Page 1

1

Liga Imbitubense de Futebol CNPJ: 01.069.931/0001-09 Fundada em 30 / 01 / 1992 – Lei municipal nº 1527 / 1996 Filiada à Federação Catarinense de Futebol Administração: Jardel Guimarães Gonçalves – Gestão: 2013/2016 Futebol Aqui é Paixão!


2

REGULAMENTO GERAL DAS COMPETIÇÕES DA FEDERAÇÃO CATARINENSE DE FUTEBOL CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º O Regulamento Geral das Competições da Federação Catarinense de Futebol regulamenta todas as competições oficiais promovidas pela própria entidade, bem como pelas entidades municipais de administração do futebol, também denominadas ligas não profissionais. Art. 2º Os campeonatos e torneios oficiais promovidos e administrados pela Federação Catarinense de Futebol (FCF) que envolva ligas não profissionais, associações profissionais ou não profissionais, filiadas ou vinculadas, direta ou indiretamente à entidade, reger-se-ão pelas disposições constantes no Regulamento Geral das Competições da Federação Catarinense de Futebol, que dispõe sobre as normas gerais e comuns a todas as competições, respeitadas as normas estabelecidas nos regulamentos específicos de cada competição. § 1º As ligas não profissionais, filiadas à Federação Catarinense de Futebol (FCF) ficam obrigadas, em suas competições oficiais, a cumprir as disposições constantes no Regulamento da referida entidade. § 2º O campeonato municipal de Imbituba de Futebol Não Profissional 2013, categoria Juniores e Principal reger-se-á pelo seu regulamento específico, bem como ao Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD). CAMPEONATO MUNICIPAL DE IMBITUBA DE FUTEBOL NÃO PROFISSIONAL 2013 REGULAMENTO ESPECÍFICO

CAPÍTULO I - DA DENOMINAÇÃO E DA PARTICIPAÇÃO ARTIGO 1º – O CAMPEONATO MUNICIPAL DE IMBITUBA DE FUTEBOL NÃO PROFISSIONAL JUNIORES E PRINCIPAL de 2013 será disputado pelas seguintes associações filiadas a Liga Imbitubense de Futebol, abaixo mencionadas: a)

ALVORADA ESPORTE CLUBE .............................................................................................................ALVORADA

b) BOTAFOGO FUTEBOL CLUBE ...................................................................................................... ......BOTAFOGO c)

ASSOCIAÇÃO COMUNITÁRIA CLUBE RECREATIVO ESPORTIVO DIVINÉIA ......................................DIVINÉIA

d) ASSOCIAÇÃO ESPORTIVA INDEPENDENTE FUTEBOL CLUBE ..............................................INDEPENDENTE e)

PAES LEME ESPORTE CLUBE ...........................................................................................................PAES LEME

f) UNIÃO FUTEBOL CLUBE ..............................................................................................................................UNIÃO g) VILA NOVA ATLÉTICO CLUBE .............................................................................................................. VILA NOVA ARTIGO 2º – O Campeonato de Futebol Amador de 2013 será promovido pela Liga Imbitubense de Futebol – LIF, com o apoio da Prefeitura Municipal de Imbituba, com colaboração da SESPORTE (Secretaria Municipal de Esportes e Lazer), e obedecerá ao disposto neste regulamento, seus anexos e na legislação desportiva vigente. ARTIGO 3º – As normas relativas à forma de disputa do Campeonato, depois de aprovadas, somente poderão ser alteradas por todos os Presidentes de Clubes ou por Procuradores com poderes específicos para tal, nomeados pelo Presidente do respectivo Clube de forma unânime, e homologadas pela Diretoria da LIF. ARTIGO 4º – As associações participantes do Campeonato Municipal de 2013 elegem a Justiça Desportiva, na forma estabelecida no CÓDIGO BRASILEIRO DE JUSTIÇA DESPORTIVA - RESOLUÇÃO nº 29 - Conselho Nacional do Esporte, aprovado em 10 de dezembro de 2009 e publicado no D.O.U. em 31 de dezembro de 2009, no regulamento geral das competições (RGC) da FCF, e nas Normas Orgânicas do Futebol Brasileiro, como o foro competente e definitivo para resolver as questões que surjam entre si ou entre uma ou mais Associações e a LIF. PARAGRAFO ÚNICO – As associações participantes renunciam expressamente ao direito de recorrerem a Justiça Comum, de qualquer ato ou decisão emanada da Diretoria da LIF, ficando cientes ainda, que se o fizerem, serão automaticamente desligadas do Campeonato por ato da Presidência da LIF, sem prejuízos das sanções previstas no Estatuto e Normas da LIF, da FCF, CBF e da FIFA. ARTIGO 5º – As associações são obrigadas a disputar o Campeonato em ambas categorias até o seu final, sob pena de exclusão do mesmo pelo período de 02 ( dois ) anos, além de ser encaminhada denúncia a Justiça Desportiva.


