Page 1

#03 Boletim Informativo do Movimento LGB T Socialista 1ยบ Semestre de 2014 - Partido Socialista Brasileiro

Eduardo

e

Marina

A uniรฃo que vai mudar o Brasil!

Pรกgs. 4 e 5


Vereadora Jussara Caçapava e novos filiados em Cachoeirinha/RS

MOVIMENTO SOCIAL

Aproveitando o Dia Internacional da Visibilidade Lésbica no dia 29 de agosto, data essa que reforça a luta das mulheres, a promoção da igualdade de gênero e a necessidade de respeito à orientação afetivo-sexual, o movimento LGBT Socialista organizou vários atos de filiação em diversos estados e municípios, no período do final de agosto e início de setembro. Foi solicitado aos militantes de todo o país que convidassem amigos e amigas que quisessem conhecer um pouco mais do segmento e do compromisso do PSB com as várias pautas da causa LGBT. Esta mobilização ocorreu em maior intensidade nos estados Amapá, Ceará, Distrito Federal, Pará, Paraíba, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul, atingindo as nossas expectativas em relação ao número de novas filiações. Vale destacar também que, neste período, muitas pessoas interessadas em se candidatar em 2014 ingressaram no partido devido à abertura que o PSB dá à defesa das bandeiras dos segmentos sociais.

Socialistas na coordenação da ARTGAY

Ocorreu de 17 a 21 de agosto de 2013 o II Encontro Nacional da Articulação Brasileira de Gays - ARTGAY e Articulação Brasileira de Jovens Gays - ARTGAY JOVEM, em Natal/RN, cidade onde essa importante instituição foi fundada em 2009. O LGBT Socialista e a Juventude Socialista Brasileira - JSB não só estiveram presentes, como também tiveram quatro socialistas eleitos para integrarem a direção da Artgay e da Artgay Jovem, na gestão 2013/2015. Rafael Gomes, Secretário Geral do LGBT Socialista de Alagoas, tornou-se Vice-coordenador Nacional da Artgay Jovem e Secretário Nacional de Assistência Social da Artgay. Alcemir Gaspar Freire, Coordenador Nacional de Formação Política LGBT Socialista, da Paraíba, tornou-se Secretário Nacional Adjunto de Educação da Artgay. Elson Lourinho, Secretário Estadual do LGBT Socialista do Pará, tornou-se Coordenador da Regional Norte da Artgay Jovem. Douglas Alves, 1º Secretário Nacional da JSB, tornou-se Secretário Nacional de Juventude da Artgay Jovem. Que a presença socialista fortaleça ainda mais a Artgay em sua missão de lutar pela cidadania LGBT.

Eleitos na Artgay Gestão 2013/2015

Quer se filiar e não sabe com quem falar? Encontre o contato do/a representante LGBT Socialista mais próximo neste link: www.tinyurl.com/contatoslgbtsocialista

Recife inova mais uma vez! GLOS

2

A Prefeitura do Recife, sob a gestão socialista de Geraldo Júlio e através de sua Gerência Livre Orientação Sexual - GLOS, realizou o primeiro Pedala Recife sem Homofobia, no dia 1º de dezembro de 2013. A ação consistiu em um passeio entre a zona norte a parte central da capital pernambucana, com diversas paradas e com concentração para falas e divulgação de panfletos sobre a temática dos Direitos Humanos e mobilidade urbana. A atividade integrava a programação da I Jornada dos Direitos Humanos do Recife, que ocorreu até o dia 10. Aproximadamente cem ciclistas participaram, acompanhados de muita música eletrônica, animação e engajamento. O objetivo da pedalada foi mobilizar a sociedade sobre o tema e estimular o respeito à diversidade. “É uma forma de cobrarmos respeito das outras pessoas e ainda cuidar da saúde através de uma prática saudável”, disse o Gerente do GLOS e membro do LGBT Socialista do PE, Wellington Pastor.


