Issuu on Google+


14 A 20 DE JUNHO`10 | n.º 165 Editorial / Pág. 3 Em destaque / 100 anos do Castelo de S. Jorge / Pág. 4 Festivais / Silêncio! / Pág. 6 Música / Festival Chopin / Pág. 7 Festas da Cidade / Outras Cenas / Pág. 8 Exposições / O Chiado tem a maior exposição fotográfica do Mundo / Pág. 9

Curtas / Pág. 10 Em Agenda / Pág. 11 Centenário da República / Pág. 13


Editorial

LISBOA CULTURAL NEWSLETTER

Siga-nos em http://twitter.com/lisboa_cultural

Ergue-se sobre a cidade desde antes do nascer da nacionalidade. É um dos símbolos de Lisboa e uma das suas mais fortes marcas iconográficas. Foi residência de reis, reduto defensivo, albergou quartéis e hoje é simultaneamente um espaço de lazer, de onde se usufrui de uma das belas vistas da capital, e um pólo cultural, reforçado pela abertura do núcleo museológico e, mais recentemente, do núcleo arqueológico. Há cem anos atrás, ainda sob a monarquia, o Castelo de S. Jorge foi um dos 516 monumentos oficialmente declarados de interesse nacional. Davam-se então, em Portugal, os primeiros passos nas políticas da defesa e salvaguarda do património, depois de um século em que o abandono e o vandalismo haviam provocado danos, em muitos casos irreparáveis. As invasões francesas e a extinção das Ordens Religiosas em 1834 foram apontadas, pela historiografia da arte, como as principais causas do panorama desolador que se apresentava aos curiosos e estudiosos dos monumentos no final de oitocentos. Um longo caminho se trilhou desde então, nas questões de protecção patrimonial. Teoria e prática de restauro cruzaram-se com políticas mais ou menos intervencionistas. O Castelo de S. Jorge foi praticamente refeito nas obras de 1938-1940, adquirindo nessa campanha, a feição medieval que hoje lhe conhecemos. Nesta semana, em que se assinala o centenário do decreto de classificação do Castelo como Monumento Nacional, a Lisboa Cultural sugere que visite o conjunto (é grátis para os lisboetas) e já agora aproveite para assistir ao espectáculo que entre 16 e 19 de Junho celebra a efeméride.

Ficha técnica Edição: Divisão de Programação e Divulgação Cultural | Direcção Municipal de Cultura | CML Editora: Paula Teixeira Redacção: Frederico Bernardino, Sara Ferreira Capa e Paginação: Rute Figueira Fotografia: Francisco Levita* Contactos: Rua Manuel Marques, 4F, Edifício Utreque - Parque Europa, 1750-171 Lisboa | Tel. 21 817 06 00 | lisboa.cultural@cm-lisboa.pt

http://www.facebook.com/Lisboa-Cultural http://itematicoslisboa.blogspot.com/


Em Destaque

LISBOA CULTURAL NEWSLETTER

100 anos de história do Castelo de S. Jorge Monumento Nacional

A 16 de Junho D. Manuel II assinou o decreto de classificação do Castelo de São Jorge como Monumento Nacional. Desde muito cedo o Castelo, situado na mais alta colina de Lisboa, foi considerado como um lugar aprazível para a ocupação humana, datando do século II a.C. a primeira fortificação conhecida. Por ali passaram Fenícios, Gregos, Cartagineses, Romanos e Muçulmanos, sendo estes últimos os responsáveis pela definição dos limites da Alcáçova, cujo perímetro corresponde, sensivelmente, aos limites da actual freguesia do Castelo. Conduzida por D. Afonso Henriques, Rei de Portugal, em 1147 dá-se a conquista cristã da cidade de Lisboa, o que fez com que, a partir do séc. XIII, o Castelo passasse a albergar o Paço Real, tornando-se Lisboa a capital do reino. Foi no Castelo que, no século XVI, ocorreu a estreia da primeira peça de teatro português. Comemorativa do nascimento de D. João III, sucessor de D. Manuel, “subiu ao palco”, o Monólogo do Vaqueiro, de Gil Vicente. Foi também no Castelo que Vasco da Gama foi recebido, após a descoberta do caminho marítimo para a Índia.

