Issuu on Google+

Primeiro Caderno - 1

Setembro/2012

MÍDIA DESTACA AÇÕES SUSTENTÁVEIS DE ACAMPAMENTO ADVENTISTA

Pág. 11

Setembro/2012 - Ano VII - Nº 84 - www.jornalorion.com - Edição Mensal - Distribuição Gratuita

Alejandro Bullón fala sobre o amor de Deus O pastor Alejandro Bullón, autor do livro – Passaporte para a Vida, Conhecer Jesus é Tudo entre outras literaturas, realizou um culto especial na Igreja Adventista Central do distrito de Areal e no Instituto Petropolitano Adventista de Ensino (IPAE), região serrana do Rio de Janeiro. Página 2

Novo Tempo faz parceria com a maior agência de notícias do mundo A Rede Novo Tempo de Comunicação, com sede em Jacareí, SP, fechou neste mês de agosto uma importante parceria que valerá pelos próximos dois anos. A partir de agora, a Novo Tempo passa a ter acesso ao banco de informações e imagens da Thomson Reuters, a maior agência internacional de notícias e multimídia do mundo, com mais de 160 anos de história. A Reuters oferecerá conteúdo de áudio e vídeo Internacional para os programas jornalísticos produzidos pela Novo Tempo, tanto para o Rádio, quanto para a TV e também para a Internet. !

Página 4

Entrevista com o produtor da webserie do livro O Grande Conflito Página 7

Casa Publicadora Adventista lança livro abordando a homossexualidade Trata-se de uma coleção de dissertações e testemunhos baseados em apresentações durante uma conferência sobre homossexualidade realizada em 2009 na Universidade Andrews. Aborda as questões complexas que envolvem a homossexualidade e a vida e fé adventistas. Página 10

Cristãos fazem “chover Bíblias” sobre a Coréia do Norte Página 6

MORRE REVERENDO MOON, FUNDADOR DA IGREJA DA UNIFICAÇÃO Página 5

Congresso da juventude realizado na Ucrânia Os principais dirigentes da Igreja disseram que um congresso da juventude realizado na Ucrânia foi uma inspiração para aqueles que vivem em sociedades livres. Também apresentou a juventude adventista do sétimo dia expressando a sua fé em maneiras novas e significativas.Muitos dos 2.000 !

participantes vieram de países que ainda enfrentam desafios à liberdade religiosa.“Eles nos inspiraram com sua vibração, alegria e liberdade manifestando sua fé de forma mais relevante e significativa para a sua geração”, disse Gilbert Cangy, diretor de jovens para a Igreja Adventista a nível mundial.

Página 11

Página 6

Casamento na Terceira Idade pode dar certo? Sim, o casamento na terceira idade pode dar certo sim, aliás, é o casamento mais certo e seguro, ele não depende exclusivamente do sexo, mas do amor mutuo, carinho e compreensão entre o casal. Nessa idade o casal é mais maduro e não deixa as más influências tomarem conta da vida dos dois.


Setembro/2012

2 - Primeiro Caderno

Sementes A verdade deve ser expressa em folhetos e pequenos livros

V

ocê já se perguntou, alguma vez, o que estaria acontecendo com tanta literatura distribuída, especialmente nas últimas grandes campanhas realizadas pela igreja? Já entregamos milhões de livros e revistas. Será que esses movimentos valem a pena? Compensa todo o investi mento de tempo, energias, recursos e em mobilização? Apenas em 2012 e 2013, deveremos chegar a quase 60 milhões de livros A Grande Esperança, apresentando a mensagem específica para os últimos dias. O que irá acontecer? O convite para esses movimentos vem diretamente da palavra inspirada: “Quando os membros da igreja sentirem a importância da circulação de nossas publicações, dedicarão mais tempo a essa obra. Revistas, folhetos e livros serão colocados nos lares do povo, a fim de que preguem o evangelho em seus variados setores” (Ellen G. White, Manuscrito 113, 1901). O desafio é ainda mais claro e fala de

literatura como A Grande Esperança. Ellen G. White diz que “a verdade deve ser expressa com clareza, em folhetos e pequenos livros, e esses espalhados como folhas de outono” (Testemunhos Para a Igreja, v. 9, p. 231). Gosto de pensar na entrega de literatura como uma semeadura. Sementes espalhadas caem em diferentes tipos de solo, como a parábola contada por Jesus em Mateus 13. Algumas dão resultado rápido e outras demoram mais tempo. O importante, porém, é espalhá-las. Não sabemos exatamente onde elas estão, nem os métodos que o Espírito Santo está usando. Mas, no momento certo, elas vão germinar. “É certo que alguns dos que compram os livros os colocarão na estante ou na mesa da sala de visitas e raramente os olharão. Contudo, Deus tem cuidado de Sua verdade, e virá o tempo em que estes livros

serão procurados e lidos” (Ellen G. White, O Colportor-Evangelista, p. 150). Nosso desafio é lançar essas sementes e permitir que Deus trabalhe através do tempo. Já podemos ver muitos milagres acontecendo em vidas transformadas, mas o melhor ainda está por vir. Maria Luiza Nunes (ou Malu, como é conhecida) é um bonito exemplo disso. Em abril de 2010,

enquanto cursava Enfermagem, ela acordou com o olho muito inchado e teve uma convulsão. Em uma primeira avaliação, no Hospital das Clínicas de São Paulo o médico disse a ela que o problema possivelmente fosse um câncer agressivo, e a encaminhou para exames complementares. Enquanto os resultados dos exames não chegavam, ela ficou perturbada e acabou entrando em depressão. Essa situação afetou diretamente seus estudos, mas uma professora tentou ajudá-la convidando-a para assistir à apresentação de um trabalho de conclusão de curso. Com isso, a professora prometeu dar a ela 8 horas de créditos complementares. No dia da apresentação, a professora ofereceu alguns livros para que ela escolhesse os que lhe interessavam e os levasse para casa. Os outros seriam descartados. No meio desses livros, Malu encontrou O Conselheiro Médico do Lar, impresso pela Casa Publicadora Brasileira

e vendido por um colportor em 1979. (Ela escolheu esse livro por causa de seus problemas de saúde.) Rapidamente, Malu leu toda a obra e, com o desejo de saber mais, visitou o site da CPB para conhecer outros livros da editora. Ela também pesquisou o endereço de uma igreja perto de sua casa. Numa quarta-feira, Malu entrou pela primeira vez em um templo adventista, no Capão Redondo, em São Paulo. Na igreja, ela foi recebida com muito amor e não demorou para começar a fazer estudos bíblicos. Ela recebeu seu diagnóstico definitivo, envolvendo a Síndrome de Grave, e continuou estudando a Bíblia. Após concluir os estudos, ela tomou a decisão pelo batismo. No dia 17 de setembro de 2011, Malu foi batizada pelo pastor Rafael Rossi (foto). Mais de três décadas depois, um livro produziu resultado. O que acontecerá com os milhões de livros que estamos distribuindo? Vamos continuar firmes lançando essas sementes!

ALEJANDRO BULLÓN FALA SOBRE O AMOR DE DEUS EM PETRÓPOLIS

N

os dias 31 de agosto e 1 de setembro, o pastor Alejandro Bullón, autor do livro – Passaporte para a Vida, Conhecer Jesus é Tudo entre outras literaturas, realizou um culto especial na Igreja Adventista Central do distrito de Areal e no Instituto Petropolitano Adventista de Ensino (IPAE), região serrana do Rio de Janeiro. De acordo com o pastor distrital, Moises Thiago Rodrigues Peres, o programa foi positivo. “Foi um momento de reencontro com amigos afastados dos caminhos de Jesus”, afirmou. O programa também contou com a presença do Dr. Rodrigo Silva, professor do Unasp – Centro

Universitário Adventista, campus Engenheiro Coelho – SP. Na ocasião o pastor Alejandro Bullón falou sobre o amor de Deus pela humanidade. A mensagem espiritual falou ao coração do casal Peter Gasper e sua esposa que atualmente estudam a Bíblia com o professor Rodrigo Silva. Gasper é um dos precursores do Lighting Design no Brasil. Entre tantos projetos grandiosos, foi o responsável pela iluminação do show de Frank Sinatra no Maracanã, da missa do Papa no Aterro do Flamengo e do Rock in Rio, entre outras grandes obras. Peter Gasper teve o primeiro contato com a Igreja Adventista quando

foi contratado para cuidar da iluminação da Igreja Adventista do Instituto Adventista Petropolitano de Ensino (IPAE). Seu trabalho original e inovador, combinando luz com arquitetura, encanta e emociona a todos. “Ao entrar em contato diretamente com o templo despertou-me a curiosidade de aprender sobre a Bíblia. Sou uma pessoa curiosa, tenho amor infinito pela literatura, sempre admirei o Dr. Milton Afonso, um grande amigo cristão que me indicou o professor Rodrigo Silva para me ajudar a compreender melhor sobre a palavra de Deus. Eu e a minha esposa, a cada estudo aprendemos mais sobre Jesus. Com certeza a mensagem que aprende-

Sai trailer do DVD A Última Esperança J

á está disponível no canal oficial de vídeos da sede sul-americana adventista trailer de pouco mais de três minutos de duração sobre o DVD A Última Esperança. O material, que será lançado oficialmente a partir de janeiro de 2013, é resultado de uma série de gravações feitas com o pastor Luís Gonçalves, coordenador de evangelismo adventista sul-americano. Trata-se de uma série com estudos sobre as sete

cartas do livro bíblico do Apocalipse com imagens realizadas em cinco países: Estados Unidos, Israel, Itália, Turquia e Grécia. Segundo o pastor Luís Gonçalves, foi emocionante poder gravar imagens em lugares históricos onde historiadores acreditam que Jesus Cristo esteve. Ao mesmo tempo, o DVD possibilita uma contextualização histórica importante que colabora para o entendimento dos ensinamen-

tos bíblicos apresentados. Gonçalves aproveitou a presença nesses lugares para fazer aplicações espirituais que serão enriquecedoras para os que utilizarem esse material. A ideia é que no dia 20 de abril do próximo ano adventistas sul-americanos deem de presente a seus amigos esse DVD, principalmente a quem já recebeu o livro A Grande Esperança. Felipe Lemos

mos também com o pastor Alejandro Bullón nos motivou a ter mais comunhão com o Pai”, destacou. Peter e sua esposa já estudam há

um ano a Bíblia e afirmaram querer aprender muito mais sobre Deus. Dina Karla Miranda Baldivieso


Primeiro Caderno - 3

Setembro/2012

DNA pode ter surgido antes do primeiro ser vivo?

A

ltamente complexo, o DNA é um dos pilares que sustentam a vida como a conhecemos hoje. Apesar disso, acredita-se que os primeiros seres vivos não se desenvolveram a partir do DNA, mas de uma molécula mais simples [mas que também não é “simples”], o RNA, também capaz de armazenar informações genéticas [e se há informação complexa, o que isso sugere?]. Ainda assim, o próprio surgimento do RNA no caótico ambiente da Terra primitiva permanece um mistério para a ciência [na verdade, o tal “mundo RNA” não serve nem como hipótese, já que atualmente a vida não funciona assim; é pura tentativa de admitir que é impossível o DNA ter surgido antes das proteínas das quais depende para existir e que ele mesmo sintetiza]. Em 2009, depois de muitas tentativas (e com base em décadas de pesquisa), cientistas foram capazes de gerar (em parte) RNA usando

elementos químicos que possivelmente existiam nos primórdios da vida em nosso planeta [atente para o tipo de experimento: cientistas inteligentes utilizam inteligentemente elementos químicos que eles inteligentemente supõem terem existido na suposta Terra primitiva; depois, inteligentemente fazem com que esses elementos interajam a fim de obter um resultado inteligentemente já aguardado. Isso é evidência de acaso ou de projeto, design inteligente? Mesmo assim, depois de décadas de pesquisas inteligentes e muitas tentativas inteligentes, o que eles obtiveram? Apenas parte de um RNA]. O químico Matthew Powner, hoje ligado à Universidade College London (Inglaterra), junto com sua equipe, sintetizou dois dos quatro nucleotídeos que formam o RNA, sugerindo que a complexa molécula pode ter se formado espontaneamente na Terra primitiva [até para imitar parte do RNA foram necessários investimentos e muita inteligência,

e querem nos fazer crer que o RNA inteiro (o que dirá o DNA!) possa ter “se formado espontaneamente”?!]. Agora, Powner busca sintetizar DNA usando técnicas similares, o que é um desafio e tanto, já que o DNA é formado por nucleotídeos (moléculas específicas) diferentes e com os quais é mais difícil de se trabalhar [por isso a vida TEM que ter surgido a partir de RNA, entendeu?

