Page 1

Publicação mensal dos Sinepes, Anaceu, Consed, ABMES, Abrafi, ABM, IMDC, Fundação Universa e Sieeesp

Chegamos à Ibero-América Llegamos a Iberoamérica Revista Linha Direta chega a 23 países Revista Linha Direta llega a 23 países

Los desafíos educativos de América Latina Os desafios educacionais da América Latina El futuro de las naciones se juega en la educación O futuro das nações está na educação

EDIÇÃO 147 ANO 13 - JUNHO 2010

9 772176 441000

00 1 47

R$10,00

ISSN 2176- 4417

Entrevista

Marketing 3.0

A hora de educar é Agora!

Marketing baseado em valores

José Arnaldo Favaretto

Vagner Aguilar


contexto

A hora de educar é Agora! Editora Saraiva investe no mercado de escolas públicas com o Agora Sistema de Ensino om 20% de participação no mercado de livros científicos, técnicos e profissionais, a Editora Saraiva aproveita sua experiência de 96 anos na área da educação e lança, em 2010, um sistema de ensino voltado para as escolas públicas. Trata-se do Agora Sistema de Ensino, que oferece linha completa de materiais didáticos para a Educação Infantil, Ensino Fundamental e Ensino Médio. Também disponibiliza um pacote de soluções educacionais complementares, que inclui portal para alunos e educadores (www.souagora.com.br), cursos presenciais e a distância para professores e gestores dos municípios parceiros, sistema de avaliação de desempenho escolar e completa assessoria pedagógica. O material será comercializado em todo o Brasil. “O Agora foi desenvolvido para mudar o referencial dos sistemas de ensino na área pública, focando-se nas necessidades dos alunos e professores. Ele visa atender à identidade da escola pública, no que se refere à gestão escolar, à relação família-escola e à orientação afinada com os Parâmetros Curriculares Nacionais (PCNs). Um dos diferenciais do Agora é compreender a proposta pedagógica da escola como reflexão e movimento, buscando proporcionar um material que respeite o caminhar educativo de cada escola, evidenciando valores e conceitos de humanidade e cidadania”, explica José Arnaldo Favaretto, diretor de Sistemas de Ensino da Saraiva. Em entrevista à revista Linha Direta, Favaretto destaca as razões que fizeram com que a Editora Saraiva investisse no mercado de escolas públicas e quais são os principais diferenciais do material. Por que lançar um sistema de ensino voltado às escolas públicas?

14

Revista Linha Direta

A Saraiva é uma editora atenta às necessidades das escolas. Por respeitar a identidade, a proposta pedagógica e a trilha metodológica de cada colégio, ela oferece materiais didáticos que respondem às diferentes realidades. Assim, possui livros didáticos e paradidáticos, literatura em geral, livros técnicos, sistemas de ensino e material digital em seu catálogo de produtos. Compreende-se que a demo-

José Arnaldo Favaretto, diretor de Sistemas de Ensino da Saraiva

David Rodrigues/Divulgação

C


cratização do acesso e os direitos civis promulgados pela Constituição Federal de 1988 garantem pleno acesso à educação pública de qualidade. Contudo, como se sabe, o direito ao saber elaborado, veiculado na escola, só é concretizado se forem construídos meios que façam a conexão entre os saberes culturais e do cotidiano e o conhecimento científico. Oferecer um material que facilite essa conexão é a proposta do Agora Sistema de Ensino. Qual é a proposta pedagógica? O Agora apresenta sua proposta pedagógica como movimento e reflexão, buscando ancorar o caminhar educativo na aplicabilidade de cada escola. O material evidencia os valores e os conceitos de humanidade, sociedade, cidadania, educação e cultura, sendo uma importante ferramenta de apoio aos fazeres didáticos para a escola do presente. Ele visa atender à identidade da instituição pública de ensino, no que se refere à gestão escolar, à relação família-escola e à orientação afinada com os Parâmetros Curriculares Nacionais (PCNs). Isso porque esse novo sistema se baseia em conteúdos significativos e múltiplas linguagens, privilegiando o encantamento e o prazer em aprender. Quais são os diferenciais? O Agora foi desenvolvido para mudar o referencial dos sistemas de ensino na área pública, focandose nas necessidades dos alunos e professores. Por essa razão, o conteúdo foi elaborado por uma equipe muito criteriosa, com ampla bagagem na área educacional e comprometida com a construção

do conhecimento. Um dos diferenciais é a proposta pedagógica, que aproxima o dia a dia dos estudantes ao contexto escolar, já que alguns conhecimentos, embora presentes no cotidiano, nem sempre se desvendam de forma a permitir a apreensão de seus conceitos e valores fundamentais, e, por isso, demandam situações intencionais de ensino-aprendizagem. Isso tudo porque pretendemos colaborar para o enriquecimento do debate sobre como se aprende e como se pode ensinar e, consequentemente, contribuir para a formação de cidadãos livres e críticos.

finalidade de enriquecer o processo de ensino e aprendizagem –, cursos presenciais e a distância para professores e gestores municipais e sistema de avaliação de desempenho escolar dos alunos, baseado nas competências e habilidades dos conteúdos escolares. Também oferecemos total apoio ao professor e à equipe diretiva das escolas, com assessoria pedagógica disponível por meio do telefone 08007705477, do portal, de e-mail ou de visitas aos colégios.

