Page 1

RIO DIÁ do

Curitiba, quinta-feira, 16 de setembro de 2010 - Ano XII - Número 590 Jornal-Laboratório do Curso de Jornalismo da Universidade Positivo

BRASI

L

redacaolona@gmail.com

Natasha Virmond/ LONA

Proibido o uso de celulares em agências bancárias

Medida é fruto de lei aprovada pela Câmara Municipal de Curitiba e sancionada pelo prefeito. Ela começa a valer amanhã. Pág. 3

Especial

Saúde

Conheça o que a cidade vai fazer para receber a Copa do Mundo

Comportamento

Chá verde é aposta para acabar com erosão dentária

A dualidade do transtorno bipolar

Pág. 4

Pág. 7

Pág. 7


2 Expediente Reitor: José Pio Martins. Vice-Reitor: Arno Antonio Gnoatto; Pró-Reitor de Graduação: Renato Casagrande; Pró-Reitor de Planejamento e Avaliação Institucional: Cosme Damião Massi; PróReitor de Pós-Graduação e Pesquisa e PróReitor de Extensão: Bruno Fernandes; Pró-Reitor de Administração: Arno Antonio Gnoatto; Coordenador do Curso de Jornalismo: Carlos Alexandre Gruber de Castro; Professores-orientadores: Ana Paula Mira e Marcelo Lima; Editoreschefes: Daniel Castro (castrolona@gmail. com.br), Diego Henrique da Silva (ediegohenrique @hotmail.com) e Nathalia Cavalcante (nathalia. jornal@gmail.com) .

Missão do curso de Jornalismo “Formar jornalistas com abrangentes conhecimentos gerais e humanísticos, capacitação técnica, espírito criativo e empreendedor, sólidos princípios éticos e responsabilidade social que contribuam com seu trabalho para o enriquecimento cultural, social, político e econômico da sociedade”. O LONA é o jornallaboratório diário do Curso de Jornalismo da Universidade Positivo – UP Redação LONA: (41) 3317-3044 Rua Pedro V. Parigot de Souza, 5.300 – Conectora 5. Campo Comprido. Curitiba-PR - CEP 81280-30. Fone (41) 3317-3000

Curitiba, quinta-feira, 16 de setembro de 2010

Opinião

A arte nos muros

Conquistas ou perdas Victor Fóes

?

A Câmara Municipal de São Paulo aprovou um projeto de lei que proíbe a prática do skate nas calçadas da cidade, sob pena de multa de R$ 95, e o dobro para quem insistir na prática. O projeto ainda precisa passar por uma segunda votação para ir ao prefeito Gilberto Kassab. O que nos intriga é como podem proibir o esporte de ser praticado na rua, seu “habitat natural”, se foi das calçadas que ele surgiu, lá nos anos 60, nas ladeiras californianas? A falta de informação e o desinteresse pelo esporte, cultura, saúde e lazer para as pessoas que defendem esse projeto de lei pelo medo de se machucarem pelo skate dos outros, pelo incômodo do barulho causado pelas manobras, ou pela negação do desenvolvimento desse esporte, são as únicas justificativas para o apoio dessa decisão. “Hoje em dia já é difícil andar em pista devido à locomoção, não existem áreas destinadas à prática do skate em todos os bairros, e também tem gente que usa o skate como forma de locomoção. Eu andaria em lugares mais escondidos e tentaria burlar essa lei, se for aprovada”, afirma o estudante Wellinghton Diego Gralak. Hoje, o skate no Brasil é o segundo esporte mais praticado, perdendo somente para o futebol. Infelizmente, o skate está em grande desvantagem em relação ao futebol quanto à estrutura que lhe é destinada. Enquanto o futebol conta com grandes investimentos, o skate é praticado de forma quase marginal. Skate não é crime. Pelo contrário: tira muitos jovens do mundo da marginalidade e desperta neles a vontade de ter uma vida saudável. Também incentiva a preservação do meio ambiente, já que aqui em Curitiba, no dia mundial do skate (dia 21 de junho), o tema era “Não vá de carro, vá de skate”. Outra questão a ser abordada é a de que o skate não é o único meio de transporte utilizado nas calçadas, já que bicicletas, patinetes e patins disputam pelo mesmo espaço, por que não vão proibilos também? Além de que uma modalidade muito praticada no âmbito do skate, o “street”, seria completamente prejudicada, já que o estilo consiste somente na prática de manobras na rua e em objetos que estão na rua. O que nos resta é torcer para que essa situação não se espalhe por todo o país, já que somos um grande polo de skatistas de porte internacional como Felipe Ortiz e o famoso Bob Burnquist, e isso devido à possibilidade da prática nas ruas. Se de fato for decretada a lei, devemos lutar para que as pistas e áreas para a prática desse esporte aumentem em qualidade e em quantidade.

