Page 1

em HNETVï2OCI3 Redação Paradesenvolver o temada redação,observeo quadroe leiaos textosapresentados a seguir:

NÚI,IEFos DOPÂNIco Os R$ 102 bilhóesque o Brasitgasiapor ano GasloscomseguÍança o Bn s i l q l a s ê 000r'iìÍaÍn em crnco anos- emR$biihões

em segurançaêqì.lvatema...

4 vezes

:"ï;Ëï:3:'3 4r EPOCA,2 jun.2003.

Entendeta víolência,entre outras coísas,como Íruto de nossahoffendadesigualdadesocíal,não nosleva a desculparos ciminosos, nas poderiaajudara decicíìtque típode investinentoso EstadodeveÍazetpaê enfrentdro problema:incrementarviolencidpot fieio da repÍoêsãoou tomar medÍdaspara sanear alguns ptablemassociaísgnv íssimos?

.

(Àraa Rta Kehl.Folhade S. Paulo)

Ao exporas pessoasa constantesataquesà sua integridadefísíca e moraLa víolênciacomeçaa gemr expectatìvas,a Íonecer padÌõès de respostas.Episódios truculentose situações-límitepassam a sel ínaginados o Íepetidos6omo fím de legitímata ìdéia de que só a forçarcsolveconllitos.A violênciatornase um item obrigatóío na vìsão de mundo que nos é tnnsmitida. O problema, então, é entendeí como chegamosa esseponto. Pensoque aquestão ctucíal,no momento,não é ade sabcí o que deu origemao jogo cla violência.mas a de sabet comopaâr umjogo que a maioia, coagida ou não, começaa quereÍ continuatjoganda (Adaprado de Jlrandr Costa.O medosocã1.)

Considerando a leituÍado quadroe dos têxtos,redÍja um textodissertativo"argumêntâtivo sobreo tema: A violência na sociêdadebrasileiÍâ:como mudar as regrasdessejogo? Instruções: . Ao desenvolvero tema proposÌo,procureutilizaros conhecimèntos adquiridos e as reÍlexões feitasao

. . . .

longodesuâÍormação. Selêcione, organize e relacionê argumentos, tatose opiniõesparadefenderseu pontode vista,elaborando propostas paraa solução do problema disculido em seutexto.Suaspropostas devemdemonstrarrêspeitoaosdúeitoshumanos. Lembre-se de quê a situaçãode produçãode seu textorequero uso da modalidade escritacultada tngua portuguêsa_ O textonão deveser escritoêm Íormade poema (versos)ou de narrativa. O textodeveráter no mínìmo15{quinze)tinhasescritas. A Íedaçãodeveráserâpresentada a tintae desenvolvidana Íolhaprópria. O rascunhopoderáseÍ Íeitona últimafolhadeste CadeÍno-

Comentário: O Enempropõeumaaná'isêcríticado tristequadro da vÍolência. Paratantoapresentadadospublicados na ÍevistaÉpocaque íevêlama preocupação do governoem responder quee a um direitoda populaçào. a segurança pública. Os textoslornecidoslevantamum debatesobresoluçõesparaconlero alaÍmantequadroda violência. Espeíava-se que o participanle píoduzissêuma dissertaçãocom respostas questionamentos. a tais Trabalhara êxêmplìíicação e a análisede causase conseqüênciâs seriaumaallêínativaviávelparao tema êm questão.

173


enem

\

QUESTOESOBJETIVAS ffi

promoveu Noanopassado, o governo umacampanhaa fim de reduziros índicesde violência. Noticiandoo tato,um jornalpublicoua seguinte manchete: Campanhaconlra a violênciado Governo do Estâdoentra em novaÍase A manchetetem um duplosentido,e issodificulta o entendimento. Considerando o objetivoda notÍcìa,esseproblemapoderiatêr sidoevitadocoma seguinterêdação: a) Campanha conÍa o govêrnodo Esladoe a violênciaenÌÍamem novaÍâse. b) A violênciado governodo Esladoentraêm nova íasede Campanha. c) Campanhacontrao governodo Estadoentra em novaÍasêde violência. d) A violênciada campânhado governodo Estado eniraem novaÍase. e) Campanhado governodo EstadoconÍâ a vìolênciaênÍa êm novâfase.

M

Habilidade:

Segundoo texÌo.muitasveTesa pÌopaganda a) não permiteque minoÍìasimponhâmidéiasà maìona. b) dêpendediretamenÌê da qualidadedo produlo quêe vendido. c) Ìavoreceo controledas massasdÌiundindoas conlradicões do produto. ì paraos intêressês d) estávoltadaespecialmenté dê quemvendeo produto. e) convidao compradoràreflexãosobrea natureza do quesê propõêvender.

Habilidade:

Solução: Obsêrvêque o ÌêÍo de NorbertoBobbioapresenta já presenteno universoda publici" uma informação '? propâganda dade: eslávoltadaparaos interessês de quemvendeo produto".Assima ìêtrad apenas confirmaaquiloquêjá é consensual. Respostâ:letrad

Solução: pois o termo A mancheteapresentaambigüidade, 'Violência" pode eslarassociadotânto à "campanha (o governoseÍiaviolento). conira"comoao "governo" Ao modificarmos a ordemdos tefmos,percebe-se clarezadê idéiasna letrâê, porse tralaÍde umacampanhado governocontraa violência. Resposta:letrae Propagandapode ser definida cono divulgaffiÁ ção intencìonale constantede mensagensdestinadasa un deleÌminadoàudilório vìsandocriar uma imagemposilìva ou nega va de determìnadosfenônenos.A Ptopagandaestá muìtasvezes ligadaà Ídéíade manipulaçãode grandeêmassas pot parte de pequenosgrupos.Alguns p ncípìos da Ptopagdndasào: o pnncípioda simplificaçào. da saturação,da deformaçãoe da parcìalidade. (Adâprado d€ Noòêrto Bobb o, el al. Dìêionáia.le Politjca)

174

:ffi

n etciência deanúncios numpaineleletrônico localizadoêm umacertaavenidamovimentada foi avaliadapo. umaempresa.Osresultados mostraramquê,em média: . passam,por dia, 30 000 motoristasem frente ao paineleletrônico; . 40% dos motoÍistasque passamobsêrvamo parnel; . um mesmomotorislapassatrêsvêzespoí sêmanapelolocal. Segundoos dadosacimâ,se um anúnciodê um produtoíicaíexposlodlrrantesetediasnessepainel,e esperadoqueo númeromínimode motoris" las diíerenlesqueteràoobservadoo painelseja: a) 15000

d) 71 000

b) 28 000

e)B4000

c) 42 000

Í


enem Habilidade:

Solução: O núpìeío oe Íolorisrasq-e pascampelolo(alê dâ 3o ooo 7= 66 p61 76 666 3 Como40%dos moloristasobsêÍvarno painelelêÍô. 70 000= 28 000 nico,temos:0,4 Resposta:lêtfab

-4J O tempoque um ònibusgastapaÍair do pontoinicialao pontoÍinalde umâlinhavaria.duranleo dia,conforrneas condiçõesdo lrânsilo,demoÍandonìaisnos horáriosde maiorínovimento. A empresaque opera essalinhaiorneceu,no gráficoseguinte.o tempomédiode dLrração da vtagemconíormeo \Oráriode saída do ponlolnìcial,no períododa manhã. l2q Ê t 10

9 '* ss 9 êü

I

s

!oo gr0

r"i'i -"i"ii'i .1--i--r-,--i-.-.!,..,-i ì r - - -il

; l- ii \t..i -i....i. .i .i.*r..

!r;i i .;.!

ì.i

-r"i-i"i:r1

: l- ,. ì

€ro

g$ Ea0 r! ro

I õa u ê 8Ë ós r

â88 ãã Ë ë I I Eè8 6 E Ë Ë E ÊE Ê ã Horírh dc úídr

De acordo com as inÍorrnaÇões do gfáfico,um passageiroque necessita chegâraté as 10h30minao ponÌo tinaldessaI nha,develomaro ônibusno pontoinicial,no máximo.até as:

a) th20min

b) th30min

c) thoornin

d) Bh30min

e) 8h50mrn

Habilidade: Lm un grafi.o krie-iõno.le vô irvel so.:opr ononi, J ou Ìe.ni.o c en.íÍicd. idenÌilicdì . ãnèIraÌ râlo'e. dâs vdnd\ pi\. ìn'prvalo. d e dp. cïì?nio ou d ecrps.'rìo p r"x+ dp va riaçao.

Solução: Obsêruando o gráfico.vemosque o iêmpornédiomáximode umaviagemé dê 110 minutos.Logo,podemos subtrair110rninuÌosde 10h30min e obtemosth4omin.Ìernos,enlão,que,saindonêssehorário.cerÌamenle o passageiro chegaÍiaao pontoÍinalem tempoháb;1. Analisando o gtáÍiconovamenÌe, vemosque,se o passageiÍosaíssedo ponloinicialàs 8h50min,o tempode viagemsera de 100minutos;logo,elechegariaao ponto Íinalàs 10h30min Resposta:leÌrae

gJoão

e Antônlo utlizamosônibus da llnhamen-

cionadana quesiãoanteriorparair irabalhar,no peÍíodoconsiderãdono gráfico,nas seguintes condições: ' trabalhamvinÌediaspor mêsì . Joãoviajasempreno horário em queo ônibus

fazo ÌÍajeÌono menorlempo; Antônio viajasempreno horário em queo ônitrusfaz o tÍajelono rnarorlempo; na volÌado trabalho,ambosfazemo trajelono mesmoternpode percuÍso.


enem Considêrando-se a diferença de tempode percur- P so,Antôniogasta,por mês,em média, a)05 horasa maisqueJoão. b) 10horasa maisqueJoão. c) 20 horasa maisquê Joâod) 40 horasa maisquê Joãoe) 60 horasa maisque João.

ru" lileÍatuÍade coÍdel,os texlossão impressos, em geral,com8, 16,24ou 32 páginasde Íormato 10,5cmx 15,5cm-Asrazõeshistóricas queexplicamtal Íatoestãorelacionadas à Íormaaítesanal como6ã0 monladasas publicações e ao mêlhor âproveitamentopossívêldo papel disponível. Considerê,abaixo,a confecçãode um textode cordelcomI páginas(4 íolhas):

Habilidade:

Solução: Umavêz que o tempogastoparavoltardo trabalho é o mesmopara os dois,vamosanalisarapenaso tempode ida ao trabalho,pois ali temosdiíerênças nostemposmédios. Joãosempregasta50 minuÌose Antônio,110 minutos.Logo.adiÍerençèestánoÍatode queAnlòniogasta 60 minutos(1 hora),em média,a maisque Joãoa cadadia.No pêríodode 20 dias,portanlo,Anlôniovai gasiar,êm média,20 hoÍasa maísqueJoão. Resposta:letrac

Utilizandoo processodescriloacima, pode-se produzÌrum exemplardê cordelcom 32 páginas de 10,5cm x 15,5cm,como menorgastopossi vel de materiaÌ,utilizando LlmaúnicaÍolhade a) 84 cm x 62 cm d)42 cm x 62 cm b )8 4 c mx 1 2 4 c m e )2 1c m x 3 1 c m c )4 2 c mx 3 1c m

Habilidade:

H

umlotedelivros, ffiUma editorapretendedespachar agrupadosêm 100 pacolesde 20 cm x 20 cm x 30 cm.A Íransportadora acondicionará essespaSoluçáo: coÌesem caixascomformatode blocore{angular SejaA a áreada folha.Temos: de 40 cm x 40 cm x 60 cm.A quanÌidade mÍnima Númêrode páginas Áreada folha necessária de caixasparaesseênvioé; 8 . . . . . . . . . -. . . . . . . .2. .1. c. .m . . .2 ' 1 c m a )9 d) 15 32 "A b )1 1 e) 17 Logo,A = 4 {21cm).(31cm),ou seja, A = (42cm) . i62 cm) c ) 13 Reaposta:letrad Habilidade:

Solução: O totalde pacoiesseráobtidopelarazão: 1 0 0 .200.20.30 40 .40.60 Logo,serãonecessárias, no mínìmo,13caixas. Resposta:letrac

176

Do pedacinhode papel ao |vro imprcssovai uma Iongadístância.Mas o que o escútor quer, mesmo,é isso:vero seutextoen LETRAdeforna.A gavetaé ótimapaa aplacata Íúia ciativa; ela faz amadureceto textoda mesna foma que a adega íaz amadurecero vinho,Em cettos casos,a cesta de papel é meÌhorainda. O período de maturcçãona gavetaé necessátio, mas não dêve se prolongar muito. 'Textosguaí dadosacabamcheírandomal', dísseSilvía Plath, com estafrase,dou testemunho dasdú1...1que, que publicar vidds àlormcntamo escrlor: ou não publìcar?guardaroujogar Íoê? (lMoacyrScl ar. O escrlor e seus desatoe)


enem Nessetêxto, oescritorÍ\,,loacyr Scliarusaimagens pararefletirsobreumaeÌapada criaçãoliteráda. A idéiade que o processode maturação do texto que garante nemsempreé o bonsresultados es" tá sugeridana sêguinteÍrase: a) 'A gavêtâé ótìmaparaaplâcara Íúfiacriativa." b) "Êm cêrtoscasos,a cestade papelé melhor ainda:' c) "O periodode maturação na gavetaé necessãrio,i...ll' d) "Maso que o escritorquer.mesmo.é isso:ver o seutextoem LETRAde formal' e) "ela (a gaveta)faz amadurecero texto da mesmaformaque a adegafâz amadurecero vinho."

