Issuu on Google+

8 a 21 de maio


SIGA-NOS EM: twitter.com/lisboa_cultural facebook.com/lisboacultural itematicoslisboa.blogspot.com


I

Índice #250

8 a 21 de maio de´12

//

Entrevista

Ficha técnica

Bárbara Coutinho | Pág. 2

Edição: CML | Direção Municipal de Cultura Departamento de Ação Cultural | Divisão de Promoção e Comunicação Cultural Editor: Frederico Bernardino Redação:Frederico Bernardino, Raquel Antunes, Sara Simões Designer: Ana Filipa Leite , June Azkarate Capa: Sara Henriques, Teatro de Marionetas do Porto, fotografada por Francisco Levita e Humberto Mouco Contactos: Rua do Machadinho, 20, 1249-150 Lisboa | Tel. 218 170 900 lisboa.cultural@cm-lisboa.pt

Festivais A festa do cinema em português | Pág. 8 FIMFA | Pág. 10 Efemérides Dia Internacional dos Museus | Pág. 12 Palmarés IndieLisboa 2012 | Pág.15 A GAU comemora o 3.º aniversário | Pág.16 Teatro Ciclo Mulheres Palhaço| Pág. 18 Noites no Teatro | Pág. 19 Curtas | Pág. 20 Em Agenda | Pág. 22


E

Entrevista

A 21 de maio de 2009 o MUDE - Museu do Design e da Moda. Coleção Francisco Capelo abria ao público em plena Rua Augusta, num edifício que fora uma dependência do antigo Banco Nacional Ultramarino. A completar o terceiro aniversário, desafiámos Bárbara Coutinho, diretora do MUDE, a fazer um breve balanço e a olhar o futuro de um museu que é já uma referência no plano nacional e internacional.

Bárbara Coutinho Três anos de MUDE //

Três anos depois da abertura ao público, já há condições para se fazer um balanço? Penso que sim. Através dos números que fomos recolhendo, acho que cumprimos os objetivos a que nos propusemos, tanto em termos de público (mais de 640 mil visitantes, com especial incidência para o ano de 2011, onde se atingiu os 300 mil visitantes, sendo que, no total, 40% são estrangeiros) como em relação à atividade regular do museu e à aceitação junto de outros parceiros e entidades nacionais e internacionais. Neste momento, somos já um equipamento cultural central na cidade e de inegável importância e significado, conforme demonstra, por exemplo, o MUDE ter sido destaque em inúmeras revistas internacionais da especialidade. Este sucesso terá sido também importante para a Baixa Pombalina, desde logo pela reabilitação deste fantástico edifício de 14 mil metros quadrados onde nos instalámos, dando nova vida à zona e permitindo reanimar uma artéria fulcral da cidade como é a Rua Augusta.

> 2


3

fotografias de Francisco Levita


De que modo é que o MUDE contribuiu para a afirmação um longo caminho, independentemente de reconhecer o nosso contributo, a par com outras instituições, para uma da moda e do design português ao longo deste tempo? sensibilização do público para o design em geral, e para Antes de mais, o MUDE possibilitou ao grande público

o design português em particular. Plataformas essenciais

o reencontro com a importante coleção de Francisco Ca-

têm sido os Creative Lab, o acolhimento de lançamentos de

pelo, depois de em 2006 ter saído do Centro Cultural de

obras sobre arquitetura e urbanismo, a inclusão de peças

Belém. Em três anos, já exibimos cerca de 30% da cole-

de artistas nacionais na coleção permanente ou o trabalho

ção e contribuímos para a inscrever como uma referência

contínuo e regular com instituições de ensino…

a nível internacional. Além disso, o MUDE já apresentou 17 exposições temporárias e 80 eventos de âmbito cultural nas mais diversas áreas, algo que denota um imenso dinamismo e uma particular atenção ao design e à moda portuguesa. Apesar de tudo, acho que ainda nos falta fazer

> 4


Precisamente, o trabalho do MUDE com as universidades pólio municipal teve, assim, um crescimento nos últiparece absolutamente estratégico…

mos anos de quase 600 peças, quase todas elas em áreas prioritárias de incorporação, nomeadamente ao perío-