3 ARTIGO 6º - O Conselho técnico é formado pelos Presidentes dos Clubes, e tem a incumbência de homologar as decisões do Campeonato, dentro das Leis Desportivas e conforme este regulamento. CAPÍTULO II - DAS PREMIAÇÕES, DOS TÍTULOS E DA PARTICIPAÇÃO EM OUTRAS COMPETIÇÕES ARTIGO 7º – As inscrições das taças e das medalhas serão determinadas pela LIF. PARAGRAFO ÚNICO – As equipes Campeãs e vice-campeãs, de cada categoria receberão uma taça em caráter permanente e 30 (trinta) medalhas, cada uma. ARTIGO 8º – A equipe Campeã e vice-campeã na categoria principal será assegurada a vaga a Copa Sul dos Campeões, edição 2014. ARTIGO 9º - Caso a equipe Campeã e vice-campeã não tenham o interesse de participar da Copa Sul dos Campeões, edição 2014, será obedecido o critério técnico (colocação final), para a indicação das equipes da cidade de Imbituba que terão o direito de disputálo, dentro do número de vagas que terá direito esta cidade. CAPÍTULO III - DA ORGANIZAÇÃO DO CAMPEONATO ARTIGO 10º – Todos os jogos da competição serão realizados nos estádios aprovados pela Comissão de Vistoria dos Estádios especialmente designada pelo Presidente da LIF, em conjunto com a Polícia Militar. ARTIGO 11º – O Campeonato será disputado nas datas, nos horários e locais determinados pelo Departamento Técnico da LIF, conforme tabela previamente elaborada. ARTIGO 12º – Os jogos da categoria juniores terão duração de 70 (setenta) minutos, divididos em 2 (dois) tempos de 35 (trinta e cinco) minutos cada, com intervalo de no máximo 15 (quinze) minutos. Os jogos da categoria principal terão duração de 90 (noventa) minutos, divididos em 2 (dois) tempos de 45 (quarenta e cinco) minutos cada, com intervalo de no máximo 15 (quinze) minutos. § 1º - O início dos jogos da categoria juniores será às 13h45min (treze horas e quarenta e cinco minutos), e da categoria principal será às 15h30min (quinze horas e trinta minutos). § 2º - Haverá tolerância de 15 (quinze) minutos no início de cada partida. ARTIGO 13º – As solicitações de antecipação, adiantamento ou troca de mando de campo dos jogos serão de comum acordo entre os Clubes e deverão ser solicitados mediante ofício e protocolados na LIF com antecedência mínima de 72 (setenta e duas) horas, cabendo a decisão ao Departamento Técnico. ARTIGO 14º – A competição será regida pelo sistema de pontos ganhos, sob os seguintes critérios: a) Por vitória, 03 (três) pontos; b) Por empate, 01 (um) ponto; c) Por derrota, 00 (zero) ponto. ARTIGO 15º – Caberá ao Departamento Técnico da LIF o gerenciamento técnico e administrativo do Campeonato, e ainda: a) Elaborar a tabela de jogos; b) Designar e alterar dia, hora e local para as partidas; c) Controlar da forma expressa neste regulamento, as questões quanto à aplicação de punições encaminhadas pela Comissão Disciplinar; d) Fazer valer o regulamento específico aprovado pelos presidentes, bem como o código desportivo da FCF, e o CBJD da CBF. e) Aprovar ou não os jogos à vista das súmulas e relatório do árbitro, bem como do delegado, dentro de sua alçada. f) Determinar a perda do mando de campo, na forma estabelecida neste regulamento; g) Manter registro das advertências decorrentes de infrações aplicadas pelo árbitro aos atletas e consignadas na súmula e anexos, para os efeitos previstos neste regulamento e na legislação desportiva vigente, prevalecendo, em caso de divergência de nomes, aquele que constar no documento de comunicação de penalidades, anexo à súmula, na forma do disposto no art. 372, “a”, das Normas Orgânicas do Futebol Brasileiro, observado o disposto na RDI/CBF nº. 05/2004; h) Remeter ao procurador desportivo da comissão disciplinar, o qual será o procurador jurídico da LIF, toda documentação das partidas, quando verificar que a súmula relata infração disciplinar, no prazo de 2 (dois) dias, contado do seu recebimento, conforme o disposto no art. 76, do CBJD, com a redação dada pela Resolução CNE nº. 11, de 29 de março de 2006. ARTIGO 16º – Caberá ao Procurador Jurídico da LIF o gerenciamento jurídico do Campeonato, e ainda: I - oferecer denúncia, nos casos previstos em lei ou neste Código; (Alterado pela Resolução CNE nº 11 de 2006 e Resolução nº 13 de 2006) II - dar parecer nos processos de competência do órgão judicante aos quais estejam vinculados, conforme atribuição funcional definida em regimento interno; III - formalizar as providências legais e processuais e acompanhá-las em seus trâmites; IV - requerer vistas dos autos; (Alterado pela Resolução CNE nº 11 de 2006 e Resolução nº 13 de 2006)


