Page 1

Viagem Missionaria de Paulo

1   


3ª aula “Chipre e Turquia” Como já estudamos a perseguição era intensa em Jerusalém contra os seguidores de JESUS, com isto muitos convertidos refugiaram levavam as noticias do ocorrido, não tardou e logo chegou aos ouvidos dos Apóstolos que não judeus estavam defendendo as mensagens de JESUS na cidade de Antioquia da Síria, enviaram então a Barnabé para checar a respeito. Chegando lá viu que era verdade e passou a ensinar o povo, passado um tempo percebeu que precisava de ajuda porque a seara era grande e vai atrás de um eloquente jovem que conhecera em Jerusalém e que agora estava residindo em uma cidade próxima dali. Este jovem era Saulo de Tarsos. E ambos permanecem Antioquia da Siria ensinando a respeito de JESUS. A Igreja ouvia a voz do Senhor e o trabalho prosperou e deu muitos frutos. A recém-formada Igreja recebe a visita de outros Homens de DEUS que profetizaram sobre uma fome que aconteceria na região da Judeia, a então “Igreja Filha” resolve enviar alguns membros com ajuda financeira para a Igreja de Jerusalém e os dois Missionários faziam parte do grupo eles vão e retornam trazendo outro jovem convertido de nome Joao Marcos, que era sobrinho de Barnabé. At.12:25-13. E Barnabé e Saulo, havendo terminado aquele serviço, voltaram de Jerusalém, levando também consigo a João, que tinha por sobrenome Marcos. No final de um 01 ano de trabalho o ESPIRITO SANTO fala novamente a Igreja: At.13.2,3 E, servindo eles ao Senhor, e jejuando, disse o Espírito Santo: Apartai-me a Barnabé e a Saulo para a obra a que os tenho chamado. Então, jejuando e orando, e pondo sobre eles as mãos, os despediram. 2  


A Igreja ouve, obedece e envia, talvez os seus mais eloquentes membros: – Barnabé, Saulo e Joao Marcos para a 1ª Ação Missionaria da igreja. É comum ouvirmos Irmãos se vangloriando de suas Igrejas a respeito de manifestações Espirituais em seus cultos, eu respeito. A ESPIRITUALIDADE verdadeira de uma Igreja se mede, se é que podemos medir pela sua ação MISSIONARIA. Existe um compositor popular brasileiro que canta: “Não adianta olhar pro céu, com muita fé e pouca luta...”(Gabriel o Pensador). Parafraseando o compositor, eu diria “não adianta uma Igreja dar “Gloria a DEUS” e falar em muitas línguas se não faz MISSOES, de duas uma: ou não ouve o Espirito, ou só pede a DEUS”. Eu diria que MISSOES é o termômetro que mede a ESPIRITUALIDADE de uma Igreja, o único investimento de uma Igreja é MISSOES, templo, casa pastoral, equipamento de som e etc, são patrimônios terreno, e isto não será computado no momento de recebermos os GALARDOES das Mãos do SENHOR. Paulo realizou oficialmente 03 viagens Missionarias todas partindo de Antioquia, temos que considerar a viagem que fizera a Roma (partiu de Jerusalém) por ocasião de sua prisão, como também uma viagem missionaria por que em todos os portos em que o navio atracou, ele aproveitava a oportunidade anunciava e testemunhava que JESUS era o Messias, A ilha de Malta é o grande exemplo disto. E a equipe dos Missionários saiu: At.13.4. E assim estes, enviados pelo Espírito Santo, desceram a Selêucia e dali navegaram para Chipre. Na maioria das Bíblia existe uma coleção de mapas no seu final, que nos mostra as rotas que Paulo fizera nos vamos usar mapas atualizados. Temos que ter em mente que muitas cidades da época de Paulo não existem mais, são apenas sítios arqueológicos que fazem parte de modernas cidades com novos nomes, a própria Antioquia, que na época de Paulo era conhecida como Antioquia da Síria para diferenciar de outras cidades com o mesmo nome. Hoje ela chamada de Antakya e pertence à Turquia, nos usaremos os nomes como estão na Bíblia, mas se ouve alguma alteração do nome colocaremos o nome atual entre parêntese. Em nossa ultima aula você encontra a localização de todas Províncias do Império Romana

3  


.

Como já comentamos, nossos Missionários saíram de Antioquia da província as Síria (Antakya) (46) e desceram para a cidade portuária de Selêucia (Samandag), na mesma Província e que ficava aproximadamente 24 km. Pegaram um navio e foram para a ilha de Chipre (35) e aportaram na cidade de Salamina (Famagusta), hoje não existe rota marítima comercial entre estas duas cidades, mas a distancia do continente em linha reta gira em torno de 220 km. Siga no mapa a rota feita pelos Missionários, cada ponta da flecha significa uma parada.