PAG. 4


Em Destaque

LISBOA CULTURAL NEWSLETTER

100 anos de história do Castelo de S. Jorge Monumento Nacional Entretanto, após a mudança da residência real para a zona ribeirinha, a instalação de aquartelamentos e o terramoto de 1755, o Castelo de São Jorge foi-se degradando e descaracterizando. E é já no séc. XX que o Castelo é alvo de duas importantes intervenções: uma entre 1938-1940 e outra ainda a decorrer, em que o principal investimento se concentra em obras de conservação monumental e intervenções na área habitacional. Nos dias que correm, os milhares de visitantes do Castelo de São Jorge usufruem de uma oferta cultural e lúdica única, tornando-o um espaço de referência. Assim, e como a data em que foi classificado como Monumento Nacional não podia passar despercebida, o Castelo de S. Jorge e a EGEAC apresentam Histórias do Castelo – Séculos de História em 100 Anos de Monumento Nacional, uma criação contemporânea inspirada neste que é considerado um elemento fundamental da cidade. Com textos inéditos de Nuno Júdice, interpretados por Beatriz Batarda, João Grosso, Rui Mendes, Vitor d’ Andrade, Bruno Huca, Inês Nogueira, Jenny Romero e Joana de Verona, música de Bernardo Sassetti e com a Sinfonietta de Lisboa, dirigida por Vasco Pearce de Azevedo, o espectáculo integra ainda projecções nas muralhas de desenho digital de António Jorge Gonçalves. Nos dias 16 e 17 de Junho, às 22h, e nos dias 18 e 19 de Junho, às 23h30, faça uma viagem visual, musical e literária pelo Castelo. SF

PAG. 5


Festivais

P

elo segundo ano consecutivo, Lisboa volta a ser “capital da palavra”. De 16 a 26 de Junho, o Festival Silêncio! propõe inovadoras abordagens de ligação da “palavra” às novas tendências artísticas e expressões urbanas, numa programação alternativa de música, arte e literatura. Dedicado às novas tendências artísticas e expressões urbanas que cruzam a música, a performance e a literatura com a “palavra”, o Festival Silêncio!, na sua segunda edição, traz aos palcos do Music Box, do Goethe-Institute Portugal, do Instituto Franco-Português, do Maria Matos Teatro Municipal e do Cinema Nimas, alguns dos grandes nomes da cena artística alternativa nacional e internacional. Este ano, os principais destaques recaem nas actuações dos norte-americanos Saul Williams e Ursula Rucker, dos portugueses João Peste e JP Simões, do alemão Sebastian 23 e da francesa Barbara Carlotti.

LISBOA CULTURAL NEWSLETTER

Para além dos concertos, o Silêncio! propõe inúmeros eventos de poetry slam, debates, conferências, apresentações de audiolivros, leituras encenadas e espectáculos transversais de spoken word. Nesta edição, destacam-se ainda alguns eventos ao ar livre, como a construção colectiva de um texto no Largo dos Stephens à Rua das Flores (17 de Junho, 19h) e um campeonato de Scrabble no Largo de São Paulo (19 de Junho, 17h). Apostando cada vez mais na inovação e no arrojo, vai ser ainda possível visitar uma instalação, concebida pelos alunos da Escola Superior de Artes e Design, subordinada ao tema “Palavra”, no Cabeleireiro Motor Hairport, na Rua de São Paulo. FB Festival Silêncio! De 16 a 26 de Junho www.festivalsilencio.com