Isso torna a “coisa toda” menos milagrosa, pelo menos na compreensão dos darwinistas naturalistas]. Com base na ideia de que a vida se desenvolveu graças ao RNA, acredita-se que, ao longo de alguns bilhões de anos [simples assim...], os organismos primitivos passaram a “usar” DNA, capaz de armazenar mais informações, o que teria permitido o surgimento de seres mais complexos [quanta fé no improvável!]. A ideia parece plausível, mas deixa uma pergunta: Como organismos menos complexos foram capazes de dar esse “salto”? Mesmo criaturas mais complexas precisam de enzimas especiais e uma quantidade considerável de energia para converter RNA em DNA. Para o químico Christopher Switzer, da Universidade da Califórnia em Riverside (EUA), faz mais sentido que nucleotídeos de DNA já estivessem presentes na Terra primitiva e tenham sido incorporados por organismos. O estudo de Powner pode reforçar essa ideia. [Você acha mesmo que

tudo isso faz sentido? Informação complexa sem que tenha havido uma fonte informante? Vida a partir da não vida? Ordem a partir do caos? Enzimas especiais específicas e complexidade surgindo da simplicidade, o que vai totalmente contra as leis da natureza?] Outra hipótese é a de que havia moléculas híbridas, formadas por nucleotídeos de RNA e DNA, que teriam sido absorvidas por organismos primitivos e gradualmente “purificadas”. Seja como for, o início da vida permanece cercado de interrogações… por enquanto. [Isso é que é dar um “cheque científico” pré-datado. Não temos a mínima ideia de como teria surgido a vida com toda a sua complexidade, mas um dia saberemos disso. No entanto, uma coisa é certa e já sabemos disso: ninguém a criou!”] [Os comentários seguem entre colchetes. – Michelson Borges.] Hypescience

❘❙ Ministério da Mulher

A Mulher de Provérbios 31 A madre estéril – nunca se farta (Prov. 30:16). A mulher adúltera: come, e limpa a boca, e diz: Não cometi maldade (Prov. 30:20). A mulher desdenhada quando se casa; a serva quando se torna herdeira da sua senhora – fazem estremecer a Terra (Prov. 30:23). Em Provérbios 30 vemos uma série de frases que, a princípio, parecem desconexas e sem sentido. São muitas coisas que, imaginamos, o autor aprendeu ao longo de sua vida que não deve ter sido nada comum. Trazem algumas constatações interessantes. Mas não deixam de nos intrigar. Porém, o que mais me chama a atenção é a constante referência às mulheres. E eu queria falar bem rapidamente sobre elas, antes de prosseguir: A mulher estéril: algumas mulheres que não conseguem ter filhos, com o tempo, acabam se tornando obcecadas com isso, a ponto de chamarem a menstruação de monstra, visto que ela representa que seu sonho não se realizou. Desentendem-se com os cônjuges, e passam a viver em função de engravidarem, apenas. Isso se torna, em muitos casos, como um deus na vida dessas mulheres, que acreditam que nunca serão verdadeiras mulheres se não forem mães. Mas notem bem os pronomes

que usei: algumas e muitos. A mulher adúltera chega a um ponto em que passa a achar certo o que faz, afinal de contas, não matou, não roubou… Mas e as vidas que prejudicou? Uma mulher que consente em se relacionar com um homem casado ou mesmo solteiro, sendo ela a casada, traz uma série de prejuízos, não só para o homem com quem está ou sua família, mas especialmente para ela. O mais interessante é a linguagem que se usa: come e limpa a boca. É como se a mulher fizesse algo bem corriqueiro, como se, para ela, aquilo nada significasse. E por fim, a mulher desdenhada quando se casa e a serva quando herda os bens de sua senhora: fazem a Terra estremecer. Há algumas coisas piores que uma mulher irada, embora poucas, mas há algo pior que um homem ou mulher arrogante? Que se sente um verdadeiro rei ou verdadeira rainha, mesmo sem ser? E a mulher que ganha sem nada merecer, e, do nada, de pobre se torna milionária? Nem é preciso falar muito, creio que todos conhecemos a altivez de um “novo rico” ou “emergente”… Mas o mais interessante é que, logo depois, no capítulo 31, vem a descrição de uma mulher diferente, uma mulher virtuosa, podemos di-

zer assim. Não se sabe quem escreveu esse capítulo, não se conhece esse rei Lemuel, alguns acreditam que esse foi o nome que a mãe de Salomão deu a ele, mas não se tem certeza se isso é fato. O que me chama a atenção é como foi colocado bem depois de um texto que fala também de mulheres. É mais ou menos como se Deus estivesse querendo dizer: “Vejam, vocês acabaram de ver características que não são apreciadas em uma mulher, mas agora vou lhes mostrar como eu gostaria que a mulher fosse”. E ao lermos os dois capítulos, as comparações são inevitáveis: A mulher de Provérbios 30 nunca se farta, sempre quer mais e mais, a de Provérbios 31 “abre a mão ao aflito; e ainda a estende ao necessitado”. A mulher de Provérbios 30 é adúltera, a de Provérbios 31 é fiel ao marido e louvada por ele. A mulher de Provérbios 30 faz tremer a Terra, a de Provérbios 31 atende ao bom andamento de sua casa. Eu quero muito ser a mulher de Provérbios 31. E você? “Levantam-se seus filhos e lhe chamam ditosa; seu marido a louva, dizendo: Muitas mulheres procedem virtuosamente, mas tu a todas sobrepujas.” – Prov. 30:28 e 29.

Texto enviado por Daniella Cláudia B. A. Virmes. Daniella é médica, mora em Cachoeira – BA e frequenta a IASD do IAENE.

● Diretora Administrativa: Maria Elenice - elenicepm@ig.com.br ● Design e diagramação: Ligia Maria Moreira (ligiammoreira@yahoo.com.br / Tel.: 9664-1612)

Tiragem Mensal: 100.000 exemplares com distribuição em Território Nacional. Rua Sacramento Black - Campo Grande Rio de Janeiro Tel. (21) 3356-5553 E-mail: jornalorion@yahoo.com.br www.jornalorion.com.br DIRETOR PRESIDENTE José M. M. Filho zemariamfilho@yahoo.com.br

● Coordenação Geral e Redação: Gisele S. Ferreira - giselesf@gmail.com ● Reportagem: Peterson Andrews; Elderson Macedo e Jeferson Parnaíba. ● Pesquisador: João Straub - straub84@yahoo.com ● Conselheiros: Hermes Démarche, Paulo Bergman, Graciliano Martins, Marcos Schultz, Jaél Enéas e Elias Jermanowicz ● Colaboradores: Pastores, Educadores e profissionais adventistas e interdenominacionais. ● Jornalista Responsável: JC Salvador/2300TM

As matérias Publicadas neste Jornal são de inteira responsabilidade de seus autores; não correspondem necessariamente a opinião deste Jornal.


Setembro/2012

4 - Primeiro Caderno

Movimento Reformista... Dissidentes?

P

ara ajudar no esclarecimento com relação ao que creio do Movimento de Reforma, vou novamente disponibilizar aqui alguns posts que escrevi há alguns anos sobre o assunto. O que, na minha opinião, é mais gritante no Movimento de Reforma é o que em teologia chamamos de “legalismo”, ou seja, o pensamento de que “fazendo” ou “sendo” algo poderemos alcançar o favor de Deus, e garantir a salvação. O legalista acredita que suas obras “justas” têm peso diante do Senhor. Por isso essas pessoas pensam que

o vestuário, a alimentação, os esportes, os meios de comunicação, etc., devem ser mantidos na mais rígida padronização, caso contrário perderão a salvação. Isso é o maior dos absurdos! E foi alvo de boa parte das cartas que o apóstolo Paulo escreveu (por exemplo, Romanos e Gálatas - livros que deveriam ser nosso objeto de estudo por toda a vida). Não é por deixar de comer carne, ou por usar saias arrastando no chão, ou não frequentar estádios de futebol, ou não assistir TV, ou aparentar uma fisionomia triste e iracunda,

etc., que nós garantimos “pontos” na “conta corrente do céu”. Unicamente a justiça de Cristo é que garante a nossa salvação, pois nós mesmos não podemos oferecer nada para “pagar” o preço dos nossos pecados. “É da prerrogativa do Pai perdoar as nossas transgressões e pecados, porque Cristo tomou sobre Si nossa culpa, aliviando-nos da mesma, nos imputando Sua própria justiça. Seu sacrifício satisfaz plenamente as reivindicações da justiça” – Declaração de Ellen White no Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia,

vol. 6, p. 1.070. Uma vida de legalismo era a que Lutero, por exemplo, tentava viver antes de Deus lhe abrir os olhos. “Aprofundando-se suas convicções de pecado, procurou pelas próprias obras obter perdão e paz. Levava vida austera, esforçando-se por meio de jejuns, vigílias e penitências para subjugar os males de sua natureza, dos quais a vida monástica não o libertava. Não recuava ante sacrifício algum pelo qual pudesse atingir a pureza de coração que o habilitaria a ficar aprovado perante Deus” – O Grande Conflito, p. 120.

“Por uma decretal recente, fora prometida pelo papa certa indulgência a todos os que subissem de joelhos a “escada de Pilatos”, que se diz ter sido descida por nosso Salvador ao sair do tribunal Romano, e miraculosamente transportada de Jerusalém para Roma. Lutero estava certo dia subindo devotamente esses degraus, quando de súbito uma voz semelhante a trovão pareceu dizer-lhe: “O justo viverá pela fé”. Romanos 1:17. Ergueu-se de um salto e saiu apressadamente do lugar, envergonhado e horrorizado. Esse texto nunca perdeu a força sobre sua alma. Desde aquele tempo, viu mais claramente do que nunca dantes a falácia de se confiar nas obras humanas para a salvação, e a necessidade de fé constante nos méritos de Cristo. Tinham-se-lhe aberto os olhos, e nunca mais se deveriam fechar aos enganos do papado.” – Idem, p. 122. O que me parece (e um Blog é o local onde temos a liberdade de colocar nossas opiniões pessoais) é que os Reformistas (pelo menos os que conheço - e não são poucos!) procuram viver esta vida legalista que Lutero almejava. Eles, por exemplo, fizeram do vegetarianismo, do vestuário, da abstinência no lazer, televisão, etc., “pontos de comunhão”, ou seja, requisitos essenciais para alguém se tornar Reformista e assim fazer parte dos “santos remanescentes”. Ao meu ver, o problema está exatamente ai, pois a certeza da salvação é transferida do sacrifício de Cristo (100%) para o “sacrifício” pessoal de cada um. Porém a Bíblia é claríssima em dizer que não temos parte alguma na salvação, e somente através da fé em Jesus é que poderemos nos achegar à presença de Deus, revestidos por Sua completa e eficaz Justiça. “Sendo justificados gratuitamente, por sua graça, mediante a

redenção que há em Cristo Jesus” – Rom. 3:24. Você percebe ai a cegueira do legalista? Ele pensa que está salvo por “fazer” ou “deixar de fazer” coisas, mas esquece que o pecado é intrínseco ao ser humano, e por isso ninguém é JUSTIFICADO através de obras de justiça própria, senão UNICAMENTE através da fé no sangue do Senhor Jesus Cristo. “Mas todos nós somos como o imundo, e todas as nossas justiças, como trapo da imundícia...” - Isaías 64:6. É isso que, pessoalmente, discordo do Movimento de Reforma (seja qual “ramo” for), além de outros grandes equívocos doutrinários (veja ao final da postagem um link com vasto material sobre estes erros). O OUTRO LADO DA MOEDA. Quero, porém, deixar claro que não sou favorável ao RELAXAMENTO dos princípios defendidos pelos Adventistas, desde os seus primórdios históricos. Não sou daqueles que gostam de dizer que “Jesus só quer o coração”, e deixam de lado o cuidado com o vestuário, por exemplo, e outros itens que influenciam em nosso testemunho. Você pode dar uma olhada pelo meu blog, e perceberá que eu sou mais da linha “conservadora” em certos assuntos. Quando Jesus disse àquela mulher adúltera: “Nem Eu tão pouco te condeno; vai...”, Ele estava ao mesmo tempo perdoando a mulher e libertando-a para continuar sua vida. Isto é justificação (é o ato simultâneo de perdoar e promover o pecador arrependido do estado de condenação a “salvo” pela graça de Jesus). Assim, na justificação, a pessoa recebe o poder habilitador para viver uma vida santificada. E onde estava este poder habilitador de viver uma vida santificada para a mulher do relato de João 8?

Estava na PALAVRA de Jesus: “Vai”. Após ter sido perdoada e promovida, a mulher não deveria mais viver pecando, como antes; por isso Jesus disse: “...e não peques mais”. Este “não peques mais” indicava a nova condição em que ela deveria viver. Esta nova condição de vida é biblicamente denominada de santificação. Somos salvos UNICAMENTE através de Jesus para vivermos uma vida de santidade. Porém esta santidade não deve ser usada para “medir” a salvação de ninguém (que é o que os Reformistas costumam fazer, na minha modesta opinião), mas é um alvo que todos os que VERDADEIRAMENTE foram salvos buscarão alcançar. Aliás, um dos espíritos que são expulsos da vida dos salvos é o da “crítica”. Quando somos salvos em Jesus, e temos a certeza do Seu toque divino em nós, o nosso vestuário, a nossa alimentação, as nossas conversas, o nosso trabalho, os lugares que frequentamos, o que fazemos sem que ninguém esteja olhando... tudo... refletirá este PODER transformador em nós. “E, assim, se alguém está em Cristo, é nova criatura; as coisas antigas já passaram; eis que se fizeram novas” - 2Cor. 5:17.

