Page 1

c ã p r l u o3 - o s s ô e n ô s

151

CopíIulo3

Osolcenos lnlÍoduçõo Os alcenos,também chamadoshidrocarbonetos e/i/erl-cosoÌr o/€/,nar, são compostos por carbonoe hìdrogênìoe lbÌmam uma sériehomólogade constituidosexclusivamente fórmula eeraiC,Hr., cujo pdmeiro membroé o eteno(C,H4).

Átceno\ \tio hidrccaúonerosde cadeìaccúònìt0 ocicti.alalilàica), insatumdacon una úniLadupla Iìsaçàoe honogèneo.

H,c :

HrC - c :

cH,

cH:

n,C'-

H

os alcenos,em relaçãoà dupÌa,apresentamtrês tipos d€ isomeriâ: d€ crdeia, de posição e geométiclt. 19, Isomeria de cadeial H,C

C. C HH

CH,

H,C.

C

CH.

CH, buteto2\Catt) crdeia àhena nüEal

rÉtltqopeno \E/Ht) cadeia ahetla nníicada

ton ô osâher6 seaprcsentan? 0s alcenNde Dadeia noÍÌìâldedoi! a quâÌío caíb0nN sãoqases, dedncoa dsz8f. Mis mrbomssaoÌíqlidos e de d@AsrP Étnonos emdianlesãosólidos, entcondi. 1rdeocoÌcn N ahúN? 0s alcen6.âo contÉÌiodN ãìmnN, sãomuiloÉmsnaNalureza. 0sgãsosos, a. pecìllmenle panicipam o eleno, erÌìpequêna quanlidade dosgasas naluÍaìs e dopeÍüle0-

2P, Isomefia de posiÇãoi HrC-C

C:CH, H.H

hútüÈlllaqrl

HrC-C:C-CH1 H H hietu2lç.Hs)

39\ Isomerío geomét cal H,C

- 'c

HC_

_,H

Il /. ', húEnú2-cìs

u/

- c.c -

/H

- cH,

buten,2-tBts

C' 'õ C':'Cn, H:lH CH,


152

Unidâds5

os hidrcc€rbonêros

CoÍocÌeÍisfi cosÍlsicos Do mesmo modo que acontece com os alcanos,os pontosde fusão e de ebulição cÍescemcom o aumento da massamolecular. Os pontos de fusão e de ebulição dos alcanos são mais elevados que os dos aÌcenoscom cadeiade mesmonúmerode c!ìÍbonos. Os aÌcenoscom dupla na extremidad€ da cadeiatêm pontos de fusão e de ebuliçãoinferioresaosdos alcenoscom a mesmacâdeia, polem com a duplâ não na extreúidade. Os alcenossãoincolores,inodoros,insolúveisem águae solúveisem solventesorgâni, coscomo o álcool, o éter. o benzenoetc,

EsfÍufuro dosolcenos Os átomosde carbonoda_ligação dupla apresentamhibridaçãospt e os demaiscarbo_ nos apresentam hibridaçãosp3. Observe: l;) Eteno(C,H): O. carbonos da duplaseligamatravès de ligaçàoo , e de tigaçàotr"^.I-\se5carbo_ " no etano.ascoáíormações. nosnãoapresentam ljvrerotâçào:logo.nàoexisrem, como De \ ido ã Ìigaçãor. os carbono.da duplâ.ão obrigado\a Ìeremumaap.o\imaçào maiordo que quancloapres€nram som€nreligaçãosigma.

"t:^-'1^x1".

.l ,,"uI ''-\

"/ ' ' r o I ' \ ^

,/".t-


capÍturo3 - os arcenos 153

2:) PrcpenolC'H)l

-H r.54Ã / \ H \^_^,,-'H

a- *-" ,,} ' 'r" -

H

ffi Exercícloresolvido ER8) Escrcverafórmula molêculareuma possÍvelfólmulâestrutuÉldo atcenodemassamote

fórmulaserãldos alcenos

-

C .H u ^ I

L -- - --:- --

--- 2n

14n= -56= n= 4 Então: Á

-

lÌ O r m Ulam o l e c u l â r )

: gill' ls :

Uma possÍvel fómula estrutural é:

H3C

C C=CH, HzH

ffi fxercÍcrbsde aprendizagem W EA3r) Quanros hidÌosênios apre$ntaa noléaúade uÍn queelaconténoilo álomos alceno, sabeÍdo decaÈ [432) QuanlosátonosdecarbonoapEsrla a nolEülã queelaconléndezoitoá1odeumâl.tno,sabendo nos dehidro€ênio? f,433) Deleminea tórmulanoleculare umaposivelfóÌ mìla slÌutDÍaÌdo aÌeno dja ndsa noìeüle é

EA34)Ercrevâ â ÍóÍmulâ noÌeìiã' euÌnapossivel fómu qüeãpÌesentan laeslrulüal dosãlcenôs marsa rÍoa) 112unâ 8 35) IÍdiqüee6 quefaseseâpEkara€da u. dosse, alenosdecadeiâ nomalnacondiÉsa6 euiÍres a) CzHl

c) cÍHr

e)crfia

b) cfi6

d) cDH{

D crHr

Mêlodos depreporoçdo dosolcenos Devidoa suaescassez na NatuÍeza,os alcenossãoprepaÍadosindustrialment€ através O qae síEnìíícacruckíng? quebrarre correspondea um p(oce.\o O lermo crí?cking\em do inglèsr/o.ra.k complexode aquecimento,na presençade catalisadores, a que sãosubmelidasâs frações


154

u.dod ô 5

os h,d Íoca, bone6s

maispesadas dopetróleo,ou seja,fraçõesconsriruídas principalmente por alcanosdemolé culasgrandes,Ness€processoas moléculasgrandessofremquebras,originandomoléculas menoresde alcanos,alcenos,carbonoe hidrogênio,que sâoposteriormenteseparadas, Assim, no crdcking,um alcanocom moléculaCsH,spode sofrer as seguinres quebras: H,C

ffi

C-C-CHr H' H.

H,C-C-C-C H: H, H,C

C-C-CH, Hr H,

c-cHr + H:

* cs. *

,ïSjji.qì#íFfu Í$.iiqt+$ÈÏí

rc ",fidi*i,êi#Ë

Esseprocesso é de grandeimportância,pois, arravésdele,obtemosgasolinaemquânt; dade e qualidademaiores,e rambémmuitos compostosque servemcomo matéria-prima paraasindústrias.O eteno,ou etileno(HrC : CHr), por exemplo,é mâréria-Drimâ Daraa ptoduçàodo polietìleno,o plâ\tico mai. usadoarualmente. Entretanto,em laboratódoos alcenossãopreparadosarravésd€ métodosque podenÌ .eÍ classificado,em dois tipo.: de ehnrnacàoe de hdrcEenaçào. l?) Eliminação: Entende-sepoÍreaçãode elimiíâçâoaqueÌaem qu€sepÍovocaa saídaaledeterminado, Ìigantesde uma estruturâorgânica.Paraaproduçàodealcenos,asprincipaisreaçõesde eli_ a, Desidrutação de álcooís: maodo consisl€em fazerpassarvaporesdo álcoolatravésalecataÌisadores (Al,O, ou ^Este SiO:), ou, então,utiÌizandoagentesdesidratanres, tâiscomoH2SO4(o".,, frO, ou 2nót, Veja o que ocorrecom o etanol:

H,]c,;r.fn,a::e-

Agua elininada do átcool;dâi a denomtn çâó d6i.1.a tuçAa,

t:l$--,r&È, Note qu€ houveeliminaçãodo grupo OH e do H ligadoao carbonovizirho àqueleque apresentao OH. Assim,a eliminaçãodo H que,juntament€com o OH, vai formar HrO, deveobedeceÌ à regra de Sartzetf:


câptuo3

osacenos 155

Veja o casoda desidratação do butanoÌ-2:

I .".0*",ì'.'"**"ãl crupo oH.

]

-,t/\ *--'/;',tr

H_C_C

C

I

} { -} {

OH

.C -H H

Eliniíaje, de preferêncìa, estehìdrosênio, que esráem caÌbono menoshidroeenadoe vinnho ao do crupo OH.