PAG. 6


Música

PAG. 7

LISBOA CULTURAL NEWSLETTER

200 ANOS DE CHOPIN

PROGRAMAÇÃO RECITAL DE ANTÓNIO ROSADO Sala Principal | 16 Junho, 21h

Um ciclo de concertos, a apresentação de quatro jovens pianistas e uma leitura “jazzistica” de Fréderique Chopin são os principais atractivos do Festival Chopin, que arranca no próximo dia 16 de Junho, no Teatro Municipal São Luiz. O evento tem a assinatura da Orquestra Metropolitana de Lisboa e assinala o bicentenário do nascimento do compositor polaco. Chopin nasceu há 200 anos, mais precisamente no dia 1 de Março de 1810, na região de Mazóvia, Polónia. Desde cedo, mostrou-se invulgarmente dotado para o piano, tanto que, em Varsóvia, depressa o apelidaram de “segundo Mozart”. Com uma obra extensíssima e intemporalmente aclamada, Chopin granjeou ao longo dos anos o estatuto de um dos mais amados compositores da sempre. O Festival Chopin presta assim, numa parceria entre a Metropolitana e o São Luiz Teatro

Municipal, uma justa homenagem a um dos nomes maiores do Romantismo. O festival inicia-se no dia 16, com um integral das baladas e scherzos de Chopin interpretados pelo pianista António Rosado. Naqueles que se perspectivam como os momentos altos da programação, destacam-se os concertos do Mário Laginha Trio - onde se apresentam composições do pianista Mário Laginha inspiradas em obras do compositor clássico - e os recitais de quatro jovens pianistas finalistas do Concurso Jovens Músicos 2010, iniciativa lançada pela Metropolitana aquando da apresentação do Festival Chopin, em Fevereiro deste ano. FB Festival Chopin 16 a 19 de Junho São Luiz Teatro Municipal

ANTÓNIO ROSADO E ORQUESTRA METROPOLITANA DE LISBOA Sala Principal | 17 Junho, 21h ANTÓNIO ROSADO E ORQUESTRA METROPOLITANA DE LISBOA Sala Principal | 18 Junho, 21h MÁRIO LAGINHA TRIO Sala Principal | 19 Junho, 21h JAM CHOPIN Jardim de Inverno | 19 Junho, 23h RECITAIS DOS FINALISTAS DO CONCURSO JOVENS PIANISTAS 2010 Jardim de Inverno | 16 a 19 Junho, 18h30 | entrada livre


Festas da Cidade

LISBOA CULTURAL NEWSLETTER

PAG. 8

Outras Cenas

Fado nos Eléctricos 16 a 20 Junho | 16h e 19h | O eléctrico 28 ganha nova vida com o fado mais tradicional e castiço

O

riginalidade, diversidade e oportunidade de descoberta. Estes são apenas alguns dos desafios lançados o ano passado a vários agentes culturais da cidade, de onde resultou Outras Cenas. Uma iniciativa que oferece uma programação alternativa que conjuga momentos, sentidos, linguagens e lugares, possibilitando uma outra experiência de cidade. Neste âmbito, a partir da obra de Fernando Pessoa, Lisboa: O Que Turista Deve Ver é um espectáculo onde o poeta se transforma num cicerone que passeia o leitor por Lisboa. Organizado pela Cassefaz, o texto homónimo de Fernando Pessoa é transposto para a rua, num percurso que recorre ao som e à imagem, fazendo um contraste entre o passado e o presente.

Na “onda” da literatura, sugerimos-lhe ainda a redescoberta de Lisboa por Luiz Ruffato, um dos nomes de destaque da literatura contemporânea brasileira, em A Cidade de Lisboa em Luiz Ruffato. Organizada pela Casa da América Latina, esta é uma leitura encenada que convida o público a vivenciar uma cidade a partir de uma narrativa literária. De 16 a 20 de Junho, tem muitas Outras Cenas à sua espera. Descubra-as em www.festasdelisboa. com. SF