SXC/ Kriss Szkurlatowski

SXC/ Afonso Lima

Renan Furatdo Numa metrópole e na vida urbana, somos bombardeados por diversas formas de poluição, tais como a ambiental, a sonora e a visual. No meio delas, algo se destaca: são traços trabalhados e que nos direcionam mensagens artísticas. Apesar disso, muitas vezes são considerados apenas mais sujeira na selva de pedra. O grafite (do italiano graffiti, plural de graffito) é o nome dado às inscrições feitas em paredes desde o Império Romano. Até pouco tempo, recebiam a denominação pejorativa de pichação. Eram utilizadas — e em alguns casos ainda são — para demarcar territórios. Mas hoje essa prática vem sendo valorizada, ainda que não tenha recebido total aceitação. De qualquer forma, o grafite é destacado e é considerado uma importante forma de expressão no âmbito das artes visuais, contando inclusive com oferta de cursos para iniciantes. Esse “olhar diferente” da cidade hoje é explorado por governos para substituir pichações que ocupavam os muros de escolas. Dessa forma, cria-se oportunidade para os jovens colocarem em prática sua criatividade e embelezar um espaço deteriorado. Apesar dos bons exemplos, o grafite ainda não é bem visto por grande parte da sociedade. Ao contrário dos movimentos artísticos oficiais, o grafite domina o espaço urbano sem normas ou regras, e por conta disso acaba sofrendo restrições. Chega-se, inclusive, a pensar na proibição do grafite. Quem imagina essa hipótese compara seu valor artístico ao da pichação, que é bastante contoverso. Mas será que é tão errado utilizar prédios e muros abandonados para abrirmos a mente de uma sociedade receptiva a assuntos mais polêmicos e menos importantes? Será que a abertura para a reflexão proporcionada pelos traços e cores do grafite é tão prejudicial como pensam alguns?


3

Curitiba, quinta-feira, 16 de setembro de 2010

Legislação

É proibido Nova lei proibe o uso de celulares em bancos. A medida foi tomada para evitar assaltos Natasha Virmond A p a r t i r d e amanhã, será proibido entrar em agências bancárias utilizando aparelhos celulares, em Curitiba. A medida foi sancionada pelo prefeito Luciano Ducci, no dia 17 de junho deste ano, tendo 90 dias de prazo para entrar em vigor. O objetivo da lei é prevenir os assaltos conhecidos como “saidinha”, em que um dos criminosos avalia os saques realizados pelos clientes do banco e avisa os comparsas, que ficam nas saídas, para realizar o assalto. Para o vereador Tito Zeglin, autor da lei, a ação pode parecer extrema, mas ajuda a evitar assaltos, pois a comunicação entre os marginais fica mais difícil. Afirma ainda, em nota publicada em seu site, que as portas com detectores de metais existentes e a vigilância não impedem que criminosos entrem em agências bancárias e observem a movimentação dos clientes para detectar possíveis vítimas. Segundo a lei, quem entrar nos bancos da capital deverá desligar o celular, e, caso o utilize dentro das agências, poderá ter o aparelho confiscado durante o tempo em que permanecer no banco, sendo devolvido somente na saída. Caso o usuário decida não entregar o celu-

Natasha Virmond

O objetivo da lei é prevenir os assaltos conhecidos como “saidinha”, em que

lar, a polícia poderá ser chamada. Zeglin afirma que a proibição não deve ser vista como um ato de inconstitucionalidade, pois zela pela segurança de todos os usuários do estabelecimento. A Federação Brasileira de Bancos (Febraban), em nota enviada para o Lona, afirma que recomenda a seus associados adotarem as medidas de segurança, assim que a lei for sancionada e publicada. Porém, no caso dessa lei, a entidade comenta que os bancos não têm poder de polícia, sendo assim, não podem restringir os direitos dos usuários, o que poderia causar desconforto às pessoas nos ambientes em questão. Em Salvador, Teresina e Belo Horizonte existem leis semelhantes, o que valida a lei aprovada em Curitiba. O mesmo projeto deve entrar em vigor em agências da capital paulista nos próximos meses, pois o processo já tramita na câmaras dessas capitais. Campinas, no interior de São Paulo, onde também foi aprovada a lei, já utiliza o mesmo recurso de segurança. Pela lei os bancos devem colocar, em locais de fácil visualização, avisos de

um dos criminosos avalia os saques realizados pelos clientes do banco e avisa os comparsas, que ficam nas saídas, para realizar o assalto

que o uso de aparelhos celulares e similares não é permitido e que, caso a regra não seja obedecida, pode haver intervenção policial, para que o cidadão entenda as consequências do descumprimento da regra. A proibição ao uso de celulares é a segunda medida de segurança aprovada em Curitiba. A primeira está em vigor desde 2008, e determina a instalação de biombos para separar os clientes que estão sendo atendidos, daqueles que ainda esperam na fila, porém ainda não é cumprida em todos os bancos da capital. A lei que prevê a instalação dos biombos, para atendimentos reservados, é de autoria do vereador Paulo Froti. Vários casos de assaltos, alguns resultando em morte, são vistos por toda Curitiba.