Militância LGBT Socialista do DF

Dia da Visibilidade Lésbica tem partida de futebol feminino no DF A Secretaria LGBT Socialista do Distrito Federal organizou no dia 28 de agosto de 2013 uma partida de futebol feminino na QR 414, em Samambaia, região administrativa do DF. O evento reuniu cerca de 100 pessoas, entre militantes e atletas, e teve como motivo a COMBATE À comemoração do dia nacional da Visibilidade Lésbica, que ocorre no LESBOFOBIA dia 29 de agosto, desde 1996, quando aconteceu no Rio de Janeiro o 1º Senale - Seminário Nacional de Lésbicas. Esta data tem um imenso significado: reforçar a luta contra o machismo e a lesbofobia. “As vulnerabilidades das mulheres lésbicas ainda são pouco debatidas nas sociedades contemporâneas, infelizmente, mesmo com a difusão das suas identidades e das configurações atuais de família”, afirma o Secretário LGBT Socialista do DF, Flavio Brebis. Muitas vezes, lésbicas não têm sua sexualidade respeitada tanto quanto homens gays, por vivermos em uma sociedade patriarcal e machista. O pior é que esse tipo de raciocínio desemboca frequentemente em violência verbal, psicológica e física, vide os horrorosos “estupros corretivos”. Infelizmente, por boa parte da sociedade, a lesbianidade é vista não como uma orientação afetivo-sexual, e sim como uma circunstância até que elas encontrem um “homem de verdade”. Por essas e outras, a causa específica das mulheres lésbicas precisa ser amplamente divulgada e debatida, de forma a gerar uma mudança cultural de fato! A luta da mulher lésbica é e sempre deve ser uma luta de toda a comunidade LGBT e dos setores oprimidos! O LGBT Socialista Campanha e o PSB estão nessa luta também e parabenizam todas as nossas LGBT Socialista para a Visibilidade companheiras lésbicas, pela garra, pela história, pelas conquistas Lésbica divulgada e pelo suor da militância cotidiana por um mundo mais igualitário. nas redes sociais Parabéns ao LGBT Socialista do DF pela mobilização!

O LGBT Socialista está na Internet! Quer ficar informad@, entrar em contato ou formar um núcleo LGBT Socialista em seu estado ou município? Então acesse nossos ca peça sua ficha de ca nais de comunicação na Internet, dastro LGBT e filie-s e ao PSB 40!

Todas as publicações LGBT Socialistas estão online em:

issuu.com/lgbtsocialista lgbt.socialista@gmail.com

twitter.com/lgbtsocialista

facebook.com/lgbtsocialista

lgbtsocialista.blogspot.com.br

3


Unindo forças para mudar o Brasil!

No sábado do dia 5 de outubro foi formalizada a coligação entre o PSB e a Rede Sustentabilidade, de Marina Silva. Esse com certeza é o mais impactante fato político do período de pré-campanha, afinal, a entrada de Marina fortalece bastante a pré-candidatura de Eduardo Campos à presidência da República. Esta não é uma fusão, e sim uma aliança. “É uma aliança programática, um encontro de sonhos e de propostas: estamos unindo forças para combater e superar o atraso da política brasileira”, disse Marina. “Somos o primeiro partido clandestino criado em plena democracia. Quero agradecer aos companheiros do PSB a chancela política e eleitoral que o TSE negou”, completou. Nós, LGBT Socialistas, damos as boas-vindas à Marina e à Rede Sustentabilidade, e esperamos, de coração aberto, contar com a militância LGBT da Rede para construirmos junt@s o fortalecimento da nossa causa. Vamos somar nossos esforços por um Brasil menos homofóbico e mais justo!

