Page 1


Editorial Tudo começou com uma pequena proposta de postais apresentada pelo Atelier Time Capsule. A ideia inicial era editar pela Fábrica de Braço de Prata uma colecção sobre pensadores anarquistas do sec.XIX. Depois, os próprios designers descobriram uma série de fotografias do quotidiano da Fábrica na década de 30 e 40, do Estúdio Mário Novais, que pertencem ao Arquivo da Biblioteca de Arte da Gulbenkian. Decidimos editar também essas imagens como uma nova série de postais. Mas a sua beleza, ou a sua estranha familiaridade, perturbou-nos. Estávamos a habitar, com uma livraria, concertos e exposições, aqueles mesmos lugares onde durante anos tinham existido centenas de máquinas a produzir armas e milhares de homens e mulheres anónimos a serem devorados por rotinas de fogo e ferro.Tornou-se urgente escavar mais as memórias da Fábrica. Precisávamos de recuperar as marcas de vida (e de morte) de quase um século passado entre aquelas paredes. E, em poucas semanas, o Atelier Time Capsule tinha conseguido encher um baú com imagens, histórias, documentos oficiais e menos oficiais, e muitas pistas para mais pesquisas. Percebemos que a recuperação dessas memórias já não podia ficar circunscrita às nossas colecções de postais. Um novo dever desceu sobre nós: criar um pequeno museu da Fábrica de Braço de Prata, onde todas as vozes que por ali passaram possam ainda ser tocadas. Esperamos que esse museu possa ser inaugurado no dia do 5º aniversário da nova Fábrica, ou seja, a 14 de Junho. Até lá, ao mesmo tempo que a partir de Março colocamos à venda as imagens da década de 30 e 40 do Estúdio Mário Novais em forma de colecção de postais, continuamos a reunir documentos e testemunhos. A 8 de Março a livraria celebra o Dia Internacional da Mulher, fazendo 20% de desconto em todos os livros não escritos por homens. No dia 30, faremos um debate em torno do livro de Fernando Belo, Heidegger, pensador da Terra (2ª ed. Centro de Filosofia da Universidade de Lisboa). Contamos com a participação de Viriato Soromenho Marques e de Nuno Nabais, para além do autor. Nuno Nabais


Jorge de Sena Š Eduardo Gageiro

Novidades


Novidades

http://www.assirioealvim.blogspot.com/

A TEMPO INTEIRO Autor: Tamayo Marín “Tamayo Marín invocou a Morte como flâneur praticante do diálogo esgrimista para nos dizer das trevas dos nossos dias. Demonstra-o com divertida moralidade: a morte é o fim da vida ou o seu contrário? Dito de outro modo: se a morte morresse, esta nossa vida seria o seu inferno?” João Paulo Cotrim

CORPO ARQUITECTURA POEMA LEITURA INTER-ARTES NA POESIA DE JORGE DE SENA

Autor: AAVV “[…] Talvez possamos sugerir que o trabalho do poeta tem alguma coisa de demiúrgico, podendo ser entendido como uma modelação da linguagem verbal, em termos sonoros, rítmicos, poéticos, no interior de um espaço oco figurado pela página branca do papel. […]” Jorge Fazenda Lourenço

OUTRA VEZ NÃO. EDUARDO BATARDA Autor: AAVV “[…] a arte pode estar na parede, pode ter-se na cama, na prateleira, no fogão ou nos pés. […] Digo que dá para tudo. Eu repito que dá para tudo.” Eduardo Batarda


Isaac Babel Š Georgii Petrusov

Novidades


Novidades

http://relogiodaguaeditores.blogspot.com/

MÚSICA DE CÂMARA Autor: James Joyce “(…) afigurou-se pertinente e oportuno apresentar em edição bilingue o volume intitulado Chamber Music / Música de Câmara que assinalou a estreia de Joyce em 1907 e constitui uma espécie de laboratório onde decorrem experimentações temáticas e prosódicas conducentes à renovação da tradição discursiva europeia, empreendida pelas gerações modernistas.” J. Almeida Flor

