Page 1

Notícia Antiga

Curitiba

No dia 28 de maio de 1908, nasceu o escritor Ian Fleming, o criador do espião James Bond Página 6

Parcialmente nublado com chuvas e trovoadas

Mín. 13ºC Máx. 19°C

Mais informações: www.simepar.br

Ano XIV Edição 7814 Terça-feira, 28 de maio de 2013

lona.redeteia.com

EMPRESAR 2013 recebe palestrantes e debate a sustentabilidade

Júlia Trindade

Fórum Internacional de Sustentabilidade e Empreendedorismo conta com a presença de palestrantes internacionais e dá ênfase ao desenvolvimento sustentável abordando dicas para empreededores visionários. Página 3

Elana Borri

Júlia Trindade

Profissionais e estudantes de medicina se manifestam contra a decisão do governo de trazer médicos cubanos para trabalhar no Brasil. Em Curitiba, 400 manifestantes se reuniram para uma marcha da Boca Maldita até a praça Santos Andrade. O nome do movimento contra a contratação de médicos estrangeiros é Revalida Sim.

SAÚDE

Problemas de postura passam a afetar jovens e adultos que utilizam aparelhos tecnológicos de forma errada e excessiva. A falta de cuidado com o manuseamento desses aparelhos em conjunto com a má postura, pode afetar o bem estar do corpo, e prejudicar o rendimento no dia a dia. Página 4

Página 3

Página 2 Preconceito

Machismo

Por onde anda?

“Você não pode lutar contra algo que é característico seu. Você não é responsável por aspectos físicos, você é responsável pela tua moral e pelo teu bom senso”, Bruna Alves

”Quando uma mulher passa em frente a uma construção e um pedreiro qualquer grita “GOSTOSA” ou outra variação, uma mulher não sente seu ego inflando, e muitas acham desagradável, mas não falam nada apenas pelo fato de estarem acostumadas com essas provocações.” Pedro Garcia

O que fazem os estudantes de jornalismo depois de formados? Saiba por onde anda o ex-aluno Gustavo Krelling.

Colunas Economia Lucas Kotovicz prossegue com seu objetivo de trazer a economia para as conversas diárias de todo mundo. O assunto de hoje é o plano de Mauricio de Souza de criar um personagem que ensine economia.

Esportes Na coluna esportiva de hoje, Victor Hugo Turezo comenta a situação do Atlético Paranaense que foi derrotado após 144 dias sem jogar com o time titular. Página 5


Terça

P2

maio, 2013

OPINIÃO

Editorial Educação como prioridade O Governo Federal, por meio do chamado Índice de Desenvolvimento da Família, chegou à conclusão de que, apesar de a renda do brasileiro ter melhorado no governo Dilma, a situação de acesso a emprego e a educação continua precária. O indicador, que tem como base de dados o mês de dezembro de 2012, é usado pelo governo federal para medir a pobreza do país e é aplicado ao Cadastro Único, um banco de dados detalhado sobre os recursos financeiros das famílias de baixa renda, que possibilita medir a situação dos pobres no Brasil. O índice, porém, não leva

em consideração somente a pobreza, uma vez que a renda do povo melhorou, mas as condições continuam miseráveis. A média é feita a partir de seis aspectos: a vulnerabilidade da família, a renda, o desenvolvimento infantil, as condições habitacionais a que estão expostos, o acesso ao trabalho bem como ao conhecimento. Cada item recebe uma nota de 0 a 1 e então é feita uma média a partir das notas individuais. O resultado obtido foi que a nota geral da população pobre do Brasil é de 0,61, menor do que a média de renda que foi de 0,63. Essa análise mostra que o governo

pode sim estar preocupado com a situação educacional do país, mas não tanto quanto o poderio econômico de seu povo. Um país não pode depender apenas do consumismo, ou de quanto esse ou aquele indivíduo gastou no mês. A crise econômica dos Estados Unidos mostrou que nada adianta incentivar o consumo desenfreado sendo que não há como pagar no final, criando uma bolha que uma hora ou outra vai explodir e atingir a todos, inclusive aqueles que nada têm a ver com isso. A renda não deve ser o principal objetivo de uma nação, e sim a educação.

