Page 20

LIDERANÇA NO FEMININO | Julho de 2019

ABRAÇAR A COMUNICAÇÃO INCLUSIVA Amélia Amil é intérprete de língua gestual portuguesa no Porto Canal, a estação televisiva que tem vários programas com acessibilidade gestual. Ao longo da entrevista à Liderança no Feminino, Amélia frisa a importância em levar a informação a todos os públicos. NO NORTE DO PAÍS FOI A PRIMEIRA INTÉRPRETE DE LÍNGUA GESTUAL PORTUGUESA. UM MOTIVO DE ORGULHO PARA A COMUNICAÇÃO INCLUSIVA. Desde cedo que Amélia acompanha surdos para transpor a barreira comunicacional em tribunais e autoridades públicas. Um papel que desempenha desde os seus doze anos de idade. O seu percurso profissional começa a revelar-se enquanto ocupava o lugar de primeira funcionária da Delegação do Porto da Associação Portuguesa de Surdos, entidade esta que foi posteriormente substituída pela Associação de Surdos do Porto (ASP), por onde seguiu caminho. Naquele tempo, iniciava-se um ciclo de aceitação da língua gestual na sociedade, nas mais diversas frentes. A realização os exames de código na obtenção do título de condução com intérprete de língua gestual foi um marco onde Amélia também foi pioneira. Hoje recorda esses tempos como “momentos memoráveis, inesquecíveis e intensos”. A batalha pela inclusão da comunidade surda provocou burburinhos quando Amélia promoveu o debate de “Filhos de um Deus menor”. Momento jamais esquecível, do qual recorda “o quanto polémico e “barulhento” foi este si-

AMÉLIA AMIL INTÉRPRETE DE LÍNGUA GESTUAL PORTUGUESA

18

lêncio que se espreguiçava e se agigantava, contra quem achava que os surdos não deviam deixar-se dominar pela língua gestual”. A acessibilidade à língua gestual portuguesa levantou voo e iniciou uma nova agenda política e social. Este foi um primeiro momento marcante, de destaque, e que iniciou a aceitação dos surdos com a sua língua materna: “Proteger e valorizar a língua gestual portuguesa, enquanto expressão cultural e instrumento de acesso à educação e da igualdade de oportunidades”, registado no Diário da República no. 86/1976, Série I de 1976-04-10. A intérprete foi também a primeira pessoa a trazer à cidade do Porto, o Ministro da Segurança Social (1991), o Dr. Silva Peneda, a propósito da inauguração da nova sede da ASP, a 14 de setembro de 91. Este encontro simbolizou o marco em que a Língua Gestual começou finalmente a ocupar e merecer a atenção da agenda dos nossos políticos. NOVOS PROJETOS NA LÍNGUA GESTUAL PORTUGUESA: PELA PRIMEIRA VEZ EM PORTUGAL, O HUMORISTA FERNANDO ROCHA INICIOU A ACESSIBILIDADE EM LÍNGUA GESTUAL DO “PI100PÉ”, UM CANAL DO YOUTUBE.

A ACESSIBILIDADE À INFORMAÇÃO É A MAIOR REIVINDICAÇÃO DA COMUNIDADE SURDA? Os surdos são como os ouvintes, apenas não ouvem. É um handicap que não tem rosto, mas profundamente doloroso. A língua gestual é a língua materna dos surdos, é nela que se expressam no seu mais profundo eu. As mais pequenas banalidades da vida diária, passando pela informação, entretenimento, e tudo o que compreende e transmite pela comunicação, é impreterível que esteja acessível em língua gestual. Amélia Amil, durante a nossa conversa, fez-nos um convite, que passamos agora a todos os leitores: “Embarquem comigo nesta imagem: imaginem-se numa evacuação obrigatória num shopping da cidade por motivo de incêndio de uma das alas; ou a informação de que tem de se aproximar do veículo “tal”, que pertence a um surdo;

Profile for Sandra Arouca

Liderança no Feminino - Julho 2019  

Liderança no Feminino - Julho 2019  

Advertisement