Um dos casos mais lembrados é o da pró-reitora da Universidade Federal do Paraná (UFPR), que foi assassinada quando chegava em casa, após ter sacado dinheiro em um banco da capital. Ambas as leis foram sancionadas para assegurar aos clientes do banco, privacidade e melhores condições de segurança. Tito Zeglin afirma ainda, em seu site, que os criminosos encontram maneiras diversas para assaltar o usuário do banco, o que leva as autoridades a procurar soluções para o problema, mesmo que sejam desconfortáveis, para a maioria da população. O vereador comenta que o início do mês é o momento em que há um aumento no número de assaltos, pois a movimentação financeira nes-

ses dias é maior. Para a empregada doméstica Ilma Weber, a nova lei funciona como uma segurança a mais para quem vai ao banco. Afirma que a nova medida pode atrapalhar aqueles que utilizam muito o aparelho. No entanto, para ela a lei pode trazer benefícios. “Não me sinto prejudicada e até prefiro abrir mão de conversar pelo celular se a medida ajudar a combater os assaltos”, reforça. Embora nunca tenha sofrido qualquer problema ao sair de uma agência bancária, entende que o melhor a se fazer é seguir as leis. “Falar ao celular é uma maneira de passar o tempo enquanto espero o atendimento, mas abro mão da distração em nome da segurança”, acrescenta.


4

Curitiba, quinta-feira, 16 de setembro de 2010

Copa em Curitiba

Gestor da

Copa em Curitiba fala sobre

as obras e estruturas da cidade Luiz de Carvalho aborda valores e aponta os focos de investimento do município. Além disso, comenta os benefícios que a Copa poderá trazer para todo o estado do Paraná. Miguel Basso Locatelli

No dia 31 de maio de 2009, nas Bahamas, a Federação Internacional de Futebol Associado (FIFA) anunciou o Brasil como sede da Copa de 2014. Porém, o processo começou ainda em 2003, quando a Confederação Sul-Americana de Futebol (CONMEBOL) confirmou que Argentina, Colômbia e Brasil se candidataram para sediar a Copa. Três anos depois, a CONMEBOL considerou o Brasil como seu único candidato. No final de 2006, a Colômbia se candidatou, mas não recebeu apoio de Joseph Blatter, presidente da FIFA. Em 2007, a instituição confirmou o Brasil como sede, mas a escolha seria em 2008, porém, acabou acontecendo em 2009, com o Brasil confirmado para sediar o maior campeonato de futebol do mundo. Ainda em 2009, a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) anunciou as sedes no país. O número de cidades deveria ser entre oito e dez, mas a FIFA cedeu aos pedidos da CBF e permitiu que fossem utilizadas 12 sedes. No dia 31 de maio, foram anunciadas as cidades de Belo Horizonte, Brasília, Cuiabá, Fortaleza, Manaus, Natal, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro, Salvador, São Paulo e Curitiba. A cidade de Curitiba irá realizar diversas obras, que ajudarão a melhorar a estrutura da cidade, além da imagem da cidade ser levada para o mundo inteiro. O res-

ponsável pelas obras será o gestor de Curitiba para a Copa, Luiz de Carvalho. Para Carvalho, o projeto é um conjunto de obras de mobilidade urbana, para melhorar a estrutura da cidade, que já atende as necessidades para a Copa. A intenção é aproveitar a boa estrutura para melhorar e colocar Curitiba em destaque no cenário mundial. Veja os principais trechos da entrevista concedida por Carvalho ao LONA. LONA: Qual é o projeto da prefeitura para a Copa em Curitiba? O projeto de Curitiba para a Copa é um conjunto de obras de mobilidade urbana, com investimento de R$ 211 milhões pelo Município. A Prefeitura de Curitiba fará a revitalização da Rodoviária e das avenidas das Torres, Cândido de Abreu e Marechal Floriano; implantará o Sistema Integrado de Mobilidade; reformará e ampliará o Terminal Santa Cândida e construirá uma extensão da Linha Verde Sul. LONA: O que será feito para atender as medidas impostas pela FIFA? Em termos de infraestrutura, a cidade já atende as necessidades para a Copa. Mas vamos aproveitar as oportunidades que a Copa traz para fazer novas obras ou antecipar algumas que já estavam no planeja-

mento da cidade. A FIFA tem medidas específicas para o estádio, que em Curitiba é um projeto privado. LONA: O plano da construção do metrô é em virtude de Curitiba sediar a Copa? O Metrô Curitibano não é um projeto para a Copa. O projeto está atualmente em fase de negociação de recursos com o governo federal. LONA: Falando em valores, quanto seria necessário, aproximadamente, para fazer todas as reformas? O Município investirá R$ 211 milhões em revitalizações e também em novos projetos. A cidade e região ainda receberão investimento de R$ 229,4 milhões por parte do Governo do Estado. A Infraero deve investir cerca de R$ 70 milhões em melhorias no aeroporto Afonso Pena. No projeto do estádio da Arena da Baixada, serão aplicados R$ 138 milhões.