É uma área fulcral para nós, até porque o ensino do de-

do de finais do século XIX e inícios do século XX, uma

sign em Portugal sofreu, nos últimos anos, um crescimento

vez que, cronologicamente, a Coleção Francisco Capelo

exponencial e o número de alunos que se forma nas suas

compreende peças de 1930 a 2002. Convém ainda su-

várias áreas ultrapassa em muito as nossas necessidades

blinhar que esta política de aquisições pretende ain-

enquanto país. Logo, um museu dedicado ao design tem

da acompanhar a produção portuguesa, contribuindo para

obrigatoriamente que incluir a função formativa e estabe-

a história do design em Portugal, incluindo o design in-

lecer, com a devida abertura ao público em geral, o debate

dustrial, que tinha uma participação quase inexistente em

e a relação entre o museu e a escola. Nesse campo, esta-

2009.

mos a desenvolver com as universidades um programa de

O MUDE abriu as suas portas na Baixa Pombalina numa com as instituições de ensino, reforçando a relação entre época de crise anunciada. Agora, a realidade situa-nos no epicentro da crise. Como é que o museu tenciona responos curricula e a programação do museu. der aos desafios desta conjuntura? O acervo museológico continua a crescer? ação concreto e exequível, que permita a criação em rede

As dinâmicas deste museu não vão ser quebradas por falta Apesar de estarmos em crise, o acervo tem vindo a cres-

de dinheiro. Claro que vai ser difícil termos mais do que

cer através de aquisições (120 novas peças desde 2009),

uma grande exposição por ano. Lembro, a exemplo, as

doações (vai brevemente a Sessão de Câmara a pro-

antológicas que fizemos do António Garcia ou da Kukas,

posta para aprovação de 287 peças) e depósitos. O es-

dois pioneiros do design em Portugal, praticamente des-

5


conhecidos do grande público. Este tipo de exposição

Como é que este terceiro aniversário vai ser assinalado?

implica maiores custos devido à curadoria, ao catálogo, à investigação ou até mesmo ao restauro de uma ou outra

Normalmente, cada aniversário tem coincidido com

peça. Assim, em 2012, a grande exposição vai ser os 100

a renovação da exposição permanente, mas este ano

Anos de Design de Interiores, com curadoria de Pedro Gada-

inauguramos duas novas exposições. A primeira são

nho e Rui Afonso Santos, onde se recriam dez grandes in-

peças de design moderno, depositadas pela Funda-

teriores representativos do século XX, reunindo mobili-

ção Calouste Gulbenkian, com autoria de Le Corbu-

ário, algumas pinturas e objetos decorativos, que propõe

sir, Marcel Breur ou Alvar Aalto; a segunda é uma mos-

uma reflexão sobre a evolução do design de interiores.

tra da Coleção David Urborne, chamada Tesouros da Feira

Isto demonstra a nossa estratégia na escolha do essen-

da Ladra, reunindo cerca de 350 utensílios e ferramentas

cial e do prioritário com responsabilidade e criatividade,

adquiridas em feiras da ladra, ou similares, da Europa.

não pondo em causa a qualidade e a prossecução do ser-

O que é muito curioso nesta última exposição é o cole-

viço público inerente a um museu municipal. Até por-

cionador ter retirado do anonimato estas peças, exal-

que elejo dois grandes desafios futuros para este museu

tando uma qualidade estética que não tinha sido,

work in progress, conforme o entendemos: infraestruturar

de todo, a função primeira para que foram desenhadas ou

o edifício, permitindo que todo ele seja visitável desde os

pensadas.

cofres, no -1, até ao terraço; e estabilizar um modelo de gestão capaz de captar apoios e financiamentos que permitam uma cada vez maior pluralidade na resposta à crise.