A Coreia do Sul é o melhor exemplo de comparação com o Brasil. Em 1960, os dois viviam situações bastante parecidas, ambos subdesenvolvidos com índices de analfabetismo absurdos e índices socioeconômicos igualmente preocupantes. Hoje, a Coreia aumentou seu PIB, que passou de US$ 100 para US$ 9.800, e é uma grande potência mundial graças ao investimento sério e comprometido na educação. Seus índices de analfabetismo são quase inexistentes, e 82% dos jovens do país frequentam universidade, comparados aos 18% do Brasil. Segundo o Ministério de

Desenvolvimento Social, o Brasil está passando por avanços “inegáveis” nos quesitos educação e trab alho, no entanto o IDF não capta essa melhora, dessa maneira o desenvolvimento educacional no país não pode ser medido de acordo com esse indicador. As esperanças são as melhores para que esses avanços estejam realmente acontecendo, e que façam a diferença daqui pra frente, já que não há como o Brasil se sustentar na 7ª colocação das maiores economias do mundo, se não houver investimento compromissado com o futuro educacional do país.

Bruna Alves Neste último domingo, eu estava voltando de uma reunião especial. Após passar um tempo agradável com meus colegas e saindo de Curitiba à noite, indo para casa, vejo que tem um cara engraçado, no jeito de falar... Até que finalmente o ônibus chega. Lotado! Como em qualquer outro domingo. Eu espero pacientemente o ônibus lotar e fico em pé próximo à porta. Eu gosto de andar pela cidade à noite, as luzes artificiais são bonitas e têm formas. A viagem segue tranquila até eu ser surpreendida por um acontecimento inusitado,

um jovem idoso começa a gritar: - Dá pra você falar mais baixo? É a única vez que eu vou pedir! Você fique na tua porque você tá no meu galinheiro. Eu não estava entendendo nada do que estava acontecendo, só pensei “Galinheiro? Não tem ninguém gritando e esse cara tá ficando louco” e pensei que o problema poderia ser com um grupo de jovens que estavam próximo a mim. Foi aí que o velhote continuou a reclamar e eu pensei “WTF” e consegui entender o que estava acontecendo: o cara estava implicando com aquele

cara que falava de forma engraçada, mas o cara não entendia muito do que ele estava falando, porque ele mal sabia falar português, quem sabe entender? E o velho continuou xingando, até que ele chegou ao ponto de sacar o guarda-chuva e bater no cara. Foi um escândalo dentro do ônibus, o velho chegou a agredir uma mulher que nada tinha com a história. A justificativa plausível para tal agressão foi puro preconceito, pois o cara era negro. Não, não era mulato nem pardo, era negro! E o que me faz refletir a essa hora é ver que em pleno século

O LONA é o jornal-laboratório do Curso de Jornalismo da Universidade Positivo. Rua Pedro Viriato Parigot de Souza, 5.300 - Conectora 5. Campo Comprido. Curitiba -PR CEP 81280-30 Fone: (41) 3317-3044.

Quando estava prestes a me formar me bateu um desespero. E agora? O que fazer? Além de Jornalismo, me formava também no curso de Artes Visuais. Uma das ações de desespero que eu tinha naquela época era ir ao Sebrae, lá eu tentava encontrar alguma coisa para o “futuro”. Acabei encontrando uma amiga do curso de Artes Visuais, a Fabiana. Ela lançou para mim uma ideia de uma marca apenas de sapatilhas femininas, essas do dia a dia. Aí nasceu a Tutu Ateliê de Sapatilhas. Depois de um ano de muita pesquisa e trabalho começamos as vendas

mal ao próximo, limitase em ferir os valores de outrem. Rir ou desprezar alguém por ser negro, gay, gordo ou bonito, faz de você uma pessoa digna de pena. Quando a polícia chegou, os dois homens foram retirados do ônibus, quatro pessoas - mais ou menos - foram depor em favor ao homem negro, que portava uma garrafa de vinho vazia. A primeira coisa que o policial fez foi tirar do bolso do homem negro um saco de pó branco, foi aí que o motorista acelerou e eu não vi mais nada.

Por Onde Anda?