O Agora Sistema de Ensino utiliza linguagens múltiplas e tem uma orientação metodológica que objetiva a construção e a aquisição do conhecimento, e também é favorecido por um projeto editorial e gráfico inovador. Os conteúdos estão distribuídos, ao longo de toda

A Saraiva é a 4ª maior editora de livros didáticos do país, líder no mercado de livros técnicos, científicos e profissionais, com 20% de market share e 96 anos de experiência na área da educação. Ela já se destaca no mercado de sistemas de ensino com o Ético Sistema de

Qual o posicionamento da Saraiva no mercado?

... pretendemos colaborar para o enriquecimento do debate sobre como se aprende e como se pode ensinar... a coleção, em uma perspectiva em espiral, sendo eles retomados e ampliados a cada etapa da escolaridade, de forma que o estudante reveja o que já foi consolidado e seja capaz de construir saberes mais aprofundados sobre os temas. Que serviços de apoio serão oferecidos a alunos e professores? Nosso sistema fornece assessoria completa aos profissionais do ensino, com soluções educacionais que incluem um portal desenvolvido para alunos e educadores – com a

Ensino, presente em mais de 350 escolas da rede particular de todo o país. Com o lançamento do Agora Sistema de Ensino, voltado à rede municipal, pretendemos estar presentes no Brasil todo, com equipe própria e parceiros comerciais, oferecendo mais uma solução que atenda às diversas demandas educacionais dos municípios, além de alcançar uma participação, neste mercado, condizente com a credibilidade, a pujança e o histórico da Editora Saraiva. ¢ www.souagora.com.br Revista Linha Direta

15


espaço ibero-americano espacio iberoamericano

Chegamos à Ibero-América Revista Linha Direta chega a 23 países

Llegamos a Iberoamérica Revista Linha Direta llega a 23 países

S

e inovação é a criação e/ou melhoria de um produto ou processo, a Linha Direta inova mais uma vez e reitera seu objetivo de sempre buscar informação de qualidade para seus leitores, no que diz respeito a Inovação, Educação e Gestão, e de promover o encontro entre os profissionais da área. A partir deste mês de junho, a Linha Direta entra em uma nova fase, trazendo a seus leitores novidades no conteúdo editorial e na ampliação de seu público.

S

A revista, agora, vai chegar a 23 países da Ibero-América: além do Brasil, Argentina, Bolívia, Chile, Colômbia, Costa Rica, Cuba, El Salvador, Equador, Espanha, Guatemala, Guiné Equatorial, Honduras, México, Nicarágua, Panamá, Paraguai, Peru, Porto Rico, Portugal, República Dominicana, Uruguai e Venezuela. E também vai contar com artigos de profissionais da educação desses países, visando ampliar o intercâmbio de informações, a cooperação e a integração entre os governos e as instituições

La revista, ahora, va a llegar a 23 países de Iberoamérica: además de Brasil, Argentina, Bolivia, Chile, Colombia, Costa Rica, Cuba, Ecuador, El Salvador, España, Guatemala, Guinea Ecuatorial, Honduras, México, Nicaragua, Panamá, Paraguay, Perú, Portugal, Puerto Rico, República Dominicana, Uruguay y Venezuela. Y también va a contar con artículos de profesionales de la educación de estos países, buscando ampliar el intercambio de informaciones, la cooperación y la integración entre los gobiernos y las instituciones educacio-

18

Revista Linha Direta

i innovación es la creación y/o mejoría de un producto o proceso, Linha Direta innova una vez más y reitera su objetivo de siempre buscar información de calidad para sus lectores, en referencia a Innovación, Educación y Gestión, y de promover el encuentro entre los profesionales del área. A partir de este mes de junio, Linha Direta entra en una nueva etapa, trayendo a sus lectores novedades en el contenido editorial y en la ampliación de su público.


educacionais. Para essas discussões, está sendo criado, em nossa publicação, o Espaço iberoamericano, sexto pilar de sustentação da linha editorial da revista, que já conta com os pilares Conhecimento, Inovação, Tecnologia, Gestão e Gestão pública.

nales. Para estas discusiones, está siendo creado, en nuestra publicación, el Espacio iberoamericano, sexta columna de sustentación de la línea editorial de la revista, que ya cuenta con las columnas Conocimiento, Innovación, Tecnología, Gestión y Gestión pública.