Habilidade:

d) a aproximação não usualdo agentecitadoe a açãode "cheiral'. ê) o empregodo artigoindefinido "um"e do aÍtigo definido"o' na mêsmafrase.

Habilidade:

Solução: Drummondinovaao tíataro Íuturodê lormâinusitada quandocolocaum cão Íarejândoo Íuturocomoalgo próximo,concreto.Usa,assim,os sêntidos(sineste$a) no ìugardê um pensamento lógico. Rêsposta;lelraa InstÍuçôes:As quêstôesde númêros10 e 11 referem-seao poemaa sêguit

Solução: Obsewequê l\,4oacyr Scliaraponlana trase:"Emcertos casos,a cestade papelémelhoÍainda"aidéiade que o processode maluraçãodo texlonemsempÍê garantebonsrêsultados, poisêle sugerequê,muitâs vezes,o têxtoé íuim e acestade papelé o melhor deslinoparaele. Fêsposta:letrab

ffi

Eucomeçariadizendoque poesiaé umaquestão de linguagem.A ìmportânciado poeta é que ele torna mais viva a lìnguagem,Carlos Drummond de Andade escrcveuum dos nais belos versos da línguaportuguesacom duaspalavÍascomuns: cão e cheirando. Um cão cheiÊndo o Íuturo (Enkevisla coÍnMárÌoCaívatho. Folhade SP, 24105/1 988.Adaplação)@A O que deu ao verso de Drummondo caÍáler de inovadorda lÍnguafoi

Epígraíe* Murmúio de água na clepsídía*'gotejante, Lenta,gotasde somno rclógíoda torrc, Fio de arcia na ampulhetavigilante, Levesombfa azulandoa pedÊ do quadtunte"" Assimse escoaa hora, assin se vive ê mote.,, Hômem,que Azes tu? Patu que tantalida, Tãodoidasanbições, tantoódìoe tantaameaça? Procurcmossomenlea Belêza,que a viala É um punhadoínfantìlde areia rcssequrda, Umson de água ou de bronzee umasombraque passa... (Eugêniode Casto. ArÍologiapessaalda poesiapottuguesâ)

(.) Epígraíê:inscriçãocolocadano ponlo mais alto;tema. (") ClêpsidÍa:relógiode água. (.") PêdÍâdo quadÌánte:partesuperiordê um relógiode sol. imagemcontidaem'lenrasgolasdê som {vêrso 2) é retomadanâ sêgundaêslroÍepoí meioda expressão: a) lantaamêâçâ.

a) o modo raro como foitratado o "futuro",

b) somde bronze.

b) a rêÍêrênciaao cão como "an;mal de estimação".

c) punhadode areia.

c) a ílexão pouco comum do verbo "cheirar" (gerúndio).

d) sombraque passa. e) somentea Beleza.


enem Hatrilidade:

andavamos seuspersonagensse paÍeciammui to com o Paraíbae a Mata do Rolo.O seu Bafua' Azul eta um senhorde engenhode Pernambuco. (José LnsdoFegoMenino deengenho) A corlocâlquea peÍsonagem velhaTotonha colopeloâulor,na cavaem suashistóriase ilustrada, passagem: seguJnte

Solução: O autorretoma"lentasgotasde som"na segundaestroÍecom a êxpressão: "somde bronze"-Houve,então, uma equivalência entÍeo som da gotae o som do relógio. Fêsposta:ìetrab

SN"at"

pomu,o quêlevao poetaa questionar de-

ierminadasações humanas(versos6 e 7) é â a) infantilidadedo ser humano. b) destruiçãoda natureza. c) exaltaçãoda violência. d) inutilidadedo trabalho. e) brevidadeda vida.

a) "O seu Barba-Azul era um senhorde engenho de Petnambuco". b) "Haviasemprereie rainha,nossfus contos,e forcae adivìnhações'l. c) "EraumagrandeadistaparadÍamatizar. Tinha umamemóriade prodígio". d) "Andavaléguase léguasa pé, comoumaediçãovivadas IVile UmaNoites". e) "Recitavacontosintêirosem veÍsos,intercaiandopedaçosde prosa,como notâsexplicativas".

Habilidade:

Habilidade:

Solução: Solução: O autorquestiona as doidasambições, o ódio,â âmeaça porquereflelesobrea brevìdadeda vida como um som de água que passa,sugerindoa buscada oereza_ Rèsposta:letrae .

174

A vethaTotonhade quandoem vez batiano engenho.E eía um acontecimentopaÍa a meninada, andavaleguase léguasa pé, de engenhoa 1...1 engenho,como uma ediçãoviva das hístóriasde Mil e UmaNoites1...lera umagrandeartìstapan danatìzar. Tinha uma memóia de prcdígio.Becitavacontosinteirosen vêrco, intercalandopedaços de prosa, como notas explicatÌvas.l...l Ha" via semprerei e rainha,nos seus contos,e Íotca e adìvìnhàções.O que íaziàa velhaTolonhàmaìs curìosa era a cor local que ela punha nos seus descrìtivos.1...1Os rìos e as Íloreslas pot oncle

ObseÍveque,ao citaí"BaíbaAzul",pêísonagemdo imagináriouniversal,e associá-loao senhorde engenhode Pêrnambuco, o autor dá às hisloríasde Totonhâumacor local,regional. Fesposta:letraa Pequenos tormenìosda vida --r-ì:ffi De cadalado da sala de auÌa,pelasjanelas altas, o azul convidaos meninos,as nuvensdêsênrclam-se.lenlascona quemvainventandoprcguiuma hÊtoriasem fim...Sem lim è a Çosdmente aula: e nada acontece,nada...Bocejose moscas. Se ao menos,pensaMargarìda,se ao menosum avìãoentÊssepot umajanelae saíssepot outrc! (Márioau nlana.Poesias)

Na cenaÍêtratada no texlo,o senÌimento dotédio a) provocaque os meninosÍiquemcontandohistórias.

Í


enem b) leva os alunosa simularembocejos,em protestocontraa rnonotonia da aula, c) acabaeslimulando a íantasia,crÌandoa expectatìvade algumimprevisto mágico. d)prevalêcede modo absoluto.impedindoaté mesmoa distraçãoou o exercíciodo pensamento, ê) decorreda morosidade da aula,em contraste com o movimênto âceleÍadodas nuvense das moscas.

Habilidade:

Habilidade:

Solução: Sãonecêssários: ' 2 diasparaas oitavasde fÌnal(8jogos) . 1 dia paraas quartasde final(4joiíos) . 1 dia paraas semifinais (2jogos) . 1 dia paraa Íinal Total:5dias.

Í

. '':

Resposta;lêtÍad

Solução:

SO

Observeque, no poema,I\,,lário QuinÌanâopõe uÍn momentode tédÌoa um morneniode expeclatìva. ("... se ao rnenosum aviãoenirasse..l')lssocomprovaa leÍâ c, poiso tédioestimulou a Íantasia, o mágico. Resposla:leÍa c SOs

alunosde umaescolaoíganizaram umtorneio pingue-pongue individual de nos horáriosdos recíeios,disputadopor 16 participanles, segundoo esquemaaoaÌxo:

)ran--)r:ç'n-jm ]ma---/

-->'ml

Foramestabelecidas as seguintesregras: . Emlodosos jogos,o perdedorseráeliminado; . Ninguémpoderájogarduasvezesno mesmo dra; . Como há cinco mesas,serão realizados,no máximo,5 jogospor dia.

tabagismo(víciodo Íumo)é Íesponsavet por uma gÍande quanÌìdadede doençase mortes premalurasna aÌualidade.O lnstitutoNacìonal do Cáncerdivulgouque 90%dos casosdiagnos trcadosde câncerde pu{mãoe 80% dos casos djagnosticados de enÍisemapulmonaresÌãoassociadosao consumode tabaco.Paralelamênte, Íordírmostrddoc os resullados de ura pesqusa realizadaem um grupode 2000pessoascom doencasoe pulrìáo.das quais 1500sào casos diagnosticados de câncêr,e 500 são casosdiag' nosticados de ênÍisema. Combase nessasinformações, pode-seestimar que o númerode fumantesdessegíupode 2000 pessoasé, aproximadamenÌe: a) 74O b) 1 100 c) 1310 d) 1620 e) 1750

Habilidade:

Com base nêssesdados,é CORRETOafirmêí que o númerominimode diasnecessário parase chegarao câmpêãodo lorneioé: a) B d)5 b) 7 e)4

Solução:

c) 6

Resposta:lelrae

O númêrode Íumantesdessegrupoé dadopor: 0,9 1500+0,B 500=1750


€{!en} ac denÌesde trânsrlo,no Brasil,em sua maiorparte,são causadospor eno do motorista. Emboa pafie --1ÜOs deles,o motivoé o íaio de dirigirapóso consumode bebidaalcoóica.A ingestãode lma latade cerveja pTovoca umaconcentração de aproxirÌìadanente 0.3 g/L de álcoolno sangle,A iabeìaabaixomosÌraos por bebidasa coólicasem Íunçãode nÍveisde concenìração eÍeitossotlíeo corpohumanoprovocados dê áicoolno sanoue:

Ì

(RevLslãPêsqlisa FAFESP| 57, selembÍo2OOO )

Uma pessoa que telha tomadolrês atas de cer veja provavelmenleapresenla a) queda de atenção,Ce sensibilidadee das reaçõês moloras.

H

b) apaíenie normalidade,rnascom aÌeracões clínicas. c) coníusãomenÌale faltade coordenaçáomotorã. d) drsÍunçãc digesiivae desequilÍbrÌo ao ândar. e)es'upore ri".u d- pd

"dd.esìriíJÌó.id

Hatrilidade: Da.lãô descdçãodìscuÌsivaoupor ilustraçãode um er$€rir.ento ou fenômeno,rÌe natluezacientilìca, teciìológicôoLÌsocial ìdentiílcarvariáveisfelevanies , . c -c ri ,.. l rd " I rp u . L .? lec r on" ro. zação oÌÌ inïerpfetacào do mesmo.

Solução: Uma pessoa que Ìenha toÌnadoirés laias de ceÍvela develá apÍeseniaf0,99/L de á cool no sangue.Dessa foÍma, suas allefaçõesfrs ológrcase comportamentais enquadÍam-se nas Inhas do s e Ìíês da Ìabela ïornecida. Bêsposta: letraa 1?jiApós a ingeslãode bebidasalcoólicas,o melabolismodo álcoole sua presencano sanglìedependem de ÍaÌorescomo peso corporal,condiçóese Íernpo após a rngesião.

1 80

1A 09 0€ 06 05

+{Iì i,-i-r. r

õGìjã"r"'

t/ I

Iil: . - " i " l \r - -;-.-

03 02 t 01 l .t-

"- Ì . 1

'1 2 3 1 5 6 7 Ìeúpô após nleslão (Bevsìa Pesqusa FAPESPn 57, setembfo2000.)