Gilson Medeiros

Novo Tempo faz parceria com a maior agência de notícias do mundo

A

Rede Novo Tempo de Comunicação, com sede em Jacareí, SP, fechou neste mês de agosto uma importante parceria que valerá pelos próximos dois anos. A partir de agora, a Novo Tempo passa a ter acesso ao banco de informações e imagens da Thomson Reuters, a maior agência internacional de notícias e multimídia do mundo, com mais de 160 anos de história. A Reuters oferecerá conteúdo de áudio e vídeo Internacional para os programas jornalísticos produzidos pela Novo Tempo, tanto para o Rádio, quanto para a TV e também para a Internet. Embora a Thomson Reuters seja um conglomerado de origem anglo-canadense, mantém atualmente a sua sede central em Nova Iorque,

nos Estados Unidos, de onde dirige um quadro de 50 mil funcionários, incluindo a base localizada na zona sul da capital paulista, Brasil. “A parceria com a Reuters nos coloca em posição privilegiada em relação às demais redes de comunicação do Brasil e da América do Sul, já que a partir de agora teremos acesso garantido e rápido aos registros dos principais fatos que acontecem no mundo” afirma o gerente de Jornalismo da Rede Novo Tempo, Lisandro Staut. “O alto investimento que a Rede Novo Tempo fará nessa área nos próximos dois anos, coincide com o nosso propósito de fazer um jornalismo sério, dinâmico e além da notícia” completa o jornalista. A Rede Novo Tempo de Comu-

nicação mantém atualmente um núcleo com mais de 30 profissionais dedicados exclusivamente ao jornalismo. A equipe fica distribuída entre Jacareí e as geradoras de TV em Pindamonhangaba-SP e Cachoeira do Sul-RS. Além da equipe própria, o Jornalismo Novo Tempo conta com uma rede de colaboradores espalhados por toda a América do Sul e diversos países do mundo. O Núcleo de Jornalismo produz ao todo 7 programas de TV incluindo português e espanhol e 6 de rádio, também nas duas línguas, além de programas especiais realizados em parceria com a TV Novo Tempo. ASN

bíblicas é um atrevimento cego que pode custar muito caro, pois estamos tratando da vida ou morte eterna.

Pr. Luís Gonçalves:

“a Bíblia não se refere ao calendário maia”

Entrevista com o orador do programa Contagem Regressiva, iniciativa pioneira de programa bíblico totalmente pela Internet Quando o assunto é evangelismo e profecia, o pastor Luís Gonçalves é um verdadeiro especialista. Apaixonado pelos dois temas, ele respira ações evangelísticas há mais de 20 anos. Gonçalves aceitou o desafio de falar, pela primeira vez, em um programa pela web com uma linguagem diferente voltado especialmente a jovens em setembro. O O orador oficial do Contagem Regressiva (que será transmitido pelos sites www. esperanca.com.br e www.esperanzaweb.com), da Igreja Adventista do Sétimo Dia, é autor da apostila “Tudo que você sempre quis saber sobre o Apocalipse” e das séries de estudos proféticos em VHS e DVD “Apocalipse, a resposta”, “O Grande

Conflito” e “Os Dez Mandamentos”. Formado nos cursos, Estudos em Teologia e Estudos em Religião pelo Centro Universitário Adventista de São Paulo, (UNASP), organizou conferências proféticas em todo o Brasil e vários outros países. Hoje coordena a área de evangelismo da sede sul-americana adventista e é apresentador do programa Arena do Futuro, da TV Novo Tempo. A seguir, bate-papo rápido com ele, exclusivo para a ASN (Agência Adventista Sul-Americana de Notícias) sobre profecias, uma prévia do que será o Contagem Regressiva de 20 a 23 de setembro em português e de 27 a 30 de setembro em espanhol. ASN - Na sua opinião, por que tanta gente tem medo do assunto fim do mundo ou profecias bíblicas? Pr. Luís Gonçalves - A sociedade criou uma imagem errada acerca do

É verdade que os livros do Apocalipse e Daniel, por exemplo, podem ser entendidos com um estudo feito na própria Bíblia usando outros trechos? Dê um exemplo. Pr. Luís - Sim, a Bíblia explica a si mesma! Essa é uma regra conhecida e aceita pelos teólogos. Existe na própria bíblia uma tabelinha de conversão profética que é a chave para entender as principais profecias de Daniel e Apocalipse. Vamos a alguns exemplos: Água = povos. Apocalipse 17:15. Mulher = Igreja. Efésios 5:23 e 32. Animal = Rei ou Reino. Daniel 7:17 e 23. Cauda = Falsidade, falso profeta. Isaías 9:15

Apocalipse. Para muitos, esse nome está ligado somente às tragédias e a pessoas fanáticas que praticam suicídio coletivo. A falta de conhecimento é que leva as pessoas a ter essa postura. Como dizia um professor da faculdade “a ignorância é atrevida!”. Ou seja, não estudar as profecias

ASN - Existe algum fundo de verdade nessa profecia maia que possa ser harmonizado com a Bíblia? Qual sua opinião? Pr. Luís - Veja, a Palavra de Deus afirma que Jesus breve voltará a este mundo. Para isso, veja, por exemplo, Lucas 21:25 a 28. Esse evento glorioso é chamado na Bíblia, também, de fim do mundo, conforme Mateus 24:14. Quando a Bíblia fala em fim, está se referindo ao fim deste mundo

mal e o inicio de um novo céu e uma nova terra que serão implantados a partir da volta de Jesus. Em nenhum momento ou lugar a Bíblia, referese ao calendário Maia, nem a uma data para o fim ou para a volta de Jesus. Pelo contrário, em Mateus 24:36 está escrito que o dia e a hora da volta de Jesus e do fim ninguém sabe, somente Deus tem tal conhecimento. Existem três importantes acontecimentos na vida, que Deus não revelou o dia ao homem: (1) O dia da morte (2) O dia do fechamento da porta da graça (3) O dia da volta de Jesus. Por isso devemos estar preparados todos os dias! ASN- Qual sua profecia preferida? E por quê? Pr. Luís - Minha profecia preferida é aquela que está em Apocalipse 21:4, onde diz que Deus enxugará dos olhos toda lágrima, e a morte já não existirá, já não haverá luto, nem pranto, nem dor, porque as primeiras coisas passaram. Porque essa profecia está relacionada com a volta de Jesus (João 14:1-3) e com a promessa de um Novo Céu e uma Nova Terra (Apocalipse 21). Felipe Lemos


Primeiro Caderno - 5

Setembro/2012

❘❙ Mundo Gospel

Entidade lança campanha de 48 horas de oração pela liberdade de religião

O

Centro Americano de Lei e Justiça (ACLJ, na sigla em inglês) está incentivando os cristãos a se engajarem em uma campanha de oração nos dias 22 e 23 de setembro em favor da libertação do pastor Youcef Nadhakani e outros cristãos presos no Irã por causa da fé cristã. A campanha, intitulada “48 Horas pela Liberdade de Religião” envolve a execução de atividades na igreja, como compartilhamento da história do pastor Youcef e de outros presos por motivos religiosos, orações, escrever cartas de encorajamento ao líder religioso preso no

Irã, vigílias, protestos pacíficos, entre outras atividades. O ACLJ chama “todas as pessoas de boa vontade interessados em defender a liberdade de expressão e de consciência” para participar da campanha. O objetivo é aumentar a consciência internacional sobre a discriminação e perseguição religiosa. Segundo a publicação Charisma News, a situação de Nadharkani é comum em muitos países. A estimativa é que 159,9 mil cristãos são martirizados a cada ano por causa de sua fé. Segundo Tiffany Barrans, diretora jurídica internacional da ACLJ e co-

ordenadora da campanha, “devemos nos posicionar contra a discriminação e a perseguição onde quer que ocorram”. Segundo ela, este pode ser o primeiro passo para a liberdade de religião e de consciência e contra a perseguição religiosa em todo o mundo. A campanha inclui vídeos informativos, folhetos de oração, atividades sugeridas e outros recursos. ENTENDA O CASO Nascido em família muçulmana, Youcef Nadarkhani converteu-se ao cristianismo aos 19 anos. Cerca de três anos depois passou a praticar evangelismo na cidade de Rasht, noroeste de Teerã, onde chegou a liderar um grupo de cerca de 400 cristãos no Irã. Inicialmente foi condenado à forca sob a sentença de apostasia. Mas após pressão internacional sobre o sistema judicial iraniano o veredicto foi adiado, e o caso foi transferido para o aiatolá Ali Khamenei, autoridade suprema da nação, para revisão. Seu tempo de prisão soma mais de 1000 dias. A ACLJ acredita que a execução pode ocorrer a qualquer momento, e incentiva as ações em favor da libertação do líder religioso. Jussara Teixeira

Cristãos demitidos por discriminação religiosa apelam ao Tribunal Europeu de Direitos Humanos

A

s questões envolvendo fé e religião no ambiente secular tem recebido holofotes devido às disputas judiciais que corriqueiramente ocorrem, envolvendo reclamações ligadas à laicidade do estado ou à liberdade religiosa. Na Europa, quatro cidadãos britânicos entraram com uma ação conjunta no Tribunal Europeu de Direitos Humanos, sob a alegação de que foram demitidos de seus empregos por descriminação contra suas crenças religiosas. De acordo com a BBC, entre os autores da ação está uma ex-funcio-

nária de uma empresa de aviação, que foi obrigada a deixar de usar um crucifixo durante o expediente, e um terapeuta, que se recusou a atender um casal homossexual. Durante o julgamento da ação, o Tribunal Europeu de Direitos Humanos decidirá se é ilegal ou não proibir funcionários de usarem símbolos religiosos durante o trabalho e se é correto que um especialista se recuse a atender homossexuais por orientação de sua religião. Tiago Chagas

Pastora evangélica diz ter desviado furacão com orações para não prejudicar convenção eleitoral

A

40ª Convenção do Partido Republicano, que aconteceu nessa terça-feira (28), quase foi cancelada por causa de um furacão que ameaçava se aproximar da cidade de Tampa, na Flórida, onde a reunião foi realizada. Porém, uma pastora evangélica afirma ter afastado o furacão com suas orações, para não prejudicar a convenção, que confirmou a indicação de Mitt Romney, 65, ex-governador de Massachusetts, como seu candidato à eleição presidencial dos EUA. O Centro Nacional de Furacões relatou que Isaac, como o fenômeno natural foi batizado, teria ventos superiores a 150 km por hora na terça-fei-

ra. A situação levou os Estados de Louisiana, Alabama, Mississipi e Flórida a pedirem a evacuação de milhares de moradores, e a decretarem estado de emergência. A pastora Jesten Peters, líder do ministério de intercessão Keys of Authority (Chaves de Autoridade), afirma que Deus ouviu as orações de seu grupo e mudou a trajetória do furacão quando ele se aproximava do Golfo do México, passando longe de Tampa. Os fiéis da igreja da Peters estariam clamando para que a convenção não fosse prejudicada. - Nós tivemos muitas e muitas pessoas orando para que a mão de Deus se movesse… veja o que está acon-

tecendo, ele [o furacão] realmente saiu do caminho e nós agradecemos a Deus por fazer isso por nós – afirmou Peters em uma entrevista ao canal CBN. A pastora afirmou ainda estar liderando o grupo “Pray Tampa Bay”, que teria por objetivo interceder pelas convenções partidárias. Segundo o The Christian Post, muitos cristãos estavam usando as redes socais para fazerem uma corrente de oração “contra” Isaac, temendo que a calamidade que ocorreu com o Katrina, que destruiu Nova Orleans alguns anos atrás, se repetisse. Dan Martins

Morre reverendo Moon, fundador da Igreja da unificação

O

líder da seita Igreja da Unificação, Sun Myung Moon, conhecido como reverendo Moon, faleceu neste domingo (2) aos 92 anos em Seul, capital coreana. Moon estava internado para o tratamento de uma pneumonia em um hospital pertencente à seita que fundada por ele. Moon era conhecido por se auto intitular o “messias” e declarar por diversas vezes ter sido convocado pelo próprio Jesus Cristo para completar o trabalho evangelizador que Deus lhe tinha encomendado e que não pode finalizar ao ser crucificado. A seita igreja da Unificação possui milhares de seguidores em todo o mundo, segundo números divulgados pela própria religião. Entre seus seguidores, Moon chamado de “pai autêntico”, e eles compartilham a crença de que ele agia sob o comando divino e sob os preceitos da Bíblia. Entre outras doutrinas, a seita defendia a chegada de um segundo messias, a comunicação entre os mortos e a predestinação divina, o que significava que todo indivíduo que professasse a fé teria sido escolhido por Deus. Além disso, defendia que a Coréia seria uma “terra sagrada”. A seita era considerada perigosa

por críticos e analistas, que a acusavam de realizar lavagem cerebral e destruir famílias, além de se aproveitar de doações dos fiéis. Além de ser o líder espiritual da seita, Moon presidia um conglomerado empresarial que atuava em diferentes setores como comunicações, automobilística, armas e saúde, além de ser proprietário de times de futebol, como o Seongnam Ilhwa Chunma, um dos principais do futebol coreano. Uma das polêmicas provocadas pela seita foram os curiosos casamentos coletivos. Em cada ocasião, milhares de casais se uniam, muitas vezes sem conhecer o parceiro. Em uma de suas declarações, ele afirmou que “Deus vive em mim e sou a encarnação dele. O mundo todo está nas minhas mãos e vou conquistá-lo e subjugar o mundo”.

