Page 1


í

índice 26 de SETEMBRO a 2 de OUTUBRO´11

#229

Comédia de Enganos | Pág 8

Em destaque Experimenta Design | Pág. 3 Fernando Brízio | Pág. 5 Siga-nos em http://twitter.com/lisboa_cultural http://www.facebook.com/lisboacultural http://itematicoslisboa.blogspot.com

Música Dia Mundial da Música | Pág. 6

Ar Livre Há Vida na Mouraria | Pág. 9 Cinema Mostra de Cinema Brasileiro | Pág. 10

Curtas | Pág. 11 Em Agenda | Pág. 12

Ficha técnica

Teatro Comédia de Enganos | Pág. 8

Edição: CML | Direcção Municipal de Cultura Departamento de Acção Cultural | Divisão de Promoção e Comunicação Cultural Editor: Frederico Bernardino Redacção: Frederico Bernardino, Sara Ferreira Designer: Rute Figueira Capa: Banco Handle de Fernando Brízio Contactos: Rua Manuel Marques, 4F, Edifício Utreque - Parque Europa, 1750-171 Lisboa | Tel. 218 170 600 lisboa.cultural@cm-lisboa.pt


d

destaque

O USO DO “SEM-USO” Consta em tratados e manuais que o design deve responder a uma necessidade ou, até mesmo, solucionar um problema. Mas, será que todos os objectos ou projectos que nos rodeiam cumprem objectivamente o que prometem? Useless, o “sem-uso”, é o tema da 6ª. edição da Experimenta Design (EXD´11), e esta será uma das muitas perguntas (ou “provocações”) que prometem não ficar sem resposta ao longo dos próximos dois meses de duração da Bienal de design, arquitectura e criatividade contemporânea de Lisboa. Para além da reflexão pela investigação e pela pesquisa a partir do tema, a EXD´11 apresenta grandes exposições, intervenções urbanas originais, cinema, conferências e debates que procuram ser momentos únicos de partilha e descoberta. Na semana de abertura, destacam-se as Conferências de Lisboa e as Open Talks sobre design, arquitectura e informação, e a primeira exposição retrospectiva de Fernando Brizio (ver página 5).

página 3


d

página 4

destaque

Uma semana inaugural sob a égide do pensamento contemporâneo a partir do conceito, ou ideia, da utilidade de “sem-uso” na nossa sociedade, tão embrenhada nos paradigmas do pragmatismo e da técnica, marca o início de mais uma edição da EXD´11. Pelas Conferências de Lisboa, no Cinema São Jorge, ou pelas Open Talks, no antigo Tribunal da Boa Hora, vão passar figuras como D. Manuel Clemente (vencedor do Prémio Pessoa em 2009), o brasileiro Marcelo Rosenbaum (nome de referência do design internacional) ou o mítico designer italiano Enzo Mari, que desenvolveu o conceito de autoprogettazioni e as memoráveis cadeiras sof sof.

que, a partir do tema Useless, surpreendem pelo uso de elementos arquitectónicos e apontamentos decorativos pouco convencionais. Sinal evidente de que a EXD´11 está na rua!

SIDELINES: UM ITINERÁRIO

“Colecções pessoais em Instituições singulares” é o sub-título de Sidelines, um projecto impar em mais de uma década da Bienal. Com curadoria de Emily King, a exposição propõe um itinerário local por colecções privadas integradas no acervo de instituições tão dispares como os museus Geológico, da FarmáA partir de dia 30, na Praça da Figueira, a Bienal propõe um dos seus projec- cia, de São Roque, Arqueológico do Carmo, do Teatro Romano, das Artes Detos mais arrojados: Redundância: A Utilidade da Repetição. Com curadoria da corativas Portuguesas e da Biblioteca Camões. Esta pretende ser uma reflexão Studio R2, de Lizá Defossez Ramalho e Artur Rebelo, dois estúdios de design original sobre o acto de coleccionar, a partir da ideia de que “o lixo de uma era gráfico holandeses, um sul-coreano, um francês e um britânico propõem um se converte [muitas vezes] nos tesouros de outra”. diálogo surpreendente com a cidade, concebendo cinco intervenções urbanas Frederico Bernardino