CONTOS ESCOLHIDOS Autor: Isaac Babel “Como contista, Babel rivaliza com Turguénev, Tchékhov, Maupassant, Gogol, Joyce, Hemingway, Lawrence e Borges: tal como eles, é um génio da forma. Mas está próximo de Kafka na peculiar dicotomia do seu génio.” Harold Bloom

SOBRE ARTE TÉCNICA LINGUAGEM E POLÍTICA Autor: Walter Benjamin “O nome do filósofo cuja vida se extinguiu durante a fuga aos polícias hitlerianos foi adquirindo uma auréola nos quinze anos que decorreram desde a sua morte, apesar do carácter esotérico dos seus primeiros trabalhos e do carácter fragmentário dos últimos. O fascínio pela sua pessoa e oeuvre leva inevitavelmente a uma atracção magnética ou a uma defesa estremecida.”

T. W. Adorno


João Lobo Antunes

Ensaios da Fundação


Ensaios da Fundação

http://www.ffms.pt

PORTUGAL DÍVIDA PÚBLICA E DÉFICE DEMOCRÁTICO Autor: Paulo Trigo Pereira Como chega um país à quase bancarrota? Porque são pedidos sacrifícios aos cidadãos que parecem não ter fim? Há uma solução duradoura para o problema da dívida pública? O argumento central deste ensaio é o de que os problemas das finanças públicas derivam da fraca qualidade da democracia.

A NOVA MEDICINA Autor: João Lobo Antunes Este ensaio é dedicado à extraordinária transformação da Medicina nas últimas décadas. A ciência, a prática e a ética desta Nova Medicina são objecto de particular atenção, e é explicado o modo como aquela absorveu o progresso científico e tecnológico e se adaptou a uma nova ecologia económica, social e até moral, e às exigências de uma sociedade cada vez mais informada sobre o poder da arte médica.

A CLASSE MÉDIA: ASCENSÃO E DECLÍNIO Autor: Elísio Estanque A classe média é um segmento social que suscitou inúmeras polémicas e que, no actual quadro de austeridade, se encontra em risco de empobrecimento compulsivo (sobretudo nos países periféricos da Europa, como Portugal). A noção é, ela própria, controversa. Quer em termos teóricos, porque não corresponde, verdadeiramente, a uma «classe» enquanto sujeito ou actor colectivo dotado de uma identidade própria, quer no plano concreto, na medida em que se trata de um conjunto plural que reúne diversas camadas sociais situadas nas posições intermédias da estratificação social, esta é uma categoria social de múltiplas conotações e muito heterogénea.


Niccolo Machiavelli

Gabinete de Filosofia


Gabinete de Filosofia MAQUIAVEL E O MAQUIAVELISMO Autor: AAVV Editor: Almedina Terá Maquiavel fundado a análise da política moderna? E terá também Maquiavel estabelecido, de um modo eficaz e duradoiro, as próprias regras da comunicação política moderna? A possibilidade de uma resposta positiva a estas duas perguntas obriga a uma reflexão s o b r e o s i g n i fi c a d o p o l í t i c o d o c h a m a d o «maquiavelismo» na contemporaneidade.

TEMPERAMENTOS FILOSÓFICOS UM BREVIÁRIO DE PLATÃO A FOUCAULT Autor: Peter Sloterdijk Editor: Edições 70 Quando concebeu uma história da filosofia para uma editora alemã, Peter Sloterdijk redigiu pequenos prefácios que são autênticas súmulas do pensamento de cada filósofo. Esses textos encontram-se compilados nesta edição, dando corpo a um original breviário do pensamento europeu ao longo dos tempos.

o DESTINO DAS IMAGENS Autor: Jacques Rancière Editor: Orfeu Negro Reúne dois artigos e três conferências proferidas por Jacques Rancière, entre 1999 e 2002, no Centro Nacional de Fotografia, em Paris, e na Academia de Belas-Artes de Viena. Partindo das filmografias de Bresson e de Godard, e das reflexões estéticas de Deleuze, Adorno e Lyotard, o autor questiona, neste conjunto de textos, o estatuto da imagem na arte contemporânea.