Então, temos: HH

HH

HrC-C:C

r:/ \Ì

CHr + H:O butmc2

l Hl iitn;,,;,,1'

Com relaçãoà desidratâção de álcoois: seelaé catalítica,isto é, seutilizamoscataÌisadoÍ(AÌ,o3 ou SiOt, o processocorresponde ao mëlodo de lpatìer e obtemossempreum alceno: Er-a-

AÌ.o,

aÍI-

tt-c:

cn^ *

u-ô

ixl r_-_ iòHl

!_-r a formaçãodo alcenoestána de seutilizamos o HrSO4í,.".ì comoagent€desidratante, pendência Vejao queocorrecomo etanol: da temperatura. H, (

C

t 7 0 .c ^. - -:iH.C /, CHr i,::l

''_'

H O S O .H

-OHi

HrC :

CH

H.C

C

OS O.H

H :O

H SoI

i--^---

lHi ' - ' - - ' -iu! . - - ' uJ r i

fn.c-c-oH

È H q so ,H

r1 0 " '

H .c- c

oso,H - H.o

JH/ H'

\__

ln,c- c- o so .H i -

Ho

( -c H ,11II - - s . 1 ( - o

c - c H. - H, s o ,

I H .H_ H_ H) etoxiêtano Note quea 170'C forma seum aÌceno(eteno)e a 140'C forma-seum êteÍ(etoxi-etano).


156

u.d.de 5

os hidÌocâóônâros

b) Eliminaçao de HXI Nestecaso,submetemosum monoaletoà ação do hidróxido de potássio(KOH) em meio alcoólico,sob aquecimento. Observ€: H

H

HrC - Cir-\CH,

I

+

HrC-C:CH:

+ KCI + H:O

€;O Note quehá a eliminaçãodo Cl e do H ligadoao carbonovizinhoàquelequeapr€senta o Cl. Essaeliminaçãode H deveobedecerà regrad€ Saytzeff.Veja: HH

tl

CH,

H, C

H.C-C:C-CHr

+ KBr + H,O

I

H

Essareaçãoocorremais faciÌmentecom os iodetos,e com menor ìÍtensidadecom os DromeÍose cloretos. A misturade hidróxidode potássio(KOH) com álcoolÍecebeo nomedepotassaalcoó/lcd. O meio em que a rcaçâoocorredeveseráicoole não ágüa,porqueo alcenoformado Ìeagecom a água,confoÍmevocêverá. c\ Elìminaçaode X,: Nestemétodo,devemossvbmetertm dialeío vìcìndl(osdois halogênjosdevemestarligadosem carbonosvizinhos)à açãode zincoem pó em meio alcoólicooÌr em meio acético (ácidoacéticoglacial),sob aquecimeÍto.Veja: H:C ,ì CH.

.l< ) -.

(Br, ( Br) ,,'

7n -:::::-

)'

H.C:

( H) - lnBr

eten

29\ HìdrcEenação: Hìdrogenaçãoé a r€açãoem que ocorreâdiçãode hidrogênioa uma esrruturaorgân! ca. Àssim, um âÌcino submetidoa uma hidrogenaçãocataliticaparcial sofre ruptura de uma ligaçãoÍ, convertendoseno alcenocoÍrespondente,Veja: HH H.C-C=C-H

+ H

H

Ni

H,C

C:C-H


capÍturo3

os arcênos 157

tltl$Ë Exercício rcsolvido ERg) Oual o alceno obtido a paÍtìr de uma desidratagãodo propanol 1?

I H3C

Ci\ C H 2

H 3 C- C :

-

C H , + H zO

ill iôrrÌ Bssposta: propono.

ììïlrqExercíclosde oprendizogem itiRI'iâilil1iìlìlì1ìiììiìi$lifd$1lil!$ï 84.36)DescubÌa os âlcenÕs oblidospoÌ desidÌâlaÉo dosssuinksálcoois: â) propânol2 c) 2netil'propdoll e) 3-netil,bütmol2 b) butârol-l d) 2-netiì-prepdol-2 0 S,,netilbutanôll

s) D€rlanoì-2 h) penlânol-l

EÂ.37)Complele asstsuinles equagõs: u111, ç - ç - ç s , H I cl

-1I{!lol !H

H or H .C c

H c-cH Ì

7n -' " "

cr cl

H. _

b,!ì,c-c-cH,+:9íuH |

cH,cì

. ., ",, - - -ìI-ì

I ^,. , " . -Ì õ,,*, il

òn,cr

c)H,c- ó- cH' + zlr --4ee!l-

tl

cl cl qtaliticaparciaÌdosalcinos: EÂlE) EscÌwãasequçoescoftespoidenÍes à hidÌosenação a) úno b) büliÍot

