Page 1

Viagem Missionaria de Paulo 1 Â

Â


4ª aula “O Rompimento” Em nosso ultimo encontro estudamos a 1ª ação Missionaria da Igreja de Antioquia da Síria, onde eles enviaram Barnabé, Saulo de Tarsos e Joao Marcos para uma viagem Missionaria. Os Missionários partiram em direção a província de Chipre depois navegaram para Panfilia e por fim chegaram na região conhecida por Galácia e retornaram para Antioquia da Síria. O SENHOR operou grandes maravilhas por onde os Missionários passarão e o resultado foi que muitos judeus, gregos e outros povos aceitaram as “Boas Novas” anunciadas. A linha de pregação dos Missionários era não impor o cumprimento formal da Lei mosaica aos convertidos, acredita-se que a viagem tenha durado em torno de 05 anos. Quando retornaram para Igreja de Antioquia da Síria encontraram um serio problema: Alguns judeus cristãos vindos da Provincia da Judéia (47) estavam tentando impor a circuncisão aos não judeus (gentios) convertidos ao cristianismo e isto causou um serio desconforto e discussão entre os Missionários e os visitantes. Na realidade a circuncisão era apenas um ponto menor em toda discussão, o que estava em foco era a obrigatoriedade do cumprimento da Lei mosaica aos não judeus convertidos ao cristianismo. Estes defendiam a ideia que só a cruz de CRISTO não era suficiente para a Salvação, o cumprimento da Lei de Moises também era necessário e esta ideia já estava se espalhando entre as Igrejas. Paulo e Barnabé que testemunhavam que a Salvação estava centrada unicamente na Cruz de CRISTO se revoltaram aponto de formarem uma comissão e irem até Jerusalém para resolverem este impasse. Desta decisão podemos tirar uma importante lição á nós membros de Igrejas, Paulo e Barnabé poderiam muito bem ter despedido os visitantes e resolvido a questão na Igreja local, afinal a Igreja de Antioquia tinha na sua grande maioria gentios como membros, e eles nem pensavam em circuncisão, estava muito fácil de resolver esta questão, no entanto eles não fizeram isto resolvem ir até Jerusalém para resolver a questão. Esta visão foi que a Igreja é o “corpo de CRISTO” e como tal as decisões tem que beneficiar todo o “Corpo”, não apenas um grupo isolado. Uma Igreja que vive isoladamente e não se preocupa 2  


com as outras esta vivendo fora do “Corpo” e todo órgão fora de um corpo tem pouco tempo de vida. Reflita nisto e veja como você ou sua igreja estão vivendo. At.15.1,2 Então alguns que tinham descido da Judéia ensinavam assim os irmãos: Se não vos circuncidardes conforme o uso de Moisés, não podeis salvar-vos. Tendo tido Paulo e Barnabé não pequena discussão e contenda contra eles, resolveu-se que Paulo e Barnabé, e alguns dentre eles, subissem a Jerusalém, aos apóstolos e aos anciãos, sobre aquela questão. Como sempre fazemos, quando deparamos com algo polemico, vamos abrir um parêntese: CIRCUNSISAO: Gn.17.10-14. 10-Esta é a minha aliança, que guardareis entre mim e vós, e a tua descendência depois de ti: Que todo o homem entre vós será circuncidado. 11-E circuncidareis a carne do vosso prepúcio; e isto será por sinal da aliança entre mim e vós. 12-O filho de oito dias, pois, será circuncidado, todo o homem nas vossas gerações; o nascido na casa, e o comprado por dinheiro a qualquer estrangeiro, que não for da tua descendência. 13-Com efeito será circuncidado o nascido em tua casa, e o comprado por teu dinheiro; e estará a minha aliança na vossa carne por aliança perpétua. 14-E o homem incircunciso, cuja carne do prepúcio não estiver circuncidada, aquela alma será extirpada do seu povo; quebrou a minha aliança. Primeiro que Aliança era esta? Gn.12.1-3. Ora, o SENHOR disse a Abrão: Sai-te da tua terra, da tua parentela e da casa de teu pai, para a terra que eu te mostrarei. E far-te-ei uma grande nação, e abençoar-te-ei e engrandecerei o teu nome; e tu serás uma bênção. E abençoarei os que te abençoarem, e amaldiçoarei os que te amaldiçoarem; e em ti serão benditas todas as famílias da terra. Como já vimos quando estudamos os Patriarcas, em todas as Alianças (Pacto) que DEUS fizera com o homem existe uma contra partida, ou seja, é uma via de mão dupla, vem de DEUS algo, mas o homem também tem algumas obrigações. Aqui DEUS impôs algumas regras com Abraão, e uma delas era a circuncisão que envolvia todos os homens da família inclusive os escravos. A circuncisão era e é uma coisa tão seria a DEUS a ponto DELE querer abandonar a libertação do povo do Egito por conta de Moises não ter circuncidado seu filho 3  