6

Frederico Bernardino


7


F

Festivais

3º FESTIN – FESTIVAL DE CINEMA ITINERANTE DA LÍNGUA PORTUGUESA 9 a 16 de maio Cinema São Jorge http://festin-festival.com

8

A festa do cinema em português //


O cinema brasileiro vai estar em destaque na 3.ª edição

do realizador argentino Hector Babenco. Ocasião para

do FESTin – Festival de Cinema Itinerante da Língua Portuguesa,

conhecer algumas das suas principais obras, como Pixote - a

que este ano se realiza de 9 a 16 de maio, no Cinema São

Lei do Mais Fraco, O Rei da Noite ou Carandiru, um dos seus mais

Jorge. Para além das habituais secções de competição, com

recentes e aclamados filmes. O ator Jardel Filho (1927-1983)

14 longas e 20 curtas-metragens, o festival passa este ano a

será outro dos homenageados, com a exibição de quatro

integrar a Mostra de Cinema Brasileiro.

dos filmes mais marcantes da sua carreira: Terra em Transe,

A abrir o certame, dia 9, às 21h30, a estreia de VIPs, um

de Glauber Rocha; Macunaíma (1969), de Joaquim Pedro de

filme protagonizado por Wagner Moura (Tropa de Elite),

Andrade; Rio Babilónia (1982), de Neville D’Almeida; e o já

que conta a história de Marcelo Nascimento da Rocha que,

referido Pixote - a Lei do Mais Fraco.

desde pequeno, tem muita dificuldade em viver com a sua

O festival não poderia ficar completo sem a Mostra Inclusão

identidade. O seu maior prazer é imitar as pessoas e fazer-

Social pelo Cinema que, com o apoio da Fundação Calouste

se passar por outros. A encerrar, uma outra estreia: Amanhã

Gulbenkian e da EDP, reúne um conjunto de 12 curtas-

Nunca Mais, a primeira longa-metragem de Tadeu Jungle,

metragens de âmbito social; a mostra FESTin Musical; e

com Lázaro Ramos e Maria Luísa Mendonça no elenco, que

as oficinas, mesas redondas e seminários, entre outras

faz o relato de uma noite extraordinária na vida de um

atividades paralelas que acontecem no mesmo local.

homem que não sabe dizer “não”. Nesta edição do FESTin destaca-se uma retrospetiva

Sara Simões

9


FIMFA – Festival Internacional de Marionetas e Formas Animadas //

Mais de 20 companhias e criadores, dezenas de artistas

De Portugal, e para além d´A Tarumba apresentar uma vez

vindos de países como Alemanha, Bélgica, Espanha, Fran-

mais o sempre singular Mironescópio – A Máquina do Amor,

ça, Holanda, Israel, Itália, Reino Unido e Portugal, mais de

contam-se as presenças do Teatro de Ferro, com dois so-

meia centena de espetáculos em sala ou ao ar livre. Estes

los de Igor Gandra, do Teatro de Marionetas do Porto, com

são alguns dos números traduzidos em mais uma edição do

Sara Henriques a recriar o Teatro Dom Roberto no Jardim da

FIMFA, o festival que A Tarumba – Teatro de Marionetas or-

Estrela, ou quatro criações de André Murraças, Joaquim

ganiza mais uma vez, e que até 20 de maio enche Lisboa de

René, Ana Gabriel e Luís Hipólito com pequenas formas.

marionetas e de outras formas animadas.

Nota final para uma exposição de marionetas na livrar-

Apesar da crise e das dificuldades inerentes à produção

ia do Teatro Nacional D. Maria II que assinala os 19 anos

de um festival desta dimensão, o FIMFA apresenta este ano

de atividade d´A Tarumba. Ali podem ser encontradas re-

uma programação, no mínimo, estimulante, trazendo à

criações de algumas grandes personagens do teatro mun-

capital algumas das grandes companhias e criadores da

dial que marcaram a história desta companhia de mari-

atualidade, nomeadamente Rod Burnett e Neville Tranter

onetas lisboeta.

– que abriram esta edição com abordagens à dupla Punch & Judy que completa este ano 350 anos de existência –, o Théâtre de Ruigissant, o Les Ateliers du Spectacle, Joan Baixas, Bruno Pilz ou Milscha Twitchin.