PRISÃO Nos EUA ele foi fundador e proprietário do jornal Washington Times. Naquele país, chegou a passar 11 meses preso, condenado por evasão de impostos. No Brasil, a Igreja da Unificação chegou a tentar fincar raízes no Mato Grosso do Sul. No estado, comprou extensas porções de terra e causou estranhamento quando milhares de japoneses e coreanos “inundaram” a região, próximo a cidade de Jardim, lugarejo de 24 mil habitantes. A intenção era transformar a cidade em uma “Nova Coreia” segundo a Veja. Ainda hoje funciona no local uma escola para alunos do ensino infantil ao ensino médio subsidiada por recursos enviados da Coréia. Com a morte do líder e fundador da Igreja da Unificação, o filho mais novo Hyung Jin Moon, nomeado líder da seita em 2008, continuará à frente do movimento. O conglomerado empresarial já é presídio por seu quarto filho, Kook Jin Moon. Gospel+


Setembro/2012

6 - Primeiro Caderno

Missionários cristãos fazem “chover Bíblias” novamente sobre a Coréia do Norte U

m grupo de missionários cristãos se novamente na Coréia do Sul para lançar balões de gás com Novos Testamentos, folhetos com versículos bíblicos e outras mensagens cristãs para a Coreia do Norte. Foram preparados para o lançamento 30 balões, todos carregados com o material para divulgação da fé cristã aos habitantes da Coréia do Norte, país mundialmente conhecido por sua política de perseguição a grupos religiosos não controlados pelo estado. - O evangelho é a boa notícia que irá salvar os galhos secos na Coreia do Norte, como uma chuva de boas-vindas – exclamou um dos missionários durante uma oração feita antes do lançamento. O trabalho de lançamento dos ba-

lões foi feito pela Seoul EUA, uma ONG coreano-americana que lança material evangélico desta maneira de 70 a 80 vezes por ano. O trabalho, que aconteceu no dia 19 de julho, foi acompanhado de perto por soldados sul-coreanos, que visitaram o local de lançamento, como de costume, mas em menor número do que no ano passado. De acordo com o Charisma News, devido a um problema no combustível dos balões, apenas 10 dos 30 balões preparados alçaram voo, apesar do clima favorável para o lançamento. Mas apesar do imprevisto, a equipe orou antes do lançamento agradecendo por terem sido enviadas 1.000 Bíblias e 90.000 folhetos ao país vizinho. - Estes homens e mulheres mostram uma paixão pelo lançamento

de balões, pois sabem que a Palavra de Deus é enviada nesses balões por suas mãos – escreveu um membro da Missão A Voz dos Mártires, que afirmou ainda: – Embora eles não possam entrar na Coreia do Norte, estes panfletos podem. Para garantir a eficácia do trabalho, a ONG está utilizando dispositivos de rastreamento GPS acoplados aos balões. Esses aparelhos já confirmaram a localização precisa de vários de seus lançamentos este ano e as imagens fotográficas podem ser acompanhadas em seu site. - Há muitos anos sabemos que os lançamentos de nossos balões têm atingido as áreas que planejamos por causa da resposta irada do governo norte-coreano, mas os dispositivos de GPS nos fornecem dados precisos que

nos ajudarão a aumentar ainda mais a precisão dos lançamentos futuros – explica o Presidente da ONG, o pastor Eric Foley. Estima-se que o regime nortecoreano ainda tenha mais de 70.000 cristãos aprisionados em campos de concentração. No país, uma pessoa

pode ir para a prisão por toda a vida apenas pelo “crime” de possuir uma Bíblia. Mais de 7.900 cópias do novo testamento já foram enviadas à Coreia do Norte em 2012. Dan Martins

❘❙ Santuário

Nosso Sumo Sacerdote no Santo dos Santos O assunto do santuário foi a chave que desvendou o mistério do desapontamento de 1844. Revelou um conjunto completo de verdades, ligadas harmoniosamente entre si e mostrando que a mão de Deus dirigira o grande movimento do advento e apontara novos deveres ao trazer a lume a posição e obra de Seu povo. Como os discípulos de Jesus, depois da terrível noite de sua angústia e desapontamento, “alegraram-se muito ao verem o Senhor”, assim se regozijaram então os que pela fé haviam aguardado o segundo advento. Esperavam que Ele aparecesse em glória, para dar a recompensa a Seus servos. Vendo frustradas suas esperanças, perderam de vista a Jesus e, como Maria, junto ao sepulcro, exclamaram: “Levaram o meu Senhor, e não sei onde O puseram.” Então, no lugar santíssimo, contemplaram de novo seu compassivo Sumo Sacerdote, prestes a aparecer como Rei e Libertador. A luz proveniente do santuário iluminou o passado, o presente e o futuro. Souberam que Deus os havia guiado por Sua providência infalível. Se bem

que, como aconteceu aos primeiros discípulos, não compreendessem a mensagem por eles mesmos comunicada, era esta, no entanto, correta em todos os sentidos. Proclamandoa, tinham cumprido o propósito de Deus, e seu trabalho não havia sido em vão no Senhor. Foram de novo gerados “para uma viva esperança”, regozijavam-se “com gozo inefável e glorioso.” I Ped. 1:3 e 8. Tanto a profecia de Daniel 8:14 - “Até duas mil e trezentas tardes e manhãs; e o santuário será purificado” - como a mensagem do primeiro anjo - “Temei a Deus e dai-Lhe glória; porque vinda é a hora do Seu juízo” - indicavam o ministério de Cristo no lugar santíssimo, o juízo investigativo, e não a vinda de Cristo para resgatar o Seu povo e destruir os ímpios. O engano fora, não na contagem dos períodos proféticos, mas no acontecimento a ocorrer no fim dos 2.300 dias. Por este erro, os crentes sofreram desapontamento; entretanto, cumprira-se tudo que estava predito pela profecia e que podiam eles com autoridade bíblica esperar. Ao mesmo tempo em que lamentavam a ruína

SENHOR DAS NAÇÕES NAÇÕES Ezequiel 24-26

S

e você acha que Deus paparica alguém, faça a leitura de hoje. O que Deus faz pelas nações do planeta Terra? Você acha, que como Senhor de todas as nações, por acaso, no tempo do Êxodo, o Criador manifestou algum favoritismo quando fez de Israel o primogênito dEle? O que Deus tem feito por toda a família humana? Por que as nações são consideradas responsáveis por suas ações? Deus tem um amor que abrange tudo. O único detalhe a mais sobre Deus em relação à antiga nação de Israel era que Ele tinha a intenção de trazer liberdade verdadeira para o mundo por meio do antigo povo de Israel. Do mesmo jeito que Deus tinha essa intenção no passado, Ele também deseja fazer da mesma forma hoje, sabia? É, só que é com a igreja, com os cristãos. Para a nossa época, a intenção de Deus é difundir a liberdade do evangelho por meio da igreja dEle. Naquela época, a cidade de Jerusalém tinha uma localização geográfica que estava nas intenções de Deus. Veja Ezequiel 5:5: “Assim diz o Soberano, o Senhor: Esta é Jerusalém, que pus no meio dos povos, com nações ao seu redor.” Jerusalém ficava numa região que servia de ponte para três continentes: África, Ásia e Europa. Ela deveria instruir as nações, com a verdade sobre Deus, e atraí-las para o Templo dEle. O Senhor queria que fosse uma casa de oração para todos os povos (Isaías 56:7). Quando viesse o Messias, o povo de Deus deveria apresentá-Lo para

o mundo. Isaías 49:6 diz que Israel deveria ser uma luz para todos os povos com a finalidade de levar a salvação de Deus para o mundo inteiro. Cristo não seria o Salvador só de Israel, mas o Salvador do mundo (João 4:42). Deus ama a todos. Podemos chamá-Lo de “O Senhor das Nações”. Ele é motivado por um amor tão divino, que abrange os habitantes do mundo inteiro. Então, tenha certeza de uma coisa: Ele não faz acepção de pessoas e tem prazer em dar a salvação para todo aquele que for atraído para Sua luz. Como esse Deus das Escrituras é o Senhor das Nações, é por meio da igreja dEle que Ele quer comunicar para todos os povos o conhecimento da Sua graça que pode salvar. Como dominador dos Céus e da Terra, Deus considera as nações responsáveis por todas as atitudes que eles tomarem para com o Seu povo. Na ótica do Pai, todas as nações têm a responsabilidade de governar com justiça para o bem de todos os cidadãos. Deus não trata as pessoas com parcialidade (Atos 10:34).

Pr. Valdeci Jr

de suas esperanças, transcorrera o acontecimento que fora predito pela mensagem, e que deveria cumprir-se antes que o Senhor aparecesse para recompensar a Seus servos. Cristo aparecera, não à Terra, como esperavam, mas, conforme fora prefigurado tipicamente, ao lugar santíssimo do templo de Deus, no Céu. É Ele representado, pelo profeta Daniel, como estando a vir, nesse tempo, ao Ancião de Dias: “Eu estava olhando nas minhas visões da noite, e eis que vinha nas nuvens do céu um como o Filho do homem: e dirigiu-Se” não à Terra, mas - “ao Ancião de Dias, e O fizeram chegar até Ele.” Dan. 7:13. Esta vinda é também predita pelo profeta Malaquias: “De repente virá ao Seu templo o Senhor, a quem vós buscais, o Anjo do concerto, a quem vós desejais; eis que vem, diz o Senhor dos exércitos.” Mal. 3:1. A vinda do Senhor a Seu templo foi súbita, inesperada, para Seu povo. Não O buscaram ali. Esperavam que viesse à Terra, “como labareda de fogo, tomando vingança dos que não conhe-

cem a Deus e dos que não obedecem ao evangelho”. II Tess. 1:8. O povo, porém, ainda não estava preparado para encontrar-se com o Senhor. Havia ainda uma obra de preparo a ser por eles cumprida. Serlhes-ia proporcionada luz, dirigindolhes a mente ao templo de Deus, no C��u; e, ao seguirem eles, pela fé, ao Sumo Sacerdote em Seu ministério ali, novos deveres seriam revelados. Outra mensagem de advertência e instrução deveria dar-se à igreja. ... Diz o profeta: “Quem suportará o dia da Sua vinda? E quem subsistirá quando Ele aparecer? Porque Ele será como o fogo dos ourives e como o sabão dos lavandeiros. E assentar-Se-á, afinando e purificando a prata; e purificará os filhos de Levi, e os afinará como ouro e como prata: então ao Senhor trarão ofertas em justiça.” Mal. 3:2 e 3. Os que estiverem vivendo sobre a Terra quando a intercessão de Cristo cessar no santuário celestial, deverão, sem mediador, estar em pé na presença do Deus santo. Suas vestes devem estar imaculadas, o caráter

liberto de pecado, pelo sangue da aspersão. Mediante a graça de Deus e seu próprio esforço diligente, devem eles ser vencedores na batalha contra o mal. Enquanto o juízo investigativo prosseguir no Céu, enquanto os pecados dos crentes arrependidos estão sendo removidos do santuário, deve haver uma obra especial de purificação, ou de afastamento de pecado, entre o povo de Deus na Terra. Esta obra é mais claramente apresentada nas mensagens do capítulo 14 de Apocalipse. ... Quando ela se houver realizado, os seguidores de Cristo estarão prontos para o Seu aparecimento. “E a oferta de Judá e de Jerusalém será suave ao Senhor, como nos dias antigos, e como nos primeiros anos.” Mal. 3:4. Então a igreja que nosso Senhor deve receber para Si, à Sua vinda, será “igreja gloriosa, sem mácula, nem ruga, nem coisa semelhante”. Efés. 5:27. Então ela aparecerá “como a alva do dia, formosa como a Lua, brilhante como o Sol, formidável como um exército com bandeiras”. Cant. 6:10. Além da vinda do Senhor a Seu templo, Malaquias também prediz o segundo advento, Sua vinda para a execução do juízo, nestas palavras: “E chegar-Me-ei a vós para juízo, serei uma testemunha veloz contra os feiticeiros e contra os adúlteros, e contra os que juram falsamente, e contra os que defraudam o jornaleiro, e pervertem o direito da viúva, e do órfão, e do estrangeiro, e não Me temem, diz o Senhor dos exércitos.” Mal. 3:5. À mesma cena se refere Judas quando diz: “Eis que é vindo o Senhor com milhares de Seus santos; para fazer juízo contra todos, e condenar dentre eles todos os ímpios por todas as suas obras de impiedade.” Jud. 14 e 15. Esta vinda, e a vinda do Senhor a Seu templo, são acontecimentos distintos e separados. Ellen White

Hackers atacam o banco de dados do Patrimônio White e vendem materiais on-line O

site contendo todos os escritos de Ellen G. White, uma das fundadoras da Igreja Adventista, foi hackeado e alguns dos seus documentos protegidos por direitos autorais foram oferecidos à venda on-line , disseram funcionários da igreja. Dirigentes do White Estate [Depositários do Patrimônio Literário da Sra. White] disseram que há algum tempo se tinha a confirmação de que um grupo de hackers havia roubado o material de um banco de dados protegido, contendo cartas e manuscritos de Ellen White. Os hackers também roubaram uma lista de endereços, que utilizaram para oferecer à venda os materiais roubados. Em resposta a este episódio, o White Estate entrou com uma ação contra um grupo que foi identificado como distribuidor do material roubado. White, que morreu em 1915, publicou mais de 35 livros e cerca de cinco mil artigos. Ela também deixou ao redor de 8.300 cartas e manuscritos, muitos dos quais têm aparecido desde sua morte em coleções especiais.