Rachel Bright

Fรกbrica Junior


Fábrica Junior AMOR MONSTRO Autor: Rachel Bright Editor: Presença Já imaginaste como seria conheceres um monstro? Não precisas de te assustar, porque este não é um monstro mau, apesar de ser um bocadinho esquisito. Ele vive num mundo rodeado por coisas fofinhas e ternurentas que de certeza tu também adoras, como gatinhos e cachorrinhos e coelhinhos. Mas como é ligeiramente peludo com olhos esbugalhados ninguém gosta do pobre monstro…pois não? Uma história de derreter o coração, sobre como às vezes, quando menos esperamos, o amor nos encontra.

os ANIMAIS ESTAVAM ZANGADOS Autor: William Wondriska Editor: Orfeu Negro Em pleno tédio da selva, os animais estavam zangados. O leão, zangado, vira-se para a tartaruga e diz-lhe que ela é muito lenta; a tartaruga, zangada, encara o elefante e diz-lhe que ele é muito grande; o elefante, zangado, diz à formiga que ela é muito pequena. E assim sucessivamente até todos os animais da selva estarem tão zangados que se prevê mesmo uma grande zaragata. Não fosse ter descido do céu uma pomba sorridente…

o MUNDO NO CHÃO Autor: Nuno Casimiro João Vaz de Carvalho (ilust.) Editor: Bags of books Aqui perto, dois quintais abaixo e uma eira à esquerda, fica uma velha casa que está abandonada desde sempre ou, pelo menos, desde que me lembro de a ver. É muito parecida com as restantes casas das redondezas: janelas pequenas e uma porta a um palmo do chão e, no piso de cima, janelas maiores em madeira pintada. [...] Foi aí, num dos quartos do primeiro andar, que a história aconteceu já lá vai algum tempo...


Joรฃo Vaz de Carvalho

Fรกbrica Junior


Postais da FBP Colecção de postais da Fábrica Braço de Prata Edições exclusivas, produzidas por Time Capsule *. Tiragens limitadas a 500 exemplares numerados. Escolha os seus postais favoritos, antes que esgotem... “Tudo começou com uma pequena proposta de postais apresentada pelo Atelier Time Capsule. A ideia inicial era editar pela Fábrica de Braço de Prata uma colecção sobre pensadores anarquistas do sec.XIX. Depois, os próprios designers descobriram uma série de fotografias do quotidiano da Fábrica na década de 30 e 40, do Estúdio Mário Novais, que pertencem ao Arquivo da Biblioteca de Arte da Gulbenkian.[...]” Nuno Nabais * http://timecapsulebox.wordpress.com


Postais da FBP


Lançamento de livro Sexta-feira | 23 de Março - hora a anunciar A Livraria da Fábrica Braço de Prata e a 7 Nós têm o prazer de convidá-lo para o lançamento de O JAZZ DA BANCARROTA. Além da apresentação contar com um dos editores (que escreveu um relato sobre a vida e obra do autor) e com o tradutor, existe outro motivo aliciante: a projecção do filme mudo Bankroet Jazz, baseado num dos “contos” reunidos na antologia e que dá o título à selecção.

O JAZZ DA BANCARROTA Autor: Paul van Ostaijen Editor: 7 Nós É um caso raro o anonimato de Paul van Ostaijen (1896-1928) na história oficial e não-oficial da literatura europeia do século XX. Hoje considerado “o pai da poesia contemporânea” das letras flamengas, a par da poesia, Van Ostaijen notabilizou-se pelos seus contos grotescos. À luz do presente, os contos reunidos nesta antologia (traduzidos do neerlandês por Arie Pos) deixam-nos a impressão de terem sido escritos sobre a fase política da Europa de hoje, ao trazerem à superfície o homem precário e anónimo, controlado pela política do Estado, depauperado pelo economicismo e pela plutocracia da Banca, disciplinado pelas organizações hierárquicas que cercam o quotidiano, endomingado pela moral fetichista da cultura de massas. http://www.bankroetjazz.nl


Lançamento de livro Sexta-feira | 30 de Março - 21h30 A Livraria da Fábrica Braço de Prata e o Centro de Filosofia da Universidade de Lisboa, têm o prazer de convidá-lo para o lançamento de HEIDEGGER PENSADOR DA TERRA, um livro de Fernando Belo. A obra será apresentada pelo autor, por Nuno Nabais e Viriato Soromenho Marques.