Gustavo Krelling Reitor José Pio Martins Vice-Reitor e Pró-Reitor de Administração Arno Gnoatto Pró-Reitora Acadêmica Marcia Sebastiani Coordenadora do Curso de Jornalismo Maria Zaclis Veiga Ferreira Professor-orientador Ana Paula Mira Editores-chefes Júlio Rocha e Marina Geronazzo Editorial Maiara Yabusaki

XXI ainda existem pessoas que sofrem preconceito, seja racial ou sexual. Também me faz pensar no atraso mental de certas pessoas, o atraso de toda uma sociedade por um pensamento podre, nojento, digno de pena. O preconceito atrasa as pessoas, atrasa o desenvolvimento de uma nação. Atinge as pessoas, as torna frágeis, ou fortes. Tortura! Você não pode lutar contra algo que é característico seu. Você não é responsável por aspectos físicos, você é responsável pela tua moral e pelo teu bom senso. A zoeira limita-se no fazer

apenas pela internet. Nos primeiros seis meses entregamos sapatilhas para mais de 17 Estados do país. Em outubro de 2012, abrimos a primeira loja física da Tutu em Curitiba e estamos com muitos planos e convites de ampliação. Onde está o jornalismo nisso tudo? Por um ano trabalhei insistentemente na assessoria de imprensa da marca, através do jornalismo divulgamos a Tutu em vários veículos e de diversos lugares do Brasil. O trabalho de comunicação foi fundamental para o sucesso do empreendimento. Acervo Pessoal

Pedro Garcia Semana passada, não lembro bem o dia, um texto foi publicado e atraiu muita atenção, só em um blog conseguiu mais de 600.000 visualizações. “Como se sente uma mulher” foi escrito por Claudia Regina, uma excuritibana, agora carioca, que vive viajando pelos cantos do mundo e também autora de um blog sobre fotografia. O texto vem acompanhado de uma série de fotografias, autorretratos feitos pela Claudia em que a mostram nua, com uma grande tatuagem nas costas e careca (sim, ela é mulher e careca), e os relatos e argumentos presentes contam exatamente o sofrimento das mulheres em nossa sociedade. Logo no primeiro parágrafo, ela conta um momento em que sai do aeroporto e anda por apenas dez metros. Nessa pequena caminhada, ela per-

cebe a presença de homens por todos os lados e sente os olhares afoitos por verem uma mulher, e claro, toda a avaliação embutida em um olhar masculino. Aos 13 anos, Claudia era esportista, e no caminho voltando para casa ela já percebia isso, que os homens estavam sempre olhando e comentando. O sexo feminino sofreu ao longo de toda a história. As mulheres sempre foram prejudicadas economicamente, nunca podendo trabalhar fora, nem podendo estudar para fazerem parte da história da ciência e nem atuar em peças de teatro. A história do sexo frágil (que todos sabem não ser verdadeira) se consolidou através do tempo. Outro exemplo um tanto quanto icônico: qual foi o gênero mais perseguido durante a época da caça às

bruxas? Se respondeu “masculino”, receio que esteja errado, a perseguição começou atrás de religiões pagãs que eram matriarcais e assim foi durante séculos, pura opressão em cima daquelas que nunca mereceram. O fato é: quando uma mulher passa em frente a uma construção e um pedreiro qualquer grita “GOSTOSA” ou outra variação, uma mulher não sente seu ego inflando, e muitas acham desagradável, mas não falam nada apenas pelo fato de estarem acostumadas com essas provocações. Não penso que seja decente fazer isso com uma mulher, muito pelo contrário, mas também não vejo uma mulher mandando um desses calar a boca e impondo respeito. Também já vi acontecer com homens, mulheres ficarem observando

e avaliando muitos dos que passam, e fazendo comentários às vezes mais sujos do que os comentários masculinos. Sei também que muitas vezes as moças que recebem esses olhares, avaliações e comentários, não tentam impor respeito por medo. Com tantos casos deviolênciaàmulher,étotalmente compreensível. Falando nisso, é incrível como ainda hoje existem tantas mulheres que aceitam ser submissas, aceitam serem agredidas e não fazem nada. Impunidade para muitos casos também colabora para isso, e para o aumento dos casos de violência, mas ainda acho que para solucionar esse problema tem que haver uma mudança na mentalidade, em ambos os gêneros. Parece estranho um homem escrevendo um artigo sobre feminismo, mas todos têm

direito à opinião. Lutar pelos direitos de apenas um sexo é tão injusto quanto a opressão do mesmo. A verdade é que não acredito no feminismo, nem no machismo, muito menos na igualdade (aliás, essa aí é simplesmente impossível de existir, é utópica). Eu acredito que cada um deve conquistar o seu espaço, com seus próprios métodos, e se algum deles ferir outra pessoa então deve pagar por suas escolhas. Você deve lutar para te respeitarem, e na sociedade ocidental atual já não existem muitas desculpas para não tentar, e se tem medo, oras, existem formas diversas de se proteger (sem citar exemplos porque não quero se acusado de incitar violência ou sabe-se lá o quê). Não adianta viver sob a sombra do medo e da opressão, pois assim não há vida. Independente se for homem ou mulher.


