Issuu on Google+

O

ún

ico

D

Curitiba, terça-feira, 20 de março de 2012

jo

@jornallona

r do IÁ nalBr R lab as IO or il at

redacaolona@gmail.com

ór

Ano XIII - Número 679 Jornal-Laboratório do Curso de Jornalismo da Universidade Positivo

Curitiba, 20 de março de 2012

lona.up.com.br

Após 15 anos Câmara Municipal de Curitiba tem novo presidente

A Copa de Futebol da Integração Metropolitana promove união entre a capital e os seus municípios Pág. 4

Violência na França causa revolta ao redor do mundo Pág. 2

Ficha Limpa ainda é motivo para indignação de muitos cidadãos Pág. 2 Andressa Katriny

O vereador João do Suco (PSDB) foi eleito o novo presidente da Câmara Municipal de Curitiba ontem. O tucano recebeu 25 votos contra 11 do candidato Paulo Salamuni (PV).

io


2

Curitiba, terça-feira, 20 de março de 2012

Editorial

A violência

não surpreende mais

A essência violenta do ser humano não é novidade para ninguém. O que aconteceu no início manhã de segunda-feira numa escola judaica na França, foi trágico. Um motoqueiro atirou aleatoriamente utilizando duas armas na frente da escola, matando quatro pessoas, três delas eram crianças. Nesse mesmo mês já ocorreram dois outros casos de assassinatos desse modo na França, mas contra militares, que todo dia correm risco de vida e estão preparados para isso. As autoridades locais estão sendo mobilizadas em grande quantidade, os candidatos à presidência francesa se mobilizam mais ainda aproveitando da situação para a campanha. Se os assassinos querem chamar atenção já conseguiram, pois algo que consegue comover a opinião pública é morte de crianças. Nesse caso agravado por serem de uma minoria que historicamente já sofreu muito, os judeus. O que pode se pensar de uma ação como essa? As hipóteses são muitas. Conclusões sem provas são precipitadas e irresponsáveis. A única sugestão é que os três crimes tenham alguma conexão entre si por terem sido feitos do mesmo modo e com as mesmas armas. O motivo que levou essas pessoas a esses assassinatos a sangue frio, só será revelado após muita investigação e ao que tudo indica, não será algo simples e esclarecedor. Um acontecimento desses espanta, mas não surpreende. Nos últimos anos, em várias partes do mundo já ocorreram casos até piores de assassinatos de crianças nas escolas. Inclusive no Brasil. Os mais conhecidos são aqueles que os próprios estudantes levaram armas para o colégio e atiraram contra colegas de sala. Os motivos são outros, mas as vítimas são as mesmas. Opinião

Opinião

Transparência ofuscada

O caos dos protestos Pamela Castilho

A constituição diz que todo cidadão tem o direito de verificar a ficha daqueles que se candidatam e, principalmente, se elegem em algum cargo público. Seja ele vereador, deputado, prefeito, governador, senador, presidente da república, etc. É uma questão que pode mudar uma intenção de voto, por exemplo. Aí você diz: “Ok, mas a Lei da Ficha Limpa já barra aqueles que possuem processos criminais, então, por que a pesquisa?”. A pesquisa serve para fiscalizar se essa lei está sendo realmente cumprida. Não foi o que constatei fazendo a apuração da matéria sobre política que está na edição do LONA hoje.Tive grande dificuldade em levantar informações sobre políticos que ocupam as cadeiras do poder paranaense. É claro que, com um pouco mais de tempo, seria possível fazer esse levantamento detalhado, mas isso exige muito suor, esforço, tempo e paciência. Você ouve muitos: “Desculpe, não estamos a par desta informação”, ou então “não posso te passar esses dados no momento”. Para os meros mortais, cidadãos que pagam seus impostos e só pretendem verificar se seu candidato é mesmo quem diz ser nas campanhas eleitorais, esse processo pode, facilmente, fazer com que ele desista. É decepcionante saber que a lei prega a transparência, mas não facilita com que ela seja eficiente. Claro, foram feitos sites de cadastro voluntários que ajudam nessa questão. O portal fichalimpa.org, por exemplo, possibilita com que você, anonimamente, cadastre um político sabendo que ele deve ser barrado pela Ficha Limpa. Repetindo: voluntariamente. Oficialmente, isso se complica muito mais. Conversei com o professor do curso de direito Tarço Violin sobre isso e ele disse que, para facilitar esse levantamento de dados, deve ser feito um cadastro nacional e oficial que organize todas essas informações. O professor afirmou que, para isso, seria necessário criar um projeto de lei que possibilite isso. Infelizmente, nossos deputados não parecem muito preocupados com essa questão. O resultado dessa apuração só deixou claro uma coisa: há muitas brechas na administração do nosso país. Transparência? Bom, acredito que ela está um pouco ofuscada. E é preciso, mais do que urgentemente, que ela se torne de uma vez por todas, completamente nítida.