Arraiais populares Ao longo do mês de Junho, nos arraiais populares não faltam a sardinha assada, o pão com chouriço, os manjericos e muito animação, com cada freguesia a oferecer o que tem de mais tradicional. Festa do Fado Para além dos concertos habituais no Castelo de S. Jorge, e da extensão ao Museu do Fado, a Festa do Fado inclui ainda as Noites de Fado no Chapitô e na Fábrica Braço de Prata, e os fins de tarde, aos domingos, na Igreja de Santo Estêvão. II edição – o Teatro das Compras 17 Junho a 3 Julho | 6.ªf e sábados, 23h em 13 lojas da Baixa

PROGRAMAÇÃO DA SEMANA

Lounge 16 Junho | 19h | Quarteto de clarinetes 17 Junho | 23h30 | Marco Rodrigues 18 Junho | 23h30 | Gazua 19 Junho | 23h30 | Dj X-Acto


Exposições

LISBOA CULTURAL NEWSLETTER

PAG. 9

O Chiado tem a maior exposição fotográfica do mundo

M

ontras que se transformam em galerias. Assim é a “Maior Exposição Fotográfica do Mundo” que se instalou no Chiado desde o passado dia 10 de Junho. No total, são 62 as lojas, situadas na Rua do Carmo, na Rua Nova do Almada e no Largo do Chiado. Nas mais de 100 montras pode ver imagens da autoria de 200 fotógrafos nacionais – amadores, profissionais e estudantes de fotografia –, sendo que alguns foram convidados pela organização e outros aderiram ao grupo criado na rede social facebook para o efeito. Em declarações à agência Lusa, Aurora Diogo, comissária da exposição, revela que os principais objectivos da iniciativa são “dar oportunidade de expor ao maior número de fotógrafos possível e aliar a fotografia ao

património arquitectónico da zona do Chiado”. Além das montras, o Chiado acolhe ainda dez exposições individuais de fotógrafos consagrados. A título de exemplo, saiba que a montra da Vista Alegre recebe imagens de Gérard Castello-Lopes; o Hotel do Chiado acolhe a exposição do fotógrafo de moda Carlos Ramos; e o espaço onde em breve abrirão duas lojas de roupa terá expostas fotografias de música de Rita Carmo. As Galerias Pombalinas, o Arquivo Fotográfico Municipal de Lisboa, o Centro Nacional de Cultura, o Espaço Santa Casa, os Armazéns do Chiado, a livraria Férin e o Governo Civil de Lisboa constituem-se como os restantes espaços que, até dia 20 de Junho, recebem exposições individuais de fotografia. SF


Curtas

LISBOA CULTURAL NEWSLETTER

PAG. 10

Há Fado na Mouraria Tem uma veia artística à qual não tem dado muita atenção? Até 30 de Setembro, a Associação Renovar a Mouraria convida talentos poéticos e fadistas escondidos a revelarem o seu valor e a darem novos fados ao Fado. Para concorrer, só tem de criar uma letra original e ser fadista amador. Todos os finalistas terão oportunidade de gravar o seu fado no áudio livro, a lançar em 2011. Para mais informações visite o site da associação em www.renovaramouraria.pt. clique aqui

Colecção Daciano da Costa no MUDE Na próxima quarta feira, dia 16, vai ser assinado o protocolo de depósito da Colecção Daciano da Costa à Câmara Municipal de Lisboa/Museu do Design e da Moda. Na cerimónia estarão presentes o Presidente da CML, António Costa, a família Daciano da Costa e o arquitecto João Paulo Martins a quem caberá apresentar a vida e obra daquele que foi um dos mais destacados designers portugueses.