O Espaço ibero-americano será uma seção bilíngue e, para fomentá-la, iremos contar com a parceria da Organização dos Estados Ibero-ame-

El Espacio iberoamericano será una sección bilingüe y, para fomentarla, iremos a contar con el apoyo de la Organización de los Estados Iberoamericanos para la Educación, la Ciencia y la Cultura (OEI), que también posibilitará el envío de la revista para los 23 países miembros de la Organización. La bandera, en el comienzo de cada texto, identificará la nacionalidad del autor.

O Espaço ibero-americano será uma seção bilíngue... // El Espacio iberoamericano será una sección bilingüe... ricanos para a Educação, a Ciência e a Cultura (OEI), que também possibilitará o envio da revista para os 23 países-membros da Organização. A bandeira, no início de cada texto, identificará a nacionalidade do autor. Para saber um pouco mais sobre este espaço, que trará oportunidades para o leitor da Linha Direta acompanhar a educação na Ibero-América, leia a entrevista com a diretora da OEI no Brasil, Ivana de Siqueira.

Para saber un poco más sobre este espacio, que traerá oportunidades para el lector de Linha Direta al acompañar la educación en Iberoamérica, lea la entrevista con la directora de la OEI en Brasil, Ivana de Siqueira. ¿Cuál es la importancia del Espacio iberoamericano, bilingüe, en la revista Linha Direta? El espacio creado, de índole solidaria y cooperativa, permitirá a los lectores de Linha Direta mayor conocimiento sobre la realidad educacional de los países de nuestra región. Sin dudas, el entendimiento más amplio al respecto de políticas y realizaciones educacionales en los países

Países-membros da OEI // Países miembros de la OEI Argentina Argentina

Cuba Cuba

Honduras Honduras

Porto Rico Puerto Rico

Bolívia Bolivia

El Salvador El Salvador

México México

Portugal Portugal

Brasil Brasil

Equador Ecuador

Nicarágua Nicaragua

República Dominicana República Dominicana

Chile Chile

Espanha España

Panamá Panamá

Uruguai Uruguay

Colômbia Colombia

Guatemala Guatemala

Paraguai Paraguay

Venezuela Venezuela

Costa Rica Costa Rica

Guiné Equatorial Guinea Ecuatorial

Peru Perú

Revista Linha Direta

19


Qual a importância do Espaço ibero-americano, bilíngue, na revista Linha Direta? O espaço criado, de cunho solidário e cooperativo, permitirá aos leitores da Linha Direta maior conhecimento sobre a realidade educacional dos países da nossa região. Sem dúvida, o entendimento mais amplo a respeito de políticas e realizações educacionais nos países ibero-americanos possibilita a percepção atualizada sobre os processos de formação e desenvolvimento humanos na Ibero-América. Sem contar que esse espaço viabiliza o destaque da riqueza cultural e linguística de nossos povos, além dos esforços feitos para solucionar problemas que ainda perduram em nossos sistemas de educação. A senhora acredita que esse espaço poderá incrementar a cooperação internacional entre os países ibero-americanos em áreas relacionadas à educação? Eu penso que sim, até porque um espaço sistemático de apresentação e troca de experiências possibilita o fortalecimento da comunicação institucional e da aproximação entre dirigentes, professores, pesquisadores e outros intelectuais que atuam nos diversos segmentos da educação. A consequência inevitável de tal aproximação é uma maior integração entre os governos e as instituições educacionais, aumentando as possibilidades de cooperação bilateral ou multilateral entre os povos que formam a Ibero-América. E por que não dizer que, por meio da revista, poderemos também criar condições cognitivas que possam aumentar a compreensão mútua, a solidariedade e os laços de amizade entre os povos ibero-americanos. De que forma este espaço se integra às ações de implantação das Metas Educativas 2021 da OEI? Ele é mais um instrumento que se associa à mobilização nacional e internacional em torno das Metas da OEI. O seu elevado poder de disseminação fará com que as ideias e as proposições apresentadas no Espaço ibero-americano sejam conhecidas por um grande público. Este é um dos objetivos das Metas Educativas 2021: possibilitar o conhecimento e a participação de

20

Revista Linha Direta

iberoamericanos posibilita la percepción actualizada sobre los procesos de formación y de­sarrollo humanos en Iberoamérica. Sin contar que este espacio viabiliza destacar la riqueza cultural y lingüística de nuestros pueblos, además de los esfuerzos hechos para solucionar problemas que aún perduran en nuestros sistemas de educación. ¿Usted cree que este espacio podrá incrementar la cooperación internacional entre los países iberoamericanos en áreas relacionadas a la educación? Pienso que sí, especialmente porque un espacio sistemático de presentación e intercambio de experiencias posibilita el fortalecimiento de la comunicación institucional y de la aproximación entre dirigentes, profesores, investigadores y otros intelectuales que actúan en los diversos segmentos de la educación. La consecuencia inevitable de tal aproximación es una mayor integración entre los gobiernos y las instituciones educacionales, aumentando las posibilidades de cooperación bi-