c) burino,2 d) 3-me1il burino-l

quÍmicos PÍopÍiedodes rlosolcenos Os alcenosaprcsentamümâ s&ie de reaçõesque evidenciam o caráter insatuado de suas molécuÌas, ou seja,a presençade ligaçãodupìa. O et€no, ou etileno, consútui o mais simplesdos alcenose se apres€ntacomo um gfu incolor e insolúvel na água.Essegásted a propdedadede formâr liquidosoleososquandoem reaçãocom cloro ou bromo, daí ter sido chamaalode cas oléfiant Gâs eeftdor de óleo). Dessenome surgiu a denominaçãoo/elrds, empÍegada paÍa todos os aÌcenos, Dentre as reaçõesaprcsentadaspelos alcenos,vamos esfida'Í

^

adkão, a oxidaÇãoe a


158

Undâdô6

os hido@rbonêros

AdiçAo: Damos o nome de adiçAo à Íeação em que ocofie rompimento da tr, basrante ftâca, e a subseqúeíteentrada de ligantes aos dois carbonos que continham €ssaligação Í, Assim: Os ligântes apdecem nos cdbonos ondeexbtia a dupla.

-ÌãÌ-

c

-

I

Dessemodo, podemosdizerque os alcenossãomaisreativosqueos alcanos,os quais, como vìmos,dão reaçõesde substituiçâo. As principais adiçõesdos alcenossão: a) AdiçAo de hidrosênio: Os alcenosadicionam hidroeênio produzindo alcanos. Veja: HH

HrC -

C:

CH, +

t'

ì ì'n

H 3 C -C -C H z H

b) Adição de halogênío: Os alcenosadicionamhalogênioproduzindodialetosvicinais.Veja: HzC=CH,

+ Cl

Cl

*

OcoÍe ronpinenro da li g acão rea sü bseq ú€Í 1€ enúada de haloeênio €n

HzC -

CH,

òcr

A ordem de Íeatividade dos halogênios é:

C L >B r,>I, c, Adição de halogenidrctosi Os alcerosadicionamhaÌogenidretos (HX) produzindomonoaìetos.Nessareaçãode âdìção, devemosobedéceÍà rcqtu de Moúovniko!. Assim:

A ordem d€ reatividade dos halogenidretos é:

HI>HB r>HCl


caphulo s

osarcenos 159

Veja: H., H3C-C=CH,+

H -

Há ronpim€nÌo da ltãção tr e a subseqüdte lisação do hidrogênio en üm cebono e do

H IC _C

CH,

O hi&osênio lisoÌ+e ã este carbono por ser ele o úaú hidrogenâdoda dupla, em obe diênciêâ Íeerade Ma.kôvnikov.

Em 1933,M. S. Kharusche F. W. Mdto, na Universidade de Chicago,verificaramque um âÌceno,na presençade peróxido(BaOr, NarO, íc.), adicionaHBr, contraÍiandoa r€gra de Markovnikov.Veja: BrH H rC - C: Q H, | HH

--l

ì-

+ H -B r -/

*

H 3 C -C

(adi çãode Markovni kov)

CH,

2 bono-Pnqato

Fopem

HBÍ

H,c-c'- cï,

I H -B r

bei ô\'doH , c - c - c Hr

$ : iï ï ili: , ,

HH pnpeno

I bmtú.yopano

d, Adição de ógual Os alcenos,na presença de ácidosulfúricodiluido, adicionamágüa(hidraração),origi, nando áÌcoois.Veja: OH H Hl C - C: CH:

+ H

OH --:j +

Note que a reação obedeceà regra de Markovnikov.