Rafaela Guimarães

O ano está apenas começando, mas Curitiba já presenciou uma série de protestos, fosse para reivindicar melhores salários, como foi o caso dos motoristas e cobradores de ônibus e dos professores da rede municipal de ensino, ou para pedir mais segurança no trânsito, o que levou centenas de ciclistas às ruas. A solicitação de melhores salários é compreensível, as pessoas precisam ser reconhecidas por seus trabalhos, principalmente os professores, porém, atingir terceiros e deixar a cidade virar um caos, não se justifica. Podemos entender que a profissão de motorista de transporte público realmente não é valorizada por grande parte da população, inclusive pelos usuários do transporte, mas puni-los pela suposta falta de reconhecimento das empresas na hora do pagamento de seus salários é injusto. Assim como não é justo deixar centenas de alunos sem aula para solicitar o aumento de salário. Não entendam como se eu fosse completamente contra a reivindicação dos nossos direitos, mas há outras maneiras de fazê-lo, sem prejudicar pessoas que não fazem parte da situação. Tomem como exemplo a manifestação dos ciclistas. O ato foi realizado por mais de 30 cidades do país e levou, só em Curitiba, cerca de 500 ciclistas às ruas pedindo mais segurança e políticas públicas adequadas para a bicicleta, sem atrapalhar a rotina da cidade. Em um país democrático, a reivindicação dos direitos é muito importante para que ele possa evoluir, mas façamos isso com consciência e cidadania, para que os pedidos possam ser atendidos sem nenhum dano ao resto da população.

Expediente Reitor: José Pio Martins | Vice-Reitor e Pró-Reitor de Administração: Arno Gnoatto | Pró-Reitora Acadêmica: Marcia Sebastiani | Coordenação dos Cursos de Comunicação Social: André Tezza Consentino | Coordenadora do Curso de Jornalismo: Maria Zaclis Veiga Ferreira | Professores-orientadores: Ana Paula Mira, Elza Aparecida de Oliveira Filha e Marcelo Lima | Editoras-chefes: Renata Silva Pinto, Suelen Lorianny e Vitória Peluso | Editorial: Renata Pinto O LONA é o jornal-laboratório do Curso de Joenalismo da Universidade Positivo. Rua Pedro Viriato Parigot de Souza, 5.300 - Conectora 5. Campo Comprido. Curitiba - PR. CEP: 81280-30 - Fone: (41) 3317-3044.


3

Curitiba, terça-feira, 20 de março de 2012

Novo presidente da câmara é do PSDB e ganhou apoio de Derosso A Câmara Municipal de Curitiba elegeu o presidente “tampão” que irá substituir Derosso Vitória Peluso

A sessão na Câmara Municipal de Curitiba desta segunda-feira (19) elegeu o presidente que irá substituir João Claudio Derosso. Com 25 votos, o candidato eleito foi o vereador João do Suco do PSDB, mesmo partido do ex-presidente. João do Suco prometeu governar preservando a transparência e a ética política em seu mandato que terá duração de onze meses, até fevereiro de 2013. Segundo a assessoria de imprensa da Câmara, todos os vereadores

participaram da votação, inclusive Derosso que deu seu voto para o candidato eleito. O candidato Paulo Salamuni (PV) recebeu 11 votos e o vereador Caíque Ferrante desistiu da sua candidatura antes do início da eleição. Ferrante e o vereador Juliano Borghett foram os únicos que se abstiveram de votar.