4

Desde quando se oficializou a coligação PSB + Rede, vários debates entre lideranças e militância estão sendo organizados em todos os estados, com o intuito de afinar os discursos e pensar um programa que contemple as especificidades dos dois partidos e a perspectiva de uma coalizão de esquerda. Está claro para a Rede e o PSB que existem diferenças, contudo existem inúmeras semelhanças e objetivos em comum entre os dois. “No 1º Encontro Programático ocorrido em São Paulo no dia 28 de outubro, ficou claro, a partir do nosso Governador e Presidente Eduardo Campos e da Presidenta da Rede Marina Silva, que não somos oposição ao Governo Federal ou 3ª via, mas sim uma outra via para o desenvolvimento do país”, afirma o Secretário Nacional LGBT Socialista, Luciano Freitas, que nos representou no evento. Inclusive, foi nesse evento que Marina Silva e todas as lideranças da Rede receberam o documento da Executiva Nacional LGBT Socialista, dando boas vindas e reforçando a temática da Diversidade Sexual. Importante salientar que neste momento vários integrantes da Rede trocaram contatos para iniciarmos processo de debate nos Estados com militantes LGBT da Rede. Contrariando quaisquer críticas aos posicionamentos de Marina, está havendo sim uma sintonia maravilhosa, com muito mais convergências que divergências. A diversidade com certeza será contemplada no programa de governo da coligação PSB e Rede.

Militantes do PSB e da Rede reunidos no 1º Encontro Programático, no dia 28/10 em São Paulo. Presença ilustre do astronauta Marcos Pontes

Discurso da deputada e grande apoiadora do LGBT Socialista Luiza Erundina Aliás, nós do PSB estamos aprendendo muito com o pessoal da Rede, principalmente no que diz respeito à utilização da internet e das redes sociais como ferramenta de diálogo com a população, tão ansiosa por mudanças, vide as manifestações de junho protagonizadas pelos jovens conectados. Tanto que essa união já proporcionou uma grande inovação: a plataforma digital “Mudando o Brasil”, lançada em 28 de novembro, que disponibiliza para todos o documento síntese das propostas e diretrizes para o futuro programa de governo que o PSB e a Rede irão apresentar à sociedade em 2014. Ou seja, militantes, simpatizantes e interessados podem através dessa ferramenta contribuir com suas ideias para um Brasil melhor. “Isto é mudar, isto é acreditar que somos responsáveis pelo que construímos juntos”, afirma a Secretária Especial do PSB, Mari Trindade. Este conceito de cooperação horizontal e democrática via internet chama-se crowdsourcing. Temos como exemplo a Islândia, que ficou conhecida mundialmente por ter elaborado a primeira constituição crowdsourced da História. Ela foi construída de forma colaborativa nas redes sociais e aprovada por dois terços da população em referendo. O que o PSB e a Rede estão fazendo com a plataforma digital “Mudando o Brasil” é a mesma coisa: ouvir de fato a voz das ruas, chamar a população para o debate, aproveitar ao máximo os recursos tecnológicos e elevar a democracia a um patamar muito mais alto.

Acesse: www.mudandobrasil.com.br


Carta de boas-vindas do Movimento LGBT Socialista aos militantes da Rede Sustentabilidade ao PSB “Por um mundo onde sejamos socialmente iguais, humanamente diferentes e totalmente livres” Rosa Luxemburgo O Movimento LGBT Socialista representado por sua Executiva Nacional tem o prazer de dar as boas-vindas aos militantes da Rede Sustentabilidade ao Partido Socialista Brasileiro. O segmento LGBT do PSB nasceu em 2011 após o encontro que reuniu a militância de lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais do PSB, na cidade do Recife. Em dezembro deste mesmo ano foi eleita a primeira Executiva Nacional LGBT do PSB no Congresso Nacional do Partido realizado em Brasília. A Executiva Nacional tem a missão de formar as bases e estruturar o segmento em todo o país norteados pelos princípios da liberdade e o respeito à diversidade humana. Sabemos que construir um partido de forma a respeitar sua diversidade interna e seus desafios de natureza polêmica são tarefas difíceis que só pessoas comprometidas e lutadoras que perseguem seus sonhos e utopias com determinação e respeito são capazes de fazê-lo com diálogo e de modo coletivo. Por isso, manifestamos nossa grande alegria em receber novos filiados e lideranças da REDE. Juntos buscaremos dialogar sobre um projeto de país e de sociedade que respeite nossa individualidade, mas garanta nossa cidadania; que seja pautada com ênfase no desenvolvimento econômico, mas que proteja nossa natureza e nossas tradições. O nosso partido, o PSB, é um dos partidos da esquerda que mais cresce em número e em qualidade nas suas ações, e tem hoje um quadro de filiados não apenas bem qualificado, mas comprometido com os princípios citados acima e com um futuro que inclua o diálogo e o respeito a todos os cidadãos LGBT deste país. Entendemos