4 V - interpor recursos nos casos previstos em lei ou neste Código ou propor medidas que visem à preservação dos princípios que regem a Justiça Desportiva; (Incluído pela Resolução CNE nº 11 de 2006 e Resolução CNE nº 13 de 2006) VI - requerer a instauração de inquérito; (Incluído pela Resolução CNE nº 11 de 2006 e Resolução CNE nº 13 de 2006) PARÁGRAFO ÚNICO - Qualquer pessoa natural ou jurídica poderá apresentar por escrito notícia de infração disciplinar desportiva à Procuradoria, desde que haja legítimo interesse, acompanhada da prova de legitimidade. (Redação dada pela Resolução CNE nº 29 de 2009). ARTIGO 17º – A normalidade da competição deverá ser estritamente observada pelo árbitro, pelos assistentes de linha, quarto árbitro e pelo delegado. § 1º – Cabe ao árbitro providenciar: a) Para que até 05 (cinco) minutos antes do início da partida todas as pessoas não credenciadas tenham deixado o campo de jogo; b) Observar que em hipótese alguma, o capitão das equipes esteja sem a tarja no campo de jogo; c) Observar que no local designado ao banco de reservas só poderão ficar os jogadores reservas, mais três credenciados pelas Associações disputantes junto à LIF. d) Os dirigentes que permanecerem no banco de reservas, não poderão ficar de chinelos, bermudas, camisetas ou sem camisa. e) Caso seja necessário outro dirigente/funcionário dentro de campo (porteiro, roupeiro, maqueiro, gandula, etc.) os mesmos não poderão ficar de chinelos, bermudas, camisetas ou sem camisa, e que de preferência estejam uniformizados ou com coletes de identificação. ARTIGO 18º – Após a realização da partida, o árbitro elaborará a súmula e seus relatórios, em modelos próprios fornecidos pela LIF e os entregará ao departamento técnico no primeiro dia útil após a realização da partida. ARTIGO 19º - Independentes das sanções de natureza regulamentar expressamente estabelecida neste regulamento, toda e qualquer infração será processada e julgada na forma do Código Brasileiro de Justiça Desportiva, CBJD, pela Comissão Disciplinar da LIF. ARTIGO 20º – Em caso de perda de mando de campo, a Associação que passar a ser mandatária, ficará responsável pelas taxas da realização da partida. ARTIGO 21º – É assegurado o acesso das autoridades, patrocinadores e imprensa, mediante a apresentação de credencial expedida pela LIF, para o ano em curso, salvo nos casos em que o direito de ingresso decorra de lei ou norma expedida por entidade desportiva ou legislação desportiva vigente.

