Page 1


UMA NOVA LIÇÃO

1ª EDIÇÃO 1


A PARE – ASSOCIAÇÃO PARA O ENFRENTAMENTO DO PRECONCEITO é uma associação sem fins lucrativos, estabelecida na Rua Cachoeirinha, 281, bairro Santa Cruz, cidade de Belo Horizonte, estado de Minas Gerais, CEP 31.150-260. Tem como objetivo principal a promoção dos direitos humanos, principalmente no que tange ao direito à personalidade e liberdade de escolha, bem como o respeito à incolumidade física (corpo físico) e psíquica (mente e consciência), entre outras. Fundada em 31 de dezembro de 2012, nossa proposta é manter um trabalho alicerçado no apoio de profissionais ligados à área comportamental, ajudando principalmente às pessoas que lutam pela aceitação da sua condição. Estes profissionais estudarão o perfil dessas pessoas e poderão, com exatidão, oferecer uma ajuda direcionada. Há ainda o trabalho junto à comunidade, focado na prevenção e conscientização sobre a importância do respeito à dignidade humana, da aceitação e do apoio para que os indivíduos tenham uma vida plena, sem traumas e digna. Aplicamos integralmente os recursos recebidos na realização de nossos objetivos sociais. Não distribuímos lucros, bonificações ou vantagens a nossos dirigentes, mantenedores ou associados, sob nenhuma forma ou pretexto, e todos os nossos serviços são prestados exclusivamente de forma gratuita e em benefício da comunidade. Conheça mais sobre nossos projetos e associe-se através do nosso site, pare.org.br. 2


Marcar as nossas vidas com iniciativas que promovam o bem estar social, que apoiem pessoas indefesas e que falem com clareza sobre temas polêmicos é a melhor forma de sentir se útil e deixar marcas importantes para a sociedade. Há algum tempo, iniciei um trabalho solitário contra a pedofilia e, apesar das dificuldades, desafiei as impossibilidades. Não me incomodei ou intimidei, ao contrário, investi em ações, como aprendi com os ensinamentos que recebi de minha mãe: acreditar em minhas ideias e fazer com coragem o que eu acreditar que é de minha responsabilidade. Quis o destino que, neste caminhar, eu encontrasse pessoas com os mesmos princípios, valores, ideias e motivações, e, acreditando que a união faz a força, nos mobilizamos para escrever esta cartilha que será de grande valia em defesa de seres inocentes que são maltratados, evitando-se, assim, que marcas dolorosas e difíceis de esquecer possam atingir suas vidas...

José Juca Pinto de Almeida Presidente da PARE 3


4


Naquela manhã de segunda-feira, a professora Joana percebeu algo estranho. Huguinho estava pensativo e distante, comportamento bem diferente do habitual. Sempre curioso e participativo, sua atitude naquele dia causava estranheza. Quando o sinal do recreio tocou, Huguinho continuou sentado. Joana, então, foi até a carteira de Huguinho para conversar. Percebeu que, ao invés de copiar a matéria, ele havia desenhado no caderno. Aquela ilustração deixou a professora muito preocupada, já que um dos rapazes estava algemado. __Que desenho legal, Huguinho. Quem são? __É a minha família, tia Joana. __E por que esse está algemado? __Ele é o meu tio. Meu pai brigou com ele e a polícia foi lá na minha casa. A polícia prendeu meu tio. __É mesmo, Huguinho? E você sabe o motivo? __Ele machucou minha irmã e tirou fotos nossas que não podia. Meu pai disse que ele é um pedófilo. Eu não sei o que é isso. Joana engoliu um soluço e disse: __Vou te levar na sala da tia Sara, ela é psicopedagoga e vai te ajudar a entender sobre isso. 5