O gráÍico mosÍa a variação da ôoncentraçãode ácool no sanguede indivíduos de mesnlcpeso que bebeíam Íês latas de oeÍveja cada um, em d íerentes condìções:ern jejum e após o janlaf. Tendo en, visÌa que a conceniraçãoínáx ma de ácool no sanguepermitidapelâ legislâqãobÍasilerrapara motofislasé 0.6 g/1, o indivíduoque bebê.jdpós o _a Ìõí ô o luô LebâuôrÌ lêj .n só poderâo dirigìr após. aproximadamenÌe, a) urnâhora e uma hora e rneia,respeciivarnente. b) lrês horas e ÌÌeìa hora. íespeciivamenÌe. c) lrês horas e quatro horas e rÌìeìa,respeôtva dJse \ ho,âSe tresnorns res/ê.tiv.rme..e e) se s hoías.igualnìenle.


enem Habilidade:

porelêmentos é invadído ffiQuando o corpohumano

Solução: Anaiisandoo gráíico,verifica-seque a concentração de álcoolno sanguealingevaloresmenoÍesque 0,69/L( máximapermitidâpor lei), apóstrês horas parao indivíduo quê bebeuapdso iantare aposqualro horase meia,e paraaqueleque bebeuêm jejum. Resposla:lelrac

ffiNa

embalagem de um antibiótico, encontra-se

uma bulaque,entreouÌrasinformações, explica a açãodo remédiodo seguintemodo: O medicamento atuapor inibiçáooa síntese proléjcabacteriana.

estranhos, o sistemaimunológico reagê.No entânto, muitasvêzes,o ataqueé tão rápidoquê pode lêvara pêssoaà morte.A vacinaçãopermiteao organismo preparatsuadefesacomanlecedência. I\4as. se exislesuspêilade maljáinstalado. é recomendável o usodo soro,quecombatede imediato os elementos estÍanhos. enquantoo sistemaimunoÍógico se mobÌlizaparaentrarem ação. Considerando essasinformaçòes. o soroespectÍicodevesêÍ usadoquando

a) um idosodêsejase protdgercoíka gripe. 't'b) umacriançaÍor picadapor cobrapêçonhenta. c) umbebêdeveserimunizado conía poiiomielite. d) umacidadequêrprevenirumaepidemiade sarampo. e) umapessoavai viajaípaÍa regiãoondeexiste tebreamarela.

Habilidade:

EôsaafkmaçãopermìÌeconcluirqueo antiHótico a) impedeâ Íotossínleserealizadapelasbactétias causadoÍas da doençae, assim,elas não se alimentam e morrem. genéticasdas baclérias b) alteraas informações câusâdorâsda doença,o que impedemanu- Solução: tençãoe Íêprodução dessesorganismos. O soÍo imune contém antjcorposespecííicosque c) dissolveas membranas instantaneamenÌe, das bacìériasrêspon- neutÍalÌzam, o venenodâ cobaâ, sávêispeladoença,o quedificultao transporte Resposla:Ìetrab de nulrienres e provocaa mortedelas. d)ehmrna os viruscausddores da doença.pois @O botulismo. intoxicaçào alimenraíquepodelevar pÍoteinas que nãoconseguem obteras seÍiam à morte,é causadopor loxìnasproduzidaspor produzidas pelasbactériasque parasitam. certasbactérias,cuja reprodução ocorrenas sêguintês poÍ pH condições: é inibida inferiora 4,5 e) inÌerrompe a produçãode proteínadas bacté(mêio próximasa 1000"C, ácido),lêmperâturas riascausado€sda doênça,o que impedesua concenìrações de sal supe ores a 10%e pÍesenpelo multiplicação bloqueiode funçõesvitais. de nitritos ê nitraios como aditivos. ça Habilidade: A ocorrência de casostecêntesde botulismoem consumidores de palmiloem conseÍvalevoua AgênciaNacional deVigilândâSanitirìa(ANVISA) a implementar normasparaalabricação e comeÊ cialização do produto. No fúulo de umadêterminâdâ marcade palmito em conserva,enconlram-se as seguintesinforSolução: mações: Se o medicamênlo impedea sínteseprotéica,acaba l) Ingredientes: Palmitoaçaí,sal diluídoa 12% produção compromelendo a dê enzimas.que prejuem água,ácidocítrico; dica lodas as atividadesbioquímìcas das bactérias, ll) Produto{abricadoconÍormeas normasda Ìmpedindo a suâ reproduçãoANVISA; Rêsposta:letrae lll) Ecologicarnente correto.


enem As informaÇõês do rótuloquetêm relaçãocomas @A maláriaé umacloencatípicade reglóestropÊ cais.De acordocomdadosdo Minislérioda Saúmedìdascontrao botulismoestãoconlidasem: de, no Íinaldo séculoXX,foramregistrados mais d) ll e lll, apenas. de 600 mil casosde maláriano Brasì|,99% dos b) lll,apenas. e)1,ll e lì1. quaisna regiãoamazônica.

Habilidade:

Os altosíndicesde malárianessaregiãopodem porváriasrdzões.entreas quars: ser explicados a)as caracÌerísiicas genéticasdas populaçõês locaisfacilitamatransmissâo e diÍiculÌam o tíatamentoda doençâ.

Solução: As iniormaçõesdo rótuloque se relacionamcom medldascontrao botulismoestãocontidasern le ll, apenas,O Íatode ser ecologÌcamente corretonão se relacionacom Ínedidasantibolulismo. A conservaçáo do palmitoem água,contendo12% de sal diluídoe acidocítrico,para reduçãode pH, está de acordocom as normasde pteservação do aÌiínento, segundoa ANVISA. Rêsposla:leÌrac

H

a ffiLevando-se emconiaoslatoresquefavorecem

b) â [altade saieamentobásicoproÉicÌa o oesen: volvìmento do mosquitolransmissorda malária nosesgotosnãoiraÌados. c) a inexistência dê predadores capazesde eliminar o causadore o tfansmissofem seusfocos impedeo conlroiêda doença. d)a lemperâturâelevadae os altos índicesde chuvana floresÌaequatorialfavorecema proliferação do mosquitoiransmissor. e) o Brasile o únicoparsdo ml,ndoque nàoimplemenioumedidâsconcretaspara interromper suatransmissão em núcleo6urbanos.

Habilidade:

pelo boreprodução das bactériasresponsáveis lulismo,mencionadas no iÌemanterioí,conclui-sê que as toxinasque o causamtêm maiorchancê de ser enconttadas a) em conservascom concentração de 29 de sal em 100g dê água. Solução: b) naslingüiças fabricadas com nitritoe nitratode A regiãoamazônica apíesentacondiçõesambientaÌs sódio. que Íàvo'êcem e biológicas a píoliteraçáo do mosquic) nosalimentos apósteremsidofervidos. 10vêtorda malária:mataíecfìadacom bfoméliase 'ogo oíquídeasem proÍusão,altâstemperaluras, d) no sucode lìmão, cujopH vaÍiade 2,5 a 3,6. allos ínpluviomélíicos, pântanos dicês âmplas extensões de e) no chârque(carnesalgadae secaao sol). ê lagoâs,etc.

Habilidade:

Respostailetrad

elevação donúmero decasos ffiHouve umagrandê de maláfiana Amazôniaque,de 30 mil casosna décadade 1970,chegoua cercade 600 mil na décadadê 1990.Esseaumentopodeser relacio' nadoa mudançasna região,como

Solução: As iníormações mencionadas no itemanteriorpeÍmique, temconcluir dentreas condiçõesquefavorecem a reprodução das bactériasdo bolulisíno, ÌncluÈsea Rêsposta:letraa

142

a) as lransformações no climada regiãodecorrentesdo efeiloestuÍaê da diminuiçáo da camadade ozôniolr) o empobrecirnento da classemédiae a conseqüentefaltade recursosparacustêaro caro tratamento da doença.

Í


enem c) o aumênÌona migraçãohumanapara fazene gaÍimdas, grandesobras.êssentamentos pos,inslalados nasãíeâsde Ílorêsta.

Habilidade:

d)as modiÍicaçõesradicaisnos coslumesdos povosindígenas,que peíderama imunidade naluralao mosquitoÍansmissoí, e)a destruiçãocoÍnplêtado ambientenaturalde reprodução do agenlecausadoí,queo Ìevoua para migrar os grandescenÌrosurbanos,

Habilidade:

Solução: Umadasevidências de ocorrência de ÍêâçãoquímÌca gases, que percebida é a liberaçãode é airavésda "íervura'.Os gasesliberadossão tóxicose causam os eíerlosmencionados no lerlo. I

t

Resposta:letfad

Solução: por O protozoáfio causadorda maláriaé transmitido um mosquitocuja densidadepopulacional é elevada em áreascobertasporÍlorestatÍopicaìúmida.Assim, aglomeÍações humanas,nessasáíêas,aumentaram os índicêsde lransmissão da doença. Resposta:letrac guaroaoos mProdutos de limpeza,indêvidamenÌe ou manipulâdos, estão entre as prìncipaiscausas de acidêntesdomésticos.Lêia o relatode umâpessoaquê perdeuo olfaÌopor ler mislurado aguasanitára.amoníacoe sêbáoem pô pêía limparum banheiro:

paË reEntÍeos procedimentos recomendados duziracidenÌescom produtosdê limpeza,aquele que deixou de ser cumprido,na situaçãodiscutida na questãoanterior,foi: a) Não aÍmazeneprodutosem embalâgensdê natuíezae ÍinalidadêdifeÍêntesdasorigrnais. b) Lêiaatentamente os rótulose evilefazermisturascujosresuÌlâdos sejamdêsconhecÌdos. c) Nãoarmazeneprodutosde limpezae substânciasquímicasem locaispróximosa alimêntos. d)VeriÍique,nos fótulosdas embalagensorigi paraos primeirossonaìs,todasas ìnstruções e) l/lantenhaos produtosde liínpezaem locais absolutamente seguros,fora do alcancede crianças.

A misturaÍeÍveue começouâ saiÍ umafumaça asÍixiantê.Nãoconseguiarespirare meusolhos, Habilidade: na.i7e gaíganla começaíam à aíderde maneiÍa insuporlável. Sai correndoà procurade uma ianelaabertaparapodervoltara respirar. poderiaser reescrito, em linO trechosublinhado guagemcienÌífica. da seguinleforma: químicaspresenlesnos produa) As subslâncias tos de limpêzaevaporaram. b)Com a misiuraquímica,houvêprodüçãode umasoluçãoaquosaasfixiante. pelo c) As substâncias soíreramtransformações coniatocomo oxigêniodo ar quírnica d) Com a mistura,houvetransfoÍmação que produziurapidamenÌe gasesióxicos química. e) Coma mislura,houvetransíormação pelâdissolução evidênciada de um sólido.

Solução: Parater maiorseguánçaao utilizarprodutosde limpezd,deve.sele. alentamente os rótulose não convém efetuarmisturasaleatoÍiamente. Rêspo€la:letrab A biodiversidade é garantidapor intêraçõesdas váriasformasdê vida e pelaesÍutura heterogê" nea dos hábiiats.Dianleda pêÍdaacêleradade biodiversidade, tem sidodiscutidaa possibilidade de sê preservarem espéciespor meioda constru-

18í)


enem de sementes, óvulose çãode "bancosgenéticos" espermatozóides. Apesarde os "bancos pÍeservaremespécimes (indivíduos), quessua consÍuçãoé considerada ponto tionáveldo de vista êcológico-evolutivo, poisse argumenta que esselipode eslratégia genéticadas l) não preservaíiaa variabilidade popu,ações; ll) dependeriade técnicasdê píesêrvaçãode embriões,aindadesconhêcidas; lll) não reproduziriaa hêterogeneidadedos ecossistemas. EstáCORRÊTO o quê sê afirmaem a) r, apenas.

d) lle lll, apenas.

b) ll, apenas-

e) l, ll e lll.

c) le lll,apenas.