H rC -C-C H l

ll

HH popan

pnpaml2

e) Adição de ácìdosuwtico. Os alcenosadicionam produzindoéster-ácido ácidosulfúrico€oncentrado, mineral. Veja: OSOIH H

HrC-C:CH, t-_.J H

+ H-OSOTH H2SO4

+

H 3C -C -C H '

I

H hid/ogaossuÍato dêisopn!ík r! áridokopnpiLsdtútico


160

unidâde5

os hid.@êroonëros

O composto formado na presençade água sofre hidrólise, pÍoduzindo álcool e regenerando o ácido sulfúrico. Assim: OH H 3C -C -C H 3 I H

+ H ' S O4

pnpzro|2

ï) Adição de ácido hipoclorosoi Os alcenosadicionamácìdohipocloÍoso(HCIO ou CÌ - OH), prodrìzindocornpostos de funçâo mista cloreto-álcooÌ, chamadosgenericaínentede cloridrinas, Vejal OH

H3C-C:CH, ì H

+ Cl-OH

H3C -C -C H z

-

H

O clo.o fu o papeldo H e seadiciona,porranro, ao carbonomaishidro-

lcloriúin!Fopilânica)

ilswEYÊÍcÍclos /eso/yrdosâW ERIO) Oue composto é íomâdo quando se coloca buteno,l na pÍesencade ácido sutÍúico diluÍdo?

H3C

C

C :C H r+

H -O H

--::+

_*ì I ì O hidrogênio se ligô a este I carbono. que é o mais hidroI gênadodã duplã ligação.

H 3c-c11,

I c- cHr I OH

Rôsposta: butanol 2.

ERI ll Ouê composto se foma ao submetermoso buteno-1 à ação do HBr na presenÇade De-

HBr

H.c

c-i=cH)

+ H

R6spostã: 1-bromo butano.

Br -!!I9Il!9- H 3C

C -C -C H , Hz H

(adi çãoanti lúã*ovnikov)


capítulos

tu âtc€nos 161

iLi,fiiExeÍcíc,'osde oqendizdgem $S$[ïR!ïiiffiiìi$ffii{$$W'ffi EA39)Escr,^va a equagão mÍespondente à Ìea9ãode: a) buteno-l+ cloro b) 2-nelil-p$peno+ doridÌeto

c) buteno-l+ asua{napÌsençâdeHrSOadiluido)

2-nèliì'bulei0-2+ ácidosuìIúÌicoconenlrado

[ÁuO)Q( balooé obrdola4ndoreagir búrmo-t$m àcidoctondnco? EA1l) Cofplete $ cquagoesl

oH,c - ! : ? c H r + c r-, cH3H @ )H j c c:c- cH,+Hcr -tl

X,c-c=c-cu, H

flls,ç

-

* n,so<..r -

CH3

ç, ç = çs,a e,e-!lHI

CHr H

cHr

2!) Oxidação: Vamos estudar as seguintesreaçõesde oxidação: combustão, oxidaçdo branata.oxiata ção enérgicae ozonólise. a) Combustiio: Conformevimos,€ombustãoé a Íeaçãocom o oúgênio do ar. Os alc€nossofremcom. bustão originando gás caÍbônico e água. * H1C:CH1 + 30, 2COz + 2H,O + fuligem + energia Devidoà insaturaçãoda cadeia,a combustãoé incompleta,fazendocom quehaja ÌjbeÍação de particulas de carbono incandescente(fuligem); daí a combustão dos aÌc€noss€r mais luminosaque a dos alcanos. A mistuÍado etenocom o oÍgênio do a.réexplosiva;elaâpresenta um poderexplosivo maioÍ qu€ o do g:risu(misturade metâno€ oxigêniodo aÍ). b) Oxidaçõobrundsl Submetendoum alcenoà açãode uma soluçãodiÌuída,neutÍaou levemente básica,de permanganatode potássio,obtemosdiálcoolvicinal. A soluçãode permanganato de potássio,nessascondições,recebeo nomedercatiyod? Baeler. Como ocorre a re(ção?

2KMnOa + H,O

t." :

"f,,

tt--g- l

-

2KOH + 2MnO, + 3 [O]

+ tol + H:o -

OH OH I H,C CH,

,4

"o*

li

Ásim,srvmêtenumcompNlo deÍór muhCrHo e quúsbeÌseé um!l@noouum cachnq baíaadicionâÌo reatieo deBaeyeí: . ss a corvaolsla d0 @rivodeMparcre, lrâl!.sedoplopeno: llrc - C= CH,j H re a c0Íviolela d0Hrivop0Ísií0, lmla,

Essâ oxidação é chamada de oxidação branda porquesó há rompimentoda ligaçãoÍ do alceno.

sedocicropropmo: nrc4,trz


162

unidade5 - od hidÍôcaÌbonetos

c) Oxidação enéryicai um alcenoà açâode umasoluçáoàcidaconcenLrada de permansanalode _Submetendo porássio.sobaquecimento.obtemosàcido,ceronae gáscarbônico.depenà.naoaï poriçao da ligação dupla. Como ocoïe a reaçào? I.rtu\ishj; dae;de.