P3

GERAL

TERÇA 28 MAIO, 2013

Palestrantes Internacionais abordam formas de sustentabilidade empresarial Empresar 2013 recorre a estratégias para melhorar a sustentabilidade no Brasil JÚLIA TRINDADE E MARINA GERONAZZO

empresa. “Um empreendedor não pode ser um empresário que queira o lucro a qualquer custo e preço.” Claudia Kipka, representante da ABIS (The Academy of Business in Society), afirmou que o governo, a sociedade e as instituições precisam trabalhar juntos para encarar problemas como a exclusão e a pobreza. “Os negócios precisam da sustentabilidade para crescerem e serem duradouros.” Logo após a abertura, deu-se início à sessão plenária do Consultor Empresarial da Ernest & Young Terco, Ricardo Catto. Em sua palestra, citou a inspiração na Rio + 20, alguns aspectos do empreendedorismo e a necessidade de inserir a sustentabilidade na estrátegia do negócio para cuidar da longevidade das organizações, pois ela não se encontra nas pautas dos gestores da atualidade.

Anteriormente, as empresas eram criadas para atender alguma necessidade da sociedade; o empreendedor original trabalhava por uma causa, mas ao longo do tempo

perdeu a sua essência. “É necessário ajudar a nossa cadeia de fornecimentos a ser mais sustentável”, afirmou Ricardo Catto. Para finalizar a primeira parte da conferência de

ontem, foi realizado um debate discutindo questões que foram apresentadas durante a palestra. As perguntas foram feitas pelos integrantes da plateia. Júlia Trindade

Na tarde de ontem (27), o Fórum Internacional de Sustentabilidade e Empreendedorismo (Empresar 2013) aconteceu no Pequeno Auditório da Universidade Positivo. Os palestrantes foram Simon Payne (Reino Unido), Renee Bem-Israel (Israel) e Hans Wahl (França). O Empresar 2013 é uma realização da escola de negócios da Universidade Positivo, em parceria com a Gazeta do Povo e a Fecomércio Paraná. Luiz Eduardo Cheida, deputado estadual e secretário do Meio Ambiente e Recursos Hídricos do Paraná, foi o representante do Governador do Estado do Paraná, Beto Richa, que, apesar de estar incluso na programação, não pôde comparecer devido a compromissos emergenciais. O reitor da Universidade Positivo, José Pio Martins, foi o responsável pela abertura da conferência, e em seu discurso deu ênfase à nova geração de empreendedores e modelos inovadores de negócios no Brasil. Ele também comentou que o país tem sérios problemas com a internacionalização, mas está a caminho de ampliar esse aspecto. “A internacionalização não é uma questão de natureza ideológica, mas sim pragmática”, declarou o Reitor. Luiz Eduardo Cheida acredita que é preciso pensar de maneira estratégica em relação ao empreendedorismo e elogiou a conferência por considerar essa questão de maneira extremamente profunda. De acordo com o secretário do Meio Ambiente e Recurso Hídricos do Paraná, é preciso agir com responsabilidade para apoiar a sustentabilidade e não necessariamente só os benefícios financeiros da

Júlia Trindade

Protesto de médicos e estudantes reúne mais de 400 pessoas no centro de Curitiba Grupo se reuniu para reivindicar o projeto do governo de trazer 6 mil médicos estrangeiros Estudantes de medicina de todo o país se reuniram na manhã do último sábado (25), para protestar contra a medida do governo federal que pretende “importar” médicos cubanos a fim de suprir a carência destes profissionais, principalmente no interior do Brasil. Em Curitiba, cerca de 400 estudantes de quatro universidades estiveram presentes no movimento. Vestidos de branco e com faixas pretas amarradas aos braços, eles caminharam desde a Boca Maldita, na rua XV de Novembro, até a sede da Universidade Federal do Paraná, que fica em frente ao Teatro Guaíra. Distribuíram panfletos para a população (que continham dados sobre a infraestrutura médica no Brasil), fizeram um abaixoassinado e gritaram palavras de ordem, como “revalida sim”. O Revalida Sim é um movimento contra a vinda de médicos estrangeiros sem que eles façam uma prova de