HEIDEGGER PENSADOR DA TERRA Autor: Fernando Belo Editor: Centro de Filosofia da Universidade de Lisboa “Não será, contudo, inútil esboçar grosseiramente o panorama da filosofia greco-europeia a partir da qual Heidegger pensa, e contra a qual se bate. A dupla fundamental foi instaurada por Platão e Aristóteles: o inteligível da alma, predominando sobre o sensível do corpo. Esta oposição decisiva abre um espaço ideal, no sentido em que se fala de idealismo, como que dando a medida da altura do homem, acima dos outros animais, espaço em que a Europa encontrará o seu ideal’, cristianizado. Sem este ideal’, glosando com outro sentido do termo, não teria havido Europa” F.B.


Brezillon e Leroi-Gourhan

Cadernos de Campo


Cadernos de Campo AS PRIMEIRAS CIVILIZAÇÕES DA IDADE DA PEDRA AOS POVOS SEMITAS Pierre Lévêque Edições 70

“Pierre Lévêque reuniu nesta obra vários especialistas. Sob a sua direcção, estes apresentam ao leitor, por forma resumida aspectos importantes sobre as primeiras civilizações. Assim Lévêque escreve, numa primeira parte, sobre a Idade da Pedra e do Bronze em geral e André Leroi-Gourhan sobre o Homo sapiens. Numa segunda parte, que aborda os Impérios do Bronze, Jean Vercoutter escreve sobre o Egipto, Jean-Jaques Glassner sobre a Mesopotâmia e Jenny Damaville em colaboração com Jean-Pierre Grélois sobre os Hititas. Numa terceira parte Bernard Sergent escreve sobre os Indo-Europeus e André Caquot sobre os Semitas. Esta obra dá ao leitor uma perspectiva muito abrangente sobre as primeiras civilizações para que este, muito provavelmente, se apaixone por uma ou mais delas e tenha vontade de aprofundar mais os seus conhecimentos. A linguagem é simples e os textos são bem esquematizados, sendo assim uma obra que qualquer pessoa possa ler, sem que seja especialista nesta matéria. A leitura desta obra é recomendada, pois aumenta a cultura geral do leitor.” L.

MANUAL DE ARQUEOLOGIA PRÉ-HISTÓRICA Nuno F. Bicho Edições 70 “Conceber um manual nunca é tarefa fácil. Deve abranger um leque muito vasto da matéria, sem aprofundar demasiado, mas mencionando-a pelo menos para que o leitor seja incentivado a procurar aprofundar o conhecimento através da leitura complementar que possa retirar da bibliografia apresentada. Nuno Bicho esteve à altura dessa tarefa. Dado à sua especialização em arqueologia pré-histórica, o manual foi concebido para essa mesma área. Contudo trata-se de uma obra que pode ser utilizada e consultada por qualquer estudante de arqueologia, independentemente da especialização que queira seguir. Os temas do manual incluem uma breve história da arquelogia, técnicas de prospecção e escavação que são utilizadas não só na pré-história e as bases da atribuição de cronologia. Para a pré-história, mais específico, a reconstrução paleoecológica, o registo e os materiais arqueológicos. As imagens, os esquemas e as tabelas apresentadas ajudam ao leitor a compreender melhor a matéria que o autor esquematiza de uma forma muito simples. Este manual torna-se um muito bom instrumento para o primeiro contacto com esta matéria e para a sua consulta contínua..” L.


Zygmunt Bauman Š Olivier Roller / Fedephoto

Destaques


Destaques DESIGUALDADES EM PORTUGAL PROBLEMAS E PROPOSTAS

Autor: Renato M. do Carmo Editor: Edições 70 Esta obra reflete sobre a ideia de que as desigualdades interferem num conjunto de dimensões sociais, económicas e políticas, Desenvolve particularmente a relação entre as desigualdades e as práticas de cidadania no que diz respeito à participação política, à ação coletiva e às questões de género.

o TRABALHO UM VALOR EM VIAS DE EXTINÇÃO Autor: Dominique Méda Editor: Fim de Século Homens políticos, peritos e economistas rivalizam hoje para encontrar os meios de aumentar o volume de trabalho. Todos parecem considerar, como um dado adquirido, que o homem precisa de trabalho e que este sempre esteve como continuará a estar na base da nossa organização social. E se isso estivesse errado? Se o trabalho não fosse mais do que uma invenção recente de que as nossas sociedades sentiram a necessidade num contexto histórico particular, uma solução datada que pudéssemos a partir de agora dispensar? São essas as questões que guiam Dominique Méda.