CAPÍTULO IV - DAS OBRIGAÇÕES DA ORDEM E DA SEGURANÇA DAS PARTIDAS ARTIGO 22º – À Associação que couber o mando da partida, além de todas as medidas de ordem administrativa e técnicas indispensáveis à segurança no estádio, e no campo de jogo, à normalidade do trabalho dos profissionais, autoridades e demais envolvidos na realização da competição, compete: I – Providenciar para que, até 01 (uma) hora antes do início da partida, o campo de jogo esteja devidamente marcado, conforme Regra I (regras do jogo de Futebol). Caso haja a realização de preliminar, a Associação mandante deverá ter material e pessoal disponível para fazer as marcações ou reparar as redes, ou ainda tomar outras providências segundo determinar o árbitro da partida; II – Zelar pelos estádios, bem como pela integridade física dos espectadores e demais pessoas que nele compareçam, ficando responsável ainda por eventuais danos de qualquer natureza, de forma a isentar de responsabilidade a LIF, caso esta tenha agido sem culpa; III – Providenciar no mínimo 03 (três) bolas em perfeitas condições de jogo, de qualquer marca, para a realização da partida. IV – Manter, obrigatoriamente, casamata para o banco de reserva dos jogadores e delegados da LIF, devendo esta oferecer segurança e encontrar-se longe do contato direto com a torcida e a arbitragem; V – Não manter dirigente ou atleta suspenso dentro do alambrado, sob pena de perda do mando de campo de sua equipe na próxima rodada, e multa de R$ 50,00 (cinquenta reais), que deverá ser pago até o início da rodada subsequente, independente de julgamento; ARTIGO 23º – A equipe que incluir, ou fazer constar da súmula ou documento equivalente, atleta em situação irregular para participar de partida, (Redação dada pelo CBJD nº 214) perderá 3 (três) pontos automaticamente, pagando uma multa de R$ 100,00 (cem reais) à LIF. § 1º - O resultado da partida será mantido, mas à equipe infratora não serão computados eventuais critérios de desempate que lhe beneficiem, constantes do regulamento da competição, como, entre outros, o registro da vitória, gols a favor ou de pontos marcados. § 2º - A equipe que ainda não tiver obtido pontos suficientes ficará com pontos negativos.