Hatrilidade:

De âcordocom o texto, no tratamento da questão da biodivêrsidâde no Planeta, a) o principaldesafioé conhecertodosos problemas dos êcossistemas, paraconseguirprotegé-losda açãohumana. b) os dirêitose 09 interesses comêrciâis dos pÍodutorêsdevemser defendidos, independentementedo equilíbrioecológico. c) deve-sêvalorizaro equilíbriodo meioambiente, ignorando-se os contlìÌosgêrqdospêlouso { da lêrrae seusíêcursos d) o enfoqueecológicoé maisimportante do que o social,poisas necessidades daspopulações não devemconstiluiÍpreocupaçãopaÍa ninguém. e) há dderentesvisóesem jogo.lanto as que só consideramaspêctoseco,ógicos.quanto as que levamem coniaaspeclossociaise êconómicos,

Habilidade:

H

Solução:

O congelamento de embriõespermitea preseNação poí têmpoconsiderável. Portanto, a afirmativall está êíada. Os "bancosgenéticos"permìtemcÍiar cópiâsde organismosiá existentes,não coniribuindopara preservar a biodiversidade e a heterogeneidade dos ecossistemas, Resposta:letrac

mA

184

bìodìversÌdade diz respêítotantoa genes,es-

Solução: Há discussõessobrêos problemasambientais, mudançasclimáticas, diminuìção da biodiversidade, etc, dosexemplos emblemáticos dos impasses êxistêntês entreas açôesde proleçãoambiental ê os interessês econômicos dos paísespoluidores. O exemplomaisrecenteíoi a âssínalura do protocolo de Kyotoem que algunsdos paisescom mdio.es índicesde emissãode poluêntes,comoos Esiados Unidos,nãoratificam o protocolo, alegandoque,para diminLrir a emissãodê gases,serianecessário diminuira produçãoindustrial, o que,segundoeles,provocariaumarecessãona economia-

pécìes, ecossistemas,como a íunções,e côloca prcblemasde geslào muìlo diíerenciados.E catregadade normasde vàlor.Prclegera biodíversidaclepode signiflcar: . a eliminaçãoda ação humana,como é a pÍoBesposta:levae posta da ecologiarcdical: . a prcteção das populações cujos sistemas dê ffiS"ue"se quê umaáreade quatrohectares de píodução e cultura repousam num claclo floresta,na regiãotropical,podecontercercade 375 espéciesde plantasenquantoumaáreaflo. à cle[esddos ntercsses comerciaisde finas rêstaldo mesmolâmanho,em rogiãotemperada, que utilizam a biodivesidade como maté apodeapresêntar enlre l0 e '15espéciês. ptima, para produzirmercadorias. O notávelpadrão de diversidade dasflorestas ÌroGAFAï l. & DIAS,B. Corcérvaçaoda biodiversídade en picaisse devea váriosfalores,entreos quaisé ecass/bter?ás troplbals.(Adapìâção) possívelcitar

t


enem a) altitudêselevadase solosprofundos. do ser humano. b) a aindapequenaintervenção em áreasde preservação. c) suahansfoímação d) Íìa,or insolaçáoe um'dadee menoívaíiação climática. e) altefnânciade períodosde chuvascom secâs prorongaoas.

Habilidade:

Soluçáo:

Habilidade:

Solução: O impactodas atividâdeshumanasna hidrosÍeraé cada vez rnaior,nos oceanosê marese, principaíI mente,nâ águadoce. O usointênsivode recursóshídricosvernprovocando a rápidadiminuição da quanudade de águapotávele ìambémna qualidadêdesserecursoessencialà vida na Terra.A urbanização, e a lrrìgaa industriallzação pfovocando vêm conÍlitos em relação às Íormas ção dê utilizaçãoda ágLradoceem diversasregiõesdo planeta.

A vegêlaçãoé o espelhodo clima. No planetaTêía. exislêmÍês grandeszonasclimáticas:a zonainterlropical, a iemperadae a glacial.As predominantes características na zona interttopical Respostarletrab são as elevadaslemperaturas ao longodo ano,com baixaampliludetéÍmicaanua'e precipitação média !$Considerando â Íiquezados rêcursoshídrìcos brasileiros, uma gravecrise de água em nosso paraas Íormâçõesvêgetais,Íavoíecendo satisÍatória paíspoderiaser motivadapor a grandedivêrsidade de espéciesvegetaisa) rêduzidaáreade solosagriculláveisNa zona temperada,além da dìminuição da umidade,a prêsençade invernos íriosinlbea diversiÍicação b) âusênciade reservasde águassubterrâneas. dasformações florestaisc) escassez de riose de grandesbaciashidrogÍáResposta:letrad @l

iattade água doce no Planetaserá,possivelmente, um dos mais graves ptoblernasdesle século.Prevê'seque, nos próximosvinÌeanos, paíacada a quantidade de águadocedisponível habitanteserádrastìcamente reduzida. Poímeiode seusdifetênlêsusose consumos, as al,vidades humanas inierfererì.ìo cicloda água, alterando

ltcas.

d) {altadetecnologiapararetiraro sal da águado mat e) degrddaçáo no dos manancidio e despêÍdíc'o

a)a quanlidadetotal, mas não a qualidadeda águadisponível no Planeta. b)a qualidade da águae suaquanl'dade d sponivel paÍao consumodas populações. c) a qualidadeda água disponível,apenas no subsolotelÍeslre,

Solução:

Apesardê o Brasilpossuiruma extensaredehidrográfica,sêndoum paísricoem águadoce,o despere a péssimagesÌãodo podêí d) apenasa disponibilidade de água superfícial díciopeÍousoirracional públicono setorvemprovocando a escassez da água êxistentenos riose lagos. em diversasregiõesdo paÍse) o regÌmede chuvas,mas nãoa quaôlidadêde Respostâ:letrae águadisponível no Planeta.

I


enem p]"Águas

de marçodeíinêmse faJïaÍuzesÌeanol'

Esse foi o títu1ode uma repoítagemern jornal de circulaçãonacionaÌ,poucoantesdo iníciodo racionamento do consumode energiaelétrica, e m 20 0 1 . No Brasil,a relaçãoenlrea produçãodê eletricidadee a utilização de recursoshídricos,êstâbelecidanessamanchete,se justÌÍicapoíque a) a geraçãode elêtricidade nas usinashidreléiricas exigea rnanutenção de um dadoíluxode águanasbafragens. b) o sisÌemade tratamentoda águae sua disÌribuiçãoconsomemgÍandequanlidade de ener giaelétÍica. c) a geracãode eletricidade nas usinaslermeléÍicas utilizagrandevolumede águapararefri geração. d) o consumode áquae de energiaelétÍicautiÌizadasna indústiacompelecorno da agrìcultura. êlêÍricos, eì e grande o usooec'luì,eiros culaope'acaoimplcdaourdanle consUmO de Aqud.

Habilidade:

l{ìConsiderando os custose a importância da pre, seÍvaçãodos feclrsos hidricos,uma indústria decìdiupuriÍicafparteda águaqueconsomepara reutilizálano processoindustrial. De umapeÍspectiva econòmica e ambienÌal, a iniciaÌivaé irnporÌante porqueesseprocesso a) permiteque Ìoda a águaseja devolvidalimpa aos mananctats, b)dinìinuia quaniidadê deáguaadquirida ecomprornetida pelouso industrial. c) redirzo prejuízoafiìbiental, aumêÃtando o coo. . sumooe agua. d)tornamenora evaporação da águae rnanlém o ciclohÌdrológico Ìnalterado. e) recuperao rioondêsão lançadasas águasutittzadas.

Habilidade: C onrreendp" o.rgni fi mdo p J i n-nortdncrà dè ágr. . e dp < êu .i .l o pàôl d nìônLri entáodd \ i dâ. pí .u d ,ondrcoe. .o, i o" mbi errai -. :èbendo ïl :::: -.

;,ffi.;, ;ï;ï; ;:H ;:'ï'.ffi i::

ndrurdi'e dc ne'\encáo

l:;:ï:""'"""""

Solução: Solução: A obtenÇão de energiaaìravésdas hidrelétficas está diretamente relaclonada com o clima. No Brasil,com a pÍedominâncìa do climaÍopical, verãochuvosoe jnvernoseco,a produçãode hidrelêÌricidadeestá relacionadaao volumed'águados reservatórios, Esia é a principaljustificativa paraa construçãode grandêsba-aqensque acumulanáguano veraoe possibiìitam a produçãode energiadurantea estação secano Brasil. Resposta:letraa

Não há dúvidade quê o processode urbanização mundlalaumenÌao consumoper capitae, conseqüentemente, a pfoduçãode lixo. A disposição do lixoem depósitoa céuaberioe mais barata,porémoferecea grandepossibilidade da difusão de doençase contaminaÇão meio do ambienie, Íato que é baslantêresÍito quandose utilizao processode aterrosaniÌárìo, Argu_spai,,esuL.lilomo processode Incinetaçao que,aÌêmde reduziro volumedo lixo,eviÌaa dissêminacãodo ienco 'reattco.PoÍem.esseprocessoe 0e êtevadocusto. Resposta:lelrab

de água,umâ indústriaÌestoucincosistemascom diíerenles EVisando adotarum sisiemade reutiÌizaçáo fluxosde enÌradade águasujae íluxosde saídade águapuriÍicada.

186


enem Supondoque o custopoÍ litrode águapurificada seiao mesmo.obtêmse maìoreficiência ^a puíi por ficação meiodo sisiema

d)peia contaminêçãopor Ínetaispesadosdos processos deení,quec'menlo do uÍanio. e) pelovazamenlode lixo atômicocolocadoem lonéis e lançadoao mar nas vizinhanças da usina.

d)rv

a)l b) ll

Habilidade:

c) l

Habilidade:

t Solução: A e{iciêncía é dadapelarazãoentreo fluxode saída e o Íluxode entrada.Tal razãoexprimeo percentLral de águasujaque é purificada. por E a eÍiciência Denotrando de cadasistema,lemos: . E.= : = 0.333í33.3'.) 45

10 = 0,500(50%) 20

. e-= -1 = 6.259125'r.1 -20

Solução: A águado maré utilizâdaparaa refrigeração dê usina nucleatsendoaquecida. O âquecnentodas aguas podealìerara íaunamarinha. Besposta:letraa

!:5^

'itqlrreven{noo-se conÌ.a o pertodo anudl de secd,

um agrìcultotptetendeconstruiÍum reseívatório fechado,quê acurnuletoda a água pÍovêniente da chuvaque cair no lelhadode sua casa, ao longode um períodoanualchuvoso. As ilusÌíaçõesa segLÌirapresentamas dimensõesda cêsa,a quantidade médiamensaldê chuvana região,em milímelros, e a Íormado reseívaÌório a serconstruido,

Potanto,o sistemamaiseíicienteé o lV Resposta:lelrad

dê Chicotsuarque @rua música"Bye,bye,Brasil", de Holandae RobeÍto[4enêscal, os versos -pusercmuma ustnano mal talvezfique ruimpra pescaf' poderiamêslar se reíerindoà usinanuclearde AngradosReis,no lìloraldoEstadodo Riode Jaôêito,No casode Íataf-se dessausina,em Íunpara a pesca cionãmentonormâ|, dificu{dades poderiamser causadas nas proximidades a) pelo aquecimento das águas,utilizadaspara refrigeraçãoda usina,que alierariaa fauna mannna. pesadosê por b) pelaoxidaçãode equipamentos que espantariam detonaçõês os pêixês. c) peìos rejeitosradioativoslançadoscontinuamenteno ma( que provocariam a mortedos pexes.

Sabendoque 100 milímêtrosde chuva equÌvaleÍn ao acúmuiode 100 liÍos de água em uma superfícieplana horizontaldeum melro quadrado.a profundidade(p) do reservatóriodeverá ínedir aJ4m b)5m c)6m d)7m e)8m

187


enem e) 40 000km'ze,ao chamara aÍençãoparaumÍaÌo realmente grave,o auÌordanoticiaexêgetou na compaÍação.

Habilidade:

Solução: Emumanochôvem70 mm.Emcadametroquadrado, Solução: .t âcumulam-se 700 L de água.Portanto, o volumecapSeja x a árêa destruída em um ano.Temos: iadose'áo equivalente à quanlidade de áreaqueca: Arêa(km,) Tempo(s) planahorizontal nasuperÍÍcie relangulardeB m x 10m. O volumeé dadopor 810.700= 56.000L = 56 m3. 10,. I lguaìandoessevolumecom o volumedo reservató32.106 rio,temos: Logo,x = 4 10"=40.000km'z P4 2 =56+P =7n Houve,poÍlanio,um exageropor partedo autor. Resposta:lêÍa d Rêsposta:letrae pl"pêloInstiruto NacÌonat dl EDados divulgados lsi)n uri"iencrado fogàode cozjnhapodeser anarrquisasEspaciaismosiraramo píocessode de-sada em relacàoa-otipode energiaqueeteutrtiza. vasiaçãosofridopela BegiãoAmazónicaenlre O qraíicoabaixomostraa eficiêncja de diferentes agostode 1999e agostode 2000.Analisando fotjoosde fooão. qLre. Ìosde saiehlês. os especialistas conciurra.r (%) Eiiciêfciâ dorogão nesseperíodo,sumiudo mapaumtotalde20 000 -^ quilômelrosquadradosde íloíesta.Um órgãodê 60 imprensarouurou IrÌPrerisa noiiciouoo iato raLouorrì comuo seguúrLe seguintelexto: rexro: 50 i--*._----"*.----*_.** o assustador ritmo de dêstíuição é de um ro;-campo dê Íutebol a cada oito sêgundos. 3a que ConsideÍando um anoÌem aoroximadamenie 20 32 x 1OGs ,tÍinlae doisrì,lhóesde seguóclos) '0

H

e que a medida da área oÍicìalde um campo de futebol é aoroximadamentejO_2 km, íum cenié_

simo de quilômetroquadrado),as iníormações aDresentadas nêssa notícia oermitêmconcluiÍ que tal íitmode desmatamento, êm um ano,ìmplicaa destruição de umaáreade a) 1OOOO km?,e a compâração dá a idéiade q* a devasiaçãonão e tão g.ave quanlo o dèdo

numériconos indjca. b) 10 000 km'?, e a comparação dá a idéiade que a devastação é maisgravêdo qirê o dadonu' mériconos indica. c) 20 000 kÍn':,e a compâração retfataexatamenle o ntmoda dêstruiçáo

d)40000km.e o aL,ro, dano'cia exdge,ou * comparacão.dando a íalsa i'npressãode gravidâdêà uín Íênómênon,airiíâl

188

"-

LogôÊ," Éoqoe. Fogõ€sa Fogóês oqo4 a cô9òâ Fôgões à rogoe,a Fogõês Fogóes a a " r€nha caívão queÌosene gás êélrcos

Pode-severiíicarque a eÍ1ciência dos íogõesaumenta a)à medidaque diminuio custodos combuslívêis. b) a emprêgarcombustí' 3^Ï9:d:..,q.f-:-pu""ut veisrenováveis. quandose substitLliíogão c) cercade doasv_ezes, a jenhapoí{ogãoa gás.

d) cercade duasvezes,quandose subsiituifogão a 9áspor fogãoelétrico. e)quandosão utilizados combusiÍveis sólidos. Habilidade:

)"i,:noj::i:;ï:i:f""j;J:'3i;til'l#ì lo\ Ìaxase índicp..e analisarirnpticdçóes soca. economicasp ãmbrenÌals.