CONFIANÇA E MEDO NA CIDADE Autor: Zygmunt Bauman Editor: Relógio d’Água Como se manifesta a experiência quotidiana nas zonas de habitação da nossa cidade? Existe ainda um modo de pensar, um padrão de comportamento, um momento nas relações capaz de constituir um terreno comum sobre o qual possamos fundar uma confiança recíproca? Ou serão a fragmentação e a precariedade processos tão profundos que aumentam a distância social e a indiferença? Os outros serão apenas uma ameaça ou, pelo contrário, sujeitos com os quais temos o dever de conviver e cooperar? O que prevalece, o medo ou a confiança?


Ernesto Sabato

Destaques


Destaques o BIBLIÓFILO APRENDIZ Autor: Ruben Borba de Moraes Editor: Letra Livre Uma das mais importantes obras escritas sobre bibliofilia em língua portuguesa. O autor Rubens Borba de Moraes foi um pesquisador da história do livro e um bibliófilo apaixonado.

o ESCRITOR E OS SEUS FANTASMAS Autor: Ernesto Sabato Editor: Companhia das Letras Neste livro, o escritor Ernesto Sabato - autor de ‘O túnel’ e ‘Sobre heróis e tumbas’, entre outros - apresenta uma espécie de ‘diário do escritor’. Perguntas como ‘por que, como e para que se escrevem romances’ e ‘qual o papel da literatura e da arte’, são respondidas com paixão e veemência, contrapondo a prática de ficcionista de Ernesto Sabato com suas teorias sobre o existencialismo e a fenomenologia.

DA LÍNGUA DE NINGUÉM À PRAÇA DA PALAVRA Autor: Miguel Serras Pereira Editor: Fim de Século A inspiração comum aos escritos que neste volume se publicam é a de uma temática em cujo núcleo se espera que seja reconhecível a tentativa de elucidar e imaginar os modos e paisagens onde comunicam, ou poderão comunicar, por um lado, o reconhecimento daquilo a que aqui se chama a incerteza da alma, por referência à singularidade da psique e da existência individual, e a língua de ninguém, por referência tanto à imaginação de si própria constitutiva de uma sociedade como à dimensão do sem-fundo poético permanente da significação e da linguagem, [...]


A Barriga do Arquitecto * - Exposições Fbp CABANA  Autor: AAVV Editor: Argumentum A primeira parte deste livro é uma viagem às origens da cabana pela mão dos primeiros colonizadores europeus e a sua aventura através do território americano e constitui uma clara análise sobre a maneira, os materiais e o processo de construção desta tipologia. A segunda parte oferece uma selecção de projectos recentes, ideados por arquitectos e designers de todo o mundo, que exemplificam as diversas interpretações deste elemento icónico da cultura americana e o seu enor me potencial na projecção das obr as contemporâneas.

Arquitectura Vegetal

Analogias entre o mundo vegetal e a Arquitectura contemporânea

ENERGIA SOLAR PASSIVA Autor: Francisco Moita Editor: Argumentum Um livro técnico e pedagógico de fácil entendimento, indispensável para a formação profissional de técnicos e estudantes.

* The Belly of an Architect

Este estudo sobre a arquitectura do século XX e suas origens tornou-se um clássico desde a sua primeira edição, em 1980. A presente edição baseia-se na última edição (1994) actualizada pelo autor na parte histórica, analisando áreas e questões de especial importância nos dias de hoje. O último capítulo, totalmente novo, focaliza quatro países em que o talento individual e o patrocínio esclarecido se aliaram para produzir uma cultura arquitectural sólida e abrangente: Finlândia, França, Espanha e Japão.

