Page 1

cultura

Literata homenageia Fernando Sabino Com a chancela da Iveco Latin America, Festa Literária reúne mais de 4 mil pessoas em homenagem ao escritor mineiro que influencia sucessivas gerações com suas obras literárias Por Lilian Lobato

Fotos Ignácio Costa

“A

58

Literata promoveu valores e talentos locais com a apresentação do projeto “Patinho Feio”, de autoria de artistas plásticos de Sete Lagoas

literatura é que é o primeiro veículo para você extravasar uma inquietação existencial qualquer”. O escritor mineiro Fernando Sabino, autor desse trecho e Consagrado por obras como “Encontro Marcado”, “O Homem Nu” e “O Grande Mentecapto”, foi reconhecido por todo o trabalho prestado em prol da literatura brasileira. A homenagem aconteceu na segunda edição da Literata – Festa Literária de Sete Lagoas, realizada de 23 a 26 de novembro. O evento ocorreu no Centro Cultural Nhô-Quin Drummond, mais conhecido como Casarão da Cultura, localizado na Praça Tiradentes, em Sete Lagos, Minas Gerais. As obras de Fernando Sabino inspiraram discussões literárias, palestras, mesas-redondas, oficinas, exposições e apresentações. Com a chancela da Iveco

Latin America, por meio da Lei Federal de Incentivo à cultura (Lei Rouanet), e realização da Via Comunicação e da Quarteto Filmes, a Literata surpreendeu as expectativas e reuniu mais de 4 mil pessoas nos debates e atividades paralelas. Renomados autores nacionais, como Ignácio de Loyola Brandão, Ivan Ângelo, Fabrício Carpinejar, Luiz Fernando Veríssimo, João Paulo Cuenca, Paulo Roberto Pires, Fernando Paixão e Sérgio Rodrigues prestigiaram o evento. Além do jornalista Wilson Figueiredo, da editora executiva do Grupo Leya e Mariana Rolier, do jornalista Mauro Ventura Nessa edição, ainda foi convidado o escritor angolano José Eduardo Agualusa, com obras traduzidas em mais de 20 idiomas, uma oportunidade de intercâmbio cultural.

A curadoria ficou a cargo do jornalista e escritor Humberto Werneck. Ele ressaltou a importância de Fernando Sabino para a sua geração. “O Encontro Marcado foi uma influência poderosa, pouco menos que uma bíblia, para a minha geração literária. Muitos queriam não só escrever um romance como esse, mas viver as aventuras literárias e existenciais do personagem Eduardo Marciano”, explicou. Motivos não faltaram para homenagear Fernando Sabino. Segundo Werneck, sete anos depois de sua morte, ocorrida em outubro de 2004, a importância de sua obra é uma realidade cada vez mais nítida. De acordo com ele, as obras do escritor mineiro continuam a encantar leitores e a influenciar sucessivas gerações não só de escritores como também de jornalistas. Werneck ainda destaca que Sabino foi um grande mestre da história curta - como é possível constatar na leitura de qualquer um de seus livros de crônicas - e um notável escritor. “O mineiro foi um homem do mundo. Nem todos sabem, mas foi até campeão de natação, detentor de um recorde jamais batido, e um baterista de jazz amador que poderia ter feito carreira internacional nesse ramo”, revelou. A segunda edição da Literata foi recheada de novidades. “Um dos diferenciais do evento, com relação ao ano passado, foi a sua programação intensa já que houve diversas atividades ao longo dos dias, sem horários livres. Além disso, a Literata foi direcionada, principalmente, às crianças e professores da rede pública municipal”, explicou a coordenadora do programa Próximo Passo, Júnea Sá Fortes. De acordo com Júnea, desde o início do segundo semestre os professores se prepararam para realizar as oficinas. Os temas abordaram a conservação de livros, escultura em papel, contação de histórias com instrumentos musicais alternativos, gravura em monotipia e jogos teatrais. “Mais uma vez, a Literata cumpriu seu papel ao envolver as pessoas e trabalhar o desenvolvimento sociocultural. A arte não é somente o livro e a literatura, e perpassa por outras manifestações artísticas”.

A programação ainda contou com sessões de cinema, com exibições de curtas e filmes do autor homenageado. Exposições temáticas e interativas também fizeram parte do cronograma, bem como uma feira de livros com mais de 10 mil obras a preço acessível. Para completar, o evento ainda promoveu valores e talentos locais com a apresentação do projeto “Patinho Feio”, de autoria dos artistas plásticos de Sete Lagoas, Adriana Drummond, Demetrius Henrique Cotta e Luciano Ribeiro. O projeto consiste num trabalho multidisciplinar envolvendo artes visuais e literatura. Foram criadas peças inspiradas em crônicas do autor homenageado, aplicadas em três pedalinhos da Lagoa Paulino, tradicional cartão postal da cidade. Durante várias semanas, os artistas do “Patinho Feio” ministraram uma oficina para 35 alunos do ensino médio fundamental das escolas de Sete Lagoas utilizando materiais de artes plásticas como tintas, pincéis e colas. Foram selecionados jovens com habilidades em artes visuais, e as oficinas envolveram a produção de ilustrações também inspiradas nas obras de Fernando Sabino.

Foram realizadas oficinas com temas que abordavam a conservação de livros, esculturas em papel, gravura em monotipia e jogos teatrais

MUNDOFIAT

59

Revista Mundo Fiat  

Matéria publicada na edição 113 - Dez/Jan 2012.