Quase 25 por cento dessa coletânea teve publicação entre 1981 e 1993 numa série de 21 volumes intitulada “Manuscript Releases” (“Publicações de manuscritos”). Há já algum tempo todas as cartas e manuscritos da Sra. White podem ser vistos, fotocopiados e utilizados em pesquisas segundo propiciados nos centros de pesquisa do White Estate e seus escritórios em várias partes do mundo. A coletânea também está sendo planejada para ser publicada. O primeiro volume já está no prelo. Os adventistas do sétimo dia creem que Ellen White manifestou o dom de profecia durante seus setenta anos de ministério. O patrimônio para proteger os seus escritos foi criado em 1933. White é uma das escritoras mais traduzidas. Entre seus títulos mais conhecidos se incluem “O Grande Conflito”, “O Desejado de Todas as Nações” e “Caminho a Cristo”. Há mais de uma década todos os materiais publicados podem ser consultados gratuitamente no site do White Estate.

Ellen White, uma das fundadoras da Igreja Adventista, em fotografia de cerca de 1864. [foto de cortesia do White Estate]

Seus livros estão disponíveis online em mais de 50 idiomas. ANN staff


Primeiro Caderno - 7

Setembro/2012

Líderes de jovens da América do Sul planejam atividades para 2013 C

erca de 900 mil dos 2 milhões de membros da Igreja Adventista na América do Sul tem entre 17 e 30 anos. Foi pensando nesse grupo que 93 líderes de jovens da América do Sul, o líder mundial de Jovens Gilbert Cangy e o diretor assistente de desbravadores mundial Jonatan Tejel participaram do segundo Concílio do departamento para planejar estratégias e lançar materiais que contribuam para o trabalho com essa juventude. O encontro foi realizado de 19 a 23 de agosto em Olímpia, no interior de São Paulo. Segundo o vice-presidente da Igreja Adventista para a América do Sul, Almir Marroni, o objetivo é unir o departamento jovem ao propósito da Igreja Adventista para 2013 que é o evangelismo em grandes cidades. “É fundamental a participação desses jovens nos programas organizados da Igreja e é isso que se precisa, alguém que não pise no freio, mas no acelerador”, enfatiza. Para isso, durante o evento, foram lançados vários materiais como o Manual de Jovens e o livro Acerte o Alvo para a formação, capacitação e trazer novas ideias para os líderes de jovens. Também foi lançado o Manual

de Especialidades de desbravadores com 473 especialidades e 115 novas especialidades e os novos cartões de classes progressivas. O cartão de líder agora pode ser cumprido em duas áreas: a linha teórica em que se produz uma espécie de TCC para cumprir o requisito ou na linha prática. “Agora para ser líder de desbravadores ou aventureiros é preciso tem 18 anos completos, para ter maioridade penal e poder ser responsável por menores de idade”, noticia Areli Barbosa, líder de jovens para a América do Sul. No evento, os líderes também visitaram Barretos, cidades vizinha para ver o local em que será realizado o Campori de Desbravadores da América do Sul em janeiro de 2014. Durante o concílio, o pastor Evaldino Ramos líder de jovens na sede da Igreja Adventista em Tocantins, teve uma surpresa. Como lançamento do batismo da primavera, evento realizado no final do mês de setembro, o filho do pastor Ramos veio com o uniforme dos desbravadores para ser batizado pelo pai. A esposa e filha de Ramos também acompanharam o batismo com o uniforme do Clube de Aventureiros. Trabalhos Sociais - Pastor Mar-

roni ainda lembra que atualmente existem muitas facilidades para os jovens se envolverem no trabalho na Igreja como o Serviço Voluntário Adventista, o Missão Calebe e os Desbravadores. “Sabemos que hoje o jovem quer carregar uma bandeira. Se ele não tiver uma bandeira boa para carregar ele procura alguma ruim”, explica Areli Barbosa. Para ele, o crescimento da adesão dos jovens em trabalhos sociais explica isso. “Estamos com mais de 66 mil jovens dedicando as férias no projeto “Missão Calebe”. Isso mostra que os jovens estão dispostos a trabalhar e

nós, como líderes, só temos que dar a oportunidade para eles”, analisa. Segundo Areli, em Brotas, no interior de São Paulo, duas jovens na Missão Calebe voltaram para a casa de uma senhora para se despedir ao final do trabalho. A velhinha já esperava a menina com três presentes, porque disse que tinham três meninas que visitaram a casa dela, mesmo que a Missão Calebe seja apenas um trabalho em duplas. São milagres. A senhora tinha certeza que tinham três meninas na casa dela. Com certeza a vida dessas jovens depois dessa experiência ficou marcada”, relata.

Conselho no aeroporto Mãos ocupadas em servir não apontam defeitos alheios

E

ra o mês de março de 1969. Recém-casado e com apenas um ano de trabalho na Missão Baixo-Amazonas, eu estava no aeroporto de Belém, aguardando o momento de embarcar para a cidade de Macapá. Enquanto minha esposa caminhava de um lado para outro, meu pai – sábio conselheiro – me disse algumas palavras de incentivo e arrematou: “Filho, trabalhe incansavelmente e jamais critique a obra.” Levei tão a sério o conselho paterno que, ao chegar ao novo distrito, comprei um caderno e escrevi na capa: “O Linguarudo”. Certo dia, em tom de brincadeira, mostrei o caderno aos membros da igreja e disse: “Antes de criticar alguém ou a igreja, devemos escrever a crítica neste caderno.” Todos riram e o caderno ficou em branco. (Coisas de obreiro inexperiente.) Faz vinte e cinco anos que meu pai faleceu, mas seu conselho – que não incluía aquele caderno – continua vivo na minha memória. Sempre tive ciúme da “obra”, e toda vez que alguém se levanta contra a igreja, relembro a seguinte afirmação de Ellen G. White: “Fraca e defeituosa como possa parecer, a igreja é o único objeto sobre que Deus concede em sentido

especial Sua suprema atenção” (Atos dos Apóstolos, p. 12). Mas devo confessar que, apesar de ter ciúme da igreja, fico intrigado comigo mesmo quando faço algum comentário sobre a vida de um líder, mesmo que ele esteja errado. Meu dever é falar prudentemente com ele, em particular. Ellen G. White deixou muitos conselhos oportunos, dos quais selecionei os seguintes: “A igreja precisa, não de fardos, mas de fervorosos obreiros; não de críticos, mas de construtores de Sião” (Testemunhos Para a Igreja, v. 4, p. 194). “Muitos há que encontram prazer especial em falar demoradamente dos defeitos, reais ou imaginários, dos que carregam pesadas responsabilidades, em relação com as instituições da causa de Deus. [...] Esses incontroláveis faladores se apegam ferrenhamente aos aspectos mais desagradáveis da obra, assim como os líquens se agarram às asperezas da rocha. Essas pessoas atrofiam-se espiritualmente por se demorarem continuamente sobre os fracassos e faltas dos outros” (p. 196). “Devemos dirigir as armas de nossa peleja contra nossos adversários, mas nunca contra aqueles que estão sob as ordens de marcha do Rei dos

Entrevista com o produtor da webserie do livro O Grande Conflito

H

á pouco mais de um mês, foi apresentado e disponibilizado na internet, o episódio piloto da primeira webserie adventista, que é baseada nos escritos de Ellen G. White. A versão legendada do episódio, que já possui mais de 3 mil visualizações, têm gerado grande expectativa principalmente em relação a jovens, público que costuma acompanhar séries. Garett Caldwell, diretor mundial de Relações Públicas da Igreja Adventista e um dos produtores do material revelou alguns detalhes da produção, que continua em andamento. Como surgiu a iniciativa de criar uma webserie para a Igreja Adventista? E por que usar os escritos de Ellen White? A ideia de criar uma websérie surgiu em resposta ao projeto “A Grande Esperança”. Queríamos criar algo que pudesse ser relevante para as pessoas que nunca ouviram falar do livro ou da autora, mas que lhes interessasse o suficiente para querer saber mais. Em que local essa produção está sendo produzida? Como ocorreu a parceria com os estúdios e atores? A produção está sendo filmada em Portland, Oregon. A Conferência Geral tem parceria com a Big Puddle Films no projeto. O cenário para o episódio piloto é, na verdade, um hotel histórico no centro de Portland, embora outros episódios serão em diferentes cenários. E a ideia do roteiro, como surgiu? Os três criadores se reuniram e vieram com a ideia. Jason Satterlund, Rajeev Sigamoney e eu.

Quantos episódios serão produzidos? Onze episódios. Esperamos finalizar a produção em junho de 2013. Eles serão lançados via web e também estarão disponíveis em um pacote de DVD e Blu-ray. O episódio piloto tem gerado um ótimo retorno, principalmente depois que foi postada uma versão legendada na rede. O que você acha disto? Estamos muito animados para ver este interesse na versão legendada em português. Vimos recentemente uma versão dublada também. Esperamos continuar isso com todos os episódios. É possível dizer como a organização têm investido financeiramente neste projeto? Os recursos virão de doações privadas e de alguns fundos do projeto. Nós ainda estamos levantando dinheiro para completar a produção. O custo para o episódio piloto foi de 50 mil dólares. Willian Vieira

reis e que estão travando as batalhas do Senhor dos senhores” (Mensagens Escolhidas, v. 3, p. 344). “Deus não constituiu dever de nenhum homem, de mulher alguma, criticar Seus coobreiros” (Evangelismo, p. 634). Muitas vezes, o espírito de crítica é alimentado pela inveja. Ao perceber isso, Cristina da Suécia afirmou: “Os homens sempre desaprovam o que não são capazes de fazer.” No livro Diagnóstico e Remédio, editado na década de setenta, escrevi: “Enquanto Jesus curava os aleijados, dava vista aos cegos, confortava os tristes, perdoava pecados e construía oásis de esperança em muitos corações, os escribas e fariseus, de braços cruzados e língua solta, arquitetavam um jeito de enquadrar Jesus em alguma coisa, a fim de Lhe deter os

Rubens Lessa passos no caminho do serviço desinteressado. Enquanto os precursores do movimento adventista anunciavam, alto e bom som, o fim dos 2.300 anos, pastores e membros de outras igrejas, de braços cruzados e língua solta, se riam de um punhado de homens e mulheres que, apesar de estarem equivocados quanto ao que ocorreria

No Uruguai, a experiência não foi diferente. Segundo o líder Jovem da sede da Igreja Adventista no Uruguai, Pablo Flor, o trabalho da “Missão Calebe” é algo recente no país, mas já tem mostrado resultados. Na pequena cidade Colônia Valdense, no Uruguai, uma diretora de escola ficou impressionada ao ver os jovens pintando as paredes. “Ela disse que não conseguia acreditar que jovens dedicavam as férias sem interesse algum. Nessa cidade, os jovens adventistas viraram uma referência, a cidade realmente foi impactada por um trabalho exclusivamente de jovens”, recorda. Segundo Areli Barbosa, o líderes já planejam atividades para a Copa do Mundo em 2014 e as Olimpíadas em 2016. “Estamos pensando em trabalhar com o assunto dos oito remédios da natureza e produzir uma revista sobre o assunto para ser entregue. Queremos fazer a campanha de doação de sangue e também um trabalho tipo a Missão Calebe em que trabalharíamos o dia inteiro e a noite faríamos uma série de conferências. Ainda estamos planejando”, já adianta. Suellen Timm Barros

no fim do referido período profético, estabeleciam as bases de uma obra que circundaria o mundo com o evangelho. [...] Hoje, nas arquibancadas do cenário adventista, muitos estão embaraçando os negócios do Senhor” (p. 28, 29). Ellen G. White adverte: “Muitos que moram há muito num lugar, passam o tempo a criticar os que estão trabalhando segundo o plano de Cristo para convencer e converter pecadores. Criticam os motivos e intenções dos outros, como se não fosse possível que outro qualquer fizesse o trabalho abnegado que eles mesmos se recusam a fazer” (Testemunhos Seletos, v. 3, p. 227, 228). A crítica maldosa e destrutiva precisa ser removida de nosso coração. Se não permitirmos que o Espírito Santo ponha freio em nossa língua, a obra de reavivamento e reforma será adiada. A igreja precisa de união e unidade. Por isso, supliquemos a Deus que nos dê uma “língua de eruditos”, para que saibamos dizer “boa palavra ao cansado” (Is 50:4).