revalidação do diploma de medicina, como diz a proposta do governo. Esses estrangeiros teriam um visto provisório de alguns meses e depois poderiam renoválos se quisessem. A principal reivindicação do grupo foi a falta de estrutura dos hospitais, de remédios e de pessoal especializado. Entre as entidades presentes no movimento, estavam os representantes dos centros acadêmicos de medicina das universidades que participaram do protesto, a Associação Médica do Paraná e o Sindicato dos Médicos. Rodrigo Mandryk, representante do centro acadêmico de Medicina DANC (UFPR), disse que a revalidação do diploma não garante que a população tenha qualidade de atendimento. “Esse movimento tem duas frentes: um processo avaliativo do profissional que vem do exterior e também pautamos uma condição de trabalho para os médicos.” O médico ginecologista Luiz Roberto Santos, contou que

Elana Borri

ELANA BORRI

esse protesto foi organizado inteiramente pelas redes sociais, por meio de um grupo no Facebook, chamado Dignidade Médica, que já conta com mais de 70 mil médicos e estudantes. Ele disse ainda que é na internet que o médico pode protestar com relação ao governo, cargas horárias e questões salariais. Entretanto, ainda há uma dúvida em relação às consequências da vinda destes médicos para o Brasil. Nerlan de Araújo, secretário do Conselho Regional de Me-

dicina, relatou que a presença destes médicos no país não causa impacto nenhum, já que seriam “exportados” apenas 6 mil médicos, contra os 400 mil que são ativos atualmente, além do fato de eles serem alocados onde não existem médicos atualmente. “O que nos preocupa não é o mercado de trabalho, mas a qualidade do médico. Se ele não for adequadamente qualificado, ele não vai prestar um bom atendimento para a população, que é uma população carente. Se o governo der estrutura, os

médicos daqui vão para o interior, não precisa trazer de fora”. Entre os principais motivos contrários à vinda destes médicos, está o índice de aprovação na prova brasileira de revalidação. De acordo com o professor e um dos organizadores do movimento, Romualdo Gama, apenas 5% dos candidatos são aprovados no teste. A categoria ainda pretende marcar novos protestos, mais ainda não definiu nenhuma data.


Saúde

TERÇA 28 MAIO, 2013

P4

Uso excessivo de aparelhos eletrônicos pode trazer problemas à saúde Aparelhos como tablets e smatphones causam problemas de postura e afetam o rendimento de adolescentes e adultos Marina Geronazzo

Divulgação

Atualmente o abuso de aparelhos eletrônicos tem se tornado muito comum entre pessoas de todas as faixas etárias, entretanto, apesar dos enormes benefícios da tecnologia no dia a dia, com eles vêm os problemas de saúde, que se tornam muito mais frequentes e acabam prejudicando o rendimento daqueles que fazem seu uso de forma inadequada. Entre os distúrbios mais comuns, estão aqueles que podem comprometer a visão e principalmente a postura. Em casos de pessoas que já sofrem com problemas na coluna, ou de má postura, é necessário o uso de medicamentos analgésicos, e fisioterapia, em paralelo com recomendações de profissionais da área de saúde. Esses problemas normalmente ocorrem pela falta de cuidado ao manusear os aparelhos tecnológicos. As pessoas costumam ficar sentadas sem se preocupar com a parte postural e, em função desses maus hábitos, ao utilizar os aparelhos começam a desenvolver patologias na região da coluna e membros superiores do corpo. Entre os principais incômodos causados pelo uso excessivo desses aparelhos estão Cervicalgia, Dorsalgia, Lombalgia, Hipercifose, Hiperlordose e Escoliose, como explica a fisioterapeuta Heloisa Camargo Guiraud. “Cervicalgia é presença de dor na região do pescoço. Dorsalgia é presença de dor na região da coluna dorsal, parte central da coluna. Lombalgia é presença de dor em região lombar, final da coluna. As outras patologias são alterações no alinhamen-

