Issuu on Google+


s達o paulo - 2009


Esta obra é uma publicação da Editora Livronovo Ltda. CNPJ 10.519.646/0001-33 www.livronovo.com.br © 2009. São Paulo, SP

Editores-responsáveis Fabio Aguiar Zeca Martins

Projeto gráfico Fabio Aguiar

Capa Zeca Martins

Diagramação Alexandra Aguiar

Revisão Luciana V. Cameira

Catalogação na Fonte. SNEL – Sindicato Nacional dos Editores de Livros. Rio de Janeiro, RJ

Ao adquirir um livro você está remunerando o trabalho de escritores, diagramadores, ilustradores, revisores, livreiros e mais uma série de profissionais responsáveis por transformar boas idéias em realidade e trazê-las até você. Todos os direitos reservados. Nenhuma parte deste livro poderá ser copiada ou reproduzida por qualquer meio impresso, eletrônico ou que venha a ser criado, sem o prévio e expresso consentimento dos editores. Impresso no Brasil. Printed in Brazil.


Para André, meus pais e meus irmãos Eric, David e Isa.


Um poeta é sempre irmão do vento e da água: deixa seu ritmo por onde passa. Cecília Meireles


Sumário

11 13 14 15 16 17 18 19 21 22 23 24 25 26 28 30 32 34 36

Noiva moderna Alta-costura Ponto de encontro Mudez Sou diurna Mudança Parti Águas Dúvida Microplaneta Imaginário infantil Sardenta Caixa de lembranças Coimbra Oxford em duas rodas Entre duas rainhas Luz, câmera, ação Quase um monólogo Palavra


37 38 39 41 42 43 44 45 46 47 48 49 50 51 53 54 55 56 57

Pode começar Lição nº. 1 Lição imprópria Fim de aula A Mariposa de Lecuona Lecuona Pedido (Des)encontro A dois Dupla ironia Desconhecido Lei de Murphy Pot-pourri História de uma amarílis Tempo O enigma de Pietra Calmaria Céu marinho C’est fini


Noiva moderna o sono inquieto, na noite prévia, não dura muito e cedo desperta pó, base, batom, cabelo de artista. vestido sim, mas tomara-que-caia branco, bem alvo lembra a pureza; coisa do passado! de véu e grinalda, pensa na escolha eterna?

11


já se questiona a noiva moderna coração na boca, assim elas ficam, desde as antigas até as modernas o choro abafado o buquê pesando as flores tremem, nas mãos ternas da noiva moderna palavras, palavras jura, beijo, anel mas que dia! – pensa acordar solteira e dormir casada!

12


Alta-costura o meu vestido indefectível foi feito à mão é um romance de mistério a trama do tecido é elaborada a textura, sem emenda, provoca uma sensação visual e outra tátil segredos somente desvendados pela alta-costura abrir seus botões é um risco

13


Ponto de encontro me encontro lá naquele nanoponto do céu (invisível a olho nu) – é um planeta distante só habitado por mim único em seu sistema, que segue sua órbita oval e longa cada volta equivale a dez anos mas há quem o alcance tão rápido que até assusta

14


Mudez errou de novo: meu silêncio não é vazio caixa oca falta de assunto timidez ou acefalia ouço em dobro há, por dentro, uma ebulição alma prolixa com síndrome de pensamento acelerado se falo, confundo se calo, ganho cumplicidade

15


Sou diurna e não sei como é possível trabalhar à noite meu organismo assemelha-se ao de uma planta faço fotossíntese: se há luz, tem lugar a fase fotoquímica se não há, tem lugar a fase escura

16


Mudança minha vida suspensa, presa em caixas, que não estão comigo não sei, com exatidão, quando as terei de volta e se uma delas se perder? pior – e se eu me perder de uma delas?

17


Parti parti de casa, dali, da rotina parti o espelho, o copo, o gelo parti em pedaços parti o bolo, a torta, o pão parti pra longe, pra lá, outro lugar parti um coração. e isso foi cruel

18


Águas há muita água “chovem duas chuvas” uma vez caídas do céu, confundem-se as gotas alcançam o chão e sobem dois aromas – de asfalto lavado e de terra molhada de uma chuva, a gente se protege de duas, a gente se encharca em dobro,

19



Conta outra