6


Huguinho, com indiferença, aceitou ir. Enquanto esperava, tirou alguns bonecos da prateleira para brincar. Ele pegava os bonecos e os colocava para beijar, deitava um em cima do outro. Evitava olhar para as fotos do mural. Sara se aproximou docemente. __Oi, Huguinho. Ele a olhou timidamente. __Gostou dos brinquedos? Ele somente fez com a cabeça que sim. Sara pegou na sua mão e o levou para uma sala reservada. __Quer me contar o que aconteceu com sua irmã? – suas palavras eram bem medidas e saiam num tom carinhoso. __Meu tio foi levado pela polícia... ele machucou minha irmã e tirava fotos nossas na hora do banho. Ele dava banho em mim e nela. __E sua mãe, onde estava? __No trabalho, durante a tarde ele tomava conta da gente. Sara ficou pensativa por alguns momentos. __Meu pai disse que ele é pedófilo. O que é isso? __Pedófilo é uma pessoa adulta que faz coisas que não pode com crianças. Ele machuca as crianças, tira fotos. 7


8


Huguinho escutava atento, meio sem entender, afinal tinha somente oito anos e ainda não sabia muito sobre as questões sexuais. Muitos pais evitam esse assunto, e com ele não havia sido diferente. Após escutar toda a história, Sara mandou um bilhete convocando os pais de Huguinho para uma conversa, e pediu que ele fosse para o pátio aproveitar o resto do recreio. Na sala dos professores, Sara chamou o corpo docente e explicou a situação. __Caros colegas, temos uma situação difícil com um de nossos alunos, o Huguinho. Ele foi vítima de pedofilia dentro de casa. Hoje a professora Joana percebeu uma mudança brusca de comportamento e, ao conversar com ele, percebeu que ele havia feito este desenho. __Sim – disse Joana – Ele me contou que seu tio foi preso acusado de pedofilia, e que ele e sua irmã haviam sido molestados. O professor de Educação Física, Reginaldo, pediu a palavra. __Bem, agora que vocês comentaram, o Huguinho vem apresentando mudanças de comportamento já há algum tempo, mas como foram mudanças suaves, não demos a devida importância. Por exemplo, notei que ele evitava 9


10


tomar banho depois da educação física, e esperava todos saírem para trocar de roupa. __Sim – disse Sara – A professora Joana também havia comentado que ele estava um pouco disperso, mas ao longo da aula, voltava a ser o aluno de sempre. Hoje, talvez devido à situação que aconteceu em sua casa, ele esteve apático todo o tempo, o que chamou a atenção de Joana e ela, corretamente, o encaminhou até mim. Agora poderemos acompanhar o caso e ajudar à família. Ao chegar em casa, Huguinho entregou o bilhete de Sara para sua mãe. Naquela tarde, diante do ocorrido, ela não fora trabalhar. À noite, quando o pai de Huguinho chegou, ela entregou o bilhete a ele. __Querido, a pedagoga do colégio pediu para que fossemos até lá amanhã. Acho que ela já está sabendo do que aconteceu. Será que ela também vai me condenar? __Querida, não temos culpa de nada. Nós apenas confiamos no seu irmão. Nós dois precisamos trabalhar, e nosso erro foi achar que deixar nossos filhos com uma pessoa da família seria mais seguro. __Ele molestou nossos filhos por mais de dois meses, além de ter tirado e vendido fotos deles 11


12


na hora do banho. Como não vimos antes? Envolvidos na rotina diária, o casal demorou a perceber o ocorrido, apenas notavam que a menina estava sempre com medo de alguma coisa. A professora da menina notou que a criança estava indiferente às situações na sala de aula. Mandou um bilhete para os pais, mas foi o tio que compareceu para tentar esclarecer os fatos. Em vão, pois ele era o causador da tristeza daquela menina. Foi em uma manhã de domingo que tudo foi descoberto. Ao dar banho na filha, quando lavava as partes íntimas, a menina gritou de dor. Foi mais de uma hora para conseguir a verdade. __Filha, quem te machucou? Pode falar, a mamãe e o papai vão te ajudar. __Foi o titio… A verdade veio de forma dolorida. A vinda do irmão da esposa para aquele lar foi vista como uma oportunidade de alguém de confiança cuidar das crianças durante a tarde, horário em que ficariam sozinhos em casa ou teriam que ser deixados sob os cuidados de um estranho. O casal não podia imaginar que o perigo estava dentro da família. 13


