Issuu on Google+

O

ún

ico

D

Curitiba, sexta-feira, 23 de março de 2012

jo

@jornallona

r do IÁ nalBr R lab as IO or il at

redacaolona@gmail.com

ór

Ano XIII - Número 682 Jornal-Laboratório do Curso de Jornalismo da Universidade Positivo

Curitiba, 23 de março de 2012

lona.up.com.br

Copa no Brasil terá cerveja oficial: lei libera propaganda e venda da bebida

Pág. 2

Peças de humor são as mais procuradas no Festival de Teatro deste ano

Capital comemora aniversário com diversas programações Além de eventos artísticos, a comemoração também conta, pelo 12º ano consecutivo, com um bolo de meia tonelada que será servido no Parque Barigui no dia 25 de março

Pág. 4

Ayrton Senna completaria 52 anos neste mês

Pág. 2 As marcas que serão deixas pela Copa de 2014 preocupam

Pág. 2

io


2

Curitiba, sexata-feira, 23 de março de 2012

Opinião

Estratégia de marketing Elisa Schneider

Está decidido. A Lei da Copa deverá incluir a liberação da propaganda e venda de bebidas alcoólicas nos estádios onde acontecerão os jogos. Algo bem previsível para o Brasil. Será que alguém notou a invasão da marca de cerveja americana Budweiser nos bares e mercados? Ela não chegou por acaso, apenas para fazer concorrência com outras cervejas. É que esta é a CERVEJA OFICIAL da Copa do Mundo 2014. As outras marcas, sim, essas foram proibidas, salvo a Brahma, que vai fazer a linha de frente para a publicidade brasileira durante o evento. O tema da discussão sobre a venda de bebidas alcoólicas está errado. Deveria levar em conta os mesmos parâmetros que levaram à proibição de qualquer tipo de bebida alcoólica nos estádios em geral. O caso é que tem gente que não sabe se comportar e bebe muito mais do que deveria. Ele pode sair do estádio sem bater em ninguém, pode não quebrar nada, dar risada com os amigos: a falta de educação não depende de cerveja. Mas ele pode entrar em seu carro e dirigir. A Lei da Copa não está contando com a Lei Seca. Ou será que ela também será alterada em razão do evento? Parece que não. Controlar o consumo de álcool dentro do estádio pode ser mais fácil do que fazer com que todos os motoristas assoprem o bafômetro na saída dos jogos. Pode ser mais fácil do que realizar blitz pela cidade toda. Seria interessante também para mostrar aos outros países que a sede da Copa, seja onde for, pode sim ditar suas próprias regras e manter suas próprias leis.

Um herói para chamar de nosso Maximilian Rox

Ele é conhecido pela sua carreira fantástica. Seu nome ecoava nas televisões brasileiras, e por todo o país os gritos de vibração acompanhavam a celebração de suas vitórias. Sua imagem representa globalmente uma pessoa triunfante e inspiradora, e em 21 de março de 2012 faria 52 anos se o destino não o reservasse um problema mecânico no momento errado. Esse ícone, não um mero campeão, é Ayrton Senna da Silva, aquele de que todo brasileiro orgulha-se em lembrar. Senna é essencialmente a figura do brasileiro vitorioso e dedicado, e sua história é digna de uma tragédia grega. Nunca ficou satisfeito pelo segundo lugar. Dizia ele: “Ou você se compromete com objetivo da vitória, ou não.” A sua determinação sempre o fez seguir em frente, só parando para que suas curvas fossem as mais perfeitas possíveis. Mas seu carro o abandonou em 1994, e não completaria a sua última curva. Encerrava-se em Tamborello, no Grande Prêmio de San Marino, a carreira do tri-campeão de Fórmula 1. O herói findava sua história como os gregos definiam a tragédia clássica: com um final triste. Resta-nos em sua história as linhas recheadas de desafios, envoltas pelos riscos e superação daquele que convivia com o medo - e que este o fascinava. Um ídolo que arriscava sua vida a cada largada. Que seu exemplo e sua atitude estejam sempre vivos, acima daqueles que pouco se arriscam em gramados. Saboreemos agora em nossos corações o tema da vitória, embalado com a inesquecível face de um verdadeiro herói. Um herói brasileiro, Ayrton Senna.

Expediente Reitor: José Pio Martins | Vice-Reitor e Pró-Reitor de Administração: Arno Gnoatto | Pró-Reitora Acadêmica: Marcia Sebastiani | Coordenação dos Cursos de Comunicação Social: André Tezza Consentino | Coordenadora do Curso de Jornalismo: Maria Zaclis Veiga Ferreira | Professores-orientadores: Ana Paula Mira, Elza Aparecida de Oliveira Filha e Marcelo Lima | Editoras-chefes: Renata Silva Pinto, Suelen Lorianny e Vitória Peluso | Editorial: Gustavo Vaz O LONA é o jornal-laboratório do Curso de Jornalismo da Universidade Positivo. Rua Pedro Viriato Parigot de Souza, 5.300 - Conectora 5. Campo Comprido. Curitiba - PR. CEP: 81280-30 - Fone: (41) 33173044.