Ex.4.24-26 E aconteceu no caminho, numa estalagem, que o SENHOR o encontrou, e o quis matar. Então Zípora tomou uma pedra aguda, e circuncidou o prepúcio de seu filho, e lançou-o a seus pés, e disse: Certamente me és um esposo sanguinário. E desviou-se dele. Então ela disse: Esposo sanguinário, por causa da circuncisão. . O ato constituía em cortar ao redor da glande do pênis uma pele existente o prepúcio, até no 8ª dia de vida da criança e que normalmente poderia ser feito pelo patriarca da família ou outro israelita, em casos especiais poderia a mãe fazer (Ex.4.25). Os nascidos antes desta ordenança e os estrangeiros que entraram para o judaísmo, também tinha que cumprir o rito não importando a idade. Acredito que a circuncisão deva ter gerado muita polemica na família de Abraão a ponto de séculos depois. Minha pergunta é: Por que desta ordenança tão traumática? 1ª – Ato de obediência a DEUS: v.23 2ª - Sinal exterior da Aliança que DEUS fizera com Abraão em ser uma grande nação. V.10. 3ª – Diferenciava os homens judeus dos gentios (não judeus) – v. 14. 4ª – Introduzia o individuo na comunidade judaica – v.14. 5ª – Envolvia toda a família. V.12 6ª – O mais importante: Ato de FÉ em DEUS. 23-Então tomou Abraão a seu filho Ismael, e a todos os nascidos na sua casa, e a todos os comprados por seu dinheiro, todo o homem entre os da casa de Abraão; e circuncidou a carne do seu prepúcio, naquele mesmo dia, como Deus falara com ele. Imagino a confusão a gritaria e o corre-corre. Abraão tinha 99 anos e Isaque 13 anos. Outra pergunta: Por que DEUS não esperou as crianças crescerem para dar a opção se queriam ou não ser circuncidadas e fazerem parte do pacto? A resposta é muito simples e ao mesmo tempo polemica: 4  


A primeira coisa que temos que entender é que: A Salvação não foi centrada na circuncisão ou em outro ato qualquer, mas exclusivamente em DEUS. 2ª – O plano de DEUS foi colocar uma marca (sinal) de posse nas crianças para que elas no futuro viessem lembrar que fazem parte de um pacto de FÉ que seus pais fizeram com DEUS e se elas cumprirem todas as ordenanças serão salvas. DEUS não quis esperar que as crianças crescessem para colocar sua marca. Uma criança judia não tem poder de decidir se quer ou não entrar na Aliança, cabe a ela somente quando adulta decidir ai sim se quer permanecer ou não na Aliança. 3ª - A Fé que o pai demonstra no momento do cumprimento do rito, é suficiente para que a criança faça parte do pacto, lembrem a Aliança não significava Salvação, mas apenas a introdução na comunidade judaica. Outro ponto que merecem ser lembrados: A circuncisão é uma prova da ONICIENCIA de DEUS. ELE não só sabe de tudo o que ocorrerá conosco até o fim da história, como também cria “ferramentas” para nos proteger, sem muitas vezes nos nem pensarmos que estamos sendo protegidos por DEUS, é como sabemos: “o nosso DEUS trabalha no silencio”. A circuncisão é uma destas “ferramentas” de proteção que DEUS criou para proteger os seus; além de introduzir a criança na comunidade judaica e ser uma marca exterior, ela também facilita a higiene, limpeza. Zipará não sabia disto, por isto chamou a Moises de marido sanguinário. Vejam agora o que diz a medicina moderna a este respeito: “Academia Americana de Pediatria: Uma nova orientação da Academia Americana de Pediatria defende a circuncisão de recém-nascidos, sob o argumento de que seus benefícios ultrapassam os riscos. Entre as vantagens, segundo a academia, está a prevenção de infecções urinárias, de doenças sexualmente transmissíveis, como o HPV (papiloma vírus humano) e o HIV, e do câncer de pênis. Hoje, 56% dos recém-nascidos nos EUA são circuncidados-cerca de 1 milhão a cada ano. As taxas mais elevadas estão em áreas onde há uma tradição cultural ou religiosa (como entre os judeus e os muçulmanos). No Brasil, não há estimativas. Segundo a academia americana, a decisão ocorreu após estudos feitos nos últimos sete anos atestarem os benefícios do procedimento. Um deles diz que há uma redução de 90% no risco de infecções urinárias no primeiro ano de vida.” Dr Dráuzio Varela (medico brasileiro) no seu artigo “Santa cirurgia” . “Hoje ninguém mais discute: em homens heterossexuais, ela reduz em 50% a 60% os índices de transmissão do HIV. Os epidemiologistas calculam que 3 milhões de vidas poderiam ser salvas, apenas na região abaixo do deserto do Saara, caso esse procedimento cirúrgico fosse colocado à disposição. Além da proteção contra o HIV, homens circuncidados apresentam menos infecções pelos papilomavírus (HPV), pelo treponema da sífilis e pelos vírus do herpes genital. Os mecanismos através 5  