Eduardo Campos, o governador mais bem avaliado do país, é também um dos que mais trabalharam em prol da população LGBT, com 18 políticas públicas destinadas a esse público em 7 anos de governo em Pernambuco.

FALA DO PRESIDENTE DO PSB

que nossa atuação enquanto partido deverá sempre se pautar nos princípios da laicidade e da liberdade individual, e que cabe ao Estado proteger e promover ações que permitam todos os homens e mulheres serem livres e iguais entre si. O combate à homofobia, ao machismo e a promoção da igualdade de gênero são essenciais para o processo de significação dos sujeitos socialistas para com o mundo e do mundo para com os sujeitos socialistas. Uma bandeira de luta socialista e LGBT (re)afirma sujeitos, corpos e práticas dotadas de desejo, amor e subjetividade. Ela clama o amor ao próximo, discurso proferido comumente, porém pouco praticado, por isso, temos ainda muito que avançar, é preciso combater a suas mazelas, a desigualdade social e econômica histórica do Brasil, é necessário construir uma política socialista que garanta mudanças estruturais na EDUCAÇÃO, CULTURA, SAÚDE, HABITAÇÃO, MOBILIDADE, DISTRIBUIÇÃO DE RENDA, e tantas outras políticas públicas onde os LGBT são excluídos pela sua orientação sexual e pelo preconceito histórico de nossa sociedade. Saudações Socialistas, Executiva Nacional LGBT do PSB

Eduardo Campos

defende a causa LGBT e o combate à homofobia O governador Eduardo Campos fala da portaria Nº 4818, de 25/11/2013, com proposta inédita do Governo do Estado de Pernambuco, que dispõe sobre conceito de homofobia para mensuração de dados oficiais.

Crimes de ódio (os que envolvem preconceito) são crimes contra grupos sociais, não apenas contra o indivíduo. Uma pessoa ser atacada na rua por estar de mãos dadas com alguém do mesmo sexo é tão assustador quanto alguém ser linchado por ser negro, perseguido por sua etnia ou queimado na fogueira por sua religião. E essas não são situações hipotéticas. Aconteceram no passado e ainda acontecem das mais variadas formas. Os crimes que envolvem preconceito têm uma dinâmica própria, componentes que precisam de dados específicos para que a polícia possa combatê-los. E foi por isso que o Governo de Pernambuco incluiu essas informações como necessárias nos boletins de ocorrência. Há princípios dos quais uma pessoa pública não pode abrir mão, mesmo que em algum momento não seja bem entendida. A luta pelo fim dos preconceitos, para mim, é uma delas.

5


Gestão socialista é gestão compromissada com a causa LGBT:

O Exemplo da Paraíba

Fonte: Governo da Paraíba

No ano de 2011, o então prefeito da capital paraibana, Ricardo Coutinho (PSB), assume o Governo do Estado e cria a Secretaria de Estado da Mulher e da Diversidade Humana (SEMDH), composta por três Gerências Executivas: Equidade de Gênero (políticas para as mulheres); Equidade Racial (políticas para população negra, quilombolas, indígenas, ciganas/os e comunidades de terreiro); e a de Direitos Sexuais e LGBT (políticas para lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais). Logo nos primeiros dias de mandato, o governador assume o compromisso de atuar na perspectiva de superar anos de negação dos direitos de mulheres, negras e negros, quilombolas, indígenas, comunidades de terreiro e cigana e da população LGBT na Paraíba. Outros governos não pautavam essas políticas chamadas de identitárias, voltadas para essa parcela da população, colaborando, com essa omissão, para o crescimento da homofobia institucional que impera nos serviços públicos, negando direitos e a plena cidadania LGBT. Uma das iniciativas marcantes e originais dessa gestão é a ideia de prestar contas para população dos primeiros “cem dias de governo”, quando são apresentadas as principais políticas, obras e serviços implantados logo nos três