4  


Salamina (Famagusta): Facilmente se nota que os Missionários tinham uma estratégia para anunciar as “Boas-Novas” - Sinagogas judaicas. Esta estratégia não fora criada por eles, vejam quem criou este método: Mc.1.21; Entraram em Cafarnaum e, logo no sábado, indo ELE à sinagoga, ali ensinava. Lc.4.16; E, chegando a Nazaré, onde fora criado, entrou num dia de sábado, segundo o seu costume, na sinagoga, e levantou-se para ler. Jo.18.20: Jesus lhe respondeu: Eu falei abertamente ao mundo; eu sempre ensinei na sinagoga e no templo, onde os judeus sempre se ajuntam, e nada disse em oculto. Acredita-se que a comunidade judaica era grande em Salamina, pois tinha uma Sinagoga. Nas reuniões nas Sinagogas tinham que ser incluídas: oração, leituras de algo da Lei e dos Profetas e vinham seguidas de explicações, aplicações, 5  


benção e encerramento. Paulo e Barnabés conhecedores dos costumes e aproveitando o exemplo de CRISTO foram até a Sinagogas., não temos informações de conversões e nem o tempo de permanência lá, mas sabemos que a Palavra de DEUS nunca volta vazia, de Salamina partiram para Pafos.

Pafos (Kuklia): Fica no outro extremo da ilha, (veja o mapa), hoje pelo caminho mais curto, que é pelo litoral, são 160 km. Na época era a capital da província e como tal residência do pro-cônsul (governador) Sergio Paulo que ficou interessado em saber o que aqueles homens anunciavam e os convoca para uma audiência. Havia na cidade um judeu de nome Barjesus que em grego era Elimas que se intitulava profeta e fazia magias, era amigo do governador e tenta impedir o contato dos Missionários com o governador e se deu muito mal, At.13.9-12. Todavia Saulo, que também se chama Paulo, cheio do Espírito Santo, e fixando os olhos nele, Disse: O filho do diabo, cheio de todo o engano e de toda a malícia, inimigo de toda a justiça, não cessarás de perturbar os retos caminhos do Senhor? Eis aí, pois, agora contra ti a mão do Senhor, e ficarás cego, sem ver o sol por algum tempo. E no mesmo instante a escuridão e as trevas caíram sobre ele e, andando à roda, buscava a quem o guiasse pela mão. Então o procônsul, vendo o que havia acontecido, creu, maravilhado da doutrina do Senhor. Não sabemos por quanto tempo a equipe permaneceu em Pafos. Foi a partir daqui que o autor do Livro de Atos (Lucas) passou a usar o nome Paulo, ate então era Saulo, dá-se a impressão também que Paulo passou a ser o líder da Equipe. Não temos informações se visitaram a cidade natal de Barnabé que era na ilha de Chipre. De Pafos navegaram para o continente e aportaram na província da Panfilia (34), hoje territórios Turcos e provavelmente aportaram na cidade de Atália (Antalya) (At.14.25), também não temos rota marítima comercial entre estas duas cidades, mas calcula-se que a distancia gira em torno de 300 km (linha reta), da cidade portuária rumaram para uma cidade de nome Perge (Perga) não mais do que 20 km da costa.

Perge da Panfília (Perga): Hoje esta reduzida a um sitio arqueológico e pertence a cidade de Antalya. Não temos nenhuma informação se anunciaram as Boas Novas aqui, o que sabemos que Perge foi passagem obrigatória tanto na ida como na volta dos 6  


Missionários, mas um fato importante aconteceu nesta cidade envolvendo a equipe de Missionários: At.13.13. E, partindo de Pafos, Paulo e os que estavam com ele chegaram a Perge, da Panfília. Mas João, apartando-se deles, voltou para Jerusalém. Não sabemos o que levou o então jovem Joao Marcos abandonar a equipe e voltar para Jerusalém, mas algo de muito serio aconteceu devido a reação que Paulo tivera por ocasião da 2ª Viagem Missionaria onde ele não quis levar Joao Marcos. At 15:36-39 E alguns dias depois, disse Paulo a Barnabé: Tornemos a visitar nossos irmãos por todas as cidades em que já anunciamos a palavra do Senhor, para ver como estão. E Barnabé aconselhava que tomassem consigo a João, chamado Marcos. Mas a Paulo parecia razoável que não tomassem consigo aquele que desde a Panfília se tinha apartado deles e não os acompanhou naquela obra. E tal contenda houve entre eles, que se apartaram um do outro. Barnabé, levando consigo a Marcos, navegou para Chipre. Eu diria que esta desistência de Joao Marcos tenha sido mais uma estratégia do Espirito Santo e quando estudarmos a 2ª Viagem iremos comentar. A desistência não desanimou os dois bravos Missionária continuaram na MISSÃO de levar as “Boas-Novas” e rumaram para:

Antioquia da Pisidia - (Yalvac) (33): A distancia percorrida não foi menos que 250 km, hoje também são apenas ruinas que pertence a prospera cidade de Yalvac e novamente repetem a estratégia de visitar a Sinagoga local, e o ESPIRITO SANTO agiu. At.13:14, 15 E eles, saindo de Perge, chegaram a Antioquia, da Pisídia, e, entrando na sinagoga, num dia de sábado, assentaram-se; E, depois da lição da lei e dos profetas, lhes mandaram dizer os principais da sinagoga: Homens irmãos, se tendes alguma palavra de consolação para o povo, falai. Claramente notamos aqui como nosso DEUS trabalhar no silencio, vejam apenas 02 detalhes: 7  


1 - Existiam prosélitos (não judeus convertidos ao judaísmo), frequentando a Sinagoga. 2 - Somente pessoas qualificadas comprovadamente podem dirigir a palavra em uma Sinagoga, os mestres da Sinagoga não conheciam a Paulo e Barnabé, e mesmo assim lhes deram a oportunidade de fala. Paulo conhecedor da Lei, dos Profetas, da Historia judaica e movido pelo ESPIRITO SANTO, profere, a meu ver, o seu maior discurso em defesa do cristianismo. At.13.16-41. Resumidamente poderíamos dizer que ele já na introdução impressionou os ouvintes com seu conhecimento Histórico, nota-se que toda sua introdução foi com vista ao Messias que tanto o povo esperava, depois fala de Joao Batista e do modo por que JESUS fora rejeitado pelos judeus, falou da morte e ressurreição de JESUS em cumprimento a uma promessa feita a Israel e que somente pela FÉ nele (JESUS) os homens podem ser justificados e encerra sua fala fazendo um apelo final: v.38-14 (NVI) "Portanto, meus irmãos, quero que saibam que mediante Jesus lhes é proclamado o perdão dos pecados. Por meio dele, todo aquele que crê é justificado de todas as coisas das quais não podiam ser justificados pela lei de Moisés. Cuidem para que não lhes aconteça o que disseram os profetas: ‘Olhem, escarnecedores, admirem-se e pereçam; pois nos dias de vocês farei algo que vocês jamais creriam se alguém lhes contasse! ’" A fala de Paulo impressionou tanto os assistentes que se aglomeram em torno dele e pediram que eles voltassem no próximo Sábado. E o boato não só correu a cidade como também a região. No próximo Sábado lá estavam os Homens de DEUS e o texto nos diz que toda cidade compareceu para ouvi-los. Nós sabemos que quando o ESPIRITO SANTO age, o maligno fica furioso, o ciúme bateu nas autoridades judaicas que controlavam a Sinagoga e uma perseguição começou contra os Missionários e eles tiveram que sair da cidade. Foi nesta cidade que os Missionários bateram o pó das sandálias em sinal de protesto quando tiveram que sair de lá. Depois de serem expulsos da cidade, Paulo e Barnabé mudaram de rumo, foram em direção ao leste, agora já numa outra província – Galácia (30). Antes de comentarmos vamos abrir um parêntese: Paulo no seu discurso falou de uma doutrina da Fé Cristã. JUSTIFICACAO.

8  


Resumidamente, e de uma maneira simples, explicaríamos esta doutrina da seguinte forma: no dia do “Grande Julgamento”, quando alguém nos vir ao lado de CRISTO, vai tentar nos acusar pelos nossos erros, ai CRISTO ira JUSTIFICAR o porque estamos ao seu lado, por isto ela e chamada de Doutrina da Justificação, nos até cantamos: “se tentarem acusação contra mim; Justificado por Ti serei...” De uma maneira simples e rápida é isto ai, quem sabe em outra oportunidade podemos comentar sobre as “velhas” , esquecidas mas atuais Doutrinas.