Solução: Obsêrvandoo gráfico,conslata-sêque a eficiência dos togõesa gás, de cercade 60o/",é duas vezes maiorquea dosíogoesa lenha.quee de apíoximadamente,30%. Rêsposta:letrac mA

de umdesempregado. Outroestudante comentou o signifÌcado econômico da sucatarecolhida, pors ouura dizerque a maiorpârte do alumíniodas latasestariasêndoreciclada. Têntandosintetízar o que eslavasendoobseÍvado,um terceiroestudantefez tÍês anolâções,quê apresentouem aulano dia seguinte: l) A câtaçãode latinhase prejudÌciatàindústrìa dê alumínio; ll) A situaçãoobservada nasruasrevelaumacondiçãode duplodêsequilibrid: do ser humano comâ naturêza e dossereshúihanosenlreS lll) Atividadês humanasresullantes dê problemas sooaise ambientais podemgêrarreílexos(refletÌr)na economia.

caixinhautilizadaem e.nbalagens comoas de leite"longavida"é chamadade ,letrabríck",por ser compostade quatrocamadasde diferentes materiais, incluindoalumínioe plástÍco, e ter a Íorma de um tijolo(brick,em inglês).Essemâterial, quandodescartado, podelêvaraté cêm anospara se decompot Considerando os impactosambientais, senamats adequado DessasaÍirmações,você tênderiaa concordar, a) utilizarsodacáusticaparaamoìeceras embaapenas,com lagense só enlãodescartá-las_ a)Íêll d )r l b) promovera coletaseletiva,de modoa ÍeaproveúaÍas embalagens paÍaoLltrosÍins. b) le lll ê) lll c) aumentara capacidadede cada embalagêm, c) lle lll ampliando a superfície de contatocomo ar paHabilidade; ra sua decomposição. d) constituiruín aterroêspecífíco de embalagens ''letrabrick",acondicionadas de formaa reduzir sêuvolumê. e) proibirâ íabricaçãode leíte"tongavida',,considerandoque essetipo de embalagemnão é adequadoparaconservaro produto. Solução:

Habilidade:

Há, nestaquestão.a interaçãoentrea atualquestão ambienÌalcom a questãosocial.Também a importância do conhecimento do desenvolvimento sustenlável, â necessidade cada vez maiordo processode reciclagem do mundoatual_ No caso,reciclagem do alumÍnio,a própriaìndústria do setorpaílicipa do pfocessoeconomizando energia e matéÍia-prima. No quadrosocioeconomico. a possi_ bilidadena gêraçãode empregos.

Solução:

Resposta:letrac

Embalagens dessetipo são de difícìle caÌo reaproveitamenlo de seuscomponêntes. O idealé taTera coletaseletivae sua utilizaçáo para outrosíins,comoartesanato, Íorraçãode móveis,de casas,etc. Resposta:lêtrab

ffiUm

grupode estudantes, sâindode umaescota.

observouuma pessoacatandolatinhasde alumíniojogadasna calçada.Um delesconsiderou curiosoquea faltade civilidadede quemdeixâli xo pelasruasacabasendoútilparaasubsistência

seÌoÍde transporte, queconcenttaumagrandê paÍcelada demandadê energiano país,conti nuâmentebusca alternativasde combustíveis. Invêstigando alternativas ao óleo diesel,alguns especialistas para apontam o uso do óleode gi rassol,menospoluenÌee de tonÌerenovávê', ainda em íasêexperimentai. Foiconstatado que um tratorpoderodar,nas mesmascondiçòês.mais Íempocom um titrode óleodè girassol,que com um lìÍo de óleodiesel. Essaconstalação portanto, significariâ, queusando óleode girassol,


enem que se expandeme, dessaforma,a energiaquímica a) o consumopor kmseriamaÌordoquecomóleo é converlidaem energiamecânicaoteset, b)as velocìdadesatingldasseriam maioresdo Resposta:leÌraa quêcomólêodiesel. : rElrNosuliimosanos.o gás natLral(GNV:gas na. c) o combustível do tanqueacabariaem menos tufal veiculat vem sendoulilizadopela frotade tempodo que cornóleodiesel. poÍ serviáveleconomicamente veÍculosnacional, pelomotor,em uma d) a potênciadesenvolvida, e menosagressivo do pontodevistaambiental. O hora,seriamenordo que cornóleodiêsel, quadrocomparaalgumascaraclerísticas do gás nalurale da gasolinaem condìções amblenie. e) a ênergialiberadapor um lilrodessecombustível seriamaiordo que por um de óleodiesel.

Habilidade:

Í

i:6x1g1ì.]

l;ê"'.e

Solução: Conformecita o lexÌo,é possÍvelque um tratorpercorÍaumadistânciâmaiorcomum litrode óleode girèssoqueco'nurnliuode óleodiese':logo.a energia I beradapoí JÍ'ì jiÍo de oleode 9iíassolé mdiorquêa energiaiiberadâpor um lilrode óleodiesel Resposta:leìrae Brasil,o sislemade Íansporte dependedo @No usode combustíveis Íósseise de biomassa,cuja energiaé conveftidaem movimentode veículos. Pata esses combustiveis, a ìransformação de energiaquímicaêm ênergiaínecânicaacontece a) na combustão,que gêra gasesquentespara moveros pislõesno molot, b) nos eixos,que transfefemtorquêàs Íodas e impulsionam o veículo. c) na ignçàoquandod eneÍgia erélíica é conver' tidaem lrabâlho. gasesqJenlessãoexped) na exdusláo.qL,ando lidosparalrás. noar. e) nâcarburação, coÍÌìa diÍusão docombustive

Habilidade:

Apesardasvantagens no usode GNV suautilizapois. cão i'ììplica algumasàdaplacoes técn'cas. em condìções ambiente, o volumede combustível nêcessário, em relaçãoao de gasolina,paraproduzira mesmaênergiâ,seria a) muitonìaiof,o que requêrum motormuitomais poÌente. tJ)muitomaior,o que requerqueelesejaarmazenadoa alla pressão. c) ìgual,massua potência6erámuilomenor. d) muitomenor,o que o torna o veícuìomenos eíicienie. ê) muitomenor,o que Íacilitasua dispersãopara a aÌmosÌera_

Habilidade:

Solução: Volumede um quilog€made gasoÌina:

v=I= lI9-

.. m

Solução: Atralmente,no Brasil,os veículossão movidosa gasollna,álcool,dieselou gás naturalveicular(GNV). Todaa energiamotrizde umveículodecorreda comno interiordo mobustãoou queimado combustÍvel tor. A rêaçãoquímicade combustãoproduzgases

'í90

= o.oorsssm"

d 738k9/m' Massade GNVque Ìiberaa mesmaquantidade de queumquilograma energia de gasolina: 50 200 KJ 1 kS 46 900 KJ X = x 0,934kg 0,934kq

862 O voruÍne de cNV e bem.na'or:-^lllu,uulJ55 mPonanlo. o voiumede GNVseÍid.nuito maior.o que requerqueelê selaa-mazenado sob allap'êssão. Resposta;letrab


enem pêloestercoe poralimenÌos Habilidade: @Os gasesliberados podêmcontersuifêtode hidroem dêcomposição genio(H S).gascomcheiÍode ovopodre.qLeé tóxicoparamuitosseresvivos.Combasêem tal Íato,íorarnfeitasas seguìntes afiÍmaçõesi podem produzidos ì. Gasestóxicos ser em processosnaturaìsIl. Deve-seevitaro uso de esiercocomoadubo porquepoluio ar daszonasrurais. podem lll. Estercoe alimenlosem decomposição parte (S). fazer no ciclonatLrraldo enxofre Estácofieto,APENAS,o quese afirmaem a) | b ) ll

c) lll

d) le lll

e) ll e lll

Habilidade:

Solução: A partirda segLrnda meladedo séculoXX, no Bíasil, ocorreua polílicana prioridadedo transporteindividualpaíaincenlivar a ;ndú<triã dê âurpmôveis. í ta poluiçãoê1t O aumenlodo preçodo transporte, trânsÌlocaólicodas grandescidadesfavorecetambéma quedada qüalidade de v.dada populdção. Recentemênie, especialistas no assuntoincentivam a maiorpaflicipação do Estadona poiiticado uso do transportecoletivo,principalrnenÌe o metrô. Respostâ:leirâc

Solução: l) CoÍrela.GasesÌóxicospodemsêÍ libe€dosem processosnaturais. Exempio: vulcanismo. poluente ll) Incoíeia.O eÍer{o do estercoé o mêsmo, sejaele usadocomoaduboou não. lll)Correla.Ësieícoe êriírenlos em decomposiçao podemfazerpartedo ciclonatufaldo enxofre. Resposta:leÍa d l4JEm um deoatesobreo ÍutuÍodo selorde l€ns. porlede umagrandecidadebrasiÌeiacom tÍânsÌloinlenso,Íoi apíesentado um conjuntode propostas. EnÍe as propostasreproduzidas abaixo,aquela quealende.ao mesmolerrpo.a i.nplicacões sopfeseniesnessesetoré ciaise ambÌenlais produzidos a) proibirousode combustíveis a partir de recursosnaturais. b) promovera substituìção dê veículosa diêsêl por veículosa gasolina, c) incentìvaÍ a substituição do ìransportêindividupor al transportes coìetlvos. d) aumentara importaçãode dieselparâ substituir os veículosa álcoole) diminuiro usode combustíveis voláteisdevido ao perigoque representam.

Do pontode vista ambiental,uma distinçãoimporlanleque se Íaz entreos combLstiveis é serem provenienÌes ou não de fonresrecováveis. No casodosderivadosde petróìeoe do álcoolde caíìa,essadistinçãose caractefiza a) peladÌíerença nasescalâsdê tempode ÍoÍmaperíodogeológicono casodo das Íontês, ção peìrólêoe anualno da cana. b) pelomaiorou menorternpoparase rectclafo combustívelulilizado,tempo rnuitomaior no casodo álcool. c) pelomaiorou menortempoparâse tecrclato combLrstivêl uÌilizado,lempo muito maiot no casodos derivadosdo petróleo. d) pelotempodecombuslão deumamesÍnaquanlidadede combustivel. tempomuilomaiorpara os derivados do petróleodo quedo álcool. e) peiolempode produçãodê comblstível,pois o refrnodo petróleolevadezvezesmaistempo do que a destÌlação do íêrmentode cana.