Setembro/2012

8 - Primeiro Caderno

Contextualização é chave hoje no evangelismo em grandes cidades

D

urante o encontro sulamericano de evangelistas, que termina hoje à noite (quinta-feira, 30) em Brasília, ficou claro que o evangelismo de contextualização ganha mais força. O pastor Emílio Abdala, que agora responde pela coordenação de estratégias no estado de São Paulo, ressaltou que há diversas maneiras não convencionais de evangelismo com grupos étnico minoritários na capital que é uma das maiores cidades do mundo. Destacam-se projetos, em São Paulo, como os de uma espécie de evangelismo de amizade com muçulmanos, orientais, hispanos, judeus e outros grupos. A atuação com os judeus tem ganhado um forte apoio oficial adventista. Segundo o pastor Rei-

naldo Siqueira, que coordena esse ministério especial dentro do conceito de Missão Global, o trabalho na América do Sul cresce a cada ano. Há congregações judaico-adventista estabelecidas em cidades do Brasil, Argentina, Uruguai e Chile e a ideia é ampliar esse relacionamento. “Nosso trabalho envolve contextualização em que mostramos amor e amizade pelos judeus dentro da sua cultura, com suas festas, seus costumes, sempre obviamente em harmonia com o que a Bíblia revela”, comenta Siqueira. Diversas atividades são realizadas em relação a palestras culturais, cursos e programas de saúde e apresentações acadêmicas em locais chamados Beth Bnei Tsion (templo/congregação dos Filhos de

Sião), nome adotado por congregações judaico-adventistas que têm surgido no Brasil e em várias outros países do mundo. São espaços de diálogo inter-religioso. Batismo – No último culto do encontro, na manhã desta quintafeira, 30, mais um batismo deu início ao programa oficial da reunião dos evangelistas. O jovem Remerson Ribeiro Soares, 30 anos, era dependente químico e foi alcançado por uma dupla missionária. Ele deixou as drogas e o álcool e hoje trabalha intensamente na pregação do evangelho. Inclusive, está convertendo o dono do bar onde costumava comprar bebidas. Felipe Lemos

Pr. Siqueira: diálogo com judeus está dentro do conceito de missão global evangelística

Adventistas levam inclusão à Lar de Crianças A ação desenvolvida na cidade faz parte da campanha sul-americana Quebrando o Silêncio

A

Bíblia diz e a Constituição Federal também assinala que todos são iguais e têm seus direitos. Acontece que nem sempre a prática aplica a regra e, talvez por isso o termo inclusão tenha sido tão utilizado. Inclusão nada mais é que um conjunto de meios e ações que combatem a exclusão aos benefícios da vida em sociedade. De olho nesta realidade, os membros da igreja Central de Palmas, no interior do Paraná, decidiu fazer a sua parte. No dia 19 de agosto eles deixaram todos os afazeres para oferecer a 25 crianças o direito de fazer parte de um mundo de alegria. Na ação eles visitaram a Casa Lar de Palmas, realizando a ação dentro

do projeto Quebrando o Silêncio, que em 2012 enfoca a inclusão. Muitos membros se tornaram verdadeiros palhaços, não somente por estarem vestidos, mas por serem capazes de arrancar sorrisos de crianças que têm a vida marcada por episódios tristres. Um bate papo sobre o assunto foi realizado com a garotada. Em seguida foram formados grupos, de acordo com a faixa etária, para participarem de : gincanas, filmes e atividades bíblicas. Tudo isso regado à pipoca, bolo, refrigerante e muito bom humor. Ainda dentro da iniciativa, foram entregues materiais impressos do projeto tanto para as crianças, quanto para os funcionários do local. Amar é incluir - Anilda Marini, diretora da Instituição, disse que

sempre recebem doações de roupas, brinquedos e dinheiro, o que é indispensável para o funcionamento da Casa Lar. Mas ela fez também questão de destacar a relevância da atuação da Igreja Adventista, que foi diferente, pois ofertou para as crianças o bem mais valioso que elas podem receber: o carinho – um bem que não tem preço. Os voluntários se emocionaram junto com Anilda, ao sentirem o amor que ela tem pelas crianças. “Todas as crianças que ali estão passaram por algum tipo de rejeição, seja dos pais, dos avós ou até adoções que foram desfeitas”, conta o pastor distrital Mauricio Junges. Ainda de acordo com o pastor, a equipe sentiu-se privilegiada em

poder participar desse momento em que puderam compartilhar amor e misericórdia para com os pequeninos excluídos, como fazia o Grande Mestre desinteressadamente. Para mais

informações sobre o projeto, visite o site Quebrando o Silêncio. Equipe ASN, colaboração do pastor Mauricio Amaral Junges


Primeiro Caderno - 9

Setembro/2012

❘❙ Sermão

Os Dez Talentos “O texto da mensagem de hoje está em São Mateus 25:14-18: “Pois como será o homem que, ausentando-se do país, chamou os seus servos e lhes confiou os seus bens. A um deu cinco talentos, a outro dois e a outro um, a cada um segundo a sua própria capacidade; e então partiu. O que recebera cinco talentos saiu imediatamente a negociar com eles e ganhou outros cinco. Do mesmo modo o que recebera dois, ganhou outros dois. Mas o que recebera um, saindo abriu uma cova e escondeu o dinheiro do seu senhor.”

A

lição básica da parábola dos dez talentos é a produtividade, e chamemos de produtividade a uma vida vitoriosa, de transformação de caráter ou de aquisição de virtudes da vida cristã. Enfim, a produtividade na vida do cristão, depende do tipo de relação que o servo tem com o seu Senhor. Os dois primeiros servos da parábola tinham uma relação de amor e confiança para com seu Senhor. O Senhor acreditava neles e eles o amavam, respeitavam e admiravam. Então, quando o Senhor foi embora, eles trabalharam com os talentos que o Senhor lhes deixou. E quando voltou, eles tinham o dobro, como fruto do trabalho das suas mãos. Mas sua produtividade estava ligada ao tipo de relacionamento que tinham com o Senhor. Já o caso do terceiro servo é completamente diferente. O terceiro servo era um poço de amargura, de ressentimento, de ódio disfarçado. Era servo. Servia, trabalhava para o Senhor, mas no fundo, desejava vê-lo morto. No fundo, falava mal dele, não acreditava nele. E todo esse poço de veneno, pode ser resumido nos versículos 24 e 25 do capítulo 25 do livro de Mateus: “Chegando, por fim, o que recebera um talento, disse: “Senhor, sabendo que és homem severo, que ceifas onde não semeaste, e ajuntas onde não espalhates, receoso, escondi na terra o teu talento; aqui tens o que é teu.” Um servo com medo nunca poderá ser um servo produtivo. A primeira coisa que um servo precisa para produzir, é sentir-se amado, compreendido, aceito. O fruto do sentimento maravilhoso de sentir-se aceito, será a produtividade. Esta Parábola encerra uma das mensagens mais solenes que o cristão precisa entender: o tipo de relacionamento que Deus quer ter com o ser humano. Às vezes nós nos unimos a uma Igreja pensando que estamos tornando-nos cristãos. No entanto, nunca descobrimos o que é cristianismo. Passamos a vida toda frequentando uma igreja chamada cristã, mas nunca experimentamos o gozo da vida cristã. Voltemos por um instante ao Jardim do Éden, quando Deus criou Adão e Eva. Ele não os criou para serem robôs programados para obedecer.

Deus os criou para que fossem seus filhos. Deus não quer escravos, quer filhos; seres humanos realizados, valorizados, amados, compreendidos. Se olharmos para a Bíblia, veremos que o relacionamento que Deus teve com Adão e Eva, foi um relacionamento de pai para filho. Todos os dias Deus chegava ao jardim e Adão e Eva jogavam-se nos braços do Pai. Havia uma relação de confiança, de amor, de companheirismo. Sabe quando apareceu o medo? Quando o ser humano tentou fazer-se o deus de sua própria vida. Quando ele usou mal a liberdade que Deus lhe confiara. Porque parte do amor de Deus era a liberdade. Deus nunca poderia dizer “eu amo meu filho”, se o tivesse criado sem liberdade. A expressão de seu amor era a liberdade. Liberdade para fazer o bem ou para fazer o mal. Tem muita gente hoje que pergunta: “Pastor, se Deus sabia que o homem ia pecar, por que que colocou no Jardim do Éden uma árvore da ciência do bem e do mal? Por que colocou a possibilidade do mal?” Meu amigo, veja bem, se Deus, ao criar o mundo não tivesse colocado diante do homem a possibilidade do mal, o ser humano não seria livre. O ser humano seria escravo do bem. Ele seria bom unicamente porque não existia a possibilidade de ser mau. Ele não teria liberdade, não poderia escolher. Seria como um animal dominado pelo instinto para um determinado tipo de vida, incapaz de decidir. Foi por isso que Deus criou o ser humano livre. Mas, quando ele usou mal a sua liberdade, o texto bíblico nos relata que: “Quando ouviram a voz do Senhor Deus, que andava no jardim pela viração do dia, esconderam-se da presença do Senhor Deus, o homem e sua mulher, por entre as árvores do jardim.” (Gênesis 3:8) Então veio a grande pergunta que vemos no verso seguinte: “E chamou o Senhor Deus ao homem e lhe perguntou: onde estás?” (Gênesis 3:9) E desde aquele dia a grande pergunta de Deus tem sido: “Pedro, onde está você? Francisco, Aparecida, Rosa, Maria, Juliana, José, Rubens, onde está você?” E aí vem a resposta do homem. Escondido atrás da árvore, seminu, com vergonha, arruinado, quebrado por dentro, culpado, atormentado pela consciência: “Senhor, tive medo e me escondi.”

Meu querido, num cristianismo sadio, não pode haver lugar para o medo. O medo é fruto do pecado. Antes da entrada do pecado não existia medo. Deus nunca desejou que no relacionamento que Ele tivesse com Seus filhos, existisse a palavra medo. O medo é fruto do pecado. O que acontece em nossos dias, porém, em nome de Deus e em nome da religião? Muitos líderes religiosos estão criando a religião do medo. Ensinam a temer a Deus, ensinam a ver Deus como aquele soberano sentado em Seu trono, com uma vara na mão, olhando para a Terra, com o objetivo de ver quem é o malcriado que se comporta mal, para castigá-lo. Desde criancinhas crescemos com este conceito: se eu for bom, Deus me ama. Se eu não for bom, Deus não me ama. E crescemos pensando assim. E um dia você bate com o carro e a primeira coisa que imagina é: “o que estará errado em minha vida?” Alguém fica doente em sua família e a primeira coisa que você imagina é: “Que pecado oculto haverá em minha vida para que a doença atinja minha família?” Você perde o emprego, e o primeiro pensamento que lhe passa pela cabeça é “Deus está me castigando, porque fiz isto ou aquilo”. O inimigo é terrível! Quando alguma provação chega à sua vida, quando surge algum momento difícil, imediatamente ele faz você lembrar de todas as coisas erradas de seu passado. E a conclusão a que você chega é: eu não presto, estou sofrendo porque Deus está me castigando, não posso orar a Deus porque Ele não ouvirá minha oração. Querido, a religião do medo é a pior coisa que pode acontecer nesta vida. Sabe por quê? Porque o inimigo vai fazer de tudo para levar você para uma vida de pecado e miséria. Mas, se o inimigo não puder mantê-lo no erro, então vai permitir que você volte para Deus, pelos motivos errados. E um dos motivos errados para você se aproximar de Deus, é o medo. Você nunca pode se aproximar de Deus pelo medo. É por isso que se você é um líder religioso, não pode levar a Igreja a um reavivamento autêntico, provocando medo nas pessoas: “Ah, temos que nos preparar porque os juízos de Deus já estão chegando! Temos que

mudar de vida porque senão seremos atingidos pela ira de Deus! Temos que nos preparar porque talvez no ano 2000 Cristo volte à Terra!” Não! Se você se preparar por medo, sua preparação não vale nada. Se você se aproximar de Deus por medo, seu cristianismo não vale nada. Por medo, unir-se a uma Igreja, ser batizado e tentar cumprir tudo que Deus pede, não vale. Por medo, para não sofrer os castigos de Deus, para não receber a maldição, para que tudo vá bem! Mas, sabe quando você vai ver a fragilidade de sua triste religião? Quando chegar o momento da pressão, da provação, das dificuldades. O terceiro servo da parábola não sabia que tinha medo de Deus. Ele pensava que era mais um servo, mais um membro da Igreja. Ele não sabia que odiava Seu Mestre. Ele não estava consciente do conceito que ele tinha de Deus. As acusações que saíram de sua boca, os impropérios de seu coração apareceram quando chegou o momento do ajuste de contas. Quando viu que o servo que recebera cinco devolvera dez; o que recebera, dois devolvera quatro; e ele que recebera um, não tinha nada. Foi aí que ele confrontou-se com a sua realidade. Ele não amava seu Senhor. Tinha um monte de acusações. Na sua opinião, o senhor era injusto: colhia o que não havia plantado! Cobrava o que não havia semeado. Então disse: “... receoso, escondi na terra o teu talento.” (Mateus 25:25) A minha pergunta é: “qual é o tipo de cristianismo que você pratica? Você tem medo de Deus ou é atraído a Ele pelo seu maravilhoso amor? Que tipo de cristianismo lhe ensinaram? Pois, desde o momento que você entrou na Igreja, tem que se portar direitinho, porque, senão , você poderá receber os castigos divinos? É este o tipo de cristianismo que lhe ensinaram? Então você não entendeu o Evangelho, porque o cristianismo é um relacionamento de amor com o Senhor Jesus. Cristianismo é enamorar-se de Jesus, apaixonar-se por Jesus, entregar-Lhe a vida. Colocar a mão no braço de Jesus

fechar a porta à dúvida. Por causa da dúvida, você está parado há algum tempo. Você não avança. Não chega à decisão alguma. Não toma posição diante de Deus nem diante dos homens. Existem dúvidas doutrinárias e dúvidas de comportamento. Elas gostam de andar juntas, alimentando-

se e beneficiando-se mutuamente. Faça uma incursão nos porões de sua consciência e verá que você não crê por que não quer crer. E não quer crer porque a fé e a convicção vão alterar o seu modo de vida. É impossível acabar com a dúvida se você pretende agradar a si próprio e aos homens, e não a Deus (João 5:44).

e dizer assim: “Senhor, leva-me pelos caminhos desta vida.” Você não pode querer portar-se bem para ser amado. Precisa, primeiro, ser amado para poder portar-se bem. O filho que sente o amor do Pai é o que melhor se desenvolve. Não teme o futuro nem os desafios porque sabe que está ao lado do Pai e Ele o ama com um amor incondicional. A produtividade na vida cristã depende do tipo de relacionamento que você tem com Jesus. Você acha que só porque caiu uma vez, Deus o detestou? Você acha que porque escorregou cinco, dez vezes, Deus não acredita mais em você? Ah, querido, a Bíblia está cheia de exemplos, de um Pai que espera, que procura, que chama e que não perde as esperanças. Aceite este amor hoje mesmo.