... um espaço sistemático de apresentação e troca de experiências... // ... un espacio sistemático de presentación e intercambio de experiencias... lateral o multilateral entre los diferentes pueblos que forman Iberoamérica. Y por qué no decir que, por medio de la revista, podremos también crear condiciones cognitivas que puedan aumentar la comprensión mutua, la solidariedad y los lazos de amistad entre los pueblos iberoamericanos. ¿De qué forma este espacio se integra a las accio­nes de implantación de las Metas Educativas 2021 de la OEI? Este es un instrumento más que se asocia a la movilización nacional e internacional en torno de las Metas de la OEI. Su elevado poder de diseminación hará con que las ideas y las proposiciones presentadas en el Espacio iberoamericano sean conocidas por un gran público. Este es uno de los objetivos de las Metas Educativas 2021: posibili-


Mauro Martins

Ivana de Siqueira, diretora da OEI no Brasil Ivana de Siqueira, directora de la OEI en Brasil

maior número de pessoas na sua implantação e avaliação. A revista oferece essa possibilidade; a OEI irá aproveitá-la integralmente, sem nenhuma dúvida.

tar el conocimiento y la participación de mayor número de personas en su implantación y evaluación. La revista ofrece esta posibilidad; la OEI irá a aprovecharla integralmente, sin ninguna duda.

Como será a seleção dos artigos?

¿Cómo será la selección de los artículos?

Além dos critérios de publicação já adotados pela Linha Direta, a orientação que temos para selecionar artigos, relatórios ou ensaios será o nível de relevância para a área da educação em quaisquer de seus segmentos: político, pedagógico, metodológico, gerencial. Portanto, o espaço da revista estará aberto a todos os que queiram apresentar suas ideias, resultados de suas pesquisas, de seus estudos, desde que sejam relevantes e oportunos para o debate atual sobre o desenvolvimento da educação na Ibero-América. ¢

Además de los criterios de publicación ya adoptados por la revista Linha Direta, el criterio que tenemos para seleccionar artículos, informes o ensayos, será a través del nivel de relevancia para el área de la educación en cualquiera de sus segmentos: político, pedagógico, metodológico, gerencial. Por lo tanto, el espacio de la revista estará abierto a todos los que quieran presentar sus ideas, resultados de sus investigaciones, de sus estudios, desde que sean relevantes y oportunos para el debate actual sobre el desarrollo de la educación en Iberoamérica. ¢ Revista Linha Direta

21


espaço ibero-americano espacio iberoamericano

Mariano Jabonero*

Los desafíos educativos de América Latina E

n estos momentos, América Latina tiene que hacer frente a importantes desafíos educativos debiendo atender, como expuso J. J. Brunner, a una doble agenda: recuperar el atraso acumulado del siglo XX y responder a los retos del siglo XXI. Un contexto en el que es difícil hacer un resumido diagnóstico sobre cuales son los desafíos educativos más importantes para nuestra región, pero si buscamos dar respuesta a sus mayores problemas, como son la pobreza, la inequidad, la falta de desarrollo sostenible y la baja competitividad, podemos priorizar algunos que, a nuestro entender, son los más relevantes.

22

Revista Linha Direta

Os desafios educacionais da América Latina N

este momento, a América Latina tem que enfrentar importantes desafios educacionais, devendo atender, como afirma J. J. Brunner, a uma agenda dupla: recuperar o atraso acumulado do século XX e responder aos desafios do século XXI.