10

Frederico Bernardino


A Tarumba fotografia de Francisco Levita / Humberto Mouco


E 12

EfemĂŠrides

Dia Internacional dos Museus //


Museus num mundo em mudança: novos desafios, novas inspirações. É este o tema das comemorações do Dia Internacional dos Museus, que se assinala a 18 de maio. Tal como vem sendo hábito em anos anteriores, a Câmara Municipal de Lisboa associa-se a esta festa e abre as portas dos museus municipais, cuja entrada é livre, preparando ainda visitas, performances, conferências e muitas outras atividades, que se prolongam até dia 20. No MUDE - Museu do Design e da Moda, oportunidade para assistir a uma performance teatral em que, a partir de um conjunto de objetos, se constroem histórias. Em colaboração com a St. Julian’s School, a iniciativa A Museum for the broken-hearted parte do MUDE seguindo caminho rumo ao Cais das Colunas. Para ver às 15, 18 ou 21 horas. Depois da descoberta de partes de um navio que se supõe ser do século XVI ou XVII - uma estrutura de 300 metros quadrados, composta por barrotes de madeira sobrepostos em camadas, que teria servido como estaleiro de reparação naval e até como rampa de lançamento de navios à água - pelos arqueólogos que estão a trabalhar nas escavações para a construção de um parque de estacionamento subterrâneo na Praça D. Luís, o Museu da Cidade promove a conferência Intervenção Arqueológica na Praça D. Luís I em Lisboa, que se realizará no dia 17 de maio, pelas 17h30. No Museu da Marioneta, no dia 18, entre as 10 e as 12 ou as 14 e as 17 horas, os visitantes são convidados a solucionar um conjunto de enigmas que os ajudará a conhecer melhor algumas das obras em exposição. Já no dia 19, e dirigido a famílias, terá lugar a oficina Dragões Refilões. Ainda a pensar nos mais pequenos, no dia 20, a partir das 10h30, pode

13


fotografias de Francisco Levita

ajudá-los a construir um dragão gigante, participando na

A estas iniciativas, que carecem de marcação prévia, acres-

oficina A Dança do Dragão.

cem tantas outras que acontecem nestes mesmos espaços e ainda no Castelo de São Jorge, Museu do Fado e Museu do

Conhecer as principais facetas de Rafael Bordalo Pinheiro

Teatro Romano. Porque novos desafios, e também alguma

é outra das sugestões para este dia. Às 11 horas, de dia 18,

mudança, são imperativos, associe-se a esta comemoração.

pode fazer uma visita guiada à exposição Rafael Bordalo Pinheiro no I Salão dos Humoristas ou, às 11h30 de dia 19, participar na visita à exposição de cerâmica Bicharada, onde estará presente Teresa Cortez.

14

Sara Simões


PALMARÉS INDIELISBOA 2012 > LONGAS-METRAGENS

Whores’ Glory de Michael Glawogger

GRANDE PRÉMIO DE LONGA METRAGEM “CIDADE DE LISBOA” De jueves a domingo de Dominga Sotomayor

PRÉMIO DO PÚBLICO INDIEJÚNIOR O Cão e a Chave de Hee Jung Kim

PRÉMIO PARA MELHOR LONGA-METRAGEM PORTUGUESA Jesus por um Dia de Helena Inverno e Verónica Castro PRÉMIO DE DISTRIBUIÇÃO L’estate di Giacomo de Alessandro Comodin PRÉMIO PULSAR DO MUNDO Meet the Fokkens de Gabriëlle Provaas e Rob Schröder PRÉMIO PARA MELHOR LONGA-METRAGEM PORTUGUESA DE FICÇÃO Por Aqui Tudo Bem de Pocas Pascoal PRÉMIO PARA MELHOR DOCUMENTÁRIO PORTUGUÊS A Vossa Casa de João Mário Grilo PRÉMIO ÁRVORE DA VIDA PARA MELHOR FILME PORTUGUÊS Luz da Manhã de Cláudia Varejão Menção Honrosa: Mupepy Munatim de Pedro Peralta PRÉMIO AMNISTIA INTERNACIONAL From this day to where de Mathias Eriksen e Matias Rygh Menção Honrosa: Bon Voyage de Fabio Friedli Menção Honrosa: Meet The Fokkens de Gabriëlle Provaas e Rob Schröder PRÉMIO DO PÚBLICO PARA MELHOR LONGA-METRAGEM