14


No dia seguinte, Sara recebeu os pais de Huguinho. Colocou-se à disposição para o que precisassem. Indicou acompanhamento psicológico para toda a família, principalmente para as crianças. __Sei que a situação é extremamente delicada, mas vocês terão de ser fortes. Crianças vítimas de pedofilia e maus tratos carregam traumas por toda a vida, dificultando assim sua vivência. Por isso, o acompanhamento psicológico é tão importante. A mãe se sentia culpada. __Sabe, Sara, eu me sinto culpada por ter deixado meus filhos na mão do meu irmão. Todos me olham na rua. Eu deveria passar mais tempo com as crianças, mas precisamos do dinheiro do meu salário. __Você não é culpada, nem o seu marido. Vocês apenas acreditaram fazer o melhor para a segurança das crianças, deixando-as com alguém de extrema confiança, ao invés de um estranho, achando que assim elas estariam seguras. Mas às vezes o perigo está em casa. __Mas eu deveria ter percebido. __Infelizmente, não é fácil reconhecer um pedófilo. É uma pessoa aparentemente comum e não possui características físicas que a diferencie de outras pessoas. 15


16


Depois da conversa, a coordenação da escola resolveu criar uma campanha na escola. Aconteceriam palestras para os pais e professores com profissionais da área, orientando sobre como lidar e evitar a situação. Os alunos pesquisaram e fizeram trabalhos sobre a pedofilia. A escola ficou enfeitada de alertas. Agora, as crianças ficariam atentas e não se calariam com medo do agressor. A professora Joana distribuiu aos pais uma lista com os comportamentos mais comuns das pessoas pedófilas, com os quais todas as crianças e adolescentes devem tomar cuidado e desconfiar: • Gostam de ficar sozinhos com crianças ou adolescentes, sendo muito atenciosos e sedutores; • Gostam de fazer “amizade” com crianças e adolescente; • Sempre procuram agradar sua vítima com presentes, elogios e promessas; • Em suas casas possuem vários objetos, jogos, guloseimas para agradar crianças e adolescentes; • Procuram fazer carinho nas partes íntimas de crianças e adolescentes; • Sempre pedem para guardar segredo e nunca contar nada a ninguém sobre seus comportamentos; 17


18


• Às vezes, ameaçam a criança/adolescente, algo ou alguém de que goste muito, caso não ceda às suas vontades; • Pedem para filmar ou tirar fotos de criança/adolescente, com pouca ou nenhuma roupa e pedem para fazer poses sensuais;

__Crianças, não tenham medo de contar para o papai e para a mamãe se alguém fizer com vocês qualquer maldade. Vamos combater esse crime. Essas pessoas ruins devem ser punidas e nós, crianças, pais e educadores, somos os disseminadores do combate a esse mal – disse Sara ao finalizar sua palestra. Huguinho foi também chamado e, com uma folha na mão, apresentou sua pesquisa: __A pedofilia é um desvio da sexualidade que leva o indivíduo adulto a se sentir sexualmente atraído de modo compulsivo por crianças e adolescentes. É uma forma de violência sexual. Todos devemos ficar atentos. Em caso de denúncias, devemos ligar para o número 100, do Disque Denúncia Nacional. A ligação é gratuita e o serviço funciona diariamente das 8h às 22h, inclusive nos finais de semana e feriados. A denúncia é sigilosa. Todos aplaudiram por um longo tempo. 19


ESTAS EMPRESAS APOIAM ESTE PROJETO


Uma nova lição miolo piloto