El primero de ellos es seguir avanzando en cobertura educativa, ya que si bien ha alcanzado un nivel histórico del 97% en educación básica, apenas superamos el 65% en secundaria y sigue siendo muy reducida en educación técnico-profesional e infantil, con una permanencia promedio de los alumnos en las escuelas que, salvo en Chile, no alcanza el mínimo de los 12 años que aseguran un desarrollo personal, social y laboral satisfactorio. Si el impulso a la cobertura es importante, aun lo es más a la necesidad, hoy insatisfecha, de ofrecer educación para todos en condiciones de calidad: a los más pobres, a los pueblos originarios, a las minorías, a los que tienen alguna necesidad educativa especial y a los que viven en zonas rurales. El profesorado es un factor decisivo para la calidad de los sistemas educativos. Más allá de los procesos de capacitación permanente que, con mayor o menor nivel de calidad y eficacia, se han extendido por la región, es urgente de­ sarrollar mejores procesos de selección, reclutamiento, gestión y supervisión de los docentes, así como crear sistemas de estímulo y promo­ ción – factores, todos ellos, que caracterizan a los sistemas educativos mejor calificados en los reconocidos informes Pisa (Programa Internacional de Evalua­ción de Alumnos). Hacer realidad la educación a lo largo de la vida en nuestra región no es sólo un acto de justicia que garantiza el acceso a un derecho fundamental, como es la educación, a los casi 30 millones de analfabetos que tenemos en Iberoamérica, seguramente que los más pobres de nuestros conciudadanos. Más aun, con ello se aseguran oportunidades variadas, pertinentes y adaptadas de capacitación durante toda la vida al conjunto de la población, un requisito imprescindible para hacer posible el desarrollo y la cohesión social, así como la competitividad. Lo anteriormente expuesto cobra aún más importancia si se refiere a la definición e implementación actualizada de sistemas de cualificaciones y de formación profesional, equivalentes y compatibles, en una economía hemisférica cada vez más integrada y globalizada que, a su vez, debe ser competitiva en el contexto mundial.

É difícil fazer um diagnóstico sucinto sobre os desafios educacionais mais importantes para nossa região, mas, se buscarmos dar resposta a seus maiores problemas, como a pobreza, a desigualdade, a falta de desenvolvimento sustentável e a baixa competitividade, podemos priorizar alguns que, no nosso entender, são os mais relevantes. O primeiro deles é seguir avançando na expansão da educação. Ainda que se tenha alcançado uma porcentagem histórica de 97% em educação básica, o acesso só foi ampliado em 65% no nível fundamental e continua muito reduzido na educação técnico-profissional e infantil. A permanência média de alunos nas escolas não atinge, com exceção do Chile, o mínimo de 12 anos, deixando, dessa forma, de assegurar o desenvolvimento pessoal, social e profissional satisfatório. Se o estímulo para a expansão é importante, mais ainda é a necessidade – hoje não atendida – de oferecer educação com qualidade para todos: aos mais pobres, aos povos indígenas, às minorias, aos que tenham alguma necessidade especial e aos que vivem em zonas rurais.

... América Latina tiene que hacer frente a importantes desafíos educativos... // ... a América Latina tem que enfrentar importantes desafios educacionais... A formação dos professores é um fator decisivo para a qualidade dos sistemas de ensino. Além dos processos de capacitação permanente, que, com maior ou menor nível de qualidade e eficiência, têm se espalhado pela região, é urgente desenvolver melhores processos de seleção, recrutamento, gestão e supervisão dos docentes, assim como criar sistemas de incentivos e promoção – fatores, todos eles, que caracterizam os melhores sistemas educacionais classificados nos reconhecidos relatórios Pisa (Programa Internacional de Avaliação de Alunos). Tornar a educação realidade duradoura em nossa região não é apenas um ato de justiça que garante o acesso a um direito fundamental, como é a eduRevista Linha Direta

23


Por último, hemos de aplicar el ya viejo tópico de la Comisión Económica para América Latina y Caribe (Cepal): invertir más e invertir mejor en educación, requisito que es posible por la favorable situación macroeconómica, presente y futura, de Iberoamérica, al tiempo de ser una necesidad imperiosa para hacer frente a los requerimientos de esa doble agenda que ci-

Nuestra región debe incrementar la aportación promedio del PIB a educación... // Nossa região deve aumentar o aporte médio do PIB para a educação... tábamos al principio de estas líneas. Nuestra región debe incrementar la aportación promedio del PIB a educación en un porcentaje que sea, al menos, similar al de los países más desarrollados, los de la Organización para la Cooperación y el Desarrollo Económico (OCDE), así como generalizar sistemas de administración, gestión y supervisión de la educación eficaces y eficientes. En la década de los bicentenarios de las independencias, la propuesta Metas 2021: la educación que queremos para la generación de los bicentenarios, recientemente aprobada por la Cumbre de Jefes de Estado y de Gobierno, representa un esfuerzo colectivo, articulado en torno a la educación, que puede hacer posible llegar a tener sociedades más desarrolladas, cultas y libres y, por ello, más democráticas. ¢ *Director general de Concertación de la Organización de Estados Iberoamericanos para la Educación, la Ciencia y la Cultura (OEI)