5 CAPÍTULO V – DA SUSPENSÃO DE PARTIDAS ARTIGO 24º - Qualquer partida, em virtude de mau tempo ou por motivo de força maior, poderá ser adiada pelo Presidente da LIF, ou por seu representante na partida, desde que o faça até as 12 (doze) horas da manhã do dia do jogo, dando-se ciência da decisão aos representantes das Associações interessadas e ao árbitro da partida. ARTIGO 25º – O árbitro é a única autoridade para decidir, a partir das 12 (doze) horas da manhã do dia da partida, acerca do adiamento, bem como para decidir no campo a respeito da interrupção ou suspensão da mesma. Em tais casos o árbitro fará chegar à LIF um relatório minucioso dos fatos, na forma do CBJD. § 1º – Uma partida só poderá ser adiada, interrompida ou suspensa quando ocorrerem motivos que impeçam sua realização ou continuação: a) Falta de segurança; b) Mau estado do campo, que torne a partida impraticável ou perigosa; c) Falta ou deficiência de marcação; d) Luz natural ou artificial insuficiente; e) Tumultos graves no campo de jogo ou estádio; f) Invasão generalizada no campo ou no estádio; g) Casos previstos no art. 26 deste regulamento, por decisão do Presidente da LIF ou seu representante. h) Número inferior a 07 (sete) atletas em uma ou em ambas as equipes. § 2º – Ocorrendo o previsto no parágrafo anterior com a partida já iniciada, o árbitro aguardará 30 (trinta) minutos para que cessem os motivos que deram a interrupção e, se não cessarem, suspenderá a partida, podendo ainda aguardar mais 30 (trinta) minutos caso os motivos estejam a cessar. § 3º – Se a Associação que houver dado causa à suspensão estiver ganhando ou empatando, será declarada perdedora pelo placar de 3 x 0, se estiver perdendo, sua adversária será vencedora pelo placar do jogo no momento da suspensão. Serão declaradas perdedoras, pelo placar de 3 x 0 (três a zero ), ambas as equipes, se não apresentarem ou ficarem reduzidas a menos de 7 (sete) atletas cada ao mesmo tempo. § 4º – A equipe que houver dado causa à suspensão, temporária ou não, perderá o mando de campo de uma partida e pagará multa de R$ 100,00 (cem reais), tendo de pagar as taxas de jogo e arbitragem em até 48 (quarenta e oito) horas antes do inicio de sua próxima partida, na sede da LIF. § 5º – É incumbência exclusiva do árbitro analisar os itens acima e tomar sua decisão, respeitando o código desportivo da FCF, salvo o disposto no art. 26 do Regulamento Específico da competição. ARTIGO 26º – Se a suspensão da partida ocorrer sem que qualquer uma das Associações disputantes tenha dado causa, o departamento técnico da LIF adotará as seguintes normas: a) Se a suspensão da partida ocorrer até o momento em que sejam decorridos 30 (trinta) minutos do segundo tempo, a partida será considerada suspensa, marcando-se uma nova data para o término da mesma. b) Se a suspensão ocorrer após decorridos 30 (trinta) minutos do segundo tempo, a partida será considerada encerrada, mantendo o resultado de campo obtido até o momento da suspensão do jogo. c) Só poderão participar da continuação de uma partida suspensa os atletas que, no momento da suspensão, estavam participando efetivamente da mesma. d) Se a suspensão da partida for por motivo de agressão ao árbitro ou seus assistentes, será esta considerada encerrada, e a equipe agressora pagará multa de R$ 150,00 (cento e cinquenta reais). Caso não o faça, será automaticamente eliminada do Campeonato, sendo que a punição nos termos do CBJD independe de pagamento da multa. ARTIGO 27º – A Associação que se julgar prejudicada, poderá impugnar a validade de uma partida, no prazo de 03 (três) dias úteis, a contar do término da mesma, mediante requerimento protocolado na LIF e pagamento da taxa de R$ 200,00 (duzentos reais), comprovado pelo recibo de depósito bancário assinado pelo Presidente do Clube ou Diretor com procuração. Sem o pagamento da taxa não há julgamento. ARTIGO 28º – O Clube que não comparecer a uma partida, salvo motivo de força maior, será considerado desistente da competição. § 1º – O Clube ausente deverá dar entrada no protocolo da LIF, dentro das 48 (quarenta e oito) horas seguintes ao início da partida, justificando sua ausência, que será julgada pela Comissão Disciplinar e Diretoria da LIF. § 2º – Em caso de morte de algum dirigente ou pessoa vinculada ao Clube, o mesmo comunicará à LIF e à equipe adversária com a antecedência necessária para que não se envie a arbitragem. Caso não o faça, perderá os pontos da partida automaticamente, pelo placar mínimo. § 3º – Nenhuma partida terá início sem a presença de pelo menos 07 (sete) atletas de cada equipe. ARTIGO 29º – Qualquer Associação que desistir ou for considerada desistente do Campeonato, os resultados por ela obtidos serão considerados nulos, em todas as fases.