> CURTAS-METRAGENS GRANDE PRÉMIO PARA CURTA-METRAGEM Juku de Kiro Russo Menção Honrosa: The Great Rabbit de Atsushi Wada Menção Honrosa: Praça Walt Disney de Renata Pinheiro e Sergio Oliveira PRÉMIO PARA MELHOR CURTA-METRAGEM PORTUGUESA Cama de Gato de Filipa Reis e João Miller Guerra Menção Honrosa: Kali, o Pequeno Vampiro de Regina Pessoa PRÉMIO PARA MELHOR REALIZADOR PORTUGUÊS DE CURTA-METRAGEM João Salaviza por Cerro Negro PRÉMIO NOVO TALENTO Salomé Lamas por Encounters With Landscape (3X) PRÉMIO DO PÚBLICO PARA MELHOR CURTA-METRAGEM Retour à Mandima de Robert-Jan Lacombe PRÉMIOS RTP2 ONDA CURTA Chefu Party de Adrian Sitaru Fancy-Fair de Christophe Hermans Kali, o Pequeno Vampiro de Regina Pessoa Ovos de Dinossauro na Sala de Estar de Rafael Urban


A GAU comemora o terceiro aniversário //

A Galeria de Arte Urbana comemora, no próximo dia 17 de

underground das artes visuais, nascido na Califórnia em fi-

maio, o seu terceiro aniversário com uma festa que vai le-

nais da década de 1970, através de sete painéis criados por

var a cor e o talento de alguns dos melhores artistas portu-

MAR, Miguel januário, TOSCO, Pedro Campiche aka Cor-

gueses à Calçada da Glória e Largo da Oliveirinha e à Rua

leone, Paulo Arraiano, Nuno Costah e Diogo Machado, cul-

Nova do Carvalho. A festa começa pelas 17h30, com a inau-

minando com um concerto dos Groove4tet no Musicbox.

guração da exposição LowBrow, que descreve o movimento

> 16


⫸ Inauguração

de LOWBROW, com a presença dos artistas

CALÇADA DA GLÓRIA | 17H30

⫸ Inauguração

da intervenção de Paulo Arraiano no intradorso do arco da Rua Nova do Carvalho Apresentação de três vidrões da série Reciclar o Olhar (com a presença dos artistas) e customização de um automóvel Citroën

Dj set RUA NOVA DO CARVALHO | 19H

⫸ Lançamento

do livro que assinala os 3 anos da GAU, com a presença de António Costa, Presidente da Câmara Municipal de Lisboa (CML), de Catarina Vaz Pinto, vereadora do pelouro da Cultura da CML e de Miguel Moore

PENSÃO AMOR | 19H30

⫸ Apresentação

do site e vídeo produzido pela GAU

BAR VELHA SENHORA | 20H

⫸ Concerto

dos Groove4tet

MUSICBOX | 22H30

17


T

Teatro Vidas dedicadas às artes circenses //

Acostumada a dormir todo o dia, Fiorella decide acordar

um piquenique se transforma numa caricatural investiga-

para viver todas as suas neuroses de uma vez: higiene,

ção em que a ganância toma conta da ação. A peruana Fio-

sexo, comida, amor, dinheiro, afetos e solidão. Assim é Mi

rella Kollman, com Mi querida Neurosis, completa este trio.

querida Neurosis, de Fiorella Kollman, um dos espetáculos

Para além da vertente cultural, o ciclo têm ainda uma ver-

da 5ª edição do Ciclo Mulheres Palhaço, a realizar-se de 11 a 27

tente educativa, com as artistas a dar formação aos jovens

de maio, de sexta a domingo, na Tenda do Chapitô.