6

primeiros meses de gestão. Nessa agenda o governo inaugurou o Centro Estadual de Referência dos Direitos de LGBT e Enfrentamento a Homofobia – Espaço LGBT da Paraíba e assinou o decreto que garante o tratamento nominal e a inclusão e o uso do nome-social travestis e transexuais nos registros estaduais relativos a serviços públicos prestados no âmbito do Poder Executivo (Decreto 32.159\11). O Espaço LGBT mesmo com sede na capital tem feito ações itinerantes em cidades do interior. Ainda em 2011 a Paraíba segue avançando na definição de políticas para LGBT fomentando a realização de quatro conferências municipais e realizando a II Conferência Estadual de Políticas para LGBT da Paraíba.

Cultura

No fomento às políticas culturais, têm sido realizados eventos que discutam a cultura LGBT, como a EXPOSIÇÃO DE FOTOGRAFIAS “VARIAÇÕES DO FEMININO”, Poéticas do Universo Trans, exibições de curtas-metragens paraibanos e brasileiros em comemoração ao Dia da Visibilidade Transexual e Lésbica.

Campanhas Educativas

No primeiro ano de Governo foi lançada

a campanha em promoção da cidadania LGBT “SE TODO MUNDO É DIFERENTE, ENTÃO SOMOS TOD@S IGUAIS”, depois outra campanha estadual de enfrentamento a lesbobofobia, homofobia e transfobia da Paraíba com grande impacto principalmente nas mídias sociais, que ainda em um ano tem motivado a discussão em espaço da sociedade como outdoor, outbus e a I Corrida Estadual Contra a Homofobia “TIRE O RESPEITO DO ARMÁRIO, TODAS E TODOS PELO FIM DA HOMOFOBIA”.

Eventos formativos

Na perspectiva de melhorarmos os atendimentos à população LGBT no serviço público estadual, realizamos cursos, oficinas e seminários para as/os servidoras/es do Governo do Estado, a exemplo do curso para policiais militares e civis, profissionais e gestores/as da rede estadual de ensino e o Seminário Direitos Humanos de LGBT – Construindo a Rede de Proteção em João Pessoa\PB, para psicólogas/os, advogadas/os e assistentes sociais dos Centros de Referência Especializados em Assistência Social – CRES e os Centros de Referência da Assistência Social - CRAS, da saúde (municípios e estado) e o Seminário Estadual da Visibilidade e Participação das Mulheres Lésbicas e Bissexuais.

Apoio a eventos do Mov. LGBT

O Governo do Estado ao longo desses anos vem fazendo parceria ou apoiando eventos do movimento LGBT organizado em inúmeras atividades seja na capital ou interior, como; juventude, terceira idade, saúde e direitos humanos, Paradas do Orgulho LGBT, Miss Trans, Semanas da Consciência LGBT, encontros, caminhadas, fomento e participação nas conferências municipais de política públicas para LGBT.