Está a chegar o Curtas 2010 Não é só no cinema que se fazem curtas… A partir de 16 de Junho, inicia-se a segunda edição do Curtas 2010 – Mostra de Teatro de Peças de Curta Duração. De quarta a domingo, às 21h e 22h30, e até 4 de Julho, pequenas peças vão animar as noites da Ribeira, mesmo nas traseiras do mercado. Da programação deste ano destacam-se projectos de Miguel Castro Caldas, de Hugo Amaro, dos Útero ou do Teatro do Eléctrico. Para mais informações, consulte www.primeiros-sintomas.com

Alfama vence Concurso das Marchas Populares No ano em que o centenário da República deu o mote à festa, a marcha de Alfama voltou a vencer o Concurso de Marchas Populares de Lisboa. Nos segundo e terceiro lugares ficaram, respectivamente, as marchas de Marvila e Bica. Para além de ter sido a marcha mais votada, Alfama foi ainda distinguida nas categorias de melhor Coreografia, Melhor Musicalidade e Melhor Desfile na Avenida. Na edição deste ano participaram 20 marchas que desfilaram no passado sábado na Avenida da Liberdade.


Em Agenda

LISBOA CULTURAL NEWSLETTER

Festivais

PAG. 11 DESTAQUES

- Festival ao Largo 2010 | de 26 de Junho a 26 de Julho | Largo de São Carlos | www.festivalaolargo.com

.:música:. Música - Outjazz 2010 | Até Setembro, todos os domingos | www.ncs.pt

Teatro - O Rei Está a Morrer, de Eugène Ionesco encenação de João Mota | Até 27 de Junho | Teatro da Comuna | www.comunateatropesquisa.pt - A Casa dos Anjos, de Luís Mário Lopes | encenação de Ana Nave Teatro Aberto | www.teatroaberto.com

Outros eventos - À conversa com… Roberto Moreno | 15 de Junho | 19h30 | Biblioteca Municipal Palácio Galveias | 21 780 30 20 - Lançamento do livro Portugal, de Luís Diferr | 16 de Junho | 18h30 Palácio Beau Séjour | Estrada de Benfica, 368 - aoarlivre | 19 de Junho | das 15h às 20h | Jardim das Estacas | Maria Matos Teatro Municipal | www.teatromariamatos.pt - Oficina de escrita Rimas com Lisboa por dentro | Até 30 de Junho Palácio Beau Séjour | Estrada de Benfica, 368 | 21 770 11 00

The Necks Mais de 20 anos de existência, centenas de concertos e 15 discos depois, os Necks vêm a Lisboa para um concerto que promete ser um dos melhores da actualidade, tudo feito a partir da desmaterialização pela repetição. 16 de Junho | 22h | Maria Matos Teatro Municipal

.:teatro:. O teatro no jardim - Brincadeiras e Teatrices Nos vários espaços do Teatro Taborda ir-se-ão trocar e partilhar conhecimentos, num encontro entre várias gerações. Histórias, culinária, bordados e jogos tradicionais são apenas algumas das propostas. 19 e 20 de Junho | Teatro Taborda | www. teatrodagaragem.com


Em Agenda

LISBOA CULTURAL NEWSLETTER

Exposições - Livro do Silêncio | Casa Fernando Pessoa | Rua - Aniversário de Fernando Pessoa | Até 30 de Junho | Biblioteca-Museu República e Resistência Coelho da Rocha, 16 – Espaço Grandella | 21 771 23 10 - Pessoa Revisitado | exposição de pintura e desenho | Casa Fernando Pessoa | Sala de - O Atelier | Até 3 de Julho | Biblioteca Municipal exposições | Rua Coelho da Rocha, 16 | http:// Orlando Ribeiro | Antigo Solar da Nora, Estrada de Telheiras, 146 | 21 754 90 30 mundopessoa.blogs.sapo.pt - 7:00 PM Deadly Sins| GAU - Galeria de Arte - Zoom In / Zoom Out | Até 4 de Julho | MUDE – Urbana da Câmara Municipal de Lisboa Largo Museu do Design e da Moda Rua Augusta, 24 | da Oliveirinha à Calçada da Glória, Bairro Alto | 21 888 61 20 | www.mude.pt http://gau-lisboa.blogspot.com - Olhares da Biodiversidade | Até 4 de Julho - Na terra do faz de conta… | Até 26 de Junho Espaço Monsanto | 21 817 02 00 Biblioteca Municipal Orlando Ribeiro | 21 754 90 - Casabsoluta | Até 17 de Julho Arquivo Municipal 30 de Lisboa | Arquivo Fotográfico / Sala de Leitura | - Scriptorium Medieval | a história da escrita vista Rua da Palma, 246 | 21 886 23 32 através da recriação de um centro de cópias de manuscritos da época medieval | Até 30 de Junho - Bordalo Artes Decorativas: Mobiliário e Interiores Até 15 de Agosto | Galeria de Exposições | GEO - Gabinete de Estudos Olisiponenses Temporárias do Museu Bordalo Pinheiro | Campo - Os Outros | Até 30 de Junho | Pavilhão 27 - Grande, 382 | 21 817 06 67 Centro Hospitalar Psiquiátrico de Lisboa | Av. do - O Jogo da Política Moderna! | Até 26 de Setembro Brasil, n.º 53 | 93 385 87 79 Galeria de Exposições dos Paços do Concelho | 21 - As Marchas Populares de Lisboa na Imprensa 323 62 00 Portuguesa (1932-2010) | Até 30 de Junho Hemeroteca Municipal de Lisboa | Rua de S. Pedro de Alcântara, 3 | 21 324 62 90