veia: 'ixyaçr. + 3H,soa -r.-

:ï;:ïffÍ.-,',,.".." K,soa+ 2Mnsoa * :lr,o *r-s16]-",-

RorÌÍpe-se a ligaçâodupla e cadacaÍbonodessaligaçâorecebeoxigênio.Assim: . se o carbono da dupla possui um hidrogênio, forma-se ,ócìdo; . se o cartrono da dupla possuidoìs hidrogènios- fotma_"e eas carbònirc; . seo caÍbonoda dupta ntio possuihidrogènio,forfia-\e cetona. Observe:

R'- Ç rt9 - n '

i\ /l"4l

u!

R,-ï:o oFl

,

+ 3l ol -

R, _Cí

,o -o H

+

O:C-R,

I R3

ì\

o :i

R, Rr

Nore que^ooxigênioÌompe a dupla e seadiciona.HavendohialÍogêniono carbono . da oupra.o ovgenìo seadiciona.lbrmandoo grÌrpo_ OH, R-C

zl /lH

t)

OH Ácido cdbô.ico (Hrco3) instável. Decompõe{e en CO, e H2O,

ffi ExercíciosresoryldosrW ERl2) Oue composto ó obtido submetendoo propenoâ uma oxidãçãob;andaz A oxidaçãobrandâé fêits com o rê€tivo dê Baey€r{KMnOa/OH }: OH OH

H3c c=cH, + Iol + H,o -I*9a* (proveniente do reativo de B€eyeÍ) Rssposta: propanodiot-1, 2.

tl

H 3C -C -C H ,


cêprrulos

os alcenos 163

EB13) Ouals os produtos obtidos na oxidagãoenérgicado buteno 2? A oxidãçãoenérgicaé Íeita com soluçãoácidade permanganãto de potássìo{KMnOa/H+) ou, ent ão,c o m s o l u ç ã oá c i d ad e d Ìc rc m a tod e potássi o(K rcrroT/H + ):

- cHr + 4tol I

HiH

KM nO . TH'

/-o

H"c

c-

o

+

^:-

--;C-CHì

Ho'

-oH

Respostá: ácrdo eldnóico. EBl4)

Ouais os produtos que obtêmos fazendo umâ oxidação enéçica do 2 metil pfopeno?

H: C

H 3C -

ç-

Í./ ca" (,1 H3C

o + c o , + H2 o

C:

I ,

CHg

C:O

Resposta: pÍopanona,gás carbônicoe ásua.

ffi Exercíctbsde oqrendizogem w EA42)Escrevaa equaçãorpftsenulìva da múbusLo conpleladossguinÌeralcenos: c) clHr a)crHó d) crflr b) cür EAIIJ)Dê a eqüação coftspondenkà ondagaobraida (IünO1/OHI dosalcenos abaixo: a) Hr C- C: C HH

cHr

a) H 3c ç= ç

cH 3+ [0]

b) H rc-c-c:c-cH 3 HI HH

IH

CHì coÌspondenles à oxidação f,444) Comphteasequaçoas (XMio{/H'): enéry1ca

+ [o] -

H

I

H + [o] -

0H rC -C -c= c b) Hr C C: C - C H j

-

cH3 cH3

CH] H

H

f,415) DeteÍnineosprodutos obtidosna: a) ondaçãobrmdado 2, 3-dimet[pentero-2 enéleiúdo 2, 3-dineliì'perltm2 b) oxidação

d) Ozonólise: Sübmetendoum alcenoà açãodo ozone(Or), obtemosüm compostode adiçãoinÍá vel (explosivo)chamadoozonelo.Estecomposto,em condiçõesapropriadas,Íatado com água,sofrehidrólise,produzindoâldeídoe/ou cetona€ águaoxigenada.Assim: . se o carbono da dnpÌa poss]uium hìdtogê io, foÍma-se aldeído; . se o carbono da dupla poss:u.idoìs hìdtogênios, foÍma-se meíansli . se o carbono da dupla nõo possui hidrogênio, forma-se cetona.


