Page 1

O

ún

ico

D

Curitiba, quarta-feira, 28 de março de 2012

jo

@jornallona

r do IÁ nalBr R lab as IO or il at

redacaolona@gmail.com

ór

Ano XIII - Número 685 Jornal-Laboratório do Curso de Jornalismo da Universidade Positivo

Curitiba, 28 de março de 2012

lona.up.com.br

Funcionários de condomínios de Curitiba entram em greve

Amanda Lima

A 5° edição do Batel Soho Gastronomia acontece neste fim de semana

Sem argumentos, Israel rompe relações com a ONU

Música autoral ganha espaço na mídia curitibana

Pág. 4

Pág. 2

Pág. 2

io


2

Curitiba, quarta-feira, 28 de março de 2012

Editorial

Mais táxis e mais seriedade Telefone ocupado é completamente normal para quem busca um táxi na capital do Paraná. Ainda mais se o horário for de pico e estiver chovendo. E quando isso acontece na véspera de um feriado então, é mais fácil ir a pé. Na tarde de ontem, a Câmara Municipal de Curitiba aprovou o projeto que deixa nas mãos da Urbs (Urbanização de Curitiba S/A) definir o número de táxis que circulam na capital. A aprovação foi para que a relação entre habitantes e número de táxis deve ficar entre 500 e 700. Hoje, essa relação é de pouco mais de 700 habitantes por carro. Progredimos? O projeto, como bem definiu o vereador Pedro Paulo (PT), em entrevista a rádio Band News FM: “Aprovar esse projeto é como assinar um cheque em branco”. Desde os anos 70 a regulamentação dos táxis de Curitiba não é feita, e agora cabe a Urbs definir qual é o melhor número de carros em circulação. A empresa de economia mista, novamente tem um papel que dificilmente será fiscalizado. O projeto é tão genérico que possibilidades de irregularidades não faltarão. A opinião dos taxistas está divididas. Para alguns, já é difícil trabalhar com o número de táxis que estão nas ruas. Alguns contam que tem cliente pagando para taxista ficar parado, para não perder o carro da volta. Para quem precisa do serviço, a necessidade de mais táxis é evidente, já que o telefone continua ocupado e o tempo de espera por um carro é interminável. Fica evidente também a falta de seriedade em aprovar projetos que de tão genéricos, chegam a parecer desleixo. Expediente Reitor: José Pio Martins | Vice-Reitor e Pró-Reitor de Administração: Arno Gnoatto | Pró-Reitora Acadêmica: Marcia Sebastiani | Coordenação dos Cursos de Comunicação Social: André Tezza Consentino | Coordenadora do Curso de Jornalismo: Maria Zaclis Veiga Ferreira | Professores-orientadores: Ana Paula Mira, Elza Aparecida de Oliveira Filha e Marcelo Lima | Editoraschefes: Renata Silva Pinto, Suelen Lorianny e Vitória Peluso | Editorial: Laura Beal. O LONA é o jornal-laboratório do Curso de Jornalismo da Universidade Positivo. Rua Pedro Viriato Parigot de Souza, 5.300 - Conectora 5. Campo Comprido. Curitiba - PR. CEP: 81280-30 - Fone: (41) 3317-3044.

Opinião

Israel: um Estado que não respeita os Direitos Humanos Oscar Cidri

Não é de hoje que a comunidade internacional denuncia as atrocidades e violações de tratados cometidos por Israel. Boicote aos comboios de ajuda humanitária à Palestina, humilhação humana e a invasão dos territórios da Cisjordânia para a construção de assentamentos, tudo isso, para dizer o mínimo. Agora, o que era uma prática sabida e reconhecida internacionalmente passa a ser também uma ação oficializada pelo anúncio do Ministério de Relações Exteriores de Israel, que, ao decidir romper relações com o Conselho de Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas (ONU), assume a condição de opressor, de fato e declarado do povo palestino. Israel, na falta de argumentos minimamente plausíveis, acusa o Conselho de Direitos Humanos de ter uma postura anti-israelense. Discurso de uma incoerência tamanha que nos faz lembrar o ex-presidente da Câmara Municipal de Curitiba, João Claudio Derosso, que, ao não ter como explicar os escusos contratos da Câmara com a empresa de comunicação de sua esposa, saiu dizendo que era vítima de perseguição da imprensa. Por mais que os algozes da vez sejam as lideranças políticas israelenses – com a guarita dos Estados Unidos –, que se lançam despoticamente contra a formação do Estado palestino, vale lembrar que, da mesma maneira que a defesa dos Direitos Humanos serve para o povo palestino, serve também para os judeus, pois o antissemitismo é também uma das agruras e resquício de incompreensão histórica, que só faz diminuir a crença de que a humanidade seja capaz de respeitar e fazer prevalecer as douradas palavras que compõe a Declaração Universal dos Direitos Humanos.

