Issuu on Google+

capacitação

Ronaldo Guimarães

Melhorando a

As empresas que apresentaram melhor desempenho foram premiadas

gestão empresarial Programa de Capacitação de Fornecedores da Fiat contribui para desenvolvimento e crescimento das micro e pequenas empresas Por Lilian Lobato

E

Analista do Sebrae, Denise Fernandes diz que parceria surgiu para qualificar fornecedores do setor automotivo

84

levar a competitividade das micro e pequenas empresas. Esse é um dos principais objetivos do Programa de Capacitação de Fornecedores desenvolvido, desde 2007, pelo Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de Minas Gerais (Sebrae-MG) e a Fiat Automóveis. A ideia do projeto é aumentar a qualidade dos produtos e serviços fornecidos, bem como reduzir custos e melhorar a gestão das empresas. O melhor é que tanto os fornecedores quanto a montadora são beneficiados. Conforme a analista do Sebrae-MG, Denise Fernandes, que também é gestora do projeto, as ações do programa foram intensificadas em 2010, mas tudo começou quando a entidade procurou a Fiat em busca de uma parceria para qualificar os fornecedores do setor automotivo. “Estamos sempre em busca de grandes empresas para participar do programa. Fizemos uma avaliação da Região Metropolitana de Belo Horizonte e percebemos que a maioria das micro e pequenas em-

presas é fornecedor Fiat ou fornecedor do fornecedor Fiat”, explica. Como a empresa aposta na capacitação, aprovou a iniciativa e deu início ao processo. Primeiramente, foi definido o Tier 1 – primeira linha de fornecedores da Fiat. Com isso, as empresas desse grupo indicaram outras empresas que vieram a se tornar o Tier 2 (segunda linha ou fornecedores dos fornecedores). Em março de 2011, foi realizado um evento com mais de 100 pequenos fornecedores e apresentado o projeto de capacitação. Ao todo, 40 empresas aderiram e receberam o diagnóstico do Sebrae-MG. Dentre os aspectos avaliados estavam gestão de finanças e de pessoas, responsabilidade social, processos produtivos, infraestrutura, planejamento e relação com a comunidade. Ao final, as empresas que apresentaram resultado abaixo de 70% receberam um plano de ação e tiveram o acompanhamento do Sebrae-MG para melhorar a gestão empresarial. Já as empresas que apresentaram resultado acima desse percentual foram convidadas a participar do Academia Lean. Esse nome é dado ao programa de treinamento aplicado, desde 2009, pelo Grupo Fiat aos seus fornecedores da primeira linha ou Tiers 1. Por orientação e sugestão do Sebrae-MG, a montadora decidiu, no ano passado, desenvolver um programa também para os fornecedores da segunda linha, os Tiers 2. Na primeira edição, 11 micro e pequenas empresas se

inscreveram no curso e oito delas cumpriram todas as tarefas. Denise Fernandes ressalta que o projeto não é apenas para capacitação dos fornecedores. “Criamos um ambiente que favorece o desenvolvimento das micro e pequenas empresas. É possível ter acesso a melhores práticas, novos clientes, rodada de negócios, bem como se torna viável visitar grandes empresas do setor automotivo e entender como funciona toda a cadeia produtiva”, ressalta. Ainda segundo a gestora do projeto, o sucesso da micro e pequena empresa durante o programa está atrelado à sua facilidade em mudar a cultura organizacional. “Muitas vezes, o empresário faz a gestão da empresa daquela mesma forma, há muitos anos. O proprietário assume muitos cargos ao mesmo tempo e tem dificuldade em se capacitar. Ao aprender a dividir tarefas, ele motiva os funcionários, melhora os processos produtivos e se torna a empresa mais competitiva”, avalia. Finalistas brilhantes Comprometimento e empenho não faltaram às oito empresas finalistas da primeira edição do Academia Lean Tiers 2. Por meio do projeto, os fornecedores conseguiram detectar as falhas e iniciar uma mudança de cultura nos processos internos. São eles: Almig Prestadora de Serviços (Mateus Leme), Usilider Usinagem (Sete Lagoas), Partner Rubber Indústria e Ferrolene Ind. Com. Metais (Contagem), GB Plast, Kjet e Isoespuma

(Belo Horizonte), e Ciser Nedschroef Fixadores Automotivos (Sarzedo). A oitava empresa – Ciser Nedschroef Fixadores Automotivos – se destaca ainda mais em função de ter conseguido subir de patamar: desde janeiro se tornou Tier 1 do Grupo Fiat. Localizada em Sarzedo, com 160 empregados, é a maior fabricante de fixadores da América Latina, com capacidade produtiva de 6.000 mil toneladas/mês e 27.000 produtos agrupados em 436 linhas para atender a 20 mil clientes em mais de 20 países. De acordo com o gerente geral, Flávio Márcio Multari, a experiência da Ciser no Academia Lean fez toda a diferença e contribuiu para o processo produtivo. “Modificamos a forma de trabalhar e tornamos a fábrica mais eficiente. O resultado foi acima do esperado e em função disso, o investimento na continuidade do aprendizado será permanente. Os colaboradores estão motivados e atentos a cada detalhe”, avalia. Ele ainda revela que a empresa irá fazer parte da nova etapa do Academia Lean que será destinada ao setor de qualidade. Já a Kjet, localizada no bairro Céu Azul, em Belo Horizonte, reúne 56 funcionários e o faturamento anual chega a R$ 4 milhões. A empresa, fundada em 1995, está no programa desde 2007. A fábrica produz cerca de 200 itens (aproximadamente 1,3 milhão peças/mês) para a indústria automobilística (peças de plástico para o conjunto de pedais, empunhadoras do freio de mão).

MUNDOFIAT

85


Revista Mundo Fiat