6 PARÁGRAFO ÚNICO – A Associação enquadrada neste artigo ficará excluída das competições promovidas pela LIF, pelo período de até 02 (dois) anos, conforme julgamento, ou obrigada ao pagamento de multa de R$ 600,00 (seiscentos reais) a R$ 1.800,00 (um mil e oitocentos reais). CAPÍTULO VI - DA CONDIÇÃO DE JOGO E DA INSCRIÇÃO DE ATLETAS ARTIGO 30º – Só poderão participar da competição atletas que forem previamente inscritos por sua associação no Departamento de Registro e Transferência (DRT) da LIF, nas condições estabelecidas nas normas de registro, inscrição e transferência de atletas, aprovadas pelas Resoluções de diretoria da LIF, e na forma estabelecida neste regulamento. ARTIGO 31º – Os atletas inscritos deverão ter: a. naturalidade de Imbituba, ou; b. domicílio eleitoral à mais de um ano em Imbituba, ou; c. vínculo trabalhista à mais de um ano em Imbituba, ou; d. comprovar que reside à mais de um ano na cidade de Imbituba, norma válida para as duas categorias. § 1º – Na categoria juniores o número de inscrições de atletas é limitado em 22 (vinte e dois) atletas. § 2º - Na categoria principal o número de inscrições é limitado em 22 (vinte e dois) atletas, tendo o clube mais 5 (cinco) inscrições para atletas que já estiverem inscritos na categoria juniores. § 3º - O Clube não poderá ficar em nenhum momento, com menos de 18 (dezoito) atletas inscritos. § 4º – É terminantemente proibido atletas profissionais nesta competição. § 5º – O atleta que adulterar o documento de identidade ou o título de eleitor ou a carteira de trabalho ou o comprovante de residência será eliminado do Campeonato e sua equipe perderá 03 (três) pontos por partida que o mesmo disputou. § 6º - Os atletas da categoria juniores deverão ter nascido nos de 1996, 1997, 1998 e 1999. ARTIGO 32º – O pedido de inscrição deverá ser acompanhado de cópia de documentação necessária contida nas normas de inscrições, no anexo I. § 1º – O pedido inicial de inscrição encerra-se às 18h00min (dezoito horas) da segunda-feira anterior a primeira rodada do campeonato. § 2º – O prazo final para a inscrição de atletas encerra-se às 18h00min (dezoito horas) da quarta-feira anterior à 7ª (sétima) rodada do Campeonato. § 3º - E de responsabilidade das equipes observar o BID (boletim informativo diário da CBF ), a fim de acompanharem os registros de seus atletas na categoria principal. ARTIGO 33º – O atleta inscrito por uma Associação não poderá competir por outra Associação também participante do mesmo Campeonato. § 1º – O atleta ou dirigente que for punido com 01 (um) cartão vermelho ficará suspenso por 01 (uma) partida automaticamente, já no próximo jogo de sua equipe, independendo de prévio julgamento pela Comissão Disciplinar. § 2º – O atleta ou dirigente que for punido com 03 (três) cartões amarelos ficará suspenso de 01 (uma) partida automaticamente, já no próximo jogo de sua equipe, independendo de prévio julgamento pela Comissão Disciplinar. § 3º – É obrigação dos Clubes verificarem os atletas suspensos nos comunicados dos jogos, bem como os que forem julgados pela Comissão Disciplinar. § 4º – Todas as punições serão mantidas até o final do Campeonato, não havendo a possibilidade de acordo entre as equipes. ARTIGO 34º - Todo atleta ou dirigente que cometer qualquer ato de indisciplina, dentro ou fora de campo, será encaminhado denúncia à comissão disciplinar, que respeitará o código brasileiro de justiça desportiva (CBJD). CAPÍTULO VII – DO NÚMERO DE ATLETAS E SUBSTITUIÇÕES NA PARTIDA ARTIGO 35º – Todos os atletas deverão apresentar antes do início da partida, qualquer documento oficial com foto, podendo ainda ser cópia autenticada do mesmo ou carteira do atleta expedida pela LIF. § 1º – Será permitido aos atletas apresentarem qualquer documento oficial com foto ou cópia autenticada até o momento que se iniciar o segundo tempo da partida. § 2º – O atleta que não apresentar documento oficial com foto, ou cópia autenticada deste ao entrar em campo não poderá jogar e jogando, fará com que sua equipe perca 03 ( três ) pontos no campeonato. ARTIGO 36º – A Associação mandante mudará de uniforme sempre que ocorrer igualdade do mesmo. ARTIGO 37º – As Associações poderão substituir até 5 (cinco) atletas por jogo, incluindo o goleiro, podendo permanecer no banco de reservas 12 (doze) atletas inscritos e em condições de jogo, devidamente uniformizados e mais 3 (três) membros da comissão técnica devidamente vestidos de calça ou abrigo e tênis, podendo além destes, permanecer um médico, mediante apresentação do CRM.