Habilidade:


enem Solução:

:rA

A questãoda fontede combustível ser ou não renovávelestá direlamenÌeligadaao tempode sua iormação,comparadoà escalade tempoda vida do horìem.Assim.o petróleo é classilrcado cono não pois renovável, sua lormaçãose deu há milhõesde geológcds.Já d a.os em dete.'Ìi.adâ< condiçõês canapossuium períodorápidode produção,podendo ser renovada anualmente. Resposta:leÌraa

DocumentoI

O cômpulodâ lttâdedaTerâ D aC i açãoai éo D l úvo ........1656anos D óD i l úvl oatéA brrâão..... .............292 DoNâscimêntô de Abràãoalé o Do Êxodo até a Consaução do Ìemplo 481 D o Ì e m p o a t é o C â iv e r ô . . . . . . . . . . . . . . 4 í 4

Parao registrode processosnaturaise sociais devemser uÌilizadas escalasde tempo. diferentes para Porexemplo, a dataçãodo SistemaSolaré necessáriauma escalade bilhõesde anos,enquantoque,paraa históriado Brasil,basiauma escalade centenasde anos.Assim,paraos estldos íelâtivosao surgimentoda vida no Planeta ê paÍa os estudosrelativosao surgrmenÌo da escrita,seriaadequadoutiÌizar,respectivamênte, escatasoe

ê) b) c) o) e)

DoCalve ro à1éô Nâscmento deJesusCÌisto..............

.614

D e J e s u s C r i s l o â ì é h Ò j e . . . . . . . .. . . . 1 5 6 0 l d a d ed a Ì e t r a . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .5. .5. 2 . 0a n o s

Documentoll Avalia-sêem cercade quatroe rneiobilhõês de a.os a dâdedd Teïa. peldcompa.âção enÍe a abundância relativade diferenlesisoÌoposde urâniocomsuasdiiereniesmeias-vÈ das radiativas. podemosafÌrConsìderando os doisdocumentos, que queperm[ea pensaTnenÌo maÍ a naÌutezaoo dataçãodâ Teía é de naìureza a) cientíÍicâno primeiÍoe mágicano segundo. b) socialno primeiroe políticano segundo. c) religiosano primeiroe cieniífjcano segundo. d) religiosano primeiroe econômicano segundo. e) rÌìalernática no pfimeiroe algébricano segundo.

espaçÒg€ográÍico.

Habilidade:

Solução: O fenôrneno do BIGBANGocorreuaproximadarnenÌe há 4,5 bilhõesde anos;o surgimentodo Sistema Solar,íormaçãoda crostaterrestrepeÌoresfriamento superÍicial do magmae a Íormaçãoda atmosÍeíapri' mitivaduranleo pré-cambriano. A evolução da espéciehumanaocorreno quatefnário poréír.a duÍanlea eíâ írais receiÌe.o ceno?óico. escritasurgeapenasnos últimosmilharesde anos, represenÌada na letrae. Resposta:letrae

192

Solução: A questão é bastanie doisquadros:o simples; elaoferece primeiro, conterdoumadataçãoda ìdadedaTeÍa baseadaem datase dadosprovenientes da aadiÇãorêligiosa;o segundo,avaìiando a idadêda Te(a a partir dasmeiasvidasde diíeíeFles isotopoc de u'ãn.o.


emefrm O cândidatodeve lndìcara "natufeza'ido pensamênÌo A .1.í oue de. oÍigêí. ãs du. . d e'elLesdd(ocões. natìva coíeta é. evìdentemente-a leira c (o pensamentoreligioso e o pênsamento centíÍico). Resposta: lelra c '+b..Oor.*"

A< ouAS A I,maLoesde [/o.ìre-qu.L

(1ô89-1755), a respeto da escÍavidáo:

Na primeiíaaf rmativa,o ensaíslaaíiímaquee escrav d;o não c cj el ênsavct o ponro dô vi sr2 r o' ãr . nê n '

para o senhor nem para o êscrâvo;na seEundaaÍirmativa. A,4ontesq,Jielr ìusiificaa êscrâvidâosomenie oor'ì'o eo econóÌicos.è1rrrènJoq-e .r o' gêm -La sê deu peia necessidadede se enconlrar nìá,1-deobrâ para liabâlhat nâ Arnérca. Resposta: leira ê

A escravidãanão é boa por nalüreza;não é útii A fesposlacorfeta,mais adeq!ada, é a letÍâ ê:"o ïunnem ao Senhor,nem ao escrava:a esteporque dê..crlo rìoaÈ,dCoi,eitopoops .hÍetêr <êdc rd7óLS È êconômcas", ou seja, a esnravidãonã5 é defensáv€f nadapode fazetpor vìftude:àquelê,parque condo ponlo clêvìsla moral, Ìas pode ser defensáveldo lraì com seus escravostoda soÌle de marls hábi ponlo de vista eccnômico. los e se acosluÍta insensívelfiìenlea fallar conIra tadas as virtudesmorais:tÕrnase oryulhosa, ' 45jO mapaabaixoapÍesentaparle do contornoclâ brusca,duro, colérico,voluptuoso.cíuel. Arnéricâdo Sul destacandoa baciaamazônica. Se eu tivesseque defendero Cieifo que hvemos lo r,ÍrcàcoL.s ,dlJJosíêpresenlân Õs ponlos "rs"i de loÍnar escâvos os negros,eis a que eu diria: miliÌaresnstaledâsno séculoXvlll pelosporlutenda os pavos da Eurcpa extetnìnado as da gueses. A ljnhândicaoTraÌado deÌoídesÌlhas reAméica, tìveramque escÍavìzarosda Africaparâ vogadopeloïíalado de l\,4adri, apenasem 1750. utilizálos pa@abit tanlas terras.O açllcar seíia murlocarc se nãa íìzéssemosque escravoscultivassema ptanÍaqueo praduz, ' Vo. ' Ê I

r J pp

ódr . .

Combasenosìextos,podemosaflrmarque,para lVonÌesqure|]a) o preconce to raciêÌÍoi contidopelarnoralfeligiosa b) a políticaeconômicêe a rÌìoraljusÌiftcararn a escíavidão. c) a êscÍavidão era indeÍensável de um ponÌode vrstaeconôrnico. para d)o convivio com os êlropeusfo benéíico os escTavos alTtcanos. e)o fundamento morâldodireilopodesubmeler se às íazõeseconôrnicas.

Habilidade: Conftoniar i)rterpreiaçòesCiversasde siiuâçÕes ou latos de naturezahÍstórìco'geográfica. técnico cienií1ica. artístico-.ultuìaÌ ou do cotiCiâno,compâ rando difefentesponios de visla idenriíicandoo$ pressuÌrostos de cada inieqrretaçáoe aDdlisènclo a vaìidadedos argumentosutiÌizados

Solução; Duas afirfiaiivasdrÍeÍenÌes, esciìÌaspelo barãode pensador IMontesquieu, ilumlnista do séculoXVlll, acercadê escravidão são a basedesiaquestão.

Adâptaclode CaÍ os de Mei.a NÌí.ìíos GeÒpó|i|icà e teoia dê ionteìès

Pod. se al "ì_dÍquê a.o-t||-.,uo do. loa.t pu. os portuguesesvisava,píincipalmente,domilìar a) militarrnentea bacìahidrogÉÍicado Amazorìas. Lì êc. ìOmi(dmenteds qrJ,ìdecolâ. ccfo'. ât( c) as fÍonteirasentre nações lndígênas. d) o escoamenÌoda produçãoagrícola. e) o poiencialde pesca da re!iào.

F{abilidade: C orl amr' 1r' t...o reiacionando geogÌálico.

J.

r:no1oo.o,i oí. ,)o-i d coniexio h;storico e

193


enem Solução: Esiaquêslãoé muilointeressanle, poisenvolvea capacidadede o candÍdatorelacionarumaséííêde inpresentes formações históricas diÍêrentes, nosdados queslão, da e delasextrairumaconclusãohistoÍicamenrecorreÌ4, Dadoslìislóricos: . Epoca:Século Xvlll . Local:Baciaamazônica . Conlêxtohistórico: limitedoTratadodeTordesilhas, em 1750.

Dêclâraçãoll: EuricoGaspaÍDutrâ Na Améica do Sul, o B@silpossui uma gande átea que se pode chamartambén de TeffaCentral. Do ponto de vistada geopohticàsuLanerbana, sob a qual devemosencarara segurançado Estadobtasileìro,o que precísamosÍazer quanto antes é realízara ocupaçãoda nossa Tefta Centrcl, medìantea ínteiorìzaçãoda Capital. (Adaptadodê JoséW Vesenunl.A Capitalda geopôlítica.)

Considerando o contexiohistóricoqie envolveas,; duasoeclaíaçòes e comparando as ;déiasnetas contidas,podemosdizerquê

. Fatorelevante: construção de foítiÍicaçõês no territórÍocolonialbrasilêiro, aÌémdos límilesesÌabelepelo cidos TratadodeTordesìlhas.

a) ambaslimitamas vanlagensesÍatégicâsda definiçãode umanovacapitala quêstõêsêconõmicas.

A questãosolicila,do candidato, identificar a razãoda pelos portugueses. construção dasforiificações

b) apênasa segundaconsideraa mudançada capitalimpoílanledo poniode vistada estralegiamilitar.

O caodidatoterá de lembrar-seque, na épocacitada, Portugaicontestavaos limitesdo Tratadode Tordesilhas coma Espanha.Apolíticaportuguesafor por um novoTralado(Ìatado çavaa suasubstituição de ftIadri)que redefinirìa os limitêscoloniaisbrâsileiroscombaseno principiodo lJlipossidelis, ou seja,o prjncípiodê que a terraperiencea quema ocupa.

H

Portanto. a construçào de íorliÍicaçdes na baciaamazõnicadizia respeito.no sécdloXvlll. a ocupaçào (militar)do espaçocolonial.

c) ambasconsidelammilitarê economicamente importantea localização da capitalno interìor oo pars. cl)âpenasa sêgundaconsideraa mudançada capitaluma eslralégiâimporlanieparaa economiado país. ê) nenhumadelasacreditana possibilidade real de desenvolver a regiãocentíaldopâísa partir da mudançada capital.

Habilidade:

Resposta:letraa

ffin

seguirsaoapresentadas declarações de duas personalidades da Hislóriado Brasila respeitoda localização dacapilaldopaís,respectivâmentè um proposta séculoê umadécadaanlesda de construçáode BrasíliacomonovoDislritoFederal. Declaraçãol; José BoniÍácio Com a mudançada capitalpaÍa o interiot,fica a Corte líwe de qualquêrassaltode sutpresaerteF na, e se chamapara as províncìascentai' o excessode populaçãovadiadas cidadesmaitimas. Desta Corte centÍal dever-se-ãologo abií esttadaspara as diversasprovíncks e poítos clemat (Cârlos de Ìúêira Ìúatôs. GeópallÍica e nodehidade: g eop aIiti ca bG siIena.)

194

Solução: Duasdeclarações sobrea localização da capilalbrasìleira,uma de José Bonitácio(séc.XIX) e outrado presidente EuricoGasparDutra(séc.XX),sâoa base da questão 41. Nasduasdecìarações, pormaisde umséseparadas que se dá paraa mudançada caculo,a justiÍicaliva pilalparao interiordo Brasìldiz respêitoà sêgurança internae à ocupaçãodo lerritório. que mêlhor O candidaiodeveescolhera altêrnâtiva interpretaas duas declarações; ambasjustíicama mudançada capitaldopontode vistamilitar(a segu-

t


enem Íança)e do pontode visÌaeconômico(ocupaçãodo têrritóriocentral,ocupaçãohumana,transferência de populâção ociosa,aberturade estradas,etc.).

Solução:

As obrasdeTheodorDê Brye de PedroAmérico,se' guidasdastíès âÍirmalivas. apresentam iníormaçòes acêrca das praticar diÍêrenles Íormas de se a jusliça. Resposta:lêtrac Estimulam, também,a reflexãocríticasobrea diver(publicada imagem abaixo noséculoXVl) sidadecuÌlurale os tênueslimitêsênÍê os costumês ffiA primeira e dos"cìvilizados". mostraum ritualantropoÍágico dos índiosdo Brasil. dos povos"bárbaros" pororA segundamostraTiradenìes esquartejado Rêsposta:letrae demdosrepresentanles da Coroaponugues€,

nâFrânça nasegunda metade ffiJean deLéryviveu

do séculoXVl, épocaem queas chamadasguer Íasde religìãoopuseramcatolicosèprotestant6= No textoabaixo,ele relatao cêrcoda cidadede SancêÍe portropascatólicas.