24

Revista Linha Direta

cação, aos quase 30 milhões de analfabetos que temos na Ibero-América, seguramente os mais pobres dos nossos concidadãos. Por meio dela, asseguram-se várias oportunidades pertinentes e adequadas de capacitação continuada para toda a população, um requisito imprescindível para tornar possível o desenvolvimento e a coesão social, assim como a competitividade. A questão anterior exige ainda mais importância ao se referir à definição e implementação atualizada de sistemas de qualificação e de formação profissional, equivalentes e compatíveis com uma economia cada vez mais integrada e globalizada que, por sua vez, deve ser competitiva no contexto mundial. Por último, temos de aplicar o antigo tema da Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (Cepal): investir mais e melhor em educação, requisito possível diante da situação macroeconômica favorável, presente e futura, da Ibero-América e, ao mesmo tempo, da necessidade imperiosa para atender às exigências da dupla agenda citada no início deste texto. Nossa região deve aumentar o aporte médio do PIB para a educação em uma porcentagem que seja, ao menos, similar à dos países mais desenvolvidos, os da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), assim como difundir os sistemas de administração, gestão e supervisão da educação eficaz e eficiente. Na década dos bicentenários das independências, a proposta Metas 2021: a educação que queremos para a geração dos bicentenários, recentemente aprovada pela Cúpula dos Chefes de Estado e de Governo, representa um esforço coletivo e articulado em torno da educação, que pode tornar possível a existência de sociedades mais desenvolvidas, cultas e livres e, portanto, mais democráticas. ¢ *Diretor-geral de Concertação da Organização dos Estados Ibero-americanos para a Educação, a Ciência e a Cultura (OEI)


espaço ibero-americano espacio iberoamericano

El futuro de las naciones se juega en la educación L

Sara Haj-Hassan

a educación es clave para el futuro de las personas, las familias y los países. Recientes mediciones en los EE.UU. muestran que es el mayor preventivo anti delincuencia. Entre los que terminaron la escuela secundaria, los detenidos en cárceles son 1 de cada 35. Entre los que no la finalizaron, 1 de cada 10, es decir, un 350% más. Quienes completaron un grado universitario ganan 74% más que los que no lo hicieron. En los países con educación universal garantizada hasta casi terminar la universidad, como Noruega, la pobreza es cero. Los países líderes en el mundo en inversiones en educación, como los nórdicos, y los asiáticos, encabezan los rankings de progreso tecnológico y de competitividad.

Bernardo Kliksberg*

O futuro das nações está na educação A

educação é a chave para o futuro das pessoas, das famílias e dos países e a maior prevenção contra a delinquência, segundo estudos recentes nos EUA. Entre os indivíduos que terminaram o Ensino Médio, 1 em cada 35 está preso. Já entre os que não o concluíram, 1 em cada 10 se encontra na mesma situação, ou seja, 350% a mais. Aqueles que completaram uma graduação universitária ganham 74% a mais do que aqueles que não o fizeram. Nos países em que o acesso à educação é garantido para todos até a quase ou total conclusão da universidade, como na Noruega, a pobreza é nula. Nesse sentido, as nações líderes no mundo em investimentos em educação, como os nórdicos e os asiáticos, estão no topo dos rankings do progresso tecnológico e de competitividade. Uma América Latina preocupada com a insegurança dos cidadãos, os altos níveis de pobreza (atualmente, 34%, com 9 milhões de pessoas mais pobres em 2009 devido à crise econômica global), as desigualdades e a competitividade das suas economias deveria dar a máxima atenção à educação. Com os avanços, os déficits são consideráveis. Seis milhões de jovens entre 15 e 19 anos não completaram o Ensino Fundamental. Apenas 43% das crianças o concluem no tempo, na idade e no

26

Revista Linha Direta


Una América Latina preocupada por la inseguridad ciudadana, los altos niveles de pobreza (34% actualmente con los 9 millones más de pobres que se agregaron en el 2009 a causa de la crisis exportada), las desigualdades y la competitividad de sus economías debería prestarle la máxima atención. Con avances, los déficits son considerables. Seis millones de jóvenes entre 15 y 19 años no terminaron la escuela primaria. Sólo el 43% de los niños terminan la escuela primaria a tiempo, en la edad y número de años previstos. No finalizan la secundaria el 70% en Guatemala, Honduras y Nicaragua, y el 50% en Bolivia, Brasil, Colombia, Panamá y Paraguay. Las deserciones en primaria y secundaria están totalmente correlacionadas con las desigualdades generales de la región. En el 20% más rico la terminan 4 de cada 5, en el 20% más pobre sólo 1 de cada 5, mientras que en el 20% más rico, la quinta parte termina la universidad, en el 20% más pobre es sólo 1 de cada 100. Una de las causas de la deserción es la desnutri­ción – 16% de los niños padecen de desnutrición crónica. Otra es el trabajo infantil – el 11% de los menores de 14 años trabajan duramente para agregar ingresos a sus hogares. Una tercera es la desarticulación familiar. Ante carencias críticas, las familias pobres se desintegran con más facilidad. Una familia articulada es decisiva para la motivación y el rendimiento de los niños en la escuela. Se crea así un “círculo perverso”. Entre los jóvenes cuyos padres no terminaron la primaria, sólo terminan la secundaria 3 de cada 10. En aquellos que tienen padres graduados universitario, la completan 9 de cada 10. Por otra parte, mientras las familias de mejores recursos económicos hacen lo posible para que sus hijos prolonguen sus estudios, las pobres no tienen otra alternativa que tratar de que trabajen cuanto antes para sumar ingresos, y por lo tanto corten sus estudios. A todo ello se suman las carencias agudas de recursos de la educación pública, la única accesible para la gran mayoría de la población. Entre otros aspectos, de acuerdo con el estudio SERCE-Unesco (2009), el 20% de las escuelas no tienen agua po-