7 CAPÍTULO VIII - DA FORMA DE DISPUTA ARTIGO 38º – O Campeonato será disputado em 3 (três) fases. ARTIGO 39º – A PRIMEIRA FASE será realizada em turno único, todos contra todos, classificando-se os quatros primeiros à segunda fase. PARÁGRAFO ÚNICO – Ocorrendo igualdade de pontos ganhos entre duas ou mais equipes na classificação, o(s) desempate(s) será (ao) efetivado(s) com a aplicação dos seguintes critérios: I. Maior número de vitórias; II. Maior saldo de gols; III. Maior número de gols a favor; IV. Confronto direto, quando ocorrer o empate entre 2 (duas) equipes; V. Menor número de cartões vermelhos; VI. Menor número de cartões amarelos; VII. Sorteio. ARTIGO 40º – Na SEGUNDA FASE, os quatro classificados a semifinal, jogarão duas partidas de ida e volta da seguinte forma: O primeiro versus o quarto colocado (1º x 4º), e o segundo versus o terceiro colocado (2º x 3º). § 1º – O mando de campo da segunda partida será da melhor classificada na primeira fase. § 2º – Havendo igualdade no saldo de gols no final da segunda partida da semifinal, a decisão irá para penalidades máximas. ARTIGO 41º – A TERCEIRA FASE, ou final do Campeonato será disputada em 02 (duas) partidas, ida e volta. § 1º - O mando de campo da segunda partida da final será da melhor classificada na primeira fase. § 2º - Havendo igualdade no saldo de gols no final da segunda partida da final, a decisão irá para penalidades máximas. CAPÍTULO XI - DAS DISPOSIÇÕES GERAIS E FINAIS ARTIGO 42º – O Clube mandatário disponibilizará ao Clube visitante um total de 50 (cinquenta) ingressos. Parágrafo Único – Os Clubes poderão cobrar pelo ingresso o valor máximo de R$ 5,00 (cinco reais). ARTIGO 43º – É obrigação do Clube mandante, levar 04 (quatro) refrigerantes ou água mineral para a arbitragem, durante os intervalos dos jogos. ARTIGO 44º – Os casos omissos serão resolvidos conjuntamente pela Comissão Disciplinar e Diretoria Executiva da LIF. ARTIGO 45º – A qualquer momento o departamento técnico da LIF poderá interditar a utilização do estádio que não estiver atendendo às exigências previstas pela Comissão de Vistorias, atentando contra a integridade física do atleta e/ou do árbitro. ARTIGO 46º – As datas e horários das partidas do Campeonato prevalecerão sobre quaisquer outros eventos promovidos pelo Clube ou entidades locais. ARTIGO 47º – As despesas de locomoção e estadias de cada Associação correrão por sua conta. PARÁGRAFO ÚNICO – Os Clubes participantes do Campeonato deverão estar em dia com suas obrigações junto à tesouraria da LIF.

CAMPEONATO MUNICIPAL DE IMBITUBA DE FUTEBOL NÃO-PROFISSIONAL 2013

REGULAMENTO ESPECÍFICO


8 ARTIGO 48º – Este regulamento aprovado pela LIF e pelos Presidentes dos Clubes participantes do Campeonato de 2013 está homologado e entra em vigor nesta data.

ALVORADA BOTAFOGO DIVINÉIA INDEPENDENTE PAES LEME UNIÃO VILA NOVA Imbituba, 9 de setembro de 2013.

________________________________ Jandir Aguiar Diretor de Competições LIF

_________________________________ Eduardo Faustina da Rosa Procurador Jurídico LIF

_________________________________ Jardel Guimarães Gonçalves Presidente LIF


9 Anexo I Art. 1º - As inscrições de atletas da categoria juniores, deverão ser feitas com a apresentação da ficha de inscrição “B” e a cópia da identidade do atleta. Parágrafo Único – A ficha de inscrição “B” deverá ser preenchida a máquina ou computador, com todos os dados por extenso. Art. 2º - Na categoria adulto as inscrições de atletas deverão ser feitas conforme a Guia para Clubes Amadores e Ligas Filiadas da Federação Catarinense de Futebol.


Regulamento Específico  

Campeonato Municipal de Imbituba 2013

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you