que frequentam a Escola de Artes e Ofícios do Espetáculo

À semelhança das anteriores edições, este ciclo conta com

do Chapitô bem como aos jovens dos centros educativos

a presença de mulheres que dedicam a sua vida às artes

que a companhia acompanha diariamente. A par dos espe-

circenses. Desta feita, oportunidade para conhecer três

táculos e da formação, espaço ainda para workshops, de-

Mulheres-Palhaço da América do Norte e do Sul, que têm

bates e mesas redondas, que envolvem vários agentes cult-

em comum um intenso trabalho na área do Circo Social.

urais e onde se espera contrapor as artes do Circo a outras

Romina Mónaco vem da Argentina para apresentar Tan sim-

artes performativas. A esplanada contará com animação

ple como soñarlo despacio, a história de uma mulher que se

oriunda dos seus países de origem.

liberta depois de romper com situações que a cansam e esgotam, partindo num caminho solitário de individualização. De Nova Iorque, Deborah Kaufmann traz Veni Vidi Vici,

Sara Simões

uma performance onde a busca pelo lugar ideal para fazer

5ª EDIÇÃO DO CICLO MULHERES PALHAÇO 11 a 27 de maio Tenda do Chapitô http://chapito.org


Noites no Teatro

A iniciativa da Direção Municipal de Cultura da Câmara Municipal de Lisboa Noites no Teatro volta esta quinzena com novos espetáculos gratuitos para os es-

//

tudantes dos ensinos secundário e superior. Para marcares presença basta ligar o número de telefone 218 170 593, e indicar o nome, estabelecimento de ensino que frequentas e o número do cartão de estudante. Não percas tempo e sê bem-vindo ao teatro…

A Controvérsia de Valladolid No ano em que se assinala o 40.º aniversário d´A Comuna – Teatro de Pesquisa, a companhia fundada por João Mota apresenta um texto inédito em palcos portugueses: A Controvérsia de Valladolid, de Jean-Claude Carrière. A peça acompanha o confronto entre o dominicano Bartolomé de Las Casas e o filósofo Gines de Sepúlveda, num tribunal religioso do século XVI, que se propõe julgar se os indígenas do Novo Mundo são, à semelhança dos europeus, seres humanos possuidores de alma. Esta produção conta

Hamlet

com atuações de Virgílio Castelo, Carlos

A grande tragédia de Shakespeare regressa

Paulo, Álvaro Correia e Mia Farr, entre ou-

aos palcos da capital pela mão do Teatro da

tros.

Garagem. Nesta adaptação de Carlos J. Pessoa, propõe-se um registo “irónico-sério”

Sessão Noites no Teatro | 18 de maio | 21h

que representa as dualidades do mundo, na “desordem que reivindica ordem, e vice versa, cultura popular (o Carnaval, no jogo verbal, que inverte a ordem do Mundo) e cultura erudita (a palavra jurídica que institucionaliza o Mundo)”. No elenco, Ana Palma, André Almas, Emanuel Arada, Joana Liberal, José Neto, Maria João Vicente, Miguel Mendes, Nuno Nolasco e Nuno Pinheiro. Teatro Taborda | de 10 a 27 de maio Sessão Noites no Teatro | 11 de maio | 21h30 19


C Lisboa recebe a Volvo Ocean Race Entre os dias 31 de maio e 10 de junho, Lisboa recebe,

Curtas

//

FATAL 2012 evoca crise académica de 62

pela primeira vez, a maior regata à volta do mundo,

Maio é o mês do FATAL –Festival Anual de Teatro Académico

a Volvo Ocean Race. A doca de Pedrouços será o palco

de Lisboa. Para além de promover e divulgar o teatro

principal deste evento, onde estará sediada a Race Village

académico português, esta edição homenageia o

e onde atracarão as frotas de seis veleiros Volvo Open 70.

encenador e ator Luís de Lima, personalidade destacada

Um evento mundial organizado pela Lagos Sports que

na crise académica de 62. Os espetáculos decorrem no

conta com o apoio do Turismo de Portugal e da Câmara

Teatro da Politécnica, até 25 de maio. Destaque ainda

Municipal de Lisboa.

para as conferências, workshops, instalações urbanas e a exposição de fotografia de teatro, Fatalidade.

