Page 1

Divulgação Fundação Torino

Mobilização

Edson Meneghin convenceu praticamente toda a sua equipe a doar parte do Imposto de Renda

Edson Meneghini sabe que a sua contribuição para o Semear é também uma colaboração para uma sociedade mais sustentável. “A gente sempre ouve que devemos deixar um mundo melhor para as crianças, mas eu também acredito que devemos deixar crianças melhores para o mundo”, diz o responsável pelo centro de negócios. Multiplicador A ideia lançada pela Comau fez surgir uma mobilização dentro da empresa. Edson e outros colegas decidiram não só participar do programa como mobilizar os colegas que ainda não doavam parte do imposto. “Com meu papel de liderança, comecei a sensibilizar minha equipe para participar também usando, primeiro, o incentivo do Imposto de Renda. Mas

programa semear O programa Semear foi criado em 2006 Valor arrecadado em seis anos: R$ 500 mil Instituições apoiadas: 9 Crianças e adolescentes atendidos: 1.400 Atividades: Aula de música, dança, curso profissionalizante para os familiares e reforço escolar Estados: Rio de Janeiro, Alagoas, Pernambuco, Paraná Rio Grande do Sul e Minas Gerais

20

MUNDOFIAT

como conheci o projeto, também dei meu depoimento sobre o que vi e a importância de colaborar”, conta. Com isso, ele conseguiu que praticamente a totalidade da sua equipe aderisse ao Semear e passou a acompanhar o trabalho da ONG Pró-Viver, no bairro Vila Kennedy, em Betim, a primeira instituição a ser apoiada pelo programa. Tarcísia diz que o envolvimento dos empregados é mais importante do que o valor doado. “O colaborador passa a entender o significado de doação, se compromete com a comunidade e pode ver o resultado na vida de cada criança. Acompanhamos de perto o trabalho da Pró-Viver e incentivamos os nossos colaboradores a fazerem o mesmo. Todos que vão, voltam surpreendidos com o resultado na vida das crianças”, afirma. A cada ano, o programa Semear lança uma campanha e a deste ano é “Quando você leva a solidariedade a sério, um futuro melhor para as crianças não fica só na brincadeira”. Além da doação voluntária dos colaboradores, a Comau também repassa para a entidade o valor máximo permitido para a dedução, que é de 1% do Imposto de Renda. Todos os anos, o projeto começa no mês de outubro e segue até dezembro. A expectativa é que este ano o valor supere os R$126 mil doados em 2010.

Pais e alunos participaram da Caminhada Ecológica, que incentivou o uso consciente do carro

Pequenas atitudes geram grandes mudanças Fundação Torino dissemina os conceitos da sustentabilidade e as boas práticas dentro e fora da escola e conta com pais e alunos para envolver o bairro em que está instalada

Por Lilian Lobato Na escola, em casa, nas ruas. As boas práticas para preservar os recursos do planeta são dever de todos os cidadãos. Descartar resíduos de forma correta, não desperdiçar recursos naturais e doar o que já não tem uso, são ações simples que podem melhorar o futuro. Na Escola Internacional Fundação Torino, os alunos são incentivados constantemente a agirem de forma sustentável, seja do ponto de vista econômico, social ou ambiental.

Mais que isso, as iniciativas se estendem além dos muros da instituição de ensino e contribuem para uma sociedade ainda mais consciente do seu papel. O próximo passo nesse sentido é tornar a Fundação Torino um ponto de referência para o descarte de material reciclável para toda a comunidade do bairro Belvedere, local onde está inserida. Segundo o diretor administrativo da Fundação Torino, Magno Braz, a

MUNDOFIAT

21


Ignácio Costa

Mobilização

escola trabalha a sustentabilidade em todos os âmbitos, entretanto, o foco está em conscientizar crianças e jovens quanto às boas práticas para a preservação do meio ambiente. “Explicamos a importância da coleta seletiva, as salas de aula possuem lixeiras adequadas para cada tipo de material e existem recipientes de coleta de óleo, pilhas e baterias em alguns pontos da escola. Além disso, são previstas durante as atividades didáticas oficinas de reaproveitamento de material”, afirma. Para sensibilizar as famílias dos alunos e a sociedade sobre a importância do tema, a sustentabilidade passou a ser estimulada também em eventos esportivos, sociais e culturais da escola. De acordo com Magno Braz, eventos como a Corrida e Caminhada, o Passeio Ciclístico e a Feira da Cultura têm papel fundamental na disseminação do conceito de sustentabilidade e, o que é melhor, são fruto da mobilização dos alunos. Sustentabilidade Social Iniciativas de responsabilidade social também são praticadas na Fundação Torino, como o Natal Amigo, desenvolvido com as crianças da Scuola Materna (Educação Infantil) e Elementare (Ensino Fundamental I). Os alunos recebem crianças de creches de bairros próximos e dividem um momento de alegria, brincadeiras, lanches e doação de brinquedos e roupas arrecadados. Já na Scuola Media (Ensino Fundamental II) e Scuola Superiore (Ensino Médio), o ato de solidariedade está atrelado à diversão. Na Scuola Media, o Natal Solidário é organizado com gincanas de arrecadação de donativos. A Fundação Torino também promove quatro vezes ao ano o “Dia D Social”, nos quais os alunos do Ensino Médio vão fantasiados para a escola e aproveitam para arrecadar donativos e entregá-los a instituições cadastradas.