d

página 5

destaque

FERNANDO BRÍZIO DESENHO HABITADO Nesta edição da EXD, no Palácio Quintela (Rua do Alecrim, 70), a 29 de Setembro, é inaugurada uma série programática, intitulada Don´t Look Back, que pretende revelar e explorar o trabalho de alguns dos mais importantes designers contemporâneos. Naturalmente, a primeira edição será preenchida com uma retrospectiva da obra e percurso de um dos mais reputados designers portugueses da actualidade: Fernando Brízio. Nascido em Angola em 1968, Fernando Brizío tornou-se, em pouco mais de uma década, numa figura de referência do design internacional. Licenciado em Design de Produto pela Faculdade de Belas Artes de Lisboa, assinou objectos produzidos industrialmente, bem como algumas séries limitadas, para o MoMA (os bancos Handle são vendidos nas lojas do conceituado museu nova-iorquino), a Droog, a Schréder, a Atlantis ou a Fábrica Rafael Bordalo Pinheiro. Os seus trabalhos foram expostos na Galerie Kréo, em Paris, e na Design Miami. Recentemente, duas peças suas integraram a colecção Matéria, comissariada pela EXD, que esteve patente no Fuori Salone de Milão. Na exposição Fernando Brízio: Desenho Habitado, vai ser possível acompanhar o processo criativo do designer a partir de projectos em diferentes estados de desenvolvimento; mostrar trabalhos que remontam ao início da carreira, em 1994; descobrir inéditos e outros projectos que foram desenvolvidos especialmente para esta exposição; ou tomar contacto com o lado mais pessoal de Brízio, através de pequenas histórias, relatos, vídeos, filmes e livros que o inspiraram. Frederico Bernardino Experimenta Design 2011 28 Setembro | 27 Novembro Vários locais Programa integral em www.experimentadesign.pt/2011


m

página 6

música

ORQUESTRAS PELA CIDADE

Liderados pelo compositor Marco Barroso, os L.U.M.E. apresentam-se a 30 de Setembro, às 21 horas, com um espectáculo onde vão explorar práticas e vocabulários que passam pelo jazz, pelo rock e pela música contemporânea, mas ainda com espaço à improvisação. Seguem-se os Corações de Atum, “um caso divertido de música séria, ou então, pelo contrário, um caso sério de música muito boa e muito divertida.” É ver para descobrir.

© Humberto Mouco

É

a 1 de Outubro que se celebra o Dia Mundial da Música, mas a festa este ano começa a ser feita de véspera. Partindo da ideia de que as orquestras andam pela cidade, ocupam praças e outros lugares públicos, o São Luiz Teatro Municipal deixou-se contagiar por esse pensamento e, ao longo de três dias, de 30 de Setembro a 2 de Outubro, transforma-se ele próprio numa praça. Mas uma praça mais íntima e acolhedora, por onde vão desfilar os L.U.M.E. – Lisbon Underground Music Ensemble, os Corações de Atum, os laureados do Prémio Jovens Músicos, a Orchestrutopica e a Orquestra Todos. Assim será LX Ensemble – À volta do Dia Mundial da Música, uma iniciativa que abre as portas do teatro à música.


