Page 1

FAZER ACONTECER NA

DGF

news nº 2 | JUNHO 2014

Lúcia Carvalho

DCG – Desenvolvimento de Competências e programas de Formação

MENSAG

Para mim das melhores coisas que ganhei com esta nova equipa foi ver que ainda existem pessoas que se apaixonam todos os dias pelo que fazem! Continuem assim, a Paixão leva-nos a sermos únicos!

ENS D O MÊS

Luis Unhão

GFA – Gestão Formação Avaliação e Certificação “Não é o mais forte que sobrevive, nem o mais inteligente, mas o que melhor se adapta às mudanças.” Escolhi esta frase pois, hoje, mais do que nunca, tal como Darwin dizia, esta frase faz todo o sentido!

INDICADORES - Objetivo Global | 1º QT

Taxa de eficácia (FI)

Na FI verificou-se um aumento de 4,5 p.p.

# Ações Realizadas (FI)

O número de ações iniciais realizadas apresenta um decréscimo de 13%.

Taxa de eficácia (FC)

Na FC verificou-se um ligeiro decréscimo de 1.1p.p.

# Ações Realizadas (FC)

O número de ações iniciais realizadas apresenta um créscimo de 15%. 1/4


ELEARNING QTSys

Curso dirigido a colaboradores com funções de gestão. Datas: de 06 de maio a 06 de junho Objetivo geral: apresentar as novidades implementadas no QTSys. Objetivos específicos: > conhecer as melhorias implementadas no QTSys; > saber quais os novos filtros introduzidos nos Reports Operacionais e Estrutura; > saber quais os novos campos incluídos na exportação de Interações e Solicitações; > conhecer os novos indicadores incluídos nos Reports Operacionais.

Registo de vendas em SAP R3

Curso dirigido a operações de portabilidade móvel Datas: de 05 a 15 de junho Objetivo geral: dar a conhecer os passos para concretizar corretamente ordens de Cedência e de Venda em SAP R3 para expedição de equipamentos. Objetivos específicos: > saber como efetuar ordens de Cedência e Venda; > saber criar Clientes; > identificar os dados necessários para efetuar uma ordem; > conhecer e saber utilizar a tabela de equipamentos; > consultar o stock de equipamentos; > consultar o PVP dos equipamentos; > identificar as transações necessárias para concretizar as operações referidas.

Simulador MEO Music

Datas: início de junho Objetivo: foi criado um simulador MEO Music que pretende replicar as funcionalidades desta aplicação nas suas várias versões (app Android, app iOS, app WindowsPhone e PC/MAC). Este simulador será disponibilizado no HEKA em substituição do simulador Music Box.

EM É QU

A CARA DA ÚLTIMA EDIÇÃO

?

QU E M

CONSEGUES ADIVINHAR? (Revelamos a resposta na próxima

Xavier Abade

edição.)

Um lugar especial… Tenho vários… Douro, Gerês, Serra de Sintra (não a confusão da Vila mas aquela parte da serra “profunda”). O verde da vegetação e a possibilidade de meter uma mochila às costas e perder-me, tiram-me do sério! Há algo que ainda gostasse de aprender/fazer? Adorava saber desenhar. Venho de uma família de artistas em que basta um papel e um lápis e sai sempre qualquer coisa gira. Eu sou a ovelha negra… nunca me peçam para fazer um desenho! Uma palavra ou frase que descreva a DGF? Energia, desafios, trabalho em equipa, cooperação, boa disposição! 2/4