1...1desdeque os canhòescomeçdBmd atirdr sobÍe nós com maior freqüêncía,tomou-se necessáio que todos dormissen nas casernas.Eu logo providencìeipara mim um leito Íeito de um lençol atado pelas suas duas ponlas e assim Íí quei suspensono at, à maneìra dos selvagens americanos(entrc os quaìseu estivedurantedez meses)o que Íoi imedìatamenteímitadopot todos os nossossoldados,de tal manehaque a caseí na logo ficou cheia deles.Aquelesque dormiêm assimpuderdncon[imaro quanloestàmaneirà é apropriadatanto para evitar os vemes quanto paranantq as rcupaslimpasl...l. possibilita A comparaçãoentre as reproduções as seguiniesalirmações: l) Os ariistasregistraram a anÍopofagìae o êsquartejamento praticados no Brasil. ll) A antropofagia era pârle do universocultu|al indígenae o esquartejamento era umaforma de se íazerjustiçaentreluso-brasileiros. lllì A comparação faz veí comoé das imagêns relativaa diferençaentre"bárbaros" ê "civilÌzados",indígenase êuropêus. EstáCORRETO o que se afiÍmaem: a) | apenas. b) ll apenas. c) lll apenas. d) l ella p e n a s. e) l , l l e l l l .

Habilidade:

NêsÌetexto,Jêande Léfy a) desprezaa culluraê rejeitao patrimôniodos indígenasamêricanos. b) revela"se consÍangidoporterde recoÍÍera um inventode "selvagens". c) reconhece a superioridade indí" dassociedades genasamericanas com rêlaÇão aoseuÍopeus. d) valoriza o patrimônio culturaldos indígenas americanos, adaptando-o às suasnecessidades. e)valoíizaos coslumes dos indígenas amencanos porqueeles tambémeram perseguidos pêloscatólicos.

Habilidade:

Solução: Os povosindígenastêm o costumede dorÍìir êm íêporJeande Léry des.Estetraçoculturalé valorizado quandorelataque, em uma situaçãode guerra,os soldadoseuropeusadotararn tal hábito. Rêsposta:letíâd


enem (autordo livro O ffisegunao SamuelHuntinglon

choquedas civilzações e a recomposìçãocla oï demmundial),o mundoesládivididoem nove"clvilizaçõesconfo.meo mapaa seguií.Nâ opiniáo princi do autor,o idealseriaquecâdacivilizaÇão pal tivessepelomenosum assentono Conselho de Sêgurança das NaçõesUnidas.

A letraa é a correlarEstadosUnidos,Françae InglateÍa fazemparteda mesmacivilizaçáo(ocidental); a Rússiae a China Íazem parte, respectiva" .rente.de duasoLtras"civilizaçòes:ásinicae a otÌoooxa. Alênçaoparaa legendado mapa:'sinrca é sinonimo dê "chinesa". Resposta:letraa de 2001,Estados Unidose @No dia 7 de outubro guêÍa âo fegimêTalÌbã, Grã-Bfetaoha declararam no AÍeganistão. Leiatrechosdâs dçclaraçõês do pÍêsidente dos EstadosUnidos,GéórgeW Bustr;: e de OsamaBin Lâden;lídermuçulmano, nessa ocasião:

lsiü

kì*rÃ. lrtrsb

t

JçdÉô

aN6 lgonodo*

Sabendo-seque apenas EUA, China, Rússia, Françae Inglaterrasão membrospermanentes do ConseÌho de Segurança, e analisando o mapa aoimapode-seconcluirque a) atualmenteapenastrês dvilizaçõespossuem membrospermanentes no Conseihode Seguranç4, b) o poderno Conselhode Segurançaestáconcentradoem tornode apenasdois terçosdas dvilizâçõescitadaspeloauto. c) o poderno Conselhode Segurançaestá depofqueseusmembrospertencem sequilibrado, apênasà civilização Ocidental. d) existeumaconcentração de poder,já que apenas um conlinenteestárepresentado no Consêlhode Segurança. e) o podêrêstá dìluídoentreas civilizações, de Íormaque apenasa Áfricanao possuirepresentante noConselho de Segurança.

M

Habilidade:

Solução: A questãoapresênlaum mapaque divideo mundo em"civilizações", após1990;apartirdosdadosqueele quenoConseiho contém,ê sabendo-se de Segurança daONUapenascincopaíseslêmcadeirapermanente, sãofeitascìncoaÍirmativas; o candidato deveescolher a que maisse âjustâàs duasinformações oierecidas pelaquêstáo(o mapae o Conselho da ONt.

196

GeorgêBush: Um comandante-cheÍe enviaos Íilhose Íílhasdos EstadosUnìdosà batdlhaem leïitotio es angêìro somente depois cle tomar o maiot cuidado e depoisde rczat muito.Pedimos-lhesque estejam pÍeparadospata o sacifício clasprópriasvidas.A paftir de 11de setembrc,uma geraçãointeirade jovens ameÍicanosteve uma novaperceryão do valor cla lìberdade,do seu prcço, do seu devet e do seu sacÍífício.Que Deus continuea abenpar 06 EstadosUnidos. OsamâBin Ladeni Deusabençoouum grupode ranguarclade muçuL manog a linha de frcnte do lslà. para destruÍ os EstadosUnídas.Ummilhãode ctìançasíotummor ta6no haque,e para eles ìssonão é uma questão clara.Mas quandopoucoÍtais de dez fotan mo| tos em Naíróbie DaFes-Salaam,o AÍeganistãoe o lraqueforambombadeadose a hìpoctísiafícou atás da cabeçados infìéisìnternacìonais. Digo a elesque essesaconteêìmentos dividinm o mundo em dois campos,o campodos fiéis e o campodos inÍiéis.Que Deusnosprotejadeles. {Adaprâdosdê O Estadode S. Paulo,th0l2oo1)

Pode-seaÍirmarque a) a justiÍicativa dasaçõesmilitares encontra sentido apenasnosargumentos de GeorgeW Bush. b)a justiÍicativadas ações militaresencontra seniidoapenasnosargumentos de OsamaBìn Laoen. c) ambosapóiam-sênumdiscursode fundoreligiosoparajustiÍicaro sacritícioe reivindicar a justiça. d) ambostentamassociara noçãode jusÌiçaa vâloresde ordem política,dissociando-a de prÌncípios religiosos. eì amboslenlamsepaÍara noçàode justicadas justificativas de ordemrelig;osa, fundamentando-anumaestratégia mìlitar.

Í


Habilidade:

o tutismo e outtas ìndústriasíoftm aÍetada, e a confíançaeconômìcasoÍreu,afetandoempregos e negócìosbtitânicos.Nossaprospeidade e padrão de vidarcquercmumaÍespasta aosataques (o ESTADO DÊS. PAULO, 8/10/2001)

Solução: A questãotem como pano de íundo a invasãodo AÍeganistãopelos EsiadosUnidos,em lura conrra o regimetalibã.Doistexlosdìíêrentês, um do presidenieGeorgeW Bush,dos ÊUA,e ouÍo de Osama Bin Laden,chefeda organização Al-Qaeda,avaliam a invasâo, O candidatodeveencontrara alternativa corretaque comparadâ melhorforma os doistexlos;aalternaliva C é a coÍreÌâ,poisela mosÍa comoos discursosdos doislíderêstêm fundamento religioso. Resposta:letrac -@O textoabaixoe um Ìrechodo discursodo primeÈ ro-ministro quanbÍitânÍco, TonyBlair,pronunciado do da declaíação de gueíraao regimeÌaliba: Essaatrocidade[o atentadode 1l de setembrc, em Nova Yorkl loi um ataque contê todos nos, contrapessoasde toda6e nenhumarcfigião.Sabemosque a Al-Qaedaameaçaa Eurcpa,ìncluindo a Gíá-Brelanha. e qualqueìnaçàoque nào compartilhede seu Íanatismo.Foí um ataque à vida e aos meios de vída.As empresasaéreas,

Nessâdeclaíação, pdncipalmendeslacaram-sê te os interesses dê ordem a) moral. d) religiosa. b) militar. e) econÔmìca. jurídica. c)

t

Habilidade:

Solução: Uma declaraçãodo primeiroministroinglês,Tony Blair,jusliÍicando o alâqueàs milíciasdoTaÍibãe a in" vasãodo Afeganìstão é a basesobrêa qualse consÍuiu a quêslão. O candidatodeveindicarqual a naturezada jusiifi catívautilizadapelopolíticobritânicoparaa invasão aÍegã. O textoÍazdiversasrêÍerências à ameaçaquêos aiaquesterrorisiassão pata as emprêsas,â proprieda, de,a indústria, os nêgócios, etc.Ou seja,a iustificativâ assumeum caráternitidamente e6onômico, Resposla:lêtrae

_@Os

dadosabaixoreferem-se à or;gemdo petróteoconsumido no Brasilem doìsdiierentesanos.Analisando os dados,pode-sêpercêberqueo Brasiladotoudêtêrminadas êstratégias energéticas, denÍe as quaispociêmoscitar: OÍ gêis do consumo em 1990

Prcduqâo

Origênsdo consumo em 1990

lmponação

Origensdo importaçõêsem 1990

Prod!ção

rmpo âçáo

OÍigensdo lmporrações em 1990 (Ínilharcs de baÍís) Nigéíia

197


enem ai a diminuição das importações dos paisesmue redução do interno, consumo çulmanos produção bì a Íeduçãoda nâcionale diminuição do consumodo petróleoproduzidono Oriente Médio. c) a Íeduçãoda produçãonacionale o aumento das comprasde petróleodos paísesárabese africanosd)o aumenloda produçãonacionale Íedução do consumode pekóleovindodos paísesdo OrienteI\,4édio. e) o aumenloda dependêncìa externadê peÍóleo países pfóximos vindode mais do Brasile reduçãodo consumointêrno.

Habilidade:

Analisando os dados,podemoscaractêrìzâr o pêfiodoentre a) 1920e 1960,comode crescimento do pÌanejamentofamiliar. b) 1950e 1970,comode nítidaexplosãodemo, gráfica. c) 1960ê 1980,comode cíescimenlo da laxa dê fertilidade. d) 1970e 1990,comode decréscimo da densidade demogíáfica. 't

- ""

e) 1980e 2000,comode estabilização do cresóimentodemográÍico.

Habilidade:

Soluçáo:

Solução:

No segundosemeslrede 2006,o Brasil,alravésda PETROBBAS, alcançoua auto-suíiciência na produpetróleo, propiciado pela de Íâto descoberta de ção novasreseívasno lerritórioe avançostecnológicos paraexploração em águasproíundas. Conseqüentemente, ocorrea diminuição da imporlapelróleo de do Orienie lVédio. A distânciadesses çao parceiroscomerciais e os constantes conÍlitosnâ regiãofez com que os paísesairicanos,em especial NIGEHIA e ARGËLlA. aLmentarern d parlicipaçào no comérciodesserecutsoenergético como Brasil. Não está explícilona queslão,mas outroíator que Íavoreceua quedada dependência do peiróleoimportadono paísfoi o PROALCOOL. Rêsposta:lelrad

O quadromostraas taxasde créscimento vegetativo no Brasil,no períodoenire 1920a 2000.Após a SegundaGuerral\,,lundial e até os anos70, o grande avançoda medicinaimportada, vacinasprincipalrneôle, e Investi'nenlos êm sanedmento basicoocasiond queda a da taxa de monalidadenum momentoem quea taxade nata'idade aindaé alla,o queprovocao elevadocrescimento demográfico comumnospaises que se industrializaram após1940. Duranlêos anos70.o {orteprocessode urbanzaçao provocaa reduçãoda laxa de iecundidade e, conseqúenÌemente, a reduçãodocrescimentopopulacional oo pars. Resposta:letrêb

O quadroabaixomosl'â a taxa de cresc,mento - .i;ã-\ ^,.

naturar dapopuração brasireira nosecuro xx.

. .'..i...r1..', ,r . ',i111. -ià,*i:,

FONÌE: BGE.Anuários Estatislcosdo Brasìl

198

'P5'):'l:l'-"liï:l:,l1i"li:1::-"=Y::l:ït CORRETO afirmarque a populaçãobrasileira ' a) apresentou percentual cÍescimenÌo menornas últimasdécadasb) apresentou cfescimentopeÍcenlualmaiornas últimasdécadas. c) dêcresceu em valorêsabsolutosnascincoúllimasdécadas. O)apresentou apenasumapequenaquedaenlre 1950e 1980. e) permanêceupraticamenteinalteradadesde 1950.

r


enem Habilidade:

Habilidade:

Solução:

Soluçáo:

A uóanìzaçãodo Brasi'íavorece a quedana taxade por diversosmotivos,tais como:a difuÍecundidade são de métodoscontracepÌivos, maior participação mulher no mercado de Íabalho, avançoda educada çãoe aumentodo custode vida. queo ritmode crescimenEssesíatoresÍavoÍecerêm a to vegetativo do Brasilperdesseforçae começasse ser menora partkda décadade 70.