ORAÇÃO Pai querido, obrigado por Teu amor infinito. Ah, Senhor, nunca poderemos entender a imensidão deste Amor, mas, obrigado, porque o que seria de nós se não nos amasses tanto. Agora, aceita esta oração e a oração sincera de tantas pessoas que estão falando em seus corações Contigo, aí onde estão. Em nome de Jesus. Amém.

Pr. Alejandro Bullón

LIVRE-SE DA DÚVIDA!

A

dúvida é uma situação horrível. Mas tem o seu lado positivo. É por meio da dúvida que você começa a se libertar de uma concepção errada ou incompleta de Deus, até então alicerçada numa hermenêutica imprópria. É por meio da dúvida que você começa a se libertar de um estilo de vida moralmente

perigoso. Passada, porém, esta fase terapêutica, você deve dispensar a dúvida e ceder lugar à certeza. Sobretudo se você já se deparou com novos e confiáveis padrões de verdade teológica e ética, que podem ser achados nas Sagradas Escrituras, única regra de fé e prática. Uma vez esclarecido, você precisa

Você precisa se salvar da dúvida. Daí o apelo de Judas, o irmão de Tiago: “Compadecei-vos de alguns que estão em dúvida – salvai-os, arrebatando-os do fogo” (Judas, verso 22). (Em Letras Grandes)

❘❙ Notas de Falecimento + Luciana Ferraz, secretária da Associação Rio Sul, faleceu no dia 04 de setembro porque usou em casa um produto no cabelo a base de formol e foi dormir com

o produto no cabelo. Antes de dormir se sentiu mal, foi levada ao hospital, foi medicada e voltou para casa. No dia seguinte ao dar um beijo de bom dia, o marido sentiu o gosto de química em sua boca, e viu que estava pálida. Levou- a imediatamente ao hospital novamente, mas ao chegar sua situação já estava muito grave, teve duas paradas cardíacas e faleceu as 16h. Isso é uma alerta! Mas devemos sempre lembrar que: O sofrimento e a dor deste mundo muito em breve irão se findar, Jesus Cristo prometeu, Sua promessa cumprirá! Logo a negra noite se acaba, NOVO DIA CHEGARÁ! Apocalipse 21:4 - “E Deus enxugará dos olhos deles todas as lagrimas. E não haverá mais a morte...!”

+ No domingo a tarde, Pr. Nelson Duarte, primeiro presidente da Associação Rio Sul, sua esposa profª Girlene Duarte e familiares sofreram um acidente de carro. A Profª Girlene não resistiu e faleceu. Faleceu também seu irmão Pr. Onésimo. O Pr. Nelson Duarte está internado no Hospital Adventista Silvestre. Oremos pelos familiares. O acidente envolveu três veículos: um Meriva de Juiz de Fora, uma carreta do estado do Ceará e uma moto de Caputira. Segundo informações de testemunhas, a motorista da Meriva tentou fazer uma ultrapassagem e colidiu nas rodas traseiras da carreta, que vinha sentido contrário. O carro capotou e parou atravessado no meio da pista. A moto, que seguia atrás da Meriva, bateu no carro e o motociclista caiu na pista. Morreram a motorista da Meriva, profª Girlene Duarte, 70 anos, e seu irmão que estava banco

traseiro Onésimo de Oliveira Duarte, 83 anos. Outros dois passageiros e o motociclista foram socorridos à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) com ferimentos leves.


Setembro/2012

10 - Primeiro Caderno

❘❙ Notícias Internacionais

Livro abordando a homossexualidade Um novo livro de ensaios e depoimentos abordando a homossexualidade é o primeiro de seu tipo que sai de uma casa publicadora adventista.

O

livro “Homosexuality, Marriage, and the Church” foi lançado pela Andrews University Press [editora da Universidade Andrews] no início deste mês. Tratase de uma coleção de dissertações e testemunhos baseados em apresentações durante uma conferência sobre homossexualidade realizada em 2009 na Universidade Andrews. A obra “Homosexuality, Marriage, and the Church: Biblical, Counseling, and Religious Liberty Issues” [Casamento, Homossexualidade, e a Igreja: Questões de Aconselhamento, Bíblicas e de Liberdade Religiosa] aborda as questões complexas que envolvem a homossexualidade e a vida e fé adventistas. O livro, de quase 600 páginas, publicado pela Andrews University Press, é de autoria de especialistas em direito, saúde, e teologia. O conteúdo do livro é baseado em apresentações de uma conferência sobre homossexualidade, patrocinada pela Igreja em 2009. Niels-Erik Andreasen, presidente da Universidade Andrews e do conselho da University Press, editora da universidade, disse que o tema deste livro é oportuno e necessário. “Acontecimentos recentes na nossa comunidade de fé, organizações religiosas,

política americana e na sociedade secular requerem cuidadosa reflexão sobre este assunto sensível”, disse Andreasen. “A Universidade Andrews tem o prazer de ajudar a resolver algumas destas questões, reunindo uma gama de perspectivas sobre este assunto na nossa igreja”. O livro, lançado no início deste mês, é uma coletânea de 14 ensaios e seis testemunhos de pessoas que têm lutado pessoalmente com a homossexualidade. “Por mais que gostaria de assim fazer, a Igreja não pode mais fugir a perguntas sobre homossexualidade e matrimônio do mesmo sexo”, diz Nicholas P. Miller, editor principal do trabalho, juntamente com Roy E. Gane e Peter H. Swanson, todos do Seminário Teológico Adventista do Sétimo Dia da Andrews. “A sociedade, com estridência crescente, está forçando os cristãos a enfrentarem esses temas”, diz Miller. Miller aponta aos diversos Estados americanos cujas legislaturas recentemente promulgaram disposições de casamento do mesmo sexo. Ele observa que em novembro deste ano, pelo menos dois estados, Maryland e Washington, terão referendo em cédulas eleitorais, por iniciativa

de cidadãos que procuram reverter leis de casamento do mesmo sexo recentemente promulgadas. “Vejam a estranha controvérsia e evidente indignação surgida quando o proprietário de uma cadeia nacional de fast-food [alimentos rápidos] recentemente expressou seu apoio ao casamento tradicional”, disse Miller. “Era a mesma posição mantida até muito recentemente pelo presidente dos Estados Unidos. E a reação midiática é uma indicação de como esforços estão sendo feitos para mudar os sentimentos do público sobre esta questão”. Alguns na Igreja estão tentando reformular atitudes sobre a homossexualidade também. Recentemente, alguns adventistas promoveram um documentário admitindo o estilo de vida gay entre os adventistas, disse Miller. “Em meio a tudo isso, os adventistas devem ter uma compreensão clara de todas as questões em jogo, e elas são significativas”, disse ele. Ronald Knott, diretor da Andrews University Press, observa que, juntamente com questões bíblicas e de liberdade religiosa, o livro enfatiza o apelo passional para o mais alto nível de amor pastoral e apoio para os cristãos que, disse ele, “podem ter

sido seduzidos para um caminho espiritual perigoso mediante argumentos encantadores, porém falsos, das Escrituras e da história política, vindas de dentro e de fora da Igreja”. O livro é dividido em quatro seções: material bíblico sobre a homossexualidade, questões jurídicas, aconselhamento e testemunhos. Um apêndice reproduz as várias declarações oficiais referentes à homossexualidade emitidas através dos anos pela Igreja Adventista. Além de sua responsabilidade de ensino como professor-associado de história da Igreja na Andrews, Miller também é diretor do Instituto Internacional de Liberdade Religiosa, da Universidade. O instituto está patrocinando um fórum sobre as questões políticas, religiosas e sociais que cercam o casamento homossexual em 6 de outubro. O evento será realizado na Igreja Adventista do Sétimo Dia de Spencerville, em Spencerville, Maryland. O fórum, planejado para coincidir com o referendo de Maryland para derrubar a lei estadual de casamento do mesmo sexo, vai chamar a atenção para as questões envolvidas, para o novo livro, e contará com painéis de discussão e um sermão sobre os

adventistas e a ação social por Bill Knott, editor e redator-executivo da Revista Adventista [edição em inglês] e Adventist Review Andrews/ANN staff

Congresso da juventude na Ucrânia

O

s principais dirigentes da Igreja disseram que um congresso da juventude realizado na Ucrânia foi uma inspiração para aqueles que vivem em sociedades livres. Também apresentou a juventude adventista do sétimo dia expressando a sua fé em maneiras novas e significativas. Muitos dos 2.000 participantes vieram de países que ainda enfrentam desafios à liberdade religiosa. “Eles nos inspiraram com sua

vibração, alegria e liberdade manifestando sua fé de forma mais relevante e significativa para a sua geração”, disse Gilbert Cangy, diretor de jovens para a Igreja Adventista a nível mundial. O Congresso da Juventude da Divisão Euro-Ásia, realizado a cada cinco anos, reuniu-se fora da Rússia pela primeira vez. O congresso deste ano foi realizado no campus do Centro Adventista Ucraniano de Educação Superior, em Kiev de 21 a 25 de agosto.

Um grupo de canto da Ucrânia se apresenta no Congresso da Juventude da Divisão Euro-Ásia em Kiev. Cerca de 2.000 jovens de 13 países reuniram-se no Centro Adventista Ucraniano de Educação Superior para o evento de cinco dias. [Fotos de cortesia ESD]

“Queríamos inspirar os jovens no seu crescimento espiritual. Centenas experimentaram renovação espiritual no congresso”, disse Gennady Kasap, diretor de jovens da Divisão. O presidente mundial da Igreja Adventista, Ted N. C. Wilson, cumprimentou o grupo em russo em seu discurso. Anteriormente ele havia atuado como presidente da Divisão de 1992 a 1996. Wilson disse mais tarde: “Sinto-me emocionado ao ver tantos jovens ardendo por Jesus e que estão ansiosos para que Deus lhes conceda o poder de servi-Lo”. Os participantes tiveram oficinas educativas no campus e serviços comunitários por Kiev e cidades vizinhas. Vinte ônibus transportaram jovens e jovens adultos para ajudarem a limpar parques, ruas e ferrovias. Vencedores de um concurso sobre conhecimentos bíblicos foram premiados com viagens a próximos eventos espirituais da Igreja: o vencedor do terceiro lugar recebeu uma viagem para o Congresso da Juventude Europeia na Sérvia; o segundo colocado ganhou uma viagem para o Congresso Mundial da Juventude na África do Sul, em 2012, e o vencedor do primeiro lugar ganhou a oportunidade de assistir à Assembleia da

Um grupo da Moldávia faz uma apresentação durante o congresso da juventude da Divisão Euro-Ásia.

Associação Geral, em San Antonio, Texas, EUA, em 2015. A Divisão Euro-Ásia é composta por 13 países: Afeganistão, Armênia, Azerbaijão, Bielorrússia, Geórgia, Cazaquistão, Quirguistão, Moldávia,

Rússia, Tajiquistão, Turquemenistão, Ucrânia e Uzbequistão. A divisão relata uma membresia de cerca de 138.000 membros. Angela Burdick

Campori de Desbravadores na Coreia do Sul é o primeiro da Divisão Norte da Ásia-Pacífico O primeiro Campori de Desbravadores da Divisão Norte da Ásia-Pacífico, realizada no início deste mês, foi uma oportunidade para os jovens adventistas do sétimo dia terem comunhão com outros jovens adventistas de toda a região. O evento de seis dias atraiu cerca de 4.500 participantes da Coreia do Sul, Japão, Mongólia, China continental, Taiwan, Hong Kong e Estados Unidos. Foi realizada na Universidade Sahmyook, que pertence à Igreja, em Seul. “Quero compartilhar o meu apreço pelo grande apoio dos nossos pastores, funcionários e voluntários pela dedicação maravilhosa”, disse Kim Nak Hyung, diretor de jovens para a Divisão. Num sermão, Ron Whitehead, diretor executivo do Centro de Evangelismo da Juventude, da Universidade Andrews, nos EUA, disse: “Este Campori foi tão cheio de programas criativos, com música, teatro, trajes, cultura e novas técnicas. Mas acima de tudo, nos ajudou a aproximar-nos de Jesus para compartilhá-Lo com outras pessoas”. Cerca de 100 jovens adventistas

Desbravadores da Mongólia competem num de marcha no campori.

foram batizados durante o evento. “Desbravadores” é um clube de atividades de jovens patrocinado pela Igreja Adventista a nível mundial. Há

mais de 2 milhões de membros em todo o mundo. A Divisão do Norte da Ásia-Pacífico inclui a Coréia do Norte, Coreia do Sul, Japão, Mongólia, Chi-