PAG. 12 DESTAQUES .:exposições:. Pequenos Pessoas Exposição que apresenta os trabalhos realizados por alunos das escolas Engenheiro Ressano Garcia, Fernanda de Castro, Santo Condestável e Vale de Alcântara, no âmbito de um projecto que teve como objectivo sensibilizar para a importância da língua portuguesa. Casa Fernando Pessoa | 16 de Junho a 16 de Julho | http://mundopessoa.blogs.sapo.pt Ar.Co Bolseiros & Finalistas 09 O Palácio Galveias recebe, a partir de dia 15, uma mostra que reúne trabalhos de bolseiros e alunos do Ar.Co que terminaram o seu programa de estudos final no ano lectivo 2008/2009. Nesta edição, 13 participantes representam as áreas de Desenho, Pintura, Cerâmica, Fotografia e Cinema/Imagem em Movimento. Até 4 de Julho | Galeria Palácio Galveias | Campo Pequeno | 21 817 05 34


Centenário da República

LISBOA CULTURAL NEWSLETTER

Paços do Concelho O Jogo da Política Moderna! Até 26 de Setembro | Galeria de Exposições dos Paços do Concelho Escolas de Lisboa Ruas da República: a Brincar e a Aprender... Atelier, caderno de jogos e vídeo Alunos do 1º ciclo Marcações: 21 798 94 66 Galeria do Torreão Nascente da Cordoaria Nacional Avenida da Índia 21 364 29 09 Viva a República! - 1910-2010 Exposição | Abr a Out Info: 21 340 55 00 Comissão Nacional para as Comemorações do Centenário da República (CNCCR)

Museu da Cidade Campo Grande 245 21 751 32 00 Centenário da República - 1910/2010 Exposição Era uma vez... a República Visita orientada com animação Ensino pré-escolar Aconteceu na República Visita orientada e atelier Alunos do 3.º Ciclo | Até 31 Dez Museu Rafael Bordalo Pinheiro Campo Grande 382 21 751 32 15 Zé Povinho e a República Visita orientada e atelier Alunos do 1.º Ciclo Bordalo e a República Visita orientada | Até 31 Dez Info: 21 817 06 67

PAG. 13 Palácio Valadares Largo do Carmo, 32, Chiado 210 993 913 Educar. Educação para Todos. Ensino na I República Exposição | Até Out Info: 21 340 55 00 (CNCCR) Terreiro do Paço Torreão Poente Viajar. Viajantes e Turistas à Descoberta de Portugal no Tempo da I República Exposição | Até Out Torreão Nascente Corpo - Estado, Medicina e Sociedade no Tempo da I República Exposição Info: 21 340 55 00 (CNCCR)


LISBOA CULTURAL 165