de potencial construtivo, uma captação feita junto ao setor de construção civil. LONA: Apesar de ser o gestor de obras da cidade, sabe o que seria feito no interior do Estado? Em quais cidades? Não temos esta informação ainda. Mas a cidade de Curitiba está à disposição das cidades que tenham interesse em atuar em parceria em algum projeto em relação à Copa. LONA: No que mais seria investido? A Copa desperta atenção de muitas pessoas que gostariam de trabalhar em algo relacionado ao Mundial, então temos que oferecer qualificação para dar oportunidade a estas pessoas. Ainda não de-

finimos todo o quadro que será atendido com as oportunidades de qualificação, mas já começamos por um dos principais itens, oferecendo curso de inglês gratuito. O programa é sucesso absoluto, com 3 mil inscritos. Profissionais das áreas de turismo, transporte, saúde e segurança estão, certamente, nos setores com prioridade de qualificação. Estamos buscando os recursos disponíveis para a qualificação, dentro de programas do governo federal, como o Prodetur, do Ministério do Turismo. Também haverá muitos investimentos privados. A expectativa é que no setor hoteleiro haja investimento para aumentar a capacidade de hospedagem. Em outros setores privados haverá investimento, como comércio, alimentação etc. LONA: O que isso mudaria na vida da população de Divulgação

LONA: De onde iria sair o dinheiro para as obras? As obras de infraestrutura serão financiadas pelo PAC de Mobilidade Urbana, que são empréstimos a ser pagos pelo Município e pelo Governo do Estado. Também haverá recursos do Município e do Governo do Estado, de contrapartida ao PAC. Os recursos para o estádio virão do Clube Atlético Paranaense e

A Arena da Baixada receberá os jogos da Copa em Curitiba


5

Curitiba, quinta-feira, 16 de setembro de 2010

Copa em Curitiba Curitiba? No aspecto profissional, Curitiba terá uma mão-deobra ainda mais qualificada do que já tem hoje, com profissionais que se qualificaram e vivenciaram na prática uma Copa do Mundo. O crescimento na área de infraestrutura será o grande legado que a Copa vai deixar para a população curitibana. A cidade já foi muito elogiada pelo comitê da Fifa. Então, o que já é bom vai ficar ainda melhor. Teremos obras importantes acontecendo, com geração de empregos. A imagem da cidade, que já era boa em nível internacional, tem ganhado ainda mais prestígio depois que foi confirmada como cidade-sede. Um exemplo é o Prêmio Sustainable Transporte Award, que foi recebido em janeiro, em Washington. Foi a primeira vez que uma cidade brasileira ganhou este “Oscar” do transporte sustentável, pela implantação da Linha Verde. Em abril, Curitiba ganhou na Suécia o prêmio Globe Award, de cidade mais sustentável do mundo. LONA: E o que mudaria na população do Estado todo, já que muitas pessoas saem do interior para a capital? O saldo positivo será grande, não apenas para Curitiba, mas também para todo o Estado. Tenho certeza de que outras cidades serão beneficiadas e terão ganho de imagem. Curitiba terá o saldo positivo de uma série de obras importantes que ficarão para a população; a imagem da cidade levada para o mundo inteiro, com uma Copa bem organizada; o aumento da autoestima do curitibano, que saberá receber bem os turistas e terá o prazer de ser reconhecido como um anfitrião de primeiro nível. Naturalmente, quem vem a Curitiba terá interesse em conhecer outras regiões turísticas do Estado, então o benefício pode ser estendido a outros municípios. Além de que outras cidades podem se candidatar a abrigar seleções nas fases de pré-temporada para a Copa, ou mesmo durante a Copa.

Quando o assunto é futebol... Brasileiros e estrangeiros não perdem tempo para opinar Jéssica Petreski