Crianças pintam durante primeiro Campori de Desbravadores da Divisão Norte da ÁsiaPacífico, realizado no início deste mês na Universidade Sahmyook em Seul. O evento de seis dias atraiu cerca de 4.500 participantes de toda a Divisão. [fotos de cortesia NSD]

na, Taiwan e Hong Kong. A Divisão tem uma membresia estimada em 640.000 membros. O próximo campori de abrangên-

cia de uma Divisão está previsto para Taiwan em cinco anos. NSD/ANN staff


Primeiro Caderno - 11

Setembro/2012

❘❙ Notícias Nacionais

Comemorados 90 anos de primeira formatura teológica no Brasil H á 90 anos, em dezembro de 1922, graduava-se a primeira turma do Curso Preparatório Ministerial do então Seminário Adventista. Era a primeira fase ou início do Curso de Teologia da Igreja Adventista do Sétimo Dia no Brasil. O grupo de nove formandos, composto por Domingos Peixoto da Silva, Ernesto Bergold, Alma Meyer Bergold, Phillonila Santos Assumpção, Adelina Zorub, Rodolpho Belz, Guilherme Denz, Isolina Rodrigues Waldvogel e Luiz Waldvogel, escolheram “Rumo ao Mar” como lema da formatura. Este título descreve o compromisso missionário que marcou o ministério individual de todos eles, personalidades responsáveis, em grande parte, pela consolidação do adventismo no Brasil. Os homens da turma ocuparam atividades pastorais, já as mulheres, qua-

tro no total, foram preparadas para o serviço de educação. “Deram exímia contribuição para o desenvolvimento da igreja. Dessas nove sementes a Igreja Adventista hoje se consolidou, se expandiu por todo o território nacional”, definiu o pastor Renato Stencel, diretor do Centro Nacional da Memória Adventista no Brasil. Caracterizados com o figurino da década de 1920, familiares descendentes deste grupo de pioneiros, representaram como teria sido a última aula da turma, ainda no Seminário, e a cerimônia de formatura em 1922. A comemoração ocorreu na manhã do domingo, 26 de agosto de 2012, no auditório Ellen White no Unasp, campus São Paulo. Local em que por cerca de 70 anos manteve a única instituição formadora de pastores adventistas no país. “Essa história toda chega até nós

muito forte ainda, e ela é a grande motivação para nós continuarmos cumprindo a missão da educação adventista: preparar jovens, rapazes e moças pra servir a Deus, servir ao próximo e a pátria. Então, o lema dessa turma, que é o grande legado que eles deixaram, é aquilo que nos movimenta e direciona as nossas ações ainda hoje”, reflete Helio Carnassale, diretor geral do Unasp, campus São Paulo.

Encontro histórico - Para o pastor Emilson dos Reis, diretor da Faculdade de Teologia do Unasp, campus Engenheiro Coelho, esses encontros são importantes para recordar a missão e a herança que eles deixaram para as gerações seguintes. “No passado as coisas eram um tanto difíceis, mais do que hoje, e mesmo assim havia dedicação, havia um empenho, uma fé muito grande. Ao lembrarmos es-

ses fatos, nos ajuda a continuarmos nesse caminho nos dias de hoje”, ressaltou. Em 90 anos de Teologia Adventista no Brasil (1922 – 2012) estima-se que, apenas no Estado de

São Paulo, por volta de 2.500 alunos tenham concluído a formação em 92 turmas ao longo desse período. Murilo Pereira

Mídia destaca ações sustentáveis de acampamento adventista

N

a manhã de ontem, terçafeira, 4 de setembro, uma equipe da emissora SBT Brasília visitou os alojamentos do Segundo Campori de Desbravavores da Igreja Adventista do Sétimo Dia na região centro-oeste brasileira e fez uma reportagem geral sobre as ações sustentáveis que os clubes estão desenvolvendo no local. Entre as iniciativas voltadas para a preservação do meio ambiente, destaca-se a criação dos portais dos clubes feitos a partir de materiais recicláveis e ecológicos. A matéria foi ao ar meio-dia, no telejornal Jornal do SBT e, logo depois, o repórter entrou ao vivo direto do Parque da Cidade, em Brasília, onde está acontecendo o acampamento, contando mais detalhes sobre o evento. O Clude de Desbravadores Kristu Deoduo, formado por indígenas da etnia karajá, da Ilha do Bananal, TO, foi um dos destaques do link ao vivo. A reportagem enfatizou o fato

de eles serem os únicos desbravadores indígenas e a troca cultural que a participação da equipe favorece ao programa. O campori se estende até o próximo sábado, dia 8, sendo que durante toda a semana os jovens proverão diversas ações comunitárias. Mais de oito mil jovens e adolescentes dos Estados do Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goiás, Tocantins e Distrito Federal estão no acampamento. A segunda edição do Campori de Desbravadores acontece no Parque da Cidade em Brasília e recebe mais de oito mil crianças, jovens e adolescentes vindos dos Estados do Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Tocantins, Goiás e Brasília. Para Nelson Milanelli, líder dos desbravadores da região CentroOeste, o fato de Brasília ser sede do evento pela primeira vez marca a

Professora ganha espaço na mídia com “bilhetinhos carinhosos” existência do Clube de Desbravadores. “Para nós, é um alto privilégio promover esse encontro no maior parque público urbano do mundo durante a Semana da Pátria, uma data tão importante para o povo brasileiro”, destaca. “Só posso dizer que contar com o apoio do GDF para isso e ainda promover ações de cidadania com nossos jovens em prol da cidade de Brasília é uma verdadeira celebração”, conclui. Luzia Paula e Liana Feitosa

Lançado livro sobre história textual do Novo Testamento

N

a última quarta feira,30, o professor Wilson Paroschi lançou o livro A Origem e a Transmissão do Texto do Novo Testamento, pela Sociedade Bíblica Brasileira (SBB). Paroschi é docente do curso de Teologia do Centro Universitário Adventista de São Paulo (Unasp), campus Engenheiro Coelho, e é o primeiro adventista a ter publicações pela SBB. O lançamento ocorreu no auditório central do campus, na parte da manhã e contou com a presença de alunos e professores do curso de Teologia e representantes da SBB. Tendo como base o livro Crítica Textual do Novo Testamento, escrito por Paroschi em 1993, a obra recebeu uma releitura completa. “É um projeto antigo, já é o segundo livro que escrevo sobre este assunto. O primeiro foi publicado há quase 20 anos e, logo em seguida, surgiu a ideia de uma segunda edição. Comecei a reunir material e essa segunda edição se transformou em um livro completamente novo, com uma bibiografia grandemente ampliada, atualizada. Os temas foram aprofundados, outros foram introduzidos. É um projeto antigo que acabou se transformando em algo totalmente novo”, explica Paroschi. A obra apresenta um estudo investigativo, abrangente, atual e bem documentado da história textual do Novo Testamento. Denominada crítica textual, essa investigação trata do estudo do texto neotestamentário, ou seja, do Novo Testamento, com o propósito de assegurar que as

palavras lidas hoje correspondam da forma mais plena àquelas que os apóstolos e evangelistas escreveram há tantos séculos. De acordo com o secretário de publicações da Sociedade Bíblica Brasileira, Paulo Teixeira, o livro de Paroschi vai oferecer ao leitor a visão geral sobre a origem do novo pensamento grego, a base textual, a história da transição desse texto em cada uma de suas páginas. Vai trazer, em temas, informações técnicas a respeito dessa história, de como o novo testamento tem esse contexto, que chegou até nós hoje. “O livro desmistifica muitas coisas, mostra que o texto chegou íntegro apesar das muitas cópias feitas, e com essa integridade, confirma a

inspiração com o texto divino, trás uma mensagem divina, a voz de Deus para nós”, declara Teixera. Segundo o editor, os critérios para publicação na SBB são elevados. “Precisa ser uma obra de envergadura de profundidade. É exatamente o que temos no livro, um material de profundidade. Leva o leitor a valorizar o texto bíblico e é absolutamente atual. Nós temos nesses capítulos o que não se encontra em nenhuma biblioteca teológica do Brasil: as informações biográficas mais atualizadas do mundo”, salienta o editor. O material foi escrito na Alemanha, durante o pós-doutorado de Paroschi. Rafael Brondani

E

m geral, levar bilhetinho da escola para casa não significa coisa boa. Mas, no Colégio Adventista de Porto Alegre, a professora de português, Ariane Santi, implantou um projeto que vai contra o senso comum, seus recados aos pais dos alunos são conhecidos no colégio, como “bilhetinhos carinhosos”. A educadora usa esta estratégia para motivar os alunos que realizam as atividades em sala de aula e engrandece seus pontos positivos. Esse projeto chamou a atenção dos alunos, pais e até da mídia. A professora e seus “bilhetinhos carinhosos” foram destaque na sessão de educação de dois veículos de comunicação importantes no Rio Grande do Sul, o Jornal Correio do Povo e a afiliada da Rede Globo, a

RBS TV, no Jornal do Almoço. Este ano a RBS TV lançou a campanha “A educação precisa de respostas” e foi neste quadro que a professora Arine Santi falou sobre sua estratégia com os alunos. A professora envia bilhete de incentivo aos pais de alunos diariamente, e com o passar do tempo, alguns desses pais enviaram bilhetes de resposta agradecendo a iniciativa. O ponto alto da reportagem foram os depoimentos dos pais de alunos, que elogiaram a ideia e reconheceram a importância deste incentivo na vida de seus filhos. A emissora apresenta Ariane Santi como uma educadora que possuiu “um olhar positivo para a educação”. Bianca Lorini

Ação evangelística em presídio apresenta resultados Uma cerimônia de batismo. Pastor, tanque batismal, alegria, muita emoção, flores para enfeitar, grades. Sim. Você leu certo. Grades. Os detentos da Cadeia de Nossa Senhora do Socorro, SE, foram convertidos e celebraram o início de uma nova vida. “Por amor ao meu Senhor Jesus eu me decidi ao batismo hoje”, afirmou o presidiário Cícero Alves. “É muito bom olhar para trás e ter a certeza de que todos os meus pecados foram perdoados. Daqui pra frente vai ser tudo melhor”, vibrou Leoni Alves. Ex- usuário de drogas, Leoni e outros nove presidiários foram batizados através de uma ação evangelística ocorrida na cadeia há cerca de quatro meses. A iniciativa é de uma Igreja Adventista do Estado. Segundo o detento Josevaldo Batista, apesar das grades, eles estão livres em Cristo. “Muitos lá fora estão mais presos do que nós, pois estão presos nos vícios, nos pecados. Hoje, nós ganhamos liberdade em Jesus. E essa é a melhor de todas”, afirma. “Nós temos pregado e ouvido falar que a luz chega ao fim do túnel. Aqui é o fim do túnel e Cristo é a luz para essas pessoas”, enfatiza

o pastor Manoel Rodrigues, líder de evangelismo no Estado. E essa luz, a qual ele se refere, é refletida no bom comportamento dos presidiários. “A Igreja Adventista tem realizado um trabalho muito importante aqui na cadeia. Depois dessa série de evangelismo, os encarcerados estão disciplinados”, finaliza o diretor do presídio, Rosmã Pereira. Rafaella Oliveira


Setembro/2012

12 - Primeiro Caderno

Evento reúne médicos das instituições adventistas de saúde

F

oi realizado em Brasília, onde fica a sede sul-americana da Igreja Adventista, o III Encontro de Médicos que atuam nas instituições adventistas de saúde em oito países da América do Sul. O evento contou com cerca de 200 participantes e teve um enfoque espiritual. Os seminários trataram do tema “Missão, Excelência e Cura” e foram apresentados pelo líder sul-americano de Família, pastor Marcos Bomfim e pelo vice-presidente de Relações Públicas do Sistema Adventista de Saúde

Americano, Womack Rucker. Para o organizador do Encontro e líder do setor na América do Sul, pastor Marlon Lopes, o foco é sempre valorizar a pessoa do médico. “Buscamos mostrar a importância deles resgatando o senso de missão, a excelência no atendimento e a cura, tanto física como espiritual, mostrando que estes são os focos da saúde adventista”, destacou. O pastor Erton Köhler, presidente da Igreja na América do Sul, reforçou a importância do setor e as metas da

Igreja para a área de saúde. “Salvar o corpo é uma ponte para salvar a alma. Vamos investir em uma estrutura física cada vez melhor com o objetivo de oferecer as devidas condições para que nossos profissionais de saúde atuem junto a comunidade”. Inspirados com a música do quarteto Arautos do Rei e motivados com os temas que foram apresentados os médicos saíram do encontro motivados para o serviço. Para o Dr. Hélnio Nogueira, que atua na Clínica Adventista de Curitiba, PR,

“o evento reforçou a importância de apresentar Jesus aos pacientes. Ele é a verdadeira cura para todos os males”. O Dr. Dorival Duarte, do Hospital Adventista de São Paulo, SP, concordou com o colega e acrescentou que “como instrumentos do Médico dos médicos podemos aliviar o sofrimento tanto de pacientes como de familiares. O Encontro ofereceu ainda mais subsídios para isso”. Na oportunidade foi feita uma homenagem a quatro médicos que dedicaram longos anos de trabalho à

saúde adventista. São eles o Dr. João Kiefer Filho, director médico da Clínica Adventista de Porto Alegre-RS (41 anos de trabalho), Dr. Manfred Krusche, diretor médico da Clínica Vida Natural em São Roque-SP (42 anos), Dr. Walter Streithorst Filho, médico no Hospital Adventista de Belém-PA (40 anos) e o Dr. Natanael Costa, médico no Hospital Adventista de São Paulo, 43 anos dedicados à saúde adventista. Márcia Ebinger


Jornal Orion