número de anos previstos. 70% da população não finalizam o Ensino Médio na Guatemala, Honduras e Nicarágua, e 50% na Bolívia, Brasil, Colômbia, Panamá e Paraguai. As desistências na educação fundamental e no Ensino Médio estão totalmente correlacionadas com as desigualdades da região. Nas 20% mais ricas, 4 em cada 5 indivíduos concluem o ensino básico, e a quinta parte da população completa a universidade, enquanto, nas 20% mais pobres, apenas 1 em cada 5 conclui o ensino básico, e apenas 1 em cada 100, a universidade. Uma das causas do abandono é a desnutrição – 16% das crianças sofrem de desnutrição crônica. Outra é o trabalho infantil – 11% dos menores de 14 anos trabalham para contribuir com a renda familiar. E a terceira é a desestruturação familiar. Diante de dificuldades extremas, as famílias pobres se desintegram com mais facilidade, e uma família estruturada é fundamental para a motivação e o desempenho das crianças na escola. Surge, assim, um “círculo perverso”. Entre os jovens cujos pais não terminaram o Ensino Fundamental, apenas 3 em cada 10 concluem o Ensino Médio. Já entre aqueles que têm pais com nível superior, 9 de cada 10 finalizam o Ensino Médio. Por outro lado, enquanto as famílias com melhores recursos econômicos fazem o possível para que seus filhos prolonguem os estudos, os pobres não têm outra alternativa senão a de procurar trabalho o quanto antes para contribuir com a renda familiar, interrompendo seus estudos. A tudo isso, somam-se as deficiências crônicas de recursos da educação pública, a única acessível para a maioria absoluta da população. Entre outros aspectos, de acordo com o estudo SERCEUnesco (2009), 20% das escolas não têm água potável, 33% não possuem banheiros suficientes e 47% carecem de bibliotecas. Além disso, a situação dos professores, peça-chave no processo educativo, também é difícil na região. Os salários são muito baixos, e as possibilidades de aperfeiçoamento e de carreira, limitadas – 36% dos professores da 6ª série têm outro emprego para conseguir sobreviver. Revista Linha Direta

27


table, un 33% no tienen baños suficientes, un 47% carecen de bibliotecas. Por otra parte, la situación del recurso más importante de la educación, los maestros, es difícil en la región. Los salarios son muy bajos, las posibilidades de perfeccionamiento y de carrera, limitadas. El 36% de los maestros de 6º grado tienen otro trabajo para poder subsistir. Las oportunidades en educación son muy distintas para los diversos estratos sociales, y ello va a incidir directamente en sus chances en el mercado de trabajo. Es una obligación de una sociedad democrática dar oportunidades de educación a todos en el siglo XXI. Hacerlo requiere en primer término, invertir recursos. Mientras que Dinamarca asigna a educación primaria u$s7.949 por alumno; Francia, u$s5.224; España, u$s4.800; México dedica u$s1.604; Colombia, u$s1.257, y Perú, 446 dólares. El gasto público en educación es en América Latina el 4,1% del Producto Bruto, a distancia del de los países en desarrollo – 4,5% – y de los desarrollados, 5,3%. No se puede alegar falta de recursos. Cuanto más haya, mejor, pero siempre habrá un tema de cómo se priorizan. Entre otros ejemplos, Costa Rica decidió cambiar su Constitución para colocar en ella que el gasto en educación no debe ser menos que el 6% del Producto Bruto Nacional. La Argentina dictó una ley que obliga al Estado a llegar en el 2010 a ese mismo porcentaje. Uruguay desarrolló el Plan Ceibal, que universalizó el acceso a internet en los 350.000 alumnos de sus escuelas públicas. Brasil ha hecho notables esfuerzos e inversiones para enfrentar sus brechas educativas.