Faltam mais de três anos para o início da Copa do Mundo 2014, mas já é um dos assuntos mais comentados entre os brasileiros e estrangeiros. No final de julho, menos de um mês depois do final da Copa de 2010, o ministro do Esporte, Orlando Silva Jr., comentou que os investimentos em infraestrutura são importantes para o evento e para o povo, porque um dos alvos das melhorias é o transporte público. “Eu acredito que o mundo ficará surpreso com o país que descobrirá em 2014”. O Brasil, como a África do Sul, usará o torneio quadrienal de futebol para refazer sua infraestrutura, investindo quase US$ 19 bilhões em projetos nas 12 cidades-sede. Silva disse que US$ 6,5 bilhões seriam gastos em melhorias no transporte público, com US$ 3,1 bilhões gastos em aeroportos. O governo federal pagará por 70% do investimento total, com os governos estaduais e prefeituras cobrindo outros 8%. O restante ficará por conta dos patrocinadores. São Paulo está dependendo do novo estádio do Corinthians, já que o Morumbi foi vetado. O Rio se prepara para a Copa, Olimpíadas e Paraolimpíadas 2016, as construções dos estádios em Manaus, Cuiabá, Natal, Salvador, Belo Horizonte e Brasília já estão em andamento, e Recife, Porto Alegre, Fortaleza e Curitiba continuam no projeto. Em maio, Jerome

Valcke, secretário-geral da FIFA, disse, em nota oficial que quando soube da situação do Brasil em relação aos preparativos da Copa, percebeu que o país está atrasado. Complementou, comentando que a maioria dos prazos estabelecidos já expirou e a FIFA terá de estabelecer novos, por causa dos andamentos dos estádios. O ministro rebate comentando que será um desafio que vamos cumprir e que “a FIFA será uma parceira fundamental neste aspecto”, porque, segundo Silva, eles farão o que puderem para que tenhamos um evento positivo. Porém, enquanto a Copa não chega, muita história vai rolar. Por exemplo, no mesmo momento em que a FIFA faz declarações sobre o atraso do Brasil e o Ministro do Esporte do Brasil, faz declarações em que a nação está bem, os comerciantes das cidades-sede apostam no aumento das vendas e começam a pensar em tecnologias para melhorar seu ramo. A expectativa é de que as vendas aumentem em, pelo menos, 60% e, para aperfeiçoar, as feiras de tecnologias, como a que ocorreu em no dia 3 de agosto, no Centro de Convenções de Curitiba, fazem sucesso. Por mais que digam “os benefícios durarão apenas um mês” (tempo de duração do evento), a infraestrutura vai continuar, o incentivo às crianças vai permanecer e o país vai mostrar ao mundo do que os brasileiros são capazes. A Copa do Mundo 2014 é bem-vinda.

O Maracanã, que é o estádio mais importante do Brasil, receberá a final da Copa do Mundo 2014. Ele foi fechado para que sejam feitas as reformas necessárias.

O Mineirão, usado pelos dois maiores times de Minas Gerais, é considerado o estádio mais adiantado para a Copa do Mundo.


6

Curitiba, quinta-feira, 16 de setembro de 2010

Tatiane Godinho

Juliano Zimmer

Escreve quinzenalmente sobre gênero, sempre às quintas-feiras taty_jesusteama@hotmail.com

Escreve quinzenalmente sobre política, às quintas-feiras juguzi@hotmail.com

Comportamento

Sem

Política

rotina

Sabemos que a rotina e a monotonia nos relacionamentos estão entre as principais causas de separações. Homens e mulheres, insatisfeitos sexualmente em casa, procuram outra pessoa que possa satisfazer e realizar os seus desejos. E é nessa hora que as traições são cometidas. Gestos de carinho são sempre provas de amor, mas às vezes, é necessário inovar para fortalecer a relação. Uma boa alternativa é apimentar o momento a dois. Surpreender faz com que ambos se aproximem. E é para isso que existem as sex shops. A primeira sex shop foi criada em 1962, pela pioneira Beate Uhse, na cidade de Flensburg, na Alemanha. Por cautela, a loja se intitulava Instituto de Higiene Conjugal. Mas, apesar disso, foram tachados de “capitalismo do estupro”. Grande era o preconceito naquela época. Porém, hoje, a situação pouco mudou. As pessoas ainda sentem receio de entrar em lojas como essa. O que é uma enorme besteira. As sex shops oferecem várias sugestões aos casais que desejam sair da temida rotina. Não é preciso nem sair de casa para Divulgação/SXC

fazer algo diferente. A surpresa pode começar na decoração do quarto com velas e essências, bombas de banho efervescestes, aromatizantes de lençóis e pétalas de rosas. Tudo para tornar o ambiente propício para algo especial. A linha cosmética também é uma boa dica para inovar. Há inúmeros géis comestíveis, com vários sabores, que aquecem quando entram em contato com a pele. Podem ser criadas várias brincadeiras e joguinhos para esquentar ainda mais o clima. Para isso, podem ser usados os baralhos e os dadinhos sensuais. Ou ainda, usar outros assessórios como: algemas, fantasias... Essas lojas oferecem mais de 500 itens que evidenciam a sensualidade e despertam o desejo, trazendo à tona momentos inesquecíveis. A principal proposta é oferecer alternativas para o relacionamento amoroso. Muitos são os relatos de namoros e casamentos que estavam em declínio, que foram recuperados. Graças à iniciativa de homens e mulheres, de receber e propiciar mais prazer aos seus parceiros. Afinal, a lua-demel deve durar anos, basta ter criatividade e sempre inovar.