SABIAS QUE... (Por Graciete Palha,

responsável pelos Assessments da DGF) O que é um Assessment Center? É uma técnica utilizada na seleção de candidatos para uma função. É comummente utilizado para determinar qual/quais os candidatos que apresentam maior potencial para desempenhar uma determinada função. O que é avaliado num Assessment Center? Competências. Podemos definir a competência como um grupo de comportamentos específicos, observáveis e verificáveis e que podem ser classificados e agrupados devido à fiabilidade com que estão relacionados com o sucesso no trabalho. As competências podem ser adquiridas/desenvolvidas pela experiência profissional, pela experiência de vida, pela formação escolar ou pelo treino. Quais são os objetivos do Assessment Center? Visa fornecer um diagnóstico e um prognóstico fiável acerca das competências do individuo avaliado permitindo predizer o sucesso do individuo no desempenho de uma determinada função. Quais as vantagens da utilização do Assessment Center? • Recorrer a vários observadores, permitindo assim um maior rigor na avaliação; • Recorrer a vários tipos de exercícios de avaliação, fornecendo uma perspetiva mais ampla e integrada das competências; • Ser um processo estandardização, o que permite a comparação entre o desempenho do candidato e o perfil pretendido e a comparação de desempenhos entre candidatos; • Utilizar simulações que refletem as exigências das tarefas a desempenhar na futura função; • Ter uma validade superior a outras técnicas na predição do desempenho futuro; • Permitir ao participante uma maior compreensão das exigências da função. (entre outras) Os princípios do método de Assessment Center • As competências avaliadas foram identificadas como críticas para um bom desempenho na função através de uma análise da função; • Para que a avaliação seja o mais imparcial possível cada candidato é sempre avaliado por mais do que um avaliador; • Para garantir uma avaliação objetiva é aplicada a técnica ORCA: Observar os comportamentos, Registar os comportamentos, Classificar os comportamentos e Avaliar os comportamentos. Para saberes mais sobre os instrumentos utilizados em Assessment Center e exemplos de avaliação vai a: K:\DDMF\DGF\AFC\11_Uteis\4_Jornal DGF

... SABIAS QUE No âmbito do tratamento de processos de rejeição de Portabilidades Móveis e M4O, com a extinção da equipa de Castelo Branco, o BO da Tenente Espanca passou a assegurar também os contactos Inbound e Outbound aos Clientes. Assim, e com o objetivo de dotar esta equipa das competências necessárias para assegurarem este atendimento, iniciámos no fim do mês de Janeiro este projeto começando por realizar audições de chamadas à equipa de Castelo Branco e side by side para conhecer o Carbon, aplicação utilizada em Outbound. A Sara diz-nos que: Era tudo muito novo para os assistentes e apesar de dominarem na perfeição os processos de rejeição de Portabilidades Móveis e M4O, o facto de terem que estar em contacto direto com o Cliente, parecia um obstáculo impossível de ultrapassar e todos eles nos passaram essa preocupação durante a formação. Por isso, o acompanhamento dos assistentes nos dias posteriores, foi ainda mais enriquecedor. Foi possível vê-los a evoluir, a criar métodos de trabalho para conseguir ultrapassar as dificuldades que sentiam e foram-nos dando feedback, na maioria das vezes positivo. Foi fantástico vê-los preocupados com o Cliente, com a sua satisfação e com garantir que cada contacto representava a tal experiência de relacionamento positiva que lhes falámos. Posteriormente, o SP lecionou mais três formações para um total de 32 assistentes, tendo a última ação terminado a 15-04. O acompanhamento do desempenho destes assistentes está a ser feito através da audição de chamadas para aferir a eficácia das diversas ações.

3/4


O OUTRO LADO DE... Carla Correia Quando, 5 horas depois, apesar de cansada e com uma leve dor de cabeça, o coração está "quentinho" e os maxilares doridos de tanto sorrir, tudo faz mais sentido e o mundo é, de facto, um lugar melhor. Obrigada a todos os que de uma forma ou de outra, aumentam não apenas o meu, mas tantos sorrisos. É assim que a Carla nos fala da sua paixão que pratica de forma rotineira desde que se lembra: o voluntariado. Já participou em inúmeros projetos, dentro e fora da PT, como a AMI (peditório e recolha de bens), o Banco Alimentar, ações nos escoteiros… Na PT, temos os exemplos dos “Heróis de Portugal” e “Maratona da saúde”, recolha de alimentos/ roupas/ produtos de higiene para instituições, venda de produtos a favor do “Dê mais coração”, e ainda o projeto JAP, junto das escolas primárias, onde a Carla ajuda regularmente sempre que necessário. JAP

Maratona da Saúde

al Heróis de Portug

Este mês celebramos os aniversários: Dulce Rodrigues

08/6

Dida Caixeiro

26/6

As edições do jornal podem ser consultadas, em pdf, acedendo a: K:\DDMF\DGF\AFC\11_Uteis\4_Jornal DGF 4/4

Jornal DGF_Junho 2014  

2ª Edição

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you