Diálogo intersetorial:

Um dos desafios que a gestão estadual assumiu foi o diálogo intersetorial, para a implantação e implementação da política pública para LGBT, como: o Plano Estadual de Enfrentamento da Epidemia da AIDS e das DST entre população de gays, HSH, travestis e transexuais, Plano Estadual Integrado de Enfrentamento da Feminização da Epidemia de AIDS e outras DST na Paraíba (SES\PB), Criação do Comitê Estadual de Saúde Integral da População LGBT, participação na elaboração da programação anual de metas\PAM\SES\ PB, com gestoras/es e organizações não governamentais, fomento para criação da Rede Estadual de Proteção e Atenção à população LGBT com CREAS, CRAS, CAPS, Unidade de Saúda da Família, Unidade Básica de Saúde, Hospitais, Homocentros, Hemonúcleos e mais órgãos da assistência social, saúde, educação e polícia, Criação do Núcleo Especializado de Atendimento e Combate a Homofobia e ao Racismo, da Defensoria Pública estadual. Ainda este ano o Governo do Estado, através da SEMDH, realizou Feiras de Serviços pela Cidadania de LGBT em João Pessoa/PB, Cajazeiras/PB e Rio Tinto/PB, Implantação do Ambulatório de Saúde Integral para Travestis e Transexuais e Implantação dos pavilhões para gays, travestis e transexuais nos presídios do Estado. Este ano o Governo do Estado inicia um processo para a criação do Conselho Estadual dos Direitos de LGBT e do Plano Estadual de Políticas Públicas, acolhendo demandas antigas do movimento LGBT no estado e pelo Brasil afora, para a construção do tripé fundamental da cidadania no Estado da Paraíba, assumindo o compromisso com uma visão de política de estado moderna e comprometida com as principais pautas dos Direitos Humanos e com a garantia do futuro da política no Estado.


Fonte: Governo da Paraíba

Tire o respeito do armário!

O Governo do Estado da Paraíba lançou em 24 de Agosto de 2012, no Hotel Caiçara em João Pessoa/PB, a campanha do de enfrentamento à homofobia, realizada através da Secretaria de Estado da Mulher

e da Diversidade Humana – SEMDH/PB. Tendo como proposta a Promoção do respeito e cidadania, enfrentamento à lesbofobia, homofobia e transfobia para incentivo à denúncia de violências contra LGBT.

Primeiro ambulatório do Nordeste para travestis e transexuais

Ambulatório para travestis e transexuais no Complexo Hospitalar Clementino Fraga

Governador socialista Ricardo Coutinho presente na inauguração, ocorrida em 24 de julho Fotos: Secretaria de Comunicação da Paraíba

Segundo o Grupo Gay da Bahia – GGB, o Nordeste é a região mais homofóbica. Na Paraíba, nos anos de 2011 e 2012, os índices de homicídios contra LGBT têm colocado o Estado nos primeiros lugares de crimes. “A Bahia pelo sexto ano consecutivo lidera essa lista macabra: 28 homicídios, seguida de Pernambuco (25), São Paulo (24), Paraíba, Alagoas e Minas Gerais com 21 casos cada e Rio de Janeiro, 20. Roraima e Acre não registraram nenhum ‘homocídio’, e Distrito Federal e Amapá apenas 1”, afirma o Presidente do GGB, Marcelo Cerqueira. Reafirmando ainda que os estados de Alagoas e Paraíba, que juntos representam 3,6% da população do Brasil, concentraram 16% destes crimes de homofobia. O total de mortes registradas nestes dois estados nordestinos (42%) são 60% superior a todos os estados da região Norte (27%)”.