m

página 7

música

A 1 de Outubro, também às 21 horas, é a vez da Orchestrutopica subir ao palco do S. Luiz com Videovigilância, um concerto que propõe uma viagem pela cidade tal como a conhecemos hoje. Neste mesmo dia, pelas 17h30, o teatro recebe o Concerto do Prémio Jovens Músicos, apresentando em palco dois dos laureados das edições anteriores: Francisco Franco (Guitarra, 2009) e Susana Milena (Canto, 2010). A fechar o programa, a 2 de Outubro, um dos mais marcantes projectos musicais dos últimos tempos fará a sua primeira apresentação em sala. Falamos da Orquestra Todos, uma formação dirigida por Mario Tronco composta por “lisboetas” de todas as origens culturais, musicais e linguísticas. A par de LX Ensemble – À volta do Dia Mundial da Música, numa parceria com a Metropolitana, a EGEAC, EEM apresenta a 4ª. edição de Música nas Praças - Concertos promenade em Lisboa, com uma programação ao ar livre que convida o público a visitar a baixa lisboeta. A 1 de Outubro, entre as 15 e as 23 horas, o Largo de São Carlos, o Jardim das Esculturas do Museu do Chiado, as Ruínas do Carmo e o Jardim de São Pedro de Alcântara recebem várias formações musicais que irão apresentar um programa com sonoridades que abraçam registos tão díspares quanto a música erudita, o jazz ou a música pop. Sara Ferreira

LX Ensemble – À volta do Dia Mundial da Música São Luiz Teatro Municipal 30 de Setembro a 2 de Outubro www.teatrosaoluiz.pt Música nas Praças - Concertos promenade em Lisboa Vários locais 1 de Outubro www.egeac.pt


t

página 8

teatro

NO REINO DO AMOR

P

ara trás ficaram outros amores e desamores, e até a acalmia do final feliz da comédia de enganos Sonho de Uma Noite de Verão, de William Shakespeare. Agora, é Luísa Costa Gomes que detém as rédeas do destino dos que restam no reino de Oberon e Titânia. Ou melhor, é ela, enquanto autora, que os quer, de novo, (des) enganados, apesar de aqui, por caprichos e artes mágicas desse feitiço chamado “amor”, serem os Desenganos a definir o cariz desta Comédia. E, desengane-se aquele que vier ao Teatro do Bairro à procura da sequela do clássico de Shakespeare. Antes, e como o encenador António Pires faz questão de esclarecer, esta Comédia de Desenganos “é uma reinterpretação daquele universo, onde se joga com algumas das personagens de Shakespeare, mas apenas isso”. De facto, “não é preciso conhecer o Sonho para perceber esta Comédia; ela tem o condão de viver por si própria”. Comédia de Desenganos foi uma peça escrita por Luísa Costa Gomes nos finais dos anos 90 do século passado, a pensar numa parceria com o encenador e dramaturgo norte-americano Bob Wilson. Mais de uma década depois, António Pires leva-a por fim à cena, dando corpo à “desafiante linguagem poética” desta reflexão, ora trágica ora divertida, sobre o estranho reino dos encantos e desencantos do amor.

Frederico Bernardino

Comédia de Desenganos Teatro do Bairro Até 22 de Outubro Quarta a sábado | 21h www.teatrodobairro.org


a

ar livre

HÁ VIDA NA MOURARIA!

N

uma iniciativa inédita e original, a Companhia de Ópera do Castelo e o Museu do Fado unem-se à Câmara Municipal de Lisboa para comemorar o arranque das obras de requalificação da Mouraria no âmbito do programa QREN, As cidades dentro da cidade.

Ao longo de três dias, entre 30 de Setembro e 2 de Outubro, o Há Vida na Mouraria! propõe dois espectáculos de ópera e um de fado. O Largo do Intendente é o primeiro local a apresentar Missão (im)possível, um espectáculo onde são apresentados os mais belos e divertidos momentos de ópera de sempre. Desde as grandes áreas de Mozart, Rossini ou Verdi, ao musical americano, vão ser contadas histórias de amor, ao jeito da Companhia de Ópera do Castelo, que mostra aqui que a ópera não tem necessariamente de ser um espectáculo para elites, formal e aborrecido, mas sim para todos. No dia 2 de Outubro, a ópera volta a ser apresentada, desta feita no Largo da Achada. Numa produção do Museu do Fado, a 1 de Outubro é a vez do Largo da Severa acolher os sons dos fadistas Ricardo Ribeiro e Raquel Tavares, que se tornou conhecida depois de, com apenas 12 anos, ter vencido a Grande Noite do Fado. Ricardo Ribeiro, por sua vez, começou a cantar aos nove anos, tendo em 2005 sido agraciado com o Prémio Revelação Masculina da Fundação Amália Rodrigues. Todos os espectáculos têm início às 21h30 e são de entrada livre. Mais informações em www.aimouraria.cm-lisboa.pt.