Música para curitibano Elisa Schneider

Hoje e cada dia mais, a música autoral vem ganhando espaço na mídia curitibana. Músicos e produtores lançaram recentemente o clipe musical “Playing for Curitiba”, produzido com mais de 40 músicos e nenhuma verba. A ideia foi incrível ao juntar os artistas de Curitiba em um único vídeo para promover a música autoral. A iniciativa provou que tem muita gente com talento e capaz de produzir bons materiais por aqui. Talvez tenha provado mais do que isso: provou que os músicos não pensam somente em sucesso e fama. Que fazer música pode vir de dentro, e não das tendências da indústria cultural, em que as letras fáceis e temas universais consagram artistas que, muitas vezes, não têm nada a dizer e desconhecem a realidade do ouvinte. Pode ser que isso também represente uma mudança na cultura do público curitibano, que está mais exigente e prefere contemplar artistas da sua região. A enxurrada de informações que recebemos hoje nos dá a possibilidade de comparar e refletir a cerca dos conteúdos culturais, derrubando certos mitos que dizem, entre outras coisas, que a música brasileira não tem tanta musicalidade quanto a norte americana, quem dirá a de Curitiba. Por isso encontramos espaço para esse novo público através das redes sociais e da rádio web: musicacuritibana.com, onde só toca música de bandas locais. A iniciativa de produzir o vídeo deu certo, pelo menos em mim. Quando vi aquelas pessoas no vídeo, cada um por alguns segundos, tive vontade de vê-los novamente.


3

Curitiba, quarta-feira, 28 de março de 2012

Trabalhadores de condomínio fazem greve e reivindicam 15% de aumento do piso salarial ária de Curitiba e Região) vêm tendo reuniões com o Secovi (Sindicato da Habitação e Condomínios do Paraná), na tentativa de entrarem em acordo quanto as reivindicações dos trabalhadores. Na manifestação desta terça-feira (27), cerca de 300 funcionários tomaram, desde

estavam no local para auxiliar os motoristas. De acordo com o presidente do Sindicon, Hélio Após as greves de cobraRodrigues da Silva, a prindores e motoristas de ônibus, cipal exigência é o reajuste professores e policiais civis, salarial de 15% e ainda o funcionários de condomíaumento de R$ 120 para R$ nios de Curitiba decidiram, 150 no valor da cesta básinesta segunda-feira (26), ca. O presidente relata que já houve cerca de 17 encontros com o Secovi, sendo três deles no Ministério do Trabalho. “Nas negociações anteriores os trabalhadores não aceitaram a proposta de de 8% do Secovi”, conta. Silva defende que o piso regional da categoria para uma servente (zeladora) é de R$ 617, abaixo do salário mínimo, R$ 622 e, como ele enfatiza, muito menor do que o piso fixado no interior Aproximadamente 300 funcionários tomaram a frente do Secovi do estado de R$ 700. fazer uma paralisação geral o início da manhã, a frente A presidente do Secovipara reivindicar melhorias do prédio do Secovi, locali- PR, Liliana Tabanaro, expara a categoria, nesta terça- zado na Rua Doutor Pedro- plica que desde as reuniões feira (27). sa nº 475. Durante o perío- iniciais as propostas de reDesde setembro de 2011 do em que os manifestantes ajustes por parte do Secovi integrantes do Sindicon bloquearam uma das pistas foram praticamente as mes(Sindicato do Empregados da rua causando engarrafa- mas, oferecendo uma média em condomínios, residên- mentos na região, porém, de aumento do piso salarial cias, comerciais e imobili- funcionários do DETRAN de 10,5% , aumento dos sa-