Os fantasmas da Assembleia causam medo até em quem não trabalha lá Amigos leitores, a Assembleia Legislativa virou uma casa assombrada, deixando todos com medo. Mais uma vez foram encontrados fantasmas na Assembleia Legislativa do Paraná. Desta vez, duas irmãs foram pegas com a boca na botija, ou melhor, com um gordo salário na conta. São elas Loreti Prevedelo Pequeno e Gina Prevedelo Pequeno. Essas duas gasparzinhas foram descobertas, por meio de uma sindicância interna, realizada pela Assembleia, que quer apurar as irregularidades. Mas o que aparece na verdade é aquele discurso eleitoreiro, por parte dos deputados, alguns demonstrando levar a sério tudo o que está acontecendo. Outros falam para a mídia que ficaram indignados com o que estão presenciando, e quase se emocionam em frente às câmeras, porque assim demonstram mais honestidade diante da população. Essas duas mulheres moram há seis anos em Balneário Camboriu, e estavam recebendo a nossa grana. Tudo fica como está, afinal de contas, quando a eleição chega parece que todos os pecados são perdoados: político vira santo e quem paga os pecados somos nós. O deputado com cara de bispo, Nelson Justus, aparece dizendo que foi vítima de armação da imprensa, como se a imprensa estivesse preocupada, somente, em maquinar planos diabólicos para os políticos que nunca são culpados. Para disfarçar as manobras foi criado o tal Portal da Transparência na Assembleia, que talvez seja fantasma como metade dos funcionários. A cada grupo de dez servidores do Legislativo, existe um ex-mandatário ou aspirante a político. Como se fosse um quartel, primeiro é aspirante e depois passa a general na escala da corrupção. De acordo com um balanço divulgado em abril de 2009, pela Assembleia, 163 pessoas que já foram candidatas, estão entre os atuais funcionários, aqueles que os eleitores paranaenses votaram acreditando em uma pátria melhor, mas que, no entanto, não ganharam e foram trabalhar em gabinetes. Na Assembleia, há um servidor de carreira para cada quatro cargos de confiança, e isso se tornou normal. Quem sabe para fugirem dos fan-

Divulgação

Tudo fica como está, afinal de contas, quando a eleição chega parece que todos os pecados são perdoados: político vira santo e quem paga os pecados somos nós tasmas da Assembleia, os senhores deputados resolveram tirar 50 dias de recesso. A desculpa seria a necessidade de tempo para fazer campanha, para viajar em classe executiva, almoçar em restaurantes caros, usar o cartão corporativo para dormirem em hotéis de luxo, passar em uma avenida movimentada para abraçar crianças e velhinhos e posar de populares para ganharem a eleição e voltarem a virar fantasmas. Ou, quem sabe, irem a Brasília apoiar o próximo presidente em troca dos mensalões da vida. Se a Lei da Ficha Limpa funcionasse de verdade, a Assembleia Legislativa do Paraná não teria nem a metade dos deputados que possui, não existiria o tal foro privilegiado que se transformou em uma couraça da corrupção, atrelando aos donos do poder a hipocrisia, o sorriso amarelo e as batidinhas nas costas, dando ao povo um diploma de idiota. Para acabar com a corrupção na Assembleia a única solução é chamar os caça-fantasmas.


7

Curitiba, quinta-feira, 16 de setembro de 2010

Saúde

Prevenção contra problema odontológico Princípio ativo, presente no chá verde, é a nova promessa na prevenção da erosão dentária

Estar

transferir a tecnologia para uma empresa parceira”, diz. Somente assim o produto ingressará no mercado, sendo comercializado na forma de gel. Os testes para tomar conhecimento da eficácia do gel foram realizados com pacientes que usaram aparelhos acrílicos com blocos de dentina. Apesar de o tratamento ser feito fora da boca do paciente, os resultados foram positivos. Erosão dentária Mesmo não sendo o principal problema odontológico apresentado pelos pacientes, o dentista Carlos Melara Filho afirma que os casos de erosão dentária estão presentes em um nível médio dentro dos atendimentos. Os motivos para alguém apresentar esse problema bucal são má escovação, acidez por conta de alimentos que contém açúcar e eventualmente a mordida errada. Com o excesso de um desses fatores ou a

soma deles, ocorre o desgaste do esmalte do dente, avançando para a dentina, caracterizando assim o problema. O ponto exato da boca que a erosão atinge é o colo dentário, entre a coroa e a raiz. A sensibilidade dentária é um sintoma que o paciente apresenta e o diagnóstico só pode ser feito através de exames. Melara afirma que o principal é detectar primeiramente a causa da erosão, somente dessa forma o tratamento pode ser conduzido adequadamente. A prevenção é outro fator importante. “Melhorar a escovação e não demorar mais do que dez minutos após as refeições para escovar os dentes. Além de visitar de oito em oito meses um profissional”, afirma. A erosão dentária não tem cura, e aparece em pessoas acima dos 30 anos, não sendo comum antes. Como método de tratamento, hoje, são usados gel e celante. Em casos mais acentuados a solução é a restauração.

