Page 1

E N T R E lĂ­via buchala vetorasso TGI 2

M E I O S


Exercício de projeto para se pensar a

habitação sob

a ótica das mudanças comportamentais que vem ocorrendo há quatro décadas, fazendo surgir

familiares e modos de vida.

novos formatos


Qual o limite desejável do espaço privado da habitação? Interessa criar espaços onde esses indivíduos possam realizar atividades, antes, tradicionalmente, destinadas ao espaço privado da habitação, em outra esfera, coletiva.

Exercício de projeto para se pensar a

habitação sob

a ótica das mudanças comportamentais que vem ocorrendo há três décadas, fazendo surgir

familiares.

novos formatos


Em uma segunda escala |

urbana |é também objeto de

estudo, como esses espaços coletivos e as unidades habitacionais configurados em um único edifício, relacionam com seu

se

entorno

construído e com o espaço público.


Silodam - MVRDV

ReferĂŞncias projetuais


Gifu Apartaments - SANAA

ReferĂŞncias projetuais


Nemausus - Jean Nouvel projetuais ReferĂŞncias ReferĂŞncias projetuais


Habita Sampa - Grupo sp Elemental Chile Living Box

ReferĂŞncias projetuais


Estudo das relações entre edifícios, em possíveis ligações e nos percursos permitidos, explorando o desenho nas suas

sem pensar uma forma prédeterminada. infinitas possibilidades,

ensaios


ensaios


O edifício com alguns

vazios internos , formando aberturas diretas para a cidade. Esses vazios são como pátios internos numa residências, porém, quando posicionados a 90º em relação ao solo, criam outras relações

ensaios

com a paisagem.


ensaios Circulação como elemento de

ligação com o entorno construído


área de intervenção São José do Rio Preto, SP


Biblioteca Municipal

área de intervenção

Rodoviária e Terminal Urbano

Igreja Catedral

. Av

Mercado Municipal

r be l A

Poupatempo Prefeitura Municipal Córrego Canela

to

ó al d An

Represa Municipal


Praça Cívica

Biblioteca Municipal

área de intervenção

Praça Dom José Marcondes

Rodoviária e Terminal Urbano

Igreja Catedral

Praça Rui Barbosa

. Av

Mercado Municipal

r be l A

Poupatempo Prefeitura Municipal Córrego Canela

to

ó al d An

Represa Municipal


Calçadão comercial

Praça Cívica

Biblioteca Municipal

área de intervenção

Praça Dom José Marcondes

Rodoviária e Terminal Urbano

Igreja Catedral

Praça Rui Barbosa

. Av

Mercado Municipal

r be l A

Poupatempo Prefeitura Municipal Córrego Canela

to

ó al d An

Represa Municipal


ua e qu Si ira C

de

m

am s po

ua

a Ru

XV

ve o N

o br

R e rg Jo riç bi Ti a

área de intervenção

de

R

a Ru

tá un l Vo

s rio

o Sã

o ul a P

. Av

r be l A

to

ó al d An


área de intervenção

MAPA DE USOS

comércio

habitação

praças

serviços

institucional

clube


área de intervenção

Estacionamentos na região central


área de intervenção

Área de intervanção


área de intervenção

4

1 2

5 3

6 7 3 21

5 6 78

4

8


12 11 10 9

área de intervenção

15 13 14

10

9 13

14

11 15

12


âmbitos especializados âmbitos não especializados âmbitos complementares

unidades habitacionais 3,2

Não busco definir funções ou nomes para determinadas áreas, mas garantir a apropriação dos espaços segundo as necessidades e vontades de cada habitante, sem

superfície, pela acessibilidade ou por uma única possibilidade

2,8

predeterminar exclusivamente uma condição, seja pela

de distribuição.

A=9m²

Módulo interno dos ambientes


Ciclo dos alimentos

preparo

limpeza

armazenagem

Ciclo das atividades higiênicas

banho

unidades habitacionais

higiene íntima

Os âmbitos especializados são aqueles que necessitam de infra-estrutura e instalações adequadas para o seu funcionamento.

âmbitos especializados


0,7 0,8

0,8

0,8

0,7

0,7

0,7

0,8

M처dulo com shaft para organizar os 창mbitos especializados

창mbitos especializados

unidades habitacionais


Módulo não especializado

unidades habitacionais Os âmbitos não especializados são aqueles que não necessitam de infraestrutura e instalações adequadas para o seu funcionamento, mas devem garantir parâmetros de conforto para a habitabilidade. A função dos âmbitos não especializados será definida pelo usuário. São os espaços de descanso, de refeições, de convívio e de trabalho.

Algumas possibilidades de organização dos módulos de forma isolada

âmbitos não especializados


Comer

Comer

Dormir

Dormir

Espaço de armazenagem

Espaços exteriores próprios

Trabalhar

Trabalhar

Convívio

unidades habitacionais Os âmbitos complementares funcionam associados a outros âmbitos, nunca formando um recinto único. São os espaços de armazenagem e os espaços exteriores próprios.

âmbitos complementares


unidades habitacionais Espaço exterior próprio de cada unidade habitacional. Localizados na elevação sudoeste do edifício.

módulo -


unidades habitacionais dimens천es


unidades habitacionais

unidades tĂŠrreas possibilidades


unidades habitacionais

unidades tĂŠrreas maquete


unidades habitacionais

unidades duplex possibilidades


unidades habitacionais

unidades duplex maquete


unidades habitacionais

unidades triplex possibilidades


Acessos Verticais Acessos Horizontais

Implantação do edifício na área de intervenção

exercício | bloco 2


Acessos Verticais Acessos Horizontais

Implantação do edifício na área de intervenção

exercício | linear


edifĂ­cio |


implantação_térreo


implantação_3º pavimento


elevação sudoeste

elevação mordeste


A

B B

A

corte AA

corte BB


corte AA_detalhes


corte BB_detalhes


52un.

un. tĂŠrrea

54un.

un. duplex

32un.

un. triplex


atividades coletivas

atividades coletivas


vazios_estares


circulação_passarelas


pavimento tĂŠrreo


detalhes |

estrutura_caminho das cargas


detalhes |

fachadas


detalhes |

fachadas


maquete |


Habitar entre meios  

Trabalho de graduação integrado 2 - Lívia Buchala Vetorasso - 2011 - IAUSC - USP