Amanda Lima

Amanda Lima Ana Kruger

lários de 8%, mudança no valor da cesta básica para R$ 150 e seguro desemprego de R$ 30 mil, como citou o presidente do Sindicon. No entanto, a Liliana esclarece que o motivo dos pisos salariais do interior e da capital não serem os mesmos é o fato dos índices do Database ,período do ano em que patrões e empregados representados pelos Sindicatos reúnem se para rever os termos dos seus contratos coletivos de trabalho, das duas regiões saírem em épocas diferentes do ano, em maio e em outubro. “A proposta é recem aceita pelos trabalhadores de Ponta Grossa e houve um aceno por parte do Sindicon de Curitiba para que fosse aderida na capital”, explica. A presidente defende que o sindicato está aberto para negociações e é preciso haver uma declaração formal do Sindicon dizendoque está disposto a aceitar a proposta do Secovi. Ao longo do dia os manifestantes fizeram uma

passeata pelo centro da cidade a fim de chamar mais trabalhadores que ainda não estavam no protesto. Durante a manhã os manifestantes declararam que o protesto seria pacífico, mas que iria permanecer até que as reivindicações fossem atendidas. Não se sabe até quando os funcionários iram deixar de trabalhar. Apesar de todo o movimento não foram todos os porteiros que aderiram à paralização. O porteiro Paulo Dalagrama afirma que a categoria quer rebeber um aumento salarial, mas ele resolveu não participar da greve. “Pensei primeiro nos moradores, imagina a confusão que seria”, esclarece Dalagrama. Nos prédios que ficaram sem porteiros, seguranças e zeladores a confusão foi grande. “Nós ficamos sem porteiro, tivemos que nos virar com a correspondência e com a entrada e saída dos moradores, foi um caos”, relata a síndica Maria Alice Queiroz.

Divulgação Festival de Curitiba

Atrações abertas começam quarta-feira para todo o público

ram realizadas durante o dia todo no Memorial de Curitiba. Na sequência, o A 21ª edição do Festi- espetáculo de dança Los val de Teatro de Curitiba Pájaros Muertos, de Barfoi iniciada com evento celona, se apresentou no apenas para convidados Largo da Ordem. A estreia oficial da atrana terça feira (27). Coletivas sobre o evento fo- ção acontece nesta quarta-

Amanda Lima Ana Kruger

feira (28), às 20 h, com entrada franca e duração de 50 minutos. A peça se baseia na vida e obra de Pablo Picasso, grande pintor do século XX. Situado em um universo que envolve a vida do espanhol, o espetáculo retrata as

pessoas, os conflitos e as viagens que fizeram parte dos seus 92 anos de vida. Parte da Mostra 2012, a atração contará com a participação de atores e bailarinos curitibanos como figurantes. Entre as atrações dessa quarta-feira estão Bem Vindo, Água Viva, Balada de um Palhaço, Amor Extremo, Ah, A Humanidade! , e Outras Exclamações e a 4ª parede. Mais de 50 locais são cenários do Festival que mantém sua programação até o dia 8 de abril e está dividido em 11 categorias: Mostra, Fringe, Risora-

ma, Mish Mash, Guritiba, Gastronomix, De Repente, XXX, Mostra de Cinema, Eventos Especiais e CWBDB. Os gêneros sao os mais diversos, entre eles: Musical, Drama , Comédia, Dança, Monólogo, Infantil e Stand up Comedy.

Serviço Os ingressos estão à venda no Shopping Mueller, no Parque Shopping Barigui, no Shopping Palladium e no site: https://www.bilhetedigital.com.br.


4

Comportamento

Curitiba, quarta-feira, 28 de março de 2012

Praça Espanha: corpo, alma e programação Apesar de muitos curitibanos dizerem que já a conhecem, a praça esconde histórias emocionantes Amanda Lima Ana Kruger

diversos modelos, cores e idades chamam a atenção de quem passa pelo ponto de encontro. “Essa feira tem como finalidade não só apresentar os carros, como também dar oportunidade aos donos dos carros se relacionarem e trazerem suas famílias e amigos para apreciar a beleza que são os carros das décadas de 40, 50 e 60”, afirma o

expositor Beraldo Simonetti Maia. Maia, carioca de 67 anos, chegou em 2002 na cidade e desde então frequenta a exposição. Ele já teve diversos carros antigos, como Puma e Karmanguia. O mais novo “xodó” de Beraldo é um Fiat 850 Spider amarelo, de 1968. “Minha paixão pelos automóveis veio de lembranças que tenho do meu

pai e da minha época de menino”, confessa o colecionador. Se a fome bater, a Praça da Espanha também é famosa pela diversidade gastronômica que rodeia o local. Você pode encontrar bares, sorveterias, restaurantes, lanchonetes e padarias que oferecem os mais variados cardápios, especialmente neste fim de semana.