feliz

Camila Kelczeski C. Amando A bipolaridade é uma doença em voga hoje. Pode ser considerada a doença da “moda”. Caso alguém mude rapidamente de alegre para triste ou viceversa, vai ouvir: “Fulano é bipolar”. E essa variação é como muitas pessoas definem a doença. Quem afirma isso é a estudante Ana Claúdia Hoeflich: “Pessoa bipolar é aquela que tem uma alteração de humor muito rápida”. Especialistas no assunto confirmam essa definição, mas ela vai um pouco além. A psicóloga Eloá Andreassa completa: “A bipolaridade causa prejuízos ao indivíduo que afetam

sua vida no trabalho, na família e nos relacionamentos”. Existe cura somente para os casos mais leves. Já nos casos mais graves é possível se fazer um controle. Longas horas de sono são outro sintoma. Isolar-se do mundo, perder a vontade de realizar atividades são características do bipolar. Não existe um único motivo para o início da bipolaridade; pode ser genético. “Quem tem parentes de primeiro grau com o transtorno tem mais chances de desenvolver; o uso de substâncias químicas e experiências vividas na primeira infância como falta de atenção também agravam”,

Produtos ácidos com presença de açúcar, como o refrigerante, podem causar a erosão dentária se não houver boa escovação

Divulgação

Giórgia Gschwendtner A Faculdade de Odontologia de Bauru (FOB) da Universidade de São Paulo (USP) encontrou através de pesquisas um princípio ativo presente no chá verde que pode ajudar na prevenção de erosões dentárias. A substância que pode revolucionar o tratamento de erosões, segundo a coordenadora do projeto, Marília Buzalaf, é a catequina, um polifenol que possui ação antioxidante. O estudo iniciou em 2007. E o fato que impulsionou a pesquisa foi o conhecimento de que inibidores de metaloproteinases da matriz (enzima responsável pelas erosões), quando aplicados sobre a dentina, parte exposta do dente no caso de uma erosão, poderiam preservar sua camada orgânica e assim regredir a velocidade do problema odontológico. A descoberta junto com a elaboração de um produto “funcionou”, como disse Marília. “Foi requerida patente pela Agência da USP de Inovação, que procurará

É preciso melhorar a escovação e não demorar mais do que dez minutos após as refeições para escovar os dentes, além de visitar de oito em oito meses um profissional.” Carlos Melara Filho, dentista

& rapidamente

explica a psicóloga. Cuidados como carinho e imposição de limites são maneiras de evitar a bipolaridade. Os pais devem estar atentos à necessidade de atenção ao seu filho, pois também é uma maneira de prevenir. Caso observe alguma alteração no comportamento, é preciso que haja uma conversa. Muitas vezes, é tirada uma conclusão antecipada, sendo que não é nada sério. O portador percebe a doença com a característica mais conhecida pela população. “Percibi a partir das minhas oscilações, aos 15 anos. Eu chorava quando não tinha acontecido nada e depois de alguns minutos estava eufórica”, conta a estudante Marilia Amaro, que fez um tratamento e toma re-

triste

médio há cinco anos para prevenir uma recaída. Já o estudante Fernando Favero não conseguiu fazer o tratamento com medicamento. “Eu parei porque eu me sentia ruim com os remédios, dormia demais”, explica. O tratamento exige paciência, porque não traz resultado imediato e é necessário um envolvimento da família. Por falta de informação, existe um preconceito das pessoas da própria família. “Meu pai achava que era frescura”, comenta Favero. Pode acontecer de o portador sentir vergonha de ir pedir uma vaga em uma empresa, mas essas pessoas podem ter uma vida normal. “Até os casos mais graves, em que o paciente

tem que fazer tratamento em longo prazo, é possível trabalhar e ter uma vida familiar normal normal”, orienta a psicóloga. A recuperação do paciente vai depender muito do seu esforço. Primeiro ele precisa se livrar dos seus próprios preconceitos e, depois, procurar uma ajuda de especialista. A ajuda psicológica é essencial para a cura. Marília, que já recebeu alta do neurologista, alerta: “eu consegui isso porque tive muita ajuda psicológica. Quando digo muita é muita mesmo”. Além do esforço é preciso insistir, pois as recaídas não avisam quando estão para chegar. “Tive muitas recaídas, tivemos que ter persistência.”