rém, no dia 12 de março ele renunciou por meio de uma carta enviada à Casa, chegando ao fim o seu mandato. Na carta o vereador justifica a sua decisão com as seguintes palavras: “Visando preservar meus pares, bem como a instituição Câmara Municipal de Curitiba de acusações negativas e inverídicas, venho pelo presente, renunciar ao cargo O que levou a de Presidente da Câmara substituição de Municipal de Curitiba” . Derosso Derosso ainda diz que está sendo acusado de denúncias não provadas Durante 15 anos, a Câ- e que estão sendo invesmara Municipal de Curi- tigadas pelo Ministério tiba foi presidida pelo Público (MP-PR) e pelo vereador João Claudio Tribunal de Contas do Deresso (PSDB). Po- Paraná. As denúncias que Câmara Municipal de Curitiba

João do Suco foi eleito presidente da Câmara

o parlamentar refere-se são em relação à licitação para a contratação de empresas de publicidade feita pela Câmara em 2006. No dia 17 de novembro de 2011, o MP-PR por meio da Promotoria de Justiça de Proteção do Patrimônio Público de Curitiba entrou com uma ação por ato de improbidade administrativa contra o então presidente da Câmara Municipal de Curitiba, João Claudio Derosso. De acordo com o MP-PR, o vereador licitou em contratou irregularmente agências de publicidade, as empresas Oficina da Notícia e Visão Publicidade. Sendo que a dona da agência Oficina da Notícia era uma funcionária da Casa e atual esposa de Derosso, Cláudia Queiroz Guedes. O caso teve início devido uma reportagem publicada pelo jornal Gazeta do Povo, em julho do ano passado. E agosto, um mês após as primeiras denúncias, os parlamentares entram com um requerimento pedindo a instauração de uma CPI, Comissão Parlamentar de Inquérito, para investigar o caso. Porém, apenas em setembro o Conselho de Ética da Câmara entra com o

pedido de afastamento de Derosso do cargo de presidente e a CPI inicia as investigações. Entretanto, antes que o Ministério Público oficializasse o pedido de afastamento, Derosso pediu afastamento temporário por 90 dias. Em dezembro, a CPI apresentou um relatório isentando o vereador pelas irregularidades nas licitações e contratações de empresas de publicidade. Por outro lado, a oposição na Câmara apresentou um relatório contrariando a decisão da CPI e responsabilizando Derosso. No início de 2012, o prazo do pedido de licença do vereador acabou e, em fevereiro, ele pediu mais 90 dias de afastamento, o que de acordo com o regimento interno não é possível, pois ultrapassado o permitido. Com isso, a posição e mais alguns vereadores da situação pediram o afastamento definitivo do presidente. Fazendo com que, no dia 12 deste mês, através de uma carta, João Claudio Derosso renuncia-se a presidência. A sessão na Câmara Municipal de Curitiba de ontem (19), elegeu o presidente que irá substituir João Claudio Derosso.


4

Política

Curitiba, terça-feira, 20 de março de 2012

Luiz Fernandes/Prefeitura de Araucária

Futebol amador aproxima Curitiba e Região

Metropolitana Promover a união entre Curitiba e Região Metropolitana por meio do esporte é o intuito do campeonato de futebol amador realizado pela Secretaria Municipal de Assuntos Metropolitanos e a Secretaria de Esporte e Lazer e Juventude juntamente com a Federação Paranaense de Futebol Vitória Peluso Sophia Chueke A Copa de Futebol da Integração Metropolitana terá a sua terceira edição este ano. No dia 6 de março, em reunião, os organizadores do evento decidiram que a copa será lançada, no dia 25 de março, com uma partida inicial entre o União Vila Torres e o Araucária. O jogo acontecerá no estádio do União, Márcio Vendramel. De acordo com a prefeitura de Curitiba, o regulamento da Copa de Integração é parecido ao da Copa do Brasil. Os times jogarão duas vezes, uma vez fora

e outra em casa, a equipe que perder será eliminada. Porém, a diferença neste campeonato é que no primeiro jogo mesmo a equipe visitante marcando mais de dois gols fora de casa não eliminará o adversário. Os resultados das partidas poderão ser acompanhados no site da Federação Paranaense de Futebol. O vice-presidente da Federação Paranaense de Futebol (FPF), Genivaldo Santos, acredita que o objetivo de promover uma integração entre Curitiba e as cidades vizinhas através do futebol vem sendo atingido desde o primeiro campeonato. Santos conta que os