Divulgação / Soho Batel

Construída em homenagem aos colonizadores espanhóis, a Praça da Espanha é um centro cultural localizado no centro do Batel Soho. O local, aberto ao público todos os dias da semana, oferece opções de lazer para todas as idades. Porém, o sábado é o dia de maior circulação de pessoas, quando a praça reserva uma programação especial ao público. As atividades são todas gratuitas e começam às 10 horas da manhã com a Feira de Antiguidades, que fica aberta até às 17h. Nas barracas, os comerciantes vendem mercadorias das mais variadas épocas e estilos. Dentre as 18 barracas está a da feirante Herondina Fernandes Ferro, que expõe na feira há quatro anos. Em sua oitava década de vida, a catarinense nascida em Canoinhas começou a vender antiguidades por influência do marido, em

1971. O casal expôs na barraca nº 1 da Feira do Largo da Ordem, mas anos depois as vendas foram aumentando e eles chegaram a montar duas filiais da loja A Balastraka no centro de Curitiba, também vendendo objetos antigos. Com o crescimento da Feira do Largo da Ordem e o aumento da venda de produtos industrializados na feira, Herondina deixou de expor em feiras. Aproximadamente há quatro anos voltou a expor, agora na praça da Espanha. “Isso aqui é uma cachaça! É um vício, você não consegue parar!”, admite a feirante. Em sua barraca, os clientes encontram peças, na maioria estrangeiras, como porcelanas e cristais. Outra atração que movimenta a Praça Espanha, também aos sábados, é a exposição de carros antigos. Colecionadores e apaixonados por automóveis se reúnem, a partir das 15h, para trocar ideias e admirar as relíquias. Os carros dos mais

Associação dos comerciantes da área da Praça da Espanha

Praça recebe Festival Gastronômico no próximo fim de semana Amanda Lima Ana Kruger A 5ª edição do Empório Soho de Gastronomia, nos dias 30 e 31 de março na Praça da Espanha, será dedicada ao aniversário de Curitiba. O evento gastronômico é promovido pela associação que une os comerciantes da região da Praça da Espanha. A presidente da associação Cinthia Peixoto explica que os principais objetivos são aumentar a circulação de pessoas

e fazer com que conheçam a gastronomia dos estabelecimentos da área Soho Batel de Curitiba. O empório promove uma degustação dos diversos restaurantes, bares e lanchonetes por um preço mais acessível. Os valores já estão pré-estabelecidos: os doces são vendidos por R$8,00, os pratos por R$ 16, os lanches por R$12,00 e as bebidas variam de R$3,00 a R$ 12,00. Todos os associados, praticamente 73% dos estabelecimentos do local, são convi-

dados pela organização para participar. Os estabelecimentos como Aos Democratas Pub, Au Au, Madero e Pata Negra estão incluídos no evento na categoria dos lanches. As barracas que vendem pratos são de vários restaurantes da região, entre eles Babilônia, Caffé Milano, Cervejaria Devassa, Soho Tai e Tartine. E os doces são oferecidos por Cupcake Company, Fabiano Marcolini, Rose Petenucci, entre outros. As 26 barracas espalhadas pela praça funcionarão das

18h às 22h na sexta feira e no sábado, das 12h às 21h. Além das atrações gastronômicas, a Praça da Espanha vai oferecer nesse fim de semana atrações musicais. No primeiro dia, samba e música erudita ocupam o palco a partir das 18h. No segundo dia, o jazz será o ritmo da Praça Espanha. O destaque fica por conta da Orquestra de Cordas com André Abujamra. “A associação em parceria com a Prefeitura, o Instituto Municipal de Turismo e a Fundação Cultural de Curiti-

ba organizaram o evento para comemorar o aniversário de Curitiba, por isso o encerramento será com A Orquestra à Base de Sopro, balões e fogos de artifícios”, relata a presidente. Ela conta ainda que a seleção dos artistas foi feita juntamente à fundação, pensando em um público mais velho que se interessa por gastronomia. “No ano passado vieram entre 20 e 25 mil pessoas, como o evento cresce a cada edição o esperado para esse ano é de 30 mil pessoas”, finaliza Cinthia.


Curitiba, quarta-feira, 28 de marรงo de 2012

5

LONA 685 - 28/03/2012  

JORNAL-LABORATÓRIO DIÁRIO DO CURSO DE JORNALISMO DA UNIVERSIDADE POSITIVO.