8

Curitiba, quinta-feira, 16 de setembro de 2010

Cultura

Menu

Natureza

Nathalia Cavalcante

Arte

Em cena

Diversão Tudo isso em um só lugar

A Academia de Artes Cênicas CenaHum apresenta, a partir desta quinsta-feira, o espetáculo “Mentira!”. A peça traz um jogo que questiona a veracidade das regras. Além de citar fatos que não aconteceram. Onde: CenaHum - Academia de Artes Cênicas Quando: 16 de setembro a 2 de Outubro, 21h (5ª feira a sábado) e 19h (domingo) Preço: R$10 e R$20

Danaê Bubalo Nas antigas instalações da fábrica de cola e beneficiamento de couro Boutin, foi inaugurado em 14 de dezembro de 1973 o Centro de Criatividade de Curitiba, o que na época foi um marco nas inovações culturais da cidade. Localizado na Avenida Mateus Leme, n.º 4700, no bairro São Lourenço, o espaço se tornou um importante núcleo de discussão de arte e cultura, abrigando os primeiros ateliês e mostras de gravuras, por onde passaram grandes artistas e nomes reconhecidos no cenário nacional. Além de promover a cultura de Curitiba, o centro possui espaços que podem unir as principais áreas da arte. Lá você encontra o Teatro Cleon Jacques, um espaço alternativo para as artes cênicas; a Casa Erbo Stenzel, com mostra permanen-

te de esboços e desenhos do artista; o Ateliê de Escultura, que orienta cursos de escultura em bronze, metal e madeira; e a Casa da Leitura Augusto Stresser. O Centro de Criatividade também dispõe de salas de exposições temporárias. É um local dividido entre a natureza, cultura e a diversão. O centro funciona com o objetivo de estimular a criação e tem grande participação nas pesquisas e no desenvolvimento da criatividade. É um laboratório de criação, com diversos ateliês e cursos das mais variadas modalidades artísticas. O espaço de aproximadamente 2.400 metros quadrados fica ao lado do Parque São Lourenço, numa área total de 230 mil metros quadrados, o que encanta ainda mais este espaço cultural. A coordenadora do Cen-

tro de Criação de Curitiba, Cristina Herrera, afirma que a reforma realizada no espaço aproximou ainda mais o público curitibano da arte. “Antes da reforma o espaço mais procurado era o Teatro Cleon Jacques, que sempre manteve data com espetáculos curitibanos. Depois da ampliação, a procura ficou muito maior, principalmente nos finais de semana, quando o pessoal vem ao parque e aproveita para conhecer um pouco mais da nossa cultura”. Hoje muito mais bonito e atraente, o centro mantém os grandes espetáculos no Cleon Jacques. “O teatro é um espaço alternativo, inaugurado em 21 de julho de 1998, com a apresentação do espetáculo ‘Alice através do espelho’. Hoje contém espetáculos maravilhosos de artistas de todo o país”, afirma Cristina. OuDivulgação tro ambiente do centro que é muito procurado é a Casa da Leitura, que está voltado à pesquisa, estudos e elaboração de projetos relacionados à leitura e à criação literária, e ainda fornece cadeiras e espreguiçadeiras àqueles que desejem emprestar um livro para ler no parque.

8 Mulheres Contemporâneas Divulgação

O espaço Garimpo Arte e Design abre a exposição “8 Mulheres Contemporâneas”, a partir desta quinta-feira, sob a curadoria do artista plástico Edilson Viriato. As obras de Ercy Zendim, Judy Nunes, Louise Moreno, Luiza Uady, Nelma Takeuti, Nilva Rossi, Sila Lima e Silvana Camilotti, permanecerão na mostra até o dia 9 de outubro. Onde: Garimpo Arte e Design, Rua Coronel Dulcídio, 250, Batel Quando: 16 de setembro a 9 de outubro Preço: Gratuito

Bate-papo literário Nesta sexta-feira o espaço Café Literário e Cultural, do SESC Água Verde, traz Iraci Sabóia. A escritora vai apresentar o seu livro “Um anjo entre nós”. O bate-papo vai abordar a forma como a obra foi construída, focando também, a vida da escritora. Nesta edição o público prestigiará a apresentação de um contador de histórias. Onde: SESC Água Verde Quando: 17 de setembro, das 14h30 às 17h30 Preço: Gratuito

Casa de Arlindo Esta é para quem gosta de samba. Neste sábado Arlindo Cruz vem a Curitiba para apresentar o show “Casa de Arlindo”. O público vai curtir sucessos como “Meu Lugar”, “O Que É o Amor” e “Chegamos ao Fim”.

Divulgação

Onde: Vanilla Bar, Rua Mateus Leme, 3.690, São Lourenço Quando: 17 de setembro. Abertura da casa às 21h, com início previsto para 0h30 Preço: De R$ 40 (pista) a R$ 630 (camarote)

LONA 590 - 16/09/2010  

JORNAL LABORATÓRIO DIÁRIO DO CURSO DE JORNALISMO DA UNIVERSIDADE POSITIVO.

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you