Sara Ferreira

Há Vida na Mouraria! 30 de Setembro a 2 de Outubro Largo do Intendente, da Achada e da Severa Espectáculos às 21h30 Entrada livre

página 9


c

página 10

cinema

OLHAR O BRASIL

S

eis longas-metragens produzidas ao longo da última década traçam um retrato do Brasil contemporâneo. Nesta primeira Mostra de Cinema Brasileiro 2011, que vai animar o Cinema City Alvalade entre 28 de Setembro e 9 de Outubro, dois documentários, um biopic e três retratos ficcionados de factos reais, propõem uma oportunidade para reflectir sobre fenómenos quotidianos daquele que é o maior país da América Latina e uma das potências mais emergentes do mundo.

No lançamento da mostra, no dia 28, a exibição do filme Anjos do Sol, de Rudi Lagerrmann, é antecedido por um debate sobre o tema da prostituição e do tráfico humano. Ao longo do dia, antecedendo outros dos filmes a exibir, há pequenos concertos, com músicos como Ruglésias – que assina a banda sonora original do documentário Flor de Lis, sobre o percurso de vida de uma missionária da Igreja Evangélica brasileira que criou como filhos 50 crianças em situação precária –, e actuações de hip hop, a propósito da exibição de Antónia, de Tata Amaral – filme que conta a história de um famoso grupo feminino de rap brasileiro – e do documentário Falcão – Os Meninos do Tráfico, produzido e realizado pelo rapper MV Bill. No dia 30, às 21h30, o realizador Glauber Filho apresenta o seu último filme, As Mães de Chico Xavier, sobre três mulheres em situação limite que encontram ajuda junto de um médium. A mostra fica completa com Garrincha – Estrela Solitária, uma biografia ficcionada sobre um dos maiores jogadores de futebol de sempre, Manuel “Garrincha”, realizada por Milton Alencar. Todos os filmes são exibidos diariamente em várias sessões. A Câmara Municipal de Lisboa, através da Divisão de Promoção e Comunicação Cultural, associa-se à iniciativa e tem convites duplos para várias sessões desta Mostra de Cinema Brasileiro, devendo os interessados consultar o sítio http://itematicoslisboa.blogspot.com. Frederico Bernardino Mostra de Cinema Brasileiro 2011 Cinema City Alvalade 28 de Setembro a 9 de Outubro www.cinemacity.pt


c

página 11

curtas

Carole Bouquet apadrinha Festa do Cinema Francês A actriz francesa Carole Bouquet (na foto), grande diva do cinema gaulês dos anos 70 e 80 do século passado, vai estar em Lisboa, a 14 e 15 de Outubro, por ocasião da 12.ª Festa do Cinema Francês. Nesta edição, que decorrerá na capital entre 6 e 16 de Outubro, destaca-se ainda uma retrospectiva dedicada a outro grande nome do cinema, Anouk Aimée. A actriz que Jacques Demy celebrizou em Lola e Fellini em Otto e Mezzo, será homenageada na Cinemateca Portuguesa em Outubro. Esta edição da Festa abre no Cinema São Jorge com a cópia restaurada de La Voyage dans la lune, de George Mèliès, e a antestreia de The Artist, filme que valeu a Jean Dujardin o Prémio de Melhor Actor no último Festival de Cannes.