Peter Greenaway

Autor: AAVV Editor: Dinalivro


ARQUITECTURA VEGETAL - Kazuyo Sejima © Atelier Tekuto

A Barriga do Arquitecto * - Exposições Fbp


Sugestões - Exposições Fbp A IMAGEM ÚTIL Miguel Figueira de Faria Editor: Ediual Biografia de José Joaquim Freire (1760-1847), desenhador topográfico e de história natural: arte, ciência e razão de estado no final do antigo regime.

CADERNOS DE SERAFINO GUBBIO OPERADOR DE CÂMARA

Autor: Luigi Pirandello Editor: Fim de Século Neste romance de 1916, o operador de câmara Serafino Gubbio disseca o universo da sétima arte na alvorada do seu nascimento, devolvendo-nos ao mesmo tempo o espanto do Homem moderno perante a presença cada vez mais imperiosa das máquinas na produção artística e não só. Muito antes dos discursos sobre a “sociedade do espectáculo”, o olhar trágico de Pirandello alerta para os perigos e o fascínio de um mundo no qual a ilusão está destinada a engolir o real.

a TEORIA COMO PROJECTO ARGAN GREENBERG HITCHCOCK Autor: Guilherme Bueno Editor: Jorge Zahar A arte moderna é um projeto desenhado por artistas, historiadores e críticos, permeada de dúvidas sobre o relacionamento com a tradição, a adoção dos ideários das vanguardas e a crença em poder escrever o destino da humanidade. Guilherme Bueno examina de que maneira a arte moderna ingressou na história, revelando como os intelectuais deste período delinearam sua própria história e o porquê de algumas de suas concepções.


a IMAGEM ÚTIL

Sugestões - Exposições Fbp

http://exposicoesfbp.blogspot.com


Nas nossas estantes e além desta selecção já pode encontrar livros das seguintes editoras:

4ªFEIRA: 5ªFEIRA: 6ªFEIRA: SÁBADO: DOMINGO:

18H-02H 18H-02H 18H-04H 18H-04H 15H-00H

Rua da Fábrica do Material de Guerra, nº1, 1950-128 Lisboa Portugal livrariabracodeprata@gmail.com | 216 090 816 | www.bracodeprata.com

Coordenação: César Morais Edição, direcção gráfica e fotografia: Fabrice Ziegler fabriceziegler@gmail.com

Assírio & Alvim, Relógio d’Água, A Par, Actual, Afrontamento, Alfabeto, Alfaguara (Port.), Almedina, Antígona, Argumentum, Autêntica (Br), Avante, BNomics, Braço de Ferro, Caleidoscópio, Cavalo de Ferro, Celta, Centro de Filosofia da Univ. de Lisboa, Centro de Filosofia das Ciências, Cinemateca, Coimbra, Coisas de Ler, Colibri, Companhia das Letras (Br.), Cosac Naify (Br.), Culturgest, Dafne, Dinalivro, Dois Dias Edições, Edarq, Edições 70, Editorial Presença, Esfera dos Livros, Ésquilo, Estampa, Fenda, Fim de Século, Formalpress, Fund. Manuel Leão, Fundação Calouste Gulbenkian, Fund. Francisco M. Santos, Guerra e Paz, Gustavo Gili, I. Univ. Coimbra, ICS, Imago (Br.), INCM, IST Press, Jorge Zahar (Br.), Letra Livre, Livpsic, Livros Horizonte, Martins Fontes (Br.), Mundos Sociais, Nelson de Matos, Novembro, Objectiva, Orfeu Negro, Palimpsesto, Pedago, Pedra Angular, Perspectiva (Br.), Planeta, Plátano, Quid Juris, Relâmpago,Texto e Grafia, Univ. Lusíada, Univ. Porto, Vendaval, outras editoras brasileiras, livros em promoção (Cotovia, Antígona, Cavalo de Ferro, Cosmos entre outras) e diversas edições de autor. O catálogo discográfico: Presente, Discos Orfeu, algumas edições de autor e outros Cds de músicos habituais na Fábrica.


Newsletter de Março da Livraria Braco de Prata  

Publicacao mensal com as novidades e destaques editoriais e com os acontecimentos da livraria

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you