20


CSIO Lisboa no Hipódromo do Campo Grande Realiza-se no Hipódromo do Campo Grande, o 92.º CSIO, que receberá a elite dos cavaleiros internacionais e nacionais. O Concurso de Saltos Internacional Oficial de Lisboa decorre de 31 de maio a 3 de junho, e este ano a competição integrará provas que contam para o Ranking Mundial da Federação Equestre Internacional.

Abertas as candidaturas para o Prémio Literário Revelação Agustina Bessa-Luís Até 25 de maio estão abertas as candidaturas para o Prémio Literário Revelação Agustina Bessa-Luís. Instituído em 2008 pela Estoril Sol, ao prémio podem candidatar-se autores portugueses, com idade não superior a 35 anos, que nunca tenham publicado nenhuma obra. O valor do prémio é de 25 mil euros e visa distinguir um romance inédito. O regulamento está disponível em www.dglb.pt.

O Grande Prémio do torneio é qualificativo para os Jogos Olímpicos de Londres e para o Campeonato da Europa da modalidade.

21


A Exposições - Habitar a escuridão | Fotografia de Marco António Cruz | Até 23 de maio | Fundação Champalimaud | www.casamericalatina.pt - Espaço Real Espaço Conceptual | Coletiva de fotografia | Até 31 de maio | Galeria Palácio Galveias | 217 803 043 - Ciclo de novas aquisições no Museu Rafael Bordalo Pinheiro | Até 31 de maio www.museubordalopinheiro.pt - Radicatus | De Mariana Marote | Até 2 de junho | Arquivo Municipal – Núcleo Fotográfico http://arquivomunicipal.cm-lisboa.pt - Uma Intervenção na Atualidade Portuguesa | Coletiva de ilustração, escultura, desenho e instalação | Até 3 de junho| Galeria Sala do Risco | Largo de Santo António à Sé - Diz-me do que gostas, dir-te-ei quem és | Até 10 de junho | MUDE – Museu do Design e da Moda | www.mude.pt - A-N-A-L-O-G-I-A-S | Fotografia de Cristina Zabalaga | Até 25 de julho | Casa da América Latina | www.casamericalatina.pt

Teatro - Pelo Prazer de a Voltar a Ver | de Michel Tremblay | Até 27 de maio | Teatro Aberto | www.teatroaberto.com

22

em Agenda

//


Música Meo Out Jazz Costumamos conhecê-lo por Out Jazz mas, este ano, foi rebatizado de Meo Out Jazz. O conceito mantem-se fiel: são concertos de jazz, soul ou funk que decorrem em jardins e miradouros da cidade todas as sextas e domingos nos meses de maio, junho, julho, agosto e setembro, sempre ao final da tarde. Imperdível para os adeptos do ar livre e da boa música. Programação integral em www.ncs.pt/outjazz.php.

Festivais VII Festival Internacional da Máscara Ibérica O Festival de Máscara Ibérica pode ser considerado o segundo Carnaval do ano. Cheio de vida e cor, vai trazer ainda mais animação ao centro da cidade. De 10 a 13 de maio, na Praça D. Pedro IV, assista a desfiles ou espetáculos de música, prove a melhor gastronomia tradicional e participe nas alegres arruadas. Mais informação em www.progestur.net.

Música Concertos à Hora de Almoço As horas de almoço são bem mais animadas nos Paços do Concelho. Este mês decorrem, mais uma vez, os Concertos à Hora de Almoço, uma iniciativa da CML em parceria com a Metropolitana de Lisboa. Dia 10 de maio, pelas 13 horas, os Jovens Solistas da Metropolitana dão um concerto de “metais” com peças de Johann Sebastian Bach, André Previn, Joseph Horovitz e Richard Roblee.

23



Lisboa Cultural | 8 a 21 de maio´12