dos quais a circuncisão protege são mal conhecidos. Provavelmente, a pele que recobre a glande cria um espaço que funciona como reservatório para o HIV (e outros germes) e assegura contato prolongado do vírus com as mucosas, facilitando seu acesso à corrente sanguínea...” Este é o nosso DEUS. Outro detalhe a respeito da circuncisão: Ex.12.48 Porém se algum estrangeiro se hospedar contigo e quiser celebrar a páscoa ao SENHOR, seja-lhe circuncidado todo o homem, e então chegará a celebrá-la, e será como o natural da terra; mas nenhum incircunciso comerá dela. Então como dissemos, a circuncisão era a questão menor da polemica, gerada na Igreja de Antioquia da Síria, o que estava em jogo era o cumprimento da Lei mosaica pelos gentios recém-convertidos, os ânimos se esquentaram porque tanto Paulo como Barnabé não concordava com isto, e a decisão foram: Vamos até Jerusalém resolver esta polemica. Quando chegaram lá relataram aos Apóstolos e Presbíteros a respeito dos resultados e como DEUS agira no meio dos gentios por ocasião da viagem missionaria que fizeram, novamente a polemica é levantada: At.15.4,5. E, quando chegaram a Jerusalém, foram recebidos pela igreja e pelos apóstolos e presbíteros, e lhes anunciaram quão grandes coisas Deus tinha feito com eles. Alguns, porém, da seita dos fariseus, que tinham crido, se levantaram, dizendo que era mister circuncidá-los e mandar-lhes que guardassem a lei de Moisés. E houve grande debate a respeito do assunto. Esta reunião, podemos considerar como o primeiro Sínodo ou concilio da Igreja Cristã devida o seu grau de importância, ela com suas decisões marcou definitivamente o desligamento da Igreja nascente das regras das Sinagogas. Foi então a partir daqui que a Igreja Cristã se desvinculou do judaísmo. As discussões foram calorosas, uns defendiam a obrigatoriedade do cumprimento da Lei aos recém-convertidos e outros não concordavam, em At.15.623 vemos todos os pontos da discussão. •

Pedro fala do seu trabalho entre os gentios, critica a imposição da Lei e enfatiza o fato de que Deus tinha concedido o Espírito Santo aos gentios também: v.7-11.   6  


Paulo e Barnabé não iam ficar calados, contaram os quantos sinais e prodígios que DEUS fizera por meio deles entre os gentios: v.12 • Tiago (meio irmão de Jesus), que parece ser o líder da reunião, reforça a tese de Pedro, Paulo e Barnabé acrescentando as palavras do Profeta Amos que profetizara a respeito da salvação dos gentios (Am.9.11-12) e faz uma sugestão final: 1. Que os gentios convertidos fossem obrigados a abster-se de idolatria; 2. Abster-se também das relações sexuais ilícitas; e 3. Não comer sangue (ou animais sufocados). •

O que Tiago sugeriu simplesmente foram proibições que já existiam de antes da Lei, DEUS apenas as repetiu na Lei. Um detalhe que não podemos perder está no v.21 de At.15 Porque Moisés, desde os tempos antigos, tem em cada cidade quem o pregue, e cada sábado é lido nas sinagogas. Em outras palavras Tiago quis dizer aos crentes gentios que deveriam exibir a graça e entender as tradições e se possível abster-se de toda pratica ofensiva aos judeus piedosos. Creio eu que muitos fariseus e conservadores convertidos ao cristianismo não concordaram, mas como eram minoria aceitaram e um documento foi elaborado e enviado as Igrejas constituídas. Numa leitura rápida, dá-nos a impressão de uma primeira imposição de regras ou normas da Igreja de Jerusalém, no entanto o que ela fez foi apenas corrigir alguns desvios dos novos convertidos. O documento foi enviado a igreja de Antioquia por mãos de alguns Irmãos (15:30-35) – A Igreja de Antioquia recebeu com muita alegria e alivio o documento. Paulo, Barnabé e agora Silas ficaram por mais algum tempo em Antioquia se preparando para mais uma Viagem Missionaria: 2ª Viagem. Que será nosso próximo tema.

Diácono Pedro Eduardo Corona Igreja Batista Link Church – Londres UK – 11/2012

Se você tem alguma duvida, comentário ou sugestão de novos temas, entre em contato conosco usando nosso site: www.linkchurch.net

7  


8  

Aula 29: O rompimento - Viagem Missionaria de Paulo  

Mais uma aula da serie

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you