Júri de luxo no Lisbon & Estoril Film Festival O Lisbon & Estoril Film Festival (LEFF), que este ano se estende a Lisboa, vai decorrer de 4 a 13 de Novembro em locais como o Casino Estoril, Torre de Belém, Casa das Histórias ou Cinema São Jorge. Mais do que um festival de cinema, o LEFF aposta ser um fórum de ideias sobre a Cultura, sublinhado por um grande simpósio internacional sobre direitos de autor e internet, mas também pela presença das artes plásticas, da música ou da literatura. Para além das antestreias das últimas obras de Lars Von Trier, George Clooney ou Gus Van Sant, destacam-se no júri da secção competitiva os nomes de Don Delillo, J. M. Coetzee (na foto), Peter Handke ou Paul Auster.

Mestrado em Ensino da Música na Metropolitana O Ministério da Educação acreditou um novo Mestrado em Ensino da Música, que junta na sua organização pedagógica a Academia Superior de Orquestra da Metropolitana e a Universidade Lusíada. Este curso, que culmina a estrutura formativa da Metropolitana, pretende especializar os formandos para a actividade docente dentro do campo musical, tendo como característica a possibilidade que dá aos seus alunos de fazerem formação individual na área de instrumento escolhido, com professores notabilizados pelo seu percurso musical e docente. Os interessados poderão obter mais informações no site da Metropolitana (www.metropolitana.pt) ou através do número de telefone 213 617 320.

Lisboa volta a acolher o Bycicle Film Fest O Teatro do Bairro vai ser, de 30 de Setembro a 2 de Outubro, o local escolhido para celebrar mais uma etapa do Bicycle Film Festival, celebração da bicicleta pelo cinema, música e artes. O maior e mais prestigiado evento global de bike-culture realiza-se em dezenas de metrópoles, em datas sucessivas ao longo do ano, e chega a Lisboa após o arranque oficial, em Nova Iorque, no passado mês de Junho. Da intensa programação, destacamse a apresentação da curta-metragem de Nuni Pessoa e Andrea Fernandez, Linhas Cruzadas, com os Virgem Suta e Manuela Azevedo, dia 30, e a corrida de ciclorientação urbana a partir do Largo Camões, na noite de 1 de Outubro. Programa em www.bicyclefilmfestival.com.


e

página 12

em agenda

Ciclos e conferências

::: exposições::: Tempos de Vista Integrada nas comemorações do centenário da Universidade de Lisboa e dos 150 anos do Observatório Astronómico de Lisboa (OAL), Tempos de Vista – O Espaço em Paralexe é uma mostra dirigida pelas artistas Inês Teles, Joana Gomes, Magda Delgado, Margarida Mateiro, Maria Sassetti e Xana Sousa, que aqui apresentam diversas perspectivas artísticas que se podem fazer de um lugar. As comemorações do aniversário do OAL contemplam ainda conferências, workshops e residências artísticas, entre outros. A exposição inaugura a 29 de Setembro, podendo ser visitada até 18 de Dezembro. Mais informações em: www. oal.ul.pt.

- Evocação do 85.º aniversário de Fidel Castro | 27 de Setembro 18h30 | Biblioteca-Museu República e Resistência – Espaço Cidade Universitária | Rua Alberto Sousa 10A | 21 780 27 60 Crianças

- A Menina do Mar | Com música original composta e interpretada por Bernardo Sassetti e interpretação de Beatriz Batarda 1 de Outubro | Castelo de São Jorge | www.castelodesaojorge.pt Exposições

- L’eau et les rêves | Fotografia de Paulo Fern | Até 29 de Setembro Biblioteca Municipal Orlando Ribeiro | 21 754 90 30 - Trabalhos de Hércules | Pintura de Josefa Galhano | Até 30 de Setembro | Biblioteca Municipal de Belém | Rua da Junqueira, 295 | 21 361 66 20

:::música:::

- M&M – MNAA/MUDE Artes e Design | Até 2 de Outubro | Museu Nacional de Arte Antiga

Joana Sá Inspirada pelo mundo onírico e fantasioso da personagem Alice, de Lewis Carroll, Joana Sá apresenta o disco/filme Through this looking glass. Lançado em Março último, o trabalho surpreende pela dimensão da aventura, pouco normal para quem entra no mercado discográfico pela primeira vez. Dividida em duas partes, este é um trabalho fundamentalmente composto para piano preparado, que pode ficar a conhecer a 30 de Setembro, às 22 horas, no Maria Matos Teatro Municipal. Nos dias 1 e 2 de Outubro, às 16h30, pode assistir a o outro lado do espelho, uma adaptação inédita para crianças.