cações posturais podem Essas atitudes acabam ex- peuta Heloisa Guiraud, cícios físicos que evitam atingir pessoas de todas as ercendo uma sobrecarga a principal atitude para alterações posturais e que nas estruturas corporais. evitar esses problemas é a fortalecem a musculatura Divulgação

faixas etárias, mas a mais afetada, principalmente pelo sedentarismo, é a dos 25 aos 40 anos. A rotina agitada de trabalho e estudos faz com que muitos não tenham tempo para se preocupar com o bemestar do próprio corpo, explica Heloisa. “As pessoas passam a maior parte do tempo em frente a computadores trabalhando e sentados de forma errada. Nos ônibus, ficam mexendo nos celu-

“As pessoas passam a maior parte do tempo em frente a computadores trabalhando e sentados de forma errada.” to ósseo da coluna. A hipercifose é aumento da curvatura da coluna cervical, a hiperlordose é o aumento da curvatura lombar e escoliose é o desalinhamento lateral em S da coluna, as angulações que ocorrem são para as laterais do tronco e também podem ocorrer rotações das vértebras.” Problemas

de

lares e ao chegar em casa vão ler nos tablets deitados no sofá, adotando uma postura ruim para ficarem em seus momentos de relaxamento.”

Um dos piores erros cometidos nesses casos é a falta de alongamento ou de atividades que fortaleçam a musculatura do corpo, além de posições compli- erradas na hora de dormir.

No caso dos adolescentes, a má postura em carteiras de faculdades e colégios, ou em frente a computadores, faz com que esses hábitos ruins estejam presentes no seu dia a dia desde cedo. Dessa forma, quando chegarem à fase adulta já estarão com alterações posturais que serão complicadas de se

prevenção. “Nos escritórios através de adaptações do ambiente de trabalho como uma cadeira adequada, apoio para os pés e para o punho, além de manter a parte superior do monitor na altura dos olhos, e a parte inferior da coluna muito bem apoiada na cadeira.”

do tronco, estão o pilates, yoga, e a musculação. Para aqueles que já sofrem com problemas de postura, a fisioterapia oferece diversas formas de tratamento, entre as quais existem algumas especializações específicas para a postura, como o RPG (ReeducaEla ainda aconselha a movi- ção Postural Global), Pi-

Hábitos que devem ser tomados para evitar problemas de má-postura: - Ergonomia: os móveis devem se adaptar a pessoa e não o contrário. O computador e a mesa devem estar na postura e altura certa. - Sentar sobre os isquios (quadril no fundo da cadeira) para que o corpo permaneça em posição esticada e estendida, mas sem forçar. - Cuidados com a saúde, a obesidade deve ser tratada. O corpo fica mais carregado e o músculo tem menor capacidade de se construir. A pessoa que é obesa e que não possui o hábito de praticar atividades físicas tem o músculo fraco. - Praticar o tratamento de conscientização da postura é essencial, associado ao fortalecimento muscular, para que seja possível a reeducação da postura em seu ambiente de trabalho. - Atividades físicas devem ser feitas ao menos três vezes na semana. reverter, caso não alterem seus hábitos, podendo levar ao enrijecimento e encurtamento muscular.

mentar o corpo a cada meia hora de trabalho; independente da utilização de computadores, tablets e smartphones, o alongamento é De acordo com a fisiotera- essencial. Entre os exer-

lates, Isostretching, TCP (Técnica de Controle Postural), Quiropraxia, Osteopatia e Terapia Craniosacral.


P5

COLUNISTAS

TERÇA 28 MAIO, 2013

Lucas Kotovicz Nada se perde, tudo se investe A Turma da Mônica e o consumo por compulsão Na coluna passada eu disse que a economia é passada de uma maneira muito chata pelos veículos de comunicação. Após escrever isso, comecei a procurar materiais que buscassem desmistificar a difamada economia. Pois bem. Há uma semana eu fui no shopping com minha família e, como de praxe, fui às Livrarias Cu-

ritiba. Uma vez que entro lá, não posso deixar de levar pelo menos um livro. Levei três. Dentre eles, “O Livro da Economia – As Grandes Ideias de Todos os Tempos”. É nesses momentos que um bom designer faz a diferença. O livro me fisgou, primeiramente, pela capa: amarela e azul, cheio de sentenças econômicas. Ao