O governador Ricardo Coutinho inaugurou, em 24 de julho de 2013, o primeiro ambulatório de saúde para travestis e transexuais do Nordeste. O serviço fica localizado no Complexo Hospitalar Clementino Fraga, que comemora 54 anos de fundação. O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Saúde e da Secretaria da Mulher e Diversidade Humana, discutiu com os movimentos LGBT a implantação do serviço pioneiro no Nordeste. O governador Ricardo Coutinho destacou que o Estado investe na implementação de uma política de gênero em respeito às minorias historicamente esquecidas, como travestis e transexuais, que terão à disposição um ambulatório de saúde especializado. Ricardo informou que a unidade prestará atendimento em endocrinologia, ginecologia e cirurgia plástica facial (limpodistrofia) e outras especialidades oferecidas pelo Complexo Hospitalar Clementino Fraga. “Isso significa respeito aos/às travestis e transexuais, uma política pública que vem sendo implementada desde quando fui prefeito de João Pessoa com a criação do Centro de Testagem e Aconselhamento (CTA), o decreto da obrigatoriedade da adoção no nome social nos atendimentos do Estado e a implantação do Conselho Estadual de Saúde da população LGBT”, destacou. A secretária executiva de Saúde, Cláudia Veras, e a secretária da Mulher e Diversidade Humana, Gilberta Soares, ressaltaram o respeito à diversidade humana com a criação de um serviço referência para travestis e transexuais que encontravam muitas dificuldades no sistema de saúde. A conselheira nacional de Saúde LGBT, Fernanda Bevenutti observou que travestis e transexuais poderão fazer o acompanhamento hormonal, aplicação de silicone, esterectomia e mastectomia dos homens trans e outros serviços de saúde inerentes ao grupo. “Essa é uma via de mão dupla, o movimento faz a sua parte de dialogar com o poder público e os governos sensíveis, como é o caso do Governo da Paraíba, tomam a decisão de implementar uma política junto com os representantes do movimento”, comentou. De acordo com a diretora geral do Complexo Hospitalar Clementino Fraga, Adriana Teixeira, “esse é um serviço pioneiro no Nordeste que oferecerá a esse grupo um atendimento com respeito e humanizado, assim como qualquer outro cidadão. No Brasil, somente cinco Estados possuem ambulatórios para travestis e transexuais e a unidade da Paraíba irá referenciar os Estados de Pernambuco e Rio Grande do Norte”.

7


Momentos LGBT Socialistas

LGBT Socialista do DF em debate com Senador Rodrigo Rollemberg

Atividade LGBT Socialista e demais segmentos em caravana socilista no município de Ferreira Gomes no Amapá

Troféu Visibilidade Trans - Professora Sayonara Nogueira (LGBT Socialista - MG) homenageada na categoria educação

Reunião com Ademir Andrade em Belém/PA para o lançamento da pré-candidatura da LGBT Socialista Luana Mattos

Vereador Everlei Martins (Cruz Alta/RS) recebendo a Medalha Zumbi dos Palmares da Assembleia Legislativa do RS

Fala do Secretário Nacional LGBT Socialista Luciano Freitas no II Seminário Estadual de Formação Política para LGBT - PSB-Pará

Cleide Conceição, Vida Bruno e o presidente do Grupo Gay da Bahia (GGB) Marcelo Cerqueira filiam-se ao PSB da Bahia

2012-2014

Execu tiva Nacional

Primeira reunião LGBT Socialista no Piauí

Secretário Nacional LGBT: Luciano Freitas Filho - PE • Secretário Geral LGBT: Antonio Lopes Souza (Toninho) - ES • Coordenadora de Direitos Humanos e Civis LGBT: Elida Maria Almeida Lima - AP • Coordenador de Comunicação: Endrigo Valadão da Cunha - RS • Coordenador de Projetos: Weliton Melo Lima - PA • Coordenador de Advocacy e Relações Parlamentares: Erik Ranny Pinheiro - CE • Coordenadora de Cultura LGBT: Gil Lima - BA • Coordenador de Formação Política: Alcemir Freire - PB • Coordenador de Mobilização Política: Dino José de Oliveira Alves - AL • Coordenador de Relações Institucionais: Victor Pilato - PB

Profile for LGBT Socialista PSB

A Paloma #03 - O jornal LGBT Socialista - PSB 40  

Nesta edição, tudo sobre a coligação programática PSB + Rede e o seu compromisso com a causa LGBT, a fala do Presidente do PSB Eduardo Campo...

A Paloma #03 - O jornal LGBT Socialista - PSB 40  

Nesta edição, tudo sobre a coligação programática PSB + Rede e o seu compromisso com a causa LGBT, a fala do Presidente do PSB Eduardo Campo...

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded

Recommendations could not be loaded