Issuu on Google+

PORTUGUÊS


ORAÇÕES SUBORDINADAS


Período Composto por Subordinação

Oração Subordinada Oração Subordinada Oração Subordinada Substantiva Adjetiva Adverbial


Classificação das Orações Subordinadas Substantivas • • • • • •

Subjetiva Objetiva Direta Objetiva Indireta Completiva Nominal Predicativa Apositiva


Subjetivas Exerce função de Sujeito do Verbo da Oração Principal Exemplo: “ É preciso que haja alguma coisa de flor em tudo isso.”


Objetiva Direta Exerce função de Objeto Direto do Verbo da Oração Principal Exemplo: “Deixe que eu partilhe seus segredos.”


Objetiva Indireta Exerce papel de Objeto Indireto do Verbo da Oração Principal Exemplo: “Lembre-me de ajudá-lo em seus afazeres.”


Completiva Nominal Exerce papel de Complemento Nominal de um termo da Oração Principal. Exemplo: “Tenho certeza de estarmos alcançando uma situação mais alentadora.”


Predicativa Exerce papel de Predicativo do Sujeito da Oração Principal Exemplo: “Meu Desejo é descobrires a melhor forma de viver.”


Apositiva Exerce função de Aposto de um temo da Oração Principal Exemplo: “Só desejo uma coisa: que nossa situação melhore.”


Classificação da Orações Subordinadas Adjetivas “Existem dois tipos de Orações Subordinadas Adjetivas no que diz respeito ao sentido da relação que estabelecem com o antecedente. São elas:” • Restritiva

• Explicativa


Restritiva “Delimita, define, especializa, restringe o sentido do antecedente, particularizando-o. Na fala, é proferido sem pausa acentuada:” Exemplo: “O mundo onde quero estar ao teu lado pertence a outra dimensão.”


Explicativa “Contem uma simples explicação, um detalhe do termo antecedente. Na fala, são separadas da oração principal por pausa forte, adquirindo função de um aposto.” Exemplo: “O mundo, onde quero estar ao teu lado, impõe-nos rígidas condições.”


Classificações das Orações Subordinadas Adverbiais • Causa • Condição • Comparação • Finalidade • Tempo

• Conseqüência • Concessão • Conformidade • Proporção


Causa “As Orações Subordinadas Adverbiais Causais exprimem a causa.” Exemplo: “Eu Te Amo porque não amo bastante a mim mesmo.”


Conseqüência “As Orações Subordinadas Adverbiais Consecutivas exprimem um fato que é conseqüência, que é efeito do que se declara na Oração Principal.” Exemplo: “Estava tão cansado que adormeceu rapidamente.”


Condição “As Orações Subordinadas Adverbiais Condicionais exprimem uma condição necessária para que se realize o fato contido na Oração Principal.” Exemplo: “Tudo vale a pena se a alma não é pequena.”


Concessão “As Orações Subordinadas Adverbiais Concessivas exprimem um fato que podendo interferir na realização daquilo que contem a Oração Principal - Não interfere.” Exemplo: “Mesmo observando minuciosamente nosso atos, fazemos coisas de que nos arrependemos.”


Comparação “As Orações Subordinadas Adverbiais Comparativas indicam o ser ou fato com que se compara o elemento presente na oração principal.” Exemplo: “Não, meu coração não é maior que o Mundo.”


Conformidade “As Orações Subordinadas Adverbiais Conformativas exprimem um fato que esta de acordo com o que se declara na oração principal.” Exemplo: “Como se lê num espelho, pude ler nos olhos seus !”


Finalidade “As Orações Subordinadas Adverbiais Finais indicam a intenção, a finalidade no que se declara na oração principal.” Exemplo: “Orai, porque não entreis em tentação.”


Proporção “As Orações Subordinadas Adverbiais Proporcionais exprimem fatos que aumentam ou diminuem em relação ao que se declara na oração principal.” Exemplo: “Quanto mais conheço os homens mais gosto das mulheres.”


Tempo „As Orações Subordinadas Adverbiais Temporais exprimem as varias modalidades de tempo em que se pode situar o fato expresso na oração principal.”

Exemplo: “Quando você foi embora, fez-se noite em meu viver.”


Agradecimento Agradecemos a oportunidade de podermos demonstrar o conte煤do apresentado, no qual tiramos um 贸timo proveito.


Ana LĂşcia, Aretha Daniele, Isabella, Dayane, Carlos

3.1


Apresentação1