164

Unidade5

Jl

os h dÌocaÌboneros

Observe:

oo R_C;

,t i X H:

+ or

C_ H

R_C. H"H

H

--/

-C_H |

f,-

. i{;ìi-" H

,/'

l l-\H .a -

* -aao

*

-c -H

+ H, O ,

H/ aldeído

H

O ozoneto se deompõe conforme a indicâçâo. Iiberando un oxisênio, qüe se associa âo HzO prodüzindo H:oz

Agoía, presteatenção:a duplaseÍompeetudosepassacomo sehouvessesimpìesmente a adiçãodeum oxigênioem cadacarbonodessadupla,havendoou nâo hidrogênios.Assim:

aL

H\\

{_!

R-C:O

O:C-H

H

H

!ffi Exercíctosreso/vtdos iiiiiiiitffirÌrï{stffisflsiiltiit!ït!fitÌitililt||ll|lll|Iïitni EÂ151 Ouais os compostos qus sê formam na ozonótiseseguidade hidÍótÌsedo píooeno?

H3C

C- C HH

H - +à-

H "c c I

o

HH etnal

Besposta: etanã1,metanale água oxìgenãda

o= c mtaEt

H r H, o -


capÍtulo3

os alcenG 165

EB16ì Descubraos compostosque ss íolmâm na ozonótissseguidâde hidrótisedo 2-metit_bu-

H, C- C: C

i^

C H , -;* -

H rC

C

O

O= C -C H 3

H ' O.

l'ltl

c H3 H

cH"

H

Besposta: propanona,etanal e égua oxigenads. EB17) Um ãlceno.submetidoà ozonólise,foheceu como produto orgánicosomentepropanat. Oual é esse alceno?

dlc eno

O ,-H ,O.H rC -C

C HZHHH,

-

,C

ç

CH

rH ,O,

P ar ades c ob Íi o r a l c e n o ,b â s tae l ìm i n aor o x i gèni ode cadamol écutade propanãtej untar os dois Íâdicaisatravésda ligâçãodupla:

'., o H. C

C C HZ

ì--.r -H

o --r

C -C

H

CHl H,

,H C -C -C

C H.

C H.

CH,

HH hêrcnJ Ouando os pÍodutos orgãnicossão diÍerentes,procedemosda mesmâforma, utitizando uma moléculade cada composto. Se em lusar de ozonóliseocoÍrêr oxidâçãoenérgica,o Besposta: hexeno 3.

W Exercíciosde aryendizogem [44ó) Conplel€asequações coftespondenÌes à ozonólise sesuidâ dehìdÌóìiser â) H, c - C: CH Ìl

C H r+ o r + H ,o -t

b) HjC- C = C-C H r

I c : c - c-c H r

'l

+ 0 3 + H ro .-

f,Á1E)Qualéo ahenoque,porozonóÌise, pÌoduzsonenk butdonaconoprodutoolgâiico? [449) uD alceno'subnetdoà oxidaçãoenélgica (I(MtrolH'), produzácidopropanóico. Qualé e$eaìc€Ío?

lH,

CHrH H d) Hr C C

[447) Descubúqüêlo al@noque,poÌ ozonóìise, produz etúãì e bDtanona.

+ O r + H rO -

cHrcHr c ) Hr c

,iil,,.lllil{illlïiiliïHmi||lÍiiiiiìiiiiiiiiiiliiiã iii*i

H C

CHr CHr

EÂ50)Dscubraquat o alem que, É,Ì a9ãode KMnOr/H'.pÌodüz burüorae ácidoetaÍóico. C :C H , + Or + H rOH

poÌoxidagào [A5l) Un alceno, etréÌsica con KvtnOy'H', produzácidomelil-pIopanóìco. atcenol Qualéesse


166

U"idade5

os hid'ocarbon€tôs

ffi Exercíciosde Íkoçõo W EFT} Descubraâ fólmula ê dè o nomedo compostorspresentadopor Anâ s€guinteequação: H3C- C

C Hz

A+HrO

C CH3 Hz

OH EFa) Celtã massa de um alcono, que apfesentadêz átomos de hidrogênioem sua molécula, solrêu combustãototal, produzindo22 g de gás carbônico.Determine: â) â massado alceno que soírsu combustão b) ã msssâ de água que se fomou c) a massadê oxisénio utilizadanessâcombustão ÊFg) Dêscubraquais produtosoÍgênicossão obtidos quandose submete o 3-metil-hexêno-2: a) a um a ox id a ç ã oc o m K M n O a /H ' EFIOl Um âlceno,submetidoà ozonólise,produzos compostosorgânicospropânale butanonâ. Ouâl é esse slceno?