Após a SegundaGuerraMundiâ|,a mobilidadepopulacionalno BÍasilse íaz com maiorintensidade do campoparaa cidade,o êxodorural. EssepÍocessoíavorecea partigipaçãè da mulher.l,Ìe: que mercadode trabalho, é cadavez maior,como mostraclaramenteo gráÌico.Conseqúentemente, a participação masculina tendea diminuir. Resposta:letrae

Resposta:leiraa mUm dos aspecÌosutilizadospara avaliara posição ocupadapela mulhefna sociedadeé a sua participaçãono mercadode ÌfabaÌho.O gráfico mostraa evoluçãoda pÍesênçade homense mulheresno mercadodê Íabalho entreos anos de 1940e 2000.

ffiLeia

o te"toI de Josuéde CasÍo,publicado ern

1947.

O Braaí|,comopaís eubdesenvolvido, en íasede aceleradoprccesso de industrìalìzaçãonão conseguiuaìndase líbertarda fome. Os baíxos índices de prcdutìvidadeagíícola se consfituinm comoklorcs de baseno condìcìondmentode um abastecimentoalimentarinsuÍiciente e inadequadoàs necessìdadesalimentaresdo (Acraprado de Josuéde Câslro.Geogaíiada Fame)

Leiao textoll sobrea fome no Brasil,publicado em 2001. i940 1950 1S60 1970 1980 19902000 E$ariscosdo BÉsi. FONTE:iBGE, AnuárÌos

Da leiturado gráÍico,pode-seafirmaÍqüea pâ icipaçãopêrcênìuaì no Brasil do Íabalhofemìnino a) tevevaloÍmáximoem 1950,o que nãoocorreu masculina. com a participação b) apÍêsentou, tanto quantoa masculina,menor crescimento naslrês últinasdécadas. quea particrc) aptesentou o mesmocrescimento paçãomasculinano pêríodode 1960a 1980. d) tevevalor mínimoêm '1940,enquantoque a partìcipação mascuìina teveo menorvalorem 1950. e) apresenlou-secrescêntedesde 1950 e. se mantìdaa têndência, alcançará, a curtoprazo, a participação masculina.

Uma das evidênciasconlidas no mapa da fome consistena constatação de que o prcblemaalimentat no Brasílnão têside na disponibilìdadee ptodução interna de grãos e dos produtos tndicionalmenteconsumidosno País, mas antes no descompassoentrc o poder aquìsitívode ampla parcela da populaçãoe o custo dê aquisiçãode uma quantidadede alimentoscompatívelcom as necessidadesdo trabalhadore de sua íamíta. (hltp/wwmct.govb4

Comparando os textosI e ll, podêmosconcluir quêa peÌsistênciadaíomeno Brasilresultaprin ciPalmente a)da rendainsuíiciente dosaabalhadores. b) de umaredede transporleinsuficienle. c) da carênciade terrasprodutivas. d) do processode industrialização. ê) da pequenaproduçãode gÍãos.


enem

Solução: O livtoA Geognfiada Famefoi um grandemarcoda sociedadebrasileiraduranteos arìos40, 50 e 60 do séculoXX. A carênciada têcnologiâpara a produ-

1000

Çãode alimeniosera um dos fatoresque Íavoreciaa pdrceld considerável da populaçáo êo náoacessoàs necessidades básicasalÌmentares, Nos anos70, o Brasiìdeu um gÍandesâlioiêcnológico nâ agropecuária, aumentandoa produtividade por hectaÍe.ConÌudo.aindahá brasileiros comÍome, po s, na atua|dade,o desaÍionãoé a Íallade alimenìos, e sim a rendainsuíiciente dessespelapéssima disÌribuição de rendano país. Resposta:lelraa

,1

. -.,

PERCENTUAL DEBOUBOS REGIÃO

800

600

400

39,3 'A rotado crimeseguena 33,9 estêifada roÌada rìqueza" 26,8

20,4

0,0

litana)

-lnlerior FOLH AD ES .P aul o,29tun.2006.

O gráficoe a Íraseacima,tiradosde umjornal,estãoambosrelacionados à evoluçãomédiada vlolênciano Esladode São PauÌo.A associaçáo duas linguagens gráÍ entreesïas - a ca e a escrita- permiteconcluir que,percentualfiìenle, â) a capilalloÍnou-se maisrica. b) as cidadesdo inìeÍiorênrlqueceram e "atíaÍam"Toubos. c) a regiãomeÍopolitanaenriqueceu e o crimese estabilizou. d) diminui,êrngeral,a cÍiminalidade no Esiado. e) diminuiespecialÍnentê a incidência de Íoubosno Ëslado.

Habilidade:

Solução: ApósumaanáLsedo gráÍico,pode'seobservarqueas cidadesdo interiorenriqireceÍam, o queatraiua criminalidade.Veia os númêros e a fraseno quadÍoacima. Resposta:lelrab

200


enem .. . i;. À;a; Àâìtr+ r'4i* ú, ";; rçF,4.r. 1 +nL r i r\B ë rS$ r\frÃ4iÌ1c vÀô '.

Lt,:lr.. --.?*Ì1 J;,:: ,ì-

Desiguaìsna Íisianomia,na caÍ e na raça o que tlEs àssêgurc idenl'clddepecülidt.são tguàisch quanrcftenp de uàbà|ha.Nun das canlas.ds chd mìnés das indústrias se alçam vetticalnente. No mài<,em lada o quàdlo.rosloscolJdas,um ào Id dô da outro, em pirâmide quetende ase prolongal infìnitamente, coma mercadaria que se acumula, Nádia Ga\ ib. Tarsila .1oAna@l, a madetnista.

Sfiifllfi$gq

O lexloaponianoquadrodeTarsla doAmaralum lema que tambémse enconÌfanos vefsostransctitosem: .ì a) "Pensemnas rÌìeninas Cegasinexatas Pensêmnas mulheres Rotasalteradâs."

È

lViniciusdê Môrâês)

O humorpreseniena tirinhadecorreprincipalIVafalda mentedo Íalode a personagem quadíiììho, poderilmÌtado no primeiro a) aìribuií, ao dedoindicador. b)considerarseu dedo indicadorlão mporiante quantoo dospatroes. c) atribuir, noprirneiro e noúltimoquadrlnhos, um mesmosentidoao vocábulo"indicadol'. d) usar corretamente a expressãoindlcadorde mesmosendocriança desernprego", no últimoquadÍinho, íamaexagerada e)atÍibulr, ao dedo ndicadordospatróes.

Habilidade:

b) "Sornosmuiiosseverinos iguaisemludoe na sina: Er Ldr

püu,

d5

suando-semuitoem cima-" (JoãoCabraldê lvleloNelo)

públìco c) "O íuôcionárlo nãocabeno poema cornseu saládode fome suavidafechadaem aÍquivosl' lFeÍeiÍaGi,la4 d) "Não sou nada. NuncaserernadaNão possoquererser nadâ. A pafie rsso,lenho em mim ìodos os sonhos do mundo." (FeÌnandoPessoa)

e)"Os inocentesdo Leblon Não virâm o navioenlrar [...] Os ÌnocenÌes,definilivamenieinocênÌestudo ignoravam,

malsa areiaé quênte,e há um óleosuave que elespassampêlascoslas.e aquecem.'' (CarlosDtuff'rônd de Andrade)

Soluçáo: O humor se concrelizapelo fato de l\,4afalda atribuiro mesrnoseniido ao vocáb!lo indicadorpara situações distintas-associando-oà palavradesemprêgo.A coníLrsão{e;Ìâooí êlâ dêu à lií nha uF-ìtom engíaçado. Resposta: etÍa c

Soluçáo:

TarsiLã do AmaÌa.Operãros

A obra "Operários", de Tarsilado Ama|al,o trecho cííticode NádiaGoUibe os vefsosde João Cabral dê fuleloNeloexpressam, cadaum a seu modo,uma idéiâcomum.ElesÍocalizâma faltade identidade, de ìndividualidade visÍoscomoobjeto dostrabalhadores; de uso e de produção,estãodeslinadosao trabalho desumanizador, Resposta:lelrab

201


enem ENE&Ï 9004 lncìsosdo Artígo 5eda ConstituiçãoFedeêl de 1988:

Redação

Ce @hdlo- 2ú01.

Leiacomatençãoos seguinÌestextos: Os programassensacionalistasdo rádio e os ptognmas polìcìaisde final da taíde em televisãosadan cutiosìdadespeversas e até mófuídas tircndo sua matéia-prina do dêma cle cidadãos hunildes quê apatecemnas delegaciascamo suspeitosde pequenos cimes. AI, são entrcvìstadospor ìntimidação.As câmerasìnvadembaftacos e cortiços,e gravamsem pedir licença a estupeÍaçãode Íamílias de baixÍssima rcnda que não sabemdírcÍtoo que se passa:um parcntê é suspeìtode estupro,ou o vizinhoacaba de ser prcso por téfico, ou o primo morrcu no massacre de fim de semanano barda esquína.A polícia chega atirando;a mídiachegaÍilfiando. BUCCI,Ëugênio. Sobreérbae /mprersa. São Paulo: Companhiã dasLEÍRAS,2000.

Quem fìscaliza[a imprensa]?Tata-se cle tema complexo porque íemete paâ a questáoda rcsponsab| lídadenáo so das emprcsdsde comunicdçàocomo tambémdos jornalistas.Algunspaíses, como a Suécía e a Grã-Bretanha,vêmhá anosÌentandorcsolveto problemada resrysabìlidadedojornalísmopor neio de queincentivam rnecanísmos a auto-rcgulação da mídia.

M

hltp://wwweticanâlvor9.br - Ácessoem| 30/05/2004.

No Btasì|,entre outrasorganízações,exísteo Obsetvatório da lmprensa entidade civil, não-govemamentale nâo partídáia -, que prctendeacompanhar o desempenhada midia basìlenà. Ên sua paEna eletrônìca, lê-se: "Os meios de comunicaçãode massasão majoitariamente produzÌdospor emprcsas p vadas cujas decisões atendêm legitimamenteaos desígnios de seusacionistasou representantes.Mas o produtojornalísticoé, ìnquestionavelmente, um sewiço público, com qaanüas e privilégios específbos prcvietosna ConstituiçãoFederaLo quepressupõecontrapartidas em deverese responsabilidades sociais." hitp://ìÀwwobseMtorio.uliimosègundo.ig.@m.br (adaptado)

202

IX. é livre a exprcssãoda atívídadeintelectual,artí6tica, cientíÍicae de comunicação,independentementede censun ou lìcença; X. são invioláveisa intimidade, a vida privada, a honrae a imagemdas pessoas,asseguradoa dï reito à ìndenizaçãopelo dano mateíìal ou notal decotente de sua violacão. ] '1

- +.

Combasenasidéiaspresentes nostextosacima,redija umadissertação em prosasobreo seguinte tema: Como garantira liberdadede iníormaçãoe evitar abusosnos meios de comunicação? Ao desenvoÌver o tema proposlo,procureuiilizaros conhecimentos adquiridose as feÍlêxõêsÍêitasao longode sua formação.Selecione,organizee relacioneargumenlos, fatose opiniõesparadeÍenderseu Pontode vìstae suaspropostas.

Observações: . Seutextodeveser escrilona modalidade cultada ìinguaponuguesa. . O textonão deveser escritoem formade poema (versos)ou naÍação. . O textodeveráter no mínimo15(quinze)linhasescritas. . A redaçãodeveráser apreseniadâ a tintae dêsenvolvidana folhaprópria. . O rascunhopoderáser feitona últimatolhadeste Caderno.

Comentário: O Enemapreseniouum temaarnplamente discutido: a libêrdâdede inÍormação com ética. Na argumentação, participante poderiaabrirumdeo tÌaleenlre inÍormação com responsabilidade e abusos da rmprensa com programas sensacionalistas. A ,nvasãode privacidadê, os exagerosnas iníormao ções, apeloao emocionalpoderiamservirde ponto de parlidaparauÍnadiscussão sériâe aproÍundada. A dissertaçào em quesláodevêriaapresentaíumavisãocoerentee clarade comoconciliarìiberdade com responsabilidâde. Assunloscomodireitose dêvêresda imprênsa, compromissosocialdos meiosde_comunicação, programasculluraise lazerpodeÍiam{irmaro compÍomisso de defêsade um pontode vistapautadono respeitoà liberdadede expressão.

f

Enem 2003  
Advertisement