folheá-lo, vi que é extremamente didático e de fácil entendimento. Apesar de mostrar apenas as bases do pensamento econômico, vale a pena ser lido por quem não entende absolutamente nada de economia. O Livro da Economia pode ser seu primeiro pontapé neste universo considerado negro. Eu comprei, vou ler e espero recomendar na próxima coluna. Outra coisa que me chamou muita atenção foi uma entrevista de pouco mais de cinco minutos do empresário Maurício de Sousa concedida ao Portal UOL há quase um ano, intitulada “Mauricio de Sousa: economia fica mais divertida nos gibis”. Nela, o criador da Turma da Mônica conta que pretende acrescentar um personagem que possa falar de economia nos gibis. Se foi criado, eu não sei, pois há algum tempo não leio gibis. Porém, segundo ele, é preciso tomar um extremo cuidado para que o personagem não seja chato perante os

outros integrantes da turma e, até mesmo, perante o público. Para quem tiver interesse em assistir, é só abrir o Google e digitar “Mauricio de Souza economia”. Uma das falas de Maurício de Sousa me fez refletir um pouco. A atual sociedade está extremamente consumista. O empresário comenta que, antigamente, havia um cuidado maior com o ensino familiar em relação à economia, e que hoje isso não existe. Eu concordo. A compra virou um vício. A internet, principalmente através dos grandes conglomerados de lojas de varejo e dos sites de compras coletivas, só aumentou essa compulsão. Raramente se vê um controle por parte dos filhos na hora de gastar, porque seus maiores exemplos, pai e mãe, não têm esse controle. A intenção de Mauricio é resgatar esse ensino por meio dos gibis, e é aí que as crianças podem começar a ensinar seus próprios pais. Desde pequeno, em casa, eu e minha irmã fomos instruídos

a economizar. Não dá pra comprar Nutella todo dia. Não dá pra ter um vídeo-game logo após o seu lançamento, se um ano depois o preço já vai estar pelo menos 50% mais barato. É preciso evitar ao máximo a compra por impulsão, para que não existam arrependimentos depois. É preciso pesquisar, pesquisar e pesquisar antes de se comprar um item de valor elevado, como aparelhos eletrônicos e eletrodomésticos. O aumento do poder de compra da população brasileira fez com que esses preceitos básicos de economia doméstica fossem qu a s e q u e e s q u e c i dos. Quase, porque eles são lembrados quando a conta chega em casa. Pa r a b é n s a o M a u rício de Sousa, que t e m e x c e l e n t e p e rcepção econômica, e que busca resg a t a r o velho hábito econômico das famílias através de seus gibis.

Victor Hugo Turezo Intermediária O solitário A estreia no Campeonato Brasileiro da Série A chegou. Os 144 dias de pré-temporada teriam de surtir efeito. Os três jogos oficias e as três vitórias conquistadas até então contra equipes visivelmente inferiores tecnicamente não satisfaziam os fãs. Mas a corrente da incerteza insistiu em permanecer no Furacão. A data tão esperada apunhalou o Atlético pelas costas. O time de Ricardo Drubscky foi até Macaé enfrentar os

reservas do Fluminense, e no gramado do Moacyrzão jazeu em desespero pelas inúmeras oportunidades criadas, não convertidas em números no placar. Viu o time das Laranjeiras aproveitar as chances e sair de campo vitorioso. Realmente, é muito cedo para julgar o trabalho diferenciado que o clube optou em fazer. Mas no jogo de domingo, por exemplo, apostava-se que a equipe iria se sobressair, pelo me-

nos, no aspecto físico. Foi superior em alguns momentos, mas não conseguiu fazer deste quesito uma arma para engatilhar os três pontos. Isso vem ao encontro de todo o sistema enclausurado que o Atlético impôs aos jogadores, à imprensa e aos próprios torcedores, que só podiam saber das notícias do clube através do site oficial. A difusão da notícia era feita por um sistema unilateral. Tudo