Jogos do dia 1º Quatro Barras x Tunas do Paraná Avai (Lapa) x Araucária Bordignon (Pinhais) x São José dos Pinhais Bocaiúva do Sul x Almirante Tamandaré Agudos do Sul x Adrianópolis Folha de Tamandaré x Itaperuçu Bola de Ouro (Colombo) x Campo Magro Contenda x Ass. Moradores Santíssima Trindade (Curitiba) Fazenda Rio Grande x Cerro Azul Fonte: Prefeitura de Curitiba

Jogo entre Araucária e Quatro Barras, na 1° Copa de Futebol da Integração Metropolitana

moradores das cidades envolvidas vão aos jogos para torcer e acompanhar os jogadores, pois estes residem no município. “As pessoas viajam para ver as partidas em outras cidades, fazendo com que a integração aconteça”, alega o vice-presidente. Para o secretário Municipal de Esporte e Lazer de Araucária, Wanderley Bady Haddaad, o campeonato tem boa repercussão na cidade, os moradores gostam de assistir às partidas e ajudam a preservar a identidade do município. Segundo Haddaad, a prefeitura dá toda a infraestrutura para a realização dos jogos e para o time. “Os jogadores não ganham para jogar, mas recebem alimentação, o transporte para viagens, os uniformes, e a prefeitura paga o técnico para treinar os atletas”, explica o secretário. Haddaad comenta que cada município dá assistência para a sua equipe representante e os times da região de Curitiba recebem da prefeitura, como o Vila Torres e o Associação de Moradores Santíssima Trindade. Genivaldo Santos relata que a Copa é um projeto seu juntamente com a Secretaria de Municipal de Assuntos Metropolitanos e foi criado para substituir um evento

Automobilístico que deixou de ser realizado em 2010. Neste mesmo ano, aconteceu a primeira edição da Copa de Futebol da Integração Metropolitana e o time de Araucária foi o campeão. O treinador do Araucária diz que o time está preparado e que os jogadores já começaram a treinar para vencer mais uma vez a Copa. Em 2011, de acordo com a Secretaria Municipal de Assuntos Metropolitanos, 20 municípios participaram do campeonato e cerca de 500 atletas, mais as comissões técnicas dos times. O União Vila Torres venceu a 2° Copa e pretende conquistar o título mais uma vez. Entretanto, o presidente da Associação de Moradores da Vila Torres, Marcos Eriberto dos Santos, acredita que esta copa será difícil. “Não somos os favoritos, mas um dos favoritos, pois outras equipes virão mais preparadas e fortes este ano”, diz o presidente. O presidente da FPF, conta que, além de gerar uma relação entre as cidades, o campeonato colabora para a formação dos jogadores – pois durante as partidas surgem oportunidades para os a atletas profissionalizarem-se – e descobrir novos talentos do

futebol. Além disso, o presidente conta que a partir do campeonato outros eventos passam a acontecer nas cidades, como festas, e o movimento incentiva as prefeituras a darem maior apoio ao esporte. “Os prefeitos das cidades que antes não se interessavam pelos clubes de futebol amador, após assistirem aos jogos, passaram a apoiar os times”, relata Santos. O treinador do Araucária é o ex-jogador do Coritiba, Dorival Mateus da Costa, mais conhecido como Toby. Ele diz que a diferença de quando ele era atleta profissional e hoje como treinador de um time amador é que agora ele exerce uma função social. “Minha função não é exatamente de técnico, mas de educador”, alega Toby. No União Vila Torres, o atleta pode começar a jogar a partir dos 16 anos. Já no Araucária, o secretário conta que o técnico dá oportunidade para jogadores mais velhos, que não teriam chances de jogar em outros campeonatos, e também para jovens por meio de seleção. Segundo Toby , as crianças entre dez e onze anos aprendem a jogar futebol e quando completam 17 anos podem ser selecionados para jogar pelo time.


LONA 679 - 20/03/2012