As oportunidades na educação são muito distintas para as diversas classes sociais, e isso afetará diretamente suas chances no mercado de trabalho. E é obrigação de uma sociedade democrática, no século XXI, propiciar essas oportunidades a todos. Fazer isso requer, em primeiro lugar, investir recursos. Enquanto a Dinamarca destina US$7.949 por aluno para a educação básica; a França, US$5.224; e a Espanha, US$4.800; o México investe US$1.604; a Colômbia, US$1.257; e o Peru, US$446. O gasto público em educação é de 4,1% do PIB na América Latina, enquanto, nos países em desenvolvimento, a taxa é de 4,5% e, nos desenvolvidos, de 5,3%. Não se pode alegar falta de recursos. Quanto mais se tem, melhor, porém a discussão de como priorizá-los é sempre necessária. Entre outros exemplos, a Costa Rica decidiu alterar a sua Constituição para incluir que o gasto em educação não deve ser inferior a 6% do Produto Nacional Bruto. A Argentina aprovou uma lei que obriga o Estado a chegar a 2010 com esse mesmo percentual. O Uruguai desenvolveu o Plano Ceibal, que universalizou o acesso à internet para os 350 mil alunos de suas escolas públicas. O Brasil tem feito esforços notáveis e investimentos para enfrentar suas falhas educativas.

El gasto público en educación es en América Latina el 4,1% del Producto Bruto... // O gasto público em educação é de 4,1% do PIB na América Latina...

Se necesitan políticas públicas “activistas” a favor de la educación, acompañadas de vigorosos programas de responsabilidad social empresarial y de la movilización permanente de la sociedad civil a favor de ella. Hoy en América Latina a cada niño al que se le niega de hecho la posibilidad de estudiar se lo está condenando a ser un excluido o marginal en su sociedad. Es una afrenta ética y una violación de derechos humanos básicos que es hora de que termine. ¢

São necessárias políticas públicas “ativistas” em prol da educação, acompanhadas de vigorosos programas de responsabilidade social empresarial e da mobilização permanente da sociedade civil. Hoje, na América Latina, cada criança à qual se nega a possibilidade de estudar está condenada a ser uma excluída ou marginalizada em sua própria sociedade. É uma afronta ética e uma violação dos direitos humanos básicos que está na hora de acabar. ¢

*Orden al Mérito Civil 2009 del Gobierno de España. Designado Ciudadano Ilustre por la Ciudad de Buenos Aires (2010)

*Ordem de Mérito Civil de 2009 do Governo da Espanha. Nomeado Cidadão Ilustre da Cidade de Buenos Aires (2010)

28

Revista Linha Direta


intratexto

Marketing 3.0: marketing baseado em valores

Vagner Aguilar*

“Ao perder um cliente, não se perde apenas uma transação comercial, mas sim uma vida inteira de relacionamentos”

“Pode ser que a solução esteja em despertar nos colaboradores uma consciência única da definição do negócio da escola visão de futuro”. 70 Revista Linha Direta

A

nalisando a figura acima, verificamos que, no dia a dia de nossa escola, detectamos várias demandas, necessidades e desejos de nossos alunos e seus pais e procuramos, de alguma forma, entregar produtos ou serviços que possam superar suas expectativas, agregando algum tipo de satisfação e valor percebido. Poderíamos dizer que isso é uma venda diária, mas aqui a palavra “venda” pode soar mal. Em nosso segmento, poderíamos afirmar, corretamente, que escola não se comercializa como um produto de prateleira de supermercado! A escola deve se relacionar sempre com seu cliente, desde o primeiro dia da visita até depois de o aluno se graduar, seguir sua carreira e constituir sua família,


pois seus filhos também podem se tornar alunos. Esse relacionamento acontece das mais diversas formas, pois, se nosso segmento é prestação de serviços, cada colaborador da escola entrega um tipo de relação/serviço que pode gerar mais ou menos valor agregado. Como, então, resolver a questão da diversidade de entregas por parte dos colaboradores? Devo padronizar a minha entrega de serviços? Devo criar um discurso único para que cada colaborador saiba falar aos alunos da mesma maneira? Talvez não, pois poderá soar falso. Pode ser que a solução esteja em despertar nos colaboradores uma consciência única da definição do negócio da escola - visão de futuro.

Fonte: infográfico do autor

O que a escola gostaria de devolver, nas diversas formas, para seus alunos, pais, acionistas, colaboradores, fornecedores e sociedade? No quadro 1, começamos a ilustrar e entender o futuro do marketing 3.0. Quadro 2

Tendo esses nove quadrantes claros, seu alinhamento estará pronto. Assim você poderá seguir com seu planejamento, como ilustrado no quadro 2. Caso tenha a contribuir com outras dicas, sugestões ou perguntas, escreva para: vagner.aguilar@sebsa.com.br ¢ *Diretor nacional de Marketing e Estratégia do Sistema Educacional Brasileiro (SEB) www.sebsa.com.br

Fonte: infográfico do autor Revista Linha Direta

71

/revista_147  

http://www.linhadireta.com.br/revistas/arquivos/revista_147.pdf

Advertisement