Divulgação

isso, simplesmente, para inflar o ego do presidente Mario Celso Petraglia e não por ser embasado em algo concreto. Tanto é que os próprios jogadores se manifestavam por meio de seus empresários dizendo que se sentiam desvalorizados por suas imagens não estarem sendo propagadas na televisão. 144 dias, três jogos oficias, inúmeros amistosos. O torcedor implora por alguma certeza. Pontapé Tricolor na Paraíba Dado Cavalcanti estreou no comando técnico do Paraná exorcizando um dos mais temidos demônios do Tricolor: os jogos no Nordeste do país. O time transpôs o cansaço da viagem e conseguiu uma vitória contra o ABC em João Pessoa. Aplicou 2 a 0 e assegurou os três pontos na bagagem. Tivemos algumas atuações que merecem destaque:

Roniery, com um lançamento magistral e algumas boas investidas pelos flancos; Ronaldo Mendes, que aproveitou a bola longa do lateral e marcou um belíssimo gol, e Ricardo Conceição, juntamente com Rubinho e Lúcio Flávio, que comandaram a meia cancha do Paraná. A largada dos comandados de Cavalcanti na Série B do Brasileirão anima até certo ponto. Dá alento aos jogadores, a comissão técnica e a torcida; mas a ponta de insegurança sempre estará saliente na caminhada paranista devido ao histórico recente de tropeços, infelicidades e pífios planejamentos, protagonizados pela falta de dinheiro que assola os cofres do clube e de competência, encalacrada na pele de muitos dirigentes que ainda pairam pelos lados da Vila Capanema.


P6

TERÇA 28 MAIO, 2013

AGENDA

A cidade de Londres, no dia 28 de maio de 1908, serviu de berço para aquele que seria o criador de um dos personagens mais populares de literatura e, especialmente, do cinema. Ian Lancaster Fleming, o pai do James Bond, veio ao mundo nesse dia para partir 56 anos depois, deixando como herança os 14 livros do espião mais famoso do mundo. Antes de começar a escrever, Fleming passou por diversos empregos. Atuou, inclusive, como assistente pessoal do

Contra-Almirante John Hnery Godfrey na Segunda Guerra Mundial. Há boatos de que, nesse período, conheceu o agente da MI6, John le Carré (também autor de romances de espionagem), de onde tirou inspiração para a criação de James Bond. Boatos à parte, fato é que Ian Fleming publicou seu primeiro romance de espionagem em 1952. Casino Royale é a primeira aventura de James Bond, que rendeu duas adaptações para o cinema. Mais 13 livros deram continui-

dade às peripécias do espião, sendo que o último foi Encontro em B erlim, livro de contos publicado dois anos após a morte de Ian Fleming. Hoje, com 25 filmes, James B ond já rendeu mais de 6 bilhões de dólar e s , t o r n a n d o - s e a s e g u n d a f ranquia de maior bilheteria da história do cinema. O personagem foi vivido na tela por oito atores, como Sean Conney, Roger Moore, Pierce Brosnan e, atualmente, Daniel Craig.

FEIRAS LIVRES Feira do Rebouças – R. Nunes Machado – das 7h às 11h30. Feira do Água Verde “B” –R.Dom Pedro I - das 7h às 11h00. Feira do Jd. Botânico – R.Cel.João da Silva Sampaio – das 7h às 11h00. Feira do Uberaba – R.Cel.José Carvalho de Oliveira – das 7h às 11h. Feira da V.Santa Amélia – R.Fernando de Souza Costa - das 7h às 11h00. Feira do Mossunguê – R. Paulo Gorski – das 14h às 20h. Noturnas: Feira do Batel (Av.Iguaçú)- R. Alexandre Gutierrez – das 17h às 22h00. Feira do Juvevê – Av. Anita Garibaldi – das 17h às 22h. Feira de Sta.Felicidade –Pç.São Marcos – das 17h às 22h.

Divulgação

NOTÍCI ANTIGA

CINEMA Velozes & Furiosos 6 Cinemark Barigüi Cinemark Mueller Cine Água Verde Cineplus Jardim das Américas Cineplus Xaxim Cinesystem Cidade Cinesystem Curitiba Cinesystem Total Espaço Itaú de Cinema (Shopping Crystal) IMAX® Theatre UCI Estação UCI Palladium Sem Proteção Espaço Itaú de Cinema (Shopping Crystal) UCI Estação UCI Palladium Raça Espaço Itaú de Cinema (Shopping Crystal) Espaço Itaú de Cinema (Shopping Crystal)

LONA 781 - 28/05/2013  

JORNAL-LABORATÓRIO DIÁRIO DO CURSO DE JORNALISMO DA UNIVERSIDADE POSITIVO

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you