- A Voz das Vítimas | Até 5 de Outubro | Antiga Cadeia do Aljube Rua Augusto Rosa, n.º 42, à Sé - Purificación García | Fotografia | Até 16 de Outubro Pavilhão Preto do Museu da Cidade - Retratos em Barro | Até 23 de Outubro | Galeria do Museu Rafael Bordalo Pinheiro | Campo Grande, 382 | Entrada livre 21 817 06 71 - Arte universal | Pintura, fotografia e tapeçaria | Até 31 de Outubro | Biblioteca-Museu República e Resistência – Espaço Grandella | 21 771 23 10 Joana Sá


e

página 13

em agenda

- Transitions - Honrar o Passado, Seguir em Frente | Até 13 de Novembro | Fundação Arpad Szenes-Vieira da Silva www.fasvs.pt - Duarte Pacheco – Do Técnico ao Terreiro do Paço | Até 23 de Novembro | Instituto Superior Técnico de Lisboa Átrio do pavilhão central | Entrada livre | 21 841 76 22 - Tudo foi captado (mesmo os movimentos do cabrito) | De Alexandra do Carmo | Até 22 de Janeiro | Galeria Quadrum Palácio dos Coruchéus - Orphelia Reclinada | Fotografia de Caseirão | Casa Fernando Pessoa | http://mundopessoa.blogs.sapo.pt - Odd | De Luisa Cunha | Projecto Contentores | Praça do Império, junto à entrada do Centro Cultural de Lisboa www.contentoresp28.com - Play | Tone Scientists + Guests | Galeria Quadrum | Rua Alberto Oliveira, Palácio dos Coruchéus, 52 | 21 817 05 34 Música

:::cinema::: Jorge Salavisa – Keep Going Figura incontornável da Cultura portuguesa, a vida e obra de Jorge Salavisa pode ser conhecida em Jorge Salavisa – Keep Going. A partir de uma ideia de Luísa Taveira e Miguel Honrado, Marco Martins realizou o documentário onde mostra o trajecto de Salavisa enquanto bailarino, professor e director artístico, a sua paixão pela pluralidade e pelo encontro das artes. A estreia absoluta deste filme, que reconstrói 50 anos de carreira de Salavisa, acontece a 26 de Setembro, pelas 21 horas, no São Luiz Teatro Municipal.

- OutJazz | Até 30 de Setembro | Vários locais | Entrada livre | www.ncs.pt Outros eventos - 2ª sessão de Pessoa em Diálogo com Eunice Muñoz e Pedro Lamares | 27 de Setembro | 18h30 | Casa Fernando Pessoa |www.mundopessoa.blogs.sapo.pt

Keep Going

:::exposições::: Introspectiva, de Filipe Alarcão A partir de 25 de Setembro, o MUDE – Museu do Design e da Moda apresenta a terceira edição do Creative Lab. Introspectiva, de Filipe Alarcão, é uma colecção de cerca de 20 objectos que inclui peças conceptuais, experimentais, exclusivas, de edição limitada e outras que serão produzidas industrialmente. Esta é a primeira exposição individual desde há 15 anos de Alarcão, que conta já com um vasto currículo como docente, investigador, designer de produto, industrial e de interiores, tendo arrecadado o Prémio Nacional de Design em 1994.

Lisboa Cultural | 26 Setembro/2 Outubro´11  

EXPERIMENTA DESIGN 2011 + FERNANDO BRÍZIO: DESENHO HABITADO | LX ENSEMBLE + MÚSICA NAS PRAÇAS | COMÉDIA DE DESENGANOS (teatro) | HÁ VIDA NA...

Advertisement