist and o a l ib e rd a d e. Apre nd i a re s p e it ar as d i fe re nç as e a j amais abr i r mã o d e pr i ncípi o s . Q u an d o f ui gove r na d or, Mi nas re c up e rou a su a forç a e s e tor nou re fe rê nci a e m e duc a ç ã o”, d i z o s e na d or no v í d e o. O d e s e sp e ro do PSDB, d e s d e j á , p or

a d qui r ir os votos é t ã o g r it ante que aind a ne ss e prog r ama out ro t re cho foi sus p e ns o. D e ss a ve z, o s e na d or conv id a ao p ovo br as i l e iro p ar a p ar t i c ip ar de um c ana l e m que o p ar t ido e xp õ e su as prome s s as e conv icç õ e s p ar a o gove r no fe de r a l. “Agor a, como pre s i d e nte do P SDB, que ro conve rs ar com vo cê, p orque juntos p o d e mos c uid ar mel hor d o Br as i l”, diz Aé ci o no v íde o. A ass e ss or i a do p art i d o, s e m arg ume nto s , ac us ou o adve rs ár io. R eb ate u as d e nunci as e m not a, af i r mando o P T e st á te nt ando induzir o T SE a o e r ro. O P SDB d i z aind a que e ss a c amp an ha não f az me nç ão ao pl ano de gove r no e que é s ome nte uma for ma de t r a z e r o deb ate públ i co d e te mas de inte re ss e d a p opu l aç ão.

e m que e m que a p opu l aç ão p o de p e rg unt ar s obre as prop ost as do p ar t ido e s ão re sp ondidos p or s e us me mbros . As p e rg unt as s ão fe it as e m dois for matos : e m v íde o ou e s cr it as , s obre os mais dive rs os asp e c tos , como p obre za, e duc aç ão, s aúde e inf r ae st r utur a. Uma at itude ap el at iva do P SDB, p ar a te nt ar aprox imar os tuc anos à p opu l aç ão de b aix a re nd a. Ap ós t rê s c andid atur as s e m suce ss o e a ace itaç ão ampl a do P T, um gove r no volt ado ao p ovo mis e r ável, o P SDB bus c a e ss e t ip o de el e itore s . Os tuc anos , que s e mpre volt ar am o s e u gove rno aos r icos , s e re nde r am a ne ce ss id ade br as i l e ir a de um gove r no p ar a os p obre s . Aind a ass im, nas re sp ost as é v is ível a dif ic u l d ade do P SDB de prop or aç õ e s p ar a C onver s a c om os os br as i l e iros que v iBr a si l eiros ve m ne ss a s itu aç ão e que comp õ e m a A c amp an ha é um maior p ar te do Br as ite novo do P SDB, si l.

Pamela Castilho Eight days a week Descobertas

Paul Flynn

Lembro de ter mencionado no meu primeiro texto: não sou uma expert em música, mas sim uma apaixonada. É por esses e outros motivos que eu adoro quando me indicam músicas e bandas novas. Às vezes, a descoberta vem por acaso, durante um “passeio” pela rede. Uma coisa que anda acontecendo bastante comigo é redescobrir bandas que eu já conhecia (pelo menos de ter ouvido u m a o u

duas músicas). A bola da vez é Foo Figthers. Nunca fui uma fã inveterada, mas já ouvia e gostava das mais conhecidas “The Pretender”, “All my life” e “Time like these”. Recentemente, descobri o álbum “Echoes, Silence, Patience & Grace” (Sim, não sabia que “The Pretender” era desse álbum). Foi tipo uma descoberta do tesouro, porque ouvi o disco várias vezes sem parar. Júlio e Marina sabem bem quantas vezes ouvi “Come Alive” no estágio. Aliás, quem nunca ouviu, ouça. Principalmente se você estiver desanimado, estressado, de mal com a vida, etc. Ô música linda para animar o dia – principalmente aos 3 minutos e 30 segundos. Outra música maravilhosa desse álbum é Let it Die. Também recomendo ouvir em dias frios, tristes e cinzentos... De prefer-

ência com um copo de chocolate quente e uma coberta. Mas, para quem não pode, só cuidado para não se empolgar muito dentro do ônibus (experiência própria). Algumas pessoas não entendem que a emoção da música é maior que a vergonha de dançar em público. Só reforçando: a “animação” vem por parte da melodia, porque a letra não é tão feliz assim (dá pra perceber pelo nome...) O álbum “Echoes, Silence, Patience & Grace” é meio melancólico. A última música “Home”, por exemplo, é uma daquelas que não dá para ouvir num momento depressivo (a não ser que você queira chorar horrores). “All I want Is to be home” – ouvir isso na Rede Teia me faz lembrar exaustivamente da minha cama quentinha e da minha casa (risos). Uma música bem bonitinha, que faz você pensar “isso só podia ser coisa do Dave Grhol”:

Ballad of the Beaconsfield Miners não tem voz, nem letra. Apenas 2 minutos e 40 segundos de violão. A música distoa um pouco do resto do álbum, mas mesmo assim, não diminui meu amor por ele (poético). Summer’s End é outra música que, quando eu ouvi pela primeira vez, coloquei para repetir várias vezes. Eu poderia falar de todas as músicas do álbum separada e

detalhadamente, mas ao contrário disso, vou fazer você descobrir por experiência própria: se não ouviu, ouça “Echoes, Silence, Patience & Grace” . Vale a pena. E também, se tiver alguma sugestão de música/banda legal, só enviar para pamelacastilhocohene@gmail. com. Faça isso (de verdade) e deixe uma pessoa mais feliz! (:


P6

QUARTA 29 MAIO, 2013

AGENDA

NOTÍCI ANTIGA Observação de variações na posição de estrelas durante o eclipse solar total confirma a teoria da relatividade de Albert Einstein Em 29/05/1919 foi confirmada a Teoria da Relatividade de Albert Einstein, essa teoria mudou as bases da Física, alterando conceitos tão fundamentais como tempo e espaço. Segundo Galileu, se um corpo se move em relação a um referencial e o próprio referencial se move em relação ao solo, por exemplo, a velocidade do corpo em relação ao solo será a soma das duas velocidades. Mas havia um problema, a Terra movimenta-se girando ao redor do Sol, existem também estrelas com movimentos conhecidos e de grande velocidade, mas ao medir a velocidade da luz vindas de diferentes direções e de astros em movimento, não foi encon-

trada qualquer alteração na sua velocidade. Esta velocidade é a constante c= 300.000 Km/s, comprovada por estudos de óptica e de eletromagnetismo feitos até então. O problema era como tornar este resultado compatível com as teorias aceitas até o momento. Einstein propôs a Teoria da Relatividade Restrita, baseada em dois postulados: O primeiro diz que: Todas as leis da física assumem a mesma forma em todos os referenciais inerciais. E o segundo: Em qualquer referencial inercial, a velocidade da luz no vácuo c é sempre a mesma, seja emitida por um corpo em repouso ou em movimento retilíneo e uniforme. Em sua Teoria da Relatividade Geral, Einstein chegou a importantes conclusões. Essas teorias de Einstein provocaram uma revolução na Física, sendo comprovadas com experiências e

O que fazer em Curitiba?

observações. Uma dessas observações foi o eclipse total do Sol, visto no Ceará, na cidade de Sobral. Andrew Crommelin e Charles Davidson usaram Sobral como base das observações. Feita a observação do eclipse, os ingleses ficaram por dois meses no Brasil, tirando fotos de grupos de estrelas, sem a influência do Sol. Foi então realizada uma reunião de cientistas e astrônomos para apresentar os resultados das expedições. Se Einstein estivesse correto, uma estrela escondida atrás do sol seria vista quando ocorresse o eclipse total. O astro que deveria estar oculto pelo sol tinha sua luz desviada e foi visto durante o eclipse. Albert Einstein estava certo.

Shows

Exposição “Bossa: Encantamento Pictórico”, com pinturas dos artistas plásticos Sandra Marchi e Carlos Rocha Local: Salão Brasil do Memorial de Curitiba (Rua Claudino dos Santos, 79 – Setor Histórico). Data: de 28 de maio (abertura às 19h) a 23 de junho de 2013. Horário de visitas: de terça a sexta-feira, das 9h às 12h e das 13h às 18h; sábados e domingos, das 9h às 15h. Entrada franca. Nos Jardins do Éden – Fotografias de Christian Cravo Data: 28 de maio a 04 de agosto. Local: CAIXA Cultural Curitiba – Rua Conselheiro Laurindo, 280 – Centro Horário: Visitação: terça a sábado, das 9h às 20h e domingo, das 10h às 19h Entrada franca. Semana de Teatro Italiano – Mia Cara Curitiba Data: de 28 de maio 2 de junho e 5 a 8 de junho às 20h; 9 de junho às 16h30 (premiação) Local: Teatro José Maria Santos (Rua 13 de maio, 655); premiação no Teatro Guaíra (Rua Conselheiro Laurindo, s/n – Centro) Valor: apresentações gratuitas e abertas ao público. Retirar os ingressos 1h antes, na bilheteria do teatro. Será liberada apenas uma entrada por pessoa.

Divulgação

SKANK no Teatro Positivo Quando: 01 de junho Local: Teatro Positivo – Grande Auditório (Rua Pedro Viriato Parigot de Souza, 5300) Horários: 21:15 hrs Classificação etária: 16 anos Informações para o público: 41 3315-0808 ou www.diskingressos. com.br Ingressos: Setor inferior: R$ 280 (½ entrada: R$ 140) Setor Superior: R$ 200 (½ entrada: R$ 100).

Zé Ramalho no Curitiba Máster Hall Quando: 31 de maio Local: Curitiba Master Hall (Rua Itajuba, 143) Horários: Abertura: 21h30 / Início: 23h30 Realização: Multi Eventos Promoções Classificação etária: 16 anos Informações para o público: 41 3315-0808 ou www.diskingressos.com.br Ingressos: Pista meia-entrada 2º Lote (R$ 65,00) / Pista Inteira 2º Lote(R$125,00).


LONA 782 - 29/05/2013