Icônio (Konya): Ficava aproximadamente 160 km de Antioquia da Pisídia, vamos ao texto: At.14.1-7. E aconteceu que em Icônico entraram juntos na sinagoga dos judeus, e falaram de tal modo que creu uma grande multidão, não só de judeus mas de gregos. Mas os judeus incrédulos incitaram e irritaram, contra os irmãos, os ânimos dos gentios. Detiveram-se, pois, muito tempo, falando ousadamente acerca do Senhor, o qual dava testemunho à palavra da sua graça, permitindo que por suas mãos se fizessem sinais e prodígios. E dividiu-se a multidão da cidade; e uns eram pelos judeus, e outros pelos apóstolos. E havendo um motim, tanto dos judeus como dos gentios, com os seus principais, para os insultarem e apedrejarem. Sabendo-o eles, fugiram para Listra e Derbe, cidades de Licaônia, e para a província circunvizinha; E ali pregavam o evangelho. Como vimos repetiram a estratégia da Sinagoga, e o resultado foi ótimo, muitos judeus e gentios creram nas Boas-Novas. O texto nos diz também que os Missionários permaneceram lá por um longo tempo, não temos informações de quanto tempo foi e o SENHOR era com eles e sinais e prodígios eram feito pelos Missionários. Novamente vem a investida de Satanás e logo as perseguições começaram e os Missionários tiveram que sair da cidade e foram para uma cidade aproximadamente uns 30 km.

Listra (Zoldera): Esta cidade tinha uma característica diferente das outras, era habitada na sua grande maioria por soldados romanos aposentados e iniciaram o trabalho, logo o resultado veio, um paralítico de nascença foi curado. Por causa disso, os habitantes de Listra pensaram que os dois missionários fossem a encarnação dos deuses pagãos que adoravam - Júpiter e Mercúrio, com muita dificuldade, os Missionários impediram que o povo lhes oferecesse sacrifícios de adoração. Se não 9  


bastasse isto, judeus de Antioquia e de Iconio foram para Listra e incitaram a população contra os Missionários, aqui a coisa foi mais violenta, Paulo foi apedrejado e dado por morto e arrastado para fora da cidade e segundo o próprio Paulo o SENHOR o livrou (2Tm.3.11). Apesar da perseguição sofrida, a semente foi plantada e uma Igreja foi estabelecida em Listra que chegou a ser visitada novamente por Paulo numa outra viagem, acredita-se que foi aqui que conheceram o jovem Timóteo. Depois de recuperado foram para Derbe. At.14.8-21.

DERBE (Kerti Huyuk) Derbe localizava a 70 km de Icônio nos limites da fronteira do império Romano. Talvez isto tenha levado os Missionários a voltarem. At.14.20,21. Mas, rodeando-o os discípulos, levantou-se, e entrou na cidade, e no dia seguinte saiu com Barnabé para Derbe. E, tendo anunciado o evangelho naquela cidade e feito muitos discípulos, voltaram para Listra, e Icônio e Antioquia, O texto nos diz que o resultado foi bom, muitos aceitaram “As Boas-Novas”, quando lemos em At.20.4 vemos que Gaio era natural de Derbe e se tornou um colaborador em outras viagens. Paulo tinha um carinho muito especial por Derbe, ele retornou a cidade por mais vezes. Também não temos informações de quanto tempo permaneceram em Derbe, o que sabemos que daqui iniciaram a viagem de volta passando pelas cidades visitadas e reforçando a mensagem estruturando as Igrejas e promovendo eleição de Presbíteros, que eram pessoas de bom testemunho, dedicação e amor a causa. At.14.21-28. E, tendo anunciado o evangelho naquela cidade e feito muitos discípulos, voltaram para Listra, e Icônio e Antioquia, Confirmando os ânimos dos discípulos, exortando-os a permanecer na fé, pois que por muitas tribulações nos importa entrar no reino de Deus. E, havendo-lhes, por comum consentimento, eleito anciãos em cada igreja, orando com jejuns, os encomendaram ao Senhor em quem haviam crido. Passando depois por Pisídia, dirigiram-se a Panfília. E, tendo anunciado a palavra em Perge, desceram a Atália. E dali navegaram para Antioquia, de onde tinham sido encomendados à graça de Deus para a obra que já haviam cumprido. E, quando chegaram e reuniram a igreja, relataram quão grandes coisas Deus fizera 10  


por eles, e como abrira aos gentios a porta da fé. E ficaram ali não pouco tempo com os discípulos. Alguns estudiosos calculam que os Missionários percorreram em torno de 2200 km, e o tempo de duração da viagem foi em torno de 05 anos. Grandes lições podem aprender, mas a frase que ficou foi: At.14.22. Confirmando os ânimos dos discípulos, exortando-os a permanecer na fé, pois que por muitas tribulações nos importa entrar no reino de Deus. Meu apelo é que tenhamos os nossos ouvidos desentupidos para ouvir ao chamado do ESPIRITO SANTO e que nossas Igrejas também tenham a mesma visão que a igreja de Antioquia da Síria teve: MISSOES. AMEM. Diácono Pedro Eduardo Corona. Igreja Batista Link Church – Londres UK – 2012.

Se você tem alguma pergunta, duvida ou sugestão de estudo, entre em contato conosco: www.linkchurch.net

11  

Aula 28: Chipre e Turquia  
Aula 28: Chipre e Turquia  

Mais uma aula da serie

Advertisement