22

MUNDOFIAT

Qual o seu jeito de mudar o mundo? Num exercício de cidadania, filhos dos colaboradores desenvolvem projetos para tornar realidade os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio Por Queila Ariadne Mateus de Oliveira Luciano tem apenas 11 anos, mas, apesar da pouca idade, já encontrou um jeito de mudar o mundo. No ano passado, ele ficou em primeiro lugar na categoria Ensino Fundamental das Escolas Públicas, da Maratona Cultural – programa desenvolvido pela Fundação Fiat que incentiva o desempenho escolar dos filhos dos colaboradores das empresas Fiat. O projeto de Mateus teve como tema a valorização da mulher, um dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio, também conhecidos como os “8 jeitos de mudar o mundo”. Com a ajuda da família, Mateus aplicou uma pesquisa, elaborou e distribuiu panfletos em pontos de ônibus do bairro onde mora para conscientizar a comunidade sobre a violência contra mulheres

e passar informações sobre a Lei Maria da Penha. De acordo com o vencedor, durante a pesquisa muitas mulheres diziam que nunca tinham ouvido falar da lei e, no final, algumas acabaram confessando que já haviam sofrido algum tipo de violência doméstica. “Não sei quantas mulheres chegaram a denunciar, mas o importante é que eu levei informação a elas. Fiz um pouquinho para ajudar a situação”, conta Mateus, que é filho de Julimar da Costa Luciano, da área de Funilaria da Fiat. Segundo a analista de Desenvolvimento Social da Fundação Fiat, Elenise Girardi Reis, mais do que um programa de incentivo à educação e cidadania, a Maratona Cultural é uma ferramenta para ajudar os estudantes a pensarem o mundo de uma forma diferente. “Esse exercício de buscar alternativas para mudar a realidade tem um impacto multiplicador. É um aprendizado que tem início no ambiente familiar, passa pela escola e se dissemina pelas empresas e comunidade”, afirma Elenise. Chance de aprender A Maratona Cultural teve início em 2001 e até hoje já participaram mais de 30 mil estudantes. Esta é a 11ª edição que, neste ano, traz duas grandes no-

vidades. No ano passado, cada série estava vinculada a um dos oito Objetivos de Desenvolvimento do Milênio, porém, neste ano, a escolha do objetivo é livre. E o número de premiações aumentou significativamente: passou de 18 para 72 premiados, abrangendo da 1ª à 9ª série do Ensino Fundamental, além da 1ª à 3ª do Ensino Médio. Cada categoria terá primeiro, segundo e terceiro lugares, para escolas públicas e privadas. O projeto vencedor ganha um notebook, o segundo colocado será premiado com uma Mountain Bike e o terceiro recebe uma máquina fotográfica digital. O resultado será divulgado no primeiro trimestre de 2012. Pelo segundo ano consecutivo, a Maratona Cultural tem como tema principal os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio. Os estudantes terão até o dia 16 de dezembro para inscreverem os trabalhos, que podem ser nos formatos redação ou projeto. Aqueles que anteciparem a entrega, participam da promoção “Como você daria um jeito no mundo?”, que vai distribuir prêmios, semanalmente, até o último dia das inscrições.

Na página ao lado, Mateus Luciano desenvolveu um dos projetos vitoriosos da Maratona Cultural no ano passado: uma campanha pelo respeito à mulher

Por um mundo melhor – Os 8 Objetivos do Milênio Acabar com a Fome e a Miséria Dar acesso a Educação Básica de Qualidade para Todos Igualdade entre os Sexos e Valorização da Mulher Reduzir a Mortalidade Infantil Melhorar a Saúde da Gestante Combater a AIDS, a Malária e outras doenças Trabalhar pela Qualidade de Vida e Respeito ao Meio Ambiente Todo Mundo Trabalhando pelo Desenvolvimento Inscrições: até 16 de dezembro Quem pode participar: Filhos de colaboradores das empresas: Fiat – Comau – Iveco – Fiat Powertrain – FPT – Fiat do Brasil – Fiat Services – Fiat Revi – Isvor – Fast Buyer – Fiat Finanças – Fides – Banco Fidis – Fundação Fiat. Mais informações sobre o programa: www.maratonacultural.com.br

MUNDOFIAT

23

Revista Mundo Fiat Sustentabilidade  

Matéria publicada na edição especial 112, em 2011.