Editorial

Goleada de

irregularidades Nos últimos dias, o Tribunal de Contas da União reduziu em R$ 500 milhões o orçamento das obras para a Copa de 2014, após fiscalizações feitas pela instituição. Claramente, com tal fato, as suspeitas de que a organização do evento seria tomada pela corrupção só aumentam. No Pan-2007, aconteceram vários escândalos de superfaturamento em obras que, em sua maioria, viraram “elefantes brancos”, e ao que tudo indica o expediente na Copa deve ser o mesmo. No Maracanã, que vive uma nova reforma (visto que para o Pan o estádio já tinha sofrido mudanças), e excessivamente gigantesca, apenas para que as exageradas exigências da FIFA sejam cumpridas, já foram cortados R$97 milhões, de um gasto total previsto em quase RS1 bilhão em dinheiro público – isto em um estádio que bastavam acertos pontuais na estrutura, para que estivesse apto a receber o Mundial. Todos esses dados levantam a desconfiança do brasileiro, já acostumado a escândalos de corrupção, e que sempre teve o temor que a Copa se tornasse um rio de dinheiro público desperdiçado em estádios, sendo vários inúteis para suas cidades (como em Manaus e Cuiabá), além do possível superfaturamento das obras. A desconfiança fica maior quando a reforma parcial da Arena da Baixada custa 63% a mais do que a construção completa de um estádio de mesmo tamanho na Alemanha (o do Mainz 05, inaugurado em agosto/2011). Além da escandalosa isenção de impostos no estádio Itaquerão que está sendo erguido em São Paulo. Isso sem contar que as duas obras citadas, também estão sendo financiadas em boa parte por dinheiro público. Por sorte, a medida de corte de gastos, mostra que o TCU está fiscalizando as possíveis mutretas da Copa, assim podemos bancar a “Poliana” e esperar um evento com pouca corrupção. Porém, é cada vez maior a sensação de que a Copa no Brasil será inútil ao povo e as cidades (que deveriam receber obras urbanas benéficas como herança do evento), e só servirá para enriquecer os poderosos envolvidos em sua organização.


Curitiba, sexta-feira, 23 de março de 2012

Curitiba completa 319 anos e comemora com programação especial

3

Há atrações para todas as idades em diversos pontos da cidade Amanda Bacilla Jéssica Rossignol Iara Machado

As comemorações para o aniversário de Curitiba acontecem desde o início do mês, e tornam-se constantes a partir do dia 24 de março, com diversas atrações para todos os públicos. A Prefeitura preparou uma programação ampla que inclui shows, gincanas, apresentações de dança, orquestras entre outras. Um bolo de meia tonelada será uma das atrações do dia 25 de março. A grande festa será no Parque Barigui, neste domingo, às 15 horas. Segundo a prefeitura, a massa de pão-de-ló do bolo gigante, produzido pelo 12º ano consecutivo pelo Sindicato da Indústria da Panificação e Confeitaria do Paraná, em parceria com o Moinhos Anaconda, ficará pronta hoje. Uma equipe de 20 pessoas trabalha nos retoques finais da massa. Segundo a assessoria da prefeitura, além das programações regionais, que contam com a apresentação da guarda mirim, grupos de dança dos bairros e atrações locais, o aniversário da cidade reúne atrações para o público em geral. A programação especial que a prefeitura vem promovendo desde o início do mês já contou com inaugurações de obras, caminhada, corrida, passeio ciclístico, conferências e algumas atrações paralelas. O jornalista e escritor Luiz Manfredini diz que os

curitibanos ainda não conhecem a história da cidade adequadamente. Comenta que as escolas deveriam publicar mais materiais a respeito do trajeto que a cidade vem fazendo desde seu surgimento. “Ao menos deveria existir um lugar em que as pessoas pudessem ter acesso ilimitado a todo esse mate-

rial, ou até mesmo a própria mídia deveria se responsabilizar por isso”, afirma. “Curitiba tem um ótimo desenvolvimento urbano - a cidade é projetada para as pessoas, e não para ser uma metrópole. É focada na convivência humana”, diz Manfredini. Ele conta que o ponto de vista urbano desenvolvido a partir dos anos

70 tem por definição eixos estruturais por onde se desconcentraria o movimento do centro. “Fechar as ruas, ampliam espaços de convivência, isso se estabelece como, por exemplo, pela iluminação, postes mais baixos, que favorecem as pessoas”, explica. As festividades para o

aniversário de Curitiba têm como principal foco anunciar as melhorias quem tem sido feitas na cidade. Segundo a assessoria, todas as mudanças são para facilitar a vida do curitibano, e o evento é justamente para divulgar os benefícios de quem vive na capital paranaense.