0uaisoscoíÍpostos obtidos n. oro.ólise, sguidadehidrôli$, do2 netilheradiono.l, {? prcdúrindo UmDonposlo A sofÍsdasidntaçio napíerentâ deAlr03(mé10d0 de|p8liev), umcompoío I, que, iuh. quâis mslìdo a oronóli!esDguida dehidÍóliss, oÍilinaotanaleáqua 0rigenada. 00sDuhn sãDdscompostos Âs g.

3!, Polìmefização: qüe apresenra Polimerizaçâo é a reaçãode foÍmaçãode umâ substância macromoléculas constituídaspor unidadesestruturaisque sercpetemsucessivamente. ObseÍveo que ocorre,por exemplo,com o eteno: nH)L:

o1(calaÌisador)

cH:

,d;,a-r,rxil* -

+,.+ï;l#F. irÉiiffi tnidade

,1

L9rï9r.q.9 A substânciade origem chama,semonãmerc e o produto recebeo nome de po1ímero. Assim,etenoé o monômeroe polietilenoé o polimeÍo. VejamosaÌgunsalcenosque sofrempolimerização.

^

,o" CH:

,-

@ràlisèdor


caphuro3

CH,

I C I

NHZC :

os arcenos 167

Pad 4úesevên N polínw6? polímdos Erislem nâluÊis e aniiiciais_ DenlÍe 0snaruBis temos a borâcha. o ami. dq a celulose e asprcleinâs. 0s polímeíos etiliciais sã0dmominad0s

Atclr 90"c

CH:

Na indústriapetroquimica,a paÍtiÍ da nafta (fraçào da destilaçãodo perróÌeo)obtemosos alcenoscom os quais são produzidosos polímelos (pÌásticos).

. 0 polielileno é úmdospláslicN mis usa dN. Ssvepaua lab caqão desms de leiree delko,hÉnquedosetc. . 0 poliprcpilono é um plástico usadom confecçâo deÍitas,lâpeles etc. . 0 pollÈobutileio é sonhmido mmoá02á. ,rr lr;r, sendo umadasmaÌsmúmidd

0 eleno O eteno,ou etileno,compostoorgàÌico de fórmuÌaCrHa, é o primeiromembroda série dos alcenos.Àpresenta-secomo üm gás incolor, de odoÍ etéreo,que se liquefaz a - 103'C e sesolidificaa - 169'C. De onde o etileno pode ser et ído? Conformejá dissemos,os alcenossãomuito rârosna NatuÌeza.O erilenopode serex tÍaido do petÍóleo(gásdo crdc,trrg)ou, ainda,dos gasesnaturais. Como podemos preparar o etileno? O etilenopode ser pÍepaÍado,€m laboratório, a partir do etaroÌ (álcool erilico) poÌ meio de uma desidÍatação provocadapor alumina(ALOr) ou ácidosulfúricoconcentrado

(170.c): H,( Ij

. . . .

a(

^ -.H/

ALO r

--l-

H,<' (-H

H,O

er,kno

9H j

Paru que serve o etìkno? O etilenocosúumaseÍ utilizado: pâra obt€r áÌcoolcomum, quandotratado com ácìdosülfúrjco; (moderado)em inteÍvenções como anesiésico cirúrgicas; no amadurecim€Ilto forçado de frutas verdes,pois estas,em contato com o eÌileno,to mam a cor natural das frütas maduras; na preparaçâodo polietileno,que é um dos plásricosmaisimportantesna indústria,usado na confecçãode sâcose garrafasplásúicas, brinquedosetc.

Observ&ção: O etiÌenofoi usado,com fins bélicos,rÌa preparaçâod€ um gásvenenosochamadogás mostarda ou iperíta. 2HrC:CH:

+ SCl, *

H,C-C-S-C-CHl 1H,H,

CI

OS ALCENOS  

H,C C. C CH, H,C. C CH. HH CH, buteto2\Catt) rÉtltqopeno\E/Ht) crdeiaàhenanüEal cadeiaahetlanníicada H:lH CH, H,c : cH, HrC - c : cH: n,C'-...