Confira as atrações principais do Aniversário de Curitiba


4

Cultura

Curitiba, sexata-feira, 23 de março de 2012

Festival de Curitiba promete muitas risadas A procura por peças de comédia tem sido maior em relação aos demais gêneros Amanda Bacilla Jéssica Rossignol Iara Machado

sexual. A peça estreou no dia 21 de março de 1997 na Ópera de Arame, na Mostra Oficial do Festival de Teatro de Curitiba. Em 2012, Os Fodidos Privilegiados voltam com uma remontagem Na terça-feira, 27 de mar- do texto, mantendo elenco ço, começa a 21° edição do original, para reestreiar naFestival de Curitiba. Segun- cionalmente a peça no evendo a assessoria do festival, a to. A direção é de Antonio mostra contará com a apre- Abujamra e João Fonseca, e sentação de 29 peças, e a fazem parte do elenco atoprocura tem sido maior por res como Alexandre Contini, peças de comédia. A ven- Dani Barros, Guta Stresser, da de ingressos está intensa Humberto Câmara, Roberto para peças que prometem Lobo e Thelmo Fernandes. Além dessas, outra líder descontração e dinâmica ao de procura é a peça In mepúblico. Algumas apresentações moriam - Uma comédia que fazem parte da estreia para morrer de rir, que do evento destacam-se por conta o encontro entre uma terem maior procura. A viúva, no túmulo do próprio comédia do fim do mun- marido, e um vagabundo dedo conta a história de seis mente, que se diz anarquispessoas que passam a noite ta com a missão de sabotar em um bunker improvisa- o trem no qual viaja Adolf do na véspera do dia 21 de Hitler, despertando o passadezembro de 2012 à espe- do de ambos, a vida de dois ra do final dos tempos. De fantasmas na solidão, seus forma tragicômica, discu- sonhos, ideais e ilusões. A tem os fundamentos das te- direção é de Gustavo Bieorias apocalípticas como o berbach e Carlos Silva; o Calendário Maia, a inver- elenco é formado pelos atosão polar e o alinhamento res Tobias Nunes e Vanessa dos planetas. A direção é de Grando. A diretora de teatro da Marino Jr, e fazem parte do Universidade Positivo, Maelenco os atores Débora Welker, Ingrid Bozza, Gustavo rília Ferreira, diz que o púTavares,José Castro e Luis blico gosta de rir, por isso a preferência por peças de Henrique Fernandes. Outro destaque é a peça O comédia. “A plateia já tem casamento, que conta a his- muitos problemas, eles pretória de Dr. Sabino, um rico ferem se divertir no teatro”, empresário que descobre, na afirma Marília. Ainda diz véspera do casamento da fi- que isso se deve à falta de lha, que seu genro é homos- hábito de ir ao teatro: “Não

existe hábito de ir ao teatro, por isso a arte em si, o texto, a performance do ator, como por exemplo em uma peça de drama, não é valorizada”. Marília destaca algumas peças de edições passadas do festival: “Ano passado teve uma peça com o Marco Nanini chamada “Pterodátilos”, que ele interpreta o seu filho mais novo, e é bastante estranho ver um homem no papel de um adolescente. Acaba se tornando interessante, de tão exótico. No começo acaba sendo farsesco, mas depois o texto se torna maravilhoso. É uma pena que essa peça não esteja na mostra deste ano”, comenta. “Para quem pretende assistir à mostra, indico alguns grupos que gosto, como Parlapatões, Galpão, e vale a pena assistir às peças de rua”, finaliza. O festival vai até o dia 8 de abril, e também conta com a mostra Fringe, que esse ano tem 365 peças.

Alunos da UP participam da

Cobertura do Festival de Curitiba O curso de Jornalismo da UP recebeu o convite através de uma parceria da NQM – empresa responsável pela assessoria de imprensa do Festival de Teatro de Curi-

Divulgação Festival de Curitiba

A peça do casamento tem como elenco Guida Vianna e Dudu Sandroni

tiba - com a Universidade Positivo. Ao todo 45 alunos do curso de Jornalismo da faculdade farão a cobertura do evento. Além da coordenação da NQM, os alunos serão auxiliados pelas alunas Ailime Kamaia, 7°p.N, e Joana Alcântara de Castro, 3°p.N. A cobertura começa no dia 27 de abril, porém alguns alunos já estão trabalhando desde o dia 14 de abril, na produção de releases que serão distribuídos para a imprensa em geral. O QG da assessoria fica localizado no Memorial de Curitiba, e faz parte do trabalho dos estudantes acompanhar as peças e produzir material para o público. A professora Rosiane Correia de Freitas, responsável por observar e auxiliar os alunos que fazem parte da cobertura, diz que, apesar de não poder comparecer ao evento, tem preferência por peças com textos clássicos, como a peça O Idiota. Se-

gundo Rosiane, a cobertura jornalística da instituição tem o objetivo de, não só divulgar o eventocultural, como também, enriquecer o repertório dos alunos envolvidos. O evento apresenta peças de teatro na Cinemateca de Curitiba, Clube Curitibano, Praça Osório, Largo da Ordem, dentre outros pontos turísticos da capital paranaense. O Festival de Teatro de Curitiba promete e oferece um cardápio variado de cultura e conhecimento, não somente focado no teatro, mas inclusive em eventos de moda, culinária e outras variedades integrantes do repertório cultural. Os ingressos podem ser adquiridos pela internet ou em um dos quiosques de venda espalhados na cidade.

Mais informações:

http://festivaldecuritiba.com.br/


LONA 682 - 23.03.2012